FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ"

Transcrição

1 FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA ANO 2012

2 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA ANO 2012 DIAGRAMA ESQUEMÁTICO DO SISTEMA CANTAREIRA

3 1. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO DE 2012 Situação do reservatório do sistema equivalente

4

5 1.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira dezembro/2011 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de dezembro/2011: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 176, de 01/12/2011 foram informadas: as vazões de 29,4 m 3 /s e 8,6 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 27,27 m 3 /s para a RMSP e defluente de 3,85 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 0,9% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 68,2% (30/11/2011) para 67,3% (31/12/2011). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 664,29 milhões de metros cúbicos, no final de novembro de 2011, para 655,84 milhões de metros cúbicos. No final de dezembro de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 27,97 m 3 /s, que corresponde a 58,0% da vazão média de longo termo do mês de dezembro, contra uma vazão retirada total média de 31,12 m 3 /s.

6 1.2. Determinação das vazões referentes ao mês janeiro/2012 Volume útil (VU) no dia 31/12/2011= 655,8 hm 3 Estado do Sistema (VU-RBA) no dia 31/12/2011 = 536,6 hm 3 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 178, de 01/01/2012, foram informadas: as vazões de 26,8 m 3 /s e 9,0 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 1,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

7 2. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE FEVEREIRO DE 2012 Situação dos Reservatórios do Sistema Equivalente

8

9 2.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira janeiro/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de janeiro/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 176, de 01/01/2012 foram informadas: as vazões de 26,8 m 3 /s e 9,0 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 1,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 19,77 m 3 /s para a RMSP e defluente de 2,64 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 8,76% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 67,34% (31/12/2011) para 76,10% (31/01/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 655,84 milhões de metros cúbicos, no final de dezembro de 2011, para 741,15 milhões de metros cúbicos, no final de janeiro de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 54,26% m 3 /s, que corresponde a 85,1% da vazão média de longo termo do mês de janeiro, contra uma vazão retirada total média de 22,41 m 3 /s.

10 2.2. Determinação das vazões referentes ao mês fevereiro/2012 Volume útil (VU) no dia 31/01/2012= 741,1 hm 3 Estado do Sistema (VU-RBA) no dia 31/01/2012 = 593,5 hm 3 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 178, de 01/02/2012, foram informadas: as vazões de 27,2 m 3 /s e 11,4 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (1,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 0,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

11 3. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE MARÇO 2012 Situação dos Reservatórios do Sistema Equivalente

12

13 3.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira fevereiro/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de fevereiro/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 180, de 01/02/2012 foram informadas: as vazões de 27,2 m 3 /s e 11,4 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (1,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 26,07 m 3 /s para a RMSP e defluente de 2,87 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 0,62% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 76,10% (31/01/2012) para 76,72% (29/02/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 741,15 milhões de metros cúbicos, no final de janeiro de 2012, para 747,21 milhões de metros cúbicos, no final de fevereiro de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 31,35% m 3 /s, que corresponde a 47,0% da vazão média de longo termo do mês de fevereiro, contra uma vazão retirada total média de 29,83 m 3 /s.

14 3.2. Determinação das vazões referentes ao mês de março/2012 Volume útil (VU) no dia 29/02/2012= 747,21 hm 3 Estado do Sistema (VU-RBA) no dia 29/02/2012 = 586,14 hm 3 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 182, de 01/03/2012, foram informadas: as vazões de 28,4 m 3 /s e 12,6 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 0,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

15 4. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE ABRIL 2012 Situação dos Reservatórios do Sistema Equivalente

16

17 4.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira março/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de março/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 182, de 01/03/2012 foram informadas: as vazões de 28,4 m 3 /s e 12,6 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 27,54 m 3 /s para a RMSP e defluente de 4,23 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 2,27% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 76,72 (29/02/2012) para 74,45% (31/03/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 747,21 milhões de metros cúbicos, no final de fevereiro de 2012, para 725,11 milhões de metros cúbicos, no final de março de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 23,52 m 3 /s, que corresponde a 38,7% da vazão média de longo termo do mês de março, contra uma vazão retirada total média de 31,77 m 3 /s.

18 4.2. Determinação das vazões referentes ao mês abril/2012 Volume útil (VU) no dia 31/03/2012= 725,1 hm 3 Estado do Sistema (VU-RBA) no dia 31/03/2012 = 556,7 hm 3 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 184, de 01/04/2012, foram informadas: as vazões de 30,9 m 3 /s e 13,2 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,0 m 3 /s no rio Cachoeira e 0,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

19 5. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE MAIO DE 2012 Dados do reservatório do sistema equivalente

20

21 5.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira abril/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de abril/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 184, de 01/04/2012 foram informadas: as vazões de 30,9 m 3 /s e 13,2 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,0 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 27,36 m 3 /s para a RMSP e defluente de 3,37 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 1,89% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 74,45% (31/03/2012) para 72,56% (30/04/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 725,11 milhões de metros cúbicos, no final de março de 2012, para 706,72 milhões de metros cúbicos, no final de abril de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 23,64 m 3 /s, que corresponde a 53,8 % da vazão média de longo termo do mês de março, contra uma vazão retirada total média de 30,74 m 3 /s. Considerando os históricos de vazões médias mensais afluentes desde o ano de 1930,este foi o 2 o menor valor observado no mês (82 o maior).

