RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO CEJUSC-BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT. Maio de 2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO CEJUSC-BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT. Maio de 2013"

Transcrição

1 RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO CEJUSC-BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT Maio de 2013 Setembro/2013

2 Apresentação O presente documento revela os resultados da Pauta Concentrada Seguro DPVAT do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania de Brasília CEJUSC- BSB, realizada no período de 4 a 6 de junho de Em parceria com a Seguradora Líder dos Consórcios do Seguro DPVAT, a referida pauta teve por objetivo possibilitar a resolução consensual das lides relacionadas ao seguro de danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não. A Pauta Concentrada consiste no formato em que são realizadas, em um período determinado e de forma conjunta, sessões de conciliação em causas ajuizadas com frequência no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT), referentes a temas semelhantes, como é o caso das ações de cobrança da indenização do seguro obrigatório de danos pessoais causados por veículos automotores de via terrestre, ou por sua carga, a pessoas transportadas ou não (DPVAT), atinentes especificamente ao dano de invalidez permanente. O objetivo desse formato é especializar a prestação de serviço, facilitando o atendimento ao cidadão e agregando qualidade às autocomposições. No espaço destinado à pauta, o CEJUSC/BSB configurou as salas da seguinte forma: sete salas para as sessões de conciliação de processos oriundos da 1ª Instância das quais uma reservada para eventuais ajustes; duas salas para as sessões de conciliação de processos oriundos da 2ª Instância; três salas para as consultas médicas, equipadas com macas e instrumentos médicos, para realizar avaliações, a fim de apurar as sequelas permanentes das partes; uma sala para apoio aos defensores públicos; uma sala para os representantes do Ministério Público; uma sala para os advogados representantes das partes. Ainda, houve um espaço reservado aos prepostos e gestores da Seguradora Líder e aos advogados dos escritórios que os representam. Houve ainda duas recepções, uma para a realização das sessões de conciliação e outra para a realização das consultas médicas. As sessões foram programadas para durarem 55 minutos, dos quais 15 minutos para a realização da avaliação médica e 40 minutos para a tentativa de conciliação. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 2

3 Em razão da possibilidade de serem atendidas pessoas com necessidades especiais, foi realizada uma oficina de sensibilização com os conciliadores, servidores, estagiários e gestores do CEJUSC-BSB, em parceria com o Núcleo de Inclusão e o Núcleo de Acompanhamento Funcional. Ademais, ainda como preparação para a referida pauta concentrada, foram realizadas duas reuniões: uma com gestores, prepostos e advogados da Seguradora Líder, para ajustes em relação aos procedimentos, às cláusulas de acordo e à postura na mesa de conciliação; e outra com os médicos, para alinhamento quanto às disposições legais. Inicialmente, das 98 audiências designadas, foram efetivamente realizadas 55 conciliações. Dessas, 49 processos eram oriundos da 1ª instância e seis da 2ª instância. O índice de acordo alcançado durante a semana foi de 59%. Foram atendidos, aproximadamente, 113 cidadãos, entre partes e acompanhantes. E, ainda, atuaram 14 prepostos da Seguradora Líder. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 3

4 Resultados da Pesquisa de Qualidade O formulário da pesquisa de satisfação do usuário foi elaborado com o objetivo de conhecer a opinião dos jurisdicionados acerca do serviço prestado pelo CEJUSC-BSB. O instrumento é aplicado ao término da sessão de conciliação. Os participantes da sessão, partes advogados prepostos, foram convidados pelo conciliador a registrar sua percepção e, posteriormente, depositar o formulário da pesquisa em uma das urnas localizadas na sala de espera. Os instrumentos são disponibilizados em duas versões: uma aplicável às partes, outra para os advogados. A pesquisa conta, ainda, com um complemento para avaliação da atuação dos prepostos e outro, denominado comentários e sugestões, que é utilizado quando, por qualquer motivo, uma das partes falta à sessão. Os jurisdicionados são convidados a responder questões que versam sobre o alcance das expectativas, o nível de satisfação, a atuação dos conciliadores e dos prepostos, a visão do usuário acerca do Poder Judiciário e a percepção geral do usuário sobre a conciliação. Essa última abrange aspectos como a validade da tentativa de acordo, a sensação de justiça com o resultado da conciliação, a existência ou não de pressão para fechamento de acordo. Além disso, foram pesquisados os aspectos gerais da prestação do serviço. As partes tiveram a oportunidade de avaliar a sua participação na construção da solução, o auxílio dado pelo conciliador para negociar com a outra parte e para o alcance da compreensão mútua. Os advogados, por sua vez, puderam estimar a economia processual proporcionada pelo acordo alcançado nas causas, quanto a tempo e custos. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 4

5 Resultados A Pesquisa de Satisfação do Usuário teve adesão significativa. Dos processos cujas audiências foram realizadas, 40 partes e 17 advogados responderam ao questionário. Em razão da natureza das causas, o perfil dos respondentes da pesquisa foi determinado pelos requerentes na demanda e seus advogados, isto é, os autores na ação de cobrança do seguro DPVAT, que representam 83,7% dos respondentes. Satisfação Geral Em relação ao nível geral de satisfação com a sessão de conciliação, 81,6% disseram que ficaram muito satisfeitos ou satisfeitos, o que revela um quadro positivo da pauta concentrada (Vide Gráfico 1). 12,21% 6,11% 14,31% 67,37% Muito Satisfeito Satisfeito Insatisfeito Muito Insatisfeito Gráfico 1 Satisfação Geral com a Conciliação. Aspectos gerais No que tange aos aspectos gerais, destaca-se o atendimento dado pelos servidores do Tribunal, que recebeu 97,8% de escores entre excelente ou bom (Gráfico 2). 2% 23,9% 73,9% Gráfico 2 Satisfação Geral. Excelente Bom Regular Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 5

6 O Gráfico 3 mostra que, em relação à facilidade de encontrar o local da conciliação, 91,5% dos respondentes apontaram-na como excelente ou bom ; e quanto ao tempo de espera, 70,2% marcaram esses mesmos escores. 59,6% 42,6% 31,9% 27,7% 23,4% 4,3% 4,3% 6,4% Facilidade de encontrar o local da Conciliação Tempo de espera para a sessão de Conciliação Excelente Bom Regular Ruim Gráfico 3 Facilidade de encontrar o local e tempo de espera para a sessão de Conciliação. Quanto à qualidade do espaço físico destinado à pauta concentrada, é de grande importância a análise da percepção dos usuários. O tema da pauta, danos causados por acidentes, requereu maior atenção quanto ao possível público portador de necessidades especiais. Dessa forma, a avaliação de 97,9% dos respondentes entre os pontos excelente e bom reforça a adequação do espaço disponibilizado (Vide Gráfico 4): 2,1% 31,9% 66,0% Excelente Bom Ruim Gráfico 4 Qualidade do espaço físico. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 6

7 Sobre a conciliação Perguntados se a tentativa de acordo foi válida, 67,3% da amostra respondeu positivamente (Gráfico 5). Esse número foi maior do que o percentual de acordo dos respondentes da pesquisa (61,8%) e do índice de acordo alcançado durante a pauta (59%), o que demonstra a legitimidade da tentativa conciliatória. Isto é, mesmo em casos em que não houve acordo, a população considerou válida a tentativa conciliatória. Ainda, 89,1% dos respondentes expressaram não terem se sentido pressionados a fazer um acordo, o que aponta para a natureza autocompositiva da audiência. Você acredita que a tentativa de acordo foi válida? Em sua opinião, o resultado da conciliação foi justo? Você se sentiu pressionado (a) a fechar um acordo? A conciliação terminou com acordo? 67,3% 32,7% 30,9% 9,1% 89,1% 61,8% 12,7% 20,0% 36,4% 36,4% Sim Em Parte Não Gráfico 5 Aspectos sobre a sessão de Conciliação. Pra mim foi boa a conciliação, ótima, super tranquila. Contudo, a questão que versava sobre a percepção de justiça dos respondentes apresentou resultados heterogêneos. Uma das explicações para esse resultado pode ser a compreensão da sociedade sobre as finalidades da indenização do seguro DPVAT, que tem o limite de R$13.500,00. Esse valor, perante as sequelas irreversíveis causadas pelos sinistros e as dificuldades trazidas nas relações sociais, trabalhistas e pessoais dos cidadãos, pode afetar a percepção do quão justo é o resultado final da sessão de conciliação. Satisfação com a Conciliação e seus Resultados Quanto à satisfação com a conciliação e seus resultados, questionada exclusivamente às partes, 75% dos respondentes disseram que se sentiram auxiliados pelo conciliador para negociar Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 7

8 melhor com a outra parte, e 82,9% revelaram que sentiram ter participado da construção da solução (Gráfico 6). Sentiu-se auxiliado(a) pelo conciliador para negociar melhor com a outra parte? 75,0% 5,6% 19,4% Sentiu que participou da construção da solução? 82,9% 11,4% 5,7% Sentiu-se melhor compreendido(a) pela outra parte? 61,8% 11,8% 26,5% Sentiu que compreende melhor a outra parte? 55,9% Sim Em parte Não 8,8% 35,3% Gráfico 6 Satisfação com a Conciliação e seus resultados. Sobre as expectativas dos jurisdicionados quanto à sessão de conciliação, o gráfico 7, abaixo, retrata que a maior parte dos jurisdicionados (70,6%) teve suas expectativas quanto à sessão de conciliação atendidas. 21,6% 7,8% 23,5% 47,1% Superadas Atendidas Parcialmente Atendidas Não atendidas Gráfico 7 Expectativas quanto à sessão de conciliação. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 8

9 Entretanto, para 21,6% da amostra, as expectativas não foram atendidas. Esse percentual faz parte de uma taxa natural, uma vez que, em algumas causas, por sua complexidade, não se consegue alcançar o consenso entre as partes. Atuação dos conciliadores O Gráfico 8 mostra que, em relação à avaliação geral dos conciliadores, o resultado foi excelente ou bom para 97,8% dos respondentes, resultado dentro do padrão ideal estabelecido pelo NUPEMEC. 2,2% 28,3% 69,5% Excelente Bom Péssimo Gráfico 8 Avaliação geral dos conciliadores. Sobre os aspectos específicos do papel dos conciliadores atuantes na pauta, os resultados são positivos e podem ser visualizados no Gráfico 9 a seguir: Gráfico 9 Atuação dos conciliadores Apresentação pessoal Imparcialidade e neutralidade Atenção, zelo e preocupação em atender bem a todos Esclarecimento dos procedimentos seguintes em caso de não haver acordo Apresentação das regras gerais da Conciliação 57,8% 51,2% 76,6% 72,3% 66,0% Excelente Bom Regular Ruim Péssimo 40% 36,6% 21,3% 23,4% 31,9% Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 9

10 A conciliadora foi bem em suas colocações, compreender a situação, mas infelizmente o valor oferecido foi vergonhoso. Ainda, as partes, quando inquiridas sobre o encorajamento dos conciliadores à busca de soluções para um consenso, 63,3% disseram que foi excelente. Excelente também foi a avaliação de 71% dos participantes acerca do quesito esclarecimento de possíveis dúvidas em relação ao acordo (Gráfico 10). 63,3% 71% 33,3% 25,8% 3,3% 3,2% Encorajamento à busca de soluções para um consenso Esclarecimento de possíveis dúvidas em relação ao acordo Excelente Bom Regular Gráfico 10 Encorajamento à busca de soluções e esclarecimento de dúvidas. Nas questões exclusivas para advogados, quanto à atuação dos conciliadores, a clareza da redação do acordo destaca-se por ter sido avaliada como excelente e bom (Gráfico 11). Já o estímulo dado à participação dos advogados pode ser aprimorado, segundo a percepção de 13,4% dos respondentes. 71% 46,7% 40,0% 35,7% 6,7% 6,7% Estímulo dado aos advogados a participarem Redação do acordo de forma clara e precisa Excelente Bom Regular Ruim2 Gráfico 11 Encorajamento à busca de soluções e esclarecimento de dúvidas. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 10

11 Advogados Embora a finalidade do processo autocompositivo seja proporcionar às partes autonomia na sua decisão, os advogados contribuem para elaborar opções criativas de resolução consensual, oferecendo aos seus clientes segurança na tomada de decisão. O gráfico 12 a seguir retrata a percepção das partes sobre o auxílio de seus advogados para compreensão do caso e construção de um acordo: 10% 32% 58% Excelentes Bom Regular Gráfico 12 Auxílio do advogado na compreensão do caso e na construção de um acordo. Economia Processual Os advogados, em razão de sua ampla experiência em ações judiciais, fizeram estimativas quanto à economia temporal e financeira de um acordo em causas como a ação de cobrança do seguro DPVAT. Um acordo nessas demandas reduz de 3 a 4 anos a tramitação do processo no Judiciário, segundo 57,1% dos advogados (Gráfico 13). 57,1% 7,1% 21,4% 14,3% Tempo do processo Até um ano De 1 a 2 anos De 3 a 4 anos De 5 a 6 anos Gráfico 13 Encorajamento à busca de soluções e esclarecimento de dúvidas. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 11

12 No que se refere à economia financeira, os resultados são heterogêneos, no entanto significativos, visto que, de acordo com 46,2% dos patronos, economiza-se mais de dois mil reais com um acordo em conciliação. E, ainda, de acordo com 38,5% dos patronos (Gráfico 14), com a conciliação, se economiza de dois a quatro mil reais, em relação a serviços advocatícios, custas. 30,8% 23,1% 38,5% 7,7% Até R$500,00 De R$ 2.000,00 a R$4.000,00 Custas De R$500,00 a R$1.000,00 De R$5.000,00 a R$7.000,00 Gráfico 14 Encorajamento à busca de soluções e esclarecimento de dúvidas. Atuação dos prepostos Sobre as expectativas quanto à proposta feita pela Seguradora Líder, o Gráfico 15 mostra que 64,0% dos respondentes assinalaram ter tido suas expectativas atendidas de alguma forma, enquanto 36,0% as apontaram como não atendidas. 8,0% 36,0% 32,0% 24,0% Superadas Atendidas Parcialmente Atendidas Não atendidas Gráfico 15 Expectativas quanto à proposta da seguradora. O valor em acordo não valeria os valores que o meu pai gastou. Incapacidade em um valor justo! O valor oferecido foi totalmente vergonhoso. Melhorar na questão das propostas de acordo e chegar ao objetivo da conciliação Que os valores fossem realmente satisfatório para ambas as partes. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 12

13 Na questão que avalia a melhora da imagem da organização após a sessão de conciliação, o Gráfico 16 mostra que 22,7% consideraram que esta melhorou; para 63,6% pessoas manteve-se a mesma. 22,7% 63,7% 13,6% Sim Não Manteve-se a mesma Gráfico 16 Alteração da Imagem da empresa. Ao analisar a atuação dos prepostos dos escritórios jurídicos representantes da Seguradora Líder, o Gráfico 17 indica que, apesar de avaliados positivamente, os representantes ainda não alcançaram o nível satisfatório, estabelecido no padrão de qualidade do NUPEMEC. Neste nível o aspecto pesquisado deve conter pelo menos 90% das avaliações em excelente ou bom. Apresentação pessoal Respeito a todas as etapas do processo de Conciliação Demonstração de conhecimento prévio da causa Flexibilidade quanto à busca de soluções para um consenso Atenção, zelo e preocupação em atender bem Esclarecimento de possíveis dúvidas em relação à proposta da empresa Avaliação Geral do Preposto 66,7% 68,0% 43,5% 45,5% 50,0% 58,3% 47,8% 20,8% 20,0% 39,1% 31,8% 33,3% 29,2% 39,1% Excelente Bom Regular ruim péssimo Gráfico 17 Atuação dos prepostos. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 13

14 Visão do Poder Judiciário Outra perspectiva interessante detectada na pesquisa foi a visão dos respondentes em relação ao Poder Judiciário; 43,8% dos respondentes registraram que sua imagem do Poder Judiciário melhorou com a Conciliação. E, ainda, 72,3% expressaram ter sido possível ver o Poder Judiciário como centro de paz; 78,7% perceberam o cuidado do Poder Judiciário com os usuários (Gráfico 18). A sua imagem do Poder Judiciário melhorou depois da Conciliação? 43,8% 22,9% 33,3% Foi possível ver o Poder Judiciário como um centro de paz? 72,3% 14,9% 12,8% Foi possível perceber o cuidado do Poder Judiciário com o usuário? 78,7% 10,6% 10,6% Sim Em Parte Não Gráfico 18 Visão do Poder Judiciário. Excelente uma boa solução para agilizar a máquina do Judiciário. Interesse em Conciliar Tribunal. Por fim, 12 respondentes sinalizaram interesse em serem conciliadores voluntários deste Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 14

15 CONCLUSÃO É essencial conhecermos a forma como os usuários enxergaram o nosso trabalho, para conferir legitimidade ao esforço organizacional. A semana de conciliação dedicada ao seguro DPVAT obteve 59% de acordos. Esse resultado representa o êxito obtido em termos de eficácia da ação. Concomitantemente, o grau de satisfação indicado pelos usuários alcançou 81,68% de muito satisfeito e satisfeito. Esses dados são indicadores de qualidade por medir diretamente os desempenhos relacionados às necessidades e satisfação dos cidadãos-usuários. Aspectos que podem ser destacados dos resultados apresentados: O atendimento prestado pelos servidores da Casa, que recebeu 97,0% dos escores em excelente ou bom ; Boa avaliação do espaço destinado às sessões, o qual alcançou o escore extremamente positivo de 97,9%; A satisfação geral com a conciliação, em que 81,68% dos atendidos expressaram estar muito satisfeitos ou satisfeitos com o serviço; As expectativas dos jurisdicionados quanto à sessão de conciliação, em que 7,8% dos respondentes expressaram ter tido suas expectativas superadas, enquanto outros 70,6%, atendidas ou parcialmente atendidas. Pode-se concluir que a Pauta Concentrada Seguro DPVAT revelou-se exitosa em seu propósito de atendimento especializado, corroborada pelos resultados alcançados, sobretudo quanto ao grau de satisfação dos envolvidos, manifestado na pesquisa de qualidade e ao longo da semana, junto à equipe de coordenação. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 15

16 Anexo I - Comentários e sugestões na íntegra Comentários e Sugestões Excelente uma boa solução para agilizar a máquina do Judiciário. A conciliadora foi bem em suas colocações, compreender a situação, mas infelizmente o valor oferecido foi vergonhoso. Menos formalidade, mais agilidade nas audiências. Pra mim foi boa a conciliação ótima super tranquila. Muitas vezes a conciliação acaba indo para um lado muito emocional. Em caso de acidentes e seguro DPVAT estamos limitados a avaliação das lesões específicas. Muitas vezes a expectativa da parte acaba sendo indenizatória e emocionalmente, nunca será atendida. Falta de documentos médicos, os quais vão ser juntados nos autos (impediu o acordo). Propostas de acordo Mais esclarecimento sobre os valores. Ficaria contente, pois já passamos por muitos constrangimentos. Se houvesse uma proposta de acordo. Não houve nenhuma. A cliente vem se desloca, gasta, faz perícia e nada. Se o valor fosse justo, ou razoável. Que os valores fossem realmente satisfatório para ambas as partes. Cobriria os gastos até a época do atendimento. Melhorar na questão das propostas de acordo e chegar ao objetivo da conciliação. O valor em acordo não valeria os valores que o meu pai gastou. Incapacidade em um valor justo! O valor oferecido foi totalmente vergonhoso. Se houvesse uma análise perfunctória aos autos a lide seria solucionada. Advogado não tinha autonomia para negociar. O escritório que representa nunca fez acordo com o nosso escritório. Satisfeito. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 16

17 Anexo II Padrão de Qualidade NUPEMEC Tratamento dos dados e apresentação dos resultados Os resultados da PSU contêm elementos que permitem estabelecer parâmetros consistentes sobre a eficácia, eficiência e efetividade da prestação jurisdicional, bem como identificar as iniciativas bemsucedidas e as oportunidades de melhoria dos serviços de mediação e conciliação ofertados ao cidadão-usuário e de outros serviços relacionados inovações de sistemas, adequações de infraestrutura, prestação de informações, entre outros. Nesse sentido, a retroalimentação do sistema é essencial para o aprimoramento contínuo. Dentro desta perspectiva, é essencial que seja direcionado feedback aos envolvidos na prestação do serviço. Os dados obtidos com as respostas aos formulários são tratados, organizados e apresentados em forma de relatórios periódicos, servindo como subsídios para os gestores dos CEJUSCs analisarem, aprimorarem e ampliarem a dinâmica do processamento das lides. Em um primeiro momento foram desenhados modelos de feedback para os conciliadores e mediadores, a fim de que os resultados obtidos com a pesquisa ensejem a melhoria e capacitação dos facilitadores e melhor gestão do serviço. Cabe destacar, ainda, que os relatórios gerados são direcionados aos parceiros externos para que esses conheçam a percepção do usuário e atuem, construtivamente, na melhoria do atendimento aos jurisdicionados, em conjunto com o Tribunal. Uma nova frente de trabalho está sendo desenvolvida: o modelo de feedback direcionado aos jurisdicionados atendidos e que avaliaram o serviço. As informações produzidas apresentam indicadores para a sociedade, com o objetivo de embasarem sua escolha acerca da forma que desejam que seus conflitos sejam tratados. Para exemplificar a apresentação dos dados à gerência do Tribunal, parceiros e operadores são disponibilizados. Em anexo, os relatórios e feedbacks por profissional confeccionados por este Núcleo, no ano de Para facilitar a compreensão do significado dos percentuais obtidos nos relatórios da pesquisa de satisfação, estabeleceu-se o padrão de qualidade esperado pelo Núcleo, o qual vai em direção ao objetivo da organização quanto a sua prestação jurisdicional, que é buscar a excelência nos serviços prestados. Destaca-se que o padrão desenhado é rigoroso e exige alto grau de profissionalização dos agentes envolvidos. Dessa forma, o padrão deve ser aplicado na dimensão de atuação dos mediadores e/ou conciliadores e em todas as variáveis que utilizam escala de 5 pontos (excelente a péssimo), por estarem relacionadas diretamente à atuação da equipe dos centros. A classificação foi baseada nos parâmetros de qualidade de outras pesquisas, nas escalas de 5 pontos, utilizadas em instrumentos de análises e nos resultados já alcançados pelo NUPEMEC. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 17

18 DESEMPENHO IDEAL SATISFATÓRIO NECESSIDADE DE APERFEIÇOAMENTO INACEITÁVEL SIGNIFICADO É considerado ideal quando 90% dos respondentes consideram a variável em análise como excelente ; Consideram-se satisfatórios os itens cujo acumulado entre excelente e bom alcança índice de 90%; Havendo mais de 10% de respostas entre regular e ruim esta variável aponta a necessidade de aperfeiçoamento; Mais de 5% em péssimo é considerado inaceitável. Atualmente o desempenho dos centros supervisionados por este NUPEMEC atinge o padrão satisfatório : apresentam índices, quanto à atuação dos conciliadores/mediadores e aspectos gerais, concentrados nas âncoras excelente e bom, com média acima de 90%; 10% divididos nos pontos regular, ruim e péssimo. O objetivo almejado é alcançar a excelência, menção ideal em todos os aspectos avaliados. Relatório da PSU do CEJUSC/BSB Pauta Concentrada Seguro DPVAT 18

Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 DPVAT

Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 DPVAT Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 DPVAT Setembro, 2012 Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 - DPVAT O presente documento revela os resultados da V Semana de Conciliação de 2012 do Centro Judiciário

Leia mais

Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 Banco Bradesco

Relatório da 2ª Pauta Concentrada de 2012 Banco Bradesco Relatório da ª Pauta Concentrada de 0 Banco Bradesco Dezembro de 0 Relatório da ª Pauta Concentrada de 0 - Banco Bradesco O presente documento revela os resultados da ª Pauta Concentrada de 0 de sessões

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013

SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013 SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013 RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO CEJUSC-JEC/BSB DEZEMBRO, 2013. Apresentação O presente documento revela os resultados da Pesquisa de Satisfação do Usuário (PSU)

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO CONSTRUÇÃO E IMPLANTAÇÃO NO TJDFT

PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO CONSTRUÇÃO E IMPLANTAÇÃO NO TJDFT PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO CONSTRUÇÃO E IMPLANTAÇÃO NO TJDFT 2013 1 2 Composição Administrativa ADMINISTRAÇÃO SUPERIOR Desembargador Dácio Vieira Presidente Desembargador Sérgio Bittencourt 1º Vice-Presidente

Leia mais

O que significa? Atividades principais que constituem a prática:

O que significa? Atividades principais que constituem a prática: Título: Pauta Específica nos Juizados Especiais com Treinamento de Prepostos. Tema: Eficiência das estruturas da conciliação e mediação (Art. 3º, II, do Regulamento). Categoria: Tribunal Estadual (art.

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013

SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013 SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO 2013 RELATÓRIO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DEZEMBRO, 2013. Apresentação O presente documento revela os resultados da Pesquisa de Satisfação do Usuário (PSU) em relação às atividades

Leia mais

Sistema de Controle de Conciliações

Sistema de Controle de Conciliações Sistema de Controle de Conciliações Título: Sistema de Controle de Conciliações do TJDFT. Tema: Eficiência das estruturas da conciliação e mediação (Art. 3º, II, do Regulamento). Categoria: Tribunal Estadual

Leia mais

Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania

Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania Luciana Trindade dos Reis Bottrel Mansur 1 RESUMO: Os Juizados de Conciliação foram criados por iniciativa do Poder Judiciário de Minas

Leia mais

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS

ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E METAS ANEXO I MATRIZ DE INDICADORES E S 31 MATRIZ DE INDICADORES e S Indicador 1 - Visão Visão: Ser reconhecido como um dos 10 Regionais mais céleres e eficientes na prestação jurisdicional, sendo considerado

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEISDA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA

DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA DESCRIÇÃO DAS PRÁTICAS DE GESTÃO DA INICIATIVA Como é sabido existe um consenso de que é necessário imprimir qualidade nas ações realizadas pela administração pública. Para alcançar esse objetivo, pressupõe-se

Leia mais

Levantamento de Governança de TI 2014

Levantamento de Governança de TI 2014 Levantamento de Governança de TI 2014 Resultado individual: CONSELHO ADMINISTRATIVO DE DEFESA ECONÔMICA Segmento: Executivo - Sisp Tipo: Autarquia A classificação deste documento é de responsabilidade

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 8ª REGIÃO INTRODUÇÃO Assegurar o acesso à justiça, de forma efetiva, na composição dos conflitos decorrentes das relações de trabalho. Missão Institucional do TRT da 8ª Região. INTRODUÇÃO Prática adotada pelo Tribunal Regional

Leia mais

PROGRAMA DINÂMICA DE METAS 2010 RELATÓRIO FINAL

PROGRAMA DINÂMICA DE METAS 2010 RELATÓRIO FINAL PROGRAMA DINÂMICA DE METAS 2010 RELATÓRIO FINAL PROGRAMA DINÂMICA DE METAS 2010 RELATÓRIO FINAL INTRODUÇÃO METODOLOGIA RESULTADO CONCLUSÃO INTRODUÇÃO O Poder Judiciário passa por um largo processo de reformulação

Leia mais

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO 16ª REGIÃO SECRETARIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA E ESTATÍSTICA RELATÓRIO PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL 2011 1 - INTRODUÇÃO O Tribunal Regional do Trabalho

Leia mais

Elaboração e aplicação de questionários

Elaboração e aplicação de questionários Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística Curso de Bacharelado em Estatística Elaboração e aplicação de questionários Prof. Hemílio Fernandes Campos Coêlho Departamento de Estatística

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA ANÁLISE DA AUTOAVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES DE PEDAGOGIA/FE/UFG/2013 INTRODUÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA ANÁLISE DA AUTOAVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES DE PEDAGOGIA/FE/UFG/2013 INTRODUÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE EDUCAÇÃO CURSO DE PEDAGOGIA ANÁLISE DA AUTOAVALIAÇÃO DOS ESTUDANTES DE PEDAGOGIA/FE/UFG/2013 INTRODUÇÃO O presente relatório foi elaborado pelo Núcleo Docente

Leia mais

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP)

O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) 1 O CURSO DE GESTÃO PÚBLICA DA UFSCar SOB O OLHAR DOS ALUNOS DA TURMA 2013 DO POLO DE FRANCA (SP) São Carlos - SP - maio/2015 Daniela Salgado Gonçalves da Silva - UFSCar - danisalgadoead@gmail.com Glauco

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Relatório de Avaliação Institucional da Faculdade de Administração e Artes de Limeira

Relatório de Avaliação Institucional da Faculdade de Administração e Artes de Limeira Relatório de Avaliação Institucional da Faculdade de Administração e Artes de Limeira 2014 Fevereiro / 2015 Limeira SP Sumário 1. Identificação da Instituição:...3 2. Dirigentes:...3 3. Composição da CPA

Leia mais

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra INTRODUÇÃO As organizações vivem em um ambiente em constante transformação que exige respostas rápidas e efetivas, respostas dadas em função das especificidades

Leia mais

O Processo Eletrônico como Instrumento de Eficiência da Administração Judiciária

O Processo Eletrônico como Instrumento de Eficiência da Administração Judiciária O Processo Eletrônico como Instrumento de Eficiência da Administração Judiciária ENAMAT Curso de Formação Continuada de Teoria Geral do Processo Eletrônico Brasília-DF, setembro de 2011 Rubens Curado Silveira

Leia mais

MATERIAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA SAJ DIGITAL

MATERIAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA SAJ DIGITAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO NÚCLEO PERMANENTE DE MÉTODOS CONSENSUAIS DE SOLUÇÃO DE CONFLITOS MATERIAL DE APOIO PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA SAJ DIGITAL 1 Versão agosto/2012 Sumário 1. Introdução...

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

Atendimento Virtual Ampla

Atendimento Virtual Ampla 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Atendimento Virtual Ampla Carlos Felipe de Moura Moysés Ampla Energia e Serviços S.A cmoyses@ampla.com André Theobald Ampla Energia e Serviços S.A theobald@ampla.com

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA SABESP 2008-2 1 Apresentação A SABESP a partir da sua própria missão de prestar serviços de saneamento, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente constitui-se

Leia mais

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA GLOSSÁRIO DE TERMOS DO MARCO ANALÍTICO Avaliação de Projetos de Cooperação Sul-Sul: exercício fundamental que pretende (i ) aferir a eficácia, a eficiência e o potencial

Leia mais

ÍNDICE 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO

ÍNDICE 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. GLOSSÁRIO DE TERMINOLOGIAS ADOTADAS 3. ABORDAGEM CONCEITUAL DO MODELO DE GESTÃO DO DESEMPENHO 4. OBJETIVOS DA GESTÃO DO DESEMPENHO 5. BENEFÍCIOS ESPERADOS DO MODELO 6. DIRETRIZES

Leia mais

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos.

RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES. Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos. RELATÓRIO FINAL - INDICADORES - ESTUDANTES CURSO: PEDAGOGIA UFSCAR Quadro 1: Resultados dos Indicadores para o curso de Pedagogia Campus São Carlos. INDICADOR CLASSIFICAÇÃO ÍNDICE DE AVALIAÇÃO GERAL ALTO

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS. Apelação Cível n.º 2006.001411-7. Origem Maceió/ 7ª Vara Cível. Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS. Apelação Cível n.º 2006.001411-7. Origem Maceió/ 7ª Vara Cível. Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS Apelação Cível n.º 2006.001411-7 Origem Maceió/ 7ª Vara Cível Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A. Advogados Linaldo Freitas de Lima e outros Apelados Gilsineide Maria

Leia mais

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE

ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI CE ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 ANÁLISE DAS MELHORIAS OCORRIDAS COM A IMPLANTAÇÃO DO SETOR DE GESTÃO DE PESSOAS NA NOVA ONDA EM ARACATI

Leia mais

Questionário do (a) estagiário (a)

Questionário do (a) estagiário (a) Questionário do (a) estagiário (a) Caro Estagiário, A lei n 11.788/2008 dispõe que a instituição de Ensino deve exigir do educando o Relatório de Atividades de Estágio em prazo não superior a 06 meses,

Leia mais

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação

Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Experiência: Modelo de Gestão de Capacitação da Presidência da República - Pool de Capacitação Casa Civil Diretoria de Recursos Humanos Responsável: Selma Teresa de Castro Roller Quintella, Diretora de

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02 Curso de Bacharelado em SISTEMAS DE INFORMAÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente, Coordenação

Leia mais

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI

PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI PORTFÓLIO COMO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO FORMATIVA: A ANÁLISE DO PROCESSO NO CMEI VALÉRIA VERONESI Resumo Rosangela de Sousa Cardoso Stabenow1 - UEL Cassiana Magalhães2 - UEL Grupo de Trabalho - Didática:

Leia mais

Cetip. Perfil da unidade de financiamentos

Cetip. Perfil da unidade de financiamentos Cetip Perfil da unidade de financiamentos índice Apresentação 4 Atuação 6 História 8 Linha do Tempo 10 Estrutura Organizacional 12 Segurança e Tecnologia 14 Produtos e Serviços - Unidade de Financiamentos

Leia mais

C.P.A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

C.P.A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA C.P.A COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Ensino de Qualidade e Compromisso com o Futuro PARTE 2 GOIÂNIA 2012.2 2 APRESENTAÇÃO O presente relatório é resultado parcial da

Leia mais

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO Página 1 de 165 PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ADVOGADO MISSÃO DO CARGO: Contribuir para o desenvolvimento institucional, por meio de ações

Leia mais

Indicadores de resultados de projetos sociais http://www.rits.org.br Leandro Lamas Valarelli

Indicadores de resultados de projetos sociais http://www.rits.org.br Leandro Lamas Valarelli Indicadores de resultados de projetos sociais http://www.rits.org.br Leandro Lamas Valarelli O contexto do debate A idéia da construção de indicadores de resultados para projetos vem ganhado força entre

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 0 2014 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FUNDAÇÃO EDUCACIONAL CLAUDINO FRANCIO FACULDADE CENTRO MATO-GROSSENSE SORRISO/MT Portaria Nº 004/2015 Dispõe sobre Relatório Apresentado pela Comissão Própria

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual DIRETORIA GERAL DE FISCALIZAÇÃO E APOIO ÀS SERVENTIAS JUDICIAIS - DGFAJ Unidade Organizacional: DIRETORIA

Leia mais

ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA.

ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA. 1 ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA. Apresento a Vossas Excelências um breve relato da estatística processual relativa ao primeiro semestre deste ano, bem como

Leia mais

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO

A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO A ESTRATÉGIA DO TRT-3ª REGIÃO Plano Plurianual 2010-2014 Considerando o caráter dinâmico do processo de planejamento estratégico, o monitoramento e as revisões periódicas vêm auxiliar a Administração,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO DE COMPRAS E LICITAÇÕES Memorando Circular nº. 005/2014/DCOM Às Unidades de Ensino, Pró-Reitorias, Secretarias e Departamentos da UFSC Assunto: Orientações gerais sobre pesquisa de preços Em 26 de maio de 2014 1. Considerando

Leia mais

INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA

INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA INVESTIMENTOS NA INDÚSTRIA Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 3 Número 01 dezembro de 2011 www.cni.org.br Investimentos realizados em 2011 Indústria investe cada vez mais com o objetivo

Leia mais

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br

Website:www.luckesi.com.br / e-mail:contato@luckesi.com.br ENTREVISTA À REVISTA NOVA ESCOLA SOBRE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM (Esta entrevista subsidiou matéria que saiu na Revista Nova Escola de novembro de 2001) 1. O sr. considera as provas e exames instrumentos

Leia mais

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima

Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Resolução nº 17, de 02 de maio de 2013. Revisão do Plano Diretor 2010/2014. A Estratégia do Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Revisada Vigência 2013 2014 Missão, qual nosso negócio? Identidade institucional

Leia mais

O QUE É MEDIAÇÃO? Exemplos práticos: Conflitos de vizinhança, separação, divórcio, conflitos trabalhistas, etc...

O QUE É MEDIAÇÃO? Exemplos práticos: Conflitos de vizinhança, separação, divórcio, conflitos trabalhistas, etc... O QUE É MEDIAÇÃO? A Mediação é uma forma de tentativa de resolução de conflitos através de um terceiro, estranho ao conflito, que atuará como uma espécie de "facilitador", sem entretanto interferir na

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR

RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR RELATÓRIO DE PESQUISA COPA DAS CONFEDERAÇÕES CONSUMIDOR Julho 2013 COPA DAS CONFEDERAÇÕES - CONSUMIDOR Pesquisa realizada pela CNDL e SPC Brasil. Foram realizadas 620 entrevistas, com um erro máximo de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DO DESEMPENHO Atualizado em 30/12/2015 GESTÃO DE DESEMPENHO A gestão do desempenho constitui um sistemático de ações que buscam definir o conjunto de resultados a serem alcançados

Leia mais

SUMÁRIO 4. COMPETÊNCIA FUNCIONAL 03 5. FORMA DE ATUAÇÃO 03 6. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 04 7. ESTATÍSTICA DAS MANIFESTAÇÕES 08

SUMÁRIO 4. COMPETÊNCIA FUNCIONAL 03 5. FORMA DE ATUAÇÃO 03 6. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 04 7. ESTATÍSTICA DAS MANIFESTAÇÕES 08 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 02 2. HISTÓRICO 02 3. A OUVIDORIA 02 4. COMPETÊNCIA FUNCIONAL 03 5. FORMA DE ATUAÇÃO 03 6. ATIVIDADES DESENVOLVIDAS 04 7. ESTATÍSTICA DAS MANIFESTAÇÕES 08 8. PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS

Leia mais

O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR?

O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR? Manual para o Diagnóstico Institucional e o desenho do Plano de Melhoramento FICHAS DE APOIO O QUE PODEMOS FAZER PARA MELHORAR? Aplicação do Ciclo de Melhoramento Contínuo da Gestão Escolar PROGRAMA DE

Leia mais

Visão Estratégica e Vetores da Implementação. www.conexxoes.com.br

Visão Estratégica e Vetores da Implementação. www.conexxoes.com.br Visão Estratégica e Vetores da Implementação 1 INTRODUÇÃO Quadro de Referência FATOR DEFINIDOR Da Excludência à Convergência ÂMBITO Político; Econômico; Social MODELOS DE ORGANIZAÇÃO Pública; Privada;

Leia mais

Despacho de Ordem de Serviço com OS Mobile. Ciclo PNQS 2015

Despacho de Ordem de Serviço com OS Mobile. Ciclo PNQS 2015 Despacho de Ordem de Serviço com OS Mobile Ciclo PNQS 2015 Organograma A Oportunidade A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática implementada? Informar

Leia mais

Curso de bacharelado em engenharia de produção

Curso de bacharelado em engenharia de produção CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/01 Curso de bacharelado em engenharia de produção CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS:

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02 Curso de Bacharelado em ODONTOLOGIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/02 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho Docente, Coordenação

Leia mais

Questionário para área Operacional

Questionário para área Operacional Questionário para área Operacional Pontualidade Chega no horário e cumpre os horários estipulados pela empresa, além de respeitar o cronograma do setor no atendimento às solicitações de serviços. Zelo

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Jose Exemplo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança Premium The

Leia mais

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013

Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Índice de Satisfação dos Munícipes de Cascais 2013 Atendimento Municipal Outubro de 2013 Elaborado por Divisão de Sistemas de Suporte à Divisão e Divisão de Marca e Comunicação SUMÁRIO EXECUTIVO... 3 OBJETIVO...

Leia mais

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira

Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO. 01. Especialização Técnica de Nível Médio em Contabilidade Financeira Nome da Instituição: SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL SENAC SÃO PAULO CNPJ: 03.709.814/0001-98 Data: 07 de agosto de 2006 Número do Plano: 94 Área do Plano: Gestão Plano de Curso para: 01. Especialização

Leia mais

Questionário de Governança de TI 2016

Questionário de Governança de TI 2016 Questionário de Governança de TI 2016 De acordo com o Referencial Básico de Governança do Tribunal de Contas da União, a governança no setor público compreende essencialmente os mecanismos de liderança,

Leia mais

Avaliação Geral Institucional

Avaliação Geral Institucional Avaliação Geral Institucional COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA Cursos Superiores de Graduação: - ADM - CCO Tecnólogo em - HOT Ano: 29-1 Capivari de Baixo, Julho de 29 SUMÁRIO Introdução...3 Avaliação

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Empresas pagam dano moral coletivo

Empresas pagam dano moral coletivo Boletim 463/14 Ano VI 10/02/2014 Empresas pagam dano moral coletivo Advogada Adriana Calvo: "Não achei que fosse localizar tantas ações." Por Adriana Aguiar De São Paulo As companhias começaram a sofrer

Leia mais

SUMÁRIO RELAÇÃO DE PONTUAÇÃO.3 01 AVALIAÇÃO DOS COORDENADORES PELA DIREÇÃO.4 02 AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE PELOS COORDENADORES.21 14.22 14.

SUMÁRIO RELAÇÃO DE PONTUAÇÃO.3 01 AVALIAÇÃO DOS COORDENADORES PELA DIREÇÃO.4 02 AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE PELOS COORDENADORES.21 14.22 14. SUMÁRIO RELAÇÃO DE PONTUAÇÃO...3 01 AVALIAÇÃO DOS COORDENADORES PELA DIREÇÃO......4 02 AVALIAÇÃO DO CORPO DOCENTE PELOS COORDENADORES...5 03 AVALIAÇÃO DA DIREÇÃO PELA COORDENAÇÃO...6 04 AVALIAÇÃO DOS FUNCIONÁRIOS

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02 Curso de Bacharelado em ENFERMAGEM COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02 DISCENTES: CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Desempenho docente, Coordenação do

Leia mais

GESTÃO LEGAL DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS

GESTÃO LEGAL DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS GESTÃO LEGAL DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS G ESTÃO L EGAL D C ONTRATOS A DMI Quando um contrato administrativo é denunciado, os prejuízos para a empresa contratada podem ser enormes. Prejuízos financeiros,

Leia mais

Laura Olívia de Oliveira Issy 1 ; Márcio Fernandes 2 ;Agnaldo Teodoro de Miranda 3

Laura Olívia de Oliveira Issy 1 ; Márcio Fernandes 2 ;Agnaldo Teodoro de Miranda 3 XVIII CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 19 a 23 de outubro de 2009 MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO: AUXÍLIOS À GESTÃO DO INSTITUTO FEDERAL GOIANO CAMPUS DE URUTAÍ, GO Laura Olívia de Oliveira Issy 1 ; Márcio

Leia mais

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações:

A Global e todos os seus Colaboradores comprometem-se a seguir os princípios abaixo como diretrizes de conduta em todas as suas relações: POLÍTICAS CORPORATIVAS Assunto: Código de Ética e Conduta Objetivo O Código de Ética e Conduta objetiva estabelecer os princípios, conceitos e valores que orientam o padrão ético de todos os Colaboradores

Leia mais

TERMO DE OPÇÃO AOS INSTITUTOS LEGAIS OBRIGATÓRIOS Dados do Participante: Nome: Matrícula: CPF: Patrocinadora: Admissão: Desligamento:

TERMO DE OPÇÃO AOS INSTITUTOS LEGAIS OBRIGATÓRIOS Dados do Participante: Nome: Matrícula: CPF: Patrocinadora: Admissão: Desligamento: TERMO DE OPÇÃO AOS INSTITUTOS LEGAIS OBRIGATÓRIOS Dados do Participante: Nome: Matrícula: CPF: Patrocinadora: Admissão: Desligamento: Endereço residencial (logradouro e bairro): Plano de Benefícios: Bunge

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA/2006: AVANÇOS OU RETROCESSOS NA ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS POLÍTICO PEDAGÓGICO

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA/2006: AVANÇOS OU RETROCESSOS NA ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS POLÍTICO PEDAGÓGICO DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS DO CURSO DE PEDAGOGIA/2006: AVANÇOS OU RETROCESSOS NA ORGANIZAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DOS PROJETOS POLÍTICO PEDAGÓGICO Resumo: BALDINI, Márcia Aparecida - FAG marcia.baldini@hotmail.com

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

E-learning para servidores públicos de nível médio

E-learning para servidores públicos de nível médio 554.ART 04 24.06.05 19:13 Page 113 E-Learning para servidores públicos de nível médio E-learning para servidores públicos de nível médio Silvio Miyazaki* Marcelo Amaral Gonçalves de Mendonça** RESUMO Analisar

Leia mais

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS

DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS DISCURSO DESEMBARGADOR SÉRGIO ANTÔNIO DE RESENDE PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MINAS GERAIS ABERTURA DO 79º ENCONTRO NACIONAL DO COLÉGIO PERMANENTE DE PRESIDENTES DE TRIBUNAIS DE JUSTIÇA DO BRASIL

Leia mais

EXPECTATIVAS COM RELAÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

EXPECTATIVAS COM RELAÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EXPECTATIVAS COM RELAÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Novos tempos para o Poder judiciário; Sucesso total; Acredito que o seminário plantou a semente de pensar a estrutura do ambiente em que se trabalha

Leia mais

RELATO DA SITUAÇÃO ANTERIOR À INTRODUÇÃO DA INOVAÇÃO

RELATO DA SITUAÇÃO ANTERIOR À INTRODUÇÃO DA INOVAÇÃO Experiência: GESTÃO POR PROJETOS ESTRUTURANTES Banco do Nordeste do Brasil S.A. Responsável: Valdemar Barros Filho Equipe: Antonio Carlos Rodrigues, Francisco Carlos Cavalcanti, Ana Altina Teixeira Marciano

Leia mais

FILOSOFIA DO SERVIÇO DE PÓS-VENDA TOYOTA

FILOSOFIA DO SERVIÇO DE PÓS-VENDA TOYOTA FILOSOFIA DO SERVIÇO DE PÓS-VENDA TOYOTA Toyota do Brasil Pós-venda Capítulo 1 - O que o Cliente espera do Serviço de Pós-Venda Capítulo 2 - A Filosofia do Serviço de Pós-Venda Toyota Definindo a Filosofia

Leia mais

Estudo dos principais entraves e desafios para o fomento da Previdência Complementar VISÃO DE PATROCINADORES E INSTITUIDORES

Estudo dos principais entraves e desafios para o fomento da Previdência Complementar VISÃO DE PATROCINADORES E INSTITUIDORES Estudo dos principais entraves e desafios para o fomento da Previdência Complementar VISÃO DE PATROCINADORES E INSTITUIDORES Coordenação de Análise Conjuntural - COANC Coordenação de Estudos Técnicos e

Leia mais

Planejamento Estratégico de TIC

Planejamento Estratégico de TIC Planejamento Estratégico de TIC Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe 2015 a 2020 Versão 1.0 Índice 1. Apresentação 2. Organograma da SETECI 3. Planejamento Estratégico do TJSE 4. Mapa Estratégico do

Leia mais

Venha fazer negócios conosco e saia Feliz a Bessa e tenha a irmandade que você pode escolher.

Venha fazer negócios conosco e saia Feliz a Bessa e tenha a irmandade que você pode escolher. A empresa, com larga experiência no setor imobiliário, tem infra-estrutura e equipe especializada pronta para atendê-lo. Firma fundada em 1975 registrada pelo PJ: 183. Corretor Responsável com CRECI: 669

Leia mais

Resultado Orçamentário e Financeiro do Exercício

Resultado Orçamentário e Financeiro do Exercício 4 Resultado Orçamentário e Financeiro do Exercício 4.1. Prática da Responsabilidade Social 4.2. Desempenho Administrativo 4.3. Desempenho Orçamentário e Financeiro 4.4. Fundo Patrimonial & Fundo de Contribuição

Leia mais

REGULAÇÃO DAS OUVIDORIAS DO SETOR ELÉTRICO

REGULAÇÃO DAS OUVIDORIAS DO SETOR ELÉTRICO REGULAÇÃO DAS OUVIDORIAS DO SETOR ELÉTRICO I - CONTEXTO Desde a sua criação, a ANEEL procura zelar pelos direitos e interesses dos consumidores, mediante atuação abrangente na regulação, na fiscalização

Leia mais

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior

Coordenação-Geral de Avaliação dos Cursos de Graduação e Instituições de Ensino Superior CAPA 1 República Federativa do Brasil Ministério da Educação Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Avaliação

Leia mais

ANEXO A Estratégia do Tribunal de Justiça de Sergipe

ANEXO A Estratégia do Tribunal de Justiça de Sergipe RESOLUÇÃO Nº 10, DE 01 DE JUNHO DE 2011 Dispõe sobre o Planejamento e a Gestão Estratégica no âmbito do Poder Judiciário do Estado de Sergipe e dá outras providências. ANEXO A Estratégia do Tribunal de

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Você gostaria de atingir os objetivos que traçou para sua vida de maneira mais consistente e sustentável? Gostaria de melhorar o seu aproveitamento, trabalhar menos pressionado ou estressado, e ainda aumentar

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho)

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO. PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho) CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPUTADO POLICARPO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 7.927, DE 2014 (do Tribunal Superior do Trabalho) Dispõe sobre a criação de cargos de

Leia mais

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA

UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA UNIVERSIDADE SANTA CECÍLIA - UNISANTA RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA NÚCLEO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL NAI É preciso avaliar para aprimorar CONSIDERAÇÕES INICIAIS A UNISANTA desenvolveu,

Leia mais

Código de Ética e Conduta Lojas Renner

Código de Ética e Conduta Lojas Renner Código de Ética e Conduta Lojas Renner Junho de 2008 Introdução Carta do Presidente Código de Ética: Valores e Princípios Empresariais Código de Conduta: Colaboradores Fornecedores Clientes Comunidade

Leia mais

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Qual o significado de ISO? ISO International Organization for Standardization, é uma organização não governamental com sede em Genebra, na Suíça, que foi criada em 1946

Leia mais

BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53

BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53 CAPÍTULO6 BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53 Aspectos de gênero O Programa Bolsa Família privilegia como titulares as mulheres-mães (ou provedoras de cuidados), público que aflui às políticas de assistência

Leia mais

QUADRO DE RESPOSTAS PESQUISA DE OPINIÃO - UO. Aprovado por: Julio Carlos Silva Rego Mello

QUADRO DE RESPOSTAS PESQUISA DE OPINIÃO - UO. Aprovado por: Julio Carlos Silva Rego Mello O servidor Júlio César está prestando um ótimo serviço, sempre sendo atencioso e gentil. Merecedor do elogio. 1/15 as Respostas e Ações O funcionário Júlio César agradece o elogio pessoal. Organização

Leia mais

Indicadores - Perspectiva Sociedade

Indicadores - Perspectiva Sociedade Indicadores - Perspectiva Sociedade Fortalecer a imagem institucional da Justiça do Trabalho IMAGEM ORGANIZACIONAL GRAU DE CONFIANÇA NA JUSTIÇA DO TRABALHO Mede o grau de confiança dos advogados e partes

Leia mais

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA FACULDADE DE ROLIM DE MOURA (FAROL)

RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA FACULDADE DE ROLIM DE MOURA (FAROL) 1 RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO DA FACULDADE DE ROLIM DE MOURA (FAROL) Rolim de Moura 2015 2 RESUMO O relatório apresentado é o resultado do processo auto avaliativo desta Instituição, realizado pela Comissão

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA RÁDIO WEB NO ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES DO ALUNO DE EAD

A CONTRIBUIÇÃO DA RÁDIO WEB NO ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES DO ALUNO DE EAD A CONTRIBUIÇÃO DA RÁDIO WEB NO ATENDIMENTO ÀS NECESSIDADES DO ALUNO DE EAD CURITIBA - Abril / 2011 Alessandra de Paula Fatec Internacional Alessandra_rs1@hotmail.com Ivonete Ferreira Haiduke FACEL ivonetehaiduke@ig.com.br

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 01/2014 PROCESSO N.º 0203500-71.1989.5.05.0015 ABRAHÃO SADIGURSKY E OUTROS VS. PETROBRÁS

BOLETIM INFORMATIVO 01/2014 PROCESSO N.º 0203500-71.1989.5.05.0015 ABRAHÃO SADIGURSKY E OUTROS VS. PETROBRÁS Salvador, 07 de março de 2014 BOLETIM INFORMATIVO 01/2014 PROCESSO N.º 0203500-71.1989.5.05.0015 ABRAHÃO SADIGURSKY E OUTROS VS. PETROBRÁS Prezado Sr(a). Cliente, O escritório Catharino, Mesquita & Fonseca

Leia mais