MARCO ANTONIO ARAÚJO,

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MARCO ANTONIO ARAÚJO,"

Transcrição

1

2 É com grande satisfação que a Previcoke traz uma boa notícia aos seus participantes: os regulamentos dos planos BD e CD estão sendo aprimorados. Nos últimos anos, estivemos preparando importantes melhorias, que estão em vias de serem aprovadas. Dentre as novidades, a estrutura das contribuições do Plano CD está sendo simplificada, tornando seu entendimento mais fácil. A mudança mais importante é para os associados com salários entre R$ e R$ (de 1 a 2 URCCs), que passarão a contar com uma contrapartida maior da patrocinadora. Para os que estão nessa faixa, o aumento pode chegar até 500%. Outra importante conquista está na área dos investimentos. Com uma operação inovadora, nossa equipe garantiu, ainda no 3º trimestre, a meta de 2014 para a Renda Fixa do Plano CD replicada também para o Plano BD (plano antigo). O ganho de mais 300% do CDI representou R$ 3 milhões de lucro excedente ao benchmark. MARCO ANTONIO ARAÚJO, Vice-Presidente de Finanças da Coca-Cola Brasil Quais as principais vantagens da Previcoke em relação a outros investimentos? Os empregados têm uma remuneração melhor do que teriam investindo fora, colocando seu dinheiro no banco e fazendo investimentos em outras aplicações na poupança, por exemplo. Além disso, a gente sabe que também há algumas vantagens fiscais. No caso da poupança, não, porque não paga o Imposto de Renda; mas versus outros fundos de investimento... Portanto, acredito que é um bom investimento que os funcionários da Coca-Cola estão fazendo. DIRETORIA DA PREVICOKE DIRETOR-SUPERINTENDENTE Marcus Rubim de Moura DIRETOR FINANCEIRO Guilherme de Sequeira Toledo DIRETOR ADMINISTRATIVO Juan Carlos Vilarnovo Gesto Por fim, após o primeiro aniversário de lançamento do empréstimo do Plano CD e a superação da marca de R$ 1 milhão emprestados a mais de 50 participantes, a Previcoke está estendendo este benefício ao Plano BD; aumentando assim ainda mais a nossa participação no presente e no futuro dos participantes. Saiba mais sobre esses e outros assuntos no seu Informativo Previcoke. Boa leitura! Marcus Rubim de Moura Diretor-Superintendente da Previcoke Informativo Previcoke Editor Rodrigo Carvalho de Oliveira Assistente de edição Thaís Barcellos Rodrigues Redação Rodrigo Carvalho de Oliveira Mary Dutra Design Projeto gráfico Mary Dutra Design JORNALISTA Sidarta Monteiro Tiragem exemplares Atualmente, existem cinco perfis de investimento na Previcoke. O que o participante deve levar em consideração no momento da escolha? Acho que cada um tem uma aversão diferente ao risco. Tem pessoas mais conservadoras, outras mais agressivas... mas cada um deve pensar, primeiro, na fase da vida em que está. Normalmente, quando se é mais jovem, você tem mais tempo, certo? Então, geralmente, arrisca-se mais. Sempre dizem que no início da vida você deve investir mais dinheiro na bolsa. Você vai balanceando o seu portfólio à medida em que se aproxima da aposentadoria. O segundo ponto é o perfil de risco de cada um. Há pessoas que preferem ganhar menos e ter algo mais seguro; e outras que, de fato, vivem bem com o risco. O importante é se sentir bem com a sua opção. Muitas pessoas têm o costume de modificar o perfil de investimento, tendendo a migrar para o que rendeu mais no período anterior. Isso é adequado? Infelizmente, as pessoas acham que o passado prediz o futuro. Na verdade, não é assim. Ainda mais no Brasil. Então, acho que a análise tem que ser um pouco mais profunda. Se você tem alguma dúvida, deve buscar alguém que entenda um pouco melhor do mercado, que possa explicar um pouco cada uma das opções... e o pessoal da Previcoke está aí para ajudar nisto. A principal finalidade da Previcoke é complementar a renda dos participantes na aposentadoria. Quanto a Entidade pode representar na renda de cada um? Hoje, as pessoas vivem 70, 80 anos. Com isso, é cada vez mais importante ter um bom plano de previdência e pensar bem adiante. Isso é bastante relevante, principalmente no Brasil, onde o INSS é bastante limitado. Então, acredito que é um bom plano. Eles vão ter uma boa renda para viver bem a sua aposentadoria. 2 3

3 POR DENTRO DA PREVICOKE VÊM AÍ, GRANDES NOVIDADES PRA VOCÊ! A URCC, Unidade de Referência Coca-Cola, é o valor usado no cálculo das contribuições pagas pela Previcoke aos participantes. Seu valor atual é de R$ 3.409,44, sendo reajustado anualmente, em janeiro. A Previcoke está trabalhando para tornar o seu Plano CD ainda melhor. Estamos preparando grandes mudanças, dentre elas, a criação de uma nova faixa de contribuição que beneficiará quem ganha entre 1 e 2 URCCs e também uma simplificação da estrutura das contribuições. Essas mudanças estão aguardando apenas a sanção do órgão regulador. A NOVA FAIXA DE CONTRIBUIÇÃO Até este ano, eram duas as bases de cálculo da contribuição básica: Salários abaixo de 1 Urcc = contribuição até sobre o salário Salários acima de 1 URCC Após constatarmos que esse modelo não atendia tão bem os participantes com salários entre 1 e 2 URCCs (de R$ 3.409,44 a R$ 6.818,88, atualmente), começamos a pensar em alternativas para que todos fossem beneficiados da melhor forma. E foi assim que chegamos à solução abaixo. = contribuição até sobre o (salário URCC) Exemplos de Contribuição Básica (com contrapartida de ) Contribuição mensal: de R$ 2.000,00 = Contribuição mensal: de R$ 3.409,44 = R$ 190,00 R$ 323,90 contrapartida máxima SALÁRIOS ABAIXO DE 1 URCC A base de cálculo é o salário* NOVO SALÁRIOS ENTRE 1 E 2 URCCs A base de cálculo é sobre 1 URCC* SALÁRIOS ACIMA DE 2 URCCs A base de cálculo é sobre o salário menos 1 URCC* Contribuição mensal: de (R$ ,00 R$ 3.409,44) de R$ 6.590,56 = R$ 626,10 Com essa nova faixa de contribuição, seguimos firme e forte em nossa missão de pensar no futuro de todos os participantes da Previcoke. Diariamente, trabalhamos para fazer a diferença na vida de cada um sem exceções. 1 URCC 2 URCCs SALÁRIO * com contrapartida de até 4 5

