PALAVRAS-CHAVE Handhelds, Manutenção de Subestação, Tecnologia da Informação.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PALAVRAS-CHAVE Handhelds, Manutenção de Subestação, Tecnologia da Informação."

Transcrição

1 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Utilização de Computadores de Mão (Handheld) pelos Eletricistas da Manutenção de Subestação e Linhas da AES Eletropaulo no Controle de Inspeções e Ordens de Serviço Eng. Carlos Eduardo Motta AES Eletropaulo Eletricidade de São Paulo Eng. Sergio Teixeira AES Eletropaulo Eletricidade de São Paulo Eng. Denesio Carvalho AES Eletropaulo Eletric. São Paulo Sr. Leonardo Egidio AES Eletropaulo Eletric. São Paulo RESUMO O objetivo deste trabalho é apresentar o desenvolvimento de aplicação de novas tecnologias de computadores de mão (HandHelds) nos serviços de campo referentes a manutenção de equipamentos do sistema de potência em Subestações e Linhas de Subtransmissão da AES Eletropaulo. Os serviços de manutenção nesses equipamentos eram realizados a partir de fichas técnicas para ensaios e verificações, com mais de 10 tipos de folhas de papel. Após o preenchimento dessas folhas em campo, elas eram analisadas para verificar as condições técnicas dos equipamentos e posteriormente arquivadas em pastas e armários de documentos. Desta forma, o gerenciamento das informações e controles dos dados era cercada de grande dificuldade e burocracia, principalmente na sistemática de preenchimento, análise e guarda dessas fichas técnicas. Assim, também era um documento técnico importante com o histórico de desempenho de cada equipamento. A partir da implantação de um sistema Computacional, foi possível minimizar o tempo de preenchimento de dados em campo, reduzir os gastos com impressões de formulários e fichas técnicas e redução da burocracia no processo de armazenamento de documentação. PALAVRAS-CHAVE Handhelds, Manutenção de Subestação, Tecnologia da Informação. 1. INTRODUÇÃO O projeto piloto foi iniciado em 2003, com um investimento de 8 Handhelds (Palms Zire), apenas no segmento de subestações. Com os testes práticos, análise de desempenho em campo e dos resultados alcançados a AES Eletropaulo apostou nos benefícios dos computadores de mão (Handhelds), consolidando o uso de de 8 Handhelds (modelo Palm Zire) para controlar as fichas de manutenção de suas subestações localizada na região Leste da Cidade de São Paulo. A idéia inicial era eliminar a burocracia de papeis e facilitar na análise técnica das fichas de ensaios dos equipamentos controlados por um Banco de Dados para armazenar os dados digitados. Após doze meses de testes práticos em campo, verificou sua eficácia e fácil assimilação dos eletricistas, com ótimo desempenho no retorno das informações, com mais de 800 inspeções realizadas. 1/7

2 Antes de adquirir os computadores e desenvolver sua ferramenta computacional as áreas de gestão dos ativos da subtransmissão da AES Eletropaulo controlavam as fichas de ensaios de suas subestações por meio de folhas impressas (papel), com mais de 10 tipos de ensaios técnicos, tais como Ensaios de Isolação em Disjuntores e Verificação em Transformadores. Em caso de perda de uma dessas fichas, não seria possível recuperar os dados ocasionando um re-trabalho nos ensaios de campo. Com o uso dos computadores de mão os dados passaram a ser colhidos na hora e, posteriormente, passaram a ser sincronizados com o Banco de dados de ativos da subtransmissão, permitindo a integridade das informações e o Gerenciamento e Controle das informações. Então a impresssão destas folhas só são feitas em caso de solicitação de alguma área interna ou externo, para ver o documento impresso. Este fluxo pode ser visto na Figura 1. PADRONIZAÇÃO E CONTROLE DE FOLHAS DE INSPEÇÃO Figura 1 Padronização e Controle das Folhas de Inspeção 2. DESENVOLVIMENTO DE BANCO DE DADOS A maior etapa de desenvolvimento da implantação dos primeiros teste de utilização dos computadores de mão, foi o desenvolvimento de um Banco de Dados que pudesse armazenar os dados das fichas técnicas e gerar relatórios de gerenciamento de resultados para minimizar as dificuldades para análises técnicas. As principais fichas de ensaio em campo, em sua versão para um computador de mão, ficaram prontas após 3 meses de trabalho no desenvolvimento em MS Access, abrangendo 90% das fichas utilizadas em campo. Com estas fichas virtuais prontas foi possível passar para a fase de campo. 3. PROJETO PILOTO No início de 2003, na Regional Leste da Empresa, foram iniciados os primeiros testes de utilização de Computadores de Mão nas 4 Equipes de Manutenção de Subestações, utilizando o handheld modelo Palm M3, um dos primeiros modelos dessas novas tecnologias na época. Uma das principais dificuldades estava em relação as constantes mudanças, indefinições dos fabricantes, e as tendências futuras em relação às novas tecnologias. Também não podíamos desconsiderar que a mudança cultural, ou seja, da nova forma de preenchimento de dados em campo e utilização de um novo aparelho em campo, seria um outro desafio. Após 6 meses de testes em campo os primeiros problemas foram apontados pelas equipes, devido a limitações do modelo utilizado, como exemplo a perda de dados quando a Pilha era trocada, trava do software no Handhelds, entre outros, começou a gerar dês-motivação das equipes pela utilização dessa nova tecnologia. Com a finalidade de retomar a idéia de utilização dessas novas tecnologias foram realizadas reuniões entre representantes dos modelos disponíveis no mercado, onde ficou definido a escolha do primeiro 2/7

3 modelo, Zire (Palm OS), com tecnologia de processamento integrado e bateria recarregável, para iniciar o projeto piloto que seria decisivo para uma implantação em toda a AES Eletropaulo, onde o Fabricante garantia a devolução pela insatisfação pelos novos modelos que estavam entrando no mercado. Com a utilização do novo modelo ficou comprovado que a nova tecnologia vinha com padrões acima das expectativas e começaram a mostrar seus primeiros resultados de satisfação entre as equipes e os controladores dos dados gerados em campo. Após 12 meses de utilização, foram gerados mais de 800 registros de fichas técnicas de manutenção e ensaios em equipamentos de subestações e 99% de todas as fichas já estavam sendo preenchidas nos Handhelds, conforme se pode ver na Figura 2. Figura 2 Eletricistas de Manutenção utilizando aparelhos handhelds para preenchimento de relatório de inspeção de equipamentos. 4. IMPLANTAÇÃO EM TODA AES ELETROPAULO Para implantar em toda Empresa e garantir a eliminação de papel em campo foi investido na compra de 60 Handhelds (Modelo Tungsten E Palm OS) no fianl de 2004, onde iniciou a realização dos treinamentos das equipes. A assimilação dos eletricistas pelos computadorzinho começavam a demonstrar que as dificuldades iniciais eram mero desconhecimento da utilização dessas novas tecnologias e na prática do dia a dia seriam sanados. Após a finalização da implantação no seguimento de Manutenção de Subestações, o sistema foi ampliado nos seguimentos de Manutenção de Linhas de Transmissão Aérea e Subterrânea, e Sistema de Proteção. 5. GERENCIAMENTO DE TRABALHO A AES Eletropaulo no final de 2004 começava a desenvolver um dos seus principais trabalhos de Gerenciamento de Trabalho ( Work Management ), onde as metodologias de aumento de produção era o foco da Manutenção de Subestações. Para o desenvolvimento do trabalho havia a necessidade do controle dos serviços gerados em campo e apontamento dos tempos alocadas em cada atividade, tal como: Tempo de plataforma; Tempo de Deslocamento; Tempo de manobra, entre outros. Para isso, no segmento de Subtransmissão, a utilização dos Handhelds foi visto como uma ferramenta que talvez permitisse o controle das etapas do trabalho realizado desde a Base Operacional, deslocamento, manobras, execução das tarefas, manobras de desmobilização, retorno e fechamento do serviço na Base Operacional. Neste sentido foi desenvolvida uma Ordem de Serviço virtual, cuja tela no handheld possuía campos alimentados previamente com os dados dos equipamentos, dados de 3/7

4 funcionários, dados de veículos, tipos de serviço e a prioridade estabelecida para sua execução, conforme Figura 3. Tela de ODS no Palm Figura 3 Tela da Ordem de Serviço implantada no Aparelho Palm Tungsten. Nesta nova etapa de 2005 do Gerenciamento da Produtividade demonstrou novamente a eficácia da utilização do sistema informatizado pelos pequenos Computadores de Mão, onde mais de 25 mil registros de Ordens de Serviços foram preenchidos pelas equipes em campos nos handhelds no ano. 4/7

5 Relatórios Gerados pelos Dados Colhidos nos Palms Gráfico de Acompanhamento da Manutenção Planejada x Realizada Regional Leste Gráfico dos Tempos lançados nas Ordens de Serviço Regional Leste. Gráfico da Relação de Serviços Cancelados Regional Leste 5/7

6 6. GANHOS ECONÔMICOS A minimização de custos diretos são verificadas com a eliminação da impressão de papel para confecção das fichas de ensaios em campo. Apesar desses custos serem considerados baixos (R$0,10 por folha impressa), no segmento de Subtransmissão da AES Eletropaulo são gerados em média 7000 folhas/mês em toda a Empresa, representando uma diminuição de Custo/Ano na ordem R$ 8.500,00, sem se falar no ganho de alinhamento com a Política de Meio Ambiente. Cabe ressaltar também os ganhos com a diminuição dos tempos de preenchimento dos registros em campo, burocracia de armazenagem das fichas, garantia do histórico dos dados; gerenciamento dos resultados; minimização de re-trabalhos. Mas o maior ganho é a motivação da equipe operacional que passou a utilizar uma ferramenta de alto nível tecnológico. Comparação entre a emissão do relatório técnico antes e após a utilização dos Handhelds Ensaio em Disjuntor Antes em Papel Depois em Formato Digital 7. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES As empresas devem ficar atentas ao surgimento de novas tecnologias, vislumbrando oportunidades que sua adoção podem gerar no sentido de dar maior agilidade aos negócios, desenvolvimento e motivação para a equipe, tornando-a autora e consciente da possibilidade de minimizar custos através da aplicação de novos investimentos em tecnologia. Podemos concluir que a implantação do projeto iniciado em 2003, demonstrou na prática os resultados da aplicação de novas tecnologias e, agora Computadorzinhos fazem parte do dia-a-dia de nossas equipes de Manutenção de Subestações, Proteção e Linhas de Subtransmissão, onde 99% dos formulários são digitados gerando mais de 25 mil registros em 12 meses. Sua eficácia foi comprovada 6/7

7 e a facilidade no manuseio pelos eletricistas, contrariou um mito de que equipes operacionais só sabem fazer trabalho braçal, tendo como resultado maior agilidade numa parte do processos burocráticos no segmento de Subtransmissão. 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1 Site da Palm OS Dados Técnicos Março/ AES Eletropaulo - Relatório de Accountability 2005 Trabalho de Work Management Subtransmissão, São Paulo, Fevereiro/ Castilho, Juan Gazeta Mercantil - Automação AES Usa Palm em Inspeção, São Paulo, Novembro/ Motta, Carlos Ed. - Revista Ligado Manutenção de Estações utilizam novas Tecnologias, São Paulo, Julho/ Pedra, Ricardo. Palm OS Case Palm Zire Ajuda Eletricistas da AES Eletropaulo a Controlarem a Manutenção das Subestações da Área Leste, São Paulo, Março/ /7

MANUTENÇÃO SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA O PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO. CCMS- Computer Maintenance Management System

MANUTENÇÃO SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA O PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO. CCMS- Computer Maintenance Management System MANUTENÇÃO SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA O PLANEJAMENTO E CONTROLE DA MANUTENÇÃO CCMS- Computer Maintenance Management System Prof. Dissenha professor@dissenha.net SISTEMAS INFORMATIZADOS PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

PARCERIA INTELIGENTE PARA SUA FROTA E LOGÍSTICA

PARCERIA INTELIGENTE PARA SUA FROTA E LOGÍSTICA PARCERIA INTELIGENTE PARA SUA FROTA E LOGÍSTICA Frota moderna, equipe especializada, infraestrutura e tecnologia não é fácil implementar uma gestão logística eficiente. Para fazer com que ela seja planejada

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7

PROCEDIMENTO GERENCIAL PARA PG 012/04 GESTÃO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 EQUIPAMENTOS Página 2 de 7 1 OBJETIVO Este procedimento estabelece os critérios básicos de suprimento e logística de materiais assim como as diretrizes para a armazenagem, preservação e manuseio de materiais

Leia mais

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process

PSP: Personal Software Process. PSP- Personal Software Process. PSP: Personal Software Process. PSP: Personal Software Process PSP- Personal Software Process Maria Cláudia F. P. Emer PSP: Personal Software Process z Já foram vistas ISO/IEC 9126 foco no produto ISO 9001 e CMM foco no processo de desenvolvimento z Critica a essas

Leia mais

SISTEMA DE INFORMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. www.egmont.com.br (16) 3416 1995

SISTEMA DE INFORMATIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE. www.egmont.com.br (16) 3416 1995 Sistema de Gerenciamento de Informações da Qualidade Visando a redução do número de papéis circulantes, mas sem perder informações ou evidências da qualidade, desenvolvemos um processo de informatização

Leia mais

ICMS PARANÁ INFORMATIVO VSM

ICMS PARANÁ INFORMATIVO VSM 1 ICMS PARANÁ Informamos a todos os nossos clientes do estado do Paraná que está previsto alteração de ICMS (Imposto sobre Circulação de Marcadorias e prestação de Serviços) de 12% para 18% a partir de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA 1. Número e Título do Projeto: OEI BRA/09/004 - Aprimoramento da sistemática de gestão do Ministério da Educação

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade O Comitê - ISO A Organização Internacional de Normalização (ISO) tem sede em Genebra na Suíça, com o propósito

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 26 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 26-21/07/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE DE FRIO

SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE DE FRIO SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DE IMUNIZAÇÕES E REDE DE FRIO Cartilha SIPNI SIPNI Atualizada em Setembro/15 Secretaria Estadual de Saúde Leonardo de Moura Vilela Superitendencia de Vigilância

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO. Secretaria de Tecnologia da Informação

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO. Secretaria de Tecnologia da Informação MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Tecnologia da Informação Departamento de Infraestrutura e Serviços de Tecnologia da Informação Boas práticas, orientações e vedações para contratação

Leia mais

Augusto Ribeiro Mendes Filho Assessor de Comunicação da Elipse Software NECESSIDADE

Augusto Ribeiro Mendes Filho Assessor de Comunicação da Elipse Software NECESSIDADE ELIPSE E3 PERMITE AVALIAR A PERFORMANCE DAS TECNOLOGIAS USADAS EM USINA FOTOVOLTAICA DA TRACTEBEL ENERGIA Solução da Elipse Software monitora o comportamento das tecnologias testadas na Usina Fotovoltaica

Leia mais

Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico

Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Sistema de Gestão de Protocolo Eletrônico Secretaria de Estado da Administração - SEA Gestão de Pessoas Sistemas administrativos Gestão de Materiais e Serviços Gestão Patrimonial Ouvidoria Gestão de Tecnologia

Leia mais

Sistema de gerenciamento de produção

Sistema de gerenciamento de produção Sistema de gerenciamento de produção Sistema de gestão da produção de envase P-13 e Industrial. Categoria: Gestão Flávio Pastorello - Ultragaz Mauro Mamoru Matsuda - Ultragaz Rodrigo Fernandes de Castro

Leia mais

INCLUSÃO DIGITAL. instrumento de INCLUSÃO SOCIAL

INCLUSÃO DIGITAL. instrumento de INCLUSÃO SOCIAL INCLUSÃO DIGITAL instrumento de INCLUSÃO SOCIAL Brasil Telecom Área territorial: 2,6 milhões de km² (33% do território nacional) 25% do PIB (R$ 276 bilhões em 2001) 23% da População (40 milhões) 10.548

Leia mais

Manual do Sistema de Envio de Eletrocardiograma

Manual do Sistema de Envio de Eletrocardiograma Manual do Sistema de Envio de Eletrocardiograma Esse procedimento deverá ser executado após a realização do exame através do software especifico do fabricante do aparelho, ou seja, esse processo é somente

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE DISPONIBILIZAÇÃO DE REFERÊNCIAS (SIREF) REFERÊNCIAS, DADOS DE PRODUÇÃO e GERAÇÃO DE EXTRATOS.

MANUAL DO SISTEMA DE DISPONIBILIZAÇÃO DE REFERÊNCIAS (SIREF) REFERÊNCIAS, DADOS DE PRODUÇÃO e GERAÇÃO DE EXTRATOS. MANUAL DO SISTEMA DE DISPONIBILIZAÇÃO DE REFERÊNCIAS (SIREF) REFERÊNCIAS, DADOS DE PRODUÇÃO e GERAÇÃO DE EXTRATOS. 1 Sumário 1 - Introdução:... 3 2 - Objetivo:... 4 3 - Como utilizar as referências de

Leia mais

Artigos Critérios para a Seleção de um Software

Artigos Critérios para a Seleção de um Software M. Racy 40 Artigos Marina Racy Representante de Vendas América do Sul Follett International Estados Unidos Resumo: Devido ao avanço da tecnologia e ao rápido acesso à informação, a demanda por uma resposta

Leia mais

5 PEQUENAS COISAS QUE VÃO MUDAR A MANEIRA COMO VOCÊ FAZ CONTROLE DE DOCUMENTOS

5 PEQUENAS COISAS QUE VÃO MUDAR A MANEIRA COMO VOCÊ FAZ CONTROLE DE DOCUMENTOS 5 PEQUENAS COISAS QUE VÃO MUDAR A MANEIRA COMO VOCÊ FAZ CONTROLE DE DOCUMENTOS CONTEÚDO 3 INTRODUÇÃO 4 SEPARE EM CATEGORIAS 5 ELIMINE OS DOCUMENTOS DESNECESSÁRIOS 7 PADRONIZAÇÃO 8 ESQUEÇA DOS DOCUMENTOS

Leia mais

Como utilizar a tecnologia a favor da sua central de atendimento

Como utilizar a tecnologia a favor da sua central de atendimento Como utilizar a tecnologia a favor da sua central de atendimento Conheça algumas tecnologias que podem melhorar a sua central de atendimento. URA: Como utilizar a tecnologia a favor da sua central de atendimento

Leia mais

Retorno De Investimento (ROI)

Retorno De Investimento (ROI) 10 12 14 M+ M- MR C + - / + 8 MC 7 8 9-4 5 6-1 2 0 Retorno De Investimento (ROI) 16 3. = INTRODUÇÃO A sua empresa ainda está pensando sobre a implementação de um sistema gerenciamento de ativos empresariais

Leia mais

Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia

Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia ANEXO VI DO PDTI-2016 - AÇÕES DE GOVERNANÇA DE TI Objetivos Estratégicos: 02- Aprimorar a Gestão de Serviços de TI 07 Desenvolver competências Gerenciais e Técnicas com Foco na Estratégia ID- Demanda Status

Leia mais

PRODERJ implanta sistemas automatizados na AGETRANSP

PRODERJ implanta sistemas automatizados na AGETRANSP PRODERJ implanta sistemas automatizados na AGETRANSP FEVEREIRO/2016 Perfil O PRODERJ Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro autarquia vinculada à Secretaria de Estado

Leia mais

Leonardo Barboza Bezerra

Leonardo Barboza Bezerra Como a telemetria pode ajudar na antecipação de decisões, no combate a perdas comerciais e na garantia de receitas. Leonardo Barboza Bezerra Apoio CELPE Consumidores Grupo A Distribuídos Dentre 2 em milhões

Leia mais

Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto

Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto Tema 01 Conceitos sobre gerenciamento de tempo e projeto Objetivos da Aula Compreender a importância do tempo nos projetos. Revisar conceitos. Compreender o que deve ser considerado na elaboração de um

Leia mais

TÍTULO: O CICLO PDCA IMPLANTADO NA REDUÇÃO DE TROCA DE FUSO ESFÉRICO DE UM CENTRO DE USINAGEM CNC HORIZONTAL

TÍTULO: O CICLO PDCA IMPLANTADO NA REDUÇÃO DE TROCA DE FUSO ESFÉRICO DE UM CENTRO DE USINAGEM CNC HORIZONTAL 16 TÍTULO: O CICLO PDCA IMPLANTADO NA REDUÇÃO DE TROCA DE FUSO ESFÉRICO DE UM CENTRO DE USINAGEM CNC HORIZONTAL CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2. Classificação dos Sistemas de Informação. professor Luciano Roberto Rocha.

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2. Classificação dos Sistemas de Informação. professor Luciano Roberto Rocha. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO AULA 2 Classificação dos Sistemas de Informação professor Luciano Roberto Rocha www.lrocha.com.br SISTEMA DE INFORMAÇÃO É um sistema seja ele automatizado ou manual, que abrange

Leia mais

Difusor de Grãos HISTÓRICO DO GRUPO. Componentes: Carlos César Luciano, Rodrigo Sudário Batista, Leandro Rodrigues, Virginia Dias, Fabio Batista.

Difusor de Grãos HISTÓRICO DO GRUPO. Componentes: Carlos César Luciano, Rodrigo Sudário Batista, Leandro Rodrigues, Virginia Dias, Fabio Batista. DIFUSOR DE GRÃOS INTRODUÇÃO O Terminal Integrador Araguari- MG (TIA), uma das soluções logísticas da VLI, começou suas atividades em fevereiro de 2012 com operações de transbordo e armazenagem de grãos

Leia mais

Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Sistemas Operativos 10º ano

Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos. Sistemas Operativos 10º ano Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Sistemas Operativos 10º ano Introdução aos Sistemas Embebidos Vivemos num mundo onde o software desempenha um papel crítico Mas a maior parte deste

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Disciplina: DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO Prof. Afonso Celso M. Madeira 8º semestre CENÁRIO Sistemas desenvolvidos para atender necessidades específicas da unidade de negócio,

Leia mais

Certificado Digital Modelo e-conecte. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo e-conecte. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo e-conecte Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa

Leia mais

RELATÓRIO SOBRE UPGRADE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA. Memória Ram em % DDR3-1GB 7% DDR2-3GB 7% DDR2-1GB 29%

RELATÓRIO SOBRE UPGRADE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA. Memória Ram em % DDR3-1GB 7% DDR2-3GB 7% DDR2-1GB 29% RELATÓRIO SOBRE UPGRADE NO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA A Coordenação de Planejamento, Gestão e Avaliação (CPGA) por meio da Divisão de Tecnologia da Informação (DITEC) realizou um upgrade no laboratório

Leia mais

D12.02 Sistema Inteligente de Controle Integrado de Contratos e Obras

D12.02 Sistema Inteligente de Controle Integrado de Contratos e Obras D12.02 Sistema Inteligente de Controle Integrado de Contratos e Obras Problema a ser solucionado: Iniciativa: Gestão de Ativos - Aumentar Eficácia do CAPEX Ação (11.2): Diagnosticar e adequar o processo

Leia mais

Controle da Eficiência de Micromedição Analisando a Idade do Parque de Medidores Instalados em um SAA

Controle da Eficiência de Micromedição Analisando a Idade do Parque de Medidores Instalados em um SAA Controle da Eficiência de Micromedição Analisando a Idade do Parque de Medidores Instalados em um SAA JOÃO RICARDO LETURIONDO PUREZA jpureza@comusa.com.br Responsável pelo setor de operação da Companhia,

Leia mais

Home Center adota o Arcserve UDP e aumenta a eficiência da TI

Home Center adota o Arcserve UDP e aumenta a eficiência da TI Home Center adota o Arcserve UDP e aumenta a eficiência da TI PERFIL DO CLIENTE Empresa: BR Home Center Setor: Materiais de construção e decoração Funcionários: 2200 EMPRESA DESAFIO SOLUÇÃO BENEFÍCIOS

Leia mais

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização

Hardware: Componentes Básicos. Sistema de Computador Pessoal. Anatomia de um Teclado. Estrutura do Computador. Arquitetura e Organização Hardware: Componentes Básicos Arquitetura dos Computadores Dispositivos de Entrada Processamento Dispositivos de Saída Armazenamento Marco Antonio Montebello Júnior marco.antonio@aes.edu.br Sistema de

Leia mais

Título do Slide Máximo de 2 linhas

Título do Slide Máximo de 2 linhas Título do Slide 13ª Seminário Internacional de Gerenciamento de Projetos Visibilidade ponta a ponta dos Projetos de Software da DATAPREV Denise Cascardo Luz Silva 17/09/13 AGENDA Título do Slide A DATAPREV

Leia mais

E se sua Operação... Reduzisse muito o valor desperdiçado em retrabalhos? Aumentasse significativamente a satisfação dos clientes?

E se sua Operação... Reduzisse muito o valor desperdiçado em retrabalhos? Aumentasse significativamente a satisfação dos clientes? E se sua Operação... Reduzisse muito o valor desperdiçado em retrabalhos? Aumentasse significativamente a satisfação dos clientes? Concluísse os serviços mais rapidamente? Tivesse mais controle, com inspeções

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57

COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 Página 1 de 14 COMUNICADO TÉCNICO Nº 57 ALTERAÇÃO DO PADRÃO DE CONJUNTOS BLINDADOS PARA LIGAÇÃO DE CLIENTES ATENDIDOS EM MT Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição ELABORADO

Leia mais

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO GESTÃO DE LOGÍSTICA

LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO GESTÃO DE LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO GESTÃO DE LOGÍSTICA PERGUNTA O que entendo por Logística? E qual sua importância para as empresas no cenário atual? Porque estudar Logística? EVOLUÇÃO Logística Uma função essencial

Leia mais

TEKSID CONQUISTA UMA SÉRIE DE BENEFÍCIOS AO DESENVOLVER PROJETO PARA INFORMATIZAÇÃO DE RESULTADOS DAS ANÁLISES QUÍMICAS. Case de Sucesso.

TEKSID CONQUISTA UMA SÉRIE DE BENEFÍCIOS AO DESENVOLVER PROJETO PARA INFORMATIZAÇÃO DE RESULTADOS DAS ANÁLISES QUÍMICAS. Case de Sucesso. maio/2012 Case de Sucesso TEKSID CONQUISTA UMA SÉRIE DE BENEFÍCIOS AO DESENVOLVER PROJETO PARA INFORMATIZAÇÃO DE RESULTADOS DAS ANÁLISES QUÍMICAS Para publicar um case no Portal IT4CIO, entre em contato

Leia mais

Ferramentas de TI para o Comissionamento de Empreendimentos Industriais

Ferramentas de TI para o Comissionamento de Empreendimentos Industriais Ferramentas de TI para o Comissionamento de Empreendimentos Industriais Luciano Gaete / Antonio João Prates 26 de Outubro 2007 1 Introdução O comissionamento Conjunto de técnicas e procedimentos de engenharia

Leia mais

SOLUÇÃO EM PESQUISAS DE OPINIÃO E MERCADO

SOLUÇÃO EM PESQUISAS DE OPINIÃO E MERCADO SOLUÇÃO EM PESQUISAS DE OPINIÃO E MERCADO UMA SOLUÇÃO DE: www.digicade.com.br 2 of 18 SOBRE NÓS A Digicade Tecnologia desenvolve soluções integradas a informações geográficas customizadas para cada modelo

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Marcelo Gomes dos Santos Marcelo Puertas Otávio dos Anjos AES Eletropaulo Metropolitana

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil

XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 10 de outubro. Olinda - Pernambuco - Brasil XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Laboratório de Integração e Testes de Sistemas e Equipamentos de Supervisão, Controle

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação TCC em Re-vista 2011 121 PAULA, Diego Flávio de; VOLPATO, Tobias. 23 Gerenciamento eletrônico de documentos. 2011. 111 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Sistemas de

Leia mais

ESTUDO DAS PERDAS NO PROCESSAMENTO DE TEMPERO EM TABLETES. Ângelo Queiroz Aragão 1 ; Mariana Ferreira Oliveira²

ESTUDO DAS PERDAS NO PROCESSAMENTO DE TEMPERO EM TABLETES. Ângelo Queiroz Aragão 1 ; Mariana Ferreira Oliveira² ESTUDO DAS PERDAS NO PROCESSAMENTO DE TEMPERO EM TABLETES Ângelo Queiroz Aragão 1 ; Mariana Ferreira Oliveira² 1 Graduando do Curso de Química Industrial, UnU CET - UEG. 2 Orientadora, docente do Curso

Leia mais

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua;

A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; QUEM SOMOS A Mongeral Aegon é a seguradora mais antiga do Brasil em atividade contínua; Especializada em Vida e Previdência, possui portfólio completo para assegurar nossos clientes e seus familiares dos

Leia mais

Planejamento e Desempenho de Custos. Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida

Planejamento e Desempenho de Custos. Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida Planejamento e Desempenho de Custos Disciplina: Gerenciamento de Projetos Docente: Cristina Almeida O que é um orçamento? É o planejamento financeiro para um determinado projeto. Objetivo da aula: apresentar

Leia mais

SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota

SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota SofitView! Uma nova forma de fazer gestão da sua frota ALGUNS DESAFIOS NÃO MUDAM... DESAFIOS INTERNOS Aumento da disponibilidade da frota Redução dos custos da frota Controle dos custos por KM rodado Decisões

Leia mais

Manual de utilização do portal NIX-UP para Upload de Notas Fiscais de Serviço

Manual de utilização do portal NIX-UP para Upload de Notas Fiscais de Serviço Manual de utilização do portal NIX-UP para Upload de Notas Fiscais de Serviço Este manual tem como objetivo demonstrar a utilização do portal NIX- UP para upload (carregamento) das notas fiscais de prestação

Leia mais

CCR APRIMORA O PROCESSO DE FECHAMENTO TRIMESTRAL E PUBLICAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO COM NOVA FERRAMENTA DE GESTÃO

CCR APRIMORA O PROCESSO DE FECHAMENTO TRIMESTRAL E PUBLICAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO COM NOVA FERRAMENTA DE GESTÃO Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. CCR APRIMORA O PROCESSO DE FECHAMENTO TRIMESTRAL E PUBLICAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO COM NOVA FERRAMENTA DE GESTÃO Perfil O Grupo CCR é uma das

Leia mais

Procedimento Operacional

Procedimento Operacional Procedimento Operacional Padrão Procedimentos em casos de interrupção no fornecimento de energia elétrica no HC/UFTM Versão 1.0 SIF Procedimento Operacional Padrão. Versão 1.0 2015, Ebserh. Todos os direitos

Leia mais

Área: Farmácia Setores: Farmácia e Almoxarifado Modalidade: PDCA

Área: Farmácia Setores: Farmácia e Almoxarifado Modalidade: PDCA Avaliação da Acurácia do Inventário Semestral dos Medicamentos, Material Médico Hospitalar e Insumos Odontológicos Área: Farmácia Setores: Farmácia e Almoxarifado Modalidade: PDCA Identificação do problema

Leia mais

Oficina - Gestão por Processos

Oficina - Gestão por Processos Oficina - Gestão por Processos Isaac da Silva Torres João Francisco da Fontoura Vieira 02/09/2015 Escritório de Processos 1 Tópicos Nesta oficina, apresentaremos a Gestão por Processos e a sua relação

Leia mais

TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software

TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software ENG SOFT - TESTES TESTES DE SOFTWARE 1. Fundamentos sobre testes de software A atividade de teste de software sempre foi considerada como um gasto de tempo desnecessário, uma atividade de segunda classe,

Leia mais

VIABILIDADE DA APLICAÇÃO DO MONITORAMENTO CONTÍNUO NOS SISTEMAS DE MÁQUINA DE CHAVE E PROTEÇÃO DA SOBRETENSÃO DO NEGATIVO-TERRA DO

VIABILIDADE DA APLICAÇÃO DO MONITORAMENTO CONTÍNUO NOS SISTEMAS DE MÁQUINA DE CHAVE E PROTEÇÃO DA SOBRETENSÃO DO NEGATIVO-TERRA DO VIABILIDADE DA APLICAÇÃO DO MONITORAMENTO CONTÍNUO NOS SISTEMAS DE MÁQUINA DE CHAVE E PROTEÇÃO DA SOBRETENSÃO DO NEGATIVO-TERRA DO METRÔ - SP Albert Haga Luiz Eduardo Argenton Sérgio Barbosa Objetivos

Leia mais

REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO PARA SERVIDOR WEB APACHE

REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO PARA SERVIDOR WEB APACHE REQUISIÇÃO DE CERTIFICADO PARA SERVIDOR WEB APACHE Para confecção desse manual, foi usado o Sistema Operacional Linux Slackware 11.0 e Servidor Web Apache 2.0. Algumas divergências podem ser observadas

Leia mais

Vazamento de Informações Corporativas

Vazamento de Informações Corporativas Webinar Vazamento de Informações Corporativas Foco na Distribuição e Compartilhamento de Documentos Sensíveis 2 Agenda Sobre a fiandeira tecnologia O que fazemos Soluções de conectividade para ambientes

Leia mais

Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos

Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos Guia de Utilização do Sistema de Controle de Procedimentos Odontológicos Guia de Utilização do Com vistas a agilizar os processos de perícia, autorização e realização de procedimentos do Plano Odontocasse,

Leia mais

Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD

Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD 1976 1977 1979 1980 1981 1982 1984 1987 Criação do CPqD Concluído o primeiro protótipo do multiplexador digital para transmissão

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Configuração

Plano de Gerenciamento de Configuração Plano de Gerenciamento de Configuração Controle de Versões Versão Data Autor Notas da Revisão 0.1 29/11/2016 Deborah Araujo Denis Ferreira Ezio Mendonça - Plano de gerenciamento de Configuração Página

Leia mais

Conceitos relativos a Banco de Dados & Modelos de Informação de Banco de Dados. Introdução

Conceitos relativos a Banco de Dados & Modelos de Informação de Banco de Dados. Introdução Conceitos relativos a Banco de Dados & Modelos de Informação de Banco de Dados Prof. Anderson Henriques Introdução A quantidade de informação relevante para a tomada de decisões nas organizações é muito

Leia mais

Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota

Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 3 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 3 2.1 AQUISIÇÃO DE DADOS MONITORADOS DO VEÍCULO... 3 2.2 AQUISIÇÃO DE DADOS DE LOCALIZAÇÃO...

Leia mais

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho. Coordenador da Qualidade. Supervisora da Qualidade

PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho. Coordenador da Qualidade. Supervisora da Qualidade Versão: 1 Pág: 1/5 ELABORADO POR DE ACORDO APROVADO POR NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA Dr. Renato L. Filho Coordenador da Qualidade 22/08/2016 Dra. Débora Salles Supervisora da Qualidade 22/08/2016 Dr. Renato

Leia mais

CONCESSIONÁRIAS DE ENERGIA APLICAÇÕES

CONCESSIONÁRIAS DE ENERGIA APLICAÇÕES CONCESSIONÁRIAS DE ENERGIA APLICAÇÕES CONTEÚDO 03 VISÃO GERAL TECNOLOGIA: COMUNICADOR MANUTENÇÃO MONITORAMENTO 04 ROTEADOR 10 PREDITIVA 11 DE VARIÁVEIS 12 EMS - ENERGY MANAGEMENT SYSTEMS 02 VISÃO GERAL

Leia mais

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA

SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA SISTEMA CAÇA-TALENTOS MANUAL DE OPERAÇÃO PERFIL SECRETARIA O Sistema Caça-Talentos tem o objetivo de aprimorar o negócio e fornecer um controle informatizado dos processos de captação dos alunos. Ele possui

Leia mais

A gestão de projetos na construção civil brasileira é eficiente?

A gestão de projetos na construção civil brasileira é eficiente? A gestão de projetos na construção civil brasileira é eficiente? Fazendo um paralelo com o que já foi exposto aqui no site da LPE Engenharia no artigo Gestão de projetos na construção civil características

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação O que é Segurança da Informação? Segurança da informação é a proteção da informação de vários tipos de ameaças para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio,

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS. Projeto de Programas PPR0001

FUNDAMENTOS DA ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS. Projeto de Programas PPR0001 FUNDAMENTOS DA ANÁLISE E PROJETO DE SISTEMAS Projeto de Programas PPR0001 2 Introdução Antes de desenvolver ou construir qualquer produto ou sistema em engenharia é necessário um... o PROJETO O que é um

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA APLICADA INF01210 - INTRODUÇÃO À INFORMÁTICA MÓDULO V MICROSOFT ACCESS 97 -MATERIAL DO ALUNO- Profa. Maria

Leia mais

SISTEMA ELETRÔNICO DE COBRANÇA PARA ESTACIONAMENTO REGULAMENTADO

SISTEMA ELETRÔNICO DE COBRANÇA PARA ESTACIONAMENTO REGULAMENTADO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET CÂMPUS GUARAPUAVA Gustavo Henrique Pchek Kwaczynski SISTEMA ELETRÔNICO DE COBRANÇA PARA ESTACIONAMENTO REGULAMENTADO

Leia mais

O usuário poderá acessar o CND express pelo ícone:

O usuário poderá acessar o CND express pelo ícone: Definição do Módulo: As Certidões Negativas de Débitos são documentos emitidos pelos órgãos públicos cujo objetivo é mostrar que uma Pessoa Jurídica, não possui débitos ou pendências com determinados órgãos

Leia mais

MANUAL DO RECURSO DE ACESSIBILIDADE DO WINDOWS

MANUAL DO RECURSO DE ACESSIBILIDADE DO WINDOWS MANUAL DO RECURSO DE ACESSIBILIDADE DO WINDOWS Eromi Izabel Hummel Maricelma Tavares Duarte 1 Caro Professor Cursista, O computador oferece muitas possibilidades para que pessoas com deficiência possam

Leia mais

Tendências na área de Recursos Humanos

Tendências na área de Recursos Humanos Tendências na área de Recursos Humanos Confira a 6ª edição do maior censo de Recursos Humanos, realizado pelo RH Portal em 2016. Veja o que os profissionais estão falando sobre a realidade do RH no mercado

Leia mais

Tudo o que você precisa saber para reformar sua casa!

Tudo o que você precisa saber para reformar sua casa! Tudo o que você precisa saber para reformar sua casa! 1. INTRODUÇÃO... 3 2. PLANEJAMENTO... 4 3. DETALHES... 5 4. CRONOGRAMA... 6 5. PREÇOS DA MÃO DE OBRA E MATERIAIS... 7 6. FORMAS DE PAGAMENTO... 8 7.

Leia mais

Exemplo Simples de Utilização de Gerenciamento de Valor Agregado como Ferramenta para Tomada de Decisão. Autor: Prof. Marcel Fleming Santos, PMP

Exemplo Simples de Utilização de Gerenciamento de Valor Agregado como Ferramenta para Tomada de Decisão. Autor: Prof. Marcel Fleming Santos, PMP Exemplo Simples de Utilização de Gerenciamento de Valor Agregado como Ferramenta para Tomada de Decisão Autor: Prof. Marcel Fleming Santos, PMP Técnica para permitir o acompanhamento da performance de

Leia mais

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento:

Público Alvo: Critérios de admissão para o curso: Investimento: Com carga horária de 420 horas o curso de MBA em Gestão de Projetos é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros no curso: 04) para avaliação nos diversos pólos,

Leia mais

Técnicas de Manutenção Eletrônica

Técnicas de Manutenção Eletrônica Técnicas de Manutenção Eletrônica AI32E e ET231 Prof. Dr. Hugo Valadares Siqueira Ementa Parte I Aprendizagem do uso de instrumentos de medição. - Testes em componentes eletrônicos. - Equipamentos eletrônicos

Leia mais

Manual do Usuário. VpetConverter Ferramenta para adequação de documentos para Petições Eletrônicas. http://www.voat.com.br/ contato@voat.com.

Manual do Usuário. VpetConverter Ferramenta para adequação de documentos para Petições Eletrônicas. http://www.voat.com.br/ contato@voat.com. Manual do Usuário VpetConverter Ferramenta para adequação de documentos para Petições Eletrônicas http://www.voat.com.br/ contato@voat.com.br Descrição Geral O VPetConverter é um programa que facilita

Leia mais

Franquia de gestão digital de documentos oferece teste-drive aos novos franqueados

Franquia de gestão digital de documentos oferece teste-drive aos novos franqueados Franquia de gestão digital de documentos oferece teste-drive aos novos franqueados Especializada em gestão digital de documentos, AgilDoc apresenta seus serviços e proposta diferenciada de negócio na 26ª

Leia mais

Conceitos Básicos INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES

Conceitos Básicos INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES FACULDADE DOS GUARARAPES INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO E SUAS APLICAÇÕES Conceitos Básicos Prof. Rômulo César romulodandrade@gmail.com romulocesar@faculdadeguararapes.edu.br www.romulocesar.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Ângela F. Brodbeck (Escola de Administração) Jussara I. Musse (Centro de Processamento

Leia mais

Universidade Estadual de Goiás. Nágila Ribeiro Soares

Universidade Estadual de Goiás. Nágila Ribeiro Soares Universidade Estadual de Goiás Nágila Ribeiro Soares Contabilidade aliada a Tecnologia da Informação abre novos horizontes Anápolis 2015 Nágila Ribeiro Soares Contabilidade aliada a Tecnologia da Informação

Leia mais

A Webbertek é a melhor escolha. Abra e entenda por quê.

A Webbertek é a melhor escolha. Abra e entenda por quê. A Webbertek é a melhor escolha. Abra e entenda por quê. Pense no que a solução certa pode fazer pelo seu negócio. PROJETO PRODUTOS SERVIÇOS SOLUÇÃO INTEGRADA CONHEÇA A NOSSA HISTÓRIA Um sonho fez tudo

Leia mais

O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA

O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA O USO DO SOFTWARE LIVRE NA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL RELATO DE EXPERIÊNCIA Francisco de Assis da Costa Silva Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), saoassis@yahoo.com.br 1. INTRODUÇÃO No Brasil,

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS NO BRASIL

IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS NO BRASIL IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE RASTREABILIDADE DE MEDICAMENTOS NO BRASIL O Brasil está implantando o seu sistema de rastreabilidade de medicamentos, para garantir o acompanhamento do caminho percorrido por

Leia mais

CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa

CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa CRC-Nacional Central de Registro Civil de Minas Gerais Hash para Certidão Negativa Manual do usuário Data: 16/07/2016 Versão documento: 1.0 Prefácio 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA EMISSÃO DO HASH DA CERTIDÃO

Leia mais

Banco do Brasil implanta solução de pagamento com utilização de dispositivos com NFC/HCE

Banco do Brasil implanta solução de pagamento com utilização de dispositivos com NFC/HCE Banco do Brasil implanta solução de pagamento com utilização de dispositivos com NFC/HCE Perfil O Banco do Brasil foi o primeiro banco a operar no país e, hoje, é a maior instituição financeira do Brasil.

Leia mais

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve

MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve CASOS DE SUCESSO Julho 2014 MCassab reduz tempo de backup em 71% com arcserve PERFIL DO CLIENTE Empresa: Grupo MCassab Indústria: Holding Empregados: 1.200 EMPRESA DESAFIO SOLUÇÃO BENEFICIOS A MCassab

Leia mais

GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES DO PROJETO

GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES DO PROJETO GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES DO PROJETO Planejar o Gerenciamento das Comunicações O gerenciamento das comunicações do projeto inclui os processos necessários para assegurar que as informações do projeto

Leia mais

2 Referências NBR ISO (item e 4.4.5) 1 Política Ambiental da FURB (Resolução 14/2000) PR 01 Documentação

2 Referências NBR ISO (item e 4.4.5) 1 Política Ambiental da FURB (Resolução 14/2000) PR 01 Documentação Título: CONTROLE DE DOCUMENTOS Palavra-chave: DOCUMENTOS Código: PR 02 Elaboração: COUTINHO, S.V. Versão: 01 Revisão: PEREIRA, G.R; WACHHOLZ, F.D; ZANELLA,G. Aprovação: Data: 18/04/2005 1 Objetivos Definir

Leia mais

ECM MEETING EDUCAÇÃO

ECM MEETING EDUCAÇÃO Estudo de Caso: Workflow de Processos Acadêmicos em Meios Automatizados CASE FAAP EM TORNO DE 8.500 alunos ENSINO MÉDIO GRADUAÇÃO PÓS GRADUAÇÃO EXTENSÃO E APERFEIÇOAMENTO IDIOMAS Recursos Humanos OK Tecnologia

Leia mais

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil

XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica. SENDI a 26 de novembro. São Paulo - SP - Brasil XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2010 22 a 26 de novembro São Paulo - SP - Brasil Ações de Incentivo ao Débito Automático. Cristiana Valente LIGHT SESA cristiana.valente@light.com.br

Leia mais

Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos)

Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos) Estrutura e Funcionamento dos Computadores (Conceitos Básicos) Sistema Computacional Peopleware (usuário) Software (programas) Hardware (máquina) Hardware Corresponde à parte material, aos componentes

Leia mais

ÍNDICE. Desenvolvimentos das atividades do Curso, Seminário e Simpósio e de formação...24 a 27

ÍNDICE. Desenvolvimentos das atividades do Curso, Seminário e Simpósio e de formação...24 a 27 3 Convênio 027/2015 4 ÍNDICE Apresentação do Projeto... 6 Objetivo...7 Justificativa...8 e 9 Metodologia...10 e 11 Marco Legal...12 Cidades Contempladas...13 Pessoas Beneficiadas...14 Parceiros...15 Cronograma

Leia mais

O SIGAA como Ferramenta de Ensino: A turma virtual. Prof. Gleydson de A. F. Lima Superintendência de Informática/UFRN

O SIGAA como Ferramenta de Ensino: A turma virtual. Prof. Gleydson de A. F. Lima Superintendência de Informática/UFRN O SIGAA como Ferramenta de Ensino: A turma virtual Prof. Gleydson de A. F. Lima Superintendência de Informática/UFRN Por que a Turma Virtual? Crescimento do uso de tecnologias de informática como apoio

Leia mais

1 - A capacidade de fluxo que corresponde a capacidade máxima que pode passar pelo arco.

1 - A capacidade de fluxo que corresponde a capacidade máxima que pode passar pelo arco. CONCEITOS DE REDE Uma rede é formada por um conjunto de nós, um conjunto de arcos e de parâmetros associados aos arcos. Nós Arcos Fluxo Interseções Rodovias Veículos Rodoviários Aeroportos Aerovia Aviões

Leia mais

BALANÇA FERROVIÁRIA DINÂMICA SEGURANÇA DE OPERAÇÃO

BALANÇA FERROVIÁRIA DINÂMICA SEGURANÇA DE OPERAÇÃO BALANÇA DINÂMICA SEGURANÇA DE OPERAÇÃO BALANÇA DINÂMICA MODELO SIMM FERROVIÁRIO Disponível nas classes de exatidão para passagem de vagôes: 0,2% - 0,5% e 1% MODELO SIMM CARGO RECONHECE OPERAÇÃO COM MA-

Leia mais