21/08/2013 *INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS *OSTEOLOGIA. Conceito. Tipos de Anatomia. Tipos de Anatomia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "21/08/2013 *INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS *OSTEOLOGIA. Conceito. Tipos de Anatomia. Tipos de Anatomia"

Transcrição

1 *INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS *OSTEOLOGIA Valdirene Zabot Conceito Anatomia é o ramo da ciência que trata da forma e estrutura dos organismos. Etmologicamente, anatomia significa cortar separando ou dissociando as partes do corpo. No período inicial de seu desenvolvimento, a Anatomia era uma simples ciência descritiva, baseada em observações realizadas a olho nu e com o uso de instrumentos simples de dissecação bisturi, pinça e outros. (Ana= em partes, tomein= cortar) Tipos de Anatomia Tipos de Anatomia MACROSCÓPICA = Possível ao alcance visual; MICROSCÓPICA OU HISTOLÓGICA = Só ao alcance do microscópico; EMBRIOLÓGICA = Se estuda durante a primeira fase do desenvolvimento, indo até a formação dos tecidos e órgãos; ONTOGÊNICA = É utilizada para designar o desenvolvimento completo total do indivíduo; FILOGÊNICA = É a historia ancestral das espécies é constituída pelas modificações evolutivas que sofreu, mostradas pelos registros geológicos. VETERINÁRIA = Lida com a forma e a estrutura dos principais animais domésticos. É geralmente estudada tendo em vista a formação profissional e, portanto, é de caráter altamente descritivo. Trata da forma e estrutura dos principais animaisdomésticos; COMPARADA = É a descrição e a comparação dos animais, estabelece a estrutura dos animais e a base para a sua classificação; ESPECIAL = Descreve a estrutura de um só tipo ou espécie. Exemplo: ANTROPOTANIA: Anatomia humana; HIPOTOMIA: Anatomia do cavalo; KYNOTOMIA: Anatomia do cão. Anatomia Sistemática: Estuda o corpo formado por órgãos que se agrupam em aparelhos que tem origem e estrutura similares e estão associados para realizarem certas funções. Exemplos: 1. Osteologia: descrição do esqueleto (osso e cartilagem), cujas funções são apoiar e proteger as partes macias do corpo; 2. Sindesmologia: descrição das junturas, cujas funções são dar mobilidade aos seguimentos dos ossos rígidos e mantê-los unidos através de fortes faixas fibrosas, os ligamentos; Anatomia Sistemática: Estuda o corpo formado por órgãos que se agrupam em aparelhos que tem origem e estrutura similares e estão associados para realizarem certas funções. Exemplos: 3. Miologia: descrição dos músculos e estruturas acessórias que funcionam para colocar os ossos e as articulações em movimentos; 4. Esplancnologia: descrição das vísceras (incluindo os aparelhos digestivo, respiratório e urogenital, o peritônio e as glândulas endócrinas); 1

2 Anatomia Sistemática: Exemplos: Anatomia Sistemática: Exemplos: Estuda o corpo formado por órgãos que se agrupam em aparelhos que tem origem e estrutura similares e estão associados para realizarem certas funções. 5. Angiologia: descrição dos órgãos da circulação (coração, artérias, veias, linfáticos e baço); 6. Neurologia: descrição do sistema nervoso, sua função é controlar e coordenar todos os outros órgãos e estruturas; Estuda o corpo formado por órgãos que se agrupam em aparelhos que tem origem e estrutura similares e estão associados para realizarem certas funções. 7. Estesiologia: É o estudo dos órgãos dos sentidos que põem o indivíduo em contato com o meio ambiente e tegumentos, que funciona principalmente como um revestimento protetor do corpo, como uma parte importante do sistema regulador de temperatura. Anatomia Topográfica: Para que a posição e aferição das partes do corpo sejam indicadas precisamente, empregam-se certos termos descritivos que precisam ser conhecidos desde já. Dorsal e Ventral; Cranial e Caudal; Plano Mediano, Plano Frontal e Plano Transversal. Anatomia Aplicada: Considera, o anatômico em relação a outras disciplinas como a cirurgia, semiologia, clínica, etc. Nomenclatura Anatômica Veterinária Padronizar os termos empregados em todo o mundo. Foi editada em 1968, em Viena, pelo C.I.N.A.V (Comitê Internacional de Nomenclatura Anatômica Veterinária) Onde foram descritos os seguintes princípios: Nomenclatura Anatômica Veterinária Princípios: Os termos, na lista oficial, são escritos em latim, mas os anatomistas podem traduzi-los para as suas respectivas línguas; As estruturas que estão muito relacionadas topograficamente devem possuir nomes similares; Por exemplo: artéria femoral, veia femoral, nervo femoral todos ligados ao osso fêmur. 2

3 Nomenclatura Anatômica Veterinária Os termos derivados de nomes próprios (epônimos) não devem ser usados; Por exemplo: Tendão Calcanear Comum - em vez de Tendão de Aquiles. Usam-se as seguintes abreviaturas para os termos gerais de Anatomia: A = Artéria; M = Músculo; AA = Artérias; Princípios: Os termos devem ser fáceis de se lembrar e devem também, antes de tudo, possuir valor instrutivo e descritivo; N = Nervo; V = Veia; R = Ramo; GL = Glândula; MM = Músculos; NN = Nervos; VV = Veias; RR = Ramos. Como por exemplo: Nervo Mediano. LIG = Ligamento; GGL = Gânglio; Divisão do corpo dos animais domésticos Dividi-se em cinco partes fundamentais: 1 Cabeça 2 pescoço 3 tronco 4 membros 5 cauda Obs: 3 Tronco: tórax, abdome, pelve. Membros: torácicos (anteriores) e pelvinos (posteriores) Posição Anatômica Para evitar divergências na descrição do corpo dos animais, estabelece-se uma posição fundamental de descrição anatômica para os Quadrúpedes que é a seguinte: O animal está de pé, com os quatro membros estendidos e firmemente apoiados no solo. O pescoço está encurvado para cima, formando um ângulo de cerca de 145º com o dorso. A cabeça se mantém mais ou menos ereta num plano horizontal de modo que as narinas estejam voltadas para à frente. E os olhos voltados para o horizonte. 3

4 Temos descritivos úteis no estudo da anatomia Planos do corpo dos animais domésticos São delimitados no espaço, na descrição anatômica do corpo dos animais. Planos do corpo dos animais domésticos Plano horizontal: divide o corpo do animal em dois segmentos: Dorsal: na da coluna vertebral. Ex. Os rins são dorsais aos intestinos, estando mais prox. da coluna vertebral. Ventral: significa afastado da coluna vertebral. Ex.: úbere. Obs: Todos os planos paralelos a estes dois e que cortam o corpo dos animas são chamados de PLANOS FRONTAIS. Planos do corpo dos animais domésticos Plano Mediano: divide o corpo do animal em metades iguais: Direito e Esquerdo. A carcaça de um bovino é dividida em duas metades no plano mediano. Plano Sagital: Qualquer plano paralelo ao plano mediano. Planos do corpo dos animais domésticos Plano transverso: divide o corpo em segmentos: Cranial. Caudal. A cilha de uma sela define um plano transverso através do tórax de um equino. São utilizados para facilitar a descrição das estruturas que compõem o corpo dos animais e que desejamos comentar. 4

5 A- LATERAL e MEDIAL Medial: significa perto do plano mediano ou em sua. B CRANIAL OU CAUDAL Ex.: O coração é medial aos pulmões, pois está mais perto do plano medial que os pulmões. Lateral: antônimo de medial e significa afastado do plano mediano. Ex.: as costelas são laterais aos pulmões, ou seja, afastam-se do plano mediano. Cranial: termo direcional que significa em a cabeça. Ex.: O ombro é cranial ao quadril. Caudal: em a cauda. Ex.: A garupa é caudal ao lombo. C DORSAL e VENTRAL Dorsal: na da coluna vertebral. Ex. Os rins são dorsais aos intestinos, estando mais prox. da coluna vertebral. Ventral: significa afastado da coluna vertebral. Ex.: úbere. D EXTERNO E INTERNO Profundo e interno: indicam proximidade com o centro de uma estrutura anatômica. Ex.: o úmero (osso do braço) é profundo com relação as demais estruturas. Superficial e externo: referem-se a proximidade como a superfície do corpo. Ex.: a pelagem é superficial a todas as outras estruturas do corpo. E PROXIMAL E DISTAL Proximal: relativamente perto de uma determinada parte, em geral a coluna vertebral, o corpo ou o centro de gravidade. Costuma-se usar com referência a uma extremidade ou membro. Ex.: o joelho é proximal ao pé. Distal: distante da coluna vertebral. Ex.: o casco é distal ao joelho. Axia l Abaxial F AXIAL E ABAXIAL Termo utilizado para as espécies cujo eixo funcional do membro passa entre o 3º e 4º dedos como acontece nos ruminantes e suínos. A face do dedo voltada para o eixo é denominada AXIAL e a oposta é ABAXIAL, designam os lados dos dedos dos mamíferos. 5

6 G ROSTRAL, SUPERIOR E INFERIOR Rostral: utilizado em substituição ao cranial, para estruturas localizadas na cabeça, a fim de ser evitar inconveniências. Superior e inferior: muito utilizado na Anatomia Humana e pouco na Anatomia Veterinária. H PALMAR E PLANTAR Termos utilizados para as partes dos membros voltados para o solo respectivos ao torácicos e pelvino. Exemplo: Pálpebra superior e inferior. Princípios gerais de construção corpórea nos vertebrados a) ESTRATIFICAÇÃO: São as camadas sucessivas que constituem o corpo dos animais. Exemplo: Pele, músculos, peritônio, cavidade peritonial, órgãos. b) ANTIMERIA: O Plano mediano divide o corpo do indivíduo em duas metades, direita e esquerda, estas metades são denominadas ANTÍMEROS; E são semelhantes morfológica e funcionalmente podendo dizer-se que os vertebrados são constituídos segundo o princípio da Simetria Bilateral. Na realidade, não há Simetria perfeita, porque não existe correspondência exata de todo os órgãos. OSTEOLOGIA CONCEITO Em um sentido restrito e etmológico, osteologia é o estudo dos ossos. Em sentido mais amplo inclui o estudo das formações intimamente relacionadas ou ligadas com os ossos e com eles formando um todo: O esqueleto, que é o conjunto de ossos, cartilagens e ligamentos que se interligam para formar o arcabouço do corpo dos animais domésticos e desempenham várias funções. CONCEITO O objeto do nosso de estudo será o ENDOESQUELETO Em zoologia, o termo se usa em sentido mais amplo, incluindo todas as estruturas duras que protegem outros tecidos. Exemplo: O EXOESQUELETO é externo como as escamas dos peixes, a carapaça das tartarugas, penas das aves, etc. O ENDOESQUELETO está cercado de tecidos moles. 6

7 Algumas funções do esqueleto: Proteção órgãos delicados como o coração, S.N.C. etc. Armazenamento de íons Ca e P. Sistema de alavancas que movimentadas pelos músculos permitem o deslocamento. Local de produção de certas células do sangue. Tipos de esqueleto: ARTICULADO: Todas as peças reunidas. DESARTICULADO: isoladas. Peças O esqueleto articulado pode ser: ARTICULADO NATURAL: Todas as peças reunidas por ligamentos e cartilagens. ARTICULADO MISTO: Quando se usa os dois processos. Divisões do esqueleto Esqueleto axial: Constituído pelos ossos da cabeça, pescoço, tronco e cauda. Esqueleto apendicular: Representado pelos ossos dos membros torácicos e pélvicos. Esqueleto visceral ou esplâncnico: Ossos associados a alguns órgãos. Exemplos: Ossos do pênis do cão e ossos do coração no boi e carneiro e hioide das aves. Osso peniano do cão cintura escapular Divisões do esqueleto A união entre os esqueletos axial e apendicular é feita por meio de cinturas. A cintura escapular une o membro torácico ao tronco. A cintura pélvica une o membro pélvico ao tronco. Classificação dos ossos De acordo com a morfologia e função são classificados em: Longo ou tubular. Laminar ou plano. Curto. Irregulares. Pneumáticos. cintura pélvica 7

8 OSSOS LONGOS OU TUBULAR: OSSOS LONGOS OU TUBULARES: Apresentam um comprimento maior que a largura e a espessura. Os ossos longos são tipicamente de forma cilíndrica alongada com extremidades alargadas. Tem como função: Servir de alavanca para a locomoção, elementos de sustentação, etc. Um osso longo apresenta duas extremidades denominadas epífises e um corpo, a diáfise. Costela de equino (corte longitudinal) Setor de Morfologia - DVT/UFV Exemplo: Fêmur, tíbia, metatarso, úmero (ossos do membro). Fêmur de equino (corte longitudinal) - DVT/UFV Foto: Fausto Ferraz Esta possui no seu interior uma cavidade o canal medular que aloja a medula óssea. OSSOS PLANOS: Apresenta o comprimento e a largura equivalentes e muito maiores que a espessura. Os ossos planos são expandidos em duas direções. Tem a função principal de proteção dos órgãos que cobrem e de inserção dos músculos pela grande área de superfície. OSSOS CURTOS: Suas três dimensões são aproximadamente iguais, tanto no comprimento, largura e espessura. Exemplo: Ossos do tarso, carpo e sesamóides, etc. Tem a função de proteção contra choques. Tem a função de diminuir a fricção ou mudança de dos tendões ou aumentar a força de alavanca para os músculos e tendões. Escápula de carnívoro - Setor de Morfologia - DVT/UFV Ossos do carpo - Setor de Morfologia - DVT/UFV Falanges do equino - Setor de Morfologia - DVT/UFV OSSOS IRREGULARES: Osso sacro de bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Não possuem forma harmônica. Não se enquadram nos tipos de ossos anteriores. Exemplo: Ossos como as vértebras, da base do crânio, Osso sacro... Possuem varias funções, não sendo claramente especializadas com aquelas das classes anteriores. Osso coxal de bovino- Setor de Morfologia - DVT/UFV 8

9 OSSOS PNEUMÁTICOS: Número de ossos Varia segundo a idade Apresenta uma ou mais cavidades de volume variável revestidas de mucosas e contendo ar, no seu interior. Exemplo: Frontal, maxilar, temporal, etmóide, esfenóide e palatino. Crânio bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Devido a fusão durante o crescimento de elementos ósseos que estão separados no feto e no animal jovem. E critérios dos autores na contagem. Com relação a diferenças morfológicas devido ao sexo esqueleto: Crânio O formato dos ossos pode variar em relação ao sexo do animal: Como o osso coxal que é mais côncavo em fêmeas e plano em machos, Ou o forame obturado que é mais esférico em fêmeas e mais ovalado em machos. Mandíbulas: Consiste de duas metades que se unem no plano sagital mediano e suportam os dentes da arcada inferior. Osso coxal de bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Vista ventral do crânio de equino - Setor de Morfologia - DVT/UFV esqueleto: Crânio esqueleto: Crânio Osso incisivo: Onde são encontrados os dentes incisivos (exceto nos ruminantes). Osso lacrimal: Onde se encontra o forame lacrimal, entrada para o ducto nasolacrimal. Maxila: Um dos maiores ossos do crânio, forma o palato duro (junto com os ossos palatino e incisivo) e suporta os dentes molares e os pré-molares. Palatino: Forma a porção caudal do palato duro. Ossos do crânio de equino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Osso frontal: Nos ruminantes, o processo cornual, base óssea do corno, origina-se desse osso. Osso parietal: Com o osso temporal forma uma juntura do tipo sutura escamosa. Ossos do crânio de equino - Setor de Morfologia - DVT/UFV 9

10 esqueleto: Crânio Occipital: Por meio de seus côndilos articula-se com o átlas. Temporal: Onde se observa o poro acústico externo. Zigomático: Com o osso temporal forma uma juntura do tipo sutura escamosa. Ossos do crânio de equino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Região de vértebras cervicais: 1ª vértebra cervical: Atlas. 2ª vértebra cervical: Axis. Região de vértebras torácicas: O número de vértebras torácicas é variável dependendo da espécie. O restante recebe o nome de acordo com a sua numeração (Ex.: 3ª vértebra cervical, 4ª vértebra cervical...). Vértebras cervicais do bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Recebem o nome de acordo com a sua numeração. (Ex.: 1ª vértebra torácica, 2ª vértebra torácica...). Vértebras torácicas do bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Região de vértebras lombares: Apresenta como base óssea, as vértebras lombares com o processo transverso desenvolvido, e cujo número também varia entre as espécies. Osso sacro: Apresenta as vértebras sacrais, variam de 3 5 (que se encontram fundidas). Recebem o nome de acordo com a sua numeração. (Ex.: 1ª vértebra lombar, 2ª vértebra lombar...). Vértebras lombares do bovino - Setor de Morfologia - DVT/UFV Osso sacro - Setor de Morfologia - DVT/UFV 10

11 Vértebras coccígeas (vértebras caudais). Costelas e Esterno Costela e esterno carnívoro - Setor de Morfologia - DVT/UFV Esqueleto de cão mostrando as divisões da coluna vertebral em regiões. Membros torácicos Cintura escapular: Escápula Braço: Úmero Antebraço: Rádio e Ulna Mão: Carpo e Metacarpo Dedos: Falanges (proximal, média e distal) Setor de Morfologia DVT/UFV Representação esquemática do esqueleto de cão, mostrando o membro torácico. Fonte: Membros pélvicos Cintura pélvica: Coxal Coxa: Fêmur Perna: Tíbia e Fíbula Pé: Tarso e Metatarso Dedos: Falanges (proximal, média e distal) Representação esquemática do esqueleto de cão, mostrando membro pélvico. Fonte: 11

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Osteologia Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Ossos Ossos são orgãos esbranquiçados, muito duros, que unindo-se aos outros por meio de junturas ou articulações, constituem o esqueleto.

Leia mais

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Quais as funções do esqueleto? 2. Explique que tipo de tecido forma os ossos e como eles são ao mesmo tempo rígidos e flexíveis. 3. Quais são as células ósseas e como

Leia mais

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano.

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano. Anatomia Humana Sistema Esquelético Ed. Física Prof. Cláudio Costa Osteologia: É o estudo dos ossos. Composição do Sistema Ósseo: 206 peças duras, resistentes e flexíveis chamadas ossos, pelas cartilagens

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto No seu conceito mais amplo, a Anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição

Leia mais

Constituição do Esqueleto

Constituição do Esqueleto O ESQUELETO HUMANO Funções do Esqueleto O esqueleto humano constitui a estrutura que dá apoio ao corpo, protege os órgãos internos e assegura a realização dos movimentos, juntamente com o sistema muscular.

Leia mais

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Composto de ossos, músculos, cartilagem, ligamentos e fáscia, proporcionando ao corpo, com sua armação estrutural uma caixa

Leia mais

Teórica: Aula expositiva dialogada com projeção de imagens e manipulação do esqueleto de resina, articulado.

Teórica: Aula expositiva dialogada com projeção de imagens e manipulação do esqueleto de resina, articulado. Aulas 2 e 3 Tema: Sistema esquelético Objetivos Mediar os conhecimentos científicos dos conteúdos propostos para que o aluno seja capaz de: Identificar a estrutura geral do Esqueleto Humano; Identificar

Leia mais

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES TERMOS DIRECCIONAIS EB 23S DE CAMINHA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO TÓRAX POSIÇÃO DESCRITIVA ANATÓMICA PLANOS DESCRITIVOS PLANO SAGITAL PLANO HORIZONTAL INFERIOR ANTERIOR

Leia mais

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V 1 Pronação A pronação corresponde ao movimento que coloca a face palmar da mão virada para trás, colocando o 1º dedo (polegar) da mão mais próximo do plano sagital. Supinação A supinação corresponde ao

Leia mais

SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS. Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano

SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS. Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano O esqueleto FOTOS: ROGER HARRIS / SCIENCE PHOTO LIBRARY / LATINSTOCK Como saber se um esqueleto é de homem ou de mulher? Que funções

Leia mais

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária

Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária Unic - Universidade de Cuiabá Faculdade de medicina veterinária - 1 - Disciplina de Ciências Morfofuncionais Aplicadas a Medicina Veterinária I Exercícios Práticos de Anatomia Veterinária SUMÁRIO - 2 -

Leia mais

18/03/2014 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA. Toca da Raposa - MG. Prof.Msc.Moisés Mendes da Silva FORMAÇÃO: Graduado em Educação Física-UFPI;

18/03/2014 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA. Toca da Raposa - MG. Prof.Msc.Moisés Mendes da Silva FORMAÇÃO: Graduado em Educação Física-UFPI; INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA Prof.Msc.Moisés Mendes da Silva FORMAÇÃO: Graduado em Educação Física-UFPI; Pós-Graduado em Educação Física Escolar-UFPI Mestre em Ciências e Saúde -UFPI EXPERIÊNCIA PROFISSICIONAL

Leia mais

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada.

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. 1. Liste todos os ossos do esqueleto axial. 2. Liste todos os

Leia mais

APOSTILA DE ANATOMIA I

APOSTILA DE ANATOMIA I FACULDADES UNIDAS DO NORTE DE MINAS - FUNORTE MEDICINA VETERINÁRIA APOSTILA DE ANATOMIA I PROF. DANIEL HERBERT DE MENEZES ALVES MEDICO VETERINÁRIO MONTES CLAROS/MG Oração do Cadáver Ao curvar-se sobre

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Educação Física. Prof. Me. Fabio Milioni. Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia

ANATOMIA HUMANA I. Educação Física. Prof. Me. Fabio Milioni. Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia ANATOMIA HUMANA I Educação Física Prof. Me. Fabio Milioni Introdução à anatomia Principais formas de estudar a anatomia Anatomia Sistêmica Estudo macroscópico dos sistemas do organismo Anatomia Topográfica

Leia mais

2) Funções Movimentos: flexão, extensão e rotação. Proteção: medula espinhal no canal vertebral.

2) Funções Movimentos: flexão, extensão e rotação. Proteção: medula espinhal no canal vertebral. Osteologia da Coluna Vertebral Anatomia dosanimais Domésticos I Prof. Paulo Junior 1/8 OSTEOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL 1) Formação Vértebras desde o crânio até a ponta da cauda. 2) Funções Movimentos: flexão,

Leia mais

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano Verificamos um exemplo, da operária, de como é importante para o profissional de Segurança e Higiene do Trabalho conhecer as limitações do corpo humano e como este pode se sobrecarregar, com o intuito

Leia mais

Sistema ósseo. Funções

Sistema ósseo. Funções Anatomia comparada INTRODUÇÃO Conceito:Anatomia é o ramo da ciência que trata da forma e estrutura dos organismos. Etmologicamente,, Anatomia significa cortar separando ou dissociando as partes do corpo.

Leia mais

Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol

Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol Professoras: Edilene, Ana Laura e Carol A locomoção depende da ação conjunta e integrada dos ossos e dos músculos; Os seres humanos tem coluna vertebral, que é o eixo do nosso esqueleto interno; O esqueleto

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR

ANATOMIA E FISIOLOGIA HUMANA Apostila de Exercícios de Fixação Sistema Esquelético ESQUELETO AXIAL ESQUELETO APENDICULAR ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE NITERÓI CURSO TÉCNICO ALMIR MADEIRA Estrada Caetano Monteiro, 857 Pendotiba. Niterói- RJ Tel: 21994400/21.26202173 (Centro) CURSO: DISCIPLINA: Anatomia e Fisiologia Humana DOCENTE:

Leia mais

Esqueleto. Axial. Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I. Objetivos da Aula. Conhecer a constituição do Esqueleto Axial

Esqueleto. Axial. Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I. Objetivos da Aula. Conhecer a constituição do Esqueleto Axial Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Esqueleto Axial Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I Objetivos da Aula Definir Esqueleto Axial Conhecer a constituição

Leia mais

ANATOMIA TEMA DA AULA: O SISTEMA MUSCULAR

ANATOMIA TEMA DA AULA: O SISTEMA MUSCULAR ANATOMIA TEMA DA AULA: O SISTEMA MUSCULAR Objetivos Mediar os conhecimentos científicos dos conteúdos propostos para que o aluno seja capaz de: Entender a morfologia dos músculos estriados esqueléticos;

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 01. Ossos da coluna vertebral A coluna vertebral é formada por um número de 33 ossos chamados vértebras. Estas se diferenciam pela sua forma e função. Vértebras semelhantes se agrupam em regiões

Leia mais

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE MORFOLOGIA DO CORPO HUMANO

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE MORFOLOGIA DO CORPO HUMANO INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE MORFOLOGIA DO CORPO HUMANO ANTIGA CIÊNCIA MÉDICA BÁSICA Origem: Egito Séc. IV a.c. : Grécia Hipócrates: escreveu vários livros (a natureza do corpo é o início da ciência médica).

Leia mais

Princípios Gerais de Anatomia Veterinária

Princípios Gerais de Anatomia Veterinária Princípios Gerais de Anatomia Veterinária Profa Juliana Normando Pinheiro Morfofuncional I juliana.pinheiro@kroton.com.br DEFINIÇÃO A anatomia é a ciência que estuda o corpo animal no que se refere á sua

Leia mais

Introdução à Anatomia

Introdução à Anatomia ESTRUTURA ANIMAL 1 Introdução à Anatomia : É o fundamento de todas as outras ciências médicas. Função: Fornecer noções preciosas para as aplicações na prática médico-cirúrgica Anatomia vem do grego; Significa

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS FIT

FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS FIT FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS FIT Disciplina: ANATOMIA HUMANA Prof. Ms. Alexandre Oliveira SANTARÉM 2010 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1 Introdução ao estudo da anatomia 2 Sistema Esquelético 3 Sistema Articular

Leia mais

Sistema Esquelético CAPÍTULO OBJETIVOS

Sistema Esquelético CAPÍTULO OBJETIVOS CAPÍTULO 2 Sistema Esquelético OBJETIVOS Conceituar osso do ponto de vista de sua constituição, discriminando os elementos formadores Conceituar osso desde o ponto de vista biomecânico, sem deixar de se

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni

ANATOMIA HUMANA I. Sistema Esquelético. Prof. Me. Fabio Milioni ANATOMIA HUMANA I Sistema Esquelético Prof. Me. Fabio Milioni FUNÇÕES Sustentação Proteção Auxílio ao movimento Armazenamento de minerais Formação de células sanguíneas 1 CLASSIFICAÇÃO DOS OSSOS Longos

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883

ANATOMIA E FISIOLOGIA. Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 ANATOMIA E FISIOLOGIA Renata Loretti Ribeiro Enfermeira Coren/SP 42883 Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira 2 DEFINIÇÕES Anatomia é a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição e o desenvolvimento

Leia mais

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL

Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. ESQUELETO AXIAL ESQUELETO AXIAL Não risque as peças, utilize os estiletes marcadores para apontar as estruturas. Vamos estudar o esqueleto que forma o eixo do corpo iniciando o estudo da CABEÇA óssea que se divide em

Leia mais

3.2 A coluna vertebral

3.2 A coluna vertebral 73 3.2 A coluna vertebral De acordo com COUTO (1995), o corpo é dividido em cabeça, tronco e membros; unindo porção superior e a porção inferior do corpo temos o tronco, e no tronco, a única estrutura

Leia mais

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA. DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA IV e V

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA. DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA IV e V UNIC UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA IV e V Roteiro de aula prática de Anatomia Veterinária Prof a. Juliana

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ESQUELETO AXIAL 1) CABEÇA: a) Identificar e localizar os ossos da cabeça: - Crânio (8): Ossos pares ou bilaterais: Parietais e Temporais

Leia mais

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos

ANATOMIA HUMANA I. Acidentes Ósseos. Prof. Me. Fabio Milioni. Características Anatômicas de Superfície dos Ossos ANATOMIA HUMANA I Acidentes Ósseos Prof. Me. Fabio Milioni Características Anatômicas de Superfície dos Ossos As superfícies dos ossos possuem várias características estruturais adaptadas a funções específicas.

Leia mais

METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO. Vista Ventral

METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO. Vista Ventral METADE CAUDAL DA BASE DO CRÂNIO Vista Ventral 7 0 9 8 7. Côndilo do occipital;. Forame Magno;. Processo Paracondilar;. Temporal;. Forame Supraorbital;. Bula Timpânica; 7. Vômer; 8. Zigomático; 9. Asa do

Leia mais

Caderno de Prova. Anatomia Animal. Universidade Federal Fronteira Sul. Edital n o 006/UFFS/2010. 23 de maio. das 14 às 17 h. 3 h*

Caderno de Prova. Anatomia Animal. Universidade Federal Fronteira Sul. Edital n o 006/UFFS/2010. 23 de maio. das 14 às 17 h. 3 h* Universidade Federal Fronteira Sul Edital n o 006/UFFS/2010 Caderno de Prova 23 de maio das 14 às 17 h 3 h* E6P34 Anatomia Animal Confira o número que você obteve no ato da inscrição com o que está indicado

Leia mais

Autoras. Revisão Priscilla Maria Silva dos Santos. Editoração Eletrônica NT Editora e Figuramundo. Projeto Gráfico NT Editora.

Autoras. Revisão Priscilla Maria Silva dos Santos. Editoração Eletrônica NT Editora e Figuramundo. Projeto Gráfico NT Editora. Autoras Ana Cristina Saúde Neres Ferreira Possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Católica de Brasília (2005), Curso de Aprimoramento RPG/REPOSTURARSE Reestruturação Postural Sensoperceptiva

Leia mais

Artrologia. Articulação é a junção de dois ossos. Podem ser classificadas em:

Artrologia. Articulação é a junção de dois ossos. Podem ser classificadas em: 58 Artrologia Articulação é a junção de dois ossos. Podem ser classificadas em: Fibrosas (Sinartrose) As articulações fibrosas incluem todas as articulações nas quais os ossos são mantidos por tecido conjuntivo

Leia mais

Introdução ao Estudo da Anatomia Humana. Prof. Dr.Thiago Cabral

Introdução ao Estudo da Anatomia Humana. Prof. Dr.Thiago Cabral Introdução ao Estudo da Anatomia Humana Conceito de Anatomia É a ciência que estuda, macro e microscopicamente, a constituição dos seres organizados. Especializações da anatomia Citologia (Biologia celular)

Leia mais

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE Sínfise púbica Classificação: sínfise Movimentos permitidos: mobilidade bidimensional e rotação de uns poucos milímetros em conjunto com a deformação da pelve quando na sustentação

Leia mais

DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PLANOS E EIXOS. Prof. Dra. Camila da Silva Frade

DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PLANOS E EIXOS. Prof. Dra. Camila da Silva Frade DISCIPLINA DE ANATOMIA E FISIOLOGIA ANIMAL PLANOS E EIXOS Prof. Dra. Camila da Silva Frade E-mail: camila.s.frade@gmail.com Assim como as linhas imaginárias traçadas para nos orientar quanto à superfície

Leia mais

Semiologia Ortopédica Pericial

Semiologia Ortopédica Pericial Semiologia Ortopédica Pericial Prof. Dr. José Heitor Machado Fernandes 2ª V E R S Ã O DO H I P E R T E X T O Para acessar os módulos do hipertexto Para acessar cada módulo do hipertexto clique no link

Leia mais

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS Nomenclatura para os posicionamentos Ao posicionarmos o paciente com o propósito de efetuar radiografias, deve-se dar nome a este

Leia mais

Miologia anatomia e fisiologia dos músculos

Miologia anatomia e fisiologia dos músculos ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Miologia anatomia e fisiologia dos músculos Valdirene Zabot valdirene@unochapeco.edu.br Tipos de tecido O tecido muscular e, consequentemente, os músculos, são classificados,

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 14 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ACREDITE EM VOCÊ Profª Elaine Terroso Esse material foi elaborado

Leia mais

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares)

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares) SACRO CBES ANATOMIA Osso O sacro é formado por 5 vértebras fundidas. Os forâmens de conjugação se transformam em forâmens sacrais anteriores e posteriores. Sua face anterior é côncava e lisa Sua face posterior

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser.

SISTEMA ESQUELÉTICO. Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser. SISTEMA ESQUELÉTICO Centro Universitário Central Paulista UNICEP São Carlos Disciplina: Anatomia Humana Profa. Silvia Tesser. SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Conceito: -Ostelogia -Esquelto -Ossos Profa. Silvia

Leia mais

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago

componentes Sistema digestório Pré-diafragmáticos: boca, língua, dentes, faringe, esôfago Mecanismos para Obtenção de Alimentos Ingestão de Grandes Quantidades de Alimento Absorção de nutrientes diretamente do meio Parasitas do sangue Adaptações mais interessantes Aquelas evoluíram p/ obtenção

Leia mais

ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR

ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR VERTEBRAS LOMBARES 5 9 3 10 1 6 4 8 2 1- processo espinhoso 2- processo transverso 3- corpo 4- processo articular inferior 5- processo articular superior 6- incisura

Leia mais

SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO

SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO SISTEMA OSTEOARTICULAR II ESQUELETO AXIAL: COLUNA VERTEBRAL E CAIXA TORÁCICA SUMÁRIO I COLUNA VERTEBRAL 1 Os constituintes da coluna vertebral: 7 vértebras cervicais, 12 vértebras torácicas, 5 vértebras

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2. Padrão FCI 183 11/08/2000 ZWERGSCHNAUZER

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2. Padrão FCI 183 11/08/2000 ZWERGSCHNAUZER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 2 Padrão FCI 183 11/08/2000 Padrão Oficial da Raça SCHNAUZER MINIATURA ZWERGSCHNAUZER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA

Leia mais

Prof André Montillo www.montillo.com.br

Prof André Montillo www.montillo.com.br Prof André Montillo www.montillo.com.br Qual é a Menor Unidade Viva? Célula Qual é a Menor Unidade Viva? Tecidos Órgãos Aparelhos Sistemas Célula Células Tecidos Órgãos Sistemas ou Aparelhos Sistemas ou

Leia mais

UM ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL: POSICIONAMENTO E ANATOMIA

UM ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL: POSICIONAMENTO E ANATOMIA UM ESTUDO DA COLUNA VERTEBRAL: POSICIONAMENTO E ANATOMIA EMERSON LUIS DA MATA COSTA¹ DIEMERSON ANTUNES DE OLIVEIRA¹ CAMILA ALVES REZENDE LOPRETO² ¹Acadêmico do Curso Tecnólogo em Radiologia da Faculdades

Leia mais

AVALIAÇÃO DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO Articulação Sinovial Forma de sela Três graus de liberdade Posição de Repouso Posição de aproximação

Leia mais

Reitora Suely Vilela. Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César. Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro

Reitora Suely Vilela. Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César. Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro Reitora Suely Vilela Diretor da Faculdade de Saúde Pública Chester Luiz Galvão César Chefe do Departamento de Nutrição Carlos Augusto Monteiro Chefe do Laboratório de Avaliação Nutricional de Populações

Leia mais

Apostila de Anatomia do Pé Biomecânica Básica

Apostila de Anatomia do Pé Biomecânica Básica Apostila de Anatomia do Pé Biomecânica Básica Anatomia e Biomecânica de MMII 4 Curso de Especialização em Podologia SUMÁRIO CAPÍTULO 1 - INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA...7 1.1 Introdução...7 1.2 Nomenclatura

Leia mais

ANATOMIA e SEMIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. GABRIEL PAULO SKROCH

ANATOMIA e SEMIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. GABRIEL PAULO SKROCH ANATOMIA e SEMIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL Prof. Dr. GABRIEL PAULO SKROCH - COMPOSIÇÃO: 24 Corpos Vertebrais 5 Fusionadas Sacro 4 Cóccix 23 Discos Intervertebrais - FUNÇÕES 1. Postura 2. Movimento e Locomoção

Leia mais

Esqueleto apendicular

Esqueleto apendicular 2010 Esqueleto apendicular http://www.imagingonline.com.br/ Esse capítulo enfoca os ossos que formam os esqueletos apendiculares superiores, inferiores e seus respectivos cíngulos.. No final do capítulo,

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal

Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal Universidade Federal de Viçosa Campus UFV Florestal SISTEMA ESQUELÉTICO ANATOMIA HUMANA Laboratório de Morfofisiologia Funções: suporte, movimento, proteção, estoque de minerais e hematopoiese. O esqueleto

Leia mais

PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL

PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 9 Padrão FCI 77 06/04/1998 Padrão Oficial da Raça PEQUENO SPANIEL CONTINENTAL EPAGNEUL NAIN CONTINENTAL PAPILLON / PHALÈNE

Leia mais

ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR

ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO QUADRIL FÊMUR

Leia mais

EIXO TEMÁTICO: CONHECIMENTO SOBRE O CORPO CAP.1 - AVALIAÇÃO FÍSICA

EIXO TEMÁTICO: CONHECIMENTO SOBRE O CORPO CAP.1 - AVALIAÇÃO FÍSICA EIXO TEMÁTICO: CONHECIMENTO SOBRE O CORPO CAP.1 - AVALIAÇÃO FÍSICA Graças ao DNA, nascemos uns diferentes dos outros, e graças ao que acontece na nossa vida, um dia após o outro, crescemos e nos desenvolvemos

Leia mais

É responsável pelo movimento do corpo

É responsável pelo movimento do corpo É responsável pelo movimento do corpo O sistema locomotor é formado pelos ossos, músculos e articulações. O sistema esquelético sustenta, protege os órgãos internos, armazena minerais e íons e produz células

Leia mais

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular Provas de função muscular MMII Graduação de força muscular Grau 0:Consiste me palpar o músculo avaliado e encontrar como resposta ausência de contração muscular. Grau 1:Ao palpar o músculo a ser avaliado

Leia mais

Alterações. Músculo- esqueléticas

Alterações. Músculo- esqueléticas Alterações Músculo- esqueléticas Sistema Neurológico Alteração no tempo de reação e equilíbrio. A instabilidade articular. Alteração da visão Sensibilidade da córnea. c Aumento ou diminuição dos sentidos

Leia mais

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA

INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA INTRODUÇÃO À RADIOLOGIA MUSCULO-ESQUELÉTICA Prof. Rodrigo Aguiar O sistema músculo-esquelético é formado por ossos, articulações, músculos, tendões, nervos periféricos e partes moles adjacentes. Em grande

Leia mais

Características Gerais dos Animais

Características Gerais dos Animais Características Gerais dos Animais 0 Reino Animalia ou Metazoa é formado por organismos pluricelulares; heterótrofos e eucariontes. No entanto, entre eles alguns não formam órgãos e portanto não apresentam

Leia mais

2. ANATOMIA. Fig.2.1 Coluna Vertebral (SOBOTTA, 1999, p.2).

2. ANATOMIA. Fig.2.1 Coluna Vertebral (SOBOTTA, 1999, p.2). 1. INTRODUÇÃO A hérnia discal lombar afeta episodicamente cerca de 75% da população na maioria dos países industrializados (TOSCANO, 2001). As doenças que afetam o sistema músculo esquelético, nos Estados

Leia mais

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi

Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO. Professor: Bruno Aleixo Venturi Hermann Blumenau Técnico em Saúde Bucal Anatomia e Fisiologia Geral SISTEMA ESQUELÉTICO Professor: Bruno Aleixo Venturi CONCEITOS Esqueleto: conjunto de ossos, cartilagens e articulações que se interligam

Leia mais

SEBENTA DE MÚSCULOS. Nuno Matos nunomatos@gtmmi.pt

SEBENTA DE MÚSCULOS. Nuno Matos nunomatos@gtmmi.pt SEBENTA DE MÚSCULOS Nuno Matos nunomatos@gtmmi.pt MÚSCULOS DO DORSO E COLUNA VERTEBRAL Nuno Matos nunommatos@gmail.com FÁSCIA TÓRACO-LOMBAR A fáscia tóraco-lombar é uma importante estrutura aponevrótica

Leia mais

17/02/2012. Diafragma

17/02/2012. Diafragma Diafragma Topografia Repouso - linha retilínea da 7º costela à 13º costela. Inspiração - linha ligeiramente convexa da 7º costela à 3º vértebra lombar. Expiração - linha convexidade cranial da 7º costela

Leia mais

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br

Anatomia da pele. Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira. marcos.oliveira@fadergs.edu.br Anatomia da pele Prof. Dr. Marcos Roberto de Oliveira marcos.oliveira@fadergs.edu.br SISTEMA TEGUMENTAR: PELE E FÁSCIA Funções: proteção regulação térmica sensibilidade Sua espessura varia de 0.5mm nas

Leia mais

Aparelho Circulatório

Aparelho Circulatório Visão geral das funções dos Vasos Sanguíneos Os vasos sanguíneos formam um sistema tubular fechado que transporta o sangue do coração (artérias), aos tecidos do corpo (arteríolas, capilares e vénulas),

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 195 09/06/1999. Padrão Ofi cial da Raça

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA. Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 195 09/06/1999. Padrão Ofi cial da Raça CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5 Padrão FCI 195 09/06/1999 Padrão Ofi cial da Raça VOLPINO ITALIANO CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération

Leia mais

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento 4 1.3 Gastrulação, Neurulação e Formação dos

Leia mais

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça Cinthya Natel Baer Cristiane Schwarz Gelain Isabella Mauad Patruni Laila Djensa S. Santos Laiza Tabisz Mariana Escani Guerra Paula Moreira Yegros Veronica Dalmas Padilha Ana Paula Trotta Aline Sudoski

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Avaliação Fisioterapêutica do Quadril Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação do Quadril: É uma articulação

Leia mais

Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Muscular - Professor Raphael Varial. Sistema Muscular

Apostila de Anatomia e Fisiologia Humana Sistema Muscular - Professor Raphael Varial. Sistema Muscular Introdução Sistema Muscular Os músculos representam cerca de 50 a 60% do peso do corpo, quando eles se contraem afetam o movimento de todo o corpo, do sangue, do alimento e da respiração por exemplo. Existem

Leia mais

Anatomia - Coluna Cervical

Anatomia - Coluna Cervical Anatomia - Coluna Cervical C1 e C2 diferem das demais vértebras da coluna por particularidades anatômicas. Massas laterais. Dente do áxis. Coluna Cervical Alta Ligamento do ápice do dente Ligamento alar

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 A coluna vertebral, assim como qualquer articulação, apresenta movimentos que possuem tanto grande como pequena amplitude articular. Estes recebem o nome de Macromovimentos e Micromovimentos,

Leia mais

Categorias de Músculos

Categorias de Músculos URI Curso de Psicologia Prof. Claudio Alfredo Konrat Aparelho Locomotor: ossos, junturas e músculos Os músculos constituem os elementos ativos do movimento Os ossos constituem os elementos passivos do

Leia mais

Sistema reprodutor masculino e feminino

Sistema reprodutor masculino e feminino ANATOMIA E FISIOLOGIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema reprodutor masculino e feminino Valdirene Zabot valdirene@unochapeco.edu.br Introdução O sistema genital masculino está constituído principalmente por:

Leia mais

WEST HIGHLAND WHITE TERRIER

WEST HIGHLAND WHITE TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3 Padrão FCI 85 20/01/1998 Padrão Ofi cial da Raça WEST HIGHLAND WHITE TERRIER CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada

Leia mais

ZOOLOGIA - REINO METAZOA

ZOOLOGIA - REINO METAZOA ZOOLOGIA - REINO METAZOA FILO CORDADO CARACTERÍSTICAS GERAIS O que será que caracteriza um vertebrado? Substituição da Notocorda pela Coluna Vertebral; Presença de uma cabeça definida; Presença de órgãos

Leia mais

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI-

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- 11 2 BIOMECÂNICA DA POSTURA 1 2.1 Conceituação de postura A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- RA, 1986, p. 1373): no sentido físico, corporal, significa "o modo

Leia mais

Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad

Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural Pés A Base da Boa Postura João Elias Saad A influência dos pés na estruturação da postura corporal e utilização da palmilha proprioceptiva na prevenção e reprogramação

Leia mais

GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011

GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011 CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 3 Padrão FCI N o 85 12/01/2011 Padrão Oficial da Raça WEST HIGHLAND WHITE TERRIER M.Davidson, illustr. NKU Picture Library

Leia mais

ATIVIDADE DE APRENDIZAGEM SISTEMA MUSCULAR

ATIVIDADE DE APRENDIZAGEM SISTEMA MUSCULAR ATIVIDADE DE APRENDIZAGEM SISTEMA MUSCULAR 1- Sobre o músculo localizado no braço, anteriormente e superficialmente, e que é classificado morfologicamente como bíceps (por ter duas inserções ou origens

Leia mais

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral

Crânio e ossos associados. Caixa torácica. Coluna vertebral Sistema Esquelético 213 Esqueleto Apendicular 126 Esqueleto Axial 87 Crânio e ossos associados 29 Caixa torácica 25 Coluna vertebral 33 Crânio Abrigar e proteger o encéfalo Apresenta aberturas para passagem

Leia mais

Aparelho Respiratório

Aparelho Respiratório Aparelho Respiratório Organização Geral Pulmões: órgãos de troca gasosa. Órgão auxiliares: apenas passagem de ar. o Nariz: nariz externo, cavidade nasal e seios paranasais. o Faringe (nasofaringe) o Laringe

Leia mais

COLUNA VERTEBRAL RAUL KRAEMER

COLUNA VERTEBRAL RAUL KRAEMER COLUNA VERTEBRAL RAUL KRAEMER ANATOMIA E RADIOLOGIA SIMPLES RAIOS-X RAIOS-X RAIOS-X Coluna Cervical Indicações: trauma, cervicalgia, incapacidade funcional, tumores... Solicitação: - Raios-X

Leia mais

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva

SISTEMA ESQUELÉTICO. Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva SISTEMA ESQUELÉTICO Curso Técnico em Estética Bruna Cristina Jaboinski Silva O ESQUELETO HUMANO Além de dar sustentação ao corpo, o esqueleto protege os órgãos internos e fornece pontos de apoio para a

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 94 03/11/1999. Padrão Oficial da Raça

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5. Padrão FCI 94 03/11/1999. Padrão Oficial da Raça CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Fédération Cynologique Internationale GRUPO 5 Padrão FCI 94 03/11/1999 Padrão Oficial da Raça PODENGO PORTUGUÊS CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Classificação F.C.I.:

Leia mais

Anatomia comparada de vertebrados

Anatomia comparada de vertebrados Biologia Eletiva Ficha 11 2º ano Tatiana ago/13 Nome: Nº: Turma: Anatomia comparada de vertebrados 1- Introdução: Anatomia (do grego anatomé = incisão, dissecção) é a ciência que trata da forma e da estrutura

Leia mais

Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário

Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Marinei do Rocio Pacheco dos Santos 1 1 Considerações Iniciais As radiografias da coluna são realizadas para diagnosticar

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

LOCOMOÇÃO. Grupo: Fábio Pais Fábio Santana Lucas Silveira Tathiane da Silva. Disciplina: Ecofisiologia de organismos Nectônicos

LOCOMOÇÃO. Grupo: Fábio Pais Fábio Santana Lucas Silveira Tathiane da Silva. Disciplina: Ecofisiologia de organismos Nectônicos LOCOMOÇÃO Grupo: Fábio Pais Fábio Santana Lucas Silveira Tathiane da Silva Disciplina: Ecofisiologia de organismos Nectônicos Introdução: Tipos de esqueleto e suas estruturas; Tipos de músculos e funcionamento;

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Profª. Ana Carolina Athayde Braz. Programa da Disciplina. 1. Introdução ao Estudo da Anatomia

ANATOMIA HUMANA. Profª. Ana Carolina Athayde Braz. Programa da Disciplina. 1. Introdução ao Estudo da Anatomia ANATOMIA HUMANA Profª. Ana Carolina Athayde Braz Programa da Disciplina 1. Introdução ao Estudo da Anatomia 2. Sistema Passivo de Locomoção Esqueleto e Sistema Ósseo. 2.1 Osteologia, Funções e Classificação

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Curso de Férias Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Planos Planos de delimitação e secção do corpo humano Planos Planos de delimitação Plano ventral

Leia mais