A LITERATURA ESCOLARIZADA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A LITERATURA ESCOLARIZADA"

Transcrição

1 Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery - ISSN Curso de Pedagogia N. 12, JAN/JUN 2012 A LITERATURA ESCOLARIZADA Raylla Portilho Gaspar 1 RESUMO Esse artigo trata de como a literatura é trabalhada na escola, como é vista pelos alunos e professores e quais os seus pontos positivos e negativos no âmbito escolar. Palavras-chave: Literatura. Escolarização. Leitura. ABSTRACT This article discusses how the literature is crafted in high school, aseen by students and teachers and what are its strengths and weaknesses in the school. Keywords: Literature. Schooling. Reading. 1 Introdução A literatura é extremamente importante na formação dos leitores, pois, ao mesmo tempo em que transforma e amplia ideias, instiga sentimentos e sensações. Com isso, as escolas têm o dever de incluir e incentivar a literatura, para auxiliar seus alunos no conhecimento não apenas das obras literárias, mas também na sua cognição e nas suas emoções. 2 Chegada da literatura na escola As tragédias gregas tinham como objetivo educar moral e socialmente o povo. Por isso, o teatro tinha uma grande importância para os gregos. Essa tradição cristaliza-se, no 1 Formada em Pedagogia - Faculdade Metodista Granbery.

2 ensino da língua nas escolas, com dois propósitos: a literatura serve para ensinar a ler e a escrever e para formar culturalmente o indivíduo. Nos dias atuais, o ensino da literatura no âmbito escolar tem a função, no Ensino Fundamental, de sustentar a formação do leitor e, no Ensino Médio, integrar o leitor à cultura literária, sendo até mesmo, em alguns currículos, uma disciplina separada da Língua Portuguesa. 3 A literatura escolarizada A maneira pela qual a escola toma para si a literatura infantil faz dela uma literatura escolarizada. Com isso, infelizmente, não tem sido vista pela maioria dos alunos como algo interessante ou instigante, mas sim como algo maçante e sem significado. Mas, afinal, por que isso acontece? O que faz os estudantes pensarem dessa maneira? Um dos motivos é que a prática de sala de aula aplicada aos textos literários acaba não fazendo sentido. Kleiman (2001, p.16), professora e pesquisadora, afirma: Ninguém consegue fazer aquilo que é difícil demais, nem aquilo do qual não consegue extrair sentido. Com isso, é preciso que o educador oriente o educando para que ele possa quebrar as barreiras que tem em relação à literatura. Marisa Lajolo (1998, p.62), pesquisadora e autora de literatura juvenil, também destaca que as atividades escolares das quais o texto participa precisam ter sentido, para que o texto resguarde seu significado maior. Sendo assim, o professor pode criar uma forma pedagógica, didática, para trabalhar a literatura, tornando-a algo interessante, que faça com que os alunos tenham prazer em estudála. É necessário não ficar apenas na leitura e exercícios mecânicos relacionados aos textos literários, é importante que o educador elabore dinâmicas e atividades ligadas à prática que realmente façam sentido para o educando. No meio acadêmico, a questão da literatura é discutida tanto por alunos quanto por professores. Ambos apontam sempre lados negativos e positivos relacionados a essa questão. No livro Letramento Literário, no capítulo intitulado A literatura escolarizada, Rildo Rosson irá apontar exatamente essa realidade, ao relatar que um aluno do curso de Pedagogia faz uma crítica, dizendo que em relação à literatura, os professores ensinavam as características dos períodos literários, nomes dos autores e das obras. E uma professora relatou que há muitos anos atrás usava textos literários para ensinar a ler e que agora usa apenas jornais, pois é mais fácil de serem adquiridos e lidos pelas crianças. Podemos perceber no depoimento da

