A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas do Banco de Portugal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas do Banco de Portugal"

Transcrição

1 Jornadas de Estatística Regional Angra do Heroísmo, 29 de Novembro de 2013 A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas João Cadete de Matos Director, Departamento de Estatística

2 Principais indicadores com base nas estatísticas : Empréstimos concedidos a Sociedades não Financeiras Empréstimos concedidos a Famílias Depósitos de sociedades não financeiras e particulares Dívida Pública das Região Autónoma dos Açores Informação da Central de Balanços 2

3 Repartição territorial dos empréstimos concedidos a Sociedades não Financeiras 1 Peso médio dos empréstimos concedidos à Região Autónoma dos Açores 1 De acordo com a localização da sede da sociedade não financeira

4 Rácios de crédito vencido das Sociedades não Financeiras

5 Repartição territorial dos empréstimos concedidos a Famílias Peso médio dos empréstimos concedidos à Região Autónoma dos Açores

6 Repartição territorial dos empréstimos concedidos a Famílias Por finalidade Dezembro 2009 Dezembro 2012

7 Rácios de crédito vencido das Famílias: Total

8 Rácios de crédito vencido das Famílias: Por finalidade Habitação Consumo e outros fins

9 Evolução dos depósitos de sociedades não financeiras e particulares em Instituições Financeiras Monetárias na região dos Açores

10 Finanças Públicas

11 Finanças Públicas (Continuação) Dívida da Administração Regional Dívida da Administração Local

12 Dívida Pública das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira 2012 Açores 20.5 % PIB Madeira 77.8 % PIB Fontes: Banco de Portugal, Direção Regional de Estatística da Madeira, Serviço Regional de Estatística dos Açores

13 Dívida Pública das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira Fontes: Banco de Portugal, Direção Regional de Estatística da Madeira, Serviço Regional de Estatística dos Açores.

14 Dívida Pública em % do PIB A Actividade Económica dos Açores nas Estatísticas Dívida Pública das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira RAM RAM 30 RAA 20 RAA Défice público em % do PIB 0

15 Número de Empresas por Ramo de Atividade (2012) Portugal Açores Agricultura e Pesca Indústria Construção Comércio Transportes e Armazenagem Alojamento e Restauração Outros Serviços 15

16 Central de Balanços: Repartição do Número de Empresas por Ramo de Atividade (2012) 3% 11% 32% 31% 4% 9% 9% 12% Portugal Açores 9% 11% 5% 5% 32% 27% Agricultura e Pesca Indústria Construção Comércio Transportes e Armazenagem Alojamento e Restauração Outros Serviços 16

17 Peso das empresas dos Açores no País, por Ramo de Atividade (2012) 1,6% 1,5% 1,4% 1,4% 1,4% 1,2% 1,1% 1,1% 1,0% 0,9% 0,9% 0,8% 0,6% 0,4% 0,2% 0,0% Agricultura e Pesca Indústria Construção Comércio Transportes e Armazenagem Alojamento e Restauração Outros Serviços 17

18 Caracterização das empresas em Portugal: Distribuição das empresas e do volume de negócios (2012) Distribuição do número de empresas Distribuição do volume de negócios Açores; 1% Madeira; 3% Açores; 1% Madeira; 4% Continente; 96% Continente; 94% 18

19 Caracterização das empresas em Portugal: Distribuição das empresas e do volume de negócios por classes de dimensão 100% 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Estrutura do número de empresas, por classes de dimensão (2012) Açores Madeira Continente Total Microempresas Pequenas Médias Grandes... e, sobretudo, em termos do volume de negócios. As PME são mais relevantes nos Açores, em número de empresas % 90% 80% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 10% 0% Estrutura do volume de negócios, por classes de dimensão (2012) Açores Madeira Continente Total Microempresas Pequenas Médias Grandes 19

20 Setores de atividade mais relevantes nos Açores Indústria de laticínios (2012) Número de empresas Volume de negócios Açores; 9% Madeira; 2% Açores; 21% Madeira; 0% Continente; 89% Continente; 78% Fabricação de alimentos para animais (2012) Número de empresas Volume de negócios Açores; 7% Madeira; 2% Açores; 7% Madeira; 1% Continente; 91% Continente; 92% 20

21 Indicadores por localização da sede 2012 Os Açores representam 21% do volume de negócios (2ª posição) da indústria do leite e derivados, concentrando 9% das empresas No setor de fabricação de alimentos para animais, os Açores concentram 6% das empresas e 8% do Volume de negócios (VN) 21

22 Indicadores por localização dos estabelecimentos 2012 Nas Indústrias do leite e derivados, os Açores ocupam a 2ª posição no volume de negócios por estabelecimento O volume de negócios médio das empresas dos Açores ocupa a 3ª posição a nível nacional, a seguir ao Porto e Aveiro Na Fabricação de alimentos para animais, os Açores ocupam a 7ª posição no volume de negócios por estabelecimento No volume de negócios médio, os Açores ocupam a 5ª posição, a seguir ao Porto, Évora, Aveiro e Setúbal. 22

23 Rácios económico-financeiros dos Quadros do Setor Ano 2012 Actividade Económica Indústrias do leite e derivados Dimensão Todas as Empresas F. RÁCIOS ECONÓMICO-FINANCEIROS (continua) Agregado Agregado M édia M édia do Nº emp 1ºQ 2ºQ 3ºQ Nº emp aparada (6) agregado(7) 1ºQ 2ºQ 3ºQ M édia aparada (6) M édia do agregado(7) Liquidez Liquidez geral (%) ,08 131,83 275,79 216,81 162, ,45 126,44 262,17 173,23 161,40 Liquidez reduzida (%) ,42 97,46 205,57 165,13 134, ,47 96,14 185,61 125,65 Estrutura financeira Autonomia financeira (%) 274 9,48 36,77 65,22 32,29 59, ,98 36,70 65,38 31,35 60,37 Taxa de endividamento (%) ,85 169,47 326,98 203,60 167, ,61 173,84 325,66 232,79 165,63 Solvabilidade geral (%) 263 7,50 51,08 165,36 102,70 148, ,48 52,27 153,20 98,06 152,37 Cobertura dos ativos não correntes (%) ,66 118,40 206,97 152,51 138, ,62 117,96 183,72 137,04 139,38 F inanciamento Peso do passivo remunerado (%) 267 0,00 33,45 65,19 35,24 40, ,00 32,34 62,96 33,33 35,18 Custo dos financiamentos obtidos (%) 152 1,66 3,84 6,03 4,15 3, ,86 3,71 6,02 3,97 3,80 134,39 23

24 Rendibilidade do ativo, em % ( EBITDA / ativo ) Distribuição por quartis As Indústrias do leite e derivados apresentam rendibilidades negativas em mais de 25% das empresas, tanto em 2011 como em 2012, apresentando contudo uma menor heterogeneidade em Na Fabricação de alimentos para animais, cerca de 25% das empresas apresentavam em 2011 rendibilidades do ativo negativas. Em 2012 esse número reduziu-se. 24

25 Rendibilidade do ativo, em % ( EBITDA / ativo ) Valores médios Média aparada Média dos rácios individuais. Exclui 10% dos resultados extremos. Média do agregado Corresponde à média ponderada. Observando a média do agregado, constatase que em 2012 a rendibilidade do ativo aumentou, em ambas as CAE. No entanto, observando a média aparada, verifica-se que esse aumento da rendibilidade média do ativo nas Indústrias do leite e derivados se deveu a um conjunto limitado de empresas, dado que a rendibilidade média aparada reduz-se em

26 Obrigado pela vossa atenção 26

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS João Cadete de Matos 1ª Parte Estatísticas do Banco de Portugal Estatísticas Financeiras Regionais 2 Evolução da difusão Estatística no Banco

Leia mais

A economia do Mar nas estatísticas do Banco de Portugal

A economia do Mar nas estatísticas do Banco de Portugal A economia do Mar nas estatísticas do Banco de Portugal Luís Teles Diretor Adjunto Departamento de Estatística VI Jornadas Ibero-Atlânticas de Estatística Regional Angra do Heroísmo 22 setembro 2014 2

Leia mais

Caraterização do setor dos serviços em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da Área da Central de Balanços 1 dezembro 2014 Lisboa

Caraterização do setor dos serviços em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da Área da Central de Balanços 1 dezembro 2014 Lisboa Caraterização do setor dos serviços em Portugal Paula Menezes Coordenadora da Área da Central de Balanços 1 dezembro 2014 Lisboa 1. Estrutura e dinâmica do setor: o que mudou em 10 anos? 2. Análise económica

Leia mais

Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal

Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal. Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal Caracterização das empresas do setor do turismo em Portugal Paula Menezes Coordenadora da área da Central de Balanços 22 outubro 2014 Funchal Setor do Turismo I. Estrutura e dinâmica do setor II. III.

Leia mais

Análise do Seto Set r o do Alojamen Alojamen o

Análise do Seto Set r o do Alojamen Alojamen o Análise do Setor do Análise do Setor do Homero Gonçalves Enquadramento Volume de negócios do Setor do por Distrito (TOP 3) 2010 1 Lisboa 37% 2 Algarve 21% 3 Madeira 13% Análise do Setor do 2 Total 79 atividades

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 2012

Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 2012 Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 212 Divulgação dos Quadros do Setor das empresas não financeiras da Central de Balanços dados de 211 O Banco de Portugal divulga hoje no BPStat Estatísticas

Leia mais

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008 28 de Junho de 2010 Micro, Pequenas e Médias Empresas em Portugal Em 2008, existiam 349 756 micro, pequenas e médias empresas (PME) em Portugal,

Leia mais

Portugal Enquadramento Económico

Portugal Enquadramento Económico Portugal Enquadramento Económico Fonte: INE PIB e Procura Interna em Volume (Tvh) em % do PIB 40 35 30 25 20 15 10 5 0 Formação bruta de capital fixo (total economia) FBCF excepto Construção FBCF Construção

Leia mais

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo)

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Objetivo - Financiar o reforço do fundo de maneio ou dos capitais permanentes e investimento novo em ativos fixos corpóreos ou incorpóreos; - Até

Leia mais

A atividade económica da Madeira nas estatísticas do Banco de Portugal

A atividade económica da Madeira nas estatísticas do Banco de Portugal Ana Margarida de Almeida Diretora-Adjunta Departamento de Estatística 22 outubro 2014 Funchal Agenda 1. Introdução 2. Estatísticas Monetárias e Financeiras 3. Estatísticas da Balança de Pagamentos e da

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2009-2014

ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2009-2014 ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2009-2014 Estudos da Central de Balanços Novembro 2014 18 18 ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2009-2014 Estudos da

Leia mais

ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2010-2015

ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2010-2015 ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2010-2015 Estudos da Central de Balanços Novembro 2015 23 23 ANÁLISE SETORIAL DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2010-2015 Estudos da

Leia mais

PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012. Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013

PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012. Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013 PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012 Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO Em Portugal, nos últimos 5 anos, o número de empresas exportadoras aumentou 12% O valor das

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga)

Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) G1 Crédito ao sector privado não financeiro (taxas de variação homóloga) 35 3 25 Em percentagem 2 15 1 5 Jan-91 Jan-92 Jan-93 Jan-94 Jan-95 Jan-96 Jan-97Jan-98 Jan-99 Jan- Jan-1 Sociedades não Financeiras

Leia mais

Pelouro de Supervisão Bancária e de Seguros. Lara Simone Beirão

Pelouro de Supervisão Bancária e de Seguros. Lara Simone Beirão Pelouro de Supervisão Bancária e de Seguros Lara Simone Beirão Dezembro de 2014 1 Introdução Outline 2 Carteira de Activos 3 4 Evolução do Passivo Alguns Indicadores 5 Síntese 6 Desafios do Sistema Financeiro

Leia mais

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR EXPORTADOR EM PORTUGAL

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR EXPORTADOR EM PORTUGAL ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR EXPORTADOR EM PORTUGAL Estudos da Central de Balanços Junho 2015 22 22 ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR EXPORTADOR EM PORTUGAL Estudos da Central de Balanços Junho 2015 Lisboa,

Leia mais

Utilização da Central de Balanços na caracterização. Homero Gonçalves

Utilização da Central de Balanços na caracterização. Homero Gonçalves Utilização da Central de Balanços na caracterização dotecido empresarial português Homero Gonçalves Quantas sociedades existem em Portugal? Central de Responsabilidades decrédito 260 mil INE Modelos 22

Leia mais

2012/2013. Novembro 2013

2012/2013. Novembro 2013 2012/2013 Novembro 2013 13 Análise setorial das sociedades não financeiras EM PORTUGAL 2012/2013 Estudos da Central de Balanços Novembro 2013 13 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa

Leia mais

A atual oferta de financiamento

A atual oferta de financiamento Ciclo de Conferências CIP Crescimento Económico: Diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Nuno Amado 28.nov.14 Centro de Congressos de Lisboa 5 Mitos sobre o financiamento

Leia mais

LINHAS DE CRÉDITO E APOIO EMPRESAS DOS AÇORES. 2011- Junho

LINHAS DE CRÉDITO E APOIO EMPRESAS DOS AÇORES. 2011- Junho LINHAS DE CRÉDITO E APOIO ÀS EMPRESAS DOS AÇORES 2011- Junho CONJUNTURA INTERNACIONAL ADVERSA No final do ano de 2008 dá-se o colapso de algumas das principais instituições financeiras dos EUA Rápida contaminação

Leia mais

BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt. Edição Departamento de Estatística

BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt. Edição Departamento de Estatística BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística Capa DSADM Serviço de Edições e Publicações Impressão DSADM Serviço de Edições e Publicações

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS

CLASSIFICAÇÃO ECONÓMICA DAS DESPESAS DESPESAS CORRENTES DESPESAS CORRENTES 01 Despesas com o pessoal 01 Despesas com o pessoal 01 Remunerações certas e permanentes 01 Remunerações certas e permanentes 01 Titulares de órgãos de soberania e

Leia mais

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2013 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação Recomendada Sector Empresarial da

Leia mais

Banco de Portugal divulga estatísticas das contas financeiras das administrações públicas e da dívida pública

Banco de Portugal divulga estatísticas das contas financeiras das administrações públicas e da dívida pública N.º 7 Abril 2015 Banco de Portugal divulga estatísticas das contas financeiras das administrações públicas e da dívida pública Na edição de abril de 2015 do Boletim Estatístico são divulgadas as contas

Leia mais

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe, estão abertas a partir de 18 de Junho

Leia mais

Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008

Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008 1/1 Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008 No cenário da actual conjuntura económica o sistema de garantia mútua é visto quer pelos parceiros

Leia mais

Estatísticas de empréstimos concedidos pelo setor financeiro

Estatísticas de empréstimos concedidos pelo setor financeiro Estatísticas de empréstimos concedidos pelo setor financeiro Luís Teles Diretor Adjunto Departamento de Estatística 17ª Reunião da Secção Permanente de Estatísticas Económicas 20 março 2015 Agenda 1. A

Leia mais

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO 30 de dezembro de 2011 Linhas PME Investe Sector do Turismo Características Gerais e Condições de Financiamento - Linhas Específicas do Sector do Turismo - PME INVESTE

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2013

Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a 2013 N.º fevereiro Banco de Portugal divulga estatísticas de balanço e taxas de juro dos bancos relativas a Estatísticas de balanço Aplicações Crédito interno Em e pelo terceiro ano consecutivo, o crédito interno

Leia mais

Relatórios Informa D&B

Relatórios Informa D&B Relatórios Informa D&B RELATÓRIO COMPLETO Toda a informação sobre uma empresa, em comparação com o seu sector, para quem necessite de decidir com plena confiança. - Sumário executivo Novo - Avaliação de

Leia mais

Indicadores Económico Financeiros da Empresa e do Sector Ana Margarida de Almeida

Indicadores Económico Financeiros da Empresa e do Sector Ana Margarida de Almeida Indicadores Económico Financeiros da Empresa e do Sector Ana Margarida de Almeida TÓPICOS 1. Central de Balanços 2. Quadros da Empresa e do Sector 3. Estatísticas da Central de Balanços 4. Bases de dados

Leia mais

- 151 - Q.11.01 - Prédios transacionados, por Ilha e ano

- 151 - Q.11.01 - Prédios transacionados, por Ilha e ano Q.11.1 - Prédios transacionados, por Ilha e ano TOTAL AÇORES 6 522 7 26 6 911 7 1 7 16 7 615 6 66 6 719 6 795 6 774 6 61 1 19 868 149 617 155 257 164 769 234 346 267 938 33 49 351 873 4 137 432 143 36

Leia mais

Portugal Área Euro (1) EUA 7.0 7.3 3.9 5.2 5.8 4.4 2.6 1.5 1.2 7.1 12.0 4.9 5.8 5.5 4.9 6.5 4.8 5.6. Portugal. em percentagem -10 -15.

Portugal Área Euro (1) EUA 7.0 7.3 3.9 5.2 5.8 4.4 2.6 1.5 1.2 7.1 12.0 4.9 5.8 5.5 4.9 6.5 4.8 5.6. Portugal. em percentagem -10 -15. Dezembro A. Contas nacionais Fonte: Banco de, Instituto Nacional de Estatística, Banco Central Europeu, Eurostat e Bureau of Economic Analysis Área Euro () EUA ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT - ºT

Leia mais

Banco de Portugal divulga novas séries estatísticas

Banco de Portugal divulga novas séries estatísticas N.º 11 outubro 214 Banco de Portugal divulga novas séries estatísticas O Banco de Portugal publica hoje novas séries estatísticas nos seguintes domínios: Estatísticas de instituições financeiras não monetárias,

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO

ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO Estudos da Central de Balanços Outubro 2014 17 17 ANÁLISE DO SETOR DO TURISMO Estudos da Central de Balanços Outubro 2014 Lisboa, 2014 www.bportugal.pt ANÁLISE DO SETOR DO

Leia mais

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente

Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente 26 de junho de 2014 Inquérito à Avaliação Bancária na Habitação Maio de 2014 Valor médio de avaliação bancária aumentou ligeiramente O valor médio de avaliação bancária 1 do total do País foi de 995 euros/m

Leia mais

Secção III: Âmbito de Aplicação e Políticas de Risco 7. 2. Estratégias e Processos de Gestão de Risco 8

Secção III: Âmbito de Aplicação e Políticas de Risco 7. 2. Estratégias e Processos de Gestão de Risco 8 Secção I: Introdução 4 1. Enquadramento Regulamentar 5 2. Estrutura do Relatório 5 Secção II: Declaração de Responsabilidade 6 Secção III: Âmbito de Aplicação e Políticas de Risco 7 1. Âmbito de Aplicação

Leia mais

ANÁLISE SETORIAL DA INDÚSTRIA METALOMECÂNICA

ANÁLISE SETORIAL DA INDÚSTRIA METALOMECÂNICA ANÁLISE SETORIAL DA INDÚSTRIA METALOMECÂNICA Estudos da Central de Balanços Março 2015 20 20 ANÁLISE SETORIAL DA INDÚSTRIA METALOMECÂNICA Estudos da Central de Balanços Março 2015 Lisboa, 2015 www.bportugal.pt

Leia mais

CRÉDITO À HABITAÇÃO ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO EM PORTUGAL

CRÉDITO À HABITAÇÃO ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO EM PORTUGAL CRÉDITO À HABITAÇÃO ENDIVIDAMENTO E INCUMPRIMENTO EM PORTUGAL CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS DA FACULDADE DE ECONOMIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA Fevereiro de 2002 1 1. Crédito à habitação 1.1. Crédito à habitação

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR AGRÍCOLA. Dezembro 2012 11

ANÁLISE DO SETOR AGRÍCOLA. Dezembro 2012 11 ANÁLISE DO SETOR AGRÍCOLA Dezembro 2012 11 ANÁLISE DO SETOR AGRÍCOLA Estudos da Central de Balanços Dezembro 2012 11 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Análise aos dados recentes das principais empresas do sector Cordoaria e Redes

Análise aos dados recentes das principais empresas do sector Cordoaria e Redes Análise aos dados recentes das principais empresas do sector Cordoaria e Redes Gabinete de Estudos da FESETE Julho 09 1 Introdução Foi efectuada uma análise a um conjunto de empresas das indústrias de

Leia mais

EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA

EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - Ano de 2010 - FICHA TÉCNICA Título: Empresas do Setor da Construção Análise Económico-Financeira Ano de 2010 Autoria: Henrique Graça Fernanda

Leia mais

Os transportes e atividades auxiliares no contexto da internacionalização da economia portuguesa

Os transportes e atividades auxiliares no contexto da internacionalização da economia portuguesa João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística Os Transportes e a Logística: Factores de Competitividade e de Criação de Valor para a Economia Portugusa Lisboa, Internacionalização da economia

Leia mais

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23

Índice PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 introdução 7 Índice NOTA PRÉVIA À 2ª EDIÇÃO 19 PREFÁCIO 21 INTRODUÇÃO 23 PARTE A ENQUADRAMENTO DA ACTIVIDADE FINANCEIRA Capítulo 1 INTRODUÇÃO À ACTIVIDADE FINANCEIRA 1. Evolução da actividade bancária

Leia mais

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal

Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal Caracterização das empresas do setor agrícola com base na informação estatística do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor Departamento de Estatística junho de 2016 I. Estrutura e dinâmica II.

Leia mais

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal.

LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013. As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal. LUZ AO FUNDO DO TÚNEL TALVEZ SÓ EM 2013 As previsões do Euroconstruct para o sector da construção e da reabilitação em Portugal Vítor Cóias 1. INTRODUÇÃO Nas últimas décadas a construção em Portugal tem

Leia mais

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km As Regiões de - Região O Território Porquê o? Uma das maiores áreas territoriais de, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km Area (km 2 ): 21.286

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR DAS ATIVIDADES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

ANÁLISE DO SETOR DAS ATIVIDADES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ANÁLISE DO SETOR DAS ATIVIDADES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Estudos da Central de Balanços Abril 2014 16 16 ANÁLISE DO SETOR DAS ATIVIDADES DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Estudos da Central de Balanços Abril

Leia mais

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira

EXEMPLO. Prática Financeira II Gestão Financeira EXEMPLO Tendo em conta as operações realizadas pela empresa CACILHAS, LDA., pretende-se a elaboração da Demonstração de fluxos de caixa, admitindo que o saldo de caixa e seus equivalentes, no início de

Leia mais

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR

ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR Estudos da Central de Balanços Maio 2015 21 21 ANÁLISE DAS EMPRESAS DO SETOR DO MAR Estudos da Central de Balanços Maio 2015 Lisboa, 2015 www.bportugal.pt ANÁLISE

Leia mais

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto NIF 508 548 527 Capital social: 25.641.459 Euros Informação financeira anual 2013 (não auditada)

Leia mais

Shares and other equity

Shares and other equity A CAE e os impactos no Banco de Portugal Margarida Brites Ramos 1 Função Estatística Lei Orgânica do Banco de Portugal Artigo 12.º Compete especialmente ao Banco, sem prejuízo dos condicionalismos decorrentes

Leia mais

Empresas em Portugal 2012

Empresas em Portugal 2012 Empresas em Portugal 2012 21 de março de 2014 Principais indicadores revelaram uma contração da atividade económica em 2012 com exceção das sociedades exportadoras Em 2012 existiam em Portugal 1 086 452

Leia mais

Seminário sobre Financiamento

Seminário sobre Financiamento ÍNDICE 1. Formas de financiamento e limitações à sua utilização 2. Evolução recente do setor bancário 3. O financiamento generalista 4. O financiamento especializado 5. Outras formas de financiamento 6.

Leia mais

reflexão sobre a rendibilidade da educação na região autónoma dos açores: aspectos teóricos e metodologias.

reflexão sobre a rendibilidade da educação na região autónoma dos açores: aspectos teóricos e metodologias. reflexão sobre a rendibilidade da educação na região autónoma dos açores: aspectos teóricos e metodologias. David Bedo Tomaz Dentinho José Vieira resumo: abstract: 5 REFLEXÃO SOBRE A RENDIBILIDADE DA

Leia mais

INQUÉRITO AOS BANCOS SOBRE O MERCADO DE CRÉDITO Resultados para Portugal Outubro de 2015

INQUÉRITO AOS BANCOS SOBRE O MERCADO DE CRÉDITO Resultados para Portugal Outubro de 2015 INQUÉRITO AOS BANCOS SOBRE O MERCADO DE CRÉDITO Resultados para Portugal Outubro de 2015 I. Apreciação Geral De acordo com os resultados obtidos no inquérito realizado em outubro aos cinco grupos bancários

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014

SI QUALIFICAÇÃO PME (Aviso n.º 05/SI/2012) PROJETOS CONJUNTOS INTERNACIONALIZAÇÃO GET OUT 2014 ACORDO PRÉ-ADESÃO O presente acordo visa definir os termos de participação na Participação na Feira BIJORHCA em França (Paris) que se realizará de 22 a 27 de janeiro de 2015, promovida pela ANJE Associação

Leia mais

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 2 Fevereiro 2009

GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. Nº 2 Fevereiro 2009 Boletim Mensal de Economia Portuguesa Nº 2 Fevereiro 2009 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e da Inovação GPEARI Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais

Leia mais

Papel das empresas no novo sistema das estatísticas externas. Carla Marques

Papel das empresas no novo sistema das estatísticas externas. Carla Marques Papel das empresas no P ld novo sistema das estatísticas externas Carla Marques ESQUEMA DA APRESENTAÇÃO I. Estatísticas externas Portuguesas II. Sistema das estatísticas externas e necessidade de reformulação

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR AUTOMÓVEL. Dezembro 2013 14

ANÁLISE DO SETOR AUTOMÓVEL. Dezembro 2013 14 ANÁLISE DO SETOR AUTOMÓVEL Dezembro 2013 14 ANÁLISE DO SETOR AUTOMÓVEL Estudos da Central de Balanços Dezembro 2013 14 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição

Leia mais

Tipificação Das Situações Do Trabalho Dos Menores

Tipificação Das Situações Do Trabalho Dos Menores ESTATÍSTICAS EM SÍNTESE Tipificação Das Situações Do Trabalho Dos Menores No inquérito de Caracterização Social dos Agregados Familiares Portugueses com Menores em Idade Escolar, realizado em Outubro de

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS

ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS ANÁLISE DE INDICADORES FINANCEIROS Vantagens da análise de rácios Permitem diagnosticar a performance das empresas em termos de rentabilidade, solvabilidade, liquidez e equilíbrio financeiro. Possibilitam

Leia mais

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO Principais linhas de evolução e transformação da paisa social e económica regional População A região, inserida no contexto português

Leia mais

CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro

CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro CFI - Código Fiscal ao Investimento - DL 162/2014 de 31 Outubro Generalidades Aplicação a investimentos realizados a partir de 1 Janeiro de 2014 (excepto para efeito de apuramento dos limites máximos dos

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA. Objectivo

ANÁLISE FINANCEIRA. Objectivo ISEG/UTL ANÁLISE FINANCEIRA MÓDULO III Objectivo Teoria tradicional do Equilíbrio Financeiro Fundo de Maneio Funcional e as NFM Tesouraria Líquida Estratégias de Financiamento face ao Risco EQUILÍBRIO

Leia mais

ISSN 0872-9514. Empresas em Portugal 2010

ISSN 0872-9514. Empresas em Portugal 2010 ISSN 0872-9514 Edição 2012 2 FICHA TÉCNICA Título Editor Instituto Nacional de Estatística, I.P. Av. António José de Almeida 1000-043 Lisboa Portugal Telefone: 21 842 61 00 Fax: 21 842 63 64 Presidente

Leia mais

Inserção Territorial e Laboral

Inserção Territorial e Laboral Imigrantes na Região Autónoma dos Açores Inserção Territorial e Laboral Angra do Heroísmo, 30 de Maio de 2008 Aníbal C. Pires 1. Inserção territorial dos imigrantes na RAA 1.1 Número de cidadãos estrangeiros

Leia mais

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM Fundo de Contragarantia Mútuo Sessões Turismo de Portugal, Abril 2010 Apresentação Segmentos de Actuação Linhas de Oferta

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

OVERVIEW DO SISTEMA BANCÁRIO PORTUGUÊS

OVERVIEW DO SISTEMA BANCÁRIO PORTUGUÊS OVERVIEW DO SISTEMA BANCÁRIO PORTUGUÊS ÍNDICE I. Importância do Sector Bancário na Economia II. III. Actividade de Crédito Financiamento IV. Solvabilidade V. Regimes de Recapitalização Pública e de Concessão

Leia mais

ANÁLISE DO SETOR DA CONSTRUÇÃO. Janeiro 2014 15

ANÁLISE DO SETOR DA CONSTRUÇÃO. Janeiro 2014 15 ANÁLISE DO SETOR DA CONSTRUÇÃO Janeiro 2014 15 ANÁLISE DO SETOR DA CONSTRUÇÃO Estudos da Central de Balanços Janeiro 2014 15 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição

Leia mais

ESTRUTURA E DINÂMICA DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2006-2012. Novembro 2013 12

ESTRUTURA E DINÂMICA DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2006-2012. Novembro 2013 12 ESTRUTURA E DINÂMICA DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2006-2012 Novembro 2013 12 ESTRUTURA E DINÂMICA DAS SOCIEDADES NÃO FINANCEIRAS EM PORTUGAL 2006-2012 Estudos da Central de Balanços Novembro

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DAS MICROEMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO PARA 2010/2011 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

2ª CONFERÊNCIA DA CENTRAL DE BALANÇOS DO BANCO DE PORTUGAL

2ª CONFERÊNCIA DA CENTRAL DE BALANÇOS DO BANCO DE PORTUGAL 2ª CONFERÊNCIA DA CENTRAL DE BALANÇOS DO BANCO DE PORTUGAL 26 DE NOVEMBRO DE 2012 Homero Gonçalves Aveiro, Porto e Braga agregavam 96% das empresas em 2011 14% 39% 43% o que compara com 31% para o total

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA e Grupo Banif Consolidado INFORMAÇÃO TRIMESTRAL relativa à actividade desenvolvida durante o 1º TRIMESTRE DE 2001 Banif - Banco Internacional do Funchal, SA Sociedade

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

Empresa Demo 1 PT500000001

Empresa Demo 1 PT500000001 Empresa Demo 1 PT500000001 Member of Federation of Business Information Service Índice Índice Introdução...3 Classificação total...4 Classificação por dimensão... 5 Quota de mercado...6 Volume de negócios

Leia mais

APARTAMENTOS TURISTICOS DE AMORIM & SANTOS LDA

APARTAMENTOS TURISTICOS DE AMORIM & SANTOS LDA CARATERIZAÇÃO DA EMPRESA Nome: Setor de Atividade Económica (CAE Rev.3): Classe de Dimensão: Localização da Sede (Distrito): Natureza Jurídica: Maturidade: 55118 - Apartamentos turísticos com restaurante

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

BREVE NOTA DE APRESENTAÇÃO

BREVE NOTA DE APRESENTAÇÃO BREVE NOTA DE APRESENTAÇÃO As entidades empregadoras que pretendam promover despedimentos coletivos, conforme estipulado no número 5 do artigo 360º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei nº 7/2009 de

Leia mais

Sistema Monetário. Aula: Conceitos de Meios de Pagamentos

Sistema Monetário. Aula: Conceitos de Meios de Pagamentos Sistema Monetário Aula: Conceitos de Meios de Pagamentos Professor Fabiano Abranches Silva Dalto Departamento de Economia da UFPR Disciplina Economia Monetária e Financeira Bibliografia Utilizada: CARVALHO,

Leia mais

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS Reforço dos Capitais Permanentes Nuno Gonçalves nuno.goncalves@iapmei.pt Linhas de Crédito Linhas LINHAS DE FINANCIAMENTO VALOR Operações Entradas Operações

Leia mais

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA

CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA CONFERÊNCIA DISTRIBUIÇÃO DE SEGUROS E PRODUTOS FINANCEIROS FERNANDO FARIA DE OLIVEIRA 28 de Novembro de 2014 AGENDA FUNÇÕES DA BANCA E DOS SEGUROS BANCASSURANCE E ASSURBANK RACIONAL E CONDICIONANTES EVOLUÇÃO

Leia mais

Basileia III e Reporte Regulatório COREP/ FINREP

Basileia III e Reporte Regulatório COREP/ FINREP Basileia III e Reporte Regulatório COREP/ FINREP Agenda Basileia III COREP/FINREP Solução Agenda Basileia III COREP/FINREP Solução Enquadramento União Europeia Objectivo: Cidadãos, investidores, reguladores

Leia mais

ANEXO II (PARTE 3) CORRESPONDÊNCIA ENTRE TIPOS DE CRÉDITO DA CRC E AS NCA Contas Individuais

ANEXO II (PARTE 3) CORRESPONDÊNCIA ENTRE TIPOS DE CRÉDITO DA CRC E AS NCA Contas Individuais Anexo à Instrução nº 7/2006 ANEXO II (PARTE ) CORRESPONDÊNCIA ENTRE TIPOS DE CRÉDITO DA CRC E AS NCA Contas Individuais As contas abaixo referenciadas são meramente indicativas, pelo que apenas deverão

Leia mais

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008

PORTUGAL Economic Outlook. Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 PORTUGAL Economic Outlook Carlos Almeida Andrade Chief Economist Julho 2008 Portugal: Adaptação a um novo ambiente económico global A economia portuguesa enfrenta o impacto de um ambiente externo difícil,

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA. Objectivo

GESTÃO FINANCEIRA. Objectivo GESTÃO FINANCEIRA MÓDULO IV Objectivo Teoria tradicional do Equilíbrio Financeiro O Fundo de Maneio Funcional e as NFM A Tesouraria Líquida Estratégias de Financiamento face ao Risco ISEG/UTL Teoria Tradicional

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

RELATÓRIO DE RISCO DE CONCENTRAÇÃO DE CRÉDITO

RELATÓRIO DE RISCO DE CONCENTRAÇÃO DE CRÉDITO RELATÓRIO DE RISCO DE CONCENTRAÇÃO DE CRÉDITO 2013 MARÇO DE 2014 2 ÍNDICE NOTA INTRODUTÓRIA... 3 1. RISCO DE CONCENTRAÇÃO DE CRÉDITO... 3 2. RISCO DE CONCENTRAÇÃO DE MERCADO... 4 3. CONCENTRAÇÃO DE RISCO

Leia mais

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL INQUÉRITO AO CRÉDITO Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Introdução O Inquérito ao Crédito Fevereiro 2009, realizado pela AIP-CE, teve como base uma amostra constituída

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal Apoios às s Empresas do Sector do Turismo ÍNDICE 2 Linha de apoio à qualificação da oferta Linha de apoio à tesouraria Carência de capital Linhas PME CRESCIMENTO 2013 MECANISMOS DE APOIO AO SECTOR DO TURISMO

Leia mais

PME Investe VI Aditamento

PME Investe VI Aditamento PME Investe VI Aditamento O apoio do FINOVA às empresas Fundo gerido pela PME Investimentos No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe,

Leia mais