sustentabilidade comprovada sustentabilidade comprovada

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "sustentabilidade comprovada sustentabilidade comprovada"

Transcrição

1 sustentabilidade 1

2 Apresentação do projeto O case que apresentamos é especial, porque soma as atividades de projeto com a operação de um prédio comercial de 6.300m 2, em Porto Alegre. Em 2003, a Auxiliadora Predial propôs à Axelrud a realização de um prédio com características de sustentabilidade. A Axelrud participou do projeto, tanto com sua área de Arquitetura, como de Assessoria de Empreendimentos, realizando os estudos de viabilidade econômica da proposta. A Auxiliadora Predial além de incorporadora, disponibilizou o expertise na administração de prédios prontos. O conceito adotado foi o de realizar um prédio sustentável, com a melhor tecnologia disponível, dentro de critérios de economia, atendendo ao mercado. Foram aplicados sistemas de ar condicionado, de reuso de água, otimização do consumo de energia e da ventilação natural, projeto específico para aproveitamento da luz solar e economia de energia em iluminação, além de projeto específico de brise-soleils e ventilação de fachadas para evitar o sobre-aquecimento e, principalmente, o aproveitamento da energia eólica, por meio de um gerador no topo do prédio. Assim nasceu o Eólis, um prédio que busca tirar o máximo proveito dos recursos naturais. 2

3 Apresentação das empresas sustentabilidade A Axelrud Arquitetura & Assessoria é associada ao Sinduscon-RS, desde A Auxiliadora Predial tem uma história de pioneirismo em várias áreas relacionadas ao ramo imobiliário. A empresa surgiu em 1931, implantando o consórcio imobiliário no Brasil. Posteriormente, passou a financiar a aquisição de imóveis e administrar locações. Nos anos 40, com o início da verticalização das cidades, desenvolveu uma tecnologia especial para reger o uso dos prédios que então surgiam no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. Mais recentemente, a empresa implantou no Brasil o sistema de franquias para venda de imóveis, com rápida expansão nos estados da região Sul e São Paulo. A imobiliária constrói e oferece a locação de áreas comerciais qualificadas. É filiada ao Sinduscon desde Atua na área de Projetos Arquitetônicos e Assessoria de Empreendimentos com maior especialização em projetos de alta complexidade e na gerência de empreendimentos de desenvolvimento urbano e edificação de grandes projetos. A empresa conta com parcerias com arquitetos internacionais e soma mais de 500 mil m 2 projetados e construídos. Foi destacada diversas vezes com prêmios como Procel, pelo Ministério de Minas e Energia, Retrofit, pela Revista Flex, Responsabilidade Social e Ambiental, pelo Sinduscon e Profissional do Ano Sinduscon-Premium, em Sua atuação junto ao Sindicato teve início em 1993, participando de representações, comissões e, hoje, como vice-presidente. Sua atuação vem sendo constante na interface do setor da construção civil com a Prefeitura Municipal nas revisões de Planos Diretores; em estudos de caráter nacional, na representação junto ao CMDUA, e em colaboração com diversos projetos específicos como a mediação do macrossetor. 3

4 Descrição do cenário em que surgiu o projeto e justificativa para sua implantação O projeto de construção do Eólis surgiu em um momento em que já se falava em desenvolvimento sustentável, mas pouco se fazia. Ainda não se cogitavam certificações, consultoria ambiental, nem tampouco existiam fornecedores locais habilitados. Foi justamente esta carência que incentivou a criação de um prédio piloto que pudesse reunir a maior quantidade de tecnologias disponíveis, num mesmo empreendimento. Mais importante do que apenas criar um prédio com recursos sustentáveis, a ideia foi administrar e monitorar a edificação, de forma a comprovar reais ganhos. Outra preocupação foi a de que esta tecnologia adquirida viesse a ser disponibilizada. 4

5 Objetivos e desafios Em termos de projeto/construção e comercialização, os objetivos foram explorar técnicas de sustentabilidade como mote de locação e os desafios foram realizar os objetivos dentro de valores viáveis. O resultado deveria ser a locação a um preço e velocidade superior ao mercado, o que se comprovou efetivamente. Entre os desafios tecnológicos foi significativa a implantação de uma turbina eólica no topo do prédio. Para tanto foi contratado o Núcleo Tecnológico em Energia e Meio Ambiente (Nutema) da PUC-RS que produziu, ao longo de 12 meses, um completo estudo sobre o potencial eólico disponível na localização do prédio, bem como apresentou equipamentos possíveis. Outro grande desafio foi aprovar no órgão municipal a instalação do gerador no topo do edifício. Desafiador também foi implantar tecnologias construtivas pioneiras na cidade, tais como: piso externo elevado e fachadas ventiladas. O desafio que hoje está sendo vencido é a certificação da operação. No decorrer da construção do Eólis, o empreendimento despertou muito interesse. O prédio foi convidado a ser o primeiro certificado no Brasil pelo selo LEED, tendo em uma auditoria informal prévia, atingindo o grau ouro, com 39 pontos. Neste momento o órgão certificador não estava com os requisitos adaptados à realidade brasileira. Mais recentemente, a Universidade de São Paulo (USP), por intermédio da Fundação Vanzolini, em conjunto com órgãos franceses, adequou para o Brasil a norma internacional Aqua Alta Qualidade Ambiental. Agora, o Brasil dispõe de uma certificação que define indicadores adequados para suas condições climatológicas, econômicas e sociais. O Eólis é o primeiro prédio certificado no Brasil para a fase Programa de Operação Aqua, estando atualmente preparando a certificação subsequente relativa às fases de Uso e Operação. 5

6 Envolvimento com os públicos de interesse sustentabilidade Apresentação dos públicos de interesse do projeto Acreditamos que o público-alvo do Eólis é o porto-alegrense. Nos orgulhamos de termos criado um prédio emblemático, no topo da avenida Carlos Gomes, tendo como ícone um gerador eólico, dizendo à população que sim, a responsabilidade ambiental é importante, e reforçando que esta é dever todos. O Eólis qualificou tanto a Axelrud, quanto a Auxiliadora Predial como empresas precursoras no projeto, edificação e operação de prédios sustentáveis em Porto Alegre. A Axelrud teve dois públicos-alvo: de um lado, o institucional, comprovando aos órgãos públicos, tanto à Prefeitura Municipal de Porto Alegre, quanto à Secretaria de Meio Ambiente, que é possível fazer arquitetura com critérios respeitosos ao meio ambiente e que isso possa ser uma opção do empreendedor e não uma exigência legal. Por outro lado, a construção civil também é público de interesse, indicando a capacidade da Axelrud de tratar projetos de alta complexidade, assim como projetos de eficiência energética e ambiental. A Auxiliadora Predial, também como empresa patrimonial, enriquecida com a experiência adquirida na operação do Eólis, entende como seu dever social disponibilizar este conhecimento aos grupos com os quais interage, tais como os inquilinos e usuários do edifício, os síndicos clientes de outros prédios e os funcionários da empresa especializados na gestão condominial. O Eólis é a comprovação de que é possível fazer arquitetura com critérios respeitosos ao meio ambiente. O selo internacional Aqua certificou o Eólis após análise criteriosa do desempenho da ecoconstrução, ecogestão, conforto e saúde da edificação. 6

7 inserções na mídia e em congressos do Case Eólis revista Sistemas Prediais (em diversas edições 2008 e 2009) revista do CREA (2008) seminário Franco Brasileiro Alta Qualidade e Sustentabilidade na Construção Civil (2008) revista Flex (2008) informativo AII (2008) revista Amanhã (2008) Bandeirantes TV (2008) Gazeta Mercantil (2008) revista Infra (2008) zero Hora (2008) sbt (2008) jornal do Comércio (2008) tv Com (2008) 2006 CONEM IV Congresso Nacional de Engenharia Mecânica / ABCM (Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas) 2006 XVII SIC UFRGS XVII Salão de Iniciação Científica UFRGS (Destaque) 2006 VIII SIC PUCRS VIII Salão de Iniciação Científica PUCRS 2007 I CBENS I Congresso Brasileiro de Energia Solar / ABENS (Associação Brasileira de Energia Solar) 2007 EWEC Europe s Premier Wind Energy Event Milan 2007 Formas de envolvimento O público-alvo foi envolvido por meio da prática das atividades das empresas, mediante apresentações e publicações. O prédio como operação eco-sustentável é objeto de visitas, estudos e pesquisa de docentes e alunos de universidades. O Case Eólis, como projeto e construção, foi apresentado em seminários nacionais e internacionais e reportagens. O público usuário e inquilino do prédio tem sido convidado a participar das diversas práticas implantadas visando economia, reciclagem e descarte de materiais. Adicionalmente, a Auxiliadora Predial disponibiliza a um público qualificado de síndicos e formadores de opinião, uma publicação intitulada Revista Síndico, que dissemina, com regularidade, o conhecimento adquirido na gestão sustentável. A Axelrud, além do efeito emblemático junto à população, à administração pública e ao setor da construção, segue aplicando os conceitos de sustentabilidade nos projetos desenvolvidos. A empresa recebe solicitações frequentes para fornecimento do projeto tantos para cursos de graduação, quanto para os de pósgraduação brasileiros. 7

8 Gestão do projeto/prática Uma das premissas mais relevantes para o projeto do Eólis foi a constante preocupação com dados operacionais. Desde o princípio, junto com a elaboração do programa de necessidades, decidia-se sobre sistemas de infraestrutura e materiais, não somente pelo preço orçado para sua construção, mas pensando sobre sua performance, compreendendo as opções como investimento. Alguns itens se apresentaram com custo maior inicial, porém tornaramse a opção definida, pois calculados ao longo do tempo, trariam economia real no consumo. Este resultado ocorreu justamente em função de um sistema de gerenciamento acertado, conjunto entre projeto e operação. O conhecimento da Auxiliadora em operações prediais foi determinante na definição dos sistemas de funcionamento desenhados pela Axelrud. Durante a elaboração do projeto agregou-se à equipe de trabalho empresas cuja abordagem em sustentabilidade eram relevantes. Os dados para o projeto foram obtidos através de pesquisa elaborada pela Nutema/PUC. Do grupo técnico de trabalho, destacou-se a empresa APS (especializada em eficientização energética), que traduziu os dados da pesquisa, dando suporte ao projeto da Axelrud, que juntamente com engenheiro Christian Voelcker, gerenciou a equipe de projetistas sob este norte. Um dos pontos essenciais de Gestão foi a seleção para execução da obra de uma empresa que tivesse, além competência para projetos especiais, um histórico de responsabilidade social e ambiental. A Capa Engenharia foi a escolhida. Ela realizou o Eólis com todos os predicados que garantiram a eficiência do desenho original. 8

9 Estratégias e ações adotadas para atingir os objetivos O Eólis recebeu Menção Honrosa na Categoria Edificações do Prêmio Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia. O Prêmio foi concedido pelo Ministério de Minas e Energia, por meio da Eletrobrás/Procell, em 2006 O Eólis quer provar que quando o projeto, a execução e a operação são programados em conjunto, os resultados finais e duradouros são superiores. Com este objetivo, na fase de projeto agregamos a APS, Nutema (PUC/RS), Lucem (ISO ), Inovatech (Consultoria Ambiental) e Fundação Vanzolini (certificação Aqua), como fornecedores de expertise. Estas empresas, entidades de pesquisa e certificadora disponibilizaram a tecnologia aplicada. Na fase projeto não nos preocupamos em obter certificações ambientais. Após a construção, a Auxiliadora Predial definiu por ter a operação do prédio certificada. Com este intuito buscou a certificação Aqua. Em 2012, obteve-se a certificação FASE PRO- GRAMA DA OPERAÇÃO e a partir disto está se trabalhando na obtenção da certificação FASE DE OPERAÇÃO E USO. 9

