PROJETO INTEGRADO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA SUPER DUTRA SUPERMERCADOS, CARAGUATATUBA-SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO INTEGRADO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA SUPER DUTRA SUPERMERCADOS, CARAGUATATUBA-SP"

Transcrição

1 CURSO TÉCNICO EM COMÉRCIO BRUNA BASTOS DE SOUZA FLÁVIA GABRIELA DE SOUZA COELHO JADE COSTA DA SILVA MÔNICA CRISTINA SANTESSO THIAGO DE LELIS SERIPIERI DUTRA PROJETO INTEGRADO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA SUPER DUTRA SUPERMERCADOS, CARAGUATATUBA-SP CARAGUATATUBA 2013

2 BRUNA BASTOS DE SOUZA FLÁVIA GABRIELA DE SOUZA COELHO JADE COSTA DA SILVA MÔNICA CRISTINA SANTESSO THIAGO DE LELIS SERIPIERI DUTRA PROJETO INTEGRADO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA SUPER DUTRA SUPERMERCADOS, CARAGUATATUBA-SP Projeto Integrado, apresentado junto a disciplina de Projeto Integrado, do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia, como exigência parcial à obtenção do título de Técnico em Comércio. Orientadora: Dra. Shirley Pacheco de Souza Orientadora: Me. Marlette Cassia O liveira Ferreira

3 BRUNA BASTOS DE SOUZA FLÁVIA GABRIELA DE SOUZA COELHO JADE COSTA DA SILVA MÔNICA CRISTINA SANTESSO THIAGO DE LELIS SERIPIERI DUTRA PROJETO INTEGRADO: ESTUDO DE CASO DA EMPRESA SUPER DUTRA SUPERMERCADOS, CARAGUATATUBA-SP Trabalho da Disciplina Projeto Integrado - PIN, apresentado ao Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia, como exigência parcial à obtenção do título de Técnico em Comércio. Orientadora: Dra. Shirley Pacheco de Souza Orientadora: Me. Marlette Cassia O liveira Ferreira BANCA EXAMINADORA Professor Mestre Ricardo Maroni Neto Professora Especialista Tânia Cristina Lemes Soares Pontes Professora Mestre Marlette Cássia Oliveira Ferreira Professora Doutora Shirley Pacheco Souza

4 AUTORIZAÇÃO PARA DEPÓSITO DO TRABALHO DA DISCIPLINA DE PROJETO INTEGRADO Com base no disposto da Lei Federal nº 9.160, de 19/02/1998, AUTORIZO ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Caraguatatuba - IFSP, sem ressarcimento dos direitos autorais, a disponibilizar na rede mundial de computadores e permitir a reprodução por meio eletrônico ou impresso do texto integral e/ou parcial da OBRA acima citada, para fins de leitura e divulgação da produção científica gerada pela Instituição. Caraguatatuba-SP, / / Bruna Bastos de Souza Flávia Gabriela de Souza Coelho Jade Costa da Silva Mônica Cristina Santesso Thiago de Lelis Seripieri Dutra Declaro que o presente Trabalho de Conclusão de Curso, foi submetido a todas as Normas Regimentais da Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Campus Caraguatatuba - IFSP e, nesta data, AUTORIZO o depósito da versão final desta monografia bem como o lançamento da nota atribuída pela Banca Examinadora. Caraguatatuba-SP, / / Msc Marlette Cassia Oliveira Ferreira Dra Shirley Pacheco de Souza

5 RESUMO Este trabalho foi realizado na empresa Super Dutra, que atua no setor varejo supermercadista e também presta serviços de entregas, oferece a seus clientes variedade, necessidades básicas e satisfação de seus desejos. O objetivo do projeto foi analisar a empresa, identificar possível falhas e sugerir à organização soluções com base em teorias de autores reconhecidos e pesquisas de campo feitas pelo grupo. Dessa forma, pode-se propor ao estabelecimento soluções a fim de melhorar os resultados da empresa, tendo como objetivo específico o melhoramento do atendimento, estocagem, propaganda, recrutamento, seleção, treinamento e a análise do ambiente externo. Para o desenvolvimento do trabalho utilizou-se uma pesquisa descritiva referente à empresa. A pesquisa foi aplicada através de um questionário apresentado no dia 19 de fevereiro de 2013 ao sócio Braz Heleno Vieira Dutra, no período vespertino na empresa Super Dutra. Além disso, foi utilizada também uma pesquisa exploratória, realizada em livros, internet, artigos científicos e também uma pesquisa de campo referente ao atendimento. De acordo com os resultados obtidos com as pesquisas e a realidade da empresa, foram propostas novas soluções que ajudarão a empresa a adequar-se cada vez mais ao setor onde atua. Palavras-Chave: Atendimento. Recursos humanos. Propaganda. Estoque. Ambiente externo.

6 ABSTRACT This study was carried out at the company Super Dutra, which operates in the retail market and also provides courier services, offering to its customers variety, basic needs and satisfaction of their desires. The goal of the project was to analyze the company, identify gaps and suggest possible solutions to the organization based on theories of recognized authors and on field surveys carried out by the group. Thus, it was possible to propose to the company solutions that can improve business results, with the specific goal of improving customer service, stocking, advertising, recruitment, selection, training and analysis of the external environment. The methodology included a descriptive research regarding the company. The research was carried out through a questionnaire submitted on February 19, 2013, to the company partner Braz Heleno Vieira Dutra, in the afternoon, at the company Super Dutra. Moreover, it was also used exploratory research conducted in books, internet, scientific articles and also a field survey on the market s services. According to the results obtained and to the reality of the company, it was possible to propose new solutions that will help the company to better adapt itself in the industry in which it operates. Keywords: Service. Human resources. Advertising. Stock. External environment.

7 LISTAS Figura 1 - Organograma Supermercado Super Dutra

8 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO DESCRIÇÃO DOS ALUNOS CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA Dados Cadastrais História da Organização Principais Produtos e Serviços Principais Fornecedores Principais Clientes Novas Tendências Missão Visão Valores da Organização ESTRUTURA DA ORGANIZAÇÃO Organograma Funcionograma DESENVOLVIMENTO TEMA RECRUTAMENTO Referencial teórico Sugestões TEMA SELEÇÃO Objetivo Referencial teórico Sugestões TEMA TREINAMENTO Referencial teórico Sugestões TEMA AMBIENTE EXTERNO Referencial teórico Sugestões TEMA ESTOQUE Referencial teórico Sugestões... 25

9 5.6 TEMA VERIFICAÇÃO DA QUALIDADE DO ATENDIMENTO Referencial teórico Resultado das pesquisas e sugestões CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 34

10 1 INTRODUÇÃO Este projeto tem por finalidade apresentar os estudos realizados junto à empresa Supermercado Super Dutra para levantamento de falhas ou pontos possíveis de melhoria em seu sistema. Para isto foram feitas visitas no local, onde foi explanada toda a sua estrutura funcional e física, que posteriormente passou por uma análise com base em conhecimentos acadêmicos onde se pode analisar todo o processo já existente e com auxílio das disciplinas cabíveis buscarem as melhorias possíveis. Após a análise do ambiente, foram observadas cinco necessidades que não foram atendidas, dentre elas: Propaganda (há vários meios de comunicação sendo eles o rádio, jornal, cinema, outdoor, revistas, mala direta e televisão); Recursos Humanos, que abrange seleção, recrutamento e treinamento; Ambiente Externo, que trata de fornecedores, clientes, concorrentes, tendências tecnológicas, encargos fiscais, tributários, políticos; Organização e controle de estoque e Qualidade no atendimento. Esse trabalho tem com objetivo propor formas de solucionar as falhas encontradas, para que a empresa tenha o seu funcionamento adequado, gerando assim credibilidade e confiança. Fazendo com que seus clientes tornem-se mais fiéis e consequentemente tornar-se uma organização mais lucrativa. Este trabalho foi elaborado pelo grupo para sugerir melhorias para a empresa MERCADO SUPER DUTRA, situado ao município de Caraguatatuba, Litoral Norte de São Paulo. Foram feitas visitas ao local pelos alunos no dia 19 e 26 de Fevereiro do ano de 2013, e realizou-se um levantamento de dados para localizar possíveis falhas existentes na empresa. Após a análise encontramos cincos falhas, e através de teorias cada aluno desenvolveu uma sugestão para resolvê-las. Além disso, foi elaborada uma pesquisa de satisfação, com o foco na qualidade no atendimento. Ficará a critério de o empreendedor acatá-las ou não. Este estudo tem como objetivo geral Identificar as falhas existentes no Supermercado Super Dutra, para que através de teorias possamos estudá-las e sugerir soluções, fazendo com que a empresa alcance suas metas desejadas e tenha um maior crescimento no ramo do varejo. Analisar as falhas do Supermercado Super Dutra não supridas no setor de propaganda, recrutamento e seleção, ambiente externo, estoque e no atendimento

11 de qualidade, onde o mal planejamento destes setores faz com que a empresa deixe de lucrar e não seja uma empresa reconhecida e conceituada no ramo foi o principal objetivo.

12 2 DESCRIÇÃO DOS ALUNOS Aluna Bruna Bastos de Souza, 19 anos, solteira, portadora do prontuário Formação Acadêmica: Cursando Técnico em Comércio no Instituto Federal, ano Fez FIC (Formação inicial Continuada) de Administração no Instituto Federal, ano Possui o Ensino Médio completo, no qual cursou na Escola Ângelo Barros de Araújo, ano Formação Profissional: foi vendedora na loja DÓ RÉ MI, vestuário infantil, ano 2011 e operadora de caixa no mercado Salles, ano Aluna Flávia Gabriela de Souza Coelho, 27 anos, casada, portadora do prontuário Formação Acadêmica: cursando Técnico em Comércio no Instituto Federal, ano Possui o Ensino médio completo, no qual cursou na Escola Avelino Ferreira, ano Formação Profissional: É consultora de vendas da natura. Aluna Jade Costa da Silva, 18 anos, solteira, portadora do prontuário Formação Acadêmica: Cursando Técnico em Comércio no Instituto Federal, ano Possui o Ensino Médio completo, no qual cursou na Escola Maria Ester, ano Formação Profissional: Trabalhou como auxiliar administrativo na empresa Lance Segurança Eletrônica, ano Aluna Mônica Cristina Santesso, 16 anos, solteira, portadora do prontuário Formação Acadêmica: Cursando Técnico em Comércio no Instituo Federal, ano Cursando o Ensino Médio na escola Thomaz Ribeiro de Lima, Formação Profissional: Estudante. Aluno Thiago de Lelis Seripieri Dutra, 17 anos, solteiro, portador do prontuário Formação Acadêmica: Cursando Técnico em Comércio no Instituto Federal, ano Cursando o Ensino Médio na escola Etec de Caraguatatuba, ano Formação Profissional: Trabalha como auxiliar administrativo no Supermercado Super Dutra, ano 2013.

13 3 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA A empresa estudada tem como atividade empresarial atuar no setor de supermercados, suprindo as necessidades de produtos e serviços aos seus consumidores. 3.1 DADOS CADASTRAIS A empresa Supermercado Super Dutra Caraguá, possui o nome fantasia de Super Dutra Supermercados, no CNPJ: / , e Inscrição Estadual: Possui dois sócios, Camilo de Lelis Vieira Dutra e Braz Heleno Vieira Dutra, possuindo cada um 50% sob a empresa. Ela está localizada na Rua Marechal Floriano Peixoto, nº 484, Poiares na cidade de Caraguatatuba - SP. Telefone (12) e HISTÓRIA DA ORGANIZAÇÃO Antes da implantação do Mercado Super Dutra havia um mercado chamado Tio João que estava em decadência rumo à falência. Este mercado foi comprado por dois irmãos com a participação de 50% dos investimentos totais cada um. A partir da fundação do novo estabelecimento os sócios fizeram reformas organizacionais e físicas no estabelecimento com a finalidade de reestruturação do mercado. 3.3 PRINCIPAIS PRODUTOS E SERVIÇOS O mercado possui dentre seus setores de venda o setor de perfumaria, onde são vendidos shampoos, condicionadores, cremes para cabelo, desodorantes, protetores solares e afins, possui padaria própria onde os pães são comprados congelados e assados no próprio local onde também é comercializado frios, ou seja, mozarela, mortadela, presunto, entre outros. Há também o setor de limpeza com desinfetantes, produtos para carro, limpeza doméstica, utensílios do lar, entre outros. Há também o setor de alimentos onde são vendidos alimentos desde os de necessidades primárias até os de compra por impulso, incluindo comidas prontas congeladas e bebidas em geral (alcoólicas ou não alcoólicas), o setor de laticínios compreendem todos os produtos derivados de leite (incluindo o próprio leite) como

14 iogurtes, manteigas, margarinas, leite fermentado e vendem também gás e água de 20 litros, com entregas a domicílio. 3.4 PRINCIPAIS FORNECEDORES Ambev e Imaruí principais fornecedores de bebidas, Primo s Gás que vendem à atacado o gás de cozinha, Maranhão e Wall Mart como principais vendedores de atacado em diversos setores do mercado, Gold Pan responsável pelo fornecimento de pães, Japonês das águas venda de águas de garrafa e afins e a fonte Mogiana onde é comprado a água em galões de 20 litros. 3.5 PRINCIPAIS CLIENTES Unimed, Contabilidade do Zezinho, Depósito Villa, DN contábil, Econorte, Queda D água, entre outros. E, principalmente, os moradores do bairro. 3.6 NOVAS TENDÊNCIAS As tendências apresentadas pelos proprietários do estabelecimento é estar sempre melhorando o atendimento além de ampliar o espaço físico do local para aumentar sua variedade e capacidade de atendimento. 3.7 MISSÃO A missão da empresa é atingir a excelência para satisfazer as necessidades com variedades, praticidades para conquistar a fidelização dos clientes. 3.8 VISÃO Alcançar o reconhecimento no ramo em que atua abranger o maior número de moradores de Caraguatatuba futuramente com as entregas a domicilio, fidelizando e aumentando os números de clientes. 3.9 VALORES DA ORGANIZAÇÃO

15 Tratar os clientes com honestidade e respeito, sempre tendo o compromisso de oferecer produtos de qualidade e nas entregas nas datas estipuladas, sempre visando o que é melhor para os clientes. O cliente sempre tem razão, se por ventura o cliente está perdendo a razão leia de novo esta frase (Camilo de Lelis, proprietário).

16 4 ESTRUTURA DA ORGANIZAÇÃO 4.1 ORGANOGRAMA Figura 1 - Organograma Supermercado Super Dutra. Fonte: Elaborado pelos autores (2013). 4.2 FUNCIONOGRAMA Proprietários (Camilo de Lelis Vieira Dutra; Braz Heleno Vieira Dutra): Responsáveis por todas as decisões da empresa como compra de mercadoria, investimentos de marketing, investimentos na estrutura, controle de estoque, decisões sobre novas mudanças, responsáveis pela administração da equipe de funcionário e controle financeiro do estabelecimento (investimentos, saídas, definição de preços). Auxiliar Administrativo (Renata Cristina): responsável por verificação dos movimentos de caixa, separação dos boletos os a pagar, manuseio/arquivamento/envio de notas fiscais para a contabilidade, recebimento e arquivamento dos canhotos

17 recebidos da contabilidade, pagamento dos funcionários, controle de estoque, administração da equipe. Responsáveis Gerais (Charles dos Santos; Andreia): responsáveis pela organização da loja, limpeza, distribuição dos produtos, atendimento no caixa, recebimento de mercadorias e dar suporte aos seus subordinados para quem cumpram suas tarefas. Auxiliares Gerais (Gersileine Ferreira; Leandro): responsável pela limpeza da loja, reposição de produtos e atendimento em geral aos clientes. Motoboy (Leandro): Efetua entregas a domicílio, efetua serviços de officeboy e aos horários vagos auxilia na reposição e atendimento na loja.

18 5 DESENVOLVIMENTO 5.1 TEMA RECRUTAMENTO A empresa não possui um sistema de recrutamento padronizado Referencial teórico O Recrutamento é um conjunto de técnicas e procedimento que visa atrair candidatos potencialmente qualificados e capazes de ocupar cargos dentro da organização, ou seja, o homem certo para o lugar certo. O recrutamento de pessoal pode ser definido como o método que uma organização utiliza quando tem necessidade de preencher um cargo, ou seja, a forma pela qual atrai e cadastra candidatos que possam preencher os requisitos da vaga. (PONTELO; CRUZ, 2010, p. 58). O recrutamento é reconhecido como o mais eficaz para a contratação de bons funcionários, segundo Lopes (apud CARVALHO 2012, p.89) recrutar os bons, para entre eles selecionar os melhores, é a palavra de ordem, onde quando a eficiência constitui o objetivo a atingir. O recrutamento de bons funcionários é primordial para empresa, pois a partir de boas pessoas recrutadas virão os bons selecionados. Como saber quem deve ser recrutado? Lacombe (2005, p.66) relata que só é possível recrutar a pessoa certa se soubermos antecipadamente o perfil desejado, isto é, as características pessoais e profissionais". Para isso é só fazer uma banco de dados com os currículos dos pretendentes ao(s) cargo(s), Lacombe (2005) cita que nas empresas onde se arquivam os seus currículos em ordem alfabética, segundo o cargo e as áreas de atuação dos profissionais, é mais fácil recuperar esses currículos para o recrutamento. Para Chiavenato (2008) o recrutamento só é eficaz se a empresa atrair uma quantidade de candidatos suficientes para abastecer adequadamente o processo de seleção. Já para Milkovich; Bodreau (2000, p. 162) recrutamento é o processo de identificação e atração de um grupo de candidatos, entre os quais serão escolhidos alguns para posteriormente serem contratados para o emprego Sugestões

19 A empresa pode empregar um sistema simples de recrutamento começando pela organização dos currículos, para melhor recuperá-los quando for preciso fazer um novo recrutamento. A empresa pode utilizar o serviço do PAT (Posto de Atendimento ao Trabalhador) de Caraguatatuba, pois lá se encontra funcionários para cada tipo de empresa, fazendo isso, será mais fácil fazer um recrutamento eficaz e conseguir funcionários eficientes para cada cargo predestinado. A empresa tem que ter a atenção na hora de recrutar pessoas, pois a maneira mais eficaz é recrutar os indivíduos que vão de encontro com a cultura da organização, para posteriormente selecionar os melhores funcionários, para isso pode ser feito uma pequena entrevista com essas pessoas, para saber um pouco dos valores de cada um, assim vendo quem melhor se encaixa na empresa. Fazendo isso a organização será mais feliz em suas escolhas para funcionários. 5.2 TEMA SELEÇÃO Objetivo A seleção de funcionários na empresa é feita por ordem de chegada Referencial teórico A seleção é a escolha entre os candidatos recrutados que melhor se encaixa ao perfil da organização. Para Jeckel (2002) a seleção pode ser interpretada como a escolha do candidato certo para o cargo certo, ou ainda, entre os candidatos recrutados, os que têm características mais fáceis para se ajustar os cargos existentes na organização. Assim afirmam Pontelo e Cruz (2010, p. 61) que A seleção tem por finalidade escolher o candidato certo para o cargo certo, para que dessa forma haja otimização dos recursos empregados na organização A finalidade da seleção é eleger dentre os candidatos recrutados os que têm a maior probabilidade de ocupar a vaga em aberto, e de se ajustar e desempenhar bem a função estabelecida, pois Lacombe (2005) afirma que uma boa seleção não deve considerar somente a vaga atual, mas também o potencial do candidato para desempenhar outras funções futuras da empresa. Chiavenato (2008) relata que todo o ponto de partida da seleção se fundamenta nos dados e informações da análise e

