A produção de leituras da obra A maior flor do mundo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A produção de leituras da obra A maior flor do mundo"

Transcrição

1 Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Educação Escola de Educação Básica e Profissional da UFMG - Centro Pedagógico Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) A produção de leituras da obra A maior flor do mundo Resumo Analise da Silva, Profa Dra da Faculdade de Educação da UFMG Maria Elisa de Araújo Grossi, Centro Pedagógico (CP/UFMG) Clarissa Juliana de O. Silva, UFMG, Bolsista Cynthia Souza Ramos, UFMG, Bolsista Maria José Viana Fernandes, UFMG, Bolsista VâniaVieira Orquiza, UFMG, Bolsista Jeanne de Oliveira Ramos, UFMG, Bolsista Apresentamos Projeto de Ensino de Literatura desenvolvido numa turma de segundo ano do Primeiro Ciclo do Centro Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais (CP/UFMG) no ano de O Projeto de Ensino está vinculado ao Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) e contou com a participação de cinco estudantes de licenciatura do Curso de Pedagogia, que estão se preparando para o exercício da docência. Como parte do processo de formação, elas acompanharam a aula de Língua Portuguesa da turma do Centro Pedagógico, duas vezes na semana. A partir desse acompanhamento, foi possível perceber que pensar sobre a tarefa da escola no trabalho com Literatura não é tarefa simples. Outro problema encontrado na escola em relação ao trabalho com textos literários é a utilização massiva de fragmentos das obras, prática recorrente encontrada nos livros didáticos. O objetivo geral deste trabalho foi proporcionar a leitura de uma mesma obra literária por alunos de sete anos do CP/UFMG e por leitores adultos, educandos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), em processo de alfabetização, em uma turma no canteiro de obras do Estádio Governador Magalhães Pinto ( Mineirão ), da Escola Municipal Dom Orione, a fim de que eles pudessem compartilhar experiências a partir da leitura da obra A maior flor do mundo, de José Saramago. No Projeto aqui relatado, privilegiou-se o trabalho com a história, em seu suporte original. Durante várias aulas de Língua Portuguesa, cada aluno construiu o seu próprio livro, produzindo leituras e interpretações do texto por meio de ilustrações. O Projeto de Ensino de Literatura promoveu o intercâmbio entre leitores de idades diferentes. A possibilidade de leituras compartilhadas de obras e a ampliação dos sentidos do texto pelo olhar do outro se mostram como práticas que buscam uma adequada escolarização da literatura (SOARES, 2003). Palavras-chave: leituras literárias, produção de sentidos

2 2 Introdução Pensar sobre a tarefa da escola no trabalho com Literatura não é tarefa simples. Entretanto, o Projeto aqui relatado assume o risco, em virtude da necessidade real de um convívio pedagógico e culturalmente mais interessante entre escola e literatura (RANGEL, 2003, p. 128). O que se observa, muitas vezes, é a utilização da literatura para objetivos pedagógicos. Os modos escolares de ler literatura distanciam-se de comportamentos próprios da leitura literária, assumindo objetivos práticos, que passam da morfologia à ortografia sem qualquer mal estar (PAULINO, 2004, p. 56). A utilização massiva de fragmentos das obras, prática recorrente encontrada nos livros didáticos, é outro desafio encontrado na escola em relação ao trabalho com textos literários. Essa fragmentação dos textos leva, muitas vezes, a uma descaracterização da essência da obra, com alterações de paragrafação e estruturas linguísticas. No Projeto de Ensino de Literatura, privilegia-se o trabalho com o texto em seu suporte, o livro. Cada aluno produz o seu livro para facilitar o acesso ao texto integral. Quando trabalhamos com a leitura literária, colaboramos para que crianças e jovens e adultos se permitam ter voz, verbalizem e compartilhem suas vivências e emoções despertadas pela obra. Esse compartilhamento é que faz com que a leitura literária seja tão significativa para os leitores: sua polissemia, o espaço aberto que deixa, a fim de que o leitor possa completar suas lacunas. A literatura propicia a interação, o diálogo dinâmico, o debate de ideias. Cabe à escola e a seus profissionais criar oportunidades para possibilitar esse diálogo. Figura 1 Livros produzidos pelas crianças

3 3 Objetivos Geral Proporcionar a leitura de uma mesma obra literária, por alunos de sete anos do CP/UFMG e por leitores adultos, estudantes da Educação de Jovens e Adultos (EJA), em processo de alfabetização, em uma turma no canteiro de obras do Estádio Governador Magalhães Pinto ( Mineirão ), da Escola Municipal Dom Orione, a fim de que eles pudessem compartilhar experiências a partir da leitura da obra A maior flor do mundo, de José Saramago. Específicos Oportunizar a troca de impressões, o diálogo sobre o livro lido, fazendo cruzar as distintas histórias e trajetórias de leituras; Confeccionar artesanalmente um livro para cada aluno com as ilustrações realizadas por eles; Produzir leituras e interpretações da obra selecionada; Facultar o acesso a um texto literário de qualidade; Pesquisar a biografia do autor da obra selecionada. Figura 2 Ilustração da obra pelos alunos

4 4 Metodologia O Projeto de Ensino, inicialmente, promoveu a leitura da obra A maior flor do mundo (ANEXO 1) por alunos de idades, séries e de escolas diferentes. Em seguida, foi feito um consistente trabalho de mediação e exploração do livro selecionado em sala de aula. Essa exploração foi realizada por meio da construção diária dos episódios da obra, que foram ilustrados pelas crianças. Com a orientação da professora/supervisora e das bolsistas, cada aluno confeccionou o seu próprio livro. Após tal confecção, houve um trabalho, em grupo, envolvendo interpretação e releitura da obra, no qual os alunos produziram textos tendo como referência a obra em questão. Ao final, foi organizado um encontro entre os alunos das duas turmas (CP/UFMG e EJA), para que as possíveis leituras literárias pudessem ser compartilhadas. Esse encontro foi realizado no CP/UFMG, onde os alunos da Educação de Jovens e Adultos foram recebidos pelas crianças de sete anos. Resultados Muitos são os resultados alcançados. Destaca-se a possibilidade do diálogo com o outro, o abrir-se, revelar-se e expor-se. Observa-se o compartilhamento de emoções, sentimentos, impressões. Por meio desse Projeto de Ensino, o sujeito leitor se sente em estado de diálogo com o texto literário e com o partilhar leituras, na sua liberdade de produzir sentidos, assumindo o direito de exercer sua fruição estética. A possibilidade da plurissignificação, atribuída ao receptor do texto, é concretizada no momento em que a partilha da leitura é realizada. A literatura pode provocar tudo isso, pois ela nos faz pensar, nos instiga, nos aproxima do outro. O desenvolvimento do Projeto de Ensino vinculado ao PIBID proporcionou a manifestação das subjetividades. Crianças e adultos se colocaram como interlocutores e se abriram ao debate. As bolsistas que se iniciam na docência também participaram ativamente do processo, acompanhando e orientando os alunos. Os textos e os livros confeccionados pelas crianças representam um resultado concreto da ação realizada no projeto.

5 5 Figura 3 Mural com ilustrações das crianças Conclusões Com o advento dos estudos sobre letramento, em particular, sobre o letramento literário, assume relevância a realização de propostas alternativas de trabalho com a Literatura. A possibilidade de leituras compartilhadas de obras e a ampliação dos sentidos do texto pelo olhar do outro se mostram como práticas que buscam uma adequada escolarização da literatura (SOARES, 2003). A potencialidade desse Projeto de Ensino está nessa possibilidade de compartilhamento de diferentes leituras do mesmo texto. O Projeto propiciou momentos ricos de expressão oral dos leitores em processo de construção de saberes, que ingressam na viagem literária, a partir do convite dos professores, sob o efeito de um consistente trabalho de mediação. Esses leitores viajam por mundos encantados que somente a ficção é capaz de desenhar. Juntos, perseguem seus sonhos e utopias. Onde estão as leituras literárias? Nas escolas? Nas salas de aula? No canteiro de obra de um importante estádio? Nos leitores? Como realizá-la? Esse Projeto de Ensino buscou contribuir na construção de respostas para tais questões.

6 6 Referências Bibliográficas PAULINO, Graça; COSSON, Rildo. (Org.). Leitura literária: a mediação escolar. Belo Horizonte: Faculdade de Letras da UFMG, p. RANGEL, Egon de Oliveira. Letramento literário e livro didático de Língua Portuguesa. In: PAIVA, Aparecida. et al. (Org.). Literatura e letramento: espaços, suportes e interfaces. Belo Horizonte: Autêntica/Ceale/FaE/UFMG, p SOARES, Magda. A escolarização da literatura infantil e juvenil. In: EVANGELISTA, Aracy Alves; BRANDÃO, Heliana Maria Brina; MACHADO, Maria Zélia Versiani. (Org.). A escolarização da leitura literária: o jogo do livro infantil e juvenil. 2. ed. 1. reimpr. Belo Horizonte: Autêntica, p

7 7 ANEXO 1 Obra para leitura compartilhada SARAMAGO, José. A maior flor do mundo. São Paulo: Companhia das Letrinhas, p. A maior flor do mundo é uma magnífica história para crianças, mas, antes de tudo, é um legítimo Saramago. Transformando-se em personagem, o autor nos conta que uma vez teve uma ideia para um livro infantil, inventou uma história sobre um menino que faz nascer a maior flor do mundo. Não se julgava capaz de escrever para crianças, mas chegou a imaginar que, se tivesse as qualidades necessárias para colocar a ideia no papel, ela resultaria verdadeiramente extraordinária: "seria a mais linda de todas as que se escreveram desde o tempo dos contos de fadas e princesas encantadas [...]." É dessa fantasia de grandiosidade que nasce o livro. Os leitores são chamados para uma divertida brincadeira, pois Saramago narra-lhes a história do menino e da flor, não como se ela fosse a história de verdade, mas como se fosse apenas o esboço do que ele teria contado se tivesse o poder de fazer o impossível: escrever a melhor história de todos os tempos. Entrando no jogo com o autor, os pequenos leitores vão saber que ninguém nunca teve nem terá esse poder. Vão saber também que a literatura é o lugar do impossível: o menino desta história faz uma simples flor dar sombra como se fosse um carvalho. Depois, quando ele "passava pelas ruas, as pessoas diziam que ele saíra da aldeia para ir fazer uma coisa que era muito maior do que o seu tamanho e do que todos os tamanhos". Como nos velhos livros de literatura infantil, Saramago conclui: "E é essa a moral da história". Título Altamente Recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) 2001, categoria criança.

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): MARIA DE FATIMA

Leia mais

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA

A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA A ORALIZAÇÃO COMO MANIFESTAÇÃO LITERÁRIA EM SALA DE AULA. AÇÕES DO PIBID/CAPES UFG (SUBPROJETO: LETRAS: PORTUGUÊS) NO COLÉGIO ESTADUAL LYCEU DE GOIÂNIA Bolsistas: SILVA, Danila L.; VAZ, Paula R. de Sena.;

Leia mais

Palavras-Chave: docência, alfabetização, letramento.

Palavras-Chave: docência, alfabetização, letramento. O PROCESSO DE ALFABETIZAR, LETRANDO- UMA VIVÊNCIA NO PIBID/CAPES/ULBRA Nanci Tereza Félix Veloso Sílvia Maria Barreto dos Santos ULBRA- Cachoeira do Sul RESUMO Este trabalho relata os percursos metodológicos

Leia mais

LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES

LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES LIVRO NA SALA DE AULA: MINIBIBLIOTECA E FORMAÇÃO DE LEITORES Janieli da Silva Andrique Thibes 1 ; Marizete Bortolanza Spessatto 2 ; José Reinaldo Nonnenmacher Hilário 3 RESUMO O projeto de extensão Livro

Leia mais

LEITURA LITERÁRIA: REFLEXÕES SOBRE UMA EXPERIÊNCIA NA ESCOLA

LEITURA LITERÁRIA: REFLEXÕES SOBRE UMA EXPERIÊNCIA NA ESCOLA LEITURA LITERÁRIA: REFLEXÕES SOBRE UMA EXPERIÊNCIA NA ESCOLA BORTTOLIN, A. M. P. LITTERA/UNESC SILVEIRA, R. de F. K. da LITTERA/UNESC O presente texto mostra uma experiência de leitura literária na escola

Leia mais

Palavras-chave: Formação de Professores, Prática Pedagógica, Escola, Letramento, Alfabetização, Experimentação, Resultados.

Palavras-chave: Formação de Professores, Prática Pedagógica, Escola, Letramento, Alfabetização, Experimentação, Resultados. 1 PIBID: UMA EXPERIÊNCIA DE REGISTRO DA PRÁTICA PEDAGÓGICA E SUA IMPORTÂNCIA PARA A UNIDADE ESCOLAR Sônia Maria Benjamin Borges 1 Orientadora: Dulcinéia de Oliveira Gomes 2 Resumo: Este trabalho tem como

Leia mais

O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD

O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD O PROJETO RECUPERAÇÃO LÚDICA E AS CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PEDAGOGIA DA UFGD Adriele Aparecida Squincalha da Silva 1 ; Ana Paula Cristófari Assis 2 ; Gessica Rodrigues Souza 3 Vera Lucia de Souza 4 ; Kátia

Leia mais

BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus I julia.araujo13@gmail.com

BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus I julia.araujo13@gmail.com LIMITES E DIFICULDADES PARA ALFABETIZAR E LETRAR TURMA DA EJA: EXPERIÊNCIA DO PIBID SILVA, Alzira Maria Lima da. Graduanda Pedagogia - UEPB/Campus I alziralima37@hotmail.com BARBOSA, Maria Julia de Araújo.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE FURG PIBID 2014 SUBPROJETO: Interdisciplinar Coordenador de área: Profª. Dra. Elaine Corrêa Pereira Projeto de trabalho Toda criança tem um repertório de conhecimentos

Leia mais

A LITERATURA ESCOLARIZADA

A LITERATURA ESCOLARIZADA Revista Eletrônica da Faculdade Metodista Granbery http://re.granbery.edu.br - ISSN 1981 0377 Curso de Pedagogia N. 12, JAN/JUN 2012 A LITERATURA ESCOLARIZADA Raylla Portilho Gaspar 1 RESUMO Esse artigo

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Campo Grande 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Espanhol Obs.:

Leia mais

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ ALVES, T. C.²; RENK, E. F.³; LEÃO, T.J.E. 4 ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II Espaços

Leia mais

A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS

A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS A LINGUAGEM ESCRITA COMO UMA DAS MÚLTIPLAS LINGUAGENS DA CRIANÇA Professor(a), no tema anterior, A criança de seis anos no ensino fundamental, falamos sobre quem são e como são essas crianças que ingressam

Leia mais

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO A LEITURA E O PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Adriana M. das Virgens Chagas (adrianachagas3@hotmail.com) Aluna de graduação do curso de Pedagogia das Faculdades Integradas de Aracruz Luciana C.

Leia mais

BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS RESUMO

BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS RESUMO BIBLIOTECA VIVA: CONHECENDO O MUNDO ATRAVÉS DOS LIVROS Camila Alves de Araujo Maria 1 ; Juciene da Silva Gomes 2 ; Ireny Morassu ³; Maria José de Jesus Alves Cordeiro 4 UEMS Cidade Universitária de Dourados-

Leia mais

Caracterização da Escola

Caracterização da Escola 28 O CORDEL DOS TIRADENTES Flávia Helena Pontes Carneiro* helena.flavia@gmail.com *Graduada em Pedagogia, Mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, Professora

Leia mais

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 Rochelle Lopes da Silva- UVA 2 Andrea Abreu Astigarraga- UVA INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Letramento. Alfabetização. Ensino-aprendizagem. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O ENSINO-APRENDIZAGEM DA LEITURA E ESCRITA NAS SERIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL RESUMO: BARBOSA, Maria Julia de Araújo. Pedagogia - UEPB/Campus

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS

PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS PLANEJAMENTO NA EJA: PROCESSOS E DESAFIOS Ana Lucia Paranhos de Jesus Bolsista ID PIBID / UNEB no DEDC I Priscila Santos Moreira Bolsista ID PIBID / UNEB no DEDC I RESUMO Jeane dos Anjos Moreira Bolsista

Leia mais

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL?

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? 1 de 7 ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? Jéssica Alves de Oliveira Maria José dos Santos Chagas Tatiane de Fátima Silva Seixas RESUMO: De uma maneira geral, existe, por parte

Leia mais

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS RESUMO Juliana Candido QUEROZ (Bolsista) 1 ; Natália SILVA (Bolsista) 2, Leila BRUNO (Supervisora) 3 ; Sinval Martins S. FILHO (Coordenador)

Leia mais

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO

A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO A ESCOLA E O LIVRO INFANTIL NA FORMAÇÃO DO GOSTO LITERÁRIO Sílvia Cristina Fernandes Paiva 1 Ana Arlinda Oliveira 2 A leitura literária na escola Podemos afirmar que a leitura é fundamental para construção

Leia mais

OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA

OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA OS SENTIDOS DO LER E ESCREVER NA SOCIEDADE E NA ESCOLA JOSE MABEL PEREIRA LOPES DAS NEVES (UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS). Resumo A pesquisa tem como objetivo conhecer quais os saberes que as ingressantes

Leia mais

COTIDIANO, LAZER E TRABALHO: Brincadeiras infantis e ofícios tradicionais da Idade Média e do século XXI

COTIDIANO, LAZER E TRABALHO: Brincadeiras infantis e ofícios tradicionais da Idade Média e do século XXI COTIDIANO, LAZER E TRABALHO: Brincadeiras infantis e ofícios tradicionais da Idade Média e do século XXI ISAAC ANTUNES BRAGA DE CARVALHO KALINE LORENA SILVA DANTAS SÍNTIQUE RAMALHO SEABRA DE SOUZA RESUMO:

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II EDITAL Nº 001/2011/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Feira do livro: acesso ao livro, descoberta da leitura.

Feira do livro: acesso ao livro, descoberta da leitura. Feira do livro: acesso ao livro, descoberta da leitura. Helgair Kretschmer Aguirre (Graduanda em Licenciatura em Letras/Unipampa Bagé) Sheyla de Jesus Meireles Teixeira (Graduanda em Licenciatura em Letras/Unipampa

Leia mais

Narrativa reflexiva sobre planejamento de aulas

Narrativa reflexiva sobre planejamento de aulas Narrativa reflexiva sobre planejamento de aulas Jefferson Ebersol da Silva 1 Contexto da narrativa O projeto PIBID, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica à Docência da FURG, foi desenvolvido

Leia mais

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO CONSTITUINDO REFERENCIAIS TEÓRICO-METODOLÓGICOS: CONTRIBUIÇÕES DO PIBID PARA O TRABALHO COM ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Bruna Mendes Muniz 1 Gislaine Aparecida Puton Zortêa 2 Jéssica Taís de Oliveira Silva

Leia mais

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA 27 a 30 de Agosto de 2014. DIFICULDADES ENFRENTADAS POR PROFESSORES E ALUNOS DA EJA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo: MACHADO, Diana dos Santos 1 Ifes - Campus Cachoeiro de Itapemirim

Leia mais

UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO

UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO UM ESTUDO DAS POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA ESCOLAR DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DO NUMERAMENTO FARIA, Juliana Batista. UFMG julianabmat@yahoo.com.br Membro do Grupo Estudos sobre Numeramento

Leia mais

Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler. Unidade I:

Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler. Unidade I: Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler Unidade I: 0 Unidade: A Poesia: uma outra maneira para gostar de ler Olá Alunos, Na unidade anterior conhecemos e discutimos um pouco a respeito

Leia mais

A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais

A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais A Formação docente e o ensino da leitura e escrita por meio dos gêneros textuais Dayanne Cristina Moraes de DEUS; Dulcéria TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES; Reila Terezinha da Silva LUZ Departamento de

Leia mais

Palavras-chave: jogos de matemática, aprendizagem, dinamicidade

Palavras-chave: jogos de matemática, aprendizagem, dinamicidade O JOGO COMO MÉTODO DE ENSINO NAS AULAS DE MATEMÁTICA Ana Carla da Silva Santos i Ana Paula Araújo da Silva Cledineide Medeiros de Araújo Joedna Loyse de Souza Morais O presente trabalho denominado "O jogo

Leia mais

Sobre a Brinquedoteca:

Sobre a Brinquedoteca: Curso de Pedagogia e MOSTRA PEDAGÓGICA 2010 Apresentando: Artes e Matemática, Educação de Jovens e Adultos - EJA e Brinquedoteca Nos dias 08 e 09 de junho tivemos a MOSTRA PEDAGÓGICA 2010 onde houve o

Leia mais

Meu Mini Mundo 1. PALAVRAS-CHAVE: livro; mini mundo; literatura infantil; kirigami; comunicação.

