AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1"

Transcrição

1 AS INTERFACES ENTRE A PSICOLOGIA E A DIVERSIDADE SEXUAL: UM DESAFIO ATUAL 1 CHRISTO, Aline Estivalet de 2 ; MOTTA, Roberta Fin 3 1 Trabalho de Pesquisa referente ao Projeto de Trabalho Final de Graduação (TFG) do Curso de Psicologia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil. 2 Acadêmica do 9º Semestre do Curso de Psicologia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria, RS, Brasil. 3 Docente do Curso Psicologia do Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) e Orientadora do Trabalho Final de Graduação (TFG), Santa Maria, RS, Brasil. RESUMO Este estudo é parte de um texto vinculado a um Trabalho Final de Graduação (TFG). O trabalho refere-se a uma problematização sobre a implicação da psicologia com a diversidade sexual. O mesmo tem por objetivo fazer uma revisão bibliográfica, na tentativa de aproximar a construção histórica da diversidade sexual e da psicologia no Brasil, bem como fomentar a problematização sobre a implicação da psicologia com as questões que envolvem a diversidade sexual. Constituí-se em uma pesquisa bibliográfica, contendo uma breve revisão teórica sobre a história da diversidade sexual e a atuação e envolvimento da psicologia. Percebe-se a necessidade de se ampliar as discussões sobre o tema em várias áreas do conhecimento, especialmente na psicologia, visto que, as questões que a diversidade sexual apresenta na vida dos sujeitos são de extrema relevância para a psicologia, enquanto ciência e profissão. Palavras-chave: Diversidade Sexual; Sexualidade; Formação; Psicologia. 1. INTRODUÇÃO Este estudo é parte de um texto vinculado a um Trabalho Final de Graduação (TFG). O trabalho refere-se a uma problematização sobre a implicação da psicologia com a diversidade sexual. Assim, apresenta um breve referencial teórico sobre diversidade sexual e a psicologia, no intuito de fomentar questionamentos e reflexões sobre o tema. Profundas transformações vêm afetando múltiplas dimensões da vida de mulheres e de homens, alterando assim as concepções, as práticas e as identidades sexuais. Tais mudanças deveriam ser levadas em consideração, de modo especial, pois na sociedade 1

2 atual percebe-se uma mudança gradual na concepção de sujeito. Isso ocorre devido a uma maior diversidade de identidade, que aos poucos vai sendo aceita através da ruptura com padrões socialmente impostos (LOURO, 2010). A autora, ainda, salienta a importância de se pensar sobre essas transformações que estão influenciando diretamente a visão de sujeito, visto isso, é válido refletir sobre a prática do psicólogo, bem como a formação em psicologia, frente a essas mudanças. 2. DIVERSIDADE SEXUAL E PSICOLOGIA Ao longo da história da humanidade as diversas mudanças sociais, como por exemplo, a entrada massiva da mulher no mercado de trabalho; a crescente escolarização; a emergência de movimentos sociais, principalmente os feministas e homossexuais, influenciaram na forma como a sexualidade é vista. Segundo Toneli (2008), sexo e sexualidade são objetos de pesquisa e discussões teóricas em diversas áreas do conhecimento, a partir da década de 1970 do século XX e, observa-se um crescente interesse intelectual sobre o tema. Pode-se compreender esse crescente interesse sobre o tema, contextualizando o momento histórico, social e político em que se encontrava o país, pois segundo Facchini (2011), no final dos anos 1970 surgiram os primeiros grupos militantes homossexuais, no Brasil. Em um contexto de abertura política que anunciava o fim da ditadura militar, aliado ao movimento feminista e ao movimento negro, o movimento homossexual continha propostas de transformações para a sociedade, no intuito de abolir os vários tipos de hierarquias sociais, especialmente as relacionadas a gênero e sexualidade. Considerando o contexto histórico na tentativa de apresentar a diversidade sexual Facchini (2011) traz que, na década de 1980 se aumenta a visibilidade pública da homossexualidade no Brasil, devido a chegada da epidemia da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS). Já na década de 1990, o movimento homossexual se fortalece como forma de enfrentar a crise iniciada pela AIDS. Nesse momento houve uma expansão do movimento em todo o país, e, também, uma diferenciação de sujeitos dentro do próprio movimento. Nesse período, surgiram grupos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. 2

3 Devido a todo esse movimento pela causa, de acordo com Facchini (2011), em 1995 ocorre a fundação da ABGLT (Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Travestis). Essa associação é a primeira e maior rede de organizações LGBT brasileira, reune cerca de 200 organizações por todo o país, e é considerada a maior rede LGBT na América Latina. Percebe-se que a fundação da ABGLT foi um marco significante na história da luta pelo direito à diversidade sexual, pois a associação possibilita uma maior organização do movimento. Outro marco importante para o movimento é a realização das Paradas do Orgulho LGBT, elas acontecem em todo o país, com o apoio das prefeituras locais, Ministério da Cultura, de programas nacionais de Direitos Humanos e do Combate à discriminação e à aids. As Paradas dão maior visibilidade à reivindicação dos direitos dessa comunidade, bem como ganha o apoio e participação de simpatizantes, que incluí familiares, amigos e pessoas que apoiam a luta. Conforme a ABGLT, em 2007 ocorreram mais de 300 Paradas em todo o país, sendo a de São Paulo a maior delas, contendo mais de 3 milhões de pessoas (FACCHINI, 2011). Percebe-se que esses movimentos causaram diversas mudanças nas concepções de sexualidade, no país, bem como deram início à possibilidade de se pensar a diversidade sexual de forma diferente, não mais como uma patologia. Prova disso é o que Kahhale (2011) traz como conquistas que se concretizaram em marcos legais, por exemplo, o Programa Brasil sem Homofobia, lançado pelo Governo Federal em 2004; Princípios de Yogyakarta, lançado em 2006, que consiste na aplicação da legislação internacional de direitos humanos em relação à orientação sexual e identidade de gênero. Contudo, a psicologia, que inicialmente classificava a homossexualidade como uma doença, guiada por um modelo biomédico, também precisou se modificar. Frente a tantas mudanças a psicologia, enquanto profissão já não estava de acordo com as necessidades da sociedade, por tanto teve que se adaptar as novas demandas. Mesmo com todas essas transformações sociais, o Conselho Federal de Psicologia em resolução de 1999, teve o cuidado de alertar os psicólogos brasileiros sobre o fato de que a homossexualidade não é doença, que na sociedade existe uma inquietação em torno de práticas sexuais que fogem a norma estabelecida sócio-culturalmente e a Psicologia pode e deve contribuir com seu conhecimento para o esclarecimento sobre as questões da sexualidade, permitindo a superação de preconceitos e discriminações (TONELI, 2008). 3