4 POR DENTRO DENTRO DA DA PREVICOKE PREVICOKE POR MUDANDO PARA SIMPLIFICAR NOVA ESTRUTURA Até hoje, eram 5 as contribuições do participante da Previcoke. Agora, resolvemos simplificá-las a 3 para melhorar a compreensão e decisão de todos em relação à sua aplicação isto sem comprometer a realidade financeira do negócio. Para isso, começamos simplificando os nomes das contribuições, que agora são: CONTRIBUIÇÃO SOBRE O SALÁRIO CONTRAPARTIDA Base de cálculo: Faixa salarial* CONTRIBUIÇÃO SOBRE O SALÁRIO NÃO HÁ CONTRAPARTIDA até Limite de contribuição: 40% CONTRIBUIÇÃO SOBRE O BÔNUS NÃO HÁ CONTRAPARTIDA CONTRAPARTIDA CONTRIBUIÇÃO SOBRE O BÔNUS Base de cálculo: Bônus CONTRIBUIÇÃO SOBRE O 13º SALÁRIO até Limite de contribuição: 70% CONTRIBUIÇÃO SOBRE O 13º SALÁRIO NÃO HÁ CONTRAPARTIDA Limite de contribuição: 40% Base de cálculo: 13º salário * três bases: abaixo de 1 URCC, entre 1 e 2 URCCs e acima de 2 URCCs Compare a seguir o antes e o depois. Contrapartida ESTRUTURA ATUAL Base de Cálculo LIMITE HÁ? LIMITE Contribuição Básica Faixa salarial* Sim Contribuição Básica Adicional Bônus Sim Contribuição Voluntária sobre o Salário Salário integral Não há Não Contribuição Voluntária sobre o Bônus Bônus Não há Não Contribuição Voluntária sobre o 13º Salário 13º salário Não há Não * duas bases: abaixo de 1 URCC e acima de 1 URCC 6 Contrapartida Essas mudanças podem gerar diferenças no valor da contribuição. Por exemplo: se o participante tinha uma Contribuição Básica de e uma Contribuição Voluntária de 2%, com a fusão, ele passará a ter uma Contribuição sobre o Salário de 11,5% (com contrapartida de ). Com isso, o participante deve verificar como ficou o valor de sua contribuição e avaliar se deseja realizar algum ajuste em seu percentual. COM A PREVICOKE, VOCÊ SEMPRE TEM MAIS BENEFÍCIOS APORTES ESPORÁDICOS ISENÇÃO DE TAXA ADMINISTRATIVA Se em algum momento do ano você receber recursos financeiros extras, agora pode fazer aplicações na Previcoke. Trata-se dos aportes esporádicos, um tipo de contribuição que pode beneficiar e muito o seu saldo de conta futuro. Na Previcoke, as despesas de administração são pagas pela patrocinadora. Com isso, o participante fica isento da taxa administrativa. Esse benefício está disponível para participantes Ativos, Autopatrocinados e BPDs. Desde 31 de agosto de 2012, quem sai da empresa (Autopatrocinado e BPD) também não tem mais essa despesa com o Plano. Essa isenção que já acontece na prática está sendo ratificada na alteração de regulamento. 7

5 Operação NTN-B: garantindo a meta de 2014 A reversão da alta se iniciaria, permitindo a realização parcial ou total da operação. A cada mês de queda, a rentabilidade seria beneficiada e, nos meses de alta, prejudicada. No entanto, à medida em que vendêssemos as NTN-Bs, reduziríamos a exposição ao risco. Este era o cenário esperado. Ao longo de diversas moedas e planos econômicos, o Brasil manteve juros que oscilaram entre taxas altas e altíssimas, sempre na casa dos dois dígitos. Essa realidade começou a mudar com a estabilização do Plano Real, no fim dos anos 90. Desde então, nossas taxas de juro real (juros pagos pelo governo federal menos a inflação) engrenaram numa tendência decrescente. Em janeiro de 2013, as taxas de longo prazo atingiram uma mínima histórica de 3,8% a.a., próximas às taxas de países desenvolvidos. No entanto, esse nível era incompatível com a realidade brasileira, especialmente por conta da crescente deterioração fiscal e da falta de investimento. Assim, o movimento de queda iniciou uma reversão, impactando os títulos com componente pré-fixado; como as NTN-Bs, que são títulos de dívida do governo federal que pagam inflação (IPCA) mais taxa pré. Quem as compra está fazendo um empréstimo ao Tesouro Nacional, esperando receber o valor corrigido pela inflação mais os juros. Elas têm diversos vencimentos e são influenciadas pela oscilação das taxas. Uma vez que alguém comprou o papel, ele poderá ser negociado inúmeras vezes, mas sem alteração no pagamento final. Quando a taxa sobe, o preço do título cai; quando a taxa cai, ocorre o contrário o preço valoriza. A alta continuaria, gerando rentabilidades negativas. Neste caso, já tínhamos compras aprovadas nos níveis de 7,5% e 8,2%. Apesar de aumentar a volatilidade, estaríamos prontos para comprar mais e esperar até que as taxas recuassem. Neste cenário, pouco provável, a operação poderia durar anos, mas, ainda que a taxa nunca mais caísse, manteríamos os títulos até 2050 com um excelente retorno. aprovação da operação compra venda As NTN-Bs mais longas vencem em 2050 e apresentam a maior volatilidade. Quando sua taxa foi de 3,8% para 5,0%, em apenas quatro meses, a equipe de investimentos da Previcoke identificou uma oportunidade: comprar NTN-Bs 2050, entre 6,0% e 7,0%, para vendê-las com ganhos entre 0,3% e 0,6%. Após uma alta tão acentuada, a tese era que uma reversão seria provável e, assim, poderíamos realizar ganhos sem precedentes na história da Previcoke. Foi aprovada a aplicação de 15% da Renda Fixa do Plano CD e um valor equivalente para o Plano BD totalizando R$ 30 milhões. A expectativa era que, caso a alta se efetivasse, iria até cerca de 7,0%. À época da aprovação da operação, em junho de 2013, a maior parte dos fundos de pensão e gestores considerava impossível que os juros chegassem a 6,0% no curto prazo. Mas, em cinco meses, eles estavam lá. Dois meses depois, em janeiro de 2014, os 7,0% foram atingidos, quando a Previcoke completou a compra de R$ 30 milhões. Nesse momento, após uma alta exagerada, dois cenários eram possíveis: Conforme esperado, materializou-se o cenário A: a taxa das NTN-Bs 2050 mergulhou de 7,0% aos 5,4%, em um período de sete meses, dando à Previcoke um lucro total de R$ 4,68 milhões. Para o Plano CD, a rentabilidade de 309% do CDI superou e muito a meta de 110%. Já para o Plano BD, o retorno anualizado de mais de 20% acima da inflação foi quatro vezes a meta atuarial de 5,3%. O número mais importante da operação foi o quanto ganhamos a mais para o participante. Ou seja, o quanto geramos de retorno além do que já se ganharia com os R$ 30 milhões aplicados no CDI: R$ 2,94 milhões. Sim, foram quase R$ 3 milhões que a Previcoke construiu de valor. Por suas características, não foi um tiro no escuro, pois também daria certo no pior cenário (só que demorando mais a acontecer). Isso só foi possível pela disciplina, capacidade técnica e coragem que tivemos para comprar quando os outros queriam vender; e vender quando os outros queriam comprar. Com certeza, uma vitória importante para a Previcoke e cada um de seus participantes. E se por um momento estivéssemos errados? Ainda assim, manteríamos os títulos até 2050, com um excelente retorno. 8 9

6 RENDA VARIÁVEL: UM SOBE E DESCE QUE VALE A PENA Convivemos com empresas o tempo todo. Trabalhamos nelas, moramos em casas construídas por elas, comemos alimentos produzidos, distribuídos e vendidos por elas. A lista é interminável, basta olhar em volta. No Brasil, nós as chamamos de pessoas jurídicas. Algumas empresas contam com patrimônio de alguns milhares de reais, enquanto outras geram bilhões de dólares de lucro por mês. Quando uma empresa atinge um certo tamanho, muitas vezes precisa de capital externo para seguir crescendo ou expandir com um projeto específico. Nesse momento, seus sócios têm duas possibilidades: pedir um empréstimo, assumindo uma dívida com um credor (a quem pagará o valor emprestado mais juros); ou vender uma parte do negócio a investidores. Nessa 2ª opção, não se assume dívida, mas parte dos lucros futuros será dividida com os novos sócios além da obrigação de prestar contas sobre decisões tomadas. O objetivo de um investidor que compra uma ação é ganhar dinheiro com ela, mas não como credor. Se em geral o preço de uma ação deveria refletir seu valor, uma melhora ou crescimento do negócio pode valorizá-la. Além disso, mesmo que o preço nunca subisse, se o resultado for bom, o investidor receberá parte dos lucros afinal, ele é sócio da empresa. As ações são negociadas diariamente e algumas empresas chegam a ter mais de R$ 100 milhões negociados (compra e venda) a cada dia. Dessa forma, é fácil imaginar que o preço de algo tão negociado está sujeito ao humor de quem compra e vende, sendo este um dos motivos que nos fazem ouvir que a bolsa subiu, caiu, despencou, disparou... Os preços sempre oscilam. Às vezes mais; às vezes menos. Sob essa ótica, é fato que em semanas, meses ou anos, a volatilidade do investimento em ações* será maior que a dos títulos de dívida. Por isso, muitos pensam que a Renda Variável tem um risco maior que a Renda Fixa. No entanto, ao se observar períodos maiores (décadas, por exemplo), o risco das ações cai drasticamente, aproximando-se da volatilidade dos títulos de dívida. Porém, o retorno do investimento em ações tende a ser bem maior do que a aplicação em títulos de Renda Fixa nos prazos mais longos. A tomada de dinheiro emprestado é chamada de Renda Fixa, por ser fixo o parâmetro de pagamento de juros, seja ele qual for. Já a abertura para novos sócios é chamada RENDA VARIÁVEL, porque, do ponto de vista de quem compra parte da empresa, não há definição sobre retorno. Quando essa venda de parte do negócio é aberta (a todos), dizemos que a empresa abriu capital, tornando-se assim uma empresa de capital aberto. A partir daí, suas pequenas partes, as ações, serão negociadas em mercados organizados as bolsas de valores. Quanto maior o prazo, maior a chance da Renda Variável (RV) superar a Renda Fixa (RF). Confira abaixo nas janelas, entre os anos de 1995 e 2014, com que frequência o IBrX (benchmark da RV) ganhou do CDI (benchmark da RF). Ainda que não haja garantia de que isto se perpetue, toda evidência sugere que em prazos como 20 anos os principais benchmarks de Renda Variável tendem a superar os de Renda Fixa. E considerando que uma gestão ativa visa sempre superar seu benchmark, o diferencial pode ser ainda maior % das vezes * é a variabilidade de retorno de um investimento. Por exemplo: se um investimento A costuma render de -10% a +12% por dia, sua volatilidade é maior que a de um investimento B que costuma render de -1% a +1,2% ao dia 57% das vezes 82% das vezes a RV sempre rendeu mais

7 MURAL PREVICOKE ORGANIZE SUA VIDA FINANCEIRA COM O PREVICOKE Interessado? Acesse sua conta e faça uma simulação na Área do Participante em Ou ligue para (21) Agora, também disponível para o Plano BD! Praia de Botafogo, 374 / 2º andar Rio de Janeiro (RJ) Tel.: (21)

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil.

RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. 1 RAÏSSA LUMACK, Vice-Presidente de RH da Coca-Cola Brasil. O Informativo Previcoke (Fundo de Pensão da Coca-Cola Brasil) é feito para quem já pensa no amanhã e para quem quer começar a pensar. Aqui, você

Leia mais

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial.

Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos anos. O que existe é um déficit atuarial. PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O SABESPREV MAIS. 1. A Sabesprev está em dificuldades financeiras? Não. A Sabesprev tem dinheiro em caixa suficiente para garantir o pagamento aos beneficiários pelos próximos

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA COMPRA DE TÍTULOS NO TESOURO DIRETO Um título público consiste, de maneira simplificada, um empréstimo ao governo federal, ou seja, o governo fica com uma dívida com o comprador

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS MOMENTO ECONÔMICO Os investimentos dos Fundos de Pensão, e o PRhosper não é diferente, têm por objetivo a formação de capital para uso previdenciário, portanto, de longo prazo. Exatamente por essa razão,

Leia mais

Rodobens é destaque no website Infomoney

Rodobens é destaque no website Infomoney Rodobens é destaque no website Infomoney Por: Conrado Mazzoni Cruz 19/04/07-09h55 InfoMoney SÃO PAULO - Atualmente, falar sobre o mercado imobiliário brasileiro é entrar na discussão sobre um possível

Leia mais

Curso Preparatório CEA

Curso Preparatório CEA Curso Preparatório Tel: 4004-0435 ramal 4505 Email: contato@ifb.net.br CEA 1ª Edição 13. Matemática Financeira Na prova da ANBIMA, para o CEA, não só é permitido usar calculadora como deve-se utilizar

Leia mais

Poupança, CDB ou Tesouro Direto? Veja vantagens de cada investimento

Poupança, CDB ou Tesouro Direto? Veja vantagens de cada investimento Poupança, CDB ou Tesouro Direto? Veja vantagens de cada investimento A poupança é mais popular, mas rendimento perde da inflação. Saiba como funciona cada uma dos três formas de guardar seu dinheiro. Karina

Leia mais

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento

Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Objetivos das Famílias e os Fundos de Investimento Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola

Leia mais

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br

CARTILHA. Previdência. Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO. www.sulamericaonline.com.br CARTILHA Previdência Complementar NOVA TRIBUTAÇÃO www.sulamericaonline.com.br Índice 1. Os Planos de Previdência Complementar e o Novo Regime Tributário 4 2. Tratamento Tributário Básico 5 3. Características

Leia mais

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1

A seguir, detalhamos as principais posições do trimestre. PACIFICO HEDGE JULHO DE 2015 1 No segundo trimestre de 2015, o fundo Pacifico Hedge FIQ FIM apresentou rentabilidade de 3,61%, líquida de taxas. No mesmo período, o CDI apresentou variação de 3,03% e o mercado de bolsa valorizou-se

Leia mais

Propel Axis FIM Crédito Privado

Propel Axis FIM Crédito Privado Melhora expressiva na economia dos EUA; Brasil: inflação no teto da meta, atividade econômica e situação fiscal mais frágil; A principal posição do portfólio continua sendo a exposição ao dólar. 1. Cenário

Leia mais

Investtop www.investtop.com.br

Investtop www.investtop.com.br 1 Conteúdo Introdução... 4 CDB... 6 O que é CDB?...6 Liquidez...6 Tributação...6 Riscos...7 Dicas...7 Vantagens...7 Letra de Crédito do Imobiliário (LCI)... 9 O que é LCI?...9 Liquidez...9 Tributação...9

Leia mais

Guia do Programa Previdenciário Empresarial

Guia do Programa Previdenciário Empresarial Guia do Programa Previdenciário Empresarial Uma escolha muda todo o seu futuro. Conheça a novidade que o Itaú e a ABRACAF têm para você! Pensando em você, a ABRACAF e o Itaú criaram um plano de Previdência

Leia mais

Previdência complementar, assunto que não pode ficar para depois

Previdência complementar, assunto que não pode ficar para depois taesaprev BOLETIM DOS PARTICIPANTES DA TAESA INFORME NÚMERO 02 OUT/2014 Nesta edição: Contribuição eventual facultativa pode melhorar renda na aposentadoria. P.2 Seu perfil de investimento está adequado

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Março de 2016

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Março de 2016 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Março de 2016 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA CC DI/RF IRFM1 IMAB5 SUBTOTAL 31/dez/2013 26.103,99 26.103,99

Leia mais

Perfil de investimentos

Perfil de investimentos Perfil de investimentos O Fundo de Pensão OABPrev-SP é uma entidade comprometida com a satisfação dos participantes, respeitando seus direitos e sempre buscando soluções que atendam aos seus interesses.

