Nascente do Rio Tietê Município de Salesópolis

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nascente do Rio Tietê Município de Salesópolis"

Transcrição

1 udiência de Sustentabilidade 07 de Novembro de 2007

2 iretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T uperintendência de Gestão de Projetos Especiais - TG Projeto Tietê

3 Nascente do Rio Tietê Município de Salesópolis

4 RIO TIETÊ - BACIAS HIDROGRÁFICAS 5. Tietê / Batalha 6. Baixo Tietê 4. Tietê / Jacaré 3. Piracicaba / Jundiaí 2. Médio Tietê Bacia Hidrográfica: área drenada por um rio e seus afluentes 1. Alto Tietê Nascente Salesópolis-SP Fonte:

5 BACIA DO ALTO TIETÊ Deságua no Rio Paraná (Fronteira SP com MS) Rio Tietê Rio Baquirivu-Guaçu São Paulo Rio Pinheiros Rio Tamanduateí Salesópolis Represa Guarapiranga Represa Billings Extensão total do Rio: Km

6 Situação do Rio Tietê RMSP Regatas no Rio Tietê Década de 10 Década de 30

7 Situação do Rio Tietê RMSP Vista do Rio Tietê a partir da Ponte das Bandeiras (em construção), década de 40 Retificação do Rio Tietê DAEE - Década de 70

8 Situação do Rio Tietê RMSP Poluição na Década de 90

9 Projeto Tietê 1ª Etapa Mobilização social pela recuperação do Rio Tietê -Abaixo-assinado: 1,2 milhão de assinaturas Investimentos 1992 a 1998 Total: US$ 1,1 bilhão Programa BID: US$ 900 milhões Outras Fontes: US$ 200 milhões SABESP US$ 550 CEF US$ 100 BID US$ 450

10 Principais Ações Duplicação da capacidade de tratamento de esgotos Construção de 3 Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) ETE ABC : 3,0 m³/s ETE Parque Novo Mundo: 2,5 m³/s ETE São Miguel: 1,5 m³/s Ampliação da ETE Barueri: de 7,0 para 9,5 m³/s. Ampliação do sistema de coleta e transporte de esgotos 1,5 mil km de redes coletoras 315 km de coletores tronco 37 km de interceptores 250 mil ligações domiciliares

11 Estações de Tratamento de Esgotos RMSP Sistema Integrado ETE PARQUE NOVO MUNDO ETE SÃO MIGUEL Rio Tietê ETE SUZANO Rio Cotia ETE BARUERI Rio Pinheiros Rio Tamanduateí Reserv. Guarapiranga ETE ABC Res Taiaçupeba Represa Billings

12 apacidade: L/s ETE Suzano

13 apacidade: L/s ETE São Miguel

14 apacidade: L/s ETE Pq. Novo Mundo

15 apacidade: L/s ETE ABC

16 apacidade: L/s ETE Barueri

17 PROJETO TIETÊ 2 a ETAPA OBJETIVO Ampliar e otimizar o sistema de coleta e transporte, no sentido de carregar o maior volume de esgotos para as ETEs em operação, promovendo a plena utilização da capacidade instalada de tratamento.

18 INVESTIMENTOS 2ª ETAPA Total: US$ 400 milhões Período: 2002 a 2008 Sabesp/ BID BNDES US$ 200 US$ 200 milhões milhões

19 Programa Inicial de Obras 33 km de Interceptores 110 km de Coletores Tronco 960 km de Redes Coletoras 290 mil Conexões Domiciliares

20 INÍCIO DE OBRAS DA 2ª ETAPA EM 2002

21 Espinha Dorsal Projeto de afastamento do esgoto: Sistema Billings ETE Barueri ETE Barueri Existente Em operação desde Jan/07 EEE Pinheiros Em operação: Set/07 EEE Pomar Conclusão das Obras IPi-6 (J): Jun/07 IPi-6 6 Jusante IPi-7 Conclusão das Obras IPi-7: Set/06 Conclusão das Obras IPi-6 (M): Maio/06 IPi-6 6 Montante EEE Grajaú Em operação desde Maio/06 Sistema Billings Conclusão das montagens EEE s Dez/07

22 Região da Billings

23 CANTINHO DO CÉU

24 CANTINHO DO CÉU

25 CANTINHO DO CÉU

26 SUB-BACIAS BILLINGS Projeto: ETE BARUERI CENTRO Encaminhamento do esgoto para a ETE Barueri através dos interceptores IPi-6 e IPi-7 Aprox. Aprox km km GUARAPIRANGA GUARAPIRANGA BILLINGS BILLINGS

27 SUB-BACIAS BILLINGS Região das sub-bacias Billings População: habitantes Executados 450 Km de Redes Coletoras

28 ELEVATÓRIAS EM CONSTRUÇÃO SUB-BACIAS BILLINGS VAI PARA IPi-6 JUSANTE Margem Direita da Billings IPi-6 IPi-6 Montante Montante EEE EXISTENTE REPRESA REPRESA BILLINGS BILLINGS

29 ELEVATÓRIAS EM CONSTRUÇÃO Sub-Bacias Billings VAI PARA IPi-7 Margem Esquerda da Billings REPRESA REPRESA BILLINGS BILLINGS L.R. Grajaú L.R. Grajaú EEE Grajaú

30 Sistema de Interceptação Pinheiros VEM DA MARGEM DIREITA BILLINGS PONTE ESTAIADA VEM DA EEE GRAJAÚ IPi-6 6 Montante PONTE TRANSAMÉRICA RIO PINHEIROS IPi-7

31 Sistema de Interceptação Pinheiros CREDCARD HALL VAI PARA EEE POMAR IPi-6 Jusante RIO PINHEIROS Travessia IPi-6 Montante IPi-7 Travessia = 230 m Ø mm

32 Av. dos Bandeirantes EEE Pomar EEE POMAR Estação V. Olímpia Rio Pinheiros

33 Sistema de Interceptação Pinheiros VEM DO IPi-6 6 MONTANTE (EEE POMAR) JÓQUEI CLUBE EEE Pinheiros IPi-6 Jusante PTE EUSÉBIO MATOSO Trecho Trecho existente existente RIO RIO PINHEIROS PINHEIROS VAI PARA ETE BARUERI

34 Interceptores do Rio Pinheiros IPi-6 Jusante IPi-7 Extensão: 11,8 km Ø: 1,8 a 3,5 m Recebe o esgoto do IPi-7 e IPi-6 Montante (extensão: 7,5 km / Ø:1,2 a 1,5 m) Extensão: 9,2 km Ø: 0,8 a 2 m Receberá o esgoto das subbacias da margem esquerda da Billings (EEE Grajaú)

35 Interceptor IPi-6 Jusante

36 Coletores Tronco

37 Problemas e desafios

38 DIFICULDADES NA EXECUÇÃO DE OBRAS FUNDOS DE VALE

39 DIFICULDADES NA EXECUÇÃO DE OBRAS Áreas de ocupação desordenada Ocupação irregular dos Imóveis

40 DIFICULDADES NA EXECUÇÃO DE OBRAS DIFICULDADES: Região densamente ocupada Grande quantidade de interferências Interferência: GAP Rede Coletora

41 SUB-BACIAS BILLINGS Dificuldades EEE 10-C SUBTERRÂNEA Região densamente ocupada de forma desordenada DIFICULDADES PARA IMPLANTAÇÃO DAS EEE s

42 SUB-BACIAS BILLINGS Dificuldade: Reversão Grande nº de Estações Elevatórias e Linhas de Recalque O esgoto que sobe escada

43 Obras Concluídas na 2ª Etapa

44 Rod. Bandeirantes Marginal Tietê Rod. Anhanguera I-6 Extensão 3,9 km Caminhamento do ITi-3 ITI-2

45 Interceptor ITi-3

46 ETE Novo Mundo Extensão 2,4 km Caminhamento do ITi-8 Caminhamento do ITi-8 Rod. Presidente Dutra Marginal Tietê

47 Interceptor ITi-8

48 Pq. do Carmo Caminhamento do CT Aricanduva MD Caminhamento do CT Aricanduva MD Marginal Tietê Av. Radial Leste Av. Aricanduva Extensão 5,4 km TE Novo Mundo

49 Coletor Tronco Aricanduva

50 Rod. Castelo Branco Caminhamento do CT Bussocaba Caminhamento do CT Bussocaba Av. dos Autonomistas Extensão 5,4 km ITi-6 Obras Complementares

51 Coletor Tronco Bussocaba

52 Caminhamento do CT Carapicuíba Caminhamento do CT Carapicuíba Carapicuíba Lagoa de Carapicuíba Rodoanel ITi-6 Osasco Extensão 6,8 km

53 Coletor Tronco Carapicuíba

54 Rod. Caste Caminhamento do CT Ribeirão Vermelho ITi Rod. dos Bandeirantes Rod. Anhanguera Pico do Jaraguá xtensão 12,4 km

55 Joquéi Clube EEE Pomar Jardins Parque do Ibirapuera Caminhamento do CT Sapateiro Caminhamento do CT Sapateiro Extensão 2,6 km IPi-6 arginal Pinheiros

56 Coletor Tronco Sapateiro

57 Coletor Tronco Cassandoca Rio Tietê Rio Tamanduateí ETE Barueri ITA-1 Extensão 474 m

58 Projeto Tietê Obras Concluídas EEEs EEE Grajaú concluída EEEs Billings Recalca os esgotos das sub-bacias da margem esquerda da Billings até o interceptor IPi-7

59 Ampliação da EEE Pinheiros Montagem Eletro-Mecânica concluída

60 EEE POMAR

61 E.E.E. POMAR

62 Programa de Visitas às Obras

63 Educação Ambiental - Convênio com ONG: SOS Mata Atlântica para monitoramento por percepção - Programa de divulgação, esclarecimento e sensibilização junto à população

64 rojeto Tietê Obras Complementares Obras em andamento Vazão Estimada 2 km interceptores; 55 km de coletores tronco; 466 km de redes coletoras; 34 mil ligações de esgoto; 42 estações elevatórias de esgoto. Barueri Parque N. Mundo São Miguel Suzano ABC Sistema Total Vazão Estimada (L/s) Previsão de Conclusão: Dezembro 2008 Investimento R$ 200 milhões População Beneficiada

65 rojeto Tietê 2ª Etapa Posição do Programa Setembro/07 Obra Programa Inicial Previsto (1) Contratado (2) Obras Complementares Contratado (3) Total Contratado (4) = (2) + (3) Executado (até Set/07) (5) % (5) / (4) Interceptores (km) % Coletores Tronco (km) % Redes Coletoras (km) % Ligações (un.) % Obras de otimização do processo de tratamento da ETE Barueri em fase de conclusão. Desembolsados cerca de R$ 1 bilhão (R$ 490 milhões do BID e R$ 5105 milhões de CP) Apoio de R$ 240 milhões do BNDES para contrapartida A meta de ligações foi cumprida em função da composição com as ações a operacionais da M. Previsão de conclusão da 2ª Etapa do Projeto Tietê 2º semestre de 2008.

66 volução dos Índices de Coleta e Tratamento 1990 População: 16 milhões 2001 População: 17,6 milhõe Esgoto gerado na RMSP 70% coletado 24% tratado 2008 Esgoto gerado na RMSP 81% coletado 63% tratado Projeção População: 19,4 milhões Esgoto gerado na RMSP 84% coletado 70% tratado

67 Vazões tratadas nas ETEs - RMSP Litros/seg (tratamento secundário 1992 a 2008) Entrada em Operação das ETEs Parque Novo Mundo, ABC, São Miguel e ampliação de Barueri Acréscimo de vazão esperada: L/s (*) A previsão de aumento de vazão tratada com a 2ª etapa do Projeto Tietê é da ordem de 40% em relação à situação atual.

68 Mancha de Poluição 1990 Antes da 1ª Etapa do Projeto Tietê Lago de Barra Bonita Anhembi Totalmente poluído e sem vida aquática Porto Feliz Salto São Paulo Guarulhos Itaquaquecetuba Nascente Salesópolis SP - Capital

69 Mancha de Poluição 2001 Anhembi Extensão 120 km MENOR Porto Feliz Salto São Paulo Guarulhos Itaquaquecetuba Nascente Salesópolis SP - Capital

70 Mancha de Poluição Estimativa a partir de 2008 Anhembi Porto Feliz Salto Extensão 40 km MENOR São Paulo Guarulhos Itaquaquecetuba Nascente Salesópolis SP - Capital

71 Projeto Tietê Próximas Etapas Objetivo, foco e resultado esperado Objetivo: ampliar e avançar no atendimento em coleta, transporte e tratamento de esgotos da RMSP Foco: bacia hidrográfica do Alto Tietê (não apenas o Sistema Principal de Esgotos da RMSP) Resultado esperado: Uso pleno da capacidade de tratamento Instalada Atendimento dos municípios periféricos Despoluição de bacias

72 Expansão do Sistema Integrado Sistema de Esgotos PréExistente Execução da 1ª Etapa Execução da 2ª Etapa Previsão da 3ª Etapa Previsão da 4ª Etapa Previsão de Etapas Futuras

73 Projeto Tietê Próximas Etapas Benefícios Esperados Ampliação do Índice de Atendimento com Coleta Ampliação do Índice de Tratamento do Esgoto Coletado

Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009

Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009 Projeto Tietê Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009 Região Metropolitana de São Paulo - RMSP Área 8.051km² 39 municípios 20 milhões de pessoas - 10% da pop. Brasil Escassez de qualidade

Leia mais

Processo de revitalização de rios urbanos análise compara8va dos projetos Tietê (São Paulo/SP) e Manuelzão (Bacia do Rio das Velhas/MG)

Processo de revitalização de rios urbanos análise compara8va dos projetos Tietê (São Paulo/SP) e Manuelzão (Bacia do Rio das Velhas/MG) Processo de revitalização de rios urbanos análise compara8va dos projetos Tietê (São Paulo/SP) e Manuelzão (Bacia do Rio das Velhas/MG) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ - PPGMADE Roberta Giraldi Romano -

Leia mais

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010

Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo. Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Tratamento de esgotos na Região Metropolitana de São Paulo Seminário Saneamento na Rede Rio de Janeiro 19/05/2010 Índice de Atendimento Sabesp Abastecimento de Água 1994 95% 2001 100% 2010 Final de 2010

Leia mais

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp III Pré-ENCOB - RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp 5ª Maior

Leia mais

A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir.

A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir. A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir. Quadro112.6.4. Mananciais e Produção (m 3 /s). Sistema Disponibilidade Capacidade Produção População Produtor Manancial ETA s Out/02-set/03

Leia mais

Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê

Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê Realizado a pedido do DAEE, contém, dentre outras coisas, especificações da eclusa da Barragem Móvel e estudos hidráulicos e hidrológicos realizados

Leia mais

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO

VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO ASSEMAE VIII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO Título do trabalho O SEMASA E O TRATAMENTO DE ESGOTO NA CIDADE DE SANTO ANDRÉ Nome do Autor ISABEL CRISTINA ALEIXO DIAS CURRÍCULO DO AUTOR

Leia mais

Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água)

Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água) Sistema Cantareira: RMSP e PCJ escassez hídrica (muita gente: 20 milhões de pessoas só na RMSP e pouca água) Franco da Rocha Bragança Paulista Mairiporã Nazaré Paulista Piracaia São Paulo Escassez hídrica:

Leia mais

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço O projeto Sistema Produtor São Lourenço (SPSL) está sendo licenciado por trechos, conforme o grau de complexidade, e o processo de licenciamento

Leia mais

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

COSEMA - FIESP Programas e Ações A para os grandes problemas da RMSP. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp COSEMA - FIESP Programas e Ações A da Sabesp para os grandes problemas da RMSP Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Evolução Populacional - RMSP Reversão da centrifugação Menor pressão

Leia mais

Desafios e metas do Estado de São Paulo

Desafios e metas do Estado de São Paulo 1º Seminário Saneamento Básico Universalização do Saneamento: Desafios e Metas para o Setor 07 de novembro de 2011 Desafios e metas do Estado de São Paulo Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos

Leia mais

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Região Metropolitana de São Paulo São Paulo 39 municípios - 20,1

Leia mais

Investimentos 2013-2016 O Desafio da Universalização

Investimentos 2013-2016 O Desafio da Universalização Investimentos 2013-2016 O Desafio da Universalização 30 de novembro de 2013 O desafio da universalização Planejamento CV Planejamento em trajetória:! Planejamento Estratégico 1995! BSC Gestão Estratégica

Leia mais

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp O papel da SABESP no ciclo de vida da água Redução do volume produzido. Preservação e despoluição dos mananciais. Água de reúso Controle de Perdas

Leia mais

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer?

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? LATA DE LIXO De quem é a culpa? 1 2 3 4 Qual o risco? 1 2 3 O que não poderia ter sido feito? 1 2 3 4 5 O que nós podemos fazer? 1 2 3 4 LATA DE LIXO De

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Paulista. Uma abordagem integrada.

Paulista. Uma abordagem integrada. CONTROLE DE ENCHENTES. 10 anos do Plano Diretor de Macrodrenagem da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê. Mesa de Discussão 3: Águas e Planejamento Urbano nas Grandes Metrópoles Águas e saneamento na Macrometrópole

Leia mais

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental

ATENÇÃO. Ministério das Cidades Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental ATENÇÃO Apresentação do Seminário A Lei da Política Nacional do Saneamento Básico (lei 11.445/07) e o Inquérito Civil Público Estadual 04/04/PGJ/MPSC, realizado nos dias 30 e 31 de outubro de 2008. Arquivos

Leia mais

12ª Semana do Meio Ambiente FIESP/CIESP São Paulo, 09/06/10

12ª Semana do Meio Ambiente FIESP/CIESP São Paulo, 09/06/10 12ª Semana do Meio Ambiente FIESP/CIESP São Paulo, 09/06/10 Marcelo Morgado Assessor de Meio Ambiente da Presidência Estruturação da gestão ambiental: nova Política de Meio Ambiente em jan/08; criação

Leia mais

OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO SEMINÁRIO INTERNACIONAL PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO - PPPs e CONCESSÕES OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Rio de Janeiro, 16 de Abril de 2012 Johnny Ferreira dos Santos Diretor de Água

Leia mais

ÍNDICE. O Sistema de Transporte Coletivo. A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade

ÍNDICE. O Sistema de Transporte Coletivo. A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade Abril / 2007 ÍNDICE O Sistema de Transporte Coletivo A Bilhetagem Eletrônica Instrumento da Política de Mobilidade Perspectivas Município de São Paulo Base Legal Lei nº13.241, de 13/12/2001 organiza o

Leia mais

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO II-338 PLANO DE MELHORIA OPERACIONAL DO SISTEMA INTEGRADO DOS COLETORES TRONCO DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Antônio Simões Teixeira Filho (1) Engenheiro Civil / Sanitarista pela Pontifícia Universidade

Leia mais

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOSH NA RMSP - SABESP MAIO DE 2010 Gestão de Recursos Hídricos PANORAMA GLOBAL Aumento da população mundial: 1950 2,52 bilhões

Leia mais

Distribuição de Capital Social

Distribuição de Capital Social Sabesp - Unidade de Negócio Sul MS Agosto/2014 Distribuição de Capital Social Primeira empresa de saneamento e a única companhia listada na NYSE (Bolsa de Valores de Nova Iorque) a participar do Novo Mercado

Leia mais

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto

Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Painel: Desafios e Metas de Abastecimento de Água e Tratamento de Esgoto Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano Sabesp 07/11/2011 Bacia do Alto Tietê Bacia do Sorocaba/ Médio Tietê Bacia do PCJ

Leia mais

PROJETO TIETÊ III. Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA

PROJETO TIETÊ III. Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA PROJETO TIETÊ III Secretária Dilma Pena 22 de novembro de 2010 SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA Investimentos Os investimentos totais do Projeto Tietê III somam US$ 1,05 bilhão a serem usados em benefício

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO OBJETIVO DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO O Licenciamento Ambiental é o procedimento administrativo pelo qual o órgão ambiental (IBAMA, IAP, Secretarias Municipais de Meio Ambiente), verificando o atendimento

Leia mais

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim Municípios Grupos rio/ponto de coleta IQA 2015 Grupo Peixes de - Córrego Baquirivu Baquirivu Grupo Peixes de - Córrego Caputera Péssima Caputera Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago V Grupo Rio Vivo, Cidade

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO 01234 MUNICIPIO DE IBIUNA - SP E01º Sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de

Leia mais

UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT. Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso

UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT. Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso UNIDADE DE NEGÓCIO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA METROPOLITANA MT Aquapolo Ambiental Uma Parceria de Sucesso José Luiz Salvadori Lorenzi Superintendente Abril/2008 PAUTA SABESP SOLUÇÕES AMBIENTAIS ÁGUA DE

Leia mais

de Saneamento Básico do Município de

de Saneamento Básico do Município de Plano de Desenvolvimento para o Sistema de Saneamento Básico do Município de Mossoró DIAGNÓSTICO DA SITUAÇÃO ATUAL A apresentação se dará em duas etapas: 1ª etapa - Resultado da Análise Técnico- operacional

Leia mais

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ 10 de novembro de 2009 DAS CHEIAS ÀS INUNDAÇÕES Em meados do século XIX, surgem os primeiros registros da transformação

Leia mais

VII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO TRATAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE SANTO ANDRÉ INSERIDO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

VII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO TRATAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE SANTO ANDRÉ INSERIDO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO ASSEMAE VII EXPOSIÇÃO DE EXPERIÊNCIAS MUNICIPAIS EM SANEAMENTO Título Do Trabalho: TRATAMENTO DE ESGOTO DA CIDADE DE SANTO ANDRÉ INSERIDO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Nome do Autor: ALDO GOMES

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

Programa de Redução de Perdas na Baixada Santista Eng. Joaquim Hornink Filho

Programa de Redução de Perdas na Baixada Santista Eng. Joaquim Hornink Filho Programa de Redução de Perdas na Baixada Santista Eng. Joaquim Hornink Filho Unidade de Negócio Baixada Santista População Fixa 1800.000 habitantes População Alta Temporada 4.000.000 habitantes Domicílios

Leia mais

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA

PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA PROGRAMA DE RECUPERAÇÃO AMBIENTAL DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA Diretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T Sistema Produtor de Água Mambu - Branco REUNIÃO DO COMITÊ TÉCNICO

Leia mais

9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS

9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS 161 9 PROGRAMAS, AÇÕES E PROJETOS PARA ATENDIMENTO DAS METAS 162 A partir das projeções apresentadas no capítulo anterior e para se considerar os elementos indicados no diagnóstico, foram estabelecidos

Leia mais

10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo VÁRZEAS DO TIETÊ

10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo VÁRZEAS DO TIETÊ 10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo O PROJETO VÁRZEAS DO TIETÊ ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Breve Histórico do Rio Tietê e a cidade

Leia mais

A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO CAMILA CRISTINA PACHECO LOMBA (Mestranda em Geog. Humana - USP/Bolsista ANPUR/IPEA) camilageografia@yahoo.com.br RESUMO A Região Metropolitana

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos. O Programa Exploratório

Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos. O Programa Exploratório Desenvolvimento da Indústria de Óleo & Gás: os próximos 10 anos O Programa Exploratório Magda Chambriard Diretora Geral XII Seminário Internacional de Britcham de Energia Rio de Janeiro, 7 de agosto de

Leia mais

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

23º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental I-037 OPERAÇÃO DO SISTEMA TAQUACETUBA PARA A TRANSFERÊNCIA DE ÁGUA DO RESERVATÓRIO BILLINGS PARA REPRESA GUARAPIRANGA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO James Shiromoto (1) Engenheiro Mecânico pela Escola

Leia mais

Governador. Vice Governador. Secretário de Estado de Obras. Presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos

Governador. Vice Governador. Secretário de Estado de Obras. Presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos Governador Sergio Cabral Vice Governador Luiz Fernando de Souza Pezão Secretário de Estado de Obras Hudson Braga Presidente da Companhia Estadual de Águas e Esgotos Wagner Granja Victer ABRIL / 2013 PROGRAMAS

Leia mais

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 celebrado 1 convênio com a Prefeitura para atendimento a 50 idosos e 50 famílias R$ 14 mil. Programa Renda Cidadã estão sendo

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO MND NOS EMPREENDIMENTOS DA SABESP

UTILIZAÇÃO DO MND NOS EMPREENDIMENTOS DA SABESP UTILIZAÇÃO DO MND NOS EMPREENDIMENTOS DA SABESP 30th international NO-DIG 2012 Carlos Eduardo Carrela 12/NOV/12 HISTÓRICO DO MND NA SABESP 1974 - NECESSIDADES Implantação de Coletores e Interceptores na

Leia mais

GOVERNANÇA COLABORATIVA: GESTÃO LOCAL E COMPARTILHADA

GOVERNANÇA COLABORATIVA: GESTÃO LOCAL E COMPARTILHADA GOVERNANÇA COLABORATIVA: GESTÃO LOCAL E COMPARTILHADA Estado de São Paulo Estado de São Paulo 248.196.960 km 2 População total: 41.262.199 População urbana: 39.585.251 645 municípios Fonte: IBGE, Censo

Leia mais

PARA MUDAR DE VERDADE

PARA MUDAR DE VERDADE PARA MUDAR DE VERDADE os transportes Nos 20 anos de sucessivos governos, o PSDB foi incapaz de enfrentar o colapso da mobilidade urbana com políticas compatíveis com a gravidade do problema, sobretudo

Leia mais

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água 2.6. Sistemas de Abastecimento de Água A RMSP está localizada na porção sudeste do estado de São Paulo e abrange 39 municípios. Destes, 33 são operados pela SABESP e 6 têm Administração Municipal. Do total

Leia mais

11.2 Projeto de instalação do sistema de esgoto em comunidades isoladas. 1) Áreas onde não há atualmente nenhum projeto de esgoto;

11.2 Projeto de instalação do sistema de esgoto em comunidades isoladas. 1) Áreas onde não há atualmente nenhum projeto de esgoto; 11.2 Projeto de instalação do sistema de esgoto em comunidades isoladas 11.2.1 Apresentação (1) Situação Atual Na Bacia da Represa Billings, em áreas urbanizadas onde há alta densidade populacional, há

Leia mais

Plano de Investimento

Plano de Investimento SABESP Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Plano de Investimento Município de Diadema Relatório Técnico Abastecimento Público de Água e Esgotamento Sanitário Setembro / 2013 APRESENTAÇÃO

Leia mais

SUMÁRIO ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ESGOTO SANITÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS

SUMÁRIO ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ESGOTO SANITÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS ESPECIFICAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE ESGOTO SANITÁRIO SUMÁRIO 1.0 - ESCOPO 1.1 - PROCEDIMENTOS FORMAIS 1.2 - ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO 1.3 - COMPONENTES ESPECÍFICOS 1.4 - APRESENTAÇÃO

Leia mais

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011

Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP. Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - SABESP Demonstrações Financeiras em 31 de dezembro de 2012 e 2011 Índices do Balanço 2012 Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações

Leia mais

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo Organização do Espaço na Cidade de São Paulo A Copa do Mundo e o Desenvolvimento da Zona Leste Arq. Alberto Fasanaro Lauletta Setembro / 2011 Histórico da Expansão Urbana Até 1929 LEGENDA São Paulo Região

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS DE ESGOTO SANITÁRIO

DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS DE ESGOTO SANITÁRIO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS - UFPEL CENTRO DE ENGENHARIAS - CENG DISCIPLINA: SISTEMAS URBANOS DE ÁGUA E ESGOTO DIMENSIONAMENTO DE SISTEMAS DE ESGOTO SANITÁRIO Prof. Hugo Alexandre Soares Guedes E-mail:

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO:

PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO: PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO: ÁGUA E ESGOTO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE DA SERRA 2011 1 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 04 2 CARACTERIZAÇÃO GERAL DO MUNICÍPIO 2.1. DADOS HISTÓRICOS... 06 2.2. ASPECTOS FÍSICOS...

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 2º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL

ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL COPA BANDEIRANTE - 2014 ESTÁDIOS A.A. ANHANGUERA Campo do CDC Anhanguera Rua dos Italianos Nº 1.261 Bairro Bom Retiro Cidade São Paulo Referência Próximo a quadra da Gaviões da Fiel A.A. ATLAS Campo do

Leia mais

ETE Sustentável. Eugênio Álvares de Lima e Silva

ETE Sustentável. Eugênio Álvares de Lima e Silva ETE Sustentável Eugênio Álvares de Lima e Silva Áreas de atuação da Copasa Abastecimento de Água: Captação Adução Tratamento Preservação Distribuição Esgotamento Sanitário: Coleta Transporte Tratamento

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2005 Relatório Preliminar da Unidade Técnica ainda sem Manifestação do Ministro Relator

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2005 Relatório Preliminar da Unidade Técnica ainda sem Manifestação do Ministro Relator Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2005 Relatório Preliminar da Unidade Técnica ainda sem Manifestação do Ministro Relator IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 9186/2005-2

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de São Paulo. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de São Paulo. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de São Paulo Dezembro de 2012 São Paulo: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de Recursos Referência Nov/12, Distribuição dos investimentos

Leia mais

A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre. 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010

A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre. 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010 A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010 Foto João Fiorin Lago Guaíba - Porto Alegre - RS PERFIL DA INSTITUIÇÃO: atende 100%

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ 1 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA DEZEMBRO DE 2014 BOLETIM DE

Leia mais

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, no uso de suas atribuições, e:

O Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê, no uso de suas atribuições, e: quinta-feira, 6 de agosto de 2009 Diário Oficial Poder Executivo - Seção I São Paulo, 119 (145) 51/52 Deliberação CBH-AT nº 08 de 20/07/2009 Dispõe sobre a indicação de empreendimentos para financiamento

Leia mais

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final

ESTUDO SOBRE O PLANO INTEGRADO DE MELHORIA AMBIENTAL NA ÁREA DE MANANCIAIS DA REPRESA BILLINGS Relatório Final 32 PROJETO DE EXECUÇÃO DAS OBRAS 32.1 Cronograma de execução e estimativa do custo das obras (1) Cronograma de execução O cronograma de execução da obra, tal como apresentado na Figura 32.1.1, terá início

Leia mais

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida.

SISEMA. Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. POLÍCIA MILITAR D E M I N A S G E R A I S Nossa profissão, sua vida. SISEMA Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos POLÍCIA Projeto Estruturador Revitalização do Rio das Velhas Meta 2010/2014 Palestrante: Wanderlene Ferreira Nacif Gerência de Monitoramento

Leia mais

Saneamento Básico Municipal

Saneamento Básico Municipal Saneamento Básico Municipal Apresentação COMISSÃO INTERNA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Componentes da Comissão Instituídos pela Portaria N 019/2015 e 031/2015. Carina Aparecida

Leia mais

2º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 28 a 30 de Abril de 2010

2º Congresso Internacional de Tecnologias para o Meio Ambiente. Bento Gonçalves RS, Brasil, 28 a 30 de Abril de 2010 Impactos Ambientais no Reservatório Billings após a Operação de Bombeamento: controle de cheia versus flotação Denise Alves Fungaro 1, Nelson Leon Meldonian 2, Luiz Martins 3 1 Instituto de Pesquisas Energéticas

Leia mais

Investimentos O desafio da Universalização. 11 de dezembro de 2013

Investimentos O desafio da Universalização. 11 de dezembro de 2013 Investimentos O desafio da Universalização 11 de dezembro de 2013 Estado de São Paulo 248.196.960 km 2 População total: 41.262.199 População urbana: 39.585.251 645 municípios Fonte: IBGE, Censo Demográfico

Leia mais

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Estação Elevatória de Esgoto

DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO Estação Elevatória de Esgoto DETALHES CONSTRUTIVOS OBJETIVO Este documento tem como objetivo definir diretrizes para projetos de Estações Elevatórias de Esgoto. CLASSIFICAÇÃO DAS EEE POR PORTE As EEE são classificadas, segundo seu

Leia mais

Ruralminas. Promovendo o desenvolvimento regional sustentável em Minas Gerais. Luiz Afonso Vaz de Oliveira Presidente

Ruralminas. Promovendo o desenvolvimento regional sustentável em Minas Gerais. Luiz Afonso Vaz de Oliveira Presidente Ruralminas Promovendo o desenvolvimento regional sustentável em Minas Gerais Luiz Afonso Vaz de Oliveira Presidente A Ruralminas A Fundação Rural Mineira Ruralminas é uma entidade pública voltada para

Leia mais

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP

DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP DIRETRIZES DA POLÍTICA DE TRANSPORTE COLETIVO EM SP JUNHO 2013 DIMENSÃO DO DESAFIO EM TRANSPORTE COLETIVO PMSP Coletivo 10,1 milhões viagens 56% Individual 7,9 milhões viagens 44% DIMENSÃO DO DESAFIO EM

Leia mais

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Em atendimento ao ofício CETESB 578/15/IE, de 24/07/2015, a Sabesp apresenta,

Leia mais

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Organização Agosto / 2010 São Paulo e a Bacia

Leia mais

A ocupação de várzeas na urbanização paulista: histórico e perspectivas

A ocupação de várzeas na urbanização paulista: histórico e perspectivas A ocupação de várzeas na urbanização paulista: histórico e perspectivas Seminário Enchentes II Prof. Dr. Eduardo A. C. Nobre IAB-SP / FAUUSP IE-SP / ABES/ IAB-SP / SINAENCO 11 de agosto 2010 1 O Sítio

Leia mais

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS

NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS NORMA TÉCNICA GEPRO/ESGOTO 001/2015 DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS HIDROSANITÁRIOS POR TERCEIROS ÍNDICE 1. OBJETIVOS... 1 2. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 1 3. EMPREENDIMENTOS DE INTERESSE... 2 4.

Leia mais

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb

ESGOTAMENTO. Conceitos básicosb ESGOTAMENTO SANITÁRIO Conceitos básicosb Interrelação entre captação de água e lançamento de esgotos ESGOTO SANITÁRIO ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO (ETE) ÁREA URBANA COM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

Leia mais

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006 Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Criados e instalados segundo a Lei Estadual (SP) n o 7.663/91 e Lei Federal n o 9.433/97) Deliberação Conjunta dos

Leia mais

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

Case de Jundiaí Coleta e Tratamento de Esgotos

Case de Jundiaí Coleta e Tratamento de Esgotos Case de Jundiaí Coleta e Tratamento de Esgotos Figura - 1 Fonte: Fonte: site CSJ 1 Perfil Municipal de Jundiaí População: 355.417 habitantes Extensão Territorial: 432 Km 2 Localização: Taxa de mortalidade

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL PARA A CONCESSÃO ADMINISTRATIVA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO SISTEMA DE ESGOTAMENTO DO MUNICÍPIO DE SERRA

PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL PARA A CONCESSÃO ADMINISTRATIVA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO SISTEMA DE ESGOTAMENTO DO MUNICÍPIO DE SERRA PLANO DE NEGÓCIOS REFERENCIAL PARA A CONCESSÃO ADMINISTRATIVA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO NO SISTEMA DE ESGOTAMENTO DO MUNICÍPIO DE SERRA SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO... 5 II. SUMÁRIO EXECUTIVO... 6 III. PREMISSAS

Leia mais

EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA

EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA Diretoria Metropolitana - M Unidade de Negócio de Tratamento de Esgotos da Metropolitana - MT EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA Óleos e Graxas Os óleos e graxas

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO 1 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO TC 006.400/2013-2 Fiscalização 148/2013 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Acórdão 448/2013 - Plenário Objeto da fiscalização: Construção do

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETAPA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10

USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETAPA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10 USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10 CONTATO: TEL.: 1. LOCALIZAÇÃO RIO: XINGU SUB-BACIA: RIO XINGU RIO XINGU

Leia mais

PESQUISA FUNDIÁRIA. Núcleo PINTASSILGO. DEHAB Prefeitura de Santo André

PESQUISA FUNDIÁRIA. Núcleo PINTASSILGO. DEHAB Prefeitura de Santo André TECTON PLANEJAMENTO E CONSULTORIA LTDA Av. Prof. Francisco Morato 4.923 / 84C 05521-200 São Paulo SP Fone-Fax (11) 3571 7311 www.tectonurbanismo.com.br DEHAB Prefeitura de Santo André PESQUISA FUNDIÁRIA

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011 Página 1 de 7 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011 Reorganiza a Região Metropolitana da Grande São Paulo, cria o respectivo Conselho de Desenvolvimento e dá providências correlatas O GOVERNADOR

Leia mais

para apoio ao gerenciamento do Programa Onda Limpa

para apoio ao gerenciamento do Programa Onda Limpa SISTEMA /2008 INFORMATIZADO para apoio ao gerenciamento do Programa Onda Limpa O presente artigo tem por objetivo apresentar em linhas gerais o sistema informatizado desenvolvido e implementado pelo Consórcio

Leia mais

Conforme a hierarquização das linhas de ações, definida anteriormente pelo Comitê Pardo, este Sub-Programa possui grau de 1ª ordem.

Conforme a hierarquização das linhas de ações, definida anteriormente pelo Comitê Pardo, este Sub-Programa possui grau de 1ª ordem. 83 SUB-PROGRAMA 3 ÁGUAS SUPERFICIAIS Qualidade das Águas Este Sub-Programa tem por objetivo melhorar a qualidade dos mananciais superficiais da Sub-Bacia do Rio Pardinho, englobando principalmente as atividades

Leia mais

Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos

Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos Tema 15 Qualidade da água em rios e lagos urbanos PHD2537 Introdução A poluição das águas é gerada por: - efluentes domésticos (poluentes orgânicos biodegradáveis, nutrientes e bactérias); - efluentes

Leia mais

PARQUE VÁRZEAS TIETÊ

PARQUE VÁRZEAS TIETÊ INTRODUÇÃO PARQUE VÁRZEAS TIETÊ O Programa Parque Várzeas do Tietê (PVT), visa a recuperação da capacidade de contenção de cheias que ocorrem nas várzeas do rio Tietê desde a barragem da Penha até o município

Leia mais

BRASIL-PERU Modelación cuantitativa de los recursos hídricos

BRASIL-PERU Modelación cuantitativa de los recursos hídricos AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUAS BRASIL-PERU Modelación cuantitativa de los recursos hídricos Lima, 29 de novembro de 2012 1 Características do Sistema Interligado Nacional (SIN) 2 Estrutura Básica de Referência

Leia mais

Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP

Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP Centro de Pesquisas de Águas Subterrâneas Instituto de Geociências USP Situação das Reservas e Utilização das Águas Subterrâneas na Região Metropolitana de São Paulo Autores : Reginaldo Bertolo; Ricardo

Leia mais

Análise da economicidade do Emprego de Tanques Sépticos como solução para a gestão dos esgotos sanitários de comunidades

Análise da economicidade do Emprego de Tanques Sépticos como solução para a gestão dos esgotos sanitários de comunidades Análise da economicidade do Emprego de Tanques Sépticos como solução para a gestão dos esgotos sanitários de comunidades 1. Contexto e Antecedentes: PROSAB 5 (2007/09): Tema 6 - Lodo de Fossa Séptica;

Leia mais

OBSERVANDO O TIETÊ. O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê

OBSERVANDO O TIETÊ. O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê OBSERVANDO O TIETÊ O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê Setembro de 2014 FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA Observando o Tietê O Retrato da Qualidade da Água

Leia mais

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012

Code-P0. 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidade-sede de Porto Alegre. Dezembro de 2012 CodeP0 4º Balanço de Ações para a Copa (1º Ciclo) Cidadesede de Porto Alegre Dezembro de 2012 CodeP1 CODE1 Porto Alegre: Distribuição dos Investimentos por Tema e Fonte de s Referência Nov/12, Distribuição

Leia mais

Distinguindo gastos com preservação e recuperação ambiental dos operacionais: Cia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp

Distinguindo gastos com preservação e recuperação ambiental dos operacionais: Cia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp Distinguindo gastos com preservação e recuperação ambiental dos operacionais: Cia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp Alba Valéria Moraes Amaral Roha (FEA/USP, Brasil) albarocha@sabesp.com.br

Leia mais

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009

RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 PSBJ- Programa de Saneamento da Barra da Tijuca, Jacarepaguá e Recreio dos Bandeirantes RELATÓRIO DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS 3º TRIMESTRE DE 2009 As obras (tanto as concluídas quanto as em andamento)

Leia mais

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

Secretaria de Logística e Transportes DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM Matriz de Transporte Brasil Estado de São Paulo Modal Participação Modal Participação Rodoviário 61,20% Ferroviário 20,70% Hidroviário 13,60% Dutoviário 4,20% Aéreo 0,40% Rodoviário 93,10% Ferroviário

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013

RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 RELATÓRIO MENSAL JULHO/2013 TERMO DE CONTRATO DE PARCERIA PÚBLICO PRIVADA CONTRATANTE: SAEG Companhia de Serviços de Água, Esgoto e Resíduos de Guaratinguetá OBJETO: Prestação de Serviços público para

Leia mais

Introdução. Porto Alegre Bacia do Arroio Areia

Introdução. Porto Alegre Bacia do Arroio Areia Manejo integrado de bacias urbanas e planos diretores de drenagem urbana: Porto Alegre e Caxias do Sul - RS - Brasil Adolfo O. N. Villanueva, Ruth Tassi e Daniel G. Allasia Instituto de Pesquisas Hidráulicas

Leia mais

3. PLANO DE EMPREENDIMENTO SELECIONADO E SITUAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO. 3.1. Projeto Ação Metrópole - Obras integradas de transporte

3. PLANO DE EMPREENDIMENTO SELECIONADO E SITUAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO. 3.1. Projeto Ação Metrópole - Obras integradas de transporte 3. PLANO DE EMPREENDIMENTO SELECIONADO E SITUAÇÃO DE APOIO FINANCEIRO 3.1. Projeto Ação Metrópole - Obras integradas de transporte 3.1.1. SÍNTESE DO PROJETO AÇÃO METRÓPOLE Como o 1.º projeto do sistema

Leia mais