O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira"

Transcrição

1 Departamento de Infraestrutura Diretoria de Saneamento Básico O Plano para a Macrometrópole e a renovação da outorga do Sistema Cantareira Hiroaki Makibara Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos Assessor do Gabinete 04 de abril de 2013

2 Sumário da apresentação 1. O Sistema Cantareira 2. Outorga de ago-1974 e a 1ª renovação em Principais estudos técnicos da 1ª renovação em Justificativa do Plano da Macrometrópole 5. Informações básicas do Plano da Macrometrópole 6. Barragens nas bacias PCJ e sistema adutor regional 7. Perpectivas para 2ª renovação da outorga Cantareira em 2014

3 Esquema ilustrativo do Sistema Cantareira Grande obra de engenharia das décadas de 70/80 Franco da Rocha Bragança Paulista Atibaia Mairiporã Piracaia Nazaré Paulista São Paulo

4 Sistema Cantareira - a primeira Outorga de 04/08/74

5 Sistema Cantareira 1ª Renovação da Outorga em 2004 Processo técnico e político ( 1 ano) Estudos técnicos consistentes (Engenharia); Discussão pública (transparência) com os interessados; Tratamento equânime às duas regiões; Valorização dos Comitês de Bacias como interlocutores das duas regiões; Esforço conjunto: Governo de SP e Agência Nacional de Águas (ANA) participação da alta direção; Busca do consenso Portaria DAEE nº 1213 de 06/08/ artigos Localização precisa de todos pontos de controle/captações Regra operativa com limites para retiradas do Sistema Condicionantes e prazos Anexos: I Diagrama do Sistema II Dados básicos reservatórios (cotas, volumes...) III Limites vazões retiradas função do volume (mensal) IV Formulação matemática determinação volume sistema

6 Contexto da outorga do Sistema Cantareira 2004 e renovação 2014 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho RMC 4. Comunidade 5. Classe política 6. Ministério Público 7. Imprensa Regional 1. Sabesp 2. Comitê Alto Tietê 3. Agência de Bacias 4. Comunidade AT 5. Grande Imprensa GOVERNO E ÓRGÃOS REGULADORES CENÁRIO 2004 CENÁRIO Departamento de Águas e Energia Elétrica DAEE 2. Instituto Mineiro de Gestão das Águas IGAM 3. Agência Nacional de Águas ANA; 4. Governo do Estado de São Paulo. - 5º ano de estiagem e baixo nível reservatórios - ano eleitoral: renovação de prefeitos e vereadores - razoável probabilidade de baixo nível reservatórios - ano eleitoral: renovação federal/estadual - experiência de 9 anos de gestão compartilhada - planos de bacias e macroregional discutidos

7 Vazão (m 3 /s) jan/30 jan/32 jan/34 jan/36 jan/38 jan/40 jan/42 Estudos Técnicos Série de Vazões afluentes de 1930 a 2004 (73 anos) jan/44 jan/46 jan/48 jan/50 jan/52 jan/54 jan/56 jan/58 jan/60 jan/62 jan/64 jan/66 jan/68 jan/70 jan/72 jan/74 jan/76 jan/78 jan/80 jan/82 jan/84 jan/86 jan/88 jan/90 jan/92 jan/94 jan/96 jan/98 jan/00 jan/02 jan/04 180,0 Figura 13 - Hidrograma das Vazões Naturais Médias Mensais nos Reservatórios Jaguari/Jacareí, Cachoeira e Atibainha Vazão Média = 40,23 m 3 /s 160,0 140,0 120,0 100,0 80,0 60,0 40,0 20,0 0,0

8 Estudos Técnicos Reconstituição de vazões naturais Vazões Naturais Jaguari Vazões Naturais Cachoeira Vazões Naturais Atibainha Vazões Naturais Paiva Castro Vazões Naturais Vazões Naturais Totais Piracicaba Período (m 3 /s) (m 3 /s) (m 3 /s) (m 3 /s) Totais (m 3 /s) (m 3 /s) ,7 9,2 6,2 4,6 45,7 41, ,4 8,7 6,1 4,6 44,8 40, ,4 6,8 4,4 3,0 32,6 29, ,1 4,9 4,3 4,3 34,6 30,2 4 anos 5 anos relação / % 56% 70% 94% 77% 75%

9 Estudos Técnicos Dados operacionais Reservatórios NA mínimo NA máximo Volume Mínimo (hm 3 ) Volume Máximo (hm 3 ) Volume Útil (hm 3 ) Jaguari-Jacareí 820,80 844,00 229, ,35 807,86 Cachoeira 811,72 821,78 44,05 114,60 70,55 Atibainha 781,88 786,86 201,35 301,51 100,16 Paiva Castro 743,80 745,61 18,1 27,6 9,44 Total com Paiva Castro: 493, ,03 988,02 Total sem Paiva Castro: 474, ,46 978,57 NOTA: NOTA: Os volumes deverão ser aferidos pela SABESP por topobatimetria (prazo de 9 meses) Os (condicionantes volumes deverão da futura ser aferidos outorga). pela SABESP por topobatimetria (prazo de 9 meses).

10 Estudos Técnicos: Garantia de atendimento das demandas Bacia Piracicaba e 31 m3/s para RMSP

11 Estudos Técnicos - Curvas de aversão a risco para diversas vazões de retirada considerando o pior biênio hidrológico e uma reserva Estratégica de 5%

12 Divisão da vazão total adotada de 36,0 m 3 /s Prioridade Vazão (m 3 /s) RMSP % Demandas Bacia do rio Piracicaba Vazão (m 3 /s) % Vazão (m 3 /s) Total por prioridade 1 Primária 24,8 89,2 3,0 10,8 27, Secundária 6,2 75,6 2,0 24,4 8,2 100 Total por usuário 31,0 5,0 Vazão total de retirada do Sistema Equivalente 36,0 Vazões menores que 27,8 m 3 /s: diminuição para RMSP e PCJ na proporção 24,8 : 3,0 36,0 Distribuição da secundária para RMSP e PCJ na proporção de 6,2 : 2,0 %

13 Armazenamento no sistema de 4 Reservatórios (Bacia do Rio Piracicaba)

14 Armazenamento no sistema de 4 Reservatórios (Bacia do Rio Piracicaba)

15 Rotina mensal de comunicações ANA-DAEE ao CBH-PCJ e Sabesp Comunicado Conjunto ANA/DAEE - Sistema Cantareira n 208 de 01/04/2013. Exmo.Sr. Eduardo Lovo Paschoalotti - Presidente em Exercício dos Comitês PCJ e Ilma. Sra. Dilma Seli Pena - Presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo SABESP Em cumprimento ao disposto na Portaria DAEE nº 1213, de 06 de agosto de 2004, relativa à outorga do Sistema Cantareira, em conformidade ao disposto na Resolução Conjunta ANA-DAEE nº 428, de 04 de agosto de 2004, Informamos os valores adotados como limites superiores para o mês de abril de 2013, de acordo com os comunicados recebidos da CT-MH e da SABESP: Q1 (túnel 5-Sabesp) = 30,80 m³/s; e Q2 (bacia do Piracicaba) = 16,20 m³/s. Ressalta-se, contudo, que foram acordadas para os primeiros dias do mês as vazões que seguem: 1,00 m³/s, no Rio Jaguari; 0,25 m³/s, no Rio Cachoeira; e Vazão defluente adotada 0,25 m³/s, no Rio Atibainha. (Piracicaba) Atenciosamente, Joaquim Gondim p/ Agência Nacional de Águas ANA Luiz Roberto Moretti p/ Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE Vazão em banco de águas para uso futuro (Piracicaba) 1,5 m 3 /s 14,7 m 3 /s

16 Ago/2004 Out/2004 Dez/2004 Fev/2005 Abr/2005 Jun/2005 Ago/2005 Out/2005 Dez/2005 Fev/2006 Abr/2006 Jun/2006 Ago/2006 Out/2006 Dez/2006 Fev/2007 Abr/2007 Jun/2007 Ago/2007 Out/2007 Dez/2007 Fev/2008 Abr/2008 Jun/2008 Ago/2008 Out/2008 Dez/2008 Fev/2009 Abr/2009 Jun/2009 Ago/2009 Out/2009 Dez/2009 Fev/2010 Abr/2010 Jun/2010 Ago/2010 Out/2010 Dez/2010 Fev/2011 Abr/2011 Jun/2011 ago/2011 out/2011 dez/2011 Fev/2012 Abr/2012 Jun/2012 Ago/2012 Out/2012 Dez/2012 Fev/2013 Evolução do Banco de Águas 350,00 300,00 Banco de Águas SABESP (hm³) 250,00 Banco de Águas PCJ (hm³) 200,00 150,00 100,00 50,00 0,00

17 Macrometrópole Paulista Justificativa do Plano de Aproveitamento de Recursos Hídricos Condicionantes da renovação da outorga do Cantareira (2004) Plano de Contingência Monitoramento Levantamento reservatórios Revisão hidrológica e hidráulica Compromisso tratamento esgotos e redução de perdas Redução da dependência do Sistema Cantareira (2004/12) Mananciais - RMSP Ganhos/Situação RMSP Alto Tietê: + 5 m 3 /s (2011) Gestão demanda RMSP: recuperação de 3 m 3 /s Outros mananciais: extrapolam a governança da Sabesp

18 Macrometrópole Paulista Justificativa do Plano de Aproveitamento de Recursos Hídricos Caracterização Macrometrópole: Conurbação Dinamismo econômico Escassez hídrica Alto Tietê e PCJ Conflitos de uso da água Mananciais estudados em diferentes épocas Objetivo principal do Plano (Decreto nº de 28/02/2008): Garantir suprimento hídrico no longo prazo para usos urbano, industrial e agrícola.

19 Macrometrópole: abrangência do Plano 180 Municípios 180 Municípios Área 21% do Estado Área de São Paulo 21% do 0,6% Estado Brasil de São Paulo 0,6% do Brasil População População 75% 75% do Estado do Estado de São de São Paulo Paulo 16% 16% da nacional da nacional 23% do PIB do Brasil 77% do do PIB PIB do do Estado Estado de de S. S. Paulo Paulo

20 Macrometrópole: dinamismo e vantagens locacionais

21 Macrometrópole: População total em milhões de hab. Alto Tietê Paraíba Baixada PCJ Demais Soma Tiete Sorocaba Sul Santista ,5 5,02 1,83 1,95 1,66 0,82 30, ,9 6,22 2,38 2,41 2,05 1,04 37,02 P 17,4% 23,8% 29,9% 23,5% 23,1% 25,7% 20,1%

22 Macrometrópole: Demanda total em m3/s Alto Tietê Paraíba Baixada PCJ Demais Soma Tiete Sorocaba Sul Santista ,4 40,0 25,4 18,0 15,0 13,4 222, ,1 58,2 36,7 21,4 19,4 20,3 282,3 Q 14,3% 45,6% 44,5% 19,0% 30,0% 51,3% 27,1% P 17,4% 23,8% 29,9% 23,5% 23,1% 25,7% 20,1%

23 Evolução de população e demandas pelo uso da água de 2008 a 2035 na Macrometrópole População Total ,7 37,0 34,1 30, = 6,2 milhões hab.

24 Incremento de demandas e população de 2008 a 2035 na Macrometrópole ,8 2,2 18,2 6,7 Irrigação Industrial Urbana 14,8 Demandas: + 60 m3/s ,6 6,6 11,3 6,2 4,9 5, ,0 4,9 2,1 4,6 Alto Tiete PCJ Tiete/Sorocaba Demais UGRHIs 3,4 População: + 6,3 milhões ,3 0,6 1,1 0 Alto Tiete PCJ Tiete/Sorocaba Demais UGRHIs

25 Macrometrópole: áreas de déficit hídrico em 2035

26 Macrometrópole: Cenários das Demandas ( ) (Tendencial; de Crescimento Econômico; e de Gestão da Demanda) 13 m 3 /s 32 m 3 /s 60 m 3 /s

27 Macrometrópole: principais aproveitamentos (esquemas) Bar r. Duas Pont es Bar r. Pedr eir a Bar r. Pir aí Jur um ir im Sar apuí-sor ocaba Jaguar i-at ibainha São Lour enço (Fr ança - PPP Sabesp) Guar ar em a-bir it iba Alt o Juquiá (Fr ança: 16,4 m 3/ s) It at inga-it apanhaú Br aço R. Pequeno-Billings São Lour encinho

28 Macrometrópole: arranjos estudados até 2010 Esquemas envolvendo PCJ Esquemas Arranjos 1 1A Itatinga Itapanhaú Braço do Rio Pequeno -Billings Alto Juquiá (França - ETA Cotia) São Lourenço (França ETA Cotia) S. Lourencinho/ETA Embu Guaçu ETA Embu Guaçu/Alto Sorocaba Jaguari Atibainha Guararema - Biritiba Barragem Piraí Barragem Campo Limpo Barragens Pedreira e Duas Pontes Atibaia - Indaiatuba Atibaia Rio Jundiaí Jurumirim ETA Cotia Sarapuí/Sorocaba/Salto/Res.Piraí/Indaiatuba Sarapuí/Sorocaba/Salto/Res.Piraí Res. Cabreúva - Barueri Vazão Média Suprida em 2035 (m³/s) 30,6 30,6 28,7 25,9 23,0 22,2 30,2 21,4

29 Decisões em 2012 sobre novos aproveitamentos deverão agregar mais 13,0 m 3/ s à Macrometrópole (+ 1,3 m3/s) 31/julho/2012 Anúncio de construção de duas represas para bacias PCJ: Duas Pontes (Rio Camanducaia) e Pedreira (Rio Jaguari) (+ 7,0 m 3 /s) 08/10/12 - Lançada PPP internacional para construção e operação do Sistema Lourenço: Transposição de 4,7 m 3 /s para o Alto Tietê, beneficiando: Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira e Vargem Grande Paulista.

30 Macrometrópole: arranjos estudados até 2010 devem ser revistos e recentes decisões implicam revisão Esquemas envolvendo PCJ Recentes Decisões Esquemas Arranjos 1 1A Itatinga Itapanhaú Braço do Rio Pequeno -Billings Alto Juquiá (França - ETA Cotia) São Lourenço (França ETA Cotia) S. Lourencinho/ETA Embu Guaçu ETA Embu Guaçu/Alto Sorocaba Jaguari Atibainha Guararema - Biritiba Barragem Piraí Barragem Campo Limpo Barragens Pedreira e Duas Pontes Atibaia - Indaiatuba Atibaia Rio Jundiaí Jurumirim ETA Cotia Sarapuí/Sorocaba/Salto/Res.Piraí/Indaiatuba Sarapuí/Sorocaba/Salto/Res.Piraí Res. Cabreúva - Barueri Vazão Média Suprida em 2035 (m³/s) 30,6 30,6 28,7 25,9 23,0 22,2 30,2 21,4

31 Plano para a Macrometrópole Paulista: Situação e próximos passos Em andamento: Relatório Final Revisão dos Arranjos Plano de Ações ao longo do tempo Estimativa de custos e análise Execução (1ª fase): 2009 e 2010 Retomada (2ª. fase): 2013 Conclusão: ínício 2º sem/2013 Proposta de melhor arranjo sob aspectos (custos+ambiental+viabilidade político-institucional) Programados: seminários regionais a partir julho/13

32 Barragens de Pedreira e Duas Pontes Regularização de vazões: incremento de + 7 m3/s para Bacias PCJ Projeto Básico (Petrobrás para CBH-PCJ): Execução: 2011 a abr/13 Empreendedor: DAEE (decisão GESP em 31/07/12) Aditivo ao projeto básico: dez/2013 Subsídios ao DUP Complementações técnicas Concepção Sistema Adutor Regional Subsídios estudos ambientais e projeto executivo Ações DAEE (executadas/programadas): Orçamento 2013: R$ 16 milhões Licitação estudos ambientais e projeto executivo (2013) Decreto Utilidade Pública (2013) Licitação obras (2014)

33 Bacias PCJ: Influência direta e indireta 2 novas barragens Limeira Artur Nogueira Barragem Duas Pontes R. Camanducaia Holambra Jaguariúna Pedreira R. Jaguari Piracicaba R. Piracicaba Americana Nova Odessa Barragem Pedreira Sumaré Paulinia R. Atibaia Áreas críticas de Abastecimento público Hortolândia Campinas Valinhos Vinhedo Itatiba R. Capivari Louveira Barragens planejadas Captações e aduções existentes R. Jundiaí Indaiatuba Itupeva Jundiaí Várzea Pta. Campo Limpo

34 Bacias PCJ: esquema de sistema adutor regional Beneficiários diretos à jusante Limeira Artur Nogueira Barragem Duas Pontes R. Camanducaia Holambra Jaguariúna Pedreira R. Jaguari Piracicaba R. Piracicaba Americana Nova Odessa Barragem Pedreira Sumaré Paulinia R. Atibaia Áreas críticas de Abastecimento público Hortolândia Campinas Valinhos Vinhedo Itatiba R. Capivari Louveira Barragens planejadas Captações e aduções existentes R. Jundiaí Indaiatuba Itupeva Jundiaí Várzea Pta. Campo Limpo Sistema adutor de água bruta, a ser planejado

35 Perpectivas para renovação outorga Cantareira em ) Plano da Macrometrópole concluído e definida diretriz aproveitamentos futuros 2) Novos estudos técnicos específicos (ANA, DAEE...) 3) Aproveitamento das lições aprendidas: 9 anos de aplicação de regra para divisão de vazões Atuação da CT-MH dos Comitês PCJ Banco de Águas Controle de Cheias Negociação ganha & ganha 4) Aprimoramento do processo participativo (PCJ e Alto Tietê )

