Orçamento da Segurança Social 2014 Mapa XIV Despesas do Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Orçamento da Segurança Social 2014 Mapa XIV Despesas do Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade"

Transcrição

1 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Solidariedade Rubrica Designação OSS Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 02 Aquisição de bens e serviços ,00 03 Juros e outros encargos ,00 04 Transferências correntes ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras ,00 03 Administração central: ,00 01 Estado ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 08 Famílias ,00 05 Subsídios ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 06 Outras despesas correntes ,00 02 Diversas ,00 Despesas Capital ,00 08 Transferências de capital ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras ,00 TOTAL ,00 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Proteção Familiar Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 02 Aquisição de bens e serviços ,00 03 Juros e outros encargos ,00 04 Transferências correntes ,00 03 Administração central ,00 01 Estado ,00 08 Famílias ,00 05 Subsídios ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 06 Outras despesas correntes ,00 02 Diversas ,00 TOTAL ,00

2 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema de Proteção Social de Cidadania Subsistema de Ação Social Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 02 Aquisição de bens e serviços ,00 03 Juros e outros encargos ,00 04 Transferências correntes ,00 03 Administração Central: ,00 01 Estado ,00 02 Estado SPSC Subsistema de Ação Social ,00 06 SFA SPSC Subsistema de Ação Social ,00 05 Administração local ,00 06 Segurança Social ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 08 Famílias ,00 09 Resto do Mundo ,00 05 Subsídios ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 08 Famílias ,00 06 Outras despesas correntes ,00 02 Diversas ,00 Despesas Capital ,00 07 Aquisição de bens de capital ,00 01 Investimentos ,00 08 Transferências de capital ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 09 Activos financeiros ,00 02 Titulos a curto prazo: ,00 05 Administração Pública Central Estado ,00 TOTAL ,00

3 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema Previdencial Repartição Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 02 Aquisição de bens e serviços ,00 03 Juros e outros encargos ,00 04 Transferências Correntes ,00 03 Administração Central ,00 01 Estado ,00 07 SFA Sistema Previdencial ,00 04 Administração Regional ,00 01 Região Autónoma dos Açores ,00 02 Região Autónoma dos Madeira ,00 08 Famílias ,00 09 Resto do Mundo ,00 05 Subsídios ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras ,00 02 Sociedades financeiras ,00 03 Administração Central ,00 04 Administração Regional ,00 05 Administração Local ,00 07 Instituições sem fins lucrativos ,00 06 Outras despesas correntes ,00 02 Diversas ,00 Despesas de Capital ,00 07 Aquisição de bens de capital ,00 01 Investimentos ,00 08 Transferências de capital ,00 06 Segurança Social ,00 09 Resto do Mundo ,00 09 Activos financeiros ,00 02 Titulos a curto prazo ,00 05 Administração Pública Central Estado ,00 07 Acções e outras participações ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras Privadas ,00 08 Unidades de participação ,00 03 Sociedades financeiras Bancos e outras instituições financeiras ,00 10 Passivos financeiros ,00 05 Empréstimos de curto prazo ,00 03 Sociedades financeiras Bancos e outras instituições financeiras ,00 TOTAL ,00

4 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema Previdencial Capitalização Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 02 Aquisição de bens e serviços ,00 03 Juros e outros encargos ,00 06 Outras Despesas Correntes 9.550,00 02 Diversas 9.550,00 Despesas Capital ,00 07 Aquisição de bens de capital ,00 01 Investimentos ,00 09 Activos financeiros ,00 02 Titulos a curto prazo ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras Privadas ,00 05 Administração pública central Estado ,00 14 Resto do Mundo União Europeia Instituições ,00 15 Resto do Mundo União Europeia Paises membros ,00 16 Resto do Mundo Paises terceiros e organizações internacionais ,00 03 Titulos a médio e longo prazo ,00 05 Administração Pública Central Estado ,00 08 Administração Pública Local Continente ,00 09 Administração Pública Local Regiões Autónomas ,00 14 Resto do Mundo União Europeia Instituições ,00 15 Resto do Mundo União Europeia Paises membros ,00 16 Resto do Mundo Paises terceiros e organizações internacionais ,00 04 Derivados financeiros ,00 15 Resto do Mundo União Europeia Paises membros ,00 16 Resto do Mundo Paises terceiros e organizações internacionais ,00 07 Acções e outras participações ,00 04 Sociedades financeiras Companhias de Seguros e Fundos de Pensões ,00 14 Resto do Mundo União Europeia Instituições ,00 16 Resto do Mundo Paises terceiros e organizações internacionais ,00 08 Unidades de participação ,00 03 Sociedades financeiras Bancos e outras instituições financeiras ,00 14 Resto do Mundo União Europeia Instituições ,00 16 Resto do Mundo União Europeia Paises membros ,00 09 Outros activos financeiros ,00 01 Sociedades e quase sociedades não financeiras Privadas ,00 03 Sociedades financeiras Bancos e outras instituições financeiras ,00 15 Resto do Mundo União Europeia Paises membros ,00 16 Resto do Mundo Paises terceiros e organizações internacionais ,00 TOTAL ,00

5 Orçamento da Segurança Social Despesas do Sistema Regimes Especiais Rubrica Designação OSS Despesas Correntes ,00 01 Despesas com o pessoal ,00 04 Transferências Correntes ,00 08 Famílias ,00 TOTAL ,00

Orçamento da Segurança Social - 2012 Mapa XIII. Receitas do Sistema de de Protecção Social de Cidadania - Subsistema de Solidariedade

Orçamento da Segurança Social - 2012 Mapa XIII. Receitas do Sistema de de Protecção Social de Cidadania - Subsistema de Solidariedade Receitas do Sistema de de Protecção Social de Cidadania - Subsistema de Solidariedade Receitas Correntes 4.413.043.743,00 04 Taxas multas e Outras penalidades 13.500,00 02 Multas e outras penalidades 13.500,00

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 01 Despesas com o pessoal 01 Remunerações certas e permanentes 01 Remunerações certas e permanentes 01 Titulares de órgãos de soberania e

Leia mais

23548 Diário da República, 2.ª série N.º 161 19 de agosto de 2015

23548 Diário da República, 2.ª série N.º 161 19 de agosto de 2015 Saldo do ano anterior: Movimento em dinheiro nas Caixas, Banco de Portugal, como Caixa Geral do Tesouro, e outros bancos no período decorrido de 1 de janeiro a 3 de junho de 25 Entrada Fundos saídos: No

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 03 - SERVIÇOS DE PROTECÇÃO CIVIL E SEGURANÇA RODOVIÁRIA 02 - DIRECÇÃO-GERAL DE VIAÇÃO - PRIVATIVO - FUNCIONAMENTO PROG MED RECEITA 04 TAXAS, MULTAS E PENALIDADES:

Leia mais

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII A N E X O XII PREFEITURA MUNICIPAL DE SALITRE ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTARIA 481.500,00 1.009.157,86-527.657,86

Leia mais

DEMONSTRATIVO DA DESPESA POR ÓRGÃO E FUNÇÕES Anexo 9 - Lei 4.320/64 TOTAL GERAL: UF: MINAS GERAIS MUNICÍPIO: GUARANESIA FOLHA: 1 ORÇAMENTO 2009

DEMONSTRATIVO DA DESPESA POR ÓRGÃO E FUNÇÕES Anexo 9 - Lei 4.320/64 TOTAL GERAL: UF: MINAS GERAIS MUNICÍPIO: GUARANESIA FOLHA: 1 ORÇAMENTO 2009 FOLHA: 1 CÓDIGO DESCRIÇÃO Legislativa Judiciaria Essencial a Justica 646.000.00 565.180.00 646.000.00 565.180.00 FOLHA: 2 CÓDIGO DESCRIÇÃO Administracao Defesa Nacional Seguranca Publica 1.583.973.00 61.132.00

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA 7162 Diário da República, 1.ª série N.º 246 20 de dezembro de 2012 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 64/2012 de 20 de dezembro Procede à segunda alteração à Lei n.º 64 -B/2011, de 30 de dezembro (Orça do

Leia mais

MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: PAULO ELIAS

MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: PAULO ELIAS FORMADORA: MARIA JOSÉ BANHA DEZ/ 2014 TRABALHO REALIZADO POR: MARIA ANTÓNIA PAULO ELIAS SEGURANÇA SOCIAL A Segurança Social Portuguesa está sob a tutela do Ministério da Solidariedade e da Segurança Social

Leia mais

MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, POR CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA. [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] DESIGNAÇÃO DAS RECEITAS RECEITAS CORRENTES

MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, POR CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA. [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] DESIGNAÇÃO DAS RECEITAS RECEITAS CORRENTES MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] CAPÍ- IMTÂNCIAS EM EUROS GRU CAPÍ RECEITAS CORRENTES 01 IMTOS DIRECTOS 01 Sobre o Rendimento 01 Imposto

Leia mais

MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, POR CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA. [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] DESIGNAÇÃO DAS RECEITAS

MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, POR CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA. [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] DESIGNAÇÃO DAS RECEITAS MAPA I RECEITAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS, CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA [Alínea a) do n.º 1 do artigo 1.º] CAPÍ- IMTÂNCIAS EM EUROS GRU ARTI CAPÍ RECEITAS CORRENTES 01 IMTOS DIRECTOS 01 Sobre o Rendimento 01

Leia mais

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal

Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal Sistemas de Protecção Social: experiência de Portugal José Luís Albuquerque Subdirector-Geral do Gabinete de Estratégia e Planeamento (GEP) do Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social (MTSS) VIII

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 24 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 NATUREZA DA DESPESA SUPORTE DESPESAS CORRENTES

ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 NATUREZA DA DESPESA SUPORTE DESPESAS CORRENTES ANEXO 4 Tabela de Rubricas Orçamentais 1 CODIGO DESPESAS CORRENTES 010101 TITULARES DE ORGÃOS DE SOBERANIA E MEMBROS DE ORGÃOS AUTÁRQUICOS Corrente DL 26/2002 010102 ORGÃOS SOCIAIS Corrente DL 26/2002

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL CASA PIA DE LISBOA, I.P. CONTA DE GERÊNCIA. Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL CASA PIA DE LISBOA, I.P. CONTA DE GERÊNCIA. Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007 CONTA DE GERÊNCIA Gerência de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2007 Débito Parcial Telnet Sif Total Crédito SALDO DA GERÊNCIA ANTERIOR: DESPESAS CORRENTES De Receitas Próprias: 01 DESPESAS COM PESSOAL

Leia mais

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII A N E X O XII PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARIPE ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTARIA 955.000,00 1.700.473,10-745.473,10

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2011 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2011 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 02 - SERVIÇOS DE APOIO, ESTUDOS, COORDENAÇAO, COOPERAÇAO E CONTROLO 06 - INSTITUTO DE GESTAO DO SOCIAL EUROPEU IP-ORÇ. PRIV.-FUNC. PROG MED RECEITA 065 FUNÇÕES

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2010 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2010 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 02 - SERVIÇOS DE APOIO, ESTUDOS, COORDENAÇAO, COOPERAÇAO E CONTROLO 06 - INSTITUTO DE GESTAO DO SOCIAL EUROPEU IP-ORÇ. PRIV.-FUNC. PROG MED RECEITA 065 FUNÇÕES

Leia mais

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa

Anexo VII. Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa Anexo VII Alíneas e subalíneas da Classificação económica da Despesa Pública de tipificação vinculativa (Nos termos das notas explicativas ao classificador das receitas e das despesas públicas em anexo

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 01 - INSTITUTO DE GESTÃO INFORMÁTICA E FINANCEIRA DA SAÚDE-ORÇ.PRIV.-FUNCIONAMENTO PROG MED RECEITA 06 TRANSFERENCIAS CORRENTES: 06.03 ADMINISTRACAO CENTRAL:

Leia mais

FREGUESIA DE S. TIAGO DOS VELHOS FLUXOS DE CAIXA

FREGUESIA DE S. TIAGO DOS VELHOS FLUXOS DE CAIXA Data inicial: / / Data final: 31/12/2011 RECEBIMENTOS 1.402,62 Despesas orçamentais 107.413,76 Receitas orçamentais Correntes Capitais Outras Receitas 1.264,38 138,24 73.914,74 34.18 108.094,74 2.071,52

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores por Conta de Outrem

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Trabalhadores por Conta de Outrem de Segurança Social Trabalhadores por Conta de Outrem Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição de Regimes Editor: DGSS Conceção Gráfica: DGSS

Leia mais

Porque se Investe Pouco e Mal na Protecção Social em Moçambique? O caso da população idosa. António Francisco Maputo 17.10.13

Porque se Investe Pouco e Mal na Protecção Social em Moçambique? O caso da população idosa. António Francisco Maputo 17.10.13 Porque se Investe Pouco e Mal na Protecção Social em Moçambique? O caso da população idosa António Francisco Maputo 17.10.13 Se Investir na protecção social básica é investir no capital humano o que temos

Leia mais

1156 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 38 14 de Fevereiro de 2002 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

1156 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 38 14 de Fevereiro de 2002 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS 1156 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 38 14 de Fevereiro de 2002 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Decreto-Lei n. o 26/2002 de 14 de Fevereiro Constituíram, desde sempre, os pilares essenciais da aprovação dos

Leia mais

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA

ORGÂNICA ECONÓMICA D E S I G N A Ç Ã O ORGÂNICA ECONÓMICA ENTIDADE MUNICIPIO DE MOGADOURO ORÇAMENTO DA DESPESA ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DOTAÇÕES INICIAIS DO ANO 2009 PÁGINA : 1 01 01.01 ADMINISTRACAO MUNICIPAL OPERACOES FINANCEIRAS 5.094.863,00

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Diário da República, 1.ª série N.º 48 10 de Março de 2009 1585 ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Lei n.º 10/2009 de 10 de Março Cria o programa orçamental designado por Iniciativa para o Investimento e o Emprego

Leia mais

RECEITAS INTRAORCAMENTARIAS CORRENTES RECEITAS INTRAORCAMENTAR 5.026.100,00 2.852.813,25 2.173.286,75

RECEITAS INTRAORCAMENTARIAS CORRENTES RECEITAS INTRAORCAMENTAR 5.026.100,00 2.852.813,25 2.173.286,75 A N E X O XII PREFEITURA MUNICIPAL DE EUSEBIO ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES RECEITA TRIBUTARIA 21.842.000,00 24.668.177,16-2.826.177,16

Leia mais

CREDITOS ORCAMENTARIOS E SUPLEMENTARES 4.845.988,82 4.823.625,64 22.363,18 CREDITOS ESPECIAIS 0,00 0,00 0,00

CREDITOS ORCAMENTARIOS E SUPLEMENTARES 4.845.988,82 4.823.625,64 22.363,18 CREDITOS ESPECIAIS 0,00 0,00 0,00 A N E X O XII CAMARA MUNICIPAL DE EUSEBIO ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES S O M A 0,00 0,00 0,00 D E F I C I T 4.845.988,82

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URBANO SANTOS BALANCO ORCAMENTARIO CNPJ: 05.505.839/0001-03 AV MANOEL INACIO S/N

PREFEITURA MUNICIPAL DE URBANO SANTOS BALANCO ORCAMENTARIO CNPJ: 05.505.839/0001-03 AV MANOEL INACIO S/N BALANCO ORCAMENTARIO PERIODO DE: Janeiro a Dezembro Exercicio de: 2013 Pagina: 01 *===========================================================================================================================*

Leia mais

ORÇAMENTO DE ESTADO 2014 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS

ORÇAMENTO DE ESTADO 2014 DESENVOLVIMENTO DAS DESPESAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS MA OE-12 DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS INTEGRADOS 0 - FINANÇAS 01 - AÇAO GOVERNATIVA 01 - GABINETES DOS MEMBROS DO GOVERNO 001 SERV. DA A.P. - ADMINISTRAÇÃO GERAL 01 01.01 COM O PESSOAL REMUNERAÇÕES

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS DIRECÇÃO GERAL DO ORÇAMENTO ANO ECONÓMICO DE 25 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS EM CUMPRIMENTO DO DISPOSTO NO N. 2 DO ART. 5 DO DEC. LEI 71/95, DE 15 DE ABRIL, ENVIA-SE A RELAÇÃO TRIMESTRAL DAS ALTERAÇÕES ORÇAMENTAIS EFECTUADAS NOS ORÇAMENTOS

Leia mais

Pessoas abrangidas pelo Seguro Social Voluntário. 1. Quem é abrangido pelo Regime do Seguro Social Voluntário

Pessoas abrangidas pelo Seguro Social Voluntário. 1. Quem é abrangido pelo Regime do Seguro Social Voluntário Pessoas abrangidas pelo Seguro Social Voluntário 1. Quem é abrangido pelo Regime do Seguro Social Voluntário Cidadãos nacionais, e cidadãos estrangeiros ou apátridas residentes em Portugal há mais de um

Leia mais

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DE VILA VELHA DE RODAO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2007 PÁGINA : 1 01 CAMARA MUNICIPAL 1.433.053,00 01.01 OPERAÇOES FINANCEIRAS

Leia mais

DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS EXERCÍCIO DE 2013 Câmara Municipal Divisão Administrativa e Financeira ÍNDICE GERAL DESIGNAÇÃO DO DOCUMENTO TC POCAL PG Balanço 1 5 1 Demonstração de Resultados 2 6

Leia mais

IRRF sobre o Trabalho R$ 33.225,17 IRRF sobre outros rendimentos R$ ITBI R$ 157.333,95 ISSQN R$ 260.979,91 S U B - T O T A L R$ 461.

IRRF sobre o Trabalho R$ 33.225,17 IRRF sobre outros rendimentos R$ ITBI R$ 157.333,95 ISSQN R$ 260.979,91 S U B - T O T A L R$ 461. Apuracao dos Gastos com SAUDE 1º Quadrimestre 2013 APLICAÇÃO DE RECURSOS NA SAUDE PREFEITURA MUNICIPAL DE LUZ Janeiro, Fevereiro, Março e Abril de 2013 1º Quadrimestre/2013 RECEITA TRIBUTARIA IPTU 364,93

Leia mais

Proc.º n.º 1/05-AEOSS. Relatório n.º 3/2005. Acompanhamento da Execução do Orçamento da Segurança Social. (Janeiro a Março de 2005)

Proc.º n.º 1/05-AEOSS. Relatório n.º 3/2005. Acompanhamento da Execução do Orçamento da Segurança Social. (Janeiro a Março de 2005) Proc.º n.º 1/05-AEOSS Relatório n.º 3/2005 Acompanhamento da Execução do Orçamento da Segurança Social (Janeiro a Março de 2005) Lisboa Julho/2005 Índice ABREVIATURAS UTILIZADAS...3 GLOSSÁRIO...4 I. SÍNTESE

Leia mais

ORIENTAÇÕES (2014/647/UE)

ORIENTAÇÕES (2014/647/UE) 6.9.2014 L 267/9 ORIENTAÇÕES ORIENTAÇÃO DO BANCO CENTRAL EUROPEU de 3 de junho de 2014 que altera a Orientação BCE/2013/23 relativa às estatísticas das finanças públicas (BCE/2014/21) (2014/647/UE) A COMISSÃO

Leia mais

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social

Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Programa de Apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social Enquadramento Com base numa visão estratégica de desenvolvimento social que valorize a rentabilização dos recursos técnicos e financeiros

Leia mais

EM QUE CONSISTE? QUAL A LEGISLAÇÃO APLICÁVEL?

EM QUE CONSISTE? QUAL A LEGISLAÇÃO APLICÁVEL? EM QUE CONSISTE? As entidades devedoras de pensões, com exceção das de alimentos, são obrigadas a reter o Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) no momento do seu pagamento ou colocação

Leia mais

AMADORA - MUNICIPIO DA AMADORA MOEDA EUR DATA 2015/04/10 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1

AMADORA - MUNICIPIO DA AMADORA MOEDA EUR DATA 2015/04/10 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1 A DEZEMBRO - 2014/12/01 a 2014/12/31 PAG. 1 Imobilizado: Bens de domínio público 451 Terrenos e recursos naturais 1.437.193,54 1.437.193,54 1.424.390,02 452 Edifícios 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7

EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7 EXECUÇÃO ORÇAMENTAL JUNHO 2013 1/7 FICHA TÉCNICA Título EXECUÇÃO ORÇAMENTAL DE JANEIRO A JUNHO DE 2013 Autor/Editor INSTITUTO DE GESTÃO FINANCEIRA DA SEGURANÇA SOCIAL, I. P. Av. Manuel da Maia, n.º 58

Leia mais

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição

1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 1 de Verificação - 2015 Subsist. C.Sup. Fin.Descrição 99.562,86D 118.646,81D 1/9 ATIVO CAIXA CONTA CIRCULANTE E ÚNICA EQUIVALENTES DE CAIXA EM MOEDA NACIONAL - CONSOLIDAÇÃO 97.962,86D 250.343,95 231.260,00

Leia mais

CREA/ES Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do ES CNPJ: 27.055.235/0001-37

CREA/ES Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do ES CNPJ: 27.055.235/0001-37 Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do ES CNPJ: 27.055.235/0001-37 Balanço Orçamentário Período: 01/01/2015 a 31/12/2015 RECEITAS ORÇAMENTÁRIAS RECEITAS REALIZADAS RECEITA CORRENTE 21.085.311,95

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA FORMULÁRIO DE CANDIDATURA Atribuição de Bolsas de Estudo a alunos do Ensino Superior Ano letivo 2014/2015 1. IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Nome Completo Data de Nascimento / / Filiação Pai Mãe Nacionalidade

Leia mais

autoridade tributária e aduaneira

autoridade tributária e aduaneira Classificação: 000.05.02 Seg.: Pública Proc.: 20 13/2 Of.Circulado N.': 20 164 2013-02-07 Entrada Geral : N.o Identificação Fiscal (NIF): Sua Ref. a ; Técnico: MGN Exmos Senhores Subdiretores-Gerais Diretores

Leia mais

Última alteração 03-12-2009

Última alteração 03-12-2009 01 Impostos directos * 01 02 Outros 01 02 02 Imposto municipal sobre imóveis * 01 02 03 Imposto único de circulação 01 02 04 Imposto municipal sobre as transacções onerosas de imóveis 01 02 05 Derrama

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00

ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E ORCAMENTO EXERCICIO: 2016 SIOR - SISTEMA ORCAMENTARIO R$ 1,00 COD ORGAO LEGISLATIVA JUDICIARIA ESSENCIAL A ADMINISTRACAO JUSTICA 01 ASSEMBLEIA LEGISLATIVA 219.950.000 03 TRIBUNAL DE CONTAS 114.101.360 30.000 04 TRIBUNAL DE CONTAS - ENT. VINCULADAS 180.139 05 TRIBUNAL

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006-

RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- RELATÓRIO DE GESTÃO JUNTA DE FREGUESIA DE RONFE - ANO ECONÓMICO DE 2006- ANÁLISE FINAL DO EXERCÍCIO ORÇAMENTAL Ano Económico de 2006 ANÁLISE AOS MAPAS DE CONTROLO ORÇAMENTAL Controlo Orçamental Despesa

Leia mais

EDITAL DE PUBLICAÇÃO

EDITAL DE PUBLICAÇÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE ACARAÚ EDITAL DE PUBLICAÇÃO O prefeito Municipal de Acaraú, no uso de suas atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica Municipal, e de conformidade com a determinação contida

Leia mais

A aquisição de qualquer imóvel pressupõe o pagamento de IMT, IMI e imposto de selo.

A aquisição de qualquer imóvel pressupõe o pagamento de IMT, IMI e imposto de selo. Impostos A aquisição de qualquer imóvel pressupõe o pagamento de IMT, IMI e imposto de selo. IMT (Imposto sobre Transmissões Onerosas de Imóveis) Imposto sobre as transmissões onerosas do direito de propriedade

Leia mais

A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas do Banco de Portugal

A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas do Banco de Portugal Jornadas de Estatística Regional Angra do Heroísmo, 29 de Novembro de 2013 A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas João Cadete de Matos Director, Departamento de Estatística Principais indicadores

Leia mais

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO

GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO Manual de GUIA PRÁTICO BOLSA DE ESTUDO INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P ISS, I.P. Departamento/Gabinete Pág. 1/11 FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Bolsa de Estudo (4010 v1.12) PROPRIEDADE Instituto

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2016 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2016 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS MA OP-01 DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 03 - SERVICOS NA AREA DA ECONOMIA 01 - IMEI - AGENCIA PARA A COMPETITIVIDADE E INOVAÇAO PROG MED 065 FUNÇÕES S - DIVERSAS NÃO ESPECIFICADAS 04 TAXAS,

Leia mais

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00

37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 TOTAL DA RECEITA: TOTAL DA DESPESA: 37.100.500,00 37.100.500,00 0 DA CÂMARA MUNICIPAL DE LEIRIA ANO 2013 RECEITAS DESPESAS CORRENTES 23.469.442,00 CORRENTES 23.270.500,00 CAPITAL 13.631.058,00 CAPITAL

Leia mais

AGRUPAM ENTO SUB- ALINEA ALÍNEA RUBRICA SUBAGRUP AMENTO 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES

AGRUPAM ENTO SUB- ALINEA ALÍNEA RUBRICA SUBAGRUP AMENTO 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES CÓDIGO P AM 01 ASSEMBLEIA MUNICIPAL DESPESAS CORRENTES 01 DESPESAS COM O PESSOAL 0102 ABONOS VARIÁVEIS OU EVENTUAIS 010204 AJUDAS DE CUSTO 500 010213 OUTROS SUPLEMS E PRÉMIOS 01021302 OUTROS 30.000 30.000

Leia mais

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 11 de abril de 2014. Série. Número 52

JORNAL OFICIAL. Sumário REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. Sexta-feira, 11 de abril de 2014. Série. Número 52 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA JORNAL OFICIAL Sexta-feira, 11 de abril de 2014 Série Sumário PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução n.º 208/2014 Autoriza a celebração de um contrato-programa com a entidade

Leia mais

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900

CORRENTES CAPITAL TOTAL RECEITAS 17 526 004 7 283 896 24 809 900 DESPESAS 12 372 900 12 437 000 24 809 900 ANÁLISE DO ORÇAMENTO: RECEITA E DESPESA O orçamento para 2014 volta a ser mais contido que o anterior, situando-se em 24.809.900, ou seja menos 4,3% que o de 2013. Como se verá mais à frente, o plano de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 2015 ORÇAMENTO DA RECEITA Ano: 25 RECEITAS CORRENTES 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE 10,00 05 Juros Sociedades Financeiras 10,00 05 Bancos e Outras Instituições Financeiras 10,00 06 TRANSFERÊNCIAS CORRENTES 991.045,28

Leia mais

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério do Trabalho DATTA 1976-12-28. ASSSSUNTTO Regime Legal dos Mapas dos Quadros de Pessoal DATTA 1980-09-17

EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério do Trabalho DATTA 1976-12-28. ASSSSUNTTO Regime Legal dos Mapas dos Quadros de Pessoal DATTA 1980-09-17 DEESSI IGNAÇÇÃO: : EEmpprreeggoo ee FFoorrmaaççããoo DIÁRIOS DA REPUBLLI ICA EEMI ITTI IDO PPOR: : Ministério do Trabalho e Segurança Social ASSSSUNTTO Férias / Faltas IDEENTTI I IFFI ICCAÇÇÃO Decreto Lei

Leia mais

PROTECÇÃO SOCIAL DOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS. XXIX COLÓQUIO NACIONAL DA ATAM Bragança Outubro 2009 Isabel Viseu - DGAEP

PROTECÇÃO SOCIAL DOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS. XXIX COLÓQUIO NACIONAL DA ATAM Bragança Outubro 2009 Isabel Viseu - DGAEP PROTECÇÃO SOCIAL DOS TRABALHADORES QUE EXERCEM FUNÇÕES PÚBLICAS XXIX COLÓQUIO NACIONAL DA ATAM Bragança Outubro 2009 Isabel Viseu - DGAEP PROTECÇÃO SOCIAL DIREITOS SOCIAIS - direitos constitucionais fundamentais

Leia mais

Incentivos fiscais e investimento social privado

Incentivos fiscais e investimento social privado Incentivos fiscais e investimento social privado Leandro Marins de Souza Doutor em Direito do Estado pela USP Presidente da Comissão de Direito do Terceiro Setor da OAB/PR Diretor do Centro de Ação Voluntária

Leia mais

CAPITULO I. Disposicoes gerais

CAPITULO I. Disposicoes gerais enquadram 0 Regulamento Municipal do Banco Local de Voluntariado de Lagoa As bases do enquadramento juridico do voluntariado, bem como, os principios que trabalho de voluntario constam na Lei n." 71198,

Leia mais

Fernanda Massarongo Fernanda.massarongo@iese.ac.mz Beira, Dezembro de 2010

Fernanda Massarongo Fernanda.massarongo@iese.ac.mz Beira, Dezembro de 2010 Fernanda Massarongo Fernanda.massarongo@iese.ac.mz Beira, Dezembro de 2010 Geral: entender a necessidade de fazer análise aplicada do orçamento. Específicos: Definir Orçamento do Estado (OE)? Entender

Leia mais

Informação Financeira

Informação Financeira Informação Financeira Balanço Código das contas POCMS Imobilizado ACTIVO Exercícios AB AP AL AL Bens de domínio público: 451 Terrenos e Recursos naturais 452 Edifícios 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS

ORÇAMENTOS PRIVATIVOS PARA 2007 DESENVOLVIMENTO DAS RECEITAS DOS SERVIÇOS E FUNDOS AUTÓNOMOS DESENVOLVIMENTO DAS DOS SERVIÇOS E S AUTÓNOMOS 18 - INSTITUTO NACIONAL DE MEDICINA LEGAL - PRIVATIVO FUNCIONAMENTO PROG MED RECEITA 008 JUSTIÇA 001 SISTEMA MÉDICO-LEGAL 05 RENDIMENTOS DA PROPRIEDADE: 05.02

Leia mais

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII

B A L A N C O G E R A L A N E X O XII A N E X O XII CAMARA MUNICIPAL DE AIUABA ANEXO 12, da Lei No. 4.320/64 BALANCO ORCAMENTARIO R E C E I T A PREVISTA ARRECADADA DIFERENCA RECEITAS CORRENTES S O M A 0,00 0,00 0,00 D E F I C I T 807.564,91

Leia mais

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008

08 BALANÇO & CONTAS. em 31 Dezembro 2008 08 BALANÇO & CONTAS em 31 Dezembro 2008 BALANÇO CÓDIGO DAS CONTAS ACTIVO Activo Bruto 2008 Amortizações e Ajustamentos Activo Líquido 2007 Activo Líquido IMOBILIZADO Imobilizações incorpóreas: 431 Despesas

Leia mais

Orçamento do Estado 2014 Saúde e Segurança Social Para Onde Vamos?

Orçamento do Estado 2014 Saúde e Segurança Social Para Onde Vamos? Orçamento do Estado 2014 Saúde e Segurança Social Para Onde Vamos? Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa 18 de Novembro Maria Margarida Corrêa de Aguiar margaridacorreadeaguiar@gmail.com TÓPICOS DEFINIÇÕES

Leia mais

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS

MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 MAPAS DE FLUXOS FINANCEIROS Documentos de Prestação de Contas 2010 DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS 2010 Fluxos de Caixa Documentos de Prestação de Contas 2010 DOC

Leia mais

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014)

DIVISÃO DE GESTÃO FINANCEIRA E PATRIMONIAL ORÇAMENTO. (Transposto 2014) ORÇAMENTO 2015 (Transposto 2014) A presente proposta de Orçamento foi elaborada no respeito pelas regras previsionais constantes no ponto 3.3 do POCAL (Plano Oficial das Autarquias Locais), aprovado pelo

Leia mais

SPMS, E.P.E. Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento...

SPMS, E.P.E. Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento... 2012 Orçamento Índice 1. Enquadramento... 2 2. Orçamento de Exploração... 3 3. Orçamento de Tesouraria... 8 4. Orçamento de Investimento... 8 1 Plano Estratégico 2011-2013 1. Enquadramento O presente documento

Leia mais

ACTIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO Ano de 2006 CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO

ACTIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO Ano de 2006 CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO Imobilizado ACTIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO Ano de 2006 CAPITAL PRÓPRIO E PASSIVO 31-12-2009 2008 VARIAÇÃO Capital Próprio Imobilizações Incorpóreas 0,00 Capital 49.879,79 49.879,79 0,00 Imobilizações

Leia mais

Guia prático de acesso aos benefícios

Guia prático de acesso aos benefícios Guia prático de acesso aos benefícios Lei n.º 9/2002, de 11 fevereiro Lei n.º 21/2004, de 5 de junho Lei n.º 3/2009, de 13 de janeiro 1 ÍNDICE Nota Introdutória Enquadramento Legal Legislação aplicável...

Leia mais

112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS

112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS 112110103 FATURAS/ DUPLICATAS A RECEBER Sim DB 1211104 DIVIDA ATIVA NAO TRIBUTARIA - CLIENTES Sim DB 1211105 EMPRESTIMOS E FINANCIAMENTOS CONCEDIDOS NÆo DB 121110501 EMPRESTIMOS CONCEDIDOS A RECEBER Sim

Leia mais

Sistemas de Proteção Social. Apontamento do Conselho das Finanças Públicas n.º 2/2014

Sistemas de Proteção Social. Apontamento do Conselho das Finanças Públicas n.º 2/2014 Sistemas de Proteção Social Apontamento do Conselho das Finanças Públicas n.º 2/2014 outubro de 2014 A série de Apontamentos tem por objetivo apresentar curtos textos de divulgação sobre matérias ligadas

Leia mais

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012

DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 ENTIDADE ORÇAMENTO DA DESPESA DOTAÇÕES INICIAIS MUNICIPIO DO PORTO SANTO ( POR CLASSIFICAÇÃO ORGÂNICA/ECONÓMICA ) DO ANO 2012 PÁGINA : 1 01 ADMINISTRAÇÃO MUNICIPAL 4.684.112,00 01.01 ADM/OPERAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824

Praça Francisco Inácio - 4835-321 - Contrib: 507 214 668 - Tel: 253 531 824 01 Impostos directos 0102 Outros CORRENTES 010202 Imposto municipal sobre imóveis 9.000,00 TOTAL Rúbrica 01 9.000,00 02 Impostos indirectos 0202 Outros 020206 Impostos indirectos específicos das autarquias

Leia mais

Câmara Municipal de Cuba

Câmara Municipal de Cuba Câmara Municipal de Cuba Regulamento Municipal de Atribuição de Bolsas de Estudo para Cursos do Ensino Superior CAPITULO 1 Artigo 1 Âmbito 1. O presente Regulamento tem como lei habilitante a Lei n 169/99,

Leia mais

Orçamento 2010. Município de Murça

Orçamento 2010. Município de Murça Orçamento 2010 Município de Murça ÍNDICE DOCUMENTOS PREVISIONAIS 4 INTRODUÇÃO 5 1- ORÇAMENTO DE 2010 6 2- RECEITA 7 2.1- RECEITA CORRENTE 8 2.2- RECEITA DE CAPITAL 9 3- DESPESA 9 3.1- DESPESA CORRENTE

Leia mais

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM

INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM INSTITUTO COMUNITÁRIO GRANDE FLORIANÓPOLIS - ICOM DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2007 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES A BDO International é uma rede mundial

Leia mais

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO CARTÃO EUROPEU DE SEGURO DE DOENÇA INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Cartão Europeu de Seguro de Doença (N39 - v4.07) PROPRIEDADE Instituto da Segurança

Leia mais

TOTAL - FISCAL 4.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 4.000

TOTAL - FISCAL 4.000 TOTAL - SEGURIDADE 0 TOTAL - GERAL 4.000 ORGAO : 03000 - TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIAO UNIDADE : 03101 - TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIAO 0910 OPERACOES ESPECIAIS: GESTAO DA PARTICIPACAO EM ORGANISMOS INTERNACIONAIS 4.000 OPERACOES ESPECIAIS 28 212

Leia mais

Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 7822435 79,6% 1370353 13,9% 292069 3,0% 336454 3,4% 5682 0,1% 9826993 100,0% Despesas correntes

Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 7822435 79,6% 1370353 13,9% 292069 3,0% 336454 3,4% 5682 0,1% 9826993 100,0% Despesas correntes Investimentos do Plano- 2º Trimestre/2002 em contos Orçamento corrigido Pagamentos efectutaxa de execução Despesas correntes Conservação de bens 109.747 0% Outros serviços 219.038 49.337 23% Total 328.785

Leia mais

GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P

GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P GUIA PRÁTICO PORTEIROS DE PRÉDIOS URBANOS E SIMILARES INSTITUTO DA SEGURANÇA SOCIAL, I.P FICHA TÉCNICA TÍTULO Guia Prático Porteiros de Prédios Urbanos e Similares (2025 V4.12) PROPRIEDADE Instituto da

Leia mais

Gestão Financeira, Patrimonial e Actuarial da Protecção Social Obrigatória Dr. José Manuel Chivala Director Geral Adjunto do INSS

Gestão Financeira, Patrimonial e Actuarial da Protecção Social Obrigatória Dr. José Manuel Chivala Director Geral Adjunto do INSS Gestão Financeira, Patrimonial e Actuarial da Protecção Social Obrigatória Dr. José Manuel Chivala Director Geral Adjunto do INSS Workshop Protecção Social Obrigatória: Níveis de Solidez e Perspectivas

Leia mais

Balancete Sintético Plano/Empresa: PGA/Consolidado

Balancete Sintético Plano/Empresa: PGA/Consolidado 1 ATIVO 27.523.420,83 4.082.932,78-3.672.724,38 410.208,40 27.933.629,23 1.1 DISPONIVEL 5.554,97 1.420.405,52-1.425.960,49-5.554,97 1.1.1 IMEDIATO 5.554,97 1.420.405,52-1.425.960,49-5.554,97 1.1.1.1 BANCOS

Leia mais

PROGRAMA DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PREVISIONAL DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE HEMOFILIA PARA O ANO

PROGRAMA DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PREVISIONAL DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE HEMOFILIA PARA O ANO PROGRAMA DE ACÇÃO E ORÇAMENTO PREVISIONAL DA ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE HEMOFILIA PARA O ANO 2014 ORÇAMENTO PREVISIONAL- ANO 2014 1. ACTUALIZAÇÃO DA BASE DE DADOS SEDE (INSTALAÇÕES) 799,72 ESCRITORIO 1.269,78

Leia mais

ROSTO. Grupo I Identificação da entidade empregadora (empresa) Nota: O Grupo I não permite a opção de importação por upload

ROSTO. Grupo I Identificação da entidade empregadora (empresa) Nota: O Grupo I não permite a opção de importação por upload ROSTO O Rosto deve ser preenchido por todas as empresas/entidades empregadoras ativas em algum período do ano de referência, relativamente aos trabalhadores com contrato individual de trabalho celebrado

Leia mais

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães

Freguesia de Tabuadelo e São Faustino. Concelho de Guimarães Freguesia de Tabuadelo e São Faustino Concelho de Guimarães Relatório de Gerência de Contas e Relatório de Actividades Ano de 2013 Índice: Introdução:... 3 Analise Económica e Financeira... 5 Execução

Leia mais

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário

Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social. Seguro Social Voluntário Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social Seguro Social Voluntário Ficha Técnica Autor: (DGSS) - Divisão dos Instrumentos Informativos - Direção de Serviços da Definição

Leia mais

Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Público - NICSP e o Modelo Contábil adotado no Brasil

Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Público - NICSP e o Modelo Contábil adotado no Brasil Normas Internacionais de Contabilidade para o Setor Público - NICSP e o Modelo Contábil adotado no Brasil Abril 2007 CONTABILIDADE PÚBLICA Conceitos e Objetivos É o ramo da Contabilidade que coleta, registra

Leia mais

PORTARIA N o 24, DE 23 DE JUNHO DE 2008 (publicada no DOU de 25/6/2008, seção I, página 76)

PORTARIA N o 24, DE 23 DE JUNHO DE 2008 (publicada no DOU de 25/6/2008, seção I, página 76) PORTARIA N o 24, DE 23 DE JUNHO DE 2008 (publicada no DOU de 25/6/2008, seção I, página 76) A SECRETÁRIA DE ORÇAMENTO FEDERAL, tendo em vista o disposto no art. 60, inciso III, da Lei n o 11.514, de 13

Leia mais

Data: 23-ABR-2012 16:26 Ano: 2011 Página: 1 de 5. 5 - Balanço Unidade monetária: em Euros Exercícios Código das contas 7.658.947,00 452 7.658.

Data: 23-ABR-2012 16:26 Ano: 2011 Página: 1 de 5. 5 - Balanço Unidade monetária: em Euros Exercícios Código das contas 7.658.947,00 452 7.658. Ano: 2011 Página: 1 de 5 Imobilizado: Bens de domínio público: 451 Terrenos e recursos naturais 452 Edifícios 20.465.336,28 1.870.256,52 18.595.079,76 17.296.259,99 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

Data: 26-ABR-2011 20:53 Ano: 2010 Página: 1 de 5. 5 - Balanço Unidade monetária: em Euros Exercícios Código das contas 7.658.947,00 452 7.658.

Data: 26-ABR-2011 20:53 Ano: 2010 Página: 1 de 5. 5 - Balanço Unidade monetária: em Euros Exercícios Código das contas 7.658.947,00 452 7.658. Ano: 2010 Página: 1 de 5 Imobilizado: Bens de domínio público: 451 Terrenos e recursos naturais 452 Edifícios 18.833.303,86 1.537.043,87 17.296.259,99 17.404.288,49 453 Outras construções e infra-estruturas

Leia mais

Despesas 01/07/2.012 a 06/07/2.012

Despesas 01/07/2.012 a 06/07/2.012 Atendimento da Lei 131 de 27 de Maio de 2010. Despesas 01/07/2.012 a 06/07/2.012 ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 6º; 18º. Decreto-Lei n.º 347/85, de 23/08. Assunto:

FICHA DOUTRINÁRIA. Diploma: CIVA. Artigo: 6º; 18º. Decreto-Lei n.º 347/85, de 23/08. Assunto: FICHA DOUTRINÁRIA Diploma: Artigo: Assunto: CIVA 6º; 18º. Decreto-Lei n.º 347/85, de 23/08 Localização de operações - Taxas Prestações de serviços com as Regiões Autónomas Processo: nº 1418, despacho do

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique, de forma legível, a versão da prova.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique, de forma legível, a versão da prova. Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a)

RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Exercício 2015 RECEITAS ORCAMENTARIAS PREVISAO INCIAL PREVISAO ATUALIZADA RECEITAS REALIZADAS SALDO (a) (b) c=(b-a) RECEITAS CORRENTES 379.541,46 379.541,46

Leia mais

Serviços de Acção Social da Universidade dos Açores Regras Técnicas 2008-2009/2009-2010

Serviços de Acção Social da Universidade dos Açores Regras Técnicas 2008-2009/2009-2010 Regras Técnicas 2008-2009/2009-2010 Considerando o regime de atribuição de bolsas de estudo a estudantes do Ensino Superior Público, determino os critérios e procedimentos técnicos a adoptar pelos Serviços

Leia mais

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA

PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA PROGRAMA MODELAR MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA Junho de 2009 1 MANUAL DE APOIO AO PROCESSO DE CANDIDATURA AO PROGRAMA MODELAR O Programa MODELAR tem como objectivo a atribuição de apoio financeiro

Leia mais

Prefeitura Municipal de Guarapuava Exercicio de 2016 - Anexo 2, da Lei 4.320/64 Unidade Gestora: CONSOLIDADO Natureza Codigo Especificacao

Prefeitura Municipal de Guarapuava Exercicio de 2016 - Anexo 2, da Lei 4.320/64 Unidade Gestora: CONSOLIDADO Natureza Codigo Especificacao 1.0.0.0.00.00.00.00 RECEITAS CORRENTES 327.198.765,92 1.1.0.0.00.00.00.00 RECEITA TRIBUTARIA 54.932.798,74 1.1.1.0.00.00.00.00 IMPOSTOS 46.219.482,29 1.1.1.2.00.00.00.00 IMPOSTOS SOBRE O PATRIMONIO E A

Leia mais