UM DIA TODO SEU! Encontro Anual DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UM DIA TODO SEU! Encontro Anual DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS"

Transcrição

1 UM DIA TODO SEU! Encontro Anual DOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS 2015

2 AGENDA 07h 08h 08h 15 09h 15 09h 40 10h 10 10h 40 11h 00 12h 00 12h 30 Reencontro (Café da manhã) Abertura/ Boas Vindas Fabiano De Luca Economista (Bradesco) Resultados Prevcummins Ronaldo Florido Prevcummins Angelica Araujo Intervalo Ações de Comunicação Delany Rocha Educação Financeira - Investimentos Ronaldo Florido Cenário Geral Cummins Luis Pasquotto Encerramento do Evento Ronaldo Florido COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

3 ABERTURA Fabiano De Luca

4 ECONOMISTA Bradesco

5 RESULTADOS PREVCUMMINS 2015 Ronaldo Florido

6 ALOCAÇÃO DOS ATIVOS POR GESTOR

7 ALOCAÇÃO DOS ATIVOS POR SEGMENTO

8 ALOCAÇÃO FINANCEIRA RENDA FIX

9 ALOCAÇÃO FINANCEIRA RENDA VARIÁVEL ALOCAÇÃO FINANCEIRA (% DO SEGMENTO)

10 ALOCAÇÃO FINANCEIRA RENDA VARIÁVEL

11 RENTABILIDADE ACUMULADA NOV 2015

12 PREVCUMMINS COMPARATIVO ÍNDICES ,41 10,81 9,1885 7,02 6,4 6,22-0,81

13 PREVCUMMINS COMPARATIVO ÍNDICES

14 PREVCUMMINS RENTABILIDADE FUNDOS GERENCIADO PELA LUZ ENGENHARIA

15 PREVCUMMINS COMPARATIVO FUNDOS LUZ

16 PREVCUMMINS COMPARATIVO ÍNDICES FUNDO ABERTO SETEMBRO 2015 Prevcummins RV (0%-30%) 7,99% 9,41% 4,20% 6,69% 7,69% Valor Econômico: 29/10/15

17 PREVCUMMINS COMPARATIVO ÍNDICES FUNDO ABERTO OUTUBRO 2015 Prevcummins 8,83% (5 Posição) Mediana = 7,53% 1 Quartil (25%) -0,23 a 6,91 2 Quartil (50%) 6,91 a 7,53 3 Quartil (75%) 7,53 a 8,34 Fonte: 50 melhores fundos previdenciários

18 COMPARATIVO INVESTIMENTOS POUPANÇA Diferença da rentabilidade mensal entre uma aplicação fictícia (95% do CDI e 17,5% de I.R.) e a caderneta de poupança.

19 IMPLANTAÇÃO DE PERFIL STATUS Desenho dos Perfis de Investimentos - Concluído; Definição dos Modelos, Elegibilidade e Peridicidade para Mudança; Definição da Alocação e Estratégia de Investimentos - Concluído; Caracteristicas dos participantes, Definição das carteiras, Análise da estrutura e operacionalização dos Perfis; Contrução de Portifólio - Concluído. Definição de benchmarks e metas, Elaboração do orçamento, Limites de alocação, parametron de liquidez minima para a carteira, Tipo e Estilo de gestão apropiados; Elaboração na Política de Investimentos - Concluído; Seleção de Gestores e Custodiante Centralizador - Em Andamento; Educação Financeira Treinamento aos Participantes - Em Andamento; Novo sistema para gerenciar o Patrimônio (Perfil) - Em Andamento; Alteração do Regulamento do Plano Junto a Previc - Última Etapa.

20 FALTA DE GOVERNANÇA NA GESTÃO DO FUNDO

21 INFORMAÇÕES PREVCUMMINS Angélica Araújo

22 PLANEJE DESDE JÁ A MANUTENÇÃO DO SEU FUTURO... Manutenção Isso é real!

23 PLANO BD BENEFÍCIO DEFINIDO APOSENTADOS E PENSIONISTAS RENDA VITALÍCIA REAJUSTE DOS BENEFÍCIOS = pela variação do INPC-IBGE. = apurado entre novembro (ano anterior) à outubro (ano atual) = aplicação anual, no mês de novembro.

24 PLANO BD BENEFÍCIO DEFINIDO APOSENTADOS E PENSIONISTAS RENDA VITALÍCIA Reajuste 2015 = 10,33% Reajuste 2014 = 6,34% Reajuste 2013 = 5,58% Reajuste 2012 = 6,00% Reajuste 2011 = 6,66%

25 PLANO BD BENEFÍCIO DEFINIDO ORIGEM DO SUPERÁVIT POSIÇÃO EM 31/12/2015 Reservas dos Aposentados e Pensionistas R$ ,12 85% Reserva de Contingência R$ ,61 15% Total Benefícios Concedidos R$ ,73 100% RESOLUÇÃO CNPC Nº 22 DE 25 DE NOVEMBRO DE 2015 Art. 7º O resultado superavitário do plano de benefícios será destinado à constituição de reserva de contingência para garantia dos benefícios contratados, em face de eventos futuros e incertos, até o limite de 25% (vinte e cinco por cento) do valor das provisões matemáticas...

26 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA ORIGEM DO SUPERÁVIT POSIÇÃO EM 31/12/2015 Aposentadoria Normal e Antecipada Aposentadoria por Invalidez Pensionistas REAJUSTE DO BENEFÍCIO = pela variação da Cota. = apurada mensalmente. = aplicação da variação (rentabilidade) no mês seguinte.

27 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA PRESERVAÇÃO DO CAPITAL DEPENDERÁ DO QUANTO VOCÊ RETIRA DE PERCENTUAL MENSAL FILOSOFIA PRUDENTE PENSAR NO FUTURO

28 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA MÉDIA MENSAL DE RENTABILIDADE DA COTA RENTABILIDADE MÉDIAS/MÊS ,79% ,76% ,40% ,75% ,64% Referência de percentuais para decisão de retirada do Benefício mensal

29 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA RENTABILIDADES ANUAIS DA COTA Reajuste 2015 = 9,92% Reajuste 2014 = 9,54% Reajuste 2013 = 4,87% Reajuste 2012 = 9,36% Reajuste 2011 = 7,94%

30 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA ALTERAR O PERCENTUAL DE RETIRADA Março, Junho, Setembro, Dezembro A alteração será considerada nos meses subsequentes, ou seja, Abril, Julho, Outubro, Janeiro. REVEJA SEU ORÇAMENTO PENSANDO NO FUTURO!

31 PLANO CD CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA INDIQUE SEUS BENEFICIÁRIOS E MANTENHA A LISTA ATUALIZADA PREFERENCIAIS: Quaisquer pessoas físicas. DESIGNADOS: Quaisquer pessoas físicas ou pessoas jurídicas de caráter filantrópico. PENSE NO FUTURO!

32 FOLHA DE PAGAMENTO TODOS OS ASSISTIDOS E PENSIONISTAS 18/12/2015

33 FUNDO PREVIDENCIAL ORIGEM DO FUNDO DE SOBRAS DOS DESLIGADO TABELA DE SENIORIDADE Os valores do fundo previdencial serão utilizados pelas patrocinadoras, para compensação da contribuição normal, correspondente a 80% da contribuição básica do participante.

34 PROCESSO JUDICIAL AÇÃO DE REPETIÇÃO DE INDÉBITO PROCESSO Nº Este processo foi ajuizado em 2006 sendo que perdemos em primeira instância. Desde 2011 encontra-se no TRF aguardando julgamento da apelação.

35 QUADRO ADMINISTRATIVO Conselho Deliberativo MANDATO: 01/01/2016 ATÉ 18/12/2016 Titulares Ronaldo A. Florido Fabiano de Luca Mauricio Rossi Adriana Barbosa Marcelo Pereira Rafael Cecília Suplentes Titulares Suplentes Conselho Fiscal Roseli G. F. Corso Claudia Amatruda Fábio Akio Katia Silva Mirian M. Kina Edson R. Pavani Junior Diretoria Executiva Diretores Silvana R. Oliveira Angélica Alves de Araújo Delany K. S. C. Rocha Laura Resende Responsabilidades Superintendente Admininistrativa-Contábil - AETQ Comunicação Benefícios

36 QUADRO ADMINISTRATIVO Comitê de Investimentos Criado em 2003 Angélica Alves de Araújo Carlos Santos Fabiano De Luca Marcelo Pereira Rafael Brito Ronaldo de Andrade Florido Silvana R. Oliveira Willy Der Zweite Schwarzwalder AETQ

37 ELEIÇÕES EM 2016 ESTATUTO DA PREVCUMMINS Art. 11 São requisitos para o exercício de mandato de membro dos Conselhos Deliberativo e Fiscal: I II ter comprovada experiência no exercício de atividades nas áreas financeira, administrativa contábil, jurídica, de fiscalização ou de auditoria; não ter sofrido condenação criminal transitada em julgado; III não ter sofrido penalidade administrativa por infração à legislação da seguridade social ou como servidor público; IV ter, no mínimo, 1 (um) ano de vinculação ao plano administrado pela entidade; V atender a outros requisitos que venham a ser previstos na legislação aplicável. OBSERVAÇÃO: Certificação de Dirigente de Fundos de Pensão, conforme legislação vigente.

38 REFLEXÕES PENSE NO FUTURO! Se você continuar fazendo a mesma coisa do mesmo jeito, o resultado será o mesmo! A desinformação mata mais que doenças!

39 REFLEXÕES O INCENTIVO É NOSSO, A ESCOLHA É SUA!

40 INTERVALO 30 minutos

41 COMUNICAÇÃO Delany Rocha

42 NOVA COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS EM 2015 Em 2015 a nova identidade visual tem como objetivo desenvolver peças de comunicação, de forma objetiva e simples, trabalhando com os três pilares de abordagem do Programa de Educação Financeira e Previdenciária: informar, instruir e orientar. Para isso, optamos pelo conteúdo de fácil compreensão, com estrutura de linguagem e recursos visuais que despertem interesse à leitura e facilitem o aprendizado. Veja nos slides a seguir algumas das ações realizadas. COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

43 CRIAÇÃO DO LOGO DO PROGRAMA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

44 RELATÓRIO ANUAL 2014 COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

45 SITE FACEBOOK PREVCUMMINS COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

46 SITE NOTÍCIAS PREVCUMMINS Publicações semanais de notícias de Educação Financeira - Previdenciária e Qualidade de Vida COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

47 SITE NOTÍCIAS PREVCUMMINS Informações Prevcummins

48 BANNERS HOME PREVCUMMINS.COM.BR COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

49 S MARKETING COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

50 FOLDER FLYER EDUCAÇÃO FINANCEIRA DÍVIDAS E CRÉDITOS COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

51 APRESENTAÇÕES PROGRAMA EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

52 BANNERS COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

53 FASCÍCULOS EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

54 BOLETIM PREVCUMMINS NOTÍCIAS COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

55 Acesse hoje mesmo! Site: Facebook: Prevcummins Sociedade de Previdência Privada

56 EDUCAÇÃO FINANCEIRA Ronaldo Florido COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

57 Programa de Educação Financeira INVESTIMENTOS 08/2015

58 AGENDA Conceitos Opções de investimentos/tributação Renda fixa Renda Variável Investimentos alternativos

59 RISCO Risco: Possibilidade do resultado afastar-se do valor esperado (Expectativa). Geralmente adota-se desvio padrão. RETORNO Ganho (ou perda) sobre o capital investido.

60 TIPO DE RISCOS Risco de variação de taxa de juros; Risco de crédito; Risco de mercado; Risco operacional; Risco de câmbio; Risco soberano; Risco de liquidez; Risco legal.

61 COMO MINIMIZAR RISCOS Diversificável e não diversificável (Markowitz, Harry) O risco de um ativo em um portfólio é menor que seu risco isoladamente.

62 A RELAÇÃO ENTRE ELES Quanto maior o risco, maiores são as exigências dos investidores, e expectativa de maiores retornos. Prêmio pelo risco 60% 50% FRONTEIRA EFICIENTE 100% em Ações 40% 30% 20% 10% xx% em RF e xx% em Ações 100% em Renda Fixa 0% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% RISCO

63 FUNDO GARANTIDOR DE CRÉDITO Risco de variação de taxa de juros; Entidade privada, sem fins lucrativos, que administra o mecanismo de proteção aos depositantes e investidores; Contribuição mensal 0,0125%; 56% dos créditos existentes no sistema. R$ Instituições associadas 01/2015 Bacen

64 INSTITUIÇÕES ASSOCIADAS

65 RISCO AVALIAÇÃO DO PERFIL INVESTIDOR Renda atual e expectativa de renda futura Dados demográficos/expectativa de vida Expectativa do uso dos recursos PERFIL CARACTERÍSTICA Agressivo Maiores retornos Moderado Intermediário Conservador Troca maiores retornos (segurança)

66 LIQUIDEZ Capacidade de transformar um ativo em dinheiro à vista. Expectativa da utilização dos recursos.

67 EQUILÍBRIO LIQUIDEZ RISCO RENTABILIDADE = Ponto de Equilíbrio

68 RENDA FIXA Renda Fixa: Remuneração pode ser mencionada no momento da aplicação, possui vencimento.

69 RENDA FIXA Renda Fixa: Remuneração pré ou pós-fixada PRÉ 14,25%. a.a PÓS??%.a.a INFLAÇÃO 5%

70 OPERAÇÃO INTERBANCÁRIA CDI-Certificado de depósito Interbancário J>11,13%a.a J=11,13%a.a Eike Batista Banco A Banco B Empréstimo Empréstimo Taxa????

71 JAN 2011 FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN 2012 FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN 2013 FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ JAN 2013 FEV MAR ABR MAI JUN JUL SELIC Evolução da Taxa SELIC e de Juros Reais (%) SELIC Juros Reais Hoje 14,25% (08/2015)

72 CP LCI -LCA Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos Definição Como investir Investimento mínimo Remuneração Tempo para resgate FGC

73 CADERNETA DE POUPANÇA CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é : Modalidade de investimento mais popular do país, com liquidez diária. Como investir: Através dos bancos ou via internet. Investimento mínimo: Sem valor mínimo, isento de IR. Remuneração: 0,5% ao mês. Tempo para resgate: Pode ser resgatado diariamente. FGC

74 VOLTANDO À FÓRMULA Uma aplicação de R$1.000 a juros de 0,5% a.m. em novembro de 2013, resgate em outubro de 2014 VF VF (1 ) VP * i n *(1 0,005) 12 VF 1.061,68

75 LETRAS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Título emitido por instituições financeiras que atuam com crédito imobiliário. Complementar a poupança Como investir: Agências ou sites dos bancos. CEF Investimento mínimo: R$30.000, Isento de IR. Remuneração: Pós-fixada %CDI. Tempo para resgate: Mínimo 3 meses, máximo coincidente com o tempo concedido do crédito. Fonte: Bacen FGC

76 LETRAS DE CRÉDITO AGRONEGÓCIO CP LCA Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Título emitido por instituições financeiras que atuam com crédito no mercado de agronegócio. Como investir: Agências ou sites dos bancos. CEF, Corretoras e BBSA Investimento mínimo: R$50.000, Isento de IR e IOF Remuneração: Pós-fixada %CDI. Tempo para resgate: Minimo verificar na data do investimento, máximo coincidente com o tempo concedido do crédito. Fonte: Bacen FGC

77 IMÓVEIS CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Compra de imóveis para revenda ou aluguel. Como investir: Imobiliárias e corretores Investimento mínimo: Varia de acordo com o imóvel Remuneração: Varia de acordo com o imóvel, possui baixa liquidez e altos custos de transação. Tempo para resgate: N.A. FGC

78 CERTIFICADO DE DEPÓSITO BANCÁRIO CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Certificado de depósito bancário. Captação dos bancos para financiamento de capital de giro. Como investir: Através de agências bancárias ou via internet. Investimento mínimo: R$100 Remuneração: Pré e Pós. Mais comum é o pós % CDI Tempo para resgate: Alguns possuem liquidez diária. Fonte: FGC

79 LETRA DO TESOURO NACIONAL CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Título emitido pelo tesouro direto para cobrir déficit orçamentário Como investir: ou uma corretora. Investimento mínimo: Múltiplos de R$1.000, fracionado 0,2 Remuneração: Título pré, dada pela diferença entre o preço de compra e seu valor nominal R$1.000 no vcto. Tempo para resgate: Liquidez diária de acordo com mercado (Marcação a mercado) valor negociado no Fonte:

80 VOLTANDO À FÓRMULA CP LCI Imóv. CDB VF (1 ) VP * i n VP VF ( 1 i) n LTN LFT Uma letra do tesouro foi emitida hoje , com vencimento para (252 dias úteis) a uma taxa de 9%a.a. Qual o valor da aplicação? NTN Deb. Ações VP (1 0,09) 1 VP R$917,43 Deriv. Fundos

81 EVOLUÇÃO DE PREÇO DA LTN CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos Um aumento na SELIC pode ocasionar uma queda no rendimento, ou perda do principal, se o resgate for feito antes do vencimento.

82 LETRA FINANCEIRA DO TEROUSO CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. O que é: Título emitido pelo tesouro direto para cobrir déficit orçamentário Como investir: ou uma corretora. Investimento mínimo: Múltiplos de R$1.000, fracionado 0,2 Remuneração: Pós-fixado pela SELIC. Ações Deriv. Fundos Tempo para resgate: Liquidez diária de acordo com (Marcação a mercado) valor negociado no mercado Fonte:

83 NOTA DO TESOURO NACIONAL CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Título emitido pelo tesouro direto para cobrir déficit orçamentário Como investir: ou uma corretora. Investimento mínimo: Múltiplos de R$1.000, fracionado 0,2 Remuneração: Pré e pós-fixados aos índices de inflação. Tempo para resgate: Liquidez diária de acordo com valor negociado no mercado (Marcação a mercado) Fonte:

84 REMUNERAÇÃO NTN CP LCI Imóv. CDB Cupom de Juros Semestrais Valor de face Prazo LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos Preço Unitário (PU) Valor de face R$ na emissão, sendo corrigido a seguir pelo indexador

85 RENTABILIDADE 2015 CP Rentabilidade do Tesouro Direto Posição em 27/08/2015 LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações LTN LFT NTN Deriv. Fundos

86 DEBÊNTURES CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Título emitido por entidade privada para captação de recursos Como investir: Através de corretoras. (Bancos com cadastro na corretora) Investimento mínimo: Geralmente aplicações mínimas de R$1.000, podem ultrapassar R$ Remuneração: Pré e pós-fixados aos índices de inflação ou CDI. Tempo para resgate: A qualquer momento, sendo seu preço estabelecido no mercado. Fonte:

87 TRIBUTAÇÃO RENDA FIXA

88 IOF EM APLICAÇÕES EM RENDA FIX Resgate em prazos menores do que 30 dias, para evitar operações de curtíssimo-prazo Alíquotas regressivas incidente sobre o rendimento da aplicação. É calculado: No resgate em caso de permanência por prazo menor do que 30 dias e antes do cálculo do IR.

89 ALÍQUOTA DO IMPOSTO DE RENDA SOBRE APLICAÇÕES DE RENDA FIXA Prazo até 180 dias: 22,5%; Prazo de 181 até 360 dias: 20,0%; Prazo de 361 até 720 dias: 17,5%; Prazo acima de 720 dias: 15,0%. IR pago na fonte Fato gerador: Resgate, venda. Pagamento de rendimentos periódicos. Base de cálculo: rendimento da operação

90 RENDA VARIÁVEL Renda Variável: Remuneração não pode ser dimensionada no momento da aplicação, variam de acordo com expectativas de mercado.

91 AÇÕES CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Representa a menor fração do capital social de uma empresa. O detentor dessas ações terá participação na empresa, correspondente a (Fração que detiver). Como investir: Através de corretoras (Home Broker). Investimento mínimo: N.A. Remuneração: Dada à mercado, depende das oscilações do mercado (Oferta e demanda). JSCP ( Juros sobre o capital próprio) e dividendos. Tempo para resgate: N.A.

92 EMISSÃO CP LCI EMISSOR Imóv. CDB LTN Mercado Primário Capta recursos Emite e vende ações Oferta pública LFT Investidores NTN Deb. Mercado Secundário Bolsa ou Balcão Recebem dinheiro Vendem ações Ações Deriv. Investidores Fundos

93 CMI (19/08) Jan-15

94 APPLE: PREÇO MENSAL AJUSTADO CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos Fato gerador: Obtenção de ganho de capital no mês.

95 APPLE: RETORNO MENSAL CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos

96 IR EM OPERAÇÕES DAY-TRADE CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações IMPOSTO DE RENDA MENSAL Fato gerador: Obtenção de ganho de capital no mês. Base de cálculo: Ganho de capital apurado, podendo-se compensar as perdas sofridas no passado e as despesas efetuadas na realização das operações. Alíquota: 20% sobre a base de cálculo no imposto mensal. Responsável pelo recolhimento: Investidor. Isenção: Pessoas físicas que venderam no mês ações no mercado à vista até o valor de R$ ,00. Prazo de recolhimento: IR apurado ao fim do mês e pago até o fim do mês seguinte. OBS: O imposto retido na fonte pode ser deduzido do IR mensal. Deriv. Fundos

97 IR EM OPERAÇÕES NO-DAY-TRADE CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações IMPOSTO DE RENDA MENSAL Fato gerador: Obtenção de ganho de capital no mês. Base de cálculo: Ganho de capital apurado, podendo-se compensar as perdas sofridas no passado e as despesas efetuadas na realização das operações. Alíquota: 15% sobre a base de cálculo no imposto mensal. Responsável pelo recolhimento: Investidor. Isenção: Pessoas físicas que venderam no mês ações no mercado à vista até o valor de R$ ,00. Prazo de recolhimento: IR apurado ao fim do mês e pago até o fim do mês seguinte. OBS: O imposto retido na fonte pode ser deduzido do IR mensal. Deriv. Fundos

98 DERIVATIVOS CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: são contratos que derivam a maior parte de seu valor de um ativo subjacente, taxa de referência ou índice. O ativo subjacente pode ser físico (café, ouro, etc.) ou financeiro (ações, taxas de juros, etc.), negociado no mercado à vista ou não. Os derivativos podem ser classificados em contratos a termo, contratos futuros, opções de compra e venda, operações de swaps, entre outros, cada qual com suas características. Como investir: Corretoras e Bancos Investimento mínimo: None (por serem operações estruturadas sempre será avaliado os valores aplicado) Remuneração: Variável Tempo para resgate: Duração do contrato

99 FUNDOS DE INVESTIMENTO CP LCI Imóv. CDB LTN LFT NTN Deb. Ações Deriv. Fundos O que é: Grupo de pessoas físicas ou jurídicas com mesmo objetivo de investimento, direitos e deveres. Como investir: Bancos Privado e Públicos Investimento mínimo: Varia de acordo com o fundo. Remuneração: De acordo com a política de investimento. Tempo para resgate: Varia de acordo com o fundo (Min. 1 dia)

100 CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS RENDA FIXA CAMBIAL AÇÕES Fator de risco: no mínimo, 80% da carteira exposta à variação dos juros domésticos ou a um índice de preços, ou ambos. Não há restrição ao uso de derivativos. Fator de risco: no mínimo 80% da carteira em ativos relacionados diretamente à variação da taxa de câmbio ou do cupom cambial. Não há restrição ao uso de derivativos. Fator de risco: no mínimo 67% do PL em: ações negociadas em bolsa ou mercado de balcão organizado, bônus ou recibos de subscrição, certificados de depósito de ações, BDR nível II ou III, cotas de fundos de ações ou fundos índice de ações. Não há restrição ao uso de derivativos. DÍVIDA EXTERNA MULTIMERCADO Fator de risco: no mínimo 80% de seu patrimônio em títulos da dívida externa da União. Derivativos para proteção da carteira (hedge) Políticas de investimento com vários fatores de risco, sem concentração em nenhum em especial. Ex. DI, moeda estrangeira, inflação, prefixado, dívida externa e ações. Não há restrição ao uso de derivativos.

101 TAXAS DE ADMINISTRAÇÃO FIXA INGRESSO SAÍDA PERFORMANCE É apurada diariamente sobre o patrimônio do fundo. É cobrada quando o investidor aplica no fundo. É utilizada por alguns fundos para penalizar o resgate antes de determinado prazo, para evitar problemas de liquidez dos ativos. É calculada sobre o rendimento obtido acima de determinado parâmetro em um período previamente definido.

102 Cenário Geral CUMMINS Luis Pasquotto

103 COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS Em 2016 estaremos trabalhando constantemente para trazer muitas novidades. Boas Festas e Feliz 2016! ENTRE EM CONTATO (11) / 4926 / COMUNICAÇÃO PREVCUMMINS 2015

PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR

PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR PRINCIPAIS PRODUTOS E PERFIL DO INVESTIDOR CARACTERÍSTICAS DOS PRODUTOS DE RENDA FIXA OS PRINCIPAIS PRODUTOS DE RENDA FIXA PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR Quais são as diferenças básicas entre Renda Fixa

Leia mais

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem:

Entretanto, este benefício se restringe a um teto de 12% da renda total tributável. O plano VGBL é vantajoso em relação ao PGBL para quem: 2 1 3 4 2 PGBL ou VGBL? O plano PGBL, dentre outras, tem a vantagem do benefício fiscal, que é dado a quem tem renda tributável, contribui para INSS (ou regime próprio ou já aposentado) e declara no modelo

Leia mais

Produtos e Serviços Financeiros

Produtos e Serviços Financeiros 1 APRESENTAÇÃO DE APOIO Produtos e Serviços Financeiros 3º Encontro Pós-Graduação em Finanças, Investimentos e Banking 2 por Leandro Rassier Complementação + Aplicações práticas METODOLOGIA PARA COMPREENSÃO

Leia mais

Relatório. Anual. Resumo 2015

Relatório. Anual. Resumo 2015 Relatório Anual Resumo 2015 2 Mensagem da Diretoria O ano de 2015 foi marcado por um cenário volátil e conturbado com inflação alta, PIB negativo, escândalos políticos, rebaixamento de grau de investimento

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Outubro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem ser

Leia mais

Renda Fixa. Escrito por Sandra Blanco, CFP, Consultora de Investimentos da Órama, mais de 20 anos de mercado e autora de diversos livros.

Renda Fixa. Escrito por Sandra Blanco, CFP, Consultora de Investimentos da Órama, mais de 20 anos de mercado e autora de diversos livros. Renda Fixa Escrito por Sandra Blanco, CFP, Consultora de Investimentos da Órama, mais de 20 anos de mercado e autora de diversos livros. ÍNDICE investimentos em renda fixa... 4 CARACTERÍSTICAS da Renda

Leia mais

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004

Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 Safra Títulos Públicos DI - Fundo de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Demonstração da composição e diversificação

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIOS Esta cartilha traz informações e dicas, de forma simples e clara, para que você conheça as vantagens que o seu plano de previdência oferece. Leia com atenção e comece a

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL RESUMO

RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2016 RELATÓRIO ANUAL RESUMO 2 MENSAGEM DA DIRETORIA Há quem diga que 2016 ficará para a história. De fato, foi um ano marcado por reviravoltas nos âmbitos político e econômico no cenário nacional e internacional.

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - MODERADA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 31/10/2013 (melhor data) Data Referência: 11/11/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - CONSERVADORA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 30/08/2013 (melhor data) Data Referência: 29/09/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE

Leia mais

BEM-VINDOS NOÇÕES DE INVESTIMENTOS - TESOURO DIRETO

BEM-VINDOS NOÇÕES DE INVESTIMENTOS - TESOURO DIRETO BEM-VINDOS Palestra NOÇÕES DE INVESTIMENTOS - TESOURO DIRETO Realização 3ª CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO SEDEP - SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL/PGR Semana ENEF ENEF - Estratégia

Leia mais

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/2017. Resultado - =

PREVI Futuro. Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/2017. Resultado - = Resultado PREVI Futuro Conheça o desempenho de Janeiro a Julho/ - = Balanço Patrimonial Ativo Onde estão aplicados todos os recursos do PREVI Futuro Passivo Renda Variável Investimentos em ações 29,39%

Leia mais

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de

Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de Safra Multicarteira Agressivo - Fundo de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 30 de junho de 2004 e de 2003 e parecer de auditores independentes Parecer

Leia mais

Restrições de Investimento: -.

Restrições de Investimento: -. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O TOKYO-MITSUBISHI UFJ LEADER FI REF DI 00.875.318/0001-16 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TOKYO-MITSUBISHI

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O L2 EXCLUSIVE FUNDO DE INVESTIMENTOS MULTIMERCADO CNPJ: 13.659.375/0001-00 Informações referentes a Novembro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

No Brasil. No Mundo. BB DTVM: Líder do Mercado. O Brasil subiu para 6º lugar no ranking mundial. Fonte: ANBIMA- Agosto/10 e ICI - Mar/10 EUA 48,69%

No Brasil. No Mundo. BB DTVM: Líder do Mercado. O Brasil subiu para 6º lugar no ranking mundial. Fonte: ANBIMA- Agosto/10 e ICI - Mar/10 EUA 48,69% Ranking Mundial de Fundos No Mundo O Brasil subiu para 6º lugar no ranking mundial. No Brasil BB DTVM: Líder do Mercado EUA 48,69% BB DTVM 21,43% Luxemburgo 10,09% ITAÚ-UNIBANCO 17,11% França 7,51% BRADESCO

Leia mais

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%)

SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR PERÍODO (%) Carteira: CARTEIRA MODELO - AGRESSIVA Patrimônio: R$300.000,00 Índice de comparação: Extrato Carteira CDI Data Início: 30/08/2013 (melhor data) Data Referência: 28/09/2016 SIMULAÇÃO DE RENTABILIDADE POR

Leia mais

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS

TESOURO DIRETO TÍTULOS PÚBLICOS TÍTULOS PÚBLICOS TESOURO DIRETO ESTA INSTITUIÇÃO É ADERENTE AO CÓDIGO ANBIMA DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS PARA ATIVIDADE DE DISTRIBUIÇÃO DE PRODUTOS DE INVESTIMENTO NO VAREJO. O Tesouro Nacional utiliza

Leia mais

Rio de Janeiro, novembro de 2010. Renato Andrade

Rio de Janeiro, novembro de 2010. Renato Andrade Tesouro Direto Rio de Janeiro, novembro de 2010 Renato Andrade Visão Geral Vantagens Comprando Tributação e Vendendo Títulos Comprando e Vendendo Títulos Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL FATOR IFIX FII

RELATÓRIO MENSAL FATOR IFIX FII FATOR IFIX FII Dezembro de 2016 FATOR IFIX FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PERFIL DO FUNDO O Fator IFIX Fundo de Investimento Imobiliário FII tem como objetivo o investir preponderantemente, em cotas

Leia mais

como realizar inteligentes investimentos em ações?

como realizar inteligentes investimentos em ações? Apresentação Institucional Novembro/2014 como realizar investimentos inteligentes em ações? por que a Real Investor? gestora independente sem conflitos de interesse ou amarras somos especialistas na gestão

Leia mais

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Gestão Visão Prev Bradesco Custódia e Administração VP Finanças Telefonica-Vivo Conselho Deliberativo Comitê Investimentos Conselho Fiscal Diretoria Executiva

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / JANEIRO/2017

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ / JANEIRO/2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Dividendos Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Regulamento e Formulário

Leia mais

Investimentos na Duprev

Investimentos na Duprev Investimentos na Duprev Plano de Aposentadoria Duprev CD Contribuições Participantes + = aposentadoria Contribuições da empresa Saldo para Patrimônio Investido Perfis de Investimento Alternativas de aplicação

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL FATOR IFIX FII

RELATÓRIO MENSAL FATOR IFIX FII FATOR IFIX FII Novembro de 2016 FATOR IFIX FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PERFIL DO FUNDO O Fator IFIX Fundo de Investimento Imobiliário FII tem como objetivo o investir preponderantemente, em cotas

Leia mais

Quem Pode Investir no TD?

Quem Pode Investir no TD? 2 1 3 Quem Pode Investir no TD? Pessoa física com CPF, residente no Brasil. Para tal: Cadastro junto a instituição financeira habilitada (conta corrente). Mínimo: R$ 30 por operação. Máximo: R$ 1.000.000,00

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - ARROJADA MIX 40 BENCHMARK RF:60.00% ( 100.00%CDI ) + RV:40.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 03/11/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/11/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

TÍTULO PÚBLICO FEDERAL. Manoela Barreto

TÍTULO PÚBLICO FEDERAL. Manoela Barreto TÍTULO PÚBLICO FEDERAL Manoela Barreto EXPERIÊNCIA Economista Diretora de ONG que divulga a ENEF Sócia da Ourum Investimentos e Câmbio Demais detalhes TÍTULOS PÚBLICOS FEDERAIS - CONCEITO Um título público

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Fundação Carmelitana Mário Palmério Curso de Bacharelado em Disciplina: Administração Financeira ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Prof. Me. Reiner Alves Botinha AGENDA AMBIENTE FINANCEIRO BRASILEIRO Slide 2 OPORTUNIDADES

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF:

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Janeiro de 2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A)

GRADUAL MULTIESTRATÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) (Administrado pela Gradual C.C.T.V.M. S/A) NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS PARA O EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 E 2009 (Valores em R$ mil, exceto o valor unitário das cotas) 1.

Leia mais

Estratégias de Fundos de Investimentos João Alberto Cabral 02/09/04

Estratégias de Fundos de Investimentos João Alberto Cabral 02/09/04 Estratégias de Fundos de Investimentos João Alberto Cabral 02/09/04 Agenda Fundos de Investimentos Em que Fundo devo investir? Tipos de Fundos Fundos de Renda Fixa Fundos Multimercados Opinião do Gestor

Leia mais

A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CARACTERÍSTICAS HG Verde Fundo de Investimento Multimercado FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 02/12/2013 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 31/12/2013 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 31/12/2013 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

Perfis de Investimento

Perfis de Investimento Perfis de Investimento OBJETIVO O presente documento apresenta como principal objetivo a defi nição de uma estrutura de Perfis de Investimento para os Participantes do Plano de Aposentadoria PREVIPLAN.

Leia mais

Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras CNPJ: 03.922.006/0001-04 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A.

Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras CNPJ: 03.922.006/0001-04 (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. Demonstrações Financeiras HSBC Fundo de Investimento em Ações Petrobras (Administrado pelo HSBC Bank Brasil S.A. - Banco Múltiplo - 31 de março de 2011 e 2010 com relatório dos auditores independentes

Leia mais

Somos únicos. A previdência é um investimento

Somos únicos. A previdência é um investimento Somos únicos Ninguém é igual a ninguém. Por mais que existam algumas semelhanças entre um grupo de pessoas, sempre seremos diferentes uns dos outros, seja pelos anseios, sonhos, habilidades e objetivos

Leia mais

Taxa de Juros no Período (SELIC)

Taxa de Juros no Período (SELIC) Os títulos públicos federais são emitidos pelo Tesouro Nacional e compõem a dívida pública interna. Servem como instrumento de captação de recursos para que o governo execute suas atividades. Todos os

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras

Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (C.N.P.J. nº 03.910.929/0001-46) (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras Safra Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco J. Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 30 de setembro de 2015 e relatório dos auditores independentes Relatório dos auditores

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB MATIC RFL PRAZO F INV FINANC

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB MATIC RFL PRAZO F INV FINANC LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB ESPECIAL RFLP-FDO INV. C. FDO I

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MB ESPECIAL RFLP-FDO INV. C. FDO I LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

TEMA 1. MERCADO FINANCEIRO E TRIBUTAÇÃO. Introdução Sistema Financeiro Nacional. Mercado de Crédito

TEMA 1. MERCADO FINANCEIRO E TRIBUTAÇÃO. Introdução Sistema Financeiro Nacional. Mercado de Crédito FEA-USP-EAC Curso de Graduação em Contabilidade Disciplina: EAC0562: Estudos Complementares V Tributação sobre Operações Financeiras TEMA 1. MERCADO FINANCEIRO E TRIBUTAÇÃO TEMA 1 Mercado Financeiro e

Leia mais

Evolução Mensal da Carteira de Investimentos

Evolução Mensal da Carteira de Investimentos Evolução Mensal da Carteira de Investimentos (R$ Mil) 980.000 Período: Jan/07 - Dez/12 940.000 900.000 860.000 820.000 780.000 740.000 700.000 660.000 620.000 580.000 540.000 fev/07 abr/07 jun/07 ago/07

Leia mais

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação.

Antes de investir, compare o fundo com outros da mesma classificação. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS SOBERANO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO RENDA FIXA - SIMPLES CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ÓRAMA OURO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 09.601.190/0001-77 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES DAYCOVAL FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA IRFM-1 Versão: 1.0 Competência: 29/04/2016 Data de Geração: 29/05/2016 CNPJ/MF do FUNDO: 12.265.822/0001.83 Periodicidade

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo Mútuo de Privatização - FGTS Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) com Relatório dos Auditores Independentes

Leia mais

PREVI futuro - Out / = Resultado

PREVI futuro - Out / = Resultado PREVI futuro - Out / 2017 - = Resultado Balanço Patrimonial Ativo Passivo Onde estão aplicados todos os recursos do Plano PREVI Futuro Estes são distribuídos em uma Carteira de Investimentos Distribuição

Leia mais

Fundo de Investimento em Ações - FIA

Fundo de Investimento em Ações - FIA Renda Variável Fundo de Investimento em Ações - FIA Fundo de Investimento em Ações O produto O Fundo de Investimento em Ações (FIA) é um investimento em renda variável que tem como principal fator de risco

Leia mais

Esta instituição aderiu ao código de auto-regulação da Anbid Caracteristícas CSHG VERDE FICFIM Relatório Gerencial: CSHG VERDE FICFIM Fundo de Investimento Financeiro de renda variável que busca rentabilidade

Leia mais

Claritas Hedge Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Administrado pela Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.) Demonstrações financeiras

Claritas Hedge Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Administrado pela Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.) Demonstrações financeiras Claritas Hedge Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Administrado pela Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2006 e de 2005 e parecer dos auditores

Leia mais

Adesão ao Plano de Benefícios HP

Adesão ao Plano de Benefícios HP Adesão ao Plano de Benefícios HP OBJETIVO DA HP PREV Proporcionar aos seus participantes a oportunidade de contribuir para a HP Prev e, juntamente com as contribuições da patrocinadora, formar uma renda

Leia mais

Lamina de Informações Essenciais

Lamina de Informações Essenciais Lamina de Informações Essenciais SUL AMÉRICA EXCELLENCE FI RENDA FIXA CP CNPJ nº 04.899.128/0001-90 Informações referentes a Julho de 2014 Rating : bra+f * Standard&Poor's Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPARTA CICLICO FIM 07.552.643/0001-97 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SPARTA CÍCLICO FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII FATOR VERITÀ FII Fevereiro de 2017 FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PERFIL DO FUNDO O Fator Verità FII (Fundo) é um fundo de investimento imobiliário, constituído sob a forma de condomínio

Leia mais

Restrições de Investimento: Não aplicável.

Restrições de Investimento: Não aplicável. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O IPANEMA FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 02.669.135/0001-70 Informações referentes a 01/2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o IPANEMA

Leia mais

FATOR PORTFÓLIO PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO

FATOR PORTFÓLIO PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FATOR PORTFÓLIO PLUS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO Data da Competência: Mai/16 ESTE FORMULÁRIO FOI PREPARADO COM AS INFORMAÇÕES

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII FATOR VERITÀ FII Março de 2017 FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PERFIL DO FUNDO O Fator Verità FII (Fundo) é um fundo de investimento imobiliário, constituído sob a forma de condomínio fechado,

Leia mais

259,30 1,14 1,02 0,96 1,12 1,00 1,09 1,15 1,10 1,19 1,08 1,03 1,01 13,39 13,67 41,72 1,0%

259,30 1,14 1,02 0,96 1,12 1,00 1,09 1,15 1,10 1,19 1,08 1,03 1,01 13,39 13,67 41,72 1,0% Fundos Renda Fixa PL Médio 12 meses Rentabilidade Acumulada % (já descontada a taxa de administração) No ano# Dez/15 Jan/16 Fev/16 Mar/16 Abr/16 Mai/16 Jun/16 Jul/16 Ago/16 Set/16 Out/16 Nov/16 Cond. 12

Leia mais

FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR COMENTÁRIO DE DESEMPENHO AGOSTO DE 2012

FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR COMENTÁRIO DE DESEMPENHO AGOSTO DE 2012 Aumento do Patrimônio Atingimento da Meta Atuarial Principais Destaques 1. Perfil Institucional A Fundação CAGECE de Previdência Complementar CAGEPREV, criada através da Lei Estadual nº 13.313, de 30 de

Leia mais

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI

Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Renda Fixa Certificado de Recebíveis Imobiliários CRI Certificado de Recebíveis Imobiliários - CRI O produto O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é um título que gera um direito de crédito ao

Leia mais

MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A. Departamento de Clubes

MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A. Departamento de Clubes MANUAL DE CLUBES DE INVESTIMENTO XP INVESTIMENTOS CCTVM S/A Departamento de Clubes Versão 2.0 Junho/2012 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 O que é um clube de investimento?... 3 1.2 Como criar um clube de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER YIELD VIP REFERENCIADO DI CRÉDITO PRIVADO 01.615.744/0001-83 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão

Kinea Rendimentos Imobiliários - FII. Relatório de Gestão Kinea Rendimentos Imobiliários - FII Relatório de Gestão Junho de Palavra do Gestor Prezado investidor, O Kinea Rendimentos Imobiliários FII ( Fundo ) é dedicado ao investimento em Ativos de renda fixa

Leia mais

Educação Financeira e Previdenciária 03 INVESTIMENTOS

Educação Financeira e Previdenciária 03 INVESTIMENTOS Educação Financeira e Previdenciária 03 INVESTIMENTOS Novembro de 2015 Educação Financeira e Previdenciária Saiba o que considerar HORA DE INVESTIR? Além de poupar para a realização dos seus sonhos, sejam

Leia mais

METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO

METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO METODOLOGIA DE CÁLCULO DOS TÍTULOS PÚBLICOS OFERTADOS NO TESOURO DIRETO Letras do Tesouro Nacional LTN Características Gerais: Juros: Não há, estão implícitos no deságio do título. Modalidade: Escritural,

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL. Resumo. Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização

RELATÓRIO ANUAL. Resumo. Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização RELATÓRIO ANUAL 2014 Resumo Acesse este relatório na versão tela cheia para aproveitar todos os recursos de visualização 2 Mensagem DA DIRETORIA Prezado Participante, Mais um ano de parceria e confiança

Leia mais

1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV

1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV 1. PLANO DE BENEFÍCIOS II CODEPREV 1.1.1 Notas Explicativas COMPOSIÇÃO DO ATIVO 2.1.1.1 Gestão Previdencial Constituída por provisões de contribuições a receber: a. Patrocinador R$ 543 mil; b. Participantes

Leia mais

CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM

CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM A presente Instituição aderiu ao Código ANBIMA de Regulação e Melhores Práticas para os Fundos de Investimento. CSHG EQUITY HEDGE LEVANTE FIC FIM Relatório Gerencial: 31/10/2011 CARACTERÍSTICAS FUNDO DE

Leia mais

Medidas para o aumento da liquidez no mercado de renda fixa

Medidas para o aumento da liquidez no mercado de renda fixa ANBIMA - Seminário Conta de Liquidação e Compromissada Intradia Medidas para o aumento da liquidez no mercado de renda fixa Paulo Fontoura Valle Subsecretário da Dívida Pública Secretaria do Tesouro Nacional

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Página 1 de 20 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva

Leia mais

CARTA CIRCULAR N.º 011

CARTA CIRCULAR N.º 011 Aos Participantes do Sistema de Registro e de Liquidação Financeira de Títulos CARTA CIRCULAR N.º 011 De acordo com o item IV da Resolução n.º 1.155, de 23.07.86, do Banco Central do Brasil, a alíquota

Leia mais

O Treinamento Mais Completo Sobre o Tesouro Direto Tesouro Direto Descomplicado. Clique Aqui

O Treinamento Mais Completo Sobre o Tesouro Direto Tesouro Direto Descomplicado. Clique Aqui Índice Sumário 5 investimentos seguros para 2017... 3 Mesmo com projeção de queda da Selic, especialistas continuam indicando a renda fixa para este ano. Veja quais são as melhores opções... 3 TESOURO

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDO INVESTIMENTO EM COTAS FUNDOS INVESTIMENTO CAIXA GERAÇÃO JOVEM RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO Data de Competência: 16/02/2016 1. CNPJ 10.577.485/0001-34

Leia mais

Principais Características Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário

Principais Características Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário PERFIL DO FUNDO O Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária, como Certificados de Recebíveis Imobiliários

Leia mais

Sumário. Prefácio, XV Introdução, 1

Sumário. Prefácio, XV Introdução, 1 Sumário Prefácio, XV Introdução, 1 Capítulo 1 Sistema Financeiro Nacional, 3 1.1 Funções básicas do Sistema Financeiro Nacional, 4 1.2 Principais participantes do mercado, 4 1.2.1 Introdução, 4 1.2.2 Órgãos

Leia mais

Extrato de Fundos de Investimento

Extrato de Fundos de Investimento São Paulo, 02 de Janeiro de 2014 Prezado(a) FUNDO DE PENSAO MULTIPATR OAB 02/12/2013 a 31/12/2013 Panorama Mensal Dezembro 2013 O mês de dezembro foi marcado pelo início do tapering nos EUA. O FOMC, comitê

Leia mais

Restrições de Investimento: -.

Restrições de Investimento: -. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO TEAM 03.553.574/0001-85 Informações referentes a 06/2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO MULTIPREV CARTEIRA 14 FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO

DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO MULTIPREV CARTEIRA 14 FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO DEMONSTRAÇÃO DE DESEMPENHO DO CNPJ/MF: Informações referentes a 2016 1. Denominação completa do fundo conforme o cadastro na CVM: MULTIPREV CARTEIRA 14 FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CRÉDITO PRIVADO

Leia mais

93,60% Renda Variável ,09. 5,02% Investimento Imobiliário ,56. 0,00% Empréstimos e Financiamentos 0,00

93,60% Renda Variável ,09. 5,02% Investimento Imobiliário ,56. 0,00% Empréstimos e Financiamentos 0,00 Resumo do DI - VISÃO PREV SOCIEDADE DE PREV COMPLEMENTAR Demonstrativo de Investimentos - DI Ano de 2015 (Posição dos Investimentos: 31/12/2015) Com objetivo de atender a legislação vigente, informamos

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FIC REF DI LP EMPRESA 04.044.634/0001-05 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO REFERENCIADO DI LONGO PRAZO. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Principais Características Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário

Principais Características Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário PERFIL DO FUNDO O Banestes Recebíveis Imobiliários Fundo de Investimento Imobiliário FII tem como objetivo a aquisição de ativos financeiros de base imobiliária, como Certificados de Recebíveis Imobiliários

Leia mais

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10)

PROGRAMA DETALHADO Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) PROGRAMA DETALHADO Programa da Certificação Detalhado Profissional da Certificação ANBIMA Profissional Série 10 (CPA-10) ANBID Série 10 Controle: D.04.08.07 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão:

Leia mais

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado

Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Economia Brasileira: da estabilidade macroeconômica ao crescimento sustentado Junho de 2010 Wilson R. Levorato Diretor Geral Brasil e a crise internacional: porque nos saímos tão bem? Onde estamos? Cenário

Leia mais

PRODUTOS BANCÁRIOS FUNDOS DE INVESTIMENTO: Taxas: - Administração: Calculada dia útil e deduzida da cota; - Performance: Quando supera um indicador

PRODUTOS BANCÁRIOS FUNDOS DE INVESTIMENTO: Taxas: - Administração: Calculada dia útil e deduzida da cota; - Performance: Quando supera um indicador PRODUTOS BANCÁRIOS FUNDOS DE INVESTIMENTO: Taxas: - Administração: Calculada dia útil e deduzida da cota; - Performance: Quando supera um indicador de referência (BENCH); DESPESAS (encargos do fundo):

Leia mais

Informativo Mensal Investimentos

Informativo Mensal Investimentos Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII

RELATÓRIO MENSAL FATOR VERITÀ FII FATOR VERITÀ FII FATOR VERITÀ FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO PERFIL DO FUNDO O Fator Verità FII (Fundo) é um fundo de investimento imobiliário, constituído sob a forma de condomínio fechado, tem como

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.8 - Derivativos

Conhecimentos Bancários. Item 3.8 - Derivativos Conhecimentos Bancários Item 3.8 - Derivativos Conhecimentos Bancários Item 3.8 - Derivativos São instrumentos financeiros que têm seus preços derivados (daí o nome) do preço de mercado de um bem ou de

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ÓRAMA BOLSA MID LARGE - SMALL CAP FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES 13.966.586/0001-95 Informações referentes a 06/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Restrições de Investimento: Não aplicável.

Restrições de Investimento: Não aplicável. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O MAREJO AZUL FIM 21.581.510/0001-70 Informações referentes a 12/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MAREJO AZUL FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

FIDC LAVORO III Fundo Aberto

FIDC LAVORO III Fundo Aberto Relatório Mensal REF.: AGOSTO/2016 Rio de Janeiro: Avenida das Américas, 500/Bloco 21, Salas 242 e 243 CEP - 22640-100 - Barra de Tijuca - Rio de Janeiro - RJ Tel.: (21) 3501-0051 São Paulo: Rua Iaiá 150

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC RENDA FIXA SIMPLES 22.918.245/0001-35 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

relatório mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário FII

relatório mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário FII relatório mensal Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário FII Abril 2015 Rio Bravo Crédito Imobiliário II Fundo de Investimento Imobiliário FII O fundo Rio Bravo Crédito Imobiliário

Leia mais

Restrições de Investimento: -.

Restrições de Investimento: -. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO LONG SHORT 07.187.565/0001-79 Informações referentes a 08/2017 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

Mercado de Títulos Privados

Mercado de Títulos Privados Mercado de Títulos Privados 1 LAURO AUGUSTO AMARAL CAMPOS Experiência Profissional 2 Superintendente de Análise de Crédito. Formado em Economia pela Universidade Mackenzie, atua desde 1990 em análise de

Leia mais

REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV

REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV REGULAMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS CARGILLPREV 1) Do Objeto Este documento estabelece as normas gerais aplicáveis ao Programa de Perfil de Investimentos (Multiportfólio) da CargillPrev. O programa constitui-se

Leia mais

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda

Linha do Tempo Previdenciária Secretaria do Ministério da Fazenda Contextualizando Linha do Tempo Previdenciária 2016 Secretaria do Ministério da Fazenda Taxa de juros Rentabilidade dos Fundos de Pensão entre 1995 e 2012, em dezoito anos, apenas cinco apresentaram rentabilidades

Leia mais

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011

RENDA VARIÁVEL. Novembro / 2011 Novembro / 2011 Acreditamos no Investimento em Renda Variável O mercado americano é um exemplo de consistentes e elevados retornos no longo prazo 2 A Bolsa Brasileira também Apresenta Sólidos Resultados

Leia mais