36 Tel: (11) Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos Obrigado pela atenção!!!

37 Incremento das demandas urbanas municipais Municípios Demanda Urbana Pedreira, Jaguariuna 0,32 0,45 0,13 Paulinia, Hortolandia 0,85 1,42 0,57 Limeira 0,73 0,90 0,17 Americana 0,92 1,10 0,18 Piracicaba 1,74 2,11 0,37 Soma, m3/s 4,56 5,98 1,42 Beneficiários diretos à jusante Piracicaba Limeira R. Piracicaba Americana Nova Odessa Artur Nogueira Holambra Jaguariúna Pedreira Municípios Demanda Urbana Campinas, Indaiatuba, Itupeva 4,29 5,32 1,03 Paulinia, Sumare, Nova Odessa 1,30 1,73 0,43 Itatiba, Valinhos, Vinhedo, Louveira 1,03 1,42 0,39 Campo Limpo, Varzea Paulista 0,52 0,69 0,16 Jundiai 1,36 1,62 0,27 Soma, m3/s 8,50 10,78 2,28 Sumaré Hortolândia R. Capivari R. Jundiaí Paulinia Itatiba Valinhos Campinas Vinhedo Louveira Jundiaí Áreas críticas de Abastecimento público Indaiatuba Itupeva Várzea Pta. Campo Limpo

38 Sabesp na RMSP: i) o aumento da oferta do Alto Tietê (+5 m3/s) é para suprir o atendimento da demanda imediata e de curto prazo, ii) o acréscimo da demanda anual na RMSP é de 1 m³/s a cada ano e meio, algo como uma Campinas a cada 4 ou 5 anos, iii) a PPP do São Lourenço visa atender à demanda de médio prazo.

39 Redução de perdas (Sabesp) Meta: Redução das perdas por faturamento, de 29,5% em 2007 para 19,0% até o final da década População beneficiada: 26,4 milhões Região beneficiada: Todos os municípios atendidos direta e indiretamente Período: Índice de Perdas Sabesp (dez 2012) 25,7%

40 ARTIGO 11 - A SABESP deverá elaborar, no prazo de 12 (doze) meses a partir da publicação desta Portaria, em articulação com o DAEE, a ANA e os Comitês PCJ e AT, um Plano de Contingência para ações durante situações de emergência. ARTIGO 12 A SABESP fica obrigada a implantar, manter e operar as estações de monitoramento contínuo dos níveis d água das estações fluviométricas e limnimétricas nos pontos de controle do Sistema Cantareira e disponibilizar as informações em tempo real. ARTIGO 13 A SABESP deverá, em até 12 (doze) meses, a partir da publicação desta Portaria, providenciar a atualização das curvas cota versus área superficial e cota versus volume para os reservatórios do Sistema Cantareira. ARTIGO 14 A Sabesp deverá, no prazo 12 (doze) meses, a contar da data da publicação desta Portaria, utilizando dados atualizados da série histórica de vazões e dos novos levantamentos dos reservatórios, apresentar ao DAEE e à ANA uma revisão dos estudos hidrológicos e hidráulicos para verificação da capacidade das estruturas extravasoras relativamente às vazões de cheia de projeto, considerando, nas análises, as restrições de vazões a jusante de todos os barramentos do Sistema Cantareira. ARTIGO 15 A SABESP deverá firmar, em conjunto com os municípios e demais entidades operadoras dos serviços de saneamento na área de atuação do Comitê PCJ, um Termo de Compromisso onde serão estabelecidas metas, para o período dos próximos 10 (dez) anos, de tratamento de esgotos urbanos, de controle de perdas físicas nos sistemas de abastecimento de água e de ações que contribuam para a recarga do lençol freático. ARTIGO 16 - A SABESP deverá providenciar, no prazo de até 30 (trinta) meses, estudos e projetos que viabilizem a redução de sua dependência do Sistema Cantareira, considerando os Planos de Bacia dos Comitês PCJ e AT. ARTIGO 17 A SABESP deverá manter programas permanentes de controle de perdas, uso racional da água, combate ao desperdício e incentivo ao reuso de água, apresentando, anualmente, relatórios ao DAEE e à ANA que disponibilizarão os dados ao Comitê das Bacias Hidrográficas do Alto Tietê e dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí.

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH

Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014. Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Outorga do Sistema Cantareira Renovações de 2004 e 2014 Rui Brasil Assis Assessor do Gabinete da SSRH Contexto da renovação da outorga em 2004 ATORES REGIONAIS 1. Comitê PCJ 2. Consórcio PCJ 3. Conselho

Leia mais

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10

Município: VARGEM COORD. UTM (km) Prazo USO RECURSO HÍDRICO N E MC (anos) Barramento Rio Jaguari 7.465,00 354,00 45º 10 PORTARIA DAEE N o 1213, DE 06 DE AGOSTO DE 2004 O SUPERINTENDENTE DO, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no artigo 11, incisos I e XVI do Decreto Estadual n o 52.636 de 03/02/71, e à vista

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA ANO 2012 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação-Geral de Infraestrutura Urbana e Recursos Naturais Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias nº 037/COGUN/SEAE/MF Brasília, 05

Leia mais

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO PARAÍBA DO SUL ADENSAMENTO POPULACIONAL DA RMC COMITÊ DE

Leia mais

INSTITUTO DE ENGENHARIA

INSTITUTO DE ENGENHARIA INSTITUTO DE ENGENHARIA DISCUSSÕES INTERNAS SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL E FUTURA DOS RECURSOS HÍDRICOS DA MACROMETRÓPOLE PAULISTA. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES. AGOSTO 2014 RECURSOS HIDRICOS PARA A MACROMETROPOLE

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Câmara dos Deputados 14 de Julho de 2015 Comissão Especial da Crise Hídrica O porque do colapso dos sistemas A Pergunta é: Precisávamos

Leia mais

RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013

RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013 RELATÓRIO SEMANA DA ÁGUA 2013 Sistema Cantareira: Compartilhando Desafios Programa de Educação e Sensibilização Ambiental Consórcio PCJ INTRODUÇÃO O Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba,

Leia mais

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Gestão de Recursos Hídricos REPLAN 14/12/09 Mesa Redonda Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Alternativas para a redução do consumo de água Alternativas para a redução do

Leia mais

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO WEB VISUALIZADOR SSD SABESP - MANANCIAIS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Nilzo Renê Fumes 1 ; Carlos Toshio Wada 2 Resumo - O desenvolvimento do visualizador do Sistema de Suporte a Decisões da Sabesp

Leia mais

DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA

DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA Agência Nacional de Águas - ANA Departamento de Águas e Energia Elétrica - DAEE DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA DA OUTORGA DO SISTEMA CANTAREIRA 16 de Agosto 2013 V 1.1 Sumário... 1 DADOS DE REFERÊNCIA ACERCA

Leia mais

Desafios e metas do Estado de São Paulo

Desafios e metas do Estado de São Paulo 1º Seminário Saneamento Básico Universalização do Saneamento: Desafios e Metas para o Setor 07 de novembro de 2011 Desafios e metas do Estado de São Paulo Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos

Leia mais

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP

NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP NOTA TÉCNICA MANUTENÇÃO DA PRODUÇÃO DO SISTEMA CANTAREIRA PARA A POPULAÇÃO DA RMSP O abastecimento da RMSP foi concebido para atuação integrada entre seus sistemas produtores, buscando sempre a sinergia

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP

O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP 17 de novembro de 2010 CEIVAP AGEVAP Contexto hídrico atual Quanto

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ 1 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA DEZEMBRO DE 2014 BOLETIM DE

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. 1 AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA MAIO DE 2014 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Crise da água: Desafios e Soluções

Crise da água: Desafios e Soluções Núcleo PCJ-Campinas/Piracicaba Crise da água: Desafios e Soluções São Paulo, 3 de junho de 2014. Regramento Legal do Sistema Hídrico Lei Estadual nº 7.663, de 30 de dezembro de 1991 (Política Estadual

Leia mais

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos

EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO. Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos EVOLUÇÃO INSTITUCIONAL DO SETOR DE ÁGUA EM SÃO PAULO Edson Giriboni Secretário de Saneamento e Recursos Hídricos Organização da Secretaria de Saneamento e Recursos Hidricos Gabinete do Secretario Saneamento

Leia mais

ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA

ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA ESTUDO TÉCNICO DE VIABILIDADE DE PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA PROTEÇÃO DA ÁGUA PARA O SUB-SISTEMA CANTAREIRA Joanópolis, São Paulo Julho de 2011 Associação Terceira Via foi fundada em 20 de fevereiro

Leia mais

Empreendimentos Prioritários e de Caráter estratégico. Empreendimentos de iniciativa isolada

Empreendimentos Prioritários e de Caráter estratégico. Empreendimentos de iniciativa isolada Critérios para hierarquização Demanda Induzida Empreendimentos Prioritários e de Caráter estratégico 20% dos Recursos Disponibilizados Demanda Espontânea Empreendimentos de iniciativa isolada Critérios

Leia mais

Departamento de Águas e Energia Elétrica

Departamento de Águas e Energia Elétrica 13 de Novembro de 2012 Departamento de Águas e Energia Elétrica O DAEE foi criado há 60 anos, em 12/12/1951, tendo como principais competências, no âmbito do Estado de SP: Elaborar o planejamento, os estudos,

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA CENÁRIO GLOBAL A empresa do novo milênio está comprometida com a preservação dos recursos naturais respeitando sua capacidade de renovação. Tem como meta utilizar recursos

Leia mais

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol

As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol As Lições da Crise Hídrica na Região Metropolitana de São Paulo João Alberto Viol Vice Presidente de Gestão e Assuntos Institucionais Resumo Planejamento das atividades de Infraestrutura de Saneamento

Leia mais

Paulista. Uma abordagem integrada.

Paulista. Uma abordagem integrada. CONTROLE DE ENCHENTES. 10 anos do Plano Diretor de Macrodrenagem da Bacia Hidrográfica do Alto Tietê. Mesa de Discussão 3: Águas e Planejamento Urbano nas Grandes Metrópoles Águas e saneamento na Macrometrópole

Leia mais

SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS

SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS SISTEMA CANTAREIRA: UM MAR DE DESAFIOS Versão 1.1 - Compilado de Textos, Informações e Subsídios voltados a Renovação da Outorga do Sistema Cantareira. Americana - São Paulo - Brasil Janeiro/2013 APRESENTAÇÃO

Leia mais

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ

PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ COMITÊ DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ PLANO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO ALTO TIETÊ RELATÓRIO FINAL Volume 4/4 Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Dezembro de 2009 PLANO DA BACIA DO ALTO TIETÊ

Leia mais

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ GT/CRITÉRIOS (13/11/12) CT/PB (14/11/12) CT/PL (23/11) Oficina preparatória Cobranças PCJ e Fehidro DADOS NÃO OFICIAIS, EM

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ Dalto Favero Brochi Consórcio PCJ Rio de Janeiro Novembro / 2008 LOCALIZAÇÃO DAS BACIAS PCJ CARACTERIZAÇÃO DAS BACIAS

Leia mais

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira

Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira São José dos Campos, 15 de abril de 2015 Relatório da Situação Atual e Previsão Hidrológica para o Sistema Cantareira SUMÁRIO A precipitação média espacial, acumulada no mês, até 15 de abril de 2015, baseada

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp Crise Hídrica-Realidade e Reflexos Setor Industrial Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp O PROBLEMA NA RMSP DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP População RMSP : 20 milhões (50%) População

Leia mais

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê

DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Espaço das Águas Fundação Patrimônio Histórico da Energia e Saneamento Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo Sabesp DOSSIÊ Sistema Alto Tietê Fevereiro 2009 1. Histórico da Implantação

Leia mais

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP

Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP Gestão da Demanda de Água Através de Convênios e Parcerias com o Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura da Cidade de São Paulo SABESP R. R. Chahin a a. Companhia de Saneamento Básico do Estado de

Leia mais

Sistemas produtores capacidades

Sistemas produtores capacidades Sistemas produtores capacidades CAPACIDADES DE PRODUÇÃO ATUAIS SISTEMA INTEGRADO SISTEMA PRODUTOR Nominal Máxima (m³/s) (m³/s) Cantareira 33,0 35,0 Guarapiranga 14,0 15,0 Alto Tietê 10,0 12,0 Rio Claro

Leia mais

A CRISE HÍDRICA E SEUS REFLEXOS

A CRISE HÍDRICA E SEUS REFLEXOS SOLUÇÕES PARA A CRISE HÍDRICA DO ESTADO DE SÃO PAULO A CRISE HÍDRICA E SEUS REFLEXOS NO SETOR DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA FIESP 22 DE JULHO 2015 BALANÇO DA CRISE HÍDRICA ADAPTAÇÃO PARA ENFRENTAR A CRISE ABASTECIMENTO

Leia mais

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOSH NA RMSP - SABESP MAIO DE 2010 Gestão de Recursos Hídricos PANORAMA GLOBAL Aumento da população mundial: 1950 2,52 bilhões

Leia mais

Simpósio Recursos Hídricos na Região Sudeste: Segurança Hídrica, Riscos, Impactos e Soluções

Simpósio Recursos Hídricos na Região Sudeste: Segurança Hídrica, Riscos, Impactos e Soluções Simpósio Recursos Hídricos na Região Sudeste: Segurança Hídrica, Riscos, Impactos e Soluções Tema proposto: Como abastecer de água o Sudeste? Tema a ser abordado: Como abastecer de água São Paulo, soluções

Leia mais

Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas

Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas Implementação do Plano de Segurança da Água na SANASA Campinas Bacia Hidrográfica do Piracicaba, Capivari e Jundiaí Plano de Segurança da Água na SANASA Um Breve Histórico A SANASA sempre se preocupou

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ PROJETO DE MAPEAMENTO E TRANSPOSIÇÃO INTERNA DE ÁGUA NAS BACIAS PCJ VIA: TUBULAÇÕES DE ALUMÍNIO; ADUTORAS CONVENCIONAIS; CANAIS;

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DE CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE GESTÃO PARA REMEDIAÇÃO E PROTEÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DA SUB-BACIA ATIBAIA COM ENFASE NO RESERVATÓRIO DE SALTO GRANDE AMERICANA SP TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp

- RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades. Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp III Pré-ENCOB - RJ O Gerenciamento dos Recursos HídricosH nas grandes Cidades Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp 5ª Maior

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 03 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de Declaração de Reserva de Disponibilidade Hídrica (DRDH) e de outorga de direito de uso de recursos

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 1. Objeto. 2. Referências. OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS UHE / PCH / CGH 3. Obtenção de outorgas junto ao. 4. Fluxograma dos procedimentos para uso

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de declaração de reserva de disponibilidade hídrica e de outorga de direito de uso de recursos hídricos, para uso

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 4B - Cadastro

Leia mais

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO. Coordenadas Geográficas. Lat.: -22º41'44.00 Long.: -47º40'18.99

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ MONITORAMENTO HIDROMETEOROLÓGICO. Coordenadas Geográficas. Lat.: -22º41'44.00 Long.: -47º40'18.99 1 DO CAIXÃO Código: 62697400 Lat.: 22º41'44.00 Long.: 47º40'18.99 Piracicaba Piracicaba 2 Estação: FOZ RIO PIRACICABA Código: 62711000 Lat.: 22º41'03.99 Long.: 47º40'36.99 Corumbataí Piracicaba 3 Estação:

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

DEPARTAMENTO DE AGUAS E ENERGIA ELETRICA 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP

DEPARTAMENTO DE AGUAS E ENERGIA ELETRICA 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP SECRETARIA DE ESTADO DE SANEAMENTO E RECURSOS HiDRICOS 1 Rua Boa Vista, n. 170-110 andar - TeL 3293-8200 - CEP 01014-000 - São Paulo - SP OficioISUPI0823I201 5 (Autos DAEE n. 51411, prov. 10) São Paulo,

Leia mais

META DE CURTO PRAZO: chegar em abril de 2015 em situação segura para enfrentar mais um período de estiagem.

META DE CURTO PRAZO: chegar em abril de 2015 em situação segura para enfrentar mais um período de estiagem. Aliança pela Água de São Paulo São Paulo vive a maior crise hídrica da sua história. Mais de 60 municípios enfrentam a falta de água e o racionamento já atinge milhões de pessoas. Reservatórios e rios

Leia mais

Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí

Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí O que é? O Consórcio Intermunicipal das Bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí é uma associação de direito privado, sem

Leia mais

Concepção de instalações para o abastecimento de água

Concepção de instalações para o abastecimento de água Universidade Federal de Ouro Preto Escola de Minas Departamento de Engenharia Civil CIV 640 Saneamento Urbano Concepção de instalações para o abastecimento de água Prof. Aníbal da Fonseca Santiago Universidade

Leia mais

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas 2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas Mesa Redonda Cobrança pelo Uso da Água e Aplicação Recursos Arrecadados Cláudia Hornhardt

Leia mais

com pedido de tutela antecipada,

com pedido de tutela antecipada, EXCELENTÍSSIMO SENHOR JUIZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA NO ESTADO DE PIRACICABA VARA DA NONA O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República que esta subscreve, e o MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO

Leia mais

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste

Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades. Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades Água e Clima As lições da crise na região Sudeste Mudanças Climáticas: Efeitos Sobre a Vida e Impactos nas Grandes Cidades A água

Leia mais

Comissão de Serviços de Infraestrutura SENADO FEDERAL. Ministro Francisco Teixeira

Comissão de Serviços de Infraestrutura SENADO FEDERAL. Ministro Francisco Teixeira Comissão de Serviços de Infraestrutura SENADO FEDERAL Ministro Francisco Teixeira 20/11/2013 PLANO NACIONAL DE SEGURANÇA HÍDRICA Brasília-DF, novembro de 2013 FUNDAMENTOS 1. Objetivo da Infraestrutura

Leia mais

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Aprova a proposta para implementação da cobrança pelo uso dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, nas bacias hidrográficas

Leia mais

Lat.: -22º41'57.12 Long.: -47º37'45.84. Lat.: -22º41'20.00 Long.: -47º34'58.00

Lat.: -22º41'57.12 Long.: -47º37'45.84. Lat.: -22º41'20.00 Long.: -47º34'58.00 Código Estação Tipo 1 62697400 PONTE DO CAIXÃO 2 62711000 FOZ RIO PIRACICABA 3 6270500 PIRACICABA 4 62697300 CAPTAÇÃO DE JAGUARIUNA DAE Qualiquantitativo Coordenadas Geográficas Lat.: 22º41'44.00 Long.:

Leia mais

Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015.

Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015. Deliberação dos Comitês PCJ n o 234/15, de 12/08/2015. Aprova manifestação sobre a renovação da outorga do Sistema Cantareira, em 2015, e dá outras providências. Os Comitês das Bacias Hidrográficas dos

Leia mais

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp

Paulo Massato Yoshimoto. Diretor Metropolitano - Sabesp Paulo Massato Yoshimoto Diretor Metropolitano - Sabesp O papel da SABESP no ciclo de vida da água Redução do volume produzido. Preservação e despoluição dos mananciais. Água de reúso Controle de Perdas

Leia mais

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água

2.6. Sistemas de Abastecimento de Água 2.6. Sistemas de Abastecimento de Água A RMSP está localizada na porção sudeste do estado de São Paulo e abrange 39 municípios. Destes, 33 são operados pela SABESP e 6 têm Administração Municipal. Do total

Leia mais

Crise da água SP: combinação de fa

Crise da água SP: combinação de fa Água@ SP Crise da água SP: combinação de fa 1 Gestão baseada em fontes inesgotáveis 4 Falta de transparência e participação 2 Degradação dos mananciais e fontes de águas ELEIÇÕES 2014 3 Déficit de chuvas

Leia mais

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace,

Sistema Cantareira. Sistema Cantareira. Capacidade total = 33,0 m 3 /s. Concepção: DAEE, Projeto Juqueri, 1966, consolidado pelo Plano Hibrace, Sistema Cantareira represa Jaguari represa Jacareí represa Cachoeira 2ª Fase: Capacidade 22,0 m 3 /s Obras: início 1977 término 1982 Sistema Cantareira represa Atibainha Capacidade total = 33,0 m 3 /s

Leia mais

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS

BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS BOA GOVERNANÇA PARA GESTÃO SUSTENTÁVEL DAS ÁGUAS URBANAS PROGRAMA DRENURBS Um programa para integrar objetivos ambientais e sociais na gestão das águas Superintendência de Desenvolvimento da Capital -

Leia mais

ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DE ENQUADRAMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS EM PROJETOS REGIONAIS JUNTO AOS COMITÊS PCJ

ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DE ENQUADRAMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS EM PROJETOS REGIONAIS JUNTO AOS COMITÊS PCJ ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DE ENQUADRAMENTO DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS EM PROJETOS REGIONAIS JUNTO AOS COMITÊS PCJ Francisco Carlos Castro Lahóz 1 ; Karla Carolina Balan Yanssen 2 ; Vanessa Cristina

Leia mais

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini A Gestão de Recursos Hídricos H e a Regulação da Medição de Água Situação

Leia mais

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água

Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Os desafios da gestão de recursos hídricos e as ações para redução do potencial de escassez de água Mierzwa, José Carlos Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

No presente estudo foram consideradas as seguintes premissas:

No presente estudo foram consideradas as seguintes premissas: 11. ANÁLISE DE VIABILIDADE ECONÔMICA O presente capítulo consiste da avaliação econômica do Plano Estadual de Recursos Hídricos. Esta avaliação objetiva quantificar e demonstrar os impactos da implementação

Leia mais

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Bragança Paulista 01 a 0 de dezembro de 009 Atribuições da Câmara Técnica de Educação Ambiental (CT-EA) Criada pela

Leia mais

PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO. www.cpdec.com.br

PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO. www.cpdec.com.br PESQUISA O USO E O CONSUMO DA ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO Introdução A pesquisa O Uso e o Consumo da Água no Estado de São Paulo foi desenvolvida pelo, em parceria com o NEIT (Núcleo de Economia Industrial

Leia mais

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP

INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP INTEGRAÇÃO DA TELEMETRIA NO SISTEMA DE SUPORTE À DECISÃO DA SABESP PARA MONITORAMENTO HIDROLÓGICO E OPERAÇÃO DOS MANANCIAIS DA RMSP Nilzo Renê Fumes 1 *, Carlos Toshio Wada 2 Resumo O abastecimento público

Leia mais

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)*

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* RESULTADOS DE PESQUISA/RESEARCH RESULTS IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* MIRNA APARECIDA NEVES 1 SUELI YOSHINAGA PEREIRA 2 HAROLD GORDON

Leia mais

Água. Restauração Florestal para Gestão da Água. Mata Atlântica e Serviços Ambientais

Água. Restauração Florestal para Gestão da Água. Mata Atlântica e Serviços Ambientais Água Mata Atlântica e Serviços Ambientais Restauração Florestal para Gestão da Água Malu Ribeir Coordenadora da Rede das Água Fundação SOS Mata Atlântic Dia Mundial da Água Instituído por resolução da

Leia mais

GERENCIAMENTO 12 DAS SUBTERRÂNEAS. Elcio Linhares Silveira 6 14

GERENCIAMENTO 12 DAS SUBTERRÂNEAS. Elcio Linhares Silveira 6 14 GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO EXPERIÊNCIA E CASOS PRÁTICOS NO GERENCIAMENTO DAS ÁGUAS 15 8 18 GERENCIAMENTO 12 DAS 19 SUBTERRÂNEAS 4 16 20 21 22 17 X ÁREA CONTAMINADA 13 11 5 1 10 2 Elcio Linhares Silveira

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL Rod. Campinas Mogi-Mirim, km 2,5 Campinas. SP. Brasil. 13088-900 cpfl@cpfl.com.br www.cpfl.com.br CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 053/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: CPFL GERAÇÃO AGÊNCIA NACIONAL

Leia mais

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica.

Índice de 11,6% é maior do que 11,4% registrado no último dia de fevereiro. Outros 5 sistemas também subiram,mas São Paulo ainda vive crise hídrica. PROJETO ATUALIZAR 2015 TEMA SISTEMA CANTAREIRA DATA DE APLICAÇÃO 09 a 13/03/2015 PROFESSORES RESPONSÁVEIS Cristiane e Felipe 1. SUGESTÕES DE PONTOS QUE PODEM SER ABORDADOS 1.1. A importância da água 1.2.

Leia mais

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Região Metropolitana de São Paulo São Paulo 39 municípios - 20,1

Leia mais

Investimentos O desafio da Universalização. 11 de dezembro de 2013

Investimentos O desafio da Universalização. 11 de dezembro de 2013 Investimentos O desafio da Universalização 11 de dezembro de 2013 Estado de São Paulo 248.196.960 km 2 População total: 41.262.199 População urbana: 39.585.251 645 municípios Fonte: IBGE, Censo Demográfico

Leia mais

: Sistemas de Abastecimento de Água

: Sistemas de Abastecimento de Água PROGRAMA DA DISCIPLINA Fls 01 de 05 UNICAMP CÓDIGO: NOME CV641 : Sistemas de Abastecimento de Água T:02 P:01 L:OO0:01 D:01 E:02 HS:07 SL:03 C:04 EX:S EMENTA: Introdução. Previsão populacional. Consumo

Leia mais

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP

Projeção de Demanda Sistema Cantareira. Diretoria Metropolitana - M Rua Nicolau Gagliardi, 313 Pinheiros São Paulo / SP Projeção de Demanda Sistema Cantareira Diretoria Metropolitana - M Objetivo Este Relatório apresenta a proposta de vazões de transferência através do Túnel 5 do Sistema Cantareira - ponto de controle entre

Leia mais

PLANO DE INVESTIMENTO

PLANO DE INVESTIMENTO SABESP Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo PLANO DE INVESTIMENTO PARA O MUNICÍPIO DE RIO GRANDE DA SERRA RELATÓRIO TÉCNICO ABASTECIMENTO PÚBLICO DE ÁGUA ESGOTAMENTO SANITÁRIO Maio / 2011

Leia mais

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS

- SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - SEMINÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA - CENÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Eng. Mário Cicareli Pinheiro POTAMOS Engenharia e Hidrologia Ltda. mario.cicareli@potamos.com.br Belo Horizonte, 27 de março de 2014 SUMÁRIO

Leia mais

Distribuição de Capital Social

Distribuição de Capital Social Sabesp - Unidade de Negócio Sul MS Agosto/2014 Distribuição de Capital Social Primeira empresa de saneamento e a única companhia listada na NYSE (Bolsa de Valores de Nova Iorque) a participar do Novo Mercado

Leia mais

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ CONSÓRCIO PCJ COMITÊS PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007 Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO Tomador: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São

Leia mais

CONJUNTURA. Encarte Especial sobre a. no BRASIL RECURSOS HÍDRICOS INFORME. dos

CONJUNTURA. Encarte Especial sobre a. no BRASIL RECURSOS HÍDRICOS INFORME. dos CONJUNTURA dos RECURSOS HÍDRICOS no BRASIL INFORME 2014 Encarte Especial sobre a Sumário 1. INTRODUÇÃO... 2 2. CONTEXTO... 3 2.1. Balanço Hídrico e Identificação de Áreas Vulneráveis... 3 2.2. Regime de

Leia mais

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos Mesa redonda: Marco Regulatório do Setor Saneamento Desafios do Saneamento e Regulação dos Serviços no Estado de São Paulo

Leia mais

Capítulo 141-Regionalização hidrográfica

Capítulo 141-Regionalização hidrográfica Capítulo 141-Regionalização hidrográfica 141-1 Capítulo 141-Regionalização hidrográfica 141.1 Introdução O mundo passa por grandes transformações e os recursos hídricos deverão no séeculo XXI ser analisado

Leia mais

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Seminário Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Comitê da Bacia Hidrográfica Sorocaba e Médio Tietê Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Sorocaba, 10 de setembro

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos no Complexo da Penitenciária Feminina de Santana

Gestão de Recursos Hídricos no Complexo da Penitenciária Feminina de Santana Gestão de Recursos Hídricos no Complexo da Penitenciária Feminina de Santana Autor Edson Geraldo Vitorino de Souza SABESP Superintendência de Gestão de Empreendimentos da Metropolitana Disponibilidade

Leia mais

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal

Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Fontes de Financiamento para o segmento de Saneamento junto à Caixa Econômica Federal Piracicaba, 07 de Agosto de 2013 Atuação da CAIXA Missão: Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável

Leia mais

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS

XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS XII SIMPÓSIO DE RECURSOS HIDRÍCOS DO NORDESTE PLANO DE SEGURANÇA HÍDRICA DO MUNICÍPIO DE CAMPINAS Autor 1 1 ;Marco Antonio dos Santos Co -Autor 2 Paulo Roberto S. Tinel Co-Autor 3 Lina Cabral Adani RESUMO

Leia mais

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR

O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR O MERCADO IMOBILIÁRIO NO INTERIOR INTERIOR DE SÃO PAULO Flavio Amary Vice-presidente do Interior do Secovi-SP e Diretor Regional em Sorocaba e Região PARTICIPAÇÃO % DO

Leia mais

Hugo Sergio de Oliveira Julho de 2015

Hugo Sergio de Oliveira Julho de 2015 A CRISE HIDRICA NA PRESTAÇAO DE SERVICOS DE SANEAMENTO NA REGIAO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Hugo Sergio de Oliveira Julho de 2015 A Crise hídrica de São Paulo ocorreu uma seca sem precedentes que a

Leia mais

GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO GESTÃO DE UNIDADES DE CONSERVAÇÃO ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL APA José Fernando (Zéca) Bianca 1. Objetivo Informar agentes de transformação social: instituições representantes do poder público; da sociedade

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari/Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais.

DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) GERALDO ALCKMIN, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais. DECRETO Nº 47.696, DE 07 DE MARÇO DE 2003(*) Regulamenta o artigo 37-A da Lei nº 1.172, de 17 de novembro de 1976, acrescido pela Lei nº 11.216, de 22 de julho de 2002, que delimita as áreas de proteção

Leia mais

PLANO DE AÇÕES DE COMUNICAÇÃO E SERVIÇOS

PLANO DE AÇÕES DE COMUNICAÇÃO E SERVIÇOS PLANO DE AÇÕES DE COMUNICAÇÃO E SERVIÇOS Prezado Expositor, Estamos na reta final para a realização da EXPOLAZER 2015 e queremos compartilhar com você tudo que preparamos para fazer uma grande feira. Aqui

Leia mais

Mobilidade Urbana Planos e Estratégias do GESP

Mobilidade Urbana Planos e Estratégias do GESP Mobilidade Urbana Planos e Estratégias do GESP Mancha Urbana da MMP e Sistema Viário PIB da MMP 2009/2010 (em milhões correntes) PIB 2009 PIB 2010 29.758 55.595 27.886 39.993 34.178 6.303 4.790 RMSP RMC

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari/Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais