CONSUMIDOR OMNI-CHANNEL GANHA FORÇA E OBRIGA VAREJISTA A MUDAR ATENDIMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSUMIDOR OMNI-CHANNEL GANHA FORÇA E OBRIGA VAREJISTA A MUDAR ATENDIMENTO"

Transcrição

1 CONSUMIDOR OMNI-CHANNEL GANHA FORÇA E OBRIGA VAREJISTA A MUDAR ATENDIMENTO Tecnologia de informação invade o varejo para enfrentar novo desafio, como desenvolver a gestão inteligente de dados ou Business Intelligence Por GERSON GENARO Os varejistas brasileiros voltaram com uma pulga atrás da orelha após participação recorde (quase dois mil) no maior evento do setor, o Big Show da National Retail Federation (NRF), cujo tema central foi a próxima geração do varejo (Next), justamente por aprofundar um dos conceitos que mais mudanças provocam no mundo. Com sufixo em latim que significa todos ou diversos, Omni- -Channel virou uma das temidas ondas que redesenham o mercado por longos períodos de tempo, como foi o surgimento das lojas de departamentos há mais de 50 anos, dos shopping centers, das redes mundiais nos anos 60 e 70, como o Walmart, e mais recentemente das lojas digitais. 28

2 Milena Leal, especialista em varejo da Oracle O grande diferencial deste ano, enfatiza a especialista em varejo da Oracle, Milena Leal, foi o consenso sobre a necessidade de se investir em tecnologia para acompanhar o surgimento do novo consumidor que se desenvolve no ambiente digital, a partir do forte crescimento dos novos dispositivos móveis (móbile). O que era apenas uma tendência na edição anterior da NRF investir na integração das diversas plataformas de negócios para ter uma estratégia global virou uma necessidade com a evolução do próprio consumidor, cada vez mais onipresente. A questão é que nem os varejistas norte-americanos, brasileiros e dos demais países sabem exatamente o que fazer para lidar com o problema. As vendas são feitas por canais fragmentados, sem uma política integrada, mas o fato é que o consumidor já é multicanal e exige cada vez mais respostas objetivas do varejista. Como, pelo menos, ter o mesmo banco de dados de produtos, preços, promoções. Não importa se compra na loja de tijolo, por telefone, catálogo ou por intermédio de cliques no comércio eletrônico ou de porta em porta. Ele quer ser bem atendido, encontrar os mesmos produtos oferecidos tanto na loja física como virtual, ter ótima experiência de compra, poder testar o produto, conhecer a opinião de outras pessoas de suas redes sociais, conseguir descontos e assim por diante. A falta de uma estratégia Omni- -Channel já provoca um fenômeno preocupante, o surgimento de showroomers, levas de consumidores que entram em uma loja física, degusta o produto e por meio de seu smartphone faz a compra em um concorrente que oferece o menor preço. Já são 40% dos consumidores nesta situação e tendem a aumentar. O novo conceito, portanto, representa a evolução da antiga tendência (multicanal) que caracteriza os negócios atuais, em que clientes e empresas estão cada vez mais interconectados mediante diferentes canais como lojas físicas, websites, dispositivos móveis etc. No entanto, a comunicação e os processos de venda neste modelo estão dispersos, o que impacta de forma negativa a experiência dos consumidores. A FORÇA DO CONSUMIDOR Existe uma grande diferença entre o conceito multicanal e Omni-Channel, explica o vice-presidente do Ibevar, Eduardo Terra, que participou do recente evento Pós-NRF organizado pela Associação Brasileira de Franchising (ABF). Na estratégia multicanal o varejista vende por diversos canais, seja na loja física, virtual, por telefone ou máquinas de venda. A grande novidade é que o consumidor omni-channel começa a exigir que as empresas tenham políticas unificadas e integradas, não interessa se compra pelo telefone, internet ou na loja física, quer encontrar os mesmos produtos, as mesmas condições, comprar em uma loja e poder reclamar ou trocar em outra da rede. Este é o desafio dos varejistas que irão implementar o Omni- -Channel, mais por exigência do consumidor, identifica o professor e vice-presidente do Ibevar. Seja como for, o avanço do Omni-Channel provoca uma reação positiva, a necessidade de o varejista investir mais na inteligência do negócio. O marketing torna-se mais eficiente com ofertas destinadas a públicos específicos, definidos por ferramentas analíticas que identificam padrões de compra, afinidades de redes sociais, visitas a sites, programas de fidelidade e técnicas de mineração de dados (data mining), entre outros. Pesquisas mostram que o consumidor Omni-Channel gasta até 30% mais e desenvolvem laços de fidelidade mais fortes com a marca que sabe respeitar seus desejos. Os varejistas que utilizam uma abordagem Omni-Channel estão no topo da lembrança ou consciência dos consumidores, por sua experiência imersiva e superior de compra. Eduardo Terra, vice-presidente do Ibevar

3 Outra novidade deste ano na NRF é que se começou a falar mais da tecnologia de informação para aumentar vendas no varejo e menos como automação (caixa automático, atendente virtual). Hoje o varejo usa mais ferramentas de análise para mapear o potencial de consumo e desejos dos consumidores, com o uso de programas de Business Intelligence para deglutir a imensa quantidade de dados (Big Data) que trafegam na internet e redes sociais, relata Terra. A NRF deste ano, reforça Milena Leal, da Oracle, destacou justamente como a tecnologia pode ajudar para melhorar a satisfação do cliente e na implementação das mudanças requeridas pelos consumidores, como a integração dos canais, do back-office com a loja física e virtual, e, mais importante ainda, como atrair o usuário para ficar mais próximo de sua marca e encantar o consumidor, por meio de um ótimo atendimento, gerador de sensação de felicidade e bem-estar do usuário. O grande problema é que a maioria dos varejistas possui sistemas legados adquiridos para suportar negócios separados e hoje exige-se que deveriam estar tudo integrado, o que dificulta a migração para novas soluções alinhadas ao consumidor onipresente. A necessidade de fazer altos investimentos em novas tecnologias representa mais um bloqueio ao ajuste que precisa ser feito. Mas existem soluções para que o varejista aproveite seus sistemas legados e caminhe para a integração de seus canais de acordo com a sua necessidade, sem desperdiçar as plataformas existentes, ressalva a consultora da Oracle. Será a década da evolução integrada das plataformas de negócios (E-Platform), avisa. A boa notícia é que já existem soluções para os varejistas conseguirem integrar, de ponta-a- -ponta, todas as suas plataformas de negócios e demais aplicações e canais para lojas físicas e comércio eletrônico, bem como para a gestão de CRM, redes sociais, autoatendimento. Não basta apenas ter informação sobre o usuário, suas preferências e histórico de compras. É preciso saber lidar com o usuário, desenvolver atendimento diferenciado, obter informações por diferentes canais, redes sociais e fazê-lo mais feliz com a experiência da marca, tanto quanto possível, aponta Milena. Na palestra Lojas digitais, a próxima geração do varejo, Sucharita Mulpuru, da Forrester Research, apresentou dados de pesquisa recente (2012) sobre o crescimento de dois dígitos do varejo online e com exemplos de crescimento na casa dos 40% (Amazon), o que é impressionante e traz como realidade um pensamento de que o canal de vendas que antes era pouco expressivo torna-se o mais relevante, lembra o presidente da Praxis Businnes, Adir Ribeiro, que também participou do evento da ABF. Foi demonstrado que quatro de cada dez usuários de smartphones pesquisam por produtos e preços enquanto estão dentro da loja. Este consumidor é chamado de showroomer, e ele questiona preços, promoções, etc em relação a outro canal de vendas ou de um concorrente e pode se decidir por fazer a compra fora da loja, conceito chamado de showrooming. Alguns varejistas pensam em estratégias para combater showroomers, enquanto deveriam concentrar energia para trazê-lo para o seu lado e usar seu poder de influência. Sem dúvida essa é uma tendência e o varejo e o franchising brasileiro precisam estar atentos, observa Adir Ribeiro. A Forrester estima que o e-commerce se aproxima dos US$ 200 bilhões em receita nos Estados Unidos e responde por 9% do total de vendas do varejo, acima de 5% há cinco anos. O valor sobe para cerca de 10% no Reino Unido, 3% na Ásia-Pacífico e 2% na América Latina. Globalmente, o varejo digital já oscila entre 15% e 20% das vendas totais, embora a proporção oscile significativamente por setor. Além disso, o varejo digital passou a ser altamente rentável. O retorno da Amazon na média de cinco anos sobre o investimento, por exemplo, é de 17%, enquanto as tradicionais lojas de desconto e de departamento é de 6,5% em média. É PRECISO CERCAR O CLIENTE Ter uma atuação multicanal, que combine as vendas físicas e digitais com a melhor experiência possível de compra, deixou de ser opcional. É preciso cercar o cliente de todas as formas. O grande desafio agora é como fazer funcionar uma estratégia Omni- -Channel na prática, resume um dos participantes, Marcio Caputo, vice-presidente para a América Latina do Grupo ASSA, uma das principais empresas especializadas em mudar processos de negócios do varejo. Marcio Caputo, vice-presidente do Grupo ASSA 30

4 A maior certeza pós-nrf é que as empresas precisam se reorganizar, em especial na área logística e processos de negócios, para fazer tudo dar certo, assinala Caputo. Os varejistas devem investir mais em tecnologia de informação ou em ferramentas de análises que antecipem desejos e tendências dos consumidores, além dos tradicionais gastos em modernização dos caixas eletrônicos, segurança/perdas e gestão de estoques, reforça. O ponto alto da NRF foi justamente sobre como colocar o Omni- Channel em prática, portanto falou- -se muito sobre e-commerce e sobre mobilidade. Mas tanto o e-commerce como mobilidade ainda estão muito longe de serem equacionados pelos varejistas, pois tanto um quanto outro só funcionam com uma logística apuradíssima. A Amazon foi premiada pela NRF e, entre milhões de coisas que se falaram dela, é que seu sucesso ou de uma empresa que só tem um canal de vendas, o e-commerce, depende da logística apuradíssima que ela tem. Todos que investem para montar ou aprofundar o e-commerce, sem tratar da logística, terão problemas. Falar de Omini-Channel é abordar o e-commerce e a mobilidade, sem dúvida. Mas falar de e-commerce sem falar de logística, para mim vai ficar um buraco muito importante dentro das empresas. Esse é um ponto essencial, ressalta Caputo. Outro ponto relevante indicado pela NRF é que a mobilidade tornou-se um grande negócio. Para mim mobilidade é muito mais que uma aplicação para Iphone. Uma pesquisa informa que 80% das pessoas estariam dispostas a fornecer os dados do GPS do seu telefone em troca de ofertas personalizadas. Esse é uma dado poderosíssimo. Já existem ações de marketing nesta direção. Uma empresa instalou em um shopping no Rio de Janeiro uma solução de mobilidade para iphones e demais dispositivos móveis. Quando a pessoa faz o check-in avisa que chegou ao shopping e, em troca desta informação, ele ganha o estacionamento de graça. A mobilidade vai crescer mais com novidades como a troca. O grande desafio da mobilidade é como eu trato o cliente como um só. É melhor eu pagar R$ 10 de estacionamento, pois sei que eu tenho uma oferta imbatível de venda, que é só dele, avalia Caputo. Ainda dentro do terreno do Omni-Channel e da mobilidade, ambos compartilham dois desafios em comum. Um deles é como redefinir a estrutura organizacional de uma empresa e demais processos de negócios para potencializar o canal de e-commerce em busca também da mobilidade, aponta Caputo. Eu participei de alguns debates na NRF e eu nenhum deles as pessoas responderam de forma unânime a pergunta sobre como planejar o canal virtual. Se separado ou junto com todas as suas compras. Se o comprador é único para o canal virtual ou se existe um canal para o comprador físico. A pessoa responde ao marketing ou ao departamento comercial? O varejista tem um centro de distribuição para o canal virtual e outro para o canal físico ou compartilham o mesmo CD? Para essas quatro perguntas, não houve consenso. Portanto, além de ter uma logística apurada, todos precisam saber o que fazer com os dados hoje disponíveis dos meus clientes de forma que eu possa tratá-los como únicos, especiais. Algumas grandes redes varejistas já possuem scanner que lê um chip embutido no cartão de crédito ou ainda alguma aplicação que identifica o seu telefone. O gerente da loja sabe que você está lá para fazer compras e pode até oferecer, eventualmente, algum produto customizado. Portanto, para que seja tratado como uma pessoa única, apenas o seu histórico de compras comigo é insuficiente. Algumas ferramentas analíticas mais poderosas conseguem em segundos processar todas as informações que envolvem o cliente até encontrar algum padrão para gerar uma ação de marketing, coma oferta de um produto, ou para tratá-lo como cliente único, com esmero e atenção. Foi justamente este ponto, como conquistar o amor dos clientes, que mereceu amplo destaque na NRF. Delegação da ABF, na NRF FEV/MAR 2013 Varejo, Serviços & Oportunidades 31

5 Tudo o que precisamos é de amor O novo desafio das redes é montar estratégia multicanal para conquistar o respeito do consumidor onipresente Gustavo Schifino, vice-presidente da ABF A participação na NRF 2013 confirmou a tendência de que a tecnologia já tem, e cada vez terá mais, um papel de extremo destaque nos processos de compra e venda A tecnologia transformou o comportamento. Mobilidade e internet fazem parte da revolução digital que estamos vivendo, acrescenta o vice-presidente da ABF, Gustavo Schifino. Para ele, os empresários devem atuar em prol de uma causa própria e planejada às diretrizes da revolução digital que está acontecendo. O propósito de uma causa, aliado à consciência do papel da tecnologia, faz com que a empresa envolva-se com seu cliente. Esta postura faz parte de um novo tipo de liderança emergente no mercado, com gerentes preocupados em tornar inesquecível a experiência entre consumidor e marca, declara Schifino. Certa vez perguntaram ao mago do entretenimento familiar Walt Disney porque gastava tanto dinheiro com os deslumbrantes desfiles em seu eterno Disney World, pois sabia que as pessoas sempre voltavam ao parque temático por ter uma clientela cativa, alimentada pela magia de seus personagens que vence gerações. Ele respondeu: simples, quero ser amado ainda mais. A história, contada por Linda Hundt, uma premiada empresária de Michigan, para justificar a sua tática de receber os clientes na porta com carinho, esmero e atenção para vender mais tortas em sua padaria, serviu como um lembrete no sentido de que empresários bem-sucedidos sempre procuram novas maneiras de serem amados pelos clientes. Hundt foi uma das palestrantes deste ano do maior evento do varejo mundial, o Big Show da National Retail Federation (NRF), cujo tema principal foi justamente a adoção de novas tecnologias para tornar as lojas mais humanas no antigo estilo familiar de atender o cliente. Logo na entrada os participantes se deparavam com um imenso letreiro Love, que fazia lembrar a música de John Lennon, de tudo o que precisamos é, na verdade, de amor (All you need is Love). É claro que os varejistas sabem bem disso e o ensinamento da proprietária da padaria de Arquivo Editora Lamonica José Lamônica, publisher da Editora Lamonica, registra letreiro na 5 th Avenue, em Nova York, que marcou a NRF 2013 Michigan não pode ser a única resposta para as redes brasileiras, mas serve sim de exemplo sobre como utilizar o calor humano como um fator importante de diferenciação. Linda Hundt recebe os clientes na porta com abraços, distribui sorrisos, amor e oferece guloseimas aos animais de estimação, a experiência mais quente e original que puder dar, além de entregar seus produtos em embalagens únicas e personalizadas. Portanto, ser um varejista independente em um mar de grandes lojas pode ser até mesmo assustador, mas há um lado positivo: a capacidade de ser criativo. 32

6 Bem, se amor não pode ser empacotado pelas redes, o que faz um crescente número de varejistas brasileiros trocar, todo início de ano, as nossas belas praias em plenas férias de verão pelo frio polar de uma gélida Nova Iorque e, de quebra, ser metralhado por fornecedores de novas e caras tecnologias, equipamentos e intermináveis novos conceitos e soluções que irão desafiar os gestores à frente da condução de suas redes de negócios, em busca de melhores resultados financeiros e operacionais? A resposta, sem meias palavras, é: evitar desaparecer do mapa. O tema amor na NRF surgiu sobre como a tecnologia pode ajudar o varejista oferecer um tratamento diferenciado ao cliente, a ter momentos de felicidade com a sua marca. A imensa maioria dos varejistas está consciente de que precisa mudar, mas ainda não decidiu como integrar os canais. Não sabem como gerenciar as novas demandas dos consumidores, como comprar no e- -commerce e poder retirar na loja, ou experimentar na loja e comprar no e-commerce. Ainda não tem controle e nem visibilidade sobre o que acontece em todos os pontos por falta de integração, apesar de já existirem ferramentas cuja proposta é justamente gerenciar todos os processos e canais existentes, como a logística/supply-chain, para não só integrar todas as soluções com o e-commerce como melhorar a experiência de compra do consumidor, sublinha a especialista da Oracle, Milena Leal. Pode ainda direcionar o cliente para os produtos mais rentáveis que deseja ofertar, de acordo com a disponibilidade de estoque. Existem ainda soluções para interagir com o cliente durante sua compra, com o serviço de SOS on-line, para tirar dúvidas em tempo real e conversar Empresários circulam pelos corredores da NRF 2013 com o atendente. Através de busca avançada cria condições de dar um tratamento diferenciado ao cliente, detalha Milena. AGORA OS CLIENTES QUEREM TUDO Estamos só no começo de uma nova onda avassaladora que já redesenha o varejo mundial, aponta o líder mundial da área de varejo da consultoria Bain & Co, Darrell Rigby: as especificações do varejo mudam velozmente na esteira do Omni-Channel. Os clientes querem tudo, as vantagens do comércio digital, como a ampla seleção, informações sobre o produto, opiniões dos clientes e dicas de sua rede social. Eles querem também as vantagens de lojas físicas, tais como o serviço de pessoal, a capacidade de tocar os produtos e a melhor experiência possível dentro da loja.o que vale para diferentes segmentos de clientes, produtos e valores, mas todos são propensos a querer perfeita integração do digital e do físico. Em breve será difícil até mesmo definir o que é uma venda puramente de e-commerce. Acontece de o cliente ir a uma loja e descobrir que não tem a cor ou numeração de sua preferência ou que o produto está fora de estoque; usa um terminal na própria loja para localizar o que deseja em outro local e pede para enviá-lo para sua casa. E se o cliente dentro de uma loja usa seu smartphone para encontrar um preço mais baixo em outra loja e decide fazer a compra eletronicamente junto ao concorrente? Ou ainda compra pelo site e retira em uma loja física próxima de sua casa? É um novo mundo que se abre para o varejo. Especialistas estimam que a informação digital já influencia cerca de 50% das vendas da loja, e esse número cresce rapidamente FEV/MAR 2013 Varejo, Serviços & Oportunidades 33

7 Darrell Rigby em palestra para varejistas brasileiros Paulo Cesar Mauro, presidente da Global Franchise Darrell Rigby mostrou em palestra para varejistas brasileiros, em um evento complementar à NRF na Harvard, que todas as vinte maiores empresas do varejo norte-americano na década de 70 simplesmente desapareceram, e das vinte maiores na década de 80, ficaram apenas duas. E provocou: imagina o que vai acontecer agora com as mudanças que vieram depois da década de 90 e mais recentemente com o domínio da internet e da mídia digital? Quando uma empresa como a Amazon entrega um produto em menos de 24 horas coloca em risco todo o varejo tradicional existente, exceto talvez os serviços, onde é mais difícil ela entrar, mas não é impossível, observa o presidente da Global Franchise, Paulo Cesar Mauro, que participou do evento. No fundo quem possui uma rede física hoje precisa aproveitar mais esta vantagem e não deixar que isto se torne uma desvantagem. Tem de trazer o cliente para testar produtos, para participar do desenvolvimento de produtos, para vivenciar experiências, enfim, fazer coisas que uma entrega virtual tenha mais dificuldades. Tem de ter agilidade, usar os pontos de venda para logística de entrega, integrar com as lojas virtuais, com redes sociais, enfim, mostrar para o cliente que você é diferente e está ali para tornar a vida do seu cliente mais fácil, mais alegre, mais feliz. Se você não conseguir isto não vai sobreviver, acrescenta Paulo Cesar. Outra coisa importante a destacar é que o mercado brasileiro de lojas físicas de shopping centers é muito diferente do americano e neste ponto temos muitas vantagens, ressalta o presidente da Global Franchise: conseguimos viabilizar nossos shopping centers a longo prazo. Isto porque no Brasil o shopping não é apenas um centro de compras como é nos Estados Unidos. No Brasil o shopping center é local de encontro, para fazer quase qualquer tipo de serviço, é local para muito lazer, e isto faz com que nossos clientes vivenciem o shopping por muitas horas e muitos dias. Nos Estados Unidos, a grande maioria dos shopping centers só tem lojas e alimentação. Não tem cinema, teatro ou serviços diversos. Por isto, as lojas de shopping no Brasil são muito mais rentáveis do que nos Estados Unidos. Aqui pagamos até luvas. Aprendemos com eles a fazer shopping centers, mas hoje podemos ensinar como torná-los templos de consumo, onde até a geração Y, que compra pela internet e pelo smartphone, passa os dias com os amigos nos nossos shoppings. Uma estratégia Omni-Channel bem-sucedida não deve garantir somente a sobrevivência do varejista, não importa seu tamanho. Ela deve fornecer o tipo de revolução nas expectativas e experiências dos clientes que acontecem a cada 50 anos. Os varejistas precisam entender que as vendas digitais e físicas se complementam em vez de competir. No ambiente de hoje, varejista que aprender a tirar proveito de ambos estará bem posicionada para o sucesso, diz Righby. O vice-presidente de e-commerce da Walgreens, Miguel Almeida, falou sobre o tema Derrubando as paredes: ganhando em um mundo sem muros, que é uma metáfora para não ter distinção entre o e-commerce e as lojas físicas. Ele apresentou o case do Walgreens que é uma empresa com mais de cem anos, com faturamento superior a US$ 70 bilhões e que desenvolve grandes esforços e investimentos para se tornar uma companhia Omni-Channel. A empresa criou um aplicativo que está entre os dez mais baixados na Apple Store. Almeida trouxe como mensagem, aponta Adir Ribeiro, a sua experiência na Walgreens: comece 34

8 Adir Ribeiro, presidente da Praxis Businnes desenhando a experiência de consumo desejada e depois encontre os processos, o modelo de negócio e a tecnologia que precisa para entregar isso ao cliente. Entre outros desafios, Adir Ribeiro destaca a oportunidade de gerar o encantamento do cliente por meio de uma experiência de consumo espetacular. Explorar as percepções no ambiente do ponto de venda e aproveitar as chances de vendas com a visita dos clientes aos pontos de vendas E o uso de informações estratégicas para gerar inteligência do negócio. Portanto, colher dados dos clientes. Outra grande lição passada aos varejistas: as empresas precisam ter um propósito (razão de existir/missão) mais profundo e que envolva a sociedade e que respeite as pessoas que trabalham por ela; gerar mais engajamento com as equipes, em que os líderes têm papel fundamental nesse processo, acentua Adir Ribeiro. As palavras de ordem: menos estratégia e mais execução; cumprir a promessa da marca e sem espaço para a mediocridade. Como inspiração para o franchising, Adir menciona ter o consumidor no centro das decisões de novos canais de vendas e tornar o processo mais transparente para as redes de franqueados. A invasão brasileira A edição de 2013 da NRF contou com 27,6 mil participantes, dos quais 6,5 mil estrangeiros de 82 países. O Brasil mandou o maior contingente, Ao todo foram 140 palestras durante quatro dias, além de eventos paralelos (visitas técnicas do Grupo da Associação Brasileira de Franchising a empresas referências de excelência e apresentações na Harvard Club). Do ponto de vista geral, aumentou o número de brasileiros este ano, o que reflete a tendência de globalização e adoção de novas tecnologias pelo varejo no Brasil. Também podemos notar a participação mais massiva de gerentes de tecnologia (anteriormente a participação era mais concentrada nas diretorias de operações e marketing), o que também indica que as soluções tecnológicas evoluíram de simples conversas puramente estratégicas para atingir grau da execução. Também ficou evidente a relevância da participação do Brasil no evento e no cenário mundial de varejo: muitas das soluções e demos apresentadas já traziam o brasileiro como público-alvo; esta tendência já observamos desde 2010 e acentua-se bastante, nota Cleber Morais, presidente da Bematech, um dos participantes do evento. Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF, destaca a participação de brasileiros também no Fórum Internacional das Associações de Varejo, reunião durante a NRF que contou com 42 países e representantes da ABF, IDV, Alshop e CNDL. Dois temas foram os mais importantes nesta reunião regulamentação do e-commerce e obtenção de crédito. Vimos que não existiu um clima tão festivo em relação ao Brasil, a Indonésia está à nossa frente nos interesses das marcas. Temos que reavaliar nosso posicionamento. Copa e Olímpiada não são a salvação da lavoura. O Brasil perdeu um pouco da mão. China e Camboja tiveram um forte crescimento no consumo e do varejo. O Sul Asiático está com maior visualização para investimentos. O Brasil perde espaço por conta da burocracia, carga tributária e logística, adverte Camargo. Deixamos de ser a bola da vez. O Brasil, por não ter feito a lição de casa, perdeu uma grande oportunidade, mas é reversível. Somos criativos, mas falta eficiência e uma produtividade maior para nós alinharmos ao varejo de todo mundo, reforça o diretor de cursos e eventos da ABF, Juarez Leão. No encontro, lojas brasileiras conquistaram importantes prêmios, como RDI (a loja da Mistral do Shopping JK São Paulo ganhou com o projeto pelo Studio Arthur Casas); e o Outlet Premium, de Itapeva, também levou o prêmio Internacional Concil of Shopping Centers, assim como a loja Natura Store, de São Paulo. FEV/MAR 2013 Varejo, Serviços & Oportunidades 35

9 HARVARD CLUB Uma delegação organizada pelo Ibevar esteve no Harvard Club. A visita ajudou a consolidar o objetivo da viagem que era a busca de conhecimento. Passamos um dia em Harvard Club e construímos seminários exclusivos para o nosso grupo, destaca o professor e vice-presidente do Ibevar, Eduardo Terra. As palestras abordaram as duas principais estratégias hoje no varejo barsileiro, como reduzir custos e a necessidade de se diferenciar. O Brasil hoje, em termos de store design, é referência. O desafio é buscar os 5%, porque 95% das ideias para ser diferente elevam os custos e 95% das ideias para reduzir custos afetam a diferenciação. Como trabalhar fidelização e como vou oferecer diferenciação para o cliente são outras preocupações hoje para o varejista, assinala Terra. Terra destaca dois cases, um positivo e outro negativo. A Amazon, uma das trinta maiores empresas varejistas do mundo, tem 25 milhões de itens ativos e capacidade de construir e inovar rapidamente. Entre as mais recentes, Amazon Prime (serviço em que o cliente paga para participar do programa de benefícios da varejista), Amazon Locker (parceria com o varejo que facilita a logística e aumenta fluxo) e Same Day Delivery (serviço de entrega mais rápido). Temos de olhar para a Amazon como uma escola, aponta Terra. Um case negativo destacado pelo vice-presidente do Ibevar foi a Best Buy, com lojas grandes e em excesso, foi preciso reduzir os custos e com isso o serviço piorou. A Best Buy é o grande case para se discutir showroomer aquele cara que vê tudo o que quer e não compra nada, aponta Terra. Temos o desafio de fazer a interação de canal. Estamos em um momento de convergência de tudo. Omini-Channel é uma abordagem única, de estar em todos os canais, mas da mesma forma Juarez Leão, diretor de cursos e eventos da ABF Nas visitas às lojas, observa Juarez Leão, a gente mede a dispersão que tem entre o que é falado e o que se faz. Isso faz com que tenhamos uma criticidade maior. Temos o desafio de fazer a interação de canal. Estamos em um momento de convergência de tudo. Omini- -Channel é uma abordagem única, de estar em todos os canais, mas da mesma forma. Não só para vender, mas para oferecer experiência ao consumidor. É uma evolução do varejo multicanal, avalia Juarez, que também destacou a maior qualificação dos participantes neste ano. O nível de profissionalismo dos participantes era de gerência para cima; percebemos que o varejo quer tirar o estigma de que oferece trabalho temporário e mal remunerado. Nos Estados Unidos, a cada quatro postos de trabalho, um é no varejo. Então, vimos também uma preocupação sobre geração de empregos entre os palestrantes. No balanço geral, uma das descobertas é que a tecnologia precisa ter um lado mais humano para revitalizar as lojas de tijolos e, assim, estancar a perda de consumidores bem informados que pesquisam antes preços, testam os produtos nas lojas físicas mas preferem as comodidades das compras pelos cliques do onipresente varejo digital. Na verdade, grande parte das soluções expostas na NRF procura uma reconciliação mais amigável entre lojas físicas e eletrônicas pela estratégia multicanal (omnichannel) a partir da explosão das novas tecnologias sociais, móveis e digitais que mudaram profundamente a forma pela qual os consumidores adquirem e decidem como gastar seu dinheiro. Como reflexo da nova realidade surgem novos gurus de redes sociais e tecnologias, das análises preditivas para antecipar os desejos dos clientes e a promoção do antigo modo de atender o cliente com calor humano. Ter um propósito, no varejo, passou a ser um fator decisivo, mostra Adir Ribeiro, da Práxis. Não é mais lucro que importa, porque o varejo é feito de gente. Não dá para não pensar no elo com o franqueado. Howard Schutz (CEO da Starbucks) disse durante palestra que é preciso que as empresas busquem propósito; é preciso compartilhar o sucesso; criar uma conexão emocional que vai além do marketing tradicional. Bill Simon (CEO do Walmart) disse que quando você tem um propósito claro, toda e qualquer decisão fica mais simples. Não dá para ferir valores e princípios. Outra questão muito debatida é a de que o varejo oferece carreira. Quando nos unimos em equipe, não há nada que possamos fazer. Missão, valores e objetivos precisam ser aplicados na prática. As pessoas querem empresas autênticas e transparentes. Temos de definir melhores métodos com nossas equipes, reforça Adir. 36

10 As novas tecnologias Em relação ao ano passado, Paulo Rubens Francez, presidente da E-Diploy, nota que a percepção é que as grandes empresas estão mais com os pés no chão, até pela própria crise econômica mundial. Ano passado, elas apresentaram sonhos. Nesta edição, eles diminuíram os sonhos. O que é fato é que não dá para ficar fora do digital. E quem não investir vai perder competitividade, resume. A loja física precisa mudar, a experiência do cliente digital deve ir até o ponto de venda físico. Nesta linha foram apresentadas várias soluções para a interatividade do cliente, bem como, para a compra em casa e retirada na loja física. Entre os destaques em matéria de evolução tecnológica, Francez inclui: Big Data: Conceito que se aplica à massificação de dados como instrumento de ajuda para a tomada de decisões de negócios. Todas as informações corporativas, de mercado e clientes são armazenadas, e sistemas analíticos garimpam as informações que podem ser úteis na montagem de estratégias de vendas Migração dos pagamentos mobile para tablets: o que antes era uma teoria, uma tendência, já encontramos aplicações no varejo. O mobile payment já é uma realidade no mercado americano em muitos estabelecimentos e até no taxi. Muitas empresas apresentaram suas soluções. POS (Point-of-sales) estão mais inteligentes e integrados com o mobile. Encontramos POS móveis. Interatividade do cliente como o cliente migra para a internet, a tendência é dar a mesma experiência que ele encontra na internet também na loja. É permitir que possa encontrar mais elementos na loja virtual estando na loja física. Redes sociais ainda desafiam muitas empresas e são ferramentas necessárias. RFID: o custo das etiquetas eletrônicas diminui a cada ano. E algumas tecnologias apresentadas integravam as etiquetas com as etiquetadoras, como por exemplo o tablet integrado ao estoque. A etiquetadora identifica a peça, marca o preço e passa a informação para o smartphone ou tablet do etiquetador sobre quantas peças ainda faltam marcar. As empresas aperfeiçoam as etiquetas, que estão cada vez mais integradas. Realidade virtual: loja testam seus produtos na casa virtual do cliente mais usado pelo varejo de decoração. Vitrines virtuais: o varejista consegue trocar o padrão da vitrine digitalmente. Uma das grandes sensações foi a vitrine interativa, um display transparente que pode apresentar por meio de um computador todo tipo de imagem. Uma loja poderia mudar todo o tema, cores, apresentar promoções e lançamentos em segundos, diz Francez. Câmaras inteligentes: elas identificam se faltam produtos nas prateleiras e avisam o responsável pela área que é preciso fazer a reposição. Com o sistema, também é possível identificar os dias e os produtos que mais saem. Julio Takano, presidente da Abiesv OPINIÕES O presidente da Associação Brasileira da Indústria, Equipamentos e Serviços para o Varejo (Abiesv), Julio Takano, destaca a customização na experiência de compra aliada à tecnologia como um dos principais conceitos propagados no NRF de Ele cita uma máquina da Coca-cola, onde consumidor pode escolher diferentes misturas, seja com limão, vanilla, cereja ou laranja. Em relação às experiências de fortalecimento e interação com a marca em pontos de venda, Takano aponta uma máquina da mesma marca em que o usuário, ao abraçá-la, ganha uma lata de graça, uma espécie de display interativo. Ainda em relação às experiências de marca e tecnologia, aponta uma máquina de condimentos que antes de entregar o produto, seja uma pimenta ou coentro, exala um cheiro, para que o consumidor tenha a exata percepção do que está irá comprar. O uso de máquina de venda esta mais popular no comércio americano; até celulares, cartuchos, pen drives são possíveis adquirir sempre no sentido de aumentar as opções de acesso ao produto, em horários em que a loja FEV/MAR 2013 Varejo, Serviços & Oportunidades 37

11 Coca Cola destacou estratégias para 2013 está fechada, por exemplo, conta. Há situações em que o consumidor tira a foto de um código de barra do produto envia por celular para a loja e recebe o produto em casa. Outro aspecto que impressionou Takano foi o uso das redes sociais como facebook e twitter antes de se fechar uma compra. Se há dúvida em relação à qualidade do produto, o consumidor envia uma mensagem para a sua comunidade e em segundos várias pessoas dão opiniões sobre eles. O arquiteto lembra ainda o aumento de lojas consideradas democráticas que oferecem vários produtos com tecnologia agregada direcionados para vários segmentos de públicos, como o caso de camisetas básicas produzidas com alta capacidade de absorção de calor a preços acessíveis. É um reflexo da crise americana para estimular o consumo e que ainda temos poucas no Brasil com este conceito. O associado da Abiesv, arquiteto Manoel Alves Lima, sócio da FAL Design Estratégico para Varejo, aponta o storytelling como um dos temas mais debatidos no NRF deste ano. Principalmente, na materialização no ponto de venda de uma história, associada aos valores e características da marca, capaz de ser compreendida e valorizada pelo público, explica. Entre os cases, menciona Alison Lewis, vice-presidente sênior de Marketing da Coca Cola, que destacou, por exemplo, a estratégia utilizada pela empresa para difundir seus valores, apoiada em filmes de propaganda extremamente emocionais, com conteúdo voltado para passar mensagens positivas e otimistas, sempre com um toque de humor e irreverência. Cenas de histórias que relatam atos simples, de pessoas comuns, podem fazer a diferença e iluminar o dia do outro ou até mesmo da coletividade. Inspiração pura, com a proposta de engajamento da coletividade em torno de uma ideia positiva, com ênfase na extrema simpatia como condição de liderança da marca. Já David Kepron, autor do livro Retail (r)evolution, afirmou na NRF, com base em Steve Jobs e a Apple, que as marcas de varejo devem criar ambientes amigáveis para contar, a cada visita, histórias capazes de inspirar e educar os seus consumidores. David descreveu os principais motivadores para consumir ao associar o ato de comprar ao de brincar. A fantasia e o envolvimento são fundamentais e a história seria o fio condutor para o nosso encantamento com as duas atividades. No Brasil já abraçamos este conceito de historia como exemplo, no trabalho implementado para a Bauducco, em que criamos uma ambientação alinhada com as expectativas do cliente. Mostramos a historia familiar, ao descrever como o carinho artesanal se transformou num gigante industrial que primou pela manutenção do cuidado na produção de itens saudáveis e deliciosos, conta. Todos nós adoramos uma boa história e as marcas compreendem melhor que precisam usar cada vez mais a ambientação da loja para declarar seu posicionamento, filosofia, credos e valores, no sentido de criar empatia com o seu publico e transformar consumidores eventuais em clientes fieis, recomenda Lima. No quesito sustentabilidade, a NRF destacou três importantes palavras que devem nortear o varejo: inovação, carreira e comunidade. Segundo o presidente da NRF, Matthew Shay, um varejo saudável alavanca a economia, promovendo empregos e grandes carreiras. Isso expressa a tendência de um varejo mais sustentável: Liderança Sustentável, Consumo Consciente e Humanização nos Negócios, afirma a presidente da Afras, Fernanda Esposito. 38

SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015

SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015 SUPERMERCADOS: TENDÊNCIAS 2015 Tecnologias e soluções para aplicar na sua empresa e aumentar a sua competitividade. NRF 2015 ÍNDICE Objetivo...04 De multicanal para omnichannel...05 O propósito...05 Capital

Leia mais

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FACULDADE PITÁGORAS DISCIPLINA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Ms. Carlos José Giudice dos Santos carlos@oficinadapesquisa.com.br www.oficinadapesquisa.com.br Usando o SI como vantagem competitiva Vimos

Leia mais

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL?

POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? POR QUE OFERECER UM ATENDIMENTO MULTICANAL? Por que oferecer um atendimento multicanal? Este livro reúne em uma única fonte dicas para inovar na experiência com clientes, de um jeito simples e prático;

Leia mais

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013

ATÓRIO OBSERV. mcf*(penso) julho/agosto 2013 OBSERV ATÓRIO Outro dia, por mais uma vez, decidi que freqüentaria a uma academia. Como acabei de me mudar de casa, busquei no Google maps do meu celular por Academia e de imediato diversos pontinhos vermelhos

Leia mais

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL

RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE MINAS GERAIS RELATÓRIO DE VIAGEM INTERNACIONAL NRF 2013 BIG SHOW NOVA YORK - USA Montes Claros, fevereiro 2013 SERVIÇO DE APOIO AS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

Leia mais

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR

COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR COMO CONQUISTAR CLIENTES COM APLICATIVOS PARA CELULAR CONTEÚDO 1 2 3 4 5 6 Por que as empresas precisam estar conectadas ao mundo mobile Como os aplicativos mobile podem atrair mais clientes. Como os aplicativos

Leia mais

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes

CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes CRM - gestão eficiente do relacionamento com os clientes Mais que implantação, o desafio é mudar a cultura da empresa para documentar todas as interações com o cliente e transformar essas informações em

Leia mais

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce...

Bleez Agência Digital... 3. Quem sou eu... 4. Introdução... 5. Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7. Quem está comprando no ecommerce... Sumário Bleez Agência Digital... 3 Quem sou eu... 4 Introdução... 5 Quanto o ecommerce cresceu no Brasil... 7 Quem está comprando no ecommerce... 10 Por que os brasileiros estão comprando mais... 12 O

Leia mais

7 dicas para. melhorar. a performance do seu e-commerce

7 dicas para. melhorar. a performance do seu e-commerce 7 dicas para melhorar a performance do seu e-commerce Índice 03 Introdução 04 A invasão mobile 07 Mídias Sociais 10 OmniChannel: Sua empresa está preparada? 12 Marketing de conteúdo para e-commerce 14

Leia mais

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice

7 Passos Para a Criação de Uma Boa Loja Virtual. Índice 2 Índice Introdução... 3 Passo 1 Entender o que é Venda Online e E-commerce... 4 Passo 2 Entender o Mercado de Comércio Eletrônico... 5 Passo 3 Canais de Venda... 6 Passo 4 Como identificar uma Boa Plataforma

Leia mais

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa

Trabalho sobre Social Media Como implementar Social Media na empresa Como implementar Social Media na empresa 1 As razões: Empresas ainda desconhecem benefícios do uso de redes sociais Das 2,1 mil empresas ouvidas em estudo do SAS Institute e da Harvard Business Review,

Leia mais

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04

Gestão. Práticas. Editorial. Geovanne. Acesse online: 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) 03 e 04 Práticas de Gestão Editorial Geovanne. 02 01. Indicador de motivo de não venda 02. DRE (demonstração dos resultados do exercício) Como faço isso? Acesse online: 03 e 04 www. No inicio da década de 90 os

Leia mais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais

O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais O novo desafio das marcas: uma visão global dos hábitos dos clientes em dispositivos móveis e redes sociais SDL Campaign Management & Analytics Introdução Prezado profissional de marketing, A ideia de

Leia mais

Introdução. 1. O que é e-commerce?

Introdução. 1. O que é e-commerce? Introdução As vendas na internet crescem a cada dia mais no Brasil e no mundo, isto é fato. Entretanto, dominar esta ferramenta ainda pode ser um mistério tanto para micro quanto para pequenos e médios

Leia mais

PROFISSIONAL. Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso do seu Negócio On-line

PROFISSIONAL. Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso do seu Negócio On-line EDIÇÃO Nº 05 GRÁTIS FOTOGRAFIA PROFISSIONAL SOLUÇÕES PARA IMAGENS DE PRODUTO QUE CONQUISTARAM OS LÍDERES DO COMÉRCIO ELETRÔNICO Por que o Comércio Eletrônico em Multicanais é Fundamental para o Sucesso

Leia mais

O varejo e a era da disrupção

O varejo e a era da disrupção 10Minutos Varejo Total Retail 2015 - Pesquisa anual da PwC com os consumidores O varejo e a era da disrupção Destaques Os consumidores estão definindo sua própria abordagem de relacionamento com o varejo,

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

De Web to Store para Digital in Store

De Web to Store para Digital in Store Livro branco De Web to Store para Digital in Store Converta seus visitantes online para consumidores offline www.kontestapp.com Introdução O comércio digital e o comércio tradicional evoluem de formas

Leia mais

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO

COMÉRCIO ELETRÔNICO UM BREVE HISTÓRICO UM BREVE HISTÓRICO COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio sempre existiu desde que surgiram as sociedades. Ele é dito como o processo de comprar, vender e trocar produtos e serviços. Inicialmente praticado pelos

Leia mais

De Web to Store para Digital in Store

De Web to Store para Digital in Store De Web to Store para Digital in Store Converta seus visitantes online para consumidores offline www.kontestapp.com Introdução O comércio digital e o comércio tradicional evoluem de formas diferentes mas

Leia mais

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa

Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Os novos usos da tecnologia da informação na empresa Internet promoveu: Transformação Novos padrões de funcionamento Novas formas de comercialização. O maior exemplo desta transformação é o E- Business

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

O que é comércio eletrônico?

O que é comércio eletrônico? COMÉRCIO ELETRÔNICO O que é comércio eletrônico? O comércio eletrônico ou e-commerce é a compra e venda de mercadorias ou serviços por meio da Internet, onde as chamadas Lojas Virtuais oferecem seus produtos

Leia mais

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL

7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL DICAS PARA DIVULGAR SUA EMPRESA E AUMENTAR AS VENDAS NO FIM DE ANO 7 dicas rápidas de marketing digital para você sair na frente! MARKETING DIGITAL Sumário Apresentação Capítulo 1 - Crie conteúdo de alta

Leia mais

ÍNDICE PERFIL COMUNICAÇÃO COM UM PENSO A MAIS NOSSA FORMA DE PENSAR DIFERENCIAL O QUE FAZEMOS RELAÇÃO DE COMPETÊNCIAS METODOLOGIA GRÁFICO METODOLÓGICO

ÍNDICE PERFIL COMUNICAÇÃO COM UM PENSO A MAIS NOSSA FORMA DE PENSAR DIFERENCIAL O QUE FAZEMOS RELAÇÃO DE COMPETÊNCIAS METODOLOGIA GRÁFICO METODOLÓGICO ÍNDICE PERFIL COMUNICAÇÃO COM UM PENSO A MAIS NOSSA FORMA DE PENSAR DIFERENCIAL O QUE FAZEMOS RELAÇÃO DE COMPETÊNCIAS METODOLOGIA GRÁFICO METODOLÓGICO ESTRUTURA ORGANOGRAMA TALENTOS SINCRONIZANDO IDEIAS

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato. Marlety Gubel. agosto 2011

Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato. Marlety Gubel. agosto 2011 Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato Marlety Gubel agosto 2011 Estrutura da apresentação Consumidor multicanal Brasil: tendência dos canais e pontos de contato Cross Channel Commerce

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

Convergência TIC e Projetos TIC

Convergência TIC e Projetos TIC TLCne-051027-P1 Convergência TIC e Projetos TIC 1 Introdução Você responde essas perguntas com facilidade? Quais os Projetos TIC mais frequentes? Qual a importância de BI para a venda de soluções TIC (TI

Leia mais

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S A MELHOR OPORTUNIDADE PARA O SEU NEGÓCIO ESTÁ AO SEU ALCANCE NAS REDES SOCIAIS... O MUNDO É FEITO DE REDES SOCIAIS

Leia mais

DATA: 07/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: O FUTURO DOS SUPERMERCADOS E O SUPERMERCADO DO FUTURO OMNICHANNEL VOCÊ ESTÁ PREPARADO?

DATA: 07/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: O FUTURO DOS SUPERMERCADOS E O SUPERMERCADO DO FUTURO OMNICHANNEL VOCÊ ESTÁ PREPARADO? DATA: 07/05/2015 AUDITÓRIO: ESTRATÉGIA E GESTÃO TEMA: O FUTURO DOS SUPERMERCADOS E O SUPERMERCADO DO FUTURO OMNICHANNEL VOCÊ ESTÁ PREPARADO? PALESTRANTE: HUGO BETHLEM A Era do Consumidor Vivemos a Era

Leia mais

AQUI VOCÊ ENCONTRA! (67) 9674-5519 Salas comerciais, veículos, imóveis, serviços, produtos, ofertas, eventos e muito mais...

AQUI VOCÊ ENCONTRA! (67) 9674-5519 Salas comerciais, veículos, imóveis, serviços, produtos, ofertas, eventos e muito mais... Quem somos: O site msfacil.com.br, foi criado posteriormente do site ivifacil.com.br, que atendia somente a cidade de Ivinhema. Desde a criação do Ivifácil, já ocorria à expectativa para expansão do site,

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja.

com seu consumidores e seu fornecedores. Trazemos para aqui 40 dicas que vão ajudar no amadurecimento, crescimento e no sucesso da sua loja. Com a consolidação do comércio eletrônico no Brasil e mundo, fica cada vez mais claro e a necessidade de estar participando, e mais a oportunidade de poder aumentar suas vendas. Mas é claro que para entrar

Leia mais

Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio.

Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio. Os aplicativos da Godiva Apps, podem ser customizados para qualquer tipo de negócio. Restaurante Academia Farmácia Shopping Padaria Palestrante Concessionária Bar Balada Pizzaria Imobiliária Hotel Petshop

Leia mais

E-commerce 2013. @JoaoKepler. l e-commerce 2013 l

E-commerce 2013. @JoaoKepler. l e-commerce 2013 l E-commerce 2013 @JoaoKepler Showrooming OminiChannel Delivery (WebPickup e entrega) Behavior Social Media (SAC, Mkt, Metrica, monitoramento, engajamento, leeds e vendas) E-commerce o e-commerce não é mais

Leia mais

Campanhas Multi-Canais. Encontrando a combinação perfeita de estratégias de publicidade

Campanhas Multi-Canais. Encontrando a combinação perfeita de estratégias de publicidade Campanhas Multi-Canais Encontrando a combinação perfeita de estratégias de publicidade Campanhas Multi-Canais: Encontrando a combinação perfeita de estratégias de publicidade..............................................................

Leia mais

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro

Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro IBM Institute for Business Value Perspectiva do Segmento de Varejo Capitalizando sobre o Novo Consumidor Smarter Consumer Visão do Mercado Brasileiro Compreendendo e Respondendo às Necessidades e Desejos

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados

Thaísa Fortuni. 15 dicas de Mídias Sociais para Moda. Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Thaísa Fortuni Thaísa Fortuni 15 dicas de Mídias Sociais para Moda Copyright 2015 - Todos os direitos reservados Sobre Thaísa Fortuni Publicitária por formação, escritora e empreendora digital. Trabalha

Leia mais

Após sua exposição, o gestor terá até 10 minutos para perguntas e respostas.

Após sua exposição, o gestor terá até 10 minutos para perguntas e respostas. Caro candidato, Você está participando do processo seletivo da Arcor do Brasil para a posição de Trainee e neste momento gostaríamos de convidá-lo para a etapa do Painel. Nesta etapa, você deverá realizar

Leia mais

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae

E-books. Introdução às Mídias Sociais. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Introdução às Mídias Sociais O que fazer com as mídias sociais Tipos de ações As principais mídias sociais Dicas e considerações finais Autor Felipe Orsoli 1 SUMÁRIO 1

Leia mais

A confluência dos vídeos e a Internet

A confluência dos vídeos e a Internet WHITEPAPER A confluência dos vídeos e a Internet Por que sua empresa deveria investir em vídeos em 2013 e como a Construção Civil pode utilizar os vídeos como diferencial competitivo. 1 Saiba como os vídeos

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350

O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento CONSUMIDORES (EM MILHÕES) 23,4 18,7 R$ 328 R$ 335 R$ 373 R$ 350 R$ 342 R$ 350 ARTESANATO BOLETIM COMÉRCIO ELETRÔNICO O comércio eletrônico (e-commerce) é um setor em crescimento Em 2012, o faturamento foi de R$ 22,5 bilhões no Brasil, e de aproximadamente R$ 28 bilhões em 2013.

Leia mais

Inspire Inove Faça Diferente

Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Inspire Inove Faça Diferente Se eu tivesse um único dolar investiria em propaganda. - Henry Ford (Fundador da Motor Ford) As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas

Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas edição 04 Guia do inbound marketing Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Como a automação de marketing pode aumentar suas vendas Há um tempo atrás o departamento de marketing era conhecido

Leia mais

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico.

Transforme. Transforme a TI. a empresa. Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. TECH DOSSIER Transforme a TI Transforme a empresa Três imperativos da TI para a transformação da empresa realizada pelo CIO em um mundo dinâmico. Consolidar para conduzir a visibilidade da empresa e a

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

E-books. Marketing no Facebook. Sebrae

E-books. Marketing no Facebook. Sebrae E-books Sebrae Marketing e Vendas Marketing no Facebook Marketing de conteúdo e engajamento na rede Marketing de conteúdo no Facebook Tipos de conteúdo Edge Rank e os fatores de engajamento Facebook Ads

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

www.artesanatoja.com

www.artesanatoja.com GANHE DINHEIRO COM UMA LOJA VIRTUAL Conheça os principais veículos de vendas online utilizados por artesãos na internet e saiba como é fácil ter uma loja online para ganhar dinheiro já! Sempre que produzimos

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

5 Coisas que você deve saber sobre a ExactTarget Marketing Cloud

5 Coisas que você deve saber sobre a ExactTarget Marketing Cloud 5 Coisas que você deve saber sobre a ExactTarget Marketing Cloud Aprimore a jornada de seus clientes com a plataforma de marketing digital 1:1 líder de mercado 5 Coisas que você deve saber sobre a ExactTarget

Leia mais

Como aumentar as vendas do seu e-commerce. Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento

Como aumentar as vendas do seu e-commerce. Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento Como aumentar as vendas do seu e-commerce Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento 2013 O e-commerce se prepara para um crescimento histórico 2000 Banda larga chega ao Brasil. É lançado no

Leia mais

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários

Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Comparativo entre os meios de comunicação para atingir 50 milhões de usuários Fonte: TAKAHASHI, 2000; VEJA ONLINE, 2006 Definições de comércio eletrônico/e-business E - BUSINESS, acrônimo do termo em

Leia mais

Maurício Galhardo mauricio.galhardo@praxisbusiness.com.br www.praxisbusiness.com.br. Como vender pelo melhor preço!

Maurício Galhardo mauricio.galhardo@praxisbusiness.com.br www.praxisbusiness.com.br. Como vender pelo melhor preço! Maurício Galhardo mauricio.galhardo@praxisbusiness.com.br www.praxisbusiness.com.br Como vender pelo melhor preço! Estamos aqui para... Ampliar o conhecimento sobre finanças, formação de preços e vendas

Leia mais

3 DICAS QUE VÃO AJUDAR A POUPAR DINHEIRO EM SEU PRÓXIMO PROJETO DE VÍDEO

3 DICAS QUE VÃO AJUDAR A POUPAR DINHEIRO EM SEU PRÓXIMO PROJETO DE VÍDEO 3 DICAS QUE VÃO AJUDAR A POUPAR DINHEIRO EM SEU PRÓXIMO PROJETO DE VÍDEO Fazer vídeos hoje em dia já não é o bicho de 7 cabeças que realmente foi a pouco tempo atrás. Nesse e-book você vai começar a aprender

Leia mais

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA

AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA SILVA, FERNANDO TEIXEIRA CARVALHO, RENAN GUSTAVO MOLINA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO E-COMMERCE NAS PEQUENAS EMPRESAS CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): MAITHÊ CORSI DA

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação - Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Os sistemas de informação empresariais na sua carreira Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado

Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Mídias sociais nas empresas O relacionamento online com o mercado Maio de 2010 Conteúdo Introdução...4 Principais conclusões...5 Dados adicionais da pesquisa...14 Nossas ofertas de serviços em mídias sociais...21

Leia mais

InformationWeek Brasil

InformationWeek Brasil Fotos: Ricardo Benichio EM TEMP Roberta Prescott 10 Casas Bahia inaugura loja virtual mais tarde que outros varejistas, mas seu CIO, Frederico Wanderley, quer ter na internet o mesmo sucesso da rede física

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico

Apostila. Comércio Eletrônico. e-commerce. Professor: Edson Almeida Junior. Comércio Eletrônico Apostila Comércio Eletrônico e-commerce Professor: Edson Almeida Junior Material compilado por Edson Almeida Junior Disponível em http://www.edsonalmeidajunior.com.br MSN: eajr@hotmail.com E-Mail: eajr@hotmail.com

Leia mais

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social Não há dúvidas de que as tecnologias sociais têm um impacto substancial no modo como as empresas funcionam atualmente.

Leia mais

Marketing digital NARCISO SANTAELLA

Marketing digital NARCISO SANTAELLA Marketing digital 1 Introdução As agências de publicidade recorrem ao marketing digital para conquistar o público que hoje tem na web uma das principais fontes de informação. Utilizar todos os recursos

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos Engajamento com o Cliente Interação com o cliente e envio de comunicações Gerenciamento de Comunicações com os Clientes Soluções para possibilitar relacionamentos duradouros com clientes Substituia comunicações

Leia mais

O futuro do YouTube - VEJA.com

O futuro do YouTube - VEJA.com Entrevista O futuro do YouTube 29/08/2009 10:49 Por Leo Branco Nesta semana, Chad Hurley, de 32 anos, um dos criadores do YouTube, esteve no Brasil e falou a VEJA sobre o futuro do maior site de vídeos

Leia mais

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas?

Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? 2 Você já teve a experiência de enviar um email e, em pouco tempo, ver pedidos de orçamento e vendas sendo concretizadas? É SOBRE ISSO QUE VOU FALAR NESTE TEXTO. A maioria das empresas e profissionais

Leia mais

Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente. para qualquer nível de profissional de marketing

Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente. para qualquer nível de profissional de marketing 3 Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente para qualquer nível de profissional de marketing Elementos essenciais para criar a Jornada do Cliente para qualquer nível de profissional de marketing

Leia mais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais

Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Guia definitivo de ferramentas de Planejamento para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita

Leia mais

Universo Online S.A 1

Universo Online S.A 1 Universo Online S.A 1 1. Sobre o UOL HOST O UOL HOST é uma empresa de hospedagem e serviços web do Grupo UOL e conta com a experiência de mais de 15 anos da marca sinônimo de internet no Brasil. Criado

Leia mais

Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato. Marlety Gubel. agosto 2011

Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato. Marlety Gubel. agosto 2011 Consumidor multicanal Como ampliar seus pontos de contato Marlety Gubel agosto 2011 Estrutura da apresentação Consumidor multicanal Brasil: tendência dos canais e pontos de contato Cross Channel Commerce

Leia mais

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos

Rede IPTV DX - Clubes Desportivos White Paper 24 de Setembro de 2014 Rede IPTV DX - Clubes Desportivos Alcançando e realizando o potencial do torcedor móvel IPTV Móvel para Clubes Desportivos - DX - 1 O negócio de mídia e venda para torcedores

Leia mais

O ABC do Programa de Fidelização

O ABC do Programa de Fidelização O ABC do Programa de Fidelização COMO E POR QUÊ RETER CLIENTES? Diagnóstico As empresas costumam fazer um grande esforço comercial para atrair novos clientes. Isso implica Investir um alto orçamento em

Leia mais

Guia de Vendas Online para Iniciantes

Guia de Vendas Online para Iniciantes Guia de Vendas Online para Iniciantes ebook SUMÁRIO Introdução: Dúvidas comuns para quem deseja começar a vender pela internet... 2 Capítulo 1: O é e-commerce?... 3 Capítulo 3: Como funcionam os principais

Leia mais

E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 *

E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 * E-COMMERCE E COMÉRCIO FÍSICO 1 * Antonio Wilson Nogueira Filgueiras UEMG Unidade Carangola Henrique Santos Pinheiro UEMG Unidade Carangola Márcio Ferreira dos Passos UEMG Unidade Carangola Rogério de Oliveira

Leia mais

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN 50 A ALMA DO NEGÓCIO Serviço de SAC eficiente é o que todos os clientes esperam e é no que todas as empresas deveriam investir. Especialistas afirmam: essa deve ser

Leia mais

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente

Índice. 03 A Empresa. 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente MÍDIA KIT 2014 Índice 03 A Empresa 04 Missão Visão Valores 05 Nossos Eventos 23 Corpbusiness - Patrocínio 24 Divulgação 25 Expediente A empresa Fundada em 2007, a empresa possui uma grade anual com diversos

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO

MARKETING DE RELACIONAMENTO MARKETING DE RELACIONAMENTO 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS

E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS www.espm.br/centraldecases Central de Cases E-COMMERCE COMO FERRAMENTA DE VENDAS Preparado pelo Prof. Vicente Martin Mastrocola, da ESPM SP. Disciplinas

Leia mais

Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Inovações e Insights e-commerce

Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Inovações e Insights e-commerce Negócios inovadores, experiências e Insights no e-commerce. Apresentação @JoaoKepler O Vendedor Na Era Digital Todos nós vendemos alguma coisa. Principalmente Imagem. Processo de Vendas O processo de vendas,

Leia mais

SEU RESTAURANTE. Promoção. Cardápio. Agenda. Galeria de Fotos. Enviar Foto. Newsletter. Ligar. Apps for Business

SEU RESTAURANTE. Promoção. Cardápio. Agenda. Galeria de Fotos. Enviar Foto. Newsletter. Ligar. Apps for Business SEU RESTAURANTE Promoção Cardápio Agenda Galeria de Fotos Enviar Foto Newsletter Ligar Apps for Business Marketing Eficaz para Restaurantes O tema deste guia resume-se a um objetivo: Trazer lucros ao seu

Leia mais

REDES SOCIAIS PARA PEQUENAS EMPRESAS

REDES SOCIAIS PARA PEQUENAS EMPRESAS REDES SOCIAIS PARA PEQUENAS EMPRESAS Entenda a importância da utilização das Redes Sociais para a sua pequena empresa e conheça os fundamentos necessários para obter resultados positivos com a sociabilidade.

Leia mais

O MERCADO E PERSPECTIVAS

O MERCADO E PERSPECTIVAS Sell Book O MERCADO E PERSPECTIVAS MERCADO E PERSPECTIVA BRASIL VAREJO FRANQUIAS PIB: projeção de 3% para 2013; Desemprego em baixa (inferior a 6% em 2013); Crescimento do consumo da classe média; Aumento

Leia mais

O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ

O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ O POTENCIAL E OS DESAFIOS DA GESTÃO DE VAREJO PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ PROF. DR. FRANCISCO J.S.M. ALVAREZ Formação: ECONOMISTA ATIVIDADES PROFISSIONAIS PÓS GRADUAÇÃO DOUTOR E MESTRE PROFESSOR

Leia mais

Consultoria Especializada em Marketing & Foodservice. Fevereiro, 2013

Consultoria Especializada em Marketing & Foodservice. Fevereiro, 2013 Consultoria Especializada em Marketing & Foodservice Fevereiro, 2013 Porque Libbra? Empresas de todos os portes e segmentos sabem da importância da gestão de marketing, mas, muitas vezes ou não investem

Leia mais

AGENDA. A internet continuará mudando o jeito da sua empresa realizar negócios. 8ª Edição. Hotel Intercontinental. 17 de Março de 2015.

AGENDA. A internet continuará mudando o jeito da sua empresa realizar negócios. 8ª Edição. Hotel Intercontinental. 17 de Março de 2015. AGENDA A internet continuará mudando o jeito da sua empresa realizar negócios. 8ª Edição D 17 de Março de 2015? Hotel Intercontinental Realização: www.corpbusiness.com.br Patrocínio Gold Apoio Realização:

Leia mais

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD!

Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! Uma solução completa para sua estrátegia de SOCIAL MEDIA HELLO WORLD! SocialSuite Rua Claudio Soares, 72-16 andar +55 11 3032 1982 São Paulo - SP Brasil Introdução Esse material foi desenvolvido pela equipe

Leia mais

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS

http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS http://crayonstock.com/19707 Zoonar 12 SEGREDOS PARA CONQUISTAR CLIENTES COM IMAGENS Constantemente, somos bombardeados por incontáveis conteúdos visuais. Imagens ilustram websites, redes sociais, folders,

Leia mais

No mercado bancário a competitividade é crescente

No mercado bancário a competitividade é crescente 6 Fortalecendo a marca, gerando negócios Intenso, produtivo e criativo No mercado bancário a competitividade é crescente e a disputa pelos espaços é proporcional ao empenho das instituições em ampliar

Leia mais