QFD (Quality Function Deployment)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "QFD (Quality Function Deployment)"

Transcrição

1 (Quality Function Deployment) (Desdobramento da Função Qualidade)

2 O é uma técnica que pode ser empregada durante todo o processo de desenvolvimento de produto e que tem por objetivo auxiliar o time de desenvolvimento a incorporar no projeto as reais necessidades dos clientes. É a conversão dos requisitos do consumidor em características de qualidade do produto e o desenvolvimento da qualidade de projeto para o produto acabado através de desdobramentos sistemáticos das relações entre os requisitos do consumidor e as características do produto.

3 É uma estrutura de trabalho que integra o planejamento, a organização e o controle da qualidade desde a fase de percepção até a fase de satisfação plena das necessidades do consumidor. Por meio de um conjunto de matrizes parte-se dos requisitos expostos pelos clientes e realiza-se um processo de desdobramento transformando-os em especificações técnicas do produto.

4 O desdobramento da função qualidade apresenta como fundamento básico a idéia de que os produtos ou serviços devem ser projetados para satisfazer os desejos dos consumidores e para isso devem ser formadas equipes interfuncionais desde os primeiros passos da "criação do produto.

5 Benefícios da Aplicação do Foco no consumidor; Considera a concorrência; Registro das informações; Interpretações convergentes das especificações; Redução do tempo de lançamento e reparos após o lançamento; Seu formato visual ajuda a dar foco para a discussão do time de projeto, organizando a discussão; Aumenta o comprometimento dos membros da equipe com as decisões tomadas; Os membros da equipe desenvolvem uma compreensão comum sobre as decisões, suas razões e implicações.

6 Em outras palavras, o desdobramento da função qualidade permite à organização: perceber as necessidades do cliente; estabelecer em que grau tais necessidades serão atendidas; detalhar para a organização a contribuição de cada um de seus segmentos; formalizar, para efeito de continuidade e segurança, a contribuição de cada um.

7 A Casa da Qualidade A Casa da Qualidade é indubitavelmente a mais importante das matrizes do. Isto porque todas as versões a incluem sempre como a primeira casa ou seja como o primeiro desdobramento. Ela é a matriz que auxilia o desdobramento dos requisitos do cliente em especificações técnicas do produto e permite que sejam estipulados os valores metas para o desempenho em termos destas características.

8 A Casa da Qualidade A casa da qualidade é obtida pelo cruzamento da tabela dos requisitos do cliente (ou da Tabela dos Requisitos dos Clientes qualidade exigida) com a tabela das características de qualidade. Tabela das Características de Qualidade A B Q D C

9 O triângulo A e a aba C compõem a tabela dos requisitos dos clientes. O triângulo B e a aba D compõem a tabela das características de qualidade. O quadrado Q, interseção das duas tabelas, é denominado matriz de relações. A Casa da Qualidade A B Q D C

10 A Casa da Qualidade

11 A Casa da Qualidade A casa da qualidade e seus elementos ou áreas Matriz Correlações Características Qualidade Metas-Alvo Grau Importância Avaliação Clientes Qualidade Planejada Requisitos Clientes Cliente Interno Empresa Necessidades Futuras Geral Nossa Empresa Concorrente X Concorrente Y Plano Qualidade Índice Melhoria Ponto Venda Peso Absoluto Peso Relativo Matriz de Relações Peso Absoluto Peso Relativo Nossa Empresa Concorrente X Concorrente Y Dificuldade Técnica Qualidade Projetada Peso Corrigido Absoluto Peso Corrigido Relativo Avaliação Técnica

12

13 Matriz 1: Planejamento do Produto Indica as características principais do produto e os desdobramentos que devem ser feitos para obtê-lo. Matriz 2: Desdobramento do Produto em Componentes Críticos Indica as características dos componentes críticos. Matriz 3: Planejamento dos Processos Relaciona os processos com as características principais do produto e de seus componentes. Matriz 4: Planejamento da Fabricação (Produção + Qualidade) Estabelece características de produtos e parâmetros de etapas de processos, bem como, métodos e freqüência de controle, de modo a garantir a obtenção das características estabelecidas através do planejamento do produto.

14 MATRIZ 1: Planejamento do Produto OUVIR A VOZ DO CLIENTE: PESQUISA DE MERCADO O processo de manufatura deve incorporar as preferências do consumidor, simultaneamente assegurando qualidade superior e baixo custo. Embora um produto seja projetado e produzido pela empresa, são os consumidores que ultimamente determinam o sucesso ou a falha de um produto. Por essa razão, as companhias necessitam de meios para guiar a informação proveniente do consumidor, desde a fase de planejamento até o produto final. Quando a empresa não tem o conhecimento completo dos itens que são importantes para o consumidor, ou quando ela desconhece a importâncias relativas desses itens, sugere-se uma pesquisa de mercado. A aplicação de uma pesquisa de mercado pode revelar e priorizar as demandas da qualidade, ponto de partida de todo o desdobramento da qualidade.

15 MATRIZ 1: Planejamento do Produto OUVIR A VOZ DO CLIENTE: PESQUISA DE MERCADO A Figura ao lado apresenta as etapas que constituem a pesquisa de mercado quando ela é orientada para o levantamento da qualidade demandada, a ser utilizada no âmbito do.

16 PERGUNTAS DA MATRIZ 1: Planejamento do Produto

17 PASSAGEM DA MATRIZ 1 PARA A MATRIZ 2 O COMO da Matriz 1 torna-se o O QUE da Matriz 2. Levar para a matriz seguinte as prioridades, considerando: Importância Relativa (Base) Discrepância entre o atualmente praticado e os Valores-Objetivo (Base) Avaliação comparativa dos clientes Avaliação comparativa técnica Efeitos entre as expressões técnicas (Telhado)

18 PERGUNTAS DA MATRIZ 2: Desdobramento do Produto em Componentes Críticos

19 PASSAGEM DA MATRIZ 2 PARA A MATRIZ 3 O COMO da Matriz 2 torna-se o O QUE da Matriz 3. Levar para a matriz seguinte as prioridades, considerando: Importância Relativa (Base) Discrepância entre o atualmente praticado e os Valores-Objetivo (Base)

20 MATRIZ 3: Planejamento dos Processos (PROCEDIMENTO E OPERAÇÃO) Proceder da mesma forma como as matrizes 1 e 2, porém listando agora no COMO os processos relacionados à produção dos subsistemas críticos encontrados na Matriz 2: Preencher o O QUE com os dados vindos da Matriz 2, inclusive as importâncias e os valores das características das partes; Preencher o COMO com os processos relacionados e seus respectivos parâmetros; Estabelecer as relações entre o O QUE e o COMO e calcular suas importâncias absoluta e relativa, determinando os processos críticos.

21 PERGUNTAS DA MATRIZ 4: Planejamento da Fabricação

QFD: Quality Function Deployment QFD: CASA DA QUALIDADE - PASSO A PASSO

QFD: Quality Function Deployment QFD: CASA DA QUALIDADE - PASSO A PASSO QFD: CASA DA QUALIDADE - PASSO A PASSO 1 - INTRODUÇÃO Segundo Akao (1990), QFD é a conversão dos requisitos do consumidor em características de qualidade do produto e o desenvolvimento da qualidade de

Leia mais

QFD Quality. Aplicações COMO O QUE. Function Deployment QFD. Curitiba, 05 de fevereiro de 2.004. Diagrama de. Influência em Vendas.

QFD Quality. Aplicações COMO O QUE. Function Deployment QFD. Curitiba, 05 de fevereiro de 2.004. Diagrama de. Influência em Vendas. QFD Quality Function Deployment Aplicações Desenvolvimento de Produtos Gestão da Qualidade Total Gerenciamento pelas Diretrizes Alinhamento de Estratégias Balanced ScoreCard Seis Sigma Direção ou Meta

Leia mais

Projeto Informacional (Capítulo 6)

Projeto Informacional (Capítulo 6) Projeto Informacional (Capítulo 6) Henrique Rozenfeld Fernando Antônio Forcellini Daniel Capaldo Amaral José Carlos Toledo Sergio Luis da Silva Dário Henrique Alliprandini Régis Kovacs Scalice Localização

Leia mais

Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software

Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software Inteligência Computacional Aplicada a Engenharia de Software SQFD Prof. Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br Introdução A necessidade de vantagem competitiva, tem levado as empresas de desenvolvimento

Leia mais

GESTÃO da Qualidade GESTÃO DA QUALIDADE. Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor

GESTÃO da Qualidade GESTÃO DA QUALIDADE. Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor GESTÃO da Qualidade Práticas DEG/AB 1 GESTÃO DA QUALIDADE Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor Consumidor: qualidade é o grau em que o produto satisfaz as necessidades pelas quais foi adquirido

Leia mais

Gestão Gestão de Qualidade

Gestão Gestão de Qualidade Gestão Gestão de Qualidade Qualidade fator bastante objectivo difere de pessoa para pessoa e difere no tempo Consumidor grau em que o produto satisfaz as necessidades pelas quais foi adquirido Produtores

Leia mais

Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos

Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos Aplicação de QFD num projeto de fórmula SAE considerando a cadeia de suprimentos Maria Clara da Costa Teixeira (EESC USP) mclara@sc.usp.br Álvaro Costa Neto (EESC USP) costa@sc.usp.br Resumo Diante das

Leia mais

Utilização do QFD como ferramenta para hierarquizar requisitos de projeto

Utilização do QFD como ferramenta para hierarquizar requisitos de projeto Utilização do QFD como ferramenta para hierarquizar requisitos de projeto Magnos R. Klein (FAHOR) mk000856@fahor.com.br Luciano Schaedler (FAHOR) ls000859@fahor.com.br Cristiano Eich (FAHOR) ce000701@fahor.com.br

Leia mais

Projeto de Produto, QFD, FMEA e DoE Tema Projeto de Produto QFD PARTE 2 Dr. Egon Walter Wildauer

Projeto de Produto, QFD, FMEA e DoE Tema Projeto de Produto QFD PARTE 2 Dr. Egon Walter Wildauer Tema Projeto de Produto QFD Parte 2 Projeto Pós-graduação Curso Engenharia da Produção Disciplina Projeto de Produto, QFD, FMEA e DoE Tema Projeto de Produto QFD PARTE 2 Professor Dr. Egon Walter Wildauer

Leia mais

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção

Coordenadoria de. Manutenção. Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Coordenadoria de Manutenção Manual de Procedimentos Administrativos da Coordenadoria de Manutenção Sumário 1. INTRODUÇÃO 3 2. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E FUNCIONAL 3 3. ORGANOGRAMA: 3 4. ATRIBUIÇÕES E COMPETÊNCIAS

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGENS UTILIZANDO O MÉTODO QFD

DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGENS UTILIZANDO O MÉTODO QFD 2, 3 e 4 de Julho de 2009 ISSN 1984-9354 DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGENS UTILIZANDO O MÉTODO QFD Byanca Porto de Lima Universidade de Taubaté UNITAU Paula de Oliveira Lotufo Universidade de Taubaté UNITAU

Leia mais

3. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS 3.1. ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO

3. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS 3.1. ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO 50 3. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS 3.1. ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO O Processo de Desenvolvimento de Produtos é um dos processos mais importantes e vitais para o negócio de

Leia mais

ANAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA QFD EM UMA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA

ANAIS APLICAÇÃO DA TÉCNICA QFD EM UMA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA APLICAÇÃO DA TÉCNICA QFD EM UMA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA ANA KARINA GUEDES ( akguedes@gmail.com, aninhakg@gmail.com ) UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ ÁLVARO AZEVEDO CARDOSO ( azevedo@unitau.br, aazevedocardoso@gmail.com

Leia mais

Comercial. Gestão da Qualidade

Comercial. Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Comercial Ferramentas da Qualidade: Ações preventivas são tomadas em problemas potenciais, aqueles que ainda não ocorreram, mas que podem vir a ocorrer no futuro caso não seja tomada

Leia mais

BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DA MATRIZ QFD (QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT)

BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DA MATRIZ QFD (QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT) 58 BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DA MATRIZ QFD (QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT) NO PROJETO INFORMACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO: UMA SIMULAÇÃO DE APLICAÇÃO EM PUXADORES DA LINHA BRANCA BENEFITS OF IMPLEMENTING

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

1. Visão geral dos Métodos para Análise e Melhoria da Qualidade

1. Visão geral dos Métodos para Análise e Melhoria da Qualidade 1. Visão geral dos Métodos para Análise e Melhoria da Qualidade (Prof. José Carlos de Toledo, GEPEQ DEP/UFSCar, 2007) 1.1 Introdução A gestão da qualidade, ou seja, a visão de como fazer para se obter

Leia mais

SISTEMÁTICA PARA SELEÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS APLICADA AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS

SISTEMÁTICA PARA SELEÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS APLICADA AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS SISTEMÁTICA PARA SELEÇÃO DE TÉCNICAS ESTATÍSTICAS APLICADA AO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS Creusa Sayuri Tahara Amaral Grupo ei2 NUMA EESC USP São Carlos Agenda Introdução Metodologia Seis sigma Design

Leia mais

QFD Desdobramento da Função Qualidade

QFD Desdobramento da Função Qualidade PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Gerência de Ensino e Pesquisa Departamento Acadêmico de Mecânica QFD Desdobramento da Função

Leia mais

ALINE APARECIDA BALDISSERA APLICAÇÃO DO DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) PARA MELHORIA DA QUALIDADE EM UM RESTAURANTE SELF-SERVICE

ALINE APARECIDA BALDISSERA APLICAÇÃO DO DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) PARA MELHORIA DA QUALIDADE EM UM RESTAURANTE SELF-SERVICE ALINE APARECIDA BALDISSERA APLICAÇÃO DO DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) PARA MELHORIA DA QUALIDADE EM UM RESTAURANTE SELF-SERVICE GUARATINGUETÁ 2012 ALINE APARECIDA BALDISSERA APLICAÇÃO DO DESDOBRAMENTO

Leia mais

Engenharia do Produto

Engenharia do Produto Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Curitiba Departamento de Eletrônica Engenharia do Produto Slides elaborados a partir de Rozenfeld et al. (2006) AULA 9 Favor colocar

Leia mais

Terceirização de Serviços de TI

Terceirização de Serviços de TI Terceirização de Serviços de TI A visão do Cliente PACS Quality Informática Ltda. 1 Agenda Terceirização: Perspectivas históricas A Terceirização como ferramenta estratégica Terceirização: O caso específico

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

PROPOSTA DE APLICAÇÃO DO MÉTODO QFD PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS SEGUNDO AS PERSPECTIVAS DOS CLIENTES

PROPOSTA DE APLICAÇÃO DO MÉTODO QFD PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS SEGUNDO AS PERSPECTIVAS DOS CLIENTES ISSN 1984-9354 PROPOSTA DE APLICAÇÃO DO MÉTODO QFD PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DOS SERVIÇOS BANCÁRIOS SEGUNDO AS PERSPECTIVAS DOS CLIENTES GERALDO VINICIUS RAMOS (UNIPAC) ALVARO AZEVEDO CARDOSO (UNITAU)

Leia mais

Você foi colocado como líder de uma equipe que necessita estudar e apresentar um novo produto para o mercado de eletrodomésticos portáteis.

Você foi colocado como líder de uma equipe que necessita estudar e apresentar um novo produto para o mercado de eletrodomésticos portáteis. Tema Projeto de Produto QFD Parte 1 Projeto Pós-graduação Curso Engenharia da Produção Disciplina Projeto de Produto, QFD, FMEA e DoE Tema Projeto de Produto QFD parte 1 Professor Dr. Egon Walter Wildauer

Leia mais

Utilização da metodologia QFD no desenvolvimento de embalagens em uma montadora de automóveis

Utilização da metodologia QFD no desenvolvimento de embalagens em uma montadora de automóveis 1 Utilização da metodologia QFD no desenvolvimento de embalagens em uma montadora de automóveis Paula de Oliveira Lotufo Carlos Alberto Chaves Byanca Porto de Lime Universidade de Taubaté Universidade

Leia mais

MÓDULO 7 Ferramentas da Qualidade

MÓDULO 7 Ferramentas da Qualidade MÓDULO 7 Ferramentas da Qualidade Os modelos de Qualidade Total apresentam uma estrutura teórica bem consistente, pois: não há contradições entre as suas afirmações básicas; há uma estrutura bem definida

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO DA QUALIDADE Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor Consumidor: qualidade é o grau em que o produto satisfaz as

Leia mais

PROPOSTA DE QUESTIONÁRIO DE PESQUISA PARA LEVANTAMENTO DAS CARACTERÍSTICAS DA UTILIZAÇÃO DO QFD EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

PROPOSTA DE QUESTIONÁRIO DE PESQUISA PARA LEVANTAMENTO DAS CARACTERÍSTICAS DA UTILIZAÇÃO DO QFD EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ INSTITUTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E GESTÃO PROPOSTA DE QUESTIONÁRIO DE PESQUISA PARA LEVANTAMENTO DAS CARACTERÍSTICAS DA UTILIZAÇÃO DO QFD EM EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

Leia mais

Visão Geral do RUP Rational Unified Process. Jorge Fernandes UFRN Junho de 2002

Visão Geral do RUP Rational Unified Process. Jorge Fernandes UFRN Junho de 2002 Visão Geral do RUP Rational Unified Process Jorge Fernandes UFRN Junho de 2002 Resumo do Artigo de Krutchen O que é o RUP? 6 Práticas Comprovadamente Efetivas Desenvolvimento Interativo Gestão de Requisitos

Leia mais

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços)

FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) FUNÇÕES MOTORAS (Produtos e Serviços) 1. MÉTODO MENTOR - Modelagem Estratégica Totalmente Orientada para Resultados Figura 1: Método MENTOR da Intellectum. Fonte: autor, 2007 O método MENTOR (vide o texto

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO QFD PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVO HIDRATANTE NO MERCADO COSMECEUTICO

UTILIZAÇÃO DO QFD PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVO HIDRATANTE NO MERCADO COSMECEUTICO UTILIZAÇÃO DO QFD PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVO HIDRATANTE NO MERCADO COSMECEUTICO Claudia Pinto de Carvalho (UNISUAM ) prof.claudiac@gmail.com Livia Antunes Dutra (UGF ) liantunesdutra@hotmail.com No mundo

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Estratégia de Operações - Modelos de Formulação - Jonas Lucio Maia

Estratégia de Operações - Modelos de Formulação - Jonas Lucio Maia Estratégia de Operações - Modelos de Formulação - Jonas Lucio Maia Processo de EO Procedimentos que são, ou podem ser, usados para formular as estratégias de operações que a empresa deveria adotar (SLACK,

Leia mais

Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade. Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas

Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade. Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas Introdução Visão Geral Processos de gerenciamento de qualidade Entradas Ferramentas e Técnicas Saídas O que é qualidade? Qualidade é a adequação ao uso. É a conformidade às exigências. (ISO International

Leia mais

Planejamento e Controle de Projetos

Planejamento e Controle de Projetos Planejamento e Controle de Projetos Transformação de uma idéia em um conceito Forma A forma global do produto Idéia Propósito A necessidade que o produto deve satisfazer Função A maneira como o produto

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES DE PROJETO DO PRODUTO

ESPECIFICAÇÕES DE PROJETO DO PRODUTO Vasconcellos DE DE Ferreira, MÁQUINAS Dr. Eng. ESPECIFICAÇÕES DE DO PRODUTO As especificações de projeto são um conjunto de informações, estabelecidas com base nas necessidades dos clientes, que definem

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Criando EAP. Planejando a qualidade. Criando a Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

ESTUDO DO IMPACTO DOS COMPONENTES DO VEÍCULO NO ESFORÇO DE FECHAMENTO DE PORTAS AUTOMOTIVAS

ESTUDO DO IMPACTO DOS COMPONENTES DO VEÍCULO NO ESFORÇO DE FECHAMENTO DE PORTAS AUTOMOTIVAS ESTUDO DO IMPACTO DOS COMPONENTES DO VEÍCULO NO ESFORÇO DE FECHAMENTO DE PORTAS AUTOMOTIVAS Alexandre Santos de Souza Júlio Cesar Roque Rutson Alves de Aquino AEDB FER RESUMO O presente artigo tem como

Leia mais

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS AS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 2.1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 Fundamentos de Risco e Retorno Se todos soubessem com antecedência qual seria o preço futuro de uma ação, o investimento

Leia mais

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING 1 PLANEJAMENTO DE MARKETING 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1.Importância do Planejamento de Marketing 2. Considerações Organizacionais no Planejamento de Marketing 3.Planejamento de Database Marketing 4.Análise

Leia mais

Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos

Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos Stage-Gate, aumente as chances de sucesso de seus produtos A importância da aplicação de um processo de desenvolvimento de produtos André L. C. Silveira, PMP Não importa o segmento em que sua empresa atue,

Leia mais

DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP

DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Qualidade dos serviços e foco no usuário DESDOBRAMENTO DA FUNÇÃO QUALIDADE (QFD) APLICADO NA DIVISÃO DE BIBLIOTECA E DOCUMENTAÇÃO DA ESALQ/USP

Leia mais

Processo de transformação das necessidades dos clientes em especificações de um produto

Processo de transformação das necessidades dos clientes em especificações de um produto Processo de transformação das necessidades dos clientes em especificações de um produto Alexandre Medeiros Heirich (FAHOR) ah000878@fahor.com.br Cleber Roberto Chitolina (FAHOR) cc000465@fahor.com.br Jeferson

Leia mais

Teoria da Decisão MÉTODOS QUANTITATIVOS DE GESTÃO

Teoria da Decisão MÉTODOS QUANTITATIVOS DE GESTÃO Teoria da Decisão MÉTODOS QUANTITATIVOS DE GESTÃO INTRODUÇÃO Todo problema de decisão envolve julgamento sobre um conjunto conhecido de alternativas; Informações Disponíveis (Dados) Conhecidos com certeza;

Leia mais

Livros Publicados. Marketing Pessoal e Organizacional. Dúvidas sobre a disciplina? Aula 1. Currículo do Docente. Fale com o professor 24 horas!

Livros Publicados. Marketing Pessoal e Organizacional. Dúvidas sobre a disciplina? Aula 1. Currículo do Docente. Fale com o professor 24 horas! Marketing Pessoal e Organizacional Dúvidas sobre a disciplina? Aula 1 Prof. Me. Achiles Batista Ferreira Junior Fale com o professor 24 horas! Twitter: @achilesjunior Currículo do Docente Bacharelado em

Leia mais

MBA em Administração e Qualidade

MBA em Administração e Qualidade MBA em Administração e Qualidade Sistemas ISO 9000 e Auditorias da Qualidade Aula 5 Prof. Wanderson Stael Paris Olá! Confira no vídeo a seguir alguns temas que serão abordados nesta aula. Bons estudos!

Leia mais

INE 5122 LISTA DE EXERCÍCIOS INFERÊNCIA ESTATÍSTICA

INE 5122 LISTA DE EXERCÍCIOS INFERÊNCIA ESTATÍSTICA INE 5122 LISTA DE EXERCÍCIOS INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Marcados com asterisco os exercícios de Estimação de Parâmetros. Lista de Exercícios Inferência Estatística 1 1. O tempo médio de atendimento em uma

Leia mais

4 Metodologia e estratégia de abordagem

4 Metodologia e estratégia de abordagem 50 4 Metodologia e estratégia de abordagem O problema de diagnóstico para melhoria da qualidade percebida pelos clientes é abordado a partir da identificação de diferenças (gaps) significativas entre o

Leia mais

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS

A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS A Organização orientada pela demanda. Preparando o ambiente para o Drummer APS Entendendo o cenário atual As organizações continuam com os mesmos objetivos básicos: Prosperar em seus mercados de atuação

Leia mais

Qualidade dos Indicadores de Desempenho utilizados nos Contratos de Gestão com Organizações Sociais

Qualidade dos Indicadores de Desempenho utilizados nos Contratos de Gestão com Organizações Sociais Qualidade dos Indicadores de Desempenho utilizados nos Contratos de Gestão com Organizações Sociais Estrutura da Apresentação Parte Conceitual Referências teóricos (normativos) Dimensões de Medição do

Leia mais

Planejamento Multimídia. Prof. Bruno Moreno

Planejamento Multimídia. Prof. Bruno Moreno Planejamento Multimídia Prof. Bruno Moreno Sumário Aula 10 (24/03/2011) Visão geral de Plano de Mídia Briefing Planejamento de Mídia Planejamento Processo organizado Busca alcançar um objetivo pretendido

Leia mais

MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA

MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA MÓDULO 1 - EXCELÊNCIA EM LIDERANÇA Duração aproximada: 1h15 Capítulo 2: Critério Liderança (visão geral) Capítulo 3: Cultura organizacional e desenvolvimento da gestão Estabelecimento e atualização dos

Leia mais

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1

METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO. Bruno Edgar Fuhr 1 METODOLOGIA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS SCRUM: ESTUDO DE REVISÃO Bruno Edgar Fuhr 1 Resumo: O atual mercado de sistemas informatizados exige das empresas de desenvolvimento, um produto que tenha ao mesmo

Leia mais

APLICAÇÃO DO QFD EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS

APLICAÇÃO DO QFD EM GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS ! "#$%%" &('*)+'-,.0/ 13204+'658709*'316:0,;70?70@A4+5B?70KA:0,;7ML;'NHO7F'6E?4-ENHO'?)IHJ1-G0/ D /

Leia mais

17/02/2015 PROJETO DE PRODUTOS E SERVIÇOS

17/02/2015 PROJETO DE PRODUTOS E SERVIÇOS Objetivo: satisfazer as necessidades atuais e/ou futuras dos consumidores. Isto aumenta a competitividade da empresa. O projeto de produtos/serviços inicia com o consumidor e nele termina. Primeiro: Segundo:

Leia mais

Projeto de Ações de Melhoria

Projeto de Ações de Melhoria DIREÇÃO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALVES REDOL, VILA FRANCA DE XIRA- 170 770 SEDE: ESCOLA SECUNDÁRIA DE ALVES REDOL 400 014 Projeto de Ações de Melhoria 2012/2013

Leia mais

MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014

MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014 MARKETING DIGITAL PLANEJAMENTO DE PARA2014 INTRODUÇÃO Início de ano é sempre uma excelente época para empresas dedicarem um tempo para planejar como serão os próximos meses, quais são seus objetivos e

Leia mais

MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda.

MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda. MODELO DE ORIENTAÇÃO PARA OPERAÇÃO DO SOFTWARE Autoria: InfoQuality Informática e Qualidade Ltda. 1. A ORGANIZAÇÃO Para realizar cadastros e consultas referentes às Diretrizes Organizacionais: Manutenção/Organização/Registro

Leia mais

O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do

O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do O que é Gerenciamento de Redes de Computadores? A gerência de redes de computadores consiste no desenvolvimento, integração e coordenação do hardware, software e usuários para monitorar, configurar, analisar,

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

Simulação e Gerenciamento de Manufatura. Quadro comparativo entre o Max-Prod e seu principal concorrente (Software importado)

Simulação e Gerenciamento de Manufatura. Quadro comparativo entre o Max-Prod e seu principal concorrente (Software importado) Simulação e Gerenciamento de Manufatura Quadro comparativo entre o Max-Prod e seu principal concorrente (Software importado) Max-Prod Software importado Simulação e Otimização da Carga de Máquinas e Sequenciamento

Leia mais

1. Referencial e objeto de avaliação INFORMAÇÃO Nº 2 /2015-2016

1. Referencial e objeto de avaliação INFORMAÇÃO Nº 2 /2015-2016 INFORMAÇÃO Nº 2 /2015-2016 O presente documento refere-se à Inglês 9.º ano (PET), a aplicar aos alunos do 9.º ano de escolaridade em 2016. Encontra-se disponível, para consulta, no site do iave.pt, na

Leia mais

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010)

Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) Entrevista Lean Six Sigma com David Vicentin (para compor reportagem da Revista Banas Qualidade julho/2010) 1) Fale a respeito de sua formação profissional e atuação. Sou engenheiro de produção pela Escola

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Sistemas de Informação, Piscicultura, Desdobramento da Função Qualidade (QFD).

PALAVRAS-CHAVE: Sistemas de Informação, Piscicultura, Desdobramento da Função Qualidade (QFD). SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA O CONTROLE E RASTREAMENTO, APLICADO À CADEIA PRODUTIVA DA PISCICULTURA: PROJETO DE REQUISITOS UTILIZANDO QUALITY FUNCTION DEPLOYMENT QFD JEFERSON PISTORI 1 ANDRÉ RIYUITI HIRAKAWA

Leia mais

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO NO APOIO A GESTÃO DE SERVIÇOS

INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO NO APOIO A GESTÃO DE SERVIÇOS INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO NO APOIO A GESTÃO DE SERVIÇOS Eng. Esp. Elias G. Teixeira Prof. Antônio F. Neto, PhD engelias.teixeira@gmail.com antfarianeto@gmail.com Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1

A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 A Comunicação no Modelo de Excelência da Gestão (MEG) 1 Narjara Bárbara Xavier Silva 2 Patrícia Morais da Silva 3 Resumo O presente trabalho é resultado do Projeto de Extensão da Universidade Federal da

Leia mais

Design For Six Sigma em Serviços: Particularidades e Desafios DFSS - 1

Design For Six Sigma em Serviços: Particularidades e Desafios DFSS - 1 Design For Six Sigma em Serviços: Particularidades e Desafios GPS - Global Productivity Solutions Consultores S/C Ltda Direitos reservados, proibida reprodução sem autorização DFSS - 1 Conteúdo GPS Particularidades

Leia mais

16/2/2011. Introdução à pesquisa de marketing. Relembrando. Planejando ações de marketing

16/2/2011. Introdução à pesquisa de marketing. Relembrando. Planejando ações de marketing Introdução à pesquisa de Disciplina: Pesquisa de Prof. Ms. Marco A. Arbex Relembrando Marketing é um processo social e de gestão, através do qual os indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e querem

Leia mais

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão

1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão 1 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão ISO 9001:2015 Histórico da série 2 2009 CBG Centro Brasileiro de Gestão Histórico da série REVISÕES DA SÉRIE ISO 9000 2000 2008 2015 1994 1987 3 2009 CBG Centro Brasileiro

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA: ENFOQUE PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL

AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA: ENFOQUE PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE OBRAS DE INFRA-ESTRUTURA: ENFOQUE PARA HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL Amauri GOMES DE MORAES M.Sc., Eng. Bairro São José, Caixa Postal 611 - CEP 99001-970 - Passo Fundo (RS) Brasil

Leia mais

Gerenciamento de Riscos em Projetos. Parte 10. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento de Riscos em Projetos. Parte 10. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento de Riscos em Projetos Parte 10 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE- 325 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

Exercícios de Gestão de Processos

Exercícios de Gestão de Processos Exercícios de Gestão de Processos Agente de Administração 1) Uma organização formal, também conhecida como tradicional, compõe-se de camadas hierárquicas, enfatizando: a) o meio ambiente. b) os funcionários.

Leia mais

1 QFD comoestratégiaparadesenvolvimentoemelhoriadeprodutos, serviçoseprocessos Hélio Massaharu Ujihara 1 Álvaro Azevedo Cardoso,PhD 1 Carlos Alberto Chaves,Dr. 1 hujihara@ terra.com.br azevedo@ unitau.br

Leia mais

S i a g r i Sistemas de Gestão Evidence Assessoria & Treinamentos CGF - Custo Gerencial com Financeiro

S i a g r i Sistemas de Gestão Evidence Assessoria & Treinamentos CGF - Custo Gerencial com Financeiro 3. Custo Gerencial com Financeiro O que é, Como Funciona e como Implementar? 3.1. O que é e como funciona? Conceito: É o custo calculado pelo método de avaliação das mercadorias em estoque (saldo pertencente

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

O Desenvolvimento de Novos Produtos Importância, abordagens e metodologias. Susana Seabra / Miguel Carnide - SPI

O Desenvolvimento de Novos Produtos Importância, abordagens e metodologias. Susana Seabra / Miguel Carnide - SPI Susana Seabra / Miguel Carnide - SPI Conteúdos. 1. INOVAÇÃO DE PRODUTO 2. RISCOS NO DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS 3. DETERMINANTES DE SUCESSO DE DNP 4. O CICLO DE DNP 2 01. INOVAÇÃO DE PRODUTO 3 01.

Leia mais

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes

Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes Nosso negócio é a melhoria da Capacidade Competitiva de nossos Clientes 1 SÉRIE DESENVOLVIMENTO HUMANO FORMAÇÃO DE LÍDER EMPREENDEDOR Propiciar aos participantes condições de vivenciarem um encontro com

Leia mais

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos

Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Aula 3 Fase de Iniciação de projetos Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula são, basicamente, apresentar as atividades que constituem a fase inicial dos projetos. Alem disso, vamos discorrer sobre

Leia mais

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I

Curso de Graduação em Administração. Administração da Produção e Operações I Curso de Graduação em Administração Administração da Produção e Operações I 4º Encontro - 27/02/2012 18:50 às 20:30h COMO SERÁ NOSSO ENCONTRO HOJE? - ABERTURA - ATIVIDADES DA ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

Leia mais

Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS

Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS Aula Nº 7 Adoção pela Primeira Vez das Normas Internacionais de Relatórios Financeiros IFRS Objetivos da aula: Nesta aula veremos como cada empresa deve fazer pela primeira vez a adoção do IFRS. Como ela

Leia mais

CONHEÇA. nosso. processo. Para você lançar sua Startup. Semana de descoberta. Semana de desenvolvimento. E depois de tudo pronto?

CONHEÇA. nosso. processo. Para você lançar sua Startup. Semana de descoberta. Semana de desenvolvimento. E depois de tudo pronto? CONHEÇA nosso processo Para você lançar sua Startup Semana de descoberta Semana de desenvolvimento E depois de tudo pronto? Acreditamos em uma melhor maneira de começar sua startup De forma Colaborativa,

Leia mais

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante

Engenharia de Software Questionário sobre Engenharia de Requisitos Resolvido Prof. MSc Wagner Siqueira Cavalcante 1 - Q193183 ( Prova: FCC - 2011 - TRT - 19ª Região (AL) - Analista Judiciário - Tecnologia da Informação / Engenharia de Software / Análise de Requisitos; Engenharia de Requisitos; ) De acordo com Sommerville,

Leia mais

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva

Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Prof. Me. Vítor Hugo Dias da Silva Programação e Controle da Produção é um conjunto de funções inter-relacionadas que objetivam comandar o processo produtivo e coordená-lo com os demais setores administrativos

Leia mais

BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES.

BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES. BIBLIOTECA ESCOLAR ESTADUAL JOAQUIM MARIA MACHADO DE ASSIS DO COLÉGIO ESTADUAL DE CAMPO MOURÃO. PLANO DE DESENVOLVIMENTO DE COLEÇÕES. 1. INTRODUÇÃO A biblioteca Joaquim Maria Machado de Assis do Colégio

Leia mais

Controle da qualidade off-line. Prof. André Jun Nishizawa Capítulo 5

Controle da qualidade off-line. Prof. André Jun Nishizawa Capítulo 5 Controle da qualidade off-line Prof. Capítulo 5 Sumário QFD VOC FMEA QFD - Desdobramento da função qualidade QFD Trata-se de uma das técnicas mais importantes para o planejamento da qualidade Como produzir

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO DO ESTADO DO PARÁ COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2010/02 CURSO DE BACHARELADO EM NUTRIÇÃO CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: DISCENTES:

Leia mais

Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade. Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília

Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade. Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Práticas de Apoio à Gestão: Gerenciamento com foco na Qualidade Prof a Lillian Alvares Faculdade de Ciência da Informação, Universidade de Brasília Gestão da Qualidade Total (TQM) Conjunto de ideias e

Leia mais

Gestão da qualidade do software

Gestão da qualidade do software Gestão da qualidade do software Empenhada em assegurar que o nível de qualidade requerido de um produto de software é atingido Envolve a definição de normas e procedimentos de qualidade apropriados, e

Leia mais

GOVERNANÇA EM TI. Prof. André Dutton. www.portaldoaluno.info 1

GOVERNANÇA EM TI. Prof. André Dutton. www.portaldoaluno.info 1 GOVERNANÇA EM TI Prof. André Dutton www.portaldoaluno.info 1 O QUE É GOVERNANÇA EM TI A governança em TI é de responsabilidade da alta administração (incluindo diretores e executivos), na liderança, nas

Leia mais

A utilização do QFD na otimização de produtos, processos e serviços

A utilização do QFD na otimização de produtos, processos e serviços A utilização do QFD na otimização de produtos, processos e serviços José Luis Duarte Ribeiro Márcia Elisa Echeveste Ângela de Moura Ferreira Danilevicz Universidade Federal do Rio grande do Sul Programa

Leia mais

PROJETO DE INOVAÇÃO E MELHORIA

PROJETO DE INOVAÇÃO E MELHORIA PROJETO DE INOVAÇÃO E MELHORIA 1. Introdução A apresentação dos Projetos de Inovação e Melhoria - PIM pelos Escalões/Divisões possui os seguintes objetivos: a. Estimular os Escalões e Divisões do Cmdo

Leia mais

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL

TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL TQC- CONTROLE DE QUALIDADE TOTAL OLIVEIRA,Ana Paula de¹ OLIVEIRA,Dirce Benedita de¹ NERY,Miriã Barbosa¹ SILVA, Thiago² Ferreira da² RESUMO O texto fala sobre o controle da qualidade total, como ela iniciou

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA PRODUÇÃO

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA PRODUÇÃO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA PRODUÇÃO Administração SANTOS, Graziela. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG. E-mail: grazzybella@hotmail.com JOSÉ BARBOSA, Reginaldo. Docente da Faculdade

Leia mais

RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS

RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS RENATO SOARES DE AGUILAR ADEQUAÇÃO DE UM SISTEMA DE PICKING NO ARMAZÉM DE PRODUTOS ACABADOS DE UMA EMPRESA DE PRODUTOS ELÉTRICOS Escola de Engenharia Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de

Leia mais

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações

A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações A Importância da Visão Sistêmica para a Introdução dos Sistemas Informatizados nas Organizações Carlos Campello Introdução Nos dias atuais existe a necessidade de constantes modificações das estratégias

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais