REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVOLUÇÃO FRANCESA MCC"

Transcrição

1 REVOLUÇÃO FRANCESA MCC

2 REVOLUÇÃO FRANCESA. MOVIMENTO BURGUÊS França antes da revolução TEVE APOIO DO POVO Monarquia absolutista Economia capitalista.(costumes feudais) sociedade estamental. 1º Estado- (alto clero). 120 mil pessoas 2º Estado- (nobres). 350 mil pessoas 3º Estado- (maioria camponeses, minoria burguesa. 24 milhões de pessoas)

3 1º Estado 2º Estado 3º Estado Alto clero Nobres: nobreza de Burgueses, artesãos toga e provincial e camponeses. Não pagava imposto Não pagava imposto Pagava imposto e sustentava o 1º e 2º Estados. Vivia do dízimo, Monopolizava os cargos Recebiam baixos exercia trabalhos altos da Igreja, do salários, viviam na educativos e exército e da miséria. Provocava ocupava cargos do magistratura rebeliões no campo governo. e na cidade. Não aceitava a nobreza.

4 Não aceitava: o autoritarismo do rei. Burguesia POPULAÇÃO. Criticava: os gastos excessivos da corte Sistema tributário injusto Através de jornais e panfletos, intensificou os ataques ao Absolutismo A falta de liberdade econômica e política. Privilégios da nobreza reinado de Luís XV A situação piorou após acordos com a Inglaterra: importação de produtos industrializados ingleses A França saiu derrotada na Guerra de Sete Anos

5 Em Luís XVI assume o trono franceses ( ) economia do Estado estava em colapso. arrecadação tributária não conseguia cobrir as despesas do Estado. para cobrir os gastos, o monarca apelava para empréstimos estrangeiros. com todos os problemas internos, Luís XVI apoiou os EUA na guerra de independência contra a Inglaterra. Percebendo a situação da França, Luís XVI: * tentou reduzir os privilégios da nobreza * fim da isenção fiscal e da escravidão nas colônias francesas. * Para resolver a situação financeira da França, Luís XVI convocou em Assembleia dos Notáveis. Luís XVI

6 Sem apoio dos dois Primeiros Estados, Luís XVI convocou a Assembleia dos Estados Gerais buscar soluções para os problemas franceses. A Assembleia dos Estados Gerais não entraram num acordo. A nobreza estava longe de perceber a real situação econômica do País. A Assembleia fracassa. o Terceiro Estado, se separa dos demais. A Revolução Francesa estava declarada.

7 Com medo da não fidelidade do Exército francês, Luís XVI contratou mercenários estrangeiros para proteger o Estado.

8 14/07/1789 confronto armado a velha fortaleza medieval que servia de prisão para muitos presos políticos foi tomada. A Bastilha, o maior símbolo do Absolutismo foi totalmente destruída.

9 Em agosto de 1790, foi votada a Constituição Civil do clero. * Separou a Igreja do Estado passaram a receber Clérigos salário do Estado deviam obediência ao Estado

10 * No campo a população destruiu propriedades dos nobres e da Igreja. * Incendiaram cartórios,a fim apagar os registros de suas obrigações. Noite do Grande Medo 1789, aprovada pela Assembleia Nacional Constituinte a DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO Primeira Constituição Estabeleceu: voto censitário limitou os poderes implantou a Monarquia do monarca Constitucional Constituição- elaborada pelos girondinos (alta burguesia). Os interesses dos jacobinos foram deixados de lado. A forma de governo passa a ser liberal.

11 Poder Executivoexercido pelo rei Poder Legislativo- Assembleia eleita por sufrágio (voto) censitário. Monarquia Constitucional Em Assembleia, o rei foi acusado de traição após ter tentado fugir para a Áustria. Poder Judiciário- juízes eleitos da mesma forma que os deputados. Julgamento de Luís XVI

12 Luís XVI é deposto. PROCLAMOU SE A REPÚBLICA GIRONDINOS Eram moderados. Defendiam um governo liberal. Temiam as perdas de suas propriedades Os republicanos (burguesia) eram unidos até a queda da monarquia. JACOBINOS Representavam a pequena burguesia e o povo. Defendiam um governo centralizador e autoritário.

13 Luís XVI foi julgado pela Convenção e condenado à morte, em Luís XVI, indo para a guilhotina Maria Antonieta foi executada seis meses depois de sua morte. Julgamento de Maria Antonieta Após a morte dos monarcas, alguns países europeus uniram-se contra a França revolucionária.

14 os jacobinos assumiram o poder na França Com medo da ameaça externa e da crise alimentar Robespierre passou a governar a França com autoritarismo. Criou o Comitê de Segurança Pública Objetivos do Comitê: Buscar suspeitos de traição e julgá - los notribunal Revolucionário. a população Apoiava os jacobinos

15 Reformas sociais transformaram a realidade francesa 1- vendeu os bens públicos para normalizar as finanças; 2- elaborou a Constituição do Ano I (1793): firmava a liberdade política e o sufrágio universal masculino 3- reorganizou o exército; 4-aboliu a escravidão nas colônias francesa; 5- criou o ensino público; 6-aplicou a Lei do Máximo; 7-promoveu a reforma agrária. 8-fundou o Museu de Louvre

16 Reino do Terror, ou Período do Grande terror 31/05/1793 -queda dos girondinos- 27/07/1794- prisão de Maximilien Robespierre. Durante esse período as garantias civis foram suspensas e o governo revolucionário, perseguiu e assassinou seus adversários.

17 Por governar com severidade, os jacobinos perderam o apoio popular.(1794) Robespierre foi preso e guilhotinado. Os girondinos assumiram o poder. Reação Termidoriana. Prisão de Robespierre

18 Girondinos no poder: A Nova Constituição aboliu Comitê de Salvação Pública e o Tribunal Revolucionário. A Comuna Revolucionária de Paris. nome dado ao governo revolucionário (estabelecido em 14/07/1789, após a tomada da Bastilha ). Tabelamento dos preços dos alimentos Lei do Máximo Convenção Termidoriana aprovou : a liberdade de expressão a Livre concorrência comercial

19 Diretório( ) A França foi governada por um grupo de cinco diretores escolhido entre a elite burguesa. Período de corrupção, desordem e de revoltas. (A alta burguesia preocupava - se somente em defender seus interesses). Os jacobinos tentaram tomar o poder por meio de um golpe. Para não perder o poder, a alta burguesia (girondinos) precisava colocar no governo alguém de prestígio para governar o País e ao mesmo tempo defender seus interesses. Napoleão Bonaparte era o homem ideal para pacificar a França mcc

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade.

REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. REVOLUÇÃO FRANCESA REVOLUÇÃO FRANCESA - Marco Histórico: Fim da Idade Moderna. 1789 Símbolo: Queda da Bastilha (1789). Lema: Liberdade, Fraternidade, Igualdade. Influência: Iluminista. DIVISÃO SOCIAL 1º

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM

O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM O ANTIGO REGIME FRANCÊS ANCIEN REGIM Organização social que vigorou na França, principalmente na época em que os reis eram absolutistas, ou seja, de meados do século XVII até a Revolução Francesa. Tal

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar

REVOLUÇÃO FRANCESA. Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Por: Rodrigo A. Gaspar REVOLUÇÃO FRANCESA Influência dos valores iluministas Superação do Absolutismo monárquico e da sociedade estratificada Serviu de inspiração para outras revoluções,

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 À procura de solução para a crise: 1787 Luís XVI convocação dos conselheiros para criação de novos impostos Acabar com a isenção fiscal do Primeiro e Segundo Estados CONSEQUÊNCIA

Leia mais

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa

INTEIRATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Conteúdo: A Revolução Francesa Conteúdo: A Revolução Francesa Habilidades: Reconhecer nas origens e consequências da Revolução Francesa de 1789, os elementos fundamentais da formação política e social contemporânea para a história contemporânea.

Leia mais

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9

R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 R E V O LU Ç Ã O F R A N C E S A 17 8 9-17 9 9 A bandeira francesa - o azul representa o poder legislativo/liberdade (Liberté), branco o poder Executivo/Igualdade, (Égalité) e o vermelho o Povo/Fraternidade

Leia mais

A Organização da Aula

A Organização da Aula Curso: Ciências Sociais Prof. Me: Edson Fasano Sociedade Capitalista: REVOLUÇÃO FRANCESA A Organização da Aula 1º Bloco: Iluminismo e Independência dos EUA. 2º Bloco: - Antecedentes da Revolução Francesa.

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O

REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O REVOLUÇÃO FRANCESA Aulas 19 e 20 Pág. 15 P R O F ª C L E I D I V A I N E D A S. R E Z E N D E D I S C. H I S T Ó R I A / 8 º A N O 1 - INTRODÇÃO 1789 a Bastilha (prisão) foi invadida pela população marca

Leia mais

A Revolução Francesa (1789-1799)

A Revolução Francesa (1789-1799) A Revolução Francesa (1789-1799) Origens da Revolução Francesa Crise Econômica A agricultura, ainda submetida ao feudalismo, entrava em colapso. As velhas técnicas de produção e a servidão no campo criavam

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos

IDADE CONTEMPORÂNEA A REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof. Iair. Prof. Jorge Diacópulos Prof. Jorge Diacópulos Revolução burguesa. Antecedentes/causas: IDADE CONTEMPORÂNEA Maior população da Europa Ocidental (25 milhões). 80% rural. Absolutismo parasitário Luís XVI Festas, banquetes, pensões,

Leia mais

Conv n o v ca c çã ç o d os Est s a t dos Gerais (1789)

Conv n o v ca c çã ç o d os Est s a t dos Gerais (1789) Revolução Francesa Convocação dos Estados Gerais (1789) Reunião dos Estados Gerais em 5 de maio de 1789. Tensa disputa política entre nobreza, clero e burguesia. Impasse sobre deliberações: Voto por Estado

Leia mais

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789)

Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final. A Revolução Francesa (14/07/1789) Profª.: Lygia Mânica Costa 7ª série do E. Fundamental Nome: Turma: Data: Atividade de revisão para o Exame final A Revolução Francesa (14/07/1789) A situação social era grave e o nível de insatisfação

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE

A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE A REVOLUÇÃO FRANCESA ATRAVÉS DA ARTE Prof. Marcos Faber www.historialivre.com A sociedade francesa estava dividida em três Estados (clero, nobres e povo/burguesia). Sendo que o povo e a burguesia sustentavam,

Leia mais

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra.

A Era das Revoluções. Autor: Eric Hobsbawm. Editora: Paz e Terra. Objetivos: - EXPLICAR as características do Antigo Regime. - IDENTIFICAR o conjunto de causas sociais, econômicas e políticas da Revolução Francesa. - IDENTIFICAR as etapas do processo revolucionário francês

Leia mais

A situação da França antes da revolução de 1789.

A situação da França antes da revolução de 1789. A situação da França antes da revolução de 1789. I-POLÍTICA->Antigo Regime existente na França -GOVERNO Luis XVI: altas taxas cobradas pela nobreza, nos impostos cobrados pelo Estado absolutista e nas

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana

REVOLUÇÃO FRANCESA. Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA Professor Marcelo Pitana REVOLUÇÃO FRANCESA (1789 Queda da Bastilha) Antecedentes: - Ideais iluministas (liberais); - Abuso de poder da nobreza; - Pompa das cortes; - Déficit orçamentário;

Leia mais

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I

Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I APRESENTAÇÃO Aula 03 1B REVOLUÇÃO FRANCESA I Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA

Leia mais

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO

ARTESANATO MANUFATURA PRODUÇÃO INDUSTRIAL FERRA- MENTAS MANUAIS DIVISÃO DO TRABALHO FERRAMENTAS MECÂNICAS INDIVIDUAL TRABALHO Definição: conjunto de transformações técnicas, econômicas e sociais caracterizadas pela substituição da energia física pela mecânica, da ferramenta pela máquina e da manufatura pela fábrica. ARTESANATO

Leia mais

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO

O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO O DESPERTAR DE UM NOVO TEMPO INTRODUÇÃO: Compreendendo as causas da Revolução Francesa DEFINIÇÃO Revolução burguesa; Marca a transição da Idade Moderna para a Idade Contemporânea; Destruiu o chamado Antigo

Leia mais

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL

UNICAMP REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA GEAL 1. (Unicamp 94) Num panfleto publicado em 1789, um dos líderes da Revolução Francesa afirmava: "Devemos formular três perguntas: - O que é Terceiro Estado? Tudo. - O que tem ele sido em nosso sistema político?

Leia mais

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 )

Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS FELIPE ( 1824 1830 ) Europa no Século XIX FRANÇA RESTAURAÇÃO DA DINASTIA BOURBON -Após a derrota de Napoleão Bonaparte, restaurou-se a Dinastia Bourbon subiu ao trono o rei Luís XVIII DINASTIA BOURBON LUÍS XVIII CARLOS X LUÍS

Leia mais

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo

A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo A Revoluções Burguesas na Inglaterra: o surgimento do Parlamentarismo Parlamento Inglês -Rainha Elizabeth I (1558-1603) maior exemplo de poder absoluto na Inglaterra daquele tempo; - Maquiavélica; - Enquanto

Leia mais

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos.

A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. HISTÓRIA 8º ANO A formação da monarquia inglesa na Baixa Idade Média, mais precisamente no século XII, na época da Guerra dos Cem anos. Por volta do século XIII, o rei João sem terras estabeleceu novos

Leia mais

Revolução francesa. Monarquia absolutista*

Revolução francesa. Monarquia absolutista* Revolução francesa No desenrolar dos fatos históricos, alguns deles de tão marcantes, dividem os períodos da humanidade. Atualmente os seres humanos dividem a sua atuação no mundo em cinco partes. Pré-História

Leia mais

IDADE CONTEMPORÂNEA (a partir de 1789)

IDADE CONTEMPORÂNEA (a partir de 1789) IDADE CONTEMPORÂNEA (a partir de 1789) ERA NAPOLEÔNICA (1799 1815) 1 - O CONSULADO (1799 1804): Pacificação interna e externa. Acordos de paz com países vizinhos. Acordo com a Igreja catolicismo oficial.

Leia mais

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815)

NAPOLEÃO BONAPARTE. Pode-se dividir seu governo em três partes: Consulado (1799-1804) Império (1804-1815) Governo dos Cem Dias (1815) NAPOLEÃO BONAPARTE 1 Profª Adriana Moraes Destaca-se política e militarmente no Período Jacobino. DIRETÓRIO Conquistas militares e diplomáticas na Europa defesa do novo governo contra golpes. Golpe 18

Leia mais

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br

EUROPA NO SÉCULO XIX. http://historiaonline.com.br EUROPA NO SÉCULO XIX A INGLATERRA NO SÉCULO XIX: Era Vitoriana (1837-1901): Hegemonia marítima inglesa. Fortalecimento do poder político da burguesia. Expansão da economia industrial 2ª Revolução Industrial.

Leia mais

Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I

Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I O período napoleônico consolida a vitória dos ideais burgueses na França do final do século XVIII. Mais que isso, a ascensão de Napoleão Bonaparte ao

Leia mais

Revoluções Liberais do Século XIX

Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Revoluções Liberais do Século XIX Após a queda de Napoleão, os países absolutistas buscaram retomar o Antigo Regime com o Congresso de Viena. As diretrizes básicas do

Leia mais

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA http://www.youtube.com/watch?v=lmkdijrznjo Considerações sobre a independência -Revolução racional científica do

Leia mais

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa

História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa História- 2 ano/ Ensino Médio Revolução Francesa 1 A Revolução Francesa representou uma ruptura da ordem política (o Antigo Regime) e sua proposta social desencadeou a) a concentração do poder nas mãos

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

Século XVIII. Revolução francesa: o fim da Idade Moderna

Século XVIII. Revolução francesa: o fim da Idade Moderna Século XVIII Revolução francesa: o fim da Idade Moderna Marco inicial: tomada da Bastilha Assembleia Nacional Consituinte 1789-1792 Nova Constituição (liberal) para a França; Alta burguesia assume o comando

Leia mais

Revoluções Burguesas

Revoluções Burguesas Aula 10 Revoluções Burguesas Entende-se por Revoluções Burguesas os processos históricos que consolidam o poder econômico da burguesia, bem como sua ascensão ao poder político. Ao longo dos séculos XVII

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799. http://historiaonline.com.br

REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799. http://historiaonline.com.br REVOLUÇÃO FRANCESA 1789-1799 1. DEFINIÇÃO: Queda do Absolutismo francês Ascensão da burguesia ao controle do poder político Consolidação do Estado Burguês Condições necessárias para o início da industrialização

Leia mais

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS

A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS A INDEPENDÊNCIA DOS ESTADOS UNIDOS DESTRÓI A UNIDADE DO SISTEMA COLONIAL COLABORA DECISIVAMENTE PARA A DERROCADA DO ANTIGO REGIME NO CENTRO PENSILVÂNIA, NOVA YORK, NOVA JERSEY E DELAWARE. NO NORTE MASSACHUSETTS,

Leia mais

Revolução Francesa. Profº Hamilton Milczvski Jr

Revolução Francesa. Profº Hamilton Milczvski Jr Revolução Francesa Profº Hamilton Milczvski Jr Fatores e antecedentes Revolução Francesa é o nome dado ao conjunto de acontecimentos que, entre 5 de maio de 1789 e 9 de novembro de 1799, alteraram o quadro

Leia mais

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas

5.1 Planificação a médio prazo. 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora. 28 aulas 5.1 Planificação a médio prazo 28 aulas Conteúdos programáticos Segundo o Programa Oficial (março de 2001) TH11 Parte 2 (pp.) Saberes/Aprendizagens 1. A Revolução Americana, uma revolução fundadora 1.1.

Leia mais

A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa. Fatores da Revolução

A REVOLUÇÃO FRANCESA. A Revolução Francesa. Fatores da Revolução A REVOLUÇÃO FRANCESA A Revolução Francesa Introdução: A Revolução Francesa foi o acontecimento mais importante da Era Moderna. Por isso ela marca o início da Época Contemporânea. Para muitos historiadores

Leia mais

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4

Sugestões de avaliação. História 8 o ano Unidade 4 Sugestões de avaliação História 8 o ano Unidade 4 5 Nome: Data: Unidade 4 1. Analise a gravura e explique qual crítica ela revela. Gravura anônima do século XVIII. Biblioteca Nacional da França, Paris

Leia mais

Principais causas para revolução francesa

Principais causas para revolução francesa Revolução Francesa Principais causas para revolução francesa -Empobrecimento do povo francês guerras, luxo, empréstimos. -Cerca de 80% do povo viviam no campo em situação precária. -Os anos que antecederam

Leia mais

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso

Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso COLÉGIO SETE DE SETEMBRO Reconhecimento: Resolução nº CEE - 1464/85 - D.O. 04/05/85 Ent. Mantenedora: Centro Evangélico de Recuperação Social de Paulo Afonso CNPJ: 13.911.052/0001-61 e Inscrição Municipal

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano Contradições entre o sistema colonial e as propostas liberais a partir do século XVIII Guerra de sucessão do trono espanhol (1702-1713) Luís XIV conseguiu impor seu neto

Leia mais

A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14. PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano

A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14. PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano A POLÍTICA NO SEGUNDO REINADO Aula: 33 Pág. 14 PROFª: CLEIDIVAINE / 8º Ano 1 D. PDRO II, O NOVO IMPERADOR Após agitações D. Pedro II assume o trono de 1840 a 1889: foi deposto 1º momento tranquilidade

Leia mais

04. REVOLUÇÃO FRANCESA

04. REVOLUÇÃO FRANCESA 04. REVOLUÇÃO FRANCESA Importância do evento Marca o início da Idade Contemporânea (1789 até a atualidade) Processo liderado pela burguesia contra o absolutismo Abriu espaço para o avanço do capitalismo

Leia mais

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO Republicanismo português As raízes ideológicas remontavam à Revolução Francesa: liberdade, igualdade e fraternidade. Liberdade de pensamento, igualdade

Leia mais

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92)

HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92) HISTÓRIA - 3 o ANO MÓDULO 43 REVOLUÇÃO FRANCESA: OS ANTECEDENTES E A ASSEMBLEIA NACIONAL (1789-92) Como pode cair no enem Em nosso país queremos substituir o egoísmo pela moral, a honra pela probidade,

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest

REVOLUÇÃO FRANCESA. Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest REVOLUÇÃO FRANCESA Aula 01- Segundo Semestre 2016 Prevest DATAS ACONTECIMENTOS DATAS ACONTECIMENTOS 1788 Convocação dos Estados Gerais 1789 Proclamação da Contituinte; Destruição da Bastilha; Revoltas

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO

A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO A CONSTRUÇÃO DO MODELO SOVIÉTICO E O SEU IMPACTO NO MUNDO Império russo (início do século a 1917) Território * Governo Maior império da Europa, estendendo-se da Ásia ao pacífico * Monarquia absoluta e

Leia mais

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago

Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real. História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência e Vinda da Família Real História C Aula 08 Prof. Thiago Movimentos de Pré- Independência Século XVIII e XIX Crise do mercantilismo e do Estado Absolutista Hegemonia de

Leia mais

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil

A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A vinda da família real e o governo joanino no Brasil A Europa no século XIX Napoleão realizou uma série de batalhas para a conquista de novos territórios para a França. O exército francês aumentou o número

Leia mais

Nome: SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA. 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789:

Nome: SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA. 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789: HISTÓRIA OITAVO ANO ENSINO FUNDAMENTAL PROFESSORA ROSE LIMA Nome: PRIMEIRA PARTE SISTEMATIZANDO OS ESTUDOS DE HISTÓRIA 1- Estes são os artigos tratados na declaração original de 1789: Art.1.º Os homens

Leia mais

ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX

ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX ONDAS REVOLUCIONÁRIAS LIBERAIS EUROPA NO SÉCULO XIX 1820 Independência da Grécia submetida ao Império turco-otomano, o movimento conquista a autonomia política da região com apoio popular e internacional.

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: HISTÓRIA Professora: ALESSANDRA PRADA Ano: 2º Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

História/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / Recuperação de História Conteúdo

História/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / Recuperação de História Conteúdo História/15 8º ano Turma: 2º trimestre Nome: Data: / / 8ºhis302r Recuperação de História Conteúdo 2º Trimestre Ao longo do 2º Trimestre estudamos as revoluções do mundo ocidental que foram dadas a partir

Leia mais

Brasil Império. Sétima Série Professora Carina História

Brasil Império. Sétima Série Professora Carina História Brasil Império Sétima Série Professora Carina História Confederação do Equador Local: Províncias do Nordeste. Época: 1824. Líderes da revolta: Manuel Paes de Andrade, frei Caneca e Cipriano Barata. Causas:

Leia mais

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA. Fase 1 FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS CURSO DE DIREITO VESTIBULAR 2009 PROVA DE HISTÓRIA Fase 1 Novembro 2008 INTRODUÇÃO Na prova de História de 2009 foi possível concretizar vários dos objetivos do programa do Vestibular.

Leia mais

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq

qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq qwertyuiopasdfghjklzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzx cvbnmqwertyuiopasdfghjklzxcvbnmq Introdução a análise Histórica Feudalismo Fernando Del pozzo hjklzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklzxc

Leia mais

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder

1- Unificação dos Estados Nacionais. Centralização do poder 1- Unificação dos Estados Nacionais Centralização do poder 1.1- Nobreza classe dominante Isenção de impostos; Ocupação de cargos públicos; Altos cargos no exército. 1- Conceito: Sistema de governo que

Leia mais

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727)

A Revolução Inglesa. Monarquia britânica - (1603 1727) A Revolução Inglesa A Revolução inglesa foi um momento significativo na história do capitalismo, na medida em que, ela contribuiu para abrir definitivamente o caminho para a superação dos resquícios feudais,

Leia mais

IMPEACHMENT INGLÊS 1

IMPEACHMENT INGLÊS 1 IMPEACHMENT INGLÊS 1 Maurício Silva de Góes mau.1988@hotmail.com FAC São Roque NPI: Núcleo de Pesquisa Interdisciplinar O impeachment no direito inglês era julgado pela Câmara dos Altos 2, ou seja, os

Leia mais

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra

FO F RMA M ÇÃ Ç O DA D S S MO M NARQUIAS A NACI C ONAIS França e Inglaterra FORMAÇÃO DAS MONARQUIAS NACIONAIS França e Inglaterra Contexto: Cruzadas O Poder Real Ganha Força Burguesia Renascimentos Comercial e Urbano Aliança Rei-Burguesia versus Senhores Feudais e Igreja Os senhores

Leia mais

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 -Enquanto Buenos Aires se tornava mais poderosa, os lideres

Leia mais

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA

O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O FIM DO FEUDALISMO E A CENTRALIZAÇAO POLÍTICA O sistema feudal entra em crise com o advento das cidades e a expansão do comércio, somados a outros fatores. 1) Necessidade de moedas, crescimento das cidades

Leia mais

HISTÓRIA 8 ANO PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL

HISTÓRIA 8 ANO PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL HISTÓRIA 8 ANO PROF.ª ISABEL SARAIVA ENSINO FUNDAMENTAL PROF. ARTÊMISON MONTANHO DA SILVA CONTEÚDOS E HABILIDADES Unidade II Poder, Estado e Instituições 2 CONTEÚDOS E HABILIDADES Aula 10 Conteúdos A República

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA

EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA EXERCÍCIOS DE REVISÃO - HISTÓRIA CONSOLIDAÇÃO DO CAPITALISMO E DA ORDEM BURGUESA NA EUROPA 01) "Movimento intelectual portador de uma visão unitária do mundo e do homem, o Iluminismo, apesar das diversidades

Leia mais

Revolução Francesa

Revolução Francesa Revolução Francesa 1789-1799 Marco tradicional do início da Idade Contemporânea: A história moderna termina em 1789, com aquilo que a Revolução batizou de Antigo Regime. (...) 1789 é a chave para o antes

Leia mais

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições.

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Revolução de 1930 Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Responsável pelo fim da chamada Política café com leite Política café com leite

Leia mais

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO

ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO ABSOLUTISMO E MERCANTILISMO CONTEXTO No final da Idade Média (séculos XIV e XV), ocorreu uma forte centralização política nas mãos dos reis. A burguesia comercial ajudou muito neste processo, pois interessa

Leia mais

Gabarito oficial preliminar: História

Gabarito oficial preliminar: História 1) Questão 1 Segundo José Bonifácio, o fim do tráfico de escravos significaria uma ameaça à existência do governo porque Geraria uma crise econômica decorrente da diminuição da mão de obra disponível,

Leia mais

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira

REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA. Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE E CONTRARREFORMA CATÓLICA Professor: Eduardo C. Ferreira REFORMA PROTESTANTE MOVIMENTO DE CONTESTAÇÃO AOS DOGMAS DA IGREJA CATÓLICA, APÓS SÉCULOS DE FORTE PODER INFLUÊNCIA NA EUROPA.

Leia mais

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10

Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Poder, Estudo e Instituições Aula 10 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Conteúdo O Consulado: Economia, Educação

Leia mais

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO

COLÉGIO SANTO ANDRÉ. EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE. PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO COLÉGIO SANTO ANDRÉ EXERCÍCIOS DE HISTÓRIA 8º Ano - 1º TRIMESTRE PROFª Ms ROSANE T. PETRORÓSSI DE FIGUEIREDO REFLITA A PARTIR DE ESTUDOS EM SALA DE AULA E TAREFAS DIRIGIDAS E RESPONDA ÀS SEGUINTES QUESTÕES

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA

HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA HISTÓRIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS NA REVOLUÇÃO FRANCESA Marcos Faber 1ª Edição www.historialivre.com Antecedentes: O Iluminismo O Iluminismo foi um movimento filosófico que defendeu o final dos regimes absolutistas

Leia mais

Revisão ª série. Roberson de Oliveira

Revisão ª série. Roberson de Oliveira Revisão 2011 3ª série Roberson de Oliveira Iluminismo - séc. XVIII 1. Definição 2. caracterização: valorização da razão oposição/superioridade em relação à fé promotora do bem-estar, do progresso e da

Leia mais

Europa do século XIX IDADE CONTEMPORÂNEA. Revoluções de 1820, 1830 e 1848

Europa do século XIX IDADE CONTEMPORÂNEA. Revoluções de 1820, 1830 e 1848 IDADE CONTEMPORÂNEA Europa do século XIX O século XIX apresentou, na Europa, a consolidação dos ideais burgueses liberais e a vitória sobre as forças conservadoras/reacionárias. O avanço das forças produtivas

Leia mais

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822).

2. (Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência do Brasil (1822). 1. (Enem 2014) A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades

Leia mais

O IMPÉRIO DO BRASIL: PRIMEIRO REINADO 1822-1831. Professor Eric Assis Colégio Pedro II

O IMPÉRIO DO BRASIL: PRIMEIRO REINADO 1822-1831. Professor Eric Assis Colégio Pedro II O IMPÉRIO DO BRASIL: PRIMEIRO REINADO 1822-1831 Professor Eric Assis Colégio Pedro II OS DESAFIOS APÓS A INDEPENDÊNCIA I- Manter a unidade territorial do Brasil. II- Construir o Estado Nacional Brasileiro.

Leia mais

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes omonstrodahistoria.blogspot.com.

REVOLUÇÃO FRANCESA. Prof.: Diego Gomes  omonstrodahistoria.blogspot.com. REVOLUÇÃO FRANCESA Prof.: Diego Gomes diegogomes.historia@gmail.com www.facebook.com/profdiegogomes/ omonstrodahistoria.blogspot.com.br/ Objetivos de Ensino/Aprendizagem Conhecer as condições socioeconômicas

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE HISTÓRIA 8º ANO PROFESSOR: MÁRCIO AUGUSTO

Leia mais

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza

O MUNDO MEDIEVAL. Prof a. Maria Fernanda Scelza O MUNDO MEDIEVAL Prof a. Maria Fernanda Scelza Antecedentes Crises políticas no Império Romano desgaste; Colapso do sistema escravista; Problemas econômicos: aumento de impostos, inflação, descontentamento;

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS REVOLUÇÃO FRANCESA

LISTA DE EXERCÍCIOS REVOLUÇÃO FRANCESA 1. (Pucrj 2013) As transformações ocorridas nas Américas durante a Era das Revoluções Atlânticas estiveram marcadas por dois grandes eventos, ambos igualmente radicais: (a) a Revolução Americana, que,

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome: Nº 2 a. Série Data: / /2015 Professores: Gabriel e Marcelo Nota: (valor: 1,0) 3º bimestre de 2015 A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL

MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL MINERAÇÃO E REVOLTAS NO BRASIL COLONIAL Portugal: crises e dependências -Portugal: acordos comerciais com a Inglaterra; -Exportação de produtos brasileiros; -Tratado de Methuen: redução fiscal para os

Leia mais

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO

EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO COLÉGIO FRANCO-BRASILEIRO NOME: N : TURMA: PROFESSOR(A): ANO: 9º DATA: / / 2014 EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO 1. Sobre a independência dos Estados Unidos, podemos afirmar que: (a) envolveu um conflito armado

Leia mais

Revolução Francesa e Napoleão

Revolução Francesa e Napoleão Revolução Francesa e Napoleão Revolução Francesa e Napoleão 1. A convocação dos Estados Gerais deu início à Revolução Francesa, ocasionando um conjunto de mudanças que abalaram não só a França, mas também

Leia mais

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão

Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real. Prof.ª viviane jordão Crises na Colônia Portuguesa e a Chegada da Família Real Prof.ª viviane jordão INTRODUÇÃO Na segunda metade do século XVIII, novas ideias começaram a se difundir pela América portuguesa. Vindas da Europa,

Leia mais

O Antigo Regime europeu: regra e exceção

O Antigo Regime europeu: regra e exceção PORTUGAL NO CONTEXTO EUROPEU DOS SÉCULOS XVII E XVII O Antigo Regime europeu: regra e exceção Meta: Conhecer e compreender o Antigo Regime europeu a nível político e social ANTIGO REGIME Regime político,

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE

PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE PLANO DE ENSINO DE HISTÓRIA 5ª. SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL 1º BIMESTRE - Sistemas sociais e culturais de notação de tempo ao longo da história, - As linguagens das fontes históricas; - Os documentos escritos,

Leia mais

Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado

Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado Exercícios de Congresso de Viena, Independências na América Espanhola e Primeiro Reinado Material de apoio do Extensivo 1. (FGV) Entre 1814-1815, representantes das nações europeias reuniram-se no chamado

Leia mais

AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS

AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS AS GERAÇÕES DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS Nathália do Vale SILVA RESUMO: Os antecedentes dos direitos fundamentais estão divididos em quatro gerações, tendo como objetivo a proteção da dignidade da pessoa

Leia mais

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável

Rei (controla poder moderador) além de indicar o primeiro ministro e dissolve a Câmara de Deputados Monarquia torna-se estável História do Brasil Professora Agnes (Cursinho Etec Popular de São Roque) Política Interna O SEGUNDO REINADO (1840-1889) * Apogeu da monarquia brasileira. * Centralização política e administrativa. * Pacificação

Leia mais

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO)

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) NOME...Constituição dos Estados Unidos do Brasil DATA...10 de Novembro de 1937 ORIGEM...Outorgada DURAÇÃO...9 anos PREÂMBULO O Presidente da República

Leia mais

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série

Lista de exercícios para pra final de História. 7ª série Lista de exer PROVÍNCIA BRASILEIRA DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS FILHAS DA CARIDADE DE SÃO VICENTE DE PAULO COLÉGIO VICENTINO SÃO JOSÉ Rua Pe. José Joaquim Goral, 182 Abranches Curitiba Fone (041) 3355-2200

Leia mais