BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53"

Transcrição

1 CAPÍTULO6 BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 53

2 Aspectos de gênero O Programa Bolsa Família privilegia como titulares as mulheres-mães (ou provedoras de cuidados), público que aflui às políticas de assistência social. Parte-se do pressuposto e do reconhecimento do papel reprodutivo predominantemente desempenhado pelas mulheres e do fato de o PBF representar uma forma institucionalizada da sociedade para lidar com esse papel entre os segmentos mais pobres da população. Embora o programa não se caracterize como uma política governamental voltada para as mulheres, nele estão expressas concepções sobre as relações de gênero. Seus efeitos, previstos ou não, são significativos sobre o segmento feminino da população pobre e extremamente pobre. Por outro lado, como 93,6% das pessoas respondentes do questionário são do sexo feminino, as percepções expressam preponderantemente o ponto de vista das mulheres. 6.1 Caracterização das titulares O perfil predominante na pesquisa quantitativa foi de mulheres pretas e pardas (64,4%), na faixa etária de 15 a 49 anos (85%), com cônjuges e crianças e adolescentes menores de 18 anos (61,9%), residentes em áreas urbanas (78,1%), em domicílios de três a seis cômodos (83,7%), com acesso à rede elétrica (97,0%) e água canalizada em pelo menos um cômodo (85,1%), escolarizada até o ensino fundamental (81,9%) e com renda total do domicílio (per capita) superior a R$ 60,00 (70,8%). As mulheres em idade reprodutiva (15 a 49 anos) representam 85% do total. Esse padrão apresenta pequenas variações na Região Centro-Oeste, onde 24,1% das titulares têm de 30 a 34 anos, 21,1%, de 35 a 39 anos; 1,5%, de 60 a 64 anos (1,5%); e 2%, de 65 a 69 anos. O fato de as titulares concentrarem-se na faixa etária reprodutiva é particularmente significativo para compreender os efeitos do PBF sobre a dinâmica dos ciclos de reprodução da pobreza. Por estarem nessa etapa, a maioria das titulares tem maior sobrecarga de trabalho no âmbito doméstico (sobretudo se com filhos e filhas menores de 2 anos), o que, associado a outros fatores, como escolaridade e chefia feminina, confere a elas as mais drásticas possibilidades de inserção em atividades produtivas. Do total de mulheres titulares, 17,7% não sabem ler e escrever, o que traz severas conseqüências sobre as possibilidades de inserção produtiva, entre outros aspectos. No Nordeste, elas demonstraram ter tido o menor acesso à educação ou, se tiveram acesso, não conseguiram ser alfabetizadas, o que caracteriza a condição de maior vulnerabilidade na sociedade. A mesma região concentra 69,9% das que não sabem ler e escrever. Dessas, 70,4% são negras e pardas, o que demonstra não apenas a relação entre pobreza e cor da pele (como já foi dito), mas o fato de as mulheres negras e pardas analfabetas do Nordeste estarem em situação de maior vulnerabilidade. 54. IBASE instituto brasileiro de análises sociais e econômicas

3 A pesquisa identificou que 26,1% não têm nenhuma escolaridade ou freqüentaram apenas o pré-escolar; 55,8% cursaram o ensino fundamental; 17,2% tiveram acesso ao ensino médio; e somente 0,6% cursaram o ensino superior. As titulares do PBF residentes nas regiões Sul e Nordeste são as que apresentam mais baixa escolaridade: 91,6% e 82,1%, respectivamente, freqüentaram até o ensino fundamental. Entre as titulares do benefício, 61,9% declararam a presença do cônjuge e também de crianças e adolescentes menores de 18 anos, 27,2% indicaram a ausência de cônjuge e a presença de crianças e adolescentes. As diferenças de percentuais na indicação sobre responsabilidade pelo domicílio e sustento financeiro podem ser observadas a seguir e sugerem que há, em alguns casos, concepção distinta entre esses fatores que vão determinar a chefia do domicilio. Figura 34 Sexo do(a) principal responsável pelo domicílio Figura 35 Sexo de quem tem a maior renda no domicílio 44,2% 52,1% 19,4% 7,0% 36,4% 40,9% Masculino Feminino Ambos Masculino Feminino Ambos A Região Norte concentrou o maior percentual (53,5%) de homens responsáveis pelo domicílio, seguida pelo Nordeste, com 46,4%. Sul, Sudeste e Centro-Oeste tiveram resultados semelhantes: 38,7%, 39,3% e 40,7%, respectivamente. Cabe verificar em que medida o perfil dos homens titulares se diferencia das mulheres, ainda que eles representem percentual muito pequeno no total de titulares (6,4%). Algumas diferenças expressivas entre homens e mulheres foram observadas no que diz respeito à educação, inserção no mercado de trabalho e renda. Exemplo disso é o fato de, no mês anterior à pesquisa, 77,4% dos homens titulares terem tido trabalho remunerado, comparado a apenas 41,4% das mulheres em igual situação. BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 55

4 Com relação à educação e à renda domiciliar, eles se encontram em estado menos favorável: a proporção de homens que não sabem ler e escrever é quase o dobro da de mulheres. Entre os homens, cerca de 30,2% não sabem ler e escrever, comparados a 17,7% das mulheres. Apesar de mais inseridos no mercado de trabalho, nos domicílios em que o homem é titular, 33,9% apresentam renda per capita inferior a R$ 60, comparados a 28,9% dos domicílios em que a titular é mulher. O que se percebe com base nos dados é que os titulares do Bolsa Família do sexo masculino são tão ou mais vulneráveis que as mulheres titulares, ao menos no que diz respeito a renda e escolaridade. 6.2 Titularidade feminina A pesquisa quantitativa revelou que a titularidade feminina é preferência da maioria. Não há diferenças significativas de opiniões por região. Dentre as justificativas apontadas para a escolha, destaca-se a de que as mulheres conhecem melhor as necessidades da família. Figura 36 Opinião do(a) titular sobre titularidade preferencial do programa Figura 37 Observação do(a) titular sobre razões pelas quais o PBF deve ficar no nome da mulher 3,2% 0,9% 9,4% 9,9% 1,2% 6,5% 17,1% 87,5% 64,4% Masculino Feminino Ambos Conhecem melhor as necessidades da família Tendem a gastar com alimentação e com filhos São mais eficientes na gestão do recurso São as responsáveis pela família Tendem a gastar com bebidas e outras diversões Outros Vale assinalar que as possibilidades de respostas oferecidas foram elaboradas com base nos resultados dos grupos focais. Reproduzem, portanto, pontos de vista recorrentes entre as mulheres que participaram dos grupos. As respostas configuram um padrão das relações de gênero em que a divisão sexual do trabalho leva as mulheres, naturalmente, a conhecerem melhor as necessidades da família. A identificação com o trabalho reprodutivo como aspecto que legitima essa preferência foi ressaltada nos grupos focais em expressões como: as mulheres é que fazem o trabalho doméstico ; toda decisão relacionada à casa, à família, é da mulher ; é a 56. IBASE instituto brasileiro de análises sociais e econômicas

5 mulher que conduz a família, é ela que conduz o alimento ; a mãe é mais responsável, a mãe fica 24 horas na beira do fogão, queira ou não queira, ela tem que ficar na beira do fogão... Sob diferentes pontos de vista, a titularidade feminina expressa um consenso, seja do ponto de vista da lógica governamental formuladora da política, ou do ponto de vista dos(as) titulares. Entre as mulheres titulares que identificaram situações nas quais o PBF trouxe algum tipo de repercussão sobre suas vidas, a principal refere-se ao aumento na independência financeira. Figura 38 Repercussões do Programa Bolsa Família sobre titulares do sexo feminino Se sente mais respeitada por seu companheiro 27,4 62,9 4,0 5,6 Se sente mais independente financeiramente 48,8 50,0 Passou a comprar fiado ou a crédito 34,1 65,1 Aumento do poder de decisão com relação ao dinheiro 39,2 59,5 Aumento da pressão dos filhos para comprar produtos 28,1 70,7 Conflitos familiares com relação ao uso do dinheiro 3,6 95,4 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Sim Não NS/NR NSA O Nordeste concentrou o maior percentual das titulares que afirmaram sentirse mais independentes financeiramente (55,5%), seguido pelo Sudeste (47,9%). As duas regiões também se destacaram, na mesma ordem, quanto às respostas sobre o aumento do poder de decisão com relação ao dinheiro da família : a primeira obteve 44,1% de afirmativas, e a segunda, 39,2%. Outra diferenciação regional observada na pesquisa refere-se ao fato de passar a comprar fiado ou a crédito, aspecto mais valorizado pelas mulheres do Nordeste (43%) e, em seguida, pelas do Norte (38,8%). Para as titulares de ambas as regiões, esse tipo de acesso foi mais valorizado do que o aumento da decisão sobre o uso do dinheiro da família. BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 57

6 6.3 Acesso a ações complementares Se, por um lado, as mulheres aceitam bem a titularidade do programa e todas as responsabilidades recorrentes de mais este papel social, por outro, as ações complementares ao programa a elas destinadas, nas áreas de saúde, educação e trabalho, ainda são tímidas. Figura 39 Repercussões do Programa Bolsa Família sobre o acesso de titulares do sexo feminino a programas, projetos, serviços e iniciativas na área de educação Participar de curso de alfabetização 9,8 88,6 Freqüentar curso de educação 12,5 86,0 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Ajudou Não ajudou NS/NR As mulheres da Região Sul são as que mais sentiram que o PBF ajudou a ter acesso ao ensino formal (22,0%), seguidas pelas mulheres da Região Norte (19,9%). Já nas regiões Centro-Oeste (13,6%), Sudeste (12,3%) e Nordeste (9,6%) estão as que menos apontaram tal acesso. Também o Sul (17,3%) e o Norte (16,3%) formam as regiões onde se encontram as maiores proporções de mulheres que informaram ter o PBF facilitado o acesso a cursos de alfabetização de jovens e adultos ou de educação de jovens e adultos. Nas regiões Centro-Oeste (11,1%), Sudeste (8,5%) e Nordeste (7,7%), o acesso, ainda que facilitado, foi em proporções menores. Se é no Nordeste que se encontra o maior percentual de mulheres com menor escolaridade, a ausência de políticas educacionais foi amplamente percebida (89,2% e 91,0%, respectivamente, para cada uma das possibilidades). A região também é o local onde as políticas públicas têm tido maior dificuldade para acessar a clientela de mulheres numa faixa etária bastante sobrecarregada pelo trabalho doméstico, seja como principal atividade, seja como dupla jornada. As mulheres apresentaram percepções em maior concordância sobre a repercussão do PBF no âmbito da saúde, o que ocorre provavelmente pelo acompanhamento das condicionalidades. 58. IBASE instituto brasileiro de análises sociais e econômicas

7 Figura 40 Repercussões do Programa Bolsa Família sobre o acesso de titulares do sexo feminino a programas, projetos, serviços e iniciativas na área de saúde Ter mais acesso a exames pelo SUS 32,7 66,5 Ter mais informações sobre assuntos como planejamento familiar Participar de grupos de promoção à saude 25,9 21,7 73,1 76,9 Aumentar a freqüência aos serviços de saúde 42,2 57,2 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Ajudou Não ajudou NS/NR Vale destacar as especificidades regionais. Em relação ao aumento da freqüência aos serviços e às práticas de saúde, em todas as regiões, a proporção de mulheres para quem o PBF ajudou é bastante significativa: Norte (56,3%), Centro-Oeste (43,7%), Nordeste (41,5%), Sudeste (39,1%) e Sul (38,3%). Entre as mulheres do Norte e do Centro-Oeste, a proporção é maior que o total geral, o que não ocorre nas demais regiões. Destaca-se a diferença de 18 pontos percentuais entre os resultados do Norte e os do Sul. Os dados acerca da melhoria do acesso aos exames pelo SUS foram relativamente similares: Norte (42,2%), Centro-Oeste (36,2%), Sul (31,4%), Nordeste (31,2%) e Sudeste (31,0%), o que pode demonstrar melhor desempenho do sistema. Houve diferenças regionais quanto ao aumento das informações sobre assuntos relacionados ao planejamento familiar ou à saúde reprodutiva: a Região Norte teve o maior percentual (37,8%), seguido por Sul (30,9%), Centro-Oeste (29,6%), Sudeste (23,8%) e Nordeste (22,8%). Ou seja: existe uma diferença de 15 pontos percentuais neste quesito entre as mulheres do Norte e as do Nordeste. As proporções também são, de certa forma, similares no que se refere à participação em grupos de promoção da saúde, ainda que essa situação esteja mais presente entre as mulheres titulares das regiões Norte (30,0%) e Centro-Oeste (26,4%). Os percentuais caem nas demais regiões: Sul (25,8%), Sudeste (20,5%) e Nordeste (19,6%). BOLSA FAMÍLIA Relatório-SÍNTESE. 59

8 As ações governamentais associadas ao PBF e voltadas para inserção produtiva são as menos recorrentes entre as mulheres titulares. Figura 41 Repercussões do Programa Bolsa Família sobre o acesso de titulares do sexo feminino a programas, projetos, serviços e iniciativas na área de inclusão produtiva Começar a participar de associação ou cooperativa de trabalho Conseguir crédito para investir em seu negócio 5,2 5,3 94,1 93,8 Iniciar ou passar a investir mais em seu negócio 6,5 92,7 Participar de cursos profissionalizantes 7,6 91,7 Participar de programas de geração de renda 15,5 83,3 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% Ajudou Não ajudou NS/NR A inserção em programas de geração de renda foi a situação reconhecida como a mais facilitada para as mulheres titulares em todas as regiões, com predomínio das que vivem na Região Sul (18,5%). Cabe chamar a atenção para a importância dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) e do Programa de Atenção Integral à Família (Paif), no que se refere às atividades de geração de renda, embora não seja possível identificar em que medida a inserção em atividades de geração de renda são potencializadas pelos Cras, ou se representam ação tradicionalmente instituída por políticas de assistência social, independentemente do processo de implementação do Sistema Único de Assistência Social (Suas). No entanto, a participação em cursos profissionalizantes (o que pode requerer maior escolaridade) foi bem menor, ainda que a participação no PBF tenha sido muito importante para facilitar o acesso, especialmente entre as mulheres das regiões Sul (13%) e Norte (11,3%). Uma pequena proporção de mulheres identificou que o PBF lhes ajudou a iniciar ou passar a investir em seu negócio. Contudo, houve diferenças regionais significativas neste aspecto, as titulares das regiões Sul (11,1%) e Norte (9,7%), cujas proporções representam quase o dobro das demais: Nordeste (6,4%), Centro-Oeste (5,5%) e Sudeste (5%). Percentual muito pequeno de mulheres titulares indicou que o PBF ajudou a obter alguma forma de crédito para investir em seu negócio. As principais indicações vieram das mulheres do Sul (9,3%) e do Norte (6,9%). Da mesma forma, começar a participar de alguma associação ou cooperativa como um elemento associado ao recebimento do benefício foi indicado, em maiores proporções, pelas mulheres das regiões Sul (9,4%) e Norte (6,9%). 60. IBASE instituto brasileiro de análises sociais e econômicas

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011.

