Artigo publicado. na edição 22. Assine a revista através do nosso site. maio e junho de 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Artigo publicado. na edição 22. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. maio e junho de 2011"

Transcrição

1 Artigo publicado na edição 22 Assine a revista através do nosso site maio e junho de 2011

2 :: artigo Lean Manufacturing e os softwares Aps Como aplicar o Lean Manufacturing na prática com a utilização dos softwares APS. Alexandre Erhart Engenheiro de Produção pela UFRGS com MBA em Logística Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas FGV. Possui elevada experiência de consultoria em gestão avançada da produção e diversos casos de sucesso de implantação de sistemas APS. É certificado PMP pelo Project Management Institute. Atualmente, é diretor de Projetos e responsável pela unidade de negócios de Advanced Planning and Scheduling na ACCERA Supply Chain Solutions. Cristhiano Stefani Faé Mestre em Engenharia de Produção (PPGEP/UFRGS) com ênfase em Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos; engenheiro de Produção (UFRGS); possui elevada experiência em projetos APS e como consultor e instrutor atuando nas áreas de Gestão de Estoques, Planejamento de Demanda e Gestão Avançada da Produção. Exprofessor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Atualmente, é diretor executivo da ACCERA Supply Chain Solutions. Histórico e evolução dos softwares APS e Lean Manufacturing Atender às necessidades dos clientes e reduzir as ineficiências em um cenário no qual a competitividade do negócio requer uma maior variedade dos produtos e cadeias de suprimentos mais velozes é um verdadeiro desafio para muitas empresas. Para enfrentar estas complexidades, os executivos dispõem de uma vasta oferta de soluções no mercado, seja por meio de fornecedores de TI com ferramentas para dar suporte ao negócio ou através de soluções de consultoria geralmente baseadas em revisão e melhorias dos processos. A implantação dos sistemas MRP (Material Requirements Planning), MRPII (Manufacturing Resources Planning) e ERP (Enterprise Resources Planning), iniciada no Brasil nas décadas de 70, 80 e 90, auxiliaram estas empresas a gerenciar parte do trabalho operacional e transacional, mas as atividades analíticas de planejamento e programação da produção de modo geral continuaram a ser realizadas através de sistemas manuais e planilhas eletrônicas. No que se refere à gestão da manufatura, verificou-se na prática que as limitações dos sistemas MRP e MRPII utilizados de forma isolada simplesmente não eram suficientes para lidar com o dinamismo da produção, por vezes gerando o descontrole na fábrica, problemas no atendimento do prazo dos pedidos e estoques elevados ao longo da cadeia. Motivadas pelo sucesso da Toyota, as técnicas e ferramentas que viriam a ser denominadas de Produção Enxuta ou Lean Manufacturing passaram a ser difundidas e aplicadas nas empresas como antídoto a estes problemas. Para combater os estoques elevados e os problemas usuais do sistema de produção em massa, estas técnicas e abordagens difundidas pela Toyota visavam, sobretudo: eliminar os lotes econômicos, introduzir fluxo contínuo, lotes unitários e programação puxada para reduzir estoques; aplicar técnicas de gestão visual, simplificar controles, ampliar a participação dos operadores e otimizar a execução; implementar programa de melhorias no processo de manufatura para dar mais agilidade dinâmica e de reação ao sistema produtivo. Paralelamente ao grande volume de implantação dos programas Lean, os sistemas FCS (Finite Capacity Scheduling) e APS (Advanced Planning and Scheduling) começavam a ser desenvolvidos para preencher as lacunas nos processos de planejamento e programação da produção. Através de conceitos de programação com capacidade finita, as principais limitações dos sistemas tradicionais de MRP/MRPII foram tratadas no sistema FCS/APS, que poderia considerar as limitações de ca- 66

3 As iniciativas do Lean Manufacturing têm sido amplamente difundidas nas empresas há muitos anos. Mais recentemente, os sistemas APS estão ganhando cada vez mais espaço e passam a fazer parte das prioridades das empresas. No entanto, ainda são raras as iniciativas conjuntas de implementação do Lean Manufacturing e das ferramentas APS, embora ambas tenham muita relação entre si e possam ser aliadas na busca pela eliminação das perdas produtivas e melhoria dos resultados operacionais. O artigo tem o objetivo de apresentar algumas abordagens conjuntas para a obtenção de melhores resultados a partir da utilização das tecnologias APS de forma alinhada com os princípios do Lean Manufacturing. pacidade de máquinas, mão-de-obra e ferramentas especiais. Mais tarde, outras funcionalidades também passaram a ser incorporadas, como a disponibilidade limitada de materiais, configurações de setup dependente da sequência, restrições logísticas e regras mais sofisticadas de sequenciamento. Neste momento, os termos FCS e APS passaram a ser conhecidos apenas como APS. O sistema APS tornou-se apto a representar de forma fiel a realidade da produção e a ganhar cada vez mais espaço nos processos de planejamento e programação da produção das empresas. Suportado pelos avanços tecnológicos, as ferramentas APS evoluíram com regras avançadas e, além de dar realismo aos planos de produção, trouxeram flexibilidade e facilidade de adaptação a diferentes ambientes. Por outro lado, apesar de o sistema Lean apresentar um elevado potencial de gerar resultados e, sobretudo, ter sido muito bem aceito pelas empresas, percebeu-se que muitas vezes as implementações não geraram o resultado esperado. Em muitos casos, os projetos iniciaram de forma satisfatória, mas as ferramentas logo caiam em desuso ou se mostraram insuficientes para acompanhar a evolução do negócio. Isto acontece com menos frequência quando as iniciativas do Lean são suportadas por um processo bem estruturado e contam com ferramentas integradas para dar suporte as suas iniciativas, ao invés de serem baseadas somente com planilhas ou processos estritamente manuais. Nos últimos anos, uma série de iniciativas têm sido implementadas nas empresas para adotar esta filosofia, sempre com o objetivo comum de entregar os pedidos Lean é eliminação completa e minuciosa dos desperdícios para reduzir o tempo entre o recebimento do pedido do cliente até a entrega. TAIICHI OHNO na data combinada, com mínimo de estoque, menores lead times possíveis e máxima utilização dos recursos. Entretanto, a utilização de ferramentas tecnológicas nos projetos de Lean Manufacturing ainda está em fase inicial de maturidade no Brasil, de forma que as soluções baseadas em um sistema avançado de planejamento geralmente são preteridas por modelos de gestão visual ou programação puxada através de kanban. O fato é que para trabalhar com a filosofia clássica do Lean Manufacturing, as empresas, em sua grande maioria, procuraram alternativas para simplificar o sistema produtivo, mas sabe-se que mesmo os ambientes mais enxutos ainda precisam de visibilidade de planejamento e programação para obterem os melhores resultados. Esta constatação pode ser verificada em um estudo da Aberdeen Group (2004), que demonstrou que muitas indústrias vêm seguindo exageradamente os princípios de simplificação do Lean e assim estão perdendo benefícios críticos que a tecnologia pode trazer para a sistematização e sustentação dos métodos Lean. Recentemente, a aproximação entre as empresas Toyota, principal promotor e referência de produção enxuta no mundo, e a Preactor International, empresa que atua na categoria de soluções APS, tem gerado uma série de novas iniciativas para aproximar as técnicas do Lean Manufacturing das soluções de programação com capacidade finita. Além das aplicações convencionais para sincronização, otimização de setup e maximização da performance de entrega, algumas soluções exclusivas para alinhamento com a filosofia Lean estão sendo desenvolvidas, como é o caso de uma nova regra de cál- 67

4 culo de nivelamento de produção Heijunka de forma automática, otimizada e dinâmica de acordo com a variação no mix da demanda. Estas soluções específicas, associadas aos diversos casos de sucesso de empresas que procuraram se tornar mais enxutas através do uso de uma ferramenta de planejamento e programação mais eficiente, têm despertado um novo modelo de alinhamento entre os projetos de APS e Lean Manufacturing. A figura 1 apresenta um esboço da evolução das diferentes abordagens, a partir da disseminação dos softwares ERP e MRP/MRPII. De um lado, tem- -se a evolução de ferramentas ligadas ao conceito do Lean Manufacturing e de outro a evolução das tecnologias relacionadas ao APS, ambas tendo como origem os problemas decorrentes das limitações dos sistemas tradicionais para tratar de forma realmente enxuta o planejamento, programação e controle da produção. Apesar de evoluírem de forma desassociada, o que se observa é que existe uma tendência forte de alinhamento destas soluções, sendo a solução APS cada vez mais ligada aos conceitos de produção enxuta e o Lean Manufacturing cada vez mais aplicado com ferramentas integradas para a otimização dos processos. O próximo capítulo irá apresentar algumas estratégias para a aplicação dos softwares APS alinhadas às ferramentas do Lean Manufacturing, de acordo com a experiência prática dos autores em diversos projetos bem-sucedidos de implantação de sistemas APS alinhados aos conceitos do Lean Manufacturing mrp/mrp ii erp JIT (just in time), kanban toc (theory of constrainsts), fcs 68 lean, heijunka, six sigma aps Figura 1. Evolução dos conceitos Lean e APS (fonte: adaptado de Mike Liddel, 2011). Pesquisa realizada pelo Aberdeen Group em 2007 para identificar as melhores práticas em Lean Manufacturing aponta que as empresas Top 20% Best In Class implementaram as técnicas de produção enxuta alinhada com os sistemas de programação da produção e obtiveram um retorno duas vezes melhor do que as demais. Isto foi justificado pela maior visibilidade da cadeia de suprimentos e pelo fato de os tomadores de decisão possuírem ferramentas que lhe permitam ser proativos. lean+aps Aplicações práticas das ferramentas APS alinhadas ao Lean Manufacturing Responda sob demanda e elimine os estoques Cada vez mais, as empresas buscam direcionar o seu negócio à demanda real, seja através de um sistema orientado contra pedido (make-to-order) ou por meio de maior visibilidade da demanda na ponta final da cadeia (sell-out). Neste contexto, a utilização de um sistema APS pode auxiliar a empresa na transição gradual ao novo modelo de negócio, oferecendo condições de reduzir ou eliminar lotes econômicos de produção, programar a produção de acordo com as necessidades dos clientes e balancear a demanda à capacidade de produção. Identifique gargalos e faça o balanceamento de acordo com o mix Com o uso do sistema APS, é possível identificar de forma detalhada os principais gargalos de produção, seja em relação às máquinas, mão-de-obra, ferramentas ou até restrições logísticas. Além de enxergar quais os recursos seriam necessários para viabilizar um plano, é possível analisar também quais os impactos que a falta de determinados recursos geram nos indicadores que simulam o resultado operacional da programação, como os atrasos de pedidos, índices de estoques e ocupação de máquinas. Combine vantagens do layout celular e funcional Se por um lado o layout celular permite a redução de diversas perdas no processo, por outro lado o arranjo dos recursos por similaridade de processos pode gerar mais flexibilidade de fabricação, maior ocupação dos recursos e agilidade às variações da demanda. O APS pode ser implementado em qualquer um destes cenários, com a vantagem de que o sistema pode ajudar a planejar a configuração das células e alocar as demandas de forma dinâmica, ao invés de simplificar o problema estabelecendo recursos dedicados que podem comprometer o balanceamento dos recursos. Realize o nivelamento dos recursos a partir do plano do S&OP O sistema APS pode ser utilizado como ferramenta de análise e simulação de cenários a partir dos planos de

5 médio/longo prazo do S&OP. Desta forma, o processo conta com uma tecnologia capaz de realizar simulações avançadas de cenários de acordo com o conceito de capacidade finita e pode ajudar na determinação de regimes de trabalho e nivelamento de recursos. Programe os setups para minimizar as trocas sem comprometer os prazos de entrega Mesmo implementando iniciativas de troca rápida de ferramentas, o tempo desperdiçado com as trocas de ferramentas pode comprometer a capacidade de produção se não for devidamente administrado. Neste sentido, o APS pode ser parametrizado com matrizes do tipo de/para para identificar o esforço de tempo necessário para cada troca, de modo a realizar o sequenciamento inteligente que ao mesmo tempo minimiza o tempo total de setup e maximiza a performance de entrega dos pedidos. Observe o exemplo da figura 2, no qual existem três diferentes cenários para a programação de um mesmo conjunto de ordens de produção. Cada cor representa um produto, e a barra preta identifica um tempo de setup necessário quando é feita a troca de produto. No primeiro cenário, o prazo de entrega é o único critério considerado, o que ocasionou dois atrasos e um pior aproveitamento da capacidade produtiva. No segundo cenário, foi utilizada uma regra de otimização de setup com horizonte de otimização de dois dias, o que reduz os atrasos e gera um resultado intermediário de aproveitamento de recursos. O último cenário faz a minimização total dos setups, porém gera um pior resultado em atendimento aos prazos. Caberia ao programador analisar as informações, escolher qual o cenário deve ser efetivado, seja priorizando o aproveitamento dos recursos ou o atendimento aos prazos. Utilize regras avançadas de priorização e seleção de pedidos Cenário 1 SOMENTE data Cenário 2 SET UP 2 DIAS DIA 1 DIA 2 DIA 3 DIA 4 DATA DE ENTREGA DURAÇÃO DA OPERAÇÃO TEMPO DE SET UP Cenário 3 SET UP DIAS Figura 2. Comparação de três cenários de programação para um mesmo conjunto de ordens. Dependendo do ambiente de aplicação, pode ser mais interessante a utilização do APS para fins de planejamento do que de programação da produção. Ou seja, ao invés de trabalhar com as ordens de fabricação, o APS pode ser utilizado a partir dos pedidos de venda, aplicando regras avançadas de planejamento dos pedidos antes da execução do MRP, por exemplo. Aplicações deste tipo geralmente são utilizadas para incorporar maior inteligência nos processos de fechamento de carga de pedidos, gerando melhores resultados em termos de rentabilidade, utilização dos recursos e atendimento aos prazos de entrega. Implemente o fluxo contínuo e elimine estoque em processo Apesar de muitas vezes induzir a utilização de sistemas de programação puxada, a teoria do Lean Manufacturing determina que primeiro deve-se buscar o fluxo contínuo, de modo que a programação puxada só deve ser aplicada se a primeira alternativa não for possível. Neste sentido, uma atenção especial deve ser dada aos sistemas de programação por Kanban, que não são recomendados para ambientes que possuem qualquer uma das seguintes características: (I) demanda instável, (II) alta variedade de produtos, (III) tempos de setup dependentes da sequência, (IV) restrições operacionais com recursos alternativos, (V) alto índice de refugo e retrabalho, (VI) quebras de máquinas e problemas de manutenção. Desta forma, os esforços aplicados para a utilização de uma sistemática de programação que visa o sincronismo das operações pode contribuir significativamente para a redução dos estoques em processo e a maximização do índice de valor agregado do processo de produção. Cabe ressaltar que os modelos híbridos também podem ser aplicados, utilizando a programação fina em recursos críticos e a programação puxada em processos que possuem as características adequadas. Planeje os Kanbans de forma dinâmica e sistematizada Ao invés de aplicar a técnica de Kanban em formato físico e totalmente manual, o sistema APS pode contribuir para aumentar a agilidade e o dinamismo deste tipo de solução. O sistema pode enxergar índices de estoques, carteira de pedidos, parâmetros de lotes, tempos de ciclo, tempos de setup e outras informações relevantes para calcular os Kanbans de forma otimizada e dinâmica de acordo com as mudanças nas condições de demanda e produção. O envio do sinal dos Kanbans pode ser disponibilizado para a fábrica através de cartão impresso ou consulta eletrônica. Esta solução torna o processo mais ágil, principalmente em cenários com maior variedade de produtos e demanda instável. 69

6 Utilize a programação Heijunka com lotes e sequência variável A utilização de ferramentas do tipo Heijunka Box, que aplicam conceitos de nivelamento da produção materializados por meio de quadros visuais, usualmente são implementados com regras inflexíveis para compensar a dificuldade de realizar e atualizar os cálculos necessários para a sua implementação. Utilizando um sistema APS, o Heijunka pode ser aplicado de forma dinâmica à medida que a demanda se altera ou quando surgem imprevistos e atrasos no ambiente de produção. Este mecanismo é utilizado através de uma regra especial de programação no APS que calcula o nivelamento com a quantidade dos lotes e sequência de fabricação variável, inclusive utilizada com sucesso no planejamento da produção da própria Toyota. Realize simulações de cenários e direcione oportunidades para Kaizen Também conhecidos como sistemas de Programação com Capacidade Finita, os softwares APS se destacam pela capacidade de considerar diversas restrições operacionais dos processos para representar de forma fiel as condições de produção. Ao compreender e conhecer os fatores de determinam a capacidade de produção, naturalmente são identificadas oportunidades de melhoria no processo. Além disso, as mudanças podem inclusive ter a sua aplicação simulada no sistema antes de serem efetivadas, tornando o processo de tomada de decisão mais seguro e assertivo. Figura 3. Antes do APS & LEAN (fonte: adaptado de Mollison, 2009). Figura 4. Depois do APS & LEAN (fonte: adaptado de Mollison, 2009). 70 Aplique o Just-In-Time na cadeia de suprimentos A utilização de um sistema do tipo MRP pode ser potencializada quando utilizada em conjunto com um software APS. Ao invés de considerar o lead time como um valor fixo e a capacidade de produção como infinita, o APS pode planejar as ordens de fabricação de forma muito mais realista e atualizar as datas de solicitação de materiais, de modo que as necessidades de matérias- -primas sejam planejadas para as datas certas. Este tipo de abordagem pode reduzir os estoques de materiais e garantir que os suprimentos necessários para viabilizar os planos estejam disponíveis quando realmente for necessário. Programe as manutenções preventivas e os setups externos Além de realizar a programação das ordens de fabricação, o APS pode ser utilizado para planejar as manutenções preventivas de modo que preencham lacunas de capacidade ociosa dos recursos ao invés de interrompê-los em períodos críticos. Além disso, a programação no APS pode enxergar a equipe de manutenção como uma restrição e informar o plano detalhado de trocas que devem ser feitas em cada um dos recursos por dia, de modo a motivar as iniciativas de antecipação de tarefas que podem ser feitas como setup externo, ou seja, realizadas sem a interrupção da máquina. Considerações finais Os conceitos de Lean Manufacturing surgiram como resposta a uma grande crise, que forçou o desenvolvimento de soluções para extrair o máximo de resultados com o mínimo possível de recursos, por meio do ataque às perdas no processo de toda a cadeia de suprimentos. Essa foi a diretriz que forçou o surgimento do Lean há anos, mas o mesmo desafio pode ser transportado para os dias de hoje, em que prevalecem as empresas que conseguem produzir os seus produtos com qualidade, eficiência e menor custo operacional possível. A melhor forma de utilizar o APS depende da cultura da empresa e o estágio atual de progresso das ferramentas utilizadas para o planejamento, programação e controle da produção. Por

7 exemplo, uma empresa que possui uma forte cultura de Lean Manufacturing e está bem adaptada a esta abordagem pode preferir utilizar o APS para cálculo de nivelamento Heijunka ou planejamento e controle dos Kanbans. Já as empresas que estão iniciando a transição para o sistema Lean, podem preferir utilizar mais os recursos de programação fina e buscar um sistema orientado contra pedido para se tornarem mais enxutas. Por outro lado, uma empresa que trabalha rigorosamente no APS com a programação detalhada de todas as operações pode ser muito beneficiada com iniciativas do Lean, pois além de obter benefícios que podem auxiliar na redução de setups, melhorias de layout, redução de problemas de qualidade e maior estabilidade dos processos. Por fim, destaca-se que a implementação conjunta das iniciativas de Lean e APS pode funcionar em um modelo híbrido de programação fina para etapas críticas do processo que precisam ser programadas e sistema de programação puxada para operações que possuem as características adequadas a este tipo de processo. As aplicações práticas do uso conjunto das práticas de Lean Manufacturing e os Softwares APS apresentados neste artigo representam alguns exemplos de sucesso desta abordagem. Certamente, outras aplicações podem ser realizadas neste mesmo sentido, pois existe um alto grau de complementaridade entre as soluções, seja no que se refere ao conceito teórico e filosofia envolvida, seja nos objetivos estratégicos que orientam os projetos de implantação. Referências FAÉ.C. S.; ERHART, A. (2010). Desafios e tendências dos sistemas APS no Brasil. Revista MundoLogística, n 10, maio/junho, ERHART, A.; FAÉ, C. S.; MENESES, G. Sistemas Avançados de Planejamento da Produção: Uma Aplicação na Indústria Moveleira. X Simpósio de Administração da Produção, Logística e Operações Internacionais. Rio de Janeiro, LIDDEL, M. Little Blue Book of Scheduling. Florida: Joshua1nine Publishing, LIDDEL, M. The Future of APS and Lean. São Francisco, MOLLISON, C. Positioning Preactor. Johannesburg, NOVELS, M. Synchronisation of Production. Preactor International. England, LIKER, J. K.; BURR, K. Advanced Planning Systems as an Enabler of Lean Manufacturing. Automotive Manufacturing & Production, fevereiro, OHNO, T. Toyota Production System: Beyond Large-Scale Production. Estados Unidos: Productivity Press, 1988.

Advanced Planning and Scheduling

Advanced Planning and Scheduling Advanced Planning and Scheduling Por Soraya Oliveira e Raquel Flexa A importância do planejamento Uma cadeia de suprimentos é composta por diversos elos conectados que realizam diferentes processos e atividades

Leia mais

Artigo publicado. na edição 10. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. maio/junho de 2009

Artigo publicado. na edição 10. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. maio/junho de 2009 Artigo publicado na edição 10 Assine a revista através do nosso site maio/junho de 2009 a : : Artigos Desafios e tendências na aplicação de sistemas APS no Brasil Uma abordagem empresarial e prática para

Leia mais

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S

Ortems. Agile Manufacturing Software ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S ADV ANCE D PLANN ING AND DE TAI LED SCH EDUL ING - AP S QUEM SOMOS Empresa criada no Brasil no ano de 1996 como joint-venture da SORMA SpA Itália, proprietária de um software ERP para indústrias. Realizou

Leia mais

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING

15/09/2011. Historico / Conceito. Lean Production é um programa corporativo ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II. Evolucao do Conceito LEAN THINKING Historico / Conceito Lean : década de 80 James Womack (MIT) Projeto de pesquisa: fabricantes de motores automotivos; ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO II Lean Production é um programa corporativo composto por

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA

OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA OTIMIZAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO E SEQUENCIAMENTO DA PRODUÇÃO EM UM TRATAMENTO TÉRMICO COM A UTILIZAÇÃO DE SISTEMAS DE CAPACIDADE FINITA Izabel C. Zattar, Carlos M. Sacchelli, M. Eng. Instituto Superior de Tecnologia

Leia mais

MRP II. Planejamento e Controle da Produção 3 professor Muris Lage Junior

MRP II. Planejamento e Controle da Produção 3 professor Muris Lage Junior MRP II Introdução A lógica de cálculo das necessidades é conhecida há muito tempo Porém só pode ser utilizada na prática em situações mais complexas a partir dos anos 60 A partir de meados da década de

Leia mais

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS

LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS LEAN APLICADO À CADEIA DE SUPRIMENTOS INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING SUPPLY CHAIN (INCLUI LOGÍSTICA) 2 2 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING 3 INTRODUÇÃO AO LEAN MANUFACTURING Pensar fora da caixa... Lean

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo

Lean manufacturing ou Toyotismo ou Toyotismo Gestão da Qualidade Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina

Leia mais

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães

O sistema Just-In-Time. Professor: Dannilo Barbosa Guimarães O sistema Just-In-Time Professor: Dannilo Barbosa Guimarães Introdução ao JIT O Just-In-Time surgiu no Japão na década de 70 na Toyota Motor Company (Taiichi Ohno). O JIT visa o combate ao desperdício

Leia mais

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing

Lean manufacturing ou Toyotismo. Lean manufacturing ou Toyotismo Resultados impressionantes 1 Trimestre 2007 Toyota supera GM como líder mundial em vendas Vendas Mundiais 1º Trimestre Nº Carros Toyota 2.348.000 GM 2.260.000 2007 termina empatado tecnicamente

Leia mais

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015

PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 PRODUTIVIDADE PARA O MUNDO REAL. APS Excellence Day Rio de Janeiro, 24 de junho de 2015 Confidencialidade, Propriedade Intelectual e Marca Registrada Apresentação Renato Mendes renato.mendes@mezasoft.com

Leia mais

Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados

Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados Integração entre Sistemas de Seqüenciamento e ERP para solução de problemas de alteração de ordens de produção devido a eventos inesperados Helio Galvão Ciffoni, Ramon Hoshino & Walid Nicolas Assad Malisoft

Leia mais

Just in Time Massagista JIT?

Just in Time Massagista JIT? Just Just in Time Time Massagista JIT? Planejamento e Controle Just-in-Time Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção Just-in-Time Entrega de produtos e serviços apenas quando são necessários

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO DE CADEIAS PRODUTIVAS 2ª OFICINA MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR Lean Manufacturing é a busca da perfeição do processo através da eliminação de desperdícios Definir Valor Trabalhar

Leia mais

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010

Objetivo da Aula. Enterprise Resource Planning - ERP. Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 23/4/2010 Enterprise Resource Planning - ERP Objetivo da Aula Descrever os sistemas ERP, seus módulos e possíveis aplicações e tendências 2 1 Sumário Informação & TI Sistemas Legados ERP Classificação Módulos Medidas

Leia mais

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico

Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Análise da Utilização de Conceitos de Produção Enxuta em uma Pequena Empresa do Setor Metal Mecânico Matheus Castro de Carvalho (matheus_c_carvalho@hotmail.com / CESUPA) Resumo: A aplicação dos conceitos

Leia mais

O APS (ADVANCED PLANNING SYSTEMS) APLICADO AO ERP TECNICON: PRINCÍPIOS DE USABILIDADE

O APS (ADVANCED PLANNING SYSTEMS) APLICADO AO ERP TECNICON: PRINCÍPIOS DE USABILIDADE O APS (ADVANCED PLANNING SYSTEMS) APLICADO AO ERP TECNICON: PRINCÍPIOS DE USABILIDADE Robson Pache (FAHOR) rp000705@fahor.com.br Juliano Hammes (FAHOR) jh000697@fahor.com.br Vilmar Boeno Silva (FAHOR)

Leia mais

Sumário. 1.3 Identificação dos principais autores em PCR, 15. 1.4 Questões, 15

Sumário. 1.3 Identificação dos principais autores em PCR, 15. 1.4 Questões, 15 Sumário Apresentação, xiii 1 Definições e Conceitos Fundamentais, l 1.1 Sistemas de produção: conceituação, evolução e algumas importantes classificações, l 1.2 O Planejamento e Controle da Produção (PCP),

Leia mais

JUST-IN-TIME & KANBAN

JUST-IN-TIME & KANBAN JUST-IN-TIME & KANBAN Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br 1 OBJETIVO DA AULA OBJETIVO: EVIDENCIAR O QUE É JUST IN TIME E QUAL É SUA UTILIDADE EM PROJETOS DE OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS EM OPERAÇÕES

Leia mais

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC.

PRODUÇÃO ENXUTA. Eng. Liane Freitas, MsC. PRODUÇÃO ENXUTA Eng. Liane Freitas, MsC. O que será visto neste capítulo? 1 O significado a filosofia JIT 2 O JIT versus a prática tradicional 3 As técnicas JIT de gestão 4 As técnicas JIT de planejamento

Leia mais

FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN

FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS FORMAÇÃO PRÁTICA LEAN Oportunidade ideal para gerar resultados reais na sua carreira e empresa. Capacitação com implementação prática de projeto KPO Fevereiro 2016 Informações

Leia mais

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS

GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MBA GESTÃO EM PRODUÇÃO E SERVIÇOS DISCIPLINAS E EMENTAS SINTONIZANDO PERCEPÇÕES E UNIFORMIZANDO A LINGUAGEM

Leia mais

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software

COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE. Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software COMO MELHORAR O DESEMPENHO DAS LINHAS DE PRODUÇÃO Edson Donisete da Silva, Carlos Roberto Sponteado Aquarius Software Objetivo Apresentar conceitos e ferramentas atuais para melhorar eficiência da produção

Leia mais

Aplicando lean em indústrias de processo

Aplicando lean em indústrias de processo Aplicando lean em indústrias de processo Alexandre Cardoso* Os setores de alimentos, químico, farmacêutico e de cosméticos, que na sua essência são indústrias de processo, têm obtido sucesso na aplicação

Leia mais

N= D. LT_prod. (1+Seg) + D. LT_entr. (1+Seg)

N= D. LT_prod. (1+Seg) + D. LT_entr. (1+Seg) Os parametros para o cálculo são : Demanda diária (D) Qtde. de peças por KANBAN (Q) Lead time de produção (LT_Prod) Lead time de entrega (LT_entr) Segurança (margem) definida (Seg) Sendo: N= D. LT_prod.

Leia mais

17/02/2015 JIT KANBAN. Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo.

17/02/2015 JIT KANBAN. Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO JIT KANBAN - JIT Uma técnica que se utiliza de várias normas e regras para modificar o ambiente produtivo. Técnica voltada para a otimização da produção. PODE SER APLICADA TANTO

Leia mais

Apresentação da Empresa

Apresentação da Empresa STRAIGHT MANUFACTURE Consultoria Logística e Industrial Apresentação da Empresa 1 Apresentação pessoal Bruno S. Ferreira Sócio-diretor da Responsável pelas áreas de: Logística Produtividade industrial

Leia mais

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning

Engª de Produção Prof.: Jesiel Brito. Sistemas Integrados de Produção ERP. Enterprise Resources Planning ERP Enterprise Resources Planning A Era da Informação - TI GRI Information Resource Management -Informação Modo organizado do conhecimento para ser usado na gestão das empresas. - Sistemas de informação

Leia mais

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços

MRP MRP. Módulo 5 MRP e JIT. Demanda de produtos e serviços. Fornecimento de produtos e serviços Módulo 5 MRP e JIT Adm Prod II 1 MRP Fornecimento de produtos e serviços Recursos de produção MRP Decisão de quantidade e momento do fluxo de materiais em condições de demanda dependente Demanda de produtos

Leia mais

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74

Considerações sobre a Parte I - Histórico e componentes do lean, 74 Sumário Prefácio, xi Introdução, 1 Parte I - HISTÓRICO E COMPONENTES DO LEAN, 5 1 Conceito Enxuto: das Origens à Consolidação, 6 As indústrias da produção em massa, 8 Crise na indústria automobilística

Leia mais

Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil

Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil Artigo 09 Sistemas de programação com capacidade finita no Brasil Este documento faz parte do material que compõe o livro: Planejamento, Programação e Controle da Produção MRP II / ERP: Conceitos, Uso

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Este trabalho visou a caracterização da utilização dos aplicativos APS pelas empresas.

Este trabalho visou a caracterização da utilização dos aplicativos APS pelas empresas. 6 Conclusão Este capítulo tem como objetivo a apresentação dos resultados diretos e indiretos deste trabalho. São apresentadas sugestões para futuras pesquisas sobre o tema aqui abordado. 6.1. Resultados

Leia mais

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola

Introdução ao Lean Manufacturing. Dário Spinola Introdução ao Lean Manufacturing Dário Spinola Dário Uriel P. Spinola Sócio da Táktica Consultoria em Manufatura MBA em Conhecimento, Tecnologia e Inovação pela FIA/FEA USP Mestrando e Engenheiro de Produção

Leia mais

Programação da produção adequada à realidade

Programação da produção adequada à realidade Divulgação TECNOLOGIA Programação da produção adequada à realidade Com a implantação de um sistema APS, de planejamento e programação detalhada da manufatura, desenvolvido pela Ortems, a fábrica da filial

Leia mais

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751

SOLMIX Consultoria Empresarial - Fone: 011 99487 7751 Objetivos Nosso Objetivo é Colocar a disposição das empresas, toda nossa Experiência Profissional e metodologia moderna, dinâmica e participativa, para detectar as causas sintomáticas e seus efeitos. Realizar

Leia mais

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7)

CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) CONCEITOS E FUNÇÕES DO PLANEJAMENTO, DA PROGRAMAÇÃO E DO CONTROLE DA PRODUÇÃO PPCP (Petrônio Garcia Martins / Fernando Piero Martins Capítulo 7) A ESTRATÉGIA DA MANUFATURA E O SISTEMA PPCP: A estratégia

Leia mais

Pós-Graduação Fórum Lean Vale do Paraíba A contribuição do Lean-TOC-VMI para a gestão eficaz da cadeia de suprimentos Prof. MSc. Artur Henrique Moellmann CIS-ERP / Grupo Everel 16maio2009 artur.moellmann@terra.com.br

Leia mais

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos

Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Conectando a Montagem aos Processos em Lotes através de Sistemas Puxados Básicos Art Smalley Tradução: Diogo Kosaka Sistemas puxados são uma parte fundamental da manufatura lean e freqüentemente são mal

Leia mais

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014

Portfólio de Treinamentos. Exo Excelência Operacional // 2014 Portfólio de Treinamentos Exo Excelência Operacional // 2014 Treinamentos Exo Excelência Operacional A Exo Excelência Operacional traz para você e sua empresa treinamentos fundamentais para o desenvolvimento

Leia mais

MES e Eficiência de Linhas de Produção

MES e Eficiência de Linhas de Produção MES e Eficiência de Linhas de Produção por Edson Donisete da Silva e Carlos Roberto Sponteado Melhora constante no processo produtivo. Aumento da qualidade do produto que é entregue ao cliente final. Redução

Leia mais

Just In Time (JIT) é uma abordagem disciplinada, que visa aprimorar a produtividade global e eliminar desperdícios.

Just In Time (JIT) é uma abordagem disciplinada, que visa aprimorar a produtividade global e eliminar desperdícios. Fascículo 6 Planejamento e controle Just In Time Entendendo o Just In Time Just In Time, cuja tradução para o português resulta em algo não muito claro Apenas a Tempo, corresponde a atividade de produzir

Leia mais

CS&OP-P Certified S&OP Professional

CS&OP-P Certified S&OP Professional A achain é uma empresa especializada nas áreas de Supply Chain, Value Chain e Demand Chain Management, com atuação nas modalidades de serviços de treinamento e apoio administrativo. Missão achain: Proporcionar

Leia mais

A implantação de Lean Manufacturing implica em que TODA a empresa seja Lean, uma Lean Enterprise.

A implantação de Lean Manufacturing implica em que TODA a empresa seja Lean, uma Lean Enterprise. Lean Manufacturing A implantação do conceito de Lean Manufacturing em uma Empresa abrange todas as suas atividades operacionais, não se restringindo apenas à área Operacional. O sucesso da implantação

Leia mais

FACULDADE DE JAGUARIÚNA

FACULDADE DE JAGUARIÚNA Redução de estoques em processos na linha de terminais móveis de pagamento eletrônico Renata da Silva Alves (Eng. De Produção - FAJ) alvesresilva@gmail.com Prof. Me. Eduardo Guilherme Satolo (Eng. De Produção

Leia mais

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA

CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ENGENHARIAS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE ENGENHARIA DE SOROCABA TÍTULO: UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES DEDICADOS PARA O DESENVOLVIMENTO E ELABORAÇÃO DO MAPEAMENTO DO FLUXO DE VALOR (MFV) EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO ENXUTA LEAN PRODUCTION CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: ENGENHARIAS

Leia mais

A introdução de ferramentas APS nos sistemas de Planejamento, Programação e Controle da Produção

A introdução de ferramentas APS nos sistemas de Planejamento, Programação e Controle da Produção A introdução de ferramentas APS nos sistemas de Planejamento, Programação e Controle da Produção Cristhiano Stefani Faé (UFRGS) fae@producao.ufrgs.br Alexandre Erhart (UFRGS) erhart@producao.ufrgs.br Resumo

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

TÍTULO: SISTEMA HÍBRIDO DE GESTÃO DA PRODUÇÃO: INTEGRANDO KANBAN E MRPII

TÍTULO: SISTEMA HÍBRIDO DE GESTÃO DA PRODUÇÃO: INTEGRANDO KANBAN E MRPII Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: SISTEMA HÍBRIDO DE GESTÃO DA PRODUÇÃO: INTEGRANDO KANBAN E MRPII CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA:

Leia mais

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha

Unidade II GESTÃO DE. Prof. Léo Noronha Unidade II GESTÃO DE SUPRIMENTOS E LOGÍSTICA Prof. Léo Noronha Após a Segunda Guerra Mundial: Estados Unidos da América passaram por um longo período de crescimento. Responsáveis pela reconstrução de muitos

Leia mais

IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA SISTEMAS DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA SISTEMAS DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO IETEC INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA SISTEMAS DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO Eduardo Dias Ferreira Belo Horizonte Agosto 2006 2 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 4 1.1 Objetivo... 4 1.1.1 Objetivo Geral... 4 1.1.2

Leia mais

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado

Estruturando o Fluxo Puxado - Sistema Puxado e Nivelado 1 SÍNTESE E CONCLUSÃO Como acoplar ou integrar gerencialmente uma cadeia de valor (ou etapas de um processo produtivo) no âmbito da filosofia Lean? SISTEMA PUXADO NIVELADO SISTEMA PUXADO NIVELADO: É o

Leia mais

JUST IN TIME: UMA DAS FERRAMENTAS DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO RESUMO

JUST IN TIME: UMA DAS FERRAMENTAS DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO RESUMO JUST IN TIME: UMA DAS FERRAMENTAS DE OTIMIZAÇÃO DA PRODUÇÃO RESUMO O presente artigo, mostra de forma clara e objetiva os processos da ferramenta Just in time, bem como sua importância para a área de produção.

Leia mais

Integrando Lean com os sistemas de tecnologia de informação

Integrando Lean com os sistemas de tecnologia de informação Integrando Lean com os sistemas de tecnologia de informação Jean Cunningham Quando eu era CFO (Chief Financial Officer) da Lantech (Louisville, KY), ajudei a adaptar o sistema de tecnologia de informação

Leia mais

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica

Ementários. Disciplina: Gestão Estratégica Ementários Disciplina: Gestão Estratégica Ementa: Os níveis e tipos de estratégias e sua formulação. O planejamento estratégico e a competitividade empresarial. Métodos de análise estratégica do ambiente

Leia mais

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros

Planejamento da produção. FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção FATEC Prof. Paulo Medeiros Planejamento da produção O sistema de produção requer a obtenção e utilização dos recursos produtivos que incluem: mão-de-obra, materiais, edifícios,

Leia mais

AUTOMAÇÃO APLICADA À MANUFATURA

AUTOMAÇÃO APLICADA À MANUFATURA AUTOMAÇÃO APLICADA À MANUFATURA Automação e mão de obra Patrícia Lins de Paula 16/04/2012 62 AUTOMAÇÃO APLICADA À MANUFATURA 2. Automação e mão de obra 2.1 Setores e operações de produção 2.2 Instalações

Leia mais

Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br )

Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br ) Lean IT Juliano Daniel Marcelino ( juliano@jmarcelino.com.br ) Orientador: Mehran Misaghi, Dr. ( mehran@sociesc.org.br ) Agenda Conceitos básicos Necessidade de usar Lean IT Ambiente Benefícios para melhoria

Leia mais

3 O sistema APO Advanced Planner and Optimizer

3 O sistema APO Advanced Planner and Optimizer 3 O sistema APO Advanced Planner and Optimizer Esse capítulo tem por objetivo apresentar os conceitos do sistema APO (Advanced Planner and Optimizer), o sistema APS da empresa alemã SAP. O sistema APO

Leia mais

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios.

TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO CURSOS. Formação prática em ferramentas essenciais para a. redução de desperdícios. TREINAMENTOS PRESENCIAIS PRÁTICOS PROGRAMAÇÃO 2016 CURSOS Formação prática em ferramentas essenciais para a melhoria dos processos e redução de desperdícios. Desenvolvimento de 1 Pessoas Propósito é o

Leia mais

KANBAN (capítulo 13)

KANBAN (capítulo 13) KANBAN (capítulo 13) O sistema kanban foi desenvolvido na Toyota Motor Company por Taiichi Ohno e Sakichi Toyoda e ficou conhecido dentro do Sistema Toyota de Produção, como um sistema de combate ao desperdício.

Leia mais

Como determinar os sistemas de controle da produção a partir da lei de pareto

Como determinar os sistemas de controle da produção a partir da lei de pareto Como determinar os sistemas de controle da produção a partir da lei de pareto Alessandro Lucas da Silva (EESC-USP) als@sc.usp.br Gilberto Miller Devós Ganga (EESC-USP) gilberto_mdg@yahoo.com.br Roberta

Leia mais

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos

Lean e a Gestão Integrada da Cadeia de Suprimentos JOGO DA CERVEJA Experimento e 2: Abordagem gerencial hierárquica e centralizada Planejamento Integrado de todos os Estágios de Produção e Distribuição Motivação para um novo Experimento Atender à demanda

Leia mais

Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban

Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban Ciências da Computação FURB Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Sistema de Informações da Produção Utilizando o Método Kanban Alzir Wagner Orientador: Wilson Pedro Carli Fevereiro de 2008 Roteiro de apresentação

Leia mais

Sistemas de Administração e Gestão da Produção

Sistemas de Administração e Gestão da Produção Sistemas de Administração e Gestão da Produção Izabel Cristina Zattar izabelzattar@netvision.com.br www.grima.ufsc.br/izabel/index.html Os 3 Grandes Níveis do Planejamento Horizonte de detalhamento Diário/Semanal

Leia mais

XLVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PESQUISA OPERACIONAL

XLVII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PESQUISA OPERACIONAL UM MODELO DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO CONSIDERANDO FAMÍLIAS DE ITENS E MÚLTIPLOS RECURSOS UTILIZANDO UMA ADAPTAÇÃO DO MODELO DE TRANSPORTE Debora Jaensch Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING

DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING MANUFATURA ENXUTA DEFINIÇÃO DE LEAN MANUFACTURING A ORIGEM DA PALAVRA LEAN O termo LEAN foi cunhado originalmente no livro A Máquina que Mudou o Mundo de Womack, Jones e Roos, publicado nos EUA em 1990.

Leia mais

Vendas na Empresa Lean

Vendas na Empresa Lean Vendas na Empresa Lean Autor: Alexandre Cardoso Publicado: 29/04/2011 Introdução Em uma empresa, a área de Vendas é de extrema importância para o sucesso do negócio. Aprimorar o seu desempenho tem sido

Leia mais

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS

LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS LEAD TIME PRODUTIVO: UMA FERRAMENTA PARA OTIMIZAÇÃO DOS CUSTOS PRODUTIVOS Sandra Mara Matuisk Mattos (DECON/UNICENTRO) smattos@unicentro.br, Juliane Sachser Angnes (DESEC/UNICENTRO), Julianeangnes@gmail.com

Leia mais

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS Entendendo o cenário atual As organizações continuam com os mesmos objetivos básicos: Prosperar em seus mercados de atuação

Leia mais

PROCEEDINGS SISTEMAS AVANÇADOS DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO: UMA APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA MOVELEIRA.

PROCEEDINGS SISTEMAS AVANÇADOS DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO: UMA APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA MOVELEIRA. SISTEMAS AVANÇADOS DE PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO: UMA APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA MOVELEIRA. Alexandre Erhart, UFRGS, erhart@producao.ufrgs.br Cristhiano Faé, UFRGS, fae@producao.ufrgs.br Gustavo Meneses, UFRGS,

Leia mais

Conversa Inicial. Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação.

Conversa Inicial. Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação. Conversa Inicial Olá! Seja bem-vindo à quarta aula de Fundamentos de Sistemas de Informação. Hoje iremos abordar os seguintes assuntos: a origem dos sistemas integrados (ERPs), os módulos e fornecedores

Leia mais

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1

SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS!!!! 1 SEJAM BEM VINDOS AO QUARTO SEMESTRE!!! 2 Regras de ouro: Desligue o celular; Evitem ausentar-se da sala Evitem conversas paralelas (sem propósito com o assunto da aula); Dediquem-se

Leia mais

APS Advanced Plainning and Scheduling Sistema Avançado de Produção

APS Advanced Plainning and Scheduling Sistema Avançado de Produção APS Advanced Plainning and Scheduling Sistema Avançado de Produção O módulo APS é a mais nova ferramenta que irá auxiliar no gerenciamento da produção. O principal objetivo do APS é a determinação exata

Leia mais

Evolução dos sistemas ERP nas empresas

Evolução dos sistemas ERP nas empresas Evolução dos sistemas ERP nas empresas Aloísio André dos Santos (ITA) aloisio@mec.ita.br João Murta Alves (ITA) murta@mec.ita.br Resumo Os sistemas ERP são considerados uma evolução dos sistemas de administração

Leia mais

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12)

MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) MRP / MRP II / ERP (capítulos 11 e 12) As siglas MRP, MRP II e ERP são bastante difundidas e significam: MRP Materials Requirements Planning Planejamento das Necessidades de Materiais; MRP II Resource

Leia mais

Gerenciamento da produção

Gerenciamento da produção 74 Corte & Conformação de Metais Junho 2013 Gerenciamento da produção Como o correto balanceamento da carga de dobradeiras leva ao aumento da produtividade e redução dos custos (I) Pedro Paulo Lanetzki

Leia mais

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP)

ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) ENTERPRISE RESOURCE PLANNING (ERP) Um sistema ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento dos Recursos da Empresa) é um pacote de software que tem por finalidade organizar, padronizar e integrar as

Leia mais

Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos

Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos Ecogerma 2012 Lean Production na redução de uso de recursos em processos produtivos Paulino G. Francischini pgfranci@usp.br Conteúdo 1. Conceito de Lean Production 2. Desperdícios no processos produtivo

Leia mais

LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação

LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação LEAN-CURSOS E WORKSHOPS Cursos otimizados para as necessidades do Cliente Cursos Padrão Workshops de Capacitação Serviços : Cursos e workshops especialmente criados para capacitar a sua organização no

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0 Autor: Marco Polo Viana. Bloco Suprimentos Bloco Suprimentos Controle de Produção PCP Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Controle de Produção PCP, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas

Leia mais

Teresa Maciel MSC, PhD Candidate. Docente UFRPE tmmaciel@gmail.com

Teresa Maciel MSC, PhD Candidate. Docente UFRPE tmmaciel@gmail.com Teresa Maciel MSC, PhD Candidate Docente UFRPE tmmaciel@gmail.com Sobre a instrutora... Doutoranda em Engenharia de Software (métodos ágeis), Mestre em Engenharia de Software (melhoria de processos de

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS RODRIGO OLIVEIRA PIERITZ

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS RODRIGO OLIVEIRA PIERITZ UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS RODRIGO OLIVEIRA PIERITZ APLICAÇÃO PRÁTICA DOS SISTEMAS APS: UM ESTUDO DE CASO

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a

SISTEMAS INTEGRADOS P o r f.. E d E uar a d r o Oli l v i e v i e r i a SISTEMAS INTEGRADOS Prof. Eduardo Oliveira Bibliografia adotada: COLANGELO FILHO, Lúcio. Implantação de Sistemas ERP. São Paulo: Atlas, 2001. ISBN: 8522429936 LAUDON, Kenneth C.; LAUDON, Jane Price. Sistemas

Leia mais

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda.

artigo SUPPLY CHAIN Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. O PAPEL DA AUTOMAÇÃO NA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Ricardo Caruso Vieira (rcaruso@aquarius.com.br), Departamento de Serviços Especiais da Aquarius Software Ltda. INTRODUÇÃO Peter Drucker, um dos pensadores

Leia mais

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management

MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Logística e Supply Chain Management www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX:

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 25/05/2015 Término das aulas: Maio de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP

Pós-Graduação Lato Sensu Especialização em Gestão por Processos SAP Pós-Graduação "Lato Sensu" Especialização em Gestão por Processos SAP Inscrições Abertas: Início das aulas: 24/08/2015 Término das aulas: Agosto de 2016 Dias e horários das aulas: Segunda-Feira 18h30 às

Leia mais

Impactos humanos da PE CLIENTE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE

Impactos humanos da PE CLIENTE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE. Impactos humanos da PE Menor Lead Time Estrutura do STP Just-In-Time Fluxo Contínuo Takt Time Produção Puxada Kanban Custo Mais Baixo CLIENTE Segurança Moral Jidoka Separação Homem/ Máquina Poka-Yoke Inspeção Fonte Ação Imediata

Leia mais

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Programação e Controle da Produção é um conjunto de funções inter-relacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores administrativos

Leia mais

A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL

A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL A PROGRAMAÇÃO DA PRODUÇÃO PUXADA PELO CLIENTE: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA TÊXTIL Sigfrid Hornburg (UFSC) shornburg@karsten.com.br Dalvio Ferrari Tubino (UFSC) tubino@deps.ufsc.br Natalia Emerich Ladeira

Leia mais

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha

OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA. Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha OTIMIZAÇÃO AVÍCOLA Mix ótimo de Venda Rendimento de Fábrica Otimização Remessa de Ração Otimização de Apanha VISÃO GERAL DA SOLUÇÃO Gestão do Desempenho Gerenciamento de indicadores BI Otimização Campo

Leia mais

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA

ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA ESTUDO DA VIABILIDADE ECONÔMICA DE IMPLANTAÇÃO DO SOFTWARE MRP I EM UMA MICRO-EMPRESA MOVELEIRA LOCALIZADA NO VALE DO PARAIBA Tiago Augusto Cesarin 1, Vilma da Silva Santos 2, Edson Aparecida de Araújo

Leia mais

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11]

Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Técnicas de Logística Enxuta [6 de 11] Introdução Rogério Bañolas ProLean Logística Enxuta No artigo anterior, vimos uma seqüência recomendada para implementação, bem como uma explicação sucinta de como

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo: Administração de Materiais Profª Neuza AULA ANTERIOR: Compras O que é??? É uma atividade de aquisição que visa garantir o abastecimento da empresa

Leia mais

Logística Lean: conceitos básicos

Logística Lean: conceitos básicos Logística Lean: conceitos básicos Lando Nishida O gerenciamento da cadeia de suprimentos abrange o planejamento e a gerência de todas as atividades da logística. Inclui também a coordenação e a colaboração

Leia mais

5.4 Manufacturing Resources Planning

5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning 5.4 Manufacturing Resources Planning O Planejamento dos Recursos de Manufatura (Manufacturing Resourdes Panning, em inglês, ou MRP II) representa um esforço para expandir

Leia mais

RELEASE À IMPRENSA São Paulo, 29 de outubro de 2008 Inédito! Especialista internacional ensina no Brasil como implementar Logística Lean

RELEASE À IMPRENSA São Paulo, 29 de outubro de 2008 Inédito! Especialista internacional ensina no Brasil como implementar Logística Lean RELEASE À IMPRENSA São Paulo, 29 de outubro de 2008 Inédito! Especialista internacional ensina no Brasil como implementar Logística Lean Escritor norte-americano, consultor do primeiro instituto Lean do

Leia mais

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi

Marketing. Gestão de Produção. Gestão de Produção. Função Produção. Prof. Angelo Polizzi Marketing Prof. Angelo Polizzi Gestão de Produção Gestão de Produção Objetivos: Mostrar que produtos (bens e serviços) consumidos, são produzidos em uma ordem lógica, evitando a perda ou falta de insumos

Leia mais