REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O"

Transcrição

1 REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

2 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca o início da Idade Contemporânea ascensão da burguesia símbolo da liberdade. Influenciou os movimentos do séculos XVII e início do XIX na Europa e Américas.

3 Antigo Regime: regime político que caracterizou a maioria dos países europeus ao longo da Idade Moderna. Suas principais características foram: a) Absolutismo monárquico, fundado no direito divino dos reis. b) Mercantilismo, baseado na intervenção do Estado nas atividades privadas.

4 c)a divisão da sociedade em ORDENS ou ESTADOS. Sociedade no Antigo Regime Primeiro Estado clero. Segundo Estado - Rei e nobreza Terceiro Estado: burguesia e povo, grupo sans-culotte, isto é, a massa pauperizada do Terceiro Estado.

5 MODO PELO QUAL SE CHEGOU À REVOLUÇÃO Governos absolutistas e a nobreza desfrutava de privilégios Luís XVI fica insustentável boa parte da renda do país fica para a nobreza e clero. Palácio de Versalhes as festas e banquetes eram frequentes descontentamento na população que pagavam altos impostos guerras e dificuldades econômicas.

6 França era agrícola maior parte da população vivia na pobreza servidão feudal. Cidades burguesia composta de banqueiros, comerciantes e empresários trabalhadores urbanos, pequenos comerciantes e artesão (sansculottes / sem calções) camada inferior do Terceiro Estado.

7 No séc. XVIII a França deve concorrer com a Inglaterra a agricultura passa por crise no sistema produtivo alimentos escassos tensão era grande. A burguesia visava obter o poder político reivindicavam incentivos as atividades industriais. Defendiam: liberalismo econômico, criticavam a existência de monopólios comerciais e resquícios do feudalismo.

8 Rei assolado pelas dificuldades econômicas: aumentar os impostos (cofres vazios) participação do país na Guerra dos Sete Anos e a Guerra de Independência dos Estados Unidos. O clero e a nobreza deveriam pagar impostos. Convocação da Assembleia dos Estados Gerais reunião dos três Estados.

9 Terceiro Estado (burguesia) não aceita a votação por Estado e não por indivíduo reúnem separadamente e declaram-se em Assembleia Nacional Constituinte rei fecha o prédi9o inicia-se as manifestações populares com a queda da Bastilha estoura a Revolução.

10 A QUEDA DA BASTILHA Busca de armas invasão da Bastilha prisão de que contrariava o rei escritores, jornalistas na data da invasão estava quase vazia uma multidão aramada (artesão, populares e soldados). A Queda da Bastilha no dia 14 de julho de 1789 é importante caracteriza o início da Revolução.

11 3 A BURGUESIA À FRENTE Adeptos a Filosofia da Luzes reuniões políticas, nos jornais e nos panfletos. Lema: LIBERDADE, IGUALDADE E FRATERNIDADE uniram-se: burgueses, artesãos e camponeses. De início uma revolta palaciana. Do campo: invasões a castelos e assassinatos de nobres.

12 Capital: massas urbanas revolta contra as injustiças, saques a armazéns e depredações no campo temores aos nobres mas também aos burgueses. A Assembleia extinguiu os direitos feudais, aprova a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão: direito à liberdade e a igualdade de todos perante a lei.

13 1791 promulgação da Constituição francesa Monarquia Constitucional

14 TRABALHANDO COM O TEXTO 1) A liberdade, a propriedade, a segurança e a resistência à opressão. 2) O poder de fazer o que se quer desde que não prejudique outrem. 3) Liberdade, Igualdade e Fraternidade foram os princípios que nortearam o início da Revolução Francesa, o qual, em razão disso, foi chamado, por alguns historiadores, de fase romântica ou idealista. Esse lema também está presente na

15 Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, que estabelecia o princípio de que todos os indivíduos seriam considerados iguais perante a lei, teriam direito à propriedade privada e a resistir a opressão. 4) Resposta pessoal.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA MCC REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado-

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Me: Edson Fasano Sociedade Capitalista: REVOLUÇÃO FRANCESA A Organização da Aula 1º Bloco: Iluminismo e Independência dos EUA. 2º Bloco: - Antecedentes da Revolução Francesa.

Leia mais

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE

A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE Prof. Marcos Faber www.historialivre.com A sociedade francesa estava dividida em três Estados (clero, nobres e povo/burguesia). Sendo que o povo e a burguesia sustentavam,

Leia mais

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 A bandeira francesa - o azul representa o poder legislativo/liberdade (Liberté), branco o poder Executivo/Igualdade, (Égalité) e o vermelho o Povo/Fraternidade

Leia mais

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa 1 A Revolução Francesa representou uma ruptura da ordem política (o Antigo Regime) e sua proposta social desencadeou a) a concentração do poder nas mãos

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra.

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra. Objetivos: - EXPLICAR as características do Antigo Regime. - IDENTIFICAR o conjunto de causas sociais, econômicas e políticas da Revolução Francesa. - IDENTIFICAR as etapas do processo revolucionário francês

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 94) Num panfleto publicado em 1789, um dos líderes da Revolução Francesa afirmava: "Devemos formular três perguntas: - O que é Terceiro Estado? Tudo. - O que tem ele sido em nosso sistema político?

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

A Revolução Francesa (1789-1799)

A Revolução Francesa (1789-1799) A Revolução Francesa (1789-1799) Origens da Revolução Francesa Crise Econômica A agricultura, ainda submetida ao feudalismo, entrava em colapso. As velhas técnicas de produção e a servidão no campo criavam

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

O Antigo Regime europeu: regra e exceção

O Antigo Regime europeu: regra e exceção PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVII O Antigo Regime europeu: regra e exceção Meta: Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social ANTIGO REGIME Regime político,

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude.

Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Os Estados Nacionais Modernos e o Absolutismo Monárquico Quando Nosso Senhor Deus fez as criaturas, não quis que todas fossem iguais, mas estabeleceu e ordenou a cada um a sua virtude. Quanto aos reis,

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

Conv n o v ca c çã ç o d os Est s a t dos Gerais (1789)

Conv n o v ca c çã ç o d os Est s a t dos Gerais (1789) Revolução Francesa Convocação dos Estados Gerais (1789) Reunião dos Estados Gerais em 5 de maio de 1789. Tensa disputa política entre nobreza, clero e burguesia. Impasse sobre deliberações: Voto por Estado

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Cap. 12- Independência dos EUA

Cap. 12- Independência dos EUA Cap. 12- Independência dos EUA 1. Situação das 13 Colônias até meados do séc. XVIII A. As colônias inglesas da América do Norte (especialmente as do centro e norte) desfrutavam da negligência salutar.

Leia mais

PROVA BIMESTRAL História

PROVA BIMESTRAL História 8 o ano o bimestre PROVA BIMESTRAL História Escola: Nome: Turma: n o :. Leia os textos e responda às questões e. Texto Na Grécia Antiga, Aristóteles (384 a.c.-3 a.c.) já defendia a ideia de que o Universo

Leia mais

Revolução francesa. Monarquia absolutista*

Revolução francesa. Monarquia absolutista* Revolução francesa No desenrolar dos fatos históricos, alguns deles de tão marcantes, dividem os períodos da humanidade. Atualmente os seres humanos dividem a sua atuação no mundo em cinco partes. Pré-História

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA

OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA OITAVO ANO ESINO FUNDAMENTAL II PROFESSORA: ROSE LIMA http://plataformabrioli.xpg.uol.com.br/historiaresumo/2ano/epopeialusitana.pdf http://blog.msmacom.com.br/familia-real-portuguesa-quem-e-quem-na-monarquia/

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2º Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma

O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa cidade. Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma Bruno Oliveira O termo cidadania tem origem etimológica no latim civitas, que significa "cidade". Estabelece um estatuto de pertencimento de um indivíduo a uma comunidade politicamente articulada um país

Leia mais

Nome: SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA. 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789:

Nome: SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA. 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789: HISTÓRIA OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA ROSE LIMA Nome: PRIMEIRA PARTE SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789: Art.1.º Os homens

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos Prof. Jorge Diacópulos Revolução burguesa. Antecedentes/causas: IDADE CONTEMPORÂNEA Maior população da Europa Ocidental (25 milhões). 80% rural. Absolutismo parasitário Luís XVI Festas, banquetes, pensões,

Leia mais

A situação da França antes da revolução de 1789.

A situação da França antes da revolução de 1789. A situação da França antes da revolução de 1789. I-POLÍTICA->Antigo Regime existente na França -GOVERNO Luis XVI: altas taxas cobradas pela nobreza, nos impostos cobrados pelo Estado absolutista e nas

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes omonstrodahistoria.blogspot.com.

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes  omonstrodahistoria.blogspot.com. REVOLUÇÃO FRANCESA Prof.: Diego Gomes diegogomes.historia@gmail.com www.facebook.com/profdiegogomes/ omonstrodahistoria.blogspot.com.br/ Objetivos de Ensino/Aprendizagem Conhecer as condições socioeconômicas

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado)

(Perry Anderson, Linhagens do Estado absolutista. p. 18 e 39. Adaptado) 1. (Fgv 2014) O paradoxo aparente do absolutismo na Europa ocidental era que ele representava fundamentalmente um aparelho de proteção da propriedade dos privilégios aristocráticos, embora, ao mesmo tempo,

Leia mais

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO Definição: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS Nathália do Vale SILVA RESUMO: Os antecedentes dos direitos fundamentais estão divididos em quatro gerações, tendo como objetivo a proteção da dignidade da pessoa

Leia mais

O Urbanismo Clássico. Séculos XVII e XVIII

O Urbanismo Clássico. Séculos XVII e XVIII O Urbanismo Clássico Séculos XVII e XVIII Urbanismo Clássico Realizações Legislação Prá?ca administra?va Filósofos, arquitetos e médicos Urbanismo Clássico Recusa do Gigan?smo Urbano Paris 500 mil habitantes

Leia mais

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO Republicanismo português As raízes ideológicas remontavam à Revolução Francesa: liberdade, igualdade e fraternidade. Liberdade de pensamento, igualdade

Leia mais

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 )

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 ) Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON -Após a derrota de Napoleão Bonaparte, restaurou-se a Dinastia Bourbon subiu ao trono o rei Luís XVIII DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS

Leia mais

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL

A CRISE DO SISTEMA FEUDAL A CRISE DO SISTEMA FEUDAL O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA FEUDAL NA EUROPA OCIDENTAL O apogeu do feudalismo ocorre entre os séculos IX e XIII; 4. CAUSAS PARA O DESENVOLVIMENTO DO FEUDALISMO Fim das invasões

Leia mais

Sistema feudal. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 15

Sistema feudal. Palavras amáveis não custam nada e conseguem muito. Blaise Pascal 15 Sistema feudal Com o declínio da mão de obra escrava no Império Romano, a consolidação da economia passa a ser feita a partir do estabelecimento de acordos entre ricos e pobres, onde o rico se propõe a

Leia mais

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime

Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime Formação do Estado Nacional Moderno: O Antigo Regime A formação do Absolutismo Inglês Medieval Territórios divididos em condados (shires) e administrados por sheriffs (agentes reais) submetidos ao poder

Leia mais

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008

Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Escola Básica e Secundária das Lajes do Pico História e Geografia de Portugal 2º Ciclo Ano Lectivo 2007/2008 Conteúdos Ano Lectivo Período Lectivo Tema A-A península Ibérica: dos primeiros povos à formação

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda DISCIPLINA: Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA: 06/02/2012. CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br QUESTÕES DE VESTIBULAR e-mail: especifico@especifico.com.br Av. Rio Claro nº 615 Centro

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Ms: Edson Fasano Sociedade Capitalista: Revoluções Inglesas. A Organização da Aula 1º Bloco: A Inglaterra do século XVI; 2º Bloco: - A Revolução Puritana e Gloriosa; 3º Bloco:

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA http://www.youtube.com/watch?v=lmkdijrznjo Considerações sobre a independência -Revolução racional científica do

Leia mais

O Mundo industrializado no século XIX

O Mundo industrializado no século XIX O Mundo industrializado no século XIX Novas fontes de energia; novos inventos técnicos: Por volta de 1870, deram-se, em alguns países, mudanças importantes na indústria. Na 2ª Revolução Industrial as indústrias

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa. Fatores da Revolução

A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa. Fatores da Revolução A REVOLUÇÃO FRANCESA A Revolução Francesa Introdução: A Revolução Francesa foi o acontecimento mais importante da Era Moderna. Por isso ela marca o início da Época Contemporânea. Para muitos historiadores

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

Revoluções Liberais do Século XIX

Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Após a queda de Napoleão, os países absolutistas buscaram retomar o Antigo Regime com o Congresso de Viena. As diretrizes básicas do

Leia mais

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL

Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL Educador: Luciola Santos C. Curricular: História Data: / /2013 Estudante: 7 Ano Estudo Dirigido - RECUPERAÇÃO FINAL 7º Ano Cap 1e 2 Feudalismo e Francos Cap 6 Mudanças no feudalismo Cap 7 Fortalecimento

Leia mais

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL

TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL TEMA F.1 O IMPÉRIO PORTUGUÊS E A CONCORRÊNCIA INTERNACIONAL A partir de meados do séc. XVI, o Império Português do Oriente entrou em crise. Que fatores contribuíram para essa crise? Recuperação das rotas

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 3

Sugestões de avaliação. História 7 o ano Unidade 3 Sugestões de avaliação História 7 o ano Unidade 3 5 Nome: Data: Unidade 3 1. Relacione as colunas a seguir, que apresentam algumas inovações tecnológicas utilizadas a partir do século X. (a) Moinho de

Leia mais

4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL

4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL 4 de julho 1776 PROF. ROBERTO BRASIL A Revolução Americana é um movimento de ampla base popular, a burguesia foi quem levou esta revolução avante. O terceiro estado (povo e burguesia) conseguiu a independência

Leia mais

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO INTRODUÇÃO: Compreendendo as causas da Revolução Francesa DEFINIÇÃO Revolução burguesa; Marca a transição da Idade Moderna para a Idade Contemporânea; Destruiu o chamado Antigo

Leia mais

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO COLÉGIO SANTO ANDRÉ EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO REFLITA A PARTIR DE ESTUDOS EM SALA DE AULA E TAREFAS DIRIGIDAS E RESPONDA ÀS SEGUINTES QUESTÕES

Leia mais

Aulas 4 a 6 Revolução Francesa

Aulas 4 a 6 Revolução Francesa Aulas 4 a 6 Revluçã Francesa 1. Cnceit Mviment scial e plític crrid na França n final d sécul XVIII que teve pr bjetiv principal derrubar Antig Regime e instaurar um Estad demcrátic que representasse e

Leia mais

CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI)

CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI) CRISE DO FEUDALISMO E O RENASCIMENTO URBANO(sécs. X-XVI) 1) Servidão 1.1. O que é servidão? * Trabalho forçado em troca de acesso à terra e proteção * É o status social do camponês no feudalismo * Camponês

Leia mais

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza O MUNDO MEDIEVAL Prof a. Maria Fernanda Scelza Antecedentes Crises políticas no Império Romano desgaste; Colapso do sistema escravista; Problemas econômicos: aumento de impostos, inflação, descontentamento;

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê?

A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê? A EXPERIÊNCIA DO DIA-A-DIA, APRESENTA DA EM NOSSA SOCIEDADE E SUAS CONTRADIÇÕES E DESIGUALDADES. * Tais disparidades ocorrem devido a quê? DÍVIDA SOCIAL ESCRAVIDÃO E IMIGRAÇÃO FALTA DE ESTRUTURA SOCIAL

Leia mais

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA

EUROPA BRASIL SÉCULO XIX AMÉRICA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA O BRASIL NO FINAL DO SÉCULO XVIII SÉCULO XVIII FINAL DA IDADE MODERNA EUROPA Expansão dos Ideais Iluministas Revolução Francesa Fim do Antigo regime Ascensão da Burguesia ao poder Revolução Industrial

Leia mais

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DESTRÓI A UNIDADE DO SISTEMA COLONIAL COLABORA DECISIVAMENTE PARA A DERROCADA DO ANTIGO REGIME NO CENTRO PENSILVÂNIA, NOVA YORK, NOVA JERSEY E DELAWARE. NO NORTE MASSACHUSETTS,

Leia mais

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I APRESENTAÇÃO Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA

Leia mais

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO CONTEXTO No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessa

Leia mais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais

Contexto. Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton. Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Revolução Científica do século XVII Galileu Galilei, René Descartes e Isaac Newton Concepção racionalista do mundo Leis Naturais Contexto Crise do Antigo Regime Questionamento dos privilégios do Clero

Leia mais

INTRODUÇÃO AO DIREITO CONSTITUCIONAL AULA 2 CONSTITUIÇÃO E CONSTITUCIONALISMO

INTRODUÇÃO AO DIREITO CONSTITUCIONAL AULA 2 CONSTITUIÇÃO E CONSTITUCIONALISMO INTRODUÇÃO AO DIREITO CONSTITUCIONAL AULA 2 CONSTITUIÇÃO E CONSTITUCIONALISMO QUESTÃO PARA DISCUSSÃO: EXPLIQUE A DEFINIÇÃO DE CONSTITUCIONALISMO POR CANOTILHO, como uma Técnica específica de limitação

Leia mais

Guerra Civil (1642-1648)

Guerra Civil (1642-1648) Prof. Thiago Revolução Inglesa Governo Despótico de Carlos I (1625-1648) Petição de Direitos (1628) Exigência do Parlamento Cobrança do ship money em cidades do interior desobediência ao Parlamento Guerra

Leia mais

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE

CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CHRISTOPHER HILL: UMA VISÃO SOBRE A LIBERDADE CAROLINE OLIVEIRA JUNG * RESUMO Neste trabalho discute-se a questão da liberdade, o que é ser livre no século XVI e XVII, em específico dentro da Revolução

Leia mais

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL

CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL CRISE DO ANTIGO SISTEMA COLONIAL BASES COMUNS DO SISTEMA COLONIAL PACTO-COLONIAL Dominação Política Monopólio Comercial Sistema de Produção Escravista ESTRUTURA SOCIAL DAS COLONIAS ESPANHOLAS Chapetones

Leia mais

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo.

HISTÓRIA. Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses da Coluna B, de cima para baixo. HISTÓRIA 37 Associe as civilizações da Antigüidade Oriental, listadas na Coluna A, às características políticas que as identificam, indicadas na Coluna B. 1 2 3 4 COLUNA A Mesopotâmica Fenícia Egípcia

Leia mais

Universidade Federal de Alfenas COPEVE Comissão Permanente de Vestibular

Universidade Federal de Alfenas COPEVE Comissão Permanente de Vestibular PROCESSO SELETIVO UNIFAL MG 2008/1 Gabarito Final com Distribuição dos Pontos questão nº 01 1º) 4 pontos serão atribuídos à resposta que contemplar a explicação da política de submissão dos índios nos

Leia mais

HISTÓRIA Resolução OBJETIVO 2001

HISTÓRIA Resolução OBJETIVO 2001 1 Tito Lívio, em História de Roma, referindo-se às lutas entre patrícios e plebeus que se estenderam do século V ao IV a.c., escreveu: "... apesar da oposição da nobreza, houve eleições consulares em que

Leia mais

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92)

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92) HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92) Como pode cair no enem Em nosso país queremos substituir o egoísmo pela moral, a honra pela probidade,

Leia mais

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso CNPJ: 13.911.052/0001-61 e Inscrição Municipal

Leia mais

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE

TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE TODOS COLÉGIOS SIMULADO 2ª SÉRIE 1.Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: 01 - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da

Leia mais

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo

Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo Aula 14 - Feudalismo Aula 1414- Alta Idade Média - Feudalismo DeOlhoNoEnem H4 - Comparar pontos de vista expressos em diferentes fontes sobre determinado aspecto da cultura. (A boa e a má Idade Média).

Leia mais

Revolução Francesa. Profº Hamilton Milczvski Jr

Revolução Francesa. Profº Hamilton Milczvski Jr Revolução Francesa Profº Hamilton Milczvski Jr Fatores e antecedentes Revolução Francesa é o nome dado ao conjunto de acontecimentos que, entre 5 de maio de 1789 e 9 de novembro de 1799, alteraram o quadro

Leia mais

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso

Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola Básica de Custóias/ Faculdade de Letras da Universidade do Porto Núcleo de Estágio em História e Geografia 2011/2012 Estagiária: Diana Barroso Escola: Básica de Custóias (sede) Ano: 8º ano Turma:

Leia mais

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014

Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Agrupamento de Escolas Agualva-Mira Sintra Planificação anual 2013/2014 Departamento Curricular de Ciências Sociais e Humanas Disciplina de História Ano:8º Temas Conteúdos Conceitos E : Expansão e Mudança

Leia mais

Estudo Dirigido História -6 o ano Luciana Corrêa

Estudo Dirigido História -6 o ano Luciana Corrêa Conteúdos do 3º bimestre No 3º bimestre de 2015 estudaremos alguns povos que viveram na Ásia, na África e na Europa entre os séculos VII e XVI. Vamos conhecer um pouco como era a vida dos árabes, malinquês

Leia mais

Os representantes do povo francês, reunidos em Assembléia Nacional, considerando que a ignorância, o esquecimento ou o desprezo dos direitos do homem

Os representantes do povo francês, reunidos em Assembléia Nacional, considerando que a ignorância, o esquecimento ou o desprezo dos direitos do homem Os representantes do povo francês, reunidos em Assembléia Nacional, considerando que a ignorância, o esquecimento ou o desprezo dos direitos do homem são as únicas causas dos males públicos e da corrupção

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder 1- Unificação dos Estados Nacionais Centralização do poder 1.1- Nobreza classe dominante Isenção de impostos; Ocupação de cargos públicos; Altos cargos no exército. 1- Conceito: Sistema de governo que

Leia mais

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno.

843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. História 8A - Aula 22 As Monarquias Feudais 843 Tratado de Verdum divisão do Império entre os netos de Carlos Magno. -Séculos IX e X sociedade francesa se feudalizou. -Poder real enfraqueceu. -Condes,

Leia mais

Superioridade ibérica nos mares

Superioridade ibérica nos mares 2.ª metade do século XVI Superioridade ibérica nos mares PORTUGAL Entre 1580 e 1620 ESPANHA Império Português do oriente entra em crise devido a Escassez de gentes e capitais Grande extensão dos domínios

Leia mais

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista

A era dos impérios. A expansão colonial capitalista A era dos impérios A expansão colonial capitalista O século XIX se destacou pela criação de uma economia global única, caracterizado pelo predomínio do mundo industrializado sobre uma vasta região do planeta.

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA (1789 Queda da Bastilha) Antecedentes: - Ideais iluministas (liberais); - Abuso de poder da nobreza; - Pompa das cortes; - Déficit orçamentário;

Leia mais

A CRISE DE 1929. Linha de montagem Ford T

A CRISE DE 1929. Linha de montagem Ford T O MUNDO ENTRE GUERRAS: A CRISE DO LIBERALISMO RECAPTULANDO -Com o fim da Primeira Guerra Mundial a Alemanha derrotada no conflito, sofreu sérias punições no Tratado de Versalhes que acabou retalhando o

Leia mais

A CRISE DO ANTIGO REGIME A INDEPENDÊNCIA DOS EUA. A Independência dos EUA

A CRISE DO ANTIGO REGIME A INDEPENDÊNCIA DOS EUA. A Independência dos EUA A Independência dos EUA Definição: Movimento que inspirado nos princípios iluministas determinou o fim do domínio da Inglaterra sobre as chamadas 13 colônias americanas (atualmente EUA); que teve início

Leia mais

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV)

IDADE MÉDIA BAIXA IDADE MÉDIA (SÉC. XI XV) 1 CARACTERÍSTICAS GERAIS: Decadência do feudalismo. Estruturação do modo de produção capitalista. Transformações básicas: auto-suficiência para economia de mercado; novo grupo social: burguesia; formação

Leia mais

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza

Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado de natureza Gustavo Noronha Silva José Nailton Silveira de Pinho Juliana Gusmão Veloso Kátia Geralda Pascoal Fonseca Walison Vasconcelos Pascoal Roteiro: Locke: contexto histórico, metodologia, natureza humana e estado

Leia mais

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo

Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Aula anterior... Revisão Geral de Conteúdo Reveja esta aula em: http://www.joseferreira.com.br/blogs/sociologia/ Professor: Danilo Borges - Sociologia Aula de hoje... Aprofundamento do problema do trabalho

Leia mais