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011. Nota MDS Brasília, 02 de maio de 2011. Assunto: O perfil da Extrema Pobreza no Brasil com base nos dados preliminares do universo do Censo 2010. 1. INTRODUÇÃO O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das INFORME-SE BNDES ÁREA PARA ASSUNTOS FISCAIS E DE EMPREGO AFE Nº 48 NOVEMBRO DE 2002 EDUCAÇÃO Desempenho educacional no Brasil: O que nos diz a PNAD-2001 Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou

Leia mais

Serviço social. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH

Serviço social. Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Indicadores das Graduações em Saúde Estação de Trabalho IMS/UERJ do ObservaRH Serviço social Os cursos de graduação presenciais de Serviço Social no Brasil surgem na segunda metade dos anos 30, em um contexto

Leia mais

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo sobre o perfil dos estudantes usuários dos programas de assistência estudantil da UAG/UFRPE

ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo sobre o perfil dos estudantes usuários dos programas de assistência estudantil da UAG/UFRPE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL NO ENSINO SUPERIOR: um estudo sobre o perfil dos estudantes usuários dos programas de assistência estudantil da UAG/UFRPE José Albuquerque Constantino 1 Joselya Claudino de Araújo

Leia mais

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013 Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher DataSenado Março de 2013 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas 700 mil ainda sofrem agressões no Brasil Passados quase 7 desde sua sanção, a Lei 11.340

Leia mais

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO 1 PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO O Brasil conta hoje, com 254.886 médicos em atividade profissional (CFM, 2003). O contingente de radiologistas é da ordem de 5388, o que

Leia mais

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros

PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA. Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros PESQUISA EDUCAÇÃO FINANCEIRA Orçamento Pessoal e Conhecimentos Financeiros Janeiro 2015 1. INTRODUÇÃO Quatro em cada dez consumidores consideram-se desorganizados financeiramente, mas sete em cada dez

Leia mais

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros

PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009. Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros 1 of 5 11/26/2010 2:57 PM Comunicação Social 26 de novembro de 2010 PNAD - Segurança Alimentar 2004 2009 Insegurança alimentar diminui, mas ainda atinge 30,2% dos domicílios brasileiros O número de domicílios

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese 2014 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - Síntese Dieese Subseção Força Sindical 19/09/2014 PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICILIOS - PNAD 2013 Síntese dos Indicadores POPULAÇÃO A Pesquisa

Leia mais

NOVAS PERSPECTIVAS E NOVO OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA ADOÇÃO:

NOVAS PERSPECTIVAS E NOVO OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA ADOÇÃO: NOVAS PERSPECTIVAS E NOVO OLHAR SOBRE A PRÁTICA DA ADOÇÃO: Andreia Winkelmann Ineiva Teresinha Kreutz Louzada INTRODUÇÃO: O tema da adoção instiga muita curiosidade e torna-se extremamente necessário à

Leia mais

Nº 07 / 13 TEMA: As Crianças em Goiás

Nº 07 / 13 TEMA: As Crianças em Goiás TEMA: As Crianças em Goiás O dia das crianças foi instituído em 1924 pelo então presidente Arthur Bernardes, mas a data passou várias anos desprezada e apenas ganhou notoriedade na década de 1960. Infelizmente

Leia mais

Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra

Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra Resultados gerais Dezembro 2010 Projeto Community-based resource management and food security in coastal Brazil (Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP)

Leia mais

Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação

Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação População conhece pouco a atual lei de cotas, mas acha que os partidos que não cumprem a lei deveriam ser punidos A maioria da população

Leia mais

A QUESTÃO DA EDUCAÇÃO ENTRE OS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NO NORDESTE DO BRASIL

A QUESTÃO DA EDUCAÇÃO ENTRE OS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NO NORDESTE DO BRASIL A QUESTÃO DA EDUCAÇÃO ENTRE OS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA NO NORDESTE DO BRASIL Anderson Paulino da Silva 1 André Augusto P. Brandão 2 Salete da Dalt 3 Resumo: Este trabalho examina a relação

Leia mais

A educação no Rio de Janeiro

A educação no Rio de Janeiro A educação no Rio de Janeiro Simon Schwartzman Na década de 90, em todo o Brasil, o acesso à educação melhorou, e o Rio de Janeiro não ficou atrás. Antes, não havia escolas suficientes para todas as crianças.

Leia mais

O EMPREGO DOMÉSTICO. Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Região Metropolitana de São Paulo. Abril 2007

O EMPREGO DOMÉSTICO. Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Região Metropolitana de São Paulo. Abril 2007 O EMPREGO DOMÉSTICO Boletim especial sobre o mercado de trabalho feminino na Abril 2007 Perfil de um emprego que responde por 17,7% do total da ocupação feminina e tem 95,9% de seus postos de trabalho

Leia mais

Epidemiologia da Transmissão Vertical do HIV no Brasil

Epidemiologia da Transmissão Vertical do HIV no Brasil Epidemiologia da Transmissão Vertical do HIV no Brasil Letícia Legay Vermelho*, Luíza de Paiva Silva* e Antonio José Leal Costa** Introdução A transmissão vertical, também denominada materno-infantil,

Leia mais

3 O Panorama Social Brasileiro

3 O Panorama Social Brasileiro 3 O Panorama Social Brasileiro 3.1 A Estrutura Social Brasileira O Brasil é um país caracterizado por uma distribuição desigual de renda. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada

Pesquisa Mensal de Emprego PME. Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Pesquisa Mensal de Emprego PME Algumas das principais características dos Trabalhadores Domésticos vis a vis a População Ocupada Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Algumas das principais

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego - PME

Pesquisa Mensal de Emprego - PME Pesquisa Mensal de Emprego - PME Dia Internacional da Mulher 08 de março de 2012 M U L H E R N O M E R C A D O D E T R A B A L H O: P E R G U N T A S E R E S P O S T A S A Pesquisa Mensal de Emprego PME,

Leia mais

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso 64 ÁREA DE INTERVENÇÃO IV: QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO 1 Síntese do Problemas Prioritários Antes de serem apresentadas as estratégias e objectivos para

Leia mais

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho

Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho João Sucupira* INDICADORES Balanço social: diversidade, participação e segurança do trabalho O balanço social está se tornando uma peça importante não só para prestar contas à sociedade das ações das empresas

Leia mais

12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA

12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA 12 DE JUNHO, DIA DE COMBATE A EXPLORAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL: RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PIBID DE GEOGRAFIA Resumo O presente trabalho tem como objetivo relatar uma experiência desenvolvida no Programa

Leia mais

Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT

Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT Discurso: Avaliação dos resultados das políticas públicas de educação em MT Senhor presidente, Senhores e senhoras senadoras, Amigos que nos acompanham pela agência Senado e redes sociais, Hoje, ocupo

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG

CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG 1 CARACTERIZAÇÃO DO USUÁRIO DO CRAS CENTRO DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA DE PASSOS: Perfil dos usuários do CRAS Novo Horizonte Passos/MG Adriana de Souza Lima Queiroz 1 Cynthia Silva Machado 2 RESUMO Esta

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012

Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012 Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar 2012 Rio de Janeiro, 19 / 06 / 2013 1 - Introdução 2 - Objetivos 3 - Coleta dos Dados 4 - Instrumentos de Coleta 5 - Temas abordados 6 - Universo da Pesquisa 7 - Análise

Leia mais

Lançamento de dados da Pesquisa IBOPE - OPP043 OIT / ANDI / FÓRUM NACIONAL

Lançamento de dados da Pesquisa IBOPE - OPP043 OIT / ANDI / FÓRUM NACIONAL Lançamento de dados da Pesquisa IBOPE - OPP043 OIT / ANDI / FÓRUM NACIONAL A opinião pública sobre trabalho infantil Veja abaixo destaques da pesquisa IBOPE de opinião pública sobre trabalho infantil e

Leia mais

MINUTA MATRIZ DE VULNERABILIDADE E RISCO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

MINUTA MATRIZ DE VULNERABILIDADE E RISCO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO MINUTA MATRIZ DE VULNERABILIDADE E RISCO SOCIAL DO MUNICÍPIO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO As famílias usuárias da política pública de assistência social, foram, ao longo da história dessa política identificadas

Leia mais

PED ABC Novembro 2015

PED ABC Novembro 2015 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO DO ABC 1 Novembro 2015 OS NEGROS NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO DO ABC Diferenciais de inserção de negros e não negros no mercado de trabalho em 2013-2014 Dia

Leia mais

ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC

ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC ÍNDICE DE QUALIDADE DE VIDA DO TRABALHADOR DA INDÚSTRIA - SESI/SC SUMÁRIO EXECUTIVO 2015 Apresentação Integrando a agenda mundial para a promoção da saúde e produtividade, o SESI Santa Catarina realizou

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Leia mais

Será uma carta entregue em mãos após uma marcha que terá início em São Paulo logo após a eleição e terminará no Palácio do Planalto em Brasília.

Será uma carta entregue em mãos após uma marcha que terá início em São Paulo logo após a eleição e terminará no Palácio do Planalto em Brasília. Pesquisa de Opinião CONTEXTO Carta de um Brasileiro é um movimento de mobilização social com objetivo de entregar à Presidente da República eleita em outubro de 2010 os principais desejos e necessidades

Leia mais

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa?

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa? Destaque: Somos, nós mulheres, tradicionalmente responsáveis pelas ações de reprodução da vida no espaço doméstico e a partir da última metade do século passado estamos cada vez mais inseridas diretamente

Leia mais

Quinta-feira, 08.09.11

Quinta-feira, 08.09.11 Quinta-feira, 08.09.11 Veja os destaques de hoje e do feriado: 1. 1º FormaGoiás 2. Programa Bolsa Universitária 3. Artigo: Goiás, de maria-fumaça a trem-bala 4. Valéria Perillo será patronesse do Goiânia

Leia mais

Apoio. Patrocínio Institucional

Apoio. Patrocínio Institucional Patrocínio Institucional Apoio O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens

Leia mais

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores Capítulo 3 Fichas de Qualificação de Indicadores A Demográficos População total A.1................................... 58 Razão de sexos A.2................................... 60 Taxa de crescimento da

Leia mais

permanência dos alunos na escola e as condições necessárias para garantir as aprendizagens indispensáveis para o desenvolvimento dos alunos e sua

permanência dos alunos na escola e as condições necessárias para garantir as aprendizagens indispensáveis para o desenvolvimento dos alunos e sua DESATANDO NÓS DA ORTOGRAFIA: um estudo com alunos da Educação de Jovens e Adultos Profa. Dra. Maria José dos Santos; Profa. Ms. Lívia Abrahão do Nascimento; Graduanda Ionice Barbosa de Campos; Graduanda

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO

JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO JUVENTUDE E TRABALHO: DESAFIOS PARA AS POLITICAS PÚBLICAS NO MARANHÃO JONATHAN ROCHA GUIMARÃES Avaliar a Política de Trabalho e juventude torna-se de extrema importância na medida em que representa um

Leia mais

Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros?

Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros? Como está a desigualdade de gênero entre os estados brasileiros? Luísa Cardoso 1 Medir de forma multidimensional o quão desigual é a situação das mulheres em relação aos homens é uma iniciativa empreendida

Leia mais

Escola Bilíngüe. O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas

Escola Bilíngüe. O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas Escola Bilíngüe É uma escola unique Diana Mandelert Diana Cerdeira Apresentação O texto que se segue pretende descrever a escola bilíngüe com base nas informações obtidas na página da escola na Internet,

Leia mais

POBREZA, SEGURANÇA ALIMENTAR E SAÚDE NO BRASIL

POBREZA, SEGURANÇA ALIMENTAR E SAÚDE NO BRASIL POBREZA, SEGURANÇA ALIMENTAR E SAÚDE NO BRASIL Escrito por: Angela Kageyama Rodolfo Hoffmann Consultora: FECAMP Contrato: 206066 ÌNDICE Insegurança alimentar, educação e na PNAD de 2004... 3. Dados gerais

Leia mais

O SUAS e o Plano Brasil Sem Miséria 1

O SUAS e o Plano Brasil Sem Miséria 1 PLANO ESTADUAL DE CAPACITAÇÃO CONTINUADA DE RECURSOS HUMANOS PARA A ÁREA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL O SUAS e o Plano Brasil Sem Miséria 1 Estrutura do SUAS no Plano Brasil Sem Miséria Secretarias Estaduais

Leia mais

Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto

Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Aula 3 Introdução à Avaliação de Impacto Avaliação de Impacto Identifica se o projeto social afetou um ou mais indicadores de impacto Plano de Aula Conceito de Mensuração e Causalidade; Conceito de Contrafactual

Leia mais

erradicar a pobreza extrema e a fome

erradicar a pobreza extrema e a fome objetivo 1. erradicar a pobreza extrema e a fome Para a Declaração dos Direitos Humanos toda pessoa tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e bem-estar, inclusive

Leia mais

na região metropolitana do Rio de Janeiro

na região metropolitana do Rio de Janeiro O PERFIL DOS JOVENS EMPREENDEDORES na região metropolitana do Rio de Janeiro NOTA CONJUNTURAL MARÇO DE 2013 Nº21 PANORAMA GERAL Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD/IBGE) de 2011,

Leia mais

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA

RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Indicadores CNI ISSN 27-702 Ano 5 Número 24 Agosto de 205 RETRATOS DA SOCIEDADE BRASILEIRA Crise econômica I - Mercado de trabalho 24 Crise econômica muda relação de brasileiros com o mercado de trabalho

Leia mais

Nº 23 Março 2012. Perfil da Raça da População Cearense

Nº 23 Março 2012. Perfil da Raça da População Cearense Nº 23 Março 2012 Perfil da Raça da População Cearense Análise a partir dos dados do Censo Demográfico 2010 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de Aguiar Filho Vice Governador

Leia mais

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães

Gravidez precoce e a saúde da mulher. Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez precoce e a saúde da mulher Geografia da Saúde Prof. Raul Borges Guimarães Gravidez indesejada? https://www.youtube.com/watch?v=fzg3mtvbhdu O que você acha desta charge? Essa imagem tem circulado

Leia mais

Analfabetismo no Brasil

Analfabetismo no Brasil Analfabetismo no Brasil Ricardo Paes de Barros (IPEA) Mirela de Carvalho (IETS) Samuel Franco (IETS) Parte 1: Magnitude e evolução do analfabetismo no Brasil Magnitude Segundo estimativas obtidas com base

Leia mais

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA

PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA PERFIL DOS TRABALHADORES NA CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESTADO DA BAHIA SETEMBRO /2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO 3 1. Dimensão e características da ocupação no setor da construção civil no Brasil e na Bahia (2000 e 2010)...

Leia mais

ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO

ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO 1 ANÁLISE DE UMA POLÍTICA PÚBLICA VOLTADA PARA A EDUCAÇÃO: PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO AUTORES Antônio Roberto Silva Santos arsilvasantos@gmail.com Elisângela Santana Nascimento esna_1@yahoo.com.br Fânia

Leia mais

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão

Pesquisa Data Popular e Instituto Patrícia Galvão Caderno Campanha Compromisso e Atitude PERCEPÇÃO DA SOCIEDADE SOBRE VIOLÊNCIA E ASSASSINATOS DE MULHERES Realização Data Popular / Instituto Patrícia Galvão Apoio - Secretaria de Políticas para as Mulheres

Leia mais

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004

Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Resultados da Pesquisa IDIS de Investimento Social na Comunidade 2004 Por Zilda Knoploch, presidente da Enfoque Pesquisa de Marketing Este material foi elaborado pela Enfoque Pesquisa de Marketing, empresa

Leia mais

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil

Avaliação Econômica. Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Avaliação Econômica Relação entre Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Objetivo da avaliação: identificar o impacto do desempenho dos brasileiros na Educação Básica em sua renda futura. Dimensões

Leia mais

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA

INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA INTERPRETANDO A GEOMETRIA DE RODAS DE UM CARRO: UMA EXPERIÊNCIA COM MODELAGEM MATEMÁTICA Marcos Leomar Calson Mestrando em Educação em Ciências e Matemática, PUCRS Helena Noronha Cury Doutora em Educação

Leia mais

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA Caro (a) Chesfiano (a), Você está recebendo uma série de publicações intitulada Para Viver Melhor, com informações atualizadas sobre temas diversos no campo da saúde física

