PRIORIZAÇÃO DE PROJETOS DE TIC PARA ÁREA DE E&P EM UMA EMPRESA DE ENERGIA UTILIZANDO O MÉTODO AHP.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRIORIZAÇÃO DE PROJETOS DE TIC PARA ÁREA DE E&P EM UMA EMPRESA DE ENERGIA UTILIZANDO O MÉTODO AHP."

Transcrição

1 ISSN PRIORIZAÇÃO DE PROJETOS DE TIC PARA ÁREA DE E&P EM UMA EMPRESA DE ENERGIA UTILIZANDO O MÉTODO AHP. Frederico G Lafeta, Ricardo A Pinto, Edwin B Meza, Dalessandro S Vianna (Petrobras/UFF) Resumo: Tendo em vista o número elevado de informações gerenciais e o retorno que cada opção de investimento oferece, as empresas carecem de ferramentas que apoiem os gestores no processo de tomada de decisão. Como ferramenta de análise multicritério à decisão, o método AHP (Processo de Análise Hierárquica), desenvolvido na década de 70, é um dos mais utilizados por pesquisadores e gestores na atualidade. Este método possibilita a classificação e a comparação de critérios, que baseiam a tomada de decisão em problemas complexos. O presente artigo tem o objetivo de apresentar a aplicação do método de auxilio à decisão AHP para seleção e priorização de projetos de TIC (Tecnologia da Informação e Telecomunicações) em uma empresa do ramo de energia. Para isto, apresenta-se uma base teórica sobre gestão de portfólio de projetos e o método de apoio à decisão AHP. Foram avaliados dez projetos, considerando cinco critérios de escolha para determinar a prioridade final de cada um dos projetos com relação ao objetivo final. Como resultado, constatou-se que o método é bastante útil para seleção e priorização de projetos, considerando sua simples aplicação e objetividade nas respostas. Palavras-chaves: Método AHP; Gestão de Portfolio de Projetos; Auxilio Multicritério à Decisão

2 1. Introdução No ambiente empresarial, após a conclusão do planejamento estratégico, são tomadas ações para que os objetivos estratégicos definidos se materializem. A teoria e a prática mostram que o gerenciamento de projetos se apresenta como a forma mais adequada para este fim. A respeito disso, Dinsmore et al. (2009) comentam que as decisões decorrentes do planejamento estratégico são as diretivas que motivam o início dos projetos e que as equipes do projeto devem entender a conexão entre o planejamento e o projeto. Cleland e Ireland (2007) colocam que, quando os processos de gerenciamento de projetos são bem desenvolvidos, sob medida para a organização, proporcionam o máximo de benefícios. Atualmente, as grandes empresas possuem em seu portfolio uma diversidade considerável de projetos. Tendo em vista a escassez de recursos e limitação orçamentária, a priorização e a seleção de projetos constitui um grande desafio. Grande parte destas empresas, selecionam e priorizam seus projetos com base no feeling, no conhecimento e na experiência dos tomadores de decisão, ainda que estejam disponíveis no meio acadêmico diversas técnicas de apoio à decisão. O PMI (PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE, 2008) coloca que a gestão de portfolio consiste na coleção e no gerenciamento de projetos ou programas, que são agrupados a fim de facilitar o alcance dos objetivos estratégicos da organização. Uma adequada seleção de projetos pode definir se a empresa obterá vantagens financeiras no futuro. Vargas (2010) comenta que, com a dinâmica do ambiente mudando de modo jamais visto anteriormente, fazer as escolhas certas, com base em critérios adequados e alinhados, tornase um fator crítico de sucesso ou até mesmo de sobrevivência organizacional. No ambiente de uma empresa do ramo de energia não é diferente. O portfolio de projetos de TIC (Tecnologia da Informação e Telecomunicações) para a área do E&P (Exploração e Produção de Petróleo) normalmente é bastante extenso, passando, às vezes, de centenas de projetos. Durante o processo de seleção e priorização, os decisores encontram dificuldades no processo, visto que muitos projetos apresentam características técnicas complexas e nem sempre os gerentes de projeto participam do processo decisório. O problema se agrava ainda mais porque além dos projetos em andamento, existem novas demandas que devem ser atendidas. É neste sentido que este trabalho se justifica. É necessário o desenvolvimento de técnicas e métodos de auxilio à decisão, para que a seleção e priorização de projetos aconteça de forma ágil, com critérios bem definidos e que realmente busquem atingir os objetivos estratégicos da empresa. 2

3 Segundo Miranda e Almeida (2003), a priorização de atividades e projetos pode ser efetuada através de métodos multicritério de apoio à decisão, que consideram a avaliação de alternativas à luz de múltiplos critérios. Assim, dentre as diversas metodologias, caracterizadas na literatura, podemos citar os métodos AHP (Analytic Hierarchy Process), ELECTRE, TODIM, etc. Considerando o que foi exposto, este trabalho tem como objetivo a aplicação do método AHP na priorização e seleção de projetos de TIC para a área de E&P em uma empresa do ramo de energia. Inicialmente será apresentada a base teórica sobre gestão de portfolio, priorização e seleção de projetos e os fundamentos do método AHP. Em seguida, apresenta-se uma sugestão de uso do método AHP para seleção e priorização de projetos. 2. O método AHP como ferramenta de priorização A tomada de decisão com múltiplos critérios (MCDM, do inglês Multiple-Criteria Decision Making), como o próprio nome sugere, ocorre em situações em que se considera mais de um critério, por exemplo: custo, qualidade e atendimento (DE CARLI; DELAMAROB; SALOMONC, 2010). O método AHP (Analytic Hierarchy Process) ou processo de análise hierárquica consiste em um método de análise multicritério à decisão, desenvolvido por Thomas Saaty na década de 70 e é um dos métodos mais conhecidos da atualidade (VARGAS, 2010; DE CARLI; DELAMAROB; SALOMONC, 2010). O método AHP possibilita a classificação e a comparação de critérios, que apoiam à tomada de decisão de problemas complexos. O método requer o desenvolvimento de uma estrutura hierárquica de critérios, que auxiliam na tomada de decisão e contribuem para o alcance dos objetivos e das metas da organização. A hierarquização, ou ordem de preferência dos critérios, é feita a partir da comparação dos atributos par-a-par (SAATY, 1994). Basicamente, a utilização do AHP se inicia pela decomposição do problema em uma hierarquia de critérios mais facilmente analisáveis e comparáveis de modo independente (Figura 1). A partir do momento em que essa hierarquia lógica está construída, os tomadores de decisão avaliam sistematicamente as alternativas por meio da comparação, de duas a duas, dentro de cada um dos critérios. Essa comparação pode utilizar dados concretos das alternativas ou julgamentos humanos como forma de informação subjacente (SAATY, 2008). 3

4 Figura 1 Exemplo de hierarquia de critérios/objetivos Fonte: Adaptado de Vargas (2010). A comparação dos critérios é realizada a partir da construção de uma matriz quadrada onde se avalia a importância de uma característica sobre a outra em relação ao critério ao qual são comparados, utilizando-se para isto uma escala adequada. Saaty (1991) propõe a utilização da escala de importância conforme a Tabela 1. Intensidade de importância Tabela 1 Escala de importância relativa Definição 1 Igual importância Importância moderada de uma sobre a outra (um pouco mais importante) Importância grande ou essencial (muito mais importante) Importância muito grande ou demonstrada Explicação As duas atividades contribuem igualmente para o objetivo A experiência e o julgamento favorecem levemente uma atividade em relação à outra A experiência e o julgamento favorecem fortemente uma atividade em relação à outra Uma atividade é fortemente favorecida em relação à outra. Pode ser demonstrado na prática 9 Importância absoluta A evidência favorece uma atividade em relação à outra, com o mais alto grau de certeza 2,4,6,8 Valores intermediários Quando se procura uma condição de compromisso entre duas definições Fonte: Adaptado de Saaty (1991). A partir da avaliação par a par dos critérios utilizando a tabela de Saaty, tem-se uma matriz de comparação, conforme a tabela 2. Tabela 2 Matriz de comparação entre critérios 4

5 Fonte: Adaptado de Vargas (2010). Após a avaliação, é feita uma análise da coerência, o que é uma das vantagens do AHP. Os dados desses julgamentos são sintetizados, o que permite o cálculo da prioridade de cada alternativa em relação ao foco principal. O princípio básico do AHP é a geração de um vetor de prioridades pelo cálculo do maior vetor de cada matriz de comparação (SHIMIZU apud DE CARLI; DELAMAROB; SALOMONC, 2010). A prioridade (vetor de prioridade) de cada alternativa é calculada através da média aritmética dos valores de cada um dos critérios, onde o somatório dos valores do vetor sempre totaliza 1 (um). A verificação de inconsistência dos dados é realizada através do cálculo do maior autovalor da matriz (λmax). Este é encontrado a partir do somatório do produto de cada elemento do vetor de prioridade pelo total da respectiva coluna da matriz comparativa original (VARGAS, 2010). Por fim, Saaty (2005) sugere o cálculo da taxa de consistência (CR) para afirmar se a matriz pode ser considerada consistente. O CR é calculado com base no índice de consistência (CI) e no índice de consistência aleatório (RI), como segue: onde, CI CR RI Max n CI n 1 sendo n igual ao número de critérios avaliados. Cabe ressaltar, que o valor de RI é fixo e tem como base o número de critérios avaliados, como mostrado na Tabela 3. Tabela 3 Índice de consistência aleatória Fonte: Adaptado de Saaty (2005) 5

6 Conforme ressalta Saaty (2005), para até 10% de inconsistência considera-se a matriz como consistente. 3. Descrição do problema de priorização de projetos TIC para área do E&P Os projetos desenvolvidos pela organização devem ser um desdobramento do portfolio de projetos da empresa que, por conseguinte, são ou devem ser resultado do planejamento estratégico organizacional. Cleland e Ireland (2007) recomendam que os projetos selecionados devem ter um alinhamento estratégico com os objetivos estratégicos da organização e um alinhamento organizacional com suas competências. Valle et al. (2010) ressalta que os projetos derivam dos vetores estratégicos que fornecem à organização a direção, o propósito, o horizonte de tempo e apontam os responsáveis pelo desenvolvimento daquele vetor. Assim, a gestão do portfólio de projetos é responsável por transformar objetivos estratégicos em realidade. Cleland e Ireland (2007) colocam que a seleção de portfolio é uma decisão estratégica, que determina as características favoráveis antes que um projeto seja selecionado. Padovani Carvalho e Muscat (2010) comenta que o processo de gestão de portfólio de projetos envolve diferentes etapas de decisão, para que projetos que agreguem mais valor às organizações sejam selecionados e priorizados. Kerzner (2009), propõe uma abordagem para o gerenciamento de portfolio de projetos que envolve quatro passos: a identificação dos projetos, avaliação preliminar, seleção de projetos e programação estratégica, conforme o esquema da Figura 2. Neste trabalho a ênfase se dará no terceiro passo, que trata da seleção e priorização dos projetos. 6

7 Figura 2 Gerenciamento de portfolio de projetos Fonte: Adaptado de Kerzner (2006). De modo simplificado, a priorização dos projetos em um portfólio nada mais é do que uma ordenação baseada em uma relação entre os custos e os benefícios de cada projeto. Terão maior prioridade os projetos em que os benefícios crescem em relação aos custos. É importante ressaltar que essa referência a custo/benefício não se refere a critérios exclusivamente financeiros, tais como a Taxa Financeira de Custo/Benefício, mas sim ao conceito amplo dos ganhos e dos esforços requeridos para realizar cada projeto (VARGAS, 2010). Carvalho e Pessoa (2012) complementam que a eficácia e a eficiência no gerenciamento do portfólio de projetos da organização depende da utilização correta do método de classificação. Os projetos devem ser priorizados de acordo com sua importância e contribuição para a estratégia da organização, de forma comparativa aos demais projetos, tanto os que estão sendo avaliados como aqueles que estão em andamento. A prioridade de cada projeto pode mudar a cada nova avaliação, de modo que reflita as mudanças no ambiente (CASTRO; CARVALHO, 2010). No problema aqui tratado, os projetos de TIC para área de E&P geralmente se apresentam como subprojetos em um empreendimento maior de engenharia ou um projeto específico. Para exemplificar, os subprojetos constituem sistemas de comunicação para uma nova plataforma de petróleo ou um sistema de circuito fechado de televisão (CFTV) para construção de um novo galpão de armazenagem. Quando se apresenta como um projeto específico, o escopo compreende um sistema único e exclusivo de TIC, como a instalação ou troca de um sistema de intercomunicação em uma plataforma de produção de petróleo. 7

8 Os projetos são requisitados anualmente pelo cliente e geralmente são plurianuais. Frequentemente a verba disponível para determinado ano não cobre o orçamento anual de todos os projetos em andamento e abertura de novos projetos. Atualmente, a seleção e priorização destes projetos acontece de forma desestruturada e com base no feeling de poucos decisores que, nem sempre conhecem a fundo a realidade e o status dos projetos. A aplicação de métodos de apoio multicritério à decisão traria ganhos ao processo de seleção e priorização de projetos como, por exemplo, redução do tempo de processo e tomada de decisão baseada em critérios objetivos. Cabe ressaltar que, a empresa objeto deste estudo atua no ramo de energia, com diversos empreendimentos nas áreas de exploração e produção de petróleo e gás, abastecimento, produção de biodiesel e etanol, usinas termelétricas, dentre outros. 4. Aplicação do método AHP A seguir descreve-se as etapas segundo a estruturação do método AHP Clássico, sendo utilizado o software Expert Choice versão 11 para gerar os resultados Estrutura hierárquica A organização em estudo possui um limite orçamentário de doze milhões de reais para o ano seguinte e necessita selecionar e priorizar dentre dez projetos em andamento aqueles que ficarão dentro deste limite. Com o auxilio de dois especialistas em gerenciamento de projetos, com mais de dez anos de experiência na área e certificados PMP (certificação em gerenciamento de projetos pelo PMI, Project Management Institute) foram selecionados cinco critérios que serão considerados para seleção e priorização do conjunto de projetos, conforme a Figura 3. Figura 3 Hierarquia de Critérios para seleção e priorização de projetos 8

