Subsecretaria de Economia Verde. Subsecretaria de Economia

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Subsecretaria de Economia Verde. Subsecretaria de Economia"

Transcrição

1 Subsecretaria de Economia Verde

2 Atual Conjuntura O Estado do Rio de Janeiro apresenta forte crescimento econômico, porém agora é o momento de posicioná-lo como uma liderança dentro uma inoxorável tendência: A Economia Verde Enquanto o Brasil possui desafios ambientais típicos de países tropicais, como desmatamento e esgotamento de recursos naturais, o Rio possui desafios focados em seu próprio desenvolvimento econômico. Uma alternativa para o Rio é um realinhamento de seu modelo de crescimento, dentro do paradigma da Economia Verde

3 Atual Conjuntura Possuímos uma oportunidade única: Rio + 20 Temos a chance de apresentar novas soluções criativas e positivas para um novo paradigma de crescimento econômico. A Rio + 20 produzirá um documento focado na questão da Economia Verde e na Erradicação da Pobreza. Os diferentes atores que atuarão são: Estado do RJ: Apresentaremos caminhos para uma economia verde

4 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ A Estratégia da Subsecretaria de Economia Verde tem as seguintes linhas de atuação: Incentivar o Crescimento econômico focado no aumento do PIB verde Geração de empregos verdes Promoção de uma economia de baixo carbono através de compensação, redução das emissões e uso eficiente de recursos naturais Redução de pobreza através do aumento de renda e criação de empregos.

5 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Dentre as principais ferramentas a serem utilizadas estão: Uso de mecanismos de mercado para solução de problemas ambientais: Mercado de carbono, etc Uso de incentivos fiscais Legislações focadas em modificar padrões de produção e consumo Parcerias e cooperações entre diferentes órgãos de governo, setor privado e terceiro setor

6 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ A nossa proposta é trabalhar em dois lados da solução: Criação de novos padrões de consumo, através de leis e decretos, consolidando a demanda por novos produtos, soluções e tecnologias. Criação de um arcabouço legal e tributário que crie incentivos para o fomento de novas indústrias no estado do Rio de Janeiro, aumentando a renda do Estado e gerando empregos.

7 Exemplo Projeto Asfalto Borracha: Projeto para implementação de indústrias de asfalto borracha no Estado do Rio de Janeiro Uso compulsório de AB em obras do Estado. Ciclo completo do Asfalto Borracha: Projeto de Seringueiras no Noroeste Fluminense Recolhimento de pneus e fabricação do pó borracha Aplicação do pó borracha em obras em todo o Estado Participação da SEA, Michelin, Secretaria da Agricultura, Banco do Brasil e outros.

8 Objetivos Desenvolvimento de uma estrutura do governança da economia verde no estado do Rio de Janeiro. Dentro disso são fundamentais: Desenvolvimento do arcabouço legal para sustentar a estratégia de longo prazo de Economia Verde do Estado Elaboração do Plano Estadual de Economia Verde, a ser aprovado durante a Rio + 20

9 Mudanças Climáticas Regulamentação do Decreto: O Estado determinará uma meta relativa à intensidade de emissões de sua economia, ou seja, tco2/pib. Isso vai ao encontro da criação de uma Economia Verde, onde o desenvolvimento não está atrelado ao aumento relativo de emissões de gases de efeito estufa. Segue tendências globais Diferentes áreas terão metas, como transporte público e eficiência energética

10 Exemplos de redução de Intensidade de Carbono na Economia China SA USA India Brazil EU Fonte: Energy Information Administration, US Department of Energy (data for a few countries from EU unavailable before 1993)

11 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Os principais setores a serem abordados são: Energias Renováveis Finanças Agricultura Água Turismo Resíduos Construção Sustentável

12 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Energias Renováveis Como fomentar a inovação dentro do setor de energias renováveis Como fomentar a demanda para novas fontes renováveis, em especial energia Solar Como fomentar de eficiência energética nos setores público e privado

13 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Finanças Uso de screening com variáveis de economia verde no processo de decisão de investimentos e concessão de crédito Engajamento dos setores financeiros nacional e internacional no financiamento de economia verde Preparação de um quadro regulatório para facilitar o fluxo de investimentos em uma economia verde

14 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Agricultura Fomentar e desenvolver projetos de agricultura urbana em todo o estado do Rio de Janeiro, com foco em promoção de segurança alimentar Promoção de incentivos ao pequeno agricultor, com a criação de uma infraestrutura de redução de custos e aproximação de agricultores aos seus mercados finais.

15 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Água Projetos de infraestrutura para ampliar o acesso à água potável e saneamento, com foco em regiões de baixa renda Interação do tema com questões de construção, agricultura e turismo. As sinergias entre estas áreas são grandes e devem ser exploradas desde o início do planejamento

16 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Turismo Engajamento do setor de hotelaria em programas e ações em prol do desenvolvimento da economia e turismo verde Engajamento de comunidades locais para o desenvolvimento de eco-turismo dentro de uma economia formal

17 Principais Estratégias para a Transição para uma Economia Verde no ERJ Construção Sustentável Uso de materiais de construção sustentáveis em habitações populares pontos Uso de materiais de construção sustentáveis em infraestrutura pública pontos Promoção de uma maior interação entre o aproveitamento de resíduos e o setor de construção sustentável, desde a reciclagem de entulhos ao uso de materiais de construção reciclados.

18 Projeto Desenvolvimento de indicadores específicos para uma economia verde: Primeiro passo para a gestão de recursos naturais é identificar a situação natural. Criação indicadores que contabilizam aspectos ambientais de maneira mais holística: PIB Verde Empregos Verdes PIB de Baixo Carbono Valoração de Recursos Naturais

19 Projeto O Projeto Rio Cidade Sustentável possui dois aspectos principais: Criação de infraestrutura mais eficiente em comunidades, focando no aumento da melhoria de vida. Piloto: Chapéu Mangueira-Babilônia: Pavimentação com asfalto borracha Eletricidade de alta eficiência Telhados verdes e agricultura urbana Horto para reflorestamento e produção de mudas Tubulações de captura de chuva e caixas d água Outras melhorias na comunidade

20 Projeto Contribuição para o desenvolvimento sustentável da comunidade local: Centro de treinamento e capacitação profissional Eletricistas Encanadores Outros Parceria com a secretaria de Habitação da cidade do Rio e o Conselho Empresarial Brasileiro de Desenvolvimento Sustentável

21 Soluções Criação do Polo Rio de Inovações Tecnológicas Limpas: Parceria para a criação de um polo de tecnologias e inovação focado em baixo carbono e uso eficiente de recursos. Primeiro projeto na área de energias renováveis, estudo de um núcleo solar. Outros setores: biocombustíveis e construção sustentável Desenvolvimento de parcerias entre os setores público, privado e acadêmico nacionais e internacionais.

22 Soluções Finanças: Estudar e estruturar a implementação de uma Bolsa Ambiental no Estado do Rio de Janeiro, unindo iniciativas de revitalização da Bolsa com iniciativas de Economia Verde Primeiro estudo será sobre o Mercado de Carbono. Outros estudos: Negociação de Ativos Ambientais Negociação de Green Bonds

23 Soluções Parcerias nacionais e internacionais: WRI BNDES GIZ CDC Climat Focos em desenvolvimento tecnológico, mercados de carbono e acompanhamento do desenvolvimento de políticas públicas

Desenvolvimento Sustentável na prática

Desenvolvimento Sustentável na prática Desenvolvimento Sustentável na prática 1 Iniciativa do CEBDS (Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável), Empresas participantes Comunidades Chapéu Mangueira e Babilônia Parceria estratégica

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO BRASIL:

MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO BRASIL: III ENCONTRO LATINO AMERICANO E CARIBENHO SOBRE MUDANÇAS AS CLIMÁTICAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS NO BRASIL: Participação dos Estados Eugênio Cunha São Paulo 14 de março de 2008 SUMÁRIO PARTE I NÍVEL INSTITUCIONAL

Leia mais

Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental

Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental Seminário de Boa Governação das Energias Renováveis Energias Renováveis (ER) Sustentabilidade Económica e Ambiental Madival Alva das Neves Meteorologista (Direção Geral do Ambiente) São Tomé, 30 de junho,

Leia mais

Representa o Brasil na rede do World Business Council for Sustainable Development.

Representa o Brasil na rede do World Business Council for Sustainable Development. Associação civil, sem fins lucrativos que lidera os esforços do setor empresarial para a implementação do desenvolvimento sustentável no Brasil, com efetiva articulação junto aos governos, empresas e sociedade

Leia mais

Projetos acadêmicos Economia verde

Projetos acadêmicos Economia verde Projetos acadêmicos Economia verde Entre os dias 20 e 22 de junho deste ano o Brasil sediará a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (UNCSD), chamada de Rio+20, pois vai acontecer

Leia mais

1. Contexto atual (crise econômica)

1. Contexto atual (crise econômica) 1. Contexto atual (crise econômica) Crescimento demográfico maior demanda por serviços do Estado; Restrições orçamentárias. As políticas ambientais tendem a ficar em segundo plano. Como manter uma gestão

Leia mais

Anexo I CATEGORIA I: ACESSIBILIDADE CATEGORIA II: CULTURA CATEGORIA III: EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO. Acessibilidade. Acesso à cultura

Anexo I CATEGORIA I: ACESSIBILIDADE CATEGORIA II: CULTURA CATEGORIA III: EDUCAÇÃO DESCRIÇÃO. Acessibilidade. Acesso à cultura Anexo I CATEGORIA I: ACESSIBILIDADE Acessibilidade Projetos para implementação de políticas públicas e interdisciplinares adequados à inclusão social, para que mais pessoas possam usufruir dos direitos

Leia mais

Documento de Apoio da Declaração de Gaborone para Sustentabilidade na África

Documento de Apoio da Declaração de Gaborone para Sustentabilidade na África Documento de Apoio da Declaração de Gaborone para Sustentabilidade na África O documento de apoio da Declaração de Gaborone para a sustentabilidade na África é um paradigma transformador na busca pelo

Leia mais

Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável FBDS

Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável FBDS Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável FBDS F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L FBDS Um Diferencial na Abordagem do Desenvolvimento

Leia mais

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita

olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Indução de reflorestamento no Rio de Janeiro: Das compensações ambientais ao desafio olímpico das 24 milhões de árvores Beto Mesquita Seminário Reflorestamento da Mata Atlântica no Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC

PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC 14 de Maio de 2009 Politica Nacional sobre Mudança do Clima Plano Nacional Mudança do Clima Fundo de Mudança Climática (funded by a share of oil royalties)? Fundo

Leia mais

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional.

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional. ENQUADRAMENTO Portugal plataforma intercontinental e polo de inovação Portugal tem de conseguir capitalizar nos negócios, na academia e nas instituições a enorme vantagem que é integrar o espaço lusófono.

Leia mais

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO. Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management) PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE MATAS CILIARES NO ESTADO DE SÃO PAULO Proposta para obtenção de recursos do GEF (doação sem encargos de US$7,05 milhões) Programa Operacional do GEF: OP#15 (sustainable land management)

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO

DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO DIRETRIZES GERAIS PARA UM PLANO DE GOVERNO Ações de Inclusão Social e de Combate à Pobreza Modelo Próprio de Desenvolvimento Infra-estrutura para o Desenvolvimento Descentralizado Transparência na Gestão

Leia mais

GT de Economia Criativa

GT de Economia Criativa GT de Economia Criativa Santa Maria, 02 de outubro de 2012 Pauta da reunião 1) Ações após a 1ª reunião do GT 2) Apresentação do Projeto de Mapeamento Georreferenciado da Economia Criativa 3) Apresentação

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável das Cidades

Desenvolvimento Sustentável das Cidades Sustentabilidade: Os Desafios do Desenvolvimento Desenvolvimento Sustentável das Cidades Valor Econômico São Paulo 22 de setembro de 2011 Florence Karine Laloë Florence.laloe@iclei.org Diretora Regional

Leia mais

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz:

Não é tarde demais para combater as mudanças climáticas O sumário do IPCC diz: Sumário dos resultados-chave do Quarto Relatório de Avaliação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, Grupo de Trabalho III de Mitigação de Mudanças Climáticas Bangkok, Maio de 2007 Não é

Leia mais

Desafios do Século XXI

Desafios do Século XXI Desafios do Século XXI Sustentabilidade População Água Comida Energia Saúde Ambiente Terrorismo/Conflitos Mudanças climáticas Biodiversidade Fonte: Sir David King, Chief Scientific Adviser to UK Government,

Leia mais

Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS

Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS AGENDA 1. CONTEXTO ESPECÍFICO E CONTEXTO HISTÓRICO a) Contexto Específico b) Contexto Histórico no Mundo c) Contexto Histórico no Brasil 2. PRODUÇÃO

Leia mais

Economia de Floresta em Pé

Economia de Floresta em Pé Seminário Perspectivas Florestais para Conservação da Amazônia Economia de Floresta em Pé 12/Julho/2011 Porto Velho, Rondônia AGENDA MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO CARBONO DE FLORESTA REDD NA PRÁTICA

Leia mais

Política de mudanças climáticas. Versão resumida

Política de mudanças climáticas. Versão resumida Política de mudanças climáticas Versão resumida 29/06/2015 objetivo A política de Mudanças Climáticas da Oi visa estabelecer o direcionamento estratégico e orientar as decisões relativas à temática da

Leia mais

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO

PROGRAMAS E PROJETOS PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO º PROGRAMAS E S PARA O DESENVOLVIMENTO DO ECOTURISMO NO PÓLO DO CANTÃO Programa de utilização sustentável dos atrativos turísticos naturais Implementação do Plano de Manejo do Parque do Cantão Garantir

Leia mais

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil

Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Marco Legal para Negócios Sustentáveis no Brasil Vinicius Diniz Vizzotto, LL.M Mestrando em Direito Internacional Econômico Universidade Federal do Rio Grande do Sul Fórum Fundo Vale 08 de maio de 2012

Leia mais

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008

SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE. A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável. São Paulo, 04 de junho de 2008 SEMANA FIESP CIESP DE MEIO AMBIENTE A Política de Desenvolvimento Produtivo e a Produção Sustentável São Paulo, 04 de junho de 2008 SUSTENTABILIDADE X DEMANDAS DO CRESCIMENTO ECONÔMICO 2 Matriz Energética

Leia mais

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste

5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste MACUCO SÃO SEBASTIÃO DO ALTO FRIBURGO CACHOEIRAS DE MACACU SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS BARRA MANSA RIO CLARO BARRA DO PIRAÍ VALENÇA 5º Congresso Fluminense de

Leia mais

Rio+20: Uma oportunidade para acelerar a transição para a economia verde e tirar milhões de pessoas da pobreza

Rio+20: Uma oportunidade para acelerar a transição para a economia verde e tirar milhões de pessoas da pobreza Comunicado de imprensa Rio+20: Uma oportunidade para acelerar a transição para a economia verde e tirar milhões de pessoas da pobreza O novo relatório apresenta políticas-chave e constrói os alicerces

Leia mais

Proposta de redação - texto dissertativo-argumentativo: sustentabilidade

Proposta de redação - texto dissertativo-argumentativo: sustentabilidade Proposta de redação - texto dissertativo-argumentativo: sustentabilidade Produção de texto Gênero: dissertativo-argumentativo (gênero escolar) Procedimentos: LEIA todos os textos a seguir, e, posteriormente,

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIRECÇÃO NACIONAL DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS PLANO ESTRATÉGICO DAS TECNOLOGIAS AMBIENTAIS 2012-2017

REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIRECÇÃO NACIONAL DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS PLANO ESTRATÉGICO DAS TECNOLOGIAS AMBIENTAIS 2012-2017 REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DO AMBIENTE DIRECÇÃO NACIONAL DE TECNOLOGIAS AMBIENTAIS PLANO ESTRATÉGICO DAS TECNOLOGIAS AMBIENTAIS 2012-2017 SUMÁRIO INTRODUÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DAS TECNOLOGIAS AMBIENTAIS

Leia mais

Termo de Cooperação. MTur / UFSC. Conselho Nacional do Turismo 09 de junho de 2014

Termo de Cooperação. MTur / UFSC. Conselho Nacional do Turismo 09 de junho de 2014 Termo de Cooperação MTur / UFSC Conselho Nacional do Turismo 09 de junho de 2014 Agenda INTRODUÇÃO ARCABOUÇOS E DIRETRIZES DINÂMICA DE SISTEMAS NO TURISMO ANÁLISE DO MARCO LEGAL CONSIDERAÇÕES FINAIS Introdução

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 433/2015 CAPÍTULO I DOS CONCEITOS

PROJETO DE LEI Nº 433/2015 CAPÍTULO I DOS CONCEITOS PROJETO DE LEI Nº 433/2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. CAPÍTULO I DOS CONCEITOS Art. 1º Esta Lei institui a Política Municipal de estímulo à Produção

Leia mais

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE UMA POLÍTICA DE INTENSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL EM PORTUGAL E POTENCIAÇÃO DOS SEUS RESULTADOS 0. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE

CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE CARTA EMPRESARIAL PELA CONSERVAÇÃO E USO SUSTENTÁVEL DA BIODIVERSIDADE A Organização das Nações Unidas declarou 2010 como o Ano Internacional da Biodiversidade, com o objetivo de trazer ao debate público

Leia mais

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal

A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional. Fundação ArcelorMittal A gestão da prática do voluntariado como responsabilidade social, no contexto da estratégia organizacional Fundação ArcelorMittal ArcelorMittal Maior produtora de aço do mundo com mais de 222.000 empregados

Leia mais

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III da Resolução n o 1 da CIMGC Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução A atividade de projeto do Projeto de MDL Santa Carolina (denominado Projeto Santa

Leia mais

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 216, DE 2015

PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 216, DE 2015 PROJETO DE DECRETO LEGISLATIVO Nº 216, DE 2015 (nº 1.360/2013, na Câmara dos Deputados) Aprova o texto do Memorando de Entendimento entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República

Leia mais

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D.

Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Título Economia de baixo carbono, desafios e oportunidades para o setor elétrico Veículo Canal Energia Data 16 dezembro 2015 Autor Claudio J. D. Sales Estiveram reunidos nas duas últimas semanas em Paris,

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras 2010 Declaração Nós, das Empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável nas Terras

Desenvolvimento Sustentável nas Terras Seminário Internacional Promovendo o Desenvolvimento Sustentável nas Terras Secas Africanas 2/11/2011 1 Desenvolvimento Sustentável Individuais Autonomia Atendimento das necessidades sociais da gerações

Leia mais

PRESSIONANDO AS EMPRESAS QUANDO AS EMPRESAS PRESSIONAM TRANSFORMANDO AS EMPRESAS CONCLUSÃO: O QUE MUDA COM A RIO+20?