10 Metodologia de aplicação e execução do projeto/prática Para obter resultados superiores de desempenho para o Eólis baseamo- nos na tecnologia da certificação Aqua. Esta aborda a qualidade a ser atingida em quatro tópicos e 14 ítens. Na eco-construção Relação do edifício com seu entorno: o terreno existente havia sido previamente ocupado com construção. Vegetais foram transplantados e ofereceu-se complementarmente arborização de praça pública. Escolha de produtos, sistemas e processos construtivos: importante foi a escolha da Capa Construtora para execução do empreendimento. Por ser certificada ISO 9001 e participar de programas da qualidade, ela atua com grande responsabilidade social e ambiental. Canteiro de obras com baixo impacto ambiental: foram adotadas técnicas construtivas e materiais, visando o menor descarte possível, bem como fornecedores locais para evitar transportes distantes. 10

11 Na eco-gestão sustentabilidade Gestão de energia: co-geração de energia com uso de gerador eólico, entrada de energia em média tensão, motores e luminárias de alto desempenho, sistema de ar condicionado de alto desempenho, sub- medição das unidades locadas e áreas de maior consumo condominiais. Além disto, estratégias para poupar consumo elétrico, tais como uso da iluminação e ventilação naturais, isolamento térmico através de brises, implantação de ecotelhados, fachada ventilada e pisos externos elevados. Atualmente temos um gasto de R$ 1,09/m 2 de piso locável, comparado com R$ 3,44/m 2 em prédios comerciais comuns. Gestão de água: aproveitamento das águas pluviais, medição individua lizada do consumo, lavatórios e bacias de baixo consumo. Com isto estamos gastando R$ 0,21/m 2 de piso locável, contra R$ 0,67/m 2 praticado no mercado. Gestão dos resíduos de uso e operação do edifício: recepção e triagem de dejetos das mais variadas origens com destino adequado. 11

12 Manutenção, permanência do desempenho ambiental Manutenção Permanência do desempenho ambiental: a concepção do prédio facilita sobremaneira a conservação de fachadas, brises e esquadrias. Conforto higrotérmico: são disponibilizados em todos os ambientes de uso contínuo temperaturas estáveis de referência. Conforto acústico: vedações em esquadrias propiciando isolamento. Absorção acústica em materiais de revestimento. Conforto visual: controle individual da iluminação. Conforto olfativo: ventilações naturais. Saúde Qualidade sanitária dos ambientes: uso controlado de produtos de manutenção. Qualidade sanitária do ar: manutenção dos equipamentos de climatização e aferição da qualidade do ar. Qualidade sanitária da água: aferição da qualidade da água consumida. 12

13 Relato do impacto socioambiental Em termos de impacto socioambiental, além das questões pedagógicas ligadas à edificação e ao uso sustentável, acreditamos na importância de construirmos edificações como o Eólis, com equilíbrio no meio em que se inserem, que reduzam o impacto ambiental, que busquem prover suas necessidades para evitar o comprometimento de recursos futuros, permitindo a continuidade dos sistemas econômicos, sociais, ambientais e culturais Recursos necessários humanos, financeiros e Materiais O Eólis por ser inovador em diversas áreas precisou contar com especialistas como consultores e até a contratação de uma Universidade. O incorporador não mediu esforços em disponibilizar os recursos necessários para tanto. Aspectos inovadores relacionados à prática/projeto Sem dúvida, o emprego de aerogerador no topo do prédio trouxe uma série de situações inéditas. A aprovação pelos órgãos competentes, Prefeitura Municipal e fornecedor de energia elétrica abriu um caminho que pode ser trilhado por outros empreendedores. 13

14 Resultados sustentabilidade Resultados alcançados (quantitativos e qualitativos) O Eólis disponibiliza, desde o início de sua ocupação, um retorno satisfatório do investimento feito, reembolsando o incorporador com valores por m 2 acima da média do mercado para a região. Foi previsto o prazo de um ano para locação total de suas unidades, entretanto foi ocupado integralmente em seis meses. Os inquilinos usufruem adicionalmente das boas qua lidades do prédio, de ganhos de imagem e aumento da responsabilidade ambiental. A localização no Eólis rende pontos em programas de qualidade ISO e Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade. Ao implementar o programa FASE DE OPERAÇÃO E USO da certificação Aqua estamos medindo o desempenho do prédio e confrontando-o com valores referência prescritos pela Norma. Os resultados obtidos até agora indicam a superação das metas. Possibilidade de replicação da prática/projeto Os produtos e técnicas empregados no Eólis são de fácil replicação quando a questão é abordada na fase de projeto. Com exceção do gerador eólico, que depende das condições de vento do local, os demais ítens que garantem a sustentabilidade do prédio são aplicáveis a qualquer edificação, sempre analisados sob o prisma da economia, da eficiência e da disponibilidade de investimento. 14

15 Mensuração da Geração de Valor para a sociedade e para a instituição O Eólis traz dados consistentes de resultado de operação que são base segura para a tomada de decisão pela sustentabilidade. Neste sentido, acreditamos na importância para as empresas do setor deste case de projeto, execução e operação com determinantes ambientais. Para instituição, o Eólis é um exemplo da capacidade do setor e de sua preocupação com o meio ambiente amplamente divulgada nacional e internacionalmente, em jornais, revistas, seminários e universidades. Para a sociedade, acreditamos que o Eólis tornou-se um paradigma de empreendimento sustentável. É um ícone construído no topo da cidade de Porto Alegre, mostrando que somos todos capazes de projetar, construir e operar com sustentabilidade. O Eólis de alguma forma expressa que responsabilidade ambiental é dever de todos. 15

MLM. Proporcionando Soluções Sustentáveis. www.mlm.uk.com www.mlm.br.com

MLM. Proporcionando Soluções Sustentáveis. www.mlm.uk.com www.mlm.br.com MLM B r a s i l Proporcionando Soluções Sustentáveis www.mlm.uk.com Proporcionando Soluções Sustentáveis A necessidade de desenvolvimento sustentável é amplamente aceita e atualmente é considerada uma

Leia mais

SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO AQUA EM EMPREENDIMENTO COMERCIAL

SUSTENTABILIDADE E CERTIFICAÇÃO AQUA EM EMPREENDIMENTO COMERCIAL FICHA TÉCNICA Empresa: Syene Empreendimentos Projeto: Syene Corporate Área Construída: 77.725,45 m² Data de implementação: 01/09/2010 Responsável: Jealva Fonseca Contato: jealva@syene.com.br INTRODUÇÃO

Leia mais

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Qual o significado de ISO? ISO International Organization for Standardization, é uma organização não governamental com sede em Genebra, na Suíça, que foi criada em 1946

Leia mais

SEGURO GARANTIA DE ENTREGA DE OBRA CBIC

SEGURO GARANTIA DE ENTREGA DE OBRA CBIC SEGURO GARANTIA DE ENTREGA DE OBRA CBIC PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS E DIFERENCIAIS COORDENAÇÃO BRASIL ROSSANA COSTA: Coordenadora do Convênio de Seguros da CBIC E-mail: rossana@seguroscbic.com.br Coordenadora

Leia mais

28/09/2012. Fundação Vanzolini. Universidade. Mercado

28/09/2012. Fundação Vanzolini. Universidade. Mercado Fundação Vanzolini 1960 1970 1980 1990 2000 2010 Em 1967, nasce a Fundação Vanzolini Instituição criada, mantida e gerida pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da POLI-USP Universidade

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS METODOLOGIA DE PROMOÇÃO DA SUSTENTABILIDADE PELO GERENCIAMENTO DE PROJETOS Débora Noronha¹; Jasmin Lemke¹; Carolina Vergnano¹ ¹Concremat Engenharia e Tecnologia S/A, Diretoria Técnica de Estudos, Projetos

Leia mais

PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg. Case Agenda Ambiental Água e Resíduos

PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg. Case Agenda Ambiental Água e Resíduos PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg Case Agenda Ambiental Água e Resíduos Subprojetos ou Famílias: Amor Concreto / Canteiro de Jóias / A Jóia do Lixo / O resíduo é Jóia / Ser Responsável

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA

A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA A COMPETITIVIDADE DA CONSTRUÇÃO CIVIL BRASILEIRA Fábio Müller Guerrini Sami Antônio Tauk (Crea) José Benedito Sacomano Abstract This paper discuss how competitive are the brazilian civil construction companies

Leia mais

Modernização de Operações

Modernização de Operações Modernização de Operações O CAMINHO MAIS CLARO PARA PROTEGER O FUTURO Colocando Você no Caminho para a Modernização de Operações Valor Se você está lindando atualmente com problemas de obsolescência, ou

Leia mais

1º Organismo de Sistema de Gestão acreditado no Brasil. Hámais de 16 anoscertificando a Construção Civil

1º Organismo de Sistema de Gestão acreditado no Brasil. Hámais de 16 anoscertificando a Construção Civil Construção Civil 1º Organismo de Sistema de Gestão acreditado no Brasil Hámais de 16 anoscertificando a Construção Civil Maior certificadora da Construção Civil do Brasil Processo AQUA Éa gestão total

Leia mais

ANEXO 4 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES COMERCIAIS

ANEXO 4 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES COMERCIAIS ANEXO 4 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES COMERCIAIS Com o objetivo de melhorar a eficiência energética das edificações no país foi criada a etiquetagem de eficiência energética de edificações do INMETRO, como

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

PREFEITURA DE PORTO VELHO

PREFEITURA DE PORTO VELHO LEI Nº. 1628, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005. Institui a Política Municipal de fomento à Economia Popular e Solidária na Cidade de Porto Velho e estabelece outras disposições. O PREFEITO DO MUNICÍPIO DE PORTO

Leia mais

ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE.

ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE. ANÁLISE DA SITUAÇÃO DAS EMPRESAS DE PROJETO DO ESTADO DO CEARÁ QUANTO À IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DA QUALIDADE. João Adriano Ponciano NOBRE Graduando de Eng.º Civil, Universidade Federal do Ceará, Rua Waldery

Leia mais

Estudo de Caso 2 O CASO HIME. Introdução

Estudo de Caso 2 O CASO HIME. Introdução Estudo de Caso 2 O CASO HIME Introdução Empresa de Tecnologia Localizada no Rio de Janeiro, A Hime Informática se destaca pelo enorme sucesso obtido pelo o Hime System, o primeiro software do mercado a

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie

ADMINISTRAÇÃO I. Família Pai, mãe, filhos. Criar condições para a perpetuação da espécie 1 INTRODUÇÃO 1.1 ORGANIZAÇÃO E PROCESSOS A administração está diretamente ligada às organizações e aos processos existentes nas mesmas. Portanto, para a melhor compreensão da Administração e sua importância

Leia mais

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios

MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios MINHA CASA, MINHA VIDA 2 Novas metas, maiores desafios Desafios do PMCMV Sustentabilidade, Perenidade e Imagem O sucesso do PMCMV depende da produção de moradias bem localizadas, servidas de infraestrutura,

Leia mais

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria

AMBIENTE EFICIENTE Consultoria AMBIENTE EFICIENTE Consultoria ESCOPO DOS SERVIÇOS CERTIFICAÇÃO LEED A certificação LEED pode ser aplicada no Brasil em oito tipologias: Novas Construções (New Construction) Edifícios Existentes Operação

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2

Sistema de Gestão da Qualidade MQ Manual da Qualidade SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 Revisão:14 Folha:1 de17 SUMÁRIO SUMÁRIO... 1 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. RESPONSABILIDADE DA DIREÇÃO... 3 2.1 POLÍTICA DA QUALIDADE... 3 2.2 OBJETIVOS DA QUALIDADE... 4 2.3 ORGANIZAÇÃO DA EMPRESA PARA A QUALIDADE...

Leia mais

Cronograma -------------------------------------------------------------------------------------------- 2

Cronograma -------------------------------------------------------------------------------------------- 2 Índice Cronograma -------------------------------------------------------------------------------------------- 2 Prefácio --------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade

Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Titulo do Case: Transforme a sociedade com a força do empreendedorismo social Categoria: Prática Interna Temática: Sociedade Resumo: Quanto custa um projeto? As possíveis respostas são inúmeras. Os números

Leia mais

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA O estudo a ser entregue deverá avaliar a viabilidade do projeto de PPP proposto segundo a ótica de todos os fornecedores de capital

Leia mais

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas

Sustentabilidade em Edificações Públicas Entraves e Perspectivas Câmara dos Deputados Grupo de Pesquisa e Extensão - Programa de Pós-Graduação - CEFOR Fabiano Sobreira SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Valéria Maia SEAPS-NUARQ-CPROJ-DETEC Elcio Gomes NUARQ-CPROJ-DETEC Jacimara

Leia mais

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1 ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EDITAL DO PREGÃO AMPLO Nº 008/2010-ER05-Anatel PROCESSO Nº 53528.001004/2010 Projeto Executivo e Estudos de Adequação da nova Sala de Servidores da rede de

Leia mais

Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir.

Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir. Estes adendos e notas explicativas tem a finalidade de facilitar o entendimento e aperfeiçoar os critérios a seguir. Adendos e notas 1/11 Adendo I de 24/0713 ao Referencial técnico de certificação Edifícios

Leia mais

ARQUITETANDO O FUTURO

ARQUITETANDO O FUTURO ARQUITETANDO O FUTURO Arq. Emílio Ambasz T J D F T ASSESSORIA DA SECRETARIA GERAL DA PRESIDÊNCIA Objetivos do TJDFT Cumprir o mandamento constitucional de defesa e preservação do meio ambiente para as

Leia mais

TÍTULO: TI VERDE PROPOSTAS DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS E TECNOLÓGICAS PARA UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE

TÍTULO: TI VERDE PROPOSTAS DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS E TECNOLÓGICAS PARA UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: TI VERDE PROPOSTAS DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS E TECNOLÓGICAS PARA UMA EMPRESA DE MÉDIO PORTE CATEGORIA:

Leia mais

Artigo - Manuel Carlos Reis Martins, Coordenador Executivo da Certificação AQUA-HQE.

Artigo - Manuel Carlos Reis Martins, Coordenador Executivo da Certificação AQUA-HQE. Artigo - Manuel Carlos Reis Martins, Coordenador Executivo da Certificação AQUA-HQE. Certificação AQUA-HQE O AQUA-HQE é um processo de controle total de um empreendimento de construção ou de desenvolvimento

Leia mais

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Senhora do Porto Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Senhora do Porto Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.1 Programa de Gerenciamento Ambiental CAPA 5.1 - Programa de Gerenciamento Ambiental ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1/11 1.1. Ações já Realizadas... 2/11 2. Justificativa... 4/11

Leia mais

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO

Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO Decreto nº 2.489/06 Acrescido o Anexo Único pelo Decreto n 1.349/15, efeitos a partir de 26.08.15. ANEXO ÚNICO I - CRITÉRIOS PARA DEFINIÇÃO DO BENEFÍCIO O benefício fiscal será definido em função do enquadramento

Leia mais

Presente no mercado desde 1992, o GRUPO GR se consolidou pelo porte e pela qualidade em prestação de serviços.

Presente no mercado desde 1992, o GRUPO GR se consolidou pelo porte e pela qualidade em prestação de serviços. HISTÓRICO Presente no mercado desde 1992, o GRUPO GR se consolidou pelo porte e pela qualidade em prestação de serviços. Especializado na customização de soluções em segurança patrimonial e serviços, o

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ESCO COMO INSTRUMENTO DE FOMENTO A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Ralf Majevski Santos 1 Flávio Tongo da Silva 2 ( 1 Ralf_majevski@yahoo.com.br, 2 ftongo@bitavel.com) Fundamentos em Energia Professor Wanderley

Leia mais

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO

ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO ANEXO II GUIA DE FORMULAÇÃO DO PROJETO 1. INTRODUÇÃO A Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC) foi criada pela Lei estadual 14.028 de março de 2010 e tem como uma de suas finalidades executar a Política

Leia mais

Uma história de confiança.

Uma história de confiança. Uma história de confiança. Tudo começou em março de 1969. Já na década de 70, impulsionada pelo chamado milagre econômico brasileiro, decorrente de maciços investimentos governamentais em infraestrutura

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH Informações sobre o Programa de Financiamento de Imóveis na Planta e/ou em Construção Recursos FGTS - PSH 1 O Programa O Programa acima foi instituído por intermédio da Medida Provisória 2212 de 30 / 0

Leia mais

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda.

Procifisc Engenharia e Consultadoria, Lda. 01. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA 2 01. Apresentação da empresa, com sede em Castelo Branco, é uma empresa criada em 2007 que atua nos domínios da engenharia civil e da arquitetura. Atualmente, é uma empresa

Leia mais

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso

7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso 7 etapas para construir um Projeto Integrado de Negócios Sustentáveis de sucesso Saiba como colocar o PINS em prática no agronegócio e explore suas melhores opções de atuação em rede. Quando uma empresa

Leia mais

PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA: DIAGNÓSTICO, POTENCIAL DE GANHOS COM SUA REDUÇÃO E PROPOSTAS DE MEDIDAS PARA O EFETIVO COMBATE

PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA: DIAGNÓSTICO, POTENCIAL DE GANHOS COM SUA REDUÇÃO E PROPOSTAS DE MEDIDAS PARA O EFETIVO COMBATE PERDAS EM SISTEMAS DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA: DIAGNÓSTICO, POTENCIAL DE GANHOS COM SUA REDUÇÃO E PROPOSTAS DE MEDIDAS PARA O EFETIVO COMBATE SUMÁRIO EXECUTIVO ABES Associação Brasileira de Engenharia Sanitária

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO

PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO PADRÕES DE SUSTENTABILIDADE APLICADOS AO PROCESSO DE PROJETO Flávia Miranda MARQUES M.Sc.(PROARQ/FAU/UFRJ) Arquiteta., SUSTENTAX - Engenharia de Sustentabilidade. Alameda Santos, 2223, 3º andar. Cerqueira

Leia mais

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil

Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Conjunto de indicadores de sustentabilidade de empreendimentos - uma proposta para o Brasil Texto Preliminar Completo - Agosto 2011 INTRODUÇÃO Começam a existir no Brasil um bom número de edifícios com

Leia mais

PRÊMIO PROCEL CIDADE EFICIENTE EM ENERGIA ELÉTRICA

PRÊMIO PROCEL CIDADE EFICIENTE EM ENERGIA ELÉTRICA PRÊMIO PROCEL CIDADE EFICIENTE EM ENERGIA ELÉTRICA FICHA DE INSCRIÇÃO 8 ª EDIÇÃO Prefeitura Municipal de Nome do(a) Prefeito(a) Endereço CEP UF Telefone Fax E-mail Responsável pelas informações (nome e

Leia mais

Mensagem do Presidente

Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente A PISOAG DO BRASIL está no mercado desde 1980, atuando com empresas nacionais e internacionais dos mais diversos segmentos, com qualidade, tecnologia e o elevado padrão de responsabilidade

Leia mais

Gestão estratégica em comunicação organizacional e relações públicas

Gestão estratégica em comunicação organizacional e relações públicas Gestão estratégica em comunicação organizacional e relações públicas Margarida M. Krohling Kunsch Introdução No âmbito de uma sociedade cada vez mais complexa, reserva-se à comunicação um papel de crescente

Leia mais

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES

NOSSA VISÃO NOSSOS VALORES A ENTERPRISE SOLAR Somos a empresa mais inovadora em soluções energéticas no Brasil. Temos o propósito de difundir a importância da principal fonte de energia do nosso planeta, que nos fornece, sob as

Leia mais

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa.

ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. ERGONOMIA, QUALIDADE e Segurança do Trabalho: Estratégia Competitiva para Produtividade da Empresa. 1. INTRODUÇÃO Prof. Carlos Maurício Duque dos Santos Mestre e Doutorando em Ergonomia pela Escola Politécnica

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS OBTIDOS NA RECENTE EXPERIÊNCIA DE FURNAS EM P&D

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS OBTIDOS NA RECENTE EXPERIÊNCIA DE FURNAS EM P&D SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GPD - 07 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO XV GRUPO DE INOVAÇÃO TECONOLÓGICA, PESQUISA E DESENVOLVIMENTO - GPD AVALIAÇÃO

Leia mais

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS

A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS SEMANA AMBIENTAL NA BRASIMET 2006 CIDADANIA E EDUCAÇÃO PARA UM PLANETA MELHOR A POLÍTICA AMBIENTAL NAS EMPRESAS A atual conjuntura econômica e os novos cenários sócio-ambientais nacionais e internacionais

Leia mais

CASO DE SUCESSO EM GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA CONSTRUÇÃO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA

CASO DE SUCESSO EM GESTÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO NA CONSTRUÇÃO DE UMA USINA HIDRELÉTRICA INTRODUÇÃO Grandes obras civis e de montagem eletromecânica costumam representar um desafio nos aspectos de cumprimento de cronogramas e atendimento aos requisitos de segurança do trabalho e saúde ocupacional,

Leia mais

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda.

Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Micro-Química Produtos para Laboratórios Ltda. Resumo Com a globalização e os avanços tecnológicos, as empresas estão operando num ambiente altamente competitivo e dinâmico. As organizações que quiserem

Leia mais

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor

COP Comunicação de Progresso 9 de abril de 2012. Pisoag do Brasil Ltda Diretor Ban Ki-Moon Secretario Geral Nações Unidas New York NY 10017 USA Guarulhos, 09 de Abril de 2012 Sr. Secretario Geral, Gostaria de comunicar que a Pisoag do Brasil Ltda, apoia os Dez Principios do Pacto

Leia mais

22o. Prêmio Expressão de Ecologia

22o. Prêmio Expressão de Ecologia 22o. Prêmio Expressão de Ecologia 2014-2015 Página da Prefeitura Lançando o Selo Verde Apresentação para Empreendedore e Interessados do Selo Verde Página da Prefeitura Lançando o Selo Verde Selo Verde

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL)

X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL) X-Araújo-Brasil-1 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS PARA EMPRESAS CONSTRUTORAS DA CIDADE DE JOÃO PESSOA PB (BRASIL) Nelma Mirian Chagas de Araújo¹ Engenheira civil pela UFPB

Leia mais

EXPERIÊNCIA, TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA GERIR GRANDES PROJETOS.

EXPERIÊNCIA, TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA GERIR GRANDES PROJETOS. EXPERIÊNCIA, TECNOLOGIA E SUSTENTABILIDADE PARA GERIR GRANDES PROJETOS. A ARCOGEN ENERGY é especializada em soluções de engenharia para climatização e automação em médios e grandes ambientes, além de geração

Leia mais

Categoria Franqueador Pleno

Categoria Franqueador Pleno PRÊMIO ABF-AFRAS DESTAQUE SUSTENTABILIDADE 2013 Dados da empresa FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO Categoria Franqueador Pleno Razão Social: Astra Rio Saneamento Básico Ltda Nome fantasia: Astral Saúde Ambiental

Leia mais

11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO

11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO 11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO 1. DO PRÊMIO Há mais de uma década o Prêmio MASTERINSTAL contribui para ampliar a visibilidade e o aperfeiçoamento da atividade empresarial dedicada à execução, manutenção

Leia mais

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis

A Produção de Empreendimentos Sustentáveis A Produção de Empreendimentos Sustentáveis Arq. Daniela Corcuera arq@casaconsciente.com.br www.casaconsciente.com.br A construção sustentável começa a ser praticada no Brasil, ainda com alguns experimentos

Leia mais

relatório de SUSTENTABILIDADE

relatório de SUSTENTABILIDADE relatório de SUSTENTABILIDADE 2015 2015 relatório de SUSTENTABILIDADE O Pacto Global é uma iniciativa desenvolvida pelo ex secretário-geral da ONU, Kofi Annan, com o objetivo de mobilizar a comunidade

Leia mais

Uba P A R Q U t E ã O Jardim Holanda está de portas abertas para a sua felicidade. UA005013_Folder Ubata_30x25cm.indd 2 30.08.

Uba P A R Q U t E ã O Jardim Holanda está de portas abertas para a sua felicidade. UA005013_Folder Ubata_30x25cm.indd 2 30.08. Ubatã P A R Q U E O Jardim Holanda está de portas abertas para a sua felicidade. Você acaba de encontrar o apê dos s seus sonhos. Ubatã P A R Q U E No melhor ponto do Jardim Holanda, na Alameda Paulo César

Leia mais

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados

Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Proposta de avaliação de desempenho através dos custos da qualidade em sistemas de gestão da qualidade certificados Ana Carolina Oliveira Santos Carlos Eduardo Sanches Da Silva Resumo: O sistema de custos

Leia mais

Ambientes acessíveis

Ambientes acessíveis Fotos: Sônia Belizário Ambientes acessíveis É FUNDAMENTAL A ATENÇÃO AO DESENHO E A CONCEPÇÃO DOS PROJETOS, PRINCIPALMENTE NOS ESPAÇOS PÚBLICOS,PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES E LIMITAÇÕES DO MAIOR NÚMERO

Leia mais

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel IV: Saneamento Básico Palestra: Florianópolis, 13 de agosto de 2010

II SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel IV: Saneamento Básico Palestra: Florianópolis, 13 de agosto de 2010 II SEMINÁRIO ESTADUAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL Painel IV: Saneamento Básico Palestra: Controle e redução de perdas de água e uso eficiente de energia em sistemas de abastecimento de água Eng. Airton Gomes

Leia mais

SATISFAÇÃO DO CLIENTE

SATISFAÇÃO DO CLIENTE SATISFAÇÃO DO CLIENTE A CULTURA DE RETROALIMENTAÇÃO DO FEEDBACK SINDUSCON PREMIUM 2013 CATEGORIA INOVAÇÃO EM PROCESSOS INTERNOS A Cyrela Goldsztein buscando um cliente cada vez mais satisfeito (Apresentação

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

DISSEMINAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES ATRAVÉS DE UM CURSO A DISTÂNCIA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM

DISSEMINAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES ATRAVÉS DE UM CURSO A DISTÂNCIA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM DISSEMINAÇÃO DA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA DE EDIFICAÇÕES ATRAVÉS DE UM CURSO A DISTÂNCIA EM AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Fernando O. R. Pereira (1); Alice T. C. Pereira (2); Evelise Leite

Leia mais

Processo AQUA. Alta Qualidade Ambiental

Processo AQUA. Alta Qualidade Ambiental Processo AQUA Alta Qualidade Ambiental Processo AQUA o que é? O Processo AQUA é um Processo de Gestão Total do Projeto para obter a Alta Qualidade Ambiental do seu Empreendimento de Construção. Essa qualidade

Leia mais

Nove Passos para a Obra Sustentável - resumo

Nove Passos para a Obra Sustentável - resumo Nove Passos para a Obra Sustentável - resumo IDHEA Instituto para o Desenvolvimento da Habitação Ecológica www.idhea.com.br idhea@idhea.com.br (disponível na íntegra para clientes) Introdução O conceito

Leia mais

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO EMPREENDIMENTOS DE GRANDE PORTE 01 APRESENTAÇÃO MELNICK EVEN DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Melnick Even, com 20 anos de atuação no mercado gaúcho

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio São Paulo, 10 de Março de 2003 Índice 0 INTRODUÇÃO...4 0.1 ASPECTOS GERAIS...4 0.2 BENEFÍCIOS DE

Leia mais

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República

Presidente da FINEP. Diretores da FINEP. Chefe de Gabinete da Presidência. Presidente da República. Vice-Presidente da República POLÍTICA OPERACIONAL 2012-2014 Presidente da República Dilma Vana Rousseff Vice-Presidente da República Michel Temer Ministro de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação Marco Antonio Raupp Secretário

Leia mais

DESAFIOS PARA UMA EMPRESA DE PROJETO

DESAFIOS PARA UMA EMPRESA DE PROJETO DESAFIOS PARA UMA EMPRESA DE PROJETO A EMPRESA A PLANAVE é uma empresa de engenharia consultiva genuinamente brasileira com 46 anos de existência com sede no Rio de Janeiro. Possui as certificações ISO

Leia mais

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS

IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS IMPACTOS DO USO X PERFIL DAS EMPRESAS E ANALISAR SEUS PROCESSOS DE GESTÃO DE PROJETOS Vinicius Coutinho dos Santos BARBOSA (1); Michele Tereza Marques CARVALHO (2) (1) Campus Universitário Darcy Ribeiro

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental Introdução 1. O Padrão de Desempenho 1 destaca a importância do gerenciamento do desempenho socioambiental durante o ciclo de um projeto (qualquer atividade comercial sujeita a avaliação e administração).

Leia mais

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08

Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 Eficiência Energética + Comercialização de Energia Oportunidades Conjuntas 16/10/08 RME Rio Minas Energia Participações S.A Luce Brasil Fundo de Investimentos - LUCE Missão da Light: Ser uma grande empresa

Leia mais

ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 01097 ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Luiza Rodrigues Flores (UFRGS) Simone Albuquerque (UFRGS) O artigo apresenta alguns

Leia mais

Saúde e Segurança do Trabalho como Estratégia de Sustentabilidade das Empresas.

Saúde e Segurança do Trabalho como Estratégia de Sustentabilidade das Empresas. Saúde e Segurança do Trabalho como Estratégia de Sustentabilidade das Empresas. Sustentabilidade Sustentabilidade - É um conceito sistêmico, relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais,

Leia mais

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS MBA Contabilidade & Direito Tributário. Parceria: IPOG/Sinduscon-RS O IPOG em parceria com o CRC-RS, traz à Porto Alegre o MBA em Contabilidade & Direito Tributário, que já é sucesso, com mais de 20 turmas

Leia mais

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011

CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro. Relatório Trimestral de Atividades. Período Abril - Junho / 2011 CDURP Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro Relatório Trimestral de Atividades Sumário Executivo Período Abril - Junho / 2011 O período entre 1 de Abril e 30 de Junho

Leia mais

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras

CP 013/14 Sistemas Subterrâneos. Questões para as distribuidoras CP 013/14 Sistemas Subterrâneos Questões para as distribuidoras 1) Observa-se a necessidade de planejamento/operacionalização de atividades entre diversos agentes (distribuidoras, concessionárias de outros

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: POTENCIAIS CONTRIBUIÇÕES DA INTEGRAÇÃO DE CONCEITOS DE GESTÃO AMBIENTAL À CERTIFICAÇÃO DE EDIFICAÇÕES

SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: POTENCIAIS CONTRIBUIÇÕES DA INTEGRAÇÃO DE CONCEITOS DE GESTÃO AMBIENTAL À CERTIFICAÇÃO DE EDIFICAÇÕES SUSTENTABILIDADE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: POTENCIAIS CONTRIBUIÇÕES DA INTEGRAÇÃO DE CONCEITOS DE GESTÃO AMBIENTAL À CERTIFICAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Leticia O. Neves (1); Flávio A. Picchi (2) (1) Faculdade de Engenharia

Leia mais

em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen

em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Informações: Central de Candidatos:

Leia mais

SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT

SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT SUSTENTABILIDADE NAS CONCESSIONÁRIAS FIAT EDITORIAL Desenvolvimento sustentável não é um tema novo para o Grupo Fiat. Atentas para o importante papel ocupado na sociedade e para os impactos causados pela

Leia mais

Waste Lab. Development Standards) e são compostos

Waste Lab. Development Standards) e são compostos Waste Lab 1 Waste Lab Inicialmente era designada como área de resíduos, mas hoje em dia é conhecido como laboratório. Estamos a falar da gestão de resíduos do CascaiShopping, centro comercial da Sonae

Leia mais

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12.

VALEC POLÍTICA AMBIENTAL. Título: POLÍTICA AMBIENTAL Identificador: POL 5.03.01.16-001. Proponente: DIPLAN. Folha: 1 / 12. POL 5.3.1.16-1 1 / 12 POL 5.3.1.16-1 2 / 12 POL 5.3.1.16-1 3 / 12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO... 4 2. DA VALEC S.A.... 6 3. OBJETIVOS PROPOSTOS E METAS PARA O PRIMEIRO ANO... 7 4. NORMAS AMBIENTAIS PROPOSTAS...

Leia mais

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES

(MAPAS VIVOS DA UFCG) PPA-UFCG RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES 1 PPA-UFCG PROGRAMA PERMANENTE DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UFCG CICLO 2006-2008 ANEXO (PARTE 2) DIAGNÓSTICOS E RECOMENDAÇÕES (MAPAS VIVOS DA UFCG) 2 DIMENSÃO MISSÃO E PDI MAPAS VIVOS DE

Leia mais

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL

MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL MEMORIAL DE REQUISITOS CONSTRUTIVOS PARA PROJETO DE CONCESSÃO DE ÁREA PARA HOTEL NO AEROPORTO INTERNACIONAL DE SÃO LUIS (MA) - SBSL 1. DIMENSIONAMENTO E CLASSIFICAÇÕES 1.1 Área do terreno: 7.528,02m² (sete

Leia mais

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico

Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico PREMIO NACIONAL DE QUALIDADE EM SANEAMENTO PNQS 2011 INOVAÇÃO DA GESTÃO EM SANEAMENTO - IGS Inclusão Social pelo Projeto de Educação: Saneamento Básico SETEMBRO/2011 A. OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade

Leia mais

Realize seu maior sonho com a MRV.

Realize seu maior sonho com a MRV. Realize seu maior sonho com a MRV. A MRV, a maior construtora brasileira em seu segmento, já realizou o sonho da casa própria de milhares de pessoas em mais de 60 cidades brasileiras, além do DF. São mais

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 1 ÍNDICE CRONOGRAMA ------------------------------------------------------------------------------- 3 CATEGORIAS -------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br)

Questionário de avaliação de Práticas X Resultados de projetos - Carlos Magno Xavier (magno@beware.com.br) Obrigado por acessar esta pesquisa. Sei como é escasso o seu tempo, mas tenha a certeza que você estará contribuindo não somente para uma tese de doutorado, mas também para a melhoria das práticas da Comunidade

Leia mais

Da Redação. 22 Climatização & Refrigeração MaIo 2005. Em sua primeira edição na capital. Para o diretor da Armacell, John Johanes Van Mullem, diretor

Da Redação. 22 Climatização & Refrigeração MaIo 2005. Em sua primeira edição na capital. Para o diretor da Armacell, John Johanes Van Mullem, diretor 22 Climatização & Refrigeração MaIo 2005 Em sua primeira edição na capital cearense o SANNAR Salão Norte-Nordeste de Ar Condicionado e Refrigeração, realizado nos dias 27 e 28 de abril, conseguiu atender

Leia mais

Plano de Trabalho ADEMI e a Sustentabilidade 2012-2014

Plano de Trabalho ADEMI e a Sustentabilidade 2012-2014 Plano de Trabalho ADEMI e a Sustentabilidade 2012-2014 Objetivos e Premissas do Plano Objetivos do Plano 1 Aperfeiçoar a condução das ações relativas ao tema sustentabilidade na ADEMI 2 - Guiar (instrumento

Leia mais

PBQP-H - Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat

PBQP-H - Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat PBQP-H - Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat Definição O Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) é um conjunto de ações desenvolvidas pelo Ministério

Leia mais

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA

Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA 1 Cartilha do ALUNO EMPREENDEDOR POLITÉCNICA Diretor Acadêmico: Edison de Mello Gestor do Projeto: Prof. Marco Antonio da Costa 2 1. APRESENTAÇÃO Prepare seus alunos para explorarem o desconhecido, para

Leia mais