O Programa Água Brasil como possibilidade de construção de uma identidade sustentável. 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Programa Água Brasil como possibilidade de construção de uma identidade sustentável. 1"

Transcrição

1 O Programa Água Brasil como possibilidade de construção de uma identidade sustentável. 1 Fabiane da Silva VERISSIMO 2 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS RESUMO A proposta do artigo é compreender como a marca do Banco do Brasil, por meio do Programa Água Brasil, busca criar uma identidade com o tema Sustentabilidade. Para tanto são analisadas as estratégias comunicacionais e discursivas empregadas no comercial Acorde, numa abordagem semiótica discursiva. Entre algumas das considerações finais, observa-se que a peça analisada produz efeitos de sentido de verdade, credibilidade, seriedade, comprometimento e responsabilidade com o meio ambiente, com vistas a criar uma imagem de empresa socialmente sustentável. PALAVRAS-CHAVE: Publicidade; estratégia; marca; identidade; sustentabilidade; INTRODUÇÃO A Sustentabilidade é um tema que vem sendo abordado desde o início dos anos 90 nas mídias impressas e eletrônicas, principalmente no que refere à preservação ambiental e ao futuro da humanidade. Hoje, é uma preocupação coletiva, uma necessidade vital para a preservação da espécie, embora muitas pessoas, empresas, marcas não tenham despertado, ainda, para essa realidade. Jornais, revistas, programas de TVs e rádios, livros, sites, blogs, eventos, abrem espaço para apresentar, refletir, debater, discutir alternativas para alcançar o tão almejado desenvolvimento sustentável. A divulgação de temas de cunho ambiental vem trazendo à tona conceitos antes restritos a cientistas e ambientalistas. Desmatamento, aquecimento global, efeito estufa, 1 Trabalho apresentado no Grupo de Trabalho Estudos de ação promocional do IV SIPECOM - Seminário Internacional de Pesquisa em Comunicação 2 Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação Midiática da Universidade Federal de Santa Maria. 1

2 biodiversidade, desenvolvimento sustentável, educação ambiental e o próprio termo Sustentabilidade vêm conquistando espaço na esfera pública e suscitando o interesse ora comercial, ora ideológico de muitos segmentos da sociedade. Neste contexto, a publicidade surge em muitas oportunidades, utilizando a sustentabilidade como apelo comercial, ideológico, social, cultural de produtos, serviços e marcas, suscitando alguns questionamentos: a sustentabilidade seria mais um recurso motivador para o investimento em publicidade? Que efeitos de sentidos são produzidos pelo discurso publicitário que utiliza a Sustentabilidade como argumento de persuasão? Como as empresas podem consolidar suas marcas e fortalecer sua identidade junto a seus públicos no que se refere à Sustentabilidade? Certamente, essas questões são abrangentes e complexas, mas a intenção aqui é apresentar uma breve reflexão a cerca dos sentidos que o discurso publicitário faz circular no processo de comunicação, uma vez que toda enunciação organiza estratégias para dizer o que diz, propõe o discurso, buscando dar sentido à comunicação que se encontra entre o enunciador e o enunciatário. Assim, o presente artigo propõe-se a analisar as estratégias comunicativas e discursivas empregadas pelo Banco do Brasil, tendo como referência o comercial chamado Acorde que faz parte de uma campanha publicitária desenvolvida para o Programa Água Brasil, com vistas a entender como se dá o processo de construção da identidade, projeção da imagem e representação da marca Banco do Brasil, no que se refere ao conceito de Sustentabilidade. CONCEITOS PRELIMINARES O homem é um ser que vive em sociedade e que para tal precisa se comunicar, por isso, não é difícil mensurar a importância da comunicação no processo de interação social. A comunicação desempenha um papel de grande relevância neste contexto, pois se baseia na capacidade do homem de transmitir suas intenções, desejos, sentimentos, conhecimentos e experiências de pessoa para pessoa. Pela comunicação, o indivíduo se faz pessoa, indo do ser singular à relação plural (POLISTCHUK, 2003, p. 63). A 2

3 comunicação se faz e refaz por meio de um diálogo entre pessoas que buscam encontrar, dar sentido às coisas, interpretar acontecimentos e entender os fatos do mundo. A comunicação é um fenômeno vital que possibilita a relação do homem com o mundo por meio da linguagem, é a presença da linguagem que marca a especificidade dessa relação (PERUZZOLO, 2006, p. 44). Quando duas pessoas se relacionam, entram em comunicação, interpretam, interagem atendendo às necessidades, desejos, exigências de suas próprias experiências. Assim, o conceito de comunicação não é uma técnica, apenas um processo relacional; não que toda relação seja comunicação, mas toda comunicação precisa ser uma relação (PERUZZOLO, 2006, p. 52). É importante ressaltar que todo discurso é constituído por sujeitos, o enunciador que é o destinador da mensagem e o enunciatário que é o receptor da mensagem. Ambos desempenham o papel de construir o enunciado. O enunciador porque assume a função social de organizar uma determinada produção escrita - o enunciado - e o enunciatário, porque reorganiza essa produção no momento que lê a mensagem. (PERUZZOLO, 2004) Para Greimas (1999) o ato comunicativo é uma estrutura de um jogo, que não se trata de vencer, mas de com-vencer, provocar, obrigar o outro a partilhar de seu triunfo. Todo processo comunicativo intenta algo, busca manipular, persuadir, convencer. Assim, com-vencer significa tornar o receptor cativo, utilizando estratégias de convencimento, a fim de obter adesão/aceitação. Essa manipulação exige a configuração dos atores envolvidos, a conferência de identidade que possibilita a identificação dos sujeitos entre si, de modo que favoreça a sua interpelação. No processo de comunicação eficaz, os interpelados sempre se reconhecem. A comunicação é um confronto de quereres e poderes; mais do que enunciação de verdades e falsidades, ela é uma atividade que se submete ao princípio da eficácia. (GREIMAS, 1980, p. 122) Segundo Duarte e Castro (2011), o processo enunciativo pode ser organizado a partir das noções de identidade, imagem e marca. A identidade é um conjunto de traços distintos de semelhança ou dessemelhança com vistas a caracterizar pessoas, serviços, instituições. A construção da identidade é de competência do enunciador. A imagem é 3

4 um conjunto de conceitos e valores associados a uma determinada pessoa, produto, serviço, instituição. A imagem se refere à projeção mental do enunciador ou introjeção do enunciatário, relativamente simplificada e estável, de percepção e associação ligadas a um referente. A marca é a manifestação estratégica da identidade e imagem projetada. É um recurso cuja utilização é significativa, pois está presente, racionalmente e emocionalmente, na vida cotidiana dos indivíduos. Para Semprini (2006), a marca pós-moderna pode ser definida a partir de três dimensões: a natureza semiótica - atua como objeto semiótico enunciador de significados importantes -, a natureza relacional - necessita manter uma unidade no discurso na sua relação com seus públicos -, e a natureza evolutiva - muda ou adapta-se ao ambiente em que está inserida. O poder semiótico da marca consiste em saber selecionar elementos no interior do fluxo de significados que atravessa o espaço social, organizá-los em uma narração pertinente e atraente e a propô-los a seu público. (SEMPRINI, 2006, p. 106) Assim, no processo enunciativo, a identidade se manifesta através da projeção/introjeção de uma imagem e/ou de sua marca. A imagem é a forma de manifestação da identidade projetada e/ou introjetada, e a marca é a representação simbólica, condensada e sintética da imagem projetada por determinada pessoa, produto, instituição, que remeta à sua identidade (Duarte e Castro, 2011). Essa relação híbrida entre identidade, imagem e marca interfere na produção de programas televisuais, de modo a interpelar o telespectador. Estratégias comunicativas e discursivas e os mecanismos expressivos utilizados para a sua manifestação são princípios que contribuem para os programas televisivos atingirem seus elevados índices de audiência, bem como criar, manter, fortalecer vínculos de identidade com seus públicos. A televisão deseja e precisa ser assistida, isto é, conquistar e manter a atenção do telespectador, pois disso decorre sua sobrevivência. Para tanto, emprega diferentes níveis de estratégias comunicativas e discursivas, que correspondem a deliberações em diferentes níveis e à adoção de determinados procedimentos de seleção, combinação e mesmo ruptura que se submetem ao princípio da eficácia: seu propósito é o êxito (DUARTE, 2010, p. 232). 4

5 Informar, entreter, educar, promover, autopromover, socializar, politizar, seduzir, criar mitos, ídolos, ditar moda, usos e costumes são algumas atribuições que a televisão disponibiliza, enquanto veículo difusor de comunicação de massa, aos seus telespectadores. Segundo Duarte (2004), a mídia televisiva integra diferentes lógicas: a econômica - diz respeito ao seu estatuto de empresa que visa lucro -, tecnológica que remete aos meios técnicos de produção, circulação e consumo de seus produtos, e a discursiva que trata dos modos pelos quais os produtos televisivos produzem sentidos. As lógicas televisivas confluem, de qualquer forma, para uma função escópica que pode ser traduzida por um querer ser assistida (DUARTE, 2004, p. 40). Um das funções principais do ato comunicativo na televisão é conquistar e manter a audiência. Para tanto, precisa recorrer a estratégias que são procedimentos de imposição, exposição, indisposição e disposição de sua produção. Esses procedimentos correspondem aos interesses das emissoras de investir ou não, em determinados produtos televisivos (DUARTE, 2004). Duarte e Castro (2011) apresentam duas instâncias para análise de um produto televisivo. A primeira diz respeito às estratégias comunicativas que antecedem a própria veiculação, aborda o contexto sociocultural, as configurações da empresa midiática, o tipo de investimento, a programação, a emissora, as formas de divulgação, o modo de inserção na grade de programação, ou seja, gênero, subgênero e formato. A segunda se refere às estratégias discursivas, que remetem às escolhas da narrativa tematização (dimensão temática), temporalização (marcação temporal), espacialização (tratamento espacial), tonalização (efeito de sentido pelo qual o programa quer ser identificado), actorização e figuritização (configuração dos atores e personagens). Assim, ao analisar um produto televisivo, é importante considerar tanto a configuração das lógicas quanto a manifestação das estratégias comunicacionais e discursivas que o ato de comunicação, propõe. A comunicação publicitária manifesta-se neste contexto, para mediar as relações sociais entre enunciadores, codificadores e enunciatários de mensagens, com propósitos 5