3 professora o quanto a concepção dos educadores em torno da literatura tem modificado, ocorre a cada dia uma busca por um processo de ensino-aprendizagem voltado para o aluno e para sua realidade. Na concepção de muitos estudiosos, a literatura está na escola devido a tradição e ao currículo; essa ideia de mudar a forma de trabalhar a literatura encontra-se apenas na teoria, e não na prática. Além disso, as características da sociedade contemporânea (grande variedade de textos, variedade das manifestações culturais, etc) contribuem para que a literatura tenha importância nas escolas. A literatura nas escolas é também dividida de acordo com a faixa etária dos alunos. Essa divisão contribui para o vácuo existente entre os números de publicação de obras da literatura infanto-juvenil e da literatura adulta, mostrando que os leitores daquela não se transformam em leitores desta, como se, a literatura não fize-se parte da vida do leitor. Ou seja, a literatura não é levada para sua vida, os textos e livros literários se tornam apenas necessários nos momentos de escola, depois são esquecidos quando saem desse meio educacional. Isso nos remete à hipótese de que a literatura vista no âmbito escolar não fez sentido, não envolveu o aluno e nem o aluno se envolveu com ela. Em relação aos dois níveis de escolarização, Ensino Fundamental e Ensino Médio, podemos ver como se procede a literatura em ambos. No Ensino Fundamental, a literatura engloba qualquer texto escrito que tenha parentesco com ficção ou poesia. O limite é dado pela temática e pela linguagem e ambos devem ser de acordo com o interesse da criança, do professor e da escola. Os textos devem ser curtos, contemporâneos e divertidos. Predominam as interpretações de textos trazidas pelos livros didáticos, usualmente feitas a partir de textos incompletos, e as atividades extra-classe, constituídas de resumos dos textos, fichas de leituras e debates em sala de aula. As fichas de leitura acabam por ignorar a criatividade do aluno ou podam o prazer da leitura. Os exercícios e a prática de sala de aula acabam restritas à identificação ou classificação de dados, servindo de simples confirmação da leitura feita. No Ensino Médio, os textos literários são fragmentados e servem principalmente para comprovar as características dos períodos literários de antes. São feitas poucas leituras de textos e, quando estas ocorrem, as aulas limitam-se a explorar apenas resumos e debates, sendo esses comentários não sistematizados do texto. Com o passar dos anos, mais precisamente na época que estamos vivendo, século XXI, o conteúdo da disciplina Literatura está se modificando. A literatura passa a abranger canções populares, as crônicas, os filmes, os seriados de TV e outros produtos culturais, em um

4 mundo onde a imagem e a voz se fazem muito mais presentes do que a escrita contemporânea. Por isso, a escola precisa se atualizar, abrindo-se às práticas culturais contemporâneas, que são muito mais dinâmicas e raramente incluem a leitura literária. Alguns estudos realizados mostram que está havendo a escolarização equivocada da literatura, não atendendo assim as necessidades e a realidade dos estudantes. Segundo Soares (apud Fabris, 2009), todo conteúdo ensinado na escola está sendo oferecido por ela de forma escolarizada, porque a partir do momento que o conteúdo entra na escola, ele se modifica para atender às necessidades do sistema escolar. Por isso, o uso da palavra escolarizado não descaracteriza a importância da escola, logo não pode ser criticado, porque isso significaria negar a própria escola. 4 A escolarização da literatura infanto-juvenil A escola toma para si a literatura infantil, escolariza-a e didatiza-a para atender a seus próprios fins faz dela uma literatura escolarizada. Devemos interpretar a escolarização e a literatura infantil como sendo a produção para a escola. Muitas das vezes, a literatura que interessa a criança não é aceita pela escola. Não são os alunos que optam pela leitura que gostariam de fazer, e sim os professores que indicam aos alunos a literatura, que na maioria das vezes é desinteressante por ser descontextualizada, fora da realidade dos educandos e daquilo que eles desejam ler. Quando se pensa em literatura infantil como uma literatura produzida para crianças e jovens, o que significa ser produzida para clientela escolar, portanto, produzida para consumo na escola ou através da escola, a expressão escolarização da literatura infantil toma o sentido de literatização do escolar, isto é, de tornar literário o escolar. Este conceito de literatura infantil pode parecer uma heresia - mas deve-se também reconhecer que sempre se atribuiu à literatura infantil e juvenil um caráter educativo, formador, por isso ela quase sempre se vincula à escola - instituição, por excelência, educativa e formadora de crianças e jovens. O desenvolvimento da literatura infantil e juvenil no Brasil acompanha o ritmo do desenvolvimento da educação escolar. Parece mesmo que, ao longo do tempo, a literatura infantil e juvenil foi se aproximando cada vez mais da escola.

5 5 Conclusão Percebemos que infelizmente a literatura está apresentando mais pontos negativos do que positivos no âmbito escolar. Os alunos não se interessam pela mesma, se sentem desmotivados em estudá-la e os professores não estão sabendo como lidar com essa realidade. Para mudar, nem que seja um pouco, esse quadro, é necessário que os educadores coloquem em prática os estudos já realizados por pesquisadores sobre a literatura na escola, para que essa situação possa mudar e a literatura seja, entre as crianças e os jovens, algo pelo qual eles se interessem, que tenha significado para eles e que possam levar por toda a sua vida. REFERÊNCIAS COSSON, Rildo. Letramento Literário: teoria e prática. São Paulo, EVANGELISTA, Aracy Martins Alves; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani. A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. Editora Autêntica. 2ª edição. Belo Horizonte, PRADO, Costa Cristina Melina; Freire Carvalho Enes; Resende Camargos Millene Kellen. Literatura em sala de aula: uma avaliação dos processos de ensino. Disponível em: Acessado em: 23 de mar de 2012.

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano VIII Número 15 Janeiro de 2010 Periódicos Semestral

REVISTA CIENTÍFICA ELETÔNICA DE PEDAGOGIA ISSN: 1678-300X. Ano VIII Número 15 Janeiro de 2010 Periódicos Semestral ENSINANDO A LER: AS ESTRATÉGIAS DE LEITURA SILVA, Joice Ribeiro Machado da 1 RESUMO Buscamos nessa pesquisa compreender como a criança poderá se tornar uma leitora competente através do letramento literário.

Leia mais

LITERATURA NA REDE RESUMO

LITERATURA NA REDE RESUMO 1 LITERATURA NA REDE Bruno Mocellin 1 ; Karla Goularte da Silva Gründler 2 RESUMO O projeto Literatura na Rede desenvolvido no Instituto Federal Catarinense de Videira utilizou as TICs (Tecnologias de

Leia mais

A produção de leituras da obra A maior flor do mundo

A produção de leituras da obra A maior flor do mundo Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Educação Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG - Centro Pedagógico Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) A produção

Leia mais

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO Sílvia Cristina Fernandes Paiva 1 Ana Arlinda Oliveira 2 A leitura literária na escola Podemos afirmar que a leitura é fundamental para construção

Leia mais

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA. AÇÕES DO PIBID/CAPES UFG (SUBPROJETO: LETRAS: PORTUGUÊS) NO COLÉGIO ESTADUAL LYCEU DE GOIÂNIA Bolsistas: SILVA, Danila L.; VAZ, Paula R. de Sena.;

Leia mais

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER ALVES, Ivanir da Costa¹ Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Iporá ¹acwania@gmail.com RESUMO A leitura é compreendida como uma ação que deve se

Leia mais

PRODUÇÃO LITERÁRIA PARA CRIANÇAS E JOVENS NO BRASIL: Perfil e desdobramentos textuais e paratextuais

PRODUÇÃO LITERÁRIA PARA CRIANÇAS E JOVENS NO BRASIL: Perfil e desdobramentos textuais e paratextuais PRODUÇÃO LITERÁRIA PARA CRIANÇAS E JOVENS NO BRASIL: 1 Perfil e desdobramentos textuais e paratextuais Autora: Carlanne Santos Carneiro (Graduada em Letras e mestranda em Educação/UFMG) Co-autores: Maria

Leia mais

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES

MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES MÚLTIPLAS LEITURAS: CAMINHOS E POSSIBILIDADES EDIT MARIA ALVES SIQUEIRA (UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA). Resumo Diferentes instrumentos de avaliação (ENEM, SIMAVE) tem diagnosticado o despreparo dos alunos

Leia mais

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Adriana M. das Virgens Chagas (adrianachagas3@hotmail.com) Aluna de graduação do curso de Pedagogia das Faculdades Integradas de Aracruz Luciana C.

Leia mais

Promover a participação de toda comunidade escolar no projeto PIBID;

Promover a participação de toda comunidade escolar no projeto PIBID; Título do projeto: Parada da leitura Tema: O letramento literário na comunidade escolar. Introdução O presente projeto visa disseminar o projeto PIBID para toda a comunidade escolar (alunos, professores,

Leia mais

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados

Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Não Era uma Vez... Contos clássicos recontados escrito por Vários autores Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

ENTREVISTA. COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com

ENTREVISTA. COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com Entrevista ENTREVISTA 146 COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com * Dra. em Letras pela PUC/RJ e professora do Colégio de Aplicação João XXIII/UFJF. Rildo Cosson Mestre em Teoria

Leia mais

ESTRATÉRIAS DE LEITURA RUMO AO LETRAMENTO

ESTRATÉRIAS DE LEITURA RUMO AO LETRAMENTO ESTRATÉRIAS DE LEITURA RUMO AO LETRAMENTO Marivete Souta (marivete.souta@gmail.com) Sirley De Jesus Oliveira Hey De Jesus Oliveira Hey (sirleyhey@yahoo.com.br) Sandra do Rocio Ferreira Leal RESUMO: Pesquisas

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

O QUE É LEITURA? Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). rosália.prados@gmail.com 1

O QUE É LEITURA? Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). rosália.prados@gmail.com 1 O QUE É LEITURA? Antonio Deusivam de Oliveira (UMC) * Rosália Maria Netto Prados (USP/UMC) ** Quando falamos em leitura, parece que estamos nos referindo a algo subjetivo; no entanto, uma das características

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

A RODA DE LITERATURA INFANTIL COMO ESPAÇO DE REFLEXÃO CRÍTICA: um relato de experiência

A RODA DE LITERATURA INFANTIL COMO ESPAÇO DE REFLEXÃO CRÍTICA: um relato de experiência A RODA DE LITERATURA INFANTIL COMO ESPAÇO DE REFLEXÃO CRÍTICA: um relato de experiência Ana Raquel da Rocha Bezerra, UFPE Andressa Layse Sales Teixeira, UFRN RESUMO: O presente trabalho tem como objetivo

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PARA A LEITURA LITERÁRIA DE EDUCADORES DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

CONTRIBUIÇÕES PARA A LEITURA LITERÁRIA DE EDUCADORES DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL CONTRIBUIÇÕES PARA A LEITURA LITERÁRIA DE EDUCADORES DAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL CARMEM LUCIA EITERER (FAE-UFMG), DAMIANA ANGELO MELO (UFMG), LUCIANA DOS SANTOS LIMA (UFMG). Resumo O projeto

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO

RELATÓRIO FINAL. BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica. Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO 190 RELATÓRIO FINAL BIBLIOTECA ESCOLAR: espaço de ação pedagógica Victor Hugo Vieira Moura 1 INTRODUÇÃO Uma das características mais marcantes da chamada sociedade da informação é o extraordinário desenvolvimento

Leia mais

Palavras-chave: LEITURA E ESCRITA, CIDADANIA, PROTAGONISMO SOCIAL. OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA

Palavras-chave: LEITURA E ESCRITA, CIDADANIA, PROTAGONISMO SOCIAL. OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA OFICINA PALAVRA MAGICA DE LEITURA E ESCRITA ELAINE CRISTINA TOMAZ SILVA (FUNDAÇÃO PALAVRA MÁGICA). Resumo A Oficina Palavra Mágica de Leitura e Escrita, desenvolvida pela Fundação Palavra Mágica, é um

Leia mais

Estratégias didático-metodológicas para o ensino da leitura do texto literário

Estratégias didático-metodológicas para o ensino da leitura do texto literário Estratégias didático-metodológicas para o ensino da leitura do texto literário Sharlene Davantel Valarini (Doutoranda em Estudos Literários/UEM-PR) Resumo: Nos dias de hoje, o ensino da literatura ainda

Leia mais

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores.

Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Uma Biblioteca e a vontade de formar leitores. Prof. Ms. Deisily de Quadros (FARESC) deisily@uol.com.br Graduando Mark da Silva Floriano (FARESC) markfloriano@hotmail.com Resumo: Este artigo apresenta

Leia mais

Poesia A Arte de brincar e aprender com as palavras. Prof. José Urbano

Poesia A Arte de brincar e aprender com as palavras. Prof. José Urbano Poesia A Arte de brincar e aprender com as palavras Prof. José Urbano O que vamos pensar: A Literatura e a Sociedade Funções e desdobramentos da Literatura Motivação Poesia Em hipótese alguma a literatura

Leia mais

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos.

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Diogo Vieira do Nascimento 1 (UERJ/EDU) Fabiana da Silva 2 (UERJ/EDU)

Leia mais

Leitura infanto-juvenil no SESC-Piedade

Leitura infanto-juvenil no SESC-Piedade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Artes e Comunicação Departamento de Ciência da Informação Curso de Biblioteconomia Professora: Cecília Prysthon Leitura infanto-juvenil no SESC-Piedade (Relatório

Leia mais

A ABORDAGEM DA CRÔNICA NO LIVRO DIDÁTICO

A ABORDAGEM DA CRÔNICA NO LIVRO DIDÁTICO A ABORDAGEM DA CRÔNICA NO LIVRO DIDÁTICO Andréia Soardi (G -CLCA-UENP/CJ) Rita de Cássia Lamino de Araújo (Orientadora-CLCA-UENP/CJ) Grupo de Pesquisa Literatura e Ensino A crônica no ensino: objeto de

Leia mais

O DESGOSTO LITERÁRIO NO ENSINO MÉDIO

O DESGOSTO LITERÁRIO NO ENSINO MÉDIO O DESGOSTO LITERÁRIO NO ENSINO MÉDIO Suetônio de Farias Matias Escola Estadual de Ensino Médio Inovador Juarez Maracajá suetoniofarias@hotmail.com INTRODUÇÃO É consenso entre teóricos, que a forma mais

Leia mais

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens

Para pensar o. livro de imagens. Para pensar o Livro de imagens Para pensar o livro de imagens ROTEIROS PARA LEITURA LITERÁRIA Ligia Cademartori Para pensar o Livro de imagens 1 1 Texto visual Há livros compostos predominantemente por imagens que, postas em relação,

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA

PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA Escola de Ensino Médio João Barbosa Lima PROJETO DE LEITURA CESTA LITERÁRIA DESPERTANDO O GOSTO PELA LEITURA E A ARTE DE ESCREVER Projeto na Sala de PCA da Área de Linguagens e Códigos PROEMI -Programa

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura.

PALAVRAS-CHAVE Alfabetização e Letramento. Formação do Leitor. Leitura. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO: PARAÍBA: ARTE, SABER E CULTURA ATRAVÉS DAS OBRAS DE ARIANO SUASSUNA E LEANDRO GOMES DE BARROS.

PROJETO PEDAGÓGICO: PARAÍBA: ARTE, SABER E CULTURA ATRAVÉS DAS OBRAS DE ARIANO SUASSUNA E LEANDRO GOMES DE BARROS. PROJETO PEDAGÓGICO: PARAÍBA: ARTE, SABER E CULTURA ATRAVÉS DAS OBRAS DE ARIANO SUASSUNA E LEANDRO GOMES DE BARROS. RESUMO SANTOS, Enia Ramalho os UEPB enia.ramalho @hotmail.com SANTOS, Patricia Ferreira

Leia mais

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil

Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Revista Eletrônica Acolhendo a Alfabetização nos Países de Língua Portuguesa ISSN: 1980-7686 suporte@mocambras.org Universidade de São Paulo Brasil Gasparelo Voltani, Gisele Daniel Pennac na Sala de Leitura

Leia mais

Por uma pedagogia da juventude

Por uma pedagogia da juventude Por uma pedagogia da juventude Juarez Dayrell * Uma reflexão sobre a questão do projeto de vida no âmbito da juventude e o papel da escola nesse processo, exige primeiramente o esclarecimento do que se

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez.

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. PROJETO DE LEITURA E ESCRITA Era uma vez... E conte outra vez. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO TEMA; PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. INSTITUIÇÃO Escola Estadual Lino Villachá

Leia mais

Maria Izabel Rodrigues TOGNATO[2]

Maria Izabel Rodrigues TOGNATO[2] PROFESSOR OU EDUCADOR? CIDADANIA UMA RESPONSABILIDADE SOCIAL NO ENSINO DE LITERATURA E DA PRÁTICA DE ENSINO NA FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA Referência: TOGNATO, M.I.R..

Leia mais

A FORMAÇÃO DE LEITOR NO ENSINO FUNDAMENTAL: OS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS E O COTIDIANO DAS ESCOLAS

A FORMAÇÃO DE LEITOR NO ENSINO FUNDAMENTAL: OS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS E O COTIDIANO DAS ESCOLAS A FORMAÇÃO DE LEITOR NO ENSINO FUNDAMENTAL: OS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS E O THE READER FORMATION IN BASIC EDUCATION: THE NATIONAL CURRICULAR PARAMETERS AND THE DAILY ROUTINE AT PRIMARY SCHOOLS.

Leia mais

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR

OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR OS RECURSOS AUDIOVISUAIS NO ESPAÇO ESCOLAR Fundação Universidade Federal do Tocantins Maria Jose de Pinho mjpgon@mail.uft.edu.br Professora orientadora do PIBIC pedagogia Edieide Rodrigues Araújo Acadêmica

Leia mais

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente.

Palavras chave: Letramento Literário; Educação infantil; Literatura infantil; Primeira Infância; Formação Docente. LETRAMENTO LITERÁRIO NA PRIMEIRA INFÂNCIA Mônica Correia Baptista (FAPEMIG/FaE/UFMG) monicacb@fae.ufmg.br Amanda de Abreu Noronha (FaE/UFMG) amandadeabreu13@gmail.com Priscila Maria Caligiorne Cruz FALE/(UFMG)

Leia mais

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO INTRODUÇÃO Francisca das Virgens Fonseca (UEFS) franciscafonseca@hotmail.com Nelmira Santos Moreira (orientador-uefs) Sabe-se que o uso

Leia mais

LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES

LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES Janieli da Silva Andrique Thibes 1 ; Marizete Bortolanza Spessatto 2 ; José Reinaldo Nonnenmacher Hilário 3 RESUMO O projeto de extensão Livro

Leia mais

LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Kelly Cristina Costa Martins 1 Simônica da Costa Ferreira 2 Introdução Nos dias atuais percebemos

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS Thyanna Silva dos Passos (Graduada/UFRB) Resumo Este trabalho tem como objetivo analisar a formação de professores e sua atuação na sala

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa

A Cobronça, a Princesa e a Surpresa elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO A Cobronça, a Princesa e a Surpresa escrito por & ilustrado por Celso Linck Fê Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER

MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER MATEMÁTICA: É PRECISO LER, ESCREVER E SE ENVOLVER Nilton Cezar Ferreira 1 Por mais de dois séculos já se faz reformas curriculares no Brasil, no entanto nenhuma dessas reformas conseguiu mudar de forma

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

Um Menino Igual a Todo Mundo

Um Menino Igual a Todo Mundo elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Um Menino Igual a Todo Mundo escrito por & ilustrado por Sandra Saruê Marcelo Boffa Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios

Leia mais

Leitura e literatura infanto-juvenil: a contradição da prática

Leitura e literatura infanto-juvenil: a contradição da prática Leitura e literatura infanto-juvenil: a contradição da prática Tatiana Gloor Teixeira Ceres Helena Ziegler Bevilaqua UFSM Chega mais perto e contempla as palavras. Cada uma tem mil faces secretas sob a

Leia mais

Contribuição das disciplinas de literatura no mestrado profissional em Letras (Profletras) para o letramento literário no ensino fundamental

Contribuição das disciplinas de literatura no mestrado profissional em Letras (Profletras) para o letramento literário no ensino fundamental Contribuição das disciplinas de literatura no mestrado profissional em Letras (Profletras) para o letramento literário no ensino fundamental João Carlos Biella i Resumo: O mestrado profissional em Letras

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos 9

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos 9 Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos 9 A ESCOLARIZAÇÃO DA LITERATURA E O LIVRO DIDÁTICO Bonfim Queiroz Lima Pereira (UFT) bonfimql@hotmail.com Márcio Araújo de Melo (UFT) marciodemelo33@gmail.com

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE:

PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE: PARECER TÉCNICO DA ATIVIDADE: Encontro com o Livro no Colégio Coração de Maria Me. Maria Aparecida da Costa Bezerra - Bibliotecária escolar e universitária Resumo: O Colégio Coração de Maria proporciona

Leia mais

2º Grupo de Estudo Professores PEB1. Alfabetização e Letramento na Educação de Jovens e Adultos. Consultor/Analista em Políticas Públicas de Educação

2º Grupo de Estudo Professores PEB1. Alfabetização e Letramento na Educação de Jovens e Adultos. Consultor/Analista em Políticas Públicas de Educação 2º Grupo de Estudo Professores PEB1 Alfabetização e Letramento na Educação de Jovens e Adultos Rogério Luís Massensini Consultor/Analista em Políticas Públicas de Educação Agenda Abertura Objetivos do

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME.

ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME. ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME. Adriane Abrantes Lazarotti 1 Gisele Rogelin Prass ¹ Pedrinho Roman 2 RESUMO A educação está buscando soluções para problemas

Leia mais

A RECEPÇÃO DE A ROUPA NOVA DO IMPERADOR, DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN, NA 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO OESTE PAULISTA.

A RECEPÇÃO DE A ROUPA NOVA DO IMPERADOR, DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN, NA 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO OESTE PAULISTA. A RECEPÇÃO DE A ROUPA NOVA DO IMPERADOR, DE HANS CHRISTIAN ANDERSEN, NA 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL DE DUAS ESCOLAS PÚBLICAS DO OESTE PAULISTA. AMANDA CARLA MINCA CARVALHO (UNESP- FCT). Resumo A presente

Leia mais

O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA

O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA 1 O ENSINO DE LITERATURA BRASILEIRA ATRAVÉS DA MÚSICA José Ozildo dos SANTOS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba Rosélia Maria de Sousa SANTOS Instituto Federal de Educação,

Leia mais

LEITURA, LITERATURA E LETRAMENTO LITERÁRIO: UM PROJETO EM AÇÃO.

LEITURA, LITERATURA E LETRAMENTO LITERÁRIO: UM PROJETO EM AÇÃO. LEITURA, LITERATURA E LETRAMENTO LITERÁRIO: UM PROJETO EM AÇÃO. Kelly Cristina Costa Martins 1 Simônica da Costa Ferreira 2 Rosicléia Moreno Leal 3 Renata Junqueira de Souza 4 Resumo Neste texto, de cunho

Leia mais

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões)

CONHECIMENTOS GERAIS (5 questões) 1. Paulo Freire na sua concepção pedagógica parte de alguns princípios que marcam, de forma clara e objetiva, o seu modo de entender o ato educativo. Considerando as características do pensamento desse

Leia mais

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ Geane Apolinário Oliveira Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - Geane-cg@hotmail.com RESUMO: Este

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros Valores Educacionais Aula 4 Respeito pelos Outros Objetivos 1 Apresentar o valor Respeito pelos Outros. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Respeito pelos Outros. Introdução Esta

Leia mais

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR

LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR LEITURA E ESCRITA: O LÚDICO NO ESPAÇO ESCOLAR Katia Maria de Oliveira CUSTODIO, Ketulem Cristina Vieira ARANTES, Ducéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES. Ângela Aparecida DIAS Departamento de Educação,UFG

Leia mais

ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59. Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br. Apresentação

ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59. Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br. Apresentação ÁLBUM DE FOTOGRAFIA: A PRÁTICA DO LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL 59 Elaine Leal Fernandes elfleal@ig.com.br Graduada em pedagogia e fonoaudiologia, Pós-graduada em linguagem, Professora da Creche-Escola

Leia mais

PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano. Tatiane Lemos Alves 1

PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano. Tatiane Lemos Alves 1 PRÁTICAS LETRADAS NO AMBIENTE DAS BIBLIOTECAS: Um estudo no IF Sertão Pernambucano Tatiane Lemos Alves 1 RESUMO A leitura, inicialmente, veio atrelada à questão do incentivo e desenvolvimento do hábito

Leia mais

CURTINDO VIDAS SECAS EM MEIO ÀS REDES SOCIAIS

CURTINDO VIDAS SECAS EM MEIO ÀS REDES SOCIAIS 1 Resumo CURTINDO VIDAS SECAS EM MEIO ÀS REDES SOCIAIS Rafael Barros dos Santos (UNEB) i Diante da ampla presença da literatura como universo de ficção e poesia, essa tem sido um instrumento poderoso de

Leia mais

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA NAS SERIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO: BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus

Leia mais

PROJETO BAÚ DE LEITURA: SUA APLICAÇÃO EM ESCOLA PÚBLICA

PROJETO BAÚ DE LEITURA: SUA APLICAÇÃO EM ESCOLA PÚBLICA PROJETO BAÚ DE LEITURA: SUA APLICAÇÃO EM ESCOLA PÚBLICA Joaquim Cardoso da Silveira Neto 1 Joelma Maria da Cruz 2 1 INTRODUÇÃO Percebe-se que, nos tempos atuais, a preocupação com o ato de ler está aumentando.

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua Marechal Floriano Peixoto, 61 Cep:84430-000 Fone/Fax:(42)34361327 e-mail: iuvalcidesmunhoz@seed.pr.gov.br Imbituva - Paraná Projeto de Leitura

Leia mais

LETRAMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA Angela Kleiman (2007)

LETRAMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA Angela Kleiman (2007) LETRAMENTO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO DE LÍNGUA MATERNA Angela Kleiman (2007) Disciplina: Seminário de Leituras Orientadas em Linguística Aplicada Professoras: Graciela Hendges e Désirée Motta-Roth

Leia mais

PNBE Programa Nacional Biblioteca da Escola: análise descritiva e crítica de uma política de formação de leitores

PNBE Programa Nacional Biblioteca da Escola: análise descritiva e crítica de uma política de formação de leitores PNBE Programa Nacional Biblioteca da Escola: análise descritiva e crítica de uma política de formação de leitores EMENTA Apresentação e discussão do processo de avaliação e seleção de obras de literatura

Leia mais

LITERATURA E EDUCAÇÃO EM UM PERIÓDICO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA PROFESSORES Juliana Valéria de Abreu

LITERATURA E EDUCAÇÃO EM UM PERIÓDICO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA PROFESSORES Juliana Valéria de Abreu LITERATURA E EDUCAÇÃO EM UM PERIÓDICO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA PARA PROFESSORES Juliana Valéria de Abreu A literatura na escola e a escolarização da literatura vêm sendo temas de discussão e pesquisas

Leia mais

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Resenha OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Leticia Macedo Kaeser * leletrasufjf@gmail.com * Aluna

Leia mais

OS DESAFIOS DA LEITURA E DA ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL

OS DESAFIOS DA LEITURA E DA ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL OS DESAFIOS DA LEITURA E DA ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL Ana Maria Quixaba Brito dos Santos 1 RESUMO A leitura e a escrita são os dois principais fundamentos das práticas educativas no Ensino Fundamental.

Leia mais

Os Amigos do Pedrinho

Os Amigos do Pedrinho elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Os Amigos do Pedrinho escrito por & ilustrado por Ruth Rocha Eduardo Rocha Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento de subsídios práticos

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS

A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS SÉRIES INICIAIS SILVA, Bárbara Tavares da 1 ARAÚJO, Junivan Gomes de 2 ALVES, Suênha Patrícia 3 ARAÚJO, Francinário Oliveira de 4 RESUMO Sabemos que

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR

ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO ENSINO REGULAR Luciana Barros Farias Lima e Claudia Regina Pinheiro Machado Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UNIRIO lucpeda@gmail.com

Leia mais

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): MARIA DE FATIMA

Leia mais

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1

A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 A DANÇA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA COM O ESTILO HIP-HOP 1 Claudiane da S. EUSTACHIO Dayana Pires Alves GARCIA Fátima RODRIGUES Jean de J. SANTANA 2 Juliana CESANA 3 Ana Lucia de Carvalho MARQUES

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA

LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA LUDICIDADE: UMA POSSIBILIDADE METODOLÓGICA PARA PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA RESUMO Edena Carla Dorne Cavalli UNIOESTE CAPES ed-cavalli@uol.com.br

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica Diretoria de Apoio a Gestão Educacional Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa Slides produzidos a partir do caderno: Currículo no ciclo de

Leia mais

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário

Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Departamento de Letras Estudo de um Sistema de Gêneros em um Curso Universitário Aluna: Esther Ruth Oliveira da Silva Orientadora: Profª. Bárbara Jane Wilcox Hemais Introdução O presente projeto se insere

Leia mais

Literatura infantil e juvenil Formação de leitores

Literatura infantil e juvenil Formação de leitores Coleção educação em análise A literatura é um campo privilegiado para ocultar/desocultar sentidos, e os livros contemporâneos (muitas vezes plenos de mensagens que vão além do texto literário, estabelecendo

Leia mais

Colégio Pedro II Departamento de Filosofia Programas Curriculares Ano Letivo: 2010 (Ensino Médio Regular, Ensino Médio Integrado, PROEJA)

Colégio Pedro II Departamento de Filosofia Programas Curriculares Ano Letivo: 2010 (Ensino Médio Regular, Ensino Médio Integrado, PROEJA) Colégio Pedro II Departamento de Filosofia Programas Curriculares Ano Letivo: 2010 (Ensino Médio Regular, Ensino Médio Integrado, PROEJA) Considerações sobre o Programa de Filosofia do Ensino Médio Regular

Leia mais

PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRÁTICAS DE LETRAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Síntia Lúcia Faé Ebert Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS SMED/POA- Escola M. E. F. João Antônio Satte Cristiane Lumertz Klein Domingues

Leia mais

A LITERATURA COMO FERRAMENTA PARA O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA: O GÊNERO POEMA

A LITERATURA COMO FERRAMENTA PARA O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA: O GÊNERO POEMA A LITERATURA COMO FERRAMENTA PARA O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA: O GÊNERO POEMA Adailton Almeida Barros adailton.almeida.barros@gmail.com (UNESPAR/FECILCAM) Maiara Rodrigues - terror-rodrigues18@hotmail.com

Leia mais

CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI

CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI CADEIA ALIMENTAR: ATIVIDADE DIDÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NA CIDADE DE PARNAÍBA-PI Thaynara Fontenele de Oliveira (Universidade Federal do Piauí UFPI/CMRV) Email: thaynarafontenele@outlook.com Maria das

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de Literatura; Letramento Literário; Leitura e Produçãode Textos e Sequência Básica.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino de Literatura; Letramento Literário; Leitura e Produçãode Textos e Sequência Básica. O LETRAMENTO LITERÁRIO: O INCENTIVO À LEITURA, À INTERPERTAÇÃO E PRODUÇÃO DO TEXTO LITERÁRIO POR MEIO DE UMA SEQUÊNCIA BÁSICA JONILSON PINHEIRO MORAES (UEPA) CRISTIANE DOMINIQUI VIEIRA BURLAMAQUI (Orientadora)

Leia mais

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL

UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Título do artigo: UMA BREVE REFLEXÃO SOBRE AS SITUAÇÕES DE ESCRITA EM CONTEXTOS COMUNICATIVOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO INICIAL Disciplina: Alfabetização Selecionadora: Beatriz Gouveia 16ª Edição do

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: EM DEFESA DE UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR

ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: EM DEFESA DE UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR 1 ALFABETIZAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: EM DEFESA DE UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR Maurina Passos Goulart Oliveira da Silva 1 mauripassos@uol.com.br Na formação profissional, muitas pessoas me inspiraram: pensadores,

Leia mais

PLANO 24 horas (Etapa V)

PLANO 24 horas (Etapa V) PROGRAMA BRASIL ALFABETIZADO MEC / FNDE GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA - UNEB PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO - PROEX NÚCLEO DE EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

Palavras Chaves: ensino; literatura; formação de professores. Introdução

Palavras Chaves: ensino; literatura; formação de professores. Introdução ENSINO DE LITERATURA: UMA VIVÊNCIA COM PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL Rayonnara Késsia de Souza Universidade Federal do Rio Grande do Norte Francimara Marcolino da Silva Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África

Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África elaboração: PROF. DR. JOSÉ NICOLAU GREGORIN FILHO Jambo! Uma Manhã com os Bichos da África escrito por & ilustrado por Rogério de A. Barbosa Eduardo Engel Os Projetos de Leitura: concepção Buscando o oferecimento

Leia mais

OS MEDIADORES NAS HISTÓRIAS DE LEITURA DOS PROFESSORES Jeovana Alves de Lima Oliveira Secretaria de Educação do Estado da Bahia

OS MEDIADORES NAS HISTÓRIAS DE LEITURA DOS PROFESSORES Jeovana Alves de Lima Oliveira Secretaria de Educação do Estado da Bahia OS MEDIADORES NAS HISTÓRIAS DE LEITURA DOS PROFESSORES Jeovana Alves de Lima Oliveira Secretaria de Educação do Estado da Bahia INTRODUÇÃO: A proposta desse trabalho é apresentar a pesquisa de Mestrado,

Leia mais

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1

O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 O ENVOLVIMENTO DOS DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL COM OS LETRAMENTOS DIGITAIS 1 Bruno Ciavolella Universidade Estadual de Maringá RESUMO: Fundamentado na concepção dialógica de linguagem proposta pelo

Leia mais