Leia mais

PERFIL DE INVESTIMENTOS PERFIL DE INVESTIMENTO

PERFIL DE INVESTIMENTOS PERFIL DE INVESTIMENTO PERFIL DE INVESTIMENTOS O QUE É? É a opção dada ao participante para que indique os percentuais de seu saldo que devem ser alocados em Renda Fixa e em Renda Variável (ações), de acordo com a sua aptidão

Leia mais

5. ETAPA DOS INVESTIMENTOS. Prof. Elisson de Andrade www.profelisson.com.br

5. ETAPA DOS INVESTIMENTOS. Prof. Elisson de Andrade www.profelisson.com.br 5. ETAPA DOS INVESTIMENTOS Prof. Elisson de Andrade www.profelisson.com.br Introdução Poupar versus investir É possível investir dinheiro nos mercados: Imobiliário Empresarial Financeiro Fatores a serem

Leia mais

perfis de investimento

perfis de investimento perfis de investimento Índice 3 Apresentação 3 Como funciona a gestão de investimentos da ELETROS? 5 Quais são os principais riscos associados aos investimentos? 6 Como são os investimentos em renda fixa?

Leia mais

Rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV no 1º Trimestre de 2014

Rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV no 1º Trimestre de 2014 Investimentos Rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV no 1º Trimestre de 2014 Como forma de manter os Participantes informados sobre a evolução do seu Plano no que diz respeito à rentabilidade dos

Leia mais

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012

Opportunity. Resultado. Agosto de 2012 Opportunity Equity Hedge FIC FIM Agosto de 2012 Resultado Ao longo do segundo trimestre de 2012, o Opportunity Equity Hedge alcançou uma rentabilidade de 5% depois de taxas, o que representa 239,6% do

Leia mais

EDIÇÃO 09 SETEMBRO 2015 ANO 3 PLANEJAMENTO: COMO SABER QUANTO DEVO JUNTAR PARA A APOSENTADORIA?

EDIÇÃO 09 SETEMBRO 2015 ANO 3 PLANEJAMENTO: COMO SABER QUANTO DEVO JUNTAR PARA A APOSENTADORIA? EDIÇÃO 09 PLANEJAMENTO: COMO SABER QUANTO DEVO JUNTAR PARA A APOSENTADORIA? EDUCAÇÃO FINANCEIRA E PREVIDENCIÁRIA PLANEJAMENTO: COMO SABER QUANTO DEVO JUNTAR PARA A APOSENTADORIA? Pesquisa realizada no

Leia mais

[ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES

[ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES [ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES D e s c u b r a c o m o m a n t e r o c a p i t a l d a e m p r e s a s o b c o n t r o l e p a r a f a z e r o n e g ó c i o c r e s c e r. Uma boa gestão

Leia mais

Conseguimos te ajudar?

Conseguimos te ajudar? Controlar suas finanças deve ser um hábito. Não com o objetivo de restringir seus sonhos de consumo, mas sim de convidá-lo a planejar melhor a realização da cada um deles, gastando o seu dinheiro de maneira

Leia mais

Plano de Previdência Complementar. mudança

Plano de Previdência Complementar. mudança Plano de Previdência Complementar Outubro é o mês da mudança Em outubro, você poderá mudar o perfil do seu Plano de Previdência Complementar para o que mais combina com você. Não esqueça: Esse é um momento

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

INFORMATIVO. Novas Regras de limites. A Datusprev sempre pensando em você... Classificados Datusprev: Anuncie aqui!

INFORMATIVO. Novas Regras de limites. A Datusprev sempre pensando em você... Classificados Datusprev: Anuncie aqui! INFORMATIVO Novas Regras de limites A Datusprev sempre pensando em você... Classificados Datusprev: Anuncie aqui! A Datusprev abre espaço para divulgação. Aqui você pode anunciar compra, venda, troca,

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 12/2013

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 12/2013 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 12/2013 Data: 25/07/2013. Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO C FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO C Cartilha do Plano C APRESENTAÇÃO O plano de benefícios previdenciários conhecido como Plano C foi implantado em 1997. O regulamento do Plano C foi adaptado à Lei Complementar nº 109,

Leia mais

Programa de Previdência OUROFINO. Manual do Participante

Programa de Previdência OUROFINO. Manual do Participante Programa de Previdência OUROFINO Manual do Participante Um excelente investimento no presente e a garantia de um futuro tranquilo Programa Previdenciário Empresarial Itaú - OUROFINO Regras do Programa

Leia mais

Perfis. de Investimento

Perfis. de Investimento Perfis de Investimento Índice Índice 4 5 6 7 7 8 9 10 11 12 12 13 13 14 14 15 16 17 Apresentação Como funciona a Eletros? Como são os investimentos em renda variável? Como são os investimentos em renda

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014. Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 86 outubro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Análise de indicadores bancários e financeiros em 2014 1 A concentração bancária brasileira em

Leia mais

No Distrito Federal imóveis ainda são rentáveis.

No Distrito Federal imóveis ainda são rentáveis. Brasília, 10 de Novembro de 2012 NOTA À IMPRENSA No Distrito Federal imóveis ainda são rentáveis. Por: (*) Rafhael Carvalho Marinho O índice de preços imobiliários verifica a existência de descolamento

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Julho de RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) PGA PB TOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI IRFM1 FI

Leia mais

05/12/2006. Discurso do Presidente da República

05/12/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, no encerramento da 20ª Reunião Ordinária do Pleno Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social Palácio do Planalto, 05 de dezembro de 2006 Eu acho que não cabe discurso aqui,

Leia mais

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010

PROPOSTA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 Secretaria da Administração do Estado da Bahia Superintendência de Previdência Diretoria de Gestão Financeira Previdenciária e Investimentos PROPOSTA DE POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - 2010 REGIME PRÓPRIO

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO

CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO CARTILHA DO PLANO DE BENEFÍCIO DEFINIDO Fevereiro/2012 Apresentação Prezado participante, Com o objetivo de mostrar como funciona a Fundação Coelce de Seguridade Social Faelce e o Plano de Benefícios Definidos,

Leia mais

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional

Cenários. Cenário Internacional. Cenário Nacional Ano 7 Edição: maio/2015 nº 57 Informações referentes a abril/2015 Cenários Cenário Internacional No mês de abril, o crescimento dos EUA se mostrou enfraquecido, com criação de empregos abaixo do esperado

Leia mais

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA

DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA GUIA PARA A ESCOLHA DO PERFIL DE INVESTIMENTO DO PLANO DE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA Caro Participante: Preparamos para você um guia contendo conceitos básicos sobre investimentos, feito para ajudá-lo a escolher

Leia mais

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, 1º Trimestre de 2016 CARTA ECONÔMICA Nº 03/2016

Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, 1º Trimestre de 2016 CARTA ECONÔMICA Nº 03/2016 CARTA ECONÔMICA Nº 03/2016 Senhores Conselheiros, Gestores e Membros do Comitê de Investimentos, 1º Trimestre de 2016 1) PANORAMA POLÍTICO NO TRIMESTRE No início deste primeiro trimestre com a retomada

Leia mais

E-book de Fundos de Investimento

E-book de Fundos de Investimento E-book de Fundos de Investimento O QUE SÃO FUNDOS DE INVESTIMENTO? Fundo de investimento é uma aplicação financeira que funciona como se fosse um condomínio, onde as pessoas somam recursos para investir

Leia mais

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 4 de maio de 2015

Carteira Recomendada RENDA FIXA segunda-feira, 4 de maio de 2015 1. Alocação recomendada para Maio de 2015 Classe de Ativo Carteira Conservadora* Carteira Moderada* Carteira Agressiva* Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Curto Prazo Longo Prazo Pós-Fixado

Leia mais

Tesouro Direto. Brasília, Setembro de 2011

Tesouro Direto. Brasília, Setembro de 2011 Tesouro Direto Brasília, Setembro de 2011 Princípios da Gestão da Dívida Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Simulador do Tesouro Direto Perfil do Investidor

Leia mais

RECADASTRAMENTO SAINDO DA ZONA DE CONFORTO SAIBA COMO FOI NOSSA VISITA À FÁBRICA DA COCA-COLA BRASIL EDIÇÃO #003 ABR 2015

RECADASTRAMENTO SAINDO DA ZONA DE CONFORTO SAIBA COMO FOI NOSSA VISITA À FÁBRICA DA COCA-COLA BRASIL EDIÇÃO #003 ABR 2015 EDIÇÃO #003 ABR 2015 SAIBA COMO FOI NOSSA VISITA À FÁBRICA DA COCACOLA BRASIL Pág 4 TAMBÉM CONVERSAMOS COM JÓRIO VEIGA, DIRETOR DE OPERAÇÕES CPSLA Pág 6 SAINDO DA ZONA DE CONFORTO CONFORTO RECADASTRAMENTO

Leia mais

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das

Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou bastante no Brasil. Em 1998, 97% das INFORME-SE BNDES ÁREA PARA ASSUNTOS FISCAIS E DE EMPREGO AFE Nº 48 NOVEMBRO DE 2002 EDUCAÇÃO Desempenho educacional no Brasil: O que nos diz a PNAD-2001 Entre 1998 e 2001, a freqüência escolar aumentou

Leia mais

CLM Consultoria Atuarial Ltda.

CLM Consultoria Atuarial Ltda. 1 GOVERNO E FUNDOS DE PENSÃO O DESESTÍMULO À POUPANÇA PREVIDENCIÁRIA Eis que o Governo Lula convoca os fundos de pensão das estatais para se tornarem parceiros no desenvolvimento. A idéia de utilização

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

Principais destaques do período

Principais destaques do período Apresentação A Diretoria da Sabesprev apresenta a seus participantes o resultado de mais um exercício, marcado por uma gestão participativa, inserida nos preceitos da Governança Corporativa e com total

Leia mais

Ministério da Fazenda

Ministério da Fazenda Ministério da Fazenda Belo Horizonte, outubro de 2006 Visão Geral do Programa Vantagens do Tesouro Direto Entendendo o que altera o preço Calculadora do Tesouro Direto O que é Tesouro Direto? Em 07 de

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 15/2015 Data: 10/08/2015 Participantes Efetivos: Wagner de Jesus Soares Presidente, Mariana Machado de Azevedo Economista, Rosangela Pereira

Leia mais

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos

Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Termos e Condições para opção pelos Novos Perfis de Investimentos Conforme aprovado pelo Conselho Deliberativo em reunião realizada em 4 de abril de 2011 a São Bernardo implementará em 1º de julho de 2011

Leia mais

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios

15 Disponível. 1. Adições. 4 Recebível. (+) Contribuições. 398 Investimento. -1 Empréstimos e Financiamentos. 2. Destinações - - - (-) Benefícios Demonstração do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular Período: 015 e 0 zembro R$ Mil Demonstração da Mutação do Ativo Líquido por Plano Benefícios PBS Telemig Celular / Período: 015 e

Leia mais

12 perguntas. que você precisa fazer para o seu cliente.

12 perguntas. que você precisa fazer para o seu cliente. 12 perguntas que você precisa fazer para o seu cliente. Introdução Neste final de ano, a Icatu Seguros quer convidar a todos para uma reflexão sobre decisões aparentemente simples, mas que nem sempre são

Leia mais

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Julho de 2005 Risco Macroeconômico 2 Introdução: Risco Financeiro e Macroeconômico Um dos conceitos fundamentais na área financeira é o de risco, que normalmente

Leia mais

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA FAÇA A SUA ESCOLHA. VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTO VALIA VALIA FIX VALIA MIX 20 VALIA MIX 35 O melhor perfi l de investimento é o que mais se parece com você. FAÇA A SUA ESCOLHA. A Valia está disponibilizando três perfis

Leia mais

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS

CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS CARTILHA PERFIS DE INVESTIMENTOS OBJETIVO GERAL O PrevMais prevê para o Benefício de Renda Programada a possibilidade de que os participantes optem por perfis de investimento, em épocas préestabelecidas,