6 de obter adesão/aceitação da causa. Desenvolve ações estratégicas persuasivas que ora convocam, trocam, partilham sentimentos, conhecimentos e responsabilidades, ora aproximam, mobilizam e estimulam a participação ativa do público envolvido e ainda os sensibilizam a colaborar das ações propostas como uma forma de inserção e mobilização social. Entretanto, essa mobilização só acontece se existir efetivamente algum tipo de acordo em relação a determinada causa pela qual se deseja lutar e deve possuir indivíduos envolvidos, que visam transformar a realidade (MAFRA, 2006, p. 34). Toda essa prática social é constituída, eminentemente, pela comunicação, que possibilita a produção e a partilha de sentidos entre os sujeitos interlocutores (produtor/receptor), por meio de um discurso (mensagem), inserido num dado contexto (causa), atuando e provocando determinado efeito (consequência). CARACTERIZAÇÃO DO OBJETO DE ANÁLISE O termo Sustentabilidade é frequentemente encontrado nos mais diferentes gêneros do discurso: jornalístico, publicitário, científico, a princípio, fundado num consenso defender o bem-estar social e econômico, sem prejudicar a natureza, ou seja, esse modelo de desenvolvimento sustentável busca satisfazer as necessidades presentes, sem afetar as necessidades futuras das próximas gerações. Embora existam divergências de opiniões acerca do tema, cientistas, ambientalistas, especialistas, empresários procuram debater a crise ambiental e o futuro da humanidade diante do crescimento socioeconômico, com vistas a alertar sobre os problemas causados pela exploração desordenada dos recursos naturais. O Banco do Brasil, coerente com os seus princípios de responsabilidade socioambiental, enraizados em sua tradição bicentenária, e por sua forte atuação no agronegócio, que é o segmento econômico que mais consome água em seu processo produtivo, sai publicamente em defesa do meio ambiente, em especial da preservação da água, por meio do Programa Água Brasil. O Programa Água Brasil tem por finalidade desenvolver e disseminar novas tecnologias sociais que permitam estimular formas de produção mais sustentáveis no campo, e mudar comportamentos e valores em relação ao consumo consciente e tratamento dos resíduos sólidos na cidade. Tem como parceiros a 6

7 Fundação Banco do Brasil, WWF e Agência Nacional de Águas - ANA. (ÁGUA BRASIL..., 2011) Dentre as ações desenvolvidas pelo Programa Água Brasil, foi realizado o lançamento, no dia 22 de março de 2011, em virtude do Dia Mundial da Água, uma campanha constituída por: comercial para TV, anúncio em revista e jornal, spot de rádio, peças de internet e ações de endomarketing, essas ações têm como objetivo engajar os mais de 100 mil funcionários do Branco do Brasil. A campanha teve por objetivo geral divulgar o Programa Água Brasil e convidar as pessoas a abraçar a causa de conservação das águas brasileiras. Embora fosse relevante analisar toda a campanha publicitária, optou-se por estudar apenas o comercial, visto que é um produto televisual repleto de significados e que, de certa forma, contextualiza a proposta do Programa Água Brasil. O comercial foi produzido pela agência Master, veiculado em rede nacional, com versões de 30 e 60 segundos. As cenas apresentam dados sobre o consumo de água no mundo, terminando com o mote da campanha: toda manhã, a água manda um recado para você: acorde. O objetivo é convidar o público para fazer uma reflexão sobre o uso consciente da água a partir de um hábito, que é lavar o rosto todas as manhãs. PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Para atingir os objetivos propostos optou-se por estruturar uma pesquisa exploratória, descritiva, com abordagem qualitativa. O processo de análise será fundamentado na proposta teórico-metodológica da semiótica discursiva, tendo como referência os estudos de DUARTE E CASTRO (2011) com o intuito de entender como a instituição/marca Banco do Brasil, por meio do Programa Água Brasil, busca criar uma identidade com o tema Sustentabilidade. Para tanto serão analisadas as estratégias comunicacionais e discursivas empregadas no comercial Acorde. 7

8 ENSAIO ANALÍTICO Dentre as estratégias comunicacionais, pode-se considerar que a peça analisada faz Referência ao mundo Real, tem como gênero (que é da ordem da virtualidade): no Plano de realidade, o promocional (que é híbrido, movimenta-se entre o factual, o ficcional e o simulacional), divulgando a ideia de Preservação da Água; e, como regime de crença, a veridicção, ou seja, tem um compromisso com a veracidade, a fidelidade dos fatos apresentados, transmite segurança, certeza, verdade. A presença de números e estatísticas comprova esse regime. Quanto ao subgênero (que é da ordem da atualização): é um comercial, de 60 segundos. Quanto ao formato (ordem da realização), Acorde é a identidade do comercial. O comercial teve por objetivo divulgar o Programa Água Brasil e convidar as pessoas a abraçar a causa de conservação das águas brasileiras. O público-alvo (interno e externo) foram homens e mulheres de todas as classes sociais e idades. O investimento foi alto, já que a peça foi veiculada em vários meios e veículos de comunicação, nos meses de março/abril de 2011, em horário nobre de emissoras de televisão e rádio. A campanha foi discutida em redes sociais da internet, pauta de assunto em emissoras de televisão e rádio, ou seja, a repercussão positiva rendeu mídia gratuita para o Banco do Brasil. Com essa estratégia, a marca do Banco do Brasil possibilitou que sua imagem fosse atrelada às causas sociais, à sustentabilidade, à responsabilidade socioambiental. Quanto às estratégias discursivas, o comercial é constituído por uma trilha sonora clássica instrumental, constituída de violão, bateria e piano, produzida exclusivamente para a peça, pelo Maestro Hilton Raw. A escolha da música foi primorosa, tem um som suave, agradável, mas de grande impacto, característica essencial para um comercial eficaz. A cena começa com uma mulher de aparência jovem, no banheiro, de pijama, dirigindo-se para a pia, olhando no espelho, abrindo a torneira. Assim que a água cai, surgem as letters na cor branca, sem serifa. Esse estilo de fonte facilita a leitura e a compreensão do texto. As frases aparecem e desaparecem, acompanhando a lavagem do rosto da atriz. A palavra água está em fonte maior e permanece fixa durante as trocas de frases. Esse recurso contribui para a fixação da mensagem. A linguagem verbal do comercial diz: Menos de 1% da água do planeta 8

9 pode ser bebida. Uma em cada oito pessoas no mundo não tem acesso à água limpa. Em 15 anos, 1,8 milhões de pessoas enfrentarão escassez de água. Quando a atriz fecha a torneira, entra a voz em off: Toda manhã a água manda um recado para você. Acorde! Água Brasil. Um conjunto de iniciativas de conservação das águas brasileiras e um convite para você abraçar essa causa. Banco do Brasil todo seu. A voz é de um homem maduro, a qual imprime segurança e credibilidade. Durante a locução da voz em off, a imagem da mulher refletida no espelho, desviando o olhar para a lateral, sugere preocupação, reflexão. A marca e o site do Programa Água Brasil aparecem e permanecem, no canto esquerdo, quando a locução diz Acorde! Água Brasil. As marcas do Banco do Brasil e do Governo Federal fecham o comercial. É importante ressaltar que a maioria das cenas tem enquadramento em plano fechado - o rosto, as mãos, a água, a torneira, a pia são enfatizados a todo o momento. Esse tipo de enquadramento é uma estratégia muito utilizada em publicidade. Ainda no âmbito do processo de discursivização, a análise apresenta as seguintes estratégias: Quanto à tematização, o comercial busca a água como mote central, através da informação, sensibilização e conscientização. Em diferentes culturas, a água é representada como fonte de vida, meio de purificação e elemento de regeneração. No comercial, ela é a protagonista do enredo; a imagem, o texto e a voz em off reforçam a importância da água, na vida das pessoas. No que se refere à temporalização, a peça está dividida em dois momentos. Nos primeiros 30 minutos, a narrativa refere-se ao desperdício da água que é explicitada pela imagem da torneira aberta e pela linguagem verbal que apresenta dados comprobatórios; nos minutos restantes, a marcação temporal é iniciada pela imagem da torneira sendo fechada e pela voz em off do narrador, que alerta, avisa e faz um convite para participar de ações de preservação da água. No comercial, a imagem da torneira sendo aberta e depois fechada é responsável pela marcação e pelo encadeamento temporal. No que diz respeito à espacialização, o comercial em análise tem o cenário organizado dentro de um banheiro de uma casa de classe média. A pia, o espelho, a torneira, a água corrente, as mãos e o rosto aparecem em primeiro plano e em câmara lenta, criando maior impacto para a cena. A toalha amarela e os azulejos azuis lembram 9

10 as cores utilizadas pela Marca do Banco do Brasil, essa escolha reforça a identidade da empresa e cria uma atmosfera de adesão à causa. A tonalização se refere ao efeito de sentido, pelo qual o comercial quer ser identificado e interpelado pelo telespectador. A intenção do comercial é criar um tom sério e desafiador, uma vez que apresenta informações atuais e futuras acerca da problemática de escassez da água e propõe ações para reverter a situação. A água é o elemento comum que unifica a maioria das ações já realizadas pelo Banco do Brasil e engloba grande parte das ações que o banco ainda pretende desenvolver. Por ser fundamental para a preservação da vida, da biodiversidade e para o desenvolvimento sustentável, a questão hídrica é relevante. A expressão, o gesto, o enquadramento, a locução, o texto, as cores, o cenário, o figurino, os efeitos especiais, enfim as linguagens visuais e verbais estabelecem uma relação intrínseca na produção de sentido. Quanto à actorização e figuratização, a configuração do ator é ficcional. A atriz apresenta o perfil da mulher brasileira, morena, de boa aparência, saudável e aparentemente preocupada com alguma coisa. Está usando pijama, remetendo a um despertar, um acordar de modo objetivo, mas, no transcorrer da cena, o modo subjetivo surge: acordar para mais um dia, lavando o rosto; acordar para a vida, não desperdiçando água. A figura feminina é utilizada pelo papel importante que a mulher exerce na vida de sua família, fundamentalmente na geração da vida. A mulher, ao conquistar seu espaço na sociedade, está mais suscetível às mudanças de comportamento, capaz de enfrentar desafios, transmitindo credibilidade, confiança, garra, força, perseverança. Assim, o comercial ora analisado consegue manter uma relação comunicativa e discursiva entre seus interlocutores, no seu ato comunicativo, na medida em que produz efeitos de sentido de verdade, credibilidade, seriedade, comprometimento e responsabilidade, no que se refere à preservação de recursos híbridos brasileiros. O modo como o Banco do Brasil convida as pessoas a participar do Programa Água Brasil é sutil e cortês, embora as escolhas da narrativa sejam de forte impacto, sérias e ao mesmo tempo assustadoras. 10

11 APONTAMENTOS FINAIS A Sustentabilidade pode ser vista como um compromisso social, obrigação moral e/ou uma oportunidade de negócio. Seja qual for o motivo, o discurso publicitário precisa apresentar um conteúdo e organizar estratégias persuasivas para dizer o que diz, buscando dar sentido (valores) à vida social, além de colocar-se entre o enunciador e o enunciatário para mobilizar suas subjetividades. O comercial Acorde, assinado pelo Banco do Brasil, não visa promover a venda de contas, consórcios, seguros, mas intenciona agregar valores sociais, transmitindo ideias, sensibilizando, conscientizando as pessoas acerca da mudança de atitudes e comportamentos necessários para a preservação da vida, principalmente para as próximas gerações. A responsabilidade socioambiental, proposta pelo Banco do Brasil em sua política empresarial, incorpora o desenvolvimento sustentável no planejamento de suas atividades, envolvendo funcionários, colaboradores, fornecedores, parceiros, clientes, acionistas e credores, concorrentes, comunidades, governo e meio ambiente. A comunicação entra neste contexto para mediar as relações entre todos os públicos do Banco do Brasil, transmitindo intenções, desejos, sentimentos, conhecimentos, experiências, com vistas a trans(formar) modos de ser, pensar ou agir. A mídia televisiva contribui significativamente para dar visibilidade a essas ações, de modo que os sujeitos se reconheçam, interajam, troquem, mantenham, criam, fidelizam suas relações, na produção de sentido. E, a relação comunicacional e discursiva empregada no ato comunicativo é que qualifica ou desqualifica essa relação e produz efeitos de sentido. Na peça analisada, o Banco do Brasil evidencia a sua preocupação com a preservação da vida, dos recursos naturais, da água, mas se promove, já que a marca institucional acompanha todas as cenas, em alto relevo, no canto direito, na parte superior da tela. O site e a marca do Programa Água Brasil aparecem quando são apresentadas pela voz em off no comercial. A marca do Governo Federal e do Banco do Brasil, assinando o comercial, demonstra uma parceria comprometida com a causa. 11

12 O regime de crença é de veridicção, por exemplo, o enunciador diz algo como verdadeiro e o espectador deve acreditar nos termos do discurso. Essa constatação surgiu a partir da linguagem verbal e, principalmente, pela imagem positiva que o Banco do Brasil tem, na sociedade em que está inserido. A construção da identidade é atribuição do enunciador. No comercial, o enunciador cria sua identidade a partir da caracterização de um ambiente propício para a reflexão, já que o ato de lavar o rosto é diário, involuntário, indispensável para vida em sociedade, e o termo Acorde tem significado polifônico, de despertar para mais um dia e, também, abrir os olhos para um problema socioambiental que assola o país. Com esses traços, o Banco do Brasil projeta uma imagem de empresa socialmente responsável e sustentável. Informa, apresenta dados estatísticos da realidade, propõe ações para amenizar a situação e ainda convida, de modo muito perspicaz e educado, o enunciatário a participar da causa. A escolha da música, do gesto, da locução e das letters criam uma atmosfera suave, leve para um problema tão rude e sério. Muitos enunciadores optam por discursos agressivos, violentos, chocantes quando abordam causas sociais, mas não foi essa a opção da empresa Banco do Brasil, até porque não quer obrigar as pessoas a enfrentar os problemas e, sim, fazer uma corrente de solidariedade em prol de um bem comum. Portanto, a imagem projetada é de uma empresa preocupada com a escassez da água e com a continuidade do planeta, até porque no seu ramo de atuação utiliza muitos recursos híbridos. A marca do Programa Água Brasil que é em forma de gota, azul claro e com marca d água ocupando grande parte do espaço com símbolo do Banco do Brasil, em azul mais escuro, é uma boa representação da imagem que a empresa quer projetar na mente das pessoas. Aqui, a natureza semiótica da marca está organizada de modo simples, mas pertinente e atraente. As estratégias comunicacionais e discursivas manifestadas no comercial Acorde possibilitaram afirmar que o Banco do Brasil, por meio do Programa Água Brasil projeta uma imagem de empresa sustentável. A presença do símbolo institucional na configuração da marca do programa reforça o valor atribuído à causa. Os sentidos que o 12

13 discurso publicitário fez circular no processo de comunicação favorecem a compreensão da mensagem; e a proposta de construção de uma identidade sustentável, colada ao Banco do Brasil, é satisfatória e tem tudo para ser eficaz. REFERÊNCIAS ÁGUA BRASIL. Apresentação do Programa. Disponível em: <http://www.bb.com.br/portalbb/home16,2100,2100,21,0,1,1.bb> Acesso em 03 maio Link para o Filme DUARTE E CASTRO. Material discutido em aula. 26 abril DUARTE, E. B. Televisão: desafios teórico-metodológicos. In: BRAGA, José Luiz; LOPES, Maria Immacolata Vassalo de; MARTINO, Luiz Cláudio, orgs. Pesquisa empírica em comunicação (Livro Compós 2010). São Paulo: Paulus, p DUARTE, E. B. Televisão: ensaios metodológicos. Porto Alegre: Sulina, GREIMAS, A. A propósito do jogo, Verso e Reverso, São Leopoldo, Unisinos, FILME CAMPANHA. Disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=n8v-eyqenbs> Acesso em 02 maio MAFRA, R. Entre o espetáculo, a festa e a argumentação mídia, comunicação estratégica e mobilização social. Belo Horizonte: Autêntica, PERUZZOLO, A. C. Elementos de semiótica da comunicação: quando aprender é fazer. São Paulo:EDUSC, A comunicação como encontro. São Paulo: EDUSC, SEMPRINI, A. A marca pós-moderna. São Paulo: Estação das Letras,

Bradesco e Olimpíadas: o Esporte Como Estratégia no Discurso Promocional 1. Eliane GÜNTZEL 2 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS

Bradesco e Olimpíadas: o Esporte Como Estratégia no Discurso Promocional 1. Eliane GÜNTZEL 2 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS Bradesco e Olimpíadas: o Esporte Como Estratégia no Discurso Promocional 1 Eliane GÜNTZEL 2 Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS Resumo O presente estudo tem a intenção de servir como reflexão

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA

COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA COMPRE AQUI E MORE BEM : A LINGUAGEM PUBLICITÁRIA E OS DISCURSOS DA PROPAGANDA IMOBILIÁRIA Maria Eliane Gomes Morais (PPGFP-UEPB) Linduarte Pereira Rodrigues (DLA/PPGFP-UEPB) Resumo: Os textos publicitários

Leia mais

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing

Marcele Bastos. o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas. Fundamentos de marketing. o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Especialista em Gestão - ênfase em Marketing o Graduada em Comunicação Social - Relações Públicas o Docente universitária na disciplina Fundamentos de marketing o 12 anos de experiência em comunicação

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Política de Comunicação Institucional Política de Comunicação Institucional POLÍTICA PÚBLICA P DE COMUNICAÇÃO O homem é um ser social. O intercâmbio de suas experiências e de seus conhecimentos possibilitou que as pessoas se apropriassem dos

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL

A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL A INFLUÊNCIA DA COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DE AÇÕES DE RESPONSABILIDADE SOCIAL NO BRASIL Introdução A partir da década de 90 as transformações ocorridas nos aspectos: econômico, político, social, cultural,

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima.

Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público. Alexia Melo. Clebin Quirino. Michel Brasil. Gracielle Fonseca. Rafaela Lima. Rede Jovem de Cidadania, programa de TV de Acesso público Alexia Melo Clebin Quirino Michel Brasil Gracielle Fonseca Rafaela Lima Satiro Saone O projeto Rede Jovem de Cidadania é uma iniciativa da Associação

Leia mais

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO

PROJETO DE INTERVEÇÃO: UM OLHAR DIFERENTE PARA O LIXO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO-UFERSA NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA CURSO :EDUCAÇÃO AMBIENTAL ALUNA:FRANCISCA IÊDA SILVEIRA DE SOUZA TUTORA: ANYELLE PAIVA ROCHA ELIAS PROFESSORA: DIANA GONSALVES

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE MARKETING

COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO DE MARKETING COMUNICAÇÃO INTEGRADA DE MARKETING Meio através do qual a empresa informa, persuadi e lembra os consumidores sobre o seu produto, serviço e marcas que comercializa. Funções: Informação

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO

Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO Nome do candidato TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria como requisito parcial para a seleção de ingresso

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema.

Palavras-chave: Aquecimento global, Mídias, Tecnologias, Ecossistema. Aquecimento Global e Danos no Manguezal Pernambucano SANDRA MARIA DE LIMA ALVES 1 - sandrali@bol.com.br RESUMO Este artigo procura enriquecer a discussão sobre o fenômeno do aumento da temperatura na terra

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS

Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS Política de Comunicação do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) - PCS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) - PCS A Política de Comunicação do Serviço

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores)

Negociação: conceitos e aplicações práticas. Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) Negociação: conceitos e aplicações práticas Dante Pinheiro Martinelli Flávia Angeli Ghisi Nielsen Talita Mauad Martins (Organizadores) 2 a edição 2009 Comunicação na Negociação Comunicação, visão sistêmica

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA.

O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. O MODELO DA TELEVISÃO BRASILEIRA NA CONCEPÇÃO DE VIDEOAULAS: UMA EXPERIÊNCIA INOVADORA DO IFSC NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Autor: Paulo Vitor Tavares, Ms. Palavras-chave: EAD, Televisão, Videoaula, IFSC.

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão FORMULÁRIO DE AÇÃO DE EXTENSÃO 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM 1.1. TÍTULO: CAPACITAÇÃO PARA EDUCADORES DA PRIMEIRA INFÂNCIA,

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Resumo. O caminho da sustentabilidade

Resumo. O caminho da sustentabilidade Resumo O caminho da sustentabilidade Termos recorrentes em debates e pesquisas, na mídia e no mundo dos negócios da atualidade, como sustentabilidade, desenvolvimento sustentável, responsabilidade empresarial

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE

PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE PROJETO FAZENDO ESCOLA: UMA EXPERIÊNCIA DO ORIENTADOR NO COMPROMISSO DA CAPACITAÇÃO DOCENTE Sérgio Dal-Ri Moreira Pontifícia Universidade Católica do Paraná Palavras-chave: Educação Física, Educação, Escola,

Leia mais

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE.

Resumo. Introdução. Grupo de pesquisadores da rede municipal de ensino da cidade do Recife PE. TRABALHO DOCENTE: POR UMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL CRÍTICA, TRANSFORMADORA E EMANCIPATÓRIA OLIVEIRA, Marinalva Luiz de Prefeitura da Cidade do Recife GT-22: Educação Ambiental Resumo Este trabalho tem o objetivo

Leia mais

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA

UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA UNIDADE II METODOLOGIA DO FORMAÇÃO PELA ESCOLA Quando focalizamos o termo a distância, a característica da não presencialidade dos sujeitos, num mesmo espaço físico e ao mesmo tempo, coloca se como um

Leia mais

Objetivos Metodologia

Objetivos Metodologia O Sistema de Gestão Ambiental como impulsor da Educação Ambiental: um estudo de caso em uma empresa do Polo Industrial de Manaus PIM a partir da percepção de seus colaboradores Ádria de Azevedo Araújo,

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO

UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO UMA PROPOSTA DE DRAMATIZAÇÃO PARA ABORDAGEM DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS NO ENSINO MÉDIO SOUZA, Caio Henrique Bueno de 1 RODRIGUES, Davi 2 SANTOS, Edna Silva 3 PIRES, Fábio José 4 OLIVEIRA, Jully Gabriela

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB

O PAPEL DA AGÊNCIA DE JORNALISMO DA UEPG NO FOMENTO À PRODUÇÃO DE NOTÍCIAS INSTITUCIONAIS NA WEB 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA O PAPEL DA

Leia mais

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas

Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Capítulo 18 Gerenciamento da comunicação de massa: propaganda, promoção de vendas, eventos e relações públicas Copyright 2006 by Pearson Education Questões abordadas no capítulo Quais são as etapas envolvidas

Leia mais

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL

NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL NOTÍCIA INSTITUCIONAL: IMAGEM INSTITUCIONAL RESUMO Caroline Ferreira 1 O objetivo deste artigo é falar sobre Noticia institucional e o interesse cada vez maior das empresas em cuidar da sua imagem institucional.

Leia mais

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO

ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO ATIVIDADE DE NEGOCIÇÃO A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO NA NEGOCIAÇÃO RIO BRANCO- ACRE 2013 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 1- A IMPORTÂNCIA DA COMUNICAÇÃO...4 2- COMUNICAÇÃO E NEGOCIAÇÃO...6 2.1 Os quatros conceitos

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA ESTRATÉGIA NA INTEGRAÇÃO DAS AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Revista Ceciliana Jun 5(1): 1-6, 2013 ISSN 2175-7224 - 2013/2014 - Universidade Santa Cecília Disponível online em http://www.unisanta.br/revistaceciliana EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO EMPRESARIAL: UMA

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008

A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social. Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 A Importância de Parcerias Estratégicas para a Transformação Social Ilda Ribeiro Peliz Setembro 2008 Responsabilidade Social O conceito da RSA não está mais entre as quatro paredes dos escritórios. A sociedade

Leia mais

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br.

18/06/2009. Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br. Marketing Ambiental Quando cuidar do meio-ambiente é um bom negócio. O que temos visto e ouvido falar das empresas ou associado a elas? Blog: www.tudibao.com.br E-mail: silvia@tudibao.com.br 2 3 Sílvia

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais

04 Despertar a ideologia sócio-econômicaambiental na população global, Mobilização política para os desafios ambientais TRATADO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA SOCIEDADES SUSTENTÁVEIS E RESPONSABILIDADE GLOBAL CIRCULO DE ESTUDOS IPOG - INSTITUTO DE PÓSGRADUAÇÃO MBA AUDITORIA, PERÍCIA E GA 2011 Princípios Desafios Sugestões 01

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda

Diretrizes Curriculares ENADE 2012. Curso de: Publicidade e Propaganda Diretrizes Curriculares ENADE 2012 Curso de: Publicidade e Propaganda MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA MEC Nº207 DE 22 DE JUNHO DE

Leia mais

JUQUERIQUERÊ. Palavras-chave Rios, recursos hídricos, meio-ambiente, poluição, questão indígena.

JUQUERIQUERÊ. Palavras-chave Rios, recursos hídricos, meio-ambiente, poluição, questão indígena. JUQUERIQUERÊ Resumo Neste breve documentário, um índio faz uma retrospectiva de como ele vivia na região do Rio Juqueriquerê, localizada no litoral norte do Estado de São Paulo. Em seu relato, compara

Leia mais

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em

A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões. O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em Propaganda Eleitoral 6.05.200 A. Introdução A intenção é introduzir o tema para instigar a troca de opiniões O Partido acumula boas experiências a partir do debate iniciado em + - 998 O tema esquentou

Leia mais

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE)

O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) O que é o Plano de Mobilização Social Pela Educação (PMSE) É o chamado do Ministério da Educação (MEC) à sociedade para o trabalho voluntário de mobilização das famílias e da comunidade pela melhoria da

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA Função no Projeto: Contratação de consultoria especializada para desenvolver e implementar estratégias de impacto e sustentabilidade da Campanha Coração Azul no

Leia mais

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986

CARTA DE OTTAWA. PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 CARTA DE OTTAWA PRIMEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE PROMOÇÃO DA SAÚDE Ottawa, novembro de 1986 A Primeira Conferência Internacional sobre Promoção da Saúde, realizada em Ottawa, Canadá, em novembro

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1

A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 A Comunicação Organizacional e a Mídia o papel dos meios de comunicação na construção da imagem empresarial para o público externo 1 Bárbara Fernandes Valente da Cunha 2 * Palavras-chaves: Comunicação

Leia mais

Passar o bastão - Desenvolver parcerias

Passar o bastão - Desenvolver parcerias CAPÍTULO VI CONSTRUINDO A VISÃO DA QUALIDADE TOTAL... não fui desobediente à visão celestial Apóstolo Paulo Como já vimos anteriormente, as empresas vivem num cenário de grandes desafios. A concorrência,

Leia mais

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE

REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE REGULAMENTO PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE Os Amigos do Cáster em parceria com a Câmara Municipal de Ovar criam o PRÉMIO PRESTÍGIO DE SUSTENTABILIDADE, inserido no âmbito do Programa Integrado de

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL

PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL PLANEJAMENTO DE MÍDIA DIGITAL Prof. a Fabiana Baraldi - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa

Meio Ambiente PROJETOS CULTURAIS. 4 0 a O - fu dame tal. Cuidar da vida também é coisa de criança. Justificativa Meio Ambiente 4 0 a O - fu dame tal Cuidar da vida também é coisa de criança Justificativa PROJETOS CULTURAIS Na idade escolar, as crianças estão conhecendo o mundo (Freire, 1992), sentindo, observando,

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão, de uso gratuito, que visa apoiar

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional

PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional PROJETO: PRESERVANDO A ÁGUA DA TERRA Colégio Intentus/Yara Country Clube/Itaipu Binacional 1. Justificativa A inovação e a transformação começam pelo processo educacional, que vai além do aprendizado formal

Leia mais

Campanha ONG Animais 1

Campanha ONG Animais 1 Campanha ONG Animais 1 Bruna CARVALHO 2 Carlos VALÉRIO 3 Mayara BARBOSA 4 Rafaela ALVES 5 Renan MADEIRA 6 Romulo SOUZA 7 Marcelo PRADA 8 Paulo César D ELBOUX 9 Faculdade Anhanguera Santa Bárbara, Santa

Leia mais

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL

A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL A PRÁTICA DE ENSINO EM QUÍMICA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SUSTENTABILIDADE COMO TEMA TRANSVERSAL Ana Maria G. D. MENDONÇA 1, Darling L. PEREIRA 2,,José J. MENDONÇA 3, Aluska M. C. RAMOS 4 Maria S. B. DUARTE

Leia mais

Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010

Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010 Ações de Comunicação Realizadas pelo Ministério da Saúde de 2007 a 2010 O período entre 2007 e 2010 foi de grande desafio para a comunicação. Além de inovar em campanhas tradicionais do setor, como amamentação,

Leia mais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais

Situando o uso da mídia em contextos educacionais Situando o uso da mídia em contextos educacionais Maria Cecília Martinsi Dentre os pressupostos educacionais relevantes para a época atual, considera-se que as múltiplas dimensões do ser humano - intelectual,

Leia mais

Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios

Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios 97 Lição 5 Instrumentos de Divulgação dos Correios Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: Associar os instrumentos de divulgação utilizados nos Correios às suas respectivas características.

Leia mais

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas:

Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas Resultados das pesquisas: Governo lança campanha de prevenção dos riscos do consumo de bebidas alcoólicas O Ministério da Saúde lançou, nesta sexta-feira (10) no Rio de Janeiro (RJ), uma campanha publicitária alertando sobre os

Leia mais

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais.

Unidade de Projetos. Grupo Temático de Comunicação e Imagem. Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais. Unidade de Projetos de Termo de Referência para desenvolvimento da gestão de Marcas Setoriais Branding Agosto de 2009 Elaborado em: 3/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil Versão: 09 Pág: 1 / 8 LÍDER DO GRUPO

Leia mais

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003

Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC SALVADOR MAIO/2003 Secretaria Municipal da Educação e Cultura - SMEC ATRIBUIÇÕES DOS GESTORES ESCOLARES DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE ENSINO VERSÃO PRELIMINAR SALVADOR MAIO/2003 Dr. ANTÔNIO JOSÉ IMBASSAHY DA SILVA Prefeito

Leia mais

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX

Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Lei N X.XXX de XX de XXXXX de XXX Dispõe sobre a Educação Ambiental, institui a Política Estadual de Educação Ambiental e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: FAÇO SABER

Leia mais

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS

PERFIL DA VAGA: GERENTE DE CONTEÚDOS E METODOLOGIAS O Instituto Akatu é uma organização não governamental sem fins lucrativos que trabalha pela conscientização e mobilização da sociedade para o Consumo Consciente. PERFIL DA VAGA: PERFIL GERAL DA FUNÇÃO

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Campanha "Está Provado por A+B arma não é brinquedo"

Campanha Está Provado por A+B arma não é brinquedo Campanha "Está Provado por A+B arma não é brinquedo" Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: "Participo do

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha

Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação da Campanha XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil Divulgação do novo telefone da Central de Atendimento da Cemig: Análise da divulgação

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA

A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 A REAÇÃO DO JOVEM MARINGAENSE FRENTE ÀS PROPAGANDAS QUE INCENTIVAM A PRÁTICA ESPORTIVA ATRAVÉS DA MÍDIA Ivania Skura 1, Julia Cristina Paixão 2, Joaquim

Leia mais

Projeto Escola com Celular

Projeto Escola com Celular Projeto Escola com Celular Rede Social de Sustentabilidade Autores: Beatriz Scavazza, Fernando Silva, Ghisleine Trigo, Luis Marcio Barbosa e Renata Simões 1 Resumo: O projeto ESCOLA COM CELULAR propõe

Leia mais

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda

introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda introdução a publicidade & propaganda Aula 3- Funções e Conceitos de publicidade e propaganda professor Rafael Ho mann Setores envolvidos Anunciante também conhecido como cliente, é a empresa, pessoa ou

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1

Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Campanha promocional Doutores da Alegria - Voluntáriado 1 Alexandre COELHO 2 Catarina CARVALHO 3 Danielle RIBEIRO 4 Leoni ROCHA 5 Paloma HADDAD 6 Professor/Orientador: Daniel CAMPOS 7 Universidade Fumec,

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO -

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - A estrutura a seguir foi desenvolvida com base no escopo da disciplina de Planejamento Estratégico de Comunicação,

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental

TRANSVERSALIDADE. 1 Educação Ambiental TRANSVERSALIDADE Os temas transversais contribuem para formação humanística, compreensão das relações sociais, através de situações de aprendizagens que envolvem a experiência do/a estudante, temas da

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

Atendimento. Item 4- Publicidade e Propaganda

Atendimento. Item 4- Publicidade e Propaganda Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda PUBLICIDADE X PROPAGANDA PUBLICIDADE Deriva de público (latim: publicus) Atendimento Item 4- Publicidade e Propaganda

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal

Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal Regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal A Fundação Escola Nacional de Administração Pública (Enap) torna público o regulamento do 20º Concurso Inovação na Gestão Pública Federal.

Leia mais