9 Alinhamento com o negócio: refere-se ao grau de contribuição para os objetivos estratégicos da área de exploração e produção da empresa. Classificado como sem alinhamento, baixo alinhamento, médio alinhamento e alto alinhamento. Quanto mais alinhado, mais importante na escala de Saaty (1991). Fase do projeto: refere-se à fase em que o projeto se encontra atualmente. Classificado como iniciação, planejamento, execução e encerramento. Quanto mais avançado, mais importante na escala de Saaty (1991). Forma de atendimento: refere-se à forma com que os equipamentos, materiais e serviços serão disponibilizados. Classificado como processo licitatório até quinhentos mil reais, processo licitatório maior do que quinhentos mil reais, contrato de fornecimento global disponível e recursos disponíveis. Quanto mais disponível o recurso, mais importante na escala de Saaty (1991). Nível de conhecimento técnico da solução: refere-se ao nível de conhecimento da organização na solução a ser implantada pelo projeto. Classificado como sem conhecimento, baixo conhecimento, médio conhecimento e alto conhecimento. Quanto mais elevado o conhecimento, mais importante na escala de Saaty (1991). Criticidade: Avaliação realizada pelo cliente ao registrar a demanda a ser atendida pelo projeto. Classificado como baixa criticidade, média criticidade, grande criticidade e emergencial. Quanto maior a criticidade, mais importante na escala de Saaty (1991). 4.2 Definição de prioridades A partir da definição dos critérios para seleção e priorização dos projetos, estes foram avaliados par a par, determinando a importância relativa entre eles e seu peso no objetivo ou meta central, conforme Tabela 4. Alinhamento com o negócio Tabela 4 Avaliação para a par dos critérios. Fase de Projeto Forma de Atendimento Nível de Conhecimento Criticidade 9

10 Alinhamento com o negócio Fase de Projeto 1/ /3 Forma de Atendimento Nível de Conhecimento 1/5 1/ /3 1/5 1/ /3 Criticidade 1/ TOTAL (SOMA) 29/15 29/ Para possibilitar a interpretação e comparação das avaliações, é necessária a normalização da matriz apresentada na tabela 4. Esta é realizada pela divisão entre cada valor e o total da coluna. Os dados normalizados são apresentados na Tabela 5. Tabela 5 Avaliação par a par dos critérios normalizados Alinhamento Fase de Forma de Nível de Criticidade com o negócio Projeto Atendimento Conhecimento Alinhamento com o negócio 0,517 0,517 0,385 0,385 0,600 Fase de Projeto 0,103 0,103 0,231 0,231 0,067 Forma de Atendimento 0,103 0,034 0,077 0,077 0,067 Nível de Conhecimento 0,103 0,034 0,077 0,077 0,067 Criticidade 0,172 0,310 0,231 0,231 0,200 Após a normalização dos dados, deve-se calcular a contribuição de cada critério no objetivo final (Tabela 6). Esta contribuição é determinada a partir da média aritmética dos valores de cada um dos critérios. O resultado do vetor encontra-se na Tabela 7. O vetor de prioridade tem grande importância no processo de tomada de decisão, visto que ele representa a contribuição daquele peso no resultado total do processo. Neste caso em questão, o critério alinhamento com o negócio tem um peso de 48% no resultado final do processo de seleção de projetos. Tabela 6 Vetor de prioridade Prioridade Alinhamento com o negócio 0,4807 Fase de Projeto 0,1470 Forma de Atendimento 0,0717 Nível de Conhecimento 0,0717 Criticidade 0,

11 Tabela 7 Cálculo do maior autovalor da matriz (λ Max ) Vetor prioridade (a) 0,4807 0,1470 0,0717 0,0717 0,2289 TOTAL (b) 1,9333 9, Resultado (a x b) 0,9294 1,4212 0,9320 0,9320 1,1443 Valor máximo ( Max ) 5,3588 Concluído o cálculo do vetor de prioridade dos critérios, o próximo passo é verificar a inconsistência dos dados. Esta avaliação é feita através da taxa de consistência (CR). Para a definição do CR, foi calculado o maior autovalor da matriz (λmax), conforme Tabela 7. A partir do maior autovalor da matriz (λmax), calculou-se o índice de consistência CI = 0, Dividindo o CI pelo índice de consistência aleatório (RI), encontrou-se a taxa de consistência, CR = 0,08010, ou 8% de inconsistência, o que é considerado uma matriz consistente (SAATY, 2005). 4.3 Julgamento de valores das alternativas Após a estruturação dos critérios, foram avaliados, par a par, todos os projetos candidatos em relação a cada critério e peso estabelecido. Desta forma, foram avaliados 10 projetos (Tabela 8) nos cinco critérios definidos. Percebe-se que o valor total necessário para todos os projetos excede o limite estabelecido de doze milhões de reais. Tabela 8 Projetos candidatos Projeto Descrição Orçamento Anual A Implantação de sistema de circuito fechado de televisão (CFTV) operacional para 7 sondas fixas na Bacia XYZ R$ ,83 B Implantação de sistema de intercomunicação na plataforma CDE R$ ,60 C Implantação de sistema de rádio VHF na Bacia XYZ R$ ,79 D Implantação sistema de telecomunicações em sonda afretada ABC R$ ,54 E F Implantação de circuito fechado de televisão para monitoramento da base YY Implantação de sistema de telecomunicações para o novo centro de treinamento ZZ R$ ,81 R$ ,20 11

12 G Implantação de sistema de telecomunicações para o galpão de armazenagem HIJ R$ ,39 H Implantação de sistema de rede sem fio para área Z, na base MNO R$ ,51 I J Implantação de sistema de telecomunicações para o aeroporto de GHI Implantação de novo sistema de telecomunicações para a reforma do prédio Alfa R$ ,47 R$ ,85 Recurso Necessário R$ ,99 A sequência e metodologia para avalição dos projetos é a mesma utilizada para estruturação dos critérios conforme apresentado, por isto e pela limitação de espaço, os cálculos e comparações entre os projetos foram suprimidos. No mercado existem diversos softwares para apoio nos cálculos do método AHP. Para determinação e julgamento dos projetos, utilizou-se o Software ExpertChoice Ao se comparar os projetos par a par com o apoio do software, foi possível determinar o peso de cada um dos projetos em relação a cada critério, conforme a seguir (Figuras 4, 5, 6, 7 e 8). Cabe ressaltar que os resultados são consistentes, ou seja, apresentaram níveis de inconsistência menores que 10%. 12

13 Figura 4 Resultados de prioridade para os projetos segundo o critério alinhamento com o negócio Figura 5 Resultados de prioridade para os projetos segundo o critério fase Figura 6 Resultados de prioridade para os projetos segundo o critério forma de atendimento Figura 7 Resultados de prioridade para os projetos segundo o critério nível de conhecimento 13

14 Figura 8 Resultados de prioridade para os projetos segundo o critério criticidade O cruzamento entre todos os dez projetos, em todos os cinco critérios, determina a prioridade final de cada um dos projetos com relação ao objetivo final. Como resultado final (Figura 9), é possível perceber a contribuição de cada projeto para o resultado final do processo. Por exemplo, o projeto C aparece como primeira prioridade, com um peso de 18,4 % na decisão final, e o projeto F aparece em última prioridade, com peso de 4,3 % no resultado final do processo. O resultado final do processo apresentou apenas 1% de inconsistência, se mostrando satisfatório (SAATY, 2005). Figura 9 Resultados final de prioridade para os projetos A seguir, apresenta-se a priorização final resultante do processo, ver Tabela 9. Considerando o limite orçamentário de doze milhões, apenas oito projetos seriam conduzidos no ano seguinte. Os projetos J e F não seriam priorizados visto que, se conduzidos, a organização ultrapassaria o limite estabelecido. Somando-se os valores dos oito projetos selecionados, o total necessário seria de R$ ,84 não ultrapassando, assim, o limite estabelecido. Tabela 9 Resultado final da seleção e priorização de projetos Prioridade Projeto Descrição Orçamento Anual 14

15 1 C Implantação de sistema de rádio VHF na Bacia XYZ R$ ,79 2 A 3 D 4 G 5 I 6 B 7 E 8 H 9 J 10 F Implantação de sistema de circuito fechado de televisão (CFTV) operacional para 7 sondas fixas na Bacia XYZ Implantação sistema de telecomunicações em sonda afretada ABC Implantação de sistema de telecomunicações para o galpão de armazenagem HIJ Implantação de sistema de telecomunicações para o aeroporto de GHI Implantação de sistema de intercomunicação na plataforma CDE Implantação de circuito fechado de televisão para monitoramento da base YY Implantação de sistema de rede sem fio para área Z, na base MNO Implantação de novo sistema de telecomunicações para a reforma do prédio Alfa Implantação de sistema de telecomunicações para o novo centro de treinamento ZZ R$ ,83 R$ ,54 R$ ,39 R$ ,47 R$ ,60 R$ ,81 R$ ,51 R$ ,85 R$ ,20 5 Conclusão O método AHP tem se apresentado como uma importante técnica de priorização e seleção de projetos visto sua relativa simplicidade de aplicação e desenvolvimento. Neste artigo buscou-se apresentar o método e seus passos, assim como uma aplicação para seleção de projetos de TIC para o E&P. Pode-se verificar a eficiência do método através dos resultados encontrados, constituindo uma ferramenta valiosa no processo de tomada de decisão baseada em dados e critérios objetivos. No desenvolvimento do trabalho, o método AHP se mostrou adequado para priorização de dez projetos. Porém, acredita-se que para um número grande de projetos o método pode não ser o mais indicado, tornando o processo de seleção e priorização extremamente trabalhoso e demorado. O fato corrobora com Padovani, Carvalho e Muscat (2010), que afirma que o método AHP não é o mais indicado para processos com mais de cem projetos. Outro aspecto importante é quanto à utilização de um software de apoio, que agiliza o processo e permite rápida correção e identificação de erros e inconsistências. Como limitação da pesquisa, percebeu-se que a combinação e comparação do AHP com outros métodos de análise multicritério possa tornar o processo de seleção e priorização de projetos mais consistente e confiável. Outra importante limitação foi a utilização de apenas dois especialistas em gerenciamento de projetos para a escolha dos critérios e avaliação dos projetos. Estas limitações se apresentam como oportunidade de trabalhos futuros. 15

16 Por fim, é importante ressaltar que os métodos de apoio à decisão não devem substituir o conhecimento dos especialistas. Qualquer método a ser aplicado deve ser adaptado para a realidade organizacional, considerando, assim, seus níveis de maturidade, aspectos culturais, acesso à recursos, dentre outros. Referências CARVALHO, K. M.; PESSOA, L. C. Classificação de projetos: um estudo da aplicação do método AHP. Revista de Gestão e Projetos, São Paulo, v. 3, n. 1, p , jan./abr CASTRO, H. G.; CARVALHO, M. M. Gerenciamento do portfolio de projetos: um estudo exploratório. Gestão & Produção, São Carlos, v. 17, n. 2, p , CLELAND, D. I.; IRELAND, L. R. Gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro: LTC, DE CARLI, P. C.; DELAMAROB, M. C.; SALOMONC, V. A. P. Identificação e priorização dos fatores críticos de sucesso na implantação de fábrica digital. Produção, São Paulo, v. 20, n. 4, p , DINSMORE, P. C. et al. AMA-manual de gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro: Brasport, KERZNER, H. Gestão de projetos: as melhores práticas. Porto Alegre: Bookman, Project management: a systems approach to planning, scheduling, and controlling. Wiley, MIRANDA, C.; ALMEIDA, A. Gestão de empreendimentos de construção civil com avaliação multicritério. In:. Gestão da qualidade em serviços. Recife: Ed. Universitária, 2003, p PADOVANI, M.; CARVALHO, M. M.; MUSCAT, A. R. N. Seleção e alocação de recursos em portfólio de projetos: estudo de caso no setor químico. Gestão & Produção, São Carlos, v. 17, n. 1, p , PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE (PMI). A guide to the project management body of knowledge (PMBoK). 4. ed. Maryland, SAATY, T. L. How to make a decision: the analytic hierarchy process. Interfaces, [S.l.], v. 24, no. 6, p , Método de análise hierárquica. São Paulo: McGraw-Hill: Makron, Relative measurement and its generalization in decision making why pairwise comparisons are central in mathematics for the measurement of intangible factors the analytic 16

17 hierarchy/network process. RACSAM-Revista de la Real Academia de Ciencias Exactas, Fisicas y Naturales: serie A. matematicas, [S.l.], v. 102, no. 2, p , Theory and Applications of the Analytic Network Process: Decision Making with Benefits, Opportunities, Costs, and Risks. Pittsburgh: RWS Publications, VALLE, A. B. et al. Fundamentos do gerenciamento de projetos. Rio de Janeiro: Editora FGV, VARGAS, R. V. Utilizando a programação multicritério (Analytic Hierarchy Process-AHP) para selecionar e priorizar projetos na gestão de portfólio. In: PMI GLOBAL CONGRESS, 2010, [Washington, DC]. Proceedings... [Washington, DC]: PMI, p

UTILIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULTICRITÉRIO (ANALYTIC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO

UTILIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULTICRITÉRIO (ANALYTIC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO ULIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULCRITÉRIO (ANALYC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO Ricardo Viana Vargas, MSc, IPMA-B, PMP Professor Fundação Getúlio Vargas

Leia mais

Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico

Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico Produto 06: Divulgação do Planejamento Estratégico IFES Instituto Federal do Espírito Santo Vitória-ES, maio de 2014. 1. APRESENTAÇÃO O presente documento corresponde ao produto06 Evento de Divulgação

Leia mais

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE COST DRIVERS PELO MÉTODO AHP

AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE COST DRIVERS PELO MÉTODO AHP AVALIAÇÃO QUALITATIVA DE COST DRIVERS PELO MÉTODO AHP Edson de Oliveira Pamplona, Dr. Escola Federal de Engenharia de Itajubá Av. BPS, 1303 Itajubá, MG CEP: 37500-000 e-mail: pamplona@iem.efei.br Prof.

Leia mais

Palestra: Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática

Palestra: Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática Palestra: Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática Evento Técnico Mensal outubro/2014 Damázio Teixeira Formado em analise de sistemas, PMP, Pós-MBA em gestão avançada

Leia mais

UTILIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULTICRITÉRIO (ANALYTIC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO.

UTILIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULTICRITÉRIO (ANALYTIC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO. UTILIZANDO A PROGRAMAÇÃO MULTICRITÉRIO (ANALYTIC HIERARCHY PROCESS - AHP) PARA SELECIONAR E PRIORIZAR PROJETOS NA GESTÃO DE PORTFÓLIO Ricardo Vargas Reproduzido com a permissão do autor. Nome original:

Leia mais

ESCOLHA DE UM FRAMEWORK PARA A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PHP ATRAVÉS DO MÉTODO AHP CLÁSSICO

ESCOLHA DE UM FRAMEWORK PARA A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PHP ATRAVÉS DO MÉTODO AHP CLÁSSICO ISSN 1984-9354 ESCOLHA DE UM FRAMEWORK PARA A LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PHP ATRAVÉS DO MÉTODO AHP CLÁSSICO Patrick Helder Alvarenga Belém, Adriano Neves De Souza, Edwin Benito Mitacc Meza, Dalessandro Soares

Leia mais

Análise de metodologias para gerenciamento de programas e múltiplos projetos: Priorização de Projetos Aplicação do Método Analytic Hierarchy Process

Análise de metodologias para gerenciamento de programas e múltiplos projetos: Priorização de Projetos Aplicação do Método Analytic Hierarchy Process Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação MBA em Gestão Avançada de Projetos - Turma nº20 28 de maio de 2015 Análise de metodologias para gerenciamento de programas e múltiplos projetos: Priorização

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

O Uso do Método AHP na Tomada de Decisão para Seleção de Sistemas de Lajes de Edifícios Comerciais

O Uso do Método AHP na Tomada de Decisão para Seleção de Sistemas de Lajes de Edifícios Comerciais O Uso do Método AHP na Tomada de Decisão para Seleção de Sistemas de Lajes de Edifícios Comerciais Luciano Ferreira dos Santos 1 Rafael Barreto Castelo da Cruz 2 Resumo Este artigo tem por objetivo apresentar

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

QUAL O ESCOPO ADEQUADO DE UM PROJETO DE MELHORIA DA MATURIDADE DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS?

QUAL O ESCOPO ADEQUADO DE UM PROJETO DE MELHORIA DA MATURIDADE DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS? QUAL O ESCOPO ADEQUADO DE UM PROJETO DE MELHORIA DA MATURIDADE DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS? APRESENTAÇÃO: CARLOS MAGNO DA SILVA XAVIER magno@beware.com.br www.beware.com.br O QUE ESSES EVENTOS TÊM EM

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1.

04/02/2009. Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores. Disciplina: Gestão de Projetos de TI. Prof.: Fernando Hadad Zaidan. Unidade 1. Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Redes de Computadores Disciplina: Gestão de Projetos de TI Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 1.1 2 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 3 1 Leitura

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria

Consultoria Estratégica. PMSolution Consultoria PMSolution Consultoria Nossa Atuação Cliente Governança Corporativa Governança de TI Áreas de Conhecimento Consultoria Estratégica Gerenciamento de Projetos e Portfólio Tecnologia Capacitação Confidencial

Leia mais

Aplicação do Método AHP na Seleção de Software para Modelagem de Processos de Negócios Amanda Alves 1, Thiago Depoi Stoll 1, Rafael Baldiati Parizi 1

Aplicação do Método AHP na Seleção de Software para Modelagem de Processos de Negócios Amanda Alves 1, Thiago Depoi Stoll 1, Rafael Baldiati Parizi 1 242 Aplicação do Método AHP na Seleção de Software para Modelagem de Processos de Negócios Amanda Alves 1, Thiago Depoi Stoll 1, Rafael Baldiati Parizi 1 1Instituto Federal Farroupilha Campus São Borja

Leia mais

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento

Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Aula Nº 06 Determinação do Orçamento Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar os processos aplicados que possibilitem identificar os recursos necessários para se conduzir

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

Produto 2. Proposta de PPM (Project and Portfólio Management) alinhando os conceitos, processos e melhores práticas à plataforma Microsoft EPM 2013

Produto 2. Proposta de PPM (Project and Portfólio Management) alinhando os conceitos, processos e melhores práticas à plataforma Microsoft EPM 2013 Produto 2 Proposta de PPM (Project and Portfólio Management) alinhando os conceitos, processos e melhores práticas à plataforma Microsoft EPM 2013 Autor: Carlos Eduardo Freire Gurgel Sumário 1. Introdução...

