Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap"

Transcrição

1 Servidores REST usando TMS Aurelius e DataSnap Introdução Em artigo anterior a framework na Active Delphi, apresentados o TMS Aurelius, uma framework para mapeamento objeto-relacional (ORM) e mostramos como utilizar essa framework para montar uma aplicação usando o paradigma de objetos (ORM), evitando o uso de SQL s e abstraindo ainda mais a camada de negócios. Neste artigo, mostraremos como construir um servidor REST usando o TMS Aurelius, e as vantagens dessa abordagem. Esse artigo é baseado em uma palestra realizada na Delphi Conference 2012, na qual mostramos como construir uma aplicação REST passo-a-passo. O exemplo utilizado era uma aplicação simples para controle de incidentes (bugs, chamados, etc.), e vamos utilizar o mesmo conceito aqui. Criando e mapeando as classes Primeiramente e uma das coisas mais importantes da aplicação devemos criar nossas classes de negócio. No caso da nossa aplicação de controle de incidentes, teremos as classes TIncidente, Tusuario, TProjeto, etc.. Como não é possível neste artigo mostrar toda a aplicação, listamos abaixo a classe principal TIncidente: [Entity, Automapping] TIncidente = class private FId: Integer; FAssunto: string; FDescricao: string; FPrioridade: TPrioridadeIncidente; FStatus: TStatusIncidente; FResponsavel: TUsuario; FComentarios: TList<TComentarioIncidente>; FProjeto: TProjeto; public constructor Create; destructor Destroy; override; property Id: Integer read FId write FId; property Assunto: string read FAssunto write FAssunto; property Descricao: string read FDescricao write FDescricao; property Prioridade: TPrioridadeIncidente read FPrioridade write FPrioridade; property Status: TStatusIncidente read FStatus write FStatus; property Responsavel: TUsuario read FResponsavel write FResponsavel; property Comentarios: TList<TComentarioIncidente> read FComentarios write FComentarios; property Projeto: TProjeto read FProjeto write FProjeto; Numa aplicação típica cliente-servidor (ou local usando SQLite, por exemplo) podemos usar o TMS Aurelius para buscar e gravar no bando de dados essa entidade: // Busca incidente pelo Id e atualiza o campo Status

2 Incidente := ObjectManager.Find<TIncidente>(IdIncidente); Incidente.Status := TStatusIncidente.Encerrado; ObjectManager.Flush; // persiste no banco tudo que foi alterado Ou, por exemplo, podemos pedir uma lista de todos os incidentes cujo status seja pendente: Var IncidentesPendentes: TList<Tincidente>; IncidentesPendentes := ObjectManager.Find<Tincidente>.Where(TLinq.Eq('Status', TStatusIncidente.Pendente)).List; E assim por diante. O Aurelius é extremamente flexível em suas consultas e mapeamentos (você pode definir nomes dos campos, tipos, relacionamentos (associações) um-pra-muitos, muitos-pra-um, herança, etc.). Esse é o uso básico do Aurelius que cobrimos no artigo anterior e é um assunto extenso, portanto não entraremos em detalhes aqui. Edição visual com TAureliusDataset Com as classes definidas e mapeadas, podemos criar a interface visual para editá-las. Você irá notar que não precisamos nos preocupar muito em como os dados são obtidos e salvos no banco de dados estamos apenas lidando com objetos (no exemplo, da classe TIncidente) e nossas telas de edição precisam apenas saber sobre esses objetos e editá-los. A parte de persistência é feita automaticamente pelo Aurelius, e não nos preocuparemos se os objetos são salvos diretamente no banco de dados, ou enviados a um servidor de aplicação (REST, nesse exemplo). Assim, nosso formulário de edição de incidente, por exemplo, poderia ter a propriedade a seguir (outras propriedades e métodos foram removidos): TFormIncidente = class(tform) private procedure SetIncidente(const Value: TIncidente); public property Incidente: TIncidente read FIncidente write SetIncidente; e o método SetIncidente seria apenas: procedure TFormIncidente.SetIncidente(const Value: TIncidente); FIncidente := Value; EditDescricao.Text := FIncidente.Descricao; EditAssunto.Text := FIncidente.Assunto; ComboStatus.ItemIndex := Ord(FIncidente.Status); // E assim por diante

3 Ou seja, você estaria montando uma tela qualquer de edição e via código simplesmente transferindo os dados do objeto pra tela. No clique do botão salvar, você faria o caminho reverso, pegando os dados da tela e setando as propriedades do objeto. É simples mas pode ser trabalhoso. Pra facilitar essa tarefa o TMS Aurelius disponibiliza o TAureliusDataset, que simplesmente faz essa ponte entre o objeto e os controles da tela (no caso, controles db-aware). Note o form da tela de edição do incidente: No caso, foram definidos campos no dataset de acordo com as propriedades do objeto TIncidente. Cada campo corresponde a uma propriedade. Note o campo Projeto.Nome é um recurso do dataset que permite buscar propriedades de associações. Ou seja, nossa classe TIncidente possui a seguinte propriedade: TIncidente = class; {...} property Projeto: TProjeto read FProjeto write FProjeto; Assim, o campo Projeto.Nome permite acessar essa propriedade inclusive para edição. No caso da nossa tela, estamos mostramo o nome do projeto em um label. A lista de campos do dataset pode inclusive ser obtida em design-time, basta você compilar suas classes em um package separado e informar ao dataset o local do package. O mapeamento de cada controle com cada propriedade é feito normalmente como com qualquer dataset:

