Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL"

Transcrição

1 Educador: Luciola Santos C. Curricular: História Data: / /2013 Estudante: 7 Ano Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL 7º Ano Cap 1e 2 Feudalismo e Francos Cap 6 Mudanças no feudalismo Cap 7 Fortalecimento dos reis nas monarquias européias Cap 10 As Grandes Navegações Cap 8 Renascimento e Humanismo Cap 9 Reforma e Contra-Reforma RELIGIÃO Na Idade Média, a Igreja Católica dominava o cenário religioso. Detentora do poder espiritual, a Igreja influenciava o modo de pensar, a psicologia e as formas de comportamento na Idade Média. A igreja também tinha grande poder econômico, pois possuía terras em grande quantidade e até mesmo com servos trabalhando. Questão 01 Quais as características que tornaram a Igreja Católica a instituição mais poderosa da Idade Média? Questão 02 Por que o colonato e o comitatus foram importantes para a formação da sociedade medieval?

2 Questão 03 No quadro abaixo as características do CLERO E A NOBREZA. CLERO NOBREZA Questão 04 Sabemos que a Igreja Católica foi a mais importante instituição do período medieval. Sendo assim, Carlos Magno percebeu a importância da aliança entre o Rei Franco e o Papado. Por que essa aliança foi tão importante? Questão 05 Sabe-se que a Igreja Católica foi a instituição que conseguiu num momento de grandes conflitos, manter a unicidade da Europa. Sabe-se também que a Igreja Católica para manter sua organização aperfeiçoou sua hierarquia em cargos diferentes. Que cargos eram esses e quais eram suas principais características?

3 Questão 06 Explique os cinco principais motivos para a ocorrência das cruzadas? Questão 07 O movimento das cruzadas foi bom e ruim ao mesmo tempo para os cristãos. Os cruzadistas não conseguiram seu objetivo principal, mas saíram ganhando muito em outras situações. Responda: que objetivo principal não foi atingido, e que outros ganhos os cruzadistas tiveram? Questão 08 No período que sucede o feudalismo, instaura-se na Europa um momento de grandes modificações, entre elas a principal foi a ligação entre Rei e Burguesia. Como o Rei auxiliava a Burguesia e como a Burguesia auxiliava o Rei?

4 Questão 09 Explique as duas atitudes principais dos Reis para fortalecer seu poder no Estado Absolutista? Questão 10 A DIFÍCIL VIDA NO MAR A dieta dos portugueses em alto mar era primordialmente de goiabada e biscoito, pois a carne levada pelos navegadores acabava muito antes do que eles imaginassem. Afinal as viagens duravam muitos meses e até anos. Os portugueses durante as viagens morriam de muitos problemas de saúde devido às más condições dos navios. Se fôssemos navegadores nem a recompensa seria doce, pois a maioria dos pagamentos era feito em especiarias, principalmente em pimenta. Pedro Álvares Cabral, sozinho. Recebeu 58 carregamentos, nesse caso a pimenta nos olhos desse navegador foi refresco! a) Qual foi a maior barreira a ser rompida pelos navegadores portugueses? b) Em busca de quê estavam os portugueses?

5 Questão 11 Preencha o quadro abaixo colocando os principais valores renascentistas em comparação aos valores medievais: O tempo pertence a Deus. É pecado emprestar dinheiro a juros. A fé é mais importante que a razão. Todas as pessoas consideravam-se membros da cristandade. Deus está no centro das atenções. O corpo é fonte de pecado. Questão 12 A Europa passou por um movimento político religioso de extrema grandeza. Esse período foi marcado por revoluções que se denominaram Reforma e Contra-Reforma. Seu trabalho é dizer qual a diferença entre Reforma e Contra-Reforma: Questão 13 Sobre Calvino e Lutero complete o quadro abaixo colocando as principais idéias de suas doutrinas: CALVINISMO LUTERANISMO

6 Questão 14 ABSOLUTISMO OU ANTIGO REGIME A partir do século XVII, até a Revolução Francesa (1789) e mesmo entrando no século XIX (a Restauração de ), vigorou na Europa o regime político denominado Absolutismo. Foi o ponto de chegada de um processo iniciado na Idade Média e que representou a derrota da nobreza pela monarquia e a afirmação do soberano (Rei) e do Estado nacional. Isso foi possível pelo cansaço das guerras de religião, pela riqueza provinda das novas descobertas e o apoio da burguesia.o Absolutismo foi o regime da centralização: os soberanos passaram a concentrar todos os poderes, ficando os cidadãos excluídos de qualquer participação e controle na vida pública. A base social do Absolutismo era o privilégio: honras, riquezas e poderes eram reservados a um pequeno grupo de pessoas. Vários países passaram pelo processo de centralização do poder, entre eles: Espanha, França, Portugal e Inglaterra. Coloque no quadro abaixo as principais características mercantilistas de centralização de cada um desses 4 países. Espanha França Inglaterra Portugal A coisa mais indispensável a um homem é reconhecer o uso que deve fazer do seu próprio conhecimento. Platão

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL 6 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP UNIDADE DE ESTUDO 06 OBJETIVOS - Localizar, na História, a Idade Média;

Leia mais

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza O MUNDO MEDIEVAL Prof a. Maria Fernanda Scelza Antecedentes Crises políticas no Império Romano desgaste; Colapso do sistema escravista; Problemas econômicos: aumento de impostos, inflação, descontentamento;

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE MOVIMENTO DE CONTESTAÇÃO AOS DOGMAS DA IGREJA CATÓLICA, APÓS SÉCULOS DE FORTE PODER INFLUÊNCIA NA EUROPA.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO HISTÓRIA FUNDAMENTAL 9 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP FINALIDADE: Estudar dois movimentos ocorridos na Europa no início dos tempos

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO.

AS QUESTÕES OBRIGATORIAMENTE DEVEM SER ENTREGUES EM UMA FOLHA À PARTE COM ESTA EM ANEXO. ENSINO MÉDIO Conteúdos da 1ª Série 1º/2º Bimestre 2014 Trabalho de Dependência Nome: N. o : Turma: Professor(a): Yann/Lamarão Data: / /2014 Unidade: Cascadura Mananciais Méier Taquara História Resultado

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

Reformas Religiosas Monique Bilk

Reformas Religiosas Monique Bilk Reformas Religiosas Monique Bilk Contexto Início da Idade Moderna O Renascimento estimula a crítica e o livre-pensar A burguesia tem projetos que esbarram nos obstáculos que a Igreja coloca... (doutrina

Leia mais

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL

VERIFICAÇÃO GLOBAL 4 HISTÓRIA 2ª ETAPA 7 a SÉRIE OLÍMPICA ENSINO FUNDAMENTAL 1. Analise os quesitos a seguir e assinale, nos itens I e II, a única opção correta: (1,0 ponto) I. Observe a tirinha do Hagar e o texto de Alberto Caeiro: Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros REFORMA E CONTRARREFORMA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros INTRODUÇÃO A Reforma Religiosa e o Renascimento ocorreram na mesma época e expressam a grande renovação de ideias

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA SURGIMENTO DO MUNDO MODERNO

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA SURGIMENTO DO MUNDO MODERNO EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA SURGIMENTO DO MUNDO MODERNO 01) O Estado moderno, que representou o fim das concepções políticas medievais, encontrou vários teóricos. Entre eles merecem destaque Maquiavel,

Leia mais

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS França e Inglaterra Contexto: Cruzadas O Poder Real Ganha Força Burguesia Renascimentos Comercial e Urbano Aliança Rei-Burguesia versus Senhores Feudais e Igreja Os senhores

Leia mais

SIMULADO 4 JORNAL EXTRA ESCOLAS TÉCNICAS HISTÓRIA

SIMULADO 4 JORNAL EXTRA ESCOLAS TÉCNICAS HISTÓRIA SIMULADO 4 JORNAL EXTRA ESCOLAS TÉCNICAS HISTÓRIA QUESTÃO 01 De uma forma inteiramente inédita, os humanistas, entre os séculos XV e XVI, criaram uma nova forma de entender a realidade. Magia e ciência,

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL A CRISE DO SISTEMA FEUDAL O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA FEUDAL NA EUROPA OCIDENTAL O apogeu do feudalismo ocorre entre os séculos IX e XIII; 4. CAUSAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO FEUDALISMO Fim das invasões

Leia mais

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder 1- Unificação dos Estados Nacionais Centralização do poder 1.1- Nobreza classe dominante Isenção de impostos; Ocupação de cargos públicos; Altos cargos no exército. 1- Conceito: Sistema de governo que

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

Lista de Exercício de História - 1ª Série do Ensino Médio/ II trim

Lista de Exercício de História - 1ª Série do Ensino Médio/ II trim Lista de Exercício de História - 1ª Série do Ensino Médio/ II trim 1. Qual das alternativas abaixo apresenta características do Renascimento Cultural? A - Teocentrismo; valorização da cultura egípcia;

Leia mais

História_A. Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19

História_A. Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19 História_A Trabalho Realizado por: Patrícia Santo 10ºHLH Nº19 O tema fucal deste trabalho é a Reforma protestante, onde irei abordar os seguintes subtópicos: Os motivos que levaram ao surgimento desta

Leia mais

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV)

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV) 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social: burguesia; formação

Leia mais

Feudalismo Europa Ocidental

Feudalismo Europa Ocidental IDADE MÉDIA Feudalismo Europa Ocidental No que diz respeito a Europa Ocidental, podemos afirmar que a Idade Média assistiu à formação do feudalismo, que nasceu em meio a desagregação do Império Romano

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

A Revolução Puritana

A Revolução Puritana A Revolução Puritana O que foi a Revolução Puritana A Revolução Puritana, ocorrida na Inglaterra entre 1641 e 1649, originou pela primeira vez a constituição de uma República (1649-1658) em solo inglês.

Leia mais

FEUDALISMO PROF. OTTO TERRA

FEUDALISMO PROF. OTTO TERRA FEUDALISMO DIVISÃO HISTÓRICA ALTA IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA Inicia-se no século V até o século X; Inicia-se no século XI até o século XV; Acentua-se as principais características do feudalismo; Apresenta

Leia mais

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude.

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Os Estados Nacionais Modernos e o Absolutismo Monárquico Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Quanto aos reis,

Leia mais

História da Educação. Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365

História da Educação. Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365 História da Educação Fernando Santiago dos Santos fernandoss@cefetsp.br www.fernandosantiago.com.br (13) 9141-2155 8822-5365 Aula 2 A Educação na Idade Moderna 1. As ideias renascentistas na Educação 2.

Leia mais

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime A formação do Absolutismo Inglês Medieval Territórios divididos em condados (shires) e administrados por sheriffs (agentes reais) submetidos ao poder

Leia mais

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 )

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 ) Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON -Após a derrota de Napoleão Bonaparte, restaurou-se a Dinastia Bourbon subiu ao trono o rei Luís XVIII DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS

Leia mais

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO CONTEXTO No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessa

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado)

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado) 1. (Fgv 2014) O paradoxo aparente do absolutismo na Europa ocidental era que ele representava fundamentalmente um aparelho de proteção da propriedade dos privilégios aristocráticos, embora, ao mesmo tempo,

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

Reformas religiosas Reforma protestante

Reformas religiosas Reforma protestante Reformas religiosas Reforma protestante Durante a Idade Média, o poder tanto político quanto econômico estava nas mãos da Igreja Católica. Contrariando alguns ensinamentos do cristianismo tradicional,

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão

A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1. Profª Viviane Jordão A formação dos Estados Nacionais M3_Unid.1 Profª Viviane Jordão O que é Nação? Nação é um contrato político. Os integrantes de uma nação compartilham os mesmos direitos e uma mesma história. Ser brasileiro

Leia mais

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo

Aprimoramento 3. parte 2. Prof. Osvaldo Aprimoramento 3 parte 2 Prof. Osvaldo 03. (UFPR) Leia os seguintes excertos da Magna Carta inglesa de 1215. 12 Nenhum imposto ou pedido será estabelecido no nosso reino sem o consenso geral. [...] que

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo Aula 14 - Feudalismo Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo DeOlhoNoEnem H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura. (A boa e a má Idade Média).

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

PROVA DO MESTRADO FILOSOFIA, TEORIA E HISTÓRIA DO DIREITO. Metáfora das cores: Negro (clero), Vermelho (militar, napoleônico), Azul (nobreza).

PROVA DO MESTRADO FILOSOFIA, TEORIA E HISTÓRIA DO DIREITO. Metáfora das cores: Negro (clero), Vermelho (militar, napoleônico), Azul (nobreza). PROVA DO MESTRADO FILOSOFIA, TEORIA E HISTÓRIA DO DIREITO QUESTÃO 1: Sob a perspectiva de Julien Sorel, de que maneira se relacionam os sistemas jurídicos que Stendhal, metaforicamente, associou aos negros,

Leia mais

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9

Os Legados da Reforma Protestante. Sobre o Indivíduo 2/9 Os Legados da Reforma Protestante Sobre o Indivíduo 2/9 Criado por Pedro Siena Neto em 03/2015 O legado da reforma sobre o indivíduo o trabalho a comunidade a intervenção divina a educação a economia o

Leia mais

HISTÓRIA 7ºano 2º Trimestre / 2015 BATERIA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES

HISTÓRIA 7ºano 2º Trimestre / 2015 BATERIA DE EXERCÍCIOS COMPLEMENTARES Capítulo 6 RENASCIMENTO CULTURAL 1. O Renascimento surgiu primeiro na região onde hoje é a Itália. Sobre as razões para que o movimento renascentista europeu se iniciasse na Península Itálica afirmamos

Leia mais

Renascimento Cultural

Renascimento Cultural Renascimento Cultural Conceito: O Renascimento foi um movimento importante, de renovação cultural e artística que se originou na Itália no séc. XIV e marcou a mudança da idade Média para a idade Moderna.

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. Ano: 7º Turma: 7.1

COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE. Programa de Recuperação Paralela. 2ª Etapa 2014. Ano: 7º Turma: 7.1 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: HISTORIA Professor (a): RODRIGO CUNHA Ano: 7º Turma: 7.1 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo

História. baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo História baseado nos Padrões Curriculares do Estado de São Paulo 1 PROPOSTA CURRICULAR DA DISCIPLINA DE HISTÓRIA Middle e High School 2 6 th Grade A vida na Grécia antiga: sociedade, vida cotidiana, mitos,

Leia mais

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista?

As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? As Grandes navegações: a conquista da América e do Brasil. Descobrimento ou Conquista? Navegar era preciso, era Navegar era preciso navegar... Por quê? O que motivou o expansionismo marítimo no século

Leia mais

História da Educação. Pedagogia. - Período colonial brasileiro. Professor Edson Fasano

História da Educação. Pedagogia. - Período colonial brasileiro. Professor Edson Fasano Pedagogia Professor Edson Fasano História da Educação O Brasil cresceu isolado do mundo, apenas convivendo com aquele pobre e retrógrado Portugal que não permitiu a criação de um sistema escolar de ensino

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- 1. Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto.

Valores eternos. MATÉRIA PROFESSOR(A) ---- ---- 1. Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras em destaque no texto. Valores eternos. TD Recuperação ALUNO(A) MATÉRIA História PROFESSOR(A) Magela ANO SEMESTRE DATA 7º 1º Julho/2013 TOTAL DE ESCORES ESCORES OBTIDOS ---- ---- 1. Procure e marque, no diagrama de letras, as

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 1

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 1 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 1 Nome: Data: Unidade 1 Recomendação ao aluno: Utilizar lápis de cor. 1. A fixação dos germânicos nas terras do Império Romano ocorreu em duas fases. Ligue

Leia mais

Apostila de História. Enem no Belém. Nome:

Apostila de História. Enem no Belém. Nome: Apostila de História Enem no Belém Nome: 2015 Do Feudalismo ao Capitalismo Por volta do século XII, com a desintegração do feudalismo, começa a surgir um novo sistema econômico, social e politico. Denominado

Leia mais

As descobertas do século XV

As descobertas do século XV As descobertas do século XV Expansãomarítima: Alargamento do espaço português procurando terras noutros continentes através do mar; O acontecimento que marca o início da expansão portuguesaéaconquistadeceutaem1415;

Leia mais

EXPANSÃO MARÍTIMA REFORMA RELIGIOSA RENASCIMENTO. Expansão Marítima

EXPANSÃO MARÍTIMA REFORMA RELIGIOSA RENASCIMENTO. Expansão Marítima EXPANSÃO MARÍTIMA REFORMA RELIGIOSA RENASCIMENTO Expansão Marítima Muitas expedições europeias não retornavam. Isto alimentava o imaginário dos europeus de que o oceano estaria repleto de criaturas místicas,

Leia mais

Revolução Inglesa. Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia.

Revolução Inglesa. Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia. Revolução Inglesa Guilherme I foi o primeiro rei da Inglaterra e da Normandia. Após seu governo, em 1215, a Inglaterra publicou a primeira Carta Magna, que previa a formação de um Parlamento que possuía

Leia mais

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense.

A Revolução Inglesa. Autor: Jose Jobson de Andrade Arruda. Editora: Brasiliense. Objetivos: - ANALISAR as relações entre a Monarquia inglesa e o Parlamento durante a Dinastia Stuart. - IDENTIICAR as principais etapas do processo revolucionário inglês. - INERIR o amplo alcance das lutas

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq Introdução a análise Histórica Feudalismo Fernando Del pozzo hjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxc

Leia mais

HUMANISMO 1434-1527. Gil Vicente

HUMANISMO 1434-1527. Gil Vicente HUMANISMO 1434-1527 Gil Vicente HUMANISMO É UMA ÉPOCA DE TRANSIÇÃO DA IDADE MÉDIA PARA O RENASCIMENTO. CONTEXTO HISTÓRICO (SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIV) FEUDALISMO ENTRA EM DECLÍNIO CRESCIMENTO DO COMÉRCIO

Leia mais

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA

COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA COLÉGIO MARISTA DE BRASÍLIA Educação Infantil e Ensino Fundamental Aluno(a): 8º Ano: Nº Professor(a): Data: / / Componente Curricular: HISTÓRIA 2011/HIST8ANOEXE2-PARC-1ºTRI-I AVALIAÇÃO PARCIAL 1º TRIMESTRE

Leia mais

Renascimento Cultural

Renascimento Cultural Renascimento Cultural Séculos XIV ao XVII Prof. Dieikson de Carvalho Renascimento Cultural Contexto histórico Transição da Idade Média para Idade Moderna. Século XIV ao XVII. Resultado do Renascimento

Leia mais

Aula 24 Reforma e contrarreforma

Aula 24 Reforma e contrarreforma FB MED, M3, 3 ANO e ANUAL. Aula 24 Reforma e contrarreforma DeOlhoNoEnem H3 - Associar as manifestações culturais do presente aos seus processos históricos.(análise das diversas práticas protestantes)

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015

Reforma Religiosa. Contra-Reforma. Crise da Igreja no séc. XVI. Crise da Igreja no séc. XVI. O Movimento Reformista - Início 30/01/2015 Crise da Igreja no séc. XVI Reforma Religiosa e Contra-Reforma Muitos Humanistas criticaram a Igreja de então devido ao comportamento dos seus membros: Os Papas estavam mais interessados no luxo e no seu

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Sugestão de Atividade / História / 6ª Série (7º Ano)

Sugestão de Atividade / História / 6ª Série (7º Ano) Sugestão de Atividade / História / 6ª Série (7º Ano) COMPONENTE CURRICULAR: História SÉRIE/ANO: 6ª SÉRIE (7º Ano) INTERDISCIPLINARIDADE: Artes CONTEÚDO: Renascimento Cultural Eixo Temático I de Artes:

Leia mais

Prof.: Thiago Oliveira

Prof.: Thiago Oliveira Prof.: Thiago Oliveira O Renascimento foi um conjunto de transformações (Sociais, Econômicas, Políticas, Religiosas, Científicas e Artísticas) ocorridas na Europa a partir do Séc. XI, tendo seu auge durante

Leia mais

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma Ano Lectivo 2010/2011 HISTÓRIA Agrupamento de Escolas de Fronteira Escola Básica Integrada Frei Manuel Cardoso 8º Ano Apresentação nº 10 Renascimento e Reforma Reformas Religiosas: Reforma e Contra-Reforma

Leia mais

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO

CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO CURSO E COLÉGIO ESPECÍFICO MAX WEBER é a ÉTICA PROTESTANTE Disciplina: Sociologia Professor: Waldenir 2013 A Importância da teoria sociológica de Max Weber A obra do sociólogo alemão Max Weber para análise

Leia mais

Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio. Plano de Trabalho Docente PTD 2014

Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio. Plano de Trabalho Docente PTD 2014 Colégio Estadual João Ferreira Neves Ensino Fundamental e Médio Plano de Trabalho Docente PTD 2014 Professora: Marcela Szymanski Disciplina: História Série: 7º B, E 1º Trimestre. Conteúdo Estruturante

Leia mais

ELEMENTOS ROMANOS ELEMENTOS GERMÂNICOS

ELEMENTOS ROMANOS ELEMENTOS GERMÂNICOS A decadência do Império Romano, a conquista final de Roma e a formação dos reinos bárbaros deram início a um lento processo de grandes transformações na vida européia. Transformações que determinaram os

Leia mais

TEMPO SAGRADO TEMPO PROFANO

TEMPO SAGRADO TEMPO PROFANO OBJETIVOS 1 VINCULAR O INÍCIO DO PROCESSO DE SURGIMENTO DA SOCIEDADE CAPITALISTA ÀS TRANSFORMAÇÕES ECONÔMICAS E AO DESENVOLVIMENTO FINANCEIRO OCORRIDOS A PARTIR DO FINAL DA IDADE MÉDIA. 2 COMPREENDER A

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2º Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

TRANSIÇÃO DA ANTIGUIDADE PARA A IDADE MÉDIA NA EUROPA

TRANSIÇÃO DA ANTIGUIDADE PARA A IDADE MÉDIA NA EUROPA TRANSIÇÃO DA ANTIGUIDADE PARA A IDADE MÉDIA NA EUROPA O processo de transição Fim do Império Romano do Ocidente: diversos fatores; Cultura dos povos bárbaros + cultura dos povos romanos = base para as

Leia mais

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução:

Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Revolução Inglesa (séc XVII) Introdução: Na história antiga havia o último grande império, o Império Romano, que teve seu apogeu no século I, momento em que viveu sua extensão máxima, tal que ocupou o

Leia mais

REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA

REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA NOME: ANO: 8º TURMA: ENS. FUND. II DATA: / /2014 PROF.: Ariany Galvão ATIVIDADE COMPLEMENTAR História (2º BIMESTRE) REVOLUÇÃO INGLESA: PURITANA E GLORIOSA UMA INTRODUÇÃO A Revolução Inglesa do século XVII

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

Prof. Alexandre Goicochea História

Prof. Alexandre Goicochea História FRANCO Merovíngia Carolíngio ISLÂMICO Maomé Xiitas (alcorão) e Sunitas (suna e alcorão) BIZÂNTINO Justiniano Igreja Santa Sofia Iconoclastia Monoticismo (Jesus Cristo só espírito) Corpus Juris Civilis

Leia mais

Disciplina: HISTÓRIA Professor (a):rodrigo CUNHA Ano: 7º Turmas: 7.1 e 7.2

Disciplina: HISTÓRIA Professor (a):rodrigo CUNHA Ano: 7º Turmas: 7.1 e 7.2 Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver.

A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. A Igreja é uma santa sociedade cristã para santa comunhão ordinária e ajuda mútua no culto público a Deus e no santo viver. Richard Baxter Contexto: Os puritanos surgiram para apoiar e desejar a reforma

Leia mais

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII

HISTÓRIA. SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII HISTÓRIA SEGUNDA SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Profº Msc. Givaldo Santos de Jesus REVOLUÇÕES INGLESAS DO SÉCULO XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII 1 - A Inglaterra no Início do Século XVII - A Dinastia

Leia mais

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 94) Num panfleto publicado em 1789, um dos líderes da Revolução Francesa afirmava: "Devemos formular três perguntas: - O que é Terceiro Estado? Tudo. - O que tem ele sido em nosso sistema político?

Leia mais

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso CNPJ: 13.911.052/0001-61 e Inscrição Municipal

Leia mais

CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI)

CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI) CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI) 1) Servidão 1.1. O que é servidão? * Trabalho forçado em troca de acesso à terra e proteção * É o status social do camponês no feudalismo * Camponês

Leia mais

a. Na Idade Média, a principal riqueza que um homem poderia possuir era a terra. No texto, identifique

a. Na Idade Média, a principal riqueza que um homem poderia possuir era a terra. No texto, identifique Atividade extra Vivendo a vida do seu jeito Questão 1 A agricultura para consumo era, no feudalismo, a atividade principal. O comércio, muito reduzido. As terras não tinham valor de troca, de mercado,

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

Aula 4 - Teorias políticas da Idade Média. (Santo Agostinho e São Tomás de Aquino) Cap 23, pag 292 a 295 (Itens 7 a 10)

Aula 4 - Teorias políticas da Idade Média. (Santo Agostinho e São Tomás de Aquino) Cap 23, pag 292 a 295 (Itens 7 a 10) Aula 4 - Teorias políticas da Idade Média (Santo Agostinho e São Tomás de Aquino) Cap 23, pag 292 a 295 (Itens 7 a 10) Aula 04 Teorias políticas da Idade Média O b j e t i v o s : - Entender a evolução

Leia mais

ALTA IDADE MÉDIA 1. FORMAÇÃO DOS REINOS CRISTÃOS-BÁRBAROS

ALTA IDADE MÉDIA 1. FORMAÇÃO DOS REINOS CRISTÃOS-BÁRBAROS ALTA IDADE MÉDIA É costume dividir o período medieval em duas grandes fases: a Alta Idade Média, que se estende do século V ao século XI e a Baixa Idade Média, do século XII ao século XV. A primeira fase

Leia mais

Associação Juinense de Educação Superior do Vale do Juruena Faculdade de Ciências Contábeis e Administração do Vale do Juruena

Associação Juinense de Educação Superior do Vale do Juruena Faculdade de Ciências Contábeis e Administração do Vale do Juruena Associação Juinense de Educação Superior do Vale do Juruena Faculdade de Ciências Contábeis e Administração do Vale do Juruena Curso: Especialização em Psicopedagogia Módulo: Noções Fundamentais de Direito

Leia mais

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia

Nome: nº. Recuperação Final de História Profª Patrícia 1 Conteúdos selecionados: Nome: nº Recuperação Final de História Profª Patrícia Lista de atividades 8º ano Apostila 1: O Absolutismo; Revoluções Inglesas e colonização da América do Norte Apostila 2: Revolução

Leia mais

REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI.

REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI. REFORMAS RELIGIOSAS SÉC XVI INTRODUÇÃO CONTEXTO: Transição feudo-capitalista. Crise do poder clerical na Europa Ocidental. Crise do pensamento teocêntrico europeu. DEFINIÇÃO Quebra do monopólio católico

Leia mais

Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013

Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013 Lista de Exercícios História MODERNA Profº. Bruno Nichel 06/05/2013 1. O Renascimento, amplo movimento artístico, literário e científico, expandiu-se da Península Itálica por quase toda a Europa, provocando

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS 1. EMENTA Análise das diferentes abordagens historiográficas acerca da transição das sociedades medievais européias ao capitalismo. Formação do Antigo Regime e surgimento do paradigma do homem moderno:

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 2 a. Série Data: / /2015 Professores: Gabriel e Marcelo Nota: (valor: 1,0) 3º bimestre de 2015 A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e

Leia mais

Divisão clássica da História da humanidade

Divisão clássica da História da humanidade 6. Idade Moderna Séc. XVII: A Química como Ciência Independente 1 Divisão clássica da História da humanidade História Moderna: entre o final do século XV - início das grandes navegações - conquista de

Leia mais

TEXTO BASE: Roma Antiga Império (27 a.c. 476)

TEXTO BASE: Roma Antiga Império (27 a.c. 476) TEXTO BASE: Roma Antiga Império (27 a.c. 476) Divide-se em duas fases: Alto Império (séc. I a.c. ao séc. III) Baixo Império (séc. III ao séc. V) ALTO IMPÉRIO O período do Alto Império Romano é caracterizado

Leia mais