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1

ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 ONDE OS PROJETOS FALHAM? Manuel da Rocha Fiúza BRANCO, Jr 1 RESUMO Diversos profissionais relatam dificuldades em coordenar adequadamente projetos sob sua responsabilidade. Muitos fatores que influenciam

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" - 1ª Edição Versão do Modelo 1..0-01/Fev/008 - Editora INDG-Tecs - 008 WWW.MATURITYRESEARCH.COM

Leia mais

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO

ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO ESTÁGIO DE NIVELAMENTO DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS MACROPROCESSO DE GESTÃO DO PORTFÓLIO 05.11.2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO DEFINIÇÃO DE PORTFÓLIO CENÁRIO NEGATIVO DOS PORTFÓLIOS NAS ORGANIZAÇÕES GOVERNANÇA

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

Relato de experiência WAMPS2014 Gestão de Portfólio como ferramenta de execução da estratégia

Relato de experiência WAMPS2014 Gestão de Portfólio como ferramenta de execução da estratégia Relato de experiência WAMPS2014 Gestão de Portfólio como ferramenta de execução da estratégia Quem somos Karina Klein Hartmann, PMP, CFPS, CPRE Gerente de projetos e membro do GEPS. Osmar A. M. Pedrozo,

Leia mais

Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática

Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática Seleção e priorização de projetos não só na filosofia, mas também na prática Um modelo de seleção e priorização de projetos deve ser utilizado para auxiliar na escolha dos melhores projetos e indicar dentro

Leia mais

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis

A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES. Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E A GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Evolução do TI e Gestão das Organizações Gestão de Projetos Métodos Ágeis Vamos nos conhecer e definir as diretrizes de nosso curso??? www.eadistancia.com.br

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS EM UM ESCRITÓRIO DE ARQUITETURA: VISÃO TRADICIONAL X NEGÓCIOS BASEADOS EM PROJETOS Ana Carolina Freitas Teixeira¹ RESUMO O gerenciamento de projetos continua crescendo e cada

Leia mais

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS O IMPACTO DA UTILIZAÇÃO DE UM SOFTWARE DE GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE PROJETOS NAS EMPRESAS Nadia Al-Bdywoui (nadia_alb@hotmail.com) Cássia Ribeiro Sola (cassiaribs@yahoo.com.br) Resumo: Com a constante

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO PARA ESCOLHA DE SOLUÇÕES DE GERENCIAMENTO EM AMBIENTES CRÍTICOS UTILIZANDO MÉTODO AHP

PROPOSTA DE UM MODELO PARA ESCOLHA DE SOLUÇÕES DE GERENCIAMENTO EM AMBIENTES CRÍTICOS UTILIZANDO MÉTODO AHP PROPOSTA DE UM MODELO PARA ESCOLHA DE SOLUÇÕES DE GERENCIAMENTO EM AMBIENTES CRÍTICOS UTILIZANDO MÉTODO AHP Autor: Edmilson de Novais Silva Orientador: Prof. Dr. Marcelo Duduchi 1 Introdução Objetivo Aplicar

Leia mais

O método AHP como ferramenta de focalização do processo de gerenciamento de projetos - Caso: APEX-Brasil

O método AHP como ferramenta de focalização do processo de gerenciamento de projetos - Caso: APEX-Brasil O método AHP como ferramenta de focalização do processo de gerenciamento de projetos - Caso: APEX-Brasil Betania Dumoulin, Daniel Guimarães e Glaucio Neves Macroplan Prospectiva, Estratégia e Gestão Novembro

Leia mais

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

MECANISMOS PARA GOVERNANÇA DE T.I. IMPLEMENTAÇÃO DA. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza MECANISMOS PARA IMPLEMENTAÇÃO DA GOVERNANÇA DE T.I. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O CICLO DA GOVERNANÇA DE TI O Ciclo da Governança de T.I. ALINHAMENTO

Leia mais

Ambientação nos conceitos

Ambientação nos conceitos Ambientação em Gestão de Projetos Maria Lúcia Almeida Ambientação nos conceitos Gestão de áreas funcionais e gestão de projetos Qualquer um pode ser gerente de projetos? Qual a contribuição da gestão de

Leia mais

APLICAÇÃO DO MÉTODO AHP PARA SELEÇÃO DE INVESTIMENTOS EM UM REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RPPS)

APLICAÇÃO DO MÉTODO AHP PARA SELEÇÃO DE INVESTIMENTOS EM UM REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RPPS) APLICAÇÃO DO MÉTODO AHP PARA SELEÇÃO DE INVESTIMENTOS EM UM REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL (RPPS) Erenildo Motta da Silva Júnior erenildo_motta@hotmail.com UFF João Conrado Cavalcanti de Carvalho

Leia mais

Escolha do melhor fornecedor de bebidas alcoólicas para a Churrascaria Pau de Fruta utilizando o método AHP

Escolha do melhor fornecedor de bebidas alcoólicas para a Churrascaria Pau de Fruta utilizando o método AHP Escolha do melhor fornecedor de bebidas alcoólicas para a Churrascaria Pau de Fruta utilizando o método AHP Guilherme Rafael Araujo Martins Mestrando em Engenharia de Produção, UFF/Rio das Ostras guilhermerafael2000@yahoo.com.br

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO

GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETO PLANO DE AULAS TURMA GRPA04 EMENTA DA DISCIPLINA - Riscos definição e histórico. - Planejamento do gerenciamento de riscos. - Fontes, Identificação e Categorização de

Leia mais

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde

A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde A Maturidade Organizacional em Gerenciamento de Projetos (OPM3 ) de Informática em Saúde Luis Augusto dos Santos 1, Heimar de Fátima Marin 2 1 Engenheiro Eletricista, membro do NIEn e pós-graduando pela

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE

Questionário de Avaliação de Maturidadade MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE MMGP Darci Prado QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO DE MATURIDADE Extraído do Livro "Gerenciamento de Programas e Projetos nas Organizações" 4ª Edição (a ser lançada) Autor: Darci Prado Editora INDG-Tecs - 1999-2006

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

Oficina de Gestão de Portifólio

Oficina de Gestão de Portifólio Oficina de Gestão de Portifólio Alinhando ESTRATÉGIAS com PROJETOS através da GESTÃO DE PORTFÓLIO Gestão de portfólio de projetos pode ser definida como a arte e a ciência de aplicar um conjunto de conhecimentos,

Leia mais

Gestão da Qualidade em Projetos

Gestão da Qualidade em Projetos Gestão da Qualidade em Projetos Você vai aprender: Introdução ao Gerenciamento de Projetos; Gerenciamento da Integração; Gerenciamento de Escopo- Declaração de Escopo e EAP; Gerenciamento de Tempo; Gerenciamento

Leia mais

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de

O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de Aula 02 1 2 O Gerenciamento Organizacional de Projetos (GOP) pode ser descrito como uma estrutura de execução da estratégia coorporativa, com objetivo de alcançar melhor desempenho, melhores resultados

Leia mais

Introdução. AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos. Tema relevante em diversas áreas

Introdução. AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos. Tema relevante em diversas áreas Universidade do Sagrado Coração Introdução a Gestão de Projetos Paulo Cesar Chagas Rodrigues AULA 2 A Organização empresarial e a gestão de projetos Iniciação 30/set/2008 Engenharia de Produto 2 2 Introdução

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI

GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI GERENCIAMENTO DE PROJETOS: PMI Henrique Franco de Souza DIRETOR DE NEGÓCIOS www.efgh.com.br ENGENHEIRO DE REDES www.globaltask.com.br henrique@efgh.com.br http://www.linkedin.com/pub/henrique-franco-de-souza/30/12/697

Leia mais

A Utilização do método AHP para traçar, como ferramenta para o auxilio a decisão de um candidato, a escolha de um curso de engenharia

A Utilização do método AHP para traçar, como ferramenta para o auxilio a decisão de um candidato, a escolha de um curso de engenharia A Utilização do método AHP para traçar, como ferramenta para o auxilio a decisão de um candidato, a escolha de um curso de engenharia Andreia Mingroni Besteiro Giovani Paiva Valeria Miucciato Jomar Bueno

Leia mais

Gerenciamento de Portfólio

Gerenciamento de Portfólio Qualidade, Processos e Gestão de Software Prof. Alexandre Vasconcelos e Prof. Hermano Perrelli Fabricio Araújo Gerenciamento de Portfólio Projetos? Projetos? Portifólios? Projetos? Projetos Programas Portfólio

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 1 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

Gestão de Projetos Héstia_UFRGS_2011. Istefani Carísio de Paula, Dr.

Gestão de Projetos Héstia_UFRGS_2011. Istefani Carísio de Paula, Dr. Gestão de Projetos Héstia_UFRGS_2011 Istefani Carísio de Paula, Dr. 1 Apresentação Istefani Carísio de Paula Graduação em Processos Farmacêuticos USP Doutorado em Engenharia de Produção (PPGEP/UFRGS) com

Leia mais

USO DO MÉTODO AHP CLÁSSICO PARA AUXILIAR NA ESCOLHA DE UM NOVO CURSO SUPERIOR EM UM CAMPUS DA UFF NO INTERIOR

USO DO MÉTODO AHP CLÁSSICO PARA AUXILIAR NA ESCOLHA DE UM NOVO CURSO SUPERIOR EM UM CAMPUS DA UFF NO INTERIOR ISSN 1984-9354 USO DO MÉTODO AHP CLÁSSICO PARA AUXILIAR NA ESCOLHA DE UM NOVO CURSO SUPERIOR EM UM CAMPUS DA UFF NO INTERIOR Jefferson de Jesus Costa, Thiago Jéffery Barisão De Lima, Edwin Benito Mitacc

Leia mais

METODOLOGIA HSM Centrada nos participantes com professores com experiência executiva, materiais especialmente desenvolvidos e infraestrutura tecnológica privilegiada. O conteúdo exclusivo dos especialistas

Leia mais

Gestão de Portfólio de Projetos

Gestão de Portfólio de Projetos Dez/2010 Gestão de de Projetos Prof. Américo Pinto FGV, IBMEC-RJ, PUC-RJ, COPPEAD Email: contato@americopinto.com.br Twitter: @americopinto Linkedin: Americo Pinto Website: www.americopinto.com.br Por

Leia mais

X CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 08 e 09 de agosto de 2014. 1. Introdução

X CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO 08 e 09 de agosto de 2014. 1. Introdução ISSN 1984-9354 APLICAÇÃO DO MÉTODO AHP CLÁSSICO NA ESCOLHA DE UM MODELO DE CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMÁVEL (CLP) PARA A INSTALAÇÃO EM UM NOVO PROJETO DE PLATAFORMA MARÍTIMA Édio Pereira Neto, Vinícius W.

Leia mais

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1

Alinhamento Estratégico. A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 Conhecimento em Tecnologia da Informação Alinhamento Estratégico A importância do alinhamento entre a TI e o Negócio e o método proposto pelo framework do CobiT 4.1 2010 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Uma análise de investimentos considerando fatores intangíveis

Uma análise de investimentos considerando fatores intangíveis Uma análise de investimentos considerando fatores intangíveis Leila Keiko Canegusuco Jansen (POLIUSP) leila.jansen@poli.usp.br Tamio Shimizu (POLIUSP) tmshimiz@usp.br José Ulisses Jansen (IPEN) nana021295@uol.com.br

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br

Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Gerência de Projetos Prof. Késsia Rita da Costa Marchi 3ª Série kessia@unipar.br Motivações Gerenciamento de projetos, vem sendo desenvolvido como disciplina desde a década de 60; Nasceu na indústria bélica

Leia mais

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar as atividades que constituem a fase inicial dos projetos. Alem disso, vamos discorrer sobre

Leia mais

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos

Capítulo 1. Introdução ao Gerenciamento de Projetos Capítulo 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos 2 1.1 DEFINIÇÃO DE PROJETOS O projeto é entendido como um conjunto de ações, executadas de forma coordenada por uma organização transitória, ao qual são

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis MBA em Gestão de Projetos Gerenciamento de Projetos Prática essencial para gerar negócios sustentáveis Prof: Ângelo Braga, PMP, MBA angelo.braga@fgv.br eu@angelobraga.com.br 2/154 Contatos Prof. Ângelo

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO

GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO PMI PULSO DA PROFISSÃO RELATÓRIO DETALHADO GERENCIAMENTO DE PORTFÓLIO Destaques do Estudo As organizações mais bem-sucedidas serão aquelas que encontrarão formas de se diferenciar. As organizações estão

Leia mais

FORMAÇÃO DA CULTURA EM GESTÃO POR PROJETOS: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO PRIVADA DE FINALIDADE PÚBLICA

FORMAÇÃO DA CULTURA EM GESTÃO POR PROJETOS: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO PRIVADA DE FINALIDADE PÚBLICA FORMAÇÃO DA CULTURA EM GESTÃO POR PROJETOS: O CASO DE UMA ORGANIZAÇÃO PRIVADA DE FINALIDADE PÚBLICA Jorge Luciano Gil Kolotelo (UTFPR) kolotelo@uol.com.br Pedro Carlos Carmona Gallego (FESP) carmona@fesppr.br

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014.

SETIS- III Seminário de Tecnologia Inovação e Sustentabilidade 4 e 5 de novembro de 2014. A importância da comunicação no gerenciamento de projetos de softwares: reflexões teóricas Lucas Krüger lucas_kruger-@hotmail.com Resumo: Esse artigo objetiva estudar a comunicação entre cliente e desenvolvedor

Leia mais

Como Selecionar Projetos Seis Sigma

Como Selecionar Projetos Seis Sigma Como Selecionar Projetos Seis Sigma Cristina Werkema Etapas do processo de seleção A definição dos projetos a serem desenvolvidos pelos Black Belts e Green Belts é uma das atividades mais importantes do

Leia mais

Gestão de Projetos Logísticos

Gestão de Projetos Logísticos Gestão de Projetos Logísticos Professor: Fábio Estevam Machado CONTEÚDO DA AULA ANTERIOR Teoria Gestão de Projetos Introdução História Ferramentas Áreas do Conhecimento - Exercício AULA 3 Gestão de Projetos

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

DESCOMPLICANDO O GERENCIAMENTO DE PROJETOS: UMA METODOLOGIA GRATUITA E SIMPLIFICADA PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS

DESCOMPLICANDO O GERENCIAMENTO DE PROJETOS: UMA METODOLOGIA GRATUITA E SIMPLIFICADA PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS DESCOMPLICANDO O GERENCIAMENTO DE PROJETOS: UMA METODOLOGIA GRATUITA E SIMPLIFICADA PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO: CARLOS MAGNO DA SILVA XAVIER magno@beware.com.br www.beware.com.br - www.methodware.com.br

Leia mais

Trilhas Técnicas SBSI - 2014

Trilhas Técnicas SBSI - 2014 brunoronha@gmail.com, germanofenner@gmail.com, albertosampaio@ufc.br Brito (2012), os escritórios de gerenciamento de projetos são importantes para o fomento de mudanças, bem como para a melhoria da eficiência

Leia mais

3 Gerenciamento de Projetos

3 Gerenciamento de Projetos 34 3 Gerenciamento de Projetos Neste capítulo, será abordado o tema de gerenciamento de projetos, iniciando na seção 3.1 um estudo de bibliografia sobre a definição do tema e a origem deste estudo. Na

Leia mais

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE

PMI-SP PMI-SC PMI-RS PMI PMI-PR PMI-PE ESTUDO DE BENCHMARKING EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS 2009 Brasil Uma realização dos Chapters Brasileiros do PMI - Project Management Institute PMI-SP PMI-RJ PMI-AM PMI-SC PMI-BA ANEXO 2 PMI-RS PMI PMI-CE

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos Plataforma da Informação Gerenciamento de Projetos Motivação Por que devemos fazer Projetos? - O aprendizado por projetos, faz parte de um dos três pilares de formação do MEJ; -Projetos são oportunidades

Leia mais

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP

Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP DARCI PRADO Questionário de Avaliação de Maturidade Setorial: Modelo PRADO-MMGP Versão 1.6.4 Setembro 2009 Extraído do Livro "Maturidade em Gerenciamento de Projetos" 2ª Edição (a publicar) Autor: Darci

Leia mais

CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS

CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS CAPÍTULO VI CONCLUSÃO E CONSIDERAÇÕES FINAIS 1 - Conclusão Cada vez mais fica evidente que não há caminho para abordar o processo decisório de estratégia em Tecnologia da Informação - TI de maneira improvisada.

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Aula Nº 13 Fechamento do projeto

Aula Nº 13 Fechamento do projeto Aula Nº 13 Fechamento do projeto Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam apresentar como se encerra o ciclo de vida de um projeto. Para tal, pretende-se verificar as derradeiras providências que

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal

Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Metodologia de Gerenciamento de Projetos da Justiça Federal Histórico de Revisões Data Versão Descrição 30/04/2010 1.0 Versão Inicial 2 Sumário 1. Introdução... 5 2. Público-alvo... 5 3. Conceitos básicos...

Leia mais

Metodologia de Gerenciamento de Projetos. Qual a melhor para a sua Organização?

Metodologia de Gerenciamento de Projetos. Qual a melhor para a sua Organização? Metodologia de Gerenciamento de Projetos Qual a melhor para a sua Organização? Carlos Magno da Silva avier magno@beware.com.br Apresentação disponível em www.beware.com.br Alguns Clientes 2 O QUE ESSES

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN PLANO DE ENSINO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA UDESC CENTRO DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ALTO VALE DO ITAJAÍ CEAVI DIREÇÃO DE ENSINO DEN DEPARTAMENTO: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: GERÊNCIA DE

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013. Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva

Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013. Prof. Dr. Sérgio Alfredo Rosa da Silva Texto para Coluna do NRE-POLI da Revista Construção e Mercado Pini Junho 2013 Gerenciamento de riscos na implantação de empreendimentos imobiliários residenciais no atual cenário de desvios de prazos e

Leia mais

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos

Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Gestão de Projetos Ferramentas e Softwares para Gerenciamento de Projetos Aula 1 Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

MODELO DE GESTÃO DE PROJETOS PARA CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS

MODELO DE GESTÃO DE PROJETOS PARA CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS MODELO DE GESTÃO DE PROJETOS PARA CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS Sumário Introdução Projeto e gerenciamento de projetos Contexto do gerenciamento de projetos Processos do gerenciamento de projetos Áreas de conhecimento

Leia mais

Aula 04 - Planejamento Estratégico

Aula 04 - Planejamento Estratégico Aula 04 - Planejamento Estratégico Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam permitir com que você saiba definir o escopo do projeto. Para tal, serão apresentados elementos que ajudem a elaborar

Leia mais

A Escolha de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) através do Método de Análise Hierárquica (AHP)

A Escolha de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) através do Método de Análise Hierárquica (AHP) A Escolha de um Sistema Integrado de Gestão Empresarial (ERP) através do Método de Análise Hierárquica (AHP) Jeanderson da Silva Azeredo (UENF) jazeredo@yahoo.com.br Geraldo Galdino de Paula Junior (UENF)

Leia mais

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3

Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos. Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Modelo de Maturidade Organizacional de Gerência de Projetos Introdução Organizational Project Management Maturity Model - OPM3 Um trabalho voluntário A idéia de um modelo não é novidade, as organizações

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS Professora: Valéria Vargens Email: valeriapitagoras@gmail.com A Importância do Gerenciamento de Projetos O que estes eventos têm em comum? Como estudar Gerenciamento de projetos?

Leia mais

As Boas Práticas no Gerenciamento de Projetos e a Importância das Pessoas na sua Execução

As Boas Práticas no Gerenciamento de Projetos e a Importância das Pessoas na sua Execução As Boas Práticas no Gerenciamento de Projetos e a Importância das Pessoas na sua Execução Palestrante: Carlos Magno da Silva Xavier (M.Sc., PMP) magno@fgvmail.br O QUE ESSES EVENTOS TÊM EM COMUM? Sumário

Leia mais

4º Congresso de Gerenciamento de Projetos da Amazônia. Minicurso: Gerenciamento de Portfólio Palestrante: Luis Augusto dos Santos, MSc,PMP

4º Congresso de Gerenciamento de Projetos da Amazônia. Minicurso: Gerenciamento de Portfólio Palestrante: Luis Augusto dos Santos, MSc,PMP 4º Congresso de Gerenciamento de Projetos da Amazônia Minicurso: Gerenciamento de Portfólio Palestrante: Luis Augusto dos Santos, MSc,PMP Agenda Introdução ao Gerenciamento de Portfólio Identificar e Categorizar

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Planejamento e Gerenciamento Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Planejamento e Gerenciamento Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução; Pessoas, Produto, Processo e Projeto; Gerência de

Leia mais

Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação

Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação Aula Nº 10 Planejamento da Comunicação Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam analisar as necessidades de informação para se manter os stakeholders internos e externos bem como a equipe de projetos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais