5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste"

Transcrição

1 MACUCO SÃO SEBASTIÃO DO ALTO FRIBURGO CACHOEIRAS DE MACACU SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS BARRA MANSA RIO CLARO BARRA DO PIRAÍ VALENÇA 5º Congresso Fluminense de Municípios & I Encontro Regional Edição Sudeste Outubro 2015

2 Estrutura da SEDEIS Subsecretaria de Estado de Energia, Logística e Desenvolvimento Industrial Subsecretaria de Estado de Comércio e Serviços Subsecretaria de Estado de Parcerias Público-Privadas Agência de Fomento do ERJ Companhia de Desenvolvimento Industrial do ERJ Junta Comercial do ERJ Departamento de Recursos Minerais ERJ Instituto de Pesos e Medidas do ERJ

3 Metas SEDEIS Desenvolver clusters de fornecedores Melhoria do Ambiente de Negócios Expandir linhas de microcrédito CODIN / Fomento das Sociedades para Propósitos Específicos (SPE) Desenvolver PPP s e PE s (Projetos Estruturados) Estimular indústrias de alta tecnologia

4 Subsecretaria de Estado de Comércio e Serviços. A Subsecretaria de Comércio e Serviços Coordena programas e projetos que apoiam o desenvolvimento de atividades produtivas de setores estratégicos da economia fluminense nas distintas regiões de Governo, de acordo com as potencialidades regionais e a articulação de ações de entidades públicas e privadas..

5 Subsecretaria de Estado de Comércio e Serviços Adensamento das Cadeias Produtivas Principais Ações: 1. Apoio ao Desenvolvimento Econômico Local; 2. Estímulo aos Arranjos Produtivos Locais (APLs); 3. Projetos Especiais: Compra Rio: estímulo ao poder de compra fluminense; Fortalecimento do Design Fluminense.

6 Concentrações Econômicas no ERJ Apicultura Calçados Cerâmica Vermelha Confecção Cimenteiro Flores Tropicais Metal Mecânico Piscicultura Siderurgia Turismo Agroindústria Energia Nuclear Naval Offshore Maricultura Pesca Turismo MÉDIO PARAÍBA COSTA VERDE Cerâmica Vermelha Metal Mecânico Turismo Agricultura CENTRO-SUL FLUMINENSE METROPOLITANA Audiovisual Biotecnologia Cerâmica Vermelha Confecção Cosméticos Indústria Naval Agricultura Orgânica Cimenteiro Confecção Metal Mecânico Tecnologia da Informação Turismo SERRANA BAIXADAS LITORÂNEAS NOROESTE FLUMINENSE Mármores & Granitos Movelaria Petroquímica Siderurgia Tecnologia da Informação Apicultura Água Mineral Confecção Pecuária de Leite Reflorestamento Econômico Rochas Ornamentais NORTE FLUMINENSE Confecção Movelaria Piscicultura Turismo Agronegócio Cerâmica Vermelha Confecção Metal Mecânico Movelaria Petróleo e Gás Reflorestamento Econômico Setor Logístico

7 Desenvolvimento Regional Apoiar aos municípios: Na identificação de alternativas e proposição de ações para o desenvolvimento local e regional; Na dinâmica econômica e potencialidades locais. Elaboração de Perfis Regionais Socioeconômicos => Projeto CADERNOS REGIONAIS. Áreas temáticas: Demografia & Aspectos Sociais Macroeconomia & Análise de Conjuntura Emprego & Ocupação Empresas & Estabelecimentos Aspectos Setoriais & Infraestrutura Contribuir para uma maior interlocução entre Municípios, demais Secretarias de Estado e Setor Privado.

8 APLs - Arranjos Produtivos Locais Identificar e desenvolver potencialidades locais; Promover o empreendedorismo e o associativismo local; Aumentar a competitividade e a inovação; Possibilitar o aumento do acesso ao crédito.

9 Arranjos Produtivos Locais Rochas Ornamentais Turismo e Entretenimento Metal Mecânico Automotivo REGIÃO MÉDIO PARAÍBA REGIÃO COSTA VERDE Moda Íntima Metal Mecânico Turismo e Entretenimento REGIÃO CENTRO-SUL FLUMINENSE REGIÃO METROPOLITANA REGIÃO SERRANA REGIÃO NOROESTE FLUMINENSE REGIÃO DAS BAIXADAS LITORÂNEAS REGIÃO NORTE FLUMINENSE Petróleo e Gás Cerâmica Vermelha Moda Praia Petróleo e Gás Calçados e Acessórios Gemas e Joias Areias de Piranema Moda Leste Fluminense Moda Carioca Petróleo e Gás

10 Arranjos Produtivos Locais Projeto Fomento à Política de Desenvolvimento Econômico Local do ERJ Parceria: SEDEIS, BID e Sebrae-RJ Desenho, implementação, monitoramento e avaliação de estratégias de desenvolvimento dos arranjos produtivos locais; Criação de um Sistema informatizado online para gestão e monitoramento dos APLs; Projeto piloto em 2 regiões do Estado: 1. APL de Rochas Ornamentais do Noroeste Fluminense 2. APL de Moda Praia de Cabo Frio e Região

11 Associativismo no território APL DE ROCHAS ORNAMENTAIS DO NOROESTE FLUMINENSE 57 Empresas (Serrarias e Pedreiras) Fonte: Pesquisa de Campo (2013)

12 Associativismo no território APL DE MODA PRAIA DE CABO FRIO E REGIÃO 91 Empresas (Indústria e Comércio) Fonte: Pesquisa de Campo (2013)

13 Projetos Especiais Compra Rio ( ) Realização de 82 eventos: 76 Rodadas de Negócios; 06 Feiras, Mostras e Cadastro de Fornecedores. Mais de 7 mil empresas participantes.

14 Projetos Especiais / Compra Rio Âncoras no Programa Compra Rio:

15 Projetos Especiais Rio é Design - pilares estratégicos: Projeção nacional e internacional dos designers do Rio; Indução do Design como elemento diferencial de competitividade dos produtos fluminenses; Agregação de maior valor aos: Produtos industriais; Serviços; Espaços públicos (Ex: Sinalização e equipamentos públicos) Algumas Ações Mostra Rio + Design Milão (Abril/2015) Mostra Rio + Design Jockey Club (Novembro/2015)

16 Projetos Especiais / Rio é Design Projeto do carioca Guto Índio da Costa (Parque Ibirapuera / São Paulo) Gilson Martins Design aplicado em urbanismo Projeto do carioca Guto Índio da Costa (Quiosque Orla Rio de Janeiro) Ricardo Leite Projeto de sinalização do Metrô Rio

17 Atração de investimentos Suporte aos projetos municipais na área de desenvolvimento econômico Criação de Distritos ou Condomínios Industriais Apoio aos projetos especiais dos municípios Microcrédito Produtivo Orientado Financiamos empreendedores dentro do conceito de Microcrédito Produtivo Orientado em parceria com os Municípios. Micro, pequenas, médias e grandes empresas Oferecemos a melhor solução financeira para que o empreendimento cresça junto com o nosso estado. Setor Público Oferecemos produtos customizados para atender às diferentes necessidades de cada Município Fluminense. Participações e Parceria Público-Privada PPP

18 Associativismo empresarial O Parque Tecnológico da UFRJ, um dos principais parques tecnológicos do Brasil, está localizado na Ilha do Fundão, em uma área de 350 mil m². Parque Tecnológico da UFRJ

19 Obrigado! SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Parcerias Público-Privadas

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Parcerias Público-Privadas SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS Parcerias Público-Privadas Setembro 2015 Ambiência INDÚSTRIA NAVAL ESTAGNAÇÃO DA ECONOMIA DÉFICIT PRIMÁRIO INFLAÇÃO EM ALTA PN PETROBRAS

Leia mais

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS

< > MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS MODELO DE DESENVOLVIMENTO PARA O RS POLÍTICA INDUSTRIAL DO RS Modelo de Desenvolvimento Industrial do Estado do RS Março de 2012. 2 Sumário MODELO DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RS Destaques

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Dimensões do PBM Oportunidades Desafios Sistema de Gestão Desdobramento do Plano Brasil Maior na Política de Arranjos Produtivos

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo e Gás Natural

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo e Gás Natural SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS Impactos Macroeconômicos da Indústria de Petróleo e Gás Natural Outubro 2015 Anúncios de investimentos no Estado Fonte: Decisão Rio

Leia mais

GT de Economia Criativa

GT de Economia Criativa GT de Economia Criativa Santa Maria, 02 de outubro de 2012 Pauta da reunião 1) Ações após a 1ª reunião do GT 2) Apresentação do Projeto de Mapeamento Georreferenciado da Economia Criativa 3) Apresentação

Leia mais

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal

Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Secretária de Desenvolvimento Econômico do Distrito Federal Subsecretaria de Pequenas Empresas A Subsecretaria é uma unidade orgânica subordinada ao Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico e

Leia mais

Subsecretaria de Economia Verde. Subsecretaria de Economia

Subsecretaria de Economia Verde. Subsecretaria de Economia Subsecretaria de Economia Verde Atual Conjuntura O Estado do Rio de Janeiro apresenta forte crescimento econômico, porém agora é o momento de posicioná-lo como uma liderança dentro uma inoxorável tendência:

Leia mais

CETEM: 15 anos de apoio aos APLS. Os Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral (APLS-BM) fazem parte da política de

CETEM: 15 anos de apoio aos APLS. Os Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral (APLS-BM) fazem parte da política de CETEM: 15 anos de apoio aos APLS Os Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral (APLS-BM) fazem parte da política de atuação do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM/MCTI) desde 1998. Neste ano, a Unidade

Leia mais

PARÁ Fomento à exploração mineral

PARÁ Fomento à exploração mineral PARÁ Fomento à exploração mineral Ouro Preto, Maio de 2016 2 O ESTADO DO PARÁ Brasil Região Amazônica Estado do Pará Regiões de Integração Informações PARÁ Part (%) no Brasil Área (1.000 km 2 ) 1.248 15%

Leia mais

PANORAMA ECONÔMICO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PANORAMA ECONÔMICO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PANORAMA ECONÔMICO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Outubro/2014 Panorama Área: 43.696 km 2 Localização: Região Sudeste 55% do PIB Nacional PIB: R$ 510 bilhões 11% do PIB brasileiro População: 16,7 milhões PIB

Leia mais

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS Ricardo Romeiro Coordenador Geral de Arranjos Produtivos Locais Secretária

Leia mais

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional

Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste. Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional Perspectivas para o Desenvolvimento do Nordeste Sergio Duarte de Castro Secretário de Desenvolvimento Regional RJ 20/02/2013 Trajetória Recente => Oportunidades Polos Dinâmicos, Decisões de Investimento

Leia mais

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu

Abrangência. Niterói Petrópolis Teresópolis Nova Friburgo Armação dos Búzios Cabo Frio Arraial do Cabo Rio das Ostras Macaé Casimiro de Abreu Apresentação: Lançado pelo SEBRAE RJ, é um roteiro turístico composto por 10 municípios do Estado do Rio de Janeiro; 3 Regiões turísticas: Metropolitana, Serra Verde Imperial, Costa do Sol - integradas

Leia mais

Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016

Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016 Caderno de Diretrizes - lista de produtos elegíveis Consulta Popular 2015/2016 NOME ÓRGÃO Demanda Produto FUNDAÇÃO DE AMPARO A FOMENTO À PESQUISA, AO PESQUISA DO ESTADO DO RIO DESENVOLVIMENTO E À GRANDE

Leia mais

ESTADO DE ALAGOAS. romoção do Desenvolvimento e Cooperação écnica POLITICHE PUBBLICHE E PICCOLE E MEDI IMPRESE LA COOPERAZIONE ITALIA AMERICA LATIN

ESTADO DE ALAGOAS. romoção do Desenvolvimento e Cooperação écnica POLITICHE PUBBLICHE E PICCOLE E MEDI IMPRESE LA COOPERAZIONE ITALIA AMERICA LATIN POLITICHE PUBBLICHE E PICCOLE E MEDI IMPRESE LA COOPERAZIONE ITALIA AMERICA LATIN ESTADO DE ALAGOAS romoção do Desenvolvimento e Cooperação écnica CeSPI Centro Studi di Politica Internazionale GOVERNO

Leia mais

O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso

O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso O Programa de Fortalecimento da Atividade Empresarial (PROGREDIR) e os APLs no Estado da Bahia: Um Caso de Sucesso 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Brasília, 27 a 29 de novembro

Leia mais

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012.

PROPOSTA. Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. PROPOSTA Plano de Trabalho do Comitê Temático de APLs de Base Mineral 2011/ 2012. 1 Apresentação No campo da Política Nacional de Apoio aos Arranjos Produtivos Locais (APLs), o Grupo de Trabalho Permanente

Leia mais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais

Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais Cooperação e Governança em Arranjos Produtivos Locais 1ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Carlos Roberto Rocha Cavalcante Superintendente 2004 Histórico de Atuação do IEL 1969 -

Leia mais

Análise e qualificação do gasto público: a experiência do projeto Cota Base Zero no RS

Análise e qualificação do gasto público: a experiência do projeto Cota Base Zero no RS Secretaria da Fazenda do Estado do Rio Grande do Sul Tesouro do Estado Divisão de Programação Orçamentária Análise e qualificação do gasto público: a experiência do projeto Cota Base Zero no RS Outubro

Leia mais

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural

Paulínia Petróleo, Gás e Energia. Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia Petróleo, Gás e Energia Como tornar-se fornecedor da cadeia produtiva Cenários e Oportunidades do Setor de Petróleo e Gás Natural Paulínia 25/out/2011 Agenda 1) O CIESP 2) PETROBRAS - Plano de

Leia mais

SETORIAIS VISÃO GERAL

SETORIAIS VISÃO GERAL MCT FUNDOS SETORIAIS VISÃO GERAL Financiamento de Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil RECURSOS GOVERNAMENTAIS IMPOSTOS e TAXAÇÃO SISTEMA DE CT&I Universidades Centros de Pesquisas Empresas do Governo

Leia mais

Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo. Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013

Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo. Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013 Oportunidades e atração de investimentos para o setor de P&G no Estado de São Paulo Luciano Almeida Presidente 22 de agosto de 2013 Missão Ser a porta de entrada para novos investimentos ou expansão dos

Leia mais

Exercício 2009 R$ 1,00 17601 - Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial REPASSE DE RECURSOS DO TESOURO ESTADUAL

Exercício 2009 R$ 1,00 17601 - Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial REPASSE DE RECURSOS DO TESOURO ESTADUAL Exercício 2009 R$ 1,00 17601 - Fundo de Desenvolvimento Industrial e Comercial REPASSE DE RECURSOS DO TESOURO ESTADUAL E S P E C I F I C A Ç Ã O ESF VALOR 101 - Recursos de Incentivos Concedidos Relativos

Leia mais

Por uma Região Leste Fluminense sustentável

Por uma Região Leste Fluminense sustentável Por uma Região Leste Fluminense sustentável 22 de Agosto de 2015 Ricardo Frosini Contexto atual e o desenvolvimento Sustentável Contexto 2ª década dos anos 2000 1- Estresses sociais (2011 na Tunísia, Cairo,

Leia mais

INFORMATIVO. Dezembro/ 2013 Ano I 1ª Edição. Editorial ASSOCIATIVISMO, O CAMINHO PARA A PEQUENA EMPRESA

INFORMATIVO. Dezembro/ 2013 Ano I 1ª Edição. Editorial ASSOCIATIVISMO, O CAMINHO PARA A PEQUENA EMPRESA INFORMATIVO Dezembro/ 2013 Ano I 1ª Edição Editorial ASSOCIATIVISMO, O CAMINHO PARA A PEQUENA EMPRESA Como não há alternativa, a não ser ofertar produtos de alta qualidade a preços competitivos, só há

Leia mais

A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA

A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA A CAR E O DESENVOLVIMENTO REGIONAL DO ESTADO DA BAHIA QUEM SOMOS Empresa pública de direito privado, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento e Integração Regional - SEDIR, criada por Lei Estadual em

Leia mais

APRESENTAÇÃO. ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor

APRESENTAÇÃO. ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor APRESENTAÇÃO ANTÔNIO EUGÊNIO CUNHA Engenheiro Mecânico Especialista em Gestão Empresarial Consultor Professor É um processo gerencial que diz respeito à formulação de objetivos para a seleção de programas

Leia mais

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa?

O que é Programa Rio: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher? Quais suas estratégias e ações? Quantas instituições participam da iniciativa? Destaque: Somos, nós mulheres, tradicionalmente responsáveis pelas ações de reprodução da vida no espaço doméstico e a partir da última metade do século passado estamos cada vez mais inseridas diretamente

Leia mais

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo?

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? BRDE INOVA O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS"

PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE CULTURA - A SANTA MARIA QUE QUEREMOS Elaborar o projeto do Plano Municipal de Projeto do Plano Projeto realizado Cultura com ampla participação dos setores da sociedade Conferência Municipal de Cultura Conferência realizada PLANILHA DE OBJETIVOS

Leia mais

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial

FOCOS DE ATUAÇÃO. Tema 8. Expansão da base industrial FOCOS DE ATUAÇÃO Tema 8. Expansão da base industrial Para crescer, a indústria capixaba tem um foco de atuação que pode lhe garantir um futuro promissor: fortalecer as micro, pequenas e médias indústrias,

Leia mais

A FINEP e a Inovação nas Empresas

A FINEP e a Inovação nas Empresas A FINEP e a Inovação nas Empresas Avílio Antônio Franco afranco@finep.gov.br A Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e tecnológica em empresas, universidades, centros

Leia mais

Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM

Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM Programas e Ações para alocação de Emendas Parlamentares à SUDAM 2016 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Ministério da Integração Nacional Gilberto Magalhães Occhi Superintendência do Desenvolvimento

Leia mais

FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO

FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO FÓRUM DE DESENVOLVIMENTO CÁCERES E REGIÃO POTENCIAIS TURÍSTICOS DA REGIÃO Rosangela Cabral Rosa Lazarin Coord. Comitê Gestor Destino Indutor & Presidente do COMTUR Cáceres MT Servidora da Unemat VIDEO

Leia mais

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau

Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Proposta de Plano de Desenvolvimento Local para a região do AHE Jirau Fundação Getulio Vargas, Abril de 2011 REGIÃO PODE TER LEGADO COMPATÍVEL COM DESENVOLVIMENTO INOVADOR E SUSTENTÁVEL Deixar um legado

Leia mais

PROGRAMA RS TECNÓPOLE

PROGRAMA RS TECNÓPOLE GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA CIÊNCIA, INOVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO PROGRAMA RS TECNÓPOLE Porto Alegre, abril de 2011. 1 1. CONCEITOS BÁSICOS E ANTECEDENTES A inovação

Leia mais

Instituto Euvaldo Lodi. Árisson Carvalho de Araújo Gerente Núcleo de Projetos Industriais Coletivos (NPC) IEL MG

Instituto Euvaldo Lodi. Árisson Carvalho de Araújo Gerente Núcleo de Projetos Industriais Coletivos (NPC) IEL MG Instituto Euvaldo Lodi Árisson Carvalho de Araújo Gerente Núcleo de Projetos Industriais Coletivos (NPC) IEL MG Atuação do IEL em Coletivos Empresariais Identificação de gargalos tecnológicos e de gestão

Leia mais

Inovação no Complexo Industrial da Saúde

Inovação no Complexo Industrial da Saúde 3º ENCONTRO NACIONAL DE INOVAÇÃO EM FÁRMACOS E MEDICAMENTOS Inovação no Complexo Industrial da Saúde Painel: Fomento, Preços, Compras e Encomendas São Paulo SP, 15 de setembro de 2009 FINEP Empresa pública

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

Programa de Fomento aos Arranjos Produtivos Locais Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo

Programa de Fomento aos Arranjos Produtivos Locais Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo Programa de Fomento aos Arranjos Produtivos Locais Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo Coordenadoria de Desenvolvimento Regional e Territorial CONCEITO

Leia mais

Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL. Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais

Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL. Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais Apresentação de Ações Institucionais do GTP-APL Oduval Lobato Neto Banco da Amazônia Gerencia de Gestão de Programas Governamentais Dezembro/2013 Pauta 1. Banco da Amazônia enfoque institucional 2. Ações

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário FNO-ITINERANTE 2012. São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário FNO-ITINERANTE 2012. São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012 BANCO DA AMAZÔNIA Seminário FNO-ITINERANTE 2012 São Gabriel da Cachoeira (AM). 24/04/2012 Município de São Gabriel da Cachoeira - AM Principais Destaques. Considerado um ponto estratégico pelo país e,

Leia mais

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente

SÍNTESE JUINA. Meio Ambiente SÍNTESE JUINA Aperfeiçoar mecanismos controle ambiental Meio Ambiente Instalação de viveiros de distribuição de mudas para o reflorestamento e matas ciliares Ampliar aceso aos programas de crédito de Capacitar

Leia mais

A FINEP e a Inovação nas Empresas

A FINEP e a Inovação nas Empresas ESTUDOS E PESQUISAS Nº 236 A FINEP e a Inovação nas Empresas Luis Manuel Rebelo Fernandes * XX Fórum Nacional BRASIL - Um Novo Mundo nos Trópicos 200 Anos de Independência Econômica e 20 Anos de Fórum

Leia mais

Topic 13: Commercializing Intellectual Property Assets: Case Study No. 2

Topic 13: Commercializing Intellectual Property Assets: Case Study No. 2 Training of Trainers Program on Effective Intellectual Property Asset Management by Small and Medium Sized Enterprises (SMEs) in Portuguese-Speaking African Countries (PALOP) Lisboa, Portugal 11 de abril

Leia mais

Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa. Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro?

Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa. Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro? Conselho de Defesa e Segurança da FIRJAN Comitê Naval de Defesa Por que desenvolver um Arranjo Produtivo Local Naval de Defesa no Rio de Janeiro? Nos últimos anos, o planejamento governamental, tendo como

Leia mais

Investimentos RIO 2012.2014. Sumário executivo. Sumário executivo

Investimentos RIO 2012.2014. Sumário executivo. Sumário executivo Investimentos Decisão RIO 2012.2014 Sumário executivo Sumário executivo Rio de Janeiro: Localização privilegiada, logística estratégica O Rio de Janeiro avançou extraordinariamente na última década com

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE INCLUSÃO PRODUTIVA ROTAS DE INTEGRAÇÃO NACIONAL O presente documento tem por objetivo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7)

PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROGRAMAÇÃO FNE 2010 Adendo ao FNE PROATUR Programa de Apoio ao Turismo Regional (item 8.7) PROPOSTA FNE-PROATUR INCLUSÃO DO APOIO A PROJETOS DE ARENAS MULTI-USOS NAS FINALIDADES DE FINANCIAMENTO A - Fundamentação

Leia mais

Conselho Estadual de Petróleo e Gás Natural

Conselho Estadual de Petróleo e Gás Natural Conselho Estadual de Petróleo e Gás Natural Programa Paulista de Petróleo e Gás Natural Antonio Henrique Gross Subsecretaria de Petróleo e Gás - Secretaria de Energia 8ª Reunião 06 de Dezembro de 2011

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços

Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços 1 1- Panorama Econômico 2- PQR 3- Destaques 2 ESTADO DO RIO DE JANEIRO: PANORAMA ECONÔMICO O Rio de Janeiro que você já

Leia mais

O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE

O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE Contratantes: O TURISMO SOB A ÓTICA DA PLATAFORMA DE SUSTENTABILIDADE DO LITORAL NORTE Tópicos da apresentação: Turismo Sustentável sob a Ótica da PSLN. Tópicos: I Informações gerais sobre a PSLN; II Diagnóstico

Leia mais

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação da Finep São Paulo, 28/04/2009 O desenvolvimento das economias modernas demonstra o papel fundamental que, nesse processo, compete

Leia mais

DEPME: Programas, Projetos e AçõesA

DEPME: Programas, Projetos e AçõesA Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria do Desenvolvimento da Produção Departamento de Micro, Pequenas e Médias Empresas DEPME: Programas, Projetos e AçõesA Cândida Maria

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS no Estado do Rio de Janeiro FEVEREIRO DE 2014 BRASIL O saldo líquido de empregos formais em fevereiro deste ano foi de 260.823 em todo o país, segundo o Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

Competitividade da Plataforma Logística do Rio de Janeiro. Desafios e as Oportunidades a partir do PELC

Competitividade da Plataforma Logística do Rio de Janeiro. Desafios e as Oportunidades a partir do PELC Competitividade da Plataforma Logística do Rio de Janeiro SECRETARIA DE TRANSPORTES SECRETARIA DE TRANSPORTES Desafios e as Oportunidades a partir do PELC SECRETARIA DE TRANSPORTES JULHO / 2015 SECRETARIA

Leia mais

4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais. Atuação do SEBRAE em Arranjos Produtivos Locais -APL

4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais. Atuação do SEBRAE em Arranjos Produtivos Locais -APL 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Atuação do SEBRAE em Arranjos Produtivos Locais -APL Brasília, DF - 29 de outubro de 2009 Conteúdo da Apresentação - Evolução da Abordagem - Antecedentes

Leia mais

Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia.

Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia. CONVÊNIO Convênio PETROBRAS Petrobras X / SEBRAE Sebrae Inserção competitiva e sustentável de micro e pequenas empresas na cadeia produtiva do petróleo, gás e energia. Lançamento dos Fóruns Regionais do

Leia mais

Economia Criativa conceito

Economia Criativa conceito Economia Criativa conceito A Economia Criativa é um conceito ainda em desenvolvimento, que compreende a gestão da criatividade para gerar riquezas culturais, sociais e econômicas. Abrange os ciclos de

Leia mais

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL Programa 0410 Turismo: a Indústria do Novo Milênio Objetivo Aumentar o fluxo, a taxa de permanência e o gasto de turistas no País. Público Alvo Turistas brasileiros e estrangeiros Ações Orçamentárias Indicador(es)

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010

DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010 DECRETO Nº 56.074, DE 9 DE AGOSTO DE 2010 Institui o Programa Paulista de Petróleo e Gás Natural, cria o Conselho Estadual de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo e dá providências correlatas

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA CIENTÍFICA. Situação atual e Perspectivas da área de PD&I do ITEP

DIRETORIA TÉCNICA CIENTÍFICA. Situação atual e Perspectivas da área de PD&I do ITEP DIRETORIA TÉCNICA CIENTÍFICA Situação atual e Perspectivas da área de PD&I do ITEP Geraldo Eugênio geugenio@itep.br Recife, 06 de novembro de 2013 06.11.2013 ORGANOGRAMA ITEP/OS Diretoria Técnica-Científica

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS

SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO ITAIPU - BRASIL ConectaDEL - Programa Regional de Formação para o Desenvolvimento Econômico Local com Inclusão Social Brasil SISTEMATIZAÇÃO DAS OFICINAS DE PROJETOS Foz do Iguaçu,

Leia mais

PROIMPE. Programa de Estímulo ao Uso de Tecnologia da Informação em Micro e Pequenas Empresas (MPE)

PROIMPE. Programa de Estímulo ao Uso de Tecnologia da Informação em Micro e Pequenas Empresas (MPE) PROIMPE Programa de Estímulo ao Uso de Tecnologia da Informação em Micro e Pequenas Empresas (MPE) OBJETIVOS PRINCIPAIS Estimular a inclusão digital das MPE (Inclusão Empresarial); Promover o aumento da

Leia mais

Auditoria Operacional FNO/Banco da Amazônia. Paulo Vinhas Lima Junior AUFC TCU/Secex/PA

Auditoria Operacional FNO/Banco da Amazônia. Paulo Vinhas Lima Junior AUFC TCU/Secex/PA Auditoria Operacional FNO/Banco Paulo Vinhas Lima Junior AUFC TCU/Secex/PA Auditoria Operacional determinada pelo Acórdão TCU nº 2.919/2009 Plenário (Auditoria TMS na PNDR) Objetivo: avaliar o desempenho

Leia mais

Ações Estruturantes da SECTI

Ações Estruturantes da SECTI Ações Estruturantes da SECTI Rede de Apoio aos APLs: Resultado da parceria entre Governo, Empresas e Universidades visando promover uma maior articulação entre os diversos atores que realizam ações em

Leia mais

Desenvolvimento I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL VETORES DE DESENVOLVIMENTO

Desenvolvimento I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL VETORES DE DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento I CONFERÊNCIA ESTADUAL DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL VETORES DE DESENVOLVIMENTO 1 Desenvolvimento... o desenvolvimento é uma corrida de longa distância, e nela há um elemento de solidão,

Leia mais

TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS

TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS TRADIÇÃO E REPRESENTATIVIDADE A SERVIÇO DA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE AUTOPEÇAS FOCO EM INICIATIVAS E OPORTUNIDADES PARA ASSOCIADOS DE PEQUENO, MÉDIO E GRANDE PORTES Mais do que representar legitimamente

Leia mais

Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros

Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros Arranjos Produtivos Locais Acesso a Serviços Financeiros 1 Nordeste do Brasil Crescimento de 3% na última década 23 milhões de consumidores PIB da ordem de R$ 144 bilhões 3.3km de litoral Sol o ano inteiro

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 27 Ministério da Educação Nº 1612 - Terça feira, 2 de julho de 2013 PORTARIA Nº 576, DE 28 DE JUNHO DE 2013 - Dispõe sobre o Fórum de Avaliação do Financiamento da Educação Básica Nacional

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas

Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas Pré-Sal: Desafios e Oportunidades Tecnológicas Aloisio Nóbrega Superintendente ONIP CCT do Senado Federal Outubro de 2008 Introdução Província Pré-Sal Fonte: Petrobras Situação da Perfuração dos Poços

Leia mais

Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas

Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas Atuação do Banco do Brasil em Aglomerações Produtivas Arranjos Produtivos Locais APL Sumário Grandes Números do BB Apoio ao Desenvolvimento Sustentável Resultados e Casos de Sucesso 3o. Trimestre 2007

Leia mais

Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil

Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil Financiamento ao Desenvolviment o Valmir Martins Sobrinho Banco do Brasil Brasília, DF/2011 O acesso ao Crédito Qual o papel do crédito? O Crédito Sustentável O crédito, visto como remédio na realização

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Workshop: Os Desafios para a Industria Nacional de Petróleo e Gás BNDES, Rio de Janeiro - RJ, 02 de julho de 2008 FINEP Empresa pública

Leia mais

DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA

DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA DIRETRIZ ESTRATÉGICA DINAMIZAR O TURISMO E SERVIÇOS SUPERIORES GERADORES DE EMPREGO E RENDA O segmento do turismo vem se constituindo na Bahia uma importante atividade na geração de ocupação e renda, especialmente

Leia mais

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Ministério do Turismo Ministério do Turismo Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Funções e Objetivos Coordenar as ações voltadas à qualificação profissional e à melhoria

Leia mais

Estratégias de Desenvolvimento Regional

Estratégias de Desenvolvimento Regional Estratégias de Desenvolvimento Regional Mesa Redonda sobre Desenvolvimento Regional nos Estados Brasileiros Marcelo Sacenco Asquino Coordenador da Área Regional Secretaria de Economia e Planejamento do

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL 2010/2014 RESUMO 1. INTRODUÇÃO A indústria moveleira na região norte do Espírito Santo iniciou com o surgimento de grupos populacionais próximos da região de Colatina. Esse

Leia mais

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total

Código Especificação Fiscal Seg.Social Investimentos Total 100 Fortalecimento da Atuação Legislativa 15.020.000 15.020.000 101 Fortalecimento do Controle Externo Estadual 67.755.000 67.755.000 102 Fortalecimento do Controle Externo Municipal 3.784.000 3.784.000

Leia mais

Resultados do GTP APL

Resultados do GTP APL 2ª Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Resultados do GTP APL Cândida Maria Cervieri Secretária Técnica do GTP APL Diretora do Departamento de Micro, Pequena e Média Empresa/SDP/MDIC

Leia mais

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE

PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE Fórum Nacional de Logística Belo Horizonte, 09 de novembro de 2011 PLATAFORMA LOGÍSTICA MULTIMODAL DA REGIÃO METROPOLITANA DE BELO HORIZONTE: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Paula de Medeiros Andrade Secretaria

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação FINEP 2012-2014: investir mais e melhor em Inovação Agenda O Desafio da Inovação A FINEP Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não Reembolsável, Fundos) Números

Leia mais

Ruas asfaltadas Rede de iluminação Atender a demanda de água bruta no DISM

Ruas asfaltadas Rede de iluminação Atender a demanda de água bruta no DISM Coordenador: Visão: Que a indústria de Santa seja reconhecida pela utilização de processos ambientalmente sustentáveis e alcance 1,5% de participação no VAB Industrial do Estado Objetivo 1. Universalizar

Leia mais

Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP

Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP Simpósio Polo Gesseiro do Araripe Potencidades Problemas e Soluções UFRPE 12 a 14 de agosto de 2014 Frederico Cavalcanti Montenegro Diretor Presidente ITEP Centro Tecnológico do Araripe CTA Rua Antônio

Leia mais

GESTÃO INTEGRADA: CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO DE GOIÁS

GESTÃO INTEGRADA: CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO DE GOIÁS GESTÃO INTEGRADA: CAMINHO DO DESENVOLVIMENTO DE GOIÁS DESENVOLVIMENTO LOCAL E REGIONAL Vencendo desafios ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Metodologia utilizada em Goiás e no Brasil com resultados promissores...

Leia mais

Integração Produtiva MERCOSUL

Integração Produtiva MERCOSUL MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria do Desenvolvimento da Produção Integração Produtiva MERCOSUL XLV Reunião Ordinária de Coordenadores Nacionais FCCR O tema Integração

Leia mais

Política Industrial Para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Mansueto Almeida - IPEA 4ª Conferência Brasileira de APLs

Política Industrial Para Micro, Pequenas e Médias Empresas. Mansueto Almeida - IPEA 4ª Conferência Brasileira de APLs Política Industrial Para Micro, Pequenas e Médias Empresas Mansueto Almeida - IPEA 4ª Conferência Brasileira de APLs Política Industrial no Brasil maior abertura de uma economia não aumenta, necessariamente,

Leia mais

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL

PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Políticas de Inovação para o Crescimento Inclusivo: Tendências, Políticas e Avaliação PRIORIDADES E DESAFIOS PARA POLÍTICAS EM NÍVEL SUB-NACIONAL Rafael Lucchesi Confederação Nacional da Indústria Rio

Leia mais

Servicios e Infraestructuras de Apoyo Empresarial SIAE

Servicios e Infraestructuras de Apoyo Empresarial SIAE INVENTARIO DE SERVICIOS EN LÍNEA DE APOYO Y FOMENTO DEL TEJIDO EMPRESARIAL SÃO CARLOS SP SERVICIOS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO CARLOS 1. Fundação Educacional de São Carlos - POSTO DE INCLUSÃO DIGITAL

Leia mais

Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA

Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA Projeto AL-LAs CONSULTA MULTIATORES METODOLOGIA Aliança euro-latino americana de cooperação entre cidades Financiado pela União Europeia Objetivo de fortalecer suas relações internacionais para melhorar

Leia mais

CÂMARA DE GESTÃO DOS APLS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA DE GESTÃO DOS APLS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA DE GESTÃO DOS APLS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO III CONFERÊNCIA BRASILEIRA DE APL s Novembro 2007 CÂMARA DE GESTÃO DOS APLS / RJ Núcleo Estadual criado por Decreto, com objetivo de coordenar as ações

Leia mais

Mineroduto - Porto do AçuA. Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado

Mineroduto - Porto do AçuA. Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado Mineroduto - Porto do AçuA Prefeitura de São João da Barra Prefeita Carla Machado o município Em junho deste ano São João da Barra completou 333 anos de fundação. É uma longa história iniciada por pescadores

Leia mais

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA

UGE UNIDADE DE GESTÃO ESTRATÉGICA PLANO PLURIANUAL 2010 2012 Brasília, outubro de 2009. ESTRATÉGIA DE ATUAÇÃO DO SEBRAE/DF CENÁRIO DE RECURSOS DO SEBRAE/DF RESUMO DE RECEITA LIMITES ORÇAMENTÁRIOS RESUMO POR TIPOLOGIA CARTEIRA DE PROJETO

Leia mais

CNM Internacional. Campinas 26 de maio.

CNM Internacional. Campinas 26 de maio. CNM Internacional Campinas 26 de maio. O que é a CNM Internacional? A área da Confederação Nacional de Municípios responsável por promover a inserção internacional dos municípios brasileiros. Lançada em

Leia mais

Date 5 may 2015. SISTEMA S - Brasil. Dionisio Parise. SENAI Departamento Regional do Parana

Date 5 may 2015. SISTEMA S - Brasil. Dionisio Parise. SENAI Departamento Regional do Parana Date 5 may 2015 SISTEMA S - Brasil Dionisio Parise SENAI Departamento Regional do Parana AGRICULTURA INDÚSTRIA COMÉRCIO SISTEMA S EMPREENDEDORISMO COOPERATIVISMO TRANSPORTE CNA Confederação da Agricultura

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Apresentação Esse relatório trata do Financiamento do Desenvolvimento Regional formulado pelo Ministério da Integração Nacional-MI, como contribuição à reflexão do tema

Leia mais

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora.

Pelo estudo, cerca de 13 milhões de brasileiros estão envolvidos diretamente com alguma atividade empreendedora. 1 Grande Expediente proferido pela Dep. Profª Raquel Teixeira Brasília, 20.03.2006 Uma recente pesquisa publicada pelo Global Entrepreneurship Monitor coloca o Brasil em 7º lugar entre as nações mais empreendedoras

Leia mais

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo:

A discussão resultou nos pontos sintetizados abaixo: Oficina em Ilhabela Relatoria da Plenária Final Esta oficina, realizada no dia 28 de março de 2012, no Hotel Ilhabela, na sede do município, faz parte do processo de escuta comunitária no âmbito do projeto

Leia mais