BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos."

Transcrição

1 BPMN: Identificando vantagens e desvantagens do uso desta ferramenta para modelagem de processos. Franciele da Costa Canello 1 RESUMO As organizações estão cada vez mais necessitando de sistemas que aliem tecnologia aos seus processos. Nesse sentido surge o BPM Business Process Management, que busca integrar essas necessidades de forma que as informações sejam obtidas mais rapidamente. Dentre todos os modelos existentes dentro do BPM um que merece destaque para modelagem de processos é o BPMN Business Process Modeling Notation, que é uma forma de notação gráfica para desenho de processos. Palavras chave: processos - modelagem - BPMN. 1 INTRODUÇÃO As organizações são constituídas por uma complexa combinação de recursos interdependentes e interligados que buscam atingir seus objetivos através de processos, mesmo que estes não estejam claramente identificados. Zairi e Sinclair (1995) definiram processo como a maneira com que todos os recursos de uma organização são utilizados de forma confiável, consistente e repetitiva para atingir os objetivos da mesma. As organizações estão cada vez mais dependentes de tecnologia para alcançar seus objetivos e metas através de modelos de gestão que possam interligar os processos e a tecnologia. Esses modelos são criados através de conceitos de gestão existentes e visam diminuir custos, aperfeiçoar processos e possibilitar o crescimento das organizações. Ao longo dos anos vários modelos de gestão de processos foram sendo experimentados pelas organizações buscando alcançar as melhorias e obter melhores resultados. Destaca-se que muitos desses modelos, pelas dificuldades de implementação, foram sendo descartados e alguns, com melhores ferramentas, foram sendo aprimorados. Cada vez mais as organizações devem se preocupar com as mudanças rápidas do ambiente na qual estão inseridas e sendo assim, necessitam de ferramentas que possibilitem maior controle das informações provenientes de seus processos. Este trabalho tem como objetivo apresentar, através da análise e interpretação da notação gráfica utilizada pelo BPMN, identificar vantagens e desvantagens de sua utilização nas organizações. 1 Especialista em Engenharia da Produção (ULBRA). Professora Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (FADERGS)..

2 Como resultados esperados, espera-se identificar respostas para as seguintes questões: Como o BPMN pode ajudar as empresas? Como implantar um BPMN? A tomada de decisão e o BPMN? Vantagens e desvantagens? Este trabalho não contempla as fases técnicas de uma implantação, apenas uma revisão bibliográfica, com base nas respostas dos questionários aplicados. 2 REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 Gestão de Processos Davenport (1998), diz que toda empresa coleta, gera e armazena uma enorme quantidade de dados. Nesse sentido o Mapeamento de Processos busca identificar, documentar e entender a sequência de atividades e recursos utilizados pela organização de modo que, através dos relacionamentos entre esses processos, seja possível à organização enxergar e corrigir os problemas, a fim de aumentar sua eficiência e melhorar o seu desempenho econômico e financeiro. Na verdade, a gestão por processos é um conceito mais amplo que procura fornecer diretrizes para o negócio da empresa tanto em suas atividades de melhoria contínua quanto nos projetos de mudança por ruptura. Analisando as estruturas organizacionais existentes ao longo dos tempos, percebemos que a visão sistêmica se tornou imprescindível para o crescimento das organizações e sua melhoria contínua. Os dois tipos básicos de estrutura normalmente utilizados nas organizações são: a) Estrutura tradicional: o foco está nas funções hierárquicas e departamentos (vertical); b) Estrutura por processos: o foco atravessa as funções hierárquicas de modo a criar valor para o cliente (horizontal).

3 Figura 1: Estrutura de processos fluxo das informações horizontal fluxo das informações vertical Fonte: Adaptado de Netto (2006). Os processos podem ser vistos como uma cadeia para agregação de valores sendo que, pela sua contribuição na criação ou entrega de um produto ou serviço, cada etapa do processo acrescente valor às etapas anteriores. A mudança de uma estrutura vertical para horizontal é uma quebra de paradigmas que demanda esforço e adaptação interna da organização visto que, ocorre uma adição de valor aos produtos ou serviços internos impactando também no cliente externo. Ao longo dos anos vários autores foram modernizando o conceito de gestão de processos ou gestão da qualidade, sendo que alguns gurus como Deming, Crosby, Feigenbaum, Juran e Ishikawa deixaram valiosas contribuições para a evolução desses conceitos. Analisando a evolução da gestão de processos, podemos identificar três fases: a) Primeira fase constituída como Qualidade Total teve seu início na década de 50, com os professores Deming e Juran, e ganhou força a partir das décadas de 1980 e Ainda nessa fase podemos citar os conceitos de administração científica de Taylor com seus conceitos de modelagem de processos. b) Segunda fase ocorreu em meados da década de 1990 quando surgem os conceitos de Reengenharia ou BPR - Business Process Reengineering, disseminados por Tom Davemport e Michael Hammer com ênfase no redesenho dos processos. c) Terceira fase surge com o intuito de integrar os conceitos da melhoria contínua com os conceitos da reengenharia, fazendo com que os trabalhos sejam vistos como programas contínuos de gestão. É nessa fase que a utilização da tecnologia (BPM, workflow, etc.) assume papel fundamental para auxiliar tanto no mapeamento como na execução e monitoramento do desempenho dos processos.

4 Os diferentes modelos de gestão por processos surgidos nos anos 80 envolviam grande trabalho manual, enorme envolvimento e dificuldades de implementação. Com o aumento da competitividade empresarial as organizações começaram a competir com empresas do mesmo patamar, e a necessidade de redução de custos e melhoria de processos se tornou imprescindível para a sobrevivência de algumas organizações no mercado. Tessari (2008a) complementa que a reengenharia pode ter melhorado o desempenho das organizações, mas falhou no quesito agilidade e apoio às mudanças em andamento. Em resposta a essa crescente demanda das organizações, surge na década de 90 a teoria de gestão por processos de negócio, também conhecida como BPM Business Process Management. Essa nova ferramenta envolve todas as etapas de um processo de negócio do início ao fim. É um conceito que une a tecnologia de informação e a gestão do negócio proporcionando à melhoria dos processos e tem, como diferencial, a integração entre visão e execução. Segundo Smith e Fingar (2003) o BPM possui um ciclo de vida dividido em etapas: descoberta, modelagem, distribuição, execução, interação, controle, otimização e análise do processo. Diferentes autores definem BPM como uma ciência que busca conhecer, desenvolver e implementar sistemas de informação aliados aos processos. Dentre todas as ferramentas de modelagem de processos utilizada no BPM, um padrão de notação gráfica que não está associado a nenhum tipo de armazenamento, chamado BPMN - Business Process Modeling Notation merece destaque. Essa ferramenta foi desenvolvida com o intuito de proporcionar aos usuários uma notação aberta e padronizada, livre de royalties. 2.2 O que é BPMN? BPMN Business Process Modeling Notation é um grupo de ferramentas gráficas com objetivo de mapear, medir, desenhar e simular os processos das organizações, ou seja, é um padrão de notação gráfica para desenho de processos. BPMN pode significar duas coisas distintas: a) Uma nova forma de desenvolver soluções que integrem os aplicativos da organização; b) Uma ideia de gestão que represente o trabalho da organização e seus processos independente da tecnologia.

5 Em 2001 houve a formação de um grupo de trabalho composto por 58 membros que representavam 35 organizações entre elas IBM, SAP, Oracle e Microsoft com o objetivo de desenvolver e manter um padrão técnico para a indústria do software. O resultado de mais de dois anos de estudo em técnicas de modelagem foi lançado em maio de 2004 pela BPMI Business Process Management Initiative o BPMN. Em junho de 2005 o BPMN foi assumido pelo OMG (Object Management Group - associação aberta e não lucrativa existente desde 1989). O principal objetivo do BPMN é promover uma notação compreensível para todos os usuários de negócio, desde os criadores dos rascunhos iniciais do processo, aos desenvolvedores técnicos responsáveis por implementar a tecnologia que irá executar estes processos e, finalmente, para os gestores que irão gerenciar e monitorar estes processos. Figura 2: Papel do BPMN na modelagem e execução de processos em um ambiente de negócios Fonte: OMG (2011) Apesar do BPMN possuir um rico grupo de elementos gráficos para representação de uma série de situações que acontecem nos fluxos de processos, este tipo de notação gráfica não está associado a nenhum formato específico de armazenamento. Seus elementos podem ser associados a linguagens de sistemas, facilitando a migração desses desenhos de processos para sistemas de gestão de processo. Cabe destacar ainda que o BPMN não serve para mapear organogramas, sistemas, regras de negócio ou estratégias. Conforme cita Ribas (2007), os processos que são modelados em BPMN podem migrar para sistemas BPM visto que a notação apresenta um mecanismo automático de conversão para BPEL Business Process Execution Language. Apesar de o BPEL ser considerado o

6 mais importante atualmente para execução de linguagem de processos, algumas representações BPMN ainda não podem ser mapeadas. Figura 3: Demonstração de como o BPMN pode ser traduzido para uma linguagem BPEL. Fonte: Adaptado de Cryo Technologies (2006). Em resposta as demandas por sistemas que suportem essa nova forma de modelagem surgem os sistemas de gestão de negócios ou BPMS Business Process Management System visam atender os ciclos completos da gestão por processos contemplando a modelagem, desenho, implementação, monitoramento e otimização dos processos, conforme cita Tessari (2008b). Essa nova metodologia de mapeamento é resultado do desenvolvimento e amadurecimento de um conjunto de diferentes tecnologias com um único propósito, facilitar o controle sobre os processos das organizações. 2.3 Tipos de Diagrama Conforme encontrado em várias bibliografias, processo é uma atividade composta por etapas que permitem o fluxo de informações. Neste sentido, processo de negócio é uma série de atividades que são realizadas por uma organização ou através de diversas organizações. Na linguagem BPMN existe um espaço de trabalho para montar ou desenhar os processos do negócio denominado BPD Business Diagram Process. O BPD é construído através de elementos gráficos, parecidos com fluxogramas, que permitem o desenvolvimento dos diagramas.

7 Figura 4: Diagrama de Processo Fonte: Adaptado de Cryo Technologies (2006). O BPD possui três categorias específicas de diagramas: a) Processos Internos ou Private Process: uso mais comum, onde é composto por atividades realizadas dentro da organização; Figura 5: Processo Interno Fonte: Adaptado de Cryo Technologies (2006). b) Processos Abstratos ou Abstract Process: contempla ações feitas por outras organizações externas (não podemos gerenciar); Figura 6: Processo Abstrato Fonte: Adaptado de Cryo Technologies (2006).

8 c) Processos de Colaboração ou Colaboration Process: dois ou mais processos independentes que se comunicam, mas não estão necessariamente dentro da organização. Figura 7: Processo de Colaboração Fonte: Adaptado de Cryo Technologies (2006). Os elementos para este padrão de modelagem são apresentados de duas formas diferentes: Conjunto básico (Core Elements): definem a aparência da notação BPMN de forma simples e clara dos processos; Conjunto avançado (Full Elements): possui a lista completa dos elementos e apresenta recursos mais sofisticados de modelagem. Conforme Reis (2008a), um diagrama BPMN com base no uso de seus elementos gráficos, facilita a compreensão do que está acontecendo em um diagrama de processo. Dentro da categoria de elementos comumente utilizada no desenho de diagramas de negócio, existem alguns conjuntos básicos, conforme OMG, para BPMN na versão 2.0. Os objetos de fluxo ou flow objects são os principais objetos gráficos usados para definir o comportamento do processo.

9 Figura 8: Objetos de fluxo Fonte: Adaptado de OMG (2011). Os eventos são utilizados para iniciar e terminar um processo. Conforme Reis (2008b), um processo uma vez iniciado, deve acontecer um evento que o finalize. Além destes eventos gerais, existem variações de eventos contendo mensagem, tempo, exceção, cancelamento, compensação, dados, link, término, múltiplos entre outros conforme demonstrado no Anexo I. As atividades são consideradas as unidades de trabalho. Sendo assim, conforme Reis (2008c), uma tarefa é uma particularização do conceito de atividade. Nesse sentido, um subprocesso é um tipo de atividade onde existe pelo menos um grau de detalhamento em seu interior. Podemos dizer então que em termos de hierarquia a atividade é o grau de mais alto nível em um processo. As tarefas se dividem conforme a necessidade em: serviço, recebimento, envio, usuário, script, referência ou manual. Além disso, os subprocessos podem ser dependentes ou independentes considerando o mesmo processo, conforme demonstrado no Anexo I. Conforme Reis (2008d), os gateways são mecanismos padronizados para demonstrar desvios, Além da demonstração genérica, existem variações de gateways para exclusão, inclusão, complexos e paralelos, que se diferenciam conforme a sua aplicação, conforme demonstrado no Anexo I. Os objetos de conexão ou connections objects por sua vez são utilizados para conectar objetos de fluxo entre si ou entre artefatos.

10 Figura 9: Objetos de conexão. Fonte: Adaptado de OMG (2011). As conexões servem para demonstrar como as atividades e processos se relacionam. Elas podem demonstrar uma seqüência, conter uma informação ou simplesmente demonstrar associação de outras informações relevantes. A seqüência é a notação mais utilizada ao longo de um fluxo de atividade e tem duas variações: condicional e default, conforme demonstrado no Anexo I A conexão de mensagem demonstra a troca de informação entre as atividades ou processos e, a conexão de associação, é usada para conectar artefatos a objetos do fluxo ou atividades a outras atividades de compensação. As raias ou swimlanes são utilizados para organizar os objetos e artefatos em categorias separadas. Figura 10: Raias. Fonte: OMG (2011). As Swimlanes são os locais onde desenhamos nossos processos usando os outros tipos de elementos. Um Pool seria comparado a uma piscina onde os competidores nadam e a Lane uma raia, onde cada nadador irá se apresentar.

11 Segundo Reis (2008e), as raias não interferem nem definem o que será feito, mas sim quem o fará, sendo associadas a métodos de segurança. Um Pool é um elemento mais externo, não sendo possível colocar um pool dentro de um pool. Pode ser considerado um fluxo isolado que se comunica com outros pools através de mensagens. As Lanes são posicionadas dentro de um pool, e servem para indicar o perfil ou mais de um que colaboram na execução do processo. Os artefatos ou artifacts são utilizados para fornecer informação adicional as atividades, ou outros objetos do diagrama. Figura 11: Artefatos. Fonte: OMG (2011). Conforme conforme Reis (2008f), artefatos são elementos extras que podem aparecer dentro do diagrama, porém não alteram o fluxo nem executam, servindo apenas como facilitadores para o entendimento dos demais elementos. Os dados podem ser uma informação isolada ou mesmo um bloco de informações e são conectados às atividades através de associações. As anotações são, normalmente textos ou informações genéricas sobre o processo ou um elemento do processo. Grupo é uma maneira informal de agrupar atividades do processo visando melhorar o entendimento do fluxograma e não afetam o fluxo de processos nem adicionam restrições Erros Comuns de Notação Segundo Reis (2008g), conforme os desenhos de processos vão sendo desenhados alguns erros comuns são identificados:

12 a) Gateways de tipos diferentes: usar tipos diferentes na junção e bifurcação de atividades pode gerar erros no fluxo, portanto aconselha-se utilizar junções e bifurcações do mesmo tipo e buscar garantir que uma atividade que passou por uma bifurcação deu continuidade no fluxo através de uma junção. b) Gateways baseados em eventos: eles permitem que um fluxo fique no aguardo de um evento para continuar. Atividades não são eventos e portanto essa representação não pode ser utilizada. c) Elementos de fluxo com fluxos condicionais: os fluxos não podem sair de gateways nem chegar a estes, bem como mensagens não podem ficar dentro de pools. Assim não podemos ter gateways com uma saída única, devemos ter alternativas que é sua função principal de demonstração. d) Erros de eventos: não é obrigatório evento de início e fim, mas se um deles for demonstrado o outro também deve ser. Eventos de tempo e intermediário não podem gerar mensagens. Os eventos de tempo e modificação não podem ser finalizadores de processo, bem como, os eventos de tratamento de erro como exceções, error e compensação não podem iniciar e, os eventos de exceção, devem ser representados por setas de fluxo. e) Erros de pool e lanes: não é permitido transferir um controle de processo e depois receber de volta através de uma mensagem, sendo que entre pools a comunicação deve ser feita por mensagem e dentro de um mesmo pool é feita através de fluxos. As exceções de compensação devem desviar para uma atividade de compensação e apenas uma. 2.4 Desenhando Processos Comumente verificamos que os levantamentos de processos são feitos através de entrevistas, sendo que as respostas dos usuários vão servindo como referencial para o desenho inicial, que é aprimorado com informações adicionais coletadas no decorrer do tempo. Um ponto importante no desenho dos processos é definir o macro fluxo dos processos internos de cada empresa. Identificar os processos principais e os processos de apoio. Uma ferramenta que pode ser utilizada é o diagrama de posicionamento. Segundo Reis (2008h), esse tipo de diagrama posiciona a empresa, clientes e parceiros dentro de uma tela como estes se relacionam.

13 Cabe ressaltar que os processos são feitos por pessoas, e, portanto, devemos também criar a estrutura organizacional identificando as hierarquias entre os departamentos ou áreas. Usando diferentes tipos de ferramenta, devemos chegar ao mesmo resultado que é o desenho do processo, com início, meio e fim, e relacionamentos que este possui. Segundo Reis (2008i), costumamos dividir os fluxos em duas categorias: As is e To be. As is é a demonstração de como o processo se encontra atualmente, como suas atividades são feitas e processadas. To be é a melhoria deste mesmo processo, eliminando os desperdícios e trabalhando na melhoria. Quando inicia-se o processo de modelagem de processos, pouco importa a qual departamento uma atividade está relacionada. Segundo Reis (2008j), importa a continuidade do fluxo passando pelos outros processos até seu término. Por isso costuma-se dizer que os sistemas atuais são verticais e os processos são horizontais. Esse tipo de modelagem de processos ajuda no entendimento de como os processos se relacionam e faz com que muitos compreendam o sistema do negócio Regras para Desenhar Processos Usando BPMN Conforme Bortolini (2006), algumas características devem ser consideradas para desenhar processos usando cores, texto, tamanho e linhas no diagrama conforme descrito abaixo: a) Os preenchimentos que são usados para os elementos gráficos devem ser brancos ou claros. b) As linhas que são usadas para desenhar os elementos gráficos devem ser pretas e as bordas das atividades são sempre arredondadas. c) A notação pode ser estendida para usar outros estilos ou cores de linha para se adaptar ao propósito do modelador ou ferramenta de modelagem (por exemplo, realçar o valor de um atributo de um objeto) com a condição que o estilo da linha não deva entrar em conflito com qualquer estilo de linha já definido no BPMN. Assim, o estilo de linha do fluxo de seqüencia, fluxo de mensagens e associação não devem ser modificados. d) Os desenhos podem ser na horizontal (mais comum) ou vertical. e) Os objetos podem ter ou não títulos associados, podendo estar dentro ou fora do elemento, acima, abaixo ou ao lado.

14 f) Os elementos podem ser em diferentes tamanhos desde que todos tenham o mesmo padrão, podendo ser coloridos conforme a necessidade de representação. g) Os elementos podem ter ícones especiais associados desde que não se confundam com os ícones padrão. h) Os artefatos podem ser variados, as fontes de texto e conexões igualmente podem sofrer variações de forma e cor. i) As conexões podem se encaixar em qualquer posição dos objetos, porém deve ser mantido um mesmo padrão de visualização ao longo do BPD e se possível no restante das representações. j) Os objetos de anotação de textos podem ser usados pelos modeladores para mostrar informação adicional sobre o processo ou atributos dos objetos dentro do processo. k) Os objetos de fluxos devem ter rótulos (exemplo, seu nome e/ou atributos) colocados dentro da forma, ou sobre ou abaixo da forma, em qualquer direção ou localização, dependendo da preferência do modelador ou da ferramenta de modelagem. l) Objetos de fluxo e marcadores podem ser de qualquer tamanho que se adaptem ao propósito do modelador ou a ferramenta de modelagem. 3 METODOLOGIA Como o objetivo deste trabalho é demonstrar as vantagens e desvantagens do BPMN, foi realizada uma pesquisa qualitativa exploratória para revisão do uso das ferramentas de notação gráfica e sua linguagem. Na pesquisa qualitativa a verdade não se comprova numérica ou estatisticamente, porém convence na forma de experimentação empírica, a partir da análise feita detalhadamente, abrangente, consistente e coerentemente, assim como na argumentação lógica das ideias. Por este motivo, ela é mais utilizada e necessária nas ciências sociais, onde o pesquisador participa, compreende e interpreta (MICHEL, 2005). Pesquisas exploratórias são desenvolvidas com o objetivo de proporcionar visão geral, de tipo aproximado, acerta de determinado fato (GIL, 2008). Este tipo de pesquisa é realizado especialmente quanto o tema escolhido é pouco explorado e torna-se difícil sobre ele formular hipóteses precisas e operacionalizáveis (GIL, 2008).

15 4 RESULTADOS O BPMN fornece uma notação que pode ser entendida tanto pelo pessoal de negócio como da área da tecnologia da informação, eliminando as lacunas entre o desenho dos processos e a implementação dos processos, sendo atualmente um dos principais padrões adotados pelas empresas para desenhar processos de negócios. O BPMN pode ser utilizado em níveis diferentes, de acordo com a necessidade do modelo: descritiva, analítica e executável. Dentre as vantagens descobertas podemos citar: a) Possibilidade de redução de custos e identificação dos desperdícios; b) Aumentar o nível de qualidade dos serviços e produtos c) Fácil para pessoas de negócios aprenderem e usar; d) Documentar processos é rápido e a modelagem de mudanças é fácil; e) Não é controlada ou detida por um fornecedor de software; f) Está rapidamente se tornando um padrão comum e muito utilizado, isso significa que é mais fácil a troca de informações de processos de negócios com outras ferramentas de gestão; g) Preenche a lacuna entre o pessoal de sistemas de negócios e técnicos, pois ao mesmo tempo em que é facilmente compreendida pelo usuário de negócio é suficientemente detalhada a ponto de poder automatizar um processo, em muitos casos o próprio usuário de negócio pode automatizar um processo independente do técnico; h) Grande facilidade em mapear o processo, com uma notação clara, através de seus eventos, fluxos, gateways, subprocessos, tarefas e tantos outros itens; todos eles com uma variedade abrangente de subtipos, que facilitam a distinção e identificação dos mesmos. i) O BPMN é muito intuitivo, o que facilita a ilustração e leitura de processos grandes e complexos. j) Durante a modelagem o software valida o processo, caso este ainda possua erros de desenho. Entretanto, a grande variedade de elementos usados nos modelos, é considerada uma desvantagem visto que em um primeiro momento é de difícil compreensão para os usuários. Outra desvantagem é que o BPMN ainda não pode ser mapeado em sua totalidade para a linguagem BPEL.

16 Considerando o tipo de notação gráfica, a integração do BPMN em outras ferramentas depende da sua representação textual, portanto, a integração é apenas parcialmente entendida e não é destinado a manuseio de diferentes visões, sendo somente utilizado para representar processos. Quanto à tomada de decisão, não foram identificadas grandes facilidades, visto que a notação apenas é uma forma de representação dos processos. Em um primeiro momento a tomada de decisão não fica claramente exposta com o uso do BPMN, porém ele auxilia na identificação dos desperdícios e melhoria do processo futuro e conseqüentemente garante uma possibilidade de redução de custos. 5 CONCLUSÕES O desenvolvimento deste trabalho possibilitou o conhecimento desta ferramenta nova no mundo dos negócios. A modelagem de processos através do uso do BPMN pode ser uma ferramenta competitiva desde que bem implementada e utilizada de forma correta pela organização. Cabe destacar que o BPMN não e uma linguagem, sendo apenas uma sistemática de representação gráfica para desenho de processos. O BPMN é uma ferramenta com grande potencial, porém pouco utilizado nas organizações por estar ainda muito ligado a área de tecnologia da informação. Outra constatação é que o mapeamento de processos através desta ferramenta possibilita que as organizações conheçam melhor seus processos e entendam suas necessidades antes de implementar melhorias. A identificação das vantagens e desvantagens deste trabalho demonstra que cada vez mais usuários passarão a aderir a essa ferramenta de modelagem de processos. As facilidades provenientes do uso do BPMN agradam cada vez mais os usuários e permitem a divulgação desta ferramenta entre outras áreas. REFERÊNCIAS BORTOLINI, Rafael. Padronizando processos: BPMN, BPML, XPDL E BPEL, Disponível em: Acesso em: DAVENPORT, T.H. Putting the enterprise into the enterprise system. Harvard Business Review, v.76, n.4, p.121(11) Jul/Ago GIL, Antonio Carlos. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. 4ª Edição, São Paulo: Atlas, 2008.

17 HAMMER, M., CHAMPY, J Reengenharia: revolucionando a empresa em função dos clientes, da concorrência e das grandes mudanças da gerência. 13 ed. Rio de janeiro: Campus. MICHEL, Maria Helena. Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais: um guia prático para acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. São Paulo: Atlas, NETTO, C.A. Gestão integrada de processos e da tecnologia da informação., Atlas, OMG. Object Management Group. Disponível em Acesso em REIS, Glauco dos Santos. Modelagem de processos de negócios com BPMN Curso. Revisão técnica Equipe Portal BPM / São Paulo; Editora Portal BPM Ltda.; RIBAS, Rafael de Toledo; Modelagem de processos, definição de requisitos e planejamento da implantação de um sistema de BPM em empresa têxtil f. Monografia (Graduação Engenharia de Produção) - Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, São Paulo, SMITH, Howard; FINGAR, Peter. IT Doesn't Matter Business Process Do. 1ª edição, Tampa, Florida, USA: Meghan-Kiffer Press, TESSARI, Rogério. Gestão de processos de negócios : um estudo de caso da BPM em uma empresa do setor moveleiro f. Dissertação (Mestrado) Universidade de Caxias do Sul, ZAIRI, M.; SINCLAIR, D. Business process re-engineering and process management: a survey of current practice and future trends in integrated management. Management Decision, v. 33, n.3, 1995.

18 ANEXO I - NOTACÃO GRÁFICA BPMN - OMG

19

20

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira

Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira Disciplina: GESTÃO DE PROCESSOS E QUALIDADE Prof. Afonso Celso M. Madeira 3º semestre CONCEITOS CONCEITOS Atividade Ação executada que tem por finalidade dar suporte aos objetivos da organização. Correspondem

Leia mais

BPMN Business Process Modeling Notation

BPMN Business Process Modeling Notation BPMN Business Process Modeling Notation Business Process Modeling Notation Página 1 Objetivo O objetivo deste curso é apresentar os elementos da notação de modelagem de processos de negócio BPMN 1.1 (Business

Leia mais

Guia de utilização da notação BPMN

Guia de utilização da notação BPMN 1 Guia de utilização da notação BPMN Agosto 2011 2 Sumário de Informações do Documento Documento: Guia_de_utilização_da_notação_BPMN.odt Número de páginas: 31 Versão Data Mudanças Autor 1.0 15/09/11 Criação

Leia mais

Gestão de Processos de Negócios

Gestão de Processos de Negócios Gestão Operacional da TI Gestão de Processos de Negócios Business Process Management (BPM) Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br Professor NOME: RÔMULO CÉSAR DIAS DE ANDRADE

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS

MODELAGEM DE PROCESSOS MODELAGEM DE PROCESSOS a a a PRODUZIDO POR CARLOS PORTELA csp3@cin.ufpe.br AGENDA Definição Objetivos e Vantagens Linguagens de Modelagem BPMN SPEM Ferramentas Considerações Finais Referências 2 DEFINIÇÃO:

Leia mais

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012

Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 Renata Alves Campos (CoInfo) Sandra Maria Peron de Lima (DP) Março/2012 O que é um processo? Um processo é um grupo de atividades realizadas numa seqüência lógica com o objetivo de produzir um bem ou um

Leia mais

REQUISITOS DE SISTEMAS

REQUISITOS DE SISTEMAS REQUISITOS DE SISTEMAS MÓDULO 2 PROCESSOS DE NEGÓCIOS CONTEÚDO 1. PROCESSOS DE NEGÓCIO IDENTIFICAÇÃO CONCEITOS MODELAGEM (BPM e UML) PROCESSOS X REQUISITOS 1. PROCESSOS DE NEGÓCIO IDENTIFICAÇÃO CONCEITOS

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015

BPMN. Business Process Modeling Notation. Leandro C. López Agosto - 2015 BPMN Business Process Modeling Notation Leandro C. López Agosto - 2015 Objetivos Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos de processos Apresentar os conceitos e elementos da notação

Leia mais

Versão 6.04.00 Setembro/2013. Manual de Processos. Módulo Protocolo

Versão 6.04.00 Setembro/2013. Manual de Processos. Módulo Protocolo Versão 6.04.00 Setembro/2013 Manual de Processos Módulo Protocolo 1 1 2 2 Sumário Sumário... 3 Introdução ao Manual de Processos... 4 Conceituado os Processos de Negócio... 5 Estrutura do Manual de Processos...

Leia mais

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br

Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com. Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Adm. Vinicius Braga admviniciusbraga@gmail.com Prof. Msc. Wilane Carlos da Silva Massarani wilane@cercomp.ufg.br Objetivos Contextualização Conceitos Boas práticas de modelagem Elementos do BPMN Tipos

Leia mais

MODELAGEM DE PROCESSOS USANDO BPMN (BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION) E IOT (INTERNET DAS COISAS)

MODELAGEM DE PROCESSOS USANDO BPMN (BUSINESS PROCESS MODEL AND NOTATION) E IOT (INTERNET DAS COISAS) WHITE PAPPER Rafael Fazzi Bortolini Diretor, Cryo Technologies Orquestra BPMS rafael@cryo.com.br Internet das Coisas e Gerenciamento de Processos de Negócio (BPM) são duas disciplinas ou tendências à primeira

Leia mais

GUIA DE REFERÊNCIA EM GESTÃO DE PROCESSOS

GUIA DE REFERÊNCIA EM GESTÃO DE PROCESSOS GUIA DE REFERÊNCIA EM GESTÃO DE PROCESSOS CONTROLE DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 11/03/2013 1.0 Elaboração do documento Andrea Lelis Prado 13/05/2013 1.1 Atualização do documento Andrea Lelis

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROCESSOS Atualizado em 21/12/2015 GESTÃO DE PROCESSOS Um processo é um conjunto ou sequência de atividades interligadas, com começo, meio e fim. Por meio de processos, a

Leia mais

Conceitos de Processos & BPM

Conceitos de Processos & BPM http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte I Rogério Araújo http://rogerioaraujo.wordpress.com Série Rações Semanais Conceitos de Processos & BPM Parte

Leia mais

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI

DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI DISSEMINAÇÃO DE CONHECIMENTO FERRAMENTA BIZAGI Harley Caixeta Seixas Márcia Lúcia Borges de Melo Gomes Roberta A. de Mello Bezerra Silvana Dias Soares FERRAMENTA BIZAGI BPMN Business Process Modeling Notation

Leia mais

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani

Modelagem de Processos. Prof.: Fernando Ascani Modelagem de Processos Prof.: Fernando Ascani Bibliografia UML Guia de consulta rápida Douglas Marcos da Silva Editora: Novatec UML Guia do usuário Grady Booch James Rumbaugh Ivair Jacobson Editora: Campus

Leia mais

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva

Treinamento BPM e BPMN Apresentação Executiva Apresentação Executiva 1 O treinamento de BPM e BPMN tem como premissa capacitar o aluno a captar as atividades relativas a determinado processo da empresa, organizá-las, gerando um fluxograma de atividades/processos,

Leia mais

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

PROPOSTA PARA AUTOMAÇÃO DO PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE HORÁRIOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES XIV COLÓQUIO INTERNACIONAL DE GESTÃO UNIVERSITÁRIA CIGU A Gestão do Conhecimento e os Novos Modelos de Universidade Florianópolis Santa Catarina Brasil 3, 4 e 5 de dezembro de 2014. ISBN: 978-85-68618-00-4

Leia mais

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br

BPMN (Business Process. George Valença gavs@cin.ufpe.br BPMN (Business Process Modeling Notation) George Valença gavs@cin.ufpe.br 31/10/2012 Introdução Modelagem de processos No ciclo de vida BPM, a etapa de modelagem de processos consiste em um conjunto de

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation. Outubro/2006. Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br

BPMN. Business Process Modeling Notation. Outubro/2006. Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br BPMN Business Process Modeling Notation Outubro/2006 Rafael Bortolini rafael@cryo.com.br Cryo Technologies www.cryo.com.br 1 Agenda Introdução História Especificação Swinlanes Atividades Eventos Gateways

Leia mais

BPMN. Business Process Modeling Notation

BPMN. Business Process Modeling Notation BPMN Business Process Modeling Notation Montar viagem UML (diagrama de atividades) Montar viagem BPMN Tipos de diagrama 1) Private Business Process ou Diagramas de processos privados: usado quando não

Leia mais

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT

silviaheld@usp.br Italiano, Isabel Cristina. Profa. Dra. - Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e RESUMO ABSTRACT MAPEAMENTO DE PROCESSOS DE CONFECÇÃO PARA IDENTIFICAÇÃO DE PONTOS CRÍTICOS DA PRODUÇÃO Espinosa, Caroline Stagi - Bacharel em Têxtil e Moda - Escola de Artes, Ciências e Humanidades - Universidade de São

Leia mais

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos

BEM-VINDO!!! Apresentação Inicial. Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos Apresentação Inicial BEM-VINDO!!! Por favor, descreva o seu atual conhecimento sobre Mapeamento de Processos 1 Mapeamento de Processos Mapeamento de Processos e Negócios com BPM 2 Ementa Introdução Definição

Leia mais

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009

Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 Micro Mídia Informática Fevereiro/2009 1 UML Introdução Fases de Desenvolvimento Notação Visões Análise de Requisitos Casos de Uso StarUML Criando Casos de Uso Orientação a Objetos Diagrama de Classes

Leia mais

CURSO PARA GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS DO MP-PR

CURSO PARA GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS DO MP-PR CURSO PARA GESTÃO DE PROCESSOS MÓDULO I - MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS DO MP-PR 2ª Oficina 2ª Reunião Mapeamento de Processos e Identificação de Séries Documentais OBJETIVO Harmonizar o conhecimentos

Leia mais

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN

Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Professor: Rômulo César romulodandrade@gmail.com www.romulocesar.com.br BPMN Benefícios da modelagem Em uma organização orientada a processos, modelos de processos são o principal meio para medir o desempenho

Leia mais

BPMN - Business Process Modeling and Notation

BPMN - Business Process Modeling and Notation BPMN - Business Process Modeling and Notation AGENDA Notação Conceito Visão Geral da Notação BPMN Notação BPMN no Escritório de Processos NOTAÇÃO - CONCEITO Segundo o dicionário: Ação de indicar, de representar

Leia mais

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes

Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Ferramenta para Geração de Código a partir da Especialização do Diagrama de Classes Alexandro Deschamps (Ápice) alexandro@apicesoft.com Everaldo Artur Grahl (FURB/DSC) egrahl@furb.br Resumo. Uma das grandes

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DA GESTÃO DA TECNOLOGIA, DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DA GESTÃO DA TECNOLOGIA, DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GTE 28 14 a 17 Outubro de 2007 Rio de Janeiro - RJ GRUPO XV GRUPO DE ESTUDO DA GESTÃO DA TECNOLOGIA, DA INOVAÇÃO E DA EDUCAÇÃO MODELO

Leia mais

Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo Silvério POLIDORIO 2

Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo Silvério POLIDORIO 2 COMO QUEBRAR PARADIGMAS SEM CAUSAR UM IMPACTO NEGATIVO NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO, CRM E DBM EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO Laudinei Rossi Barbatto JUNIOR 1 Gilson Rodrigo

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

Curso de BPMN - II. Desenho de processo

Curso de BPMN - II. Desenho de processo Curso de BPMN - II Glauco Reis (gsrt@terra.com.br) é Consultor em Java e metodologias OO, e especializado em plataforma IBM. Têm o título de SCJP 1.1 e 1.4, SCJWCD 1.4, e IBM CSE e IBM Websphere Application

Leia mais

2 Engenharia de Software

2 Engenharia de Software 20 2 Engenharia de Software 2.1 Design de Sistemas Orientados a Objetos Os Sistemas Orientados a Objetos não são mais novidade hoje em dia já estando há muitos anos no mercado. A orientação a objetos permite

Leia mais

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN

INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 2.1 CONCEITO DE MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN INTRODUÇÃO A MODELAGEM DE PROCESSOS UTILIZANDO BPMN 1 FÁBIO RODRIGUES CRUZ 2 1 INTRODUÇÃO A Business Process Modeling Notation (BPMN), ou Notação de Modelagem de Processos de Negócio, é um conjunto de

Leia mais

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos

Tutorial de BPMN. Visão Geral. Escopo. Elementos Tutorial de BPMN Visão Geral É um padrão para modelagem de processos de negócio que fornece uma notação gráfica para especificação de processos de negócio em um DPN (Diagrama de Processo de Negócios).

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS Versão : 31 de dezembro de 2008 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO...3 2. ORGANIZAÇÃO DA GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL...3

Leia mais

GESTÃO POR PROCESSOS - ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO BPM EM UMA AGROINDÚSTRIA DA REGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE GOIÁS

GESTÃO POR PROCESSOS - ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO BPM EM UMA AGROINDÚSTRIA DA REGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE GOIÁS GESTÃO POR PROCESSOS - ANÁLISE DA IMPLANTAÇÃO DO BPM EM UMA AGROINDÚSTRIA DA REGIÃO SUDOESTE DO ESTADO DE GOIÁS Vinícius Gil de Oliveira 1 Jordania Louse Silva Alves 2 RESUMO Para melhorar a execução e

Leia mais

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

BPM e SOA. Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas BPM e SOA Grinaldo Lopes de Oliveira (grinaldo@gmail.com) Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Como funcionam as organizações? O que ébpm Business Process Management (BPM)

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I BPMN I Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br 1 + Processo de Negócio 2 n Coleção de atividades relacionadas e estruturadas que produzem um serviço ou produto específico.

Leia mais

Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0

Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0 Treinamentos em Gestão por Processos Dominando o Mapeamento de Processos com BPMN 2.0 Representando processos de negócio com a notação mais poderosa do Mercado. BPMN (Business Process Model and Notation)

Leia mais

UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009)

UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009) GESTÃO DE PROCESSOS UM GUIA RÁPIDO ORIENTADO A RESULTADOS (vigência: 29 JUN 2009) 1. O QUE É PROCESSO? Processos têm sido considerados uma importante ferramenta de gestão, um instrumento capaz de aproximar

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1

BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BPM Definições e Contexto Prática Aula 1 BP Business Process Algumas definições sobre o que é Processos de Negócio (BP) Um processo é um fluxo coordenado e padronizado de atividades executadas por pessoas

Leia mais

Treinamento BPMS Activiti + Elementos de NFR e Contexto. Bruno Figueiredo

Treinamento BPMS Activiti + Elementos de NFR e Contexto. Bruno Figueiredo Treinamento BPMS Activiti + Elementos de NFR e Contexto Bruno Figueiredo BPM BPM Business Process Modeling BPM Business Process Management Busca maximizar a eficiência e a efetividade do negócio, utilizando

Leia mais

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO

MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO MAPEAMENTO OBJETO RELACIONAL: UM ESTUDO DE CASO UTILIZANDO O HIBERNATE Rafael Laurino GUERRA, Dra. Luciana Aparecida Martinez ZAINA Faculdade de Tecnologia de Indaiatuba FATEC-ID 1 RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS Vinicius Coutinho dos Santos BARBOSA (1); Michele Tereza Marques CARVALHO (2) (1) Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Aula 5 Levantamento de Processos. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br

Modelagem de Processos de Negócio Aula 5 Levantamento de Processos. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Modelagem de Processos de Negócio Aula 5 Levantamento de Processos Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Agenda Técnicas de levantamento de processos Análise de documentação Observação Story boarding

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

Mapa Mental de Engenharia de Software - Diagramas UML

Mapa Mental de Engenharia de Software - Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software - Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software Diagramas UML Mapa Mental Engenharia Software Diagramas UML Mapa Mental UML - Diagramas, Fases e Detalhes Resolvi juntar

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação ANÁLISE PRELIMINAR DE PDTI Órgão: UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIA E SAÚDE DE PORTO ALEGRE - UFCSPA Objeto:

Leia mais

Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos.

Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos. Desenvolvimento estruturado versus orientado a objetos. Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Objetivos Identificar diferenças entre: Desenvolvimento

Leia mais

PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014

PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014 1 PODER EXECUTIVO DECRETO N 44.771 DE 05 DE MAIO DE 2014 APROVA A METODOLOGIA DE INFORMATIZAÇÃO DE PROCESSO ADMINISTRATIVO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO ESTADUAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO

RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO Documento 7.1 RESUMO EXECUTIVO RELATÓRIO FINAL DO PROJETO TRIBUNAL DE CONTAS DOS MUNICIPIOS DO ESTADO DA BAHIA TCM-BA SALVADOR BAHIA MARÇO / 2010 1/10 1. Introdução Este documento faz parte do escopo do

Leia mais

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS

Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS Disciplina: Técnicas de Racionalização de Processos Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 04 O PROJETO DE MELHORIA DOS PROCESSOS 3.4 O PROJETO DE MELHORIA DE PROCESSOS 3.4.1 - CONCEITO DE PROJETO

Leia mais

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos processos de trabalho do TJAC.

Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento dos processos de trabalho do TJAC. Código: MAP-DIGES-003 Versão: 00 Data de Emissão: 01/01/2013 Elaborado por: Gerência de Processos Aprovado por: Diretoria de Gestão Estratégica 1 OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para o gerenciamento

Leia mais

MODELAGEM E ANÁLISE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS EM UM ESCRITÓRIO DE PROJETOS PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL

MODELAGEM E ANÁLISE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS EM UM ESCRITÓRIO DE PROJETOS PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. MODELAGEM E ANÁLISE DOS PROCESSOS DE NEGÓCIOS EM UM ESCRITÓRIO DE PROJETOS PARA A CONSTRUÇÃO CIVIL Gisele Mancini Nossar Gomes (IIPR) gmngomes@hotmail.com

Leia mais

www.gartcapote.com www.abpmp br.org Livros Guia para Formação de Analistas de Processos Contribuições Modelagem de Processos com BPMN

www.gartcapote.com www.abpmp br.org Livros Guia para Formação de Analistas de Processos Contribuições Modelagem de Processos com BPMN Gart Capote International Certified Business Process Professional (CBPP ) Presidente da ABPMP no Brasil - Association of Business Process Management Professionals (Chicago-EUA) Autor, Instrutor e Consultor

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management)

Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG. Maturidade em BPM. (Business Process Management) Modelagem de Processos de Negócio Departamento de Ciência da Computação - UFMG Maturidade em BPM (Business Process Management) Douglas Rodarte Florentino Belo Horizonte, 21 de Junho de 2010 Agenda Introdução

Leia mais

Nos artigos anteriores apresentamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio

Nos artigos anteriores apresentamos. Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio Desenvolvimento de Software Dirigido por Caso de Uso Parte III: Caso de Uso de Negócio Vinicius Lourenço de Sousa vinicius.lourenco.sousa@gmail.com Atua no ramo de desenvolvimento de software há mais de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS Aluno: Luiza Cavalcanti Marques Orientador: Silvio Hamacher Introdução A modelagem e a utilização de bancos de dados em atividades gerenciais têm sofrido um aumento significativo

Leia mais

A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio

A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio A aplicação do BPM e as suas soluções na modelagem de processos de negócio Meire Helen Batista Dias Faculdade de Tecnologia da Zona Leste/FATEC-ZL São Paulo SP Brasil meirehelenbdias@bol.com.br Cristina

Leia mais

Indicadores de Desempenho Conteúdo

Indicadores de Desempenho Conteúdo Indicadores de Desempenho Conteúdo Importância da avaliação para a sobrevivência e sustentabilidade da organização O uso de indicadores como ferramentas básicas para a gestão da organização Indicadores

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RAPID APPLICATION DEVELOPMENT

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RAPID APPLICATION DEVELOPMENT UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA E INFORMÁTICA BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO RAPID APPLICATION DEVELOPMENT Disciplina: Modelagem a Programação Orientada a Objetos

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DA QUALIDADE Atualizado em 03/12/2015 GESTÃO DA QUALIDADE As ideias principais que baseiam o significado atual da qualidade são, basicamente, as seguintes: Atender às expectativas,

Leia mais

WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS

WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS WORKSHOP MELHORIA DE PROCESSOS Superintendência de Planejamento e Gestão Escritório de Processos Organizacionais Goiânia, 27 de maio de 2009 Objetivos: WORKSHOPS DE MELHORIA DE PROCESSOS Promover o mapeamento,

Leia mais

Justificativas para Adoção de BPM Melhores Práticas deseleção de Casos e Metodologia de Desenvolvimento

Justificativas para Adoção de BPM Melhores Práticas deseleção de Casos e Metodologia de Desenvolvimento Justificativas para Adoção de BPM Melhores Práticas deseleção de Casos e Metodologia de Desenvolvimento Leonardo Vieiralves Azevedo CMO Habber Tec 15 de Agosto de 2013 AGENDA 1. JUSTIFICATIVAS E CRITÉRIOS

Leia mais

UML e a Ferramenta Astah. Profa. Reane Franco Goulart

UML e a Ferramenta Astah. Profa. Reane Franco Goulart UML e a Ferramenta Astah Profa. Reane Franco Goulart História da UML o Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. o Alguns esforços nesse

Leia mais

Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa

Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa Como Identificar e Definir os Processos da sua Empresa Mapeamento e Padronização de Processos Organizacionais Mateus Pizetta Aline Milani Todos os Direitos Reservados 2014 Introdução: Este material foi

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE SELEÇÃO DE PEÇA USANDO CONCEITOS DE PROGRAMAÇÃO DE SISTEMA DE AUTOMAÇÃO. João Alvarez Peixoto*

IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE SELEÇÃO DE PEÇA USANDO CONCEITOS DE PROGRAMAÇÃO DE SISTEMA DE AUTOMAÇÃO. João Alvarez Peixoto* IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE SELEÇÃO DE PEÇA USANDO CONCEITOS DE PROGRAMAÇÃO DE SISTEMA DE AUTOMAÇÃO João Alvarez Peixoto* * Mestrando do Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica - UFRGS Porto

Leia mais

FERRAMENTA FLUXOGRAMA ESSENCIAL NO PROCESSO LOGÍSTICO

FERRAMENTA FLUXOGRAMA ESSENCIAL NO PROCESSO LOGÍSTICO FERRAMENTA FLUXOGRAMA ESSENCIAL NO PROCESSO LOGÍSTICO Douglas Lima 1 Lucas Rocco 2 Stefano Batista 3 Professor Orientador: André Rodrigues da Silva 4 Professor Orientador: Fábio Fernandes 5 Resumo A tendência

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: GESTÃO DE PROJETOS Aula N : 10 Tema: Gerenciamento

Leia mais

Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira

Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira Indicadores de Desempenho associados a Mapeamento de Processos: Estudo de Caso em Instituição Pública Brasileira Monica Rottmann de Biazzi (DEP/EPUSP) monica.rottmann@poli.usp.br Antonio Rafael Namur Muscat

Leia mais

Manual de Convenções. BPMN Business Process Modelling Notation. 2009 GFI Portugal

Manual de Convenções. BPMN Business Process Modelling Notation. 2009 GFI Portugal Manual de Convenções BPMN Business Process Modelling Notation 2009 GFI Portugal O que é o BPMN? O BPMN é uma notação gráfica para a definição de processos de negócio É o standard internacional para modelação

Leia mais

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto

Figura 5 - Workflow para a Fase de Projeto 5. Fase de Projeto A Fase de Projeto caracteriza-se por transformar as informações modeladas durante a Fase de Análise em estruturas arquiteturais de projeto com o objetivo de viabilizar a implementação

Leia mais

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto.

3.1 Definições Uma classe é a descrição de um tipo de objeto. Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Classes Autoria:Aristófanes Corrêa Silva Adaptação:

Leia mais

ÍNDICE. Apresentação. Conceito de rede. Redes organizacionais. Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede

ÍNDICE. Apresentação. Conceito de rede. Redes organizacionais. Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede #10 ATUAÇÃO EM REDE ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Conceito de rede Redes organizacionais Redes e o Modelo de Excelência da Gestão (MEG) Características da atuação em rede Sobre a FNQ Apresentação

Leia mais

4.1. UML Diagramas de casos de uso

4.1. UML Diagramas de casos de uso Engenharia de Software 4.1. UML Diagramas de casos de uso Nuno Miguel Gil Fonseca nuno.fonseca@estgoh.ipc.pt Utilizados para ajudar na análise de requisitos Através da forma como o utilizador usa o sistema

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008/1 4º PERÍODO 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A3 DATA 15/10/2009 ENGENHARIA DE SOFTWARE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Analise as afirmações

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas

Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Faculdade de Tecnologia Senac Goiás Os cinco subsistemas de Gestão de Pessoas Trabalho de Gestão de Pessoas Alunos: Nilce Faleiro Machado Goiânia,4 de dezembro de 2015 1 Sumário Capa...1 Sumário...2 Introdução...3

Leia mais

UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS

UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS ISSN 1984-9354 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR A UTILIZAÇÃO DO PROJECT MODEL CANVAS Área temática: Gestão pela Qualidade Simone Vasconcelos Silva simonevsinfo@gmail.com Leonardo Barroso da Silva leo.barroso.silva@gmail.com

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais

Manual de Processos. Versão 6.04.00 Junho/2013. Manual de. Versão 1.1. Agosto/2011. Módulo Financeiro. Processos. Financeiro

Manual de Processos. Versão 6.04.00 Junho/2013. Manual de. Versão 1.1. Agosto/2011. Módulo Financeiro. Processos. Financeiro Versão 6.04.00 Junho/2013 Versão 1.1 Agosto/2011 Manual de Processos Manual de Módulo Financeiro Processos Financeiro c 1 2 Sumário Introdução ao Manual de Processos... 7 Conceituado os Processos de Negócio...

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação Frederico Sauer, D.Sc. Auditor de Segurança da Informação fsauer@gmail.com 1/65 Objetivos Essenciais Conceito de Risco e suas componentes Mensurabilidade do Risco Gestão do Risco

Leia mais

Modelagem de Processos de Negócio Aula 10 Aplicações. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br

Modelagem de Processos de Negócio Aula 10 Aplicações. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Modelagem de Processos de Negócio Aula 10 Aplicações Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Agenda Escritório de Processos BPM Ágil Automatização através de BPMS Social BPM Process Thinking Green

Leia mais

1 Introdução. Componentes Usuários. Provedor de Serviços. Figura 1.1 Ambiente de oferecimento de serviços

1 Introdução. Componentes Usuários. Provedor de Serviços. Figura 1.1 Ambiente de oferecimento de serviços 1 Introdução Nos últimos anos, houve um aumento notável de demanda por plataformas com suporte a diferentes mídias. Aplicações manipulando simultaneamente texto, vídeo e áudio são cada vez mais comuns.

Leia mais

Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos

Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos Material para nivelamento de informações sobre Mapeamento de Processos 1 Objetivo Nivelar informações e conceitos sobre mapeamento de processos na UFABC. O que é um processo?? É um conjunto de atividades

Leia mais

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS

Unidade II MODELAGEM DE PROCESSOS Unidade II 3 MODELAGEM DE SISTEMAS 1 20 A fase de desenvolvimento de um novo sistema de informação (Quadro 2) é um momento complexo que exige um significativo esforço no sentido de agregar recursos que

Leia mais

Business Process Integration Architecture

Business Process Integration Architecture Business Process Integration Architecture Definição, Motivações e Conceitos Base 3/2/2005 José Alves Marques 1 Processo de Negócio A modelação de processos está focada em: Criar e optimizar modelos de

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE AQUISIÇÕES BANCO INTERAMERICANO DE DESENVOLVIMENTO REPRESENTAÇÃO NO BRASIL SOLICITAÇÃO DE MANIFESTAÇÃO DE

Leia mais

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio

Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS / INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Planejamento da disciplina: Modelagem de processos de negócio Professor: Clarindo Isaías Pereira

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44)

QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) QUESTÕES PROVA 2 (28 a 44) 28) A orientação a objetos é uma forma abstrata de pensar um problema utilizando-se conceitos do mundo real e não, apenas, conceitos computacionais. Nessa perspectiva, a adoção

Leia mais

Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil. Automação de Processos. Jones Madruga

Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil. Automação de Processos. Jones Madruga Liderança em idéias, métodos e resultados em BPM no Brasil Automação de Processos Jones Madruga Promover melhorias e inovações que efetivamente criam valor não é simples... Apresentação Ø Organização PRIVADA

Leia mais

Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação

Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação Utilização da modelagem UML em um sistema de gerenciamento de uma franquia do setor de alimentação Use of UML modeling in a management system for a food franchising Richard B. N. Vital, Tatiane M. Vital.

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 03 RELATÓRIO TÉCNICO CONCLUSIVO

Leia mais

Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio

Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio Artigo de Conclusão de curso sobre BPM - Gestão de Processo de Negócio Este é um artigo sobre BPM que merece destaque no Portal GSTI. No trabalho abaixo, de Francisco Sobreira Neto, é elaborado um apanhado

Leia mais

UML Itens Estruturais - Interface

UML Itens Estruturais - Interface Itens Estruturais - Interface Coleção de operações que especificam serviços de uma classe ou componente Descreve o comportamento visível externamente Raramente aparece sozinha. Em geral vem anexada à classe

Leia mais

O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NO GRUPO JMT 1

O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NO GRUPO JMT 1 O SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE NO GRUPO JMT 1 CATTELAN, Verônica Dalmolin 2 ; NORO, Greice de Bem 3; MAGALHÃES, Aline Cristina de Menezes 4 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Bacharel em Admninistração

Leia mais