EFEITO DO TEMPO NA INCLUSÃO DA LIPOPROTEÍNA DE BAIXA DENSIDADE SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EFEITO DO TEMPO NA INCLUSÃO DA LIPOPROTEÍNA DE BAIXA DENSIDADE SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO"

Transcrição

1 EFEITO DO TEMPO NA INCLUSÃO DA LIPOPROTEÍNA DE BAIXA DENSIDADE SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO Autor(es): Apresentador: Orientador: Revisor 1: Revisor 2: Instituição: SCHIAVON, Raquel Schiavon; CORCINI, Carine Dahl; PRESTES, Rodrigo Cavalli; CARVALHO, Cristiane; LAVADOURO, Bárbara Joseane Bastos; JULIANO, Flavio; LUCIA JR, Thomaz; DESCHAMPS, João Carlos; VARELA JUNIOR, Antonio Sergio Raquel Schiavon Schiavon Antonio Sergio Varela Junior Tiago Collares Marta Gonçalves Amaral Universidade Federal de Pelotas EFEITO DO TEMPO NA INCLUSÃO DA LIPOPROTEÍNA DE BAIXA DENSIDADE SOBRE A QUALIDADE DO SÊMEN CANINO CRIOPRESERVADO SCHIAVON, Raquel Schiavon 1 ; CORCINI, Carine Dahl 1 ; PRESTES, Rodrigo Cavalli 2 ; CARVALHO, Cristiane 2 ; LAVADOURO, Bárbara Joseane Bastos 2 ; JULIANO, Flavio 2 ; LUCIA JR, Thomaz 1 ; DESCHAMPS, João Carlos 1 ; VARELA JUNIOR, Antonio Sergio 2. 1 Laboratório de Reprodução Animal- Centro de Biotecnologia UFPel 2 Departamento de Ciências Morfo-Biológicas - FURG Campus Carreiros Avenida Itália, km 8 - CEP INTRODUÇÃO Durante as últimas décadas vem aumentando a utilização de sêmen refrigerado e criopreservado em caninos. Entretanto, o processo de preservação pelo frio provoca alterações em diversos componentes das células espermáticas (acrossoma, núcleo, mitocôndria, axonema e membrana plasmática), reduzindo assim a qualidade do ejaculado quando comparado ao sêmen fresco (Amirat L et al, 2004; Watson PF, 2000). Conseqüentemente, os protocolos de resfriamento e/ou congelamento, através da utilização de diluentes, visam prevenir a formação de cristais de gelo intracelular e lesões na membrana celular e. Entretanto, as etapas de refrigeração e/ou congelamento podem provocar o choque térmico, diminuindo a viabilidade espermática. Isto se dá em função de alterações na estrutura e funcionalidade celular (Conacannon PW & Batista M, 1989), podendo causar alterações morfológicas e diminuição da motilidade espermática (Holt WV, 2000). Com o intuito de proteger o espermatozóide utiliza-se, como crioprotetor externo, a lipoproteína de baixa densidade (LDL), por associar-se à membrana

2 espermática protegendo os espermatozóides (Bergeron A et al, 2004; Watson PF, 1981). Foulkes (1977) e Graham & Foot (1987) sugerem que a LDL pode também se aderir à membrana celular durante o processo de preservação espermática. Segundo Anton et al. (2003), a LDL promove uma película interfacial entre ácidos graxos e a água. Entretanto, Bergerom et al. (2004) comprovaram que a LDL promove a entrada de fosfolipídios e colesterol para a membrana dos espermatozóides e também previne a saída dos mesmos da membrana espermática (Bergeron et al, 2004), formando um complexo com as proteínas do plasma seminal (Bergeron et al, 2004; Majunath P et al, 2002), de modo que estas não fiquem disponíveis para atuarem negativamente sobre a membrana. A prevenção do efluxo de fosfolipídios (Bergeron A et al, 2004; Thérien I et al, 1999) e colesterol (Bergeron et al, 2004), confere à célula espermática maior resistência ao choque térmico. Todavia, a entrada da LDL na membrana espermática é lenta, levando aproximadamente 8 horas a 5ºC para que ocorra o influxo máximo, divergindo assim do tempo de resfriamento considerado ideal na maioria dos protocolos para o congelamento seminal. O objetivo deste trabalho foi estabelecer o tempo ideal de exposição do espermatozóide canino à LDL à 5ºC, durante o processo de criopreservação. 2. MATERIAL E MÉTODOS Animais Foram utilizados 7 cães SRD (Sem Raça Definida) do biotério da FURG, com 8 repetições. Entretanto, quando o ejaculado não apresentava as condições mínimas (80% motilidade e de espermatozóides normais) este era desprezado, totalizando 35 ejaculados. Coleta dos ejaculados As coletas foram feitas através de manipulação digital (Christiansem IJ, 1986), em tubos cônicos estéreis de 50 ml, sendo utilizada somente a segunda fração, rica em espermatozóide. Avaliação dos ejaculados As avaliações de motilidade (percentagem de células móveis) espermática foram feitas logo após a coleta do sêmen, através de microscopia óptica (aumento de 200x), utilizando aproximadamente 10µl de sêmen em lâmina sob lamínula, ambas pré-aquecidas a 37 C (Christiansem IJ, 1986). O acrossoma foi avaliado através da técnica de coloração utilizando lâmina seca corada com Lectin Penout - FICT por 10 minutos, sendo que o acrossoma quando intacto ficava verde e lesado não se corava. A viabilidade espermática foi feita através de sondas de fluorescência (Iodeto de Propídio e Carboxi-fluroxeína), sendo categorizada como células viáveis as coradas em verde e células inviáveis as coradas em vermelho. Purificação do LDL da gema de ovo Separação da gema de ovo e diluição Os ovos foram quebrados manualmente e as gemas separadas das claras. Cada gema foi colocada sobre um papel filtro para remoção da chalaça e traços de clara aderida à membrana vitelínica, que foi rompida. A gema foi colocada em um Becker resfriado com gelo. Fracionamento do plasma

3 Separou-se a fração plasmática da gema, método descrito por McBee e Cotterill (1979), onde a gema de ovo é diluída já no Tris-glucose. Extração do LDL O LDL foi extraído do plasma da gema do ovo através de duas centrifugações a x g por 45 min, sendo sempre retirado o sobrenadante, rico em LDL. Separando desta forma os grânulos de minerais, células e subprodutos da gema que são prejudiciais à qualidade espermática. Diluentes Tris-glucose foi formulado com 3,025 g de Tris hidroximetil aminometano, 1,7 g de ácido cítrico, 1,25 g de glicose, 100 mg de benzilpenicilina, 100 mg de sulfato de dihidroestreptomicina para 100 ml de água destilada (Iguer-ouada M, 2001), adicionado de 8% de LDL e 5% de glicerol. O ph do diluente foi ajustado em 6,85 (Iguer-ouada M, 2001). Processamento do sêmen Após ser coletado, o sêmen foi diluído 1/4 (v/v) com diluente Tris Glicose a 37 C, em seguida, centrifugado a 800 x g por 5 min. O sobrenadante foi descartado e o pellet foi ressuspendido no diluente padrão. O sêmen já diluído foi submerso em 200 ml de água isotérmica com o intuito de prevenir o choque térmico, em virtude das altas variações de temperatura (Linde-Forsberg C & Forsberg M., 1993). Durante o período experimental o sêmen permaneceu a 20 C por 1h e depois foi submetido a um resfriamento de duas horas até chegar a 5 C (tratamento controle =T1). Após as palhetas foram expostas ao vapor de N 2 líquido permanecendo a 5 cm do N 2 líquido por 10 min e após submersas no mesmo. Já no tratamento 2 e 3 (T2 e T3) o sêmen permaneceu mais 4 e 8h, respectivamente, a 5ºC. O descongelamento das amostras foi feito 7 dias após terem sido congeladas, à 70 C por 8 segundos e esta permaneceu a 37 C por 5 min para serem avaliadas. Análise estatística Os dados foram analisados utilizando o programa Statistix (Statistix 8 Analytical Software, 2003). Para as variáveis dependentes: motilidade, viabilidade e integridade de acrossoma foram feitas análise de variância com medidas repetidas com posterior comparação entre as médias através do teste Tukey. Os resultados foram considerados significativos quando P < 0, RESULTADOS E DISCUSSÃO Está demonstrada na figura 1 a ação da coloração Lectin Penout FICT para análise se acrossoma e da fluorescência (Iodeto de Propídio e Carboxi-fluroxeina) para análise da viabilidade espermática. Figura 1: Espermatozóides com acrossoma lesado e com acrossoma intacto (foto da esquerda), espermatozóides viáveis e inviáveis (foto da direita)

4 Os resultados das avaliações seminais, após o descongelamento, de motilidade espermática, viabilidade e percentual de células com acrossomas intactos estão apresentado na Tabela 1. Tabela1: Resultados das avaliações de motilidade espermática, viabilidade e acrossomas intactos dos tratamentos após o descongelamento (média ± erro padrão da média). Tratamento Motilidade Viabilidade Acrossomas intactos T1 55,1 ± 2,9 54,3 ± 2,6 62,5 ± 3,5 T2 60,8 ± 2,8 56,1 ± 2,3 65,2 ± 3,2 T3 57,4 ± 3,1 57,8 ± 1,8 67,6 ± 2,4 Não existiu diferença estatística (P>0,05) entre os tratamentos, na mesma coluna. Não ocorreu diferença estatística entre os tratamentos para as variáveis dependentes motilidade, viabilidade e acrossomas intactos. Desta forma podemos utilizar qualquer um dos tempos de permanência a 5 C, optando pelo que melhor se adequar a rotina do laboratório. Apesar de Bergeron et al (2004) ter comprovado que o platô de influxo de fosfolipídios é alcançado somente após 8h a 5ºC, este tempo não é necessário para que ocorra a máxima proteção aos espermatozóides. Isto foi corroborado quando as análises da qualidade seminal (motilidade, viabilidade e acrossomas intactos) dentre os tratamentos T1, T2 e T3 não apresentaram diferenças (P>0,05) significativas. Desta forma o processo de congelamento pode ocorrer coletando-se vários machos simultaneamente e congelando nos momentos de maior disponibilidade de tempo, espaço e mão de obra. 3. CONCLUSÕES Concluímos que podemos utilizar qualquer um dos protocolos de congelamento, pois não existiu diferença entre os tratamentos nas variáveis motilidade, viabilidade e integridade do acrossoma. 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AMIRAT L; TAINTURIER D; JEANNEAU L; THORIN C; GERARD O; COURTENS JL; ANTON M. Bull semen in vitro fertility after cryopreservation using egg yolk LDL: a comparison with Optidyl, a commercial egg yolk extender. Theriogenology, 2004, 61, p ANTON M; MARTINET V; DALGALARRONDO M; BEAUMAL V; DAVID-BRIAND E; RABESONA H. Chemical and structural characterization of low-density lipoproteins purified from hen egg yolk. Food Chemistry 2003, 83, p BERGERON A; CRÊTE MH; BRINDLE Y; MANJUNATH P. Low-density lipoprotein fraction from hen`s egg yolk decreases the binding of the major protein of bovine seminal plasma to sperm and prevents lipid efflux from the sperm membrane. Biol Reprod, 2004, 70 p CONACANNON PW; BATISTA M. Canine semen freezing and artificial insemination. In:Veterinary Terapy ; 10. Philadelphia W. B, 1989, p CHRISTIANSEN IJ. Reprodução no cão e no gato. Ed. Manole, São Paulo-SP FOULKES JA. The separation of lipoproteins from egg yolk and their effect on the motility and integrity of bovine spermatozoa. J. Reprod Fertil, 1977, 49, p

5 GRAHM JK; FOOTE RH. Effect of several lipids fatty acyl chain length and degree of unsaturation on the motility of bull spermatozoa after cold shock and freezing. Crybiology 1987, 24, p HOLT WV. Fundamental aspects of sperm cryobiology: the importance of species and individual differences. Theriogenology, 2000, 53, IGUER-OUADA M, VESTEGEN Long-term preservation of chilled canine semen : Effect of commercial and laboratory prepared extenders. Theriogenology, 2001, 55, p LINDE-FORSBERG C; FORSBERG M. Results of 527 controlled artificial inseminations in dogs. J Reprod Fertil Suppl p MAJUNATH P; NAUC V; BERGERON A; MENARD M. Major Proteins of bovine seminal plasma bind to the low-density lipoprotein fraction of hen s egg yolk. Biol Reprod, 2002, 67 p MCBEE L; COTTERILL 0. Ion exchange chromatography and electrophoresis of egg yolk. J Food Sci 1979, 44, p STATISTIX. Statistix 8 Analytical Software. User s manual. Tallahassee p THÉRIEN I; MOREAU R; MANJUNATH P. Bovine seminal plasma phopholipidbinding Proteins stimulate phospholipid efflux from epididymal sperm. 1999, 61, p WATSON PF. The causes of reduced fertility with cryopreserved semen. Anim Reprod Sci 2000, 60 61, p WATSON PF. The roles of lipid and protein in the protection of ram spermatozoa at 5 degrees C by egg-yolk lipoprotein. J Reprod Fertil, 1981, 62, p

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.209-214, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br. M.M. Neves 1,3, M. Henry 2.

Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.209-214, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br. M.M. Neves 1,3, M. Henry 2. Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.36, n.4, p.209-214, out./dez. 2012. Disponível em www.cbra.org.br Gema do ovo de galinha e a ação protetora de suas lipoproteínas de baixa densidade na criopreservação

Leia mais

TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN

TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN TECNOLOGIA DO SÊMEN ANÁLISE DO SÊMEN Características físicas c) Motilidade (progressiva) % de sptz viáveis uma gota de sêmen em aumento de 100 a 400x na propriedade: 50% para doação de sêmen: 70% para

Leia mais

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO

VITRIFICAÇÃO DE SÊMEN SUÍNO I Mostra de Iniciação Científica I MIC 30/09 e 01/10 de 2011 Instituto Federal Catarinense Campus Concórdia Concórdia SC INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CAMPUS CONCÓRDIA MEDICINA VETERINÁRIA VITRIFICAÇÃO

Leia mais

Efeito da lipoproteína de baixa densidade sobre algumas características funcionais dos espermatozóides eqüinos criopreservados

Efeito da lipoproteína de baixa densidade sobre algumas características funcionais dos espermatozóides eqüinos criopreservados MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM VETERINÁRIA Efeito da lipoproteína de baixa densidade sobre algumas características funcionais

Leia mais

ACONDICIONAMENTO DE SÊMEN CANINO PARA TRANSPORTE UTILIZANDO DIFERENTES DILUENTES. (Packaging of canine semen for transport using different extenders)

ACONDICIONAMENTO DE SÊMEN CANINO PARA TRANSPORTE UTILIZANDO DIFERENTES DILUENTES. (Packaging of canine semen for transport using different extenders) Ciência Animal, 17(1):37-44,2007 ACONDICIONAMENTO DE SÊMEN CANINO PARA TRANSPORTE UTILIZANDO DIFERENTES DILUENTES (Packaging of canine semen for transport using different extenders) Maykeline Valeska do

Leia mais

Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives*

Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives* Cryopreservation of boar semen: progress and perspectives* Criopreservação de sêmen suíno: avanços tecnológicos e perspectivas Criopreservación de semen de verraco: avances y perspectivas tecnológicas

Leia mais

Produção e preservação do sêmen de galos Production and preservation of rooster semen

Produção e preservação do sêmen de galos Production and preservation of rooster semen Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.37, n.2, p.131-135, abr./jun. 2013. Disponível em www.cbra.org.br Produção e preservação do sêmen de galos Production and preservation of rooster semen D.C.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA FACULDADE DE VETERINÁRIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS JOSÉ MAURÍCIO MACIEL CAVALCANTE AVALIAÇÃO DO SÊMEN

Leia mais

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil

Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil Ciência Rural ISSN: 0103-8478 cienciarural@mail.ufsm.br Universidade Federal de Santa Maria Brasil de Melo Costa, Priscila; Martins, Carlos Frederico; de Oliveira Franco, Vanessa; Fonseca Rezende, Luiz

Leia mais

ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN

ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN ELENICE ANDRADE MORAES E AMORIM ALTERAÇÃO DA MEMBRANA ESPERMÁTICA DE SUÍNOS, BOVINOS E EQÜINOS NA QUALIDADE DO SÊMEN Tese apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como parte das exigências do Programa

Leia mais

A solução simples e intuitiva para cicatrização de feridas. Tratamento de Feridas por Pressão Negativa extricare

A solução simples e intuitiva para cicatrização de feridas. Tratamento de Feridas por Pressão Negativa extricare A solução simples e intuitiva para cicatrização de feridas Tratamento de Feridas por Pressão Negativa extricare extricare - a nova solução em terapia por pressão negativa Escolha o Tratamento de Feridas

Leia mais

www.professormazzei.com - PROPRIEDADES COLIGATIVAS 01 Folha 01 João Roberto Mazzei

www.professormazzei.com - PROPRIEDADES COLIGATIVAS 01 Folha 01 João Roberto Mazzei 01. (UFRS 2008) O sal é utilizado para provocar o derretimento de neve e gelo nas estradas dos países frios e também para conservar a carne, como no processamento do charque. A utilização de sal nessas

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÂO DE SÊMEN CANINO UTILIZANDO DIFERENTES MEIOS DE CONSERVAÇÃO

CRIOPRESERVAÇÂO DE SÊMEN CANINO UTILIZANDO DIFERENTES MEIOS DE CONSERVAÇÃO JOSÉLI MARIA BÜCHELE CRIOPRESERVAÇÂO DE SÊMEN CANINO UTILIZANDO DIFERENTES MEIOS DE CONSERVAÇÃO Dissertação apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Mestre em Ciências Veterinárias, Curso

Leia mais

Efeito da unidade de resfriamento e conservação, do tempo de armazenamento e diluidor sobre as características do sêmen de cães

Efeito da unidade de resfriamento e conservação, do tempo de armazenamento e diluidor sobre as características do sêmen de cães 86 Efeito da unidade de resfriamento e conservação, do tempo de armazenamento e diluidor sobre as características do sêmen de cães Effect of the chilling sistems, time of conservation and extender on dog

Leia mais

Plasma seminal ovino e sua aplicação na biotecnologia reprodutiva Ram seminal plasma and use in reproductive biotechnology

Plasma seminal ovino e sua aplicação na biotecnologia reprodutiva Ram seminal plasma and use in reproductive biotechnology Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.37, n.3, p.254-259, jul./set. 2013. Disponível em www.cbra.org.br Plasma seminal ovino e sua aplicação na biotecnologia reprodutiva Ram seminal plasma and use

Leia mais

Prof. José Antonio Ribas

Prof. José Antonio Ribas 1 CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM EQUINOS Prof. José Antonio Ribas 2 INTRODUÇÃO Viabilidade da criação de cavalos = sucesso na reprodução Industria do cavalo - movimenta cerca de R$

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia.

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Efeitos da adição de glicerol e etilenoglicol associados sobre parâmetros de viabilidade espermática na criopreservação de sêmen canino Guilherme

Leia mais

CONGELAÇÃO DO SÊMEM CANINO COM UM DILUIDOR A BASE DE ÁGUA DE COCO ACRESCIDO DE GEMA DE OVO E GLICEROL

CONGELAÇÃO DO SÊMEM CANINO COM UM DILUIDOR A BASE DE ÁGUA DE COCO ACRESCIDO DE GEMA DE OVO E GLICEROL Ciência Animal 2000, 10(1):29-36 CONGELAÇÃO DO SÊMEM CANINO COM UM DILUIDOR A BASE DE ÁGUA DE COCO ACRESCIDO DE GEMA DE OVO E GLICEROL (Canine semen freezing using a egg yolk-glycerol-coconut water extender)

Leia mais

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Manual do Usuário Módulo Controle de Qualidade Analítico

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Manual do Usuário Módulo Controle de Qualidade Analítico Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS DATASUS Gerenciador de Ambiente Laboratorial GAL Manual do Usuário Módulo Laboratório Manual de Operação_Módulo Laboratório_Controle

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS*

CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS* CRIOPRESERVAÇÃO DE SÊMEN EQUINO PREVIAMENTE REFRIGERADO COM E SEM PLASMA SEMINAL POR 12 HORAS* Hélène Lacerda de Resende 1+, Jhonnatha Paulo Oliveira 2, Marcely Karoline Conceição Ecker 3, Priscilla Nascimento

Leia mais

Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste

Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste Modelos de Regressão Linear Simples - Erro Puro e Falta de Ajuste Erica Castilho Rodrigues 2 de Setembro de 2014 Erro Puro 3 Existem dois motivos pelos quais os pontos observados podem não cair na reta

Leia mais

Comunicado Técnico. Introdução

Comunicado Técnico. Introdução Comunicado Técnico 151 ISSN 1517-1469 Planaltina, DF Novembro, 2008 Foto: Gustavo Porpino Recuperação e Criopreservação de Espermatozóides do Epidídimo de Bovinos Mortos para Uso na Inseminação Artificial

Leia mais

CELY MARINI MELO AÇÃO DOS CRIOPROTETORES NA BIOTECNOLOGIA DE SÊMEN CONGELADO

CELY MARINI MELO AÇÃO DOS CRIOPROTETORES NA BIOTECNOLOGIA DE SÊMEN CONGELADO CELY MARINI MELO AÇÃO DOS CRIOPROTETORES NA BIOTECNOLOGIA DE SÊMEN CONGELADO Botucatu-SP 2003 CELY MARINI MELO AÇÃO DOS CRIOPROTETORES NA BIOTECNOLOGIA DE SÊMEN CONGELADO Seminário apresentado à disciplina

Leia mais

Substâncias puras e misturas; análise imediata

Substâncias puras e misturas; análise imediata Segmento: Pré-vestibular Resoluções Coleção: Alfa, Beta e Gama Disciplina: Química Volume: 1 Série: 5 Substâncias puras e misturas; análise imediata 1. C Considerando as ilustrações, temos: I. Mistura

Leia mais

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS UTILIZANDO SÊMEN CONGELADO COM OU SEM A PRESENÇA DO PLASMA SEMINAL Erika Aline Ribeiro Dias 1 ; Suzane Peres Campanholi 2 ; Roberta Vantini 3 ; Joaquim Mansano Garcia

Leia mais

FISIOLOGIA ANIMAL II

FISIOLOGIA ANIMAL II DEPARTAMENTO DE ZOOLOGIA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE DE COIMBRA FISIOLOGIA ANIMAL II AULAS e 3 DETERMINAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE GLICOSE E LÍPIDOS NO SANGUE POR COLORIMETRIA CAETANA CARVALHO,

Leia mais

Atualidades sobre a criopreservação do sêmen de cães Updates on canine semen cryopreservation

Atualidades sobre a criopreservação do sêmen de cães Updates on canine semen cryopreservation Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.31, n.1, p.119-127, jan./mar. 2007. Disponível em www.cbra.org.br. Atualidades sobre a criopreservação do sêmen de cães Updates on canine semen cryopreservation

Leia mais

VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL

VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL Ciência Animal,19(1):29-36,2009 VIABILIDADE DE ESPERMATOZÓIDES DE CÃES INCUBADOS A 37ºC POR UMA HORA, APÓS DILUIÇÃO EM TRIS-GEMA ACRESCIDO DE GLICEROL (Viability of dog sperm incubated at 37 C for 1 hour

Leia mais

EFEITO DE TRÊS CRIOPROTETORES SOBRE A MEMBRANA DE CÉLULAS ESPERMÁTICAS DE OVINOS

EFEITO DE TRÊS CRIOPROTETORES SOBRE A MEMBRANA DE CÉLULAS ESPERMÁTICAS DE OVINOS CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos EFEITO

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE DOUTORADO INTEGRADO EM ZOOTECNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE DOUTORADO INTEGRADO EM ZOOTECNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO PROGRAMA DE DOUTORADO INTEGRADO EM ZOOTECNIA PESQUISA DE NOVO MÉTODO DE CONGELAÇÃO PARA SÊMEN DE OVINOS

Leia mais

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas

Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em Genótipos de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Patologia, Tamanho de Grão, Poder Germinativo e Teor de Micotoxina em s de Cevada Produzidos em Ambiente Favorável a Doenças de Espigas Maria Imaculada Pontes Moreira Lima 1 ; Euclydes Minella 1 ; Martha

Leia mais

Europass-Curriculum Vitae

Europass-Curriculum Vitae Europass-Curriculum Vitae Informação pessoal Apelidos / Nome próprio Morada Rua dos Mercadores, n.º 90, 9500-092, Ponta Delgada, São Miguel, Açores Telefone 296281933 Telemóvel: 965535459 Correios electrónicos

Leia mais

INTRODUÇÃO. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Federal de Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil

INTRODUÇÃO. Instituto de Ciências Biológicas, Universidade de Federal de Rio Grande (FURG), Rio Grande, RS, Brasil Ciência 142 Rural, Santa Maria, v.42, n.1, p.142-146, jan, 2012Corcini et al. ISSN 0103-8478 Concentração de lactato de cálcio e tempo de incubação sobre a capacidade de adesão e penetração de espermatozoides

Leia mais

EFICIÊNCIA COMPARATIVA ENTRE DOIS DILUIDORES PARA A CONGELAÇÃO DE SÊMEN BOVINO SOBRE OS PADRÕES DE MOTILIDADE E INTEGRIDADE DE MEMBRANA PLASMÁTICA

EFICIÊNCIA COMPARATIVA ENTRE DOIS DILUIDORES PARA A CONGELAÇÃO DE SÊMEN BOVINO SOBRE OS PADRÕES DE MOTILIDADE E INTEGRIDADE DE MEMBRANA PLASMÁTICA ARS VETERINARIA, Jaboticabal, SP, Vol. 22, nº3, 229-235, 2006. ISSN 0102-6380 EFICIÊNCIA COMPARATIVA ENTRE DOIS DILUIDORES PARA A CONGELAÇÃO DE SÊMEN BOVINO SOBRE OS PADRÕES DE MOTILIDADE E INTEGRIDADE

Leia mais

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET

TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET TRATAMENTO DE ÁGUA: SISTEMA FILTRO LENTO ACOPLADO A UM CANAL DE GARAFFAS PET Maick Sousa Almeida (1); Anderson Oliveira de Sousa (1); Ana Paula Araújo Almeida (2) (1) Universidade Estadual da Paraíba;

Leia mais

Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores

Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores 102 http://dx.doi.org/10.4322/rbcv.2015.239 Teste de avaliação in vitro e criopreservação do sêmen de cão utilizando diferentes diluidores In vitro evaluation test and dog semen's freeze with different

Leia mais

Separação de misturas

Separação de misturas Separação de misturas Misturas Heterogêneas Sólido + Sólido Catação A catação é um tipo de separação manual de sistemas do tipo "sólidosólido". As substâncias são separadas manualmente e pode utilizar

Leia mais

REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA RESUMO

REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA RESUMO REGRESSÃO LINEAR ENTRE TEMPERATURA E DENSIDADE DA GASOLINA Maderson Alves Ferreira Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR madersonalvesferreira@hotmail.com Rosangela A. B. Assumpção Universidade

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO EM MEIO DILUENTE À BASE DE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-102c)

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO EM MEIO DILUENTE À BASE DE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-102c) DOI: 10.1590/1809-6891v15i327834 CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO EM MEIO DILUENTE À BASE DE ÁGUA DE COCO EM PÓ (ACP-102c) JOSÉ MAURÍCIO MACIEL CAVALCANTE 1, OSCAR OLIVEIRA BRASIL 2, CRISTIANE CLEMENTE DE

Leia mais

INSTITUTO DE ZOOTECNIA

INSTITUTO DE ZOOTECNIA UFRRJ INSTITUTO DE ZOOTECNIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA Dissertação Efeito do Plasma Seminal e da Concentração de Gema de Ovo na Criopreservação de Sêmen Caprino Valéria da Silva Ferreira 2013

Leia mais

MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO)

MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO) MF-0427.R-2 - MÉTODO DE DETERMINAÇÃO DE FÓSFORO TOTAL (DIGESTÃO COM HNO 3 + HClO 4 E REAÇÃO COM MOLIBDATO DE AMÔNIO E ÁCIDO ASCÓRBICO) Notas: Aprovado pela Deliberação CECA nº 0424, de 24 de fevereiro

Leia mais

BANHO DE CROMO BRILHANTE

BANHO DE CROMO BRILHANTE Rev. 004 Data: 06/11/14 Página 1 1 DESCRIÇÃO O PROCESSO CROMO DECORATIVO foi especialmente formulado para operar com baixa concentração e baixa temperatura, obtendo assim uma ótima penetração. O PROCESSO

Leia mais

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão?

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão? CUIDADOS NO MANUSEIO DO SÊMEN CONGELADO O manuseio adequado do sêmen congelado é essencial para manter ótimos resultados nos programas de inseminação artificial, tanto no sêmen sexado como no sêmen convencional.

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Vitalipid N Infantil, associação, emulsão injectável Retinol, ergocalciferol, alfatocoferol, fitomenadiona Leia atentamente este folheto antes de utilizar

Leia mais

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos

Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Título do Case: O impacto do layout na agilidade dos processos Categoria: Projetos Externos Temática: Segundo Setor Resumo: O presente case expõe a aplicabilidade de um projeto externo que desafia as acomodações

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 ANÁLISE DE PROTOCOLOS DE INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO COM SÊMEN DESCONGELADO DILUÍDO E NÃO DILUÍDO EM ÉGUAS MANGALARGA MARCHADOR PAULA GOMES RODRIGUES 1, MARINA BOTTREL REIS NOGUEIRA 2, RENATO CAMPOS ANDRADE

Leia mais

Professores: Alinne Borges Tiago Albuquerque Sandro Sobreira Josiane. Exercícios Substâncias puras e misturas. Métodos de separação. Vídeos.

Professores: Alinne Borges Tiago Albuquerque Sandro Sobreira Josiane. Exercícios Substâncias puras e misturas. Métodos de separação. Vídeos. Professores: Alinne Borges Tiago Albuquerque Sandro Sobreira Josiane Exercícios Substâncias puras e misturas Métodos de separação Vídeos Gabaritos Pesquise Momento Sheldon Substância pura Substância pura

Leia mais

QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO

QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO QUÍMICA TAISSA LUKJANENKO SUBSTÂNCIA PURA MISTURA ESTUDO DAS SUBSTÂNCIAS E MISTURAS SUBSTÂNCIA: material formado por moléculas quimicamente iguais. Substância simples: é constituída de uma molécula formada

Leia mais

Manual Técnico de Processamento de Sêmen para Inseminação Artificial

Manual Técnico de Processamento de Sêmen para Inseminação Artificial Manual Técnico de Processamento de Sêmen para Inseminação Artificial 1 Introdução A Inseminação Artificial (IA) é hoje em dia o método utilizado pela generalidade dos suinicultores, pois, permite fazer

Leia mais

Unidade 1. jcmorais 09

Unidade 1. jcmorais 09 Unidade 1 jcmorais 09 Actualmente possuímos conhecimentos e técnicas capazes de controlar a fertilidade, de modo a: Diminuir a fertilidade humana Aumentar a fertilidade humana Contracepção e métodos contraceptivos

Leia mais

ABATE DE SUÍNOS. Figura 1. Abate suíno no Brasil e em São Paulo (ABIPECS, 2006)

ABATE DE SUÍNOS. Figura 1. Abate suíno no Brasil e em São Paulo (ABIPECS, 2006) ABATE DE SUÍNOS Katiani Silva Venturini 1 (e-mail: katiani_sv@hotmail.com.) Miryelle Freire Sarcinelli 1 (e-mail: miryelle@hotmail.com.) Luís César da Silva 2 (website: www.agais.com) 1. INTRODUÇÃO A carne

Leia mais

BRUNA DE VITA BIOTECNOLOGIA E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL COM SÊMEN CONGELADO EQÜINO

BRUNA DE VITA BIOTECNOLOGIA E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL COM SÊMEN CONGELADO EQÜINO BRUNA DE VITA BIOTECNOLOGIA E INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL COM SÊMEN CONGELADO EQÜINO Monografia apresentada à disciplina seminário em Reprodução Animal I do programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária,

Leia mais

ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE

ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE ESPERMOGRAMA e BANCO DE SÊMEN BS-HIAE ESPERMOGRAMA! COLETA DO SÊMEN! ANÁLISE MACROSCÓPICA! ANÁLISE MICROSCÓPICA! ANÁLISE DA VITALIDADE! ANÁLISE MORFOLÓGICA! ANÁLISE DAS CÉLULAS REDONDAS! ANÁLISE BIOQUÍMICA!

Leia mais

Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Introdução Transporte dos epidídimos

Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Introdução Transporte dos epidídimos Como colher e congelar sêmen de epidídimo de reprodutores terminais ou mortos Cely Marini Melo, Frederico Ozanam Papa, Marco Antônio Alvarenga Departamento de Reprodução Animal e Radiologia Veterinária,

Leia mais

Estado. Observado. Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos. Médio

Estado. Observado. Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos. Médio Estado Médio Observado Estrutura strutura da Salinidade alinidade dos Oceanosceanos Introdução O entendimento dos fluxos de calor e água doce é fundamental para a compreensão da distribuição de temperatura

Leia mais

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café

Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Efeitos da adubação nitrogenada de liberação lenta sobre a qualidade de mudas de café Gabriel Avelar LAGE 1 ; Sheila Isabel do Carmo PINTO²; Iul Brinner Expedito de SOUZA³; Marcus Vinicius SANTOS 3 ; Guilherme

Leia mais

NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO

NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO NÍVEIS DE SUBSTITUIÇÃO DO MILHO POR MILHETO NA DIETA DE NOVILHOS DE DIFERENTES GRUPOS GENÉTICOS TERMINADOS EM CONFINAMENTO Alexey Heronville G. da SILVA João RESTLE Juliano José R. FERNADES Ubirajara Oliveira

Leia mais

Criopreservação de sêmen. Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta

Criopreservação de sêmen. Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta Criopreservação de sêmen Dr: Ribrio Ivan T.P. Ba1sta Sumário 1. Introdução 2. Criopreservação de sêmen 3. Efeito da criopreservação 1. No metabolismo dos espermatozoides 2. Na ultra- estrutura dos espermatozoides

Leia mais

Acta Veterinaria Brasilica, v.6, n.2, p.112-117, 2012

Acta Veterinaria Brasilica, v.6, n.2, p.112-117, 2012 CONGELAÇÃO DE ESPERMATOZOIDES EPIDIDIMÁRIOS DE GATOS UTILIZANDO O DILUIDOR BOTU-CRIO APÓS REFRIGERAÇÃO POR 24 h EM CONTÊINER DE TRANSPORTE DE SÊMEN BOTU-TAINER [Cryopreservation of feline epididymal sperm

Leia mais

Caminho da comida. Introdução. Materiais Necessários

Caminho da comida. Introdução. Materiais Necessários Intro 01 Introdução Os platelmintos são vermes achatados interessantes e semelhantes aos seres humanos em alguns aspectos. Um deles é a presença do sistema digestório. Mas, diferente do nosso, o sistema

Leia mais

STV 8 SET 2008 2. uma polaridade de sincronismo negativa, com os pulsos de sincronismo na posição para baixo, como mostrado na figura abaixo

STV 8 SET 2008 2. uma polaridade de sincronismo negativa, com os pulsos de sincronismo na posição para baixo, como mostrado na figura abaixo STV 8 SET 2008 1 ANÁLISE DOS SINAIS DE VÍDEO as três partes do sinal composto de vídeo, ilustradas na figura abaixo, são: 1 o sinal da câmera correspondendo às variações de luz na cena 2 os pulsos de sincronismo

Leia mais

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon

Metodologias de PETI. Prof. Marlon Marcon Metodologias de PETI Prof. Marlon Marcon PETI O PETI é composto de: Planejamento Estratégico da organização, que combina os objetivos e recursos da organização com seus mercados em processo de transformação

Leia mais

SurTec 872 Processo de Cromo Decorativo

SurTec 872 Processo de Cromo Decorativo SurTec 872 Processo de Cromo Decorativo 1- DESCRIÇÃO O SurTec 872 é uma mistura de catalisadores e ácido crômico desenvolvido especialmente, para um processo de cromação decorativa de alto desempenho.

Leia mais

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714

Análise Termográfica RELATÓRIO TÉCNICO 0714 ANÁLISE TERMOGRÁFICA DAE - Santa Barbara D'Oeste DAE 1. OBJETIVO Apresentar ao DAE a Inspeção Termográfica realizada nos equipamentos de suas unidades em Santa Barbara d'oeste 2. INSTRUMENTAÇÃO UTILIZADA

Leia mais

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL

AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL AVALIAÇÃO DE UM TANQUE DE DECANTAÇÃO DE SÓLIDOS UTILIZANDO FLUIDODINÂMICA COMPUTACIONAL E. F. S. PEREIRA e L. M. N de Gois Universidade Federal da Bahia, Escola Politécnica, Departamento de Engenharia

Leia mais

QUÍMICA (2ºBimestre 1ºano)

QUÍMICA (2ºBimestre 1ºano) QUÍMICA (2ºBimestre 1ºano) TABELA PERIÓDICA ATUAL Exemplo: Se o K (potássio) encontra-se no 4º período ele possui 4 camadas. Nº atômico = Z 19 K-2; L-8, M-8; N-1 Propriedades gerais dos elementos Metais:

Leia mais

TECNOBIO BIOPROCESSOS AMBIENTAIS PROGRAMA DE TRATAMENTO E MONITORAMENTO DA AREIA DA PRAIA Histórico Os microorganismos representam um componente significativo da areia de praia (NESTOR et al, 1984; CODINACHS

Leia mais

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA

GUIA DE DIGITALIZAÇÃO ÓTIMA Condições para obter os melhores resultados de digitalização O processo de digitalização é afetado por fatores ambientais, pela configuração e calibração do digitalizador, bem como pelo objeto a digitalizar.

Leia mais

Fundamentos de Programação. Diagrama de blocos

Fundamentos de Programação. Diagrama de blocos Fundamentos de Programação Diagrama de blocos Prof. M.Sc.: João Paulo Q. dos Santos E-mail: joao.queiroz@ifrn.edu.br Página: http://docente.ifrn.edu.br/joaoqueiroz/ O processo de desenvolvimento (programação),

Leia mais

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO

CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO Ciência Animal, 17(2):75-82,2007 CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN CAPRINO: EFEITO DA CURVA DE RESFRIAMENTO E DO TEMPO DE EQUILÍBRIO (Cryopreservation of goat semen: the effect of freezing rate and equilibration

Leia mais

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA ZANATTA, Guilherme Machado 1 ; SCHEEREN, Verônica Flores da Cunha 2 ; ARAUJO, Laurence Boligon de 3; PESSOA, Gilson Antônio 4 ; RUBIN, Mara

Leia mais

Figuras 3 e 4-Chuva Média e observada para o mês de fevereiro, respectivamente

Figuras 3 e 4-Chuva Média e observada para o mês de fevereiro, respectivamente ANÁLISE E PREVISÃO CLIMÁTICA PARA O SEMIÁRIDO E LITORAL LESTE DO RIO GRANDE DO NORTE No monitoramento das chuvas que ocorrem sobre o Estado do Rio Grande do Norte é observado que durante o mês de Janeiro

Leia mais

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO

Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Veracel Celulose S/A Programa de Monitoramento Hidrológico em Microbacias Período: 2006 a 2009 RESUMO EXECUTIVO Alcançar e manter índices ótimos de produtividade florestal é o objetivo principal do manejo

Leia mais

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug

MATEMÁTICA. Professor Diego Viug MATEMÁTICA Professor Diego Viug PORCENTAGEM QUESTÃO 1 Os dados do gráfico foram coletados por meio da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios. Supondo-se que, no Sudeste, 14900 estudantes foram entrevistados

Leia mais

ANÁLISES CLÍNICAS. conhecimento que trabalha com o estudo de. alguma substância de forma a coletar dados e

ANÁLISES CLÍNICAS. conhecimento que trabalha com o estudo de. alguma substância de forma a coletar dados e ANÁLISES CLÍNICAS ANÁLISES CLÍNICAS A análise clínica é o ramo de conhecimento que trabalha com o estudo de alguma substância de forma a coletar dados e apontar diagnósticos a respeito da saúde do paciente.

Leia mais

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS Orivaldo Rodrigues de Oliveira 1 ; Francisca Elda Ferreira Dias 2 ; Andréa Azevedo Pires de Castro 3. 1 Aluno do

Leia mais

AVANÇOS NA CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO I: DILUIDORES E CRIOPROTETORES

AVANÇOS NA CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO I: DILUIDORES E CRIOPROTETORES DOI: 10.5216/cab.v14i4.22964 AVANÇOS NA CRIOPRESERVAÇÃO DO SÊMEN OVINO I: DILUIDORES E CRIOPROTETORES RODRIGO FREITAS BITTENCOURT 1, EUNICE OBA 2, ANTÔNIO DE LISBOA RIBEIRO FILHO 1, MARCOS CHALHOUB 1,

Leia mais

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL

O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL O ESTILO DE VIDA E A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA DOS FUNCIONÁRIOS DA REITORIA / UFAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL ANDRÉA BENTO DOS SANTOS¹ CASSIO HARTMANN² (1)GRADUADA EM EDUCAÇÃO FÍSICA

Leia mais

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM EQUINOS: sêmen fresco, diluído, resfriado e transportado

INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM EQUINOS: sêmen fresco, diluído, resfriado e transportado INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM EQUINOS: sêmen fresco, diluído, resfriado e transportado Artificial insemination in equines: diluted, cooled and transported race semen Igor Frederico Canisso a, Fernando Andrade

Leia mais

Processamento do azeite

Processamento do azeite Processamento Geral dos Alimentos Processamento do azeite Trabalho realizado por: Vanessa Ferraz 20090165 Ano lectivo 2009/2010 Objectivo do trabalho: Com a realização deste trabalho pretende-se fazer

Leia mais

Circuitos de Comunicação. Prática 1: PWM

Circuitos de Comunicação. Prática 1: PWM Circuitos de Comunicação Prática 1: PWM Professor: Hélio Magalhães Grupo: Geraldo Gomes, Paulo José Nunes Recife, 04 de Maio de 2014 SUMÁRIO Resumo 3 Parte I PWM - Teoria 3 Geração do PWM 5 Parte II Prática

Leia mais

Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência*

Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência* Viabilidade espermática de sêmen congelado de suínos da raça Piau avaliada pelo teste de termorresistência* Maurício Hoshino da Costa Barros 1, Hugo Hideki Shiomi 2+, Lincoln da Silva Amorim 3, Simone

Leia mais

USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO

USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO ARS VETERINARIA, 16(3):204-209, 2000. 204 USO DE SONDAS FLUORESCENTES PARA AVALIAÇÃO DA INTEGRIDADE DA MEMBRANA PLASMÁTICA DE ESPERMATOZÓIDES OVINOS ANTES E APÓS CONGELAÇÃO (USE OF FLUORESCENT PROBES TO

Leia mais

Aspectos críticos da congelação do sêmen caprino

Aspectos críticos da congelação do sêmen caprino Rev Bras Reprod Anim Supl, Belo Horizonte, n.6, p.42-49, dez. 2009. Disponível em www.cbra.org.br. Aspectos críticos da congelação do sêmen caprino Critic aspects of the goat semen cryopresevation Maria

Leia mais

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran

Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Estudo sobre a dependência espacial da dengue em Salvador no ano de 2002: Uma aplicação do Índice de Moran Camila Gomes de Souza Andrade 1 Denise Nunes Viola 2 Alexandro Teles de Oliveira 2 Florisneide

Leia mais

JAIME CARLOS KREUTZ. Exmo. Senhor Secretário,

JAIME CARLOS KREUTZ. Exmo. Senhor Secretário, PROCESSO Nº : 18.281-8/2012 PRINCIPAL : SECRETARIA DE ESTADO DE ADMINISTRAÇÃO ASSUNTO : ANÁLISE DA DEFESA - DENÚNCIA Nº 18281-8/2012 GESTOR : CESAR ROBERTO ZÍLIO RELATOR : VALTER ALBANO DA SILVA EDMAR

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Probabilidade e Estatística TESTES DE HIPÓTESES (ou Testes de Significância) Estimação e Teste de Hipóteses Estimação e teste de hipóteses (ou significância) são os aspectos principais da Inferência Estatística

Leia mais

Comparação entre duas concentrações de glicerol para a criopreservação de sêmen de suçuarana (Puma concolor) 1

Comparação entre duas concentrações de glicerol para a criopreservação de sêmen de suçuarana (Puma concolor) 1 Comparação entre duas concentrações de glicerol para a criopreservação de sêmen de suçuarana (Puma concolor) 1 Thyara de Deco-Souza 2, Tarcizio A.R. de Paula 2 *, Deiler Sampaio Costa 3, Eduardo Paulino

Leia mais

Ao ligar, o equipamento solicita o teste do alto falante SEGURANÇA. Esta é a tela em que você tem a opção de apagar a programação existente, que

Ao ligar, o equipamento solicita o teste do alto falante SEGURANÇA. Esta é a tela em que você tem a opção de apagar a programação existente, que G U I A Colleague Ao ligar, o equipamento solicita o teste do alto falante SEGURANÇA. Esta é a tela em que você tem a opção de apagar a programação existente, que permanece na memória do equipamento por

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI)

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) 1 EDITAL DE SELEÇÃO PARA MESTRADO 2016 PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (UNIFEI) O Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) da Universidade Federal

Leia mais

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA

EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA EFEITO DO PRODUTO DIFLY S3 NO CONTROLE DO CARRAPATO BOOPHILUS MICROPLUS EM BOVINOS DA RAÇA GIR, MESTIÇA E HOLANDESA Cláudia Santos Silva (1), Américo Iorio Ciociola Júnor (2), José Mauro Valente Paes (2),

Leia mais

IV Seminário de Iniciação Científica

IV Seminário de Iniciação Científica 385 AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO E DO MÓDULO DE ELASTICIDADE DO CONCRETO QUANDO SUBMETIDO A CARREGAMENTO PERMANENTE DE LONGA DURAÇÃO (Dt = 9 dias) Wilson Ferreira Cândido 1,5 ;Reynaldo Machado

Leia mais

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios

Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios Comandos de Eletropneumática Exercícios Comentados para Elaboração, Montagem e Ensaios O Método Intuitivo de elaboração de circuitos: As técnicas de elaboração de circuitos eletropneumáticos fazem parte

Leia mais

Pressuposições à ANOVA

Pressuposições à ANOVA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS DE JI-PARANÁ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AMBIENTAL Estatística II Aula do dia 09.11.010 A análise de variância de um experimento inteiramente ao acaso exige que sejam

Leia mais

Final. Prova Teórica. Questão a) b) c) d) e) f) g) h) Classificação teórica (60%) Classificação prática (40%) Classificação final

Final. Prova Teórica. Questão a) b) c) d) e) f) g) h) Classificação teórica (60%) Classificação prática (40%) Classificação final 3-maio-2014 Final Prova Teórica Nome:.... Escola:....... Questão a) b) c) d) e) f) g) h) Cotação 5 7,5 7,5 5 10 8 8 9 Cotação Classificação teórica (60%) Classificação prática (40%) Classificação final

Leia mais

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000.

Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Lei nº 9.991 de 24 de julho de 2000. Estabelece que as concessionárias de Serviços públicos de Distribuição, Transmissão ou Geração de energia elétrica, devem aplicar, anualmente, um percentual mínimo

Leia mais

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos

Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Análise Qualitativa no Gerenciamento de Riscos de Projetos Olá Gerente de Projeto. Nos artigos anteriores descrevemos um breve histórico sobre a história e contextualização dos riscos, tanto na vida real

Leia mais

Rev Bras Reprod Anim Supl, Belo Horizonte, n.6, p.210-215, dez. 2009. Disponível em www.cbra.org.br.

Rev Bras Reprod Anim Supl, Belo Horizonte, n.6, p.210-215, dez. 2009. Disponível em www.cbra.org.br. Rev Bras Reprod Anim Supl, Belo Horizonte, n.6, p.210-215, dez. 2009. Disponível em www.cbra.org.br. Problemas e soluções com o uso de sêmen congelado e refrigerado de garanhões da raça Mangalarga Marchador

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias para o processo de inventário em um estoque, filial ou loja no APLWeb.

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias para o processo de inventário em um estoque, filial ou loja no APLWeb. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP Nº 1511.0009 DIRECTA SISTEMAS INTELIGENTES SISTEMA APLWEB DEPARTAMENTO(S) ESTOQUE/EXPEDIÇÂO/ALMOXARIFADO/LOJAS MÓDULO/MENU PRODUTOS/SERVIÇOS Versão do Documento Nº

Leia mais