4 Percebe-se que a psicologia, aos poucos, vêm trabalhando para diminuir o preconceito e discriminação em relação a diversidade sexual. Prova disso, é a Resolução do CFP (Conselho Federal de Psicologia) nº 014/11, a qual possibilita às pessoas transexuais e travestis o direito à escolha de tratamento nominal a ser inserido no campo observação da Carteira de Identidade Profissional do Psicólogo, através da indicação do nome social (CFP, 2011). Cabe salientar, também, que na psicologia já se tem alguns estudos e práticas que procuram trabalhar com a temática diversidade sexual, o que pode vir a contribuir com a sociedade. Porém, percebe-se a necessidade da psicologia avançar nesse processo, não só na profissão, mas também enquanto ciência. Segundo Santos, Costa, Carpeneto e Nardi (2011), é importante que se trabalhe com os futuros psicólogos, no intuito de sensibilizá-los quanto ao possível caráter heterossexista da formação, visto que poderão ser profissionais capazes de propor uma escuta atenta aos efeitos do preconceito na concepção dos sujeitos. 3. METODOLOGIA Este estudo trata-se de uma pesquisa de caráter bibliográfico sobre o tema que conforme Gil (2002), é um tipo de pesquisa que desenvolve-se baseada em materiais já elaborados, principalmente de livros e artigos científicos. Dessa forma, a pesquisa bibliográfica não é mera repetição do que já foi dito ou escrito sobre certo assunto, mas propicia o exame de um tema sob novo enfoque ou abordagem, chegando a conclusões inovadoras, pela organização do material, segundo as tendências ou versões com que determinado assunto é abordado. 4. RESULTADOS E DISCUSSÕES Ao estudar diversidade sexual, é imprescindível que se pense nas concepções de sexualidade e gênero que acompanham o homem e ao longo do tempo sofreram várias transformações. Por isso, percebe-se a importância de se fazer uma análise sobre o tema, considerando o contexto histórico, ético, político e social. Em se tratando de uma questão primordial na constituição do ser humano, a diversidade sexual precisa ser tratada com a devida atenção e importância, não só pela psicologia, mas por todas as áreas que envolvem o sujeito. De forma, em especial, a 4

5 psicologia está atrelada a história da diversidade sexual, bem como influencia e é influenciada por suas especificidades. Portanto, torna-se imprescindível uma maior implicação da psicologia com a diversidade sexual e suas nuances, a fim de colaborar com estudos na área. Além disso, a psicologia enquanto ciência e profissão poderia ampliar essa discussão proporcionando atividades teórico-práticas vinculadas à diversidade sexual, também na graduação em psicologia, seja com atividades complementares ao currículo, e/ou nas possibilidades de Ensino, Pesquisa e Extensão. 5. CONCLUSÃO Observa-se a necessidade de se refletir sobre o envolvimento da psicologia nas questões que envolvem a diversidade sexual, bem como identificar no que e como a psicologia vem contribuindo com o assunto. É importante que o psicólogo esteja atento a história da psicologia e o que ela tem a ver com as mudanças sociais, que afetam a vida dos sujeitos até hoje. Assim, percebe-se que apesar de já ter algumas iniciativas, a psicologia precisa se implicar cada vez mais com as questões que envolvem a diversidade sexual, uma vez que a mesma está e faz parte do sujeitos assistidos pelos profissionais. Sabe-se que assuntos que envolvem a sexualidade são delicados, pois frequentemente estão atreladas à questões subjetivas e culturais, como o preconceito. Como já foi expressa nesse estudo, a importância da psicologia estar implicada com as questões da diversidade sexual, seria interessante pensar como os estudantes de psicologia estão sendo preparados para lidar com essas questões. Ou até mesmo refletir se os psicólogos e principalmente os professores de psicologia estão conseguindo trabalhar temas como a diversidade sexual na academia. É válido salientar que essas reflexões podem gerar certo desconforto, por perpassar a cada pessoa, não apenas como profissional ou estudante de psicologia, mas como ser humano, pois podem fomentar opiniões e preconceitos subjetivos a cada um. Mesmo assim, essa discussão é válida, no sentido de problematizar a a psicologia, enquanto ciência e profissão, na tentativa de que essa esteja em constante atualização. REFERÊNCIAS 5

6 CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA (CFP). Resolução CFP Nº 014 /11. Brasília, 20 junho de Disponível em: Acesso em: 23 de abr. de FACCHINI, R. Visibiliade é legitimidade? O movimento social e a promoção da cidadania LGBT no Brasil. In: Psicologia e diversidade sexual: desafios para uma sociedade de direitos. Conselho Federal de Psicologia. Brasília: CFP, KAHHALE, E. M. P. Enfrentamento à patologização e à homofobia: Código de ética do psicólogo e resolução CFP 001/1999. In: Psicologia e diversidade sexual: desafios para uma sociedade de direitos. Conselho Federal de Psicologia. Brasília: CFP, LOURO, G. L. Currículo, gênero e sexualidade: o normal, o diferente e o excêntrico. In: LOURO, G. L.; NECKEL, J. F.; GOELLNER, S. V. Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 5 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, p SANTOS, C. B. dos; COSTA, A. B.; CARPENETO, M.; NARDI, H. C. A diversidade sexual no ensino de Psicologia. O cinema como ferramenta de intervenção e pesquisa. Sexualidad, Salud y Sociedad - Revista LatinoamericanaI. n.7 - abr p TONELI, M. J. F. Diversidade sexual humana: notas para a discussão no âmbito da psicologia e dos direitos humanos. Psic. Clin. Rio de Janeiro, vol.20, n. 2, p.6,

Gênero: Temas Transversais e o Ensino de História

Gênero: Temas Transversais e o Ensino de História Gênero: Temas Transversais e o Ensino de História Thayane Lopes Oliveira 1 Resumo: O tema Relações de gênero compõe o bloco de Orientação Sexual dos temas transversais apresentados nos parâmetros curriculares

Leia mais

JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL

JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL JOVEM HOMOSSEXUAL substituir por JOVENS GAYS, LÉSBICAS, BISSEXUAIS E TRANSGÊNEROS (GLBT) ou por JUVENTUDE E DIVERSIDADE SEXUAL OBJETIVOS E METAS 1. Prover apoio psicológico, médico e social ao jovem em

Leia mais

A Sua Excelência o Senhor Deputado Enio Tatto, 1º Secretário da Egrégia Mesa da Assembleia Legislativa do Estado.

A Sua Excelência o Senhor Deputado Enio Tatto, 1º Secretário da Egrégia Mesa da Assembleia Legislativa do Estado. CASA CIVIL São Paulo, de maio de 2015 CC-ATL nº 172/2015 Senhor 1º Secretário Tendo em vista o disposto no artigo 20, inciso XVI, da Constituição do Estado, venho transmitir a essa ilustre Assembleia,

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS PERNAMBUCO OBJETIVO GERAL DO PLANO ESTADUAL Enfrentar a epidemia do HIV/aids e das DST entre gays, outros HSH

Leia mais

O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ RESUMO

O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ RESUMO O PSICÓLOGO (A) E A INSTITUIÇÃO ESCOLAR ¹ CORRÊA, D. M. W²; SILVEIRA, J. F²; ABAID, J. L. W³ 1 Trabalho de Pesquisa_UNIFRA 2 Psicóloga, graduada no Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1

ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 ESTÁGIO EM PSICOLOGIA EM PROCESSOS SOCIAIS: CRIANDO E RECRIANDO O PROCESSO DE AUTONOMIA DOS SUJEITOS NO CAPS AD. 1 Kenia S. Freire 2, Sabrina Corrêa Da Silva 3, Jaqueline Oliveira 4, Carolina B. Gross

Leia mais

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE

SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE SIGNIFICADOS ATRIBUÍDOS ÀS AÇÕES DE FORMAÇÃO CONTINUADA DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO RECIFE/PE Adriele Albertina da Silva Universidade Federal de Pernambuco, adrielealbertina18@gmail.com Nathali Gomes

Leia mais

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú

PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú PLURALIDADE CULTURAL E INCLUSÃO NA ESCOLA Uma pesquisa no IFC - Camboriú Fernando Deodato Crispim Junior 1 ; Matheus dos Santos Modesti 2 ; Nadia Rocha Veriguine 3 RESUMO O trabalho aborda a temática da

Leia mais

RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE

RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE EDUCAÇÃO E SUSTENTABILIDADE Ana Paula Cavalcanti e Renata Cristine de Sá Pedrosa Faculdade de Ciências da Administração de Pernambuco FACP/UPE paulacav@cnen.gov.br Introdução

Leia mais

Palavras-chave: Implantação da Lei 10.639/03, Racismo, Educação.

Palavras-chave: Implantação da Lei 10.639/03, Racismo, Educação. A PRESENÇA DO NEGRO NA ESCOLA ESTRATÉGIAS DE LUTA CONTRA O RACISMO ATRAVÉS DA APLICAÇÃO DA LEI 10.639/03 NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE CRATO-CE Dayze Carla Vidal da Silva (Universidade Regional do Cariri)

Leia mais

ATIVISMO E SALA DE AULA: O ENTRE - LUGAR

ATIVISMO E SALA DE AULA: O ENTRE - LUGAR ATIVISMO E SALA DE AULA: O ENTRE - LUGAR Margarete de Carvalho Santos 1 Bárbara Elcimar dos Reis Alves 2 Lesbibahia é uma articulação de lésbicas e mulheres bissexuais que inicia a atuação de forma especifica

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL MAHATMA GANDHI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO EQUIPE MULTIDISCIPLINAR

COLÉGIO ESTADUAL MAHATMA GANDHI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO EQUIPE MULTIDISCIPLINAR COLÉGIO ESTADUAL MAHATMA GANDHI ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO EQUIPE MULTIDISCIPLINAR Projeto: Gênero e Diversidade Sexual: o que a escola tem a ver com isso? Guarapuava PR Junho/2013 Apresentação Nos últimos

Leia mais

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos

OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS. Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos OUVIDORIA NACIONAL DE DIREITOS HUMANOS Balanço das Denúncias de Violações de Direitos Humanos 2015 Departamento de Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos Competências do Departamento: Receber, examinar

Leia mais

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA Graciane Marchezan do Nascimento Lopes Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete Introdução Há um grande número de doenças transmissíveis que causam

Leia mais

A Psicologia na garantia da Diversidade Sexual

A Psicologia na garantia da Diversidade Sexual A Psicologia na garantia da Diversidade Sexual Audiência Pública: CSSF da Câmara dos Deputados, 06/11/2012 Apresentação Toni Reis Especialista em Sexualidade Humana Mestre em Filosofia, na área de ética

Leia mais

Joyce das Flores 1 1 Mestra em Saúde Coletiva pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC/ UFRJ).