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA

RELATÓRIO DE PESQUISA 2011 14 RELATÓRIO DE PESQUISA Relatório da Pesquisa de Satisfação dos Usuários do SUS quanto aos aspectos de acesso e qualidade percebida na atenção à saúde, mediante inquérito amostral. Ministério da

Leia mais

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3;

Gráfico 1 Jovens matriculados no ProJovem Urbano - Edição 2012. Fatia 3; COMO ESTUDAR SE NÃO TENHO COM QUEM DEIXAR MEUS FILHOS? UM ESTUDO SOBRE AS SALAS DE ACOLHIMENTO DO PROJOVEM URBANO Rosilaine Gonçalves da Fonseca Ferreira UNIRIO Direcionado ao atendimento de parcela significativa

Leia mais

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS A POPULAÇÃO IDOSA NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE SETEMBRO - 2008 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

Leia mais

Panorama de 25 anos da mortalidade por Aids no Estado de São Paulo

Panorama de 25 anos da mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Resenha de Estatísticas Vitais do Estado de São Paulo Ano 12 nº 2 Maio 2012 Panorama de 25 anos da mortalidade por Aids no Estado de São Paulo As estatísticas de mortalidade produzidas pela Fundação Seade,

Leia mais

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos 2015 Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos Competências do Departamento: Receber, examinar

Leia mais

Família, trabalho e renda: mudanças na primeira década do século XXI 1

Família, trabalho e renda: mudanças na primeira década do século XXI 1 MONTALI, L.; LIMA, T.. Família, trabalho e renda: mudanças na primeira década do século XXI. Artigo aprovado para ser publicado como capítulo de livro sobre a Região Metropolitana de São Paulo que integra

Leia mais

11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 11. EDUCAÇÃO PROFISSIONAL A educação profissional no Brasil já assumiu diferentes funções no decorrer de toda a história educacional brasileira. Até a promulgação da atual LDBEN, a educação profissional

Leia mais

5 Considerações finais

5 Considerações finais 5 Considerações finais 5.1. Conclusões A presente dissertação teve o objetivo principal de investigar a visão dos alunos que se formam em Administração sobre RSC e o seu ensino. Para alcançar esse objetivo,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA POLÍTICA CURSO DE GESTÃO PÚBLICA Professor: Ernesto Friedrich de Lima Amaral Disciplina: Avaliação

Leia mais

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos

Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Sessão 4: Avaliação na perspectiva de diferentes tipos de organizações do setor sem fins lucrativos Avaliação Econômica como instrumento para o aprimoramento da gestão das ações sociais 26/09/2013 Fundação

Leia mais

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos

Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007. Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Ano 3 Nº 37 Novembro de 2007 Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho metropolitanos Escolaridade e Trabalho: desafios para a população negra nos mercados de trabalho

Leia mais

GUIA DE AVALIAÇÃO DE CLIENTES PARA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE

GUIA DE AVALIAÇÃO DE CLIENTES PARA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE GUIA DE AVALIAÇÃO DE CLIENTES PARA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO PÓS-DESASTRE Este documento é uma tradução do crioulo haitiano e alguns termos foram adaptados para facilitar sua relevância para um público mais

Leia mais

Programa Bolsa Família

Programa Bolsa Família Programa Bolsa Família Programa Bolsa Família Transferência condicionada de renda Objetivos Focalizado Condicionado Entrega de recursos diretamente à família por intermédio de cartão magnético 1) Alívio

Leia mais

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO BOM PROGRESSO- RS 2009 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM PROGRESSO Administração: Armindo Heinle CNPJ. 94726353/0001-17 End. Av. Castelo Branco, n 658 Centro CEP:

Leia mais

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados

Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Motivos de transferência do negócio por parte dos franqueados Por Maria Teresa Somma Com o intuito de entender os motivos que levam franqueados a transferir o seu negócio, foi realizada uma pesquisa exploratória

Leia mais

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução

Mercado de Trabalho. O idoso brasileiro no. NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* 1- Introdução NOTA TÉCNICA Ana Amélia Camarano* O idoso brasileiro no Mercado de Trabalho 30 1- Introdução A análise da participação do idoso nas atividades econômicas tem um caráter diferente das análises tradicionais

Leia mais

AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1

AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1 AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1 CHRISTO, Aline Estivalet de 2 ; MOTTA, Roberta Fin 3 1 Trabalho de Pesquisa referente ao Projeto de Trabalho Final de Graduação

Leia mais

IBAM EQUIPAMENTOS CULTURAIS E DE LAZER EXISTENTES NOS MUNICÍPIOS. François E. J. de Bremaeker

IBAM EQUIPAMENTOS CULTURAIS E DE LAZER EXISTENTES NOS MUNICÍPIOS. François E. J. de Bremaeker INSTITUTO BRASILEIRO DE ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL Área de Promoção do Município e da Cidadania Núcleo de Articulação Político-Institucional Banco de Dados Municipais (IBAMCO) IBAM EQUIPAMENTOS CULTURAIS

Leia mais

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas.

Características Em 2013, foram visitados 149 mil domicílios e entrevistadas 363 mil pessoas. Rio de Janeiro, 18/09/2014 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho e rendimento Trabalho infantil Fecundidade Características

Leia mais

Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família

Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família Projeto de Educação Financeira de Adultos Foco: Mulheres beneficiárias do Programa Bolsa Família Relatório Parcial A AEF-Brasil é uma entidade da sociedade civil que promove e executa ações transversais

Leia mais

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE?

SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? SAÍDA DO MERCADO DE TRABALHO: QUAL É A IDADE? Ana Amélia Camarano* Solange Kanso** Daniele Fernandes** 1 INTRODUÇÃO Assume-se que idade avançada e invalidez resultam em perda da capacidade laboral, o que

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2016. PME Retrospectiva 2003-2015 13 anos Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento 1 (IBGE / DPE / COREN) 1 Rio de Janeiro,

Leia mais

Educação Patrimonial Centro de Memória

Educação Patrimonial Centro de Memória Educação Patrimonial Centro de Memória O que é história? Para que serve? Ambas perguntas são aparentemente simples, mas carregam uma grande complexidade. É sobre isso que falarei agora. A primeira questão

Leia mais

Saúde. reprodutiva: gravidez, assistência. pré-natal, parto. e baixo peso. ao nascer

Saúde. reprodutiva: gravidez, assistência. pré-natal, parto. e baixo peso. ao nascer 2 Saúde reprodutiva: gravidez, assistência pré-natal, parto e baixo peso ao nascer SAÚDE BRASIL 2004 UMA ANÁLISE DA SITUAÇÃO DE SAÚDE INTRODUÇÃO No Brasil, as questões relativas à saúde reprodutiva têm

Leia mais

Processo Seletivo Salesiano

Processo Seletivo Salesiano COLÉGIO SALESIANO NOSSA SENHORA AUXILIADORA Processo Seletivo Salesiano Concurso de Bolsas de Estudos Nome do(a) aluno(a): Número de Inscrição: Série: 7º Ano Ensino Fundamental II ORIENTAÇÕES Ao receber

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Setor de Ciências Sociais Aplicadas Departamento de Economia REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS O aluno do Curso de Ciências

Leia mais

Perfil Educacional SEADE 72

Perfil Educacional SEADE 72 Perfil Educacional A análise da situação educacional do Estado de Santa Catarina fundamentase nos indicadores de instrução da população (taxa de analfabetismo para 1991), de escolarização (taxa líquida

Leia mais

Manual Básico do Estagiário Modalidades: Obrigatório e Não obrigatório Lei Federal nº. 11.788/2008 Lei Municipal nº. 10.724/2009

Manual Básico do Estagiário Modalidades: Obrigatório e Não obrigatório Lei Federal nº. 11.788/2008 Lei Municipal nº. 10.724/2009 PREFEITURA MUNICIPAL DE UBERABA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO CENTRAL DE DESENVOLVIMENTO DE RECURSOS HUMANOS PROGRAMA DE ESTÁGIO Manual Básico do Estagiário Modalidades: Obrigatório e Não obrigatório

Leia mais

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina Secretaria da Saúde do Estado de Santa Catarina Diretoria de Planejamento e Coordenação Gerência de Estatística e Informática Setor de Mortalidadade Indicadores e Dados Básicos: situando Santa Catarina

Leia mais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Os oito anos do Plano Real mudaram o Brasil. Os desafios do País continuam imensos, mas estamos em condições muito melhores para enfrentálos.

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo.

Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Curso: Diagnóstico Comunitário Participativo. Material referente ao texto do Módulo 3: Ações Básicas de Mobilização. O conhecimento da realidade é a base fundamental ao desenvolvimento social, que visa

Leia mais

TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP

TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: PERFIL SOCIOECONÔMICO DOS PROFISSIONAIS FORMANDOS DA ÁREA DE NEGÓCIOS DA FACIAP CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

RESUMO EXECUTIVO PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura: Uma Abordagem Quantitativa

RESUMO EXECUTIVO PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura: Uma Abordagem Quantitativa RESUMO EXECUTIVO PESQUISA: Relação da população de Natal com a leitura: Uma Abordagem Quantitativa Contratante: INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - IDE Realização : CERTUS PESQUISA E CONSULTORIA

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL. Palavras-chave: Modelagem Matemática; Educação de Jovens e Adultos (EJA); Internet móvel.

A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL. Palavras-chave: Modelagem Matemática; Educação de Jovens e Adultos (EJA); Internet móvel. A MODELAGEM MATEMÁTICA E A INTERNET MÓVEL Márcia Santos Melo Almeida Universidade Federal de Mato Grosso do Sul marciameloprofa@hotmail.com Marcos Henrique Silva Lopes Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - MOSSORÓ

PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - MOSSORÓ PESQUISA DIA DAS CRIANÇAS - MOSSORÓ Mossoró, setembro de 2015 1 Sumário 1. Aspectos Metodológicos... 3 2. Descrição dos Resultados... 4 Itens de comemoração... 4 Gastos com presente... 4 Local e quando

Leia mais

Goiás e seu reflexo na sociedade

Goiás e seu reflexo na sociedade Os dados do Censo Escolar da Educação Básica de 2013, divulgado recentemente, apontaram a diminuição do número de matrículas em Goiás tendo como referência o ano de 2010. Notadamente, os decréscimos ocorreram

Leia mais

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento

Censo Demográfico 2010. Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Censo Demográfico 2010 Trabalho e Rendimento Educação e Deslocamento Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 As presentes publicações dão continuidade à divulgação dos resultados do Censo Demográfico 2010

Leia mais