2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "2- TRABALHO NUMA TRANSFORMAÇÃO GASOSA 4-1ª LEI DA TERMODINÂMICA"

Transcrição

1 AULA 07 ERMODINÂMICA GASES 1- INRODUÇÃO As variáveis de estado de um gás são: volume, pressão e temperatura. Um gás sofre uma transformação quando pelo menos uma das variáveis de estado é alterada. Numa transformação gasosa um gás pode ganhar ou perder calor, realizar ou receber trabalho e sua energia interna pode aumentar ou diminuir. 2- RABALHO NUMA RANSFORMAÇÃO GASOSA a) uando o gás sofre uma transformação gasosa qualquer, o cálculo do trabalho é feito através da área do gráfico, pressão versus volume. Se o ciclo estiver no sentido anti-horário o gás recebe trabalho e convencionamos trabalho negativo. 3- ENERGIA INERNA (U) ualquer tipo de energia associada ao gás chamaremos de energia interna, basicamente a energia interna de um gás real e monoatômico é a energia cinética de translação de suas moléculas, dada pela seguinte expressão: 3 3 U = nr = PV 2 2 Se aquecermos o gás sua temperatura aumenta, logo sua energia interna também aumenta. Se resfriarmos o gás sua temperatura diminui, logo sua energia interna também diminui. Nas transformações isotérmicas a energia interna do gás permanece constante. 4-1ª LEI DA ERMODINÂMICA Numa transformação gasosa a primeira lei da termodinâmica estabelece a relação entre calor, trabalho e energia interna. É o princípio da conservação da energia, aplicado nas transformações gasosas. = τ + U Se o volume do gás aumenta, o gás realiza trabalho e convencionamos como trabalho positivo. Se o volume do gás diminui, o gás recebe trabalho do meio externo e convencionamos como trabalho negativo. Nas transformações isocóricas o trabalho é nulo. b) uando a transformação gasosa for isobárica (pressão constante) o trabalho é calculado pela seguinte expressão: τ = P V = n R c) uando a transformação gasosa for cíclica o trabalho é calculado através da área interna ao ciclo. Se o ciclo estiver no sentido horário o gás realiza trabalho e convencionamos trabalho positivo. calor τ trabalho U var iação da energia int erna Nas transformações isotérmicas a variação da energia interna é nula, logo calor se transforma em trabalho ou vice-versa. Nas transformações isocóricas o trabalho é nulo, logo calor se transforma em energia interna ou vice-versa. Nas transformações adiabáticas não há trocas de calor com o meio externo, logo trabalho se transforma em energia interna ou vice-versa. Um exemplo prático de transformação adiabática é o desodorante em spray, o gás ao sair para o meio externo realiza trabalho às custas de sua energia interna que diminui, conseqüentemente a temperatura do gás diminui, é um verdadeiro paradoxo, o gás resfria sem perder calor. 5-2ª LEI DA ERMODINÂMICA A primeira lei da termodinâmica estabelece o princípio da conservação da energia aplicado às transformações gasosas. Se houver conservação da energia tudo pode ocorrer, diz a primeira lei. A primeira lei não consegue prever se a transformação é possível. Imagine num dia quente um copo com água e de repente a água congela, sabe-se que este fenômeno é impossível de ocorrer, mas está de acordo com a primeira lei.

2 A segunda lei completa a primeira dizendo se o fenômeno é possível. Existem vários enunciados para a segunda lei da termodinâmica, o mais comum deles é: ESPONANEAMENE O CALOR SE RANSFERE DOS CORPOS DE MAIOR EMPERAURA PARA OS DE MENOR EMPERAURA 7- MÁUINA DE CARNO O rendimento de uma máquina térmica é sempre menor que 100%, logo, deve haver uma máquina com um rendimento máximo. Carnot demonstrou que esta determinada máquina trabalha segundo um ciclo ideal, e esta máquina é chamada de máquina de Carnot. O ciclo de Carnot é constituído de duas transformações adiabáticas e duas transformações isotérmicas. Assim sendo a água do copo não se congela espontaneamente. 6- MÁUINA ÉRMICA As máquinas térmicas funcionam em ciclos. oda máquina térmica opera entre duas fontes térmicas, retira calor da fonte quente transformando-o parcialmente em trabalho e o restante é dissipado. A B: Expansão isotérmica B C: Expansão adiabática C D: Compressão isotérmica D A: Compressão adiabática Demonstra-se neste ciclo que: q = f 1 2 O calor absorvido numa transformação cíclica é igual ao trabalho realizado no mesmo ciclo. τ = q f O rendimento desta máquina térmica é dado pela expressão: f η =1 q Um exemplo de máquina térmica é a locomotiva a vapor, a famosa Maria fumaça, a fonte quente é a caldeira e a fonte fria o ar atmosférico, o calor retirado da caldeira é convertido parcialmente em trabalho, que impulsiona a locomotiva, o restante é dissipado para a atmosfera. O máximo rendimento de uma máquina térmica é igual ao rendimento da máquina de Carnot, dado pela expressão: η = Como não existe uma máquina com rendimento de 100%, a temperatura da fonte fria nunca será zero Kelvin, portanto, o zero absoluto é inatingível. Logo, não existe máquina térmica com 100% de rendimento. NÃO EXISE UMA MÁUINA ÉRMICA UE RANSFORMA CALOR INEGRALMENE EM RABALHO.

3 EXERCÍCIOS DE AULA UESÃO 03 Um gás perfeito sofre a transformação ABCA, indicada no diagrama abaixo. UESÃO 01 1-Haverá trabalho realizado sempre que uma massa gasosa sofrer variação em seu volume. 2-A figura abaixo é o gráfico da expansão de um gás perfeito à temperatura constante. A área sombreada do gráfico representa o trabalho recebido pelo gás ao se expandir. 3-Um perfume comprimido num spray esfria quando expandido, pois ao expandir-se, o sistema realiza trabalho, pois tem que empurrar o ar. Sendo essa expansão muito rápida, não há tempo para trocas de calor. Sabemos que o trabalho realizado foi positivo. Então, a variação de energia interna é negativa, o que significa que a energia interna diminuiu, por isso a temperatura caiu. Em outras palavras, o gás esfriou porque realizou trabalho às custas de sua energia interna. 4-uando um gás sofre uma transformação muito rápida e que não há tempo de trocar calor com o meio externo essa transformação é chamada de adiabática. 5-calor recebido por um gás numa expansão isobárica é utilizado para aumentar a energia interna e realizar trabalho positivo. UESÃO 02 1-Numa transformação isométrica, a variação de energia interna é igual a quantidade de calor trocada com o meio externo. 2-Numa transformação isotérmica o calor trocado com a vizinhança é igual o trabalho realizado ou recebido pelo sistema. 3-O calor absorvido pelo gás em um ciclo é igual ao trabalho realizado no mesmo ciclo. 4-A variação de energia interna numa transformação cíclica é nula. 5-Espontaneamente, o calor só se transfere dos corpos de maior temperatura para os corpos de menor temperatura. 1-De A para B o sistema realiza trabalho. 2- O trabalho posto em jogo na transformação AB é de 40 J. 3-Na transformação BC o trabalho é feito sobre o sistema, pois a pressão diminui e o volume é constante. 4-O trabalho posto em jogo na transformação BC é de 120J. 5-O trabalho que o sistema realiza ao percorrer o ciclo ABC é de 160J. UESÃO Num aquecimento isométrico de um gás perfeito, o sistema recebe calor maior que o aumento de energia interna. 2-- Num aquecimento isométrico de um gás perfeito, o sistema sede calor igual ao aumento de energia interna. 3-- Num aquecimento isométrico de um gás perfeito, o sistema recebe calor menor que o aumento de energia interna. 4-- Num aquecimento isométrico de um gás perfeito, o sistema não realiza trabalho. 5-- Num aquecimento isométrico de um gás perfeito, o sistema recebe calor igual ao aumento de energia interna. UESÃO 05 1-Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema não troca calor com o meio. 2-Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema cede calor menor que o trabalho que recebe. 3- Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema recebe trabalho que é integralmente transformado em calor. 4- Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema não sofre variação de energia interna. 5- Numa compressão isotérmica de um gás perfeito, o sistema cede trabalho e recebe calor.

4 UESÃO 06 1-Numa expansão isobárica de um gás perfeito, o sistema recebe calor e a energia interna diminui. 2- Numa expansão isobárica de um gás perfeito, o sistema recebe calor e a energia interna fica constante. 3- Numa expansão isobárica de um gás perfeito, o sistema realiza trabalho e a energia interna diminui. 4- Numa expansão isobárica de um gás perfeito, o sistema realiza trabalho e a energia interna não varia. 5- Numa expansão isobárica de um gás perfeito, o sistema troca mais calor que trabalho com o meio. UESÃO 07 1-Numa transformação adiabática de um gás perfeito a temperatura não varia, pois não há troca de calor. 2- Numa transformação adiabática de um gás perfeito quando o volume aumenta a temperatura diminui. 3- Numa transformação adiabática de um gás perfeito o volume e a temperatura variam sempre num mesmo sentido. 4- Numa transformação adiabática de um gás perfeito a temperatura aumenta quando o volume aumenta. 5- Numa transformação adiabática de um gás perfeito não há troca de calor com o meio externo. UESÃO 08 O volume de um mol de gás ideal varia linearmente em função da temperatura conforme o gráfico abaixo. Dados: V 0 = 16 l 0 = 300 K R = 8,3 J mol. K 1-Ao passar do estado A para o estado B o gás sofreu uma transformação isocórica. 2-Ao passar do estado A para o estado B o gás sofreu uma transformação isotérmica. 3-Ao passar do estado A para o estado B o gás sofreu uma transformação adiabática. 4- Ao passar do estado A para o estado B o gás sofreu uma transformação isobárica. 5- Ao passar do estado A para o estado B o trabalho realizado pelo gás é de 2.490J. UESÃO 09 Um gás ideal está encerrado em um cilindro provido de um êmbolo, que se pode deslocar livremente. Se o gás sofrer uma expansão rápida: 1-A pressão P e o volume V irão variar de tal modo que o produto PV permanece constante. 2-Sua energia interna diminuirá. 3-A velocidade média das moléculas aumentará. 4-A quantidade de calor trocada entre ele e a vizinhança será desprezível. 5-O trabalho realizado pelo gás é nulo. UESÃO 10 Uma certa quantidade de gás é aquecida de dois modos e, devido a isto, sua temperatura aumenta da mesma quantidade, a partir de uma mesma temperatura inicial. Faz-se este aquecimento, uma vez mantendo-se constante o volume do gás e outra, mantendo-se constante a pressão do gás. 1-Nos dois casos forneceu-se a mesma quantidade de calor ao gás. 2-No segundo aquecimento não houve realização de trabalho. 3-No segundo aquecimento, todo calor fornecido ao gás é transformado em energia interna, 4-O aumento de energia interna do gás foi o mesmo nos dois casos. 5-O trabalho realizado no primeiro caso é maior que no segundo. UESÃO O primeiro princípio da termodinâmica estabelece a conservação da energia numa transformação termodinâmica. No entanto, pela sua aplicação, não podemos prever se uma determinada transformação é possível na natureza. Por exemplo, você já imaginou um lago que se congela subitamente num dia de verão? Ë claro que é impossível! No entanto esse fenômeno não contraria o primeiro princípio da termodinâmica. 2-Nas transformações adiabáticas a temperatura, a pressão e a energia interna sempre variam de modo oposto à variação do volume. 3-Aumentando a temperatura de um gás perfeito, necessariamente a velocidade das moléculas aumentam. 4-Numa transformação isobárica a constante universal dos gases perfeitos coincide, numericamente, com o trabalho trocado por um mol de gás quando a temperatura varia de 1K. 5-Para uma dada massa de gás perfeito, mantida a volume constante, a pressão é diretamente proporcional à temperatura absoluta.

5 UESÃO 12 1-Para uma dada massa de gás perfeito, mantida a temperatura constante, a pressão é diretamente proporcional ao volume. 2-Para uma dada massa de gás perfeito, mantida a pressão constante, o volume é inversamente proporcional à temperatura absoluta. 3-Para uma dada massa de gás perfeito, o cociente entre o produto PV e a temperatura absoluta é constante. 4-Dois gases perfeitos encontram-se em dois recipientes diferentes. Gás A: ocupando volume de 3 litros sob pressão de 2,0 atm a 27ºC. Gás B: ocupando volume de 7 litros sob pressão de 2,0 atm a 127ºC. Misturando-se esses dois gases num recipiente de 5,0 litros, a pressão que a mistura exercerá, a 127ºC, é de 4,4 atm. 5-Certa máquina térmica executa o ciclo ABCDA da figura, efetuando vinte ciclos por segundo. A potencia da máquina em KW é igual a 10. UESÃO 14 O gráfico abaixo representa um ciclo de Carnot entre as temperaturas de 1 = 800K e 2 = 400K. O motor de Carnot recebe 1000J da fonte quente. 1-As transformações AB e CD são isotérmicas. 2-As transformações BC e BA são adiabáticas. 3-O calor rejeitado para a fonte fria é de 500J. 4-O trabalho realizado é de 500J. 5-O rendimento deste motor é de 50%. UESÃO 13 Uma amostra de um gás perfeito, na transformação ilustrada no gráfico abaixo, recebe do exterior energia térmica de 700 J. GABARIO VFVVV VVVVV FFFFF FFFVV FFFVV FFFFV FVFFV FFFVV FVFVF FFFVF VVVVV FFVVV VFVFV VVVVV 1- A transformação AB é isobárica. 2-Se a temperatura no ponto A é de 100K a temperatura no ponto B será de 200K. 3-O trabalho realizado na expansão é de 280J. 4-Na transformação AB a energia interna diminui. 5- Na transformação AB a variação da energia interna é de 420J.

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C

a) Qual a pressão do gás no estado B? b) Qual o volume do gás no estado C Colégio Santa Catarina Unidade XIII: Termodinâmica 89 Exercícios de Fixação: a) PV = nr T b)pvn = RT O gráfico mostra uma isoterma de uma massa c) PV = nrt d) PV = nrt de gás que é levada do e) PV = nrt

Leia mais

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto.

Preencha a tabela a seguir, de acordo com as informações do texto. 1. Uma amostra de um gás está contida em um cilindro ao qual se adapta um êmbolo. A figura a seguir mostra o diagrama pressão X volume das transformações sofridas pelo gás. A energia interna do gás no

Leia mais

4. Introdução à termodinâmica

4. Introdução à termodinâmica 4. Introdução à termodinâmica 4.1. Energia interna O estabelecimento do princípio da conservação da energia tornou-se possível quando se conseguiu demonstrar que junto com a energia mecânica, os corpos

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

Exercícios de Termodinâmica

Exercícios de Termodinâmica Exercícios de Termodinâmica 1-Uma massa gasosa, inicialmente num estado A, sofre duas transformações sucessivas e passa para um estado C. A partir do estado A esse gás sofre uma transformação isobárica

Leia mais

FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica

FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica FISICA PARA ENSINO MÉDIO: EJA EDUCAÇÃO de JOVENS e ADULTOS PARTE-3: TERMOLOGIA: Termodinâmica TERMODINÂMICA 1. Definiçoes: Parte da Física que estuda as relações entre calor e trabalho em dado sistema.

Leia mais

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:30. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica,

LISTA 3 - Prof. Jason Gallas, DF UFPB 10 de Junho de 2013, às 14:30. Jason Alfredo Carlson Gallas, professor titular de física teórica, Exercícios Resolvidos de Física Básica Jason Alfredo Carlson Gallas professor titular de física teórica Doutor em Física pela Universidade Ludwig Maximilian de Munique Alemanha Universidade Federal da

Leia mais

Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica

Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica Lista de Exercícios - Unidade 10 Entropia e a segunda lei da termodinâmica Segunda Lei da Termodinâmica 1. (UECE 2009) Imagine um sistema termicamente isolado, composto por cilindros conectados por uma

Leia mais

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA

Nome:...N o...turma:... Data: / / ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA Ensino Médio Nome:...N o...turma:... Data: / / Disciplina: Física Dependência Prof. Marcelo Vettori ESTUDO DOS GASES E TERMODINÂMICA I- ESTUDO DOS GASES 1- Teoria Cinética dos Gases: as moléculas constituintes

Leia mais

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE

APOSTILA DE FÍSICA II BIMESTRE LICEU DE ESUDOS INEGRADOS Aluno:... Data:... Série: º ano do ENSINO MÉDIO Professor: Marcos Antônio APOSILA DE FÍSICA II BIMESRE ERMODINÂMICA É a ciência que estuda as relações entre o calor o trabalho,

Leia mais

Termodinâmica. Podemos aquecer a volume constante ou a pressão constante. Definimos para cada um dos casos,

Termodinâmica. Podemos aquecer a volume constante ou a pressão constante. Definimos para cada um dos casos, ermodinâmica André Silva ranco Calor: Calor é energia térmica em transito, e vai espontaneamente de uma região mais quente (maior temperatura) para uma mais fria (menor temperatura). Equação undamental

Leia mais

Preparação na Potência Máxima Página 1

Preparação na Potência Máxima Página 1 Gases e Termodinâmica 1) A figura a seguir representa dois reservatórios cilíndricos providos de êmbolos de massa desprezível, com mesma área de base e que contêm o mesmo número de mols de um gás ideal.

Leia mais

F.x. P.A.x. U nrt PV AULAS 12 A 16

F.x. P.A.x. U nrt PV AULAS 12 A 16 Física Frente III CAPÍTULO 5 - TERMODINÂMICA AULAS 1 A 16 Introdução A Termodinâmica é o ramo da física que estuda as relações entre calor, temperatura, trabalho e energia. Todo estudo na termodinâmica

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03

FOLHAS DE PROBLEMAS. Termodinâmica e teoria cinética. Física dos Estados da Matéria 2002/03 FOLHAS DE PROBLEMAS Termodinâmica e teoria cinética Física dos Estados da Matéria 00/03 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto ª FOLHA

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA

Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Leonnardo Cruvinel Furquim TERMOQUÍMICA Termoquímica Energia e Trabalho Energia é a habilidade ou capacidade de produzir trabalho. Mecânica; Elétrica; Calor; Nuclear; Química. Trabalho Trabalho mecânico

Leia mais

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984)

Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) Problemas de termologia e termodinâmica vestibular UA (1984) 1 - Um corpo humano está a 69 0 numa escala X. Nessa mesma escala o ponto do gelo corresponde a 50 graus e o ponto a vapor 100 0. Este corpo:

Leia mais

27 Águas passadas não movem moinho!

27 Águas passadas não movem moinho! Águas passadas não movem moinho! Foi uma semana de trabalho bastante dura, mas finalmente chega a sexta-feira. Gaspar chama a amiga Maristela e os novos amigos, Roberto e Cristiana, para jantar em sua

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES

LISTA DE EXERCÍCIOS ESTUDO DOS GASES GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO GRÉ MATA NORTE UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO CAMPUS MATA NORTE ESCOLA DE APLICAÇÃO PROFESSOR CHAVES LISTA DE EXERCÍCIOS ALUNO(A): Nº NAZARÉ DA MATA, DE DE 2015 2º ANO ESTUDO

Leia mais

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4

p A = p B = = ρgh = h = Por outro lado, dado que a massa total de fluido despejada foi m, temos M 1 m = ρ(v 1 + V 2 ) = ρ 4 H + πd2 4 h = H = 4 Q1 (,5) Um pistão é constituído por um disco ao qual se ajusta um tubo oco cilíndrico de diâmetro d. O pistão está adaptado a um recipiente cilíndrico de diâmetro D. massa do pistão com o tubo é M e ele

Leia mais

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado:

Estudo dos Gases. 1- Diagrama de Estado: 1 TEXTO DE REVISÃO Termodinâmica e Gases Ideais Caro aluno (a) : Este texto de revisão é uma continuação do texto de revisão Termologia e Calorimetria. A melhor forma de abordá-lo seja sugerir que ele

Leia mais

o oxigênio comporta-se B como um gás ideal de massa molar M = 32 g, calcule a temperatura T do sistema.

o oxigênio comporta-se B como um gás ideal de massa molar M = 32 g, calcule a temperatura T do sistema. Lista de Exercícios de Recuperação do 3 Bimestre Instruções gerais: Resolver os exercícios à caneta e em folha de papel almaço ou monobloco (folha de fichário). Copiar os enunciados das questões. Entregar

Leia mais

Termodinâmica. 1. Energia interna. Projeto Rumo ao ITA Página 1. Gabriel José Guimarães Barbosa

Termodinâmica. 1. Energia interna. Projeto Rumo ao ITA Página 1. Gabriel José Guimarães Barbosa Termodinâmica Gabriel José Guimarães Barbosa Este material visa apresentar todo o assunto sobre termodinâmica da prova do ITA. Recomendamos que o leitor tenha uma noção sobre a teoria de gases, cujo material

Leia mais

Máquinas térmicas - o ciclo de Carnot

Máquinas térmicas - o ciclo de Carnot Máquinas térmicas - o ciclo de Carnot O topo de eficiência energética Todas as máquinas térmicas convencionais (a vapor, gasolina, diesel) funcionam à base do fornecimento de calor a um gás, que posteriormente

Leia mais

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com

Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Profa. Maria Fernanda - Química nandacampos.mendonc@gmail.com Por que precisamos calibrar os pneus dos carro? Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=9aapomthyje Pressão abaixo da recomendada reduz a durabilidade

Leia mais

5910170 Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula 24 2010

5910170 Física II Ondas, Fluidos e Termodinâmica USP Prof. Antônio Roque Aula 24 2010 A Segunda Lei da Termodinâmica A segunda lei da termodinâmica é essencialmente diferente da primeira lei, pois trata de uma questão sobre a qual a primeira lei nada diz, que é a da direção tomada por um

Leia mais

PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA

PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA Física Prof. Deidimar Alves Brissi www.deidimar.pro.br 1. (Ufrj) A figura representa, num diagrama p-v, uma expansão de um gás ideal entre dois estados de equilíbrio termodinâmico,

Leia mais

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial.

16) O produto nr tem um valor constante de 50atm.cm 3 /K. 32) A densidade final do gás foi de 50% do valor inicial. Exercícios de termodinâmica Para as questões 01 e 02: Em uma transformação isotérmica, mantida a 127 C, o volume de certa quantidade de gás, inicialmente sob pressão de 2,0 atm, passa de 10 para 20 litros.

Leia mais

Exercícios 7- Trabalho e Primeira Lei da Termodinâmica

Exercícios 7- Trabalho e Primeira Lei da Termodinâmica Exercícios 7- Trabalho e Primeira Lei da Termodinâmica. inco mols de um gás perfeito se encontram à temperatura de 00 K, ocupando um volume de 0, m. Mediante um processo isobárico, o gás é submetido à

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1)

Capítulo 20. Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot Frigoríficos Motores de reais (20-1) Capítulo 20 Entropia e a Segunda ei da ermodinâmica Neste capítulo, vamos introduzir a segunda lei da termodinâmica. Os seguintes tópicos serão abordados: Processos reversíveis Entropia O Motor de Carnot

Leia mais

TRANSFERINDO ENERGIA: MÁQUINAS E MOVIMENTO

TRANSFERINDO ENERGIA: MÁQUINAS E MOVIMENTO Escola Secundária de Odivelas Ensino Recorrente de Nível Secundário Curso Tecnológico de Informática 10º 2ª - Física e Química B Módulo 3 Transferindo energia: máquinas e movimento. TRANSFERINDO ENERGIA:

Leia mais

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA:

NOME: Nº. ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: NOME: Nº 2 o ano do Ensino Médio TURMA: Data: 11/ 12/ 12 DISCIPLINA: Física PROF. : Petrônio L. de Freitas ASSUNTO: Recuperação Final - 1a.lista de exercícios - Comentada VALOR: 13,0 NOTA: INSTRUÇÕES (Leia

Leia mais

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR

TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR TERMOLOGIA DIFERENÇA ENTRE TEMPERATURA E CALOR Temperatura: é a grandeza que mede o grau de agitação das partículas de um corpo, caracterizando o seu estado térmico. Calor: é a energia térmica em trânsito,

Leia mais

Capítulo 2. A 1ª Lei da Termodinâmica

Capítulo 2. A 1ª Lei da Termodinâmica Capítulo 2. A 1ª Lei da Termodinâmica Parte 1: trabalho, calor e energia; energia interna; trabalho de expansão; calor; entalpia Baseado no livro: Atkins Physical Chemistry Eighth Edition Peter Atkins

Leia mais

Termodinâmica. Universidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Departamento de Química

Termodinâmica. Universidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Departamento de Química Uniersidade Federal de Ouro Preto Instituto de Ciências Exatas e Biológicas Departamento de Química ermodinâmica Aula 2 Professora: Melissa Soares Caetano Disciplina QUI 344 Energia Interna e a 1ª Lei

Leia mais

TERMODINÂMICA Exercícios

TERMODINÂMICA Exercícios Escola Superior de Tecnologia de Abrantes TERMODINÂMICA Exercícios Professor: Eng. Flávio Chaves Ano lectivo 2003/2004 ESCALAS DE PRESSÃO Problema 1 Um óleo com uma massa específica de 0,8 kg/dm 3 está

Leia mais

DISCIPLINA : BIOFÍSICA CAPÍTULO 2 TERMODINÂMICA Prof.a Érica Muniz

DISCIPLINA : BIOFÍSICA CAPÍTULO 2 TERMODINÂMICA Prof.a Érica Muniz CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA : BIOFÍSICA CAPÍTULO 2 TERMODINÂMICA Prof.a Érica Muniz TERMODINÂMICA Abrange toda e qualquer mudança que ocorre no Universo. Sistema: (ambiente) Pode variar: porção

Leia mais

Interbits SuperPro Web

Interbits SuperPro Web 1. (Ufrgs 2013) Um projeto propõe a construção de três máquinas térmicas, M 1, M 2 e M 3, que devem operar entre as temperaturas de 250 K e 500 K, ou seja, que tenham rendimento ideal igual a 50%. Em cada

Leia mais

Equação Geral dos Gases

Equação Geral dos Gases Equação Geral dos Gases EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO 01 (EEM-SP) Uma determinada massa gasosa, confinada em um recipiente de volume igual a 6,0 L, está submetida a uma pressão de 2,5 atm e sob temperatura de

Leia mais

Aula 8 Gases Ideais e Teoria Cinética

Aula 8 Gases Ideais e Teoria Cinética Aula 8 Gases Ideais e Teoria Cinética Física II 2012 UNICAMP Quadro de Joseph Wrigth of Derby (1768) representando experimento de Robert Boyle Equação de estado dos gases ideais Qualquer objeto macroscópico

Leia mais

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP

TERMODINÂMICA CONCEITOS FUNDAMENTAIS. Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em. Universidade Santa Cecília Santos / SP CONCEITOS FUNDAMENTAIS Sistema termodinâmico: Demarcamos um sistema termodinâmico em Universidade função do que Santa desejamos Cecília Santos estudar / SP termodinamicamente. Tudo que se situa fora do

Leia mais

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão.

Vale a pena ressaltar que na figura 4.3.1 existe uma chaminé, que vai o resto do gás que não foi aproveitado para mover o pistão. Máquinas Térmicas INTRODUÇÃO Dando continuidade ao nosso material, vamos trazer aplicações para tudo que a gente viu até agora na termodinâmica. A máquina térmica revolucionou o mundo a partir dos estudos

Leia mais

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO

COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO COMENTÁRIOS DA PROVA DE FÍSICA DO SSA-UPE 2 ANO 23. Leia o seguinte texto: Considere que esse grande espelho, acima da camada da atmosfera, estará em órbita geoestacionária. Com base nessas informações,

Leia mais

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações.

De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. Questão 01 - (UFPel RS/2009) De acordo a Termodinâmica considere as seguintes afirmações. I. A equação de estado de um gás ideal, pv = nrt, determina que a pressão, o volume, a massa e a temperatura podem

Leia mais

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 53 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA

COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 53 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA GABARITO 4ª Chamada Bim. DISCIPLINA: FÍS. I E II / GEO. COLÉGIO MONS. JOVINIANO BARRETO 53 ANOS DE HISTÓRIA ENSINO E DISCIPLINA QUEM NÃO É O MAIOR TEM QUE SER O MELHOR Rua Frei Vidal, 1621 São João do

Leia mais

podemos afirmar que: Resposta: [C] Dados: Q = 0 (adiabática); p V = 2V 0. Da primeira lei da termodinâmica:

podemos afirmar que: Resposta: [C] Dados: Q = 0 (adiabática); p V = 2V 0. Da primeira lei da termodinâmica: 1. Uma amostra de um gás ideal se expande duplicando o seu volume durante uma transformação isobárica e 6 5 3 adiabática. Considerando que a pressão experimentada pelo gás é 5 10 Pa e seu volume inicial

Leia mais

P.V 0, 248 kg R.T 4,12412.10. 273,15 20

P.V 0, 248 kg R.T 4,12412.10. 273,15 20 Um tanque rígido com 0,5 m contém hidrogênio à 20 º C e 600 kpa esta conectado com outro tanque rígido com 0,5 m também com hidrogênio. A pressão e a temperatura nesse segundo tanque são de 0 º C e 150

Leia mais

Equações e diagramas T-dS

Equações e diagramas T-dS Equações e diagramas T-dS A segunda lei da termodinâmica 2 S=S S 2 1 1 δq T A Expressão matemática da segunda lei (para um sistema fechado). A entropia é uma propriedade que não é conservativa! Entropia

Leia mais

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014

Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 Resolução Comentada CEFET/MG - 2 semestre 2014 01 - A figura mostra um sistema massa-mola que pode oscilar livremente, sem atrito, sobre a superfície horizontal e com resistência do ar desprezível. Nesse

Leia mais

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C

Simulado ENEM. a) 75 C b) 65 C c) 55 C d) 45 C e) 35 C 1. Um trocador de calor consiste em uma serpentina, pela qual circulam 18 litros de água por minuto. A água entra na serpentina à temperatura ambiente (20 C) e sai mais quente. Com isso, resfria-se o líquido

Leia mais

Termodinâmica. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 20

Termodinâmica. www.nsaulasparticulares.com.br Página 1 de 20 Termodinâmica 1. (Uem 2012) Sobre o consumo e a transformação da energia, assinale o que for correto. 01) Ao realizar exercícios físicos, é possível sentir a temperatura do corpo aumentar. Isso ocorre

Leia mais

c = c = c =4,20 kj kg 1 o C 1

c = c = c =4,20 kj kg 1 o C 1 PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO TESTE INTERMÉDIO - 2014 (VERSÃO 1) GRUPO I 1. H vap (H 2O) = 420 4 H vap (H 2O) = 1,69 10 3 H vap (H 2O) = 1,7 10 3 kj kg 1 Tendo em consideração a informação dada no texto o calor

Leia mais

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO:

Bom trabalho! DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL. SÉRIE: 2 a EM NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FÍSICA PROFESSOR: Erich/ André DATA: 17/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2 a EM Circule a sua turma: Funcionários: 2 o A 2ºB Anchieta:2 o NOME COMPLETO:

Leia mais

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor

3. Calorimetria. 3.1. Conceito de calor 3. Calorimetria 3.1. Conceito de calor As partículas que constituem um corpo estão em constante movimento. A energia associada ao estado de movimento das partículas faz parte da denominada energia intera

Leia mais

Termodinâmica Química Lista 2: 1 a Lei da Termodinâmica. Resolução comentada de exercícios selecionados

Termodinâmica Química Lista 2: 1 a Lei da Termodinâmica. Resolução comentada de exercícios selecionados Termodinâmica Química Lista 2: 1 a Lei da Termodinâmica. Resolução comentada de exercícios selecionados Prof. Fabrício R. Sensato Semestre 4º Engenharia: Materiais Período: Matutino/diurno Regimes: Normal/DP

Leia mais

Propriedades de substâncias puras, simples e compressíveis

Propriedades de substâncias puras, simples e compressíveis Propriedades de substâncias puras, simples e compressíveis Duas propriedades independentes definem o estado termodinâmico de uma substância Pode-se, portanto, determinar-se as outras propriedades, desde

Leia mais

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração

Ar Condicionado e Refrigeração Ciclos de Refrigeração CICLOS DE REFRIGERAÇÃO Os ciclos mais usados, na seqüência, são: Ciclo de refrigeração por compressão de vapor Ciclo de refrigeração por absorção O ciclo é constituído dos seguintes processos sucessivos:

Leia mais

Termodinâmica Prof. Dr. Cláudio S. Sartori Exercícios

Termodinâmica Prof. Dr. Cláudio S. Sartori Exercícios 1 PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA TRABALHO REALIZADO DURANTE VARIAÇÕES DE VOLUME CAMINHOS ENTRE ESTADOS TERMODINÂMICOS 1. Dois moles de um gás ideal são aquecidos à pressão constante de 2 atm, de 300 K até

Leia mais

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx

Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de Admissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Soluções das Questões de Física do Processo Seletivo de dmissão à Escola Preparatória de Cadetes do Exército EsPCEx Questão Concurso 009 Uma partícula O descreve um movimento retilíneo uniforme e está

Leia mais

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final.

FÍSICA PEIES II. Professor Giovani Soares. Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. Professor Giovani Soares Todas as questões de PEIES II desde sua primeira edição em 1996 até 2010. Com gabarito no final. 1- (PEIES 96) O empuxo exercido por um fluido sobre um corpo totalmente mergulhado

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra.

1 Analise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. FÍSIC 1 nalise a figura a seguir, que representa o esquema de um circuito com a forma da letra U, disposto perpendicularmente à superfície da Terra. Esse circuito é composto por condutores ideais (sem

Leia mais

Folhas de exercícios de Termodinâmica

Folhas de exercícios de Termodinâmica DEF-FEUP Física MIEC - 2012/2013 Termodinâmica - 1 Folhas de exercícios de Termodinâmica Temperatura; lei dos gases perfeitos; calorimetria; 1 a lei da termodinâmica Admita os valores seguintes para a

Leia mais

Termoquímica. Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier

Termoquímica. Disciplina de Química Geral Profa. Marcia Margarete Meier Termoquímica 1 História A sociedade é movida a energia e a invenção da máquina a vapor contribuiu decisivamente na Revolução Industrial, que levou ao aumento da produtividade e diminuição da influência

Leia mais

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p

Projeto rumo ao ita. Química. Exercícios de Fixação. Exercícios Propostos. Termodinâmica. ITA/IME Pré-Universitário 1. 06. Um gás ideal, com C p Química Termodinâmica Exercícios de Fixação 06. Um gás ideal, com C p = (5/2)R e C v = (3/2)R, é levado de P 1 = 1 bar e V 1 t = 12 m³ para P 2 = 12 bar e V 2 t = 1m³ através dos seguintes processos mecanicamente

Leia mais

temperatura Dois objectos dizem-se em contacto térmico, quando podem trocar calor entre eles.

temperatura Dois objectos dizem-se em contacto térmico, quando podem trocar calor entre eles. temperatura ERMODINÂMICA Estuda as relações entre grandezas como a temperatura, a pressão, o volume, o calor e a energia interna A EMPERAURA E A LEI ZERO DA ERMODINÂMICA Reparar na necessidade de deinir

Leia mais

Sistemas termodinâmicos simples

Sistemas termodinâmicos simples Sistemas termodinâmicos simples Estados e processos. Sistemas hidrostáticos. Diagramas de estado para substâncias puras. Equações de estado. Equilíbrio termodinâmico Equilíbrio termodinâmico: Equilíbrio

Leia mais

Escola de Engenharia de Lorena USP - Cinética Química Capítulo 05 Reações Irreversiveis a Volume Varíavel

Escola de Engenharia de Lorena USP - Cinética Química Capítulo 05 Reações Irreversiveis a Volume Varíavel 1 - Calcule a fração de conversão volumétrica (ε A) para as condições apresentadas: Item Reação Condição da Alimentação R: (ε A ) A A 3R 5% molar de inertes 1,5 B (CH 3 ) O CH 4 + H + CO 30% em peso de

Leia mais

FÍSICA Questões de 1 a 20

FÍSICA Questões de 1 a 20 2ªSérieLISTA DE EXERCÍCIOS DE FÍSICA FÍSICA Questões de 1 a 20 1) (UFRN) Os carros modernos usam diferentes tipos de espelhos retrovisores, de modo que o motorista possa melhor observar os veículos que

Leia mais

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine

Ciclos de Potência a vapor. Ciclo Rankine Ciclos de Potência a vapor Ciclo Rankine BOILER q in 3 TURBINE w out 2 4 CONDENSER w in 1 PUMP q out Ciclo de Carnot T T H 2 3 T H < T C Compressor e turbina trabalham na região bifásica! 1 T L 4 s Ciclo

Leia mais

Física 2ª série Ensino Médio v. 2

Física 2ª série Ensino Médio v. 2 ísica 2ª série Ensino Médio v. 2 Exercícios 01) Caloria é a quantidade de calor necessária para que um grama de água possa aumentar sua temperatura de 1,5 o C para 15,5 o C. 02) É o calor necessário para

Leia mais

Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica

Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica Aulas 11 e 12 Segunda e Terceira Lei da Termodinâmica 1 Introdução De forma geral podemos afirmar que na natureza algumas coisas acontecem e outras não. Por exemplo: um gás se expande ocupando inteiramente

Leia mais

T = 273 K e P = 1 atm

T = 273 K e P = 1 atm Física Frente III CAPIULO 4 GASES Aula 9 a 11 CONCEIOS IMPORANES Gás: fluido que tem forças de coesão muito fracas, resultando em um distanciamento intermolecular grande em comparação com sólidos e líquidos.

Leia mais

UM RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DA TERMODINÂMICA: ANIMAÇÕES VIRTUAIS INTERATIVAS

UM RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DA TERMODINÂMICA: ANIMAÇÕES VIRTUAIS INTERATIVAS UM RECURSO PEDAGÓGICO PARA O ENSINO DA TERMODINÂMICA: ANIMAÇÕES VIRTUAIS INTERATIVAS João Bosco Abrantes Júnior Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciência e Matemática - UEPB E-mail: jbaj25@yahoo.com.br

Leia mais

T (K) T (K) S (kj/kg K) S (kj/kg K)

T (K) T (K) S (kj/kg K) S (kj/kg K) Termodinâmica I Ano Lectivo 2007/08 1º Ciclo-2ºAno/2º semestre (LEAmb LEAN MEAer MEMec) 2º Exame, 11/Julho /2008 P1 Nome: Nº Sala Problema 1 (2v+2v+1v) Considere um sistema fechado constituído por um êmbolo

Leia mais

ATIVIDADES SOBRE TRABALHO, CALOR, ENERGIA INTERNA, PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA E ENTALPIA

ATIVIDADES SOBRE TRABALHO, CALOR, ENERGIA INTERNA, PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA E ENTALPIA ATIVIDADES SOBRE TRABALHO, CALOR, ENERGIA INTERNA, PRIMEIRA LEI DA TERMODINÂMICA E ENTALPIA Aula 5 Metas Compreender os conceitos relacionados à primeira Lei da Termodinâmica; conhecer e saber correlacionar

Leia mais

Janine Coutinho Canuto

Janine Coutinho Canuto Janine Coutinho Canuto Termologia é a parte da física que estuda o calor. Muitas vezes o calor é confundido com a temperatura, vamos ver alguns conceitos que irão facilitar o entendimento do calor. É a

Leia mais

UFRPE: Física Geral II Márcio Cabral de Moura 1

UFRPE: Física Geral II Márcio Cabral de Moura 1 URPE: ísica Geral II Márcio Cabral de Moura 1 1. Calor 2 aulas, 4 horas: Capítulos 19 e 2 do undamentos de ísica 2, de D. Halliday, R. Resnick e J. Walker, 4ª edição. 1.1 Calor, temperatura e princípio

Leia mais

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15

BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 BOLETIM de ENGENHARIA Nº 001/15 Este boletim de engenharia busca apresentar informações importantes para conhecimento de SISTEMAS de RECUPERAÇÃO de ENERGIA TÉRMICA - ENERGY RECOVERY aplicados a CENTRAIS

Leia mais

GREGOR MENDEL & GRANDES MESTRES REVISÃO 2ª FASE BAHIANA

GREGOR MENDEL & GRANDES MESTRES REVISÃO 2ª FASE BAHIANA REVISÃO ª FASE BAHIANA 1 Um anel condutor de raio a e resistência R é colocado em um campo magnético homogêneo no espaço e no tempo. A direção do campo de módulo B é perpendicular à superfície gerada pelo

Leia mais

Profa. Dra. Rita de Cássia L.B. Rodrigues Departamento de Biotecnologia LOT. E-mail: rita@debiq.eel.usp.br ritaclb_rodrigues@hotmail.

Profa. Dra. Rita de Cássia L.B. Rodrigues Departamento de Biotecnologia LOT. E-mail: rita@debiq.eel.usp.br ritaclb_rodrigues@hotmail. Profa. Dra. Rita de Cássia L.B. Rodrigues Departamento de Biotecnologia LOT E-mail: rita@debiq.eel.usp.br ritaclb_rodrigues@hotmail.com Fone: 3159-5027 1.Volume e pressão 2. lei de boyle 3. lei de charles

Leia mais

TC 4 Revisão ENEM Física Prof. João Paulo

TC 4 Revisão ENEM Física Prof. João Paulo Colégio Ari de Sá TC 4 Revisão ENEM Física Prof. João Paulo 1ª.questão (UFU 2005) Um pescador, ao observar um peixe dentro da água, sabe que deve atirar com o arpão alguns centímetros abaixo da posição

Leia mais

Temperatura & lei zero

Temperatura & lei zero Temperatura & lei zero Termodinâmica : estudo da energia térmica ( energia interna ) dos sistemas Conceito central: temperatura Temperatura é um conceito de uso cotidiano e portanto seu entendimento é

Leia mais

Material de Apoio - Física Segundo Ano

Material de Apoio - Física Segundo Ano Material de Apoio - Física Segundo Ano Trabalho Aula 01 "Quando aplicamos uma força sobre um corpo, provocando um deslocamento, estamos gastando energia, estamos realizando um trabalho." F ---------- d

Leia mais

Gases. 1 atm = 1 kpa. 1 mmhg = 1 Torr. 1 m = 1000 L 1 L = 1000 ml = 1000 cm ESTUDO DOS GASES

Gases. 1 atm = 1 kpa. 1 mmhg = 1 Torr. 1 m = 1000 L 1 L = 1000 ml = 1000 cm ESTUDO DOS GASES 1 ESUDO DOS GSES INRODUÇÃO O estudo dos gases é de grande importância na compreensão de fatos que ocorrem no nosso cotidiano, tais como: um balão subir, uma bexiga murchar com o tempo, a pressão interna

Leia mais

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA.

= = = F. cal AULA 05 TERMOMETRIA E CALORIMETRIA CALOR É ENERGIA TÉRMICA EM TRÂNSITO DE UM CORPO PARA OUTRO, DEVIDO A UMA DIFERENÇA DE TEMPERATURA. AULA 05 TERMOMETRIA E ALORIMETRIA 1- TEMPERATURA Todos os corpos são constituídos de partículas, a olho nu nos parece que essas partículas estão em repouso, porém as mesmas têm movimento. Quanto mais agitadas

Leia mais

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA.

PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. PROF. KELTON WADSON OLIMPÍADA 8º SÉRIE ASSUNTO: TRANSFORMAÇÕES DE ESTADOS DA MATÉRIA. 1)Considere os seguintes dados obtidos sobre propriedades de amostras de alguns materiais. Com respeito a estes materiais,

Leia mais

Termologia UEPB. Dilatação Térmica Parte I

Termologia UEPB. Dilatação Térmica Parte I Termologia UEPB Dilatação Térmica Parte I 1 Você é convidado a projetar uma ponte metálica, cujo comprimento será de 2,0km. Considerando os efeitos de contração e expansão térmica para temperaturas no

Leia mais

Prova 3 Física QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3

Prova 3 Física QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE FÍSICA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado FÍSICA 01 O diagrama abaixo mostra um brinquedo

Leia mais

Aula CALOR E TRABALHO

Aula CALOR E TRABALHO CALOR E TRABALHO META Fazer com que o estudante comece a pensar no ensino de ciências como algo orgânico que está em profunda transformação. Fazer com que os alunos percebam, através de um texto básico

Leia mais

FÍSICA. Questões de 01 a 04

FÍSICA. Questões de 01 a 04 GRUPO 1 TIPO A FÍS. 1 FÍSICA Questões de 01 a 04 01. Considere uma partícula presa a uma mola ideal de constante elástica k = 420 N / m e mergulhada em um reservatório térmico, isolado termicamente, com

Leia mais

Linguagem da Termodinâmica

Linguagem da Termodinâmica Linguagem da Termodinâmica Termodinâmica N A = 6,022 10 23 Ramo da Física que estuda sistemas que contêm um grande nº de partículas constituintes (átomos, moléculas, iões,...), a partir da observação das

Leia mais

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico.

O estado no qual um ou mais corpos possuem a mesma temperatura e, dessa forma, não há troca de calor entre si, denomina-se equilíbrio térmico. 4. CALORIMETRIA 4.1 CALOR E EQUILÍBRIO TÉRMICO O objetivo deste capítulo é estudar a troca de calor entre corpos. Empiricamente, percebemos que dois corpos A e B, a temperaturas iniciais diferentes, ao

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... *

MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO, PRESSÃO DE VAPOR... * MUDANÇA DE ESTADO FÍSICO Antes de verificarmos como ocorrem as mudanças de estado físico de uma substância, vamos caracterizar cada um dos estados aqui estudados.

Leia mais

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32

QUÍMICA. Questão 31. Questão 32 QUÍMICA Questão 3 Em 9,9 g de um sal de cálcio encontra-se 0,5 mol desse elemento. Qual a massa molar do ânion trivalente que forma esse sal? Dado: Ca 40 g/mol. (A) 39 g/mol. (B) 278 g/mol. (C) 63,3 g/mol.

Leia mais

Calor absorvido; gás ideal; expansão isotérmica e reversível: a energia das moléculas não varia quando T é cte

Calor absorvido; gás ideal; expansão isotérmica e reversível: a energia das moléculas não varia quando T é cte Calor absorvido; gás ideal; expansão isotérmica e reversível: a energia das moléculas não varia quando T é cte não existe atração nem repulsão no gás ideal U = 0 q = - w q rev = nrtln(v f /V i ) q rev

Leia mais