RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA EMBRAER S.A: ANÁLISE DOS INDICADORES DE RENTABILIDADE E DO BACKLOG FINANCEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA EMBRAER S.A: ANÁLISE DOS INDICADORES DE RENTABILIDADE E DO BACKLOG FINANCEIRO"

Transcrição

1 RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA EMBRAER S.A: ANÁLISE DOS INDICADORES DE RENTABILIDADE E DO BACKLOG FINANCEIRO Thayse Machado Guimaraes (UFU ) Oswaldo Carlesso Neto (UFU ) Thayla Machado Guimaraes (UFU ) Karem Cristina de Sousa Ribeiro (UFU ) Este trabalho tem o propósito de avaliar a relação entre giro do ativo, margem líquida, rentabilidade do ativo e backlog financeiro com os retornos anuais das ações da Embraer S.A. Para este estudo foram utilizadas referências de sustentabiilidade, nas perspectivas ambiental, social e econômica, e evidenciados alguns autores que trabalham a gestão baseada em valor, que corresponde à forma de avaliar o valor de mercado das empresas que vai além do resultado contábil. Utilizouse algumas abordagens de gestão de estoques e indicadores de rentabilidade, além da teoria de correlação. A proposta é avaliar a relação das variáveis citadas com os retornos anuais das ações desta companhia no período de 2000 a Adotou-se como metodologia uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa, por meio de um estudo de caso da Embraer S.A. Justifica-se o período abordado, pois compreende a crise financeira e econômica que afetou especialmente o setor de aviação. Em relação aos resultados encontrados, identificouse que os três indicadores de rentabilidade possuem correlação positiva baixa, enquanto que o backlog financeiro apresenta correlação negativa baixa. Palavras-chaves: Sustentabilidade, Valor de Mercado, Indicadores de Rentabilidade

2 1. Introdução A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica) é uma companhia de capital misto e controle estatal. Possui mais de 40 anos de existência e atua nos processos de projeto, desenvolvimento, fabricação, venda e suporte pós venda de aeronave. Ela atende os seguimentos de aviação comercial, aviação executiva e fornece também soluções integradas para defesa e segurança. O negócio desta organização é gerar valor para os acionistas, de forma que a empresa tenha a garantia de sua perpetuidade (EMBRAER, 2013). No tocante à gestão econômico, social e ambiental, a Embraer segue o princípio de que uma empresa sustentável é aquela que gera lucro para os acionistas, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a vida das pessoas com quem mantém interações (EMBRAER, 2013). Em relação a esta perspectiva, entendida através dos três pilares, conforme apresentado por Elkington (2001), surgem desafios na busca pelo equilíbrio, visando à sustentabilidade. Esta perspectiva envolve a qualidade ambiental, a justiça social e o desenvolvimento econômico. A respeito da gestão econômica, dentre as estratégias adotadas por esta empresa, conforme exposto na revista Exame de 23/06/2011, destaca-se a preocupação em elevar o backlog financeiro, que corresponde às receitas futuras potenciais, pois a crise financeira e econômica mundial de 2008 e 2009 ocasionou declínio na indústria global de aviação. Sabe-se que a Embraer S.A mantém estoques para garantir a reposição de peças aos seus clientes e, por isso, é preciso analisar a forma de gestão dos estoques desta empresa, pois, assim, será possível compreender a eficiência que ela utiliza seus ativos, bem como administra suas operações. Dessa forma, o grau do êxito econômico de uma organização é também avaliado conforme a rentabilidade dos capitais investidos (MATARAZZO, 2003). Visto que a Embraer tem como preocupação a promoção de resultados sólidos, para este estudo foram utilizados métodos estatísticos por meio das análises de correlação. O intuito é verificar a relação de alguns indicadores de rentabilidade e o backlog financeiro da Embraer S.A com os retornos anuais das ações desta empresa. De acordo com Mandim (2005), pela análise de correlação, apura-se o nível (grau) de relacionamento entre duas variáveis. Sendo assim, o problema que motivou a realização desta pesquisa foi: Qual a relação dos indicadores de rentabilidade e do backlog financeiro da Embraer S.A com os retornos anuais das ações desta empresa durante o período de 2000 a 2012? Escolheu-se este período, visto que ele abrange o cenário antes, durante e pós-crise financeira e econômica mundial. O objetivo principal, desse modo, é identificar a relação dos indicadores de rentabilidade e do backlog financeiro da Embraer S.A com os retornos das ações durante o período de 2000 a De maneira específica, busca-se analisar, também neste período, os valores dos indicadores de rentabilidade (giro do ativo, margem líquida e rentabilidade do ativo), os valores do backlog financeiro e calcular a correlação destas variáveis com os retornos das ações desta empresa. 2

3 O trabalho está estruturado em cinco partes. A introdução contempla o problema de pesquisa, justificativa do tema e os objetivos que embasam as apurações. A segunda parte apresenta a revisão de alguns conceitos de sustentabilidade, valuation, gestão de estoques, indicadores de rentabilidade e análise de correlação. A terceira, por sua vez, apresenta a metodologia adotada, a quarta os resultados apurados e, por fim, a quinta as considerações finais. 2. Revisão Bibliográfica Em virtude do crescimento industrial e dos impactos gerados pela globalização, são perceptíveis as melhorias no padrão de vida e no conforto das pessoas. Entretanto, os autores Bonnie e Huang (2001) destacam que, apesar dessas melhorias, os custos ambientais das novas práticas do mercado são consideráveis. No tocante ao desempenho organizacional, realiza-se uma análise que transcende a perspectiva contábil de resultado dos exercícios. Este desempenho é avaliado nos aspectos ambientais, sociais e econômicos. Segundo Elkington (1994), é preciso que sejam avaliados a qualidade ambiental, a justiça social e o desenvolvimento econômico, os quais são entendidos como a teoria dos três pilares. O mesmo autor, em 2001, destaca que há desafios na busca por este equilíbrio, tendo como objetivo a sustentabilidade. Em relação ao pilar ambiental, sabe-se que ele está relacionado à conservação e ao uso dos recursos naturais. O pilar social diz respeito à equidade e participação dos grupos sociais na construção e manutenção do sistema. Já o pilar econômico representa a geração de riqueza pela e para a sociedade, considerando o entendimento dos impactos além dos acionistas, ou seja, envolve todos os stakeholders. Adicionalmente à abordagem da sustentabilidade em seu sentido amplo (ambiental, social e econômica), destaca-se a progressiva mudança no gerenciamento das empresas, especialmente em virtude da abertura de mercado, globalização, competitividade e profissionais mais qualificados. Dessa forma, a expectativa homogênea dos acionistas diz respeito à busca pelo crescimento da riqueza e não somente pelo lucro contábil. Isso indica que a administração tem migrado de um modelo baseado na geração de lucro, para um modelo baseado na criação de valor para a empresa e os acionistas (ASSAF NETO, 2003). Segundo este autor, criar valor para uma empresa vai além de cobrir os custos das mercadorias vendidas. O valor reflete o entendimento e o cálculo dos custos de oportunidade do capital investido, sendo que este não é considerado pela contabilidade tradicional na apuração dos resultados da empresa. Quando a remuneração oferecida é maior que a taxa mínima exigida, o valor da empresa ultrapassa o valor dos investimentos, resultando em uma agregação de riqueza, e esta refere-se ao valor de mercado formado com base nas expectativas dos investidores em ações. Assim, entende-se que este valor gerado é incorporado pelo mercado na avaliação das ações, valorizando-as (aumento de preço das ações), o que gera riqueza aos acionistas. Por outro lado, quando o retorno oferecido pelo investimento não for suficiente para remunerar o risco assumido pelo acionista, tem-se a destruição de valor, o que permite dizer que o valor de mercado da empresa é inferior ao montante de seus ativos, isto é, a empresa vale mais fracionada do que se avaliada em sua totalidade (ASSAF NETO, 2003). Póvoa (2007) afirma que existe uma considerável diferença entre preço e valor, pois o primeiro pode ser fixo, ou variar de acordo com a oferta e demanda, e geralmente é definido 3

4 pelo comportamento do público alvo de determinado produto. Em relação ao conceito de valor, depende da visão individual de cada potencial consumidor. De acordo com Damodaran (2012), todos os ativos de uma empresa possuem um valor e, para uma gestão de sucesso, não se deve somente saber qual é esse valor, mas também identificar os recursos que o compõem. Deste modo, é diferente avaliar o estado real de uma propriedade e o valor de ações negociadas no mercado financeiro, ou seja, os detalhes de uma avaliação variam de caso para caso. Porém, apesar do uso de diferentes técnicas, elas mantêm um grau de similaridade em relação aos princípios básicos do valuation. Um investimento é realizado com a expectativa de que quando for efetuada a venda, o valor do mesmo terá crescido o suficiente para cobrir os custos e compensar o risco associados a este investimento. Portanto, em uma economia de mercado, as organizações são julgadas pela capacidade e habilidade de criar valor para seus acionistas (KOLLER; GOEDHART; WESSELS, 2010). Compreender o valor de um investimento é uma responsabilidade para os administradores que trabalham para que a maximização da riqueza dos acionistas aconteça. Além disso, os gestores se mantêm atentos quanto ao controle de estoques, já que eles empregam uma quantidade significativa de capital de giro das empresas. Manter estoques representa para uma organização não só risco de perda, roubo e obsolescência, mas também perda de espaço (SLACK, 2002). Em relação aos índices financeiros, Ching, Marques e Prado (2003) os classificam em quatro grupos: índices de liquidez, de endividamento, de eficiência e de rentabilidade. Os autores Ross, Westerfield e Jordan (2000), por sua vez, destacam que as medidas de rentabilidade visam à medida da eficiência com que a empresa utiliza seus ativos e administra suas operações. Já Mattarazo (2003) destaca que estes indicadores mensuram a rentabilidade dos capitais investidos, ou seja, o grau de êxito econômico da empresa. No tocante aos métodos estatísticos, utilizados na maioria das vezes para as comparações de indicadores, sabe-se que especialmente se destacam a correlação e a regressão linear. A análise de correlação tem como objetivo principal medir a força ou o grau de associação linear entre dois conjuntos de dados, sendo o coeficiente de correlação a medida desta associação. Nesta análise, a maneira como as variáveis são tratadas é simétrica, ou seja, não há distinção entre variáveis independente e dependente (y e x). Outra particularidade encontrada na análise de correlação corresponde ao pressuposto de que as variáveis são aleatórias e existe uma medida de associação linear entre elas, não necessariamente de causação (ANDERSON ET AL., 2009 e GUJARATI, 2006). Dessa forma, a análise de correlação resume o nível (grau) de relacionamento entre duas variáveis (MANDIM, 2005). Destaca-se que, no presente estudo, em virtude da amostra analisada ser pequena, optou-se somente pela análise da correlação. 3. Metodologia Conforme Selltiz et al (1975), as pesquisas são classificadas em três grupos: exploratórias, descritivas e causais. Os estudos exploratórios têm como objetivo a descoberta de ideias e intuições. Os descritivos apresentam características de uma situação, grupo ou indivíduo específico. Os causais, por sua vez, são aqueles que verificam uma hipótese de relação causal entre variáveis. 4

5 Em virtude dos objetivos deste trabalho estarem definidos, este estudo possui caráter descritivo, já que busca a descrição de características de determinada população ou estabelece relação entre variáveis (GIL, 2006). Quanto aos procedimentos técnicos utilizados, a pesquisa configura o método de estudo de caso da Embraer S.A. É apresentada uma abordagem quantitativa, por meio da utilização de métodos estatísticos como a correlação e gráficos comparativos. Para o levantamento de dados, foram utilizados os relatórios anuais, que estão divulgados no site institucional da empresa, bem como o banco de dados Economática, especialmente para a obtenção dos valores médios das ações. Por isso, conforme afirma Lakatos e Marconi (2001), foi realizada uma pesquisa documental e bibliográfica. Os retornos anuais das ações foram obtidos por meio dos valores de fechamento também anuais. O método utilizado foi continuously compounded return que corresponde ao logaritmo da divisão do valor de fechamento do ano subsequente pelo valor de fechamento do ano anterior. 4. Análise dos Resultados A Embraer (Empresa Brasileira de Aeronáutica) atua nos processos de projeto, desenvolvimento, fabricação, venda e suporte pós venda de aeronave. Ela atende os seguimentos de aviação comercial, aviação executiva e fornece também soluções integradas para defesa e segurança. Como o negócio desta organização é gerar valor para os acionistas, de forma que a empresa tenha a garantia de sua perpetuidade, o trabalho envolve as análises dos indicadores de rentabilidade e do backlog financeiro para entender, durante o período de 2000 a 2012, o quanto que a estruturação da Embraer em relação aos seus ativos, especialmente os estoques, tem impactado nos retornos das ações desta empresa (EMBRAER S.A, 2013). Sabe-se que, na Embraer S.A, a produção é programada conforme as encomendas realizadas, as quais são refletidas no indicador backlog financeiro. O processo produtivo é estruturado em uma linha de montagem, na qual as peças se movimentam e os operadores realizam a montagem dos aviões (assim como acontece com as montadoras de automóveis). A programação da produção está estruturada para que não haja aviões parados na pista, já que este fato representa grande prejuízo para a empresa (EMBRAER S.A, 2013). Os valores dos estoques da Embraer S. A, conforme apresenta a Tabela 1 Estoques, são expressivos em virtude principalmente das peças mantidas para reposição. Por isso, essa empresa mantém dois programas que visam reduzir os investimentos nestas peças e também eliminar os custos de gerenciamento de estoques para os operadores. O Pool viabiliza o fornecimento de peças de reposição de forma mais rápida. Por meio deste programa, o cliente paga um valor baseado no número de horas de vôo e a Embraer S.A assume a responsabilidade de manter um estoque de peças em seus centros de distribuição e serviço, de forma a realizar as entregas, dadas as solicitações feitas pelos operadores. O Tool on Time é um programa complementar ao Pool e tem por princípio fornecer aos clientes todos os materiais necessários para realizar a manutenção e os reparos. Vale ressaltar que estes programas possibilitam à Embraer S.A redução de custos de armazenagem e de depreciação, o que, consequentemente, proporciona melhores resultados. Por isso os indicadores de estoque são importantes para esta empresa (EMBRAER S.A, 2013). Tabela 1: Estoques 5

6 Ano R$ Milhões Diante do exposto acima e em resposta ao problema de pesquisa e aos objetivos almejados, foi adotada uma análise estatística baseada no coeficiente de correlação, a fim de se identificar a medida de associação linear entre as variáveis. Nesse sentido, o estudo baseia-se na determinação da influência de alguns indicadores de rentabilidade (giro do ativo, margem líquida e rentabilidade do ativo) e do backlog financeiro, conforme demonstra a Tabela 2 Indicadores de Rentabilidade e Backlog Financeiro, nos retornos das ações da Embraer S.A no período de 2000 a Ano Tabela 2: Indicadores de Rentabilidade e Backlog Financeiro Giro Ativo Margem Líquida Rentabilidade do Ativo Backlog Financeiro US$ Bilhões ,76 12,76 31, ,89 16,05 14,31 26, ,69 15,31 10,55 19, ,51 8,97 4,59 18, ,72 12,36 8,91 16, ,54 8,02 4,32 15, ,51 7,69 3,94 22, ,64 6,67 4,25 26, ,55 3,81 2,08 26, ,68 8,51 5,77 20, ,67 6,4 4,29 18, ,59 1,74 1,03 16, ,63 5,73 3,60 13,04 A tabela acima apresenta informações sobre a rentabilidade da Embraer S.A, as quais refletem o cenário de crise financeira e econômica mundial que impactou especialmente o setor de aeronáutica. Um reflexo desta crise foi a queda da demanda por aeronaves e, 6

7 consequentemente, a Embraer S.A adotou, no ano de 2009, como estratégia de controle de custos, a demissão de cerca de 4000 colaboradores para garantir competitividade em um mercado enfraquecido. Os retornos anuais das ações representam a percepção do mercado e refletem o valor da Embraer S.A. Como a intenção desta empresa é a garantia da perpetuidade do negócio, adotou-se a análise dos retornos anuais das ações desta empresa, os quais estão descritos na Tabela 3 Retornos Anuais das Ações. Tabela 3: Retornos Anuais das Ações Ano Retornos , , , , , , , , , , , , ,1492 Tendo em vista o objetivo principal desse trabalho que consiste na análise da relação entre os indicadores de rentabilidade e do backlog financeiro, acima citados, com os retornos anuais das ações, foram apuradas as respectivas correlações, conforme apresenta a Tabela 4 Correlação. Tabela 4: Correlação Indicador Correlação Giro Ativo 0,1403 Margem Líquida 0,1963 Rentabilidade do Ativo Backlog Financeiro 0,1663-0,2252 Conforme ilustrado na Tabela 2 Indicadores de Rentabilidade e Backlog Financeiro, o giro do ativo, durante o período em análise, demonstrou baixa variação com resultados, em sua maioria, inferiores a 1. Isso indica que a Embraer S.A não conseguiu, na maioria dos anos, recuperar em sua totalidade o valor dos seus ativos por meio das vendas realizadas, o que foi possível somente no ano Ao realizar a comparação do giro do ativo com os retornos anuais das ações, observou-se o resultado 0,1403, o que significa que estas variáveis possuem correlação positiva baixa. A relação destas variáveis está ilustrada na Figura 1 - Giro do Ativo versus Retornos Anuais das Ações. 7

8 Figura 1 Giro do Ativo versus Retornos Anuais das Ações Quanto à margem líquida, a qual retrata a qualidade da venda, visto que é resultado do lucro líquido pela receita líquida de vendas, percebeu-se considerável variação no período analisado. Os resultados são pouco uniformes e apresentam o maior valor em 2001, ou seja, 16,05. Em se tratando da correlação com o indicador retornos anuais das ações, tem-se o resultado 0,1963, o que indica que estas variáveis também possuem correlação positiva baixa. Essas apurações constam na Figura 2 - Margem Líquida versus Retornos Anuais das Ações. Figura 2 Margem Líquida versus Retornos Anuais das Ações A rentabilidade do ativo, por sua vez, a qual representa a divisão do lucro líquido pelo ativo total da empresa, demonstrou-se com variação considerável, com quedas perceptíveis em relação aos primeiros anos de análise. Quanto à correlação com os retornos anuais das ações, tem-se o resultado de 0,1663, o que, assim como as duas variáveis já analisadas, indica correlação positiva baixa. Verifica-se, portanto, o comportamento entre essas variáveis na Figura 3 Rentabilidade do Ativo versus Retornos Anuais das Ações. Figura 3 Rentabilidade do Ativo versus Retornos Anuais das Ações 8

9 A última variável da análise corresponde ao backlog financeiro. Observou-se que, ao longo dos anos, os valores oscilaram bastante e reduziram, ao se comparar a diferença entre os valores de 2000 e Entretanto, a Embraer S.A almeja elevar este indicador, já que é esperado por esta empresa que, a cada aeronave entregue, tenha-se no mínimo mais uma encomenda. Ao comparar este indicador com os retornos anuais das ações, notou-se que esta variável, diferente das demais, apresenta correlação negativa baixa, isto é, -0,2252. Isso indica que as variáveis são antagônicas, mas não muito relacionadas. Estas informações foram destacadas na Figura 4 - Backlog Financeiro versus Retornos Anuais das Ações. Figura 4 Backlog Financeiro versus Retornos Anuais das Ações Desse modo, todos os indicadores de rentabilidade possuem correlação positiva baixa e o backlog financeiro correlação negativa baixa, o que indica que nenhuma das variáveis estudadas estão substancialmente relacionadas aos retornos anuais das ações da Embraer S.A. 5. Conclusão Este trabalho teve como objetivo avaliar a relação existente dos indicadores financeiros (giro do ativo, margem líquida e rentabilidade do ativo) e do backlog financeiro com os retornos anuais das ações da Embraer S.A durante os anos de 2000 a Para apuração dos resultados, foi utilizada a correlação, ou seja, a determinação do coeficiente correlação. 9

10 Diante dos resultados, é possível afirmar que os três indicadores de rentabilidade possuem correlação positiva baixa, sendo que a margem líquida (0,1963) apresenta o maior grau de relacionamento. Em virtude dos valores resultantes da análise de correlação, ficou perceptível que estes indicadores, os quais configuram a perspectiva contábil, estão relacionados ao valor de mercado da Embraer S.A, mas não de maneira substancial. Em relação ao backlog financeiro, índice de considerável importância para a Embraer S.A, observou-se que ele houve correlação negativa baixa (-0,2252), o que significa que segue uma direção oposta aos retornos anuais das ações. Dessa forma, embora seja um indicador que a empresa estudada espera elevar, apresentou grandes oscilações e, no geral, queda nos últimos anos em função da crise financeira e econômica mundial. Com base no trabalho realizado, o estudo obteve êxito quanto à execução dos objetivos propostos e consequentemente respondeu ao problema de pesquisa elaborado. Observou-se que há baixa relação dos indicadores estudados com os retornos anuais das ações. De modo mais específico sobre o pilar econômico da sustentabilidade, a empresa em estudo, no período analisado, apresentou baixos indicadores, em virtude da crise mundial ocorrida. Referências ANDERSON, D. R. et. al. Estatística aplicada a administração e economia. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, ASSAF NETO, Alexandre. Finanças Corporativas e Valor. São Paulo: Atlas, 2003 Cap. 9 e 10. BONNIE F. D.; HUANG, S. -C. Achieving sustainability through attention to human resource factors in environmental management. International Journal of Operations & Production Management, London, v. 21, n.12, p , BROOKS, C. Introductory econometrics for finance. 2. ed. Cambridge: Cambridge University Press, CHING, Hong Yuh; MARQUES, Fernando; PRADO, Lucilene. Contabilidade e Finanças para não especialistas. São Paulo: Prentice Hall, 2003 DAMODARAN, A. Investment valuation: tools and techniques for determining the value of any asset. 3nd ed. New Jersey: John Wiley & Sons, ELKINGTON, John. Canibais com garfo e faca. São Paulo: Makron Books, EMBRAER S.A Base de Dados do site institucional da empresa. Disponível em: <http://www.embraer.com/>. Acesso em: 22 de abril de EXAME. Portal Exame: O mercado que mais cresce. Disponível em: <http://exame.abril.com.br/negocios/empresas/noticias/embraer-deve-elevar-backlog-apos-3-anos-de-queda> Acesso em: 27 de junho de GIL, A. C. Como elaborar projetos de Pesquisa. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, GUJARATI, D. Econometria básica. 4 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, KOLLER, T.; GOEDHART, M.; WESSELS, D. Valuation: measuring and managing the value of companies. 5nd ed. New Jersey: Jonh Wiley & Sons, LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. de A. Fundamentos de Metodologia Científica. 4ª Ed. São Paulo: Atlas,

11 MANDIM, D. Estatística descomplicada. 11. ed. Brasília: Editora Vestcon, MATARAZZO, Dante C. Análise Financeira de Balanços: abordagem prática e gerencial. 6. ed. São Paulo: Atlas, PÓVOA, Alexandre. Valuation: como precificar ações. 2.ed. São Paulo: Globo, SELLTIZ, C. et al. Métodos de Pesquisa nas Relações Sociais, 6ª. Reimpressão EPU. São Paulo: Editora USP, SLACK N.; CHAMBERS S.; JOHNSTON R. Administração da Produção. 2. Ed. São Paulo : Atlas,

RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA SOUZA CRUZ S.A: ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE ENTRE OS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS

RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA SOUZA CRUZ S.A: ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE ENTRE OS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS RETORNOS ANUAIS DAS AÇÕES DA SOUZA CRUZ S.A: ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE ENTRE OS INDICADORES FINANCEIROS E OPERACIONAIS Oswaldo Carlesso Neto (UFU) netincarlesso@hotmail.com THAYSE MACHADO GUIMARAES (UFU)

Leia mais

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização.

Neste contexto, o Fluxo de Caixa torna-se ferramenta indispensável para planejamento e controle dos recursos financeiros de uma organização. UNIDADE II FLUXOS DE CAIXA Em um mercado competitivo, a gestão eficiente dos recursos financeiros, torna-se imprescindível para o sucesso da organização. Um bom planejamento do uso dos recursos aliado

Leia mais

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A

INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A INDICADORES DE RENTABILIDADE: UMA ANÁLISE ECONOMICO FINANCEIRA SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES CONTABEIS DA INDÚSTRIA ROMIA S/A AUTOR ANTONIA TASSILA FARIAS DE ARAÚJO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ RESUMO O presente

Leia mais

Avaliação Econômica Valuation

Avaliação Econômica Valuation Avaliação Econômica Valuation Wikipedia The process of determining the current worth of an asset or company. There are many techniques that can be used to determine value, some are subjective and others

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DAS SIDERÚRGICAS LISTADAS NA BOVESPA: COMPARAÇÃO POR ÍNDICES-PADRÃO

ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DAS SIDERÚRGICAS LISTADAS NA BOVESPA: COMPARAÇÃO POR ÍNDICES-PADRÃO XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. ANÁLISE ECONÔMICO-FINANCEIRA DAS SIDERÚRGICAS LISTADAS NA BOVESPA: COMPARAÇÃO POR ÍNDICES-PADRÃO Rafael Martins Noriller (UFGD) rafael_mn1985@hotmail.com

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A

ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A ANÁLISE DE INDICADORES ECONÔMICO-FINANCEIROS PARA FINS DE TOMADA DE DECISÕES: UM ESTUDO DE CASO NA EMPRESA NATURA COSMÉTICOS S/A José Jonas Alves Correia 4, Jucilene da Silva Ferreira¹, Cícera Edna da

Leia mais

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES.

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto)

FANOR. MBA Internacional - Finanças. DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica. PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) Bibliografia Básica: FANOR MBA Internacional - Finanças DISCIPLINA: Análise Financeira Estratégica PROFESSOR: José Moraes Feitosa (Neto) CONTATOS: www.netofeitosa.com.br contato@netofeitosa.com.br (85)

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional

Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: 04 aulas Créditos: 04 Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo pelas DCN: Formação Profissional DISCIPLINA: Contabilidade Gerencial CÓDIGO: 2ADM.0 VALIDADE: a partir de agosto de 200 TÉRMINO: Carga Horária: Total: 60 horas/aula Semanal: aulas Créditos: Modalidade: Teórica Classificação do Conteúdo

Leia mais

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO PROCESSO SELETIVO DE MONITORIA - EDITAL Nº08/2013.2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO PARA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINA: EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO Conteúdo Programático: UNIDADE I: O Universo Organizacional

Leia mais

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO Odilio Sepulcri 1 Conforme ROSE 1, pode-se representar a administração de uma empresa, de uma forma geral, dividindo em três níveis: operações, estratégia

Leia mais

BASES CONCEITUAIS DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

BASES CONCEITUAIS DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS BASES CONCEITUAIS DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Pro. Alexandre Assaf Neto Este trabalho tem por objetivo básico apresentar as bases conceituais do processo de avaliação econômica de empresas. Avaliação

Leia mais

Os investimentos no Brasil estão perdendo valor?

Os investimentos no Brasil estão perdendo valor? 1. Introdução Os investimentos no Brasil estão perdendo valor? Simone Maciel Cuiabano 1 Ao final de janeiro, o blog Beyond Brics, ligado ao jornal Financial Times, ventilou uma notícia sobre a perda de

Leia mais

Influência dos custos de transação no lucro de uma empresa: aplicação do modelo de caixa de Miller-Orr

Influência dos custos de transação no lucro de uma empresa: aplicação do modelo de caixa de Miller-Orr Influência dos custos de transação no lucro de uma empresa: aplicação do modelo de caixa de Miller-Orr Dany Rogers (FAGEN/UFU) danyrogers@yahoo.com.br Pablo Rogers (FAGEN/UFU) pablorogerss@yahoo.com.br

Leia mais

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008).

Unidade IV. A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). AVALIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Unidade IV 7 ANÁLISE DO CAPITAL DE GIRO A necessidade de capital de giro é a chave para a administração financeira de uma empresa (Matarazzo, 2008). A administração

Leia mais

Palavras Chaves: Prazos, rotação, estoques, débitos, créditos, pagamentos, recebimentos, ciclo, atividade, gestão financeira.

Palavras Chaves: Prazos, rotação, estoques, débitos, créditos, pagamentos, recebimentos, ciclo, atividade, gestão financeira. 1 Tatiana Melo da Gama RESUMO O presente artigo tem a proposta de apresentar uma breve abordagem sobre a Análise dos Índices de Prazos Médios, dando ênfase para a sua importância na gestão financeira de

Leia mais

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS

APOSTILA DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS POR ÍNDICES PADRONIZADOS UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GERÊNCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS PROGRAMA DE EXTENSÃO: CENTRO DE DESENVOLVIMENTO EM FINANÇAS PROJETO: CENTRO DE CAPACITAÇÃO

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs...

Boa sorte, vcs estão de parabéns muito bem estruturado o trabalho de vcs... 1. Aplicar tudo em primeira pessoa (verbos); 2. Aproveitar o maximo do autor de livros finaneceiros, Gitmam ; 3. No item Problema alterar na primeira linha uma àrea para algo como recurso ou instrumento,

Leia mais

Índices econômico Financeiros

Índices econômico Financeiros Índices econômico Financeiros ADMNISTRAÇÃO Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com Objetivos da aula Apresentar a importância de calcular os indicadores financeiros em uma empresa.

Leia mais

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES

INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES INSTITUTO ASSAF: ANÁLISE DO DESEMPENHO DOS BANCOS MÉDIOS E DOS BANCOS GRANDES O Instituto Assaf comparou diversos indicadores de desempenho dos bancos grandes e dos bancos médios de 2009 a 2011. Primeiramente

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A.

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. KOMATSU, Solange Akemy (TCC Ciências Contábeis) FECILCAM,

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF

CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF CURSO DE CAPACITAÇÃO EM MÓDULOS ESCOLA DE EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO NORTE FLUMINENSE DARCY RIBEIRO - UENF Módulo I: A CONTABILIDADE COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS Breve contextualização

Leia mais

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS A SUPERIORIDADE DO MÉTODO DO FLUXO DE CAIXA DESCONTADO NO PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Prof. Alexandre Assaf Neto O artigo está direcionado essencialmente aos aspectos técnicos e metodológicos do

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE INDICES COMO INTRUMENTOS DE ANÁLISE FINANCEIRA: ESTUDO EXPLORATÓRIO DAS EMPRESAS DE CARNES E DERIVADOS.

UTILIZAÇÃO DE INDICES COMO INTRUMENTOS DE ANÁLISE FINANCEIRA: ESTUDO EXPLORATÓRIO DAS EMPRESAS DE CARNES E DERIVADOS. UTILIZAÇÃO DE INDICES COMO INTRUMENTOS DE ANÁLISE FINANCEIRA: ESTUDO EXPLORATÓRIO DAS EMPRESAS DE CARNES E DERIVADOS. Resumo Este artigo faz uma análise de viabilidade econômico-financeira das empresas

Leia mais

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas ANÁLISE EXPLORATÓRIA DO BALANÇO FINANCEIRO DE UMA GRÁFICA

Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas ANÁLISE EXPLORATÓRIA DO BALANÇO FINANCEIRO DE UMA GRÁFICA Eixo Temático: Estratégia e Internacionalização de Empresas ANÁLISE EXPLORATÓRIA DO BALANÇO FINANCEIRO DE UMA GRÁFICA Viviane de Senna, Adriano Mendonça Souza, Afonso Valau de Lima Junior, Fernanda Rezer,

Leia mais

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Correção da Prova Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Questão 7 Uma sociedade empresária mantém no seu estoque de mercadorias para revenda três tipos de mercadorias: I, II e III. O valor total

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS UNIDADE VI - ÍNDICES DE RENTABILIDADE 0 6. ÍNDICES DE RENTABILIDADE Caro aluno, você já sabe todo empresário ou investidor espera que o capital investido seja adequadamente

Leia mais

Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015

Auditor Federal de Controle Externo/TCU - 2015 - 2015 Prova de Análise das Demonstrações Comentada Pessoal, a seguir comentamos as questões de Análise das Demonstrações Contábeis aplicada na prova do TCU para Auditor de Controle Externo (2015). Foi

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO VI CRESCIMENTO ECONÔMICO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO 1. Crescimento Econômico Conceitua-se crescimento econômico como "o aumento contínuo do Produto Interno Bruto (PIB) em termos globais e per capita,

Leia mais

20/02/2014. Capítulo 22 Capital de Giro. Introdução

20/02/2014. Capítulo 22 Capital de Giro. Introdução Introdução A administração do capital de giro envolve basicamente as decisões de compra e venda tomadas pela empresa, assim como suas atividades operacionais e financeiras Deve garantir a adequada consecução

Leia mais

LOGÍSTICA COMO INVESTIMENTO. João Roberto Rodrigues Bio

LOGÍSTICA COMO INVESTIMENTO. João Roberto Rodrigues Bio LOGÍSTICA COMO INVESTIMENTO Apresentação E M P R E S A S FIPECAFI Projetos Consultoria Desenvolvimento Gerencial MBA USP - Universidade de São Paulo FEA Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A CONTABILIDADE AMBIENTAL: Uma Análise dos Indicadores Financeiros de Empresas participantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&F BOVESPA. Rubiana Bezerra

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira. Conteúdo Programático. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Financeira. Conteúdo Programático. ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DE CURTO PRAZO / 100h CAPITAL DE GIRO liquidez e capital circulante líquido rentabilidade do ativo estratégias de gerência fontes de financiamento estudo de caso orçamento de caixa

Leia mais

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA

CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA CAPÍTULO 1 - CONTABILIDADE E GESTÃO EMPRESARIAL A CONTROLADORIA Constata-se que o novo arranjo da economia mundial provocado pelo processo de globalização tem afetado as empresas a fim de disponibilizar

Leia mais

ANALISE DUPONT APLICADA EM EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL LEI 11.101/2005 Nerian José Cardoso Roberto Marcos Navarro

ANALISE DUPONT APLICADA EM EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL LEI 11.101/2005 Nerian José Cardoso Roberto Marcos Navarro ANALISE DUPONT APLICADA EM EMPRESAS EM RECUPERAÇÃO JUDICIAL LEI 11.101/2005 Nerian José Cardoso Roberto Marcos Navarro RESUMO Esta pesquisa tem por objetivo identificar a Taxa de Retorno sobre Ativo (ROA)

Leia mais

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO

OS NEGÓCIOS LUCRO = VOLUME PRODUZIDO X PREÇO - CUSTO OS NEGÓCIOS Odilio Sepulcri* INTRODUÇÃO A sobrevivência dos negócios, dentre outros fatores, se dará pela sua capacidade de gerar lucro. O lucro, para um determinado produto, independente da forma como

Leia mais

NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO E OS PRAZOS DE ROTAÇÃO Samuel Leite Castelo Universidade Estadual do Ceará - UECE

NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO E OS PRAZOS DE ROTAÇÃO Samuel Leite Castelo Universidade Estadual do Ceará - UECE Resumo: NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO E OS PRAZOS DE ROTAÇÃO Samuel Leite Castelo Universidade Estadual do Ceará - UECE O artigo trata sobre a estratégia financeira de curto prazo (a necessidade de capital

Leia mais

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning

Balanced Scorecard. Planejamento Estratégico através do. Curso e- Learning Curso e- Learning Planejamento Estratégico através do Balanced Scorecard Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste material sem a permissão expressa

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I 1 ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA I 2 CELSO ABREU DE ARAUJO Administrador - FACIG MBA Gestão Empresarial - FGV Mestrando Adm. Empresas - UDELMAR Telefone: 33-8432-3939 e- mail: celsoaaraujo@gmail.com

Leia mais

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA

PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA PORTIFÓLIO DE CONSULTORIA E ASSESSORIA SUMÁRIO DE PROJETOS WORKFLOW... 03 ALINHAMENTO ESTRATÉGICO... 04 IDENTIDADE CORPORATIVA... 04 GESTÃO DE COMPETÊNCIAS... 05 TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO... 05 REMUNERAÇÃO...

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução O que são

Leia mais

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES

ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES ANÁLISE FUNDAMENTALISTA COM FOCO PARA A RECOMENDAÇÃO DE COMPRA / VENDA DE AÇÕES! A análise do desempenho histórico! Análise setorial! Análise de múltiplos! Elaboração de projeções de resultados! Determinação

Leia mais

2.1. Giro dos Estoques O giro dos estoques geralmente mede a atividade, ou liquidez, dos estoques da empresa. Quanto maior for o valor dos estoques, maior será a necessidade de capital de giro da empresa.

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Introdução as Finanças Corporativas Professor: Roberto César INTRODUÇÃO AS FINANÇAS CORPORATIVAS Administrar é um processo de tomada de decisões. A continuidade das organizações

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO

GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 109 GESTÃO DO CRÉDITO: AVALIAÇÃO DO RISCO, E ANÁLISE PARA TOMADA DE DECISÃO DE CRÉDITO Claudinei Higino da Silva,

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear.

Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear. Necessidade de Capital de Giro, Compras, Vendas e Regressão Linear. MAXIMILLIANO DA SILVA MARINHO Graduando Do Curso De Ciências Contábeis Da UFPA maxi_marinho@yahoo.com.br Heber Lavor Moreira Prof Orientador

Leia mais

ANÁLISE DO CUSTO DE CAPITAL NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

ANÁLISE DO CUSTO DE CAPITAL NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES ANÁLISE DO CUSTO DE CAPITAL NO SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES Valdiney Alves de Oliveira (UFU) valdiney_oliveira@zipmail.com.br Sérgio Lemos Duarte (UFU) sergioufu@gmail.com Kárem Cristina de Sousa Ribeiro

Leia mais

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br

ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL. Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br ANÁLISE DAS FERRAMENTAS DE CONTROLE GERENCIAL PARA MELHORIA DA PERFORMANCE EMPRESARIAL Prof. Elias Garcia egarcia@unioeste.br Prof. Elias Garcia Bacharel em Ciências Contábeis 1988 Especialização em Contabilidade

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA EM MICROEMPRESAS: A PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS

GESTÃO FINANCEIRA EM MICROEMPRESAS: A PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS GESTÃO FINANCEIRA EM MICROEMPRESAS: A PERCEPÇÃO DOS EMPRESÁRIOS Alexandre Costa Quintana 1 Cristiane Gularte Quintana 2 professorquintana@hotmail.com Resumo O presente estudo é resultado de um projeto

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

METODOLOGIA GERAL DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS

METODOLOGIA GERAL DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS METODOLOGIA GERAL DE AVALIAÇÃO DE EMPRESAS Camila Pires Cremasco Gabriel 1 Luis Roberto Almeida Gabriel Filho 2 Thiago Ariceto 3 Chádia Priscila Cardoso Gonçalves 4 Matheus Choueri 5 RESUMO: A definição

Leia mais

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE

1º SEMESTRE 2º SEMESTRE 1º SEMESTRE 7ECO003 ECONOMIA DE EMPRESAS I Organização econômica e problemas econômicos. Demanda, oferta e elasticidade. Teoria do consumidor. Teoria da produção e da firma, estruturas e regulamento de

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Universidade Federal do Pará Curso de Ciências Contábeis Departamento de Contabilidade Análise Econômico-Financeira Gilvan Pereira Brito 0301007601 Belém-Pará 2007 1 Universidade Federal do Pará Curso

Leia mais

Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise

Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise Gestão do Fluxo de Caixa em Épocas de Crise Lucro que não gera caixa é ilusão "Se você tiver o suficiente, então o fluxo de caixa não é importante. Mas se você não tiver, nada é mais importante. É uma

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Adilson Celestino de Lima (PROPAD/UFPE) celestelima@uol.com.br Antonio André Cunha Callado (PROPAD/UFPE) andrecallado@yahoo.com.br

Adilson Celestino de Lima (PROPAD/UFPE) celestelima@uol.com.br Antonio André Cunha Callado (PROPAD/UFPE) andrecallado@yahoo.com.br Existem discrepâncias no valor econômico das empresas de energia elétrica comparando os valores de mercado e os valores pelo método do fluxo de caixa descontado? Adilson Celestino de Lima (PROPAD/UFPE)

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 3T15. 10 de novembro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 3T15 10 de novembro de 2015 Magazine Luiza Destaques do 3T15 Vendas E-commerce Ganho de participação de mercado com aumento da margem bruta Receita bruta consolidada de R$2,4

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇO FINANCEIRO DA EMPRESA COCAMAR - COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL DE MARINGÁ RESUMO

ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇO FINANCEIRO DA EMPRESA COCAMAR - COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL DE MARINGÁ RESUMO ISSN 1807-6467 ANÁLISE FINANCEIRA DE BALANÇO FINANCEIRO DA EMPRESA COCAMAR - COOPERATIVA AGROINDUSTRIAL DE MARINGÁ RESUMO O mercado muda a um ritmo acelerado. Com a globalização, tendências que antes eram

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Marivane Orsolin 1 ; Marlene Fiorentin 2 ; Odir Luiz Fank Palavras-chave: Lei nº 11.638/2007. Balanço patrimonial. Demonstração do resultado

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7 FLUXO DE CAIXA SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 INTRODUÇÃO...3 CICLO DO FLUXO DE CAIXA...4 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 FATORES INTERNOS...4 FATORES EXTERNOS...5 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 SINTOMAS...6

Leia mais

PLANO DE ANÁLISE DE INVESTIMENTO:

PLANO DE ANÁLISE DE INVESTIMENTO: PLANO DE ANÁLISE DE INVESTIMENTO: Estudo de caso de viabilidade econômica de implantação de empresa de redes de proteção com utilização de fios de material reciclado de garrafas de politereftalato de etileno

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Tópicos Avançados em Estrutura de Capital

Tópicos Avançados em Estrutura de Capital Tópicos Avançados em Estrutura de Capital Aula 10 -Desempenho Acionário e Estrutura de Capital Teoria da Inércia Gerencial (Welch, 2004) Abordagem alternativa para explicação da estrutura de capital: Teoria

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Unidade Universitária: Escola de Engenharia Curso: Engenharia de Produção Disciplina: Contabilidade Geral Professor Dr. Osvaldo Ramos Tsan Hu Carga horária: 4 Ementa: Código da Disciplina: 330.1601.1 Etapa:

Leia mais

MBA EXECUTIVO EM SAÚDE

MBA EXECUTIVO EM SAÚDE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA EXECUTIVO EM SAÚDE SIGA: TMBAES*06/26 Av. Conselheiro Nébias, 159 Bairro Paquetá Santos SP - CEP 11015-001 - Fone: (13) 3228 6000 Rua Almirante Protógenes,

Leia mais

Capítulo 1. Avaliando Empresas Uma Introdução

Capítulo 1. Avaliando Empresas Uma Introdução Capítulo 1 Avaliando Empresas Uma Introdução A expressão avaliação de empresas é a tradução para a língua portuguesa do termo valuation, sendo sinônimo de valoração de empresas. A recente onda de fusões

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

Princípios de Finanças. Prof. José Roberto Frega, Dr. jose.frega@ufpr.br

Princípios de Finanças. Prof. José Roberto Frega, Dr. jose.frega@ufpr.br Princípios de Finanças Prof. José Roberto Frega, Dr. jose.frega@ufpr.br Material didático e acesso Site da disciplina http://frega.net Login: UFPRPRINCFIN 2 Prof. José Roberto Frega, Dr. Graduado em Engenharia

Leia mais

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE

QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE QUANTO CUSTA MANTER UM ESTOQUE! Qual o valor de um estoque?! Quanto de material vale a pena manter em estoque?! Como computar o valor da obsolescência no valor do estoque?! Qual o custo de um pedido?!

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO SOB VARIAÇÃO CAMBIAL E SEUS IMPACTOS SOBRE O RETORNO DOS ATIVOS NO MERCADO DE CAPITAIS: O CASO DA PETROBRAS

AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO SOB VARIAÇÃO CAMBIAL E SEUS IMPACTOS SOBRE O RETORNO DOS ATIVOS NO MERCADO DE CAPITAIS: O CASO DA PETROBRAS RELATÓRIOS DE PESQUISA EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO v.14 n. A10 p. 105-115 AVALIAÇÃO DE INVESTIMENTO SOB VARIAÇÃO CAMBIAL E SEUS IMPACTOS SOBRE O RETORNO DOS ATIVOS NO MERCADO DE CAPITAIS: O CASO DA PETROBRAS

Leia mais

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM

Objetivos 29/09/2010 BIBLIOGRAFIA. Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho. Tópicos BALANÇO DE TAMANHO COMUM Objetivos Administração Financeira I UFRN 2010.2 Prof. Gabriel Martins de Araújo Filho A EMPRESA NO MODELO DO BALANÇO PATRIMONIAL: análise das demonstrações financeiras Compreender a importância da padronização

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES.

CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 417 CONTABILIDADE SOCIAL: O BALANÇO SOCIAL EVIDENCIANDO A RESPONSABILIDADE SOCIAL NAS ORGANIZAÇÕES. Alice da Silva

Leia mais

Analise Financeira ou de Balanço

Analise Financeira ou de Balanço ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS FASF- FACULDADE SAGRADA FAMÍLIA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONTABILIDADE GERENCIAL PROF. EDENISE Analise Financeira ou de Balanço Avaliação da Situação da Empresa em seus

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL. Abril 2015

RELATÓRIO TRIMESTRAL DE FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL. Abril 2015 RELATÓRIO TRIMESTRAL DE FINANCIAMENTO DOS INVESTIMENTOS NO BRASIL Abril 2015 Equipe Técnica: Diretor: Carlos Antônio Rocca Superintendente: Lauro Modesto Santos Jr. Analistas: Elaine Alves Pinheiro e Fernando

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo

Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Desenvolvendo e avaliando programas de incentivos de remuneração de curto prazo Com a competição por talentos e a cobrança maior por resultados financeiros, as empresas vem procurando criar ou alterar

Leia mais

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS:

DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS: DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS: Contabilidade de Custos e Gerencial CIC 816 Carga Horária: 60 Créditos: 04 Coordenador: Prof. Poueri do Carmo Mário Teoria de Custos (abordagem econômica e contábil). Métodos

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 Marcelo Luis Montani marcelo.montani@hotmail.com Acadêmico do curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Mônica Antonowicz Muller monicamuller5@gmail.com Acadêmica

Leia mais

O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO

O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO O EFEITO DE DIFERENTES CRITÉRIOS DE DEPRECIAÇÃO DE ATIVOS OPERACIONAIS NA ANÁLISE DO FLUXO DE CAIXA GERADO POR UM PROJETO Ricardo Zerinto Martins 1, Paulo César Ribeiro Quintairos 2 1 Mestrando em Gestão

Leia mais

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1. Moisés Araújo Guarda 2 1 ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA MA PROMOTORA DE EVENTOS LTDA. Luciana da Silva Moraes 1 Moisés Araújo Guarda 2 Sara Alexssandra Gusmão França 3 RESUMO Este artigo versa

Leia mais

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988

RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 985 RESUMOS COM RESULTADOS... 986 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 988 RESUMOS COM RESULTADOS 986 ANÁLISE DOS PRINCÍPIOS ORÇAMENTÁRIOS, NA ELABORAÇÃO DO ORÇAMENTO PÚBLICO... 987 987 Ensino (ENAENS) ANÁLISE

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Positivo Informática registra volume recorde de 442,5 mil PCs no 2T09

Positivo Informática registra volume recorde de 442,5 mil PCs no 2T09 Positivo Informática registra volume recorde de 442,5 mil PCs no 2T09 Curitiba, 23 de julho de 2009 A Positivo Informática S.A. (Bovespa: POSI3), maior fabricante de computadores do Brasil e líder no segmento

Leia mais

1. Introdução. 1.1. A história do ERP

1. Introdução. 1.1. A história do ERP 1. Introdução Podemos definir os sistemas ERP como sistemas de informação integrados na forma de um pacote de software que tem a finalidade de dar suporte à maioria das operações de uma organização. A

Leia mais