ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES"

Transcrição

1 TERMOS DIRECCIONAIS EB 23S DE CAMINHA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO TÓRAX POSIÇÃO DESCRITIVA ANATÓMICA PLANOS DESCRITIVOS PLANO SAGITAL PLANO HORIZONTAL INFERIOR ANTERIOR POSTERIOR INTERNO EXTERNO PROXIMAL (Cefálico) Próximo da cabeça ou a parte de cima de uma estrutura (Caudal) Afastado da cabeça ou a parte de baixo de uma estrutura. (Ventral) Próximo de ou na parte da frente do corpo. (Dorsal) Próximo de ou na parte de trás do corpo. Próximo do plano sagital do corpo. Afastado do plano sagital do corpo. Próximo da união de um membro ao tronco. Próximo do ponto de origem. 2011/12 PROFESSOR PEDRO CÂMARA PLANO FRONTAL DISTAL EXTERIOR INTERIOR Afastado da união de um membro ao tronco. Afastado do ponto de origem,. Numa cavidade/orgão oco diz-se da superfície que está fora. Numa cavidade/orgão oco diz-se da superfície que está dentro. MOVIMENTOS ARTICULARES TIPOS DE OSSOS ORIENTAÇÃO TIPOS DE MOVIMENTOS ARTICULARES PLANO DO MOVIMENTO ORIENTAÇÃO DO EIXO ARTICULAR NOMENCLATURA LONGO CURTO CHATO OSSOS ÍMPARES OSSOS PARES SAGITAL TRANSVERSAL FLEXÃO EXTENSÃO ANGULARES FRONTAL ÂNTERO-POSTERIOR ADUÇÃO ABDUÇÃO DESLIZE HORIZONTAL SAGITAL FRONTAL VERTICAL ROTAÇÃO INTERNA EXTERNA PROTACÇÃO RETRACÇÃO 1 ELEVAÇÃO DEPRESSÃO 2 1 Protracção Retracção Movimentos de translacção realizados no plano horizontal. A protracção no sentido anterior e a retracção no sentido posterior. 2 Elevação Depressão Movimentos de translacção realizados no plano frontal. A elevação no sentido superior e a depressão no sentido inferior. E TÓRAX 1

2 CURVATURAS ACIDENTES ÓSSEOS ESQUELETO VISTA POSTERIOR ARTICULARES NÃO ARTICULARES CLAVÍCULA 7 VÉRTEBRAS CERVICAIS ÚMERO COSTELAS OSSO COXAL RÁDIO CÚBITO 12 VÉRTEBRAS DORSAIS FÉMUR RÓTULA 5 VÉRTEBRAS LOMBARES TÍBIA PERÓNEO CERVICAL CIFOSE CERVICAL (CONCAVA) 7 VÉRTEBRAS C1-C7 LORDOSE CERVICAL ATLAS C1 ÀXIS C2 C7 D1 ATLAS C1 ÀXIS C2 C7 D1 VÉRTEBRAS CERVICAIS DORSAL LORDOSE DORSAL (CONVEXA) 12 VÉRTEBRAS L1-L12 CIFOSE DORSAL D12 L1 D12 L1 VÉRTEBRAS DORSAIS LOMBAR SACRAL COCCIGEAL CIFOSE LOMBAR (CÔNCAVA) 5 VÉRTEBRAS L1-L5 LORDOSE SACRAL (CONVEXA) 5 VÉRTEBRAS FUNDIDAS 4 VÉRTEBRAS FUNDIDAS LORDOSE LOMBAR CIFOSE -COCCÍGEA L5 S1-S5 S1-S5 L5 VÉRTEBRAS LOMBARES S1-S5 E TÓRAX 2

3 COLUNA CERVICAL ATLAS E ÁXIS ZONA -COCCÍGEA VISTA POSTERIOR ESTRUTURA GERAL DA VÉRTEBRA TIPO REGIÃO CERVICAL FACE QUE ARTICULA COM A ODONTÓIDE DOÀXIS ATLAS CANAL TRANSVERSAL TRANSVERSA CORPO VERTEBRAL VÉRTEBRA (C7) VISTA REGIÃO DORSAL REGIÃO LOMBAR QUE ARTICULA COM O CÔNDILO OCCIPITAL ODONTÓIDE ÁXIS PARA O ATLAS PEDÍCULO TRANSVERSA SECUNDÁRIA ODONTÓIDE CANAL ESPINAL TRANSVERSA ESPINHOSA TRANSVERSA FACETA ARTICULAR INFERIOR MAMILAR LÂMINA ESPINHOSA VÉRTEBRA (D1) VISTA CORPO VERTEBRAL VÉRTEBRA (D1) VISTA LATERAL HEMI E COLUNA LOMBAR PEDÍCULO CORPO VERTEBRAL DA TRANSVERSA INCISÃO VERTEBRAL INFERIOR (COSTAL) PEDÍCULO ÂNGULO DA FACE ARTICULAR TRANSVERSA TRANSVERSA FACETA ARTICULAR INFERIOR LÂMINA DA TRANSVERSA HEMI ESPINHOSA INCISÃO VERTEBRAL INFERIOR ESPINHOSA E TÓRAX 3

4 (S1-S5) VISTA LATERAL TÓRAX VISTA POSTERIOR ZONA -COCCÍGEA VISTA LATERAL POSTERIOR ARTICULAR CANAL SAGRADO PARTE LATERAL (S1-S5) BASE DO ARTICULAR CANAL SAGRADO ARTICULAR FACETA AURICULAR (ARTICULA COM O OSSO COXAL) ASA DO DA TRANSVERSA CRISTA SAGRADA MÉDIA 1 BURACO SAGRADO POSTERIOR SUPERFÍCIE ARTICULAR PARA O CORPO DA L5 PROMONTÓRIO LINHAS TRANSVERSÁRIAS BURACOS SAGRADOS ANTERIORES HIATO SAGRADO HIATO DO CANAL SAGRADO VÉRTICE SAGRADO QUE ARTICULA COM O VÉRTICE DO ARTICULA COM O 1 TUBÉRCULOS DAS S TRANSVERSAS CAIXA TORÁCCICA COSTELAS CLAVÍCULA MANÚBRIO DO TÓRAX CLAVÍCULA EXTERMIDADE ACROMIAL ACRÓMIO ESPINHA FOSSA INFRAESPINHOSA BORDO INTERNO OU VERTEBRAL VÉRTEBRA C7 VÉRTEBRA D1 COSTELA I COSTELA II COSTELAS CORPO DO CARTILAGENS COSTAIS APÊNDICE XIFÓIDE COSTELAS FLUTUANTES COSTELA XI COSTELA XII VÉRTEBRAL LOMBAR I VÉRTEBRA TORÁCCICA XII CARTILAGENS COSTAIS E TÓRAX 4

5 LATERAL SUPERFÍCIE ARTICULAR PARA A CLAVÍCULA CARTILAGEM COSTAL I CARTILAGEMCOSTAL II ARTICULAR CIII ARTICULAR CIV FÚRCULA FÚRCULA SÍNFISE MANÚBRIO DO MANÚBRIOESTERNAL CORPO DO MANÚBRIO DO ÂNGULO DO SUPERFÍCIE ARTICULAR PARA A CLAVÍCULA CARTILAGEM COSTAL I CARTILAGEMCOSTAL II ARTICULAR CIII ARTICULAR CIV ÂNGULO COSTELA TUBÉRCULO CABEÇA COLO PARA O CORPO VERTEBRAL INFERIOR PARA O CORPO VERTEBRAL COSTELAS I E II SULCOS DA VEIA E ARTÉRIA SUBCLÁVIAS ORIGEM DO MÚSCULO SUBCLÁVIO INSERÇÃO DO MÚSCULO ESCALENO MÉDIO CABEÇA DA1ª COSTELA COLO DA1ª COSTELA INSERÇÃO DO MÚSCULO TUBÉRCULO DA 1ª COSTELA ESCALENO ANTERIOR CABEÇA DA2ª COSTELA COLO DA2ª COSTELA ARTICULAR CV ARTICULAR CVI ARTICULAR CVII CORPO DO LINHAS TRANSVERSÁRIAS ARTICULAR CV ARTICULAR CVI ARTICULAR CVII FACE TRANSVERSA ORIGEM DO MÚSCULO SERRÁTIL ANTERIOR 1ª DIGITAÇÃO TUBÉRCULO DA 2ªCOSTELA ÂNGULO DA2ª COSTELA APÊNDICE XIFÓIDE APÊNDICE XIFÓIDE SULCO COSTAL ORIGEM DO MÚSCULO SERRÁTIL ANTERIOR INSERÇÃO DO MÚSCULOESCALENOPOSTERIOR 2ª DIGITAÇÃO FACETAARTICULAR DA TRANSVERSA GOTEIRA SUBCOSTAL COSTELA VÉRTEBRA HEMI (PARA A COSTELA) CORPO DA VÉRTEBRA CABEÇA DA COSTELA DISCO INTERVERTEBRAL TUBEROSIDADE COSTAL (COM PARA A TRANSVERSA DA VÉRTEBRA) COLO BORDO EXTERNO CARTILAGEM COSTAL LIGAÇÕES ARTICULARES EIXO CENTRAL DO ESQUELETO HUMANO QUE SE LIGA A TODOS OS OUTROS SEGMENTOS TÓRAX > OSSOS CHATOS o Protecção das estruturas alojadas na caixa toráccica > Articulações semi-móveis > movimentos respiratórios. CABEÇA > OSSOS CHATOS > CRÂNIO + FACE o Protecção /revestimento dos orgãos fundamentais o Cerebelo, olhos, ouvido interno) o Articulações imóveis > excepto temporo-maxilar > Movimentos mastigatórios. MEMBROS > OSSOS LONGOS + CHATOS NAS EXTREMIDADES COM 3 NÍVEIS DE ARTICULAÇÕES: 1. Nível proximal > Articulação multiaxial (Esc-Umr Cx-Fmr) 2. Nível intermédio > Articulação menos móvel (Ctvl Jlh) 3. Nível distal o Preensão (mão > mobilidade e motricidade fina) o Apoio no solo (pé > locomoção) FUNÇÕES A. LIGA-SE (DIRECTA OU INDIRECTAMENTE) A TODOS OS OUTROS SEGMENTOS 1. Suporta superiormente a cabeça 2. Sustenta o tórax (onde se liga os MS) 3. Faz parte inferiormente da bacia óssea (tronco-mi) B. TRANSMISSÃO E AMORTECIMENTO DO PESO CORPORAL Dissipação e transmissão das forças axiais resultantes da posição bípede > Forças de compressão > 2 modalidades no amortecimento axial: 1. Intervenção do anel fibroso independente do núcleo pulposo 2. Mecanismo hidrostático do disco (participação de todos os componentes do disco intervertebral). C. MOBILIDADE DO TRONCO E CABEÇA Morfologia adequada à fixação dos músculos que actuam ao nível > da própria coluna + cabeça + respiração (tórax) + cintura escapular braço + bacia coxa. D. PROTECÇÃO DA ESPINAL MEDULA União dos buracos vertebrais > Canal vertebral, onde se aloja medula óssea protegida pelo corpos vertebrais, pedículos e lâminas. Espinal medula tem menor comprimento que a coluna vertebral Termina entre L1 e L2 Resto do canal preenchido pela cauda equina > nervos que saem do nível inferior da medula E TÓRAX 5

6 TÓRAX CONSTITUIÇÃO 1. CORPOS ARTICULARES > 24 VÉRTEBRAS À medida que se desce, tamanho dos corpos vertebrais vai aumentando progressivamente (vocacionados para o suporte do peso) Discos intervertebrais > Função de mobilidade e amortecimento da coluna Espessura variável de acordo com essa função 1. Região cervical > 5mm (muita mobilidade > cabeça) 2. Região dorsal > 3 mm (pouca mobilidade > sustentação do tórax) 3. Região lombar > 9 mm (suporte peso + extrema 4. mobilidade) 2. OSSOS > 2 PEÇAS ÓSSEAS Sacro > 4 ou 5 vértebras fundidas Cóccix > 4 a 5 vértebras fundidas. REGIÕES REGIÃO CERVICAL Sustentação e mobilidade da Cabeça > Movimentos amplos devido 1. Reduzido tamanho das apófises espinhosas e transversas 2. À orientação horizontal das facetas articulares 3. À existência de um sistema mecânico que potencializa a rotação da cabeça 4. À grande mobilidade da articulação occipito-atloideia (principalmente na flexãoextensão). 7 Vértebras reconhecidas por: Apófise espinhosa bifurcada Buracos transversários > onde passam as artérias e veias vertebrais C1 e C2 (Atlas e Áxis) funcionalmente distintas com características morfológicas particulares. C3 e C7 > Elevada mobilidade em comparação com as restantes regiões da coluna. REGIÃO DORSAL > Sustentação do tórax e movimentos respiratórios 12 Vértebras Longa Cifose > permite a amplitude dos movimentos respiratórios Superfícies articulares laterais > Face lateral do corpo da vértebra + apófises transversas > Articulações costo-vertebrais Mobilidade reduzida (maior estabilidade fundamental para suporte do Tórax) devido: 1. Suporte de toda a grelha costal 2. Orientação oblíqua das apófises articulares, o que limita o movimento intervertebral 3. Uma apófise espinhosa muito comprida e dirigida para baixo que condiciona os movimentos de extensão. REGIÕES REGIÃO LOMBAR > 5 VÉRTEBRAS Corpo vertebral significativamente maior para suporte do peso corporal Apófises espinhosas e transversas bastante desenvolvidas Grande mobilidade (partem dela todos os movimentos da coluna) devido: 1. A grande espessura do disco intervertebral 2. A orientação horizontal das apófises espinhosas e transversas 3. Orientação das suas superfícies articulares no plano sagital REGIÃO -COCCÍGEA > Duas peças ósseas Sacro 4 a 5 vértebras soldadas entre si Pirâmide triangular cuja base se articula com a 5ª vértebra lombar Face posterior Textura acidentada > Fornece aderência necessária à origem dos músculos da massa comum. Reminiscências das apófises existentes nas vértebras das outras regiões Face anterior Textura lisa e côncava Faces laterais Articulam-se com os ossos coxais, constituindo as articulações sacro-ilíacas. Cóccix > Fusão de 4 a 5 vértebras > significado funcional quase nulo. TÓRAX CAVIDADE TORÁCCICA > CONTÉM ORGÃOS VITAIS COMO OS PULMÕES E O CORAÇÃO Região dorsal da Coluna que se articula com: 12 costelas de cada lado > Ligadas ao esterno pelas cartilagens costais > Estruturas de cartilagem de hialina Clavícula (por cima) Omoplata (por trás) > REVESTE ANTERIORMENTE O TÓRAX > 3 PORÇÕES 1. Extremidade superior > Punho ou manúbrio 2. Parte mais volumosa > Corpo do esterno 3. Extremidade inferior afiada > Apêndice xifóide COSTELAS > 12 COSTELAS DE 3 TIPOS (EM FUNÇÃO DE COMO SE LIGAM AO ) 1. Verdadeiras > 7 primeiras > Articulações independentes 2. Falsas > 3 seguintes > Articulam-se com a cartilagem das costela suprajacente 3. Flutuantes > 2 últimas > Sem conexão ao esterno Constituição > Face interna + externa Bordo superior + inferior Articulações com a coluna vertebral 1. Articulação costo-somática > Extremidade da costela com corpo de duas vértebras adjacentes 2. Articulação costo-transversária > Com apófise transversa da vértebra infrajacente ESPINHA ISQUIÁTICA C7 VÉRTEBRA PROEMINENTE CLAVÍCULA -EXTRE- MIDADE ESTERNAL ARCO COSTAL COSTELA XI COSTELA XII L3 VÉRTEBRA LOMBAR CORPO DO ESPINHA ILÍACA ANTERO-POSTERIOR PROMONTÓRIO TUBÉRCULO ISQUIÁTICO FACE SINFISIAL MANÚBRIO DO CLAVÍCULA COSTELA XI COSTELA XII L1 VÉRTEBRA LOMBAR OSSO ILÍACO FÉMUR C6 C7 VÉRTEBRA PROEMINENTE D1 VÉRTEBRA DORSAL TUBÉRCULO ISQUIÁTICO BIBLIOGRAFIA E TÓRAX 6

SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO

SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO I COLUNA VERTEBRAL 1 Os constituintes da coluna vertebral: 7 vértebras cervicais, 12 vértebras torácicas, 5 vértebras

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE NITERÓI CURSO TÉCNICO ALMIR MADEIRA Estrada Caetano Monteiro, 857 Pendotiba. Niterói- RJ Tel: 21994400/21.26202173 (Centro) CURSO: DISCIPLINA: Anatomia e Fisiologia Humana DOCENTE:

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos ANATOMIA HUMANA I Acidentes Ósseos Prof. Me. Fabio Milioni Características Anatômicas de Superfície dos Ossos As superfícies dos ossos possuem várias características estruturais adaptadas a funções específicas.

Leia mais

ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA. Raul Oliveira 2º ano 2007-2008. músculos monoarticulares

ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA. Raul Oliveira 2º ano 2007-2008. músculos monoarticulares ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA Raul Oliveira 2º ano 2007-2008 músculos monoarticulares músculos multiarticulares Músculos bi-articulares 1 LINHA DE TRACÇÃO DO MÚSCULO

Leia mais

Reitora Suely Vilela. Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César. Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro

Reitora Suely Vilela. Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César. Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro Reitora Suely Vilela Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro Chefe do Laboratório de Avaliação Nutricional de Populações

Leia mais

CAPÍTULO 02- ERGONOMIA Prof. Mauro Ferreira

CAPÍTULO 02- ERGONOMIA Prof. Mauro Ferreira CAPÍTULO 02- ERGONOMIA Prof. Mauro Ferreira NOÇÕES BÁSICAS DE ANATOMIA E FISIOLOGIA Identificação das Limitações do Organismo Humano Sabendo-se que a Ergonomia tem por objetivo adequar o trabalho às características

Leia mais

Coluna Vertebral. Sacro - 5 vértebras - Cóccix - 4-5 vértebras. Junção Cervico-toracica. Junção Toraco-lombar. Junção Lombosacral

Coluna Vertebral. Sacro - 5 vértebras - Cóccix - 4-5 vértebras. Junção Cervico-toracica. Junção Toraco-lombar. Junção Lombosacral A Coluna Verterbral É o maior segmento corporal (40% Altura) É como uma haste elástica modificada Proporciona suporte, proteção e flexibilidade Formado por 33 vértebras, 24 móveis. 4 curvas, que dão equilíbrio

Leia mais

ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE

ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE A ERGONOMIA ESTUDA A SITUAÇÃO DE TRABALHO: Atividade Ambiente (iluminação, ruído e calor) Posto de trabalho Dimensões, formas

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Educação Física. Prof. Me. Fabio Milioni. Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia

ANATOMIA HUMANA I. Educação Física. Prof. Me. Fabio Milioni. Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia ANATOMIA HUMANA I Educação Física Prof. Me. Fabio Milioni Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia Anatomia Sistêmica Estudo macroscópico dos sistemas do organismo Anatomia Topográfica

Leia mais

Protocolos coluna. Profº. Claudio Souza

Protocolos coluna. Profº. Claudio Souza Protocolos coluna Profº. Claudio Souza Coluna vertebral A coluna vertebral é composta por 33 vértebras, e eventualmente por 32 ou 34, estas são classificadas como ossos irregulares. A coluna vertebral

Leia mais

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior COLUNA VERTEBRAL 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais 4 vértebras coccígeas anterior

Leia mais

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL ESQUELETO AXIAL Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. Vamos estudar o esqueleto que forma o eixo do corpo iniciando o estudo da CABEÇA óssea que se divide em

Leia mais

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS...é um conjunto de conhecimentos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos

Leia mais

4. Posturas 4.1. Anatomia e biomecânica da coluna vertebral

4. Posturas 4.1. Anatomia e biomecânica da coluna vertebral 51 4. Posturas A Academia Americana de Ortopedia define a postura como o estado de equilíbrio entre músculos e ossos com capacidade para proteger as demais estruturas do corpo humano de traumatismos, seja

Leia mais

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária Unic - Universidade de Cuiabá Faculdade de medicina veterinária - 1 - Disciplina de Ciências Morfofuncionais Aplicadas a Medicina Veterinária I Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária SUMÁRIO - 2 -

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni ANATOMIA HUMANA I Sistema Esquelético Prof. Me. Fabio Milioni FUNÇÕES Sustentação Proteção Auxílio ao movimento Armazenamento de minerais Formação de células sanguíneas 1 CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS Longos

Leia mais

2. Biomecânica do ombro

2. Biomecânica do ombro 2. Biomecânica do ombro Devido ao elevado número de elementos anatómicos intervenientes na biomecânica do ombro, a sua análise torna-se bastante complexa. Como se sabe, a função da cintura escapular requer

Leia mais

MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO

MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO POSTURA CORPORAL Produção Didática apresentada para o 2º Período do Programa de Desenvolvimento Educacional - 2008 da Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Orientador

Leia mais

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM HÉRNIA DISCAL DA COLUNA CERVICAL: Revisão de Literatura 1 Roseline de Oliveira Calisto Lima 2 RESUMO

ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM HÉRNIA DISCAL DA COLUNA CERVICAL: Revisão de Literatura 1 Roseline de Oliveira Calisto Lima 2 RESUMO ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO PACIENTE COM HÉRNIA DISCAL DA COLUNA CERVICAL: Revisão de Literatura 1 Roseline de Oliveira Calisto Lima 2 RESUMO A dor na coluna é a segunda maior fonte de reclamação das

Leia mais

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES Utilizando os Princípios do Pilates Contemporâneo para atingir um nível ótimo de condição física. Por Moira Merrithew, STOTT PILATES Executive Director, Education

Leia mais

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL *

DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * A. POSTURA DISTÚRBIOS DA COLUNA VERTEBRAL * 1 POSTURA LORDÓTICA Trabalho realizado por: Karina Mothé Bianor Orientador: Prof. Blair José Rosa Filho Caracterizada por um aumento no ângulo lombossacro (o

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 01. Movimentos da coluna vertebral A coluna vertebral como um todo se apresenta como uma articulação que possui macromovimentação em seis graus de liberdade: flexão, extensão, láteroflexão esquerda,

Leia mais

Divisão anatômica 15/09/2014. Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Função. Sistema Nervoso Estrutura. Cérebro Cerebelo Tronco encefálico ENCÉFALO

Divisão anatômica 15/09/2014. Sistema Nervoso. Sistema Nervoso Função. Sistema Nervoso Estrutura. Cérebro Cerebelo Tronco encefálico ENCÉFALO Função o sistema nervoso é responsável pelo controle do ambiente interno e seu relacionamento com o ambiente externo (função sensorial), pela programação dos reflexos na medula espinhal, pela assimilação

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada A coluna cervical consiste em diversas

Leia mais

METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO. Vista Ventral

METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO. Vista Ventral METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO Vista Ventral 7 0 9 8 7. Côndilo do occipital;. Forame Magno;. Processo Paracondilar;. Temporal;. Forame Supraorbital;. Bula Timpânica; 7. Vômer; 8. Zigomático; 9. Asa do

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA SUBCUTÂNEA BASEADA NA OBSERVAÇÃO DE PEÇAS ANATÔMICAS DISSECADAS 1

DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA SUBCUTÂNEA BASEADA NA OBSERVAÇÃO DE PEÇAS ANATÔMICAS DISSECADAS 1 DISTRIBUIÇÃO DA GORDURA SUBCUTÂNEA BASEADA NA OBSERVAÇÃO DE PEÇAS ANATÔMICAS DISSECADAS 1 CAMPOS, Adriana 1 ; SANTOS, Danillo Luiz 2 ; ARAÚJO, Patrick Correia de Souza 3 ; LUIZ, Carlos Rosemberg 4 ; BENETTI,

Leia mais

Coluna Vertebral MARCIO AP. DOS S. MAJOR

Coluna Vertebral MARCIO AP. DOS S. MAJOR Coluna Vertebral MARCIO AP. DOS S. MAJOR Conteúdo Revisão Anatômica Técnicas de Posicionamento Radiológico Critérios de Avaliação Radiográfica Patologias mais comuns Indicações e contra indicações Principais

Leia mais

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura Cuidando da Coluna e da Postura Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Coluna e Postura A coluna vertebral possui algumas curvaturas que são normais, o aumento, acentuação ou diminuição destas curvaturas

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural AVALIAÇÃO POSTURAL 1. Desenvolvimento Postural Vantagens e desvantagens da postura ereta; Curvas primárias da coluna vertebral; Curvas Secundárias da coluna vertebral; Alterações posturais com a idade.

Leia mais

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular Provas de função muscular MMII Graduação de força muscular Grau 0:Consiste me palpar o músculo avaliado e encontrar como resposta ausência de contração muscular. Grau 1:Ao palpar o músculo a ser avaliado

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MEDICINA BRUNO SIMAS DE QUEIROZ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MEDICINA BRUNO SIMAS DE QUEIROZ UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MEDICINA BRUNO SIMAS DE QUEIROZ Hérnia de disco: fisiopatologia e formas de apresentação clínica mais frequentes RIO DE JANEIRO 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE

Leia mais

COLUNA. A coluna é o pilar de sustentação do corpo, responsável, ao mesmo tempo por suportar enormes cargas, e conservar grande flexibilidade.

COLUNA. A coluna é o pilar de sustentação do corpo, responsável, ao mesmo tempo por suportar enormes cargas, e conservar grande flexibilidade. COLUNA A coluna é o pilar de sustentação do corpo, responsável, ao mesmo tempo por suportar enormes cargas, e conservar grande flexibilidade. Na coluna convivem 3 tipos de estruturas: uma parte óssea,

Leia mais

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 AVALIAÇÃO POSTURAL ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 POSTURA CONCEITOS: Postura é uma composição de todas

Leia mais

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA Prof. Rodrigo Aguiar O sistema músculo-esquelético é formado por ossos, articulações, músculos, tendões, nervos periféricos e partes moles adjacentes. Em grande

Leia mais

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima ESCOLIOSE Prof. Ms. Marcelo Lima DEFINIÇÃO A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da coluna no plano frontal acompanhado

Leia mais

Estrutura e Função da Medula Espinhal

Estrutura e Função da Medula Espinhal FACULDADE DE MEDICINA/UFC-SOBRAL MÓDULO SISTEMA NERVOSO NEUROANATOMIA FUNCIONAL Estrutura e Função da Medula Espinhal Prof. Gerardo Cristino Aula disponível em: www.gerardocristino.com.br Objetivos de

Leia mais

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS?

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? Dores nas Costas PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? O QUE CAUSA DORS NAS COSTAS? Várias podem ser as causas de suas dores nas costas: - Posturas inadequadas - Esforço exagerado - Permanecer por muito tempo

Leia mais

SISTEMA NERVOSO 2014

SISTEMA NERVOSO 2014 SISTEMA NERVOSO 2014 SISTEMA NERVOSO OBJETIVOS Conhecer a organização do Sistema Nervoso. Descrever a constituição do Tecido Nervoso. Denominar as partes do Sistema Nervoso Central (SNC) e do Sistema Nervoso

Leia mais

ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL

ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL ANATOMIA RADIOLÓGICA DA REGIÃO CERVICAL INTRODUÇÃO A Anatomia da região cervical, divide-se em duas partes, coluna vertebral segmento cervical e ou pescoço. Esta região pode ser bem estudada pelos métodos

Leia mais

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes

DIÂMETRO ÓSSEO. Prof.Moisés Mendes DIÂMETRO ÓSSEO INTRODUÇÃO CONCEITO: É definido pela menor distância entre duas extremidades ósseas. FINALIDADES: São usadas para determinar a constituição física,para fins ergonômicos,para fins de assimetria

Leia mais

PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO!

PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO! Dr. Euclides José Martins Amaral PREVINA AS DEFORMIDADES DA COLUNA VERTEBRAL DO SEU FILHO! : A importância da detecção precoce das deformidades da coluna na infância e adolescência, deve-se principalmente

Leia mais

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Anatomia Atlas Axis Anatomia AP Perfil Mecanismo de Trauma Trauma axial em flexão Trauma axial - neutro Fraturas do Côndilo Occipital Os côndilos occipitais são

Leia mais

ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NAS ESCOLIOSES: revisão bibliográfica

ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NAS ESCOLIOSES: revisão bibliográfica Iolanda Santos Nogueira ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NAS ESCOLIOSES: revisão bibliográfica Pindamonhangaba - SP 2015 Iolanda Santos Nogueira ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA NAS ESCOLIOSES: revisão bibliográfica

Leia mais

Esqueleto axial. http://www.imagingonline.com.br/

Esqueleto axial. http://www.imagingonline.com.br/ 2010 Esqueleto axial http://www.imagingonline.com.br/ Esse capítulo descreve sucintamente os ossos do esqueleto axial. No final do capítulo, encontras-se um mini-atlas e exercícios de memorização a partir

Leia mais

Jorge Storniolo. Henrique Bianchi. Reunião Locomotion 18/03/2013

Jorge Storniolo. Henrique Bianchi. Reunião Locomotion 18/03/2013 Jorge Storniolo Henrique Bianchi Reunião Locomotion 18/03/2013 Histórico Conceito Cuidados Protocolos Prática Antiguidade: Gregos e egípcios estudavam e observavam as relações de medidas entre diversas

Leia mais

NOME. Fichas de Estudo

NOME. Fichas de Estudo NOME Fichas de Estudo O ESQUELETO OS OSSOS Conhecer a constituição dos ossos, como se formam As partes duras que o homem tem no interior do seu corpo chama-se ossos. O conjunto de todos os ossos forma

Leia mais

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA EB 23S DE CAMINHA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO HISTOLOGIA 2011/12 PROFESSOR PEDRO CÂMARA FUNÇÕES FUNÇÕES DOS S MECÂNICA SUPORTE DUREZA ARQUITECTURA INTERNA MOVIMENTO

Leia mais

CEF Resist - Resumo CEF CEF RESIST. Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna. Técnica de Execução dos Exercícios

CEF Resist - Resumo CEF CEF RESIST. Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna. Técnica de Execução dos Exercícios CEF CEF RESIST CEF Resist - Resumo Planos de Movimento (revisão) Funções Muscúlos (revisão) Coluna Anatomia Funcional da Coluna Vertebral Precauções Técnica de Execução dos Exercícios 1 Planos de Movimento

Leia mais

Dossier informativo. Doenças da Coluna

Dossier informativo. Doenças da Coluna Dossier informativo Doenças da Coluna 2008 Índice 1. Como funciona a coluna vertebral? 2. O que provoca dores na coluna? 3. Incidência em Portugal e no Mundo Pág. 3 Pág. 4 Pág. 4 4. Principais doenças

Leia mais

ALTURA TOTAL (ALT) - DISTÂNCIA DO VERTEX AO SOLO.

ALTURA TOTAL (ALT) - DISTÂNCIA DO VERTEX AO SOLO. ALTURA TOTAL (ALT) - DISTÂNCIA DO VERTEX AO SOLO. - Indivíduo descalço e usando pouca roupa, na posição antropométrica sobre uma superfície lisa e perpendicular ao antropómetro. - Calcanhares juntos e

Leia mais

Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II. Espondilite Anquilosante

Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II. Espondilite Anquilosante Banco de imagens Aparelho locomotor Semiologia Médica II Espondilite Anquilosante Espondilite Anquilosante É uma doença de caráter inflamatório, crônico e progressivo que afeta primariamente as articulações

Leia mais

Prevalência da Dor Lombar nas Gestantes atendidas nos Centros de Saúde da Cidade da Praia

Prevalência da Dor Lombar nas Gestantes atendidas nos Centros de Saúde da Cidade da Praia Maria Monsarate Gomes Ferreira Prevalência da Dor Lombar nas Gestantes atendidas nos Centros de Saúde da Cidade da Praia Universidade Jean Piaget de Cabo Verde Campus Universitário da Cidade da Praia Caixa

Leia mais

17/02/2012. Diafragma

17/02/2012. Diafragma Diafragma Topografia Repouso - linha retilínea da 7º costela à 13º costela. Inspiração - linha ligeiramente convexa da 7º costela à 3º vértebra lombar. Expiração - linha convexidade cranial da 7º costela

Leia mais

SISTEMA NERVOSO 2 Profº Moisés Araújo

SISTEMA NERVOSO 2 Profº Moisés Araújo SISTEMA NERVOSO 2 Profº Moisés Araújo www.bioloja.com EMBRIOGÊNESE DO SN DIVISÃO DO SN O SISTEMA NERVOSO O SNC recebe, analisa e integra informações. É o local onde ocorre a tomada de decisões e o envio

Leia mais

Esqueleto apendicular

Esqueleto apendicular 2010 Esqueleto apendicular http://www.imagingonline.com.br/ Esse capítulo enfoca os ossos que formam os esqueletos apendiculares superiores, inferiores e seus respectivos cíngulos.. No final do capítulo,

Leia mais

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações Ósseas DESVIOS POSTURAIS 1. LORDOSE CERVICAL = Acentuação da concavidade da coluna cervical. CAUSA: - Hipertrofia da musculatura posterior do pescoço CORREÇÃO:

Leia mais

Regina Filipa Moutinho Lage Barros. Transporte de cargas em populações jovens: implicações posturais decorrentes da utilização de sacos escolares

Regina Filipa Moutinho Lage Barros. Transporte de cargas em populações jovens: implicações posturais decorrentes da utilização de sacos escolares Regina Filipa Moutinho Lage Barros Transporte de cargas em populações jovens: implicações posturais decorrentes da utilização de sacos escolares Tese de Mestrado em Engenharia Humana Trabalho efectuado

Leia mais

Avaliação Postural e Flexibilidade. Priscila Zanon Candido

Avaliação Postural e Flexibilidade. Priscila Zanon Candido Avaliação Postural e Flexibilidade Priscila Zanon Candido POSTURA A posição otimizada, mantida com característica automática e espontânea, de um organismo em perfeita harmonia com a força gravitacional

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Existem 2 tipos de artic. encontradas

Leia mais

Sistema Respiratório

Sistema Respiratório Sistema Respiratório A função do sistema respiratório é facultar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanente concentração de oxigênio no sangue, necessária para as reações

Leia mais

Desenvolvimento do SISTEMA NERVOSO

Desenvolvimento do SISTEMA NERVOSO Desenvolvimento do SISTEMA NERVOSO INTRODUÇÃO divisões do sistema nervoso DIVISÕES DO SISTEMA NEVOSO Sistema Nervoso Central (SNC): DERIVADO DO TUBO NEURAL consiste em encéfalo e medula espinhal Sistema

Leia mais

ESCOLIOSE CONGÊNITA *

ESCOLIOSE CONGÊNITA * ESCOLIOSE CONGÊNITA * Trabalho realizado por: Juliana V. S Zinni - Flávia Ap. Pussi - Marcelo Cezário - Alex T. Comin - Jessica Prudencio Elaine Tessarim - Cibele de Moura - Leda R. Buso - Ivonete Costa

Leia mais

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com

CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS. Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com CURSO DE MUSCULAÇÃO E CARDIOFITNESS Lucimére Bohn lucimerebohn@gmail.com Estrutura do Curso Bases Morfofisiológicas - 25 hs Princípios fisiológicos aplicados à musculação e ao cardiofitness Aspectos biomecânicos

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Tecido Nervoso Compreende basicamente dois tipos celulares Neurônios unidade estrutural e funcional

Leia mais

ANATOMIA CARDIOVASCULAR

ANATOMIA CARDIOVASCULAR ANATOMIA CARDIOVASCULAR Acadêmico: Vitor Montanholi Medicina - Universidade Federal Mato Grosso do Sul Liga de Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular. Coração: Localização Tórax é dividido em 3 compartimentos,

Leia mais

A coluna vertebral é formada por vários ossos empilhados, uns sobre os outros, denominados vértebras (figura 1).

A coluna vertebral é formada por vários ossos empilhados, uns sobre os outros, denominados vértebras (figura 1). HÉRNIA DE DISCO A hérnia de disco é uma das doenças que mais afligem o homem moderno. Falta de exercício, excesso de peso, má postura, todas podem causar ou agravar uma hérnia de disco. Mas afinal, o que

Leia mais

Osteologia. denominam cervicais; a primeira se chama atlas e a segunda áxis.

Osteologia. denominam cervicais; a primeira se chama atlas e a segunda áxis. 23 Osteologia denominam cervicais; a primeira se chama atlas e a segunda áxis. O Esqueleto A função mais importante do esqueleto é sustentar a totalidade do corpo e dar-lhe forma. Torna possível a locomoção

Leia mais

Atuação do fisioterapeuta no tratamento da espondilite anquilosante

Atuação do fisioterapeuta no tratamento da espondilite anquilosante Atuação do fisioterapeuta no tratamento da espondilite anquilosante Adriane da silva marques¹ adrianemarques@gmail.com Pós-graduação em Ortopedia e Traumatologia com ênfase em Terapia Manual Faculdade

Leia mais

Site: http://geocities.yahoo.com.br/gagaufera2003/ A COLUNA VERTEBRAL E SUAS CURVAS *

Site: http://geocities.yahoo.com.br/gagaufera2003/ A COLUNA VERTEBRAL E SUAS CURVAS * A COLUNA VERTEBRAL E SUAS CURVAS * A Coluna Vertebral é formada por quatro curvas fisiológicas que se apresentam da seguinte forma: - Coluna Cervical; - Coluna Torácica; - Coluna Lombar; - Coluna Sacra;

Leia mais

Semiologia Ortopédica Pericial

Semiologia Ortopédica Pericial Semiologia Ortopédica Pericial Prof. Dr. José Heitor Machado Fernandes 2ª V E R S Ã O DO H I P E R T E X T O Para acessar os módulos do hipertexto Para acessar cada módulo do hipertexto clique no link

Leia mais

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download.

Livros Grátis. http://www.livrosgratis.com.br. Milhares de livros grátis para download. Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. PRESIDENTE DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Itamar Augusto Cautiero Franco MINISTRO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO Murílio

Leia mais

Aparelho Respiratório

Aparelho Respiratório Aparelho Respiratório Organização Geral Pulmões: órgãos de troca gasosa. Órgão auxiliares: apenas passagem de ar. o Nariz: nariz externo, cavidade nasal e seios paranasais. o Faringe (nasofaringe) o Laringe

Leia mais

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL

ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL 1 ANÁLISE BIOMECÂNICA DOS MOVIMENTOS NO STOOL Aurélio Alfieri Neto Juliana Navarro Lins de Souza A bioenergética procura entender o caráter do indivíduo pelo corpo e seus processos energéticos, sendo estes,

Leia mais

Categorias de Músculos

Categorias de Músculos URI Curso de Psicologia Prof. Claudio Alfredo Konrat Aparelho Locomotor: ossos, junturas e músculos Os músculos constituem os elementos ativos do movimento Os ossos constituem os elementos passivos do

Leia mais

Quiroprática Animal como reconhecer e tratar um Complexo de Subluxação Vertebral

Quiroprática Animal como reconhecer e tratar um Complexo de Subluxação Vertebral Quiroprática Animal como reconhecer e tratar um Complexo de Subluxação Vertebral Cátia Mota e Sá MV, CCRP, Dipl. Cert Quiroprática Animal Serviço de medicina e reabilitação física animal da Clínica Veterinária

Leia mais

Princípios Gerais de Anatomia Veterinária

Princípios Gerais de Anatomia Veterinária Princípios Gerais de Anatomia Veterinária Profa Juliana Normando Pinheiro Morfofuncional I juliana.pinheiro@kroton.com.br DEFINIÇÃO A anatomia é a ciência que estuda o corpo animal no que se refere á sua

Leia mais

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc 1 TRM Traumatismo Raqui- Medular Lesão Traumática da raqui(coluna) e medula espinal resultando algum grau de comprometimento temporário ou

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL DE PARANAGUA PROVA PARA TECNOLOGO EM RADIOLOGIA

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL DE PARANAGUA PROVA PARA TECNOLOGO EM RADIOLOGIA PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL DE PARANAGUA PROVA PARA TECNOLOGO EM RADIOLOGIA 01 Posição do braço em abdução significa a) com rotação interna b) com rotação externa c) braço

Leia mais

A Quiropraxia como um método de tratamentos das Hérnias discais lombares nos seguimentos L4-L5 e L5-S1.

A Quiropraxia como um método de tratamentos das Hérnias discais lombares nos seguimentos L4-L5 e L5-S1. 1 A Quiropraxia como um método de tratamentos das Hérnias discais lombares nos seguimentos L4-L5 e L5-S1. Lorena Silva Bahia 1 losiba@hotmail.com Orientação: Dayana Priscila Maia Meji Pós-graduação em

Leia mais

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 1

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 1 5. O sistema nervoso Introdução O SN é dividido estruturalmente em componentes periféricos e centrais, denominados, respectivamente, Sistema Nervoso Periférico (SNP) e Sistema Nervoso Central (SNC). O

Leia mais

SISTEMA NERVOSO. Professora: Daniela Carrogi Vianna

SISTEMA NERVOSO. Professora: Daniela Carrogi Vianna SISTEMA NERVOSO Professora: Daniela Carrogi Vianna SISTEMA NERVOSO O sistema Nervoso é um todo. Sua divisão em partes tem um significado exclusivamente didático, pois as várias partes estão intimamente

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7. Padrão FCI 165 04/12/1998. Padrão Ofi cial da Raça

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7. Padrão FCI 165 04/12/1998. Padrão Ofi cial da Raça CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 7 Padrão FCI 165 04/12/1998 Padrão Ofi cial da Raça SPINONE ITALIANO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

Continuar Portugal Boletim Juvenil On-Line Ano II Nº 19 2015 JUNHO

Continuar Portugal Boletim Juvenil On-Line Ano II Nº 19 2015 JUNHO Continuar Portugal Boletim Juvenil On-Line Ano II Nº 19 2015 JUNHO SALAZAR disse «Eu sou pelo nacionalismo económico, mas este nacionalismo tão moderado que para nós é condição e base de melhor cooperação

Leia mais

Modelação e Análise da Fusão Inter-Somática Cervical

Modelação e Análise da Fusão Inter-Somática Cervical FACULDADE DE MEDICINA Universidade de Lisboa Modelação e Análise da Fusão Inter-Somática Cervical PAULA CRISTINA DO ROSÁRIO FERNANDES Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em ENGENHARIA BIOMÉDICA

Leia mais

MAT PILATES 1 ÍNDICE: PRE MAT- MAT PILATES 2 MAT PILATES 2

MAT PILATES 1 ÍNDICE: PRE MAT- MAT PILATES 2 MAT PILATES 2 MAT PILATES 1 ÍNDICE: PRE MAT- MAT PILATES 2 MAT PILATES 2 I-RESPIRAÇAO II-CONTROLE DE CENTRO E DISSOCIAÇÃO DE QUADRIL III-ORGANIZAÇAO CRANIO-VERTEBRALARTICULAÇAO DE COLUNA IV-DESCARGA DE PESO DE MMII

Leia mais

CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro

CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro Quais as características do Treinamento Funcional? Desenvolver e melhorar as capacidades físicas através de estímulos que proporcionam

Leia mais

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA

TABELA DA ÁREA M - TABELA DE RADIOLOGIA TABELA DE RADIOLOGIA RADIOLOGIA CONVENCIONAL CABEÇA E PESCOÇO 10004 700.5 Crânio, uma incidência 5,13 1,80 10005 084.1 Crânio, duas incidências 5,46 1,80 10010 109.0 Sela turca 2,65 1,80 10024 094.9 Mastóides,

Leia mais

Prof Thiago Scaquetti de Souza

Prof Thiago Scaquetti de Souza Prof Thiago Scaquetti de Souza SISTEMA RESPIRATÓRIO HUMANO Funções e anatomia O sistema respiratório humano possui a função de realizar as trocas gasosas (HEMATOSE). Esse sistema é composto pelas seguintes

Leia mais

Seqüência completa de automassagem

Seqüência completa de automassagem Seqüência completa de automassagem Os exercícios descritos a seguir foram inspirados no livro Curso de Massagem Oriental, de Armando S. B. Austregésilo e podem ser feitos em casa, de manhã ou à tardinha.

Leia mais

3/26/2009 EX E E X R E C R ÍCI C OS S E E PO P ST S U T RA R OS EX ER EX CÍ C CI C OS REAL EA MEN M T EN E MO M DIFI F CAM A M A A PO P STUR U A?

3/26/2009 EX E E X R E C R ÍCI C OS S E E PO P ST S U T RA R OS EX ER EX CÍ C CI C OS REAL EA MEN M T EN E MO M DIFI F CAM A M A A PO P STUR U A? EXERCÍCIOS E POSTURA OS EXERCÍCIOS REALMENTE MODIFICAM A POSTURA? 1 Um vício postural pode ser corrigido voluntariamente com reeducação psicomotora, um desvio postural pode ser corrigido com exercícios

Leia mais

NÃO TENHA MAIS DORES EM CIMA DE SUA MOTOCICLETA

NÃO TENHA MAIS DORES EM CIMA DE SUA MOTOCICLETA NÃO TENHA MAIS DORES EM CIMA DE SUA MOTOCICLETA Não importa se você ainda usa uma Honda 55 para andar na sua propriedade, ou se você tem uma grandalhona Gold Wing ou uma velha roncadora Harley Panhead.

Leia mais

PROTOCOLOS INICIAIS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NEURO PADI NORMA 1

PROTOCOLOS INICIAIS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NEURO PADI NORMA 1 Consulta Pública 1 de 37 PROTOCOLOS INICIAIS DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA NEURO PADI NORMA 1 1. RM Crânio Isquemia Aguda Sequências Mínimas Obrigatórias Contraste da imagem Cobertura anatômica Resolução espacial

Leia mais

Notas de aula: Incidências radiológicas do esqueleto axial e órgãos

Notas de aula: Incidências radiológicas do esqueleto axial e órgãos Notas de aula: Incidências radiológicas do esqueleto axial e órgãos Prof Luciano Santa Rita Oliveira Fonte de consulta: Prof Rafael Silva e Prof Jorge Loureiro http://www.lucianosantarita.pro.br tecnologo@lucianosantarita.pro.br

Leia mais

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089)

ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) ANATOMIA TOPOGRÁFICA DA CABEÇA E PESCOÇO (FCB00089) Músculos e Trígonos do Pescoço Platisma Lâmina de músculo fina e larga, situada no tecido subcutâneo do pescoço. Recobre a face anterolateral do pescoço.

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3. Padrão FCI 86 22/02/2012. Padrão Oficial da Raça

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3. Padrão FCI 86 22/02/2012. Padrão Oficial da Raça CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3 Padrão FCI 86 22/02/2012 Padrão Oficial da Raça YORKSHIRE TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Classificação F.C.I.:

Leia mais

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL NOS ESPORTES.

LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL NOS ESPORTES. LESÕES DA COLUNA VERTEBRAL NOS ESPORTES. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Lesões da coluna vertebral de causas diversas são observadas

Leia mais

Maria da Conceição M. Ribeiro

Maria da Conceição M. Ribeiro Maria da Conceição M. Ribeiro Segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2

O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2 O Nosso Corpo Volume XXVI Sistema circulatório Parte 2 um Guia de O Portal Saúde Dezembro 2010 / Janeiro 2011 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Rodacki

AVALIAÇÃO POSTURAL. Rodacki AVALIAÇÃO POSTURAL Rodacki POSTURA IDEAL Estado de equilíbrio osteo-mio-articular o qual protege as estruturas de suporte contra lesões ou deformidades progressivas independente da posição fisica. Academy

Leia mais