Determinantes e Relevância da Responsabilidade Social Corporativa nas empresas brasileiras de capital aberto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Determinantes e Relevância da Responsabilidade Social Corporativa nas empresas brasileiras de capital aberto"

Transcrição

1 - A segunda versão do trabalho foi disponível em anexo, e optou-se por apresentar as respostas, que estão destacadas de azul, no próprio documento desenvolvido pelo avaliador # RV# na primeira comunicação. - Destaca-se que devido às sugestões dos dois avaliadores, um novo texto foi desenvolvido sendo que as principais alterações ficaram concentradas na revisão de literatura, na análise dos resultados e nas conclusões. - Aproveito a oportunidade para agradecer aos comentários e contribuições ao trabalho. Determinantes e Relevância da Responsabilidade Social Corporativa nas empresas brasileiras de capital aberto Parecer: De maneira geral o artigo é coerente, a pesquisa tem robustez e está bem estruturada. No entanto, para que possa ter possibilidade de publicação, passo a elencar pontos que devem ser melhorados e/ou esclarecidos: 1) No resumo o autor escreveu que metodologia utilizada foi a análise de regressões do tipo logit com dados em painel, modelos de efeitos fixos e aleatórios, e mínimos quadrados generalizados.. Por que o autor se utilizou de modelos de efeitos fixos e aleatórios se na página 18 o autor menciona que o teste de Hausman sugere que o modelo de efeitos aleatórios é o mais adequado? Isso gerou incoerência nas informações; R: Com o objetivo de encontrar os possíveis determinantes de adesão ao ISE, foi empregado o método Logit, sendo o modelo de efeitos aleatórios o mais indicado. Para verificar a possível relação entre ISE e valor de mercado da empresa, também foi empregada a técnica de dados em painel, no entanto, para diferentes métricas para o valor da empresa. Para evitar a incoerência das informações destacada no comentário, alterou-se o texto no resumo, não especificando se efeitos fixos ou aleatórios. Tal discussão foi realizada na análise dos resultados. 2) No que se refere ao ineditismo da pesquisa não percebi relevância no estudo ao ler a introdução, uma vez que os seus resultados são a junção dos resultados de Nunes et al. (2010), Rossi Júnior (2009) e Andrade et al.(2012). Isto fica evidenciado na página 7. No estudo faltou deixar mais clara a contribuição do artigo em relação aos estudos de Nunes et al. (2010), Rossi Júnior (2009) e Andrade et al.(2012), inclusive no que se refere aos aspectos metodológicos. A recomendação é que apresente um parágrafo com a justificativa para se estudar o tema e em que este trabalho contribui além dos que já foram publicados.

2 R: A principal contribuição deste trabalho foi a identificação de indícios de que a crise financeira sugere alteração da natureza da relação entre adesão ao ISE e valor de mercado das empresas brasileiras, resultado ainda não encontrado em trabalhos anteriores. Em atendimento à sugestão, foram inseridos dois parágrafos (2º e 3º da página 2) com o objetivo de deixar mais clara a contribuição do artigo. 3) Com relação ao segundo objetivo do trabalho identificar se o período de crise financeira de 2008 afetou a natureza destas relações faltou fundamentar porque a crise financeira de 2008 afetaria a natureza destas relações. R: Em atendimento a este comentário, acrescentou nova fundamentação apresentada para a hipótese H 5. Os argumentos de que a crise financeira pode afetar a relação entre sustentabilidade empresarial e valor da empresa são encontradas nos trabalhos de McGuire et al. (1988), Souto (2009), Freguete e Funchal (2012), Yelkikalan e Kose (2012). 4) Com relação às hipóteses a maioria dos estudos citados que a fundamentam não deixa clara se foi encontrada relação positiva ou negativa, muitos nem encontram relação. Assim, por falta de uma fundamentação mais consistente, sugere-se que mencionar que a determinante e a RSC possui relação, mas sem mencionar se positiva ou negativa. R: As hipóteses foram alteradas conforme a sugestão acima. 5) No resumo o autor afirma que: Quando analisou-se o valor da RSC para o acionista, os resultados indicaram um efeito dinâmico e negativo entre RSC e valor da empresa e que a crise financeira de 2008 alterou a natureza dessa relação.. Em qual das 7 hipóteses foi testado a relação da RSC e valor da empresa? Pergunto isso, pois não encontrei nenhuma evidência de Proxy para valor da empresa em nenhuma das 7 hipóteses apresentadas. No item 3.3 o autor se utiliza de uma regressão na qual verifica a relação do Q de Tobin e RSC. Talvez seja interessante apresentar uma nova hipótese, neste sentido. Outro ponto a ser assinalado é com relação ao uso do Q de Tobin como Proxy para valor da empresa (valor de mercado). Esse conceito não é tão claro. Uma sugestão é proceder uma análise do seguinte artigo com vistas a buscar fundamentação para a variável: FAMÁ, R e BARROS, L.A.B.C. Q de Tobin e seu uso em finanças: aspectos metodológicos e conceituais. Caderno de Pesquisas em Administração. São Paulo, v. 7, n. 4, out./dez R: Em atendimento a esta sugestão, foram desenvolvidas duas novas hipóteses destacadas abaixo: H7: A adesão ao ISE tem relação com o valor de mercado da empresa. H8: A crise financeira de 2008 exerceu influência na relação entre adesão ao ISE e valor da empresa. Com relação à métrica Q de Tobin, procedeu-se tanto a inclusão da referência indicada quanto novas métricas de valor da empresa, tais como os quocientes valor de mercado sobre ativo (VM/AT) e Market to book. Procedimento semelhante foi utilizado por Freguete e Funchal (2012).

3 6) Na página 13 o autor escreveu: Este estimador remove qualquer correlação entre as variáveis explicativas e os efeitos fixos ao se utilizar a primeira diferença entre as variáveis no modelo estimado. Uma vez que a variável de interesse utilizada no presente estudo é de natureza binária, o estimador de Arellano e Bond (1991) pode estimar apenas o efeito das dummies após a variável assumir o valor 1, o que limitaria o alcance dos resultados, pois buscase avaliar o efeito da RSC sobre o valor de mercado da empresa, ao longo do tempo, tal como proposto nas equações (2) e (3). Note que o autor somente lançou a informação técnica para o leitor, mas não deixou claro o que fez para minimizar o problema econométrico. E aí qual o efeito disso tudo nos seus resultados? Essa é uma limitação? Pergunto isso, pois na sua conclusão não há menção a essa limitação. Necessita de mais explicações detalhadas. R: Diante a escolha por alteração dos resultados, em favor de maior robustez, o texto foi alterado e apenas o painel estático foi analisado. Considerou-se que a estimação dos parâmetros via painel dinâmico não é adequada, em razão do número de observações para cada empresa. Considera-se que são robustos os novos resultados encontrados, e consistentes com aqueles encontrados anteriormente. 7) No resumo autor não menciona sobre teste de média, mas na metodologia (página 13) menciona que Além do método de estimação utilizando modelo de regressão Logit, serão realizadas comparações univariadas das características das empresas, listadas e não listadas no ISE. O teste t foi então utilizado para comparar diferenças estatísticas para a média.. Note que na página 13 o autor fala: O teste t foi então utilizado para comparar diferenças estatísticas para a média.. Média de que? Por que se utilizou do teste de média? É preciso discorrer um pouco mais sobre o teste de média, inclusive fundamentar o porquê da sua utilização e em quais variáveis se utilizou do teste de média? Ao concluir a leitura do texto não encontrei nenhum resultado em relação ao teste de média. Se discutiu no texto deve haver alguma menção dos resultados na conclusão. R: Em atenção a esta sugestão, a análise de comparação de média foi inserida no segundo parágrafo das conclusões. Abaixo da Tabela 04 destacou-se que a comparação de média levou em conta a diferença entre os desvios-padrão e que foram considerados significativos os valores do teste t de student até 10% de probabilidade. O teste de comparação de média foi aplicado a todas as variáveis selecionadas no estudo com o objetivo de elaborar uma análise exploratória dos dados. 8) Na página 16 o autor escreveu:... O resultado está coerente com o sinal encontrado na literatura. Recomendo que indique a literatura, ou seja, que cite os autores com os quais são similares a esses resultados. R: Em atendimento a esta sugestão, a literatura foi indicada quando resultados similares ou divergentes foram encontrados. 9) Na página 18 o autor menciona que: Já com relação a comparação entre MQO e MQG, Stock e Watson (2004) argumentam que, na presença de variáveis endógenas, a estimação por MQO é considerada mais adequada que o MQG.. Quais seriam as variáveis endógenas? Não está claro no texto. R: Devido à escolha por alteração dos resultados, o possível efeito da endogenia dos regressores foi mitigado com a estimação via dados em painel. Especificamente, considerou-se que os modelos de efeitos fixos e aleatórios foram adequados para mitigar

4 a possível endogenia decorrente da heterogeneidade não observada. Por isso, optou-se por retirar os argumentos relacionados a comparação entre MQO e MQG destacados no comentário (9). 10) Na página 18 o autor escreveu: A relação entre RSC e Q de Tobin não foi significativa para o método pooled. A relação negativa indica que empresas listadas no ISE tendem a apresentar menor valor para o Q de Tobin, (-0,16 e - 0,37), embora a relação não seja significante quando as variáveis de controle são inseridas. Porém, quando se avalia a relação dinâmica que as variáveis podem assumir, verificou-se que os resultados sugerem relação positiva no mesmo período entre RSC e Q de Tobin, os quais se confirmaram na análise dos diferentes métodos de estimação, com maior poder de explicação quando comparado com o modelo estático. O que significa o fato do poder de explicação ser neutro no modelo Pooled e o poder de explicação ser maior em outros métodos de estimação? O autor trouxe todos os seus resultados para o texto, mas não os analisa, somente os expôem para que o leitor faça a análise. O autor encontrou resultados diferentes. E aí, qual dos dois resultados o leitor deve levar em consideração? É necessário melhorar a análise desses resultados. Recomendo que busque na literatura o que significa fazer uma análise em pooled e com outro método de estimação, pois isto facilitará a sua interpretação sobre os resultados diferentes encontrados, bem como em quais situações o resultado em pooled é relevante em comparação com o resultado com outros métodos de estimação. R: Devido à necessidade alteração sugerida, optou-se por excluir a análise em pooled. A justificativa é que conforme identificado no teste LM de Breush-Pagan rejeitou-se a hipótese de que são iguais as inferências realizadas a partir dos resultados em pooled e em dados em painel, o que causa um viés e inconsistência dos parâmetros da regressão pooled. Assim, devido ao fato dos estimadores gerados via dados em painel mitigarem os possíveis efeitos da heterogeneidade não observada (invariante no tempo), no caso de efeitos fixos, ou assumirem que a heterogeneidade não observada não seja correlacionada com os regressores, no caso de efeitos aleatórios, apresentam-se apenas esses resultados. Em atenção ao comentário no item 10, procedeu-se uma nova análise dos parâmetros apresentada na análise dos resultados. 11) Na página 20 o autor escreveu:...inferir que a responsabilidade social corporativa ainda não se apresentou como uma prática comum nas empresas brasileiras.... Com base em qual teste o autor encontrou essas evidências? Isso deve e ficar claro, senão esses resultados ficam fragilizados; R: Optou-se por excluir este trecho, substituído por novas argumentações, destacadas nas conclusões do trabalho. 12) Quando é apresentado o modelo econométrico na página 11, é informado que o detalhamento das variáveis será feito na Tabela 2. Na Tabela 2, realmente é feito um detalhamento das variáveis, no entanto, algumas não seguem a mesma nomenclatura mencionada na equação. Talvez tivesse que ter alguma coluna adicional na tabela com o nome da variável tal qual aparece na equação; ou fato é que algumas variáveis se dividem em duas na Tabela 2, como por exemplo, Rentabilidade (ROE e ROA), Endividamento (ENDIV e ENDCP). Não fica claro se no momento de rodar a equação as duas variáveis serão inseridas, ou se

5 ora processará com uma e ora com outra. Isso deve ser esclarecido para facilitar o entendimento do leitor. R: A análise de regressão foi realizada a partir das variáveis apresentadas na Tabela 02, no entanto, optou-se por permanecer no texto apenas os resultados considerados robustos. Em atenção à sugestão acima, criou-se uma nova coluna na Tabela 02 com a descrição das variáveis. 13) O trabalho necessita de ampla revisão de redação e ortografia. Destaco a seguir alguns pontos que assinalei com erros: a. No resumo: O objetivo desse trabalho foi o de identificar... (o correto é deste. Esse erro ocorre em várias partes do trabalho); b. Na pg. 1: A este respeito, cabe destacar a existência de um conflito de argumentos a respeito dos benefícios alcançados com os investimentos em responsabilidade social e corporativa. (repetição de palavras); c. Na página 6 o autor escreveu: Percebe-se que os resultados de pesquisas já realizadas, que analisam a relação entre RSC e desempenho financeiro, tem alcançado conclusões conflitantes. (o correto é têm) d. Na página 7 o autor escreveu: Assim, esse trabalho pretende contribuir para a construção de evidências sobre os determinantes de RSC pelas empresas brasileiras de capital aberto, e avaliar sua relação (?) o valor de mercado..... Falta alguma palavra (?); e. Na página 8 o autor escreveu: De acordo com Artiach et al. (2010), o tamanho da empresa pode de ser.... Eliminar o de. f. Na página 8 o autor escreveu:...medida será uma função do tamanho e volume das operações.. Acredito que o correto seria:...medida será em função do tamanho e volume das operações. ; R: Procedeu-se a revisão da redação e da ortografia de todo o texto. 14) Por fim sugiro que o autor leia (se ainda não o fez) ao trabalhos a seguir listados, pois acredito que tenha bastante relação com este artigo e possa ajudar a fundamentar pontos ainda em aberto: a. TEIXEIRA, Evimael Alves; NOSSA, Valcemiro and FUNCHAL, Bruno. O índice de sustentabilidade empresarial (ISE) e os impactos no endividamento e na percepção de risco. Rev. contab. finanç. [online]. 2011, vol.22, n.55, pp ISSN X. b. FEREGUETE, Lilian M.; FUNCHAL, Bruno. A prática de responsabilidade social corporativa e o desempenho financeiro de empresas em épocas de crise. IN: ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS (ANPCONT), 6., 2012, FLORIANÓPOLIS (SC). ANAIS... ANPCONT, c. Nossa, V.; Figueira Cezar, J.; Silva Junior, A.; Silva Baptista, É. C; Nossa, S. N. A Relação entre o Retorno Anormal e a Responsabilidade Social e Ambiental: Um Estudo Empírico na Bovespa no Período de 1999 a BBR Brazilian Business Review, Vol. 6, Núm. 2, mayo-agosto, 2009, pp

6 R: Em atendimento a esta sugestão, as referências bibliográficas indicadas foram adicionadas no trabalho. PARECER FINAL: Recomendo que o autor proceda aos ajustes e resubmeta para nova análise.

NOTA CEMEC 05/2015 INVESTIMENTO E RECESSÃO NA ECONOMIA BRASILEIRA 2010-2015: 2015: UMA ANÁLISE SETORIAL

NOTA CEMEC 05/2015 INVESTIMENTO E RECESSÃO NA ECONOMIA BRASILEIRA 2010-2015: 2015: UMA ANÁLISE SETORIAL NOTA CEMEC 05/2015 INVESTIMENTO E RECESSÃO NA ECONOMIA BRASILEIRA 2010-2015: 2015: UMA ANÁLISE SETORIAL Agosto de 2015 O CEMEC não se responsabiliza pelo uso dessas informações para tomada de decisões

Leia mais

AP 025/2011 Contribuição AES BRASIL 1

AP 025/2011 Contribuição AES BRASIL 1 AUDIÊNCIA PÚBLICA ANEEL Nº025/2011 Contribuição da AES Brasil à Audiência Pública nº025/2011 da ANEEL, que visa obter subsídios para aprimoramento da metodologia e do procedimento de cálculo de perdas

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

Medidas de Avaliação de Desempenho Financeiro e Criação de Valor: Um Estudo com Empresas Industriais

Medidas de Avaliação de Desempenho Financeiro e Criação de Valor: Um Estudo com Empresas Industriais Medidas de Avaliação de Desempenho Financeiro e Criação de Valor: Um Estudo com Empresas Industriais Elizabeth Krauter ekrauter@usp.br Universidade de São Paulo (USP), FEA São Paulo, SP, Brasil RESUMO

Leia mais

Questão 1 Que problemas de funcionamento identifica no setor portuário nacional?

Questão 1 Que problemas de funcionamento identifica no setor portuário nacional? A Acembex congratula-se com a elaboração e colocação em consulta pública por parte da Autoridade da Concorrência do Estudo sobre a Concorrência no Setor Portuário, tendo em consideração a sua elevada qualidade

Leia mais

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES

NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES NOTA CEMEC 07/2015 FATORES DA DECISÃO DE INVESTIR DAS EMPRESAS NÃO FINANCEIRAS UM MODELO SIMPLES Setembro de 2015 O CEMEC não se responsabiliza pelo uso dessas informações para tomada de decisões de compra

Leia mais

função de produção côncava. 1 É importante lembrar que este resultado é condicional ao fato das empresas apresentarem uma

função de produção côncava. 1 É importante lembrar que este resultado é condicional ao fato das empresas apresentarem uma 90 6. CONCLUSÃO Segundo a teoria microecônomica tradicional, se as pequenas empresas brasileiras são tomadores de preços, atuam nos mesmos mercados e possuem a mesma função de produção, elas deveriam obter

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014

A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 A EVOLUÇÃO DO PIB PARANAENSE - 2009 A 2014 Marcelo Luis Montani marcelo.montani@hotmail.com Acadêmico do curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Mônica Antonowicz Muller monicamuller5@gmail.com Acadêmica

Leia mais

3 Definição da metodologia

3 Definição da metodologia 3 Definição da metodologia A Pesquisa-ação foi a metodologia escolhida para a realização desta pesquisa, por indicar a participação do autor e a interação de outros atores na produção de conhecimento a

Leia mais

Este Caderno contém 34 questões de Conhecimentos Específicos: quatro discursivas e trinta de múltipla escolha, respectivamente.

Este Caderno contém 34 questões de Conhecimentos Específicos: quatro discursivas e trinta de múltipla escolha, respectivamente. Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Caso se identifique em qualquer outro local deste

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR II Alunos do Final do Módulo Organizacional

PROJETO INTEGRADOR II Alunos do Final do Módulo Organizacional PROJETO INTEGRADOR II Alunos do Final do Módulo Organizacional Cartilha de Orientação SUMÁRIO 1. Apresentação 2. Informações 2.1. Requisitos Específicos do Projeto Integrador II 2.2. Roteiro para elaboração

Leia mais

Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis.

Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis. Manual de Estágio e Trabalho de Conclusão de Curso dos Curso de Administração, Sistemas de Informação e Ciências Contábeis. 2 Sumário Necessidade do estágio... 3 Realização do Estágio... 3 Documentações

Leia mais

Objetivo do trabalho 4

Objetivo do trabalho 4 CC-226 Introdução à Análise de Padrões Prof. Carlos Henrique Q. Forster Instruções para Trabalho 4 Objetivo do trabalho 4 Relatar os resultados obtidos no trabalho 3 e estendidos na forma de escrita científica

Leia mais

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo.

compreensão ampla do texto, o que se faz necessário para o desenvolvimento das habilidades para as quais essa prática apresentou poder explicativo. 9 Conclusão Neste estudo, eu me propus a investigar os efeitos de práticas de Língua Portuguesa no aprendizado de leitura e como esses efeitos se diferenciam conforme o ano de escolaridade dos alunos e

Leia mais

O valor de ser sustentável

O valor de ser sustentável Visão Sustentável O valor de ser sustentável Os investimentos socialmente responsáveis vêm ganhando espaço mundialmente. No Brasil, há fundos de ações com foco em sustentabilidade, além do ISE Criselli

Leia mais

Revista Brasileira de Finanças ISSN: 1679-0731 rbfin@fgv.br Sociedade Brasileira de Finanças Brasil

Revista Brasileira de Finanças ISSN: 1679-0731 rbfin@fgv.br Sociedade Brasileira de Finanças Brasil Revista Brasileira de Finanças ISSN: 1679-0731 rbfin@fgv.br Sociedade Brasileira de Finanças Brasil Andrade, Lélis Pedro; Bressan, Aureliano Angel; Iquiapaza, Robert Aldo; de Melo Moreira, Bruno César

Leia mais

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências

Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências Roteiro para uso do banco de dados do SINAN Online Dengue para análise de completitude e inconsistências O Sistema de Informação de Agravos de Notificação Online (SINAN Online) tem por objetivo a notificação

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR III Alunos do Final do Módulo Processual. Cartilha de Orientação

PROJETO INTEGRADOR III Alunos do Final do Módulo Processual. Cartilha de Orientação PROJETO INTEGRADOR III Alunos do Final do Módulo Processual Cartilha de Orientação SUMÁRIO 1. Apresentação 2. Informações 2.1. Requisitos Específicos do Projeto Integrador III 2.2. Roteiro para elaboração

Leia mais

DÓLAR FUTURO X DÓLAR PRONTO NO FUTURO: EVIDÊNCIA EMPÍRICA PÓS-PLANO REAL. Autoria: Maurício Barreto Campos e Adonírio Panzieri Filho

DÓLAR FUTURO X DÓLAR PRONTO NO FUTURO: EVIDÊNCIA EMPÍRICA PÓS-PLANO REAL. Autoria: Maurício Barreto Campos e Adonírio Panzieri Filho DÓLAR FUTURO X DÓLAR PRONTO NO FUTURO: EVIDÊNCIA EMPÍRICA PÓS-PLANO REAL. Autoria: Maurício Barreto Campos e Adonírio Panzieri Filho RESUMO Este artigo relata uma pesquisa empírica de teste e quantificação

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Economia A 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 712/2.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO O ENSINO DE CÁLCULO NUMÉRICO: UMA EXPERIÊNCIA COM ALUNOS DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Prof. Leugim Corteze Romio Universidade Regional Integrada URI Campus Santiago-RS leugimcr@urisantiago.br Prof.

Leia mais

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS SIMULADO DO TESTE DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS PROPOSTA Este simulado é um material de apoio para você se preparar para o Teste de Resolução de Problemas, com o objetivo de: 1. Compartilhar dicas e normas

Leia mais

AMARO Gestão Empresarial Ltda.

AMARO Gestão Empresarial Ltda. Anexo SL Por se tratar de uma tradução livre e de uso somente informativo para os clientes da consultoria, selecionamos somente os trechos importantes do Anexo SL e colocamos abaixo o Apêndice 2 que estrutura

Leia mais

Interpretação do art. 966 do novo Código Civil

Interpretação do art. 966 do novo Código Civil Interpretação do art. 966 do novo Código Civil A TEORIA DA EMPRESA NO NOVO CÓDIGO CIVIL E A INTERPRETAÇÃO DO ART. 966: OS GRANDES ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA DEVERÃO TER REGISTRO NA JUNTA COMERCIAL? Bruno

Leia mais

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento;

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento; 1 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS INTEGRADORES CURSO SUPERIORES DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA (LOGÍSTICA) SÃO PAULO 2009 2 Introdução A prática pedagógica dos Cursos Superiores de Graduação

Leia mais

RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2

RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 RISCO E RETORNO FINANCEIRO NAS DECISÕES EMPRESARIAIS Renata Foltran MANCINI 1 Hiroshi Wilson YONEMOTO 2 RESUMO: O presente artigo tem como objetivo desenvolver a reflexão sobre o Risco e Retorno Financeiro,

Leia mais

INSTITUTO CAMPINENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CURSO DE ENFERMAGEM. NOME DOS ALUNOS (equipe de 4 pessoas) TÍTULO DO PROJETO

INSTITUTO CAMPINENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CURSO DE ENFERMAGEM. NOME DOS ALUNOS (equipe de 4 pessoas) TÍTULO DO PROJETO 1 INSTITUTO CAMPINENSE DE ENSINO SUPERIOR FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CURSO DE ENFERMAGEM NOME DOS ALUNOS (equipe de 4 pessoas) TÍTULO DO PROJETO CAMPINA GRANDE-PB 2014 2 NOME DOS ALUNOS (equipe de 4

Leia mais

Circular. Técnica. GestFrut_Pêssego: Sistema para Avaliações Econômico-financeiras da Produção de Pêssego. Apresentação Geral do Sistema.

Circular. Técnica. GestFrut_Pêssego: Sistema para Avaliações Econômico-financeiras da Produção de Pêssego. Apresentação Geral do Sistema. ISSN 1808-6810 104 Circular Técnica Bento Gonçalves, RS Novembro, 2014 Autores Joelsio José Lazzarotto Med. Vet., Dr., Pesquisador, Embrapa Uva e Vinho, Bento Gonçalves, RS, joelsio.lazzarotto@embrapa.br

Leia mais

BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE

BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE 1 REVISTA BRASILEIRA DE FARMÁCIA HOSPITALAR E SERVIÇOS DE SAÚDE Uma publicação da (SBRAFH) A () publica artigos nos idiomas Inglês, Espanhol, Português; e a partir de 2010 substituirá a Revista SBRAFH

Leia mais

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS

INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS INDICADORES FINANCEIROS NA TOMADA DE DECISÕES GERENCIAIS ANA BEATRIZ DALRI BRIOSO¹, DAYANE GRAZIELE FANELLI¹, GRAZIELA BALDASSO¹, LAURIANE CARDOSO DA SILVA¹, JULIANO VARANDAS GROPPO². 1 Alunos do 8º semestre

Leia mais

Vilma Aparecida Gomes

Vilma Aparecida Gomes Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola Vilma Aparecida Gomes Mestre em Lingüística pela Universidade Federal de Uberlândia. Professora de Língua Portuguesa da Escola de Educação

Leia mais

CURSO: ADMINISTRAÇÃO GUIA DO TRABALHO FINAL

CURSO: ADMINISTRAÇÃO GUIA DO TRABALHO FINAL CURSO: ADMINISTRAÇÃO GUIA DO TRABALHO FINAL Fortaleza 2014 SUMÁRIO 1 Introdução... 3 2 Objetivo... 3 3 Enfoques do Trabalho Final de Curso... 3 4 Responsabilidades... 3 4.1 Coordenador local do curso...

Leia mais

Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve

Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve Plano de Negócios (PN): uma visão geral. O que é e para que serve 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL. O QUE É E PARA QUE SERVE Objetivo específico - Ao concluir este módulo, você vai ser capaz de

Leia mais

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA INTERNA

PROCEDIMENTOS DE AUDITORIA INTERNA 1/8 Sumário 1 Objetivo 2 Aplicação 3 Documentos complementares 4 Definições 5 Procedimento 1 Objetivo Este Procedimento tem como objetivo descrever a rotina aplicável aos procedimentos de auditoria interna

Leia mais

Revisão Tarifária Escelsa. Etapa I. Reposicionamento Tarifário. Metodologia e Critérios

Revisão Tarifária Escelsa. Etapa I. Reposicionamento Tarifário. Metodologia e Critérios Revisão Tarifária Escelsa Etapa I Reposicionamento Tarifário Metodologia e Critérios APRESENTAÇÃO A ESCELSA foi privatizada em 11 de julho de 1995, sendo as concessões outorgadas pelo Decreto de 13 de

Leia mais

1. Os métodos Não-Paramétricos podem ser aplicados a uma ampla diversidade de situações, porque não exigem populações distribuídas normalmente.

1. Os métodos Não-Paramétricos podem ser aplicados a uma ampla diversidade de situações, porque não exigem populações distribuídas normalmente. TESTES NÃO - PARAMÉTRICOS As técnicas da Estatística Não-Paramétrica são, particularmente, adaptáveis aos dados das ciências do comportamento. A aplicação dessas técnicas não exige suposições quanto à

Leia mais

No capítulo 3 estão concentrados todos os assuntos relacionados à metodologia utilizada nesse trabalho de pesquisa. Ou seja, tipo de pesquisa, método

No capítulo 3 estão concentrados todos os assuntos relacionados à metodologia utilizada nesse trabalho de pesquisa. Ou seja, tipo de pesquisa, método 14 1 Introdução Este estudo visa identificar os atributos e seus respectivos níveis mais importantes na definição da contratação de serviços de consultoria estratégica pelas operadoras de telecomunicações.

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ACÕES AFIRMATIVAS RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores Paulo Eduardo Boeira Capeller Dr(ª).

Leia mais

Apresentação de Resultados do 4T13

Apresentação de Resultados do 4T13 Apresentação de Resultados do 4T13 Geraldo Bom dia a todos. Em nome da M DIAS BRANCO, gostaria de agradecer a presença dos senhores em nossa teleconferência para discussão dos resultados da Companhia no

Leia mais

Tenha um plano de cargos e salários consistente

Tenha um plano de cargos e salários consistente ESTRUTURAÇÃO DE CARGOS E SALÁRIOS Tenha um plano de cargos e salários consistente Cícero C Nunes c²n c2n@posicional.com Consultoria Técnica em Remuneração POSICIONAL.COM Consultoria Empresarial Ltda. Araraquara/SP

Leia mais

A (ir) relevância das informações contábeis ambientais na percepção de analistas, investidores, e professores de finanças

A (ir) relevância das informações contábeis ambientais na percepção de analistas, investidores, e professores de finanças A (ir) relevância das informações contábeis ambientais na percepção de analistas, investidores, e professores de finanças José Alonso Borba (UFSC) - jalonso@cse.ufsc.br André Carlos Souza (UFSC) - a.carlos.souza@hotmail.com

Leia mais

BSC Balance Score Card

BSC Balance Score Card BSC (Balance Score Card) BSC Balance Score Card Prof. Gerson gerson.prando@fatec.sp.gov.br Uma das metodologias mais visadas na atualidade éobalanced ScoreCard, criada no início da década de 90 por Robert

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Energia Elétrica: Previsão da Carga dos Sistemas Interligados 2 a Revisão Quadrimestral de 2004

Energia Elétrica: Previsão da Carga dos Sistemas Interligados 2 a Revisão Quadrimestral de 2004 Energia Elétrica: Previsão da Carga dos Sistemas Interligados 2 a Revisão Quadrimestral de 2004 Período 2004/2008 INFORME TÉCNICO PREPARADO POR: Departamento de Estudos Energéticos e Mercado, da Eletrobrás

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL

CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL CAPITAL DE GIRO: ESSÊNCIA DA VIDA EMPRESARIAL Renara Tavares da Silva* RESUMO: Trata-se de maneira ampla da vitalidade da empresa fazer referência ao Capital de Giro, pois é através deste que a mesma pode

Leia mais

1 INTRODUÇÃO 1.1 O problema

1 INTRODUÇÃO 1.1 O problema 1 INTRODUÇÃO 1.1 O problema Para se estudar os determinantes do investimento é preciso, em primeiro lugar, definir o investimento. Segundo Galesne (2001) fazer um investimento consiste, para uma empresa,

Leia mais

Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 8ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo 20

Leia mais

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I

Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Orientações para Mostra Científica IV MOSTRA CIENTÍFICA 2014 COLÉGIO JOÃO PAULO I Tema VIDA EFICIENTE: A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DO PLANETA Cronograma Orientações Pré-projeto Metodologia Relatório

Leia mais

DISCIPLINA: Vivência na Prática Educativa VI PROFESSORA: Ermelinda Nóbrega de M. Melo COMO ELABORAR UM PLANO DE AULA

DISCIPLINA: Vivência na Prática Educativa VI PROFESSORA: Ermelinda Nóbrega de M. Melo COMO ELABORAR UM PLANO DE AULA COMO ELABORAR UM PLANO DE AULA PLANO DE AULA É... Um guia e tem a função de orientar a prática do professor, partindo da própria prática e, portanto, não pode ser um documento rígido e absoluto. Ele é

Leia mais

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas as áreas da Fibria que, direta

Leia mais

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla "gestão enxuta", muitas organizações abraçam

processos de qualidade como um todo. Este conceito, muitas vezes como parte de uma iniciativa mais ampla gestão enxuta, muitas organizações abraçam 2 1 FILOSOFIA KAIZEN Segundo IMAI, MASAAKI (1996) KAIZEN é uma palavra japonesa que traduzida significa melhoria continua, que colabora em melhorias sequenciais na empresa como um todo, envolvendo todos

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS MOMENTO ECONÔMICO Os investimentos dos Fundos de Pensão, e o PRhosper não é diferente, têm por objetivo a formação de capital para uso previdenciário, portanto, de longo prazo. Exatamente por essa razão,

Leia mais

Assegurar a estrita observância das normas legais e regulamentares relativas aos direitos do consumidor.

Assegurar a estrita observância das normas legais e regulamentares relativas aos direitos do consumidor. MANUAL DE CONTROLES INTERNOS Página 1 / 9 Nome do Documento FINALIDADE SAC Atendimento ao Cliente Estabelecer em procedimento o atendimento ao cliente da Gradual Corretora; Assegurar meio de comunicação

Leia mais

ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB.

ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB. ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL Resumo Executivo PARA BAIXAR A AVALIAÇÃO COMPLETA: WWW.IADB.ORG/EVALUATION ANÁLISE DOS RESULTADOS DOS PROGRAMAS DE APOIO ÀS PMEs NO BRASIL

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais A dissertação traz, como foco central, as relações que destacam os diferentes efeitos de estratégias de marca no valor dos ativos intangíveis de empresa, examinando criticamente

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Recursos Humanos 2ª Série Processos Gerenciais A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios.

Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios. Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. Empreenda! 9ª Edição Roteiro de Apoio ao Plano de Negócios Caro (a) aluno (a), Preparamos este roteiro para ajudá-lo (a) a desenvolver o seu Plano de Negócios. O Plano de Negócios deverá ter no máximo

Leia mais

ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO

ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA: TEMA, PROBLEMATIZAÇÃO, OBJETIVOS, JUSTIFICATIVA E REFERENCIAL TEÓRICO PROF. ME. RAFAEL HENRIQUE SANTIN Este texto tem a finalidade de apresentar algumas diretrizes para

Leia mais

NOTA CEMEC 10/2015 ALGUNS FATORES ECONÔMICOS DA ABERTURA E FECHAMENTO DO CAPITAL DAS EMPRESAS NO BRASIL. Novembro de 2015

NOTA CEMEC 10/2015 ALGUNS FATORES ECONÔMICOS DA ABERTURA E FECHAMENTO DO CAPITAL DAS EMPRESAS NO BRASIL. Novembro de 2015 NOTA CEMEC 10/2015 ALGUNS FATORES ECONÔMICOS DA ABERTURA E FECHAMENTO DO CAPITAL DAS EMPRESAS NO BRASIL Novembro de 2015 SUMÁRIO NOTA CEMEC 10/2015 1 O CEMEC não se responsabiliza pelo uso dessas informações

Leia mais

Manual Web.Newhotel Configuração NewHotel

Manual Web.Newhotel Configuração NewHotel Manual Web.Newhotel Configuração NewHotel Versão: 1.1 Rev. 2008-11-17 Av. Almirante Gago Coutinho, 70 1700-031 Lisboa PORTUGAL Tel. 21 7817810, 53-52631959 Faxx 21 7971579 marketing@newhotel.com helpdesk@newhotel.com

Leia mais

Comentários sobre os resultados

Comentários sobre os resultados Comentários sobre os resultados Os resultados da conta financeira e da conta de patrimônio financeiro são consolidados na relação da economia nacional com o resto do mundo e não consolidados para os setores

Leia mais

da Qualidade ISO 9001: 2000

da Qualidade ISO 9001: 2000 4 Requisitos Gerais e de Documentação do Sistema da Qualidade ISO 9001: 2000 A implementação, manutenção e melhoria de um sistema da qualidade requer um sistema documental que auxilie no estabelecimento

Leia mais

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012 Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil julho 2012 Metodologia e Perfil de Entrevistados Método Amostra por conveniência Questionário (quantitativo)

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012

Balanço Energético Nacional 2012. Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Balanço Energético Nacional 2012 Manual do Sistema de Coleta de Dados para o BEN 2012 Fevereiro de 2012 Apresentação O Balanço Energético Nacional BEN é o documento tradicional do setor energético brasileiro,

Leia mais

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 Comentário geral: As provas apresentaram grau de dificuldade médio. Não houve uma preocupação da banca em aprofundar os conceitos ou dificultar a interpretação

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PALMAS TO, NOVEMBRO 2015 A disciplina Trabalho de Conclusão de Curso, na Faculdade Católica do Tocantins, está organizada

Leia mais

LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL: INCENTIVANDO A INFORMALIDADE*

LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL: INCENTIVANDO A INFORMALIDADE* CAPÍTULO 7 LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL: INCENTIVANDO A INFORMALIDADE* José Márcio Camargo** Maurício Cortez Reis*** 1 INTRODUÇÃO Em dezembro de 1993 foi aprovada a Lei Orgânica da Assistência Social

Leia mais

Projeto CASE Outubro/ 2006

Projeto CASE Outubro/ 2006 Projeto CASE Outubro/ 2006 O Projeto CASE Este Projeto é uma ação conjunta desenvolvida por diferentes instituições de pesquisa, que pretende avaliar opções de política que podem ser implantadas com o

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos

Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos Gerenciamento de Projetos Modulo VIII Riscos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

ANÁLISE DA ABORDAGEM HISTÓRICA DO CONCEITO DE ÁREA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II. Silva, J. R. 1 Neto, F. R. 2 Malta, S. C.

ANÁLISE DA ABORDAGEM HISTÓRICA DO CONCEITO DE ÁREA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II. Silva, J. R. 1 Neto, F. R. 2 Malta, S. C. ANÁLISE DA ABORDAGEM HISTÓRICA DO CONCEITO DE ÁREA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO FUNDAMENTAL II Silva, J. R. 1 Neto, F. R. 2 Malta, S. C. 3 Resumo Este estudo enfoca uma produção acadêmica coletiva sobre

Leia mais

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Avaliação Econômica Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Objetivo da avaliação: identificar o impacto do desempenho dos brasileiros na Educação Básica em sua renda futura. Dimensões

Leia mais

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ 19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ Waldemar dos Santos Cardoso Junior (Universidade Federal do Pará /Campus Universitário

Leia mais

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013

NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 NORMA BRASILEIRA DE CONTABILIDADE NBC TSC 4410, DE 30 DE AGOSTO DE 2013 Dispõe sobre trabalho de compilação de informações contábeis. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições

Leia mais

Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos

Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos Autovaliação em Práticas de Linguagem: uma reflexão sobre o planejamento de textos Luna Abrano Bocchi Laís Oliveira O estudante autônomo é aquele que sabe em que direção deve avançar, que tem ou está em

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE - 02 Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 A ISO 9000-3 é um guia para a aplicação da ISO 9001 para o desenvolvimento, fornecimento e manutenção de software.

Leia mais

Disciplina: Alfabetização

Disciplina: Alfabetização Título do artigo: As intervenções didáticas no processo de alfabetização inicial Disciplina: Alfabetização Selecionador: Beatriz Gouveia 1 Categoria: Professor 1 Coordenadora de projetos do Instituto Avisa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Departamento de Patologia Básica Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologia

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Departamento de Patologia Básica Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologia UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS Departamento de Patologia Básica Pós-Graduação em Microbiologia, Parasitologia e Patologia (TÍTULO DO PROJETO) Mestrando/Doutorando: Orientador:

Leia mais

Ciências Econômicas 28/10/2015. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.30) Prof. Johnny 1 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS

Ciências Econômicas 28/10/2015. Marcado Financeiro e de Capitais (Aula-2015/10.30) Prof. Johnny 1 MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA DA REGIÃO DE CHAPECÓ Ciências Econômicas Análise Fundamentalista Professor : Johnny Luiz Grando Johnny@unochapeco.edu.br Pode-se conceituar a análise fundamentalista como o estudo

Leia mais

1. Razões Técnicas da Medida Sugerida

1. Razões Técnicas da Medida Sugerida VOTO ASSUNTO: Criação de norma que dispõe sobre regras e critérios para operação das coberturas oferecidas em planos de seguro de Riscos de Engenharia. PROCESSO N.º 15414.002179/2008-19 DIRETOR ALEXANDRE

Leia mais

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA

UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA UMA PROPOSTA DE ENSINO DA PROBABILIDADE A PARTIR DO MÉTODO DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS E DA LUDICIDADE EM SALA DE AULA RESUMO José Jorge de Sousa; Francisco Aureliano Vidal Instituto Federal de Educação,

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital

INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital 5 INVESTIMENTO A LONGO PRAZO 1. Princípios de Fluxo de Caixa para Orçamento de Capital 1.1 Processo de decisão de orçamento de capital A decisão de investimento de longo prazo é a decisão financeira mais

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS SUSTENTABILIDADE E M P R E S A R I A L Política de Sustentabilidade Empresarial das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras,

Leia mais

Índice. 1. Metodologia de Alfabetização...3. 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6

Índice. 1. Metodologia de Alfabetização...3. 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6 GRUPO 6.1 MÓDULO 6 Índice 1. Metodologia de Alfabetização...3 1.1. Qual o Conhecimento sobre o Sistema de Escrita dos Jovens e Adultos?... 3 2. Aprendizagem da Escrita...3 3. Aprendizagem da Leitura...6

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DO RESUMO EXPANDIDO E TRABALHO COMPLETO DO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL EM SAÚDE: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DO RESUMO EXPANDIDO E TRABALHO COMPLETO DO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL EM SAÚDE: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DO RESUMO EXPANDIDO E TRABALHO COMPLETO DO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL EM SAÚDE: ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE O formato de trabalhos aceitos será o Resumo Expandido ou Trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL REI MODELO PARA REDAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA DISCIPLINA: MÉTODO DE PESQUISA QUANTITATIVA PROFA. Dra. MARINA BANDEIRA, Ph.D. MARÇO 2014 1 MODELO PARA REDAÇÃO DOS TRABALHOS

Leia mais

APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS

APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS APLICAÇÃO DOS MÉTODOS DE CUSTEIO: VARIÁVEL E POR ABSORÇÃO, PARA O PROCESSO DECISÓRIO GERENCIAL DOS CUSTOS ANACLETO G. 1 1. INTRODUÇÃO Este estudo tem a finalidade de apuração dos resultados aplicados pelos

Leia mais

CESPE DETRAN / PA Médico 2006 Nível Superior

CESPE DETRAN / PA Médico 2006 Nível Superior CESPE DETRAN / PA Médico 2006 Nível Superior Texto para as questões 1 e 2 A conservação e o uso sustentável da diversidade 1 biológica a enorme variedade de vida na Terra é essencial para o nosso desenvolvimento

Leia mais

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão

Leia mais

Trabalho Bimestral PRODUÇÃO GRÁFICA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INFORMÁTICA BÁSICA

Trabalho Bimestral PRODUÇÃO GRÁFICA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INFORMÁTICA BÁSICA PRODUÇÃO GRÁFICA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO INFORMÁTICA BÁSICA Professor Rodolfo Nakamura Trabalho Bimestral PARTE 1 APRESENTAÇÃO GERAL O trabalho bimestral visa concentrar e avaliar a fixação das atividades

Leia mais

JOGO DAS TRÊS CARTAS E.E. Prof. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA Sala 2 1ª Sessão

JOGO DAS TRÊS CARTAS E.E. Prof. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA Sala 2 1ª Sessão JOGO DAS TRÊS CARTAS E.E. Prof. JOSÉ AMÉRICO DE ALMEIDA Sala 2 1ª Sessão Professor(es) Apresentador(es): Patrícia Penteado Fernandes Scomparim Shirlene Alves Cardoso Realização: Foco A partir da formação

Leia mais

4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores

4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores 4. Conceito de Paralisia Cerebral construído pelos Professores Como descrevemos no capitulo II, a Paralisia Cerebral é uma lesão neurológica que ocorre num período em que o cérebro ainda não completou

Leia mais

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde

Barómetro Regional da Qualidade Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Entidade Promotora Concepção e Realização Enquadramento Avaliação da Satisfação dos Utentes dos Serviços de Saúde Índice RESUMO EXECUTIVO...

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras 2010 Declaração Nós, das Empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS CENTRO DE ECONOMIA E ADMINISTRAÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS PROF. Msc. JOSÉ VICENTE CAMPINAS - SP 2009 2 ANÁLISE

Leia mais

Teste de Adequação de Passivos

Teste de Adequação de Passivos Teste de Adequação de Passivos Orientações da Susep ao Mercado Agosto/2014 Sumário 1. ÁREAS RESPONSÁVEIS... 2 2. BASE LEGAL... 2 3. ABRANGÊNCIA... 2 4. APROVAÇÃO DE METODOLOGIAS OU PREMISSAS PRÓPRIAS...

Leia mais