Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê"

Transcrição

1 Maubertec (2001) Projeto de Melhoria Hidráulica do Rio Tietê Realizado a pedido do DAEE, contém, dentre outras coisas, especificações da eclusa da Barragem Móvel e estudos hidráulicos e hidrológicos realizados na fase de concepção do projeto executivo que demonstram os níveis necessários na Barragem Móvel e em Edgard de Souza para se garantir determinada profundidade mínima no trecho. DAEE (2003), RIO TIETÊ: AMPLIAÇÃO E REBAIXAMENTO DA CALHA - Estudo das linhas d água entre a barragem móvel e a barragem da Penha para seções com taludes 1:1,3 e 1:1,7 Relatório sobre uma modelagem matemática para a previsão dos níveis d água para diversas condições de vazão, desde 77 m3/s (estiagem), 120 m3/s até 1048 m3/s, correspondente à maior cheia em 100 anos. O estudo também avalia a sensibilidade dos níveis d água face à variação da rugosidade dos taludes da seção de escoamento Qualidade das Águas Considerações Iniciais. Para a caracterização da qualidade da água nos diferentes segmentos da UGRHI-6 procurou-se obter três informações básicas: Dados de monitoramento da qualidade da água nos postos de observação existentes em cursos d'água na bacia; Cargas potenciais e remanescentes de poluentes capazes de atingir os cursos d'água; Posição geo-referenciada dos pontos de lançamento e dos postos de amostragem. Procurou-se também a maior abrangência temporal possível, visando uma posterior análise de tendências e elaboração de cenários Enquadramento dos Principais Corpos D água. A Bacia do Alto Tietê compreende a malha potamográfica apresentada na Figura 2.1.2, onde se destacam os seguintes cursos d'água, qualificados segundo o Decreto Estadual nº de 22 de novembro de 1977, do qual foram extraídos os trechos de interesse. A Tabela apresenta as classes do enquadramento dos corpos d água para os trechos descritos, assim como a Figura indica o mapa da BAT com o enquadramento estabelecido. Tabela Principais Cursos D água. Baquirivu-Guaçu 3 Rio Baquirivu-Guaçu e todos os seus afluentes, com exceção do reservatório do Tanque Grande e seus afluentes até a 85

2 confluência com o Rio Tietê, no Município de Guarulhos. Biritiba-Mirim 1 Rio Biritiba-Mirim e todos os seus afluentes até a barragem da represa de Biritiba-Mirim, no Município de Biritiba-Mirim. Botujuru 3 Ribeirão do Botujuru e todos seus afluentes até a confluência com o Rio Tietê, no Município de Mogi das Cruzes. Capivari-Monos 1 Sistema Capivari e Monos e todos os seus afluentes até a barragem da SABESP. Cotia 1 Até a Barragem das Graças, no município de Cotia. Cotia 3 Rio Cotia e todos seus afluentes desde a Barragem das Graças até a Barragem de Isolina, na divisa dos municípios de Barueri e Carapicuíba. Guarará 3 Rio Guarará e todos os seus afluentes até o ponto de captação de água de abastecimento para o Município de Santo André. Itaim 4 Ribeirão Itaim e todos os seus afluentes até a confluência com o Rio Tietê, no Município de São Paulo. Itapevi 3 Ribeirão Itapevi e todos os seus afluentes até a confluência com o Ribeirão Sapiatá, no Município de Itapevi; Itaquera 4 Rio Itaquera e todos os seus afluentes até a confluência com o Rio Tietê, no Município de São Paulo. Jundiaí 1 Rio Jundiaí e todos os seus afluentes até a barragem do Reservatório do Jundiaí, no Município de Mogi das Cruzes. Juquerí 1 Rio Juqueri e todos seus afluentes até a barragem da SABESP, no Município de Franco da Rocha (reservatório Paiva Castro). Juquerí 3 Rio Juqueri e todos os seus afluentes desde a barragem da SABESP até a entrada no Reservatório de Pirapora, com exceção do Ribeirão Borda da Mata ou Botucaia até a confluência com o Ribeirão Euzébio, no Município de Franco da Rocha. Juqueri 4 Rio Juqueri e todos os seus afluentes, com exceção do Rio Juqueri-Mirim, no seu trecho integrante do Reservatório de 86

3 Pirapora, nos Municípios de Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus. Juqueri-Mirim 3 Rio Juqueri-Mirim e todos os seus afluentes até a entrada no Reservatório de Pirapora, no Município de Cajamar. Lajeado 4 Ribeirão Lajeado e todos os seus afluentes até a confluência com o Rio Tietê, no Município de São Paulo. Paraitinga 1 Rio Paraitinga e todos os seus afluentes até a barragem do reservatório Paraitinga I, no Município de Salesópolis. Pinheiros 4 Canal de Pinheiros e todos os seus afluentes, no Município de São Paulo. Sapiatá 3 Ribeirão Sapiatá e todos os seus afluentes até a confluência com o Ribeirão Itapevi, no Município de Itapevi. Taiaçupeba 1 Rio Taiaçupeba e todos os seus afluentes até a barragem do reservatório do Taiaçupeba, na divisa dos municípios de Suzano e Mogi das Cruzes. Tamanduateí 4 Rio Tamanduateí e todos os seus afluentes, com exceção do Rio Guarará, até a confluência com o Rio Tietê, no Município de São Paulo. Tietê 1 Rio Tietê e todos os seus afluentes até a barragem de Ponte Nova, na divisa dos municípios de Salesópolis e Biritiba-Mirim. Tietê 3 - Rio Tietê e todos os seus afluentes da margem direita, desde a confluência com o Ribeirão Botujuru até a confluência com o Rio Itaquera, no Município de São Paulo; - Todos os afluentes da margem esquerda do Rio Tietê compreendidos entre a confluência com o Rio Botujuru até a confluência com o Rio Itaquera, com exceção dos rios: Jundiaí até a confluência com o Ribeirão Oropó, Taiaçupeba até a barragem do reservatório Taiaçupeba, Guaió, Córrego Três Pontes, Ribeirão Itaim e Ribeirão Lajeado. Tietê 4 Rio Tietê e todos os seus afluentes desde a confluência com o Rio Itaquera até a Barragem de Pirapora, no Município de 87

4 Pirapora do Bom Jesus, com exceção dos trechos de afluentes já classificados. Três Pontes 4 Ribeirão Três Pontes e todos os seus afluentes até a confluência com o Rio Tietê, na divisa dos municípios de São Paulo e Itaquaquecetuba. Res. Cantareira 1 Reservatório da Cantareira e todos seus afluentes no Rio Cabuçu de Baixo até as barragens, no Município de São Paulo. Res. Cabuçu 1 Reservatório do Cabuçu e todos seus afluentes no Rio Cabuçu de Cima até a barragem, no Município de Guarulhos. Res. Billings 1 - Represa Billings, braço dos rios Bororé, Taquacetuba, Pedra Branca e Capivari e todos os seus afluentes e montante do primeiro cruzamento com alinha de alta tensão da Light, nos municípios de São Paulo e São Bernardo do Campo; - Represa Billings, braço do Rio Pequeno e todos seus afluentes a montante do cruzamento com a Via Anchieta, no Município de São Bernardo do Campo. Res. Guarapiranga 1 - Represa do Guarapiranga e todos seus afluentes com exceção do Rio Embu-Mirim e seus afluentes até a barragem no Município de São Paulo. Res. do Engordador 1 Reservatório do Engordador e todos seus afluentes até a barragem, no Município de São Paulo. Res. do Tanque Grande 1 Reservatório do Tanque Grande e todos seus afluentes até a barragem, no Município de Guarulhos. Figura Mapa do Transporte Metropolitano de São Paulo. 88

5 PLANO DA BACIA DO ALTO TIETÊ RELATÓRIO FINAL Figura Enquadramento dos Corpos Hídricos. 89

A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO A DISPONIBILIDADE HÍDRICA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO CAMILA CRISTINA PACHECO LOMBA (Mestranda em Geog. Humana - USP/Bolsista ANPUR/IPEA) camilageografia@yahoo.com.br RESUMO A Região Metropolitana

Leia mais

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água 2.6. Sistemas de Abastecimento de Água A RMSP está localizada na porção sudeste do estado de São Paulo e abrange 39 municípios. Destes, 33 são operados pela SABESP e 6 têm Administração Municipal. Do total

Leia mais

Diversos órgãos públicos e privados vêm estudando há décadas o aproveitamento dos corpos d água da Região Metropolitana de São Paulo para navegação.

Diversos órgãos públicos e privados vêm estudando há décadas o aproveitamento dos corpos d água da Região Metropolitana de São Paulo para navegação. 2.9. Sistema Hidroviário 2.9.1 Hidrovia Tietê-Paraná Trecho Metropolitano 10 Introdução Diversos órgãos públicos e privados vêm estudando há décadas o aproveitamento dos corpos d água da Região Metropolitana

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ

SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ SEMINÁRIO ENCHENTES NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SITUAÇÃO ATUAL DA CALHA DO RIO TIETÊ 10 de novembro de 2009 DAS CHEIAS ÀS INUNDAÇÕES Em meados do século XIX, surgem os primeiros registros da transformação

Leia mais

A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir.

A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir. A produção desses mananciais é apresentada no Quadro 2.6.4 a seguir. Quadro112.6.4. Mananciais e Produção (m 3 /s). Sistema Disponibilidade Capacidade Produção População Produtor Manancial ETA s Out/02-set/03

Leia mais

DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais.

DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais. DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) Regulamenta o artigo 37-A da Lei nº 1.172, de 17 de novembro de 1976, acrescido pela Lei nº 11.216, de 22 de julho de 2002, que delimita as áreas de proteção

Leia mais

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOSH NA RMSP - SABESP MAIO DE 2010 Gestão de Recursos Hídricos PANORAMA GLOBAL Aumento da população mundial: 1950 2,52 bilhões

Leia mais

Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba

Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba Prefeitura do Município de Santana de Parnaíba Município de Santana de Parnaíba Plano Diretor 2005/2006 (para o período 2006/2013) ANEXO A.02 SANTANA DE PARNAÍBA DADOS GERAIS Referência em: Art. 8º 0 SANTANA

Leia mais

OBSERVANDO O TIETÊ. O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê

OBSERVANDO O TIETÊ. O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê OBSERVANDO O TIETÊ O Retrato da Qualidade da Água e a evolução dos indicadores de impacto do Projeto Tietê Setembro de 2014 FUNDAÇÃO SOS MATA ATLÂNTICA Observando o Tietê O Retrato da Qualidade da Água

Leia mais

Nascente do Rio Tietê Município de Salesópolis

Nascente do Rio Tietê Município de Salesópolis udiência de Sustentabilidade 07 de Novembro de 2007 iretoria de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente - T uperintendência de Gestão de Projetos Especiais - TG Projeto Tietê Nascente do Rio Tietê

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. 1 AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA MAIO DE 2014 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

PLANO DIRET O DIRET R O DE MACR MA ODRENA CR GEM ODRENA DA BACIA DO ALTO TIETÊ

PLANO DIRET O DIRET R O DE MACR MA ODRENA CR GEM ODRENA DA BACIA DO ALTO TIETÊ PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA DO ALTO TIETÊ MAPA DE LOCALIZAÇÃO A ANÁLISE E O ENCAMINHAMENTO DE SOLUÇÕES PARA AS QUESTÕES DE DRENAGEM URBANA TÊM SIDO UM DOS

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

2.2. Caracterização físico-ambiental. 2.2.1 Caracterização Hidrológica da Bacia do Alto Tietê

2.2. Caracterização físico-ambiental. 2.2.1 Caracterização Hidrológica da Bacia do Alto Tietê 2.2. Caracterização físico-ambiental 2.2.1 Caracterização Hidrológica da Bacia do Alto Tietê O rio Tietê tem suas nascentes a leste da cidade de São Paulo, junto ao divisor de águas com a vertente oceânica.

Leia mais

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp O papel da SABESP no ciclo de vida da água Redução do volume produzido. Preservação e despoluição dos mananciais. Água de reúso Controle de Perdas

Leia mais

Plano de Investimento

Plano de Investimento SABESP Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Plano de Investimento Município de Diadema Relatório Técnico Abastecimento Público de Água e Esgotamento Sanitário Setembro / 2013 APRESENTAÇÃO

Leia mais

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp III Pré-ENCOB - RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp 5ª Maior

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ 1 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA DEZEMBRO DE 2014 BOLETIM DE

Leia mais

DOSSIÊ Sistema Rio Grande

DOSSIÊ Sistema Rio Grande Espaço das Águas Fundação Patrimônio Histórico da Energia e Saneamento Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp DOSSIÊ Sistema Rio Grande Fevereiro 2009 1. Histórico do Sistema Rio

Leia mais

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP Projeção de Demanda Sistema Cantareira Diretoria Metropolitana - M Objetivo Este Relatório apresenta a proposta de vazões de transferência através do Túnel 5 do Sistema Cantareira - ponto de controle entre

Leia mais

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim Municípios Grupos rio/ponto de coleta IQA 2015 Grupo Peixes de - Córrego Baquirivu Baquirivu Grupo Peixes de - Córrego Caputera Péssima Caputera Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago V Grupo Rio Vivo, Cidade

Leia mais

Uma faceta do problema de abastecimento de água na cidade de São Paulo: o (sub)aproveitamento da produção hídrica do rio Aricanduva.

Uma faceta do problema de abastecimento de água na cidade de São Paulo: o (sub)aproveitamento da produção hídrica do rio Aricanduva. Marcia Regina Fracaro dos Santos Geógrafa DG/FFLCH/USP E-mail: mrfracaro@usp.br Uma faceta do problema de abastecimento de água na cidade de São Paulo: o (sub)aproveitamento da produção hídrica do rio

Leia mais

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

Uso de Serviços Públicos de Saúde

Uso de Serviços Públicos de Saúde Uso de Serviços Públicos de Saúde Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. OBJETIVO GERAL Levantar junto à população da área em estudo

Leia mais

RECURSOS HÍDRICOS - 1 - X1063 em 12/10/2013 16:48:00.

RECURSOS HÍDRICOS - 1 - X1063 em 12/10/2013 16:48:00. - 1 - RMW\ET-12\c:\arquivos\08\X0811.DOC em 04/05/2014 13:47. RMW\ET-12\c:\arquivos\10\X1063.DOC em 04/05/2014 13:47. RECURSOS HÍDRICOS Roteiro da palestra proferida pelo engenheiro Roberto Massaru Watanabe

Leia mais

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443

ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 ZARA S EXPRESS TABELA DE PONTOS - SERVIÇOS AVULSOS MOTO FRETE FONE: 11 2606-9330 / NEXTEL: 11 94759-1121 /94707-8867 RÁDIO: 35*22*75829 / 35*1*28443 LOCALIDADES/REGIÃO SERVIÇO MÍNIMO LOCALIDADE CENTRO

Leia mais

GESTÃO URBANA E GESTÃO DAS ÁGUAS: CAMINHOS DA INTEGRAÇÃO 1

GESTÃO URBANA E GESTÃO DAS ÁGUAS: CAMINHOS DA INTEGRAÇÃO 1 GESTÃO URBANA E GESTÃO DAS ÁGUAS: CAMINHOS DA INTEGRAÇÃO 1 Ricardo Toledo Silva 1 Monica Ferreira do Amaral Porto 2 1. GESTÃO DA ÁGUA NO MEIO URBANO 3 Este trabalho apóia-se no Plano da Bacia do Alto Tietê,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DOS ESTUDOS NECESSÁRIOS À ELABORAÇÃO DO PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. São Paulo, agosto/2014

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DOS ESTUDOS NECESSÁRIOS À ELABORAÇÃO DO PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. São Paulo, agosto/2014 (Proc. FABHAT Nº 005/2013-Prov. 1) ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DOS ESTUDOS NECESSÁRIOS À ELABORAÇÃO DO PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ São Paulo, agosto/2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer?

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? LATA DE LIXO De quem é a culpa? 1 2 3 4 Qual o risco? 1 2 3 O que não poderia ter sido feito? 1 2 3 4 5 O que nós podemos fazer? 1 2 3 4 LATA DE LIXO De

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011

LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011 Página 1 de 7 LEI COMPLEMENTAR Nº 1.139, DE 16 DE JUNHO DE 2011 Reorganiza a Região Metropolitana da Grande São Paulo, cria o respectivo Conselho de Desenvolvimento e dá providências correlatas O GOVERNADOR

Leia mais

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Abril DE 2014 EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Em 2013, cresceu o número de diaristas e diminuiu o de mensalistas com e sem carteira de trabalho. Elevou-se o rendimento médio

Leia mais

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace,

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace, Sistema Cantareira represa Jaguari represa Jacareí represa Cachoeira 2ª Fase: Capacidade 22,0 m 3 /s Obras: início 1977 término 1982 Sistema Cantareira represa Atibainha Capacidade total = 33,0 m 3 /s

Leia mais

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Espaço das Águas Fundação Patrimônio Histórico da Energia e Saneamento Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Fevereiro 2009 1. Histórico da Implantação

Leia mais

PORTARIA 77 DE 05 DE JUNHO DE 1998

PORTARIA 77 DE 05 DE JUNHO DE 1998 PORTARIA 77 DE 05 DE JUNHO DE 1998 CELSO PITTA, Prefeito do Município de São Paulo, usando das atribuições que lhe são conferidas por lei, e Considerando a necessidade de aprovar documentos a serem expedidos

Leia mais

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. Conheça a Bacia do Alto Tietê Sistema de abastecimento de água

COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. Conheça a Bacia do Alto Tietê Sistema de abastecimento de água Conheça a Bacia do Alto Tietê Sistema de abastecimento de água São Paulo, 2014 Sumário 1. SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA... 3 1.1. Caracterização... 3 1.2. Sistema Integrado Metropolitano... 8 a) Sistema

Leia mais

PRODUÇÃO SOCIAL DO ESPAÇO E DEGRADAÇÃO DA ÁGUA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Ana Paula Fracalanza 1. Introdução

PRODUÇÃO SOCIAL DO ESPAÇO E DEGRADAÇÃO DA ÁGUA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO. Ana Paula Fracalanza 1. Introdução PRODUÇÃO SOCIAL DO ESPAÇO E DEGRADAÇÃO DA ÁGUA NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Ana Paula Fracalanza 1 Introdução Este trabalho insere-se no debate da problemática ambiental relacionada ao uso dos

Leia mais

Alejandra Maria Devecchi SVMA - PMSP

Alejandra Maria Devecchi SVMA - PMSP Mudanças climáticas globais e os impactos na hidrologia urbana: as experiências de São Paulo e as necessidades de pesquisa Alejandra Maria Devecchi SVMA - PMSP Identificação do papel das medidas nãoestruturais

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O USO DA ÁGUA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O USO DA ÁGUA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O USO DA ÁGUA FEVEREIRO DE 2011 JOB087 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL O projeto tem por objetivo geral mapear as percepções, opiniões e atitudes da

Leia mais

SERVICE. manual do usuário. Version 2.0 FLM 040001

SERVICE. manual do usuário. Version 2.0 FLM 040001 Version 2.0 FLM 040001 INDEX INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DO SERVIÇO REQUISITOS BÁSICOS RECOMENDAÇÕES COMO FAZER O REGISTRO NO SERVIÇO FLIP COMO FAZER LIGAÇÕES COMO RECEBER LIGAÇÕES COMO TRANSFERIR AS LIGAÇÕES

Leia mais

Departamento de Águas e Energia Elétrica

Departamento de Águas e Energia Elétrica 13 de Novembro de 2012 Departamento de Águas e Energia Elétrica O DAEE foi criado há 60 anos, em 12/12/1951, tendo como principais competências, no âmbito do Estado de SP: Elaborar o planejamento, os estudos,

Leia mais

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ RELATÓRIO FINAL Volume 2/4 Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Dezembro de 2009 SUMÁRIO Textos 2.5. Uso e

Leia mais

DECRETO Nº 10.755 - DE 22 DE NOVEMBRO DE 1977

DECRETO Nº 10.755 - DE 22 DE NOVEMBRO DE 1977 1 de 13 DECRETO Nº 10.755 - DE 22 DE NOVEMBRO DE 1977 Dispõe sobre o enquadramento dos corpos de água receptores na classificação prevista no Decreto n. 8.468 (1), de 8 de setembro de 1976, e dá providências

Leia mais

Pesquisa Origem e Destino 2007 Região Metropolitana de São Paulo. Síntese das Informações Pesquisa Domiciliar Dezembro de 2008

Pesquisa Origem e Destino 2007 Região Metropolitana de São Paulo. Síntese das Informações Pesquisa Domiciliar Dezembro de 2008 Pesquisa Origem e Destino 2007 Região Metropolitana de São Paulo Síntese das Informações Pesquisa Domiciliar Dezembro de 2008 PESQUISA ORIGEM E DESTINO 2007 SÍNTESE DAS INFORMAÇÕES PESQUISA DOMICILIAR

Leia mais

} Fundado em novembro de 2004. } É composto por um conjunto de mais de 45 empresas. operadoras. } Operam nos 39 municípios da RMSP

} Fundado em novembro de 2004. } É composto por um conjunto de mais de 45 empresas. operadoras. } Operam nos 39 municípios da RMSP Cartão BOM CMT- Consórcio Metropolitano de Transportes } Fundado em novembro de 2004. } É composto por um conjunto de mais de 45 empresas operadoras } Operam nos 39 municípios da RMSP O sistema do CMT

Leia mais

Relatório de Estudos e Serviços Técnicos em apoio à implementação da cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos na UGRHI 06

Relatório de Estudos e Serviços Técnicos em apoio à implementação da cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos na UGRHI 06 Fundação Agência da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê Setembro de 2009 Relatório de Estudos e Serviços Técnicos em apoio à implementação da cobrança pelo uso Trabalho apresentado ao Conselho Estadual de

Leia mais

Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009

Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009 Projeto Tietê Audiência Pública Assembléia Legislativa 16 de Abril de 2009 Região Metropolitana de São Paulo - RMSP Área 8.051km² 39 municípios 20 milhões de pessoas - 10% da pop. Brasil Escassez de qualidade

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA ANO 2012 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Plano de Ações Complementares para a Gestão da Crise Hídrica na Bacia do Rio Paraíba do Sul

Plano de Ações Complementares para a Gestão da Crise Hídrica na Bacia do Rio Paraíba do Sul Plano de Ações Complementares para a Gestão da Crise Hídrica na Bacia do Rio Paraíba do Sul Janeiro de 2015 Sumário I. Introdução II. III. IV. Aspectos Legais e Institucionais O Sistema Hidráulico do Rio

Leia mais

FICHA PROJETO - nº019 -MA

FICHA PROJETO - nº019 -MA 0 FICHA PROJETO - nº019 -MA Mata Atlântica Grande Projeto 1) TÍTULO: ECOTURISMO EM SÃO LOURENÇO DA SERRA: Água para a Região Metropolitana de São Paulo e Mata Atlântica para o Brasil. 2) MUNICÍPIOS DE

Leia mais

Água e esgoto na grande São Paulo

Água e esgoto na grande São Paulo Marussia Whately Lilia Toledo Diniz Água e esgoto na grande São Paulo Situação atual, nova lei de saneamento e programas governamentais propostos São Paulo, maio de 2009. O Instituto Socioambiental (ISA)

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA. As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana

GOVERNANÇA METROPOLITANA. As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana As cidades e os desafios da Mobilidade Urbana Março / 2012 Mobilidade é o deslocamento de pessoas e bens nas cidades. É sustentável quando: Valoriza o deslocamento do pedestre. Proporciona mobilidade às

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

Celulares já funcionam com o nono dígito neste domingo na Grande SP

Celulares já funcionam com o nono dígito neste domingo na Grande SP Celulares já funcionam com o nono dígito neste domingo na Grande SP De acordo com a Anatel, são esperadas instabilidades momentâneas. Ligações sem o 9 ainda acontecem normalmente até 7 de agosto. Márcio

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo SSE

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo SSE E1684 V.10 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO Secretaria de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo SSE Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento - BIRD Relatório de Avaliação Ambiental dos

Leia mais

10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo VÁRZEAS DO TIETÊ

10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ. 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo VÁRZEAS DO TIETÊ 10 ANOS DO PLANO DIRETOR DE MACRODRENAGEM DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ 2 a 4 de dezembro de 2008 São Paulo O PROJETO VÁRZEAS DO TIETÊ ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO Breve Histórico do Rio Tietê e a cidade

Leia mais

EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA

EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA Diretoria Metropolitana - M Unidade de Negócio de Tratamento de Esgotos da Metropolitana - MT EFEITOS DE ÓLEOS E GRAXAS PARA A TRATABILIDADE DE ESGOTOS E POLUIÇÃO DIFUSA Óleos e Graxas Os óleos e graxas

Leia mais

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste No Brasil as políticas afirmativas tiveram inicio com a Constituição de 1988. A Legislação de Recursos Hídricos avançou em mecanismos de gestão e governança

Leia mais

Tavares 16 Embu Acorde - Desenvolvimento Humano Rio Potium Regular. 15 Cotia Faculdade Estácio - Europan - Raposo Rio Cotia

Tavares 16 Embu Acorde - Desenvolvimento Humano Rio Potium Regular. 15 Cotia Faculdade Estácio - Europan - Raposo Rio Cotia Observando o Tietê - Rios das Bacias do Alto e Médio Tietê Municípios Grupos rio/ponto de coleta IQA 2015 1 Arujá Grupo Peixes de Arujá-Baquirivu Córrego Baquirivu Ruim 2 Arujá Grupo Peixes de Arujá -

Leia mais

Guarulhos (SP) - Ponto de Cultura faz passeio pelo antigo caminho do trem da Cantareira

Guarulhos (SP) - Ponto de Cultura faz passeio pelo antigo caminho do trem da Cantareira Guarulhos (SP) - Ponto de Cultura faz passeio pelo antigo caminho do trem da Cantareira Trajeto feito por ônibus fará paradas em locais históricos por Assessoria de Comunicação da AAPAH. Divulgação. No

Leia mais

INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982.

INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982. SISTEMA TAPACURÁ INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: A primeira etapa entrou em operação em 1975 e a segunda, em 1982. UNIVERSO DE ATENDIMENTO: Produz, aproximadamente, 36% do volume distribuído na Região Metropolitana

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP. Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP. Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti Região Metropolitana de São Paulo Col. Santa Clara Você sabe de onde vem a água que nós bebemos e utilizamos? Col. Santa Clara

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) Dispõe sobre a recuperação e conservação de mananciais por empresas nacionais ou estrangeiras especializadas em recursos hídricos ou que oferecem serviços

Leia mais

PARA MUDAR DE VERDADE

PARA MUDAR DE VERDADE PARA MUDAR DE VERDADE os transportes Nos 20 anos de sucessivos governos, o PSDB foi incapaz de enfrentar o colapso da mobilidade urbana com políticas compatíveis com a gravidade do problema, sobretudo

Leia mais

DOSSIÊ Sistema Guarapiranga

DOSSIÊ Sistema Guarapiranga Espaço das Águas Fundação Patrimônio Histórico da Energia e Saneamento Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp DOSSIÊ Sistema Guarapiranga Setembro 2008 SISTEMA GUARAPIRANGA 1. Histórico

Leia mais

O MONITORAMENTO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS REALIZADO PELA SABESP NOS MANANCIAIS DO ALTO TIETÊ-CABECEIRAS SISTEMAS PRODUTORES ALTO TIETÊ E RIO CLARO

O MONITORAMENTO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS REALIZADO PELA SABESP NOS MANANCIAIS DO ALTO TIETÊ-CABECEIRAS SISTEMAS PRODUTORES ALTO TIETÊ E RIO CLARO O MONITORAMENTO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS REALIZADO PELA SABESP NOS MANANCIAIS DO ALTO TIETÊ-CABECEIRAS SISTEMAS PRODUTORES ALTO TIETÊ E RIO CLARO Adilson Macedo (1) Graduado em Biologia pela Universidade

Leia mais

ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21

ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21 ÁGUA FLORESTAS E CLIMA: RUMO À COP 21 Cuidar da Água: Desafio para sociedade Combater: Desmatamento Poluição Desperdício Investir Refloretamento Saneamento Tecnologia e Gestão Integrada 8,5 145 72 70 20

Leia mais

Nova Política Comercial

Nova Política Comercial A Cultura já tem grade de programação diferenciada. Agora também com proposta comercial diferenciada. O cálculo da tabela de preços da TV Cultura deixou de ser baseado no IPC - Índice Potencial de Consumo

Leia mais

4. SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO

4. SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO 39 4. SITUAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO 4.1 CARACTERIZAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO 4.1.1 Caracterização Geral O Estado de São Paulo tem 248.209 km 2 de área, segundo a Portaria IBGE

Leia mais

Parte II APLICAÇÕES PRÁTICAS. Capítulo 3 Determinação da Vazão de Projeto

Parte II APLICAÇÕES PRÁTICAS. Capítulo 3 Determinação da Vazão de Projeto Parte II APLICAÇÕES PRÁTICAS Capítulo 3 54 Capítulo 3 Para facilitar a compreensão das noções básicas de projetos de obras hidráulicas, no próximo capítulo desenvolve-se o projeto de uma pequena barragem.

Leia mais

Soluções em Transporte APRESENTAÇÃO

Soluções em Transporte APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO A Transparlog é uma empresa nova no mercado, com profissionais que vieram do setor de Transporte Rodoviário de Carga, tanto como contratante quanto contratado do serviço. Onde foi possível

Leia mais

Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais

Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Programa de Monitoramento de Pontos Propensos à Instabilização de Encostas e Taludes Marginais Preparado Por Preparado Para ICF Consultoria do Brasil Ltda Av. das Américas, nº 700, Bloco 6, sala 251 Barra

Leia mais

CONTROLE DO USO DO SOLO NA RMSP. AUP 272: ORGANIZAÇÃO URBANA E PLANEJAMENTO Profª Drª Maria de Lourdes Zuquim setembro 2009

CONTROLE DO USO DO SOLO NA RMSP. AUP 272: ORGANIZAÇÃO URBANA E PLANEJAMENTO Profª Drª Maria de Lourdes Zuquim setembro 2009 CONTROLE DO USO DO SOLO NA RMSP AUP 272: ORGANIZAÇÃO URBANA E PLANEJAMENTO Profª Drª Maria de Lourdes Zuquim setembro 2009 ANOS 70 - Contexto do Planejamento Metropolitano Desde os anos 70 as regiões metropolitanas

Leia mais

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço O projeto Sistema Produtor São Lourenço (SPSL) está sendo licenciado por trechos, conforme o grau de complexidade, e o processo de licenciamento

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA CAPITAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA CAPITAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA CAPITAL Esquecemo-nos, todavia, de um agente geológico notável o homem. Este, de fato, não raro reage brutalmente sobre a terra e entre

Leia mais

O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira

O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira Departamento de Infraestrutura Diretoria de Saneamento Básico O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira Hiroaki Makibara Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos

Leia mais

GESTAR II PROGRAMA GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR

GESTAR II PROGRAMA GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR MATEMÁTICA GESTAR II PROGRAMA GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR Acesse www.mec.gov.br ou ligue 0800 616161 Ministério da Educação MATEMÁTICA CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO MATEMÁTICO EM AÇÃO AAA4 GESTAR II GESTAR

Leia mais

A+B1 B2+C DE 58 Estações 04 Linhas 900 Carros Linha 1 - Azul 2,200.000 Linha 2 - Verde 1,200.000 Linha 3 - Vermelha 3,000.000 Linha 5 - Lilás 563.000 Estações Fluxo Estações Fluxo Estações Fluxo Estações

Leia mais

A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ

A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ Eng. Edes Fernandes de Oliveirfa Diretor de Produção e Grande Operação E-mail: edes@cedae.com.br A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL

Leia mais

Crise de água e segurança hídrica no Estado do Rio de Janeiro

Crise de água e segurança hídrica no Estado do Rio de Janeiro Audiência Pública sobre Crise Hídrica Câmara dos Deputados Brasília-DF 12 de agosto de 2015 Crise de água e segurança hídrica no Estado do Rio de Janeiro Rosa Formiga Superintendente de Segurança Hídrica

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias nº 037/COGUN/SEAE/MF Brasília, 05

Leia mais

COPPETEC. Agência Nacional de Águas (ANA) Fundação COPPETEC Execução: Laboratório de Hidrologia e Estudos de Meio Ambiente da COPPE/UFRJ

COPPETEC. Agência Nacional de Águas (ANA) Fundação COPPETEC Execução: Laboratório de Hidrologia e Estudos de Meio Ambiente da COPPE/UFRJ Agência Nacional de Águas (ANA) Fundação COPPETEC Execução: Laboratório de Hidrologia e Estudos de Meio Ambiente da COPPE/UFRJ Programa de Controle de Inundações PGRH-RE-26-R0 Dezembro de 2002 COPPETEC

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina VI-051 BARRAGEM DO RIO PIRAPAMA-PE: ANÁLISE DA GESTÃO AMBIENTAL NA FASE DE CONSTRUÇÃO

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO E SAÚDE. Desenvolvimento é sinônimo de poluição?

SANEAMENTO BÁSICO E SAÚDE. Desenvolvimento é sinônimo de poluição? Ensino Fundamental 2 Nome N o 5 a série Ciências Profª Cristiane Data / / SANEAMENTO BÁSICO E SAÚDE Saneamento básico é o conjunto das condições urbanas essenciais para a preservação da saúde pública.

Leia mais

Produção Atual (m 3 /s) (2)

Produção Atual (m 3 /s) (2) 2.11. Balanço Hídrico 2.11.1 Análise da Disponibilidade Hídrica Atual Os relatórios apresentados caracterizaram a disponibilidade hídrica operacional ou capacidade de produção dos sistemas produtores de

Leia mais

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10 PORTARIA DAEE N o 1213, DE 06 DE AGOSTO DE 2004 O SUPERINTENDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no artigo 11, incisos I e XVI do Decreto Estadual n o 52.636 de 03/02/71, e à vista

Leia mais

Alinhamento estratégico: Estudo de caso da despoluição da bacia do Córrego Mandaqui

Alinhamento estratégico: Estudo de caso da despoluição da bacia do Córrego Mandaqui Alinhamento estratégico: Estudo de caso da despoluição da bacia do Córrego Mandaqui BEVILACQUA, NELSON a,b *, HOURNEAUX JR., FLAVIO c a. Fundação Instituto de Administração - FIA, São Paulo b. Companhia

Leia mais

Sistemas de Abastecimento de Água

Sistemas de Abastecimento de Água Sistemas de Abastecimento de Água Palestrante: Silvana C.C.S. de Franco 09 de Fevereiro de 2011 Contexto Brasil e Estado de São Paulo 248.809 km 2 40,4 milhões de habitantes 645 municípios Macrometrópole:

Leia mais

As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu

As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu As Cabeceiras de um Rio que ainda não Morreu Considerado morto dentro dos limites da cidade de São Paulo, o rio Tietê abriga a menos de 80 km do centro da capital espécies de peixes não descritas pela

Leia mais

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ SUMÁRIO EXECUTIVO Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Dezembro de 2009 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP

VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP VI-004 MONITORAMENTO EM TEMPO REAL DA QUALIDADE DA ÁGUA DOS MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO - RMSP Armando Perez Flores (1) Bacharel em Química pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras

Leia mais

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos

Talento Jovem Programa de Bolsas de Estudos Programa de Bolsa de Estudos Rotary e Faculdades Integradas Rio Branco em prol da Educação 1 4610 RCSP 1001 4610 RCSP-Alto da Lapa 1002 4610 RCSP-Alto de Pinheiros 1003 4610 RCSP-Armando de Arruda Pereira

Leia mais

Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo

Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo Hidrogeologia da Região Metropolitana de São Paulo Ricardo Hirata Reginaldo Bertolo Bruno Conicelli Carlos Maldaner Sumário o Importância da água subterrânea para o abastecimento da RMSP o Condições de

Leia mais

SPTRANS BILHETE DO PROFESSOR MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PROFESSORES

SPTRANS BILHETE DO PROFESSOR MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PROFESSORES SPTRANS BILHETE DO PROFESSOR MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA PROFESSORES Leia atentamente as instruções contidas neste manual antes de iniciar o processo. Revisado em Dezembro/2012 ÍNDICE 1. Introdução... 03

Leia mais

REGRAS OFICIAIS DO CONCURSO CULTURAL Meus Prêmios Nick 2013. 1. Não é necessário comprar para participar ou ganhar neste concurso cultural.

REGRAS OFICIAIS DO CONCURSO CULTURAL Meus Prêmios Nick 2013. 1. Não é necessário comprar para participar ou ganhar neste concurso cultural. REGRAS OFICIAIS DO CONCURSO CULTURAL Meus Prêmios Nick 2013 1. Não é necessário comprar para participar ou ganhar neste concurso cultural. 2. A Nickelodeon Latin America ( NICKLA ) é uma unidade de negócios

Leia mais

1. Descrição da Cidade

1. Descrição da Cidade 1. Descrição da Cidade 2. Top Atrações da Cidade 2.1 - Atração Ponte Amarela 2.2 - Atração Belvedere - Mairiporã 2.3 - Atração Mirante do Lello 2.4 - Atração Cabeceira do Rio Juqueri 2.5 - Atração Cachoeira

Leia mais

6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8. 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8. 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8

6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8. 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8. 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8 2426-00-PBA-RL-0001-00 UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI ÍNDICE 6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8 6.3.3.2.1 - Objetivo Geral...

Leia mais

DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá

DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá DECRETO DE 27 DE JUNHO DE 2002. Cria a Área de Proteção Ambiental-APA da Bacia do Rio São João/Mico-Leão-Dourado, no Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso

Leia mais

RELATÓRIO TARIFÁRIO - RMSP

RELATÓRIO TARIFÁRIO - RMSP EXTENSÃO ABC COMUM 195 - - SAO BERNARDO DO CAMPO (TERMINAL METROPOLITANO FERRAZOPOLIS)- DIADEMA (TERMINAL METROPOLITANO 13,096PIRAPORINHA) 3,55 via SAO -BERNARDO DO - CAMPO (BAIRRO 3,55 DOS CASA) - - ABC

Leia mais

As partes signatárias deste instrumento, de um lado o SINTHORESP SINDICATO DOS

As partes signatárias deste instrumento, de um lado o SINTHORESP SINDICATO DOS BASE TERRITORIAL: São Paulo, Osasco, Guarulhos, Itapecerica da Serra, Atibaia, Barueri, Biritiba Mirim, Bom Jesus dos Perdões, Brás Cubas, Arujá, Caieiras, Cabreúva, Cajamar, Carapicuíba, Cotia, Embu das

Leia mais