CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO"

Transcrição

1 CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva 3 Klinger Teodoro Ciríaco 4 Lúcia Moreno 5 Agência de fomento: CAPES Eixo temático 9: Infância e alfabetização Relato de experiência/pôster Resumo: O trabalho a ser apresentado tem como objetivo principal dialogar com o referencial teórico-metodológico a partir das dinâmicas de estudos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES do curso de Pedagogia da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, câmpus de Naviraí. Desse modo, o presente artigo procura conceituar e ampliar a visão dos conhecimentos voltados para alfabetização e letramento, evidenciando a importância da articulação desses conceitos na prática pedagógica. Assim, a metodologia de trabalho da formação do grupo recorre a teorias através de encontro semanais para leitura, reflexão e discussão dos textos relacionados à temática. Por fim, relatamos a relevância dos estudos feitos até o momento e as contribuições desse processo para a formação inicial de professores. Palavras-chaves: Relação teoria e prática. Alfabetização e letramento. Formação inicial de professores. 1 Acadêmica do 5º Semestre do Curso de Pedagogia da UFMS, Câmpus de Naviraí e Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES. 2 Acadêmica do 7º Semestre do Curso de Pedagogia da UFMS, Câmpus de Naviraí e Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES. 3 Acadêmica do 7º Semestre do Curso de Pedagogia da UFMS, Câmpus de Naviraí e Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES. 4 Professor Assistente e Coordenador de Área do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES do Curso de Pedagogia da UFMS/Câmpus de Naviraí. 5 Acadêmica do 1º Semestre do Curso de Pedagogia da UFMS, Câmpus de Naviraí e Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES.

2 2 1. Introdução O presente trabalho tem como foco central apresentar os referenciais teóricos que contribuem para a base teórico-metodológica do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID/CAPES na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul UFMS, Câmpus Naviraí para atuação com a alfabetização e letramento na língua materna em uma turma do 2º anos do Ensino Fundamental em uma escola pública da rede municipal. Dessa forma, vale ressaltar que nosso grupo se constitui de oito acadêmicos (as) do curso de Pedagogia, uma professora supervisora e dois professores coordenadores das ações de intervenção na escola parceira. Assim, nossas atividades de iniciação à docência tem como foco o aprimoramento das competências didático-pedagógicas para a prática de alfabetização na perspectiva do letramento. Dessa maneira, evidenciaremos o relato dos textos trabalhados na busca da constituição de um referencial teórico para as discussões dos encontros que ocorrem semanalmente que permite corroborar para as ações relacionadas à alfabetização e letramento que norteiam a prática pedagógica na sala de aula. Para tanto, o objetivo geral desse texto é apresentar as discussões de embasamento teórico que ocorrem no grupo, possibilitando uma reflexão da prática. Nesse sentido, para atingir o que nos propusemos, temos os seguintes objetivos específicos: Reconhecer as especificidades da alfabetização; Distinguir as diferentes dimensões do letramento e; Possibilitar a inserção no ambiente escolar, com vistas a aperfeiçoar a práxis. Contudo, contamos com as contribuições teóricas de autores como: Soares (2004), Goulart (2006), Rojo (2010) e Silva (2010) para refletir sobre a prática alfabetizadora nas observações do contexto escolar. O resultado do trabalho colaborativo durante o gerenciamento do grupo apresenta-se relevante na medida em que permite o contato direto com a

3 3 alfabetização e letramento e possibilita uma formação inicial na perspectiva do desenvolvimento profissional. 2. Metodologia A abordagem metodológica adotada nas reuniões de gerenciamento do grupo objetiva aprimorar a atuação durante intervenções nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Os autores que utilizamos para essas reflexões destacam a relevância de possibilitar a criança, desde mais tenra idade, o contato com o mundo da cultura escrita na sala de aula. Assim, os estudos partem de encontros semanais com duração média de 3 (três) horas, momentos estes em que acadêmicas/os, professora supervisora e coordenadores de área do PIBID discutem as teorias e metodologias a serem desenvolvidas na escola durante as intervenções, como também relacionam teoria e prática a partir de dados descritivos das observações realizadas. Nossas discussões partem tanto do letramento na língua materna como da Matemática, as reuniões servem também como base para elaboração de projetos de ensino e/ou sequências didáticas, apoiados nas reflexões do grupo de estudo. Cabe acrescentar a relevância desse processo para estudantes de licenciatura, pois estar em contato com uma sala de aula ainda na graduação permite uma formação ampla, diferenciada e situada no locus de aprendizagem da docência. Para tanto, apresentamos a seguir contribuições dos referenciais que nos auxiliam a pensar o processo de alfabetização e letramento. Soares (2004), ao discutir as muitas facetas da alfabetização e letramento, mostra o surgimento e a necessidade de conceituar o termo letramento no cenário de vários países. Ao fazer esse resgate histórico, a autora salienta a importância do letramento para a vida escolar da criança, contudo, alerta que primeiro ela deve ser alfabetizada e, posteriormente, letrada sem perder a especificidade da alfabetização.

4 4 Goulart (2006) aponta a importância de uma base teórico-metodológica para o estudo do letramento, uma vez que o termo tem sido foco nas discussões de estudiosos da área de aprendizagem da leitura e escrita. Rojo (2010) aborda a alfabetização numa perspectiva de letramentos múltiplos e questiona como alfabetizar letrando. A autora inicia as discussões a partir de uma apreciação crítica em relação à comparação entre os índices de alfabetização do Brasil e países desenvolvidos. Nessa publicação, Rojo (2010) apresenta ao leitor diferenças entre a relação fonema/grafema nacional e internacional, conclui que tais comparações não consideram aspectos centrais do Sistema de Escrita Alfabética (SEA) e as formas de atuação com a alfabetização em cada região. Silva (2010) afirma que o processo de alfabetização no ensino fundamental de nove anos precisa levar em consideração a aprendizagem da leitura e da escrita em uma dimensão lúdico-exploratória por meio da apresentação dos [...] procedimentos didáticos específicos do ensino dos conhecimentos linguísticos (SILVA, 2010, p. 39). A partir dos autores citados acima, nossa proposta de trabalho fundamenta-se em uma dinâmica colaborativa por meio das discussões, para que possamos implementar a relação teoria e prática no processo de iniciação à docência. 3. DESENVOLVIMENTO A formação geral do grupo visa preconizar os estudos a fim de melhorar a prática dentro da sala de aula, para isso são elencados autores que dão embasamento metodológico para corroborar a ação, conforme apresentados na sessão anterior. Nessa perspectiva, realizamos estudos de Goulart (2006) e Soares (2004) em que observamos suas contribuições teóricas sobre alfabetização e letramento, como também a importância da abordagem no âmbito educacional brasileiro.

5 5 Com o aprofundamento e reflexão acerca da temática, foi possível perceber que alfabetização e o letramento são indissociáveis e, ao mesmo tempo, conceitos distintos. Sendo assim, para que essa compreensão ocorresse, em uma das reuniões de gerenciamento do grupo PIBID, os professores coordenadores iniciaram a discussão com uma questão norteadora, a saber: Qual a diferença entre alfabetizar e letrar? Nesse momento, o diálogo possibilitou conceituar esses termos a partir do referencial teórico. A pergunta lançada no começo do encontro do grupo gerou várias interpretações e novos questionamentos, haja vista que distinguir alfabetização e letramento não é uma tarefa fácil. Assim, recorremos a Soares (2004) que aponta: Dissociar alfabetização e letramento é um equívoco porque, no quadro das atuais concepções psicológicas, lingüísticas e psicolingüísticas de leitura e escrita, a entrada da criança (e também do adulto analfabeto) no mundo da escrita ocorre simultaneamente por esses dois processos: pela aquisição do sistema convencional de escrita alfabetização e pelo desenvolvimento de habilidades de uso desse sistema em atividades de leitura e escrita, nas práticas sociais que envolvem a língua escrita o letramento (p.14). Nesse contexto, o grupo considerou que as discussões feitas sobre letramento inicialmente em nosso país centravam-se nos ambientes acadêmicos, na possibilidade de contrapor ou de inserir aspectos e elementos que contribuíssem e/ou facilitassem o avanço sobre o conceito de alfabetização, que até o momento se fazia apenas voltado à utilização de código linguístico no domínio da língua escrita. Outra referência de leitura importante para desencadear a discussão em torno do conceito de letramento é Goulart (2001) que expõe a abrangência do ensino e aprendizagem da língua escrita. Em concordância com a autora: Estamos aqui entendendo as orientações de letramento como o espectro de conhecimentos desenvolvidos pelos sujeitos nos seus grupos sociais, em relação com outros grupos e com instituições sociais diversas. Este espectro está relacionado à vida cotidiana e a outras esferas da vida social, atravessadas pelas formas como a linguagem escrita as perpassa, de modo implícito ou explícito, de modo mais complexo ou menos complexo (GOULART, 2001, p. 10).

6 6 A partir da afirmação acima, os acadêmicos de licenciatura, têm a oportunidade de conhecer as práticas escolares e reconhecer que elas não podem ser legitimadas como sendo a única forma de ler e escrever. Nesse entendimento, a oralidade e a escrita garantem a identidade e a memória dos sujeitos como um ser social e é possível estabelecer uma relação entre as duas modalidades de forma que uma contribua com a outra, para que assim haja a prática da alfabetização na perspectiva do letramento. Outra autora que cooperou para essa formação do PIBID foi Rojo (2010) que discorre sobre os níveis de alfabetização e letramento no cenário brasileiro. Ela demostra, a partir dos resultados de sistemas de avaliações externas, que o país reduziu pela metade o índice de analfabetismo, porém o letramento parece não ter sido introduzido adequadamente nessa população. Sobre isso Rojo (2010), advoga: Alfabetizar-se pode ser definido como a ação de se apropriar do alfabeto, da ortografia da língua que se fala. Isso quer dizer dominar um sistema bastante complexo de representações e de regras de correspondência entre letras (grafemas) e sons da fala (fonemas) num dada língua; e em nosso caso, o português do Brasil (p. 23). Percebemos assim, com nossos estudos, que há uma diminuição do analfabetismo no Brasil, mas quanto ao letramento pode haver uma preocupação, pois não basta somente ler e escrever, é preciso fazer o uso dessa leitura e escrita no contexto social. Outro foco importante abordado no contexto dos encontros foi a questão da alfabetização no ensino fundamental de nove anos. Para tal, a autora Silva (2010) enriquece nosso entendimento ao contribuir com a aprendizagem e reflexão do grupo PIBID para a compreensão dos desafios que encontramos ao ter contato com a realidade da prática alfabetizadora. Esse estudo contribuiu para compreender que devemos levar em consideração que a criança pode ser alfabetizada aos seis anos porque ela chega à escola com conhecimentos prévios. Por essa razão, o professor deve sempre levar em consideração que ela já tem uma informação adquirida em seu cotidiano.

7 7 Essa afirmação é de grande relevância para nossos estudos e reflexões, desmistificando a ideia de que a criança só aprende na escola e que todo o conhecimento que é adquirido fora dela, não pode ser problematizado dentro da sala de aula. Assim, compete ao processo educacional, rever suas práticas de ensino e aprendizagem da leitura e da escrita a partir da inclusão da criança de seis anos na escola dos anos iniciais. Para que essa situação ocorra, o tempo de aprendizagem deve ser organizado em fluxos longos e contínuos, dando atenção aos avanços de suas aprendizagens. Isso significa que o processo deve ser iniciado no primeiro ano de escolaridade e ter como meta sua consolidação, ao final do segundo ou terceiro ano, dependendo da organização da escola (se em ciclos ou sistemas seriados) e das necessidades de aprendizagem de cada turma. As crianças chegam ao primeiro ano do ensino fundamental com diferentes experiências escolares e culturais e, consequentemente, podem apresentar níveis diferenciados de letramento e de aquisição da escrita (SILVA, 2010, p. 40). Em suma, o movimento de leitura e aprofundamento do referencial teórico do PIBID, revelou a necessidade de nós futuros professores percebermos as dificuldades enfrentadas na sala de aula, para que a possibilidade de se alfabetizar nos três primeiros anos do Ensino Fundamental se concretize. Dessa maneira, esse estudo auxiliou na preparação para inserção na sala, já que a mesma é um sala de 2 ano, ou seja, é uma turma que está em processo de alfabetização e que necessita ser apresentada ao mundo da cultura escrita. 4. Conclusões Em suma, a relação dos artigos que estudamos, juntamente com as práticas de iniciação à docência vivenciadas no PIBID proporcionou uma maior reflexão sobre a pluralidade da prática docente e a compreensão de que o professor exerce um papel fundamental enquanto mediador entre a criança e a aprendizagem da linguagem como forma de expressão humana, levando em

8 8 consideração a importância da alfabetização e do letramento, fazendo assim um trabalho colaborativo entre escola e universidade. Essa compreensão só foi possível a partir do diálogo e reflexão permanente realizados no contexto dos encontros semanais do grupo com os professores orientadores, professora supervisora e as/os acadêmicas/os bolsistas do programa. O resultado desse processo de contato com referenciais teóricos possibilitou-nos identificar e analisar aspectos que dizem respeito à mudança de concepção prévia de todos a partir da reflexão, apresentação e desmistificação de alguns mitos, em decorrência da leitura de textos científicos relacionados ao processo de indissociabilidade entre alfabetização e letramento. Por fim, nas reuniões do programa de iniciação à docência foi possível retratarmos que é importante que o professor alfabetizador proporcione momentos prazerosos de leitura/escrita, afinal, é preciso primeiramente ter o embasamento teórico para ter reflexão sobre suas próprias práticas pedagógicas. Referências GOULART, Cecília. Letramento e polifonia: um estudo de aspectos discursivos do processo de alfabetização. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 18, set-dez GOULART, Cecília. Letramento e modos de ser letrado: discutindo a base teórico-metodológica de um estudo. Revista Brasileira de Educação. [online]. 2006, vol.11, n.33, pp ISSN SOARES, Magda. Letramento e escolarização. In: RIBEIRO, Vera Magasão. Letramento no Brasil. São Paulo: Global, 2003., Letramento e alfabetização: as muitas facetas. Revista Brasileira de Educação [online]. 2004, n.25, pp ISSN ROJO, R. H. Letramentos Múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parabola, SILVA. C. S. R. O processo de alfabetização no contexto do ensino fundamental de nove anos. IN: BRASIL, Ministério da Educação: Coleção Explorando o Ensino Língua Portuguesa. São Paulo: MEC, 2010.

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA NAS SERIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO: BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO E AS PRÁTICAS DE ENSINO NO ESPAÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Alfabetização. Letramento. Formação. Métodos de alfabetização.

ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO E AS PRÁTICAS DE ENSINO NO ESPAÇO ESCOLAR. Palavras-chave: Alfabetização. Letramento. Formação. Métodos de alfabetização. ALFABETIZAÇÃO, LETRAMENTO E AS PRÁTICAS DE ENSINO NO ESPAÇO ESCOLAR Ana Claudia Rodrigues - Graduanda de Pedagogia - UEPB Aline Carla da Silva Costa - Graduanda de Pedagogia - UEPB Ana Paula Martins Costa

Leia mais

BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus I julia.araujo13@gmail.com

BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus I julia.araujo13@gmail.com LIMITES E DIFICULDADES PARA ALFABETIZAR E LETRAR TURMA DA EJA: EXPERIÊNCIA DO PIBID SILVA, Alzira Maria Lima da. Graduanda Pedagogia - UEPB/Campus I alziralima37@hotmail.com BARBOSA, Maria Julia de Araújo.

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC Antônia Fernandes Ferreira; Gessica Nunes Noronha; Marielle Sâmia de Lima

Leia mais

As muitas facetas da alfabetização

As muitas facetas da alfabetização As muitas facetas da alfabetização Baseado no livro Alfabetização e Letramento, de Magda Becker Soares Professora: Síntia Ebert 2015/1 Analfabetismo 0 Questões antigas parecem continuar atuais. 0 Década

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NUMA ESCOLA DO CAMPO

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO NUMA ESCOLA DO CAMPO eliane.enaile@hotmail.com Introdução Nos últimos anos, as reflexões realizadas sobre a alfabetização têm mostrado que a aquisição da escrita é um processo complexo e multifacetado. Nesse processo, considera

Leia mais

OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA

OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA JOSE MABEL PEREIRA LOPES DAS NEVES (UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS). Resumo A pesquisa tem como objetivo conhecer quais os saberes que as ingressantes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB EDITAL Nº 018/2010/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires**

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires** ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires** RESUMO Este artigo apresenta uma reflexão sobre a leitura e

Leia mais

O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD

O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD Adriele Aparecida Squincalha da Silva 1 ; Ana Paula Cristófari Assis 2 ; Gessica Rodrigues Souza 3 Vera Lucia de Souza 4 ; Kátia

Leia mais

Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU) Caroline da Silva Albuquerque (UERJ/EDU) Eixo temático 6: São tantos conteúdos... Resumo

Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU) Caroline da Silva Albuquerque (UERJ/EDU) Eixo temático 6: São tantos conteúdos... Resumo 1 A Pesquisa no Processo de Formação de Professores - Relatório da vivência no projeto A leitura no aperfeiçoamento do ensino: uma proposta de pesquisa participante Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU)

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A VISÃO DE ALGUMAS BOLSISTAS DO PIBID SOBRE SUA ATUAÇÃO EM CONTEXTOS EDUCACIONAIS INCLUSIVOS

Leia mais

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA

ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA ANÁLISE DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS ATRAVÉS DE EXPERIÊNCIAS NO PIBID/UFPA Lilliane Miranda Freitas (Faculdade de Biologia/Universidade Federal do Pará) Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

Palavras-Chave: docência, alfabetização, letramento.

Palavras-Chave: docência, alfabetização, letramento. O PROCESSO DE ALFABETIZAR, LETRANDO- UMA VIVÊNCIA NO PIBID/CAPES/ULBRA Nanci Tereza Félix Veloso Sílvia Maria Barreto dos Santos ULBRA- Cachoeira do Sul RESUMO Este trabalho relata os percursos metodológicos

Leia mais

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA LYSNE NÔZENIR DE LIMA LIRA, 1 HSTÉFFANY PEREIRA MUNIZ 2 1. Introdução Este trabalho foi criado a partir da experiência

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Rothchild Sousa de Morais Carvalho Filho 1 Naiana Machado Pontes 2 Laiane Viana de Andrade 2 Antonio

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Ensino. Aprendizagem. Formação docente.

PALAVRAS-CHAVE Ensino. Aprendizagem. Formação docente. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: O PNAIC EM FOCO

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: O PNAIC EM FOCO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL A língua espanhola na Educação Básica A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161, que diz respeito à sua oferta

Leia mais

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS TESTE 2 SEGUNDO SEMESTRE 2010 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Presidência do Instituto Nacional

Leia mais

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: ALFABETIZAR LETRANDO

11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: ALFABETIZAR LETRANDO 11º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: ALFABETIZAR LETRANDO Marcia Justina de Souza 1 Gizeli Aparecida Ribeiro de Alencar 2 Todas as formas existentes de alfabetização, de acordo

Leia mais

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública Luciana Lopes Xavier 1 Odenise Maria Bezerra 2 Resumo O presente trabalho busca relatar uma experiência

Leia mais

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA CARTA ABERTA EM DEFESA DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA O Fórum das universidades públicas participantes do PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA vem, por meio desta, defender

Leia mais

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro

Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Da sala de aula à sala de ensaio: uma proposta para a formação do professor de teatro Ricardo Carvalho de Figueiredo Universidade Federal de Minas Gerais Professor Assistente Doutorando em Artes EBA/UFMG

Leia mais

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA. AÇÕES DO PIBID/CAPES UFG (SUBPROJETO: LETRAS: PORTUGUÊS) NO COLÉGIO ESTADUAL LYCEU DE GOIÂNIA Bolsistas: SILVA, Danila L.; VAZ, Paula R. de Sena.;

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): MARIA DE FATIMA

Leia mais

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN

PALAVRAS CHAVE: Formação de Professores, Políticas Públicas, PIBID, Ensino de Física. Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO: A IMPORTÂNCIA DO PIBID 1 NA FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Campo Grande 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Espanhol Obs.:

Leia mais

PRODUÇÃO ESCRITA DAS CRIANÇAS: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MARTINHO ALVES DOS SANTOS

PRODUÇÃO ESCRITA DAS CRIANÇAS: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MARTINHO ALVES DOS SANTOS PRODUÇÃO ESCRITA DAS CRIANÇAS: UM ESTUDO DE CASO NA ESCOLA DE EDUCAÇÃO BÁSICA MARTINHO ALVES DOS SANTOS Andréa Aparecida Bernardo Santos BACH Mariana Pedroso RODRIGUES Mônica Medeiros FLORES 1 RESUMO:

Leia mais

O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL

O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL O ENSINO DA DANÇA E DO RITMO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA: UM RELATO DE EXPERIENCIA NA REDE ESTADUAL Márcio Henrique Laperuta 1 Rodrigo Santos2 Karina Fagundes2 Erika Rengel2 UEL- Gepef-Lapef-PIBID RESUMO

Leia mais

O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM A PARTIR DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM A PARTIR DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO O PROCESSO DE ENSINO APRENDIZAGEM A PARTIR DO PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO RESUMO: Maisa Cordeiro Tavares UFPB maisa_cordeiro@hotmail.com Thais Gomes de Vasconcelos UFPB thahis.vasconcelos@hotmail.com O Programa

Leia mais

JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS

JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS JOGOS MATEMÁTICOS: EXPERIÊNCIAS COMPARTILHADAS Denise da Costa Gomes denisedacosta11@hotmail.com Dalila Regina da Silva Queiroz dalilazorieuq@hotmail.com Alzenira Oliveira de Carvalho oliveiraalzenira@hotmail.com

Leia mais

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Adriana M. das Virgens Chagas (adrianachagas3@hotmail.com) Aluna de graduação do curso de Pedagogia das Faculdades Integradas de Aracruz Luciana C.

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS RESUMO

BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS RESUMO BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS Camila Alves de Araujo Maria 1 ; Juciene da Silva Gomes 2 ; Ireny Morassu ³; Maria José de Jesus Alves Cordeiro 4 UEMS Cidade Universitária de Dourados-

Leia mais

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 053/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS

Leia mais

Aula SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO ESTUDO DOS GÊNEROS TEXTUAIS. (Fonte: http://aprendafacil.files.wordpress.com).

Aula SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO ESTUDO DOS GÊNEROS TEXTUAIS. (Fonte: http://aprendafacil.files.wordpress.com). SEQUÊNCIAS DIDÁTICAS NO ESTUDO DOS GÊNEROS TEXTUAIS Aula 9 META Destacar a importância da progressão no desenvolvimento dos comportamentos leitores e escritores. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL

O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL O DESENVOLVIMENTO DA ESCRITA ALFABÉTICA: UMA ANÁLISE DA ESCRITA DE DISCENTES DO 2º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL Francisca Roseneide Gurgel Campêlo Graduanda de Pedagogia CAMEAM/UERN Francisca Rozângela Gurgel

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade I ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Ementa A teoria construtivista: principais contribuições, possibilidades de trabalho pedagógico. Conceito de alfabetização: história e evolução.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO

A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO A PESQUISA NA FORMAÇÃO DE PEDAGOGOS: UM ESTUDO DE CASO Msc. Maria Iolanda Fontana - PUCPR / UTP miolandafontana@hotmail.com RESUMO O presente trabalho sintetiza parcialmente o conteúdo da dissertação de

Leia mais

MÍDIA E ENSINO DE BIOLOGIA: ASPECTOS DE ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NOS PLANEJAMENTOS DE AULA CONSTRUÍDOS POR LICENCIANDOS

MÍDIA E ENSINO DE BIOLOGIA: ASPECTOS DE ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NOS PLANEJAMENTOS DE AULA CONSTRUÍDOS POR LICENCIANDOS IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN MÍDIA E ENSINO DE BIOLOGIA: ASPECTOS DE ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA NOS PLANEJAMENTOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA

FUNDAÇÃO CARMELITANA MÁRIO PALMÉRIO FACIHUS FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Educação de qualidade ao seu alcance SUBPROJETO: PEDAGOGIA SUBPROJETO: PEDAGOGIA Alfabetizar letrando com as tecnologias INTRODUÇÃO A escola necessita formar seu aluno a aprender a ler o mundo, ter autonomia para buscar seu conhecimento, incentivá-lo a ser autor

Leia mais

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Jailza de Lima Oliveira (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Larissa Santos do Sacramento (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Lucimara de Oliveira Soares (UNEB -

Leia mais

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011.

CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA. Araras, maio de 2011. 1 CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA: A IMPLANTAÇÃO E A GESTÃO NA MODALIDADE A DISTÃNCIA Araras, maio de 2011. Fernando da Silva Pereira Centro Universitário Hermínio Ometto UNIARARAS SP fernandosilper@uniararas.br

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB

FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB FORMAÇÃO CONTINUADA E INCLUSÃO DIGITAL NO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA/PB Telma Cristina Gomes da Silva (PROLING/UFPB) telmapedist@hotmail.com Introdução A Cultura Digital impõe novos desafios pedagógicos

Leia mais

Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004

Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Oficinas de Cidadania, Alfabetização e Letramento Área Temática em Educação Resumo O projeto, que buscou

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ

19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ 19/07 ENSINO E APRENDIZAGEM DA LINGUAGEM ESCRITA EM CLASSES MULTISSERIADAS NA EDUCAÇÃO DO CAMPO NA ILHA DE MARAJÓ Waldemar dos Santos Cardoso Junior (Universidade Federal do Pará /Campus Universitário

Leia mais

Alfabetizar letrando... Letrar alfabetizando: por quê? Como?

Alfabetizar letrando... Letrar alfabetizando: por quê? Como? Alfabetizar letrando... Letrar alfabetizando: por quê? Como? Patrícia Moura Pinho 1 Resumo: O presente texto trata da questão da alfabetização e as discussões teóricas e didáticas acerca da mesma, principalmente

Leia mais

DIDÁTICA E COMPETÊNCIAS DOCENTES: UM ESTUDO SOBRE TUTORIA NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

DIDÁTICA E COMPETÊNCIAS DOCENTES: UM ESTUDO SOBRE TUTORIA NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA N 429 - OLIVEIRA Eloiza da Silva Gomes, SANTOS Lázaro, ENCARNAÇÃO Aline Pereira da. DIDÁTICA E COMPETÊNCIAS DOCENTES: UM ESTUDO SOBRE TUTORIA NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA O conhecimento, bem como os demais

Leia mais

UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO

UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO FARIA, Juliana Batista. UFMG julianabmat@yahoo.com.br Membro do Grupo Estudos sobre Numeramento

Leia mais

QUADRO DE EQUIVALENTES, CONTIDAS E SUBSTITUTAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO

QUADRO DE EQUIVALENTES, CONTIDAS E SUBSTITUTAS DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO 28380 Antropologia Teológica A 1 34 28380 Antropologia Teológica A 1 34 A partir de conceitos teológicos, estimula o aluno a problematizar e analisar, criticamente, Equivalente Estuda a cultura humana,

Leia mais

1 A legislação estadual para a implantação do Ciclo Básico de Alfabetização.

1 A legislação estadual para a implantação do Ciclo Básico de Alfabetização. O CICLO BÁSICO NO ESTADO DO PARANÁ: A ORGANIZAÇÃO DO TEMPO NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO. MÁRCIA REGINA FALCIONI PINESSO 1 NERLI NONATO RIBEIRO MORI 2 RESUMO: O presente texto tem por objetivo mostrar a

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 Ana Paula Martins Medeiros Castilho Cíntia de Melo Barbosa 1 Viviane Ap. Zacheu Viana 2 Terezinha Maia

Leia mais

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA: UM ESTUDO DESAFIADOR E DINÂMICO EM CLASSES DE ALFABETIZAÇÃO

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA: UM ESTUDO DESAFIADOR E DINÂMICO EM CLASSES DE ALFABETIZAÇÃO O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA LEITURA E DA ESCRITA: UM ESTUDO DESAFIADOR E DINÂMICO EM CLASSES DE ALFABETIZAÇÃO Doris Pires Vargas Bolzan 1 Carla Markus Lopes 2 Alexandra Pozzatti Machesan 3 Silvana Martins

Leia mais

Palavras-chave: Formação de Professores, Prática Pedagógica, Escola, Letramento, Alfabetização, Experimentação, Resultados.

Palavras-chave: Formação de Professores, Prática Pedagógica, Escola, Letramento, Alfabetização, Experimentação, Resultados. 1 PIBID: UMA EXPERIÊNCIA DE REGISTRO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A UNIDADE ESCOLAR Sônia Maria Benjamin Borges 1 Orientadora: Dulcinéia de Oliveira Gomes 2 Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática.

Palavras-Chave: PIBID, Formação Inicial de Professores, Ensino de Informática. DESAFIOS DO ENSINO DA INFORMÁTICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES RESUMO Jéssyca Edly Messias Ribeiro (IFRN) jeh_edly@hotmail.com Jefferson Hernane da Silva

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE ALUNOS DE UMA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

CONTRIBUIÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE ALUNOS DE UMA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA CONTRIBUIÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NO PROCESSO DE ENSINO- APRENDIZAGEM DE ALUNOS DE UMA ESCOLA DA EDUCAÇÃO BÁSICA: RELATO DE EXPERIÊNCIA José Carlos da Silva Souza (1), Kélvia Vieira dos Santos (2), Maria

Leia mais

EXPERIÊNCIAS COM ALFABETIZAÇÃO ATRAVÉS DA LETRA BASTÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL NO INTERIOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

EXPERIÊNCIAS COM ALFABETIZAÇÃO ATRAVÉS DA LETRA BASTÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL NO INTERIOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE EXPERIÊNCIAS COM ALFABETIZAÇÃO ATRAVÉS DA LETRA BASTÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL NO INTERIOR DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE Rafael da Silva da Cunha* - Autor rafael.dudu.r@gmail.com Mayane Ferreira de Farias*

Leia mais

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu.

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu. CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: INDICATIVOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE E DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO NUM CURSO DE PEDAGOGIA G1 Formação de Professores

Leia mais

UMA PROPOSTA DE LETRAMENTO COM FOCO NA MODALIDADE ORAL DE LINGUAGEM EM SUJEITOS COM SÍNDROME DE DOWN

UMA PROPOSTA DE LETRAMENTO COM FOCO NA MODALIDADE ORAL DE LINGUAGEM EM SUJEITOS COM SÍNDROME DE DOWN UMA PROPOSTA DE LETRAMENTO COM FOCO NA MODALIDADE ORAL DE LINGUAGEM EM SUJEITOS COM SÍNDROME DE DOWN RESUMO DANTAS 1, Leniane Silva DELGADO 2, Isabelle Cahino SANTOS 3, Emily Carla Silva SILVA 4, Andressa

Leia mais

Formação e Gestão em Processos Educativos. Josiane da Silveira dos Santos 1 Ricardo Luiz de Bittencourt 2

Formação e Gestão em Processos Educativos. Josiane da Silveira dos Santos 1 Ricardo Luiz de Bittencourt 2 1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CURSO DE PEDAGOGIA NA MODALIDADE EAD E A FORMAÇÃO COMPLEMENTAR NO CURSO DE MAGISTÉRIO PRESENCIAL: AS PERCEPÇÕES DOS ESTUDANTES Formação e Gestão em Processos Educativos Josiane

Leia mais

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI Resumo Rosangela de Sousa Cardoso Stabenow1 - UEL Cassiana Magalhães2 - UEL Grupo de Trabalho - Didática:

Leia mais

Eixo temático: Eixo III - Educação e trabalho docente: formação, remuneração, carreira e condições de trabalho. Resumo

Eixo temático: Eixo III - Educação e trabalho docente: formação, remuneração, carreira e condições de trabalho. Resumo A IMPORTÂNCIA DA SONDAGEM DA ESCRITA PARA O INÍCIO DE ATIVIDADES DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO DO PIBID NO 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL EM ESCOLAS PÚBLICAS NORONHA, Gessica Nunes UFC gessicanunes.noronha@hotmail.com

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Educação

Programa de Pós-Graduação em Educação 52 URIARTE, Mônica Zewe. 33 Programa de Pós-Graduação em Educação Resumo: Este artigo apresenta informações sobre a experiência da UNIVALI quanto ao ensino de artes no Curso de Pedagogia, preparado para

Leia mais

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA.

METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. 1 METODOLOGIA PARA CONSTRUÇÃO DE MATERIAIS DIDÁTICOS NA EAD: DO PLANO DE ENSINO AO ROTEIRO DE TUTORIA. Maio/2008 Mara Yáskara Nogueira Paiva Cardoso Uniararas, marayaskara@uniararas.br Ana Carolina Castelli

Leia mais

Palavras-chaves: Formação de professores; Estágio Supervisionado; Reflexão sobre a prátida; Escrita docente; Diários de aula.

Palavras-chaves: Formação de professores; Estágio Supervisionado; Reflexão sobre a prátida; Escrita docente; Diários de aula. DIÁRIOS DE AULA ONLINE: ANÁLISE DE UM DISPOSITIVO DE FORMAÇÃO DOCENTE NA LICENCIATURA EM MATEMÁTICA Jane Bittencourt 1 Alice Stephanie Tapia Sartori 2 Resumo Esse trabalho tem como foco a formação inicial

Leia mais

MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58

MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58 MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58 Gabriela Kloth ¹ gabikloth@hotmail.com Thais de Souza Schlichting ² thais_schlichting@hotmail.com ¹ Mestranda

Leia mais

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo LIMA, Márcia Regina Canhoto de - FCT/UNESP marcialima@fct.unesp.br LIMA, José Milton de - FCT/UNESP miltonlima@fct.unesp.br ORLANDI, Leonardo

Leia mais

PROGRAMA LER E ESCREVER / BOLSA ALFABETIZAÇÃO - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: UM DIÁLOGO ENTRE A FORMAÇÃO INICIAL E A CONTINUADA.

PROGRAMA LER E ESCREVER / BOLSA ALFABETIZAÇÃO - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: UM DIÁLOGO ENTRE A FORMAÇÃO INICIAL E A CONTINUADA. PROGRAMA LER E ESCREVER / BOLSA ALFABETIZAÇÃO - SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO: UM DIÁLOGO ENTRE A FORMAÇÃO INICIAL E A CONTINUADA. GARCIA_MARISA 1 garciam@uol.com.br O presente trabalho

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

ALFABETIZAR LETRANDO: DESAFIOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA ALFABETIZADORA

ALFABETIZAR LETRANDO: DESAFIOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA ALFABETIZADORA ALFABETIZAR LETRANDO: DESAFIOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA ALFABETIZADORA Georgyanna Andréa Silva Morais ¹ RESUMO O presente artigo é parte integrante das discussões empreendidas na pesquisa do Mestrado em Educação

Leia mais

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo SILVEIRA, Lisiane Fernandes da 1 - UFPR FINK, Rosane 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

A CONCEPÇÃO DE TRABALHO DOCENTE PRESENTE NOS DOCUMENTOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA (PNAIC).

A CONCEPÇÃO DE TRABALHO DOCENTE PRESENTE NOS DOCUMENTOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA (PNAIC). A CONCEPÇÃO DE TRABALHO DOCENTE PRESENTE NOS DOCUMENTOS DO PACTO NACIONAL PELA ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA (PNAIC). TATIANA PALAMINI SOUZA Núcleo de Estudos e Pesquisa Trabalho Docente, Formação de Professores

Leia mais

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009. Resenhas 161 ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola, 2009. Márcia Moreira Pereira* marcia.moreirapereira@gmail.com *Possui graduação em Letras pela Universidade

Leia mais

INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO

INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO INTERDISCIPLINARIDADE E LETRAMENTO, O LÚDICO, COMO INSTRUMENTO DE APRENDIZAGEM NO PROCESSO PEDAGÓGICO Ana Patrícia da Silva Xavier¹ E-mail: anapx@gmail.com Emanuelle Almeida da Costa² E-mail: manu.biologia@live.com

Leia mais

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS

ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS ALFABETIZAR-SE: UM DIREITO DA CRIANÇA DE 6 ANOS Marcia Aparecida Alferes 1 Resumo O presente texto pretende refletir sobre a questão da alfabetização como conceito presente nas políticas educacionais que

Leia mais

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino.

Palavras-chave: Formação inicial de professores. Ensino a distância. Metodologia de Ensino. AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DAS DISCIPLINAS TÓPICOS ESPECIAIS EM MATEMÁTICA DO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA A DISTÂNCIA Maria da Conceição Alves Bezerra Universidade Federal da Paraíba UFPB VIRTUAL

Leia mais

A formação continuada e sua contribuição para o professor alfabetizador

A formação continuada e sua contribuição para o professor alfabetizador A formação continuada e sua contribuição para o professor alfabetizador Resumo O presente artigo visa discutir a formação do professor alfabetizador e as implicações dessa formação nas práticas de alfabetização

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS

PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS Ana Lucia Paranhos de Jesus Bolsista ID PIBID / UNEB no DEDC I Priscila Santos Moreira Bolsista ID PIBID / UNEB no DEDC I RESUMO Jeane dos Anjos Moreira Bolsista

Leia mais

AIMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA COLABORATIVA ENTRE PROFESSORES QUE ATUAM COM PESSOAS COM AUTISMO.

AIMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA COLABORATIVA ENTRE PROFESSORES QUE ATUAM COM PESSOAS COM AUTISMO. AIMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO CONTINUADA COLABORATIVA ENTRE PROFESSORES QUE ATUAM COM PESSOAS COM AUTISMO. CARVALHO, Tereza Cristina de Secretaria Municipal de Educação Município de Araçatuba/SP. Resumo:Partindo

Leia mais

A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA.

A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA. A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA. Francisca Fabiana Ferreira da Silva 1 fabiana.igor@hotmail.com Francisca Mônica Paz de Sousa Dantas 2 monnyka@hotmail.com

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado

Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Matemática versus Estágio Supervisionado O objetivo deste texto é destacar as principais atividades envolvendo o projeto pedagógico do curso de licenciatura

Leia mais

As práticas de letramento digital na formação de professores

As práticas de letramento digital na formação de professores As práticas de letramento digital na formação de professores Nádie Christina Machado Spence 1 1 Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) 90040-060

Leia mais

Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular

Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular Práxis, Pré-vestibular Popular: Constante luta pela Educação Popular Graziele Pissollatto da Costa, UFSM Ana Carolina Machado, UFSM Roberto Lopes do Nascimento Filho, UFSM Toni Pissollatto da Costa, UFSM

Leia mais

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS

AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS AS DISCIPLINAS DE DIDÁTICA NOS CURSOS DE LICENCIATURAS VIEIRA, Débora Cristina de Oliveira PUCPR mmdvieira@hotmail.com MARTINS, Pura Lúcia Oliver - PUCPR Pura.oliver@pucpr.br Eixo Temático: Didática: Teorias,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE Bruna Cardoso Cruz 1 RESUMO: O presente trabalho procura conhecer o desempenho profissional dos professores da faculdade

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA JOÃO AUGUSTO DOS REIS NETO 1, JOÃO HENRIQUE OLIVEIRA PEREIRA 2, ANTONIO FERNANDES

Leia mais

Palavras-chave: Deficiência Visual. Trabalho Colaborativo. Inclusão. 1. Introdução

Palavras-chave: Deficiência Visual. Trabalho Colaborativo. Inclusão. 1. Introdução PROFESSOR DE SALA COMUM E PROFESSOR ESPECIALISTA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSIBILIDADE DE TRABALHO COLABORATIVO NO ENSINO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL Karen Regiane Soriano Simara Pereira da Mata Flaviane

Leia mais

As concepções de professoras alfabetizadoras acerca do conceito de letramento. PALAVRAS-CHAVE: Letramento. Alfabetização. Professoras. Concepções.

As concepções de professoras alfabetizadoras acerca do conceito de letramento. PALAVRAS-CHAVE: Letramento. Alfabetização. Professoras. Concepções. As concepções de professoras alfabetizadoras acerca do conceito de letramento RESUMO A recente incorporação do termo letramento no campo da educação brasileira associada com a ampliação do Ensino Fundamental

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais