Pós-graduação Lato-Sensu em Atividades Motoras para Promoção da Saúde e qualidade de Vida Escola de Educação Física de Caratinga.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pós-graduação Lato-Sensu em Atividades Motoras para Promoção da Saúde e qualidade de Vida Escola de Educação Física de Caratinga."

Transcrição

1 Pós-graduação Lato-Sensu em Atividades Motoras para Promoção da Saúde e qualidade de Vida Escola de Educação Física de Caratinga. ANÁLISE DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS E MOTIVOS DA DESISTÊNCIA EM PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO WILLIAN VINICIUS SOUTO BRAGA CARATINGA MG / 2003

2 Pós-Graduação Lato-Senso em Atividades Motoras para a Promoção da Saúde e Qualidade de Vida - EFISC ANÁLISE DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS E MOTIVOS DA DESISTÊNCIA EM PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO Willian Vinícius Souto Braga PEÇANHA, MG Endereço para correspondência nome: Willian Vinícius Souto Braga endereço: Rua Douto José Pinto da Rocha 190, Centro Peçanha MG RESUMO Este artigo pretende analisar dados antropométricos e a influência da academia nas desistências de prática de Musculação. Realizou-se um estudo a partir de uma coleta de dados em 152 fichas de avaliação física com alunos de musculação de ambos os sexos, com idade de 18 a 46 anos.. Foram analisados os percentuais de gordura obtidos pela avaliação de pregas cutâneas, IMC (Índice de Massa Corporal) para classificação da obesidade e perguntas para informação de objetivo e porque pararam a praticar musculação. O tratamento estatístico foi feito pela distribuição dos dados de forma objetiva. Em relação ao objetivo, as mulheres em sua maioria queriam emagrecer tendo os homens este mesmo objetivo. Para o IMC (Índice de Massa Corporal) ambos os sexos estão com Peso Normal (20 a 25 para baixo) mas quanto ao percentual de gordura as mulheres tiveram classificação Abaixo da Média e sua maioria desistiu da musculação pela falta de tempo e os homens pelo pouco resultado apresentado junto a seus objetivos. Quando o objetivo desta pratica era à busca de saúde, pouco foi às desistências.tais resultados mostram que muitos são os que procuram a musculação para tentarem emagrecer e não com objetivo de promoção à saúde, Verificou-se que a desistência dos praticantes teve uma pequena influencia da Academia quanto à motivação, explicação da atividade e seus objetivos.sugere-se a continuação deste estudo em outras variáveis como: horário de funcionamento, influencia de profissionais e procura por saúde, qualidade de vida ou aquisição de performance; para melhor administração nas academias. Palavras chave: academia, musculação, atividade física e avaliação

3 INTRODUÇÃO Com o estilo de vida cada vez mais sedentário, as probabilidades de se desenvolver doenças cardiovasculares, problemas de postura, stress e outros é muito grande. Para se ter idéia desta inatividade o Centro para Controle e Prevenção de doenças dos Estados Unidos (CDC) relatou que aproximadamente 250,000 vidas são perdidas anualmente devido ao estilo de vida sedentário.(sharkey, 1998) Hoje a falta de atividade física é considerada um fator de risco, tendo a vida ativa unida aos comportamentos e hábitos saudáveis um fator primordial para manutenção da saúde, longevidade além de aprimorar a função cardiovascular e respiratória, redução nos fatores de risco para doença arterial coronariana, mortalidade e morbidez reduzida, prevenção secundária, menor ansiedade e depressão, sensações de bem estar aprimoradas a melhor desempenho em atividades laborativas, recreativas e desportivas. (ACSM, 2003). A atividade física passou a ser não uma forma de treinamento, de aquisição de performance ou até uma forma na qual leve ao divertimento e sim a coadjuvante de uma boa saúde. (FERNANDES, 1999) O culto a beleza física tem demonstrado um grande valor junto à sociedade de um modo geral, buscando além de belas formas, corpos atléticos e uma musculatura bem definida com percentual baixo de gordura a manutenção da saúde e uma vida mais cheia de qualidade. Com tantos objetivos frisados pela sociedade, academias têm se mostrado muito interessado na conquista deste publico com necessidade diferenciadas. Ampliam seus espaços, inauguram filiais e utilizam aulas diferenciadas para esta conquista como é o exemplo de lutas, natação, alongamento e relaxamento, spininng dentre tantas outras, movimentando um mercado grandioso, sem deixar de lado a musculação uma das atividades mais praticadas e objetivas quanto aos interesses da população. (SABA, 2001) Os profissionais que atuam em academias devem dominar conhecimentos distintos e estas disporem de uma equipe multidisciplinar para oferecer um melhor atendimento a seus clientes. (NOVAES & VIANNA, 1998)

4 O conhecimento cientifico de um fato passa por uma avaliação, e esta é necessária para desenvolver o programa adequado de atividade física a um cliente a partir dos dados encontrados antes do início de qualquer prática física.(fernandes, 1999) Esta avaliação serve para identificar o perfil do cliente para que se possa atender a sua necessidade de forma mais segura. (NOVAES & VIANNA, 1998) Com objetivo de analisar o perfil físico de clientes de academia praticantes de musculação e a influencia de desistência, o presente estudo utiliza avaliação antropométrica, mensuração de IMC (Índice de Massa Corporal) e perguntas para objetivar os interesses dos praticantes e motivos que o levaram a desistir de praticar musculação. A academia tem relação negativa a motivos de desistência de praticantes em musculação? MATERIAL E METODOS Este estudo trata-se de um estudo do tipo exploratório, descritivo e explicativo. Foram analisadas entre maio e setembro de fichas de avaliação física realizada antes do início do treinamento de musculação em uma academia. Estas fichas eram de alunos de ambos os sexos entre eles 90 homens e 62 mulheres e desta população 12,2 % e 23% respectivamente não iniciaram suas práticas. Verificou-se também que 34% dos homens e 35% das mulheres deixaram de treinar neste período, sendo que 35% da amostra total parou entre a 1ª e 3ª semana de treino, 12% entre a 4ª e 8ª semana, 40% entre a 9ª e a 13ª semana e 13% no período da 14ª e 16ª semana de treino. Os dados são de origem da Long Life academia localiza na Cidade de Peçanha - MG, empresa cujas atividades são ministradas por profissionais formados em Educação Física. Para a avaliação física utilizou-se dobra cutânea para calculo do percentual de gordura corporal direcionado pelo protocolo de Jackson e Pollock (1995) de 3 pregas: tríceps, suprailíaca e coxa para mulheres e tórax, abdômen e coxa para homens. Usou-se o compasso LANGE (Jackson & Pollock,1990, apud,

5 MATHIAS et al2003) e a localidade anatômica das pregas seguiu orientação de Macardle et al (1998). A mensuração de altura (fita métrica BARTOWW NORWOOD) e peso (balança) para IMC (Índice de Massa Corporal) e perguntas sobre objetivo para a prática da musculação e motivo de saída dos praticantes desistentes. Para procedimento da analise estatística os dados foram tabulados em uma planilha do Microsoft Excel e depois se constatou suas distribuições. RESULTADOS E DISCUSSÃO Constatou-se neste estudo quanto aos objetivos dos praticantes na musculação respostas variadas, tendo uma maior percentagem a resposta para emagrecimento. TABELA 1 Objetivo iniciai dos praticantes de musculação em academia Resposta Emagrecer Saúde Hipertrofia Ganho de Massa Objetivo Homens Mulheres N Clientes % N Clientes % Procuram Saúde (dos que saíram) Homens 22.2% Mulheres 17.8% De acordo com os objetivos das amostras é nítido a preferência das mulheres na pratica desta atividade visando o emagrecimento e poucas são as que objetivam a saúde enquanto os homens têm objetivos quanto a hipertrofia muscular e ao emagrecimento deixando em terceiro lugar o culto à saúde. Verificou-se ainda a área corporal com dados de peso e altura para estimativa do IMC (Índice de Massa Corporal).

6 TABELA 2 IMC (Índice de Massa Corporal) de praticantes de musculação em Classificação Abaixo Peso Peso Normal SobrePeso Obesidade Ob. Mórbida I M C Homens Mulheres N Clientes % N Clientes % Classificação Abaixo Peso Peso Normal SobrePeso Obesidade Ob. Mórbida academia. I M C dos que Saíram Homens Mulheres N Clientes % N Clientes % Fonte : Americam Colege of Sports Medicine (ACSM) 2003 Nota-se que a maior parte da amostra do sexo masculino e do sexo feminino estão com o peso caracterizado normal, quando comparados ao IMC. Este IMC é uma das formas de estabelecer de forma indireta o excesso ou não de peso, e o ACSM recomenda exercícios físicos que demandem maior gosto energético e utilizem principalmente o sistema aeróbio de produção de energia. (NOVAES & VIANNA, 1998) Utilizou-se a avaliação corporal por pregas cutâneas para verificar melhor o percentual de gordura.

7 TABELA 3 Dados estabelecidos por pregas cutâneas para estimar o percentual de gordura dos praticantes de musculação em academia. Classificação Excelente Bom Ac. Média Média Ab. Média Ruim Muito Ruim Dados de % de gordura Homens Mulheres N Clientes % Clientes % Total N Clientes % Clientes % Total % de Gordura abaixo da média (dos que saíram) Homens 63% Mulheres 47% Fonte : Americam Colege of Sports Medicine (ACSM) 2003 A tabela acima demonstra que a grande maioria dos clientes estão com percentual de gordura acima da média tanto para homens quanto para mulheres sendo muito poucos os clientes que estão com o percentual de gordura abaixo da média. O cálculo do percentual de gordura corporal pela medição da espessura de pregas cutâneas (pele) é um dos métodos mais precisos para avaliar o teor de gordura e o peso corporal. Os níveis considerados normais são abaixo de 15% nos homens e 25% nas mulheres. (DANTAS, 1996) A prescrição inicial do exercício deve basear-se em uma baixa intensidade e em durações da atividade progressivamente mais longas. (ACSM,2003) Demonstrou-se também o motivo pelo qual os praticantes de musculação em academia deixaram a prática.

8 TABELA 4 Pergunta direcionada aos praticantes de musculação em academia sobre sua desistência nesta prática. Resposta Falta de Tempo Falta motivação Falta de Dinheiro Pouco Resultado Outra Atividade Outro Motivo Pergunta Homens Mulheres N Clientes % N Clientes % Este resultado é surpreendente quanto à motivação vinda da academia principalmente dos profissionais formados que ali trabalham. Grande parte de seus clientes abandonaram a prática da musculação por não se sentirem motivados tanto homens quanto mulheres, perdendo somente para a falta de tempo e se igualando à condições financeiras quando perguntado às mulheres. Estes alunos chegam a uma bifurcação na estrada, um dos caminhas mostra evidência de trajeto pesado, enquanto o outro o menos utilizado está pouco marcado no solo. Um desce a colina, o caminho mais fácil, enquanto o outro sobe lentamente para alturas distantes. Você será seduzido pelo caminho fácil ou motivado pela estrada que sobe e pela visão que terá lá de cima? Tristemente, muitos de nós têm escolhido o caminho mais fácil e, como conseqüência, perdemos nossa identidade de um povo vigoroso e com vitalidade. Ao longo do caminho, tornamo-nos a nação mais gorda do mundo, atacados pela fadiga crônica, depressão, doenças do coração e pulmões, câncer e diabete. (SHARKEY, 1998) CONCLUSÃO Com uma prática cada vez maior de pessoas que buscam um patamar ótimo de saúde e um estilo melhor de vida, as academias devem ficar atentas ao bom atendimento, melhor infra-estrutura, variação de atividades e trabalho feito

9 sempre por profissionais para agradar a diferentes objetivos, procurar mostra o que cada modalidade oferece de melhor para obtenção desses objetivos e principalmente avaliar seus praticantes antes de iniciarem, para traçar melhor o treinamento, procurando assim satisfazer suas necessidades. Os resultados encontrados neste artigo indicam que os objetivos de ambos os sexos não são diferentes, enfatizando mais o emagrecimento. Constatou-se que a maioria desses praticantes também de ambos os sexos teen o peso normal quando comparados pelo IMC (Índice de Massa Corporal), tanto os que continuam quanto aos que saíram da pratica da musculação. A análise dos dados do percentual de gordura dos avaliados diz-nos que a maioria dos homens tem um percentual de gordura acima da média, já as mulheres estão com o percentual em equilíbrio 39.6% para cima e 39.6% para baixo. Entretanto os praticantes desistentes desta prática estão muito abaixo da média principalmente a maioria dos homens. A maior parte dos homens avaliados saiu da musculação por sentirem que esta prática teve pouco resultado e as mulheres por falta de tempo tendo a motivação em alguns casos um fator determinante para a desistência. Soube-se que poucos foram a desistências que objetivavam a saúde e a maioria o fato de quererem emagrecer.esta pratica requer tempo para aquisição de resultados e como toda atividade física possui um controle profissional para que seus praticantes tenham segurança em suas execuções. A academia teve influencia negativa para desistência de alguns praticantes como é o caso da motivação de seus praticantes, na explicação dos objetivos da musculação a cada cliente e também pode oferecer outras atividades físicas para adaptar-se a diferentes intenções e objetivos mesmo sendo poucas as desistências deve-se mudar sempre para melhor. Sugere-se a continuação deste estudo, com preocupação em outros aspectos que venha a levar praticantes de musculação em academia a desistência desta prática como: mensalidade, influencia de profissionais, horários, acesso à academia, dentre outros. Analisar se a musculação está sendo procurada para qualidade de vida e saúde ou para corpos perfeitos talvez estes sem saúde.

10 REFERENCIAS - AMERICAN COLLEGEE OF SPORTS MEDICINE. In: Diretrizes do ACSM para os Testes de esforço e sua Prescrição 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogam, S.A, BARBANTI, Valdir J. Dicionário de Educação Física 1 Ed., São Paulo: Manole DANTAS, Julizar, Coração e fatores de risco Qualidade total na promoção da Saúde: Belo Horizonte FERNADES, FILHO, José. A pratica da avaliação física: Rio de Janeiro: Shape; MARINS, João Carlos Bouzas & GIANNICHI, Ronaldo Sérgio. Avaliação e prescrição de atividade física: 2 Ed. Rio de Janeiro: Shape, NOVAES, Jefferson da Silva & VIANNA, Jéferson M. Personal Training e condicionamento físico em academia. Rio de Janeiro: Shape, SABA, F.R.F. Aderência: à prática de exercício físico em academia. 1 Ed. São Paulo: Manole; SANTAREM, José Maria. A responsabilidade profissional nas informações sobre atividade física para a população. - SHARKEY, Brian. J. Condicionamento físico e saúde. Traduzido por Márcia dos Santos Dornelles e Ricardo Demetrio de Souza Persem. 4 Ed. Porto Alegre: Artmed, VIANN, Jéferson MATHIAS, C. V. Ribeiro, C. M. S, Oliveira, C.N, Ferreira, F.ªS, Botelho. M.V.c Prevalência de Obesidade em Praticantes em Musculação em Academia 2003

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo

Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Bases Metodológicas do Treinamento Desportivo Unidade II Controle e Prescrição do Treinamento Prof. Esp. Jorge Duarte Prescrição de Atividades Físicas Condições de saúde; Estado geral do aluno (cliente);

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

ANÁLISE DAS CARGAS E MÉTODOS DE TREINAMENTO UTILIZADOS NA PREPARAÇÃO FÍSICA DO FUTSAL FEMININO AMAZONENSE

ANÁLISE DAS CARGAS E MÉTODOS DE TREINAMENTO UTILIZADOS NA PREPARAÇÃO FÍSICA DO FUTSAL FEMININO AMAZONENSE ANÁLISE DAS CARGAS E MÉTODOS DE TREINAMENTO UTILIZADOS NA PREPARAÇÃO FÍSICA DO FUTSAL FEMININO AMAZONENSE INTRODUÇÃO AGNELO WEBER DE OLIVEIRA ROCHA RONÉLIA DE OLIVEIRA MELO VIANA UFAM UNIVERSIDADE FEDERAL

Leia mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE 01 CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença crónica que se caracteriza pelo excesso de gordura corporal e que atinge homens, mulheres e crianças de todas as etnias e idades. A sua prevalência

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM TREINAMENTO DE FORÇA NO CRESCIMENTO LONGITUDINAL DE ADOLESCENTES

PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM TREINAMENTO DE FORÇA NO CRESCIMENTO LONGITUDINAL DE ADOLESCENTES PRODUÇÃO CIENTÍFICA EM TREINAMENTO DE FORÇA NO CRESCIMENTO LONGITUDINAL DE ADOLESCENTES Bianca Fernandes Di Toro¹; Josiane Lopes Pires 1 ; João Pedro Arantes 2 ; Eduardo Günther Montero 2 Estudante do

Leia mais

UKLÉBERTTON DA SILVA BARROS ANÁLISE E COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE FLEXIBILIDADE DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DA ACADEMIA NOVAFORMA - DF

UKLÉBERTTON DA SILVA BARROS ANÁLISE E COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE FLEXIBILIDADE DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DA ACADEMIA NOVAFORMA - DF UKLÉBERTTON DA SILVA BARROS ANÁLISE E COMPARAÇÃO DO NÍVEL DE FLEXIBILIDADE DE PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO DA ACADEMIA NOVAFORMA - DF Artigo apresentado ao Curso de graduação em Educação Física da Universidade

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO CARDIORRESPIRATÓRIA (PROCOR)

PROGRAMA DE PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO CARDIORRESPIRATÓRIA (PROCOR) PROGRAMA DE PREVENÇÃO E REABILITAÇÃO CARDIORRESPIRATÓRIA (PROCOR) Priscila Bendo Acadêmica do Curso de Educação Física da UFSC Luiza Borges Gentil Acadêmica do Curso de Medicina da UFSC José Henrique Ramos

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL

PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL ARTIGO PREVALÊNCIA DE SOBREPESO E DE OBESIDADE EM ESCOLARES DO ENSINO FUNDAMENTAL I DA ESCOLA ESTADUAL ANTONIA DE FARIAS RANGEL Flávio Petrônio Cabral de Castro Docente da Escola Estadual Antonia Rangel

Leia mais

MÉTODOS DE TREINAMENTO DE FLEXIBILIDADE EM PRATICANTES DE GINÁSTICA RÍTMICA DO PARANÁ

MÉTODOS DE TREINAMENTO DE FLEXIBILIDADE EM PRATICANTES DE GINÁSTICA RÍTMICA DO PARANÁ ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 43 A 50 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte RECEBIDO EM: 00-00-0000 ACEITO EM: 00-00-0000 ARTIGO ORIGINAL MÉTODOS DE TREINAMENTO DE FLEXIBILIDADE EM

Leia mais

EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO

EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO EFEITO DO TREINAMENTO DE FORÇA NO DESEMPENHO DA FORÇA MÁXIMA DE PRATICANTES DA MODALIDADE DE MUSCULAÇÃO Andrey Portela 1, Arnaldo Guilherme Borgo 2 1 UNIGUAÇU; 2 Licenciado em Educação Física e Esportes.

Leia mais

Curriculum da Empresa Via Activa Animação Turística Lda.

Curriculum da Empresa Via Activa Animação Turística Lda. Curriculum da Empresa Via Activa Animação Turística Lda. 2010 Contactos: viaactiva@gmail.com 1. Dados da Empresa Nome: Via Activa animação Turística Lda Morada e contribuinte: Rua Dr. Alfredo Ferreira

Leia mais

Modalidades esportivas Sesc

Modalidades esportivas Sesc Faça sua carteira COMERCIÁRIO: TITULAR: CPTS atualizada, Comp. de residência, GFIP (Guia de Recolhimento e Informações do FGTS), Taxa CONVENIADOS: TITULAR: Comp.de residência, documento que comp. de vínculo

Leia mais

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA).

INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). INGESTÃO DIETÉTICA E COMPOSIÇÃO CORPORAL DE DANÇARINAS DA UFPA (BELÉM PA). GLEICIANE MARTINS GOMES ADRIANA MOURA DOS SANTOS JOSEANA MOREIRA ASSIS RIBEIRO FERNANDO VINÍCIUS FARO REIS JÚLIO ALVES PIRES FILHO

Leia mais

PERIODIZAÇÃO PARA ALUNOS DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA

PERIODIZAÇÃO PARA ALUNOS DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA PERIODIZAÇÃO PARA ALUNOS DE ACADEMIAS DE GINÁSTICA INTRODUÇÃO RAFAEL RODRIGUES CARDOSO Universidade Federal de Goiás, Goiânia, Goiás, Brasil rafa_net@hotmail.com O homem exercitava seu corpo, mesmo que

Leia mais

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS A POPULAÇÃO IDOSA NO MERCADO DE TRABALHO DA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE SETEMBRO - 2008 PESQUISA DE EMPREGO E DESEMPREGO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE PED-RMPA INFORME ESPECIAL IDOSOS

Leia mais

ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º E.M.

ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º E.M. Nome: n.º Barueri, / / 2009 1ª Postagem Disciplina: Educação Física 3ª série E.M ATIVIDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA 3º E.M. Orientações para desenvolvimento da atividade: Esse será um texto a ser utilizado no

Leia mais

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição.

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Projeto Ação Social Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Objetivo Geral: A equipe de Nutrição teve por objetivo atender aos pacientes

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS.

A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS. A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS. Introdução AUTOR: JOÃO EDUARDO BICCA CARMO CORONEL Faculdade Metodista

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM NUTRIÇÃO ESPORTIVA APLICADA À SÁÚDE, ESTÉTICA E DESEMPENHO FÍSICO 1. CURSO: Pós-graduação em Nutrição Esportiva aplicada à saúde, estética e desempenho físico. 1.1 Área de Conhecimento:

Leia mais

4.6 Análise estatística

4.6 Análise estatística 36 4.6 Análise estatística Na análise dos dados, foi utilizado o programa estatístico SPSS, versão 11.5 (Windows). Inicialmente, apresentou-se o resultado geral do grupo dos adolescentes obesos e de eutróficos,

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO LATO- SENSU EM ATIVIDADES MOTORAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA.

PÓS GRADUAÇÃO LATO- SENSU EM ATIVIDADES MOTORAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA. FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE CARATINGA-FUNEC ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA DE CARATINGA-EFISC PÓS GRADUAÇÃO LATO- SENSU EM ATIVIDADES MOTORAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA. AUTOR: ANDRÉ SALUSTIANO

Leia mais

PROJETO. Saúde, um direito Cívico

PROJETO. Saúde, um direito Cívico PROJETO Saúde, um direito Cívico Projeto Mexa-se - Ano de 2014-2015 Página 1 " A manutenção da saúde assenta no contrariar a tendência para a redução de exercício. Não existe nenhuma forma de substituir

Leia mais

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Prof. Antonio Carlos Fedato Filho Prof. Guilherme Augusto de Melo Rodrigues Monitorando e conhecendo melhor os trabalhos

Leia mais

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista

Prevenção Cardio vascular. Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Prevenção Cardio vascular Dra Patricia Rueda Cardiologista e Arritmologista Principal causa de morte em todo o mundo Considerada uma EPIDEMIA pela OMS em 2009 Alta mortalidade Alta morbidade = Muitas

Leia mais

V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte PERFIL DOS PRATICANTES DE CAMINHADA DO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON ESTUDOS E REFLEXÕES

V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte PERFIL DOS PRATICANTES DE CAMINHADA DO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON ESTUDOS E REFLEXÕES ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 81 A 88 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte RECEBIDO EM: 00-00-0000 ACEITO EM: 00-00-0000 ARTIGO ORIGINAL PERFIL DOS PRATICANTES DE CAMINHADA DO MUNICÍPIO

Leia mais

e-mail: jose.marques@ufjf.edu.br

e-mail: jose.marques@ufjf.edu.br PROGRAMA DE CAMINHADA ORIENTADA Prof.Dr. José Marques Novo Júnior 1 (*) Prof.Dr. Jorge Roberto Perrout de Lima 1 Prof.Ms. Marcelo de Oliveira Matta 1 Profa.Ms. Lílian Pinto da Silva 2 Profa.Dra. Elizabeth

Leia mais

Os funcionários precisam ter consciência que sem clientes não existe a empresa:

Os funcionários precisam ter consciência que sem clientes não existe a empresa: Quer reter clientes? Siga os conselhos do prof. Amauri Marcello 1. O Cliente Os funcionários precisam ter consciência que sem clientes não existe a empresa: A empresa tem que estar totalmente voltada para

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra

Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra Modos de vida no município de Paraty - Ponta Negra Resultados gerais Dezembro 2010 Projeto Community-based resource management and food security in coastal Brazil (Universidade Estadual de Campinas/UNICAMP)

Leia mais

OFICINAS DE GINÁSTICA AERÓBICA PARA OS IDOSOS ASSISTIDOS PELO CRAS E PSF EM SANTANA DO IPANEMA - AL: EDUCANDO PARA A SAÚDE DO CORPO

OFICINAS DE GINÁSTICA AERÓBICA PARA OS IDOSOS ASSISTIDOS PELO CRAS E PSF EM SANTANA DO IPANEMA - AL: EDUCANDO PARA A SAÚDE DO CORPO OFICINAS DE GINÁSTICA AERÓBICA PARA OS IDOSOS ASSISTIDOS PELO CRAS E PSF EM SANTANA DO IPANEMA - AL: EDUCANDO PARA A SAÚDE DO CORPO RAY BRUNO MIRANDA SILVA MARIA CLEDILMA FERREIRA DA SILVA COSTA Universidade

Leia mais

Desenvolver a arte marcial com seriedade e excelência no ensino, proporcionando uma loso a de vida.

Desenvolver a arte marcial com seriedade e excelência no ensino, proporcionando uma loso a de vida. FAÇA PARTE DA NOSSA FAMÍLIA Fundada pelos irmãos Nogueira, a Team Nogueira é hoje a maior equipe de MMA pro ssional do mundo. Possui seu principal centro de treinamento no Rio de Janeiro, onde os atletas

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

24 motivos. academia. para entrar na

24 motivos. academia. para entrar na para entrar na academia Mais um ano se inicia e com ele chegam novas perspectivas e objetivos. Uma das principais promessas feitas é deixar o sedentarismo de lado e entrar na academia! Nesta época é comum

Leia mais

PERFIL DO PERSONAL TRAINER DOS MUNICÍPIOS DE NOVA FRIBURGO E TERESÓPOLIS. Autores (Alunos) Alessandra Jardim Rodrigo Silva de Souza

PERFIL DO PERSONAL TRAINER DOS MUNICÍPIOS DE NOVA FRIBURGO E TERESÓPOLIS. Autores (Alunos) Alessandra Jardim Rodrigo Silva de Souza ARTIGO EDUCAÇÃO FÍSICA - LICENCIATURA PERFIL DO PERSONAL TRAINER DOS MUNICÍPIOS DE NOVA FRIBURGO E TERESÓPOLIS Autores (Alunos) Alessandra Jardim Rodrigo Silva de Souza Orientador: Professor Dr. Carlos

Leia mais

MS delsinho94@gmail.com, vinicius.maeda@ifms.edu.br, pablo.salomao@ifms.edu.br

MS delsinho94@gmail.com, vinicius.maeda@ifms.edu.br, pablo.salomao@ifms.edu.br DESENVOLVIMENTO DE MELHORIAS PARA O SISTEMA DE AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DE ATIVIDADES FÍSICAS Adelson Florindo dos Santos 1, Vinicius de Araújo Maeda 1, Pablo Teixeira Salomão 1 1 Instituto Federal de

Leia mais

EFEITO DE UM PROGRAMA PERSONALIZADO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA COMPOSIÇÃO CORPORAL: UM ESTUDO DE CASO

EFEITO DE UM PROGRAMA PERSONALIZADO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA COMPOSIÇÃO CORPORAL: UM ESTUDO DE CASO EFEITO DE UM PROGRAMA PERSONALIZADO DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NA COMPOSIÇÃO CORPORAL: UM ESTUDO DE CASO CELI, Jonathan Antônio 1 ; PANDA, Maria Denise Justo 2 Resumo: Esta pesquisa teve como objetivo analisar

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA SEGUNDO A PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DA REDE PÚBLICA INCLUSOS NO PROJOVEM ADOLESCENTE Angélica da Silva Santos 1, Cicera Rócila Pereira Araújo¹, Lourdes Lanes Ferreira Pereira¹,

Leia mais

SEXUALIDADE E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: O DIREITO À EDUCAÇÃO SEXUAL

SEXUALIDADE E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: O DIREITO À EDUCAÇÃO SEXUAL SEXUALIDADE E DEFICIÊNCIA INTELECTUAL: O DIREITO À EDUCAÇÃO SEXUAL Tito Marcos Domingues dos Santos Escola Municipal Rivadávia Corrêa Resumo: Pesquisas mostram que a educação sexual tem sido negada aos

Leia mais

ORIGENS DA ATIVIDADE FÍSICA

ORIGENS DA ATIVIDADE FÍSICA ORIGENS DA ATIVIDADE FÍSICA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL AVANÇOS TECNOLÓGICOS SEDENTARISMO POLUIÇÃO URBANISMO E A EVOLUÇÃO DA SOCIEDADE!! A atividade física e a saúde são dois conceitos que têm uma forte relação.

Leia mais

Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não!

Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não! Amil alerta sobre obesidade infantil com apelo das próprias crianças: diga não! Um dos maiores problemas enfrentados pelos pais na educação alimentar dos filhos é conseguir entender a linha tênue entre

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª. Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia.

Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª. Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia. Projeto de Resolução n.º 238/XIII/1.ª Recomenda ao Governo que implemente medidas de prevenção e combate à Diabetes e à Hiperglicemia Intermédia. O aumento da esperança de vida, conseguido através do desenvolvimento,

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE ALTERAÇÕES DE EQUILÍBRIO E A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS

A RELAÇÃO ENTRE ALTERAÇÕES DE EQUILÍBRIO E A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS A RELAÇÃO ENTRE ALTERAÇÕES DE EQUILÍBRIO E A QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS Autor José André Ramos Gouveia; Orientadora: Isabella Dantas da Silva; Co-autores: Lorena Maria Brito Neves Pereira; Gabriela Brasileiro

Leia mais

Este capítulo tem como objetivo, tecer algumas considerações. Epidemiologia, Atividade Física e Saúde INTRODUÇÃO

Este capítulo tem como objetivo, tecer algumas considerações. Epidemiologia, Atividade Física e Saúde INTRODUÇÃO 1 Epidemiologia, Atividade Física e Saúde Efi gênia Passarelli Mantovani Especialista em Atividade Física e Qualidade de Vida Unicamp Vera Aparecida Madruga Forti Profa. Dra. do Departamento de Estudos

Leia mais

CEF Periodização e Sistemas de Treino

CEF Periodização e Sistemas de Treino CEF Periodização e Sistemas de Treino João Pedro Ramos, CPT, PES National Academy of Sports Medicine Certified Personal Trainer Performance Enhancement Specialist Periodização TF Sistemas de TF 1 PLANO

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

INSTITUIÇÃO: FACULDADE MUNICIPAL PROFESSOR FRANCO MONTORO DE MOGI GUAÇU

INSTITUIÇÃO: FACULDADE MUNICIPAL PROFESSOR FRANCO MONTORO DE MOGI GUAÇU TÍTULO: UTILIZAÇÃO DA CREATINA POR PRATICANTES DE MUSCULAÇÃO CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE MUNICIPAL PROFESSOR FRANCO MONTORO DE MOGI

Leia mais

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento

Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Sistema de Avaliação, Motivação e Prescrição de Treinamento Nome: WALMAR DE HOLANDA CORREA DE ANDRADE Matrícula: 004905 Sexo: Masculino Data Avaliação Funcional: Idade: 31 anos Professor: Email: EURIMAR

Leia mais

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO

CONVERSA DE PSICÓLOGO CONVERSA DE PSICÓLOGO Página 1 CONVERSA DE PSICÓLOGO Volume 02 - Edição 01 Julho - 2013 Entrevistada: Mayara Petri Martins Entrevistadora: Bruna Aguiar TEMA: OBESIDADE Mayara Petri Martins. Psicóloga analista do comportamento,

Leia mais

V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte ESTUDO SOBRE A AGRESSIVIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR

V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte ESTUDO SOBRE A AGRESSIVIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL DO MUNICÍPIO DE MARECHAL CÂNDIDO RONDON PR ESTUDOS E REFLEXÕES V 5 - Nº 9 PÁGS. 33 A 42 V Encontro de Pesquisa em Educação Física 1ª Parte RECEBIDO EM: 00-00-0000 ACEITO EM: 00-00-0000 ARTIGO ORIGINAL ESTUDO SOBRE A AGRESSIVIDADE NO ENSINO FUNDAMENTAL

Leia mais

Promoção da Actividade Física nos Idosos Acção Integrada para um Objectivo Comum

Promoção da Actividade Física nos Idosos Acção Integrada para um Objectivo Comum Promoção da Actividade Física nos Idosos Acção Integrada para um Objectivo Comum 1. Introdução O envelhecimento é um fenómeno universal, irreversível e inevitável em todos os seres vivos. Psicológico Social

Leia mais

O CIRCO: UM ENFOQUE NA PERCEPÇÃO DE COMPETÊNCIA DO ARTISTA CIRCENSE

O CIRCO: UM ENFOQUE NA PERCEPÇÃO DE COMPETÊNCIA DO ARTISTA CIRCENSE 26 a 29 de outubro de 2010 ISBN 978-85-61091-69-9 O CIRCO: UM ENFOQUE NA PERCEPÇÃO DE COMPETÊNCIA DO ARTISTA CIRCENSE Eduardo Rafael Llanos Parra 1 ; Marcela Garcia de Santana 1 ; Vânia de Fátima Matias

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI

Sumário Executivo. Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Sumário Executivo Pesquisa Quantitativa de Avaliação do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil PETI Fundação Euclides da Cunha FEC/Data UFF Secretaria de Avaliação e Gestão da Informação Ministério

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BE066 FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO PROF. SERGIO GREGORIO DA SILVA, PHD AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (COLÉGIO

Leia mais

Prof. Fernando R. Ferreira frf.frf@hotmail.com

Prof. Fernando R. Ferreira frf.frf@hotmail.com Prof. Fernando R. Ferreira frf.frf@hotmail.com Esquema de Aula Atividade Física Bioenergética - Sistemas Produtores de Energia Princípio do Treinamento Identificação de Índices Fisiológicos Capacidade

Leia mais

PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUE ATUAM EM ACADEMIAS DE MUSCULAÇÃO NA REGIÃO CENTRAL DA CIDADE DE CRICIÚMA/SC

PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUE ATUAM EM ACADEMIAS DE MUSCULAÇÃO NA REGIÃO CENTRAL DA CIDADE DE CRICIÚMA/SC PERFIL DOS PROFISSIONAIS DE EDUCAÇÃO FÍSICA QUE ATUAM EM ACADEMIAS DE MUSCULAÇÃO NA REGIÃO CENTRAL DA CIDADE DE CRICIÚMA/SC Rodrigo de Rosso Krug (Especialista em Ciência do Movimento Humano /UNICRUZ e

Leia mais

ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO

ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO ATENDIMENTO DOMICILIAR FISIOTERAPEUTICO PARA PORTADOR DE ACIDENTE VASCULAR CEREBRAL NO ESTÁGIO AGUDO Ana Coely Araujo Vieira¹; Fernanda Naiene Rodrigues Valadares²; Rebecca Pessoa de Almeida Lima³; Joventina

Leia mais

Professor Doutor titular de Geometria do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Santa Cecília Santos SP. E-mail: jesusmar@unisanta.

Professor Doutor titular de Geometria do Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Santa Cecília Santos SP. E-mail: jesusmar@unisanta. ANÁLISE DO DESEMPENHO EM GEOMETRIA E DAS ATITUDES EM RELAÇÃO À MATEMÁTICA DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO Marcos Antonio Santos de Jesus 1 Odilthom Elias da Silva Arrebola 2 Este estudo foi desenvolvido com

Leia mais

As Atividades físicas suas definições e benefícios.

As Atividades físicas suas definições e benefícios. As Atividades físicas suas definições e benefícios. MUSCULAÇÃO A musculação, também conhecida como Treinamento com Pesos, ou Treinamento com Carga, tornou-se uma das formas mais conhecidas de exercício,

Leia mais

Perfil Educacional SEADE 72

Perfil Educacional SEADE 72 Perfil Educacional A análise da situação educacional do Estado de Santa Catarina fundamentase nos indicadores de instrução da população (taxa de analfabetismo para 1991), de escolarização (taxa líquida

Leia mais

SubProjecto. Educação para a Saúde Escola ConVida

SubProjecto. Educação para a Saúde Escola ConVida SubProjecto Educação para a Saúde Escola ConVida Ano lectivo 2008/2009 Preâmbulo Nos últimos anos, a escola EB 2, 3 da Maia tem vindo a realizar um trabalho interventivo no âmbito da Educação para Saúde,

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

COMPORTAMENTO ALIMENTAR, AUTOCONCEITO E IMAGEM CORPORAL EM PRÉ-ADOLESCENTES COMO FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE TRANSTORNOS ALIMENTARES

COMPORTAMENTO ALIMENTAR, AUTOCONCEITO E IMAGEM CORPORAL EM PRÉ-ADOLESCENTES COMO FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE TRANSTORNOS ALIMENTARES COMPORTAMENTO ALIMENTAR, AUTOCONCEITO E IMAGEM CORPORAL EM PRÉ-ADOLESCENTES COMO FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DE TRANSTORNOS ALIMENTARES Renata Tavares Beschizza Pini;Alessandra Costa Pereira

Leia mais

Obesidade Infantil. O que é a obesidade

Obesidade Infantil. O que é a obesidade Obesidade Infantil O que é a obesidade A obesidade é definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afectar

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

TECNICAS CORPORAIS E MÍDIA: A MULHER EM BUSCA DA BELEZA Regina Márcia Soares Costa 1 Ana Maria da Silva Rodrigues 2

TECNICAS CORPORAIS E MÍDIA: A MULHER EM BUSCA DA BELEZA Regina Márcia Soares Costa 1 Ana Maria da Silva Rodrigues 2 TECNICAS CORPORAIS E MÍDIA: A MULHER EM BUSCA DA BELEZA Regina Márcia Soares Costa 1 Ana Maria da Silva Rodrigues 2 1 Pós-Graduada em Treinamento Físico-DEsportivo 2 Professora dos Departamento de Educação

Leia mais

IMPORTANCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA EM DOENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE RENAL E HEPÁTICO

IMPORTANCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA EM DOENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE RENAL E HEPÁTICO IMPORTANCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA EM DOENTES SUBMETIDOS A TRANSPLANTE RENAL E HEPÁTICO Pereira, V.; Branco, E.; Menezes, M.D.; Silva, C.A.; Silveira, A.; Ventura, F.; Tomás, T. Novembro 2003 FUNDAMENTAÇÃO

Leia mais

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS

PREVENÇÃO DAS DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS PREVENIR É PRECISO MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS PREVENÇÃO DAS DOENÇAS MANUAL DE ORIENTAÇÕES AOS SERVIDORES CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS VIGIAS DA PREFEITURA DE MONTES CLAROS design ASCOM-PMMC PREVENIR É PRECISO DOENÇAS CRÔNICAS NÃO TRANSMISSÍVEIS No

Leia mais

GINÁSTICA LABORAL Prof. Juliana Moreli Barreto

GINÁSTICA LABORAL Prof. Juliana Moreli Barreto GINÁSTICA LABORAL Prof. Juliana Moreli Barreto OFICINA PRÁTICA Aprenda a ministrar aulas de ginástica laboral GINÁSTICA LABORAL - Objetivos e benefícios do programa - Formas de aplicação atualmente - Periodização

Leia mais

Nathallia Maria Cotta e Oliveira 1, Larissa Marques Bittencourt 1, Vânia Mayumi Nakajima 2

Nathallia Maria Cotta e Oliveira 1, Larissa Marques Bittencourt 1, Vânia Mayumi Nakajima 2 105 CARACTERIZAÇÃO DOS PACIENTES ATENDIDOS NO SETOR DE NUTRIÇÃO DA UNICLÍNICA, DA FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE - UNIVIÇOSA, LOCALIZADA NO MUNICÍPIO DE VIÇOSA, MG Nathallia Maria Cotta e

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

RESUMOS SIMPLES...156

RESUMOS SIMPLES...156 155 RESUMOS SIMPLES...156 156 RESUMOS SIMPLES CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 159 CARNEIRO, NELSON HILÁRIO... 157 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 159 CORTE, MARIANA ZANGIROLAME... 157 GARCIA JUNIOR, JAIR RODRIGUES...

Leia mais

PROJETO COLÉGIO NA ACADEMIA

PROJETO COLÉGIO NA ACADEMIA PROJETO COLÉGIO NA ACADEMIA Este projeto tem como objetivo mostrar para os alunos de forma teórica e pratica a importância de fazer exercícios físicos e que na academia se tem grande variedade de atividades

Leia mais

ATIVIDADE PARA O IDOSO. Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira

ATIVIDADE PARA O IDOSO. Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira ATIVIDADE PARA O IDOSO Prof. Dr. Denilson de Castro Teixeira O MOVIMENTO HUMANO Movimento é vida Maneira concreta de estarmos presentes no mundo Interação com o ambiente, com as pessoas e consigo mesmo

Leia mais

PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES

PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES DESAFIO VITA VERÃO PROGRAMA DE 4 DIAS DE TREINO DE FORÇA PARA MULHERES TREINO A - Agachamento livre COMPLETO: 8 a 10 repetições (3x) - Leg 45: 8 a 10 repetições (3x) - Cadeira extensora: 8 a 10 repetições

Leia mais

A influência da prática de atividade física no estado nutricional de adolescentes

A influência da prática de atividade física no estado nutricional de adolescentes A influência da prática de atividade física no estado nutricional de adolescentes Quelita Araújo Alves Freitas¹*(IC), Paulo Fabrício dos Santos Lima ²(IC), Emanuel Bruno da Silva Cruz³ (IC), Camila Pinheiro

Leia mais

Colaborador técnico desta edicão

Colaborador técnico desta edicão a 7 edição Colaborador técnico desta edicão Marcelo Jaime Vieira Líder Retenção Bio Ritmo Cerro Corá Marcelo Jaime Vieira é Educador Físico formado em 1995 pela Escola Superior de Educação Física de Jundiaí.

Leia mais

Modelo de Saúde Vivo/Telefonica. Michel Daud, M.D. Diretoria de Saúde e Qualidade de Vida

Modelo de Saúde Vivo/Telefonica. Michel Daud, M.D. Diretoria de Saúde e Qualidade de Vida Modelo de Saúde Vivo/Telefonica Michel Daud, M.D. Diretoria de Saúde e Qualidade de Vida Porque Investir em Saúde? Para o Colaborador Promove conscientização Aumenta auto estima Proporciona atendimento

Leia mais

Guião do Professor :: 2.º e 3.º Ciclo ALIMENTAÇÃO. um mundo de perguntas. Tema 4 :: Afinal, porque é que existem tantas pessoas com excesso de peso?

Guião do Professor :: 2.º e 3.º Ciclo ALIMENTAÇÃO. um mundo de perguntas. Tema 4 :: Afinal, porque é que existem tantas pessoas com excesso de peso? Guião do Professor :: 2.º e 3.º Ciclo ALIMENTAÇÃO :: Afinal, porque é que existem tantas pessoas com excesso de peso? Guião do Professor Como explorar ALIMENTA ÇÃO Após ter lido, no centro de saúde, um

Leia mais

Personal Training. Guia de Curso. Nível III

Personal Training. Guia de Curso. Nível III Guia de Curso Personal Training Nível III Centro Estudos Fitness T.217 901 600 F.217 901 609 Índice Apresentação CEF...... 3 Cursos Nível III:... 3 Personal Training... 3 Publico Alvo... 3 Modalidade de

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS

UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS UNIVERSIDADE PAULISTA GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS Prof. Cassimiro Nogueira Junior PESSOAS CAPITAL HUMANO CAPITAL INTELECTUAL GRAU DE CONHECIMENTO: PRODUTIVOS E RECONHECIDOS

Leia mais

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO

PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO 1 PERFIL DOS RADIOLOGISTAS NO BRASIL: análise dos dados INTRODUÇÃO O Brasil conta hoje, com 254.886 médicos em atividade profissional (CFM, 2003). O contingente de radiologistas é da ordem de 5388, o que

Leia mais

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas

Acupuntura: a escuta das dores subjetivas 38 Acupuntura: a escuta das dores subjetivas Simone Spadafora A maior longevidade expõe os seres vivos por mais tempo aos fatores de risco, resultando em maior possibilidade de desencadeamento de doenças

Leia mais

TERAPIA DE CASAIS. A Terapia Comportamental de Casais (TCC) é uma prática clínica

TERAPIA DE CASAIS. A Terapia Comportamental de Casais (TCC) é uma prática clínica CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO 5PAC016 PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Prof.ª Dra. Maria Luiza Marinho Casanova 1 TERAPIA DE CASAIS

Leia mais

MELHORA DAS DORES CORPORAIS RELACIONADA Á PRÁTICA REGULAR DE HIDROGINÁSTICA

MELHORA DAS DORES CORPORAIS RELACIONADA Á PRÁTICA REGULAR DE HIDROGINÁSTICA 9. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA MELHORA DAS

Leia mais

Autor: Francisco das Chagas Cavalcante da Rocha Orientador: prof. MSc. David Marcos Emérito de Araújo

Autor: Francisco das Chagas Cavalcante da Rocha Orientador: prof. MSc. David Marcos Emérito de Araújo 1 Análise da Relação Cintura/Quadril e Índice de Massa Corporal em professores praticantes de futebol da Associação de Docentes da Universidade Federal do Piauí - ADUFPI como meio de predição para o risco

Leia mais

Com agilidade, segurança e posicionamento estratégico, MC-Bauchemie garante integridade de dados

Com agilidade, segurança e posicionamento estratégico, MC-Bauchemie garante integridade de dados Customer Success Story Com agilidade, segurança e posicionamento estratégico, MC-Bauchemie garante integridade de dados Indústria: Química PERFIL DO CLIENTE Empresa: MC-Bauchemie Empregados: 300 EMPRESA

Leia mais

OS MITOS À VOLTA DA HIPERTROFIA

OS MITOS À VOLTA DA HIPERTROFIA OS MITOS À VOLTA DA HIPERTROFIA A razão para publicar este artigo começou por ser a necessidade de desmitificar alguns dos receios manifestados principalmente pelas jogadoras em ficarem grandes quando

Leia mais

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover.

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover. A eficácia da fisioterapia preventiva do trabalho na redução do número de colaboradores em acompanhamento no ambulatório de fisioterapia de uma indústria de fios têxteis Rodrigo Mendes Wiczick (UTFPR)rodrigo_2006@pg.cefetpr.br

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG.

TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG. TÍTULO: AVALIAÇÃO DE UM PROGRAMA ESPECÍFICO DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADOLESCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, VIÇOSA MG. AUTORES: Kiriaque Barra Ferreira Barbosa bolsista CNPq (kiribarra@hotmail.com.br),

Leia mais

MULHERES NO CLIMATÉRIO: FATORES RELACIONADOS AO SOBREPESO/OBESIDADE

MULHERES NO CLIMATÉRIO: FATORES RELACIONADOS AO SOBREPESO/OBESIDADE MULHERES NO CLIMATÉRIO: FATORES RELACIONADOS AO SOBREPESO/OBESIDADE Maria do Carmo A. Duarte de Farias (E-mail: carmofarias@hotmail.com) 1 Renan Alves Silva 1 Raimunda Andrade Duarte 2 Rosimery Cruz de

Leia mais

OPINIÃO DE PROFESSORES DE 1ª A 4ª SÉRIES EM RELAÇÃO AOS BENEFÍCIOS DO XADREZ NA MELHORA DO RENDIMENTO ESCOLAR

OPINIÃO DE PROFESSORES DE 1ª A 4ª SÉRIES EM RELAÇÃO AOS BENEFÍCIOS DO XADREZ NA MELHORA DO RENDIMENTO ESCOLAR OPINIÃO DE PROFESSORES DE 1ª A 4ª SÉRIES EM RELAÇÃO AOS BENEFÍCIOS DO XADREZ NA MELHORA DO RENDIMENTO ESCOLAR LUIZ FERNANDO MACIEL BASTOS JUNIOR 1 EVERTON PAULO ROMAN 2 RESUMO: O xadrez pode ser considerado

Leia mais

VESTIBULAR 2004 - MATEMÁTICA

VESTIBULAR 2004 - MATEMÁTICA 01. Dividir um número real não-nulo por 0,065 é equivalente a multiplicá-lo por: VESTIBULAR 004 - MATEMÁTICA a) 4 c) 16 e) 1 b) 8 d) 0. Se k é um número inteiro positivo, então o conjunto A formado pelos

Leia mais

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA 1 CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2012.2 BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA... 4 02 BIOLOGIA HUMANA... 4 03 NATAÇÃO... 4 04 ESPORTE

Leia mais

PADRÃO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS ADULTOS NOS PERÍODOS PRÉ E PÓS-CIRURGIA BARIÁTRICA

PADRÃO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS ADULTOS NOS PERÍODOS PRÉ E PÓS-CIRURGIA BARIÁTRICA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 PADRÃO ALIMENTAR DE INDIVÍDUOS ADULTOS NOS PERÍODOS PRÉ E PÓS-CIRURGIA BARIÁTRICA Bruno Guilherme Morais Pagan 1 ; Luzia Jaeger Hintze 2 ; Alexandre dos

Leia mais

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015

Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht. SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 Autores: Cristina Somariva Leandro Jacson Schacht SESI Serviço Social da Indústria Cidade: Concórdia Estado: Santa Catarina 27/10/2015 REDUÇÃO DE PESO E CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL EM TRABALHADORES DA INDÚSTRIA

Leia mais

Sumário. 1 A pirâmide social brasileira: 3 As aspirações e os desejos. 4 Um povo cada vez mais otimista...26. 5 As diferenças regionais:

Sumário. 1 A pirâmide social brasileira: 3 As aspirações e os desejos. 4 Um povo cada vez mais otimista...26. 5 As diferenças regionais: Sumário 1 A pirâmide social brasileira: uma mudança à vista?...4 Renda familiar e renda disponível: as classes DE chegam ao ponto de equilíbrio...10 3 As aspirações e os desejos de consumo do brasileiro...18

Leia mais