22 5.2. Determinação das vazões referentes ao mês maio/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 186, de 01/05/2012, foram informadas: as vazões de 30,5 m 3 /s e 14,1 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 0,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

23 6. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE JUNHO DE 2012 Situação dos reservatórios do sistema equivalente

24

25 6.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira maio/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de maio/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 186, de 01/05/2012 foram informadas: as vazões de 30,5 m 3 /s e 14,1m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 26,48 m 3 /s para a RMSP e defluente de 3,33 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 0,62% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 72,56% (30/04/2012) para 71,94% (31/05/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 747,21 milhões de metros cúbicos, no final de abril de 2012, para 700,67 milhões de metros cúbicos, no final de maio de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 27,55 m 3 /s, que corresponde a 79,9% da vazão média de longo termo do mês de maio, contra uma vazão retirada total média de 29,81 m 3 /s.

26 6.2. Determinação das vazões referentes ao mês junho/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 188, de 01/06/2012, foram informadas: as vazões de 30,7 m 3 /s e 15,7 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 1,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

27 7. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE JULHO DE 2012 Situação dos reservatórios do sistema equivalente

28

29 7.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira junho/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de junho/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 188, de 01/06/2012 foram informadas: as vazões de 30,7 m 3 /s e 15,7m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 1,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 23,27 m 3 /s para a RMSP e defluente de 2,91 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 3,52% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 71,94% (31/05/2012) para 75,46% (30/06/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 700,67 milhões de metros cúbicos, no final de maio de 2012, para 734,91 milhões de metros cúbicos, no final de junho de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 39,39 m 3 /s, que corresponde a 125,8% da vazão média de longo termo do mês de maio, contra uma vazão retirada total média de 26,18 m 3 /s.

30 7.2. Determinação das vazões referentes ao mês julho/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 190, de 01/07/2012, foram informadas: as vazões de 30,6 m 3 /s e 17,2 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 0,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

31 8. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE AGOSTO DE 2012 Situação dos reservatórios do sistema equivalente

32

33 8.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira julho/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de julho/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 190, de 01/07/2012 foram informadas: as vazões de 30,6 m 3 /s e 17,2 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 0,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 0,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 28,7 m 3 /s para a RMSP e defluente de 2,81 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 1,31% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 75,46% (30/06/2012) para 74,15% (31/07/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 734,91 milhões de metros cúbicos, no final de junho de 2012, para 722,19 milhões de metros cúbicos, no final de julho de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 39,39 m 3 /s, que corresponde a 125,8% da vazão média de longo termo do mês de maio, contra uma vazão retirada total média de 26,18 m 3 /s.

34 8.2. Determinação das vazões referentes ao mês de agosto/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 192, de 01/08/2012, foram informadas: as vazões de 31,70 m 3 /s e 19,40 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (1,0 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 1,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

35 9. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE SETEMBRO DE 2012 Situação dos reservatórios do sistema equivalente

36

37 9.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira agosto/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de agosto/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 192, de 01/08/2012 foram informadas: as vazões de 31,70 m 3 /s e 19,40 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (1,00 m 3 /s no Rio Jaguari; 1,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 1,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 29,96 m 3 /s para a RMSP e defluente de 3,96 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 5,83% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 74,15% (31/07/2012) para 68,32% (31/08/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 722,19 milhões de metros cúbicos, no final de julho de 2012, para 655,45 milhões de metros cúbicos, no final de agosto de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 12,74 m 3 /s, que corresponde a 58,9% da vazão média de longo termo do mês de agosto, contra uma vazão retirada total média de 33,93 m 3 /s.

38 9.2. Determinação das vazões referentes ao mês de setembro/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 194, de 01/09/2012, foram informadas: as vazões de 30,90 m 3 /s e 20,90 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,5 m 3 /s no Rio Jaguari; 2,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 2,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

39 10. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE OUTUBRO DE 2012 Situação dos reservatórios do sistema equivalente

40

41 10.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira setembro/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE n 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE n 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais ara fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de setembro/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE Sistema Cantareira n 194, de 01/09/2012 foram informadas: as vazões de 30,90 m 3 /s e 20,90 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (2,50 m 3 /s no Rio Jaguari; 2,50 m 3 /s no Rio Cachoeira e 2,50 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 29,72 m 3 /s para a RMSP e defluente de 7,44 m 3 /s para as bacias PCJ. No mês verificou-se um decréscimo de 7,02% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 68,32% (31/08/2012) para 61,31% (30/09/2012). Em termos de volume útil do acumulado, partiu-se de 665,45 milhões de metros cúbicos, no final de agosto de 2012, para 597,12 milhões de metros cúbicos, no final de setembro de Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 10,80 m 3 /s, que corresponde a 47,7% da vazão média de longo termo do mês de setembro, contra uma vazão retirada total média de 37,16 m 3 /s. Considerando o histórico de vazões médias mensais afluentes, desde o ano de 1930, este foi o quarto menor valor observado no mês (80 o maior).

42 10.2. Determinação das vazões referentes ao mês de outubro/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 196, de 01/10/2012, foram informadas: as vazões de 30,10 m 3 /s e 18,00 m 3 /s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a RMSP e total para as bacias PCJ. as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,5 m 3 /s no Rio Jaguari; 3,5 m 3 /s no rio Cachoeira e 2,5 m 3 /s no Rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico dos Comitês PCJ.

43 11. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE NOVEMBRO DE 2012 Situação dos Reservatórios do Sistema Equivalente

44

45 11.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira outubro/2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre a sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE nº 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE nº 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais para fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de outubro/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira nº 196, de 01/10/2012, foram informadas: as vazões de 30,10 m³/s e 18,00 m³/s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,50 m³/s no rio Jaguari; 3,50 m³/s no rio Cachoeira e 2,50 m³/s no rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 28,88 m³/s para a RMSP e defluente de 7,92 m³/s para as bacias PCJ; No mês verificou-se um decréscimo de 5,60% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 61,31% (30/09/2012) para 55,71% (31/10/2012). Em termos de volume útil acumulado, partiu-se de 597,12 milhões de metros cúbicos, no final de setembro de 2012, para 542,62 milhões de metros cúbicos, no final de outubro de 2012; Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 16,44 m³/s, que corresponde a 60,3% da vazão média de longo termo do mês de outubro, contra uma vazão retirada total média de 36,80 m³/s; Considerando o histórico de vazões médias mensais afluentes desde o ano de 1930, este foi o 12º menor valor observado no mês (72º maior).

46 11.2. Determinação das vazões referentes ao mês de novembro/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira nº 198, de 01/11/2012, foram informadas: as vazões de 29,80 m³/s e 14,50 m³/s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,00 m³/s no rio Jaguari; 1,00 m³/s no rio Cachoeira e 1,00 m³/s no rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ.

47 12. RELATÓRIO REFERENTE AO MÊS DE DEZEMBRO DE 2012 Situação dos Reservatórios do Sistema Equivalente

48

49 12.1. Comentários sobre a operação do Sistema Cantareira novembro de 2012 O monitoramento dos reservatórios, como instrumento de gestão dos recursos hídricos, consiste no acompanhamento dos seus níveis de acumulação e das vazões afluentes e defluentes dos mesmos, servindo de suporte para a tomada de decisões sobre a sua operação, de forma a permitir o uso múltiplo dos recursos hídricos. A ANA tem a atribuição de definir e fiscalizar as condições de operação de reservatórios por agentes públicos e privados, visando garantir o uso múltiplo dos recursos hídricos, conforme estabelecido nos planos de recursos hídricos das respectivas bacias hidrográficas. A Resolução Conjunta ANA/DAEE nº 428, de 04 de agosto de 2004, dispõe sobre as condições de operação dos reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha, pertencentes ao Sistema Cantareira. Através da Portaria DAEE nº 1213, de 06 de agosto de 2004, foi outorgada à SABESP a concessão das vazões máximas médias mensais para fins de abastecimento público, do Sistema Cantareira. Observações sobre a operação no mês de novembro/2012: Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira nº 198, de 01/11/2012, foram informadas: as vazões de 29,80 m³/s e 14,50 m³/s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,00 m³/s no rio Jaguari; 1,00 m³/s no rio Cachoeira e 1,00 m³/s no rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ. Foram praticadas no período uma vazão média de transferência de 30,34 m³/s para a RMSP e defluente de 5,84 m³/s para as bacias PCJ; No mês verificou-se um decréscimo de 5,63% no volume útil do Sistema Equivalente, que passou de 55,71% (31/10/2012) para 50,09% (30/11/2012). Em termos de volume útil acumulado, partiu-se de 542,62 milhões de metros cúbicos, no final de outubro de 2012, para 487,81 milhões de metros cúbicos, no final de novembro de 2012; Esses valores refletem o balanço hídrico dos reservatórios, havendo sido observada uma afluência média de 15,03 m³/s, que corresponde a 47,9% da vazão média de longo termo do mês de novembro, contra uma vazão retirada total média de 36,18 m³/s; Considerando o histórico de vazões médias mensais afluentes desde o ano de 1930, este foi o 3º menor valor observado no mês (81º maior).

50 12.2. Determinação das vazões referentes ao mês de dezembro/2012 Através do Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira nº 200, de 01/12/2012, foram informadas: as vazões de 29,20 m³/s e 14,00 m³/s como limites superiores para o mês, respectivamente, para a Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) e total para as bacias Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ). as vazões a serem praticadas nos primeiros dias do mês, a jusante das barragens localizadas na bacia do rio Piracicaba, (3,00 m³/s no rio Jaguari; 1,50 m³/s no rio Cachoeira e 2,50 m³/s no rio Atibainha), acordadas na reunião da Câmara Técnica de Monitoramento Hidrológico do Comitê PCJ.

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. 1 AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA MAIO DE 2014 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ 1 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA DEZEMBRO DE 2014 BOLETIM DE

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari/Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10 PORTARIA DAEE N o 1213, DE 06 DE AGOSTO DE 2004 O SUPERINTENDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no artigo 11, incisos I e XVI do Decreto Estadual n o 52.636 de 03/02/71, e à vista

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari/Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Nilzo Renê Fumes 1 ; Carlos Toshio Wada 2 Resumo - O desenvolvimento do visualizador do Sistema de Suporte a Decisões da Sabesp

Leia mais

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ RELATÓRIO FINAL Volume 4/4 Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Dezembro de 2009 PLANO DA BACIA DO ALTO TIETÊ

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias nº 037/COGUN/SEAE/MF Brasília, 05

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP O abastecimento da RMSP foi concebido para atuação integrada entre seus sistemas produtores, buscando sempre a sinergia

Leia mais

O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira

O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira Departamento de Infraestrutura Diretoria de Saneamento Básico O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira Hiroaki Makibara Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos

Leia mais

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 15 de abril de 2015 Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira SUMÁRIO A precipitação média espacial, acumulada no mês, até 15 de abril de 2015, baseada

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp Crise Hídrica-Realidade e Reflexos Setor Industrial Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp O PROBLEMA NA RMSP DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP População RMSP : 20 milhões (50%) População

Leia mais

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Câmara dos Deputados 14 de Julho de 2015 Comissão Especial da Crise Hídrica O porque do colapso dos sistemas A Pergunta é: Precisávamos

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. 1 AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA OUTUBRO DE 2013 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO PARAÍBA DO SUL ADENSAMENTO POPULACIONAL DA RMC COMITÊ DE

Leia mais

DEPARTAMENTO DE AGUAS E ENERGIA ELETRICA 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP

DEPARTAMENTO DE AGUAS E ENERGIA ELETRICA 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP SECRETARIA DE ESTADO DE SANEAMENTO E RECURSOS HiDRICOS 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP OficioISUPI0823I201 5 (Autos DAEE n. 51411, prov. 10) São Paulo,

Leia mais

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 4B - Cadastro

Leia mais

Crise da água: Desafios e Soluções

Crise da água: Desafios e Soluções Núcleo PCJ-Campinas/Piracicaba Crise da água: Desafios e Soluções São Paulo, 3 de junho de 2014. Regramento Legal do Sistema Hídrico Lei Estadual nº 7.663, de 30 de dezembro de 1991 (Política Estadual

Leia mais

Piracicaba, 03 de fevereiro de 2014

Piracicaba, 03 de fevereiro de 2014 Piracicaba, 03 de fevereiro de 2014 Ofício nº 73/14 R E C O M E N D A Ç Ã O SUSPENSÃO DO BANCO DE ÁGUAS DA SABESP, REVISÃO DAS REGRAS OPERATIVAS DA OUTORGA CONCEDIDA PELA PORTARIA 1213/04 E OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

CONJUNTURA. Encarte Especial sobre a. no BRASIL RECURSOS HÍDRICOS INFORME. dos

CONJUNTURA. Encarte Especial sobre a. no BRASIL RECURSOS HÍDRICOS INFORME. dos CONJUNTURA dos RECURSOS HÍDRICOS no BRASIL INFORME 2014 Encarte Especial sobre a Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. CONTEXTO... 3 2.1. Balanço Hídrico e Identificação de Áreas Vulneráveis... 3 2.2. Regime de

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ Dalto Favero Brochi Consórcio PCJ Rio de Janeiro Novembro / 2008 LOCALIZAÇÃO DAS BACIAS PCJ CARACTERIZAÇÃO DAS BACIAS

Leia mais

COMUNICADO Nº 10 30/6/2014

COMUNICADO Nº 10 30/6/2014 GRUPO TÉCNICO DE ASSESSORAMENTO PARA GESTÃO DO SISTEMA CANTAREIRA GTAG - CANTAREIRA COMUNICADO Nº 10 30/6/2014 DESCRITIVO GERAL DA SITUAÇÃO O conjunto de reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha

Leia mais

DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA

DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA Agência Nacional de Águas - ANA Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA 16 de Agosto 2013 V 1.1 Sumário... 1 DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA

Leia mais

Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas

Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas Bacia Hidrográfica do Piracicaba, Capivari e Jundiaí Plano de Segurança da Água na SANASA Um Breve Histórico A SANASA sempre se preocupou

Leia mais

PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO. www.cpdec.com.br

PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO. www.cpdec.com.br PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO Introdução A pesquisa O Uso e o Consumo da Água no Estado de São Paulo foi desenvolvida pelo, em parceria com o NEIT (Núcleo de Economia Industrial

Leia mais

com pedido de tutela antecipada,

com pedido de tutela antecipada, EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA NO ESTADO DE PIRACICABA VARA DA NONA O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República que esta subscreve, e o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace,

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace, Sistema Cantareira represa Jaguari represa Jacareí represa Cachoeira 2ª Fase: Capacidade 22,0 m 3 /s Obras: início 1977 término 1982 Sistema Cantareira represa Atibainha Capacidade total = 33,0 m 3 /s

Leia mais

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA CENÁRIO GLOBAL A empresa do novo milênio está comprometida com a preservação dos recursos naturais respeitando sua capacidade de renovação. Tem como meta utilizar recursos

Leia mais

GRUPO TÉCNICO DE ASSESSORAMENTO PARA GESTÃO DO SISTEMA CANTAREIRA GTAG - CANTAREIRA COMUNICADO Nº 7-16/05/2014

GRUPO TÉCNICO DE ASSESSORAMENTO PARA GESTÃO DO SISTEMA CANTAREIRA GTAG - CANTAREIRA COMUNICADO Nº 7-16/05/2014 GRUPO TÉCNICO DE ASSESSORAMENTO PARA GESTÃO DO SISTEMA CANTAREIRA GTAG - CANTAREIRA COMUNICADO Nº 7-16/05/2014 DESCRITIVO GERAL DA SITUAÇÃO O conjunto de reservatórios Jaguari-Jacareí, Cachoeira e Atibainha

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2

GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2 GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2 Piracicaba 12 de outubro de 2009 1 CONTRATO AGÊNCIA PCJ Nº 03/09 CONTRATANTE:

Leia mais

transposição, a qual implica em transferência de recursos hídricos entre bacias

transposição, a qual implica em transferência de recursos hídricos entre bacias SÍNTESE DOS FATOS: 1) O Sistema Cantareira composto por 04 (quatro) os reservatórios (Jaguari, Jacareí, Cachoeira e Atibainha) é um dos maiores sistemas de abastecimento público do mundo e atende cerca

Leia mais

CRISE HÍDRICA NO ESTADO DE SÃO PAULO SINTAEMA, São Paulo SP, 11 de Novembro de 2014

CRISE HÍDRICA NO ESTADO DE SÃO PAULO SINTAEMA, São Paulo SP, 11 de Novembro de 2014 CRISE HÍDRICA NO ESTADO DE SÃO PAULO SINTAEMA, São Paulo SP, 11 de Novembro de 2014 Prof. Dr. Antonio Carlos Zuffo (FEC-UNICAMP) Laboratório de Apoio Multicritério à Decisão Orientada à Sustentabilidade

Leia mais

Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015.

Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015. Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015. Aprova manifestação sobre a renovação da outorga do Sistema Cantareira, em 2015, e dá outras providências. Os Comitês das Bacias Hidrográficas dos

Leia mais

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP Projeção de Demanda Sistema Cantareira Diretoria Metropolitana - M Objetivo Este Relatório apresenta a proposta de vazões de transferência através do Túnel 5 do Sistema Cantareira - ponto de controle entre

Leia mais

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ CONSÓRCIO PCJ COMITÊS PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007 Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO Tomador: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São

Leia mais

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas 2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas Mesa Redonda Cobrança pelo Uso da Água e Aplicação Recursos Arrecadados Cláudia Hornhardt

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de declaração de reserva de disponibilidade hídrica e de outorga de direito de uso de recursos hídricos, para uso

Leia mais

CÂMARA TÉCNICA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO - CTMH

CÂMARA TÉCNICA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO - CTMH TALK SHOW SISTEMA CANTAREIRA UM MAR DE DESAFIOS CÂMARA TÉCNICA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO - CTMH Campinas, 18 de maio 2012 Eng. Astor Dias de Andrade Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE CÂMARA

Leia mais

PORTARIA SERLA N 591, de 14 de agosto de 2007

PORTARIA SERLA N 591, de 14 de agosto de 2007 PORTARIA SERLA N 591, de 14 de agosto de 2007 ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS PARA EMISSÃO DA DECLARAÇÃO DE RESERVA DE DISPONIBILIDADE HÍDRICA E DE OUTORGA PARA USO DE POTENCIAL

Leia mais

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Gestão de Recursos Hídricos REPLAN 14/12/09 Mesa Redonda Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Alternativas para a redução do consumo de água Alternativas para a redução do

Leia mais

Departamento de Águas e Energia Elétrica

Departamento de Águas e Energia Elétrica 13 de Novembro de 2012 Departamento de Águas e Energia Elétrica O DAEE foi criado há 60 anos, em 12/12/1951, tendo como principais competências, no âmbito do Estado de SP: Elaborar o planejamento, os estudos,

Leia mais

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP Nilzo Renê Fumes 1 *, Carlos Toshio Wada 2 Resumo O abastecimento público

Leia mais

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos Organização da Secretaria de Saneamento e Recursos Hidricos Gabinete do Secretario Saneamento

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA

ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA Joanópolis, São Paulo Julho de 2011 Associação Terceira Via foi fundada em 20 de fevereiro

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA DO MUNICÍPIO DE ITIRAPINA PRESTADOR: DAE DIVISÃO DE ÁGUA E ESGOTO Relatório R3 Continuação Diagnóstico e Não Conformidades Americana,

Leia mais

IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04

IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04 IV-048 - A GESTÃO PARTICIPATIVA DA ÁGUA NA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL DURANTE A ESTIAGEM 2003/04 André Pinhel Soares (1) M.Sc. Formado em Engenharia Sanitária pela UERJ, em 1998, concluiu, em 2003, o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 1175, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013.

RESOLUÇÃO Nº 1175, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013. RESOLUÇÃO Nº 1175, DE 16 DE SETEMBRO DE 2013. Dispõe sobre critérios para definição de derivações, captações e lançamentos de efluentes insignificantes, bem como serviços e outras interferências em corpos

Leia mais

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens

Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Aspectos de mudanças climáticas no componente hidrológico dos projetos e operação de barragens Mesa redonda: Mudanças Climáticas (ClimateChanges) XXVIII Seminário Nacional de Grandes Barragens Rio de Janeiro.

Leia mais

Distribuição de Capital Social

Distribuição de Capital Social Sabesp - Unidade de Negócio Sul MS Agosto/2014 Distribuição de Capital Social Primeira empresa de saneamento e a única companhia listada na NYSE (Bolsa de Valores de Nova Iorque) a participar do Novo Mercado

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS Autor 1 1 ;Marco Antonio dos Santos Co -Autor 2 Paulo Roberto S. Tinel Co-Autor 3 Lina Cabral Adani RESUMO

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA

INSTITUTO DE ENGENHARIA INSTITUTO DE ENGENHARIA DISCUSSÕES INTERNAS SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL E FUTURA DOS RECURSOS HÍDRICOS DA MACROMETRÓPOLE PAULISTA. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES. AGOSTO 2014 RECURSOS HIDRICOS PARA A MACROMETROPOLE

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 1. Objeto. 2. Referências. OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS UHE / PCH / CGH 3. Obtenção de outorgas junto ao. 4. Fluxograma dos procedimentos para uso

Leia mais

SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS

SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS Versão 1.1 - Compilado de Textos, Informações e Subsídios voltados a Renovação da Outorga do Sistema Cantareira. Americana - São Paulo - Brasil Janeiro/2013 APRESENTAÇÃO

Leia mais

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOSH NA RMSP - SABESP MAIO DE 2010 Gestão de Recursos Hídricos PANORAMA GLOBAL Aumento da população mundial: 1950 2,52 bilhões

Leia mais

A OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIBARIBE, PERNAMBUCO- BRASIL.

A OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIBARIBE, PERNAMBUCO- BRASIL. XII Simpósio de Recursos Hídricos do Nordeste A OUTORGA DE DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO CAPIBARIBE, PERNAMBUCO- BRASIL. Marcos Antonio Barbosa da Silva Junior (UPE)

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

AÇÕES EMENDÁVEIS POR REGIÃO SUDESTE

AÇÕES EMENDÁVEIS POR REGIÃO SUDESTE AÇÕES EMENDÁVEIS POR REGIÃO SUDESTE SD ÓRGÃO: MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COD. ÓRGÃO: 24000 Ação Ação Produto 2059 POLÍTICA NUCLEAR 1393 IMPLANTAÇÃO DA USINA DE ENRIQUECIMENTO DE URÂNIO

Leia mais

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise

Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise Estiagem é tema de edição especial deste mês Instituições contam as medidas adotadas para atravessar o período de crise O forte período de estiagem que assola a região é o tema desta edição especial do

Leia mais

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP. Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP. Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA RMSP Col. Santa Clara - 2014 Prof. Marcos N. Giusti Região Metropolitana de São Paulo Col. Santa Clara Você sabe de onde vem a água que nós bebemos e utilizamos? Col. Santa Clara

Leia mais

RESOLVEM celebrar e finnar o presente TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA, mediante as cláusulas e condições que se seguem:

RESOLVEM celebrar e finnar o presente TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA, mediante as cláusulas e condições que se seguem: TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA que entre si celebram o Consórcio Intennunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí - Consórcio PCJ, entidade delegatária para exercer as funções de Agência

Leia mais

A COBRANÇA A PELO USO DE DA UNIÃO. de Cobrança a do Comitê das Bacias do Alto Iguaçu u e Afluentes do Alto Ribeira CT-COB

A COBRANÇA A PELO USO DE DA UNIÃO. de Cobrança a do Comitê das Bacias do Alto Iguaçu u e Afluentes do Alto Ribeira CT-COB 3º Reunião da Câmara Técnica T de Cobrança a do Comitê das Bacias do Alto Iguaçu u e Afluentes do Alto Ribeira CT-COB COB A COBRANÇA A PELO USO DE RECURSOS HÍDRICOS H DE DOMÍNIO DA UNIÃO PATRICK THOMAS

Leia mais

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica.

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica. PROJETO ATUALIZAR 2015 TEMA SISTEMA CANTAREIRA DATA DE APLICAÇÃO 09 a 13/03/2015 PROFESSORES RESPONSÁVEIS Cristiane e Felipe 1. SUGESTÕES DE PONTOS QUE PODEM SER ABORDADOS 1.1. A importância da água 1.2.

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL Rod. Campinas Mogi-Mirim, km 2,5 Campinas. SP. Brasil. 13088-900 cpfl@cpfl.com.br www.cpfl.com.br CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Espaço das Águas Fundação Patrimônio Histórico da Energia e Saneamento Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Fevereiro 2009 1. Histórico da Implantação

Leia mais

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)*

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* RESULTADOS DE PESQUISA/RESEARCH RESULTS IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* MIRNA APARECIDA NEVES 1 SUELI YOSHINAGA PEREIRA 2 HAROLD GORDON

Leia mais

RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013

RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013 RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013 Sistema Cantareira: Compartilhando Desafios Programa de Educação e Sensibilização Ambiental Consórcio PCJ INTRODUÇÃO O Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba,

Leia mais

Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG

Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG SEGURANÇA HÍDRICA Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG SUMÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA A EVOLUÇÃO DO

Leia mais

IRRIGART ENGENHARIA E CONSULTORIA EM RECURSOS HIDRICOS E MEIO AMBIENTE LTDA.

IRRIGART ENGENHARIA E CONSULTORIA EM RECURSOS HIDRICOS E MEIO AMBIENTE LTDA. 1. PRESETÇÃ 1.1. Introdução Constitui finalidade dos Relatórios de Situação dos Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas do Estado de São Paulo a avaliação da eficácia dos Planos de Bacia desenvolvidos

Leia mais

Gestão Participativa e os Comitês de Bacias

Gestão Participativa e os Comitês de Bacias Novembro de 2009. Gestão Participativa e os Comitês de Bacias Suraya Modaelli DAEE 1,2 bilhão de pessoas sem acesso a água potável no mundo 2 bilhões sem infra-estrutura de saneamento milhões de crianças

Leia mais

O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo

O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO ESTADO DE SÃO PAULO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL - SENAR AR/SP O Impacto da seca na produção de alimentos em São Paulo FÁBIO DE SALLES MEIRELLES PRESIDENTE

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica (DRDH) e de outorga de direito de uso de recursos

Leia mais

ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Vanessa Araújo Silva de Sousa 1* ; Débora Regina Machado Silva 2** 1 vanessa.araujosilva@hotmail.com; 2 deborarms@gmail.com * Universidade

Leia mais

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros

O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros O Sistema de Monitoramento Hidrológico dos Reservatórios Hidrelétricos Brasileiros Carlos Alexandre Cernach Silveira 2 Gabrielle Rodrigues de Macedo 2 Ludimila Lima da Silva 1 Mauro Silvio Rodrigues 2

Leia mais

PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006. Reti-ratificada em 03/08/2012

PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006. Reti-ratificada em 03/08/2012 Ref.: Autos DAEE nº 49.559, prov. 1 PORTARIA DAEE nº 2292 de 14 de dezembro de 2006 Reti-ratificada em 03/08/2012 O Superintendente do Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE, no uso de suas atribuições

Leia mais

A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ

A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL E OS IMPACTOS PARA O RJ Eng. Edes Fernandes de Oliveirfa Diretor de Produção e Grande Operação E-mail: edes@cedae.com.br A ESCASSEZ HÍDRICA NO RIO PARAIBA DO SUL

Leia mais

SISTEMA CANTAREIRA : Reservatório Jaguari, abril, 2014 ÁGUA : E AGORA?

SISTEMA CANTAREIRA : Reservatório Jaguari, abril, 2014 ÁGUA : E AGORA? SISTEMA CANTAREIRA : Reservatório Jaguari, abril, 2014 ÁGUA : E AGORA? COMITÊS DE BACIAS HIDROGRÁFICAS REGIÕES AFETADAS Sistema Cantareira (operação normal) 5m3/s para bacia Piracicaba 31 m3/s para RMSP

Leia mais

Capítulo 141-Regionalização hidrográfica

Capítulo 141-Regionalização hidrográfica Capítulo 141-Regionalização hidrográfica 141-1 Capítulo 141-Regionalização hidrográfica 141.1 Introdução O mundo passa por grandes transformações e os recursos hídricos deverão no séeculo XXI ser analisado

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DA CAPITAL

EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DA CAPITAL EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ DE DIREITO DA VARA DA FAZENDA PÚBLICA DA COMARCA DA CAPITAL O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO, por seus representantes ao final assinados, no exercício de suas funções

Leia mais

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE AGUA. Município de Araras - SP

RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE AGUA. Município de Araras - SP RELATÓRIO DE MONITORAMENTO DE PRESSÃO EM REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE AGUA. Município de Araras - SP Agosto de 2014 Sumario CAPÍTULO I - RUA DALVA RUEGUER FERREIRA, 81... 1 1. Objetivo... 3 2. EQUIPAMENTO INSTALADO...

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários Manter atualizado o cadastro dos usos e usuários de recursos hídricos de corpos

Leia mais

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Mierzwa, José Carlos Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DAS DEFINIÇÕES

CAPÍTULO I DO OBJETIVO E DAS DEFINIÇÕES RESOLUÇÃO N o 143, DE 10 DE JULHO DE 2012. Estabelece critérios gerais de classificação de barragens por categoria de risco, dano potencial associado e pelo seu volume, em atendimento ao art. 7 da Lei

Leia mais

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer?

Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? Qual crise? Qual a verdade? O que podemos fazer? LATA DE LIXO De quem é a culpa? 1 2 3 4 Qual o risco? 1 2 3 O que não poderia ter sido feito? 1 2 3 4 5 O que nós podemos fazer? 1 2 3 4 LATA DE LIXO De

Leia mais

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Aprova a proposta para implementação da cobrança pelo uso dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, nas bacias hidrográficas

Leia mais

SISTEMA CANTAREIRA E A CRISE DA ÁGUA EM SÃO PAULO: A FALTA DE TRANSPARÊNCIA NO ACESSO À INFORMAÇÃO

SISTEMA CANTAREIRA E A CRISE DA ÁGUA EM SÃO PAULO: A FALTA DE TRANSPARÊNCIA NO ACESSO À INFORMAÇÃO SISTEMA CANTAREIRA E A CRISE DA ÁGUA EM SÃO PAULO: A FALTA DE TRANSPARÊNCIA NO ACESSO À INFORMAÇÃO 2014 ARTIGO 19 BRASIL Defendendo a Liberdade de Expressão e Informação Rua João Adolfo, 118, conjunto

Leia mais

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO

Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Rio São Francisco ERROS DA TRANSPOSIÇÃO Bacia do São Francisco Irrigação na bacia do rio Potencial irrigável cerca de 1 milhão de hectares Efetivamente irrigados cerca de 340 mil hectares e em constante

Leia mais

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI

BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI BOLETIM DE MONITORAMENTO DA BACIA DO ALTO PARAGUAI v.6, n. 01, jan. 2011 Bol. Mon. Bacia do Alto Paraguai, Brasília, v. 6, n. 01, p. 1-21, jan. 2011 República Federativa do Brasil Dilma Vana Rousseff Presidenta

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GESTÃO PARA REMEDIAÇÃO E PROTEÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA SUB-BACIA ATIBAIA COM ENFASE NO RESERVATÓRIO DE SALTO GRANDE AMERICANA SP TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes. Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento

Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes. Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento Enquadramento dos Corpos de Água em Classes segundo os Usos Preponderantes Correlação com Plano de Bacia, Sistema de Informação e Monitoramento Plano de Recursos Hídricos Plano diretor de longo prazo que

Leia mais

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP R. R. Chahin a a. Companhia de Saneamento Básico do Estado de

Leia mais

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Bragança Paulista 01 a 0 de dezembro de 009 Atribuições da Câmara Técnica de Educação Ambiental (CT-EA) Criada pela

Leia mais

: Sistemas de Abastecimento de Água

: Sistemas de Abastecimento de Água PROGRAMA DA DISCIPLINA Fls 01 de 05 UNICAMP CÓDIGO: NOME CV641 : Sistemas de Abastecimento de Água T:02 P:01 L:OO0:01 D:01 E:02 HS:07 SL:03 C:04 EX:S EMENTA: Introdução. Previsão populacional. Consumo

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 782, DE 27 DE OUTUBRO DE 2009 (Revogada pela Resolução n.º 603, de 26 de maio de 2015)

RESOLUÇÃO N o 782, DE 27 DE OUTUBRO DE 2009 (Revogada pela Resolução n.º 603, de 26 de maio de 2015) RESOLUÇÃO N o 782, DE 27 DE OUTUBRO DE 2009 (Revogada pela Resolução n.º 603, de 26 de maio de 2015) Estabelece critérios para o envio dos dados dos volumes medidos em pontos de interferência outorgados

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 96 DE 25 DE FEVEREIRIO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 96 DE 25 DE FEVEREIRIO DE 2014 SALVADOR, BAHIA - QUARTA-FEIRA 12 DE MARÇO DE 2014 ANO - XCVIII - N O 21,375 RESOLUÇÃO Nº 96 DE 25 DE FEVEREIRIO DE 2014 Estabelece diretrizes e critérios gerais para a outorga do direito de uso dos recursos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 5, DE 10 DE ABRIL DE

RESOLUÇÃO Nº 5, DE 10 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO Nº 5, DE 10 DE ABRIL DE 2000 (Publicada no D.O.U de 11 de abril de 2000) (Modificada pela Resolução nº18, de 20 de dezembro de 2001, e pela Resolução nº 24, de 24 de maio de 2002) O Conselho

Leia mais