4 Você pode inclusive usar campos lookup para, por exemplo, editar o campo responsável (escolher o responsável pelo incidente usando um combo com a lista objetos TResponsavel). E como informar ao dataset qual objeto estamos editando? Pode ver na nova implementação do método SetIncidente: procedure TFormIncidente.SetIncidente(const Value: TIncidente); FIncidente := Value; DatasetIncidente.Close; DatasetIncidente.SetSourceObject(FIncidente); DatasetIncidente.Open; DatasetIncidente.Edit; podemos ver que usa-se o dataset normalmente como qualquer outro dataset. A única diferença é que usamos o método SetSourceObject pra indicar qual objeto estamos editando e nossa tela de edição estará pronta. Ao chamarmos o método Post do dataset, as propriedades do objeto serão atualizadas de acordo com os controles da tela. TAureliusDataset e Listagens Como qualquer dataset, o TAureliusDataset também pode ser usado pra listas onde cada objeto é um registro no dataset. A tela de listagens usa esse recurso, mostrando os incidentes em um grid, como mostrado na tela a seguir:

5 Também como em qualquer dataset, basta ligar o TDBGrid (ou qualquer outro data-aware grid) ao dataset através do datasource, e definir as colunas do grid ligando a cada campo. Para informar ao dataset de onde buscar os objetos, podemos usar o método SetSourceList: DatasetIncidentes.Close; IncidentesPendentes := ObjectManager.Find<Tincidente>.Where(TLinq.Eq('Status', TStatusIncidente.Pendente)).List; DatasetIncidentes.SetSourceList(IncidentesPendentes); DatasetIncidentes.Open; No exemplo acima usamos a lista de incidentes pendentes apenas como ilustração por já havíamos mencionado essa consulta anteriormente. No código real da aplicação, basta buscarmos a lista de incidentes de algum lugar, seja diretamente do banco (como no exemplo acima) ou de um servidor de aplicação (REST, no nosso exemplo). Outro detalhe interessante a se mencionar são os campos com sufixo EnumName. Esse sufixo informa ao dataset para usar tipos enumerados no formato texto. No caso da figura, o dataset tem o campo Status.EnumName definido. Nosso campo Status é um tipo enumerado do tipo TStatusIncidente, mas como usamos o sufixo.enumname, o nome da enumeração será mostrado no grid. Assim, na coluna Status veremos automaticamente os textos Pendente, Encerrado, etc., sem nenhuma necessidade de conversão especial. Criando o servidor REST Até o momento, utilizamos vários recursos do Aurelius mas em uma aplicação cliente-servidor. Agora, o objetivo é disponibilizar dados da nossa aplicação no caso nossas entidades através de um servidor REST. Primeiramente vamos criar o servidor REST em branco no Delphi. O objetivo desse artigo não é explicar o mecanismo de funcionamdo de servidores REST usando DataSnap. Para maiores detalhes,

6 visite a página No nosso exemplo, basta executarmos o assistente do Delphi para criar o servidor DataSnap, e em seguida informamos ao servidor onde está a classe com os métodos que precisamos: procedure TModuleServidor.DSServerClass1GetClass(DSServerClass: TDSServerClass; var PersistentClass: TPersistentClass); PersistentClass := TBugTrackerMethods; É na classe TbugTrackerMethods que vamos definir os métodos da nossa aplicação. A seguir apresentamos alguns métodos e como eles foram implementados (algumas partes foram retiradas para melhor leitura): Uses {...} Aurelius.Engine.ObjectManager, Aurelius.Json.DataSnap, {...}; {$METHODINFO ON} TBugTrackerMethods = class(tcomponent) private FManager: TObjectManager; FSerializer: TDataSnapJsonSerializer; FDeserializer: TDataSnapJsonDeserializer; function ToJson(Obj: TObject): TJsonValue; function FromJson<T: class>(value: TJsonValue; AManaged: boolean): T; {...} public procedure SalvaIncidente(Incidente: TJsonValue); function CarregaIncidente(Id: integer): TJsonValue; function ListaIncidentes: TJsonValue; function ListaIncidentesProjeto(IdProjeto: integer): TJsonValue; {...} { } constructor TBugTrackerMethods.Create(AOwner: TComponent); inherited Create(AOwner); FManager := TObjectManager.Create(ConexaoBanco); FSerializer := TDataSnapJsonSerializer.Create; FDeserializer:= TDataSnapJsonDeserializer.Create;

7 procedure TBugTrackerMethods.SalvaIncidente(Incidente: TJsonValue); FManager.SaveOrUpdate(FromJson<TIncidente>(Incidente)); FManager.Flush; function TBugTrackerMethods.CarregaIncidente(Id: integer): TJsonValue; Result := ToJson(FManager.Find<TIncidente>(Id)); function TBugTrackerMethods.ListaIncidentes: TJsonValue; var Lista: TList<TIncidente>; Lista := FManager.Find<TIncidente>.List; try Result := ToJson(Lista); finally Lista.Free; function TBugTrackerMethods.ListaIncidentesProjeto( IdProjeto: integer): TJsonValue; var Lista: TList<TIncidente>; Lista := FManager.Find<TIncidente>.SubCriteria('Projeto').Where(TLinq.IdEq(IdProjeto)).List<TIncidente>; try Result := ToJson(Lista); finally Lista.Free; E assim dessa forma os demais métodos podem ser implementados. Em resumo, como o Aurelius permite que trabalhemos diretamente com objetos, o servidor REST nada mais é que uma interface para chamadas do Aurelius: Carregar um incidente é apenas uma chamada ao Aurelius para carregar o objeto incidente, e em seguida retornar esse objeto para o servidor. JSON - Serializer e Deserializer

8 Além do próprio TObjectManager, que é a classe do Aurelius que permite persistir objetos no banco e dados, outras duas classes essenciais para facilitar a construção do servidor são as classes TDataSnapJsonSerializer TDataSnapJsonDeserializer. Elas permitem facilmente converter os objetos Aurelius em uma representação JSON e vice-versa. JSON é uma abreviação de JavaScript Object Notation e é simplesmente um texto contendo as informações do objeto. No caso do DataSnap, a classe TJsonValue contém a estrutura de uma representação JSON e podemos retornar/receber objetos desse tipo através de nossos métodos. Assim nosso servidor fica mais genérico e podemos acessá-lo inclusive de outros clientes, como JavaScript (como veremos adiante). Existem várias bibliotecas que fazer parser JSON e contém tipos específicos que representam essa estrutura. O Aurelius não se prende a uma framework específica e você pode usar outros tipos de parser (até mesmo se você quiser montar servidores usando outras frameworks que não seja o DataSnap). A tabela a seguir mostra as frameworks suportadas, mas você mesmo pode fazer a interface para outras: Framework Classe serialização/deserialização Tipo retornado Unit DataSnap TDataSnapJsonSerializer/Deserializer TJsonValue Aurelius.Json.DataSnap SuperObject TsuperObjectJsonSerializer/Deserializer IsuperObject Aurelius.Json.SuperObject Os métodos ToJson e FromJson usados pelo nosso servidor são implementados de forma simples como mostramos a seguir: function TBugTrackerMethods.ToJson(Obj: TObject): TJsonValue; result := FSerializer.ToJson(Obj); function TBugTrackerMethods.FromJson<T>(Value: TJsonValue): T; Result := FDeserializer.FromJson<T>(Value); Ou seja, não poderia ser mais simples: apenas chamadas aos métodos do Serializer e Deserializer. As classes de serialização do Aurelius são importantes porque elas tratam todas as especificidades da framework, como tipos especiais (TBlob,Nullable), lazy-loading (com Proxy), associações, etc., ou seja, elas se beneficiam de todo o mapeamento feito na classe. Testando o servidor no browser Ao executarmos o servidor pela primeira vez, podemos fazer um teste rápido no servidor via browser (visto que nossa servidor é um servidor REST). Utilizando o browser pra acessar o endereço do método ListaIncidentes, obtemos a resposta:

9 Usando uma ferramenta que formata JSON (o site jsbeautifier.org, por exemplo), podemos visualizar melhor a resposta do servidor: { "result": [ [{ "$type": "Entidades.TIncidente", "$id": 1, "FDescricao": "", "FId": 1, "FAssunto": "N\u00E3o \u00e9 poss\u00edvel excluir conta no plano de contas", "FPrioridade": "Alta", "FStatus": "Pendente", "FResponsavel": null, "FComentarios": [], "FProjeto": { "$type": "Entidades.TProjeto", "$id": 2, "FId": 2, "FNome": "Modulo Contabilidade" } }, { "$type": "Entidades.TIncidente", "$id": 3, "FPrioridade": "Baixa", "FId": 2, "FAssunto": "\u00daltima p\u00e1gina em branco ao imprimir balan\u00e7o", "FDescricao": "", "FStatus": "Executando", "FResponsavel": null, "FComentarios": [], "FProjeto": { "$ref": 2 } }]

10 } ] Alterando o cliente para obter os objetos do servidor Uma das vantagens de se trabalhar com objetos puros é justamente a manutençao e portabilidade. Como mostramos anteriormente, toda interface visual da nossa aplicação cliente trabalha apenas com objetos. Sendo assim, podemos facilmente alterá-la para buscar os objetos do servidor REST, ao invés de buscá-los diretamente do banco dados. Para acessar os métodos no servidor precisamos criar um proxy com os métodos. Basta executarmos o servidor e utilizarmos o wizard do DataSnap para obtermos um proxy. É só utilizar a opção File New Other... do Delphi e escolher DataSnap REST Client Module. Um wizard será iniciado, basta seguir os passos do wizard e uma unit será gerada com os métodos proxy. Basta então utilizar o proxy para chamar os métodos no servidor, retornar os objetos, e passar para nossa aplicação. Por exemplo, na nossa tela de listagem de incidentes, o código que fornece os objetos ao dataset passaria a ser simplesmente o seguinte: DatasetIncidentes.Close; Incidentes := ClientModule1.ListaIncidentesProjeto(IdProjetoSelecionado); DatasetIncidentes.SetSourceList(Incidentes); DatasetIncidentes.Open; Assim, facilmente você passa de uma aplicação cliente-servidor para uma aplicação multi-camadas. Utilizando clientes JavaScript Como o servidor REST fornece todos os objetos em formato JSON, é fácil utilizar outros clients para acesso ao servidor. Ainda, o formato JSON que o serializador do Aurelius retorna é bastante compatível com JavaScript de modo que o código que você deve escrever é muito similar ao código em Delphi. A tela e listagem abaixo mostram uma página html e seu código javascript que buscam e mostram os dados de um incidente. É permitido então ao usuário alterar o seus status para Encerrado ou Concluído, dependendo do botão que se pressiona. Utilizamos a framework jquery para deixar o código mais legível (e sem tratamento de erros):

11 Código JavaScript: var incidente = null; $(document).ready(function() { $('#incidentediv').hide(); $('#buscabutton').click(function(event) { incidente = servermethods().carregaincidente(buscaidfield.value).result; $('#incidentediv').show(); $('#idfield').val(incidente.fid); $('#assuntofield').val(incidente.fassunto); $('#prioridadefield').val(incidente.fprioridade); $('#statusfield').val(incidente.fstatus); $('#responsavelfield').val(incidente.fresponsavel.fnome); $('#projetofield').val(incidente.fprojeto.fnome);

12 $('#descricaofield').val(incidente.fdescricao); }); $('#encerrabutton').click(function(event) { incidente.fstatus = 'Encerrado'; servermethods().salvaincidente(incidente); $('#incidentediv').hide(); }); $('#cancelabutton').click(function(event) { incidente.fstatus = 'Cancelado'; servermethods().salvaincidente(incidente); $('#incidentediv').hide(); }); }); Conclusão O objetivo deste artigo era mostrar técnicas e exemplos de como construir um cliente e servidor REST usando o TMS Aurelius, beneficiando-se dos recursos da ferramenta e do paradigma de uso de uma ferramente de mapeamento objeto-relacional. Autor Wagner Rafael Landgraf, 36, é formado em Engenharia Eletrônica e Mestre em Informática Industrial pela Universidade Federal Tecnológica do Paraná. Atualmente Gerente de Produtos da TMS Software (http://www.tmssoftware.com), trabalha com Delphi desde sua primeira versão em 1995, e é responsável por produtos como TMS Scripter, TMS Diagram Studio, TMS Data Modeler e TMS Aurelius.

Mapeamento Objeto-Relacional Usando o TMS Aurelius

Mapeamento Objeto-Relacional Usando o TMS Aurelius Mapeamento Objeto-Relacional Usando o TMS Aurelius Desenvolver sistemas com banco de dados é um dos usos mais comuns do Delphi. Porém lidar com comandos SQL pode ser uma tarefa enfadonha. Em geral, ao

Leia mais

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco

Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco 1 Interface para Regras de Negócios em Multi-Banco MARCELO JALOTO (marcelo@jaloto.net) é graduado no curso superior Projetos e Gestão de Redes de Computadores e formado no curso Técnico em Processamento

Leia mais

Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II

Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II Adicionando Propriedades e Funcionalidades aos Componentes Parte II Quantas vezes eu não lamentei por este componente não ter uma propriedade que guardasse uma lista paralela a lista que é mostrada em

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

Persistindo dados com TopLink no NetBeans

Persistindo dados com TopLink no NetBeans Persistindo dados com TopLink no NetBeans O que é TopLink? O TopLink é uma ferramenta de mapeamento objeto/relacional para Java. Ela transforma os dados tabulares de um banco de dados em um grafo de objetos

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática ZEBRA ZPL2 por Victory Fernandes e Augusto Frederico Na Internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI CRIANDO UMA AUTENTICAÇÃO DE USUÁRIO UTILIZANDO O COMPONENTE QUERY A autenticação de usuários serve para

Leia mais

Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser

Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser A1Criando um módulo de negócio Capítulo 27 Aplicação dividida em módulos - Introdução Como já foi muito bem detalhado no Capítulo IV, o jcompany Developer Suite pode ser compreendido como uma solução de

Leia mais

Requerimento: Digitador de Pedidos ProfarmaNet. Manual de Apoio. Preparado por: Versão: 1.0. Sumário

Requerimento: Digitador de Pedidos ProfarmaNet. Manual de Apoio. Preparado por: Versão: 1.0. Sumário Vanderlei Manual de Apoio Resumo Módulo Básico Especifico para Instalação e Usabilidade Lista de Distribuição Nome Área / Função Histórico de modificações Versão Data Descrição Responsável 13/12/2013 Versão

Leia mais

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX?

AJAX no GASweb. Mas e afinal, para que usamos o AJAX? Nível - Avançado AJAX no GASweb Por: Pablo Hadler AJAX (Asynchronous Javascript and XML) foi criado com o princípio de ser uma maneira rápida e otimizada de podermos fazer requisições Web, sendo esta totalmente

Leia mais

USANDO O IZCODE PARA GERAR SOFTWARE RAPIDAMENTE

USANDO O IZCODE PARA GERAR SOFTWARE RAPIDAMENTE USANDO O IZCODE PARA GERAR SOFTWARE RAPIDAMENTE SUMÁRIO usando o izcode... 1 para gerar software rapidamente... 1 introdução... 2 o que é o izcode?... 2 Como funciona o izcode?... 2 os tipos diferentes

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

Manual de Utilização do TOTVS Restore

Manual de Utilização do TOTVS Restore Manual de Utilização do TOTVS Restore Atualização de Ambientes RM O TOTVS Restore é uma ferramenta desenvolvida pela equipe de Engenharia de Software do CD-BH com o intuito de permitir a criação e atualização

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about. PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS -HTML 5: ARMAZENAMENTO DE DADOS (CLIENTE) Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução Compatibilidade Principais características

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Dando um passeio no ASP.NET

Dando um passeio no ASP.NET Dando um passeio no ASP.NET Por Mauro Sant Anna (mas_mauro@hotmail.com). Mauro é um MSDN Regional Director, consultor e instrutor. O principal objetivo da arquitetura.net é permitir ao usuário o fácil

Leia mais

Versão 8.2C-01. Versão Final da Apostila de Novidades

Versão 8.2C-01. Versão Final da Apostila de Novidades Versão 8.2C-01 Versão Final da Apostila de Novidades Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas

Leia mais

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 4 O Componente Trabalhando com conexão ao banco de dados MySQL no Lazarus Ano: 03/2011

Leia mais

TABELAS RELACIONADAS: CAPTURANDO VALOR DE OUTRA TABELA ATRAVÉS DE DBGRID

TABELAS RELACIONADAS: CAPTURANDO VALOR DE OUTRA TABELA ATRAVÉS DE DBGRID PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO TABELAS RELACIONADAS: CAPTURANDO VALOR DE OUTRA TABELA ATRAVÉS DE DBGRID Imagine que estejamos trabalhando com tabelas relacionadas e que, em determinado

Leia mais

Sankhya Print Service. Manual de instalação e uso

Sankhya Print Service. Manual de instalação e uso Sumário 1 Histórico...4 2 Introdução...5 3 Instalação...6 3.1 Verificando a instalação...11 3.2 Configuração do Sankhya Print Service...11 3.2.1 config.properties...12 3.2.1.1 about.copyright...12 Objetivo...12

Leia mais

Planilha Eletrônica Excel

Planilha Eletrônica Excel COLÉGIO LA SALLE CANOAS Técnico em Informática Planilha Eletrônica Excel Excel Prof. Valter N. Silva Colégio La Salle Canoas Página 2 1. NOÇÕES BÁSICAS O Microsoft Excel 7.0 é um programa de planilha eletrônica,

Leia mais

Capítulo 04: Persistência com SQLite

Capítulo 04: Persistência com SQLite Capítulo 04: Persistência com SQLite Instrutor Programador desde 2000 Aluno de doutorado Mestre em informática pelo ICOMP/UFAM Especialista em aplicações WEB FUCAPI marcio.palheta@gmail.com sites.google.com/site/marcio

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina

Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Programação para Internet Rica 1 Aula 9: Fundamentos do JQuery Fonte: Plano de Aula Oficial da Disciplina Objetivo: Capacitar o aluno para o trabalho com o framework JQuery. INTRODUÇÃO JQuery é uma biblioteca

Leia mais

Android e Bancos de Dados

Android e Bancos de Dados (Usando o SQLite) Programação de Dispositivos Móveis Mauro Lopes Carvalho Silva Professor EBTT DAI Departamento de Informática Campus Monte Castelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório

Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Fortes Report Parte 1 1 Fortes Report Parte 1 Desenvolvendo o Primeiro Relatório Amigos, fazer relatórios é o famoso mal necessário, que particularmente eu não me incomodo em desenvolver, até porque, geralmente

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação.

ANEXO 11. Framework é um conjunto de classes que colaboram para realizar uma responsabilidade para um domínio de um subsistema da aplicação. ANEXO 11 O MATRIZ Para o desenvolvimento de sites, objeto deste edital, a empresa contratada obrigatoriamente utilizará o framework MATRIZ desenvolvido pela PROCERGS e disponibilizado no início do trabalho.

Leia mais

CA Business Service Insight

CA Business Service Insight CA Business Service Insight Guia de Conteúdo Predefinido da ISO 20000 8.2 A presente documentação, que inclui os sistemas de ajuda incorporados e os materiais distribuídos eletronicamente (doravante denominada

Leia mais

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi fórum: http://offile.umforum.net site: http://fts315.xp3.biz autor: kõdo no kami (www.facebook.com/hacker.fts315) - skype: hackefts315 greetz: mmxm, sir.rafiki, suspeit0@virtual,

Leia mais

Sankhya Print Service

Sankhya Print Service 1 Sumário 1 Histórico...4 2 Introdução...5 3 Instalação...6 3.1 Verificando a instalação...10 4 Configurando o servidor SPS...10 4.1 config.properties...11 4.1.1 crypto.hmac.salt...11 4.1.2 crypto.hmac.secretkey...11

Leia mais

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate

Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Criando uma aplicação Web em C# usando o NHibernate Apresento neste artigo como criar uma aplicação web totalmente orientada a objetos usando o framework NHibernate e a linguagem C#. Nossa meta é construir

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Capture Pro Software. Introdução. A-61640_pt-br

Capture Pro Software. Introdução. A-61640_pt-br Capture Pro Software Introdução A-61640_pt-br Introdução ao Kodak Capture Pro Software e Capture Pro Limited Edition Instalando o software: Kodak Capture Pro Software e Network Edition... 1 Instalando

Leia mais

Gravando uma Áudio Conferência

Gravando uma Áudio Conferência Gravando uma Áudio Conferência Para iniciar a gravação da áudio conferência, digite *2. Você ouvirá a seguinte mensagem: Para iniciar a gravação da conferência pressione 1, para cancelar pressione * Ao

Leia mais

jquery Apostila Básica

jquery Apostila Básica jquery Apostila Básica INTRODUÇÃO 3 CAPÍTULO 1 POR ONDE INICIAR 3 CAPÍTULO 2 MEU PRIMEIRO SCRIPT! 4 EXERCÍCIOS...5 CAPÍTULO 3 ADICIONANDO CSS 6 EXERCÍCIOS...7 CAPÍTULO 4 MODIFICANDO APENAS PARTE DO DOCUMENTO

Leia mais

Tabela e Gráficos Dinâmicos Como estruturar dinamicamente dados no Excel

Tabela e Gráficos Dinâmicos Como estruturar dinamicamente dados no Excel Tabela e Gráficos Dinâmicos Como estruturar! Para que serve a Tabela e o Gráfico Dinâmico?! Como criar uma Tabela Dinâmica?! Como criar um Gráfico Dinâmico?! Como podemos atualizar dos dados da Tabela

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

Introdução ao Javascript

Introdução ao Javascript Programação WEB I Introdução ao Javascript Apresentação da Disciplina,Introdução a linguagem Javascript Objetivos da Disciplina Apresentar os principais conceitos da linguagem Javascript referente à programação

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

Curso Básico Sistema EMBI

Curso Básico Sistema EMBI Curso Básico Sistema EMBI Módulo Atendentes e Administradores Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste trabalho pode ser reproduzida em qualquer forma por qualquer meio gráfico, eletrônico ou

Leia mais

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães

ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães ASP.NET 2.0 - Visual Studio 2005 (Whidbey) Ramon Durães O ASP.NET que é a camada de desenvolvimento de aplicações web da plataforma.net vem agradando em muito os desenvolvedores de todo o mundo desde o

Leia mais

Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial

Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial Manual Sistema Mó vel Msys Cómercial Maravilha, 2014. 1 Sumário 1. REQUISITOS MÍNIMOS... 3 2. PRINCIPAIS TELAS E FUNCIONALIDADES... 4 2.1.1. Tela de acesso ao sistema.... 4 2.1.2. Tela Principal do Sistema....

Leia mais

Tutorial Folha Express. Como otimizar a confecção da folha de pagamento.

Tutorial Folha Express. Como otimizar a confecção da folha de pagamento. Tutorial Folha Express Como otimizar a confecção da folha de pagamento. Índice Apresentação Pág. 2 Passo 1 Pág. 3 Disponibilização da Folha de Pagamento Passo 2 Pág. 5 Exportação de clientes e Folha de

Leia mais

ruirossi@ruirossi.pro.br

ruirossi@ruirossi.pro.br Persistência Com JPA & Hibernate Rui Rossi dos Santos ruirossi@ruirossi.pro.br Mediador: Rui Rossi dos Santos Slide 1 Mapeamento Objeto-Relacional Contexto: Linguagem de programação orientada a objetos

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2

Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 1 Impressão de Código de Barras Uma abordagem prática para Zebra EPL2 por Victory Fernandes Na internet estão disponíveis diversos componentes para geração e impressão de Código de Barras utilizando o

Leia mais

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP

AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP AULA 4 VISÃO BÁSICA DE CLASSES EM PHP Antes de mais nada, vamos conhecer alguns conceitos, que serão importantes para o entendimento mais efetivos dos assuntos que trataremos durante a leitura desta apostila.

Leia mais

Criando um script simples

Criando um script simples Criando um script simples As ferramentas de script Diferente de muitas linguagens de programação, você não precisará de quaisquer softwares especiais para criar scripts de JavaScript. A primeira coisa

Leia mais

Manual de Usuário - Flight of Icarus

Manual de Usuário - Flight of Icarus Manual de Usuário - Flight of Icarus Desenvolvido por: Elvis Venâncio S. Nogueira Data: 21/02/2013 Versão: 1.7 Sumário Conteúdo Manual sobre Flight of Icarus... 4 Formas de Conexão... 4 Tela de Login...

Leia mais

Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net.

Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net. Introdução Página 1 de 7 Mostraremos neste artigo um exemplo de como realizar o cadastro de uma Issue em um projeto existente no portal Java.net. Para iniciar este trabalho, estou considerando que você

Leia mais

Manual de Orientação para Acesso e Uso do SARA Versão ERA s

Manual de Orientação para Acesso e Uso do SARA Versão ERA s Manual de Orientação para Acesso e Uso do SARA Versão ERA s 1. Introdução O SARA foi elaborado visando facilitar o dia a dia do produtor, foi desenvolvido em Delphi, utilizando banco de dados Firebird,

Leia mais

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml

Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax Asynchronous JavaScript and Xml Ajax permite construir aplicações Web mais interativas, responsivas, e fáceis de usar que aplicações Web tradicionais. Numa aplicação Web tradicional quando se prime

Leia mais

43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML

43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML 43 11 Relatórios, Listagens e Exportações para Excel, TXT e HTML Aqui serão exemplificados os relatórios que podem ser definidos pelo usuário. Esses Relatórios podem ser impressos em Impressora Lazer,

Leia mais

Manual do Visualizador NF e KEY BEST

Manual do Visualizador NF e KEY BEST Manual do Visualizador NF e KEY BEST Versão 1.0 Maio/2011 INDICE SOBRE O VISUALIZADOR...................................................... 02 RISCOS POSSÍVEIS PARA O EMITENTE DA NOTA FISCAL ELETRÔNICA.................

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Revisando sintaxes SQL e criando programa de pesquisa. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 5 SELECT * FROM Minha_memoria Revisando Sintaxes SQL e Criando programa de Pesquisa Ano:

Leia mais

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP

Programação WEB. Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida. Aula III Introdução PHP Programação WEB Prof. André Gustavo Duarte de Almeida andre.almeida@ifrn.edu.br docente.ifrn.edu.br/andrealmeida Aula III Introdução PHP Introdução PHP PHP=Hypertext Pre-Processor Linguagem de script open

Leia mais

Criando um carrinho de compras

Criando um carrinho de compras Criando um carrinho de compras Um carrinho de compras feito em ASP.NET para você adaptar ao seu negócio e incluir no seu site. Além de aprender conceitos importantes relacionados a tecnologia ASP.NET vai

Leia mais

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural

Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Resumo: Perguntas a fazer ao elaborar um projeto arquitetural Sobre entidades externas ao sistema Quais sistemas externos devem ser acessados? Como serão acessados? Há integração com o legado a ser feita?

Leia mais

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE

Figura 1 - Arquitetura multi-camadas do SIE Um estudo sobre os aspectos de desenvolvimento e distribuição do SIE Fernando Pires Barbosa¹, Equipe Técnica do SIE¹ ¹Centro de Processamento de Dados, Universidade Federal de Santa Maria fernando.barbosa@cpd.ufsm.br

Leia mais

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A

Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A Digifort Mobile Manual Version 1.0 Rev. A 2 Digifort Mobile - Versão 1.0 Índice Parte I Bem vindo ao Manual do Digifort Mobile 1.0 5 1 Screen... Shots 5 2 A quem... se destina este manual 5 3 Como utilizar...

Leia mais

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA

Suporte Técnico. A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Suporte Técnico A ZRCR Informática presta suporte técnico, via telefone, e-mail ou Skype diretamente aos usuários do E-GESTAOBELEZA Horário de Atendimento De segunda-feira à sexta-feira das 09:00 ás 19:00

Leia mais

Persistência de dados com JPA. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com

Persistência de dados com JPA. Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com Persistência de dados com JPA Hélder Antero Amaral Nunes haanunes@gmail.com O que é persistência? A persistência de dados é o fato de pegar um dado e torná-lo persistente, ou seja, salvar em algum banco

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN

W o r d p r e s s 1- TELA DE LOGIN S U M Á R I O 1Tela de Login...2 2 Painel......3 3 Post...4 4 Ferramentas de Post...10 5 Páginas...14 6 Ferramentas de páginas...21 7 Mídias...25 8 Links......30 1 1- TELA DE LOGIN Para ter acesso ao wordpress

Leia mais

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice

Guião de Introdução ao Eclipse IDE Índice Índice 1. Introdução... 2 1.1. O que é um ambiente de desenvolvimento (IDE)?... 2 1.2. Visão geral sobre o Eclipse IDE... 2 2. Iniciar o Eclipse... 3 2.1. Instalação... 3 2.2. Utilizar o Eclipse... 3 3.

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS ARMAZENAMENTO EM BD NO DM Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução App de exemplo Implementação do exemplo Testes realizados

Leia mais

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL

Programação para Android. Aula 08: Persistência de dados SQL Programação para Android Aula 08: Persistência de dados SQL Persistência de dados Na maioria das aplicações precisamos ter algum tipo de persistência de dados. Para guardar informações de forma persistente

Leia mais

Display de Cristal Líquido

Display de Cristal Líquido TUTORIAL Display de Cristal Líquido Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 09/03/2006 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C

NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C PROGRAMAÇÃO SERVIDOR EM SISTEMAS WEB NOVIDADES DO JAVA PARA PROGRAMADORES C Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o Conceito de Classes e Objetos Capacitar para a criação de objetos simples

Leia mais

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate

Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Desenvolvimento de aplicação web com framework JavaServer Faces e Hibernate Tiago Peres Souza 1, Jaime Willian Dias 1,2 ¹Universidade paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil tiagop_ti@hotmail.com 2 Universidade

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

#Criando Aplicações Web com o Delphi unigui

#Criando Aplicações Web com o Delphi unigui 1 Sumário Apresentação Apresentação do unigui. Instalação Instalação do unigui. Conhecendo os Componentes unigui Apresentação dos componentes das paletas Standard, Additional, Data Controls e Extra do

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 1 Em qualquer profissão é importante que se conheça bem as ferramentas que serão usadas para executar o trabalho proposto. No desenvolvimento de software não é

Leia mais

TUTORIAL III: ADICIONANDO AJUDA. Adicionando Ajuda

TUTORIAL III: ADICIONANDO AJUDA. Adicionando Ajuda Adicionando Ajuda Para construir arquivos de ajuda do Windows, é necessário saber quais são os componentes de um arquivo de ajuda. Você tem três arquivos básicos que são parte de cada arquivo de ajuda:

Leia mais

DWR DIRECTED WEB REMOTING

DWR DIRECTED WEB REMOTING DWR DIRECTED WEB REMOTING Vamos ver nesse artigo um pouco sobre o Frameworks Ajax para Java, o DWR. Vamos ver seus conceitos, utilidades, vantagens, algumas práticas e fazer o passo a passo para baixar,

Leia mais

MANUAL BÁSICO USUARIO PATHOGOLD

MANUAL BÁSICO USUARIO PATHOGOLD MANUAL BÁSICO USUARIO PATHOGOLD PathoGOLD 2014 é um software de gestão de laboratório. Birlamedisoft PathoGold India desenvolve este software para Laboratório. Diafgarma Brasil distribui e comercializa

Leia mais

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto :

Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : Podemos agora ver no IDE do Morfik os objetos que já incorporamos ao nosso projeto : O form Index A tabela Fotos A query Q_seleção_de_fotos Vide figura 46. Figura 46 O próximo passo é criar um form que

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink

Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Persistência de Dados em Java com JPA e Toplink Vinicius Teixeira Dallacqua Curso de Tecnologia em Sistemas para Internet Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia - IFTO AE 310 Sul, Avenida

Leia mais

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 11 Utilidades e Ferramentas

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 11 Utilidades e Ferramentas Guia do Usuário Parte 11 Utilidades e Ferramentas Conteúdos 1 RESUMEN 2 SIMULADOR DE DADOS... 4 2.1 Introducção... 4 2.2 Usando el Simulador de Dados... 4 3 FERRAMENTA DE BANCOS DE DADOS... 5 3.1 Acerca

Leia mais

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel

FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA. Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel FTIN FORMAÇÃO TÉCNICA EM INFORMÁTICA Módulo de Programação Prof. Bruno Maciel Competências a serem trabalhadas nessa aula Criação da Base de Dados (MySQL) Criação de Tabelas Tipo de Dados Chave Primária

Leia mais

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44

Etc & Tal. Volume 2 - Número 1 - Abril 2009 SBC HORIZONTES 44 Armazenando Dados em Aplicações Java Parte 2 de 3: Apresentando as opções Hua Lin Chang Costa, hualin@cos.ufrj.br, COPPE/UFRJ. Leonardo Gresta Paulino Murta, leomurta@ic.uff.br, IC/UFF. Vanessa Braganholo,

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP 2ª Edição Juliano Niederauer Novatec Copyright 2009, 2011 da Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução

Leia mais

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2

Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 AULA Conhecendo o Visual FoxPro 8.0 Parte 2 Na aula anterior, vimos sobre: a) Janela de comando b) Gerenciador de Projetos c) Database Designer e Table Designer Prosseguiremos então a conhecer as ferramentas

Leia mais

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA PARTE I Acesso ao módulo on line Geração de listagens Digitação de fichas com a síntese da investigação I.a Acesso ao SIM: Para acessar

Leia mais