Solicitações de Esclarecimento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Solicitações de Esclarecimento"

Transcrição

1 EMPRESA: Accenture REPRESENTANTE: Guilherme Barbosa Rocha Solicitações de Esclarecimento: Item do Solicitações de Esclarecimento Termo de Referência Existe alguma definição por parte da Eletrobras em relação aos softwares que serão utilizados nas estações de trabalho montadas para o CM/CSRs? Se disponível, favor detalhar informações relativas a sistemas operacionais, pacote office, softwares básicos e suas licenças de uso. Resp: Cada estação terá uma licença de Sistema Operacional Microsoft Windows 7 Professional 64 bits, uma licença de Microsoft Office Professional com software assurance de pelo menos três anos e uma licença de software de proteção antivírus e antispyware, com atualizações diárias, licenciado para pelo menos 36 meses, maiores informações poderão ser obtidas nas especificações técnicas que serão publicadas junto com o edital; Após leitura do documento entendemos que os CSRs serão responsáveis pela supervisão dos processos do centro de medição em cada uma das distribuidoras. Neste contexto entendemos que serão responsáveis apenas pela gestão local de ações que serão comandadas pelo Centro de Medição em Brasília, por exemplo: a. Na solicitação de corte por falta de pagamento emitido pelo SGM- CM, entendemos que não existirá intervenção do CSR. O corte será enviado direto ao medidor, cabendo ao CSR apenas a gestão das ordens enviadas para a distribuidora sob sua responsabilidade, intervindo caso exista alguma falha no procedimento remoto; b. No repasse das informações de leitura todo o procedimento será automático (envio medidores CM) cabendo apenas ao CSR verificar eventuais inconsistências nos dados enviados (logs de erro, alarmes gerados, etc); c. No caso dos eventos de alarme oriundos do sistema de medição toda a gestão e tomada de decisão será feita pelo CM-Brasília, cabendo apenas aos CSRs eventual tratamento de exceção/verificação local. Está correto nosso entendimento? Resp: Os Centros de Supervisão Regionais serão responsáveis pela execução das ações comandadas pelo CM de Brasília, incluindo a manutenção da conectividade dos pontos telemedidos. a) O monitoramento da inadimplência continuará sendo feita pelo sistema comercial através do seu módulo de arrecadação. Identificada esta ocorrência e sendo a Unidade Consumidora provida de dispositivo de corte/religa será solicitada ao CM a realização da ação de corte, bem como de religação quando regularizado o

2 pagamento. b) A atividade de leitura será automatizada, onde os dados coletados no CM passarão por processos de consistências no SGM e no sistema comercial, através do módulo de faturamento, como já é feito. Assim poderemos ter alarmes gerados pelo SGM e verificações feitas pelo sistema comercial. Os alarmes gerados pelo SGM serão tratados a nível do CM e inconsistências apontadas pelo sistema comercial pelas empresas, sendo estes últimos reportados ao CM. c) Respondido no item anterior Experiências internacionais projetos de implantação em larga escala de tecnologias de AMI (Advanced Metering Infrastructure) mostram que diversas distribuidoras após a realização de provas de conceito e testes piloto optaram pelo envio de dados entre medidores e Centro de Medição com intervalos de 24hs ou em alguns casos de 6hs com blocos de dados que incluíam informações das medições horárias. Tal abordagem teve por objetivo reduzir os custos de infraestrutura e telecomunicações envolvidos (especialmente no caso de redes de telecomunicação proprietárias) e a complexidade da arquitetura da solução responsável por gerenciar o grande volume de dados em frequências de envio muito elevadas. Neste contexto, gostaríamos de entender os requisitos de negócio que direcionaram tal escolha pela Eletrobras para envio de dados em intervalos de 1 hora e se essa condição é requerimento técnico passível de discussão durante a implantação da solução técnica ou não. Resp: Os medidores de BT não terão memória de massa, assim não há como armazenar os dados no próprio medidor. Iremos montar curvas de carga horária, diária e semanal. O SGM terá regras para analisar estas curvas objetivando verificar eventuais anomalias. Além disto, queremos que a AMI já esteja apto a absorver as necessidades de Geração Distribuída, onde as intervenções nos pontos de consumo/suprimento terão que ser instantânea, o que também exige atualizações a nível horário. Eventualmente o sistema pode ser parametrizado para leituras em outros intervalos Quais são os tipos de serviços de inspeção escopo da contratação? Trata-se de uma inspeção inicial ou existe uma frequência de inspeção definida por UC? Entendemos que as inspeções de Unidades Consumidoras mencionadas no item são referentes aos serviços realizados somente no momento pré-instalação da solução de telemedição na Unidade Consumidora para verificar sua viabilidade técnica e preparar a implantação. Está correto o nosso entendimento? Resp: Não se trata de verificação de viabilidade. As UC serão inspecionadas com o objetivo de verificar a correção da medição existente, dada esta será desativada, e uma vez isto realizado nada mais poderá ser questionado em termos de eventual recuperação de faturamento Após a leitura da documentação referente à Audiência Pública mencionada entendemos que a solução de infraestrutura de comunicação desenhada entre os medidores e o CM utilizará como meio de comunicação o canal GPRS/3G/EDGE/GSM e que o link de recebimento no CM que receberá todos os dados enviados de campo será composto de dois canais redundantes de 8mbps cada. Poderão ser considerados pela contratada protocolos alternativos de comunicação desde que atendam aos mesmos requisitos técnicos da solução? Resp: Para as UC de MT a comunicação com o CM será GPRS/3G/EDGE/GSM e para as UC de BT a solução será apresentada pelos proponentes, podendo na última milha ser

3 utilizada qualquer mídia de comunicação, tais como: RF, MESH, PLC, rede híbrida. O link de recebimento visa a conexão da operadora ao CM e deverá ser de Fibra Ótica ou outros meios que assegurem o mesmo desempenho; Notas 1 6. Entendemos que na Nota 1 onde se lê: Os serviços citados nos itens 5.2.7, 5.2.8, e deverão ser mantidos e operados pela CONTRATANTE durante o período de implantação e mais 36 (trinta e seis) meses após a conclusão integral da implantação, o correto seria: Os serviços citados nos itens 5.2.7, 5.2.8, e deverão ser mantidos e operados pela CONTRATADA durante o período de implantação e mais 36 (trinta e seis) meses após a conclusão integral da implantação. Está correto o nosso entendimento? Resp: Correto, iremos corrigir 7. A prática usual em certames de objeto e complexidade multidisciplinares similares ao presente processo é a possibilidade de formação de consórcio de empresas de forma a ampliar a concorrência. Diante da omissão de informações relacionadas ao modelo de contratação no EDITAL DE AUDIENCIA PÚBLICA N 001/2013 e seus anexos, entendemos que é permitida a formação de consórcio entre empresas. Está correto nosso entendimento? Resp: Correto CONTRIBUIÇÕES: Itens Contribuições A experiência internacional e mesmo casos locais de implantação de novas tecnologias de medição demonstra que uma série de processos de negócio da Distribuidora são impactados, novas atividades passam a existir e mesmo processos existentes deixam de ser executados. O real valor de uma solução de AMI realmente é percebido não pela implantação pura de tecnologias, mas sim pela mudança de processos e procedimentos que levaram tais distribuidoras a atingir os benefícios esperados. A seguir citamos alguns exemplos de impactos de processos baseado nessas experiências: a. Processo de Desligamento a Pedido: i. Deve ser considerada a possibilidade de agendamento do comando de suspensão de fornecimento remoto conforme solicitação pelo cliente ou em intervalo pré-definido informado ao consumidor. Caso contrário, a suspensão de fornecimento poderá no limite ser realizada em tempo quase real o que pode não ser de interesse do consumidor. Além disso, resta a discussão sobre a responsabilidade pela liberação de tal ação de suspensão de fornecimento (próprio Agente de Call Center ou validação intermediária de algum agende do Centro de Medição ou área comercial); b. Processo de Gestão de Alarmes: i. A introdução de medidores inteligentes no campo traz à necessidade de se definir um fluxo de processo de resposta

4 aos alarmes físicos e lógicos habilitados nos medidores, seja por ações do próprio Centro de Medição ou também por ações locais no campo. Casos de sucesso de implantação em massa ao redor do mundo levaram em consideração tal necessidade de revisão de processos de negócio, incluindo o entendimento dos motivadores de negócio, definição de papéis/ responsabilidades, necessidades de modificações/integrações de sistemas, dimensionamento das equipes envolvidas, entre outros Alinhado aos impactos organizacionais e de processos descritos na contribuição anterior é importante realçar a importância das atividades de Gestão da Mudança em casos de sucesso de implantação de AMI. Em decorrência das mudanças de procedimentos e papéis e responsabilidades trazidas pela nova tecnologia torna-se necessária a avaliação de impactos organizacionais, estabelecimento de ações de comunicação interna, realocação de equipes, elaboração de novos procedimentos operacionais, entre outros. Tal abordagem se torna ainda mais crítica e relevante considerando a complexidade da mudança do modelo de operação proposto na solução apresentada pela Eletrobrás (centralização das atividades do CM) e pela abrangência geográfica e diferenças culturais entre as EDEs A implantação de um Projeto de tal magnitude, envolvendo a estruturação de diversas frentes de trabalho com atividades interdependentes (redesenho de processos, desenho e implantação das soluções de TI e Telecom, testes, instalação de medidores no campo, comissionamento das infraestruturas, implantação física do centro de medição, treinamento e capacitação de pessoas, etc) se traduz na complexidade de sua gestão. Lições aprendidas em outras experiências similares apontam que para o sucesso da empreitada, dos pontos de vista de escopo, prazos, custos e benefícios capturados é fundamental a operação de uma estrutura dedicada de Gestão do Projeto que permita a Eletrobras ter visibilidade de todas as etapas e atividades em execução. Tal gestão pressupõe pessoas capacitadas, metodologia e ferramentas de gestão de projetos e acima de tudo foco no Projeto AMI. 4. O ponto de vista da Accenture é que o real valor da implantação de Redes Inteligentes é oriundo do tratamento e análise do imenso volume de dados agora gerados pelas novas tecnologias e antes não existentes. Assim como dados sobre históricos de consumo, alarmes de violação de caixas de medição e outros podem auxiliar na detecção de casos de fraude de energia, outro sem número de informações pode ser utilizado para otimizar outros processos das distribuidoras (operação, manutenção, planejamento, etc). A capacidade de tratar tal volume de dados para torna-los informações relevantes para o negócio pressupõe a adoção de uma plataforma analítica. Entendemos ser relevante desde o primeiro momento para a Eletrobras levar em consideração tais competências analíticas na construção de sua solução que podem ser incrementadas ao longo do tempo com a maturidade das tecnologias e processos Nossa experiência demonstra que a integração de sistemas é um elemento chave para o sucesso de iniciativas de AMI. Diferentes processos são beneficiados por essa integração e uma visão concisa sobre os objetivos de negócio e ferramentas existentes permite entender o valor total a ser entregue com a solução de AMI. Anexamos a este documento um diagrama

5 trazendo como exemplo um modelo conceitual de integração do SGM a diferentes sistemas corporativos Considerando que definições sobre o novo modelo de processos pósimplantação da solução AMI, novo modelo de operação centralizado, papeis e responsabilidades e mesmo dimensionamento das equipes do CM e CSRs serão realizadas durante o Projeto entendemos ser mais benéfico à Eletrobras do ponto de vista de custos e certeza sobre os itens a serem adquiridos que fornecimento de itens como estações de trabalho (computadores, licenças de software, monitores LCD) e mobiliário associado sejam realizados em uma contratação separada a ser realizada assim que tais definições tiverem sido tomadas. O não conhecimento total sobre as definições e quantitativos necessário pode levar a estimativas não condizentes com a real necessidade do Projeto e consequentemente um custo maior do que o efetivamente necessário.

6 Ordens de leitura Anexo Exemplo de integração entre o SGM e os demais sistemas (ilustrativo) Portal Leituras Publicação BI Relatórios Dados de faturamento Leituras consumidor Perfil Perfil, exceções, Etc. CIS and Billing SGM Gestão dos consumidores Gestão do faturamento V E E Leituras Determinante de faturamento Validação Estimativa Edição Requisição de ordens de serviço Gerenciament o de exceções Publicação de dados Leituras Agendadas Solicitação de leitura manual Dados de ativos Work and Asset Management Gestão das ordens de serviço GIS Solicitação de status do medidor Exceções Gestão de ativos Dados dos ativos OMS (Outage Management System) Ordens em andamento Ordens de serviço Leituras do medidor Programação de leitura Leitura remota Comando remoto Exceções Aquisição de dados Head-End Gestão de comunicação Programação de leitura

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte:

1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1) QUANTIDADE E DETALHAMENTO DE ESPECIFICAÇÕES DE EQUIPAMENTOS. O item 1.1.1.2 das Condições Gerais do Objeto dispõe o seguinte: 1.1.1.2 Nos CSR, os quais executarão ações comandadas pelo CM e supervisionarão

Leia mais

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA

DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA DIGITALIZAÇÃO E GESTÃO INTELIGENTE DA MEDIÇÃO COMO FERRAMENTA DE CONTROLE DE PERDAS E PROTEÇÃO DA RECEITA MOTIVADORES Níveis elevados de perdas não técnicas das empresas Restrições mais rígidas (ambientais,

Leia mais

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D

Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Projeto Cidades do Futuro Convênio D423 Cemig D Tadeu Batista Coordenador Projeto Cidades do Futuro tbatista@cemig.com.br cidadesdofuturo@cemig.com.br www.cemig.com.br/smartgrid facebook.com/cemig.energia

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÃO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÃO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA INFRAESTRUTURA DE COMUNICAÇÃO ET-DD-010/2010 ET-DD-010/2010 Communications Infrastructure Página 1 de 11 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. REFERÊNCIAS... 3 2.1. Referências técnicas... 3

Leia mais

Projeto Smart Grid. Visão Geral

Projeto Smart Grid. Visão Geral Projeto Smart Grid Visão Geral Contextualização Sobre o Smart Grid Smart Grid Light Estratégia da Light para os próximos anos 2 3-8 usinas - 98 SE - 111 SE - 7.500 2500 circuitos 19.685 km 1045 Dispositivos

Leia mais

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013

Programa Smart Grid da AES Eletropaulo. - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 Programa Smart Grid da AES Eletropaulo - A Energia das Metrópoles do Futuro - Maria Tereza Vellano 27 de novembro de 2013 1 Agenda Institucional Projeto Smart Grid Eletropaulo Digital Motivadores Objetivos

Leia mais

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada

Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada XI SIMPÓSIO DE AUTOMAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS 16 a 19 de Agosto de 2015 CAMPINAS - SP Self-Healing Semi-Centralizado e seus benefícios para clientes com base instalada Paulo Antunes Souza Wagner Hokama

Leia mais

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina

A 1ª Cidade Inteligente da América Latina A 1ª Cidade Inteligente da América Latina Imagine... gerar somente a energia que precisamos em nossas casas através de fontes renováveis... saber o consumo de energia de cada aparelho elétrico conectado

Leia mais

INVGATE IT MANAGEMENT

INVGATE IT MANAGEMENT INVGATE IT MANAGEMENT Liderando la vanguardia IT Falar da origem da InvGate é falar das necessidades do mercado IT. Porque uma organização especializada em desenvolver IT Management Software é uma organização

Leia mais

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor

Parintins. Agenda. ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos. Interação com consumidor Agenda Parintins ADA - Advanced Distribution Automation AMI Advanced Metering Infrastructure Monitoramento de Trafos Interação com consumidor Comunicação e Interação de Sistemas PARINTINS Agenda Parintins

Leia mais

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14:

A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Senhores, A seguir, respostas aos questionamentos referentes ao Pregão Presencial nº 17/14: Questionamento 1: 2. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMCAS No que diz respeito ao subitem 2.1.2, temos a seguinte

Leia mais

Symantec Backup Exec.cloud

Symantec Backup Exec.cloud Proteção automática, contínua e segura que faz o backup dos dados na nuvem ou usando uma abordagem híbrida, combinando backups na nuvem e no local. Data Sheet: Symantec.cloud Somente 2% das PMEs têm confiança

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.

Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica. Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com. 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG Sistema Corporativo de Tele-Medição de Energia Elétrica Eng. Eduardo Caldas Cardoso ELO Sistemas e Tecnologia eduardo@elotek.com.br RESUMO A tele-medição de

Leia mais

Carlos Augusto Montovani Energisa, Paraíba - Brasil

Carlos Augusto Montovani Energisa, Paraíba - Brasil Implantação do COM - Centro de Operação da Medição Carlos Augusto Montovani Energisa, Paraíba - Brasil Roteiro Histórico Estrutura - Organizacional - Funcional Atividades x Interfuncionalidades Situação

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança.

Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda ManagedOfficeProtection Mais que antivírus, solução em segurança. Net View & Panda Managed Office Protection É fato, tanto pequenas e médias e grandes empresas enfrentam os mesmos riscos

Leia mais

CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO DE CONFIGURAR UM CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO

CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO DE CONFIGURAR UM CENTRO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO 3ª Exposição e Fórum Internacional sobre Centros de Operação e Controle das Empresas de Energia Elétrica CENTRALIZAÇÃO, DESCENTRALIZAÇÃO, INTEGRAÇÃO DOS DESPACHOS DE EMERGÊNCIA E DO COMERCIAL: O DESAFIO

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE CONGRESSOS, EXPOSIÇÕES,

Leia mais

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r

C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r G l o b a l C l a s s S e r v i c e P r o v i d e r v.1.8 de 14/07/2010 1 1993: fundada como Integradora de Sistemas 2009: reconhecida Inteligência em Projetos 16 anos de realizações: + 350 projetos no

Leia mais

MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO

MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO MODERNIZAÇÃO DO SISTEMA DE AUTOMAÇAO DE UMA FABRICA DE CIMENTO Giancarlo Borges de Avelar - Automaton Integração de Sistemas Leopoldo José Naves Alves, AUTOMATON Marcio L Martins Neto - MULTIPLUS 19 a

Leia mais

ANEXO II - Especificações Técnicas

ANEXO II - Especificações Técnicas ANEXO II - Especificações Técnicas Índice 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESCOPO... 24 1.1 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO... 24 1.2 CARACTERÍSTICAS DAS SOLUÇÕES SAGER E SAAT... 24 1.3 COMPONENTES DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Ricardo Teixeira Sales Engineer ITRON BRAZIL

Ricardo Teixeira Sales Engineer ITRON BRAZIL Ricardo Teixeira Sales Engineer ITRON BRAZIL 28 a 30 de Setembro de 2010 Centro de Convenções Frei Caneca São Paulo BRASIL AMR AMI nas distribuidoras de água Objetivos da Medição Criação dos dados Melhora

Leia mais

Porque a COELBA escolheu a medição eletrônica. Jorge Manuel F. Dias

Porque a COELBA escolheu a medição eletrônica. Jorge Manuel F. Dias Porque a COELBA escolheu a medição eletrônica Jorge Manuel F. Dias Agenda 1. Apresentação 2. Objetivos / Visão Genérica do Sistema 3. Abrangência e Estrutura Analítica Projeto EAP 4. Resultados previstos

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA

MINISTÉRIO DA FAZENDA MINISTÉRIO DA FAZENDA Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional PGFN Departamento de Gestão Corporativa - DGC Coordenação-Geral de Tecnologia da Informação - CTI CATÁLOGO DE SERVIÇOS DE TECNOLOGIA Infraestrutura

Leia mais

Centro de Monitoramento de Perdas

Centro de Monitoramento de Perdas Apresentação Metering JUL/04 Centro de Monitoramento de Perdas Gerência de Medição e Perdas Grandes Clientes Apresentador: Fabio Toledo Gerente do Departamento Epower Análise Conceitual Remota de Telemetria

Leia mais

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa

Uma visão abrangente dos negócios. Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Uma visão abrangente dos negócios Solução para superar barreiras e otimizar recursos na sua empresa Negócios sem barreiras O fenômeno da globalização tornou o mercado mais interconectado e rico em oportunidades.

Leia mais

Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011

Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011 Arquitetura Smart Grid Agosto de 2011 AGENDA: Introdução Background Solução Corinex Propriedades do Sistema AMI Compromisso, Teste de Campo e Set Up Sumário de Resultados Próximos de Passos Background

Leia mais

Guia de vendas Windows Server 2012 R2

Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Guia de vendas Windows Server 2012 R2 Por que Windows Server 2012 R2? O que é um servidor? Mais do que um computador que gerencia programas ou sistemas de uma empresa, o papel de um servidor é fazer com

Leia mais

SUBESTAÇÕES. SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga

SUBESTAÇÕES. SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga SUBESTAÇÕES SCMS Sistema de monitoramento de corrente de fuga SCMS / STRAY CURRENT MONITORING SYSTEM (SISTEMA DE MONITORAMENTO DE CORRENTE DE FUGA) Definição de corrente de fuga O funcionamento dos sistemas

Leia mais

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil

PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL. Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA INTERNACIONAL Diretrizes e Estratégias para Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil Projeto 914 BRA5065 - PRODOC-MTC/UNESCO DOCUMENTO TÉCNICO Nº 02 IMPLANTAÇÃO DE 1 (UM)

Leia mais

ESCLARECIMENTO Nº 03

ESCLARECIMENTO Nº 03 PE.GCM.A.00130.2013 1/30 ESCLARECIMENTO Nº 03 FURNAS Centrais Elétricas S.A. comunica resposta ao pedido de esclarecimento sobre o Edital, efetuado por empresa interessada: 1. GERAL Entendemos que os Relés

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015

AES ELETROPAULO. Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 AES ELETROPAULO Workshop Smart Grid - FIESP 29/07/2015 1 AES Eletropaulo AES Eletropaulo % Brasil Area Concessão 4,526 (km 2 ) 0,05% Brazil Consumidores 6,8 (milhões) 9% Brasil Energia 46 (TWh) 11% São

Leia mais

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907 Uma ferramenta de inventario que automatiza o cadastro de ativos informáticos em detalhe e reporta qualquer troca de hardware ou software mediante a geração de alarmes. Beneficios Informação atualizada

Leia mais

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS

A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS A ESCOLHA CERTA EM COMUNICAÇÕES WIRELESS Descrição As necessidades de telemedição (ou telemetria) e telecomando têm sido cada vez mais utilizadas nas mais variadas aplicações, principalmente onde o volume

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE PESSOAS SEBRAE/TO UNIDADE: GESTÃO ESTRATÉGICA PROCESSO: TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Competências Analista 1. Administração de recursos de infra-estrutura de tecnologia da informação 2.

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte II Agenda sumária dos Processos em suas categorias e níveis de maturidade

Leia mais

TREINAMENTO CONTACTCENTER

TREINAMENTO CONTACTCENTER TREINAMENTO CONTACTCENTER CENTER CONTACT Os Contact Centers atuais têm um grande impacto nas empresas em diversos aspectos referentes a lucro, custos, inteligência de mercado e fidelização do cliente. Para

Leia mais

Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX

Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX Em casa de ferreiro, O espeto é de INOX Selma Aguilera Executiva Sênior de TI Corporativa e Compliance, TIVIT 1 Apresentação para GARTNER 29 de Junho 2009 Depoimento de Caso de Sucesso com Symantec TIVIT

Leia mais

esip- Sistema Integrado de Processo

esip- Sistema Integrado de Processo esip- Sistema Integrado de Processo Geração Distribuição Transmissão www.ecilenergia.com.br Integração dos dispositivos da SE na rede do esip Criação de uma Base de Dados Unificada Otimização no Deslocamento

Leia mais

ESTRATÉGIA DE INTEGRAÇÃO, INFORMAÇÕES E TECNOLOGIA NA ADMINISTRAÇÃO DOS RISCOS

ESTRATÉGIA DE INTEGRAÇÃO, INFORMAÇÕES E TECNOLOGIA NA ADMINISTRAÇÃO DOS RISCOS ESTRATÉGIA DE INTEGRAÇÃO, INFORMAÇÕES E TECNOLOGIA NA ADMINISTRAÇÃO DOS RISCOS Francisco Camargo CLM Software & Celso H. Leite BINDERS Business Integration www.clm.com.br/risco INTEGRAÇÃO DE ESTRATÉGIA,

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Outubro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Abordar o domínio Adquirir e Implementar e todos

Leia mais

EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA:

EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: Página 1 de 9 EDITAL DE PREGÃO 28/2014 CONSULTORIA DE TERCEIRO NÍVEL ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA: 1 OBJETIVO 1.1 Este Memorial Descritivo tem por objetivo estabelecer as diretrizes básicas para que a CONTRATADA

Leia mais

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA

GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA GERENCIAMENTO DE PROJETOS PRONIM, IMPLANTAÇÃO SQL SERVER GOVBR- UEM-MARINGA PREFEITURA MUNICIPAL DE PEROLA Cliente GOVBR, UEM-MARINGA / Prefeitura Municipal de PEROLA Data 10/09/2015 Versão 1.0 Objeto:

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO Secretaria de Tecnologia da Informação REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO DE PROVIDÊNCIAS INICIAIS Março/2014 V 1.1 REGIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE TI MAPEAMENTO

Leia mais

Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP

Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP Arcserve Backup: Como proteger ambientes NAS heterogêneos com NDMP Phil Maynard UNIDADE DE SOLUÇÕES DE GERENCIAMENTO DE DADOS PARA O CLIENTE FEVEREIRO DE 2012 Introdução Em todos os lugares, o volume de

Leia mais

Regulamento do Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA. V.10 (27 de agosto de 2014)

Regulamento do Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA. V.10 (27 de agosto de 2014) Regulamento do Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA V.10 (27 de agosto de 2014) O Grupo de Coordenação da Transição da Administração da IANA (ICG) deve ter um resultado prático: uma

Leia mais

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor?

Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Quando se fala em ponto eletrônico, a primeira coisa que vem à sua cabeça ainda é dor? Interagir com sistemas que ainda dependem de agendamentos manuais e de coletas presenciais em vários equipamentos

Leia mais

Especificação Técnica

Especificação Técnica Especificação Técnica Última atualização em 31 de março de 2010 Plataformas Suportadas Agente: Windows XP e superiores. Customização de pacotes de instalação (endereços de rede e dados de autenticação).

Leia mais

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise

Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise CUSTOMER SUCCESS STORY Dezembro 2013 Dataprev Aumenta a Eficiência na Entrega de Projetos em 40% com CA Clarity on Premise PERFIL DO CLIENTE Indústria: Setor público Companhia: Dataprev Empregados: 3.000+

Leia mais

Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade?

Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? RESUMO DA SOLUÇÃO CA SERVICE MANAGEMENT - GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? O CA Service Management

Leia mais

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center.

Tactium IP. Tactium IP. Produtividade para seu Contact Center. TACTIUM IP com Integração à plataforma Asterisk Vocalix Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL

Gerenciamento de Serviços em TI com ITIL. Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL Gerenciamento de Serviços de TI com ITIL A Filosofia do Gerenciamento de Serviços em TI Avanços tecnológicos; Negócios totalmente dependentes da TI; Qualidade, quantidade e a disponibilidade (infra-estrutura

Leia mais

Sistemas Eletrônicos S.A.

Sistemas Eletrônicos S.A. Sistemas Eletrônicos S.A. Institucional ELO Empresa de Capital 100% Brasileiro; Estabelecida em 1980; Engenharia de Desenvolvimento Própria; Desenvolvimento e Produção de Dispositivos de Medição Eletrônica

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos O gerenciamento de informações é crucial para o sucesso de qualquer organização.

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO Gerenciamento de ativos de software com o CA IT Asset Manager como posso administrar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? agility made possible

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA GERAL ET-DD-001/2010 ET-DD-001/2010 Especificação Técnica Geral Página 1 de 21 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA DO FORNECIMENTO... 10 3. SISTEMAS PARA INTEGRAÇÃO... 12 3.1.

Leia mais

agility made possible

agility made possible RESUMO DA SOLUÇÃO CA IT Asset Manager como gerenciar o ciclo de vida de ativos, maximizar o valor dos investimentos em TI e obter uma exibição do portfólio de todos os meus ativos? agility made possible

Leia mais

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI

GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI GUIA DE MELHORES PRATICAS NA AREA DE TI Ambiente Windows Small Business Rev 10501 DATA : 5 / 07/ 2007 Pag : 1 de7 1) Servidores a) Hardware o Servidor Alocado em Rack Fechado em ambiente reservado e refrigerado

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Introdução à Melhoria de Processos de Software baseado no MPS.BR Prof. Maxwell Anderson www.maxwellanderson.com.br Agenda Introdução MPS.BR MR-MPS Detalhando o MPS.BR nível G Introdução

Leia mais

Seu dia é mais inteligente

Seu dia é mais inteligente Seu dia é mais inteligente O 2007 Microsoft Office system é uma plataforma de soluções inteligentes para tarefas operacionais, estratégicas e organizacionais. O conjunto de aplicativos e servidores e a

Leia mais

Gerenciamento de Redes

Gerenciamento de Redes Gerenciamento de Redes As redes de computadores atuais são compostas por uma grande variedade de dispositivos que devem se comunicar e compartilhar recursos. Na maioria dos casos, a eficiência dos serviços

Leia mais

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço.

É desejável que o Proponente apresente sua proposta para ANS considerando a eficiência e conhecimento do seu produto/serviço. 1 Dúvida: PROJETO BÁSICO Item 4.1.1.1.2 a) Entendemos que o Suporte aos usuários finais será realizado pelo PROPONENTE através de um intermédio da CONTRATANTE, que deverá abrir um chamado específico para

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS

FÁBRICA DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS DE SOFTWARE FÁBRICA DE PROJETOS FÍSICOS FÁBRICA DE SOFTWARE Quem somos A Fábrica de Software da Compugraf existe desde 1993 e atua em todas as etapas de um projeto: especificação, construção, testes, migração de dados, treinamento e implantação.

Leia mais

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A

WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids. Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A WORKSHOP FIESP - Energia/Smart Grids Welson R. Jacometti CAS Tecnologia S/A V4.3-27022015 A CAS presente no seu dia a dia e da sua empresa A CAS Tecnologia é uma empresa que aplica tecnologia, engenharia

Leia mais

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral

Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Gravador Digital SUPER MONITOR Descrição Geral Documento confidencial Reprodução proibida 1 Introdução Em um mundo onde as informações fluem cada vez mais rápido e a comunicação se torna cada vez mais

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação 29 de janeiro 2014 Define, em nível estratégico, diretivas do Programa de Gestão de Segurança da Informação. ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 PÚBLICO ALVO... 3 3 RESPONSABILIDADES

Leia mais

Revolucionando a atribuição eletrônica de notas

Revolucionando a atribuição eletrônica de notas Revolucionando a atribuição eletrônica de notas Redução de custos Redução dos prazos de execução Melhoria da qualidade Garantia do anonimato do candidato Simplificação da logística Melhoria da Segurança

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace

TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace. Guia de Funcionalidades. Versão 5.0 TACTIUM IP Guia de Funcionalidades com n-iplace Tactium Tactium IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma n-iplace Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de

Leia mais

Modernização e Evolução do Acervo de Software. Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br

Modernização e Evolução do Acervo de Software. Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br Modernização e Evolução do Acervo de Software Gustavo Robichez de Carvalho guga@les.inf.puc-rio.br Tópicos 1. Estudo Amplo sobre Modernização 2. Visão IBM Enterprise Modernization 3. Discussão - Aplicação

Leia mais

Retorno de Investimento utilizando o CADDPROJ

Retorno de Investimento utilizando o CADDPROJ 1 Retorno de Investimento utilizando o CADDPROJ 1. Estudo de Viabilidade Econômica para Solução CADDPROJ - Será que é preciso Otimizar o processo de Projeto? E agora, continuar no método Antigo ou Inovar?

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação

Departamento de Tecnologia da Informação Departamento de Tecnologia da Informação Objetivos O DTI é o departamento responsável por toda a arquitetura tecnológica do CRF- SP, ou seja, compreende todo o conjunto de hardware/software necessário

Leia mais

Benefícios estratégicos para sua organização. Características especiais. Benefícios. Gestão organizada e controle sobre as solicitações de suporte.

Benefícios estratégicos para sua organização. Características especiais. Benefícios. Gestão organizada e controle sobre as solicitações de suporte. Otimize a gestão de suporte e serviço e administre eficientemente estes procedimentos dentro e fora da sua organização, aumentando seu nível de produtividade. Benefícios Gestão organizada e controle sobre

Leia mais

Symantec Asset Management Suite 7.5 com a tecnologia Altiris

Symantec Asset Management Suite 7.5 com a tecnologia Altiris Symantec Asset Management Suite 7.5 com a tecnologia Altiris Controle seus ativos, garanta a conformidade e revele economias Informe técnico: Gerenciamento de endpoints Você está pagando por licenças de

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado B, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita

SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita 21 a 25 de Agosto de 2006 Belo Horizonte - MG SOME - VIP Solução de Medição de Energia em Vias Públicas para Blindagem da Receita Ricardo Zimmer NANSEN Instrumentos de Precisão S.A. zimmer@nansen.com.br

Leia mais

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios

Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios Avanços do Projeto Cidade Inteligente Búzios São Paulo, 27 de novembro de 2013 Weules Correia Coordenador Técnico do Projeto Cidade Inteligente Búzios Ampla Energia e Serviços SA Enel: um operador internacional

Leia mais

Software de gerenciamento de trabalho

Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho Software de gerenciamento de trabalho GoalPost O software de gerenciamento de trabalho (LMS) GoalPost da Intelligrated fornece informações sob demanda para medir,

Leia mais

José Carlos Zoccoli Superintendente de Comercialização CELG D Brasil

José Carlos Zoccoli Superintendente de Comercialização CELG D Brasil José Carlos Zoccoli Superintendente de Comercialização CELG D Brasil NOVO BILLING/CRM/METTERS X APLICAÇÃO DE FERRAMENTA MOTIVACIONAL CENÁRIO NA IMPLANTAÇÃO BILLING/CRM DIFICULDADES- -> IMPACTOS -> DESMOTIVAÇÃO

Leia mais

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP

TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall. Guia de Funcionalidades. Tactium IP IP IP TACTIUM IP com Integração à plataforma Dígitro EasyCall Guia de Funcionalidades 1 Independência de localização e redução de custos: o TACTIUM IP transforma em realidade a possibilidade de uso dos recursos

Leia mais

Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL

Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL Detecção e investigação de ameaças avançadas. VISÃO GERAL DESTAQUES Introdução ao RSA Security Analytics, que oferece: Monitoramento da segurança Investigação de incidente Geração de relatórios de conformidade

Leia mais

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014

Projetos InovCityEDP. Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Projetos InovCityEDP Rio de Janeiro, 15 de Maio de 2014 Agenda Soluções Smart Grid implantadas na EDP Projeto InovCity Aparecida Projeto InovCity ES Desafios para o Setor Elétrico Barreiras à serem vencidas

Leia mais

Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009. Possibilitando negócios ágeis e inteligentes

Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009. Possibilitando negócios ágeis e inteligentes Um artigo técnico da Oracle Junho de 2009 Possibilitando negócios ágeis e inteligentes Aviso de isenção de responsabilidade A intenção do texto a seguir é delinear o direcionamento geral do nosso produto.

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 345/SETIN.SEGP.GP, DE 16 DE JUNHO DE 2015 Reestrutura as unidades vinculadas à Secretaria de Tecnologia da Informação SETIN do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia mais

Assets. Um software que transforma o gerenciamento em otimização. Certified Partner

Assets. Um software que transforma o gerenciamento em otimização. Certified Partner Um software que transforma o gerenciamento em otimização. Certified Partner IT MANAGEMENT Liderando la vanguardia IT Falar da origem da InvGate é falar das necessidades do mercado IT. Porque uma organização

Leia mais

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento)

5º Semestre. AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) Disciplina: Gerência de Redes Professor: Jéferson Mendonça de Limas 5º Semestre AULA 02 Introdução a Gerência de Redes (Arquitetura e Áreas de Gerenciamento) 2014/1 Agenda de Hoje Evolução da Gerência

Leia mais

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural

Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Implantação do Gerenciamento de Projetos no Processo de Expansão de Alta Tensão da CEMIG-D: Os Desafios da Mudança Cultural Júlio César Marques de Lima Agenda O Processo de Expansão AT da CEMIG-D. Cronograma

Leia mais

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA

DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA DEMANDA GT SOLUÇÕES PARA AUDITORIA CONTÍNUA OBJETIVOS Desenvolvimento de metodologia e sistema de automação do monitoramento de riscos e controles organizacionais para: Minimização dos riscos regulatórios

Leia mais

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010

Redes Inteligentes. Como passo inicial do Conceito Smart Grid. Belo Horizonte - 11/08/2010 Redes Inteligentes Como passo inicial do Conceito Smart Grid Belo Horizonte - 11/08/2010 A Rede Elétrica ONS Mercado De Energia NOSSO FOCO Geração Geração renovável Armazenamento Rede de Distribuição Negócio

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015

EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 Londrina, 07 de outubro de 2015. EDITAL CONCORRÊNCIA PÚBLICA N.º 001/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO 009/2015 OBJETO: Art.1º. Constitui objeto desta licitação a aquisição de 01 (uma) Plataforma de Solução

Leia mais

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE

Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Experiência: Gerenciamento da Rede de Supervisão da Eletronorte GerenteSAGE Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. - Eletronorte Responsável: Uriel de Almeida Papa Equipe: Sérgio de Souza Cruz, Willams

Leia mais

Configuração SERVIDOR.

Configuração SERVIDOR. REQUISITOS MINIMOS SISTEMAS FORTES INFORMÁTICA. Versão 2.0 1. PRE-REQUISITOS FUNCIONAIS HARDWARES E SOFTWARES. 1.1 ANALISE DE HARDWARE Configuração SERVIDOR. Componentes Mínimo Recomendado Padrão Adotado

Leia mais

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center

Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Otimização do Gerenciamento de Datacenters com o Microsoft System Center Aviso de Isenção de Responsabilidade e Direitos Autorais As informações contidas neste documento representam a visão atual da Microsoft

Leia mais

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução

METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO INFOECIA. Introdução Introdução O objetivo deste documento é descrever de uma forma simplificada, o processo implantação de sistemas corporativos da Infoecia. Neste documento é apresentado o ciclo de vida padrão dos projetos

Leia mais