Joyce das Flores 1 1 Mestra em Saúde Coletiva pelo Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC/ UFRJ). As práticas do cuidado em saúde num serviço hospitalar de doenças infecciosas e parasitárias do Rio de Janeiro como principal destino do itinerário terapêutico das pessoas que vivem com HIV/aids. Joyce

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS RIO GRANDE DO SUL Criar dados sobre a população de gays, HSH e das travestis. Encaminhamentos (SINAN x campos

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS DISTRITO FEDERAL

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS DISTRITO FEDERAL PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS DISTRITO FEDERAL Objetivo 1: Contribuir para a redução das vulnerabilidades às DST, hepatites e HIV/aids,

Leia mais

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil

SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil ID 1676 SAÚDE DA FAMÍLIA E VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PUBLICA DE UM MUNICIPIO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Brasil Dutra, Laís; Eugênio, Flávia; Camargo, Aline; Ferreira

Leia mais

Educação Sexual e Metodologia

Educação Sexual e Metodologia Educação Sexual Marcos Ribeiro Educação Sexual e Metodologia...Não saco nada de Física Literatura ou Gramática Só gosto de Educação Sexual E eu odeio Química... Legião Urbana Essa discussão não é recente.

Leia mais

EVENTOS COMO FORMA DE MEMÓRIA

EVENTOS COMO FORMA DE MEMÓRIA 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( x ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA EVENTOS COMO FORMA DE MEMÓRIA Apresentador 1 Merylin Ricieli

Leia mais

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 3

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 3 3. A transversalidade da saúde Você já ouviu falar em Parâmetros Curriculares Nacionais? Já ouviu? Que bom! Não lembra? Não se preocupe, pois iremos, resumidamente, explicar o que são esses documentos.

Leia mais

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA Daricson Caldas de Araújo (IFPE) daricsoncaldas@gmail.com RESUMO Este artigo de revisão de literatura

Leia mais

DECRETO Nº 55.839, DE 18 DE MAIO DE 2010.

DECRETO Nº 55.839, DE 18 DE MAIO DE 2010. Volume 120 Número 93 São Paulo, quarta-feira, 19 de maio de 2010 DECRETO Nº 55.839, DE 18 DE MAIO DE 2010. Institui o Plano Estadual de Enfrentamento à Homofobia e Promoção da Cidadania LGBT e dá providências

Leia mais

O PSICÓLOGO NO CONTEXTO DE SAÚDE COLETIVA E A PRÁTICA DA VISITA DOMICILIAR 1

O PSICÓLOGO NO CONTEXTO DE SAÚDE COLETIVA E A PRÁTICA DA VISITA DOMICILIAR 1 O PSICÓLOGO NO CONTEXTO DE SAÚDE COLETIVA E A PRÁTICA DA VISITA DOMICILIAR 1 MIRANDA, Cezar P. 2 ; SILVA, Naiana G. ²,SILVA, Ticiane R. ² JAEGER, Fernanda P. 3 1 Trabalho vinculado ao projeto Psicologia

Leia mais

: 200900044000310 : ABGLT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GAYS, LÉSBISCAS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS : SOLICITAÇÃO

: 200900044000310 : ABGLT - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE GAYS, LÉSBISCAS, BISSEXUAIS, TRAVESTIS E TRANSEXUAIS : SOLICITAÇÃO CONSElHO fstaoual DE EOUCAÇAO ), i PARECER N. _---l(..lj_'...,/-1,/2009 Histórico A ABGL T - Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais, por encaminhamento eletrônico,

Leia mais

EIXO VI Justiça Social, Educação e Trabalho: Inclusão, Diversidade e Igualdade

EIXO VI Justiça Social, Educação e Trabalho: Inclusão, Diversidade e Igualdade EIXO VI Justiça Social, Educação e Trabalho: Inclusão, Diversidade e Igualdade 251 No contexto de um Sistema Nacional Articulado de Educação e no campo das políticas educacionais, as questões que envolvem

Leia mais

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031

Centro Acadêmico Paulo Freire - CAPed Maceió - Alagoas - Brasil ISSN: 1981-3031 COORDENADOR PEDAGÓGICO E SUA IMPORTÂNCIA NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Polyana Marques Lima Rodrigues 1 poly90lima@hotmail.com Willams dos Santos Rodrigues Lima 2 willams.rodrigues@hotmail.com RESUMO

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes.

Mostra de Projetos 2011. Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes. Mostra de Projetos 2011 Ações para enfrentamento da AIDS nos jovens e adolescentes. Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: I - Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006.

Revista Especial de Educação Física Edição Digital v. 3, n. 1, novembro 2006. UM ENSAIO SOBRE A DEMOCRATIZAÇÃO DA GESTÃO NO COTIDIANO ESCOLAR: A CONEXÃO QUE FALTA. Noádia Munhoz Pereira Discente do Programa de Mestrado em Educação PPGE/FACED/UFU - noadia1@yahoo.com.br Resumo O presente

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE (Concepções de Ciência, Professores de Química, Educação Integrada)

PALAVRAS-CHAVE (Concepções de Ciência, Professores de Química, Educação Integrada) CONCEPÇÕES SOBRE CIÊNCIA DOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO ENSINO MÉDIO DO IFG CAMPUS GOIÂNIA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO INTEGRADA. Layla Karoline Tito ALVES, Instituto de Química,layla.quimica@gmail.com.

Leia mais

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA PARTE III DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA Gilberto Carvalho Crescer distribuindo renda, reduzindo desigualdades e promovendo a inclusão social. Esse foi o desafio assumido pela presidente Dilma Rousseff

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM

AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM Kelly Cristina Sabadin kellysabadin@hotmail.com RESUMO A avaliação da aprendizagem escolar se faz presente em todas as instituições de ensino. É o tema mais

Leia mais

HOMOFOBIA RELIGIOSA: DESAFIOS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

HOMOFOBIA RELIGIOSA: DESAFIOS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA HOMOFOBIA RELIGIOSA: DESAFIOS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Viviane Kate Pereira Ramos (Universidade Federal de Campina Grande) viviankate@gmail.com Dayanne Azevedo da Silva (Universidade Federal de Campina

Leia mais

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1

PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 PARA ALÉM DOS ESTEREÓTIPOS : RELATOS DE USUÁRIOS DE CRACK 1 GIL, Bruna; BOTTON, Andressa 3 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Psicóloga, formada pelo Centro Universitário Franciscano (UNIFRA), Santa Maria,

Leia mais

VIOLÊNCIA E BULLYING HOMO/TRANSFÓBICA NAS ESCOLAS E NAS AULAS DE EFE: ENTENDENDO PARA PODER MINIMIZAR ESSAS PRÁTICAS.

VIOLÊNCIA E BULLYING HOMO/TRANSFÓBICA NAS ESCOLAS E NAS AULAS DE EFE: ENTENDENDO PARA PODER MINIMIZAR ESSAS PRÁTICAS. VIOLÊNCIA E BULLYING HOMO/TRANSFÓBICA NAS ESCOLAS E NAS AULAS DE EFE: ENTENDENDO PARA PODER MINIMIZAR ESSAS PRÁTICAS. Prof. Me. Leonardo Morjan Britto Peçanha Licenciado e Bacharel em Educação Física (UNISUAM);

Leia mais

participação do movimento LGBT nas políticas governamentais

participação do movimento LGBT nas políticas governamentais Projeto Movimentos Sociais e Esfera Pública Impactos e Desafios da Participação da Sociedade Civil na Formulação e Implementação de Políticas Governamentais Limites, espaços e estratégias de Limites, espaços

Leia mais

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS

UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS UMA REVISÃO SISTEMÁTICA: O PROFISSIONAL DE SAÚDE E SEU OLHAR SOBRE O IDOSO E A AIDS Nayara Ferreira da Costa¹; Maria Luisa de Almeida Nunes ²; Larissa Hosana Paiva de Castro³; Alex Pereira de Almeida 4

Leia mais

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL A EPISTEMOLOGIA NA EDUCAÇÃO AMBIENTAL Nilson Duarte Rocha 1 Lúcio Jorge Hammes 2 Resumo Este artigo apresenta a epistemológica para a efetivação de uma educação ambiental transformadora do sujeito-aluno

Leia mais

11º Congreso Argentino y 6º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias ABORDAGENS METODOLÓGICAS E A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

11º Congreso Argentino y 6º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias ABORDAGENS METODOLÓGICAS E A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR 11º Congreso Argentino y 6º Latinoamericano de Educación Física y Ciencias ABORDAGENS METODOLÓGICAS E A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Claube Camile Soares Lima Universidade Federal de Santa

Leia mais

Prefeitura Municipal de Santos

Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de Santos Estância Balneária SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO Seção de Suplência/ SESUPLE Parceiros do Saber Projeto de alfabetização de Jovens e Adultos Justificativa

Leia mais

Mostra de Projetos 2011

Mostra de Projetos 2011 Mostra de Projetos 2011 "PREVENÇÃO DA VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDOS E ARTICULAÇÕES DA REDE DE ATENDIMENTO NO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA-PR" Mostra Local de: Guarapuava Categoria do projeto:

Leia mais

Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo

Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo Orientação para requerentes à Série 8 da Solicitação de Propostas ao Fundo Mundial de Luta contra a SIDA, a Tuberculose e o Paludismo Minorias sexuais Historial: O conselho do Fundo Mundial de Luta contra

Leia mais

1 O CONTEXTO DO CURSO

1 O CONTEXTO DO CURSO REFLEXÕES ACERCA DAS QUESTÕES DE GÊNERO NO CURSO PEDAGOGIA: LICENCIATURA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL MODALIDADE A DISTÂNCIA Lívia Monique de Castro Faria Bolsista de Apoio Técnico a Pesquisa /FAPEMIG. Universidade

Leia mais

Manual do facilitador

Manual do facilitador Manual do facilitador Introdução Este manual faz parte do esforço para institucionalizar o sistema de informação de uma maneira coordenada a fim de que as informações possam ser de acesso de todos que

Leia mais

PRECONCEITO E INVISIBILIDADE: UMA ANÁLISE SOBRE QUESTÕES ACERCA DAS HOMOSSEXUALIDADES

PRECONCEITO E INVISIBILIDADE: UMA ANÁLISE SOBRE QUESTÕES ACERCA DAS HOMOSSEXUALIDADES PRECONCEITO E INVISIBILIDADE: UMA ANÁLISE SOBRE QUESTÕES ACERCA DAS HOMOSSEXUALIDADES PRADO, Marco Aurélio Máximo & MACHADO, Frederico Viana. Preconceito contra homossexualidades: a hierarquia da invisibilidade.

Leia mais

UM EVENTO CIENTÍFICO COM CARÁTER EDUCATIVO TRANSFORMADOR: A EXPERIÊNCIA DO VII CBSAF DIÁLOGO E INTEGRAÇÃO DE SABERES PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS

UM EVENTO CIENTÍFICO COM CARÁTER EDUCATIVO TRANSFORMADOR: A EXPERIÊNCIA DO VII CBSAF DIÁLOGO E INTEGRAÇÃO DE SABERES PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS 1 UM EVENTO CIENTÍFICO COM CARÁTER EDUCATIVO TRANSFORMADOR: A EXPERIÊNCIA DO VII CBSAF DIÁLOGO E INTEGRAÇÃO DE SABERES PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS Ynaiá Masse Bueno Embrapa Sede / DF Fabiana Mongeli Peneireiro

Leia mais

AÇÕES DE COMBATE A HOMOFOBIA NAS ESCOLAS DO PÓLO DO CEFAPRO (CENTRO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO) DE TANGARÁ DA SERRA-MT

AÇÕES DE COMBATE A HOMOFOBIA NAS ESCOLAS DO PÓLO DO CEFAPRO (CENTRO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO) DE TANGARÁ DA SERRA-MT AÇÕES DE COMBATE A HOMOFOBIA NAS ESCOLAS DO PÓLO DO CEFAPRO (CENTRO DE FORMAÇÃO E ATUALIZAÇÃO DE PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO) DE TANGARÁ DA SERRA-MT RELATO DE EXPERIÊNCIA Introdução Marcos Serafim Duarte

Leia mais

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão Eva Simone de Oliveira (acadêmica) e-mail: UNESPAR/Campo Mourão e- mail: Claudia Priori (Orientadora) INTRODUÇÃO

Leia mais

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA

A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA A INCLUSÃO DE ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NUMA ESCOLA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE GUARAPUAVA: DA TEORIA À PRÁTICA Paloma Cristina Gadens de Almeida UNICENTRO, CAPES palomagadens@gmail.com

Leia mais

O CURRÍCULO NA PERSPECTIVA DO RECONSTRUCIONISMO SOCIAL

O CURRÍCULO NA PERSPECTIVA DO RECONSTRUCIONISMO SOCIAL O CURRÍCULO NA PERSPECTIVA DO RECONSTRUCIONISMO SOCIAL Resumo Fabiana Antunes Machado 1 - UEL/PR Rosana Peres 2 - UEL/PR Grupo de trabalho - Comunicação e Tecnologia Agência Financiadora: Capes Objetiva-se

Leia mais

RELAÇÕES DE GÊNERO NO CONTEXTO DA MATA SUL DE PERNAMBUCO: UMA INVESTIGAÇÃO EDUCATIVA

RELAÇÕES DE GÊNERO NO CONTEXTO DA MATA SUL DE PERNAMBUCO: UMA INVESTIGAÇÃO EDUCATIVA RELAÇÕES DE GÊNERO NO CONTEXTO DA MATA SUL DE PERNAMBUCO: UMA INVESTIGAÇÃO EDUCATIVA Apresentação: Pôster Nielson da Silvia Bezerra; Mylena Lahana Gouveia Peixoto IFPE campus Barreiros\ nielson.bezerra@barreiros.ifpe.edu.br

Leia mais

DIREITOS HUMANOS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT NA PARAÍBA DO SÉCULO XXI

DIREITOS HUMANOS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT NA PARAÍBA DO SÉCULO XXI DIREITOS HUMANOS E PROMOÇÃO DA CIDADANIA LGBT NA PARAÍBA DO SÉCULO XXI Introdução: Simone Joaquim Cavalcante 1 UFCG Stella Márcia de Morais Santiago 2 UFCG No Brasil, observamos historicamente, as formas

Leia mais

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO

ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO ANÁLISE DO LIVRO DIDÁTICO DE BIOLOGIA EM RELAÇÃO À ABORDAGEM DA TEMÁTICA LIXO Jailane Araújo 1 Jeane Almeida 2 Letícia Brandão 3 Cintiane Cunha 4 RESUMO: O livro didático é muito utilizado por professores

Leia mais

Palavras-chave: aprendizagem da docência, formação inicial, sala de aula

Palavras-chave: aprendizagem da docência, formação inicial, sala de aula A OBSERVAÇÃO DE AULA COMO CAMPO DE APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA: Relato de experiencia T. A. Silva ¹; F. J. Lima 2 1 Aluna do Curso de Licenciatura em Matemática do IFCE campus de Cedro e- mail: thamy.2019@gmail.com

Leia mais

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS

PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS PSICOLOGIA E EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPROMISSOS E DESAFIOS Letícia Luana Claudino da Silva Discente de Psicologia da Universidade Federal de Campina Grande. Bolsista do Programa de Saúde. PET/Redes

Leia mais

Perfil das profissionais pesquisadas

Perfil das profissionais pesquisadas A PRÁTICA DO PROFESSOR FRENTE AO ENSINO DE HISTORIA E CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA NAS SALAS DE AULA DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL DE UMA ESCOLA MUNICIPAL DE NAZARÉ DA MATA PE. Lucicleide

Leia mais

Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia. Anabelly Brederodes Cássio Tavares

Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia. Anabelly Brederodes Cássio Tavares Desnaturalização e estranhamento: experiência do PIBID em Sociologia Anabelly Brederodes Cássio Tavares Resumo O trabalho tem como objetivo refletir sobre a prática de ensino e aprendizagem, como um processo

Leia mais

Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares: UNIOESTE Paulo Alberto Vilas Boas Teodoro Tiago Raizel Juliane Miyazaki Rosana Kátia Nazzari

Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares: UNIOESTE Paulo Alberto Vilas Boas Teodoro Tiago Raizel Juliane Miyazaki Rosana Kátia Nazzari Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares: UNIOESTE Resultados Preliminares do Programa: Incubadora Tecnológica das Cooperativas Populares (ITCP/UNIOESTE), vinculado ao NUPEACE - Núcleo de Pesquisa

Leia mais

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE

EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E A IMPORTÂNCIA DO EDUCADOR NA ATUALIDADE ALMEIDA, Rozelaine Rubia Bueno D 1 Resumo Este artigo tem como objetivo apresentar uma reflexão sobre as mudanças na legislação do Ensino

Leia mais

Foto: Jan de Jong. Agricultora Ismenia trabalhando em sua propriedade agroecológica. Construindo. Sonia Irene Cárdenas Solís

Foto: Jan de Jong. Agricultora Ismenia trabalhando em sua propriedade agroecológica. Construindo. Sonia Irene Cárdenas Solís autonomia, território e paz Agricultora Ismenia trabalhando em sua propriedade agroecológica Foto: Jan de Jong Construindo autonomia, território e paz Sonia Irene Cárdenas Solís 15 Agriculturas v. 12 -

Leia mais

EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS UNIÃO 1

EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS UNIÃO 1 EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS Tendo em vista a construção do PNE e do SNE como política de Estado, são apresentadas, a seguir, proposições e estratégias, indicando

Leia mais

A Sustentabilidade e a Inovação na formação dos Engenheiros Brasileiros. Prof.Dr. Marco Antônio Dias CEETEPS

A Sustentabilidade e a Inovação na formação dos Engenheiros Brasileiros. Prof.Dr. Marco Antônio Dias CEETEPS A Sustentabilidade e a Inovação na formação dos Engenheiros Brasileiros Prof.Dr. Marco Antônio Dias CEETEPS O PAPEL DA FORMAÇÃO ACADÊMICA Segundo diversos autores que dominam e escrevem a respeito do tema,

Leia mais

O PAPEL DO ENFERMEIRO EM UMA ESTRTÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1

O PAPEL DO ENFERMEIRO EM UMA ESTRTÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 O PAPEL DO ENFERMEIRO EM UMA ESTRTÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA 1 SOUZA, Daiane Fagundes de 2 ; SCHIMITH, Maria Denise 2 ; SEGABINAZI, Aline Dalcin 3 ; ALVES, Camila Neumaier 2 ; WILHELM,

Leia mais

UNIDADE III Análise Teórico-Prática: Projeto-intervenção

UNIDADE III Análise Teórico-Prática: Projeto-intervenção UNIDADE III Análise Teórico-Prática: Projeto-intervenção Nesta unidade, abordaremos, de forma introdutória, alguns aspectos relacionados ao Projeto-intervenção e ao Trabalho de Conclusão do Curso. Aqui,

Leia mais

EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS

EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS EIXO II EDUCAÇÃO E DIVERSIDADE: JUSTIÇA SOCIAL, INCLUSÃO E DIREITOS HUMANOS PROPOSIÇÕES E ESTRATÉGIAS 1. Assegurar, em regime de colaboração, recursos necessários para a implementação de políticas de valorização

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ACRE

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ACRE PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS ACRE OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS CRONOGRAMA (PRAZO) Realizar reuniões com Conselhos de Saúde,

Leia mais

CREAS Recursos Humanos

CREAS Recursos Humanos Como deve ser a composição da equipe de referência do CREAS? Os recursos humanos constituem elemento fundamental para a efetividade do trabalho do CREAS. A vinculação dos profissionais do CREAS com a família/indivíduo

Leia mais

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR

AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE. Adriana Noviski Manso - PUCPR AÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A PARTIR DE UM PROJETO DE SAÚDE Adriana Noviski Manso - PUCPR Beatriz Ferreira da Rocha - PUCPR Romilda Teodora Ens - PUCSP/PUCPR Resumo O presente relato

Leia mais

Ética Profissional e os Desafios de Concretizar Direitos no Sistema Penal. Marco Antonio da Rocha

Ética Profissional e os Desafios de Concretizar Direitos no Sistema Penal. Marco Antonio da Rocha Ética Profissional e os Desafios de Concretizar Direitos no Sistema Penal Marco Antonio da Rocha O LUGAR DA ÉTICA NA SOCIEDADE FILOSOFIA: PRECISAMOS DE UMA PARA VIVER??? Ou uma breve reflexão sobre os

Leia mais

PAZ EM CASA, PAZ NO MUNDO o programa de prevenção a violência intrafamiliar e de gênero do Instituto Noos. Carlos Eduardo Zuma

PAZ EM CASA, PAZ NO MUNDO o programa de prevenção a violência intrafamiliar e de gênero do Instituto Noos. Carlos Eduardo Zuma Congreso Iberoamericano de Masculinidades y Equidad: Investigación y Activismo Panel 2: Violencia y masculinidad/segunda sesión Barcelona, 8 de outubro de 2011 PAZ EM CASA, PAZ NO MUNDO o programa de prevenção

Leia mais

A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção

A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção A efetividade da educação à distância para a formação de profissionais de Engenharia de Produção Carolina Pinheiro Bicalho Maria Clara Duarte Schettino Maria Laura Quaresma Ragone Mário Santiago Israel

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS SERGIPE

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS SERGIPE PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS SERGIPE METAS ATIVIDADES PARCERIAS EXECUSSÃO CRONOGRAMA - Articular através da criação de uma rede via internet

Leia mais

PERFIL EMPREENDEDOR DOS APICULTORES DO MUNICIPIO DE PRUDENTÓPOLIS

PERFIL EMPREENDEDOR DOS APICULTORES DO MUNICIPIO DE PRUDENTÓPOLIS PERFIL EMPREENDEDOR DOS APICULTORES DO MUNICIPIO DE PRUDENTÓPOLIS Elvis Fabio Roman (Bolsista programa universidade sem fronteiras/projeto associativismo apícola no município de Prudentópolis), e-mail:

Leia mais

A GESTÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA NO ATUAL GOVERNO DO ESTADO¹

A GESTÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA NO ATUAL GOVERNO DO ESTADO¹ A GESTÃO DEMOCRÁTICA PARTICIPATIVA NO ATUAL GOVERNO DO ESTADO¹ MOUSQUER, Maria Elizabete Londero ² ; RUVIARO, Lidiane ³;WESLING, Fabricia; CESAR, Josiane Canto; ¹ Trabalho de Pesquisa UFSM ² Orientadora

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2009

PLANO DE ACTIVIDADES 2009 PLANO DE ACTIVIDADES 2009 Ao longo do último ano, a Direcção da Associação ILGA Portugal alcançou vários objectivos importantes, incluindo: o registo definitivo da Associação enquanto Instituição Particular

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

Corpos em cena na formação crítica docente. Rosane Rocha Pessoa Universidade Federal de Goiás

Corpos em cena na formação crítica docente. Rosane Rocha Pessoa Universidade Federal de Goiás Corpos em cena na formação crítica docente Rosane Rocha Pessoa Universidade Federal de Goiás 1 Nosso trabalho na perspectiva crítica Objetivo: problematizar questões sociais e relações desiguais de poder

Leia mais

POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS

POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais POLÍTICA BRASILEIRA DE ENFRENTAMENTO DA AIDS RESULTADOS, AVANÇOS E PERSPECTIVAS A Epidemia Prevenção Diagnóstico Assistência e Tratamento Sustentabilidade e

Leia mais

ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA

ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA ASPECTOS DIDÁTICO-PEDAGÓGICOS NA EDUCAÇÃO CONTINUADA Área Temática: Educação Responsável pelo trabalho: Tatiana Comiotto Menestrina Instituição: UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA (UDESC) Departamento:

Leia mais

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS

PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS PLANO DE ENFRENTAMENTO DA EPIDEMIA DE AIDS E DAS DST ENTRE A POPULAÇÃO DE GAYS, HSH E TRAVESTIS GOIÁS OBJETIVOS ATIVIDADES RESPONSÁVEIS E PARCERIAS Estimular 80% da população de gays, HSH e travestis do

Leia mais

Notas sobre a exclusão social e as suas diferenças

Notas sobre a exclusão social e as suas diferenças Notas sobre a exclusão social e as suas diferenças Ana Paula Gomes Daniel e-mail: anapauladnl@gmail.com Acadêmica do curso de Ciências Econômicas /UNICENTRO Flavia Diana Marcondes dos Santos e-mail: flaviadianam@gmail.com

Leia mais

MULHERES UNIVERSITÁRIAS: SEXO (IN)SEGURO?

MULHERES UNIVERSITÁRIAS: SEXO (IN)SEGURO? MULHERES UNIVERSITÁRIAS: SEXO (IN)SEGURO? Simone Andrade Teixeira NEIM/UFBA A motivação para a realização desse estudo deu-se a partir dos resultados de uma pesquisa que buscou identificar se as mulheres

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO PARA OS CURSOS PRÉ-VESTIBULARES

A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO PARA OS CURSOS PRÉ-VESTIBULARES A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO PARA OS CURSOS PRÉ-VESTIBULARES Alexandre do Nascimento Sem a pretensão de responder questões que devem ser debatidas pelo coletivo, este texto pretende instigar

Leia mais

NAS TENDAS DA SEXUALIDADE E GÊNERO FARIA, Lívia Monique de Castro UFLA GT-23: Gênero, Sexualidade e Educação Agência Financiadora: MEC e DEPEM

NAS TENDAS DA SEXUALIDADE E GÊNERO FARIA, Lívia Monique de Castro UFLA GT-23: Gênero, Sexualidade e Educação Agência Financiadora: MEC e DEPEM 1 NAS TENDAS DA SEXUALIDADE E GÊNERO FARIA, Lívia Monique de Castro UFLA GT-23: Gênero, Sexualidade e Educação Agência Financiadora: MEC e DEPEM Introdução Inserir a temática da sexualidade e gênero nos

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO PROFESSOR DE PEDAGOGIA DA FESURV - UNIVERSIDADE DE RIO VERDE Bruna Cardoso Cruz 1 RESUMO: O presente trabalho procura conhecer o desempenho profissional dos professores da faculdade

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão

POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS PARA A DIVERSIDADE SEXUAL: perspectivas e efetivação em tempos de inclusão Alexandre Martins Joca 1 Resumo: Nas últimas décadas o movimento homossexual brasileiro tem reivindicado

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO CONTEXTO TECNOLÓGICO: DESAFIOS VINCULADOS À SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO CONTEXTO TECNOLÓGICO: DESAFIOS VINCULADOS À SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO 1 FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES NO CONTEXTO TECNOLÓGICO: DESAFIOS VINCULADOS À SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Márcia Corrêa Sotolani 1 Glaucineide Silva de Souza 2 EIXO TEMÁTICO: Formação Inicial e Continuada

Leia mais

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS

A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A PRÁTICA PEDAGÓGICA DO CURSO DE ENFERMAGEM DO CESUMAR SOB A ÓTICA DO SUS Lizyanne Saldanha Soares 1, Natalia Máximo Souza Lima 2, Raquel Gusmão Oliveira

Leia mais

Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F.

Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F. Revelação Diagnóstica do HIV A arte de comunicar más notícias Tânia Regina C. de Souza, Karina Wolffenbuttel, Márcia T. F. dos Santos A aids é ainda uma doença ameaçadora. Apesar de todos os avanços no

Leia mais

ANÁLISE DO EMPREGO E DESEMPREGO A PARTIR DO CADASTRO DA CAT Andréia Arpon* Adriana Fontes *

ANÁLISE DO EMPREGO E DESEMPREGO A PARTIR DO CADASTRO DA CAT Andréia Arpon* Adriana Fontes * ANÁLISE DO EMPREGO E DESEMPREGO A PARTIR DO CADASTRO DA CAT Andréia Arpon* Adriana Fontes * Pesquisas indicam que o desemprego é um dos maiores problemas, senão o maior, enfrentados pela população brasileira

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO CONTRIBUIDORA PARA O APRIMORAMENTO DA INTERAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO DE CASO 1

A RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO CONTRIBUIDORA PARA O APRIMORAMENTO DA INTERAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO DE CASO 1 A RESPONSABILIDADE SOCIAL COMO CONTRIBUIDORA PARA O APRIMORAMENTO DA INTERAÇÃO HUMANA - UM ESTUDO DE CASO 1 BACH, Cláudia 2 ; MARTINS, Ana 3, GODOY, Leoni 4 1 Artigo apresentado no XV Simpósio de Ensino,

Leia mais

Artigo 1º - Fica autorizado o Poder Executivo a criar o Programa de Acessibilidade e Segurança da População LGBTT no Estado de São Paulo.

Artigo 1º - Fica autorizado o Poder Executivo a criar o Programa de Acessibilidade e Segurança da População LGBTT no Estado de São Paulo. PROJETO DE LEI Nº 173, DE 2015 Autoriza a criação do Programa Estadual de Acessibilidade e Segurança da População LGBTT no Estado de São Paulo e dá outras providências. A ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO

Leia mais

UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL COSTA, Efigênia Maria Dias 1 MONTENEGRO, Fabrícia Sousa 2 NEVES, Elidiana Oliveira das 3 SANTOS, Jefferson Silva de Barros 4 SILVA, Luiz Eduardo

Leia mais

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões

Leia mais

IDENTIDADE DO PEDAGOGO: QUAL A VISÃO QUE O ESTUDANTE DE PEDAGOGIA TEM DE SUA PROFISSÃO

IDENTIDADE DO PEDAGOGO: QUAL A VISÃO QUE O ESTUDANTE DE PEDAGOGIA TEM DE SUA PROFISSÃO IDENTIDADE DO PEDAGOGO: QUAL A VISÃO QUE O ESTUDANTE DE PEDAGOGIA TEM DE SUA PROFISSÃO Deise Sachetti Pinar,Maria José Gomes Moreira de Miranda 2, Sumiko Hagiwara Sakae 3 Orientadora: Drª. Maria Tereza

Leia mais