3. DO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "3. DO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO"

Transcrição

1 Ed Nº01 /2021 Jul hode2021 PROCESSO DEADMI SSÃO DEALUNOSNOVOSPARA O ANO LETI VO DE2022 2ºAnodoEns nofundamen à2ªsé edoens noméd o AD eçãodocol ég of ancob as l e o,nousodesuasa bu çõesepo me odes eed, o napúbl coop ocessodeadm ssãodeal unosnovos pa aoanole vode2022. Asegu,sãoap esen adasasno mas ef e en esaosc é osde pa c pação, nsc ção,sel eçãoema í cul a. 1.DOSCRI TÉRI OSPARA PARTI CI PAÇÃO NESTEPROCESSO DEADMI SSÃO Pode ãopa c pades ep ocessoadm ss oncand da osao2ºanodo Ens nofundamen a éa2ªsé edoens noméd o. 2.Os unoscand da osaop og amadeapo oaosal unosdoens no Méd odomun cí p odor odej ane opa c pa ãodep ocessoadm ss on especí fico,com basenoed nº03/ Oscand da osdevem concl u,em 2021,asé ean e oàquel apa aa ques ãopa c pandodes ep ocesso.casonãoob enham ap ovaçãoao findoanol e vonaescol adeo gem,ama í cul aem nossaescol aes a á suj e aà emanescênc adevagas. A nsc çãodocand da onop ocessode ng esso mpl caaace ação dos e mosecond çõesdes eed,nãopodendoo esponsávelpel a nsc çãoouo esponsávell egdocand da o egadesconhec men ode a s e mosecond ções. 2.DASETAPASDO PROCESSO DEADMI SSÃO 2. O p ocessoadm ss onécompos odassegu n ese apas: I -P eench men odofo mul á odei nsc ção I I -Av açãodelí nguapo uguesa,p oduçãotex uema emá ca Pág1

2 Il- Do 2 ao 5 ano do Ensno Fundamen: avação do Bolem Escola do canddao e enevsa (caso seja ndcado pela equpe pedagógca). Do 6 ano do Ensno Fundamen à 2 ª Sée do Ensno Médo: avação do Bolem Escola do canddao e enevsa com o canddao e seu esponsável. IV- Maícula, com acee dg do Conao de Pesação de Sevços Educaconas. 3. DO PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO 3.1 O peenchmeno do Fomuláo de Inscção dos canddaos seá ezado, exclusvamene, on-lne, po meo do endeeço eleônco hps://snegaeducacao.appbs.com.blnsccao-/ceu, aé o da 31 de agoso de Todos os canddaos devem peenche o fomuláo ndcado acma, mesmo aqueles que enham pacpado de pocessos aneoes O peenchmeno do Fomuláo de Inscção não assegua a maícula ou a vaga, devendo o canddao cump odas as eapas do pocesso admsson. 3. O esponsável pela nscção do canddao espondeá neamene pelas nfomações pesadas. O peenchmeno ncoeo ou nexao dos dados mplcaá a exclusão do canddao do pocesso admsson e, consequenemene, mpossbldade de maícula, anda que haja vagas Concluído o peenchmeno do Fomuláo de Inscção, seá auomacamene envado um e-m paa o endeeço eleônco nfomado pelo esponsável. Ese seá o meo de comuncação ulzado paa odas as nfomações efeenes ao pocesso admsson do canddao. Caso o esponsável não eceba esa comuncação, deveá ena em conao com o Colégo po meo do e-m

3 DA PREVI SÃO EDO PREENCHI MENTO DASVAGAS Ap ev sãodevagas nf o madasnes eed podesof e e ações conf o mef o maçãode u maspa aop óx moanol e vo. 2.Asvagasse ãop eench dasdeaco docom osegu n ec é ode p o dade; 1ºF l hosdecol abo ado es 2ºI mãosde unos,desdequees ej am ad mpl en es( J URÍ DI CO) 3ºAl unosdasescol aspa ce as 4ºF l hosdeex unos 5ºDema scand da os 3.Casohaj aum núme oma odecand da osdoquevagasd sponí ve s,o p eench men odes asoco e ápoo dem decl ass ficação,deaco docom o em 5. 7des eed.oscand da osexceden espe manece ãoem l s ade espe a,cuj ao dem se ádefin dapel osmesmosc é os.em casode des s ênc aousu g men odenovavaga,es espode ãosechamadosa éo d a28dedezemb ode2021,da aem quees eed exp a. Asaul as egul a esdo2ºao5ºanodoens nofundamen oco em no u noda a de,das13h15m nàs17h45m n.háasegu n ep ev sãode of e adevagas. Pág3

4 5.Asaul as egul a esdo6ºanodoens nofundamen aoens noméd o oco em no u nodamanhã,das7hàs12h20m n.háasegu n ep ev são deof e adevagas. 5.DASAVALI AÇÕES 5. Todososcand da os e za ão,em ca á eel m na ó oe cl ass fica ó o,av açõesdelí nguapo uguesa,p oduçãotex ue Ma emá ca,exce oos unoseg essosdasescol aspa ce as,cand da osao 6ºAnodoEns nofundamen O P og amadasav açõesse áenv adonod a20deagos o,pa ao ema ldo esponsável Asp ovasoco e ãonassegu n esda aseho á os: Pág4

5 5. O modelo das avações - emoo e/ou pesenc - seá nfomado poseomene, a depende das condções sanáas de nossa cdade Caso o canddao possua guma Necessdade Educacon Espec, o esponsável deveá ndca a condção duane o peenchmeno do Fomuláo de Inscção e nfoma as adequações necessáas que nos possblaão eza o melho aendmeno e gaan a equdade no pocesso Os canddaos que obveem noa nfeo a 5,0, em quque uma das avações, seão desclassfcados do pocesso Os canddaos que obveem noa gu ou supeo a 5,0 seão apovados e a classfcação dependeá da noa méda obda nas avações. Em caso de empae, seão ulzados os segunes céos, na segune odem: noa obda na avação de Língua Pouguesa, noa obda na avação de Maemáca, mao dade do canddao Os esponsáves seão nfomados po e-m da daa e hoáo da enevsa ndvdu, que ocoeá ene os das 20 e 30 de seembo Cada esponsável ecebeá, no da 10 de ouubo, no e-m cadasado, o esulado efeene à suação ndvdu do canddao. As avações, bem como as chaves de coeção, são de domíno do Colégo e não seão aceos peddos de vsa de pova, evsão ou quque oua solcação desa naueza. 5.1 O. Caso não haja canddaos apovados sufcenes paa o peenchmeno das vagas, elas podem pemanece dsponíves. 5.1 Os canddaos classfcados, mas paa os quas não houve vaga dsponível, pemaneceão em lsa de espea. Em caso de dessênca ou sugmeno de nova vaga, eses seão nofcados po e-m e podeão eza a maícula no peíodo nfomado nà comuncação. PáCJ 5

6 6. DA MATRÍCULA 6. A maícula dos canddaos conemplados com a vaga deveá se efeuada do da 04 ao da 22 de ouubo, po meo do lnk envado paa o e-m do esponsável, segundo as oenações condas nese e-m Os canddaos que não concluíem o pocesso de maícula deno dese pazo eão sua vaga dsponblzada paa o póxmo canddao da lsa de espea Os canddaos da lsa de espea que foem chamados paa eza maícula em função de dsponbldade de vaga, deveão fazê-la deno do pazo nfomado. Caso conáo, a vaga seá dsponblzada ao póxmo canddao. 7. OUTRAS INFORMAÇÕES 7. O conhecmeno pévo de Língua Fancesa não é um equso necessáo à admssão do uno Um novo pocesso admsson podeá se ezado, apenas paa as sées nas quas houve vagas a seem peenchdas O Colégo ofeece, do Maen I ao 5 Ano, exensão do peíodo egula de ensno. Do 2 ao 5 Ano, há as segunes moddades: Sée/ Ano Das da Semana Hoáo 2 ao 5 Ano 3 ou 5 vezes po das 7h30mn às semana 7. O Colégo ofeece, ambém no conauno do Ensno Regula, do Maen l à 3 ª Sée do Ensno Médo, a possbldade de pacpação nas avdades exas do Ceno Culu. As avdades podem se ofeecdas, a depende de nscção de númeo mínmo de unos. Paa confe as avdades ofeadas, acesse hps:lllceufanco.com.blceno-cu/ul. 13h 7.5. Os casos omssos seão esolvdos pela Deção Pedagógca.

7 CRONOGRAMA DO PROCESSO DEADMI SSÃO DEALUNOS NOVOS Pág7

Eletromagnetismo II 1 o Semestre de 2007 Noturno - Prof. Alvaro Vannucci

Eletromagnetismo II 1 o Semestre de 2007 Noturno - Prof. Alvaro Vannucci leomagesmo II o Semese de 7 Nouo - Pof. Alvao Vaucc 3 a aula /ab/7 Vmos: Odas sfécas (vácuo: = Ψ (modo T e B = ( ψ ω c ' = ω B ' = ψ c ( ψ (modo TM ; ω Ψ + Ψ = sedo que ψ sasfaz: c (equação scala de Helmholz

Leia mais

ESPAÇO VETORIAL REAL DE DIMENSÃO FINITA

ESPAÇO VETORIAL REAL DE DIMENSÃO FINITA EPÇO ETORIL REL DE DIMENÃO FINIT Defnção ejam um conjuno não ao o conjuno do númeo ea R e dua opeaçõe bnáa adção e mulplcação po ecala : : R u a u a é um Epaço eoal obe R ou Epaço eoal Real ou um R-epaço

Leia mais

PASSO A PASSO PARA MIGRAR SUA EMPRESA PARA A NUVEM!

PASSO A PASSO PARA MIGRAR SUA EMPRESA PARA A NUVEM! PASSO A PASSO PARA MIGRAR SUA EMPRESA PARA A NUVEM! Sua empesa esá pepaada paa a nuvem? Aualmene empesas esão eduzndo mlhões de eas em nvesmeno na nuvem, e você, esá pepaado paa se benefca dessa ecnologa?

Leia mais

Certidão Permanente. Código de acesso: PA DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES

Certidão Permanente. Código de acesso: PA DESCRIÇÕES - AVERBAMENTOS - ANOTAÇÕES Certidão Permanente Código de acesso: PA-180-99919-08080-0093 URBANO DENOMINAÇÃO: LOTE N2 DO SECTOR 1A - "AL-CHARB - EDIFICIO Y1" SITUADO EM: Vilamoura ÁREA TOTAL: 192 M2 ÁREA COBERTA: 298 M2 ÁREA DESCOBERTA:

Leia mais

contratar uma empresa de LIMPEZA E CONSERVAÇÃO

contratar uma empresa de LIMPEZA E CONSERVAÇÃO Sai a omo contratar uma empresa de LIMPEZA E CONSERVAÇÃO Está ada vez mais omum as emp esas te ei iza em o se viço de limpeza e onve sação. Te uma emp esa ue uide em desta estão é um a ilitado pa a uem

Leia mais

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO SL LIÉNI UNISI SÃ UL venda ofesso eo oaes, nº 3. cep 558-9, São auo, S. eefone: (xx) 39 5337 ax: (xx) 383 886 epatamento de ngenhaa ecânca QUSÃ (3, pontos). paca não pana, de peso despezíve, é constuída

Leia mais

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus

Correção da fuvest ª fase - Matemática feita pelo Intergraus da fuvest 009 ª fase - Matemática 08.0.009 MATEMÁTIA Q.0 Na figura ao lado, a reta r tem equação y x no plano cartesiano Oxy. Além dis so, os pontos 0,,, estão na reta r, sendo 0 = (0,). Os pontos A 0,

Leia mais

Decembro ConvocatoriasH2020: 2.Novas.6. 3.Eventos.8. 4.ProcuradeSocios Servizos.13. A.GrandesIniciativas.2. B.AcciónsTranversais.

Decembro ConvocatoriasH2020: 2.Novas.6. 3.Eventos.8. 4.ProcuradeSocios Servizos.13. A.GrandesIniciativas.2. B.AcciónsTranversais. VICERREITORÍADE INVESTIGACIÓNE INNOVACIÓN ÁeadeXóne ValozaóndeI+D Deembo2016 1.ConvoaoH2020: A.GandInav.2 B.AónTanv.5 2.Nov.6 3.Eveno.8 4.ouadeSoo.10 5.Sevzo.13 NEWSLETTERDEPROXECTOSI NTERNACI ONAI SDEI

Leia mais

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010

P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 P R E G Ã O P R E S E N C I A L N 145/2010 D A T A D E A B E R T U R A : 2 9 d e d e z e m b r o d e 2 0 1 0 H O R Á R I O : 9:0 0 h o r a s L O C A L D A S E S S Ã O P Ú B L I C A: S a l a d a C P L/

Leia mais

Medley Forró 3. & bb b b œ œ bœ. œ bœ. œ œ œ œ. œ œ. . r. j œ œ œ. & b b b b œ. & bb b b. œ œ œ. œ œ. . œ. œ Œ. œ œ œ. œ œ. œ œ œ.

Medley Forró 3. & bb b b œ œ bœ. œ bœ. œ œ œ œ. œ œ. . r. j œ œ œ. & b b b b œ. & bb b b. œ œ œ. œ œ. . œ. œ Œ. œ œ œ. œ œ. œ œ œ. b b b 4 2 12 Medley Foó 3 SOPRANO Vesão eduzida (2014) Baião Luiz Gonzaga q = 100 6 A 22 b b b u vou mos - ta pa vo - cês co-mo se dan-ça'o ba-ião e quem qui - se a-pen-de é fa -vo pes - ta a-ten-ção mo-e-na

Leia mais

Medley Forró 3. 6 j œ œ œ. & bb b b œ œ œ nœ. & b b b b. œ œ œ œ bœ. œ œ. œnœ. œ bœ. œ œ œ œ. œ œ œ. & bb b b. œ œ. œ œ. œ œ. . œ.

Medley Forró 3. 6 j œ œ œ. & bb b b œ œ œ nœ. & b b b b. œ œ œ œ bœ. œ œ. œnœ. œ bœ. œ œ œ œ. œ œ œ. & bb b b. œ œ. œ œ. œ œ. . œ. 22 27 b b b 2 7 b b b 42 47 5 b b b 72 q = 100 4 2 12 B 6 A Eu vou mos -ta pa vo - cês co-mo se dan-ça'o ba -ião e quem qui - se a - pen -de é fa -vo pes - ta a -ten-ção b mo-e -na che-gue pa cá bem un

Leia mais

Apêndice I Resultados do Capítulo 2

Apêndice I Resultados do Capítulo 2 Aêndce I Resutados do Caítuo I Aêndce I Resutados do Caítuo Demonstação dos esutados dos modeos de De Acca et a e do modeo de See estenddo AI Modeo de De Acca et a A equação do modeo exessa o sead aa um

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

ÍNDICE EPI. Por departamento / Seção. Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção e e 197.

ÍNDICE EPI. Por departamento / Seção. Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção e e 197. Ferramentas Elétricas Ferramentas Ferragem EPI Agronegócio Hidráulica Elétrica Químicos e Impermeabilzantes Pintura ÍNDICE Por departamento / Seção EPI Botas e Calçados Luvas Óculos Segurança e Proteção

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Módulo 2: Métodos Numéricos. (problemas de valores iniciais e problemas de condições-fronteira)

Módulo 2: Métodos Numéricos. (problemas de valores iniciais e problemas de condições-fronteira) Módulo : Méodos Numércos Equações dferencas ordnáras problemas de valores ncas e problemas de condções-fronera Modelação Compuaconal de Maeras -5. Equações dferencas ordnáras - Inrodução Uma equação algébrca

Leia mais

Jingle de 50 anos da Eletrobras Arranjo vocal para vozes mistas com acompanhamento

Jingle de 50 anos da Eletrobras Arranjo vocal para vozes mistas com acompanhamento Paa os bavos e talentosos cantoes do Sisa Eleto Jingle de 50 anos da Eleto Aanjo vocal paa vozes mistas com acompanhamento Aanjo de Cismaie Hackenbeg Rio de Janeio, 24/04/2012 Contato: cismaie@ioacappella.com.b

Leia mais

PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO

PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO Paíca Pado Belfoe (USP) paíca.belfoe@pol.usp.b Oswaldo Luz do Valle Cosa (USP) oswaldo@lac.usp.b Resumo Ese abalho aa do poblema de esoque e oezação, que é uma exensão

Leia mais

Com muito carinho para minha querida amiga e super profissional. Ale Del Vecchio

Com muito carinho para minha querida amiga e super profissional. Ale Del Vecchio Com muito carinho para minha querida amiga e super profissional. BA BE BI BO BU BÃO ba be bi bo bu bão BA ba boi BE be bebê BI bi Bia BO bo boi BU bu buá Nome: BA BE BI BO BU BÃO ba be bi bo bu bão BA

Leia mais

ALFANDEGATUR - EMP.DESENV.TURIST.DE ALF.DA FE EM

ALFANDEGATUR - EMP.DESENV.TURIST.DE ALF.DA FE EM Cn t - 31. 05. 2014 Me s : Ma r ç o Pag. 1 11 CA I XA 41, 0 14. 63 37, 080. 00 3, 9 34. 6 3 111 Ca i x a 6, 0 47. 50 4, 449. 54 1, 5 97. 9 6 112 Ca i x a Fa c t u r a ç ão 34, 7 92. 13 32, 630. 46 2, 1

Leia mais

ELECTROMAGNETISMO. EXAME 1ª Chamada 22 de Junho de 2009 RESOLUÇÕES

ELECTROMAGNETISMO. EXAME 1ª Chamada 22 de Junho de 2009 RESOLUÇÕES ELECTROMAGNETISMO EXAME 1ª Chamada de Junho de 00 RESOLUÇÕES As esposas à mao pae das pegunas devem se acompanhada de esquemas lusavos, que não são epoduzdos aqu. 1. a. As ês paículas e o pono (.00, 0.00)

Leia mais

MATEMÁTICA. Módulo 28. Frente IV -Caderno 07. Paralelismoe Perpendicularismono Espaço Página 229

MATEMÁTICA. Módulo 28. Frente IV -Caderno 07. Paralelismoe Perpendicularismono Espaço Página 229 MATEMÁTICA Fene IV -Cadeno 07 Módulo 28 Paalelismoe Pependiculaismono Espaço Página 229 GEOMETRIA DE POSIÇÃO POSTULADOS POSTULADO DA EXISTÊNCIA Exisem: pono, ea e plano A C s B Numa ea, ou foa dela, exisem

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL. Novembro/2012 (dados até outubro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL. Novembro/2012 (dados até outubro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Novembro/2012 (dados até outubro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

iose alves José A ves - ADV>GADO r,rcjeftãzas

iose alves José A ves - ADV>GADO r,rcjeftãzas se ves De vd P Assu Aexs se ves eç-fe, 9 de As de 2016106 @sp W NOS cessçnosp CessNOSp NOScessp xs Sehes, P úps vezes peede cede à áe de cee e es ev u e equee cessç p de L/9/206 d c que

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano

Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano Prefeitura do Município de Carapicuíba Secretaria Municipal de Planejamento Urbano L e i M u n i c i pa l n. º 2 1 0 7, d e 0 5 d e J u l h o d e 1 9 9 9. Dispõe s o b r e a d i v i s ã o d o ter r i t

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS. Nome: Nº de aluno: Turma: Licenciatura: Classificação. M = C (1 + r) 1 (1 + r) r (m) m. VA Perpetuidade =

INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS. Nome: Nº de aluno: Turma: Licenciatura: Classificação. M = C (1 + r) 1 (1 + r) r (m) m. VA Perpetuidade = INTRODUÇÃO ÀS FINANÇAS Tipo de Pova: 1º Mini-teste Tuas da anhã Data de ealização: 12 de Maço de 2008 Duação: 60 inutos Noe: Nº de aluno: Tua: Licenciatua: Classificação Teste: valoes Oal: valoes Final

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 HTTPS G I S G ui a de T ra n sf er ên ci a d e Ar qu i vo s 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4

Leia mais

Balancete. Acumulado. Moeda - Eu r o s Cn t Me s : Ab r i l Pag. 1

Balancete. Acumulado. Moeda - Eu r o s Cn t Me s : Ab r i l Pag. 1 Cn t - 31. 05. 2014 Me s : Ab r i l Pag. 1 11 CA I XA 53, 384. 43 51, 010. 11 2, 374. 32 111 Ca i x a 7, 547. 50 5, 894. 50 1, 653. 00 112 Ca i x a Fa c t u r a ç ão 45, 661. 93 45, 115. 61 546. 32 113

Leia mais

PME 2556 Dinâmica dos Fluidos Computacional. Aula 1 Princípios Fundamentais e Equação de Navier-Stokes

PME 2556 Dinâmica dos Fluidos Computacional. Aula 1 Princípios Fundamentais e Equação de Navier-Stokes PME 556 Dnâmca dos Fldos Compaconal Ala 1 Pncípos Fndamenas e Eqação de Nave-Sokes 1.1 Inodção O escoameno de m fldo é esdado aavés de eqações de consevação paa:. Massa. Qandade de Movmeno. Enega 1. Noação

Leia mais

Balancete Geral Financeira. Acumulado. Moeda - Eu r o s Cn t Me s : F i na l Pag. 1

Balancete Geral Financeira. Acumulado. Moeda - Eu r o s Cn t Me s : F i na l Pag. 1 Cn t - 31. 15. 2014 Me s : F i na l Pag. 1 11 CA I XA 159809. 36 159633. 64 175. 72 111 Ca i x a - SEDE 159809. 36 159633. 64 175. 72 12 DEPOS I TOS A ORDEM 125270. 48 106628. 97 18641. 51 1207 CGD 125270.

Leia mais

Eletromagnetismo Licenciatura. 18 a aula. Professor Alvaro Vannucci

Eletromagnetismo Licenciatura. 18 a aula. Professor Alvaro Vannucci leomagesmo Lcecaua 8 a aula Pofesso Alvao Vaucc Na úlma aula vmos... Poêca adada po um Dpolo léco que Oscla: P dpolo p 0 4 c quao que a Poêca adada po uma aea mea-oda: P aea q 0 4 c Agoa, em emos do valo

Leia mais

EU VOU PARA O CÉU # # œ. œ. œ nœ nœ. œ œ. œ. œ œ Œ œ œ b œ œ œœœ F Œ. œ œ œ. # œ œ n. œ nœ. œ œ œ œ œ œ œ. j œ. Ó Œ j œ. # œ. œ œ œ œ. œœ œ. J j.

EU VOU PARA O CÉU # # œ. œ. œ nœ nœ. œ œ. œ. œ œ Œ œ œ b œ œ œœœ F Œ. œ œ œ. # œ œ n. œ nœ. œ œ œ œ œ œ œ. j œ. Ó Œ j œ. # œ. œ œ œ œ. œœ œ. J j. EU VOU PR O CÉU Letra e Música: Evaldo Vicente q=90 legre E m F o F 2 m7 7 M7 C 7 3 Vocal 2 3 Piano F n n 2 n.. F.. n n 3 E m9 7 n.. 5 5 5.. 6 Uníssono Ó 1.Po - 6 Ó 7de - mos ver si - nais 8 do im na ter

Leia mais

Q ' 54 Diretora-Geral de Estatisticas da Educagao e

Q ' 54 Diretora-Geral de Estatisticas da Educagao e MINISTERIO DA EDUCAcAo E CIENCIA Direcao-Geral de Planeamento e Gestao Financeira Exma. Senhora 001151 Q702015 ' 54 Diretora-Geral de Estatisticas da Educagao e Ciencia Av.' 24 de Julho, 134 1399-054 -

Leia mais

ATIVIDADES PARA SALA PÁG. 75

ATIVIDADES PARA SALA PÁG. 75 esoluções 01 pítulo 4 studo de tângulos e polígonos TIVIS SL ÁG. 7 onsdendo s ets // s // //, tem-se os ângulos ltenos ntenos gus. 1 s III. eg de tês: Medd do co ompmento do (em gus) co (m) 360 40000 (qudo)

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

CAPÍTULO 2 PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E FORMAÇÃO DO PREÇO SPOT EM UM MERCADO COMPETITIVO DE ENERGIA ELÉTRICA

CAPÍTULO 2 PLANEJAMENTO DA OPERAÇÃO E FORMAÇÃO DO PREÇO SPOT EM UM MERCADO COMPETITIVO DE ENERGIA ELÉTRICA CAPÍTULO 2 PLANEJAMEO DA OPERAÇÃO E FORMAÇÃO DO PREÇO SPOT EM UM MERCADO COMPETITIO DE ENERIA ELÉTRICA 2. IRODUÇÃO Ese capíulo apresena um resumo dos prncpas conceos relaconados ao planeameno da operação

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Ms. Thiago Bindilatti Inforsato Dr. Roberto Chust Carvalho Dr. Marcelo de Araújo Ferreira

APRESENTAÇÃO. Ms. Thiago Bindilatti Inforsato Dr. Roberto Chust Carvalho Dr. Marcelo de Araújo Ferreira PRESENTÇÃO CÁLCULO E VERIFICÇÃO D RDUR LONGITUDINL DE VIGS PRÉ-TRCIONDS CO SEÇÃO COPOST E CONSIDERNDO S PERDS PROGRESSIVS DE PROTENSÃO. uores: s. Thao Bndla Inforsao Dr. Robero Chus Carvalho Dr. arcelo

Leia mais

CIRURGIA PLÁSTICA & QUEIMADOS

CIRURGIA PLÁSTICA & QUEIMADOS CIRURGIA PLÁSTICA & QUEIMADOS Santa Casa de Miseicódia de São José do Rio Peto EDITAL DE INCRIÇÕES 2017 D. Valdema Mano Sanches, Chefe do Seviço; Da. Eliane Regina Bueno Ribeio Gacia, Regente do Seviço,

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ENSINO - CCJE DEPARTAMENTO DE ANEX O I. Plano de Ensino

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ENSINO - CCJE DEPARTAMENTO DE ANEX O I. Plano de Ensino Unvesdade Fedeal do Espíto Santo Cuso: Admnstação Plano de Ensno Depatamento Responsável: Admnstação Data de Apovação (At. nº 91): Docente esponsável: Leonado Helme Bemenkamp Campus: Goabeas Qualfcação

Leia mais

a quentes a a a térmico versus a fotovoltaico

a quentes a a a térmico versus a fotovoltaico a quentes a a a térmico versus a fotovoltaico Neste artigo apresenta-se a comparação entre um sistema solar térmico e dois tipos de sistemas fotovoltaicos no processo de produção de Águas Quentes Sanitárias

Leia mais

Separação Cromatografica. Docente: João Salvador Fernandes Lab. de Tecnologia Electroquímica Pavilhão de Minas, 2º Andar Ext. 1964

Separação Cromatografica. Docente: João Salvador Fernandes Lab. de Tecnologia Electroquímica Pavilhão de Minas, 2º Andar Ext. 1964 Sepaação Comaogafica Docene: João Salvado Fenandes Lab. de Tecnologia Elecoquímica Pavilhão de Minas, º Anda Ex. 964 Sepaação Comaogáfica envolve ineacções ene um soluo numa fase móvel (eluene) e um leio

Leia mais

Resoluções dos exercícios propostos

Resoluções dos exercícios propostos da físca ndade Capítulo 9 Geadoes elétcos esoluções dos execícos popostos 1 P.19 Dados: 4 ; 1 Ω; 0 a) 0 4 1 4 b) Pot g Pot g 4 4 Pot g 96 W Pot º Pot º 0 4 Pot º 80 W Pot d Pot g Pot º Pot d 96 80 Pot

Leia mais

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

Ativos sem Risco. Universidade Federal de Santa Catarina. From the SelectedWorks of Sergio Da Silva. Sergio Da Silva

Ativos sem Risco. Universidade Federal de Santa Catarina. From the SelectedWorks of Sergio Da Silva. Sergio Da Silva Univesidade Fedeal de Santa Cataina Fom the SelectedWoks of Segio Da Silva 29 tivos sem Risco Segio Da Silva vailable at: htt://woks.beess.com/segiodasilva/4/ tivos sem Risco Hal R. Vaian Intemediate Micoeconomics,

Leia mais

EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s e R e f l e x õ e s Dagmar Aparecida Trautmann E s t a D i s s e r t a ç ã o f o i j u l g a d a a d e

EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s e R e f l e x õ e s Dagmar Aparecida Trautmann E s t a D i s s e r t a ç ã o f o i j u l g a d a a d e UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA P RO G RAM A DE P Ó S-G RADUAÇ Ã O EM CIÊ NCIA DA CO M P UTAÇ Ã O D a g m a r A p a r e c i d a T r a u t m a n n EDUCAÇÃO, ÉTICA E TECNOLOGIA Im p r e s s õ e s

Leia mais

5 Modelo financeiro para os ativos

5 Modelo financeiro para os ativos Modelo financeio paa os aivos 51 5 Modelo financeio paa os aivos 5.1. Pemissas A eada de dados de uma pogamação esocásica é caaceizada como o valo que epesea cada fao de isco duae o peíodo de duação de

Leia mais

Prof. Anderson Coser Gaudio Departamento de Física Centro de Ciências Exatas Universidade Federal do Espírito Santo

Prof. Anderson Coser Gaudio Departamento de Física Centro de Ciências Exatas Universidade Federal do Espírito Santo POLEMAS ESOLVIDOS DE FÍSICA Pof. Andeson Cose Gaudo Depatamento de Físca Cento de Cêncas Eatas Unvesdade Fedeal do Espíto Santo http://www.cce.ufes.b/andeson andeson@npd.ufes.b Últma atualzação: 3/8/5

Leia mais

O protagonismo se tornou imperativo e deixou de estar meramente associado ao sucesso: todos precisamos ser protagonistas.

O protagonismo se tornou imperativo e deixou de estar meramente associado ao sucesso: todos precisamos ser protagonistas. F p p p : p p - Lz Pé pá.8 LG p Cp D. Tz p ê pp p p. pá. 6 1 2 S 2017 Fç- Dçã p p pç pá.4 E Cç p ã wé á ç pó p p pá.2 Pê á E p p ç pá.3 V,!!! F: E N Mê í pçã é LTQ TEL. R z pp p 2017 pá.5 E p I 1 I P.2

Leia mais

MECÂNICA. Uma força realiza trabalho quando ela transfere energia de um corpo para outro e quando transforma uma modalidade de energia em outra.

MECÂNICA. Uma força realiza trabalho quando ela transfere energia de um corpo para outro e quando transforma uma modalidade de energia em outra. AULA 8 MECÂNICA TRABALHO E POTÊNCIA 1- INTRODUÇÃO Uma foça ealiza abalho uano ela ansfee enegia e um copo paa ouo e uano ansfoma uma moaliae e enegia em oua. 2- TRABALHO DE UMA ORÇA CONSTANTE. A B Um copo

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

ORAÇÃO DA NOITE. œ œ œ œ. œ œ. œ œ œ. œ. œ œ. œ J J œ œ œ œ. œ œ Amin f

ORAÇÃO DA NOITE. œ œ œ œ. œ œ. œ œ œ. œ. œ œ. œ J J œ œ œ œ. œ œ Amin f oema de EMILIANO ERNETA C Grave q = C Ami ri - B Gmi ORAÇÃO DA NOITE Resosório ara coro misto e Sorao solista a, vem re - C Ami Ma - ri - a, Ami B Gmi J J j j J J ri a, vem re - ri - a, vem - re - B G

Leia mais

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP

DATAPREV Divisão de Gestão Operacional e Controle - D1GC Serviço Técnico a Softwares de Produção STSP GIS Gertran Integration Suite Guia de T ransferência de Arquivos Entidade x DATAPREV Versão 1.0 SFTP 1/ 8 ÍNDICE ANALÍT ICO 1. INTRODU ÇÃO......4 2. TRANSFERÊNCIA VIA SFTP......5 3. CONSIDERAÇÕES FINAIS......8

Leia mais

MATEMÁTICA. Módulo 28. Frente IV - Caderno 07. Paralelismo e Perpendicularismo no Espaço Página 229

MATEMÁTICA. Módulo 28. Frente IV - Caderno 07. Paralelismo e Perpendicularismo no Espaço Página 229 MATEMÁTICA Fene IV - Cadeno 07 Módulo 28 Paalelismo e Pependiculaismo no Espaço Página 229 GEOMETRIA DE POSIÇÃO POSTULADOS POSTULADO DA EXISTÊNCIA Exisem: pono, ea e plano A C s B Numa ea, ou foa dela,

Leia mais

PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO: UM MODELO COM DEMANDA DETERMINÍSTICA E ESTOCÁSTICA

PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO: UM MODELO COM DEMANDA DETERMINÍSTICA E ESTOCÁSTICA Pesqusa Opeaconal e o Desenolmeno Susenáel 27 a 30/09/05, Gamado, RS PROBLEMA DE ESTOQUE E ROTEIRIZAÇÃO: UM MODELO COM DEMADA DETERMIÍSTICA E ESTOCÁSTICA Paíca Pado Belfoe Unesdade de São Paulo A. Pof.

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

EU VOU PARA O CÉU # # œ œ Œ œ œ b œ œ œ œ. œ œ œ œ œ œ œ. œ œ nœ. œ nœ. œ œ œ. # œ œ n. œ œ œ œ j œ. œ. œ. œ œ. Ó Œ j œ. # œ. œœ œ. . œ nœ. J j.

EU VOU PARA O CÉU # # œ œ Œ œ œ b œ œ œ œ. œ œ œ œ œ œ œ. œ œ nœ. œ nœ. œ œ œ. # œ œ n. œ œ œ œ j œ. œ. œ. œ œ. Ó Œ j œ. # œ. œœ œ. . œ nœ. J j. C OVEM 2012 EU VOU PR O CÉU RNE ESPERNÇ Letra e Música: Evaldo Vicente q=90 legre E m F o F 2 m7 7 M7 C 7 3 Vocal 2 3 Piano F n n 2 n.. b F.. n n 3 E m9 7 n.. 5 5 5.. 6 Uníssono Ó 1.Po - 6 Ó 7de - mos

Leia mais

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD.

COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. COMBINAR CORRESPONDENCIA, CREACIÓN DE INDICES Y TABLAS DE CONTENIDO EN MICROSOFT WORD. I.E.S. ANDRÉS DE VANDELVIRA J. G a r r i g ó s ÍNDICE 1 COMBINAR CORRESPONDENCIA... 2 2. CREACIÓN DE ÍNDICES EN MICROSOFT

Leia mais

'!"( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, ".6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # )

'!( )*+%, ( -. ) #) 01)0) 2! ' 3.!1(,,, .6 )) -2 7! 6))  ) 6 #$ ))! 6) 8 9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) !" #$%&& #% 1 !"# $%& '!"( )*+%, ( -. ) #) /)01 01)0) 2! ' 3.!1(,,, " 44425"2.6 )) -2 7! 6)) " ) 6 #$ ))!" 6) 4442$ ))2 8 "9 :# $ ( -;!: (2. ) # ) 44425"2 ))!)) 2() )! ()?"?@! A ))B " > - > )A! 2CDE)

Leia mais

Gerência e Segurança d e R ed es W irel es s Claudia Pereira c lp ereir@ c is c o. c o m 1 Aplicaçõ e s I n t e r at iv as X Aplicaçõ e s T r an s acio n ais 1950s-1990s C a r t a s e me mo r a n d o s

Leia mais

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2018

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2018 CENTRO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL CREDENCIADO PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES (CBC) EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2018 DR. CARLOS EDUARDO GRASSI

Leia mais

Xulo Convocatorias: A.H C.Outras.6. 2.Novas.7. 3.Eventos.9. 4.ProcuradeSocios Servizos.14

Xulo Convocatorias: A.H C.Outras.6. 2.Novas.7. 3.Eventos.9. 4.ProcuradeSocios Servizos.14 VICERREITORÍADE INVESTIGACIÓNE INNOVACIÓN ÁeadeXestóne ValozaóndeI+D Xulo2016 1.Convoatoas: A.H2020.1 B.LIFE.5 C.Outas.6 2.Novas.7 3.Eventos.9 4.PouadeSoos.11 5.Sevzos.14 NEWSLETTERDEPROXECTOSI NTERNACI

Leia mais

Rio 40 Graus Fernanda Abreu/F.Fawcett/Laufer Û Û Û Û Û Û Û Û Û

Rio 40 Graus Fernanda Abreu/F.Fawcett/Laufer Û Û Û Û Û Û Û Û Û CONTALTO c 4 io 40 Graus Fernanda Abreu/F.Fawcett/Laufer Arrano: Edu Morelenbaum 7 10 12 15 17 20 2 24 25 26 27 i-o qua-ren-tagraus graus vi-lha pur-ga-tó-rio da be-le-za_edocaos i-o qua-ren - ta graus

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.568, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2011

CIRCULAR Nº 3.568, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2011 CAPÍTULO : Crculares não Codfcadas 2 CIRCULAR Nº 3.568, DE 2 DE DEZEMBRO DE 20 Alera dsposvos das Crculares ns. 3.36, de 2 de seembro de 2007, 3.388, de 4 de unho de 2008, 3.389, de 25 de unho de 2008,

Leia mais

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico

Alencar Instalações. Resolvo seu problema elétrico Alencar Instalações Resolvo seu problema elétrico T r a b a lh a m o s c o m : Manutenção elétrica predial, residencial, comercial e em condomínios Redes lógicas Venda de material elétrico em geral. Aterramentos

Leia mais

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS

IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS IMPORTAÇÃO DO CADASTRO DE PESSOAS 1. Objetivo: 1. Esta rotina permite importar para o banco de dados do ibisoft Empresa o cadastro de pessoas gerado por outro aplicativo. 2. O cadastro de pessoas pode

Leia mais

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E

Questão 1. Questão 2. Questão 3. alternativa C. alternativa E Questão 1 Dois pilotos iniciaam simultaneamente a disputa de uma pova de automobilismo numa pista cuja extensão total é de, km. Enquanto Máio leva 1,1 minuto paa da uma volta completa na pista, Júlio demoa

Leia mais

31/05/2018. Coeficientes de Financiamentos. Coeficientes de Financiamentos. Coeficientes de Financiamentos. Coeficiente em Séries Uniformes CF =

31/05/2018. Coeficientes de Financiamentos. Coeficientes de Financiamentos. Coeficientes de Financiamentos. Coeficiente em Séries Uniformes CF = Calos R. Godoy Matemátca Fnancea RCC 027 Calos R. Godoy 2 Coefcentes de Fnancamentos Coefcente de fnancamento: fato fnanceo que ao multplca-se pelo valo pesente de um fnancamento apua o valo das pacelas.

Leia mais

4/10/2015. Física Geral III

4/10/2015. Física Geral III Físca Geal III Aula Teóca 9 (Cap. 6 pate 3/3): ) Cálculo do campo a pat do potencal. ) Enega potencal elétca de um sstema de cagas. 3) Um conduto solado. Po. Maco R. Loos Cálculo do campo a pat do potencal

Leia mais

Neo-fisherianos e teoria fiscal do nível de preços

Neo-fisherianos e teoria fiscal do nível de preços Anono Lcha 4/março/07 Neo-fsheranos e eora fscal do nível de preços O objevo desas noas é desacar os prncpas elemenos da abordagem neofsherana e da eora fscal do nível de preços. Desacamos 4 pequenos modelos

Leia mais

Campo magnético criado por uma corrente eléctrica e Lei de Faraday

Campo magnético criado por uma corrente eléctrica e Lei de Faraday Campo magnéico ciado po uma coene elécica e Lei de Faaday 1.Objecivos (Rev. -007/008) 1) Esudo do campo magnéico de um conjuno de espias (bobine) pecoidas po uma coene elécica. ) Esudo da lei de indução

Leia mais

M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a

M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a M a n u e l C e l e s t i n o V i l e l a T e i x e i r a d e A l m e i d a AV A L I A Ç Ã O D O E F E I T O D E F O G O S F L O R E S T A I S N O R E G I M E D E E S C O A M E N T O E N A Q U A L I D

Leia mais

4. VIBRAÇÃO FORÇADA - FORÇAS NÃO SENOIDAIS

4. VIBRAÇÃO FORÇADA - FORÇAS NÃO SENOIDAIS VIBRAÇÕES MEÂNIAS - APÍTULO VIBRAÇÃO ORÇADA 3. VIBRAÇÃO ORÇADA - ORÇAS NÃO SENOIDAIS No capíulo ao suou-s a vbação oçaa ssas co u gau lba, subos a oças cação oa soal. Es suo po s so paa aplcaçõs quao as

Leia mais

Técnicas de Linearização de Sistemas

Técnicas de Linearização de Sistemas EA66 Pro. Vo Ze DCA/FEEC/Uc éccs e Lerzção e Sses Iroção ese óco vos recorrer reqüeeee éccs e lerzção e sse ão-ler e oro e oo e oerção. Iso ere qe o sse ler resle se lso co se s oeross erres e álse váls

Leia mais

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO

GLOSSÁRIO PREV PEPSICO GLOSSÁRIO PREV PEPSICO A T A A ABRAPP Aã Aã I Aí I R ANAPAR A A M A A A Lí Aá S C é ç í ê çõ 13ª í ã. Açã B E F Pê P. Cí ê, ã ê. V Cê Aã P ( á). N í, - I R P Fí (IRPF), S R F, à í á, ( 11.053 2004), çã.

Leia mais

$35(6(17$d 2Ã&/Ë1,&$ 'LDJQyVWLFRÃ FOtQLFR &ROHGRFROLWtDVH &ROHFLVWLWH 3DQFUHDWLWH &ROHGRFROLWtDVH HP UHVROXomR &ROHFLVWLWH 3DQFUHDWLWH &ROHGRFROLWtDVH HP UHVROXomR &yolfdãeloldu (FRJUDILD &ROpGRFRÃ!ÃÃFP

Leia mais

.highskills.pt. Curso de Especialização de. I ple e tação de Siste as de Gestão da Qualidade ANGOLA CABO-VERDE MOÇAMBIQUE PORTUGAL SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

.highskills.pt. Curso de Especialização de. I ple e tação de Siste as de Gestão da Qualidade ANGOLA CABO-VERDE MOÇAMBIQUE PORTUGAL SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ISO 9.highskills.pt Curso de Especialização de I ple e tação de Siste as de Gestão da Qualidade NP EN ISO 9 : 5 Du ação Total Horas Das h s h Desti at ios Este Cu so desti a-se a todos os espo s veis e

Leia mais

ANEXO-PPRA. PROJETO DE PESQUISA RASTREANDO ONÇAS (Panthera onca) NA MINA DE BAUXITA DA HYDRO PARAGOMINAS, PARA/BRASIL CONTRATO: 3833*1

ANEXO-PPRA. PROJETO DE PESQUISA RASTREANDO ONÇAS (Panthera onca) NA MINA DE BAUXITA DA HYDRO PARAGOMINAS, PARA/BRASIL CONTRATO: 3833*1 FUNDAÇÃO DE AMPAO E DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA POGAMA DE PEVENÇÃO DE ISCOS AMBIENTAIS - PPA ANEXO-PPA POJETO DE PESQUISA ASTEANDO ONÇAS (Panthera onca) NA MINA DE BAUXITA DA HYDO PAAGOMINAS, PAA/BASIL

Leia mais

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: ESTRUTURA DE VAGÃO PLATAFORMA DE 2 EIXOS COM LONGARINAS EM CAIXÃO

(73) Titular(es): (72) Inventor(es): (74) Mandatário: (54) Epígrafe: ESTRUTURA DE VAGÃO PLATAFORMA DE 2 EIXOS COM LONGARINAS EM CAIXÃO (11) Número de Publicação: 105218 (51) Classificação Internacional: B61D 3/00 (2006) (12) FASCÍCULO DE PATENTE DE INVENÇÃO (22) Data de pedido: 2010.07.23 (30) Prioridade(s): (43) Data de publicação do

Leia mais

SINOPSES DOS LIVROS DE AGOSTO Parte II

SINOPSES DOS LIVROS DE AGOSTO Parte II SINOPSES DOS LIVROS DE AGOSTO Parte II MOR I N, Edga r. O c i nema ou o homem i mag i ná r i o : ens a i o de an t r opo l og i a. L i sboa ( Po r t uga l ) : G r ande P l ano, 1997. Trata-se de um ensaio

Leia mais

3 Metodologia 3.1. O modelo

3 Metodologia 3.1. O modelo 3 Meodologia 3.1. O modelo Um esudo de eveno em como obeivo avaliar quais os impacos de deerminados aconecimenos sobre aivos ou iniciaivas. Para isso são analisadas as diversas variáveis impacadas pelo

Leia mais

EDITAL Nº 034/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS

EDITAL Nº 034/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS EDITAL Nº 04/09 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS A Pró-retora de Graduação e o Pró-retor de

Leia mais

Módulo III. Processadores de texto

Módulo III. Processadores de texto Módul F d O Pd d x Flh d Clul F d duvdd @2006 Módul v 1 Pd d x Uldd í djv Wwd d d x Ed u du Sl x Tblh u du Fç d g Fçõ gé Fçõ d x A lz l lu ú @2006 Módul v 2 Pd d x F d dh Tbl M uç Plzç d l dl Cç d lzd

Leia mais

E = F/q onde E é o campo elétrico, F a força

E = F/q onde E é o campo elétrico, F a força Campo Elético DISCIPLINA: Física NOE: N O : TURA: PROFESSOR: Glênon Duta DATA: Campo elético NOTA: É a egião do espaço em ue uma foça elética pode sugi em uma caga elética. Toda caga elética cia em tono

Leia mais

EXERCÍCIO: ONDAS INTERMITENTES

EXERCÍCIO: ONDAS INTERMITENTES EXERCÍCIO: ONDA INTERMITENTE Cosidee ua aoxiação de u uaeo seafoiado o aaidade igual a 750/h, e adia ua siuação e que a deada a hoa-io as aoxiações da ia iial é de ea de 600 /h, fluuado ee 25% e 75% e

Leia mais

Os Efeitos dos Parcelamentos sobre a Arrecadação Tributária

Os Efeitos dos Parcelamentos sobre a Arrecadação Tributária ISSN 00-46 Os feos dos Pacelamenos sobe a Aecadação Tbuáa Nelson Leão Paes Pesqusado CNPq- Pogama de Pós-Gaduação em conoma (PIMS/UFP) ndeeço: Av. Pof. Moas do Rego, s/n - Cd. Unvesáa - Recfe - P - Basl

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Dezembro / 2014 (dados até Novembro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Dezembro / 2014 (dados até Novembro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Dezembro / 2014 (dados até Novembro) Sumário Executivo Os dados desse relatório são apresentados da ordem geral para específico, ou seja, apresenta

Leia mais

Prefeitura Municipal de Queimadas-BA

Prefeitura Municipal de Queimadas-BA Edição Nº 030/2012 071/2012 Terça-Feira Quinta-Feira 1708 de de Julho Março de 2012 de 2012 Estado da Bahia Prefeitura Municipal de Queimadas CNPJ: 14.218.952/0001-90 - Largo Hildebrando Soares Costa,

Leia mais

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Janeiro / 2015 (dados até dezembro)

ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Janeiro / 2015 (dados até dezembro) ÍNDICE DE CONFIANÇA DOS PEQUENOS NEGÓCIOS NO BRASIL (ICPN) Janeiro / 2015 (dados até dezembro) Sumário Executivo Os dados desse relatório são apresentados da ordem geral para específico, ou seja, apresenta

Leia mais

A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR.

A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. Edição Nº Nº 030/2012 00017 Sexta-Feira Quit-Feira 0825 de de Março Janeiro de de 2012 2013 A Prefeitura Municipal de Gavião, Estado Da Bahia, Visando a Transparência dos Seus Atos Vem PUBLICAR. RELATÓRIO

Leia mais

artes e espor tes centros de Atividades de contraturno 2018 Af_arte_esporte_2018-ok.indd 1 10/01/18 10:43

artes e espor tes centros de Atividades de contraturno 2018 Af_arte_esporte_2018-ok.indd 1 10/01/18 10:43 ates e espo tes centos de Atividades de contatuno 2018 Af_ate_espote_2018-ok.indd 1 10/01/18 10:43 ates espo tes inscições Valo da mensalidade po atividade: R$166,00 Início das oficinas e teinamentos:

Leia mais

Empowerment d a s f a m í l i a s : E n ã o s e p o d e e m p o d e r á -l a s?

Empowerment d a s f a m í l i a s : E n ã o s e p o d e e m p o d e r á -l a s? Empowerment d a s f a m í l i a s : E n ã o s e p o d e e m p o d e r á -l a s? I s a b e l M e n e z e s U n i v e r s i d a d e d o P o r t o, P o r t u g a l O conceito de empoderamento (empowerment)

Leia mais

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2015

EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL PARA O ANO DE 2015 SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO CENTRO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA GERAL CREDENCIADO PELO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES (CBC) EDITAL E NORMAS PARA O CONCURSO DE TREINAMENTO EM CIRURGIA

Leia mais

4. TÉCNICA APLICADA A ANÁLISE BIDIMENSIONAL COM MEC

4. TÉCNICA APLICADA A ANÁLISE BIDIMENSIONAL COM MEC 4. TÉCNICA APLICADA A ANÁLISE BIDIMENSIONAL COM MEC Este capítulo sevá como base de compaação paa entende os eas objetvos deste tabalho e, a pat dsto, pecebe que alguns concetos aplcados pela técnca desenvolvda

Leia mais