Project Management Body of Knowledge

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Project Management Body of Knowledge"

Transcrição

1 Project Management Body of Knowledge José Filipe Barbosa de Carvalho José Mário Ferreira Castelo Branco Luís Jorge Trindade Certo Rui Pedro Silva Soares Licenciatura em Engenharia Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, Rua Dr. Roberto Frias, s/n Porto PORTUGAL Resumo: O Project Management Body of Knowledge (PMBOK) é uma colecção de processos e áreas de conhecimento consensualmente aceites como boas práticas da disciplina de gestão de projectos. Geralmente aceite significa que os conhecimentos e práticas descritas são na maioria dos projectos, na maioria dos seus momentos, consensuais quanto ao o seu valor e utilidade. Como norma internacional (IEEE Std ) fornece os conceitos fundamentais sobre gestão de projectos, independentemente do tipo de projecto. 1 Introdução O Project Management Body of Knowledge (PMBOK) é uma denominação para todo o conhecimento adquirido na área de gestão de projectos. Como em outra qualquer outra profissão, o conjunto de informação obtida neste domínio baseia-se na experiência de pessoas que nela trabalham diariamente ou de académicos interessados na área. O PMBOK incluiu tanto o conhecimento resultante de práticas tradicionais que são largamente utilizadas como outras práticas mais inovadoras e avançadas, de aplicabilidade mais limitada. Esta norma desenhada e elaborada pelo Project Management Institute (PMI) e adoptada pelo Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) serve como referência para a gestão de um projecto de qualquer área, seja de engenharia, construção civil, industrial, informática, etc. Procura reunir um conjunto de boas práticas ao longo de um projecto. Por boas práticas pode-se entender um conjunto de conhecimentos e processos consensualmente aceites como úteis e de valor acrescentado para 1

2 o projecto. No entanto, por ser um documento genérico, não trata as especificidades típicas de projectos de determinadas áreas. A equipa de Gestão de Projecto não tem necessariamente que seguir fielmente o conjunto de práticas documentadas. Ela deve ser capaz de decidir quais são relevantes para ser cumprido o objectivo de um determinado projecto. Poderá ser oportuno abdicar de determinadas práticas num dado projecto se verificar que possam a ser prejudiciais no seu contexto. Projecto Uma organização realiza trabalho. O trabalho envolve normalmente operações e projectos, que se podem sobrepor. Operações e Projectos possuem algumas características comuns, por exemplo: São realizados por pessoas; Possuem recursos limitados; São planeados, executados e controlados. Como diferenças, pode-se indicar que as operações são algo contínuo e repetitivo enquanto os projectos são algo temporário e único. Os projectos são normalmente implementados para atingir um determinando plano estratégico da organização. Assim, pode-se dizer que um projecto é uma tarefa temporária que tem como objectivo criar um produto ou serviço único de interesse da instituição. Temporário quer dizer que um projecto possuiu um início definido e um fim definido. E é único porque o produto ou serviço a desenvolver possuiu algo que o distingue de qualquer outra coisa já realizada. Para muitas organizações um projecto corresponde a uma actividade fora das suas actividades normais de operação que lhe permite alcançar um determinado objectivo. O desenvolvimento de um novo modelo de automóveis de uma marca pode ser encarado como um exemplo de um projecto. Um projecto pode ter uma composição diversa, podendo a sua dimensão variar ao longo do seu tempo de vida. Assim, um projecto tanto pode envolver apenas uma pessoa como até ser executado por milhares. E pode começar com apenas um pessoa, por exemplo na fase de planeamento, e ser depois executado por diversas pessoas. Da mesma forma pode envolver apenas uma pequena secção da organização como ser transversal a toda ela. O projecto pode mesmo ultrapassar as fronteiras da organização, recorrendo a parcerias e negociações, se tal for necessário para a sua realização. Um projecto, embora tenha uma duração finita, não implica que seja uma actividade curta. Tanto pode ser desenvolvido num mês como em trinta anos. No entanto é importante esclarecer que um projecto tem o seu início e fim bem definidos, isto é, é temporário. O fim do projecto é conseguido quando se alcança os objectivos propostos. Ou então quando se concluiu acerca da impossibilidade de alcançar esses objectivos ou se considera que já não são mais necessários. No entanto, o facto de um projecto ser temporário não se aplica necessariamente ao produto ou serviço desenvolvido por ele. Um projecto visa normalmente criar um produto ou serviço duradouro, como um projecto para a construção de um prédio ou a criação de um serviço de apoio ao cliente. 2

3 Um projecto procura desenvolver algo novo, isto é, único. Mesmo que já exista algo próximo, da mesma categoria, o resultado final de um projecto será algo único pelas suas diversas especificidades. Por exemplo, um projecto para a construção de uma ponte é algo único porque é realizado num determinado local, por uma dada empresa, por um conjunto de pessoas diferentes, mesmo que já exista diversas pontes construídas muito parecidas. Igualmente um projecto pode servir para alcançar uma multiplicidade de objectivos, não deixando de ser um considerado um projecto. Outra característica própria de um projecto é a sua elaboração progressiva, sendo composto por várias etapas. À medida que se toma conhecimento maior dos objectivos propostos, dos problemas em causa, um projecto pode ser reajustado. E a cada etapa é elaborado com mais detalhe procurando atingir os objectivos por completo. Na evolução gradual de um projecto, é importante ter o cuidado que as alterações que lhe são introduzidas não alteram significativamente os objectivos do projecto, particularmente se este é realizado sob contrato. Quando tal acontece pode ser importante uma renegociação do contrato com os clientes e outras partes envolvidas (em inglês, stakeholders). Gestão de Projectos A gestão de projectos é a aplicação de conhecimentos, técnicas e habilidades para projectar actividades com o fim de atingir propósito do projecto. A gestão de projecto envolve a utilização de diversos processos, tais como: a iniciação, o planeamento, a execução, o controle e o fecho. A equipa de projecto coordena o trabalho que envolve vários factores: Necessidades concorrentes: objectivo, tempo, risco e qualidade; Diversas partes envolvidas, com diferentes necessidades e expectativas; Análise das exigências do projecto. A característica iterativa de um projecto referida anteriormente implica que a equipa de projecto saiba coordenar da melhor forma a evolução do projecto. À medida que se conhece melhor os factores envolvidos no projecto deve-se procurar ajustá-los de forma a cumprir o objectivo do projecto com sucesso. O conjunto de práticas e conhecimentos descritos no PMBOK são aqueles geralmente aceites como úteis e de valorização para os projectos. No entanto não incluiu práticas e conhecimentos de administração geral, isto é, não relacionados com a elaboração específica de projectos. Porém há um conjunto destes que é comum a estas duas áreas sendo também referenciada. O PMBOK apenas reúne informação para a elaboração de projectos de uma forma geral. Apesar disso existem várias áreas de aplicação que possuem boas práticas próprias que podem ser ou não aceites como importantes em projectos de carácter geral. Um conjunto de termos distintos existe na área de gestão de projectos, que é importante distinguir. Acaba por existir uma hierarquia entre os termos plano estratégico, programa, projecto e subprojecto. O programa consiste em alguns projectos associados para a realização do plano estratégico da organização. Este corresponde a objectivos mais gerais de uma instituição. Um programa pode ser constituído tanto por projectos como por operações continuadas, geridos e coordenadas de forma a alcançar um dado objectivo. Os projectos são por vezes divididos em subprojectos 3

4 para que estes se tornem mais organizados e que se concentrem num objectivo mais especifico. Muitas vezes estes são contratados a outras instituições ou entregues a departamentos distintos da organização. 2 O contexto da Gestão de Projectos Tanto os projectos como a própria gestão dos mesmos incluem-se num contexto bem mais amplo do que aquele a que se cinge o próprio projecto. Logo, toda a equipa de gestão que está por trás do projecto deve ter noção deste facto. Assim deve-se ter em conta os seguintes aspectos aquando a gestão dum projecto: Fases do projecto e o seu ciclo de vida; Partes envolvidas no projecto; Influências da organização; Principais habilidades da administração geral; Influências Socio-económicas e ambientais. Fases de Um Projecto Geralmente, todos os projectos são divididos em sucessivas fases com o intuito de obter uma maior eficácia e facilidade da sua gestão. O conjunto de todas as fases é o que se denomina de ciclo de vida do projecto. Cada fase é marcada pela produção de um ou mais subprodutos que contribuem para o produto final de todo o projecto. Todas as fases devem encaixar-se numa sequência lógica para que cada subproduto proveniente de cada fase não veja a sua conclusão frustrada pela dependência de um outro inacabado. Quando uma fase é finalizada devem ter-se em conta alguns aspectos antes de passar para a seguinte: Avaliar o desempenho do produto resultado da fase em causa; Detectar e corrigir erros tendo em conta os custos; Determinar se o projecto deve continuar para a próxima fase. Estes testes e questões são denominadas saídas de fase, passagens de estágio e pontos de terminação. Ciclo de Vida de um Projecto O ciclo de vida de um projecto delimita o seu início e o seu fim. A sua definição constringe os procedimentos nele utilizados bem como outros aspectos: Quem deve estar envolvido em cada fase; 4

5 O custo e quantidade de recursos (humanos e económicos) envolvidos (podem variar durante a concepção do projecto); A probabilidade de atingir o sucesso (normalmente aumenta com o decorrer do projecto). Por vezes quando uma fase termina e o tempo de vida do projecto não é muito longo ou os riscos de passagem para a fase seguinte não se prevêem muito consideráveis é comum passar à fase seguinte sem finalizar os devidos testes da presente fase. Esta prática é conhecida por fast tracking. Dentro de cada fase podem-se distinguir, por vezes, outras sub fases e cada uma também deve respeitar o anteriormente referido. Há que distinguir o ciclo de vida do projecto do ciclo de vida do produto. O projecto é apenas uma parte envolvida na concepção deste e ainda a preparação de todo o caminho até ao fim do ciclo de vida do produto. Partes Envolvidas no Projecto As partes envolvidas num projecto são todos os indivíduos e organizações que nele participam bem como aqueles cujos interesses são afectados, positiva ou negativamente. Entre as partes em causa destacam-se: Líder na gestão do projecto; Cliente (stakeholder) pode ser um indivíduo ou organização que fará uso do produto no qual se insere o projecto em causa; Organização cujos funcionários estão directamente ligados à execução do projecto; Membros da equipa envolvida no projecto; Patrocinador indivíduo ou grupo que disponibiliza recursos financeiros. Além destas existem ainda muitas outras partes que podem ser consideradas. Organização Influências Tipicamente os projectos fazem parte de uma organização maior (corporações, agências do governo, instituições de saúde organismos internacionais, associações profissionais e outros). Esta influencia sempre o projecto que a integra. Quando falamos de organizações temos que nos centrar, inevitavelmente para aqueles que as compõem para compreender melhor a influência da organização sobre o projecto. As capacidades ou habilidades de gestão dos indivíduos constituem um dos principais factores que podem interferir com o progresso do projecto. 5

6 Entre as diversas aptidões distingue-se: Liderança capacidade de estabelecer uma direcção e ter noção do seu impacto futuro no projecto; Influência reflecte a forma como o líder consegue captar a atenção das pessoas e as consegue dirigir; Motivação e inspiração; Comunicação (oral, escrita, falada, ouvida, formal, informal, com a equipa, com o cliente, com o público, com a media); Negociação prende-se com a habilidade de ajustar recursos, objectivos, limites de tempo e de custo às necessidades actuais do projecto; Solucionar problemas tomar a decisão certa no momento certo com consciência dos sintomas e das causas de tal decisão. Durante todo o projecto existem variáveis socio-económicas a ter em conta que podem mudar o rumo deste. Se a qualquer momento existem modificações nas condições e tendências relativas à área sobre a qual o projecto incide, todo o projecto devese então moldar a tais mudanças. Além de um contexto social e económico existe também um contexto cultural a ter em conta. Cada vez mais as organizações se agregam em projectos que ultrapassam fronteiras geográficas e consequentemente culturais. Nestes casos os projectos adquirem uma maior complexidade e por isso uma necessidade acrescida de recursos (tecnologias, custos económicos) e de um maior sincronismo e conjugação entre distintos aspectos pertencentes a cada facção envolvida (diferenças horárias, tolerâncias culturais e políticas, distancia geográfica e logística). 3 Os Processos da Gestão de Projectos Um projecto assenta sobre várias áreas. Se alguma delas é demasiado focada e trabalhada faz com que as outras fiquem em detrimento. Para alcançar algum resultado é necessário que uma série de acções se efectue. Conforme as etapas pelas quais o projecto decorre são aplicados diferentes tipos de processo. Numa primeira fase é importante um processo de iniciação em que se pretende um compromisso por parte da organização em relação ao projecto. Posteriormente planear é outro dos processos que são bastante importantes. Este deve ser aplicado mesmo no próprio decurso do projecto. Dentro dos processos de planeamento podem-se focar aspectos específicos como sendo: planeamento dos recursos, do ciclo de vida do Projecto, da qualidade dos riscos e do planeamento organizacional. Depois de um primeiro planeamento passa-se à execução do projecto. Durante esta fase deve-se avaliar regularmente a qualidade do projecto, se possível melhorar as capacidades da equipa, seleccionar fornecedores e gerir as relações com estes. Os processos aqui utilizados são chamados processos de execução. No final deve fazer-se uma última avaliação do projecto e corrigir pequenos problemas que surjam e todo o conhecimento adquirido deve ser compilado para possibilitar o seu uso em projectos futuros. 6

7 4 Gestão da Integração do Projecto A gestão da integração do projecto inclui os processos necessários para a sincronização correcta dos diversos elementos de um projecto. Os processos de gestão de projectos, com respectivas ferramentas e técnicas, entradas e saídas mencionadas, são o objectivo deste capítulo: Desenvolvimento do Plano do Projecto Consiste principalmente na elaboração de um documento consistente e coerente que possa guiar a execução e o controlo do projecto. Um processo é frequentemente executado várias vezes, pelo que depois de elaborado um plano mais geral, é frequente optimizá-lo e detalhá-lo para obter o plano final a ser seguido no decorrer do projecto. Execução do Plano do Projecto Processo básico de realização do plano do projecto, é aqui que o produto do projecto será criado e por isso o desempenho das actividades envolvidas devem ser constantemente monitorizadas e corrigidas com base no desempenho real, e não no plano do projecto. Esta é normalmente a fase mais dispendiosa do desenvolvimento do produto em causa. Controlo Integrado de Alterações Responsável por controlar os factores responsáveis por imprevistos, por os detectar e resolver célere e eficazmente. Deve manter a integridade das medidas básicas de desempenho, assegurar que as mudanças no objectivo do produto se reflictam na definição de objectivo do projecto e coordenar as alterações entre as áreas de conhecimento. 5 Gestão do Objectivo do Projecto A gestão do objectivo do projecto abrange todos os processos necessários para que o projecto inclua todo e somente o trabalho necessário para completar o projecto com sucesso. Assume a preocupação em definir o que está e o que não está incluído no projecto, e elimina o dispensável. Os principais processos incluídos na gestão do objectivo do projecto são então: Iniciação Consiste em reconhecer formalmente que um projecto é viável e exequível e por conseguinte deve ser levado a cabo. Muitos projectos só são iniciados depois de uma avaliação de requisitos, de um estudo de viabilidade, de um plano preliminar, ou de outra qualquer forma.de avaliação. Planeamento do Objectivo Baseia-se em elaborar e documentar progressivamente o trabalho do projecto a fim de produzir o respectivo produto. A partir da descrição do produto, da project charter, das restrições e das premissas, obter-se-á a declaração do objectivo e o seu plano de gestão. 7

8 Subdivisão do objectivo Resume-se na divisão dos principais subprodutos do projecto em componentes menores, com o objectivo de criar condições favoráveis e melhorar a precisão das estimativas de custo, tempo e recursos, e para definir um baseline de controlo do desempenho facilitando a atribuição clara de responsabilidades. Verificação do objectivo Cifra-se na revisão dos produtos e resultados do trabalho e tem como finalidade verificar se os objectivos foram todos atingidos de forma satisfatória. Estabelece o nível e extensão do que foi concluído do projecto, caso este tenha sido cancelado a meio do processo. Consiste na aceitação dos resultados de trabalho. Controlo de Mudanças do objectivo - Responsável por controlar os factores responsáveis por imprevistos, para que as mudanças sejam antecipadas, controladas, rapidamente e eficazmente. 6 Gestão do Tempo do Projecto A gestão do tempo do projecto inclui os processos responsáveis por controlar e assegurar que o prazo estabelecido para a conclusão de um projecto é aceitável. São então abordados os seguintes pontos: Definição das Actividades Envolve identificar e documentar as actividades a realizar com a finalidade de produzir os diversos níveis de subprodutos. Está implícita a necessidade de definir as actividades voltadas para os objectivos do projecto. Sequenciação das Actividades Consiste em identificar a dependência entre actividades de forma a poder elaborar uma sequência cronológica. A partir da sequência obtida quer manual (em projectos de reduzidas dimensões), quer automaticamente, poderá ser posteriormente elaborado um cronograma. Estimativa da Duração das Actividades Encarrega-se de gerar as durações estimadas de cada uma das actividades (ou de espera entre elas) para serem incluídas num cronograma. São frequentemente obtidas por uma pessoa ou grupo de trabalho mais familiarizado com a natureza de uma actividade específica. Desenvolvimento do Cronograma Baseia-se na elaboração de um cronograma, tendo já como informação as datas de início e de fim de cada uma das actividades específicas. 8

9 Controlo do Cronograma Consiste em influenciar os factores que poderão criar mudanças no cronograma, para que estas sejam benéficas, determinar que este foi alterado, e gerir as mudanças reais, como e quando elas ocorrem. 7 Gestão do Custo do Projecto Enumera o conjunto de processos responsáveis por assegurar que o custo do projecto não ultrapassará o orçamento previsto anteriormente, sendo eles: Planeamento dos Recursos Determinação dos recursos físicos necessários, quando serão necessários e em que quantidade cada um será utilizado. Estimativa dos Custos A estimativa dos custos consiste em desenvolver uma estimativa para os custos de cada uma das actividades executadas no projecto, uma vez que as pequenas alterações em cada actividade são consideradas as principais causas de variação da estimativa final. Isto tem como propósito melhorar a gestão do projecto. Orçamentação dos Custos Envolve atribuir as estimativas de custos globais às actividades individuais dos pacotes de trabalho, definindo um baseline de custo com a finalidade de medir o desempenho do projecto. Geralmente não é feita antes da aprovação do orçamento, mas é aconselhável que o seja. Controlo dos Custos Consiste em influenciar os factores que possam ser responsáveis por alterações nos custos, para que estas sejam benéficas, determinar alterações no baseline de custo e geri-las caso surjam. 8 Gestão da qualidade do projecto A gestão da qualidade do projecto é constituída por processos que garantem que este irá satisfazer os requisitos pedidos pelo cliente. Isto implica a gestão e determinação das políticas, objectivos e responsabilidades da qualidade. Podemos dividir esta secção em três partes distintas, o planeamento, a garantia e o controle da qualidade. O planeamento da qualidade que consiste em determinar quais os padrões de qualidade relevantes para o projecto e como devem ser satisfeita. A garantia da qualidade que avalia periodicamente o desempenho geral do projecto assegurando os padrões de qualidade considerados relevantes no ponto anterior. 9

10 O controle da qualidade que visa monitorizar os resultados específicos do projecto determinando se estes estão de acordo com os padrões de qualidade relevantes e ainda traçar estratégias para eliminar resultados insatisfatórios. Para que o projecto tenha a qualidade necessária torna-se então necessário satisfazer os requisitos dos clientes preferencialmente sem recorrer a horas extra de trabalho, pois isto pode criar atritos entre os funcionários, fazendo um esforço para cumprir os prazos de entrega nunca descuidando as inspecções de qualidade planeadas pois estas desempenham um papel extremamente importante na qualidade do produto final. 9 Gestão dos recursos humanos do projecto A gestão dos recursos humanos inclui diversos métodos capazes de optimizar o uso das competências de todas a partes presentes no projecto (por exemplo patrocinadores, clientes, contribuintes individuais). Os principais processos a ter em conta nesta secção são: Planeamento organizacional consiste em identificar, documentar e designar papéis, responsabilidades e relacionamentos dentro do projecto; Montagem da equipa garantir que os recursos humanos necessários ao desenvolvimento do projecto estão disponíveis; Desenvolvimento da equipa desenvolver competências individuais e de grupo de maneira a melhorar o desempenho do projecto. E necessário ter em conta a forma como se deve lidar com cada pessoa no contexto operacional, nomeadamente, liderança, encorajamento, instrução, tratamento de conflitos. 10 Gestão das comunicações do projecto A gestão das comunicações inclui os processos necessários para garantir o desenvolvimento, disseminação, recolha, aproveitamento e troca das informações do projecto. Note-se, entre outros, a importância do planeamento das comunicações, isto é quem é que vai precisar de o quê, como e quando vai precisar. Isto torna-se extremamente útil na medida em que, em várias fases será necessário a vários elementos do grupo, para continuarem o seu trabalho, informações geradas por outros elementos. O relato do desempenho que consiste em reunir e informar sobre o desempenho das partes envolvidas, incluindo relatórios sobre estado actual do projecto, medidas de progresso e previsões. Finalmente o encerramento administrativo consiste em determinar quando se encontra concluída uma fase do projecto ou o próprio projecto, tornando-se necessá- 10

11 rio informar os participantes do panorama actual, de modo a que uma nova fase seja iniciada tendo bem em conta o que já foi feito. 11 Gestão de riscos do projecto Este processo deve ser efectuado sistematicamente, residindo a sua importância em tentar minimizar a probabilidade e o impacto dos efeitos negativos e maximizar a probabilidade e os benefícios dos efeitos positivos. O planeamento da gestão do risco consiste em planear e decidir como irão ser encaradas as situações de risco, ter em conta que existem organizações que já têm, à partida, políticas de gestão, planeamento e tolerância de riscos. Deve-se determinar e documentar as características de todos os riscos previsíveis, bem como analisá-los qualitativa e quantitativamente, ou seja, determinar a prioridade de cada um e o respectivo impacto nos resultados finais. Posto isto torna-se necessário planear respostas (procedimentos e técnicas) capazes de reduzir as ameaças aos objectivos do trabalho e ainda assegurar o controlo e monitorização destes. 12 Gestão das aquisições do projecto A gestão das aquisições do projecto inclui processos que visam a obtenção de bens e serviços externos à organização empreendedora. Esta fase pode ser dividida em: Planeamento das aquisições determina-se o que adquirir e quando; Preparação das aquisições documentar as requisições do produto e identificar os potenciais fornecedores; Obtenção de proposta obter propostas de fornecimento podendo recorrer, conforme cada caso, a diferentes meios (cotações de preço, cartas de convite, licitação); Selecção de fornecedores seleccionar entre os possíveis fornecedores tendo em conta a proposta mais vantajosa; Administração dos contratos gerir o bom relacionamento com os fornecedores; Encerramento do contrato completar e liquidar o contrato e resolver qualquer assunto pendente, caso exista. 11

12 13 Conclusão Uma pessoa envolvida na gestão de projectos poderá consultar este conjunto de conhecimentos de forma a interiorizar um conjunto de boas práticas e técnicas adequadas a um projecto. Mesmo que algumas possam parecer de senso comum, nem todas as pessoas possuem determinadas experiências profissionais que lhe transmitam esse conhecimento. Esta aprendizagem poderá aumentar a eficácia e produtividade do projecto. Tal poderá ser mesmo determinante no sucesso do seu projecto. O PMBOK reúne um conjunto de informação útil para a elaboração de projectos que executivos, gestores de projecto, gestores de gestores de projecto, clientes de um produto a desenvolver num projecto poderão recorrer a ele de forma adquirir mais conhecimento neste domínio. 14 Bibliografia e Referências Project Management Institute (PMI) A Guide to the Project Management Body of Knowledge Gerência de Projectos Project Management Body of Knowledge 12

fagury.com.br. PMBoK 2004

fagury.com.br. PMBoK 2004 Este material é distribuído por Thiago Fagury através de uma licença Creative Commons 2.5. É permitido o uso e atribuição para fim nãocomercial. É vedada a criação de obras derivadas sem comunicação prévia

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

GESTÃO de PROJECTOS. Gestor de Projectos Informáticos. Luís Manuel Borges Gouveia 1

GESTÃO de PROJECTOS. Gestor de Projectos Informáticos. Luís Manuel Borges Gouveia 1 GESTÃO de PROJECTOS Gestor de Projectos Informáticos Luís Manuel Borges Gouveia 1 Iniciar o projecto estabelecer objectivos definir alvos estabelecer a estratégia conceber a estrutura de base do trabalho

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares

Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Curso de Arquivologia Profa. Lillian Alvares O Project Management Institute é uma entidade sem fins lucrativos voltada ao Gerenciamento de Projetos.

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

Porque estudar Gestão de Projetos?

Porque estudar Gestão de Projetos? Versão 2000 - Última Revisão 07/08/2006 Porque estudar Gestão de Projetos? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para projetos

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Grupo de Consultores em Governança de TI do SISP 20/02/2013 1 Agenda 1. PMI e MGP/SISP 2. Conceitos Básicos - Operações e Projetos - Gerenciamento de Projetos - Escritório de

Leia mais

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS Sr(as) Gerentes de Projeto, O PMBOK, compilado pela expertise do PMI Project Management Institute, é a linha mestra que nos conduz ao conhecimento

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto?

Objetivos da aula. Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. O que é um plano de projeto? O que é um projeto? Planejamento, Execução e Controle de Projetos de Software. Objetivos da aula 1) Dizer o que é gerenciamento de projetos e a sua importância; 2) Identificar os grupos de processos do gerenciamento de projetos

Leia mais

Gerência de Projetos. O segredo para ter sucesso na implantação de Tecnologia da informação

Gerência de Projetos. O segredo para ter sucesso na implantação de Tecnologia da informação Gerência de Projetos O segredo para ter sucesso na implantação de Tecnologia da informação Introdução e Conceitos Conceitos importantes para o entendimento da disciplina O que é um projeto? Um projeto

Leia mais

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000

ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário. As Normas da família ISO 9000. As Normas da família ISO 9000 ISO 9000:2000 Sistemas de Gestão da Qualidade Fundamentos e Vocabulário Gestão da Qualidade 2005 1 As Normas da família ISO 9000 ISO 9000 descreve os fundamentos de sistemas de gestão da qualidade e especifica

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) PMI O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? O PMBoK Guide 3º Edition (2004) é uma denominação que representa todo o somatório de conhecimento dentro da área de gerenciamento de projetos, além de fornecer uma

Leia mais

Gerência de Projetos

Gerência de Projetos Gerência de Projetos Escopo Custo Qualidade Tempo CONCEITO PROJETOS: são empreendimentos com objetivo específico e ciclo de vida definido Precedem produtos, serviços e processos. São utilizados as funções

Leia mais

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N. Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.º 32603 INTRODUÇÃO Na área do controlo de gestão chamamos atenção para

Leia mais

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta.

Palavras-Chave: Aquisições; Planejamento de Aquisições; Controle de Aquisições; Projeto; Lead time; Processo; Meta. 1 A INFLUÊNCIA DO PLANEJAMENTO E CONTROLE DA AQUISIÇÃO NO PRAZO FINAL DO PROJETO Euza Neves Ribeiro Cunha RESUMO Um dos grandes desafios na gerência de projetos é planejar e administrar as restrições de

Leia mais

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps)

O que é um projeto? Características de um projeto. O Que é o PMBoK Guide 3º Edition? Desmembrando o PMBoK através de mapas mentais (Mindmaps) O que é um projeto? Projeto é um empreendimento não repetitivo, caracterizado por uma sequência clara e lógica de eventos, com início, meio e fim, que se destina a atingir um objetivo claro e definido,

Leia mais

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos

Aula 4. Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Aula 4 Introdução ao PMBOK e aos Processos da Gerência de Projetos Objetivo Visualizar a gerência de projetos como um conjunto de processos encadeados e integrados. Lidar com as interações que podem ser:

Leia mais

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro:

Teoria e Prática. Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009. Rosaldo de Jesus Nocêra, PMP, PMI-SP, MCTS. do PMBOK do PMI. Acompanha o livro: Gerenciamento de Projetos Teoria e Prática Totalmente de acordo com a 4 a Edição/2009 do PMBOK do PMI Acompanha o livro: l CD com mais de 70 formulários exemplos indicados pelo PMI e outros desenvolvidos

Leia mais

Uma plataforma estratégica

Uma plataforma estratégica Publicado: Fevereiro 2007 Autor: Rui Loureiro Sénior Partner Implementar o Help Desk Quando simplesmente pensamos em implementar um Help Desk, isso pode significar uma solução fácil de realizar ou algo

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração

Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das Partes Interessadas e da Integração Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 4: Gerenciamento dos Riscos, das Aquisições, das

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

Como concluir um projeto com sucesso?

Como concluir um projeto com sucesso? Como concluir um projeto com sucesso? Luiz Eduardo Cunha, Eng. Professor da FAAP e do IMT 1 Luiz Eduardo Cunha Graduado em Engenharia de Produção EPUSP Pós-Graduado em Gestão do Conhecimento e Inteligência

Leia mais

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos

Plataforma da Informação. Gerenciamento de Projetos Plataforma da Informação Gerenciamento de Projetos Motivação Por que devemos fazer Projetos? - O aprendizado por projetos, faz parte de um dos três pilares de formação do MEJ; -Projetos são oportunidades

Leia mais

A gestão da qualidade e a série ISO 9000

A gestão da qualidade e a série ISO 9000 A gestão da qualidade e a série ISO 9000 Seminário QUALIDADE E EXCELÊNCIA NA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃ ÇÃO FLUP 3 Novembro 2005 3 Novembro 2005 Maria Beatriz Marques / APQ-DRN A gestão da qualidade e a série

Leia mais

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS ISSN 1984-9354 GUIA PMBOK PARA GERENCIAMENTO DE PROJETOS Emerson Augusto Priamo Moraes (UFF) Resumo Os projetos fazem parte do cotidiano de diversas organizações, públicas e privadas, dos mais diversos

Leia mais

F.1 Gerenciamento da integração do projeto

F.1 Gerenciamento da integração do projeto Transcrição do Anexo F do PMBOK 4ª Edição Resumo das Áreas de Conhecimento em Gerenciamento de Projetos F.1 Gerenciamento da integração do projeto O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos

Leia mais

Aula 04 - Planejamento Estratégico

Aula 04 - Planejamento Estratégico Aula 04 - Planejamento Estratégico Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam permitir com que você saiba definir o escopo do projeto. Para tal, serão apresentados elementos que ajudem a elaborar

Leia mais

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008

ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003. Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 ORIENTAÇÃO SOBRE PRINCÍPIOS DE AUDITORIA NP EN ISO 19011:2003 Celeste Bento João Carlos Dória Novembro de 2008 1 SISTEMÁTICA DE AUDITORIA - 1 1 - Início da 4 - Execução da 2 - Condução da revisão dos documentos

Leia mais

i 3.2 Assegurar Integridade e Profissionalismo 43 9 3.2.1 Lucro Pessoal 44

i 3.2 Assegurar Integridade e Profissionalismo 43 9 3.2.1 Lucro Pessoal 44 ICE Introdução 1 PARTE I - CONTEXTO DA GESTÃO DE PROJECTOS E NORMAS DO MERCADO 1. Enquadramento da Gestão de Projectos 7 1.1 Definição de Projecto 7 1.2 Intervenientes no Projecto 9 1.3 Triângulo de Restrições

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO

GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO GERÊNCIA DE INTEGRAÇÃO DO PROJETO Estevanir Sausen¹, Patricia Mozzaquatro² ¹Acadêmico do Curso de Ciência da Computação ²Professor(a) do Curso de Ciência da Computação Universidade de Cruz Alta (UNICRUZ)

Leia mais

ECTS: European Credit Transfer System (Sistema europeu de transferência de créditos)

ECTS: European Credit Transfer System (Sistema europeu de transferência de créditos) http://www.dges.mcies.pt/bolonha/ ECTS: European Credit Transfer System (Sistema europeu de transferência de créditos) A razão de um novo sistema de créditos académicos Um dos aspectos mais relevantes

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Gerenciamento do escopo

Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Gerenciamento do escopo Escopo pode ser definido como a soma dos produtos de um projeto, bem como a descrição de seus requisitos. O momento de definir o escopo é a hora em que o

Leia mais

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso

Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Análise de Processos do PMBOK em uma Fábrica de Software Um Estudo de Caso Carlos Alberto Rovedder, Gustavo Zanini Kantorski Curso de Sistemas de Informação Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Campus

Leia mais

Mónica Montenegro António Jorge Costa

Mónica Montenegro António Jorge Costa Mónica Montenegro António Jorge Costa INTRODUÇÃO... 4 REFERÊNCIAS... 5 1. ENQUADRAMENTO... 8 1.1 O sector do comércio em Portugal... 8 2. QUALIDADE, COMPETITIVIDADE E MELHORES PRÁTICAS NO COMÉRCIO... 15

Leia mais

Começo por apresentar uma breve definição para projecto e para gestão de projectos respectivamente.

Começo por apresentar uma breve definição para projecto e para gestão de projectos respectivamente. The role of Project management in achieving Project success Ao longo da desta reflexão vou abordar os seguintes tema: Definir projectos, gestão de projectos e distingui-los. Os objectivos da gestão de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 1 A avaliação de desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho dos trabalhadores nos respectivos cargos e áreas de actuação e do seu potencial de desenvolvimento (Chiavenato).

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

Planejamento e Gerência de Projetos de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás

Planejamento e Gerência de Projetos de Software. Prof.: Ivon Rodrigues Canedo. PUC Goiás Planejamento e Gerência de Projetos de Software Prof.: Ivon Rodrigues Canedo PUC Goiás Projeto É um trabalho que visa a criação de um produto ou de serviço específico, temporário, não repetitivo e que

Leia mais

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO

CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO CRITÉRIO 3: SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO DO DESEMPENHO Este capítulo inclui: Visão geral O Ciclo de Gestão do Desempenho: Propósito e Objectivos Provas requeridas para a acreditação Outros aspectos

Leia mais

Gerência de Projetos de Software com PMBOK

Gerência de Projetos de Software com PMBOK Faculdades Integradas Paiva de Vilhena Curso: Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Gerência de Projetos de Software RODRIGO GOMES DA SILVA Gerência de Projetos de Software com PMBOK Campanha

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis

Gerenciamento de Projetos. Prática essencial para gerar negócios sustentáveis MBA em Gestão de Projetos Gerenciamento de Projetos Prática essencial para gerar negócios sustentáveis Prof: Ângelo Braga, PMP, MBA angelo.braga@fgv.br eu@angelobraga.com.br 2/154 Contatos Prof. Ângelo

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS

IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS IDENTIFICAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS PARA A GESTÃO DE PROJETOS Claudio Oliveira Aplicações de CRM Claudio Oliveira Apresentação Claudio Oliveira (cloliveira@usp.br) Professor da Fundação Vanzolini

Leia mais

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS

ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS ASPECTOS GERAIS DE PROJETOS O que é PROJETO Um empreendimento com começo e fim definidos, dirigido por pessoas, para cumprir objetivos estabelecidos dentro de parâmetros de custo, tempo e especificações.

Leia mais

Gerenciamento de Riscos

Gerenciamento de Riscos Gerenciamento de Riscos o Processo sistemático o Análise e resposta aos riscos do projeto o Minimizar as consequências dos eventos negativos o Aumento dos eventos positivos Gerenciamento de Riscos o Principais

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013

FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 FICHA TÉCNICA DO CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO DE PROJECTOS NÍVEL 1 EDIÇÃO Nº 01/2013 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Especialização em Gestão de Projectos Nível 1 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Este curso constitui

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares

GESTÃO DE PROJETOS. Prof. Anderson Valadares GESTÃO DE PROJETOS Prof. Anderson Valadares Projeto Empreendimento temporário Realizado por pessoas Restrições de recursos Cria produtos, ou serviços ou resultado exclusivo Planejado, executado e controlado

Leia mais

Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso

Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso Como elaborar um Plano de Negócios de Sucesso Pedro João 28 de Abril 2011 Fundação António Cupertino de Miranda Introdução ao Plano de Negócios Modelo de Negócio Análise Financeira Estrutura do Plano de

Leia mais

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos

Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos Gestão de Projetos Empresariais Objetivos: Conceituar projetos e a gerência de projetos. Conhecer a importância e os benefícios do gerenciamento de projetos Conhecer o PMI, o PMBOK, os grupos de processos

Leia mais

Gestão de Projetos PMI - PMBOK

Gestão de Projetos PMI - PMBOK Os Processos de um projeto 2 Projetos são organizados por processos, adaptados, à sua natureza e ao seu ciclo de vida. Gestão de Projetos PMI - PMBOK São realizados por pessoas que estão alocadas no projeto

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK

Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Residência em Arquitetura de Software Demais Áreas de Conhecimento do PMBOK Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Desenvolvimento 2008.2 Faculdade de Computação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO GERENCIAMENTO DE PROJETOS NAS EMPRESAS THALITA ZOTTELE NUNES THOMAZ i RESUMO A gestão adequada dos projetos traz benefícios para a organização podendo ser empregada em resoluções de problemas

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

Dário Afonso Fernanda Piçarra Luisa Ferreira Rosa Felisberto Módulo: 3786, Controlo de Riscos

Dário Afonso Fernanda Piçarra Luisa Ferreira Rosa Felisberto Módulo: 3786, Controlo de Riscos Medidas de Prevenção e Protecção Dário Afonso Fernanda Piçarra Luisa Ferreira Rosa Felisberto Módulo: 3786, Controlo de Riscos 30 - Novembro, 2010 ÍNDICE Introdução - Medidas de Prevenção e Protecção pág.

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS

2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS - DOCUMENTO 15 Extractos dos Referentes Externos e Internos que suportam o Referencial 2.2. GESTÃO DOS RECURSOS HUMANOS REFERENTES EXTERNOS LEGISLAÇÃO Lei nº 31/2002 de 20 de Dezembro CAPÍTULO I Sistema

Leia mais

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) na Gestão Empresarial Marketing Interno Licenciatura de Comunicação Empresarial 3º Ano Docente: Dr. Jorge Remondes / Discente: Ana Teresa Cardoso

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Aula Nº 13 Fechamento do projeto

Aula Nº 13 Fechamento do projeto Aula Nº 13 Fechamento do projeto Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam apresentar como se encerra o ciclo de vida de um projeto. Para tal, pretende-se verificar as derradeiras providências que

Leia mais

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS

PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS PMBOK - Project Management Body of Knowledge - PORTUGUÊS Sr(as) Gerentes de Projeto, O PMBOK, compilado pela expertise do PMI Project Management Institute, é a linha mestra que nos conduz ao conhecimento

Leia mais

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação. Tema: Gestão de Projetos - Conceitos Básicos

Concurso da Prefeitura São Paulo. Curso Gestão de Processos, Projetos e Tecnologia da Informação. Tema: Gestão de Projetos - Conceitos Básicos Contatos: E-mail: profanadeinformatica@yahoo.com.br Blog: http://profanadeinformatica.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/anapinf Concurso da Prefeitura São Paulo Curso Gestão de Processos,

Leia mais

SI Sistema de Informação Anexo 4

SI Sistema de Informação Anexo 4 onselho oordenador omo implementar? No actual quadro da dministração Pública torna-se necessário avaliar o desempenho dos serviços, o que implica, para os gestores públicos, desenvolver (os seus) sistemas

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Motivação Por que estudar Gerenciamento de Projetos? As habilidades mais valorizadas pelas organizações são Liderança (89%) Comunicação (78%) Conhecimento em Gerenciamento de

Leia mais

Indice. Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos. Introdução... 1

Indice. Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos. Introdução... 1 r Indice Introdução.......................................... 1 Parte I - Um Modelo de Gestão de Projectos 1- Características da Gestão de Projectos 11 1.1 Definição de Projecto 11 1.2 Projectos e Estratégia

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto

Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Gerenciamento de Projetos Modulo II Ciclo de Vida e Organização do Projeto Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Organização do Projeto Os projetos e o gerenciamento

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com

Gerenciamento de Projetos. Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com Gerenciamento de Projetos Prof. Dr. Rodolfo Miranda de Barros rodolfomdebarros@gmail.com MODELO DE GERENCIAMENTO PMI PMI (Project Management Institute); O modelo PMI é divido em áreas de conhecimento da

Leia mais

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações

Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos Humanos e das Comunicações ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 3: Gerenciamento da Qualidade, dos Recursos

Leia mais

CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Processos de Gestão ADC/DEI/FCTUC/2000/01 CAP. 2 Introdução à Gestão das Organizações 1 CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES 2.1. Conceito de Gestão Vivemos numa sociedade de organizações (dos

Leia mais

Vigilância Tecnológica

Vigilância Tecnológica Vigilância Tecnológica Filipe Duarte, 2010 1 Objectivo Conhecer as bases para implementar um sistema de vigilância tecnológica (SVT) 2 O que É? Um sistema de vigilância tecnológica (SVT) é uma ferramenta

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos

Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Gerenciamento de Projetos Modulo III Grupo de Processos Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com PMBoK Processos de Gerenciamento de Projetos Para que um projeto seja bem-sucedido,

Leia mais

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos

3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos 3 Metodologia de Gerenciamento de Riscos Este capítulo tem como objetivo a apresentação das principais ferramentas e metodologias de gerenciamento de riscos em projetos, as etapas do projeto onde o processo

Leia mais

Gestão de Projetos Logísticos

Gestão de Projetos Logísticos Gestão de Projetos Logísticos Professor: Fábio Estevam Machado CONTEÚDO DA AULA ANTERIOR Teoria Gestão de Projetos Introdução História Ferramentas Áreas do Conhecimento - Exercício AULA 3 Gestão de Projetos

Leia mais

Tutorial norma ISO 9001

Tutorial norma ISO 9001 Tutorial norma ISO 9001 Docente: Prof. Dr. José Carlos Marques Discentes-Grupo 3: Luciane F. I. Ramos Fonseca Ana Paula C. Vieira Lúcia Melim Ana Paula Neves Funchal, Maio de 2009 1. CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE

Leia mais

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP

CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP CURSOS GERENCIAIS 20/12/2010 Antonio Roberto Grazzia, MBA, PMP Em um ambiente de negócios competitivo, a condução de projetos de forma eficiente e sem desperdícios é um grande diferencial para o sucesso.

Leia mais

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano

Unidade I GERENCIAMENTO DE. Profa. Celia Corigliano Unidade I GERENCIAMENTO DE PROJETOS DE TI Profa. Celia Corigliano Objetivo Estimular o aluno no aprofundamento do conhecimento das técnicas de gestão profissional de projetos do PMI. Desenvolver em aula

Leia mais