PRESSIONANDO AS EMPRESAS QUANDO AS EMPRESAS PRESSIONAM TRANSFORMANDO AS EMPRESAS CONCLUSÃO: O QUE MUDA COM A RIO+20? RIO+20, EMPRESAS e ONGs PRESSIONANDO AS EMPRESAS SEDUZINDO AS EMPRESAS QUANDO AS EMPRESAS PRESSIONAM TRANSFORMANDO AS EMPRESAS CONCLUSÃO: O QUE MUDA COM A RIO+20? ECONOMIA VERDE Setor Privado: 70% da economia

Leia mais

Políticas de Turismo

Políticas de Turismo Políticas de Turismo Política O termo política é comumente usado para indicar a atividade ou conjunto de atividades, que, de alguma maneira, têm como termo de referência a polis, ou seja, o Estado. (Dias,2003)

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DA OFICINA DA INOVAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 10 ÍNDICE DO PORTFOLIO Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 3 Consultoria...

Leia mais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais

Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Portugal 2020 Lançados Programas Operacionais Novos PO detêm um valor global de quase 12,2 mil M de financiamento comunitário Alerta de Cliente Dezembro de 2014 Temas/Assuntos: Numa cerimónia realizada

Leia mais

é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em

é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em Módulo: Responsabilidade Socioambiental Educador: Flavio Furtado. O que é compostagem? é o processo biológico de decomposição e de reciclagem da matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal

Leia mais

WORKSHOP FOMENTO A ECONOMIA DE BAIXO CARBONO E CRESCIMENTO VERDE NA INDÚSTRIA NACIONAL

WORKSHOP FOMENTO A ECONOMIA DE BAIXO CARBONO E CRESCIMENTO VERDE NA INDÚSTRIA NACIONAL WORKSHOP FOMENTO A ECONOMIA DE BAIXO CARBONO E CRESCIMENTO VERDE NA INDÚSTRIA NACIONAL Experiência Internacional em Mudança do Clima no Setor Industrial Vicente Manzione Filho Gestão Origami Soluções para

Leia mais

Inteligência Tecnológica

Inteligência Tecnológica Cenários Tecnológicos Vale Inteligência Tecnológica Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual Diretoria de Tecnologia e Inovação 2014 Agenda Quem somos? Gestão de Tecnologia e Propriedade Intelectual

Leia mais

Públicas para Energias Renováveis

Públicas para Energias Renováveis OO Papel do FórumF Baiano de Mudanças as Climáticas na Formulação de Políticas Públicas para Energias Renováveis veis Andréa a Souza Coordenadora Fórum Baiano de MCGB SEMINÁRIO CIDADES SOLARES SALVADOR

Leia mais

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a Objetivo Planejamento do CBN 2008 Propor a Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas Antecedentes Normas nacionais devem ser: necessárias e demandadas utilizadas acordadas o mais

Leia mais

É o nosso principal atributo para fazer com que os desafios tornem-se conquistas.

É o nosso principal atributo para fazer com que os desafios tornem-se conquistas. TRANSPARÊNCIA É o nosso principal atributo para fazer com que os desafios tornem-se conquistas. TRANSPARÊNCIA 13 03 Visão Setorial Na cadeia produtiva da construção civil, cimento e concreto estão entre

Leia mais

Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores ANPROTEC

Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores ANPROTEC Associação Nacional das Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores Atua no segmento do empreendedorismo inovador, por meio do apoio a entidades promotoras de inovação e pela capacitação de empreendedores

Leia mais

Sustentabilidade faz parte do Negócio. Nasser Takieddine

Sustentabilidade faz parte do Negócio. Nasser Takieddine Sustentabilidade faz parte do Negócio Nasser Takieddine O CONCEITO Desenvolvimento sustentável é aquele que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade de as futuras gerações satisfazerem

Leia mais

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial

Trilha 4 Como estimular conteúdos e plataformas nacionais na rede mundial Coordenador da Trilha Lisandro Zambenedetti Granville (CGI.br, UFRGS) Oradores iniciais indicados pelo setores do CGI.br: 3º Setor Nelson Pretto (UFBA) Academia Regina Melo Silveira (LARC-USP) e Guido

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES UNIDADE MÉIER

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES UNIDADE MÉIER UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES UNIDADE MÉIER ÉTICA AMBIENTAL DISCIPLINA: PODER, LIDERANÇA E ÉTICA. PROF ª: MICHELI GARGALHONE ALUNOS: FERNANDA KNOPP LEAL JULIANA CARVALHO SANTOS LUANA ROCHA DE BIASE MARCELINE

Leia mais

Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração. Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM

Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração. Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM Suporte Financeiro a projetos de Geração Distribuída e Auto Geração Alvaro Silveira Atla Consultoria Administrador Oficial IDB EEGM Desde 1959 A principal fonte de financiamento para o desenvolvimento

Leia mais

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009 Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades Brasília, 20 de Agosto 2009 Nossa Crença Porque Construção Civil Obra Sustentável O que aprendemos? Nossa Crença Nossa Crença Um país

Leia mais

Propostas para implementação do plano indústria de baixo carbono EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA INDÚSTRIA

Propostas para implementação do plano indústria de baixo carbono EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA INDÚSTRIA O I ÁR M U S Propostas para implementação do plano indústria de baixo carbono EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA INDÚSTRIA CENTRO DE ESTUDOS EM SUSTENTABILIDADE DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS (GVces / FGV-EAESP) Novembro

Leia mais

AGENDA. Da Globalização à formulação de uma estratégia de Crescimento e Emprego para a União Europeia.

AGENDA. Da Globalização à formulação de uma estratégia de Crescimento e Emprego para a União Europeia. PORTUGAL A INOVAR O Desafio do Desenvolvimento Regional AGENDA Da Globalização à formulação de uma estratégia de Crescimento e Emprego para a União Europeia. Objectivos Plano Tecnológico, a resposta portuguesa

Leia mais

Mudanças Climáticas e Economia. Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE

Mudanças Climáticas e Economia. Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE Mudanças Climáticas e Economia Secretaria de Acompanhamento Econômico SEAE Junho de 2009 Aquecimento global como falha de mercado O clima tem forte relação com a atividade econômica: Interação mais conhecida

Leia mais

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE. Tadeu Malheiros

Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE. Tadeu Malheiros Universidade de São Paulo Escola de Engenharia de São Carlos INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE Tadeu Malheiros 2011 Lentes da sustentabilidade integração síntese enfoque de colaboração na resolução de problemas

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 54/2014. Autor: Vereador Paulo César Queiroz. A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova:

PROJETO DE LEI Nº 54/2014. Autor: Vereador Paulo César Queiroz. A Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, Estado do Paraná, Aprova: PROJETO DE LEI Nº 54/2014 Dispõe sobre o Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat PBQP-H - no Município de Foz do Iguaçu e dá outras providências. Autor: Vereador Paulo César Queiroz

Leia mais

10/12/2013 Paulo Safady Simão - CBIC

10/12/2013 Paulo Safady Simão - CBIC 10/12/2013 Paulo Safady Simão - CBIC OBJETIVOS Definir diretrizes, prioridades e práticas que façam da Construção Sustentável uma realidade no Brasil. Estabelecer comunicação aberta e transparente com

Leia mais

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas

Países em que a organização opera e em que suas principais operações estão localizadas ÍNDICE REMISSIVO GRI GRI G434 Opção de acordo Essencial CONTEÚDOS PADRÃO GERAIS Indicador e Descrição Onde encontrar / Resposta ESTRATÉGIA E ANÁLISE G41 Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente PERFIL

Leia mais

Percepção de 100 executivos sobre o impacto das mudanças climáticas e práticas de sustentabilidade nos negócios

Percepção de 100 executivos sobre o impacto das mudanças climáticas e práticas de sustentabilidade nos negócios Percepção de 100 executivos sobre o impacto das mudanças climáticas e práticas de sustentabilidade nos negócios 2 OBJETIVO Levantar informações e mapear percepções sobre questões relacionadas às Mudanças

Leia mais

programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais

programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais programa fapesp de pesquisa sobre mudanças climáticas globais O funcionamento do nosso planeta depende da integração de diferentes compartimentos:

Leia mais

Oficina de Turismo de Base Comunitária. Ivan Bursztyn e Eloise Botelho

Oficina de Turismo de Base Comunitária. Ivan Bursztyn e Eloise Botelho Oficina de Turismo de Base Comunitária Ivan Bursztyn e Eloise Botelho As origens do turismo Os deslocamentos humanos constituem uma característica da humanidade. Grécia antiga: religião, esporte ou conhecimento;

Leia mais

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Fundação Getulio Vargas, Abril de 2011 REGIÃO PODE TER LEGADO COMPATÍVEL COM DESENVOLVIMENTO INOVADOR E SUSTENTÁVEL Deixar um legado

Leia mais

Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis: Promovendo a Sustentabilidade e a Saúde Ambiental

Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis: Promovendo a Sustentabilidade e a Saúde Ambiental SEMINÁRIO SAÚDE SEM MERCÚRIO Abril de 2013 Rede Global Hospitais Verdes e Saudáveis: Promovendo a Sustentabilidade e a Saúde Ambiental Vital Ribeiro Projeto Hospitais Saudáveis / Healthcare Without Harm

Leia mais

Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais

Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais Seminário FIESP A competitividade industrial chinesa no século XXI Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais Prof. Moacir de Miranda Oliveira Junior mirandaoliveira@usp.br São Paulo, 04 de setembro

Leia mais

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar PROGRAMA DE GOVERNO PAULO ALEXANDRE BARBOSA Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar O programa de governo do candidato Paulo Alexandre Barbosa está baeado em três palavras-conceito: cuidar, inovar

Leia mais

Indústria Audiovisual Como investir? 28/05/2013

Indústria Audiovisual Como investir? 28/05/2013 Indústria Audiovisual Como investir? 28/05/2013 Porque Investir? 20,3 x 4,9 x R$ 540 Milhões 8.340 Postos de Trabalho R$ 26.5 Milhões R$ 113 Milhões 32 filmes investidos e lançados pela RioFilme entre

Leia mais

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II

Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional. Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional Nova Política Nacional de Desenvolvimento Regional PNDR II Profundas desigualdades sociais e regionais e grande diversidade Área N: 45,3% CO: 18,8% NE:

Leia mais

egime de Mudanças Climáticas e o Acordo d Paris/2015: desafios para o Brasil

egime de Mudanças Climáticas e o Acordo d Paris/2015: desafios para o Brasil egime de Mudanças Climáticas e o Acordo d Paris/2015: desafios para o Brasil Rômulo Paes Diretor Seminário Internacional sobre Regimes Ambientais e Mudanças Climáticas Belo Horizonte, 24 de maio de 2016

Leia mais

O IX Encontro Nacional da ECOECO será constituído por:

O IX Encontro Nacional da ECOECO será constituído por: 1 A Sociedade Brasileira de Economia Ecológica (ECOECO) tem a satisfação de apresentar a chamada de trabalhos para o IX Encontro Nacional que acontecerá em Brasília, Distrito Federal, no campus Darcy Ribeiro

Leia mais

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis 4 e 5 de junho de 2007 World Trade Center São Paulo, Brasil SÃO PAULO ETHANOL SUMMIT Novas Fronteiras do Etanol: Desafios da Energia no Século 21 Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis Arnaldo Walter

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de São Paulo Subsecretaria de Empreendedorismo e da micro e pequena empresa Ciência, Tecnologia e Inovação Desenvolvimento

Leia mais

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com

Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com Me. GIOVANA F. PUJOL giopujol@windowslive.com BRASIL - TERRITÓRIO, POPULAÇÃO E ECONOMIA: COMBINAÇÃO VITORIOSA Indonésia Área População > 4 milhões km 2 > 100 milhões Nigéria Canadá Rússia EUA Brasil China

Leia mais

PARÁ Fomento à exploração mineral

PARÁ Fomento à exploração mineral PARÁ Fomento à exploração mineral Ouro Preto, Maio de 2016 2 O ESTADO DO PARÁ Brasil Região Amazônica Estado do Pará Regiões de Integração Informações PARÁ Part (%) no Brasil Área (1.000 km 2 ) 1.248 15%

Leia mais

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013 CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS Junho 2013 PROPÓSITO Aqui apresentamos o caminho para as empresas adotarem uma estratégia em adaptação às mudanças climáticas,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

GOVERNO. Orçamento Cidadão 2015

GOVERNO. Orçamento Cidadão 2015 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE GOVERNO Orçamento Cidadão 2015 Os recursos públicos do Estado são recursos públicos do povo e para o povo, condição que dá ao cidadão o direito de saber como

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 7 8 9 10 11 12. Estudo da Capacidade de Carga de Recursos Turisticos Naturais do Pólo

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 7 8 9 10 11 12. Estudo da Capacidade de Carga de Recursos Turisticos Naturais do Pólo CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 1.000.000,00 300.000,00 1.000.000,00 3.000.000,00 2.000.000,00 400.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência? 1.2 1.3 Escala da

Leia mais

Gestão Ambiental PADRÃO DE RESPOSTA

Gestão Ambiental PADRÃO DE RESPOSTA Gestão Ambiental PADRÃO DE RESPOSTA Em termos de atendimento à proposta, espera-se que o estudante estabeleça relação entre a qualidade do serviço de esgotamento sanitário e de tratamento da água para

Leia mais

Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. São Paulo, 1º de dezembro de 2011

Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras. São Paulo, 1º de dezembro de 2011 Workshop Políticas e Práticas Socioambientais nas Instituições Financeiras São Paulo, 1º de dezembro de 2011 Sistema Financeiro Nacional Políticas de RSA, Governança, Produtos e Gerenciamento de Risco

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO 67 68. Elaboração do Programa de Promoção de Eventos do Pólo Costa do Delta

Discriminação AÇÃO AÇÃO 67 68. Elaboração do Programa de Promoção de Eventos do Pólo Costa do Delta CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 840.000,00 2.500.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência? 1.2 Escala da ação é compatível com a escala do programa? 1.3 Existem

Leia mais

Produtos e materiais inovadores provenientes da reciclagem. Como promover a sua efetiva introdução na economia?

Produtos e materiais inovadores provenientes da reciclagem. Como promover a sua efetiva introdução na economia? Produtos e materiais inovadores provenientes da reciclagem. Como promover a sua efetiva introdução na economia? PRINCIPAIS MARCOS SOCIEDADE PONTO VERDE PRINCIPAIS MARCOS SOCIEDADE PONTO VERDE ÍNICIO 1996

Leia mais

Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades. Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado

Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades. Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado Gestão de impactos sociais nos empreendimentos Riscos e oportunidades Por Sérgio Avelar, Fábio Risério, Viviane Freitas e Cristiano Machado A oferta da Promon Intelligens considera o desenvolvimento de

Leia mais

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras dezembro 2012 Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras 5 I. O público-alvo

Leia mais

sustentável Crescimento

sustentável Crescimento sustentável Crescimento A população urbana aumenta de forma significativa, e gestores têm o desafio de buscar soluções criativas e inovadoras para financiar a infraestrutura necessária a esse contingente

Leia mais

Ins$tuto Ethos A SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA E A NOVA ECONOMIA. De Empresas e Responsabilidade Social

Ins$tuto Ethos A SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA E A NOVA ECONOMIA. De Empresas e Responsabilidade Social Ins$tuto Ethos A SUSTENTABILIDADE CORPORATIVA E A NOVA ECONOMIA De Empresas e Responsabilidade Social Plataforma Ethos A Velha Economia Impactos ambientais Resultados Processos decisórios Responsabilidade

Leia mais

P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A

P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A P L A N O D E G O V E R N O P R O G R E S S I S T A Realizar uma gestão com desenvolvimento social e econômico sustentáveis. Eficiência na geração e aplicação dos recursos públicos. PP SIGNIFICA P R I

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

Na casa da minha vida, só cerâmica

Na casa da minha vida, só cerâmica Na casa da minha vida, só cerâmica Anicer lança campanha para promover o produto cerâmico A Anicer deu início a uma campanha publicitária com ênfase nas mídias digitais para valorização do produto cerâmico.

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Tiririca) Institui a Política Nacional de Redução de Perdas e Desperdício de Alimentos e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS SUSTENTABILIDADE E M P R E S A R I A L Política de Sustentabilidade Empresarial das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras,

Leia mais

A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB

A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB A DB Schenker está comprometida com o programa Climático 2020 do Grupo DB, tendo como principal objectivo a redução de 20%, até ao ano de 2020, nas emissões de CO2. Formação em Eco condução, novas tecnologias

Leia mais

Floresta pode ajudar a tirar o Brasil da crise financeira

Floresta pode ajudar a tirar o Brasil da crise financeira São Paulo, domingo, 24 de maio de 2009 Floresta pode ajudar a tirar o Brasil da crise financeira País pode ser "melhor que a Suécia" se investir em uso sustentável, diz diretor do Bird CLAUDIO ANGELO EDITOR

Leia mais

INSERÇÃO DAS ENERGIAS ALTERNATIVAS RENOVÁVEIS NO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO

INSERÇÃO DAS ENERGIAS ALTERNATIVAS RENOVÁVEIS NO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO INSERÇÃO DAS ENERGIAS ALTERNATIVAS RENOVÁVEIS NO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO Associação Brasileira dos Pequenos e Médios Produtores de Energia Elétrica - APMPE CONFERÊNCIA REGIONAL DA AMÉRICA LATINA E DO

Leia mais

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS. Produção Sustentável

DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS. Produção Sustentável Destaques Estratégicos: projetos e iniciativas DESTAQUES ESTRATÉGICOS: PROJETOS E INICIATIVAS Produção Sustentável 1 Produção Sustentável Situação atual - Pressão de consumidores e barreiras comerciais

Leia mais

Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais. Oficina temática de restauração 12/05/2016

Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais. Oficina temática de restauração 12/05/2016 Plano de Energia e Mudanças Climáticas de Minas Gerais Oficina temática de restauração 12/05/2016 Plano de Energia e Mudanças Climáticas Potência instalada (MW) PROCESSO DE ELABORAÇÃO Julho 2013 Janeiro

Leia mais

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM

A EMPRESA. Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA Criando um futuro com a iluminação OSRAM A EMPRESA O mercado de iluminação está passando por um período de transformações tecnológicas, com os LEDs e os OLEDs, apresentando novas possibilidades

Leia mais