1) Abaixo segue um passo a passo com telas de como emitir o mdf-e no software gratuito e salvar o xml exportando ele do software para o

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1) Abaixo segue um passo a passo com telas de como emitir o mdf-e no software gratuito e salvar o xml exportando ele do software para o"

Transcrição

1 1) Abaix segue um pass a pass cm telas de cm emitir mdf-e n sftware gratuit e salvar xml exprtand ele d sftware para cmputadr: º) Após preenchid MDF-e clicar na pçã Salvar d Emissr: º) Após ele estar salv, clicar na pçã transmitir d MDF-e: º) A clicar em transmitir, selecinar certificad digital da empresa cnf. tela abaix: 3 4º) Após a transmissã se nã huver nenhum err, MDF-e será liberad º) Estand liberad MDF-e basta clicar em Imprimir DAMDF-e : º) Exprtand XML d MDF-e º) Tela de Geraneciament de Manifests após exprtaçã ) Cass de prblemas n MDF-e passads pels cntribuintes: º) Us sftware gratuit/versã java e nível segurança º) Necessidade encerrament MDF-e º) Us d Manual d MDF-e d cntribuinte: º) Err hrári emissã diferente sefaz reginal º) Exempl de DAMDF-e: º) Prblema preenchiment camp das guias n sfwares emissr º) Guarda xml u backup º) Validaçã preenchiment cód dest. dcs. fiscais e MDF-e º) Incluir mtrista n camp MDF-e º) Iniciar emissr º) Escrituraçã fiscal º) Respnsável pel MDF-e? º) Cancelament d MDF-e º) Necessita escriturar MDF-e n EFD? º) Quem deve emitir MDF-e? º) Respnsabilidade pela emissã d MDF-e º) O lacre é camp brigatóri d MDF-e? º) É pssível um cntribuinte prd. Rural cm ie e sem CNPJ emitir MDF-e? º) Rejeiçã 616 nenhum grup de dc. infrmad º) Destin, AM, trca de mdal necessita encerrar MDF-e º) Necessita credenciament para emitir MDF-e: º) Carga que crrespnde a um CTe u NFe precisa de MDFe? º) Subcntratações sucessivas de transprtadras, quem deve emitir MFDe? ) Quem é brigad a MDF-e? ) Crngrama (praz) de brigatriedade?: ) Cnsulta de dúvidas pdem ser feitas ns 2 perguntas e respstas transcrits abaix, btids ns seguintes links: CONCEITO e UTILIZAÇÃO... 18

2 OBRIGATORIEDADE DE EMISSÂO EMISSÃO E AUTORIZAÇÃO DO MDF-e CANCELAMENTO E ENCERRAMENTO DE MDF-E ) Abaix segue um pass a pass cm telas de cm emitir mdf-e n sftware gratuit e salvar xml exprtand ele d sftware para cmputadr: Pass a Pass p/ Transmitir O MDF-e 1º) Após preenchid MDF-e clicar na pçã Salvar d Emissr: 2º) Após ele estar salv, clicar na pçã transmitir d MDF-e:

3 3º) A clicar em transmitir, selecinar certificad digital da empresa cnf. tela abaix: 4º) Após a transmissã se nã huver nenhum err, MDF-e será liberad

4 5º) Estand liberad MDF-e basta clicar em Imprimir DAMDF-e :

5

6 6º) Exprtand XML d MDF-e O arquiv XML fica arquivad n prgrama emissr de MDF-e send que se necessári arquiv pde ser exprtad clicand na pçã Exprtar e salvar arquiv n lcal desejad cnf. figuras abaix:

7

8 7º) Tela de Geraneciament de Manifests após exprtaçã. Após a cnfirmaçã da exprtaçã emissr vlta à sua tela anterir demnstrand tds s arquivs MDF-e que fram emitids e estã salvs n prgrama emissr.

9 2) Cass de prblemas n MDF-e passads pels cntribuintes: 1º) Us sftware gratuit/versã java e nível segurança. Cntribuinte prcuru a SEFAZ mencinand que nã cnsegue usar sftware, versã gratuita de SP, de prduçã, para emissã d MDF-e: Pde ser devid a versã d JAVA instalada. Deve haver versã 1,6,0 d Java JRE, u superir (hje cnsta n site d JAVA a atualizaçã 55 da versã 7). Aqui na máquina da sefaz funcinu a instalaçã após reduzir nível de segurança cnfrme tela abaix: Obs: sftware emissr gratuit é dispnibilizad pela Sefaz de SP n link abaix https://www.fazenda.sp.gv.br/mdf-e/emissr/emissr.htm 2º) Necessidade encerrament MDF-e Alertar tds cntribuintes que sempre eles devem entrar nvamente n sftware MDF-e após a emissã, para encerrar MDF-e. Refrçar iss prque essa prática é diferente d que crre cm a emissã de NF-e e CT-e. Nestes é necessári entrar n sftware emissr apenas para emissã, sem a necessidade de entrar nvamente n emissr para encerrar a NF-e u CT-e. mas n MDF-e sempre é necessári entrar n sftware a fim de cada peraçã para encerrá-l. O mtiv para encerrar via de regra é descarregament. Mas também pde haver encerrament d MDF-e pr trca de veículs, carga, dcumentaçã, mtrista, etc. Devid a várias emissões, sem s respectivs encerraments em cada empresa, s cntribuintes estã ns ligand pr prblemas a emitir nv MDF-e cm mesma placa e UF carregament/descarregament, prque ambiente autrizadr em RS impede emissã de nv MDF-e cm mesma placa, UF carregament/descarregament de MDF-e anterir que ficu sem encerrament, cnfrme figura abaix (rejeiçã 610). Rejeiçã: Existe MDF-e nã encerrad para esta placa,uf carregament e UF descarregament em data de emissã diferente

10 O sftware gratuit cita apenas a chave mais antiga d MDF-e que está sem encerrar cm mesma placa/uf carregament/descarregament d nv MDF-e. Pdem existir utrs MDF-es cm a mesma placa e UF carregament/descarregament sem encerrar. O cntribuinte que terá que verificar iss em sua lista de MDF-es sem encerrar. (n sftware emissr gratuit é item de gerenciament de MDF-es que permite verificar esses status na lista e achar MDF-e que ficu sem encerrar. 3º) Us d Manual d MDF-e d cntribuinte: Pde-se identificar s errs relatads pels cntribuintes, ind a manual d cntribuinte, link: https://mdf-e-prtal.sefaz.rs.gv.br/site/dcuments#, usand ctrl+f, para buscar a descriçã d códig d err (tds estã n manual) pssivelmente cm algumas infrmações a mais. 4º) Err hrári emissã diferente sefaz reginal Ns relataram err cnfrme tela abaix, devid a hrári diferente d cmputadr que emite e Sefaz da regiã nde é feita a emissã. ex.: A sefaz autrizadra (ambiente autrizadr), cnsidera hrári lcal d emissr para validaçã, lg cmputadr emissr d MT, deve estar n hrári d MT para emissã. Cas cmputadr n MT esteja n hrári de Brasília, u ainda nã tenha ajustad fim d hrári de verã, sistema retrnará seguinte err (rejeiçã códig 635 Rejeiçã: A data d event nã pde ser mair que a data d prcessament). A SEFAZ deve tlerar uma diferença máxima de 5 minuts em funçã da sincrnizaçã de hrári de servidres): Para slucinar esse prblema ajustar n cmputadr em que é feita a emissã para ele ficar cm hrári lcal nde é feita a emissã d MDF-e. Existe um sftware chamad de manifestaçã d destinatári (https://www.fazenda.sp.gv.br/nfe/manifestaca/manifestaca.asp) que pde dar err semelhante a este, cnfrme tela abaix. Os códigs de rejeiçã sã utrs e pdem se encntrads n manual da NFe. 5º) Exempl de DAMDF-e: Abaix, exempl d dc. que acmpanhará transprte, dc. aux. d MDF-e, chamad DAMDF-e:

11 6º) Prblema preenchiment camp das guias n sfwares emissr. Cntribuintes cm prblema n preenchiment ds camps n emissr gratuit: Nã precisa incluir UF de carregament e descarregament n item de percurs prque já é brigatóri preencher iss em camp específic de carregament e descarregament. ex. cm demnstraçã grifada de nde esses itens sã preenchids n sftware gratuit.

12 UF de percurs deve ser incluíd na rdem das UF que veícul transitar pis sistema pderá impedir a emissã em cas de UFs em rdem incrreta u quand alguma UF d percurs ficar missa dentr d trajet. Segue a mensagem de err: (rejeiçã 663: percurs infrmad inválid) 7º) Guarda xml u backup Sempre alertar cntribuinte para brigatriedade de ele mesm, cntribuinte, guardar/fazer backup de seus arquivs xml ds MDF-es, em cas de alteraçã de versã de sftware, reinstalaçã u mudança de cmputadr. (n sftware gratuit iss pde ser feit após a transmissã d MDF-e na pçã exprtar, que salva cada arquiv de mdfe emitid cm extensã ".xml" - cada arquiv é salv cm númer da chave de acess de 44 dígits). Ressalta-se que para efetuar encerrament d MDF-e n sftware gratuit da Sefaz SP, cas cntribuinte tenha perdid s dads d MDFe na lista de gerenciament ds MDFes, cntribuinte necessitará d arquiv xml d MDFe. N sftware emissr gratuit s dads ds MDF-e ficam n seguinte caminh: C:\database\MDFe (se atalh nã estiver funcinand prcura pel arquiv cm extensã.jnlp, u baixar nvamente instaladr n site Segue ex. da tela:

13 O backup pde ser feit pel emissr gratuit também pela pçã backup n menu sistema. Nesse cas será salv um arquiv apenas cm extensã zip n diretóri esclhid. 8º) Validaçã preenchiment cód dest. dcs. fiscais e MDF-e Quand identificada a mensagem de err "612- Rejeiçã: Códig d Municípi diverge da UF de descarga d MDF-e", Respsta: O municípi d destinatári da NF-e (se transprte própri) u UF de destin d CT-e (se transprtadr) deve cincidir cm a UF de descarregament d MDF-e. Ex: se CT-e cnstar destinatári Cuiabá (MT) e MDF-e tiver UF de descarregament diferente de MT, MDF-e será rejeitad pel ambiente autrizadr cm a msg em vermelh abaix. 9º) Incluir mtrista n camp MDF-e

14 Perguntad: Quand identificada a mensagem de err "A chave... infmdela.rd.sequence.veictraca.sequence.cndutr.nome_aba nã existe n arquiv...", Respsta: verificar se cntribuinte incluiu s dads d mtrista n camp respectiv d MDF-e. 10º) Iniciar emissr. O cntribuinte nã incluiu a numeraçã d MDF-e n sftware gratuit. Pde ser prque ele nã iniciu emissr, prque sftware gratuit preenche autmaticamente a seqüência numérica de emissã cnfrme grifad na tela abaix. Este nã é um item editável n emissr gratuit. 11º) Escrituraçã fiscal. Perguntad pel cntribuinte: Da necessidade de escrituraçã fiscal d MDF- E? Respndid: O MDF-e é um dcument de cntrle lgístic. E as NF-es e CT-es sã dcuments de cntrle fiscal. Assim, MDF-e nã substitui a necessidade de escrituraçã das NF-es e CT-Es. O MDF-e nã necessita ser escriturad na EFD. 12º) Respnsável pel MDF-e? Perguntad pel cntribuinte : Respnsabilidade de emissã d MDF-e em cas de transprte própri: Respndid: Se transprte fr de respnsabilidade d frnecedr e mesm é emitente de NF-e, a respnsabilidade de emissã d MDF-e é d frnecedr. Se transprte fr de respnsabilidade destinatári, e frnecedr que emitirá as NF-es, MDF-e deve ser emitid pel destinatári, relacinad as ntas d seu frnecedr.

15 13º) Cancelament d MDF-e Qual prcediment que a empresa deve realizar quand a um MDF-e que fi emitid de frma errada e passu praz de cancelament de 24 hras cnfrme estabeleciment pela legislaçã? O pedid de cancelament pde ser feit via e-prcess n site da Sefaz - MT? E se fr, de qual frma? Nã existe cancelament extemprâne ainda. Está em discussã n grup d GT CT-e/MDF-e esta nva funcinalidade. Nã existe hje pedid de cancelament pela Sefaz MT. Assim, cas crra a necessidade de cancelar após este praz, rientams encerrament d MDF-e, citand em camp bservações a descriçã d crrid. A única ressalva, que uma vez encerrad MDF-e nã pderá mais ser cancelad CT-E. 14º) Necessita escriturar MDF-e n EFD? O MDF-e deve fazer parte da Escrituraçã Fiscal Digital (Sped), u, esse tip de dcument tem fim específic para acmpanhar a carga ns veículs? Se fr, s parâmetrs d prgrama validadr dispnibilizad pela Receita Federal já atendem esse nv mdel de dcument fiscal eletrônic? Ainda, se dever ser escriturad, a situaçã CANCELADO também deve ser infrmada? O MDF-e nã deve ser relacinad na EFD/Sped, pis é um dcument lgístic. Smente s dads de NF-E e CT-E devem ser relacinads na EFD. 15º) Quem deve emitir MDF-e? A partir d seguinte text dispnível na apresentaçã d prjet, na guia sbre MDF-e: "O MDFe deverá ser emitid pr empresas prestadras de serviç de transprte para prestações cm mais de um cnheciment de transprte u pelas demais empresas nas perações, cuj transprte seja realizad em veículs própris, arrendads, u mediante cntrataçã de transprtadr autônm de cargas, cm mais de uma nta fiscal.". Gstaria de saber se quand diz: ''u pelas demais empresas nas perações'', se iss quer dizer que tant a empresa emitente, transprtadra, u a empresa destinatária, pde ser emissra desse dcument? Cláusula terceira O MDF-e deverá ser emitid: I - pel cntribuinte emitente de CT-e de que trata Ajuste SINIEF 09/07, de 25 de utubr de 2007, n transprte de carga fracinada, assim entendida a que crrespnda a mais de um cnheciment de transprte; (Nva redaçã dada pel Ajuste 15/12) II - pel cntribuinte emitente de NF-e de que trata Ajuste SINIEF 07/05, de 30 de setembr de 2005, n transprte de bens u mercadrias acbertadas pr mais de uma NF-e, realizad em veículs própris u arrendads, u mediante cntrataçã de transprtadr autônm de cargas Assim, se cntribuinte fr um transprtadr, a brigatriedade de emissã d MDF-e é d transprtadr. Cas transprte nã seja efetuad pr transprtadra e sim pr transprte própri, emissr de NF-e que terá a brigatriedade de emitir MDF-e (de acrd cm a respnsabilidade d transprte e desde que seja emissr de NF-e). 16º) Respnsabilidade pela emissã d MDF-e Perguntad: N cas da empresa GARANTIA, uma pergunta mais específica pderia ser feita da seguinte frma: Sms um grup cm a matriz e 26 filiais, e a transprtadra das mercadrias de tds s estabeleciments sempre será a matriz, mas a emitente das ntas fiscais serã qualquer um ds estabeleciments (filiais), e que de fat eu gstaria de saber, é se uma filial que seja a emissra de determinada Nta Fiscal pde u deve ser a emissra d MDF-e, u se smente a empresa transprtadra que é a matriz deve emitir esse dcument?

16 Neste cas existe um CNPJ de transprtadra? Em cas psitiv, se emitir CT-e, esta emitirá MDF-e para tdas as filiais. Cas cntrári, se fr transprte própri, a empresa remetente da mercadria (se fr respnsável pel transprte) emitirá MDF-e. 17º) O lacre é camp brigatóri d MDF-e? O lacre é um camp pcinal para MDF-e tip rdviári. 18º) É pssível um cntribuinte prd. Rural cm ie e sem CNPJ emitir MDF-e? ex:trabalh em uma empresa desenvlvedra de sftware tributári n Estad de Sã Paul e um cliente nss lcalizad em Cuiabá ns prcuru slicitand desenvlviment de uma ferramenta para capturar as ntas emitidas para ele. Essa empresa é Agrícla, pssui Inscriçã Estadual, prém nã pssui CNPJ e sim CPF, pr iss nã cnsegue utilizar MDF-e. Dúvida: Há a pssibilidade de um sftware terceir capturar ntas fiscais emitidas para esse CPF? RESPOSTA: Referente à demanda questinada, infrm que neste cas cntribuinte apesar de ser inscrit em MT, nã pssui CNPJ, assim nã pderá de fat emitir MDF-e. 19º) Rejeiçã 616 nenhum grup de dc. infrmad. Ns prcuram pedind ajuda cm um MDFe rejeitad - códig 616 (nenhum grup de dcuments infrmad) cnfrme figura abaix. Orientaçã dada: Essa rejeiçã 616 nã é err d sistema, é de preenchiment n us d sftware gratuit dispnibilizad pela Sefaz SP, que tem sempre sid slucinad cnfrme abaix (ainda mais cnsiderand que sã as primeiras emissões de MDF-e destes cntribuintes que ns prcuram infrmand esta rejeiçã): "Tentar excluir s dcuments (CTES u NFES) e incluí-ls nvamente, u excluir esse MDF-e e tentar incluí-l nvamente desde iníci, atentand para infrmar da melhr maneira grup de dcuments."

17 20º) Destin, AM, trca de mdal necessita encerrar MDF-e. PERGUNTA: Surgiram algumas duvidas relacinadas a MDF-e quand destin da mercadria é para estad d Amaznas: ex: MT X AM Tend a empresa parte d trajet feit pr balsa nde a mesma manifesta veicul pel caval mas quand é clcad na balsa é smente a carreta, cm fica esse MDF-e? Deve ser encerrad n mment em que entra na balsa, e feit utr nvamente n destin restante? Quem deverá emitir esse nv MDF-e, a empresa que transprta pela balsa? Entenda-se que a empresa tem smente 2 cavals para 7 carretas pis chega n prt e segue viagem smente a carreta vltand caval para buscar utra carreta e assim sucessivamente, cm fica mdf-e nesses cass? E tambem gstaria de saber se MDF-e, é feit em cima da rigem destin d CT-e, u seja nde é destin final da mercadria, mesm que ela seja descarregada antes d seu destin final? Cas a respsta seja sim, cm fica n cas d redespach? R: O transprtadr Rdviári irá emitir MDF-e d trech rdviári cm descarregament n transbrd para mdal aquaviári (encerrand MDF-e Rdviári). O embarcadr d Aquaviári emitirá nv MDF-e infrmand s dads da carreta n grup infunidcarga (Infrmações das Unidades da Carga). Dúvidas à dispsiçã. 21º) Necessita credenciament para emitir MDF-e: Cntribuintes perguntam se primeir pass nã seria se credenciar para pder emitir mdfe? Respsta: Basta estar credenciad à emissãde CT-e u NF-e e esta infrmaçã estar atualizada n cadastr nacinal de emissres. 22º) Carga que crrespnde a um CTe u NFe precisa de MDFe? CONTRIBUINTES TEM DÚVIDA SE PRECISA DE MDFe quand se tratar de carga que crrespnda a uma só NFe e CTe: Respsta: O MT nã legislu exigência para carga ltaçã (uma NFe u um CTe para tda carga) tdavia cm ajuste SINIEF deixu pcinal as estads legislarem iss e nã sabems cm cada estad está tratand, infrmams que há também uma diretiva da ANTT para usar MDFe cm dc. brigatóri para veícul transprtadr de carga, assim fica a carg d cntribuinte a respnsabilidade de saber se é necessári MDFe cnfrme estad destin da carga e cnfrme leg. atual de exigência da ANTT de md que rientams que na dúvida é melhr emitir MDFe. 23º) Subcntratações sucessivas de transprtadras, quem deve emitir MFDe? CONTRIBUINTES TEM DÚVIDA SOBRE QUEM DEVE EMITIR O MDFe n cas da 1ª transprtadra cntratada para fazer transprte cntratar utra (2ª) e esta cntratar uma terceira? Respsta: Nesse cas (na seqüência de cntratações) a segunda transprtadra cntratada que irá cntratar uma terceira transprtadra que terá que emitir MDFe, mas terá que avisar a primeira transprtadra cntratada para que ela encerre MDFe se ela já tiver emitid. 3) Quem é brigad a MDF-e?

18 a) Emitente de CT-e, n transprte de carga fracinada, cm mais de um cnheciment de transprte; b) Emitente de NF-e, n transprte de bens u mercadrias acbertadas pr mais de uma NF-e, realizad em veículs própris u arrendads, u mediante cntrataçã de transprtadr autônm de cargas 4) Crngrama (praz) de brigatriedade?: Para cntribuinte emitente de CT-e, n transprte interestadual de carga fracinada, a partir das seguintes datas: a) 2 de janeir de 2014: Mdal Ferrviári; Mdal Aére; Mdal Rdviári, cnstantes n anex únic a Ajuste SINIEF 09/07; b) 1º de julh de 2014: Mdal Aquaviári + nã ptantes Simples Nacinal. c) 1º de utubr de 2014: Mdal Rdviári + ptantes pel Simples Nacinal. Para cntribuinte emitente de NF-e n transprte interestadual de bens u mercadrias acbertadas pr mais de uma NF-e, realizad em veículs própris u arrendads, u mediante cntrataçã de transprtadr autônm de cargas: 3 de fevereir de 2014: nã ptantes pel Simples Nacinal; 1º de utubr de 2014: ptantes pel Simples Nacinal. 5) Cnsulta de dúvidas pdem ser feitas ns 2 perguntas e respstas transcrits abaix, btids ns seguintes links: https://www.fazenda.sp.gv.br/mdf-ee/perguntas_frequentes/perguntas.htm https://mdf-ee-prtal.sefaz.rs.gv.br/site/faq Transcriçã D Perguntas E Respstas da SEFAZ DE SP: (Última Atualizaçã: 12/11/2013) CONCEITO e UTILIZAÇÃO 1 - O que é Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais - MDF-e? Respsta Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais (MDF-e) é dcument emitid e armazenad eletrnicamente, de existência apenas digital, para vincular s dcuments fiscais transprtads na unidade de carga utilizada, cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital d emitente e autrizaçã de us pel Ambiente Autrizadr. 2 - Já existe legislaçã aprvada sbre MDF-e? Respsta O Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais tem validade em tds s Estads da Federaçã. A legislaçã em âmbit nacinal já está aprvada e pde ser cnsultada n link Legislaçã e Dcuments. 3 - Quais sã as vantagens d MDF-e? Respsta O MDF-e prprcina benefícis a tds s envlvids na prestaçã d serviç de transprte. Para s emitentes d MDF-e pdems citar s seguintes benefícis: Reduçã de custs de impressã d dcument fiscal, uma vez que dcument é emitid eletrnicamente. O mdel d MDF-e cntempla a impressã de um dcument em papel, chamad de Dcument Auxiliar d Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais (DAMDFE), cuja funçã é acmpanhar transprte e cnsequentemente infrmar trânsit ds dcuments da carga. A impressã d dcument auxiliar deverá ser em papel cmum A4 (excet papel jrnal). Reduçã de custs de aquisiçã de papel, pels mesms mtivs expsts acima; Reduçã de custs de armazenagem de dcuments fiscais. Atualmente s dcuments fiscais em papel devem ser guardads pels cntribuintes, para apresentaçã a fisc pel praz decadencial. A reduçã de cust abrange nã apenas espaç físic necessári para adequada guarda de dcuments fiscais cm também tda a lgística que se faz necessária para sua recuperaçã. Um cntribuinte que emita, hipteticamente, 100 Manifests pr dia cntará cm aprximadamente Manifests pr mês, acumuland cerca de a final de 5 ans. A emitir s dcuments apenas eletrnicamente a guarda d dcument eletrônic cntinua sb respnsabilidade d cntribuinte, mas cust d arquivament digital é muit menr d que cust d arquivament físic; GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments: O MDF-e é um dcument estritamente eletrônic e nã requer a digitalizaçã d riginal em papel. Send assim, pssibilita a timizaçã ds prcesss de rganizaçã, a guarda e gerenciament de dcuments eletrônics, facilitand a recuperaçã e intercâmbi das infrmações. Reduçã de temp de parada de caminhões em Psts Fiscais de Frnteira: Cm MDF-e, s prcesss de fiscalizaçã realizads ns psts fiscais de fiscalizaçã de mercadrias em trânsit serã simplificads, reduzind temp de parada ds veículs de cargas nestas unidades de fiscalizaçã; Incentiv a us de relacinaments eletrônics cm clientes (B2B): O B2B (business-t-business) é uma das frmas de cmérci eletrônic existente e envlve as empresas (relaçã empresa - à - empresa). Cm advent d MDF-e, espera-se que tal relacinament seja efetivamente impulsinad pela utilizaçã de padrões aberts de cmunicaçã pela Internet e pela segurança trazida pela certificaçã digital. Benefícis para a Sciedade: Reduçã d cnsum de papel, cm impact psitiv em terms eclógics; Incentiv a cmérci eletrônic e a us de nvas tecnlgias; Padrnizaçã ds relacinaments eletrônics entre empresas; Surgiment de prtunidades de negócis e empregs na prestaçã de serviçs ligads a MDF-e. Benefícis para s Cntabilistas: GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments, cnfrme s mtivs expsts ns benefícis das empresas emitentes; Oprtunidades de serviçs e cnsultria ligads a MDF-e. Benefícis para Fisc:

19 Aument na cnfiabilidade da fiscalizaçã d transprte de cargas; Melhria n prcess de cntrle fiscal, pssibilitand um melhr intercâmbi e cmpartilhament de infrmações entre s fiscs; Reduçã de custs n prcess de cntrle ds manifests capturads pela fiscalizaçã de mercadrias em trânsit; GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments, cnfrme s mtivs expsts ns benefícis das empresas emitentes; 4 - Quais s tips de dcuments fiscais em papel que MDF-e substitui? Respsta Atualmente a legislaçã nacinal permite que MDF-e substitua Manifest de Carga mdel O MDF-e será aceit em utrs Estads? Respsta Sim. Os Estads da Federaçã aprvaram Mdel de Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais pel Ajuste SINIEF 21/10 e suas alterações. Independentemente de determinada Unidade da Federaçã estar u nã preparada para que seus cntribuintes sejam emissres de MDF-e, mdel é recnhecid cm hábil para acmpanhar trânsit e recebiment de mercadrias em qualquer parte d territóri nacinal. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÂO 1 - Quais e a partir de quand as empresas emissras de CT-e estã brigadas à emissã de MDF-e? Respsta Para as perações interestaduais (externas): - A partir de 02/01/2014, para s cntribuintes d ICMS que prestam serviç de transprte ns mdais: Aére; Ferrviári e Rdviári relacinads n Anex Únic da Prtaria CAT- 55/2009; - A partir de 01/07/2014, para s cntribuintes d ICMS que prestam serviç de transprte ns mdais: Aquaviári e Rdviári nã ptantes pel regime d Simples Nacinal; - A partir de 01/10/2014, para s cntribuintes d ICMS que prestam serviç de transprte rdviári ptantes pel regime d Simples Nacinal. Para as perações intermunicipais (internas): - A partir de 01/10/2014, cnfrme alteraçã prmvida pela Prtaria CAT 08/ Quais e a partir de quand as empresas emissras de NF-e estã brigadas à emissã de MDF-e? Respsta Para transprte interestadual de bens e mercadrias: - A partir de 03/02/2014, para s cntribuintes d ICMS nã ptantes pel regime d Simples Nacinal; - A partir de 01/10/2014, para s cntribuintes d ICMS ptantes pel regime d Simples Nacinal. 3 - A partir de quand as empresas emissras de NF-e que transprtam cmbustíveis líquids u gasss estã brigadas à emissã de MDF-e? Respsta Para transprte intermunicipal, quand acbertad pr mais de uma NF-e, e n transprte interestadual e intermunicipal, quand acbertad pr única NF-e na qual nã cnste a identificaçã d veícul transprtadr: - A partir de 03/02/ As empresas precisam esperar a data de iníci de brigatriedade para a emissã de MDF-e? Respsta A estratégia de implantaçã nacinal d MDF-e bjetiva que as empresas que atuem n transprte de cargas emitentes de CT-e e as empresas emitentes de NF-e que transprtam carga própria, vluntariamente e gradualmente, independente d prte, se interessem em aderir a prjet de MDF-e, emitind MDF-e antes d iníci de sua brigatriedade. 5 - Uma empresa de transprte de cargas u emissra de NF-e cm carga própria credenciada a emitir MDF-e deve substituir 100% de seus Manifests de Cargas em papel pel Eletrônic? Respsta Durante a fase pilt, estabeleciment credenciad a emitir MDF-e nã está brigad à emissã de 100% ds seus manifests na frma eletrônica, ficand a sua esclha quais perações e/u prestações serã dcumentadas pr MDF-e. 6 - Quais s prcediments para que uma empresa interessada pssa passar a emitir MDF-e? Respsta As empresas interessadas em emitir MDF-e deverã, em resum: Estar credenciada para emitir CT-e u NF-e (apenas carga própria) junt à Secretaria da Fazenda d Estad em que está estabelecida. O credenciament em uma Unidade da Federaçã nã credencia a empresa perante as demais Unidades, u seja, a empresa deve slicitar credenciament em tds s Estads em que pssuir estabeleciments e ns quais deseja emitir MDF-e; Pssuir certificad digital (emitid pr Autridade Certificadra credenciad a ICP-BR) cntend CNPJ da empresa; Pssuir acess à internet; Adaptar seu sistema de faturament para emitir MDF-e; Testar seus sistemas em ambiente de hmlgaçã n Ambiente Autrizadr d MDF-e; EMISSÃO E AUTORIZAÇÃO DO MDF-e 1 - Quais sã as validações realizadas pel Ambiente de Autrizaçã? Respsta Na recepçã d MDF-e pel Ambiente Autrizadr, para fins de autrizaçã de us, é feita uma validaçã de frma, send validads: Assinatura digital para garantir a autridade d MDF-e e sua integridade; Leiaute d MDF-e - para garantir que nã crram errs de preenchiment ds camps e que tdas as regras de validaçã fram bservadas; Numeraçã d MDF-e - para garantir que mesm MDF-e nã seja recebid mais d que uma vez; Emitente autrizad - se a empresa emitente d MDF-e está credenciada e autrizada a emitir MDF-e na UF slicitada; Dessa frma, um MDF-e estar cm seu us autrizad significa simplesmente que a SEFAZ recebeu uma declaraçã da realizaçã de uma determinada prestaçã de serviç de transprte a partir de determinada data e que verificu previamente determinads aspects frmais (autria, leiaute, numeraçã e autrizaçã d emitente) daquela declaraçã, nã se respnsabilizand, em nenhuma hipótese, pel aspect de mérit da mesma que é de inteira respnsabilidade d emitente d dcument eletrônic. Cas na validaçã sejam detectads errs u prblemas cm assinatura digital, frmat de camps u numeraçã, MDF-e será rejeitad, nã send, neste cas, gravad n Banc de Dads d Ambiente Autrizadr. Imprtante: a rejeitar um MDF-e, autrizadr sempre indicará mtiv da rejeiçã na frma de códigs de errs e a respectiva mensagem de err. Esses códigs pdem ser cnsultads n Manual de Orientações d Cntribuinte. 2 - Quant temp demra a autrizaçã de um MDF-e pel Ambiente de Autrizaçã? Respsta A infra-estrutura de recepçã ds MDF-e é dimensinada para que um manifest seja autrizad em pucs segunds. O temp máxim de autrizaçã é dimensinad em até 3 (três) minuts. 3 - Cm deve ser a numeraçã / séries d MDF-e em relaçã a manifest em papel? Respsta A numeraçã utilizada pel MDF-e será distinta e independente da numeraçã utilizada pel Manifest de Carga em papel. Ressalte-se que MDF-e é uma nva espécie de dcument fiscal, mdel "58". 2 - Quant temp demra a autrizaçã de um MDF-e pel Ambiente de Autrizaçã? Respsta A infra-estrutura de recepçã ds MDF-e é dimensinada para que um manifest seja autrizad em pucs segunds. O temp máxim de autrizaçã é dimensinad em até 3 (três) minuts. Independentemente d tip de prestaçã, a numeraçã d MDF-e será seqüencial de 1 a , pr estabeleciment e pr série. O cntribuinte pderá adtar séries distintas para a emissã d MDF-e, designadas pr algarisms arábics, em rdem crescente, vedada a utilizaçã de subsérie, bservad dispst em Manual de Orientações d Cntribuinte. 4 - Em que estabeleciment deve ser emitid MDF-e? Respsta A legislaçã d ICMS cnsidera cada estabeleciment d cntribuinte um estabeleciment autônm para efeit de cumpriment de brigaçã acessória, salv dispsições específicas previstas em Regimes Especiais. Assim, cada estabeleciment d cntribuinte deverá estar inscrit n cadastr de cntribuintes d ICMS e emitir s dcuments fiscais prevists na legislaçã. A emissã d MDF-e depende de prévi credenciament d cntribuinte junt à SEFAZ de circunscriçã d estabeleciment interessad. O prcess de geraçã e transmissã d MDF-e é um prcess eletrônic e pde ser realizad em qualquer lcal, desde que MDF-e seja emitid pr um emissr credenciad e assinad digitalmente cm certificad digital de algum estabeleciment da empresa credenciada. 5 - O MDF-e pde ser emitid antes d carregament da mercadria? E DAMDFE? Respsta O Manifest Eletrônic, smente pderá ser emitid após serem cnhecids s dcuments rigináris que serã transprtads. Este dcument pde ser uma nta fiscal tradicinal impressa n mdel 1 u 1-A, uma nta fiscal eletrônica mdel 55, um CTRC u um CT-e mdel 57 de uma transprtadra, enfim, qualquer dcument permitid pela legislaçã vigente para acmpanhar a circulaçã e dcumentar a prestaçã de serviç anterir, relativa a carga que estará send mvimentada n transprte que irá iniciar. N cas d transprte acmpanhad pr MDF-e, sua emissã, bem cm a impressã d DAMDFE, deve bservar s prazs prevists na legislaçã para a emissã ds dcuments fiscais que acberta u acmpanha transprte. Em relaçã a DAMDFE é indiferente para a SEFAZ mment de sua impressã dentr da rtina peracinal interna da empresa, que pderá ser psterir u nã a carregament da mercadria, desde que DAMDFE crrespndente a MDF-e que acbertará transprte esteja acmpanhand desde seu iníci.

20 6 - É pssível envi pr lte de MDF-e u a emissã deve ser feita manifest a manifest? Respsta O MDF-e é um dcument autônm e a sua emissã deve ser feita manifest a manifest, send que cada MDF-e deve ter a sua assinatura digital individual. CANCELAMENTO E ENCERRAMENTO DE MDF-E 1 - É pssível alterar um MDF-e emitid? Respsta Após ter seu us autrizad pela SEFAZ, um MDF-e nã pderá sfrer qualquer alteraçã, pis qualquer mdificaçã n seu cnteúd invalida a sua assinatura digital. O emitente pderá antes de iniciada a prestaçã de serviç de transprte, efetuar cancelament d MDF-e, pr mei da geraçã de um arquiv XML específic para iss. Da mesma frma que fi realizada a emissã de um MDF-e, pedid de cancelament de um MDF-e também deverá ser autrizad pel Ambiente Autrizadr através d sistema de registr de events. O Layut d event de slicitaçã de cancelament pderá ser cnsultad n Manual de Orientações d Cntribuinte. 2 - Quais sã as cndições e prazs para cancelament de um MDF-e? Respsta Smente pderá ser cancelad um MDF-e que tenha sid previamente autrizad seu us pel Fisc e desde que nã tenha ainda crrid fat geradr, u seja, em regra, ainda nã tenha crrid iníci d transprte. O praz atual para cancelament d MDF-e é de 24 hras. 3 - Qual cnceit de encerrament de um MDF-e? Respsta Entende-se cm encerrament d MDF-e at de infrmar a fisc, através de Web Service de registr de events fim de sua vigência, que pderá crrer pel términ d trajet acbertad u pela alteraçã das infrmações d MDF-e através da emissã de um nv. O Layut d event de slicitaçã de encerrament pderá ser cnsultad n Manual de Orientações d Cntribuinte. 4 - Quand a empresa deve registrar encerrament de um MDF-e? Respsta A empresa emitente deverá encerrar MDF-e n final d percurs. Enquant huver MDF-e pendente de encerrament nã será pssível autrizar nv MDF-e, para mesm par UF de carregament e UF de descarregament, para mesm veícul. Se n decrrer d transprte huver qualquer alteraçã nas infrmações d MDF-e (veículs, carga, dcumentaçã, mtrista, etc.), este deverá ser encerrad e ser emitid um nv MDF-e cm a nva cnfiguraçã Perguntas e respstas da Sefaz de RS: CONCEITO e UTILIZAÇÃO 1 - O que é Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais - MDF-e? Respsta: Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais (MDF-e) é dcument emitid e armazenad eletrnicamente, de existência apenas digital, para vincular s dcuments fiscais transprtads na unidade de carga utilizada, cuja validade jurídica é garantida pela assinatura digital d emitente e autrizaçã de us pel Ambiente Autrizadr. 2 - Já existe legislaçã aprvada sbre MDF-e? Respsta: O Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais tem validade em tds s Estads da Federaçã. A legislaçã em âmbit nacinal já está aprvada e pde ser cnsultada n link Legislaçã e Dcuments. 3 - Quais sã as vantagens d MDF-e? Respsta: O MDF-e prprcina benefícis a tds s envlvids na prestaçã d serviç de transprte. Para s emitentes d MDF-e pdems citar s seguintes benefícis: Reduçã de custs de impressã d dcument fiscal, uma vez que dcument é emitid eletrnicamente. O mdel d MDF-e cntempla a impressã de um dcument em papel, chamad de Dcument Auxiliar d Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais (DAMDFE), cuja funçã é acmpanhar transprte e cnsequentemente infrmar trânsit ds dcuments da carga. A impressã d dcument auxiliar deverá ser em papel cmum A4 (excet papel jrnal). Reduçã de custs de aquisiçã de papel, pels mesms mtivs expsts acima; Reduçã de custs de armazenagem de dcuments fiscais. Atualmente s dcuments fiscais em papel devem ser guardads pels cntribuintes, para apresentaçã a fisc pel praz decadencial. A reduçã de cust abrange nã apenas espaç físic necessári para adequada guarda de dcuments fiscais cm também tda a lgística que se faz necessária para sua recuperaçã. Um cntribuinte que emita, hipteticamente, 100 Manifests pr dia cntará cm aprximadamente Manifests pr mês, acumuland cerca de a final de 5 ans. A emitir s dcuments apenas eletrnicamente a guarda d dcument eletrônic cntinua sb respnsabilidade d cntribuinte, mas cust d arquivament digital é muit menr d que cust d arquivament físic; GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments: O MDF-e é um dcument estritamente eletrônic e nã requer a digitalizaçã d riginal em papel. Send assim, pssibilita a timizaçã ds prcesss de rganizaçã, a guarda e gerenciament de dcuments eletrônics, facilitand a recuperaçã e intercâmbi das infrmações. Reduçã de temp de parada de caminhões em Psts Fiscais de Frnteira: Cm MDF-e, s prcesss de fiscalizaçã realizads ns psts fiscais de fiscalizaçã de mercadrias em trânsit serã simplificads, reduzind temp de parada ds veículs de cargas nestas unidades de fiscalizaçã; Incentiv a us de relacinaments eletrônics cm clientes (B2B): O B2B (business-t-business) é uma das frmas de cmérci eletrônic existente e envlve as empresas (relaçã empresa - à - empresa). Cm advent d MDF-e, espera-se que tal relacinament seja efetivamente impulsinad pela utilizaçã de padrões aberts de cmunicaçã pela Internet e pela segurança trazida pela certificaçã digital. Benefícis para a Sciedade: Reduçã d cnsum de papel, cm impact psitiv em terms eclógics; Incentiv a cmérci eletrônic e a us de nvas tecnlgias; Padrnizaçã ds relacinaments eletrônics entre empresas; Surgiment de prtunidades de negócis e empregs na prestaçã de serviçs ligads a MDF-e. Benefícis para s Cntabilistas: GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments, cnfrme s mtivs expsts ns benefícis das empresas emitentes; Oprtunidades de serviçs e cnsultria ligads a MDF-e. Benefícis para Fisc: Aument na cnfiabilidade da fiscalizaçã d transprte de cargas; Melhria n prcess de cntrle fiscal, pssibilitand um melhr intercâmbi e cmpartilhament de infrmações entre s fiscs; Reduçã de custs n prcess de cntrle ds manifests capturads pela fiscalizaçã de mercadrias em trânsit; GED - Gerenciament Eletrônic de Dcuments, cnfrme s mtivs expsts ns benefícis das empresas emitentes; 4 - Quais s tips de dcuments fiscais em papel que MDF-e substitui? Respsta: Atualmente a legislaçã nacinal permite que MDF-e substitua Manifest de Carga mdel O MDF-e será aceit em utrs Estads? Respsta: Sim. Os Estads da Federaçã aprvaram Mdel de Manifest Eletrônic de Dcuments Fiscais pel Ajuste SINIEF 21/10 e suas alterações. Independentemente de determinada Unidade da Federaçã estar u nã preparada para que seus cntribuintes sejam emissres de MDF-e, mdel é recnhecid cm hábil para acmpanhar trânsit e recebiment de mercadrias em qualquer parte d territóri nacinal. OBRIGATORIEDADE DE EMISSÂO 1 - Quais empresas e a partir de quand as empresas serã brigadas à emissã de MDF-e? Respsta: Está definid n Ajuste SINIEF 21/2010 (a lei básica d MDF-e): Cláusula décima sétima A brigatriedade de emissã d MDF-e será impsta as cntribuintes de acrd cm seguinte crngrama: Nva redaçã dada a incis I da cláusula décima sétima pel Ajuste SINIEF 10/13, efeits a partir de I - na hipótese de cntribuinte emitente d CT-e de que trata Ajuste SINIEF 09/07, n transprte interestadual de carga fracinada, a partir das seguintes datas: a) 2 de janeir de 2014, para s cntribuintes que prestam serviç n mdal rdviári relacinads n Anex Únic a Ajuste SINIEF 09/07 e para s cntribuintes que prestam serviç n mdal aére; b) 2 de janeir de 2014, para s cntribuintes que prestam serviç n mdal ferrviári; c) 1º de julh de 2014, para s cntribuintes que prestam serviç n mdal rdviári, nã ptantes pel regime d Simples Nacinal e para s cntribuintes que prestam serviç n mdal aquaviári; d) 1º de utubr de 2014, para s cntribuintes que prestam serviç n mdal rdviári ptantes pel regime d Simples Nacinal;

M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS

M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS M D F -e CONSIDERAÇÕES INICIAIS Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) é o documento emitido e armazenado eletronicamente, de existência apenas digital, para vincular os documentos fiscais

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES NOTA FISCAL ELETRÔNICA (Atualização em 17-08-2011 atualização das respostas 50 e 51)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES NOTA FISCAL ELETRÔNICA (Atualização em 17-08-2011 atualização das respostas 50 e 51) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES NOTA FISCAL ELETRÔNICA (Atualizaçã em 17-08-2011 atualizaçã das respstas 50 e 51) (Clique sbre a pergunta para visualizar a respsta u utilize a busca pr palavra pressinand simultaneamente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral

Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Documentos Fiscais Eletrônicos na Prestação de Serviço de Transporte de Cargas AFR Newton Oller de Mello Delegacia Regional Tributária do Litoral Palestra SINDISAN Sindicato das Empresas de Transporte

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

Tutorial Sistema Porto Sem Papel

Tutorial Sistema Porto Sem Papel Tutrial Sistema Prt Sem Papel 8 ESTADIA CONVENCIONAL: A estadia cnvencinal é aquela em que a embarcaçã deseja executar uma peraçã de carga, descarga, carga/descarga, embarque/desembarque de passageirs

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015

Sistema: Jera Store & Service Versão : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banco de Dados: Firebird - Versão: 2.5.3 Data: 05/04/2015 Sistema: Jera Stre & Service Versã : 2.5 Release: 2.5.1.928 Banc de Dads: Firebird - Versã: 2.5.3 Data: 05/04/2015 O sistema cntempla s móduls abaix. Os móduls adicinais (cmercializads a parte) estã destacads:

Leia mais

Manual. Autorizador da UNIMED

Manual. Autorizador da UNIMED Manual Prtal Autrizadr da UNIMED Pass a Pass para um jeit simples de trabalhar cm Nv Prtal Unimed 1. Períd de Atualizaçã Prezads Cperads e Rede Credenciada, A Unimed Sul Capixaba irá atualizar seu sistema

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

NFS-e. Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual Operacional do Prestador de Serviços

NFS-e. Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual Operacional do Prestador de Serviços te 2012 NFS-e Nta Fiscal de Serviçs Eletrônica Manual Operacinal d Prestadr de Serviçs Este manual tem cm bjetiv rientar s usuáris, sbre s prcediments relativs a crret manusei de td sistema, detalhand

Leia mais

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Reunião SINDMAT 04/2013

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Reunião SINDMAT 04/2013 Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Reunião SINDMAT 04/2013 Agenda 1. Requisitos gerais MDF-e 2. Contribuintes obrigados a emissão MDF-e 3. Encerramento MDF-e 4. DAMDF-e 5. Descrição Simplificada

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL

SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA DE MATO GROSSO DO SUL FAQ Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais Pré-requisitos para ser emissor de MDF-e 02 FAQ - 02 { Obrigatoriedade do MDF-e: Para mais informações

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO

PROPOSTA DE DESENVOLVIMENTO R.M. Infrmática Cmérci e Serviç Ltda CNPJ: 04.831.742/0001-10 Av. Rdrig Otávi, 1866, Módul 22 Distrit Industrial - Manaus - AM Tel./Fax (92) 3216-3884 http://www.amaznit.cm.br e-mail: amaznit@amaznit.cm.br

Leia mais

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 02/2014

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 02/2014 Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 02/2014 Agenda 1. Requisitos gerais MDF-e 2. Contribuintes obrigados a emissão MDF-e 3. Encerramento MDF-e 4. DAMDF-e 5. Descrição Simplificada Modelo Operacional

Leia mais

Perguntas Freqüentes NF-e Atualizado em 24/03/09

Perguntas Freqüentes NF-e Atualizado em 24/03/09 Perguntas Freqüentes NF-e Atualizad em 24/03/09 ÍNDICE POR ASSUNTOS AGRUPADOS I. Cnceit, us e brigatriedade da NF-e (29 questões) II. Obrigações acessórias (8 questões) III. Mdel Operacinal (1 questã)

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Contabilidade Martins

Contabilidade Martins DOCUMENTOS PARA CONTABILIDADE Visand melhrar nss intercâmbi administrativ e s serviçs prestads pr este escritóri, remetems instruções cm relaçã a sua mvimentaçã mensal, dand ênfase a cntrle de arquivs,

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Cnteúd prgramátic CURSO PREPARATÓRIO PARA CERTIFICAÇÃO Este é cnteúd prgramátic d curs preparatóri n nv prgrama CDO-0001 para a certificaçã CmpTIA CDIA+. CONCEITUAL ECM Apresentaçã ds cnceits envlvids

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Dcumentaçã de Versã Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 6 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.1 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.1... 2 PRESTADOR... 2 CLIENTE...

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS INDICE Descriçã básica...3 A. Quem pde acessar módul?... 3 Relações Ministeriais, Prcess...4 B. Etapas e Agentes... 4 C. Duraçã d prcess... 4 Atividades Permitidas as Usuáris d

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Portaria CAT 102, de 10-10-2013

Portaria CAT 102, de 10-10-2013 Publicado no D.O.E. (SP) de 11/10/2013 Portaria CAT 102, de 10-10-2013 Dispõe sobre a emissão do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e, do Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 16.10.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar, junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR, interessad

Leia mais

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais

Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 2014 Apresentação O Projeto do () tem como objetivo a implantação de um modelo nacional de documento fiscal eletrônico que venha substituir a sistemática atual de emissão do documento em papel, com validade

Leia mais

Manifesto de Carga Eletrônica (MDF-e) www.oobj.com.br

Manifesto de Carga Eletrônica (MDF-e) www.oobj.com.br Manifesto de Carga Eletrônica (MDF-e) www.oobj.com.br A Empresa A Oobj é uma empresa pioneira no desenvolvimento de soluções para o gerenciamento de Nota Fiscal Eletrônica (NFe) e Conhecimento de Tranporte

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Cnfiguraçã Pnt de Venda (PDV) Versã: 1.1 Índice 1 EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.1 INSTALANDO O TERMINAL EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.2 CAPTURANDO O NÚMERO DE SÉRIE E O GT DO

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação

Orientação Módulo: Consulta e Resposta à Notificação Ministéri d Trabalh e Previdência Scial Secretaria de Plíticas de Previdência Scial Departament ds Regimes de Previdência n Serviç Públic Crdenaçã-Geral de Atuária Cntabilidade e Investiments Orientaçã

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

GUIA do FILIAWEB. Versão 1.0

GUIA do FILIAWEB. Versão 1.0 GUIA d FILIAWEB Versã 1.0 Setembr de 2011 ÍNDICE 1. Intrduçã...4 1.1 Antaçã de filiaçã partidária pel partid plític...5 1.2 Registrs de filiaçã partidária junt à Justiça Eleitral...6 1.3 Desfiliaçã Partidária...8

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e

: Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e Produto : RM NUCLEUS - 11.52.61 Processo Subprocesso : Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais - MDF-e : Integração com o TSS / TopConnect / CT-e Data

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet INTEGRAÇÃO Gestã de Frete Embarcadr x Datasul 11.5.3 PLANO DO PROJETO 24/01/2013 Respnsável pel dcument: Jã Victr Fidelix TOTVS - 1 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet ÍNDICE

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

MANIFESTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS FISCAIS (MDF-e) NO TRC

MANIFESTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS FISCAIS (MDF-e) NO TRC MANIFESTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS FISCAIS (MDF-e) NO TRC 1 Conceito do MDF-e: MDF-e é o documento emitido e armazenado eletronicamente por contribuinte credenciado pela Secretaria da Fazenda como emitente

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Principais Informações

Principais Informações Principais Infrmações Quem é Benefix Sistemas? Frmada pr ex-executivs e equipe de tecnlgia da Xerx d Brasil, que desenvlvem e suprtam sluções e estratégias invadras para setr públic, especializada dcuments

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

Guia Prático. MDF-e. Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais. 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica

Guia Prático. MDF-e. Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais. 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica Guia Prático MDF-e Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais 2014 JL Assessoria Contábil e Jurídica Entenda o que é: O Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais (MDF-e) é o documento emitido e armazenado

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1

CTH - ALERT REFERRAL Novas funcionalidades do Software ALERT versão 2.6.1 Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL Nvas funcinalidades d Sftware ALERT versã 261 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, SA Tds s direits reservads A ALERT Life Sciences Cmputing, SA dispnibiliza presente

Leia mais

2. Possibilidade de digitar mais de um diferencial de alíquota por documento fiscal (Pct. 3113).

2. Possibilidade de digitar mais de um diferencial de alíquota por documento fiscal (Pct. 3113). * Invações: 1. Geraçã da GIISS de Brasília - DF (Pct. 3230). Dispnibilizada geraçã d arquiv magnétic de serviçs para Distrit Federal. Para utilizaçã é necessári vincular leiaute 37 - Livr Eletrônic de

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

Secretaria Municipal de Finanças Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações Gerência de Tributos Mobiliários Prefeitura de Belo Horizonte

Secretaria Municipal de Finanças Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações Gerência de Tributos Mobiliários Prefeitura de Belo Horizonte Versã 1.01 Página 2 de 68 BHISS Digital - Manual de prcediments... 4 1 Cadastrament de usuári... 4 1.1 Cadastrament presencial... 4 1.2 Cadastrament pela web... 5 2 Credenciament... 6 2.1 Ccredenciament

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema.

Em qualquer situação, deve ser incluída toda a informação que seja relevante para a análise e resolução da questão/problema. Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica de Medicaments Revisã 2 Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da Prescriçã Eletrónica de Medicaments

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação

Os novos usos da tecnologia da informação nas empresas Sistemas de Informação Os nvs uss da tecnlgia da infrmaçã nas empresas Sistemas de Infrmaçã Prf. Marcel da Silveira Siedler siedler@gmail.cm SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PELOTAS Planejament

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 27.01.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR/SEGPLAN-GO, a entidade

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO ÍNDICE QUE VALORES [MASTERSAF DFE] TRAZEM PARA VOCÊ? 1. VISÃO GERAL E REQUISITOS PARA INSTALAÇÃO... 2 1.1. AMBIENTE... 2 1.2. BANCO DE DADOS... 4 2. BAIXANDO OS INSTALADORES DO DFE MASTERSAF... 5 3. INICIANDO

Leia mais

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST

MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST MANUAL DO PRODUTO GERGERAISISTÊNCI SEGURO APP INVEST A MANUAL DO PRODUTO SEGURO DE ACIDENTES PESSOAIS DE PASSAGEIROS E/OU TRIPULANTE (APP) INVEST O presente Manual d Prdut cntém: SEGURO APP INVEST 1. VANTAGENS

Leia mais

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.605 de 05 de nvembr de 2013. Altera a Plítica de Segurança da Infrmaçã n âmbit d Tribunal Reginal d Trabalh da 4ª Regiã. A PRESIDENTE DO, n us de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais