INCLUSÃO DIGITAL. instrumento de INCLUSÃO SOCIAL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INCLUSÃO DIGITAL. instrumento de INCLUSÃO SOCIAL"

Transcrição

1 INCLUSÃO DIGITAL instrumento de INCLUSÃO SOCIAL

2 Brasil Telecom Área territorial: 2,6 milhões de km² (33% do território nacional) 25% do PIB (R$ 276 bilhões em 2001) 23% da População (40 milhões) mil linhas instaladas * 168,4 mil acessos ADSL Comercializados (Crescimento de 314,4% no ano) Serviços de Comunicação de dados cresceram 55,5% em 2002 * Dezembro-2002

3 Brasil Telecom Segunda maior provedora de serviços de acesso em Banda Larga da América Latina Controle integral: Brt Serviços Internet provedora do portal BrTurbo Globenet Networks Participação minoritária: Vant / MetroRed Licença SMP Cyber Data Center

4 Responsabilidade Social Concessionária de Serviço Público Universalização de Serviços Atendimento a camadas menos favorecidas Telefonia de Uso Público Empresa Cidadã Vínculo com a Comunidade atendida Projetos Culturais Participação programa Fome Zero Preocupação Social Postura Pró-ativa Disseminação de Serviços Avançados Acesso Internet Banda Larga Popularização de Banda Larga - Turbo Lite

5 Acesso à Informação Fato: A evolução para a Sociedade da Informação está aprofundando as diferenças sociais no Brasil (e no mundo) Os excluídos têm cada vez menos oportunidades de trabalho restritas a tarefas de baixa remuneração Por outro lado, o acesso ao conhecimento digital pode servir como uma força impulsionando a mobilidade social Motivação Crescimento Pessoal Facilidade de absorção de idéias, produtos, e serviço Desenvolvimento de Espírito Crítico Aprendizado contínuo

6 professores e alunos Educação é o Caminho A ESCOLA PÚBLICA É O GRANDE ESPAÇO PARA PROMOÇÃO DA INCLUSÃO DIGITAL Escola Pública concentra uma parcela importante da população excluída As escolas provêem um ambiente controlado, propício para a implementação de programas para formação da cidadania A velocidade de aprendizado das crianças é maior, e elas influenciam o comportamento dos pais frente à tecnologia digital A modernização das escolas melhora a auto estima de

7 Porque a Escola Pública? A ESCOLA PÚBLICA É O GRANDE ESPAÇO PARA PROMOÇÃO DA INCLUSÃO DIGITAL A interatividade e o enriquecimento do conteúdo promovem a melhoria da qualidade do ensino, respeitando sempre o regionalismo A capacitação e a inclusão digital alcançam, também, o corpo docente A escola da rede pública de ensino permite que o programa de inclusão digital seja um efetivo instrumento de transformação social

8 ESCOLA DIGITAL INTEGRADA

9 Estratégia de Abordagem Tratamento cuidadoso de três aspectos Mediação Conteúdo Educacional Infra-estrutura Tecnológica

10 Estratégia de Abordagem Tratamento cuidadoso de três aspectos Mediação Conteúdo Educacional Infra-estrutura Tecnológica

11 Estratégia de Abordagem Tratamento cuidadoso de três aspectos Mediação Conteúdo Educacional Infra-estrutura Tecnológica

12 Estratégia de Abordagem Tratamento cuidadoso de três aspectos Mediação Conteúdo Educacional Infra-estrutura Tecnológica

13 MEDIAÇÃO Departamento de Ciência da Informação e Documentação da UnB Projeto de Pesquisa voltada para a dimensão humana da informação: Prof. Emir Suaiden Prof a. Cecília Leite Maior conhecimento acadêmico sobre o uso de novas tecnologias no ambiente escolar e seus impactos para a sociedade Foco na dimensão humana, e na maximização dos benefícios para a sociedade brasileira, com monitoração dos resultados Desenvolvimento da metodologia e do material didático para formação de monitores e treinamento de alunos e professores Consolidação de um aprendizado que servirá como orientação para políticas públicas e investimentos governamentais na área

14 CONTEÚDO ClickIdéia Apoio CNPq e conteúdo de professores da UNICAMP Área do Aluno

15 Área do Professor CONTEÚDO O site oferece recursos especiais para o download de animações didáticas apresentadas pelo site O ClickIdéias mantém um programa de capacitação dos professores das escolas participantes O professor é estimulado a utilizar recursos multimídia para tornar as aulas mais interessantes e despertar o interesse dos alunos Fonte: Projeto Escola Digital Integrada e site ClickIdéias

16 CONTEÚDO Artigos Semanais - Contextualização Fonte: Projeto Escola Digital Integrada e site ClickIdéias

17 INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA Uma nova arquitetura para uma nova realidade - baixo custo - simplicidade - eficácia Internet Escola 1 Banda larga Terminais de baixo custo Mainframe Ambiente de hospedagem Servidor de aplicações e e- mail Rede IP Banda larga Escola 2 Autenticação e Certificação Firewall Terminais de baixo custo ou microcomputadores

18 Os terminais simples são estações de trabalho adequadas para o ambiente escolar, oferecendo velocidade, confiabilidade e facilidade de uso a um custo acessível Escola Digital Integrada INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA Terminais Como o armazenamento e processamento é feito nos centros de processamento das operadoras, os terminais dos usuários podem ter uma configuração simplificada menos sujeita a defeitos ou vandalismo Cada usuário pode trabalhar em qualquer estação como se aquela fosse seu computador pessoal o conceito permite intercambialidade plena Este conceito permite excelente velocidade e confiabilidade, e tem se tornado uma escolha natural para empresas

19 INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA Data Centers Segurança e Facilidade O controle centralizado garante um elevado nível de segurança de rede e integridade da informação O compartilhamento de recursos otimiza o processamento e armazenagem de dados, levando a custos de operação menores A velocidade de processamento e transmissão é garantida por servidores de última geração e pela rede de fibra ótica da Brasil Telecom Para as instituições de ensino, os Cyber Data Centers oferecem a facilidade adicional de bloqueio a conteúdos da Internet que sejam inadequados para os alunos e para o ambiente escolar A tecnologia permite armazenar e transmitir conteúdo educativo multimídia

20 INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA O custo de aquisição e manutenção dos terminais simples é bem menor que o de computadores pessoais tradicionais Os computadores pessoais ficam obsoletos rapidamente, na medida em que aparecem novas versões de aplicativos já os terminais simples tem vida útil maior, pois sua funcionalidade é independente das necessidades dos aplicativos As atualizações de software centralizadas nos Cyber Data Centers são mais rápidas, simples e baratas do que a atualização em computadores pessoais, que requer nova instalação em cada máquina A intercambialidade dos terminais simples permite uma grande flexibilidade para os usuários, que podem usar qualquer terminal arquivos e aplicativos estão no Cyber Data Center, a menos do conteúdo educativo da Internet e de alguns arquivos individuais dos alunos

21 INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA Modelo Tradicional Proposta Soluções complexas Rápida obsolescência Operação e suporte caros e lentos Preço incompatível com as comunidades atendidas Acesso aos recursos físicos (equipamento) Simplificação tecnológica Soluções up-to-date (garantia de upgrade) Ponto único de atendimento, facilidade e rapidez na manutenção Custos adequados a realidade Brasileira Acesso aos recursos intelectuais (conhecimento)

22 INFRA-ESTRUTURA TECNOLÓGICA Modelo Tradicional Proposta Identificação impessoal Não adequado ao compartilhamento Informações associadas ao equipamento Crescimento por Investimento Conceito Meu Computador o usuário possui exclusividade no conteúdo gravado em seu disco virtual Facilidade na definição do perfil de uso, compartilhando a infra estrutura Interface única para acesso as informações e aplicações em qualquer lugar Crescimento por adesão

23 Projeto Piloto Centro Educacional GISNO Brasília-DF

24

25

26 O PRODUTO SOCIAL ESCOLA DIGITAL INTEGRADA, DE RESPONSABILIDADE DA BRASIL TELECOM E SEUS PARCEIROS ESTÁ CONSOLIDADO E DISPONÍVEL PARA CONSIDERAÇÃO DO GOVERNO, COMO A ALTERNATIVA MAIS EFICAZ DE INCLUSÃO DIGITAL

27 OBRIGADO!

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley

Técnico em Radiologia. Prof.: Edson Wanderley Técnico em Radiologia Prof.: Edson Wanderley Rede de Computadores Modelo Mainframe Terminal Computador de grande porte centralizado; Os recursos do computador central, denominada mainframe são compartilhadas

Leia mais

Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013. Agosto de 2015

Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013. Agosto de 2015 Audiência Pública Comissão Especial Projeto de Lei 6.789, de 2013 Agosto de 2015 PRESENÇA A América Móvil (AMX) tem atuação em 28 países Operações Fixa e Móvel Operação Móvel Operação MVNO ACESSOS POR

Leia mais

Hardware. Objetivos do Capítulo

Hardware. Objetivos do Capítulo Objetivos do Capítulo Identificar os principais tipos, tendências e usos de microcomputadores, computadores de médio porte e mainframes. Caracterizar as principais tecnologias e usos de periféricos de

Leia mais

Quando Distribuir é bom

Quando Distribuir é bom Quando Distribuir? Se não precisar, não distribua. Problema de natureza descentralizada Rede de manufatura com atividades concorrentes de engenharia em locações remotas; Teleconferência; Automação industrial.

Leia mais

Quando Distribuir é bom

Quando Distribuir é bom Quando Distribuir? Se não precisar, não distribua. Problema de natureza descentralizada Rede de manufatura com atividades concorrentes de engenharia em locações remotas; Teleconferência; Automação industrial.

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Alexandre Meslin (meslin@nce.ufrj.br) Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos de informática, de software e de hardware. Introduzir os conceitos relativos à representação

Leia mais

Servidores. Um Servidor, em redes de computadores, nada mais é que um host da rede capaz de oferecer um determinado serviço a outros hosts da redes.

Servidores. Um Servidor, em redes de computadores, nada mais é que um host da rede capaz de oferecer um determinado serviço a outros hosts da redes. Roitier Campos Gonçalves Iporá, GO, 02 Maio de 2017 Introdução As redes de computadores são uma necessidade da humanidade para o seu desenvolvimento. Entretanto, esse desenvolvimento é relativo, tendo

Leia mais

Proposta Comercial CloudFlex

Proposta Comercial CloudFlex Transformando o mundo através da TI como Serviço Proposta Comercial CloudFlex www.centralserver.com.br Cloud Servers Hospedagem de Sites Email Corporativo 0800 701 1993 +55 11 4063 6549 AFICIONADOS POR

Leia mais

Renato M.E. Sabbatini Núcleo de Informática Biomédica UNICAMP Instituto Edumed

Renato M.E. Sabbatini Núcleo de Informática Biomédica UNICAMP Instituto Edumed Telemedicina, Internet e Interatividade Digital Renato M.E. Sabbatini Núcleo de Informática Biomédica UNICAMP Instituto Edumed Estatísticas da Internet Fev 2002 545 milhões de usuários (previsão de 1 bilhão

Leia mais

APRESENTAÇÃO COMERCIAL

APRESENTAÇÃO COMERCIAL APRESENTAÇÃO COMERCIAL www.mdftecnologia.com.br Informações comerciais: (11) 4134-1720 comercial@mdftecnologia.com.br Calçada das Violetas Nº 172 2º andar Barueri - SP SOBRE NÓS SOBRE NÓS A MDF Tecnologia

Leia mais

Arquitetura de Conectividade para Ambientes de Computação em Nuvem. Palestrante: Herlon Hernandes

Arquitetura de Conectividade para Ambientes de Computação em Nuvem. Palestrante: Herlon Hernandes Arquitetura de Conectividade para Ambientes de Computação em Nuvem Palestrante: Herlon Hernandes Sumário Evolução dos Ambientes Computacionais Estrutura Tradicional Tecnologias Virtualização Requisitos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital

CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS. Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital CENTRO UNIVERSITÁRIO METODISTA IZABELA HENDRIX CURSO: ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Projeto de Extensão: Escola Cidadã Alfabetização e Inclusão Digital Professor Titular: Professor Auxiliar: Profª. Daniela

Leia mais

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com

Governança de T.I. Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de T.I Professor: Ernesto Junior E-mail: egpjunior@gmail.com Governança de TI Tem o papel de criar estes controles de forma que a T.I trabalhe de uma maneira mais transparente possível perante

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS.

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO As Faculdades Integradas Rui Barbosa dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que interliga

Leia mais

FACULDADE MULTIVIX CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2º PERÍODO MARIANA DE OLIVEIRA BERGAMIN MONIQUE MATIELLO GOMES THANIELE ALMEIDA ALVES

FACULDADE MULTIVIX CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2º PERÍODO MARIANA DE OLIVEIRA BERGAMIN MONIQUE MATIELLO GOMES THANIELE ALMEIDA ALVES FACULDADE MULTIVIX CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO 2º PERÍODO MARIANA DE OLIVEIRA BERGAMIN MONIQUE MATIELLO GOMES THANIELE ALMEIDA ALVES COMPUTAÇÃO EM NUVEM CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 2015 MARIANA DE OLIVEIRA

Leia mais

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 1: Introdução à Arquitetura de Computadores

Processamento de Dados aplicado à Geociências. AULA 1: Introdução à Arquitetura de Computadores 1 Processamento de Dados aplicado à Geociências AULA 1: Introdução à Arquitetura de Computadores UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GEOPROCESSAMENTO

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Câmpus Presidente Epitácio SP Melissa Bonfim Alcantud

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo IFSP Câmpus Presidente Epitácio SP Melissa Bonfim Alcantud Melissa Bonfim Alcantud Projeto de Cabeamento Estruturado para Imobiliária Presidente Epitácio SP Setembro/2015 Sumário 1. Introdução... 1 2. Objetivo... 1 3. Definições... 1 4. Materiais utilizados...

Leia mais

Soluções de Relacionamento com o Cidadão Amilto Francisquevis

Soluções de Relacionamento com o Cidadão Amilto Francisquevis Soluções de Relacionamento com o Cidadão Amilto Francisquevis Assessoria de Mercado outubro de 2015 O ICI é uma organização com atuação em todo o território nacional, referência em pesquisa, integração,

Leia mais

INOVAtic Nordeste Feira de Negócios e Congresso de Tecnologias da Informação e Comunicação MARÇO 18

INOVAtic Nordeste Feira de Negócios e Congresso de Tecnologias da Informação e Comunicação MARÇO 18 INOVAtic Nordeste Feira de Negócios e Congresso de Tecnologias da Informação e Comunicação MARÇO 18 Tendências da indústria de telecom Consumidor brasileiro cada vez mais conectado e digital... Com IoT,

Leia mais

SEJA MAIS UM CONECTADO

SEJA MAIS UM CONECTADO SEJA MAIS UM CONECTADO QUEM SOMOS A RL CONNECT foi criada com objetivo de atender com qualidade e eficiência um público cada vez mais exigente, que procura uma conexão rápida e estável. Possuímos uma infraestrutura

Leia mais

CLOUD COMPUTING: O USO DA PLATAFORMA AWS E ARMAZENAMENTO NO AMAZON S3.

CLOUD COMPUTING: O USO DA PLATAFORMA AWS E ARMAZENAMENTO NO AMAZON S3. CLOUD COMPUTING: O USO DA PLATAFORMA AWS E ARMAZENAMENTO NO AMAZON S3. Michele Marques Costa 1,2, WillianFressati 2 ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil marquesmih04@gmail.com wyllianfressati@unipar.br

Leia mais

Servidor de Armazenamento em Nuvem

Servidor de Armazenamento em Nuvem Aula 10 Servidor de Armazenamento em Nuvem Prof. Roitier Campos Gonçalves Cloud Computing modelo tecnológico que habilita de forma simplificada o acesso on-demand a uma rede, a qual possui um pool de recursos

Leia mais

Sis i te t mas a O perac a i c o i nai a s um p ouco c d a a h is i tó t ria i. a... SO His i t s ó t r ó ic i o

Sis i te t mas a O perac a i c o i nai a s um p ouco c d a a h is i tó t ria i. a... SO His i t s ó t r ó ic i o Sistemas Operacionais um pouco da história... - Evolução dos SO s através do tempo - Novas técnicas não são assimiladas simultaneamente por todos - Década de 40, não existia SO - O programador é o faz

Leia mais

TAW Tópicos de Ambiente Web

TAW Tópicos de Ambiente Web TAW Tópicos de Ambiente Web Desenvolvimento da Internet e Programas de Uso rveras@unip.br Aula - 03 Agenda A informação Software ou Aplicações Intranet Novas Tendências 2 A informação A Informação 3 A

Leia mais

Soluções Completas para Gestão Empresarial. Apresentação 2017

Soluções Completas para Gestão Empresarial. Apresentação 2017 Soluções Completas para Gestão Empresarial Apresentação 2017 A Empresa Fundada em 1997 como provedora de soluções completas web, fomos pioneiros em desenvolvimento e oferta de sistemas (aplicações) em

Leia mais

REDE DE TELECENTROS DE INCLUSÃO DIGITAL

REDE DE TELECENTROS DE INCLUSÃO DIGITAL REDE DE TELECENTROS DE INCLUSÃO DIGITAL 50º. Painel Telebrasil Laercio Aniceto Silva Fundação CERTI Junho/ 2006 50º. Painel Telebrasil Junho/ 2006 Projeto Implantação de uma Rede de Telecentros para pesquisa

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTO ANDRÉ PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Ensino Superior Santo André dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Secretaria de Telecomunicações Departamento de Inclusão Digital

Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Secretaria de Telecomunicações Departamento de Inclusão Digital Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Secretaria de Telecomunicações Departamento de Inclusão Digital O Programa Cidades Inteligentes e o desenvolvimento regional cerca de 60% dos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Instituto Superior Politécnico de Ciências e Tecnologia Redes de Computadores Prof Pedro Vunge I Semestre de 2017 SUMÁRIO I - Introdução às Redes de Computadores 1.1 Considerações iniciais 1.2 O surgimento

Leia mais

v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM

v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM v 19 INTELIGÊNCIA TI TELECOM Índice v 19 Índice Gestão Plena IP FIXA MÓVEL Inúmeras funcionalidades para interligar pessoas, independente da tecnologia utilizada. Índice Gestão Plena Gestão dos Recursos

Leia mais

MÁQUINAS VIRTUAIS EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS. Luiz C. Vieira

MÁQUINAS VIRTUAIS EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS. Luiz C. Vieira EM SISTEMAS DISTRIBUÍDOS Luiz C. Vieira Origem na Virtualização de Mainframes IBM, 1960 Executar várias aplicações e processos ao mesmo tempo. Otimização de recursos M44/44X 7044 Máquinas virtuais Em 1980

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Instituto Superior Politécnico de Ciências e Tecnologia Redes de Computadores Prof Pedro Vunge I Semestre de 2017 SUMÁRIO I - Introdução às Redes de Computadores 1.4 Principais componentes de uma rede

Leia mais

ICI AMPLIA INCLUSÃO DIGITAL E PROMOVE AVANÇOS NA ROTINA DOS ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA COM APLICAÇÃO DE WI-FI NAS ESCOLAS

ICI AMPLIA INCLUSÃO DIGITAL E PROMOVE AVANÇOS NA ROTINA DOS ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA COM APLICAÇÃO DE WI-FI NAS ESCOLAS Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. ICI AMPLIA INCLUSÃO DIGITAL E PROMOVE AVANÇOS NA ROTINA DOS ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA COM APLICAÇÃO DE WI-FI NAS ESCOLAS Perfil O Instituto Curitiba

Leia mais

Plano de Aula: Apresentação da disciplina e Introdução ao Cabeamento de Redes de Computadores 1/2

Plano de Aula: Apresentação da disciplina e Introdução ao Cabeamento de Redes de Computadores 1/2 Plano de Aula: Apresentação da disciplina e Introdução ao Cabeamento de Redes de Computadores 1/2 CABEAMENTO - CCT0014 Título Apresentação da disciplina e Introdução ao Cabeamento de Redes de Computadores

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 1. INTRODUÇÃO A Faculdade Fleming dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que interliga em torno de 300

Leia mais

Internet rápida e segura com a menor possibilidade de queda

Internet rápida e segura com a menor possibilidade de queda Internet rápida e segura com a menor possibilidade de queda...e ainda mais: Soluções turn key para área de TI Equipamentos de qualidade Melhor custo benefício do mercado A NETSUN tecnologia e Serviços

Leia mais

Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades

Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades Desafios na oferta do acesso BL nas grandes e médias cidades Antonio Carlos Valente Desde 2011, as operadoras vem fazendo esforços para o crescimento da Banda Larga no Brasil Características do PNBL Jan/11

Leia mais

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO

Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Seminário Transição do IPv4 para o IPv6: Acesso, Privacidade e Coibição de Ilícitos BRASÍLIA, 07 DE DEZEMBRO DE 2015 ALEXANDER CASTRO Quem somos Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços

Leia mais

Introdução à Informática. Aula 05. Redes de Computadores. Prof. Fábio Nelson

Introdução à Informática. Aula 05. Redes de Computadores. Prof. Fábio Nelson Aula 05 Redes de Computadores Sistemas de Comunicação de Dados Sistemas computadorizados que transmitem dados por meio de linhas de comunicação, como, por exemplo, linhas telefônicas ou cabos. História:

Leia mais

Backup e Restauração Banco de Dados. Evandro Deliberal

Backup e Restauração Banco de Dados. Evandro Deliberal Backup e Restauração Banco de Dados Evandro Deliberal evandro@deljoe.com.br https://www.linkedin.com/in/evandrodeliberal Redes de armazenamento: Tecnologias e Virtualização Agenda I. DAS e Introdução a

Leia mais

Catálogo de Produtos e Serviços

Catálogo de Produtos e Serviços SIG Quadra 03 BL B Nº 99 Cep: 70610-430 Brasília DF (61) 3031-4104 9 966616208 Responsável área de atendimento: Adriana Weber Catálogo de Produtos e Serviços ÍNDICE A Orbitel... 1 Porque ser cliente Orbitel...

Leia mais

Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota

Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota Anexo 2.8 Especificações do Sistema de Monitoramentoda Frota ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 3 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 3 2.1 AQUISIÇÃO DE DADOS MONITORADOS DO VEÍCULO... 3 2.2 AQUISIÇÃO DE DADOS DE LOCALIZAÇÃO...

Leia mais

Serviços Integrados: Segmentos de mercado. Cobrança Pagamentos Folha de Pagamento Débito Automático Extrato Eletrônico

Serviços Integrados: Segmentos de mercado. Cobrança Pagamentos Folha de Pagamento Débito Automático Extrato Eletrônico Serviços Integrados: Pagamentos Folha de Pagamento Débito Automático Extrato Eletrônico Segmentos de mercado Desenvolvimento de produtos e serviços diferenciados de acordo com o modelo de negócios de cada

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação Sistemas de Informação Gestão de SI- seções 4.1: Gestão de Sistemas de Informação 4.2: Gestão eletrônica de documentos 1 Seção 4.1 GESTÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 2 Contexto Essa gestão ocorre em um modelo

Leia mais

WTL World Telecom Labs

WTL World Telecom Labs WTL World Telecom Labs Frequências Anatel A WTL A VoIPConsult é a representante da marca no Brasil Empresa Belga estabelecida em 1997 Baseada em Bruxelas Mundialmente reconhecida e premiada Presença massiva

Leia mais

Carlos José Maria Olguín Allysson Chagas Carapeços UNIOESTE/Colegiado de Informática Cascavel, PR

Carlos José Maria Olguín Allysson Chagas Carapeços UNIOESTE/Colegiado de Informática Cascavel, PR Treinamento em Software Livre como Ferramenta para a Inclusão Digital de Adolescentes: A Experiência da Guarda Mirim de Cascavel, PR Carlos José Maria Olguín Allysson Chagas Carapeços UNIOESTE/Colegiado

Leia mais

Conheça o Vivo Cloud. Soluções avançadas com as melhores tecnologias do mercado para aprimorar seus negócios. Sua empresa precisa de Cloud.

Conheça o Vivo Cloud. Soluções avançadas com as melhores tecnologias do mercado para aprimorar seus negócios. Sua empresa precisa de Cloud. Vivo Cloud Conheça o Vivo Cloud Soluções avançadas com as melhores tecnologias do mercado para aprimorar seus negócios. Sua empresa precisa de Cloud Recursos de computação, armazenamento, redes, segurança,

Leia mais

Alexandre Dal Forno Diretor de Produtos

Alexandre Dal Forno Diretor de Produtos Serviços Corporativos Convergentes Alexandre Dal Forno Diretor de Produtos 2 Sumário A Intelig Telecom Portfólio Completo 3 A Intelig Telecom A Rede Intelig Telecom Investimento de R$ 2,8 bilhões em infra-estrutura

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo As principais tendências que estão ocorrendo no campo das telecomunicações têm significativa influência sobre as decisões gerenciais nesta área. As tendências chaves abrangem: Tendências do setor. Aqui,

Leia mais

www.netdeep.com.br Você tem o controle da Internet na sua empresa? Gerencie melhor os seus usuários Filtro de conteúdo e Anti-Spam

www.netdeep.com.br Você tem o controle da Internet na sua empresa? Gerencie melhor os seus usuários Filtro de conteúdo e Anti-Spam www.netdeep.com.br Você tem o controle da Internet na sua empresa? Estudos revelam que o acesso em banda larga pode levar um usuário a desperdiçar até 20% de seu tempo produtivo acessando conteúdo para

Leia mais

A Virtualização do. do Trabalho. Airton Cezar de Menezes Associação Catarinense de Advogados Trabalhistas

A Virtualização do. do Trabalho. Airton Cezar de Menezes Associação Catarinense de Advogados Trabalhistas A Virtualização do Processo na Justiça do Trabalho Airton Cezar de Menezes Associação Catarinense de Advogados Trabalhistas 1 No intervalo de tempo que vai do nascimento à mortedeumúnicoindivíduodenossotempo,as

Leia mais

VII SENABOM TEMA: O REGISTRO ELETRÔNICO DE EVENTOS (RE) Apresentado por: Ten Cel BM Flávio Rocha - CBMERJ

VII SENABOM TEMA: O REGISTRO ELETRÔNICO DE EVENTOS (RE) Apresentado por: Ten Cel BM Flávio Rocha - CBMERJ VII SENABOM TEMA: O REGISTRO ELETRÔNICO DE EVENTOS (RE) Apresentado por: Ten Cel BM Flávio Rocha - CBMERJ 1 SUMÁRIO! O que é a Assessoria de Informática e sua missão.! O Registro Eletrônico de Eventos

Leia mais

Os computadores ditigais podem ser classificados em 5 grupos distintos:

Os computadores ditigais podem ser classificados em 5 grupos distintos: Informática A informática engloba toda atividade relacionada ao uso dos computadores, permitindo aprimorar e automatizar tarefas em qualquer área de atuação da sociedade. Informática é a "Ciência do tratamento

Leia mais

software as a service (saas) e service-oriented architecture (soa)

software as a service (saas) e service-oriented architecture (soa) software as a service (saas) e service-oriented architecture (soa) engenharia de sistemas de informação Daniel Cordeiro 18 de agosto de 2017 Escola de Artes, Ciências e Humanidades EACH USP o que eles

Leia mais

Computação em nuvem (Cloud Computing)

Computação em nuvem (Cloud Computing) Computação em nuvem (Cloud Computing) Disciplina: Gestão da Tecnologia de Sistemas Professor: Thiago Silva Prates Computação em nuvem O termo computação em nuvem refere-se a modelo de capacitação na qual

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO POLÍTICA DE SEGURANÇA DE INFORMAÇÃO Sumário INTRODUÇÃO... 3 OBJETIVOS... 3 SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO... 3 SISTEMAS E BACKUPS... 5 SEGREGAÇÃO DE ATIVIDADES... 5 VIGÊNCIA E ATUALIZAÇÃO... 6 POLÍTICA DE SEGURANÇA

Leia mais

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos

Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS. Marcelo Henrique dos Santos Aula 4 TECNOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS JOGOS MASSIVOS DISTRIBUÍDOS Marcelo Henrique dos Santos Marcelo Henrique dos Santos Email: Site: marcelosantos@outlook.com www.marcelohsantos.com.br TECNOLOGIA EM JOGOS

Leia mais

ORIGENS GRUPO CEMIG. A CEMIGTelecom ABRANGÊNCIA E INFRAESTRUTURA

ORIGENS GRUPO CEMIG. A CEMIGTelecom ABRANGÊNCIA E INFRAESTRUTURA ORIGENS GRUPO CEMIG A CEMIGTelecom Criada em 1999 como Empresa de Infovias, a CEMIGTelecom é uma operadora de telecomunicações pertencente ao Grupo CEMIG que oferece uma das maiores e melhores redes ópticas

Leia mais

Vídeo Par a Par. Pedro Silveira Pisa Redes de Computadores I Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte

Vídeo Par a Par. Pedro Silveira Pisa Redes de Computadores I Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte Vídeo Par a Par Pedro Silveira Pisa Redes de Computadores I 2008.1 Professor: Otto Carlos Muniz Bandeira Duarte 1 Introdução Internet Banda Larga Novos Conteúdos Disponíveis Multimídias Comunidades Virtuais

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIO Aunen

PLANO DE NEGÓCIO Aunen PLANO DE NEGÓCIO - pág.1/6 PLANO DE NEGÓCIO Aunen jader (jkannenbcamb@hotmail.com) Vitor Enio Dellagiustina dos Santos (vitorenio@gmail.com) Alan Filipe Mattiollo (alanmattiollo@gmail.com) Informações

Leia mais

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL

SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL AUDIÊNCIA SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL BRASÍLIA, 02 DE JUNHO DE 2017 EDUARDO LEVY A Federação Brasileira de Telecomunicações é composta por 10 sindicatos, representando

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS.

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO O Instituto de Educação Superior de Boituva dispõe atualmente de infraestrutura de Tecnologia da Informação com rede de computadores que

Leia mais

TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN

TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN TRABALHO DE GESTÃO DE INFORMAÇÃO VIRTUAL PRIVATE NETWORK VPN Equipe: Virtual Private Network Rede Privada Virtual ou Virtual Private Network, ou seja, é uma rede de comunicações privada(com o acesso restrito)

Leia mais

Arquitetura de sistemas distribuídos

Arquitetura de sistemas distribuídos Arquitetura de sistemas distribuídos 1. Evolução da computação 1.1 Computação centralizada mainframe 1.2 Microcomputadores e redes de computadores 1.3 Sistemas distribuidos 1 Visão geral Na década de 1950:

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Secretário de Educação da Bahia - Walter Pinheiro Junho/2017 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People Regulação Lei Geral de Telecomunicações (1997) Universalização

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Redes de Telecomunicações Prof. Robson Almeida INFRA-ESTRUTURA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 3 TELECOMUNICAÇÕES NAS ORGANIZAÇÕES CONCEITOS BÁSICOS Telecomunicações Reúne toda infraestrutura

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

Uso estratégico da. como ferramenta de gestão social

Uso estratégico da. como ferramenta de gestão social Uso estratégico da tecnologia digital como ferramenta de gestão social Olá! Eu sou a Micheli Jacobs Graduada em Engenharia Industrial com ênfase em desenvolvimento de Processos e Produtos. - Pós-graduada

Leia mais

CONCEITO DE INTERNET CLOUD COMPUTING WEB CONEXÃO MODEM PROVEDOR BACKBONE NÚMERO IP REDE WIRELESS ENDEREÇO MAC BROWSER HTML URL

CONCEITO DE INTERNET CLOUD COMPUTING WEB CONEXÃO MODEM PROVEDOR BACKBONE NÚMERO IP REDE WIRELESS ENDEREÇO MAC BROWSER HTML URL CONCEITO DE INTERNET CLOUD COMPUTING WEB CONEXÃO MODEM PROVEDOR BACKBONE NÚMERO IP REDE WIRELESS ENDEREÇO MAC BROWSER HTML URL DOMÍNIO DOMÍNIO DE NÍVEL MÁXIMO PROTOCOLOS CONJUNTO TCP/IP HTTP HTTPS TELNET

Leia mais

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS

JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS JOGOS EM PROCESSOS DE TREINAMENTOS AULA 17 1 Professora Ms Karen Reis 2012 JOGOS DIGITAIS Educação Corporativa e o uso de Jogos de e-learning no processo de aprendizagem FMU Faculdades Metropolitanas Unidas

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica

Sistema de Informação Geográfica Sistema de Informação Geográfica Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2016 Arquiteturas SIG 2 1 Tipos de Implementação 3 Tipos de Implementação Em geral, um

Leia mais

Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD

Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD Um pouco de história... Alguns fatos relevantes dos 35 anos da vida do CPqD 1976 1977 1979 1980 1981 1982 1984 1987 Criação do CPqD Concluído o primeiro protótipo do multiplexador digital para transmissão

Leia mais

Plano de Segurança da Informação. Política de Segurança

Plano de Segurança da Informação. Política de Segurança Plano de Segurança da Informação Inicialmente, deve se possuir a percepção de que a segurança da informação deve respeitar os seguintes critérios: autenticidade, não repúdio, privacidade e auditoria. Também

Leia mais

Professor: Gládston Duarte

Professor: Gládston Duarte Professor: Gládston Duarte INFRAESTRUTURA FÍSICA DE REDES DE COMPUTADORES Computador Instalação e configuração de Sistemas Operacionais Windows e Linux Arquiteturas físicas e lógicas de redes de computadores

Leia mais

Aula 05. Infraestrutura de TI: hardware e software Pearson. Todos os direitos reservados.

Aula 05. Infraestrutura de TI: hardware e software Pearson. Todos os direitos reservados. Aula 05 Infraestrutura de TI: hardware e software slide 1 Infraestrutura de TI: hardware e software 1. Quais os componentes da infraestrutura de TI? 2. Quais as principais tecnologias de hardware computacional,

Leia mais

SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING. Vitor Oliveira

SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING. Vitor Oliveira SENTIDOS E DESAFIOS DE OTT PARA PROFISSIONAIS: BROADCAST TRADICIONAL E BROADCAST STREAMING Vitor Oliveira 1 Agenda: 1. OTT SIGNIFICADOS 2. RISCO MORAL 3. DESAFIOS REGULATÓRIOS DO VoD 4. CONVERGÊNCIA E

Leia mais

Painel de Gerenciamento. APIs. Orquestração - Cloudstack. Hypervisors. Rede Servidores Storages

Painel de Gerenciamento. APIs. Orquestração - Cloudstack. Hypervisors. Rede Servidores Storages Empresa: Contato: Fones: E-mail: Objeto da Proposta: Cloud Painel Data: Proposta Nº: Cml-17- Consultor Onda: Nome:Carlo Simon Moro moro@ondacorp.com.br Fone: 41 33318200/41 984058206 1.SOBRE O ONDA Visite

Leia mais

Suporte de redes para EAD. Liane Margarida Rockrnbach Tarouco Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação UFRGS

Suporte de redes para EAD. Liane Margarida Rockrnbach Tarouco Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação UFRGS Suporte de redes para EAD Liane Margarida Rockrnbach Tarouco Centro Interdisciplinar de Novas Tecnologias na Educação UFRGS CNE discute nova avaliação para educação a distância A educação a distância (EaD)

Leia mais

O Setor de Telecomunicações

O Setor de Telecomunicações O Setor de Telecomunicações 2ª CODE Conferência do Desenvolvimento IPEA/2011 Brasília, 25 de novembro de 2011 Eduardo Levy 83 empresas representadas 17 empresas associadas Serviços de telefonia fixa Serviços

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos MVNO Correios Correios Celular Correios in Company - Novembro de 2016 Marca Forte Por que MVNO nos Correios? Aproveitamento da rede de atendimento presencial

Leia mais

Arquiteturas. capítulo

Arquiteturas. capítulo Arquiteturas capítulo 2 Modelos de arquitetura de sistemas distribuídos Clientes realizam pedidos a servidores Client invocation invocation Server result Server result Client Key: Process: Computer: Modelos

Leia mais

Londrina Cidade Digital

Londrina Cidade Digital Londrina Cidade Digital Edson Carlos da Silva Diretor de Tecnologia da Informação Município de Londrina Idade: 73 anos População: ~500.000 habitantes Área: 1.650,809 km 2 IDH: 0,824 (10 0 PR) PIB: R$ 6.217.351

Leia mais

III WTR PoP-BA RNP Salvador, set 2012 Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação

III WTR PoP-BA RNP Salvador, set 2012 Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação Cidades Digitais: Construindo um ecossistema de cooperação e inovação Américo T Bernardes Departamento de Infraestrutura para Inclusão Digital Secretaria de Inclusão Digital Ministério das Secretaria de

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. Profa. Flávia Cristina Bernardini

Banco de Dados. Introdução. Profa. Flávia Cristina Bernardini Banco de Dados Introdução Profa. Flávia Cristina Bernardini * Slides Baseados no material elaborado pelos professores Eduardo R. Hruschka, Cristina D. A. Ciferri e Elaine Parros Machado Motivação Operações

Leia mais

Solução para Gestão de Ambientes de TI.

Solução para Gestão de Ambientes de TI. Solução para Gestão de Ambientes de TI www.max3d.com.br Governança de Ativos e Infraestrutura de TI Governança de TI é uma parte integral da Governança Corporativa e é formada pela liderança, estruturas

Leia mais

Arquitetura de sistemas distribuídos

Arquitetura de sistemas distribuídos Arquitetura de sistemas distribuídos 1. Evolução da computação 1.1 Computação centralizada mainframe 1.2 Microcomputadores e redes de computadores 1.3 Sistemas distribuidos 1 Visão geral Na década de 1950:

Leia mais

Serviço de Telefonia VoIP da UNESP. O que é, Como vai funcionar,

Serviço de Telefonia VoIP da UNESP. O que é, Como vai funcionar, Serviço de Telefonia VoIP da UNESP O que é, Como vai funcionar, Tarifação, Quem vai pagar, etc,??!! Por: Lazaro Geraldo Calestini STI Unesp Campus de Rio Claro-SP. Fevereiro 2011 O que é Telefonia VoIP

Leia mais

ESTUDO DO REAPROVEITAMENTO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS COM VISTAS À SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO.

ESTUDO DO REAPROVEITAMENTO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS COM VISTAS À SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. ESTUDO DO REAPROVEITAMENTO DE DISPOSITIVOS COMPUTACIONAIS COM VISTAS À SUSTENTABILIDADE NA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Lucas Zorzi Marcelo Augusto Gonçalves Bardi Universidade São Francisco lucas.zorzi@hotmail.com

Leia mais

A tecnologia aplicada ao ensino: Inserindo computadores nas escolas

A tecnologia aplicada ao ensino: Inserindo computadores nas escolas 149 Saber Digital A tecnologia aplicada ao ensino: Inserindo computadores nas escolas Robson da Silva Oliveira Discente da Faeterj Paracambi rs.oliver89@gmail.com Wendell Carlos Motta Maciel da Silva Discente

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

Edvandro Carlos Reckziegel. Colégio de Gestores de TIC CGTIC/ANDIFES Universidade Federal do Acre - UFAC

Edvandro Carlos Reckziegel. Colégio de Gestores de TIC CGTIC/ANDIFES Universidade Federal do Acre - UFAC Edvandro Carlos Reckziegel Colégio de Gestores de TIC CGTIC/ANDIFES Universidade Federal do Acre - UFAC Sobre o CGTIC/ANDIFES O Colégio de Gestores de TIC CGTIC é formado pelos gestores de Tecnologia da

Leia mais

Apresentação Comercial WI-LAN. Gestão de TI

Apresentação Comercial WI-LAN. Gestão de TI Apresentação Comercial WI-LAN 1. QUEM SOMOS SOMOS ESPECIALISTAS EM TORNAR ESTÁVEL E SEGURA SUA INFRAESTRUTURA DE REDES, SERVIDORES E SISTEMAS WIRELESS: - Para que sua rede sempre esteja disponível aos

Leia mais

TABLETS COMO RECURSO DE ENSINO: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE MATEMÁTICA NUMA ESCOLA PÚBLICA DA PARAÍBA

TABLETS COMO RECURSO DE ENSINO: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE MATEMÁTICA NUMA ESCOLA PÚBLICA DA PARAÍBA TABLETS COMO RECURSO DE ENSINO: UM ESTUDO COM PROFESSORES DE MATEMÁTICA NUMA ESCOLA PÚBLICA DA PARAÍBA 1-Introdução LUCAS, Leandro Mário UEPB leandrosl.pb@gmail.com MOITA, Filomena Maria UEPB filomena_moita@hotmail.com

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MUZAMBINHO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD

INSTITUTO FEDERAL SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MUZAMBINHO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD INSTITUTO FEDERAL SUL DE MINAS GERAIS CAMPUS MUZAMBINHO CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CEAD COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA EMENTÁRIO DO CURSO 1. Acolhimento: Alfabetização Digital e Práticas

Leia mais

Requisitos de Infraestrutura. Omnilink (Omnidual e Omniturbo)

Requisitos de Infraestrutura. Omnilink (Omnidual e Omniturbo) Requisitos de Infraestrutura Omnilink (Omnidual e Omniturbo) 1 Conteúdo 1. Sumário de Revisões... 0 2. Objetivo... 1 3. Ambiente... 1 4. Tipos de Ambiente... 2 4.1. Ambientes Pequenos... 2 4.2. Ambientes

Leia mais

Prof.ª Maria Alzira e Prof.ª Rita 08/2011. Como realizar pesquisa em Periódicos (Journals)

Prof.ª Maria Alzira e Prof.ª Rita 08/2011. Como realizar pesquisa em Periódicos (Journals) Como realizar pesquisa em Periódicos (Journals) O que é um periódico? É um tipo de publicação seriada que se apresenta sob forma de revista, jornais, etc. editadas em fascículos com designação numérica

Leia mais

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 1 Secção II ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 2 Alternativas para redes de telecomunicações Alternativa de rede Redes Suportes Processadores Software Canais Topologia/arquitectura Exemplos

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS

SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMAS OPERACIONAIS Introdução a Sistemas Operacionais Andreza Leite andreza.leite@univasf.edu.br Plano de Aula Introdução aos Sistemas Operacionais Fundamentação Teórica Evolução Histórica Características

Leia mais