20 especificações do cargo a ser preenchido, e a seleção passa a ser um recurso de verificação e decisão. Sobre uma boa seleção Lacombe (2005, p.79) considera: [...] que se deve dar preferência aos candidatos que possuem habilidades, atitudes e comportamentos requeridos pela empresa e que são difíceis de serem adquiridas por meio de treinamento, como a habilidade de lidar com pessoas, a capacidade de ouvir o interlocutor, de não perder o controle de si, o conhecimento de si próprio, das suas limitações e dos seus pontos fortes. Para Chiavenato (2008) a seleção tem por objetivo solucionar dois problemas básicos, que são a adaptação do homem ao cargo e eficiência e eficácia do homem na execução da função. Pois, na hora de selecionar deve-se estudar o perfil do candidato, verificando se encaixa nas atribuições do cargo e se vai ao encontro da cultura organizacional, para assim selecionar o que melhor se encaixa em todos os requisitos necessários para a empresa Sugestões Para fazer uma contratação com êxito a empresa tem que fazer uma boa identificação do perfil determinado pelo cargo em questão e determinar claramente quais são os pré-requisitos. Assim na hora da entrevistar deve-se identificar claramente qual o melhor funcionário para o cargo. Pois para uma seleção eficiente, a entrevista é primordial, porque é na entrevista que se conhece melhor sobre o candidato selecionado. Na hora da entrevista, a empresa pode fazer certas dinâmicas com os candidatos para que assim se conheça melhor sobre os mesmos, pois para uma contratação eficaz é importante que seja selecionado o candidato certo para o cargo, pois se houver uma escolha errônea de um candidato pode haver prejuízo para empresa. Então, para que haja uma eficiência e eficácia no desempenho nas atividades do cargo é necessário selecionar um candidato que se encaixa em todos os requisitos do cargo em aberto. 5.3 TEMA TREINAMENTO

21 A empresa não oferece treinamento técnico aos seus funcionários, apenas recomendações orais Referencial teórico O treinamento é a preparação do novo funcionário para exercer sua função dentro dos critérios e políticas estabelecidas pela empresa. Chiavenato (2008) diz que o treinamento é uma educação profissional que adapta a pessoas para o cargo ou função. Macian (apud CHAVES JUNIOR, 2007) considera que a implantação do treinamento serve como um processo de transformação dos funcionários, pois são transformados em trabalhadores capazes para desenvolver ou assumir novas responsabilidades. Milkovich e Boudreau (2000) interpretam o treinamento como um processo sistemático que promove a aquisição de habilidades, regras, conceitos ou atitudes que sucedem em uma melhoria da adequação entre as características dos empregados e as necessidades dos papeis funcionais. Para Chaves Junior (2007), o treinamento é um método de percepção cultural e o objetivo é repassar, reciclar os conhecimentos, as habilidades ou as atitudes relacionadas diretamente à atuação das tarefas ou a sua melhoria no trabalho. O treinamento é um meio de desenvolver a força de trabalho das organizações. "Treinamento não é algo que se faça uma vez para novos empregados: é usado continuamente [...] (LACOMBE, 2005, P.311). Porque Marras (apud CHAVES JUNIOR, 2007) justifica que o treinamento produz um estado de mudança no conjunto de conhecimentos, habilidades ou atitudes de cada trabalhador. Existe uma crescente evidência de que os investimentos em treinamento estão associados ao aumento da lucratividade no longo prazo, e que as empresas que reorganizem suas operações com base em programas como trabalho em equipes de círculos de qualidade consegue maior produtividade se esses programas estiverem em sintonia com a educação do trabalhado. (MARRAS apud CHAVES JUNIOR, 2007, p.17) O treinamento de pessoas visa melhorar cada funcionário a fim de aumentar a produtividade da empresa Sugestões

22 Sugere-se a empresa que treine os funcionários de cada departamento para que haja maior produtividade na organização. A empresa pode também sugerir que seus funcionários realizem os treinamentos com palestras oferecidas pela Associação Comercial de Caraguatatuba. Nessas atividades ajudará no desempenho de suas atividades que serão desempenhadas pelo funcionário na empresa, o que pode trazer lucro para organização. A Associação Comercial está situada na Rua São Sebastião nº 19 no Sumaré, ou pelo telefone Os Cursos disponíveis na Associação são de Atendimento ao Cliente, Vendas e Recepção, todos com certificado. O SEBRAE (site também oferece cursos a distância (EAD), tanto pago como gratuito, assim a empresa capacita melhor os seus funcionários sem altos custos. Os cursos disponíveis pelo SEBRAE (site para microempresas são de Primeiros Passos para a Excelência, Como Vender mais e Melhor, Atendimento ao Cliente, dentre outros. Recomenda-se que todos os funcionários tanto novos como os mais antigos procurem também fazer esses cursos ou assistir as palestras, para que cada vez mais aperfeiçoem suas habilidades e conhecimentos. 5.4 TEMA AMBIENTE EXTERNO Não ter dia certo para receber os fornecedores (vendedores), perdendo oportunidades de comparar vários preços e prazos, falta de planejamento econômico, com a inexistência de técnicas para desenvolver os recursos, sem conhecimento de preços, produtos e serviços da concorrência não tendo o conhecimento da posição competitiva Referencial teórico Segundo Chiavenato (2000) o ambiente externo pode ser definido como um conjunto amplo e complexo de condições e fatores externos que envolvem e influenciam difusamente todas as empresas. Muitas empresas não se adaptam as mudanças tecnológicas, pois elas têm como característica a instabilidade. Não sendo flexível elas não se adaptam a novas situações levando a empresa ao fracasso. As variáveis do ambiente de ação indireta segundo Chiavenato (2000) são:

23 variáveis tecnológicas, políticas, econômicas, legais, sociais, demográficas e ecológicas. As variáveis tecnológicas funcionam para contribuir com a sociedade para que faça um trabalho de maior eficiência e eficácia, para que as máquinas façam os trabalhos demorados e rotineiros. Tecnologia vem exigindo das organizações mudanças rápidas e profundas. Cada vez mais as organizações buscam melhorar a qualidade de seus produtos e/ou serviços, reduzir os custos a fim de ganhar maior competitividade. Novas tecnologias viabilizam a oferta de novos bens e serviços para novos consumidores. A tecnologia permite que os produtos já existentes sejam fabricados a custos menores. O desenvolvimento tecnológico leva a novos métodos de distribuição de mercadorias e serviço. Com as novas tecnologias, surgem novas oportunidades para a comunicação das empresas com seu público alvo. (KOTLER, 2000 p.163). As tendências ideológicas dos governos podem definir os rumos da política econômica, fiscal, tributária, das políticas com relação à geração de emprego, saúde pública, educação, habitação, saneamento básico entre outros, que poderão ser fontes geradoras de oportunidades ou ameaças. O clima político, assim como a estabilidade política, pode afetar no comportamento da economia (CHIAVENATO, 2000). Segundo Las Casas (2009 pg.19), O ambiente político é de fundamental importância, uma vez que nossas vidas são diariamente afetadas por mudanças governamentais e leis novas que são aprovadas ou modificadas. Não só a preocupação com a legislação deve ser levada em consideração, mas também a relação da organização com seus grupos de interesse. Associações, sindicatos e outros grupos de representação de classes permitem que a empresa uma forças com outras organizações (muitas vezes até suas concorrentes), para que possam lutar pelos direitos do seu setor de negócios, ou mesmo representar os interesses das partes nas votações do congresso. Kotler e Armstrong (2007, p.57) afirmam que A empresa precisa estudar detalhadamente os cinco tipos de mercados de clientes. Os mercados consumidores consistem em indivíduos e famílias que compram bens e serviços para consumo pessoal. Os mercados organizacionais compram bens e serviços para processamento posterior ou para o uso em seu processo de produção, enquanto os mercados revendedores compram bens e serviços para revendê-los com uma margem de lucro. Os mercados governamentais são constituídos de órgãos que

24 compram bens e serviços para transferi-los a outros que necessitam deles ou para produzir serviços públicos. Por fim os mercados internacionais consistem de compradores em outros países, incluindo consumidores, produtores, revendedores e governos. Cada tipo de mercado possui características especiais que exigem um cuidadoso estudo por parte do vendedor. (KOTLER; ARMOSTRONG, 2007, p.58). Uma empresa pode preparar planos de marketing para esses públicos principais, bem como para seus mercados de clientes. Suponhamos que ela queira uma resposta específica de determinado público, como reconhecimento, comentários favoráveis ou doações de tempo ou dinheiro. A empresa teria de desenvolver uma oferta para esse público que fosse atraente o suficiente para produzir a resposta desejada. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p.58). A empresa deve sempre buscar a satisfação que o cliente necessita de acordo com o conceito de marketing, para ser bem sucedida deve- se oferecer mais valor e satisfação para os clientes do que seus concorrentes. Assim os profissionais de marketing devem fazer mais do que simplesmente se adaptar as necessidades dos consumidores alvo. Eles devem também obter vantagem estratégica posicionada agressivamente suas ofertas em relação às de seus concorrentes na mente dos consumidores. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p. 58). Os fornecedores são responsáveis pelo suprimento da empresa, no que se refere a equipamentos, mercadorias e matéria-prima. Tais componentes podem ser definidos mediante alguns critérios estabelecidos previamente pelo empreendedor para o bom funcionamento da empresa, como: forma de pagamento, atendimento, qualidade, preço, prazo e forma de entrega, quantidade, assistência técnica, garantia e tecnologia. É importante estabelecer um bom relacionamento de parceria com o fornecedor, a fim de garantir o abastecimento da empresa e assim satisfazer o mercado consumidor. Os fornecedores constituem um elo importante no sistema geral de entrega de valor para o cliente da empresa. Eles oferecem os recursos necessários para empresa produzir seus bens e serviços. Problemas com fornecedores podem afetar seriamente o marketing. Os gerentes de marketing devem observar a disponibilidade dos suprimentos - escassez, atrasos na entrega, greves e outros eventos podem prejudicar as vendas no curto prazo e satisfação do cliente no longo prazo. Eles também devem monitorar as tendências de preços de seus principais insumos. Um aumento nos custos dos suprimentos pode forçar a alta dos preços, o que pode prejudicar o volume de vendas da empresa. (KOTLER; ARMSTRONG, 2007, p.56).

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM

Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Qualidade e o Atendimento na Prestação de Serviço: Um estudo de caso na empresa SECOM Claudineia Lima de MOURA¹ RGM 081712 claudineia_18@yahoo.com.br Dayane Cristina da SILVA¹ RGM 080225 day_4791@hotmail.com

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2

Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2 A IMPORTÂNCIA DA APLICAÇÃO DO TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO NAS ORGANIZAÇÕES Ilmara de Jesus Oliveira 1, Cleide Ane Barbosa da Cruz 2. O presente artigo apresenta os conhecimentos teóricos acerca da importância

Leia mais

O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL

O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL 1 O MODELO DE GESTÃO DE ESTOQUE UTILIZADO NA LANCHONETE SOBRAL CARLOS RUVENS COELHO PONTE 1 CARLOS WAGNER CAVALCANTE GOMES 2 RODRIGO VIANA 3 ALINE PINTO DE MACÊDO DA SILVA 4 Resumo: Todas as empresas vêm

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE

1. INTRODUÇÃO SISTEMA INTEGRADO DE CONTABILIDADE 1. INTRODUÇÃO A contabilidade foi aos poucos se transformando em um importante instrumento para se manter um controle sobre o patrimônio da empresa e prestar contas e informações sobre gastos e lucros

Leia mais

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE

MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS E A SUSTENTABILIDADE JULIANA APARECIDA DE SOUZA REIS MAIARA NATALIA MARINHO DUARTE SUSELI SANTOS DIAS RESUMO Neste artigo temos por objetivo apresentar que as micros e pequenas

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA

PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS CASTELO BRANCO CONSULTORIA E ASSESSORIA CONTÁBIL LTDA Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA.

SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. 93 SCHOOL CHEF S: ESCOLA DE CULINÁRIA DE PRATOS TÍPICOS LTDA. ¹Camila Silveira, ¹Giseli Lima ¹Silvana Massoni ²Amilto Müller RESUMO O presente artigo tem como objetivo apresentar os estudos realizados

Leia mais

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS

O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS 190 O PAPEL DA LOGÍSTICA NAS ORGANIZAÇÕES: UM ESTUDO DE CASO EM UMA DISTRIBUIDORA DE ALIMENTOS Douglas Fernandes, Josélia Galiciano Pedro, Daryane dos Santos Coutinho, Diego Trevisan de Vasconcelos, Regiane

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta.

Considerando que a pesquisa mercadológica é uma ferramenta de orientação para as decisões das empresas, assinale a opção correta. ESPE/Un SERE plicação: 2014 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento

Leia mais

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas.

Palavras-chave: Comunicação Estratégica; Composto de Marketing e micro e pequenas empresas. A COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA E O COMPOSTO DE MARKETING: UMA INTEGRAÇÃO DE SUCESSO NA GESTÃO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DE JOÃO PESSOA Evalena Lima Cabral (1) ; Patrícia Morais da Silva (3), Mitchell Figueiredo

Leia mais

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS

INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS INTEGRAÇÃO ENTRE MARKETING E LOGÍSTICA EMPRESARIAL: UM ESTUDO DE CASO NO SETOR DE MÓVEIS PLANEJADOS Amanda Cristina Nunes Alves (SSP) amandac.06@hotmail.com Anne Sthefanie Santos Guimaraes (SSP) annesthefanie14@hotmail.com

Leia mais

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO

EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO EMPREENDEDORISMO PASSOS PARA ABRIR UM NEGÓCIO Odilio Sepulcri odilio@emater.pr.gov.br www.odiliosepulcri.com.br www.emater.pr.gov.br Telefone: (41) 3250-2252 ROTEIRO DA APRESENTAÇÃO 1. Perfil para empreender

Leia mais

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E

Prof. Marcelo Mello. Unidade III DISTRIBUIÇÃO E Prof. Marcelo Mello Unidade III DISTRIBUIÇÃO E TRADE MARKETING Canais de distribuição Canal vertical: Antigamente, os canais de distribuição eram estruturas mercadológicas verticais, em que a responsabilidade

Leia mais

LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO

LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO LOGÍSTICA INTEGRADA: SATISFAÇÃO DOS CLIENTES E REDUÇÃO DE CUSTOS RESUMO Este trabalho tem por objetivo a discussão do conceito de logística integrada e de roteirização. Tem como objetivo também mostrar

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA

GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA GESTÃO DE ESTOQUE: ANALISANDO O CUSTO DE ARMAZENAGEM EXTERNA DE UMA EMPRESA DO RAMO LÁCTEO SITUADA NA REGIÃO DE LONDRINA Antonia Maria Gimenes¹, Marcio Jabour de Oliveira², William Gonçalves São Leão⁴

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO SETOR DE MÓVEIS

A IMPORTÂNCIA DO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO SETOR DE MÓVEIS 46 A IMPORTÂNCIA DO RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PESSOAS EM UMA EMPRESA DE PEQUENO PORTE DO SETOR DE MÓVEIS FERREIRA, Sidneis Francisco 1 SOEIRA, Fernando dos Santos 2 RESUMO Este artigo tem como objetivo

Leia mais

ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Michael E. Porter

ESTRATÉGIA COMPETITIVA. Michael E. Porter ESTRATÉGIA COMPETITIVA Michael E. Porter 1. A NATUREZA DAS FORÇAS COMPETITIVAS DE UMA EMPRESA 2. ESTRATEGIAS DE CRESCIMENTO E ESTRATÉGIAS COMPETITIVAS 3. O CONCEITO DA CADEIA DE VALOR 1 1. A NATUREZA DAS

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL

ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS: UM PLANEJAMENTO INDISPENSÁVEL DUMAS, Ana Carolina¹ Guirado CALDAMONE,Camila¹ Guerino FRANCO, Nathália¹ Ribeiro; Acadêmicos do curso de Administração da Faculdade de Ciências

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo,

Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, Toda estratégia que visa melhorar vendas tem como objetivo final a retenção e fidelização de clientes. Por isso, conhecer em detalhes o público-alvo, suas necessidades e preferências, é o primeiro passo

Leia mais

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização

4/2/2008. 2) Tomar grandes decisões = 1)Analisar a situação externa e interna. Leitura do mercado e das condições internas da organização PLANO DE MARKETING Ferramenta importante do plano estratégico de uma empresa. Deve estar em perfeita sintonia com os objetivos estabelecidos pela empresa. É um passo para a elaboração do PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado

Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado Análise da Gestão de Estoques: aplicando a ferramenta da curva ABC no Estoque de um Supermercado Pedro Lucas Cuareli Alécio 1 (EPA, UNESPAR/FECILCAM) pedro_eng_prod@yahoo.com.br Eduardo Feliciano Caetano

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO:

2 DESENVOLVIMENTO DO PLANO 2.1 MISSÃO: RESUMO O presente trabalho constitui em uma elaboração de um Plano de Marketing para a empresa Ateliê Delivery da Cerveja com o objetivo de facilitar a compra de bebidas para os consumidores trazendo conforto

Leia mais

LUCROS E BENEFÍCIOS NA APLICAÇÃO DE UM SISTEMA DE ESTOCAGEM NA EMPRESA

LUCROS E BENEFÍCIOS NA APLICAÇÃO DE UM SISTEMA DE ESTOCAGEM NA EMPRESA LUCROS E BENEFÍCIOS NA APLICAÇÃO DE UM SISTEMA DE ESTOCAGEM NA EMPRESA RESUMO: Vanessa dos Santos Dada 1 Há uma grande demanda, nos mercados atuais, pelas empresas que atuam na área de operações logísticas.

Leia mais

MIX DE TREINAMENTOS A ÚNICA QUE TEM O DNA DO SUPERMERCADO

MIX DE TREINAMENTOS A ÚNICA QUE TEM O DNA DO SUPERMERCADO MIX DE TREINAMENTOS A ÚNICA QUE TEM O DNA DO SUPERMERCADO OPERAÇÃO DE LOJA Açougue Prático e Teórico Açougue Prático e Verticalizado Atendimento - amenizando filas em supermercados Cartazista Cartazista

Leia mais

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS

INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS INFORMAÇÃO E VANTAGEM COMPETITIVA EM ORGANIZAÇÃO DE MÓVEIS E ELETROS Elane de Oliveira, UFRN 1 Max Leandro de Araújo Brito, UFRN 2 Marcela Figueira de Saboya Dantas, UFRN 3 Anatália Saraiva Martins Ramos,

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO GALERIA E CENTRO DE ARTES 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT RESUMO INTRODUÇÃO SISTEMAS DE GESTÃO DE ESTOQUES EX-PROJECT Antonio Evangelino de Carvalho Soares Cintia Silvia Victor dos Santos Claudinei Candido Vieira Érica Natália Martins Silva Kátia Ribeiro dos Santos Marco Túlio

Leia mais

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS.

COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. COMÉRCIO E DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS. A Rio Quality existe com o objetivo de proporcionar a total satisfação dos clientes e contribuir para o sucesso de todos. Essa integração se dá através do investimento

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA:

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: Prof. Jean Cavaleiro Unidade I LOGÍSTICA INTEGRADA: PRODUÇÃO E COMÉRCIO Introdução Entender a integração logística. A relação produção e demanda. Distribuição e demanda. Desenvolver visão sistêmica para

Leia mais

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA

O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA O PROCESSO DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE UMA EMPRESA DO RAMO DE SILVICULTURA Flávia Regina Graciano; Lucimara Araújo; Priscila Siqueira Campos; Sabrina Eduarda Mendes Magalhães; Tathiane Mendes Barbosa;

Leia mais

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS

PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS 1 PERCEPÇÃO DOS GESTORES SOBRE A IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING NA EMPRESA: ESTUDO DE CASO NA PORTO ALEGRE CLÍNICAS Porto Alegre RS Março 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS

GESTÃO DE ESTOQUE. Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS GESTÃO DE ESTOQUE Fabiana Carvalho de Oliveira Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Higino José Pereira Neto Graduando em Administração Faculdades Integradas de Três

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO E-COMMERCE - FLORICULTURA VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br

Discente da Universidade do Oeste Paulista UNOESTE. Docente do Curso de Ciências Contábeis da UNOESTE. E mail: irene@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 425 FORMAÇÃO DO PREÇO DE VENDA NA MICRO E PEQUENA EMPRESA Cassia de Matos Ramos 1, Dayane Cristina da Silva 1, Nathana

Leia mais

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES

O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES 1 O CONTROLE DE ESTOQUE COMO FERRAMENTA COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES Cesar Paulo Lomba (Discente do 4º período de Tecnologia de Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS) Maria Luzia

Leia mais

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados.

Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA. Reduza suas perdas e melhore seus resultados. Guia básico para implementação da PRODUÇÃO ENXUTA Reduza suas perdas e melhore seus resultados. INSTITUCIONAL A Consustec é uma empresa com menos de um ano de mercado, com espírito jovem e um time extremamente

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

A l e x a n d r a P a u l o

A l e x a n d r a P a u l o A l e x a n d r a P a u l o ESCOLA SECUNDÁRIA SERAFIM LEITE TRABALHO FINAL TÉCNICAS DE VENDA Alexandra Paulo 11ºI Nº 21160 Disciplina: Comercializar e vender Prof: João Mesquita 20-12-2012 2012-2013 1

Leia mais

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro.

Uma empresa é viável quando tem clientes em quantidade e com poder de compra suficiente para realizar vendas que cubram as despesas, gerando lucro. Página 1 de 9 2. Análise de Mercado 2.1 Estudo dos Clientes O que é e como fazer? Esta é uma das etapas mais importantes da elaboração do seu plano. Afinal, sem clientes não há negócios. Os clientes não

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Unidade II. Unidade II

Unidade II. Unidade II Unidade II 6 PLANO DE NEGÓCIOS (PN): UMA VISÃO GERAL - O QUE É E PARA QUE SERVE? Plano de negócios (do inglês business plan), também chamado plano empresarial, é um documento que especifica, em linguagem

Leia mais

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados

Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Operações de Merchandising estratégias competitivas para o aumento da vendas em supermercados do pequeno varejo de secos e molhados Fabiano Akiyoshi Nagamatsu Everton Lansoni Astolfi Eduardo Eufrasio De

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO ANEXO Plano de Ação Estratégico Estratégias empresariais Anexo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE Unidade de Capacitação Empresarial Estratégias

Leia mais

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO

O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO O PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Josiane Corrêa 1 Resumo O mundo dos negócios apresenta-se intensamente competitivo e acirrado. Em diversos setores da economia, observa-se a forte

Leia mais

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora

CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora CRM Uma ferramenta tecnológica inovadora Nelson Malta Callegari (UTFPR) nelson.estudo@gmail.com Prof Dr. João Luiz Kovaleski (UTFPR) kovaleski@pg.cefet.br Prof Dr. Antonio Carlos de Francisco (UTFPR) acfrancisco@pg.cefetpr.br

Leia mais

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento

Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Guia completo para o sucesso de sua loja de veículos: dicas de como ter sucesso e manter uma alta lucratividade neste segmento Introdução Planejamento Divulgando sua loja Como fechar as vendas Nota Fiscal

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Suprimentos. Controle de Estoque Módulo Suprimentos Controle de Estoque Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Suprimentos Controle de Estoque. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Conceitos de Sistemas de Informação

Conceitos de Sistemas de Informação Conceitos de Sistemas de Informação Prof. Miguel Damasco AEDB 1 Objetivos da Unidade 1 Explicar por que o conhecimento dos sistemas de informação é importante para os profissionais das empresas e identificar

Leia mais

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS

COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS COMO A TECNOLOGIA PODE AJUDAR UM ATACADISTA DISTRIBUIDOR A REDUZIR CUSTOS 1 ÍNDICE 1. Introdução... 2. Por que preciso investir em tecnologia?... 3. Cinco passos para usar a tecnologia a meu favor... 4.

Leia mais

SISTEMAS DE SUGESTÕES: uma estratégia de gestão empresarial

SISTEMAS DE SUGESTÕES: uma estratégia de gestão empresarial SISTEMAS DE SUGESTÕES: uma estratégia de gestão empresarial Rosângela de Fátima Stankowitz Penteado-(UTFPR) zanza2007@gmail.com João Luiz Kovaleski - (UTFPR) kovaleski@utfpr.edu.br Resumo: O presente trabalho

Leia mais

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial.

Palavras-chaves: Análise ABC, gestão de estoques, controle, diferencial. ANÁLISE DA UTILIZAÇÃO DE FERRAMENTAS DE GESTÃO DE ESTOQUE EM UMA EMPRESA PRODUTORA DE BEBIDAS, COMO AUXÍLIO À GESTÃO DA LOGÍSTICA DE MATERIAIS EM UM CENÁRIO DE DEMANDA VARIÁVEL Eduardo Bezerra dos Santos

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO LAVAGEM DE VEÍCULOS A SECO 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO

A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO 1 A PERCEPÇÃO DOS GESTORES EM RELAÇÃO À IMPLANTAÇÃO DO E-LEARNING: UM ESTUDO EM EMPRESAS EM DIFERENTES ESTÁGIOS DE IMPLANTAÇÃO Porto Alegre RS Abril 2010 Bianca Smith Pilla Instituto Federal de Educação,

Leia mais

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE

GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE GUIA ATS INFORMÁTICA: GESTÃO DE ESTOQUE SUMÁRIO O que é gestão de estoque...3 Primeiros passos para uma gestão de estoque eficiente...7 Como montar um estoque...12 Otimize a gestão do seu estoque...16

Leia mais

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e

nacional; Comissionamento diferenciado na venda e pós-venda em todos os produtos e PROGRAMA DE PARCERIA Objetivo do Programa de Parceria Atuando no mercado de CRM (Customer Relationship Manager) desde 1994, a KANKEI é uma empresa de capital Nacional que oferece soluções de marketing

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO

O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO ISSN 1984-9354 O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO Área temática: Gestão da Produção Jiceli de Souza Silva jiceli.silva2012@hotmail.com Ana Paula da Silva Farias ana_paula2778@hotmail.com

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira²

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² GESTÃO POR COMPETÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE UM MELHOR APROVEITAMENTO DO GESTOR NA ORGANIZAÇÃO BRANDI, Vanessa da Silva Pires¹ NUNES, Ruth Vieira² RESUMO O mundo tem passado por constantes mudanças, que têm

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO

A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO A IMPORTÂNCIA DA PESQUISA DE MARKETING PARA GESTORES DE NEGÓCIO Mariana Ferreira Soares, Priscila Petrusca Messias Gomes Silva e Marcos Alexandre de Melo Barros. Faculdade Senac de Pernambuco. E-mail:

Leia mais

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO

P á g i n a 3 INTRODUÇÃO P á g i n a 3 INTRODUÇÃO A Administração de Materiais compreende as decisões e o controle sobre o planejamento, programação, compra, armazenamento e distribuição dos materiais indispensáveis à produção

Leia mais

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br

Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br BENEFÍCIOS SOCIAIS: um modelo para retenção de talentos Autor(a): Cicera Aparecida da Silva Coautor(es): Rosana de Fátima Oliveira Pedrosa Email: aparecidasilva@pe.senac.br Introdução Este artigo aborda

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO CLÍNICA DE ESTÉTICA 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser fotocopiada,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular Material Cedido pelo Prof. Msc. Ângelo Luz Prof. Msc. André Luiz S. de Moraes 2 Materiais Mussum (187.7.106.14 ou 192.168.200.3) Plano de Ensino SISTEMAS

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS COMUNICAÇÃO SOCIAL RELAÇÕES PÚBLICAS SEMINÁRIO AVANÇADO EM RELAÇÕES PÚBLICAS. Ana Paula do Amaral Silva

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS COMUNICAÇÃO SOCIAL RELAÇÕES PÚBLICAS SEMINÁRIO AVANÇADO EM RELAÇÕES PÚBLICAS. Ana Paula do Amaral Silva UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS UNISINOS COMUNICAÇÃO SOCIAL RELAÇÕES PÚBLICAS SEMINÁRIO AVANÇADO EM RELAÇÕES PÚBLICAS Ana Paula do Amaral Silva MARKETING DE BENEFÍCIOS COMO INSTRUMENTO DO MARKETING

Leia mais

MECÂNICA PRASS: REPARADORA VEICULAR 24HORAS.

MECÂNICA PRASS: REPARADORA VEICULAR 24HORAS. MECÂNICA PRASS: REPARADORA VEICULAR 24HORAS. Estela Rögelin Prass 1 Evandro Boneberg Prass 2 Amilto Müller 3 RESUMO: O presente artigo tem como objetivo, apresentar um plano de negócio, os estudos e análise

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO HORTALIÇAS E VEGETAIS PROCESSADOS 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação

Leia mais

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade?

1 - Por que a empresa precisa organizar e manter sua contabilidade? Nas atividades empresariais, a área financeira assume, a cada dia, funções mais amplas de coordenação entre o operacional e as expectativas dos acionistas na busca de resultados com os menores riscos.

Leia mais

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha

Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS. Prof. Léo Noronha Unidade II PROCESSOS ORGANIZACIONAIS Prof. Léo Noronha Macroprocesso Referência: sistema de gestão da qualidade pela NBR ISO 9011:2008. Macroprocesso Para a realização do produto, necessitase da integração

Leia mais

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011

Resumo Executivo. Modelo de Planejamento. Resumo Executivo. Resumo Executivo. O Produto ou Serviço. O Produto ou Serviço 28/04/2011 Resumo Executivo Modelo de Planejamento O Resumo Executivo é comumente apontada como a principal seção do planejamento, pois através dele é que se perceberá o conteúdo a seguir o que interessa ou não e,

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL

OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO FACILIDADES EMPRESARIAIS - ESCRITÓRIO VIRTUAL 2009 SEBRAE-DF Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Distrito Federal. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta

Leia mais

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I FUNDAMENTOS DA GESTÃO FINANCEIRA Prof. Jean Cavaleiro Introdução Definir o papel da gestão financeira; Conceitos de Gestão Financeira; Assim como sua importância na gestão de uma organização;

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA

A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA A RELAÇÃO ENTRE A MOTIVAÇÃO E A ROTATIVIDADE DE FUNCIONÁRIOS EM UMA EMPRESA Elaine Schweitzer Graduanda do Curso de Hotelaria Faculdades Integradas ASSESC RESUMO Em tempos de globalização, a troca de informações

Leia mais

Edital PROEX/IFRS nº 028/2015. Seleção de estudantes para participação no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto

Edital PROEX/IFRS nº 028/2015. Seleção de estudantes para participação no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto Edital PROEX/IFRS nº 028/2015 Seleção de estudantes para participação no curso Bota pra fazer - crie seu negócio de alto impacto A Pró-reitora de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG

Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Satisfação dos consumidores: estudo de caso em um supermercado de Bambuí/MG Ana Clara Rosado Silva (1) ; Daiane Oliveira Borges (2) ; Tatiana Morais Leite (3) ; Vanessa Oliveira Couto (4) ; Patrícia Carvalho

Leia mais

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO

EMPREENDIMENTO COMERCIAL: QUAL O MELHOR CAMINHO A SEGUIR EM SEUS MOMENTOS INICIAIS? RESUMO FÁBIO RODRIGO DE ARAÚJO VALOIS Discente do Curso de Ciências Contábeis - UFPA RESUMO Não é de uma hora pra outra que um comerciante abre as portas de seu empreendimento. Se fizer deste modo, com certeza

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO

PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO PLANO DE NEGÓCIOS E PLANEJAMENTO: SUA IMPORTÂNCIA PARA O EMPREENDIMENTO Bruna Carolina da Cruz Graduando em administração Unisalesiano Lins bruna-estella@hotmail.com Rafael Victor Ostetti da Silva Graduando

Leia mais

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso?

Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? i n o v a ç ã o 8 Construindo a interação entre universidade e empresas: O que os atores pensam sobre isso? Carla Conti de Freitas Yara Fonseca de Oliveira e Silva Julia Paranhos Lia Hasenclever Renata

Leia mais

17/08/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

17/08/2010. Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves 17//2010 Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - ADMINISTRAÇÃO QUESTÕES QUESTÕES 01) A Administração recebeu influência da Filosofia e diversos filósofos gregos contribuíram para a Teoria da Administração. A forma democrática de administrar os negócios públicos é discutida

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG Introdução SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG A finalidade principal de um SIG é ajudar uma organização a atingir as suas metas, fornecendo aos administradores uma visão das operações regulares da empresa,

Leia mais

TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS.

TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS. TIPOS DE RECRUTAMENTO E SUA IMPORTÂNCIA PARA UMA GESTÃO ADEQUADA DE PESSOAS APLICADAS A EMPRESAS. MICHEL, Murillo Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerencias murillo@faef.br RESUMO O presente

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos

Universidade Cruzeiro do Sul. Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos Universidade Cruzeiro do Sul Campus Virtual Unidade I: Unidade: Processos Mercadológicos 2010 0 O Processo pode ser entendido como a sequência de atividades que começa na percepção das necessidades explícitas

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO EM LOGÍSTICA GERSON MATOS DA SILVA

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO EM LOGÍSTICA GERSON MATOS DA SILVA 1 UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA GESTÃO EM LOGÍSTICA GERSON MATOS DA SILVA PIM I E II PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR HOTEL TURÍSTICO DE CAMPINA GRANDE LTDA Belém Pará 2014 2 GERSON

Leia mais