Leia mais

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Setembro de 2015

RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS. Setembro de 2015 RELATÓRIO DE INVESTIMENTOS Setembro de 2015 1 RESULTADOS DOS INVESTIMENTOS 1.1. Saldos Financeiros Saldos Segregados por Planos (em R$ mil) DATA CC FI DI/RF PGA FI IRFM1 FI IMAB5 SUBTOTAL CC FI DI/RF FI

Leia mais

Período São Bernardo SB Zero SB 20 SB 40 CDI. Janeiro 0,92% 1,05% -0,29% -1,71% 0,93% Fevereiro 0,81% 0,74% 1,93% 3,23% 0,82%

Período São Bernardo SB Zero SB 20 SB 40 CDI. Janeiro 0,92% 1,05% -0,29% -1,71% 0,93% Fevereiro 0,81% 0,74% 1,93% 3,23% 0,82% Rentabilidade da Renda Fixa em 2015 Desde o mês de junho deste ano as carteiras de investimentos financeiros que compõem os perfis de investimentos da São Bernardo têm sofrido forte flutuação de rentabilidade,não

Leia mais

Viver de renda hoje exige ser três vezes mais rico do que em 2003

Viver de renda hoje exige ser três vezes mais rico do que em 2003 Veículo: Uol Data: 24.10.13 Viver de renda hoje exige ser três vezes mais rico do que em 2003 Viver de renda é um sonho cada vez mais distante dos brasileiros. Para ficar sem trabalhar o resto da vida,

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Universidade Federal do Pará Curso de Ciências Contábeis Departamento de Contabilidade Análise Econômico-Financeira Gilvan Pereira Brito 0301007601 Belém-Pará 2007 1 Universidade Federal do Pará Curso

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO

RELATÓRIO MENSAL RENDA FIXA TESOURO DIRETO RENDA FIXA TESOURO DIRETO CARTEIRA RECOMENDADA A nossa carteira para este mês continua estruturada com base no cenário de queda da taxa de juros no curto prazo. Acreditamos, no entanto, que esse cenário

Leia mais

ATA DA 24 REUNIÃO ORDINÁRIA DO COMITÉ DE INVESTIMENTOS

ATA DA 24 REUNIÃO ORDINÁRIA DO COMITÉ DE INVESTIMENTOS www.lemeprev.com.br ATA DA 24 REUNIÃO ORDINÁRIA DO COMITÉ DE INVESTIMENTOS Aos trinta dias do mês de setembro do ano de dois mil e quatorze, reuniram na sala de reuniões da sede do LEMEPREV, situado à

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

Guia do Crédito Certo. Para entender e usar corretamente.

Guia do Crédito Certo. Para entender e usar corretamente. Guia do Crédito Certo Para entender e usar corretamente. Índice 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Conhecendo o crédito. 1 \ O que fazer para ter uma vida financeira saudável? 2 Para que serve o crédito? 5 O Crédito Certo

Leia mais

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos

Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Página 1 de 3 Aposentadoria 20/08/2012 05:55 Os fundos de pensão precisam de mais...fundos Os planos de previdência de empresas e bancos não têm conseguido cumprir suas metas, incompatíveis com um cenário

Leia mais

PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/2013 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis

PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/2013 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis PESQUISA DE JUROS ANEFAC ref a Novembro/201 Após seis elevações no ano, taxas de juros das operações de crédito ficam estáveis Com 4,27 no mes, Minas Gerais e Paraná registraram as maiores taxas de juros

Leia mais

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE

PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE PASSADO, PRESENTE E FUTURO DAS DIVISÕES DE BASE NO FUTEBOL DO BRASIL JANEIRO DE 2013 Temos lido e ouvido muitos comentários nos últimos dias sobre o processo de formação de Atletas no Brasil, emitidas

Leia mais

RENDIMENTO X META ATUARIAL BB PREVI RF IDKA 2 1.211.884,00 BB PREVD RF IRF-M 671.325,46

RENDIMENTO X META ATUARIAL BB PREVI RF IDKA 2 1.211.884,00 BB PREVD RF IRF-M 671.325,46 JANEIRO FEVEREIRO MARÇO ABRIL MAIO JUNHO JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO FAPS FUNDO DE APOSENTADORIA E PENSÃO DO SERVIDOR SALVADOR DO SUL SALVADOR DO SUL CNPJ 12.799.725/000170 DEMONSTRATIVO

Leia mais

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO

PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO AS 10 PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE TESOURO DIRETO 4ª EDIÇÃO Olá, Investidor. Esse projeto foi criado por Bruno Lacerda e Rafael Cabral para te ajudar a alcançar mais rapidamente seus objetivos financeiros.

Leia mais

BRASIL Julio Setiembre 2015

BRASIL Julio Setiembre 2015 Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julio Setiembre 2015 Prof. Dr. Rubens Sawaya Assistente: Eline Emanoeli PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

Performance da Renda Fixa em 2013

Performance da Renda Fixa em 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 Material produzido em junho de 2013 Performance da Renda Fixa em 2013 O que tem acontecido com os investimentos em renda fixa? Nos últimos meses temos visto o mercado

Leia mais

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT

Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios - Visão Celular CRT Demonstrações Financeiras Relatório Anual 04 Visão Prev Demonstração do Ativo Líquido por Plano de Benefícios Visão Celular CRT Período: 04 e 03 dezembro R$ Mil Descrição 04 03 Variação (%). Ativos.85.769

Leia mais

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II

MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II MUTUOPREV 2014 - RELATÓRIO ANUAL DO PLANO DE BENEFÍCIOS II A MUTUOPREV Entidade de Previdência Complementar - CNPJ nº 12.905.021/0001-35 e CNPB 2010.0045-74, aprovado pela portaria nº 763 de 27 de setembro

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Julho 2012 Perspectivas para os Certificados de Recebíveis Imobiliários diante da queda das Taxas Juros no Brasil Prof. Dr. Fernando Bontorim

Leia mais

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 Junho/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em junho, rentabilidade de 1,24%, o que representa 101,64%

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em geral as estatísticas sobre a economia brasileira nesse início de ano não têm sido animadoras

Leia mais

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1

ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 ANEFAC IMA Institute of Management Accountants 1 PESQUISA DE JUROS - MAIO As taxas de juros das operações de crédito ficaram estáveis em maio/2013. Vale destacar que em maio o Banco Central voltou a elevar

Leia mais

Lembramos que quanto mais transparentes forem as respostas, mais facilmente identificaremos seus objetivos de investimento.

Lembramos que quanto mais transparentes forem as respostas, mais facilmente identificaremos seus objetivos de investimento. São Paulo, de de 20 Nome: Perfil de Risco: Conta Cliente: Prezado Cliente, Atendendo as melhores práticas de mercado, apresentamos abaixo 13 questões, que nos permitirão compreender melhor o seu perfil

Leia mais

O impacto das emoções na nossa vida GET-PE

O impacto das emoções na nossa vida GET-PE O impacto das emoções na nossa vida financeira e em nossos investimentos. financeira e em nossos investimentos. GET-PE GET-PE Grupo de Estudo e Trabalho em Psicologia Econômica www.getpe.com.br BEM-VINDOS!

Leia mais

Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013

Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013 Entenda a tributação dos fundos de previdência privada O Pequeno Investidor 04/11/2013 Antes de decidir aplicar seu dinheiro em fundos de previdência privada, é preciso entender que é uma aplicação que

Leia mais

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014

POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 POUPREV FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL RESUMO DO RELATÓRIO ANUAL DE INFORMAÇÕES DE 2014 O presente resumo do Relatório Anual de Informações de 2014 trata das atividades desenvolvidas pela POUPREV, no referido

Leia mais

Dicas para investir em Imóveis

Dicas para investir em Imóveis Dicas para investir em Imóveis Aqui exploraremos dicas de como investir quando investir e porque investir em imóveis. Hoje estamos vivendo numa crise política, alta taxa de desemprego, dólar nas alturas,

Leia mais

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15)

CADERNO APOS Nº 1. PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) CADERNO APOS Nº 1 PROCEDIMENTOS PARA ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO DE SEU PLANO DA SISTEL Edição 2 (abril/15) 1 1 Introdução... 3 2 Quadro Balancete Sintético (superávit ou déficit do plano) mensal... 3

Leia mais

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado.

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado. Carlos Macedo, Goldman Sachs: Bom dia. Obrigado pela oportunidade. Duas perguntas, a primeira se refere à sinistralidade em seguro de saúde. Na página sete do release, vocês falam de uma despesa extraordinária

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro I Curso Planejamento e Educação Financeira Uma parceria Órama e Dinheirama. Planejamento Financeiro Por Sandra Blanco Consultora de Investimentos da Órama, mais de anos de mercado,

Leia mais

E-book. Entenda o que são Fundos Imobiliários

E-book. Entenda o que são Fundos Imobiliários E-book Entenda o que são Fundos Imobiliários O MERCADO IMOBILIÁRIO Muito tem se falado sobre a valorização do mercado imobiliário nesses últimos anos, com cada vez mais pessoas querendo adquirir imóveis

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2010 Subordinada à Resolução CMN nº 3.792 de 24/09/09 1- INTRODUÇÃO Esta política tem como objetivo estabelecer as diretrizes a serem observadas na aplicação dos recursos

Leia mais

JANEIRO de 2013. www.atuarialconsultoria.com.br

JANEIRO de 2013. www.atuarialconsultoria.com.br JANEIRO de 2013 1 ÍNDICE 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 05 PÁG 2. INFORMAÇÕES CONTRATUAIS FUNDOS DE INVESTIMENTO 06 2.1. Fundos de Investimento do Banco do Brasil 06 2.1.1. BB Previdenciário Renda Fixa IMA

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269.

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269. Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter

Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Escolha o seu e comece a construir o futuro que você quer ter Valia Fix, Valia Mix 20, Valia Mix 35 e Valia Ativo Mix 40 Quatro perfis de investimento. Um futuro cheio de escolhas. Para que seu plano de

Leia mais

Pra que serve a Matemática Financeira? AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS MATEMÁTICA FINANCEIRA 20/01/2016. Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc

Pra que serve a Matemática Financeira? AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS MATEMÁTICA FINANCEIRA 20/01/2016. Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc MATEMÁTICA FINANCEIRA Danillo Tourinho Sancho da Silva, MSc Pra que serve a Matemática Financeira? 1 NOÇÕES GERAIS SOBRE A MATEMÁTICA

Leia mais

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar

Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil. Taxa de câmbio volta a superar 2,30 reais por dólar Espaço para expansão fiscal e PIB um pouco melhor no Brasil Publicamos nesta semana nossa revisão mensal de cenários (acesse aqui). No Brasil, entendemos que o espaço para expansão adicional da política

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 20/2013

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 20/2013 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 20/2013 Data: 27/11/2013. Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA

FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FUNDO FUNDO DE INVESTIMENTO FATOR MAX CORPORATIVO DE RENDA FIXA CNPJ: 00.828.035/0001-13 Informações referentes a Novembro/2015 Esta lâmina contém um resumo das

Leia mais

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013

Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 Banco ABC Brasil Relações com Investidores Transcrição da Teleconferência de Resultados do 1T13 03 de maio de 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS DO 1º TRIMESTRE DE 2013 Bom dia a todos e obrigado por participarem

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos ESTUDO DE VIABILIDADE Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício

Leia mais

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados

Índice fipezap de preços de imóveis anunciados Preço médio de locação teve queda nominal de 3,34% em 2015 No mesmo período a inflação foi de 10,67%. Dessa maneira o preço médio de locação caiu 12,66% em termos reais no ano passado O Índice FipeZap

Leia mais