Meu Mini Mundo 1. PALAVRAS-CHAVE: livro; mini mundo; literatura infantil; kirigami; comunicação. Meu Mini Mundo 1 Marleyde Alves dos SANTOS 2 Alexandre FERREIRA 3 Bruno César de SOUZA 4 Mayra Magalhães GOMES 5 Thiago Arthur GOMES 6 Lamounier Lucas PEREIRA Jr. 7 Centro Universitário Newton Paiva, Belo

Leia mais

O dia a dia na Educação Infantil

O dia a dia na Educação Infantil - SEPesq Ninon Rose Medeiros dos Santos Graduanda em Pedagogia UniRitter ninon_medeiros@hotmail.com Vanina Machado Petenuzzo Graduanda em Pedagogia UniRitter vanina_machado@hotmail.com Orientadora Andrea

Leia mais

LITERATURA NA REDE RESUMO

LITERATURA NA REDE RESUMO 1 LITERATURA NA REDE Bruno Mocellin 1 ; Karla Goularte da Silva Gründler 2 RESUMO O projeto Literatura na Rede desenvolvido no Instituto Federal Catarinense de Videira utilizou as TICs (Tecnologias de

Leia mais

MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58

MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58 MÍDIAS DIGITAIS EM ATIVIDADES DO PIBID: EXPERIÊNCIAS COM OS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 58 Gabriela Kloth ¹ gabikloth@hotmail.com Thais de Souza Schlichting ² thais_schlichting@hotmail.com ¹ Mestranda

Leia mais

Promover a participação de toda comunidade escolar no projeto PIBID;

Promover a participação de toda comunidade escolar no projeto PIBID; Título do projeto: Parada da leitura Tema: O letramento literário na comunidade escolar. Introdução O presente projeto visa disseminar o projeto PIBID para toda a comunidade escolar (alunos, professores,

Leia mais

O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO

O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO O JOGO DE XADREZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO PARA APRENDIZAGEM ESCOLAR DE ALUNOS DO 6º ANO PLAY CHESS AS EDUCATIONAL RESOURCE FOR SCHOOL LEARNING OF 6 YEAR STUDENTS Letícia Alessandra Cavalcante-Graduanda

Leia mais

LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM

LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM LETRAMENTO, LEITURA, LITERATURA E PRODUÇÃO DE TEXTO: SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM Kelly Cristina Costa Martins 1 Simônica da Costa Ferreira 2 Introdução Nos dias atuais percebemos

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE

LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE LEITURA E ESCRITA NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PROPOSTA DE APRENDIZAGEM COM LUDICIDADE Martyhellen Maria Monteiro da Silva - Acadêmica do 8º período do Curso de Pedagogia-UVA, Bolsista do PIBID/UVA-Pedagogia

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO

A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO A IMPORTÂNCIA DO PIBID NO CONTEXTO ENSINO APRENDIZAGEM REPORTADA POR ALUNOS DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO Rothchild Sousa de Morais Carvalho Filho 1 Naiana Machado Pontes 2 Laiane Viana de Andrade 2 Antonio

Leia mais

Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento

Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento Formas de organização do trabalho de alfabetização e letramento Isabel Cristina Alves da Silva Frade(1) Introdução Como realizar um planejamento de trabalho de alfabetização e letramento com crianças de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso: Pedagogia - vespertino Disciplina: EDM0323 - Metodologia do ensino de português: a alfabetização. Docente: Prof.ª Nilce da Silva Aluna (nºusp): Flávia

Leia mais

Maria Marismene Gonzaga 1 - UNESP

Maria Marismene Gonzaga 1 - UNESP A PRESENÇA DA BIBLIOTECA ESCOLAR NO PROJETO POLÍTICO- PEDAGÓGICO DA ESCOLA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA O TRABALHO COM A ALFABETIZAÇÃO, O LETRAMENTO E A LEITURA LITERÁRIA Resumo Maria Marismene Gonzaga 1 -

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM O LÚDICO NA APRENDIZAGEM RESUMO Aline Hahn Affeldt Prof. Janaina de Souza Aragão Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI Pedagogia (PED 7051) Metodologia e Conteúdos Básicos de Comunicação e

Leia mais

O OLHAR DAS CRIANÇAS SOBRE A ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL

O OLHAR DAS CRIANÇAS SOBRE A ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL O OLHAR DAS CRIANÇAS SOBRE A ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL Resumo DEBOVI, Andreia Kirsch UNISUL andreiadebovi@branet.com.br GOULART, Mariléia Mendes UNISUL marileia.goulart@unisul.br Eixo Temático: Didática:

Leia mais

O QUE É LEITURA? Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). rosália.prados@gmail.com 1

O QUE É LEITURA? Mestrado em Políticas Públicas da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). rosália.prados@gmail.com 1 O QUE É LEITURA? Antonio Deusivam de Oliveira (UMC) * Rosália Maria Netto Prados (USP/UMC) ** Quando falamos em leitura, parece que estamos nos referindo a algo subjetivo; no entanto, uma das características

Leia mais

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA

PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA PIBID: DESCOBRINDO METODOLOGIAS DE ENSINO E RECURSOS DIDÁTICOS QUE PODEM FACILITAR O ENSINO DA MATEMÁTICA Naiane Novaes Nogueira 1 Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB n_n_nai@hotmail.com José

Leia mais

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) Subprojeto-Biologia

Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) Subprojeto-Biologia MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID) Subprojeto-Biologia ATIVIDADE LÚDICA COMO INSTRUMENTO DE DIVULGAÇÃO E

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

PROJETO QUARTA LITERÁRIA

PROJETO QUARTA LITERÁRIA PROJETO QUARTA LITERÁRIA * Francisca Wládia de Medeiros Inocêncio ** Leni Oliveira da Silva Este artigo pretende socializar o Projeto Quarta Literária, desenvolvido no Centro Educacional do Projeto SESC

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM COMUNIDADES PARA A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO BIBLIOTECÁRIO

A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM COMUNIDADES PARA A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO BIBLIOTECÁRIO A IMPORTÂNCIA DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA EM COMUNIDADES PARA A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO BIBLIOTECÁRIO Lidia Eugenia Cavalcante lidia@ufc.br Universidade Federal do Ceará Área 4. Gestión de la Información

Leia mais

Jeana Maria de Moura Telles

Jeana Maria de Moura Telles Jeana Maria de Moura Telles Brincar, compartilhar e aprender: A ludicidade como elemento norteador de uma aula mais proveitosa, atrativa e eficaz Araguaína TO 2013 Jeana Maria de Moura Telles Brincar,

Leia mais

SEI SITES EDUCACIONAIS INTERESSANTES

SEI SITES EDUCACIONAIS INTERESSANTES SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE INFORMAÇÕES E TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS SUPERINTENDÊNCIA DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DIRETORIA DE TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO SEI SITES

Leia mais

NÃO JOGA FORA NO LIXO! : PRODUZINDO MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA COM RECURSOS ALTERNATIVOS

NÃO JOGA FORA NO LIXO! : PRODUZINDO MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA COM RECURSOS ALTERNATIVOS NÃO JOGA FORA NO LIXO! : PRODUZINDO MATERIAIS DIDÁTICOS PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA COM RECURSOS ALTERNATIVOS Ariane Maurício Martins¹ Silvana Claudia dos Santos² ¹Universidade Federal de Viçosa/Departamento

Leia mais

ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ

ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ ATIVIDADES DESENVOVLIDAS PELO LABORATÓRIO DE ENSINO DE MATEMÁTICA LEM- FOZ Prof.a. Ms. Renata Camacho Bezerra UNIOESTE Campus de Foz do Iguaçu renatacb@unioeste.br Prof.a. Ms. Patrícia Sândalo Pereira

Leia mais

A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA.

A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA. A FORMAÇÃO DE LEITORES EM ESPAÇOS ESCOLARES E NÃO ESCOLARES: CONHECENDO UMA EXPERIÊNCIA. Francisca Fabiana Ferreira da Silva 1 fabiana.igor@hotmail.com Francisca Mônica Paz de Sousa Dantas 2 monnyka@hotmail.com

Leia mais

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM!

IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! IFA MIRIM PROJETO: LEIA PARA MIM! Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID): UMA AVALIAÇÃO DA ESCOLA SOBRE SUAS CONTRIBUIÇÕES Silva.A.A.S. Acadêmica do curso de Pedagogia (UVA), Bolsista do PIBID. Resumo: O trabalho

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA E POLINIZAÇÃO DE PLANTAS DO BIOMA CAATINGA: A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS DIFERENCIADAS EM SALA DE AULA.

CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA E POLINIZAÇÃO DE PLANTAS DO BIOMA CAATINGA: A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS DIFERENCIADAS EM SALA DE AULA. CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA E POLINIZAÇÃO DE PLANTAS DO BIOMA CAATINGA: A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS DIFERENCIADAS EM SALA DE AULA. Iara Késia Alves dos Santos (1); Tamires Araújo Fortunato (2); Jorgeana de

Leia mais

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS

A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS A EDUCAÇÃO FINANCEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS ADULTOS Alyson Fernandes de Oliveira 1 Hanna Maia Marques de Mello 2 Ana Paula de Almeida Saraiva Magalhães 3 Renata Emiko Basso Hayashi 4 Resumo: Com o elevado

Leia mais

*Doutora em Lingüística (UNICAMP), Professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV).

*Doutora em Lingüística (UNICAMP), Professora da Universidade Federal de Viçosa (UFV). PRÁTICAS DE LEITURA EM SALA DE AULA: O USO DE FILMES E DEMAIS PRODUÇÕES CINEMATOGRÁFICAS EM AULAS DE LÍNGUA - PORTUGUESA 52 - Adriana da Silva* adria.silva@ufv.br Alex Caldas Simões** axbr1@yahoo.com.br

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC Antônia Fernandes Ferreira; Gessica Nunes Noronha; Marielle Sâmia de Lima

Leia mais

Profa. Ma. Adriana Rosa

Profa. Ma. Adriana Rosa Unidade I ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Profa. Ma. Adriana Rosa Ementa A teoria construtivista: principais contribuições, possibilidades de trabalho pedagógico. Conceito de alfabetização: história e evolução.

Leia mais

Palavras-chave: Ensino/Aprendizagem; Variações Linguísticas; Relação Professor/Aluno.

Palavras-chave: Ensino/Aprendizagem; Variações Linguísticas; Relação Professor/Aluno. ALFABETIZAÇÃO: UMA REFLEXÃO SOBRE A REALIDADE ESCOLAR Andréia de Fátima Freire Maia, UNICENTRO, PIBID CAPES Marieli Zviezykoski, UNICENTRO, PIBID CAPES Ângela Bona Josefi (Orientadora - UNICENTRO) Resumo:

Leia mais

ESTABILIZANDO ELEMENTOS: A LUDICIDADE COMO INSTRUMENTO PARA PROMOVER O ENSINO DA QUÍMICA

ESTABILIZANDO ELEMENTOS: A LUDICIDADE COMO INSTRUMENTO PARA PROMOVER O ENSINO DA QUÍMICA ESTABILIZANDO ELEMENTOS: A LUDICIDADE COMO INSTRUMENTO PARA PROMOVER O ENSINO DA QUÍMICA ADORYAN, Janerson 1 WIEDTHAUPER, Fernanda A. 2 DEOBALD, Anna M. 3 PIRES, Fabiana L. B. 4 Resumo: Este trabalho relata

Leia mais

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL Viviane Cardoso¹ Resumo: O objetivo desse artigo é refletir como os ideais da pedagogia freireana tem contribuído para as práticas

Leia mais

FRANCISCO FURTADO MENDES VIANNA ([187 ] 1935) E O ENSINO DA LEITURA PELO MÉTODO ANALÍTICO

FRANCISCO FURTADO MENDES VIANNA ([187 ] 1935) E O ENSINO DA LEITURA PELO MÉTODO ANALÍTICO FRANCISCO FURTADO MENDES VIANNA ([187 ] 1935) E O ENSINO DA LEITURA PELO MÉTODO ANALÍTICO ANGÉLICA PALL ORIANI (UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA - UNESP). Resumo Nesta comunicação, apresentam se resultados

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA PIBID ESPANHOL A língua espanhola na Educação Básica A implantação da língua espanhola por meio da lei federal 11.161, que diz respeito à sua oferta

Leia mais

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

UFPB PRG X ENCONTRO DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA 4CEDFEMT03 A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UFPB Maria Lúcia Gomes da Silva (1), Erenildo João Carlos (3) Centro de Educação/Departamento de Fundamentação da Educação/MONITORIA RESUMO

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS Anais do III Simpósio sobre Formação de Professores SIMFOP Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus de Tubarão Tubarão, de 28 a 31 de março de 2011 PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME.

ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME. ERRADICAR O ANALFABETISMO FUNCIONAL PARA ACABAR COM A EXTREMA POBREZA E A FOME. Adriane Abrantes Lazarotti 1 Gisele Rogelin Prass ¹ Pedrinho Roman 2 RESUMO A educação está buscando soluções para problemas

Leia mais

O ensino de química e a educação ambiental em diálogo com Paulo Freire: descrição de uma atividade não formal na escola

O ensino de química e a educação ambiental em diálogo com Paulo Freire: descrição de uma atividade não formal na escola O ensino de química e a educação ambiental em diálogo com Paulo Freire: descrição de uma atividade não formal na escola Resumo Arlete PierinaCalderan 1 Mara Elisa FortesBraibante 2 A escola é um ambiente

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO EDUCAÇÃO AMBIENTAL ATRAVÉS DE OFICINAS PEDAGÓGICAS NAS ESCOLAS DO CAMPO Fabiano Custodio de Oliveira 1 UFCG/CDSA - fabiano.geografia@gmail.com Fabiana Feitosa de Souza 2 UFCG/CDSA fabiana.luquinha@hotmail.com

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB EDITAL Nº 018/2010/CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

Leia mais

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA

O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA O LETRAMENTO DE SURDOS NA SEGUNDA LÍNGUA Mariana Rodrigues Ferreira Fantinelli (G UENP, campus de Jac.) naninha_fantinelli@hotmail.com Sonia Maria Dechandt Brochado ( Orientadora UENP) O letramento do

Leia mais

PROJETO DO LIVRO BRINQUEDO: SOMOS O MEIO AMBIENTE

PROJETO DO LIVRO BRINQUEDO: SOMOS O MEIO AMBIENTE PROJETO DO LIVRO BRINQUEDO: SOMOS O MEIO AMBIENTE ¹Orientada: Vanessa da Silva Lopes ²Orientadora: Prof. MSc. Almerinda Maria dos Reis Vieira Rodrigues ³Co-Orientadora: Prof. MSc. Graci Marlene Pavan ¹Estudante

Leia mais

TEXTURAS E SENSAÇÕES COM PINTURAS DE AMILCAR DE CASTRO: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA EDUCAÇÃO INFANTIL.

TEXTURAS E SENSAÇÕES COM PINTURAS DE AMILCAR DE CASTRO: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA EDUCAÇÃO INFANTIL. TEXTURAS E SENSAÇÕES COM PINTURAS DE AMILCAR DE CASTRO: REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DO PIBID DE PEDAGOGIA EDUCAÇÃO INFANTIL. Arachele Maria Santos 1 Maria Joseilda da Silva Oliveira 2 RESUMO Este projeto

Leia mais

Palavras chave: Educação Infantil, Docência e Literatura Infantil.

Palavras chave: Educação Infantil, Docência e Literatura Infantil. POSSIBILIDADES DA LITERATURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Rubia da Conceição Camilo. (Universidade Federal de Minas Gerais Faculdade de Educação). rubiaccamilo@gmail.com Iza Rodriguez da Luz. (Universidade Federal

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade

Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade 1 Brinquedoteca Aprender Brincando : espaço educativo alternativo na Universidade Maria Janine Dalpiaz Reschke 1 Lílian Aiala 2 Este trabalho tem como objetivo discutir os resultados do projeto de extensão:

Leia mais

OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR

OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Laysla da Silva Lemos Universidade Estadual da Paraíba (UEPB/PIBID/CAPES) anallemosk@gmail.com Profa. Ms.

Leia mais

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COMO RECURSO METODOLÓGICO PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL

CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COMO RECURSO METODOLÓGICO PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS COMO RECURSO METODOLÓGICO PARA O ENSINO DA MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA NO ENSINO FUNDAMENTAL Resumo: José Roniero Diodato Marilene Severina de Oliveira Ana Claudia do Nascimento Glauciane

Leia mais

PROPOSTA DO PROJETO - POR DENTRO DO MUNDO DA LEITURA - UMA FORMA DE INCENTIVO À LEITURA NO AMBIENTE ESCOLAR

PROPOSTA DO PROJETO - POR DENTRO DO MUNDO DA LEITURA - UMA FORMA DE INCENTIVO À LEITURA NO AMBIENTE ESCOLAR PROPOSTA DO PROJETO - POR DENTRO DO MUNDO DA LEITURA - UMA FORMA DE INCENTIVO À LEITURA NO AMBIENTE ESCOLAR Autor: Priscila Alves de Paula Belo Co-autores: Roberta Havana Martins Gomes Queiroz Orientador:

Leia mais

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA RODRIGUES, Patrícia Gomes Universidade Estadual de Goiás, campus Iporá patykauan_5@hotmail.com MARQUES, Daniela Cristina de Sousa Universidade

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires**

ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires** ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO: REFLEXÃO SOBRE A APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA Juliana Suelen Alves dos Santos* Maria da Conceição Pires** RESUMO Este artigo apresenta uma reflexão sobre a leitura e

Leia mais

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR

SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR SEM AULAS? E AGORA?... JOGOS MATEMÁTICOS COMO ESTRATÉGIA DE VALORIZAÇÃO DO AMBIENTE ESCOLAR Eliane Santana de Souza 1 - UEFS annystar_@hotmail.com Nadson de Jesus Lima 2 -UEFS nado_19jl@hotmail.com Orientadora:

Leia mais

ARTICULAÇÃO ENTRE TEATRO E MATEMÁTICA 1

ARTICULAÇÃO ENTRE TEATRO E MATEMÁTICA 1 ISSN 2316-7785 ARTICULAÇÃO ENTRE TEATRO E MATEMÁTICA 1 Taynara Oliveira da Rosa Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA tatahpaz@hotmail.com André Martins Alvarenga Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA

Leia mais

Autor do Trabalho Arthur Garibaldi Jardim Arthur-garibaldi@hotmail.com;

Autor do Trabalho Arthur Garibaldi Jardim Arthur-garibaldi@hotmail.com; AS CONTRIBUIÇÕES DOS JOGOS PEDAGÓGICOS NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO OCORRIDO ATRAVÉS DA EXPERIÊNCIA COMO BOLSISTA NO SUBPROJETO PIBID- PEDAGOGIA-URCAMP BAGÉ Autor do Trabalho Arthur Garibaldi

Leia mais

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES Haiane Regina de Paula, PIC(UNESPAR/FECILCAM)) Valdir Alves (OR), FECILCAM RESUMO:A pesquisa A Matemática Através de

Leia mais

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER

O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER O HÁBITO DA LEITURA E O PRAZER DE LER ALVES, Ivanir da Costa¹ Universidade Estadual de Goiás Unidade Universitária de Iporá ¹acwania@gmail.com RESUMO A leitura é compreendida como uma ação que deve se

Leia mais

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública Luciana Lopes Xavier 1 Odenise Maria Bezerra 2 Resumo O presente trabalho busca relatar uma experiência

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 PIBID EM AÇÃO: MEDIAÇÃO DA APRENDIZAGEM ATRAVÉS DE JOGOS MATEMÁTICOS Crhistiane da Fonseca Souza Universidade Federal de Goiás/Campus de Catalão crhisfsouza@gmail.com Simara Maria Tavares Nunes Universidade

Leia mais

JOGO: TABULEIRO HUMANO. 1

JOGO: TABULEIRO HUMANO. 1 154 OBJETIVOS A SEREM ALCANÇADOS: JOGO: TABULEIRO HUMANO. 1 Identificar alguns órgãos e sistemas do organismo humano em representações figurativas. Analisar o mecanismo de integração de sistemas do organismo

Leia mais

O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA *

O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA * O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA * Fernanda da Silva Alvissu Prizoto Universidade de Taubaté ** RESUMO: O tema desta pesquisa é a sugestão de trabalho com filme

Leia mais