CARTAS NÁUTICAS E POSICIONAMENTO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CARTAS NÁUTICAS E POSICIONAMENTO"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO OCEANOGRÁFICO GRADUAÇÃO EM OCEANOGRAFIA DISCIPLINA : CARTAS NÁUTICAS E POSICIONAMENTO 16/MAI/2008 CT FERNANDO DE OLIVEIRA MARIN

2 FOTO TIRADA DA APOLLO 17 EM

3 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 4. CARTOGRAFIA 5. POSICIONAMENTO 6. DISTÂNCIA E DIREÇÃO NO MAR 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS 3

4 1. INTRODUÇÃO 1.1. DEFINIÇÕES BÁSICAS CARTOGRAFIA TOPOGRAFIA GEODÉSIA POSICIONAMENTO CARTA NÁUTICA NAVEGAÇÃO MARÍTIMA 1.2. IMPORTÂNCIA DO POSICIONAMENTO E DA CARTA NÁUTICA PARA A OCEANOGRAFIA 4

5 1. INTRODUÇÃO 1.1 DEFINIÇÕES BÁSICAS CARTOGRAFIA: CIÊNCIA VOLTADA PARA ELABORAÇÃO DE MAPAS, CARTAS E OUTRAS FORMAS DE EXPRESSÃO OU REPRESENTAÇÃO DE OBJETOS, ELEMENTOS, FENÔMENOS E AMBIENTES FÍSICOS E SOCIOECONÔMICOS. TOPOGRAFIA: (PEQUENAS PORÇÕES DA SUPERFÍCIE DA TERRA) CIÊNCIA QUE DESCREVE, DE MANEIRA PRECISA, A FORMA, AS DIMENSÕES E A LOCALIZAÇÃO DE UMA DETERMINADA PORÇÃO DA SUPERFÍCIE DA TERRA, DESCONSIDERANDO A CURVATURA DA TERRA. GEODÉSIA: (GRANDES PORÇÕES DA SUPERFÍCIE DA TERRA) CIÊNCIA QUE ESTUDA A FORMA E AS DIMENSÕES DA TERRA, BEM COMO O SEU CAMPO GRAVITACIONAL EXTERNO. A TOPOGRAFIA É UM CASO PARTICULAR DA GEODÉSIA 5

6 1. INTRODUÇÃO 1.1 DEFINIÇÕES BÁSICAS (cont.) POSICIONAMENTO: LOCALIZAÇÃO DE UM PONTO EM RELAÇÃO A UM SISTEMA DE REFERÊNCIA (SISTEMA DE COORDENADAS). EX: COORDENADAS CARTESIANAS OBS: O SISTEMA DE COORDENADAS PLANAS É NATURALMENTE USADO PARA A REPRESENTAÇÃO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NUM PLANO, CONFUNDINDO-SE COM O SISTEMA DE COORDENADAS DE PROJEÇÃO 6

7 1. INTRODUÇÃO 1.1 DEFINIÇÕES BÁSICAS (cont.) POSICIONAMENTO NA SUPERFÍCIE TERRESTRE: COORDENADAS ESFÉRICAS COORDENADAS GEOGRÁFICAS 7

8 1. INTRODUÇÃO 1.1 DEFINIÇÕES BÁSICAS (cont.) CARTA: PLANO REPRESENTATIVO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE, QUE PERMITE MEDIÇÕES PRECISAS DE DISTÂNCIAS E DIREÇÕES. CARTA NÁUTICA: CARTA DESTINADA À NAVEGAÇÃO MARÍTIMA. 8

9 1. INTRODUÇÃO 1.1 DEFINIÇÕES BÁSICAS (cont.) NAVEGAÇÃO MARÍTIMA: É A CIÊNCIA E A ARTE DE CONDUZIR, COM SEGURANÇA, UM NAVIO (OU EMBARCAÇÃO) DE UM PONTO A OUTRO DA SUPERFÍCIE DA TERRA. 9

10 1. INTRODUÇÃO 1.2. IMPORTÂNCIA DO POSICIONAMENTO E DA CARTA NÁUTICA PARA A OCEANOGRAFIA POSICIONAMENTO: TODA PESQUISA OCEANOGRÁFICA NECESSITA QUE SE CONHEÇA, COM PRECISÃO, AS POSIÇÕES DOS PONTOS ONDE ESTÃO SENDO COLETADOS OS DADOS. CARTA NÁUTICA: FUNDAMENTAL PARA O PLANO DE CRUZEIRO (SURVEY DESIGN); PROJEÇÃO COMUMENTE USADA: PROJEÇÃO DE MERCATOR (DESENVOLVIDA NO SÉCULO XVI). 10

11 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA 2.2. ELIPSÓIDE 2.3. ESFERÓIDES 2.4. ESFERÓIDE OBLATO 2.5. GEOPE / GEÓIDE 2.6. ONDULAÇÃO DO GEÓIDE 2.7. DESVIO DA VERTICAL 2.8. FORMA REAL 2.9. SISTEMAS GEODÉSICOS 11

12 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA ERA ESFÉRICA PITÁGORAS (528 AC) ARISTÓTELES ( A.C.) ERATÓSTENES ( AC) GALILEU ( ) 12

13 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA ERA ELIPSOIDAL NEWTON (1687) 13

14 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA ERA GEOIDAL J. B. LISTINGS (1873) LANÇAMENTO DO SPUTNIK (1957) 14

15 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.1. EVOLUÇÃO HISTÓRICA (cont.) 15

16 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.2. ELIPSÓIDE EQUAÇÃO PADRÃO DO ELIPSÓIDE: a, b e c SÃO OS SEMI-EIXOS DAS TRÊS ELIPSES OBTIDAS NO CORTE DO ELIPSÓIDE PELOS PLANOS COORDENADOS z = 0, y = 0 E x = 0, RESPECTIVAMENTE: 16

17 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.3. ESFERÓIDES QUANDO PELO MENOS DOIS DOS TRÊS SEMI-EIXOS DO ELIPSÓIDE SÃO IGUAIS: ESFERÓIDE PROLATO (a=b<c) ESFERÓIDE OBLATO (a=b>c) QUANDO a = b = c, TEMOS A ESFERA. 17

18 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.4. ESFERÓIDE OBLATO a = SEMI-EIXO MAIOR = RAIO EQUATORIAL b = SEMI-EIXO MENOR = RAIO POLAR f = (a-b)/a = ACHATAMENTO 1/f = a/(a-b)

19 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.5. GEOPE / GEÓIDE GEOPE: SUPERFÍCIE EQUIPOTENCIAL DO CAMPO GRAVITACIONAL TERRESTRE GEÓIDE: É O GEOPE QUE MAIS SE APROXÍMA DO NÍVEL MÉDIO DOS OCEANOS. ACELERAÇÃO GRAVITACIONAL É SEMPRE PERPENDICULAR À SUPERFÍCIE GEOIDAL A ADOÇÃO DO GEÓIDE COMO SUPERFÍCIE MATEMÁTICA DE REFERÊNCIA ESBARRA NO CONHECIMENTO LIMITADO DO CAMPO DE GRAVITACIONAL TERRESTRE. h = altitude geométrica H = altitude ortométrica N = ondulação do geóide 19

20 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.6. ONDULAÇÃO DO GEÓIDE 20

21 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.7. DESVIO DA VERTICAL 21

22 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.8. FORMA REAL ESFERA COM OS PÓLOS ACHATADOS. (O ESFERÓIDE OBLATO É O MODELO MATEMÁTICO QUE MELHOR REPRESENTA A TERRA). A FORÇA CENTRÍFUGA (ROTAÇÃO DA TERRA) É RESPONSÁVEL POR ESSE ACHATAMENTO. A SUPERFÍCIE TERRESTRE É BASTANTE IRREGULAR (DISTRIBUIÇÃO NÃOHOMOGÊNEA DE DENSIDADE). GEÓIDE: MODELO QUE MAIS SE APROXIMA DA SUA FORMA REAL (FICTÍCIO). SISTEMAS GEODÉSICOS DE REFERÊNCIA (SGR): ANTES DA ERA ESPACIAL: ELIPSÓIDES NÃO-GEOCÊNTRICOS (HAYFORD) A PARTIR DA ERA ESPACIAL: ELIPSÓIDES GEOCÊNTRICOS (WGS-84) 22

23 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.9. SISTEMAS GEODÉSICOS SISTEMAS GEODÉSICOS DE REFERÊNCIA (SGR): SISTEMAS GEODÉSICOS CLÁSSICOS (ELIPSOIDE NÃO-GEOCÊNTRICO) SISTEMAS GEODÉSICOS MODERNOS (ELIPSÓIDE GEOCÊNTRICO) O SISTEMA GPS UTILIZA O WORLD GEODETIC SYSTEM 1984 (WGS84) COMO SGR. O IBGE É O ÓRGÃO GESTOR DO SISTEMA GEODÉSICO BRASILEIRO (SGB) SISTEMAS GEODÉSICOS DE REFERÊNCIA ADOTADOS NO BRASIL: 23

24 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.9. SISTEMAS GEODÉSICOS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA CÓRREGO ALEGRE 24

25 2. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 2.9. SISTEMAS GEODÉSICOS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA SAD69 25

26 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.1. CÍRCULOS MÁXIMOS 3.2. PARALELOS E MERIDIANOS 3.3. COORDENADAS GEOGRÁFICAS 3.4. COORDENADAS ELIPSOIDAIS 26

27 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.1. CÍRCULOS MÁXIMOS TODA SEÇÃO PLANA DE UMA ESFÉRA É UM CÍRCULO. SE O PLANO SECANTE PASSA PELO CENTRO DA ESFERA, TEMOS COMO SEÇÃO UM CÍRCULO MÁXIMO DA ESFERA. 27

28 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.2. PARALELOS E MERIDIANOS PARALELOS MERIDIANOS 28

29 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.2. PARALELOS E MERIDIANOS (cont.) 29

30 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.3. COORDENADAS GEOGRÁFICAS 30

31 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.3. COORDENADAS GEOGRÁFICAS (cont.) 31

32 3. SISTEMAS DE COORDENADAS 3.4. COORDENADAS ELIPSOIDAIS 32

33 4.CARTOGRAFIA 4.1. PRINCIPAIS CONCEITOS ESCALA ESCALA NUMÉRICA ESCALA GRÁFICA PRECISÃO GRÁFICA 4.2. MAPA X CARTA 4.3. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS 4.4. PROJEÇÕES MAIS UTILIZADAS 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA 33

34 4.CARTOGRAFIA 4.1. PRINCIPAIS CONCEITOS ESCALA: RAZÃO ENTRE O COMPRIMENTO LINEAR GRÁFICO E O COMPRIMENTO LINEAR REAL E=l/L=1/M l = COMPRIMENTO LINEAR GRÁFICO L = COMPRIMENTO LINEAR REAL M = TÍTULO OU MÓDULO DA ESCALA 34

35 4.CARTOGRAFIA 4.1. PRINCIPAIS CONCEITOS ESCALA NUMÉRICA: EX: 1: OU 1/ ESCALA NOMINAL: EX: 1 cm = 10 km ESCALA NATURAL DA CARTA DE MERCATOR: EM UMA CARTA DE MERCATOR A ESCALA DE LONGITUDES É CONSTANTE, ENQUANTO A ESCALA DE LATITUDES VARIA, EM VIRTUDE DAS LATITUDES CRESCIDAS. A ESCALA NATURAL INDICADA DA CARTA DE MERCATOR É A ESCALA PARA UM DETERMINADO PARALELO, NORMALMENTE O PARALELO MÉDIO (LATITUDE MÉDIA) DA ÁREA ABRANGIDA, SIGNIFICANDO QUE ESTE É O ÚNICO PARALELO REPRESENTADO SEM DEFORMAÇÕES DE ESCALA. 35

36 4.CARTOGRAFIA 4.1. PRINCIPAIS CONCEITOS ESCALA GRÁFICA: REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DE UMA ESCALA NOMINAL OU NUMÉRICA 36

37 4.CARTOGRAFIA 4.1. PRINCIPAIS CONCEITOS PRECISÃO GRÁFICA: PRECISÃO GRÁFICA DE UMA ESCALA É A MENOR DIMENSÃO GRÁFICA PERCEBIDA PELA VISTA HUMANA (ABNT 0,0002 m 0,2 mm) ERRO ADMISSÍVEL NAS MEDIÇÕES: ONDE M É O DENOMINADOR DA ESCALA: EX: E = 1/5000, ea = 0,0002 x M E=l/L=1/M ea = 0,002 X 5000 = 1,00 m 37

38 4.CARTOGRAFIA 4.2. MAPA X CARTA MAPA: "REPRESENTAÇÃO GRÁFICA, EM GERAL UMA SUPERFÍCIE PLANA E NUMA DETERMINADA ESCALA, COM A REPRESENTAÇÃO DE ACIDENTES FÍSICOS E CULTURAIS DA SUPERFÍCIE DA TERRA, OU DE UM PLANETA OU SATÉLITE"; CARTA: "REPRESENTAÇÃO DOS ASPECTOS NATURAIS E ARTIFICIAIS DA TERRA, DESTINADA A FINS PRÁTICOS DA ATIVIDADE HUMANA, PERMITINDO A AVALIAÇÃO PRECISA DE DISTÂNCIAS, DIREÇÕES E A LOCALIZAÇÃO PLANA, GERALMENTE EM MÉDIA OU GRANDE ESCALA, DE UMA SUPERFÍCIE DA TERRA, SUBDIVIDIDA EM FOLHAS, DE FORMA SISTEMÁTICA, OBEDECIDO UM PLANO NACIONAL OU INTERNACIONAL" 38

39 4.CARTOGRAFIA 4.3.PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS QUANTO AO MÉTODO: GEOMÉTRICAS BASEIAM-SE EM PRINCÍPIOS GEOMÉTRICOS PROJETIVOS ANALÍTICAS SÃO AQUELAS QUE PERDERAM O SENTIDO GEOMÉTRICO PROPRIAMENTE DITO, EM CONSEQÜÊNCIA DA INTRODUÇÃO DE LEIS MATEMÁTICAS, VISANDO-SE CONSEGUIR DETERMINADAS PROPRIEDADES. CONVENCIONAIS BASEIAM-SE EM PRINCÍPIOS ARBITRÁRIOS, PURAMENTE CONVENCIONAIS, EM FUNÇÃO DOS QUAIS SE ESTABELECEM SUAS EXPRESSÕES MATEMÁTICAS 39

40 4.CARTOGRAFIA 4.3.PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS QUANTO À SITUAÇÃO DO PONTO DE VISTA: 40

41 4.CARTOGRAFIA 4.3. PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS QUANTO À SUPERFÍCIE DE PROJEÇÃO: 41

42 4.CARTOGRAFIA 4.3.PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS QUANTO ÀS PROPRIEDADES QUE CONSERVAM: EQÜIDISTANTES: NÃO APRESENTAM DEFORMAÇÕES LINEARES. A CONDIÇÃO DE EQÜIDISTÂNCIA SÓ É OBTIDA EM UMA DIREÇÃO: MERIDIANAS, TRANSVERSAIS E AZIMUTAIS. EQUIVALENTES: NÃO DEFORMAM ÁREAS CONFORMES: NÃO DEFORMAM ÂNGULOS E NÃO DISTORCEM A FORMA DE PEQUENAS ÁREAS. AFILÁTICAS: OS COMPRIMENTOS, AS ÁREAS E OS ÂNGULOS NÃO SÃO CONSERVADOS. 42

43 4.CARTOGRAFIA 4.3.PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS QUANTO À SITUAÇÃO DA SUPERFÍCIE DE REVOLUÇÃO 43

44 44

45 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR 45

46 4. REPRESENTAÇÃO DA TERRA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR 46

47 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR PROJEÇÃO CARTOGRÁFICA DE 1569; CRIADA PELO CARTÓGRAFO E MATEMÁTICO HOLANDÊS GERARD DE CREMER (LATINIZADO GERARDUS MERCATOR = MERCADOR); É UMA PROJEÇÃO CILÍNDRICA, CONFORME E EQUATORIAL 47

48 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR VANTAGENS: MERIDIANOS E PARALELOS REPRESENTADOS POR LINHAS RETAS; FACILIDADE DE PLOTAGEM DE UM PONTO; OS ÂNGULOS MEDIDOS NA SUPERFÍCIE DA TERRA SÃO REPRESENTADOS POR ÂNGULOS IDÊNTICOS NA CARTA; FACILIDADE DE CONSTRUÇÃO. DESVANTAGENS: DEFORMAÇÃO EXCESSIVA NAS ALTAS LATITUDES; CÍRCULOS MÁXIMOS, EXCETO EQUADOR E MERIDIANOS, NÃO SÃO REPRESENTADOS POR LINHAS RETAS. 48

49 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR PROJEÇÃO CILÍNDRICA, EQUATORIAL E CONFORME 49

50 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR PROJEÇÃO CILÍNDRICA, EQUATORIAL E CONFORME 50

51 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR LATITUDE CRESCIDA (y) 51

52 4. CARTOGRAFIA 4.5. PROJEÇÃO DE MERCATOR CARACTERÍSTICAS DA PROJEÇÃO DE MERCATOR 52

53 4. CARTOGRAFIA 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA RETICULADO 53

54 4. CARTOGRAFIA 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA ESCALA 54

55 4. CARTOGRAFIA 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA TÍTULO DA CARTA 55

56 4. CARTOGRAFIA 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA INFORMAÇÕES SOBRE MARÉS 56

57 4. CARTOGRAFIA 4.6. PRINCIPAIS ELEMENTOS DA CARTA NÁUTICA ROSA DOS VENTOS 57

58 5. POSICIONAMENTO 5.1. MÉTODOS DE POSICIONAMENTO NO MAR POR PONTOS DE TERRA 5.2. POSICIONAMENTO ASTRONÔMICO 5.3. POSICIONAMENTO POR SISTEMAS DE NAVEGAÇÃO SATÉLITE GLOBAL 58

59 5. POSICIONAMENTO 5.1. MÉTODOS PARA DETERMINAÇÃO DA POSIÇÃO NO MAR POR PONTOS DE TERRA EXEMPLOS DE MÉTODOS: 2 MARCAÇÕES SIMULTÂNEAS; DISTÂNCIA E MARCAÇÃO DE UM MESMO PONTO; DISTÂNCIA DE UM PONTO E MARCAÇÃO DE UM OUTRO. 59

60 5. POSICIONAMENTO 5.2. POSICIONAMENTO ASTRONÔMICO ESFERA CELESTE 60

61 5. POSICIONAMENTO 5.2. POSICIONAMENTO ASTRONÔMICO 61

62 5. POSICIONAMENTO 5.3. POSICIONAMENTO POR SISTEMAS DE NAVEGAÇÃO SATÉLITE GLOBAL GPS (AMERICANO) Global Positioning System GLONASS (RUSSO) Global Navigation Satellite System GALILEO (EUROPEU) 62

63 5. POSICIONAMENTO 5.3. POSICIONAMENTO POR SISTEMAS DE NAVEGAÇÃO SATÉLITE GLOBAL GPS (Global Positioning System): 24 SATÉLITES; 6 PLANOS ORBITAIS (4 SATÉLITES EM CADA UM); ALTITUDE APROXIMADA DE km; CÓDIOGOS CA, P E Y; PORTADORAS L1 (CA E P) E L2 (P); SEGMENTO ESPACIAL; SEGMENTO DE CONTROLE. 63

64 SEGMENTO ESPACIAL DO GPS 64

65 SEGMENTO DE CONTROLE DO GPS 65

66 POSICIONAMENTO GPS POR PSEUDO-DISTÂNCIAS 66

67 6. DISTÂNCIA NO MAR MILHA NÁUTICA: ARCO DE 1 MINUTO DE EQUADOR (1 M = 1852 m) ORTODROMIA: É QUALQUER SEGMENTO DE UM CÍRCULO MÁXIMO DA ESFERA TERRESTRE. É A MENOR DISTÂNCIA ENTRE DOIS PONTOS NA SUPERFÍCIE DA TERRA. NA PROJEÇÃO DE MERCARTOR, A ORTODROMIA NÃO APARECE COMO LINHA RETA 67

68 6. DISTÂNCIA NO MAR LOXODROMIA: É A LINHA QUE INTERCEPTA OS MERIDIANOS COM ÂNGULO CONSTANTE 68

69 6. DISTÂNCIA NO MAR MEDIÇÃO DE DISTÂNCIA EM UMA CARTA DE MERCATOR: USAR A ESCALA DE LATITUDES NA ALTURA DA LATITUDE MÉDIA DO SEGMENTO A SER MEDIDO 69

70 DECLINAÇÃO MAGNÉTICA 70

71 DECLINAÇÃO MAGNÉTICA dmg W dmg E 71

72 DECLINAÇÃO MAGNÉTICA EX: dmg = 15 W 72

73 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS É IMPOSÍVEL REPRESENTAR A SUPERFÍCIE CURVA DA TERRA SOBRE UMA SUPERFÍCIE PLANA SEM QUE HAJA DEFORMAÇÕES. PARA MEDIÇÕES DE DISTÂNCIA EM UMA PROJEÇÃO DE MERCATOR, DEVE-SE USAR A ESCALA DE LATITUDES NA ALTURA DA LATITUDE MÉDIA DO SEGMENTO A SER MEDIDO. OS VALORES DE DECLINAÇÃO MAGNÉTICA VARIAM DE UMA PARTE À OUTRA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE E VARIAM ANUALMENTE. 73

74 REFERÊNCIAS Miguens. Navegação: a ciência e a arte (Vol. I, II E III) DHN (Diretoria de Hidrografia e Navegação) IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) 74

75 75

Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas. Flávia F. Feitosa

Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas. Flávia F. Feitosa Aula 2 Sistemas de Coordenadas & Projeções Cartográficas Flávia F. Feitosa Disciplina PGT 035 Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento e Gestão do Território Junho de 2015 Dados Espaciais são Especiais!

Leia mais

4/12/2013 ELEMENTOS DE GEODÉSIA E CARTOGRAFIA SISTEMAS DE REFERÊNCIA. Geóide -Gauss 1828. Modelo esférico Astronomia

4/12/2013 ELEMENTOS DE GEODÉSIA E CARTOGRAFIA SISTEMAS DE REFERÊNCIA. Geóide -Gauss 1828. Modelo esférico Astronomia FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL ELEMENTOS DE GEODÉSIA E CARTOGRAFIA Curso: Agronomia 6º Semestre / Eng. Florestal 7º Semestre Prof. responsável: Lorena Stolle Pitágoras(580-500 ac)

Leia mais

Geografia. Aula 02. Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas. 2. Projeções cartográficas

Geografia. Aula 02. Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas. 2. Projeções cartográficas Geografia. Aula 02 Projeções Cartográficas A arte na construção de mapas 2. Projeções cartográficas 2.1. Como representar figuras tridimensionais em um plano sem que ocorra deformidades? É possível eliminar

Leia mais

Introdução à Geodésia

Introdução à Geodésia UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA NATUREZA DEPARTAMENTO DE GEOCIÊNCIAS Disciplina: Leitura e Interpretação de Cartas Introdução à Geodésia Prof. Dr. Richarde Marques richarde@geociencias.ufpb.br

Leia mais

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS)

Hoje adota novas tecnologias no posicionamento geodésico, como por exemplo o Sistema de Posicionamento Global (GPS) Geodésia A Geodésia é uma ciência que se ocupa do estudo da forma e tamanho da Terra no aspecto geométrico e com o estudo de certos fenômenos físicos relativos ao campo gravitacional terrestre, visando

Leia mais

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA

AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA AULA 4 SISTEMAS DE REFERÊNCIA Objetivos TOPOGRAFIA Gerais Visão geral de Sistemas de Referência Específicos Sistemas de Coordenadas; Sistema de Referência; Datum Geodésico; Sistemas de Referência De acordo

Leia mais

8 -SISTEMA DE PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA DE MERCATOR - UTM

8 -SISTEMA DE PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA DE MERCATOR - UTM 8 -SISTEMA DE PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA DE MERCATOR - UTM Introdução: histórico; definições O Sistema de Projeção UTM é resultado de modificação da projeção Transversa de Mercator (TM) que também é

Leia mais

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO

CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CONCEITOS DE CARTOGRAFIA ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CAMPO LARGO, 15 DE ABRIL DE 2013 Cartografia Cartografia é o conjunto de estudos e operações científicas, artísticas e técnicas, baseado

Leia mais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. PTR 2202 Informações Espaciais

Escola Politécnica da Universidade de São Paulo. PTR 2202 Informações Espaciais Escola Politécnica da Universidade de São Paulo Departamento de Engenharia de Transportes PTR Laboratório de Topografia e Geodésia LTG PTR 2202 Informações Espaciais 1/34 Denizar Blitzkow Edvaldo Simões

Leia mais

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica

Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Universidade Federal do Ma Pós-Graduação em Eng. Elétrica Sistemas de Informação Geográfica Prof. Anselmo C. de Paiva Depto de Informática Georeferenciamento 1. Conceitos Básicos 2. Georeferências Nomes

Leia mais

Conceitos de Geodésia

Conceitos de Geodésia Sumário P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A g r o n o m i a U F R R J SISTEMAS DE COORDENADAS

Leia mais

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Coordenadas UTM

UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1. Coordenadas UTM UNICAP Universidade Católica de Pernambuco Laboratório de Topografia de UNICAP LABTOP Topografia 1 Coordenadas UTM Recife, 2014 Modelo Plano Considera a porção da Terra em estudo com sendo plana. É a simplificação

Leia mais

Informe A: Carta Geográfica Georeferenciada do Jardim Botânico de Cubatão

Informe A: Carta Geográfica Georeferenciada do Jardim Botânico de Cubatão CONSULTORIA (EQUIPE 3) JARDIM BOTÂNICO DE CUBATÃO Atendendo ao Termo de Referência BR-T1117/BID Desenvolvimento de métodos e modelos de manejo e recuperação ambiental em áreas degradadas por reassentamento

Leia mais

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA

CONCEITO DE GEODÉSIA A FORMA DA TERRA SUPERFÍCIES DE REFERÊNCIA MARCOS GEODÉSICOS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SISTEMA GEODÉSICO DE REFERÊNCIA Sumário P r o f. Ti a g o B a d r e M a r i n o G e o p r o c e s s a m e n t o D e p a r t a m e n t o d e G e o c i ê n c i a s I n s t i t u t o d e A g r o n o m i a U F R R J 2 Conceito de Geodésia

Leia mais

FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA

FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA 1 FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA CAPÍTULO 03 1 ASPECTOS CONCEITUAIS Entende-se a Geodésia como a ciência que estuda a forma e as dimensões do planeta Terra, bem como a determinação do campo gravitacional e da

Leia mais

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta

CARTOGRAFIA. Sistemas de Coordenadas. Prof. Luiz Rotta CARTOGRAFIA Sistemas de Coordenadas Prof. Luiz Rotta SISTEMA DE COORDENADAS Por que os sistemas de coordenadas são necessários? Para expressar a posição de pontos sobre uma superfície É com base em sistemas

Leia mais

Estudos Ambientais. Aula 4 - Cartografia

Estudos Ambientais. Aula 4 - Cartografia Estudos Ambientais Aula 4 - Cartografia Objetivos da aula Importância da cartografia; Conceitos cartográficos. O que é cartografia Organização, apresentação, comunicação e utilização da geoinformação nas

Leia mais

Apontamentos de aula: Tópicos Básicos de Cartografia e Sistema Universal Transversal Mercator (UTM)

Apontamentos de aula: Tópicos Básicos de Cartografia e Sistema Universal Transversal Mercator (UTM) Apontamentos de aula: Tópicos Básicos de Cartografia e Sistema Universal Transversal Mercator (UTM) Colaboradores: Emanoel Jr da S. Nunes Érica S. Nakai Pedro Paulo da S. Barros Coordenador: Prof. Peterson

Leia mais

I Seminário SIGCidades: Cadastro Territorial Multifinalitário. Fundamentos de Cartografia aplicados aos SIGs

I Seminário SIGCidades: Cadastro Territorial Multifinalitário. Fundamentos de Cartografia aplicados aos SIGs I Seminário SIGCidades: Cadastro Territorial Multifinalitário Fundamentos de Cartografia aplicados aos SIGs 1. FORMA DA TERRA Geóide Elipsóide Esfera Modelos de representação da Terra O modelo que mais

Leia mais

SISTEMAS DE COORDENADAS E PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS. Prof. M.Sc. César Vinícius Mendes Nery Email: vinicius.nery@ifnmg.edu.br Skipe: vinicius_nery

SISTEMAS DE COORDENADAS E PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS. Prof. M.Sc. César Vinícius Mendes Nery Email: vinicius.nery@ifnmg.edu.br Skipe: vinicius_nery SISTEMAS DE COORDENADAS E PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS Prof. M.Sc. César Vinícius Mendes Nery Email: vinicius.nery@ifnmg.edu.br Skipe: vinicius_nery Objetivos Ao final da aula o aluno deve: Comparar os modelos

Leia mais

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA

Engenharia Civil Topografia e Geodésia. Curso Técnico em Edificações Topografia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA e Geodésia GEODÉSIA O termo Geodésia, em grego Geo = terra, désia = 'divisões' ou 'eu divido', foi usado, pela primeira vez, por Aristóteles (384-322 a.c.), e pode significar tanto

Leia mais

GPS - GNSS. Posiconamento por satélites (GNSS / GPS) e suas aplicações. Escola Politécnica UFBA. Salvador-BA 2011

GPS - GNSS. Posiconamento por satélites (GNSS / GPS) e suas aplicações. Escola Politécnica UFBA. Salvador-BA 2011 Posiconamento por satélites (GNSS / GPS) e suas aplicações acaldas@ufba.br Escola Politécnica UFBA Salvador-BA 2011 GPS - GNSS Global Positioning System Global Navigation Satellite System (GPS + GLONASS

Leia mais

Capítulo I GENERALIDADES

Capítulo I GENERALIDADES Topografia I Profa. Andréa Ritter Jelinek 1 Capítulo I GENERALIDADES 1. Conceitos Fundamentais Definição: a palavra Topografia deriva das palavras gregas topos (lugar) e graphen (descrever), que significa

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PUC-GO CURSO: ENGENHARIA CIVIL TOPOGRAFIA I

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PUC-GO CURSO: ENGENHARIA CIVIL TOPOGRAFIA I PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PUC-GO CURSO: ENGENHARIA CIVIL TOPOGRAFIA I Docente: Francisco Edison Sampaio Eng. Agrimensor Forma da terra Visão geral: Arredondada Forma da terra superfícies

Leia mais

A figura da Terra. Da esfera ao Geóide (passando pelo elipsóide)

A figura da Terra. Da esfera ao Geóide (passando pelo elipsóide) A figura da Terra Da esfera ao Geóide (passando pelo elipsóide) Uma primeira aproximação: a Terra esférica Esfera: Superfície curva fechada cujos pontos se encontram todos a igual distância, R, de um ponto

Leia mais

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro

Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro Altera a caracterização do Sistema Geodésico Brasileiro R.PR 1/2005 FOLHA 1/1 Competência: Artigo 24 do Estatuto aprovado pelo Decreto nº 4.740, de 13 de junho de 2003. O PRESIDENTE da FUNDAÇÃO INSTITUTO

Leia mais

POSICIONAMENTOS PLANIMÉTRICO E ALTIMÉTRICO UD 1 - INTRODUÇÃO

POSICIONAMENTOS PLANIMÉTRICO E ALTIMÉTRICO UD 1 - INTRODUÇÃO UD 1 - INTRODUÇÃO POSICIONAMENTO PLANIMÉTRICO Conjunto de operações que obtém as coordenadas bidimensionais de determinado conjunto de objetos em um sistema pré-estabelecido. P y P (x,y) x POSICIONAMENTO

Leia mais

Noções de cartografia aplicada ao Google Earth

Noções de cartografia aplicada ao Google Earth Noções de cartografia aplicada ao Google Earth Sobre a Cartografia A cartografia está diretamente relacionada à nossa evolução, pois nos acompanha desde os primeiros deslocamentos da espécie humana sobre

Leia mais

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA

CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA PROJEÇÃO Universal Transversa de Mercator (UTM) COORDENADAS UTM Elaborado por: Andréia Medinilha Pancher e Maria Isabel Castreghini de Freitas SISTEMA DE PROJEÇÃO UNIVERSAL TRANSVERSA

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 3. SISTEMAS DE REFERÊNCIA CLÁSSICOS 4. SISTEMAS DE REFERÊNCIA MODERNOS 5. MATERIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFERÊNCIA

1. INTRODUÇÃO 3. SISTEMAS DE REFERÊNCIA CLÁSSICOS 4. SISTEMAS DE REFERÊNCIA MODERNOS 5. MATERIALIZAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFERÊNCIA SISTEMAS DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO 2. SISTEMAS COORDENADOS E SUPERFÍCIES UTILIZADOS EM GEODÉSIA 2.1 Sistema de Coordenadas Cartesianas 2.2 Sistema de Coordenadas Geodésicas 2.3 Sistema de Coordenadas

Leia mais

Geografia Capítulo 2. Cartografia. Introdução

Geografia Capítulo 2. Cartografia. Introdução Geografia Capítulo 2 Cartografia Introdução Cartografia é a ciência voltada para o estudo da construção e interpretação de mapas. Nesta ciência estuda-se como representar uma área geográfica em uma superfície

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

MEC. Curso de Formação Continuada. em Georreferenciamento Aplicado ao Cadastro de Imóveis Rurais GEODÉSIA & CARTOGRAFIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MEC. Curso de Formação Continuada. em Georreferenciamento Aplicado ao Cadastro de Imóveis Rurais GEODÉSIA & CARTOGRAFIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MEC MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO MÉDIA E TECNOLÓGICA Centro Federal De Educação Tecnológica Do Espírito Santo Gerência De Apoio Ao Ensino Coordenadoria De Recursos Didáticos Curso de Formação

Leia mais

MÓDULO I CARTOGRAFIA E GEODÉSIA

MÓDULO I CARTOGRAFIA E GEODÉSIA PR UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Câmpus Pato Branco/PR Departamento Acadêmico de Agrimensura 0 CURSO DE CAPACITAÇÃO PARA IMPLANTAÇÃO DE CADASTRO

Leia mais

MÓDULO III UNIDADE CURRICULAR GEODÉSIA

MÓDULO III UNIDADE CURRICULAR GEODÉSIA MÓDULO III UNIDADE CURRICULAR GEODÉSIA Página pessoal: www.vector.agr.br/rovane Email: rovane@ifsc.edu.br 13 GEODÉSIA O termo Geodésia, em grego Geo = terra, désia = 'divisões' ou 'eu divido', foi usado,

Leia mais

CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO

CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO COMEÇO DE CONVERSA PROF. Wagner Atallah CARTOGRAFIA LINHA DE APOIO Chegar a um lugar desconhecido utilizando um mapa requer uma série de conhecimentos que só são adquiridos num processo de alfabetização

Leia mais

01/08/2015. Navegação - Ciência e Arte. Capítulo 2. Projeções Cartográficas A carta náutica. Livro: Navegação - Ciência e Arte. O que é um mapa?

01/08/2015. Navegação - Ciência e Arte. Capítulo 2. Projeções Cartográficas A carta náutica. Livro: Navegação - Ciência e Arte. O que é um mapa? Navegação - Ciência e Arte Capítulo 2 Projeções Cartográficas A carta náutica Livro: Navegação - Ciência e Arte O que é um mapa? MAPA é a representação do globo terrestre, ou de trechos da sua superfície,

Leia mais

Aula 00. Geoprocessamento para Analista do IBGE. GEOPROCESSAMENTO PARA ANALISTA DO IBGE Noções Básicas de Cartografia. Professor: Giancarlo Chelotti

Aula 00. Geoprocessamento para Analista do IBGE. GEOPROCESSAMENTO PARA ANALISTA DO IBGE Noções Básicas de Cartografia. Professor: Giancarlo Chelotti Aula 00 GEOPROCESSAMENTO PARA ANALISTA DO IBGE Noções Básicas de Cartografia Professor: Giancarlo Chelotti www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Aula Conteúdo Programático Data 00 Noções

Leia mais

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA

FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA FACULDADE SUDOESTE PAULISTA CURSO - ENGENHARIA CIVIL DISCIPLINA- TOPOGRAFIA EXERCÍCIO DE REVISÃO 1. Com base nos seus conhecimentos, complete a lacuna com a alternativa abaixo que preencha corretamente

Leia mais

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V.

Aula 1. Atividades. V. A cartografia é a arte que tem o interesse de explicar a origem do planeta Terra. Estão corretas: e) II, IV e V. Aula 1 1. Atividades A palavra cartografia é relativamente nova, sendo utilizada pela primeira vez em 8 de dezembro de 1839. Seu uso aconteceu na carta escrita em Paris, enviada pelo português Visconde

Leia mais

Jornada Marajoara de Ciência e Tecnologia. Posicionamento pelo GNSS (GPS) by Eng. Tarcísio Lemos

Jornada Marajoara de Ciência e Tecnologia. Posicionamento pelo GNSS (GPS) by Eng. Tarcísio Lemos Jornada Marajoara de Ciência e Tecnologia Posicionamento pelo GNSS (GPS) by Eng. Tarcísio Lemos Biografia Engenheiro da Computação (IESAM, 2008) Especialista em Sistemas de Banco de Dados (UFPA, 2010)

Leia mais

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK

LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK LEVANTAMENTOS TOPOGRÁFICOS ESTAÇÃO TOTAL x GPS RTK Douglas Luiz Grando 1 ; Valdemir Land 2, Anderson Clayton Rhoden 3 Palavras-chave: Topografia; Geodésia; GPS de Precisão. INTRODUÇÃO Com a evolução das

Leia mais

GPS Global positioning system

GPS Global positioning system GPS Global positioning system O Sistema de Posicionamento Global GPS-NAVSTAR (Navigation Satellite Time And Ranging) foi concebido inicialmente para substituir o sistema NNNS/TRANSIT que apresentava várias

Leia mais

FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA

FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA FUNDAMENTOS DE GEODÉSIA Fontes: - Apostila Geodésia Geométrica Antonio S. Silva / Joel G. Jr. - Curso de GPS e Cartografia Básica Instituto CEUB de Pesquisa e Desenvolvimento. - Noções Básicas de Cartografia

Leia mais

No caso de existência no BDG, surgirá a seguinte mensagem: Visualize o resultado da pesquisa no final da página. Clicar sobre o botão OK.

No caso de existência no BDG, surgirá a seguinte mensagem: Visualize o resultado da pesquisa no final da página. Clicar sobre o botão OK. Sistema Geodésico Brasileiro Banco de Dados Geodésicos Opções de consulta: Para realizar este tipo de consulta, deve-se digitar o(s) código(s) da(s) estação(ões) a serem pesquisadas e clicar sobre o botão

Leia mais

Sistemas de Coordenadas:

Sistemas de Coordenadas: Necessários para expressar a posição de pontos sobre a superfície (elipsóide, esfera, plano). Î Para o Elipsóide, empregamos o Sistema de Coordenadas Cartesiano e Curvilíneo: PARALELOS E MERIDIANOS. Î

Leia mais

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS

PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS PROJEÇÕES CARTOGRÁFICAS ENG. CARTÓGRAFA ANNA CAROLINA CAVALHEIRO CAMPO LARGO, 15 DE ABRIL DE 2013 SISTEMA METROPOLITANO DE INFORMAÇÕES GEORREFERENCIADAS METROGEO Conceitos de Cartografia Anna Carolina

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICMBio CURSO DE GEOPROCESSAMENTO. Módulo A. Cartografia Básica

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICMBio CURSO DE GEOPROCESSAMENTO. Módulo A. Cartografia Básica MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE ICMBio CURSO DE GEOPROCESSAMENTO Módulo A Cartografia Básica MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO

Leia mais

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS E WEBMAPPING Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza 1 BANCO DE DADOS GEOGRÁFICOS BD convencional Repositório de fatos do mundo real que possuem atributos

Leia mais

Disciplina: Topografia I

Disciplina: Topografia I Curso de Graduação em Engenharia Civil Prof. Guilherme Dantas Fevereiro/2014 Disciplina: Topografia I Indrodução atopografia definição Definição: a palavra "Topografia" deriva das palavras gregas "topos"

Leia mais

Especificações Técnicas para Uso da Rede de Referência Cartográfica Municipal RRCM

Especificações Técnicas para Uso da Rede de Referência Cartográfica Municipal RRCM Especificações Técnicas para Uso da Rede de Referência Cartográfica Municipal RRCM Junho de 2004 SUMÁRIO Página APRESENTAÇÃO 03 1. OBJETIVOS 03 2 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 04 3. DEFINIÇÕES 04 3.1. SISTEMA

Leia mais

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas:

NOTA TÉCNICA. Sistema Geodésico de Referência: Figura geométrica da superfície terrestre: Época de referência das coordenadas: NOTA TÉCNICA TÉRMINO DO PERÍODO DE TRANSIÇÃO PARA ADOÇÃO NO BRASIL DO SISTEMA DE REFERÊNCIA GEOCÊNTRICO PARA AS AMÉRICAS (SIRGAS), EM SUA REALIZAÇÃO DE 2,4 (SIRGAS2) A definição, implantação e manutenção

Leia mais

Tenha isso muito claro na cabeça!

Tenha isso muito claro na cabeça! Tenha isso muito claro na cabeça! Existem duas formas de representar a Terra (existem mais, mas vamos tratar de duas): - modelo matemático = elipsóide - modelo quase real = geóide. O elipsóide é uma figura

Leia mais

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL

PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL PROPOSTA PRELIMINAR PARA A ADOÇÃO DE UM REFERÊNCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL 1 Seminário sobre Referencial Geocêntrico no Brasil Rio de Janeiro - IBGE/CDDI 1 O que é um sistema geodésico de referência? É

Leia mais

Laboratório de Cartografia Digital - CTUFES

Laboratório de Cartografia Digital - CTUFES Geotecnologias Planejamento e Gestão AULA 05 Fundamentos de Geodésia Geodésia - Definição: Geodésia é a ciência de medida e mapeamento das variações temporais da superfície da Terra, considerando seu campo

Leia mais

EXERCÍCIOS DE APOIO ÀS AULAS PRÁTICAS DE TOPOGRAFIA ENGENHARIA CIVIL

EXERCÍCIOS DE APOIO ÀS AULAS PRÁTICAS DE TOPOGRAFIA ENGENHARIA CIVIL EXERCÍCIOS DE APOIO ÀS AULAS PRÁTICAS DE TOPOGRAFIA ENGENHARIA CIVIL INSTITUTO SUPERIOR TÉCNICO DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL E ARQUITECTURA DOCENTES (2009/2010) 2009/2010 Ana Paula Falcão Flôr Ricardo

Leia mais

Elementos de Cartografia

Elementos de Cartografia Elementos de Cartografia Marcos A. Timbó Departamento de Cartografia 2001 OBJETIVOS O objetivo das presentes notas é apresentar os conhecimentos básicos de Cartografia que são indispensáveis para pesquisadores

Leia mais

Definição. Cartografia é a ciência que têm como principal. objetivo a representação do espaço geográfico, de

Definição. Cartografia é a ciência que têm como principal. objetivo a representação do espaço geográfico, de Definição Cartografia é a ciência que têm como principal objetivo a representação do espaço geográfico, de seus elementos e de suas diversas atividades por meio da confecção de mapas, assim como sua utilização.

Leia mais

Geomática. Cartografia para Engenharia Ambiental. Prof. Alex Mota dos Santos

Geomática. Cartografia para Engenharia Ambiental. Prof. Alex Mota dos Santos Geomática Cartografia para Engenharia Ambiental Prof. Alex Mota dos Santos Castro (2004) O problema da representação Em síntese, a Cartografia trata das normas para representação dos elementos da superfície

Leia mais

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana.

Os mapas são a tradução da realidade numa superfície plana. Cartografia Desde os primórdios o homem tentou compreender a forma e as características do nosso planeta, bem como representar os seus diferentes aspectos através de croquis, plantas e mapas. Desenhar

Leia mais

7- GPS 2-D. GPS Global Positioning System

7- GPS 2-D. GPS Global Positioning System 7- GPS GPS Global Positioning System o GPS é um sistema de navegação baseado numa rede de 24 satélites. Começou oficialmente há cerca de 20 anos, como aplicação militar dos E.U.A. Hoje em dia existe uma

Leia mais

Geodesia Física e Espacial. ******* Sistemas e Tecnologias de Georeferenciação. Ano lectivo 2011/2012

Geodesia Física e Espacial. ******* Sistemas e Tecnologias de Georeferenciação. Ano lectivo 2011/2012 Geodesia Física e Espacial ******* Sistemas e Tecnologias de Georeferenciação Ano lectivo 2011/2012 Definição A geodesia é uma palavra de origem grega (γεωδαιζία ) que literalmente quer dizer divisão da

Leia mais

Assunto: Estudo do ponto

Assunto: Estudo do ponto Assunto: Estudo do ponto 1) Sabendo que P(m+1;-3m-4) pertence ao 3º quadrante, determine os possíveis valores de m. resp: -4/3

Leia mais

APOSTILA TOPOGRAFIA PRÁTICA

APOSTILA TOPOGRAFIA PRÁTICA APOSTILA TOPOGRAFIA PRÁTICA 1. INTRODUÇÃO A TOPOGRAFIA O verdadeiro nascimento da topografia veio da necessidade de o homem ter conhecimento do meio em que vive. Este desenvolvimento ocorreu desde os primeiros

Leia mais

MÉTODOS DE AQUISIÇÃO DA INFORMAÇÃO. Métodos directos. Métodos indirectos

MÉTODOS DE AQUISIÇÃO DA INFORMAÇÃO. Métodos directos. Métodos indirectos INTRODUÇÃO MÉTODOS DE AQUISIÇÃO DA INFORMAÇÃO Métodos directos Métodos indirectos MÉTODOS DE AQUISIÇÃO DA INFORMAÇÃO Métodos Topográficos: Métodos Tradicionais Métodos Espaciais Sistema de Posicionamento

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA FORMAÇÃO PARA INGRESSO NO CORPO AUXILIAR TÉCNICO EM GEODÉSIA E CARTOGRAFIA

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA FORMAÇÃO PARA INGRESSO NO CORPO AUXILIAR TÉCNICO EM GEODÉSIA E CARTOGRAFIA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE ENSINO DA MARINHA Prova : Amarela (CONCURSO PÚBLICO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO PARA INGRESSO NO CORPO AUXILIAR DE PRAÇAS DA MARINHA / CP-CAP/2012) NÃO ESTÁ AUTORIZADA

Leia mais

Figura 4.1: Diagrama de representação de uma função de 2 variáveis

Figura 4.1: Diagrama de representação de uma função de 2 variáveis 1 4.1 Funções de 2 Variáveis Em Cálculo I trabalhamos com funções de uma variável y = f(x). Agora trabalharemos com funções de várias variáveis. Estas funções aparecem naturalmente na natureza, na economia

Leia mais

4 Navegação Inercial (INS)

4 Navegação Inercial (INS) 4 Navegação Inercial (INS) A fusão de sensores só pode ser realizada quando os mesmos medem a mesma variável, logo primeiramente é necessário a escolha do modelo sobre o qual irá se representar as medidas

Leia mais

elipsoide de revolução

elipsoide de revolução 19.(TRT-8/CESPE/2013) Para a obtenção de mapas, é necessário que haja a projeção da superfície real ou física em formas geométricas, sendo que alguns ajustes prévios são necessários para que se possa fazer

Leia mais

COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS PARA TRIMESTRAL 1

COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS PARA TRIMESTRAL 1 COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS PARA TRIMESTRAL 1 Professor(a): Richard 1) Sobre as coordenadas geográficas, assinale a alternativa correta. a) A longitude é determinada pelo ângulo formado

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO. Transformações de coordenadas para não especialistas

CURSO DE FORMAÇÃO. Transformações de coordenadas para não especialistas CURSO DE FORMAÇÃO Transformações de coordenadas para não especialistas Colégios de Engenharia Geográfica e Engenharia Geológica e Minas Região Centro José A. Gonçalves jagoncal@fc.up.pt Sumário do curso

Leia mais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais LOGO FQA Unidade 1 de FQA Nível 2 GPS e MCU Satélites e Movimento Circular Uniforme Marília Peres e Rosa Pais Índice 1 GPS - Sistema de Posicionamento Global 2 3 Coordenadas e Relógios Satélites Geoestacionários

Leia mais

Sistema de Posicionamento por Satélite

Sistema de Posicionamento por Satélite Implantação de Faixa de Dutos Sistema de Posicionamento por Satélite Resumo dos conhecimentos necessários para o entendimento e uso dos Sistemas de s e seus equipamentos. 1 Introdução Os sistemas de posicionamento

Leia mais

COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS 1ª PARCIAL V2 1ª SÉRIE

COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS 1ª PARCIAL V2 1ª SÉRIE COLÉGIO JOÃO PAULO I GEOGRAFIA - EXERCÍCIOS 1ª PARCIAL V2 1ª SÉRIE Professor(a): Richard QUESTÃO 1 Considere a reprodução da obra intitulada La Escuela del Sur de autoria de Joaquin Torres García, artista

Leia mais

Coordenadas Geográficas

Coordenadas Geográficas Orientação A rosa-dos-ventos possibilita encontrar a direção de qualquer ponto da linha do horizonte. Por convenção internacional, a língua inglesa é utilizada como padrão, portanto o Leste muitas vezes

Leia mais

Aula 00. Geografia para Agente de Pesquisa e Mapeamento - IBGE

Aula 00. Geografia para Agente de Pesquisa e Mapeamento - IBGE Aula 00 Geografia Noções básicas de cartografia: Orientação: pontos cardeais; Localização: coordenadas geográficas (latitude, longitude e altitude); Representação: leitura, escala, legendas e convenções.

Leia mais

Aplicações Diferentes Para Números Complexos

Aplicações Diferentes Para Números Complexos Material by: Caio Guimarães (Equipe Rumoaoita.com) Aplicações Diferentes Para Números Complexos Capítulo II Aplicação 2: Complexos na Geometria Na rápida revisão do capítulo I desse artigo mencionamos

Leia mais

Exercícios propostos, 9 UEL 2009

Exercícios propostos, 9 UEL 2009 Exercícios propostos, 9 UEL 2009 Se uma imagem vale mais do que mil palavras, um mapa pode valer um milhão mas cuidado. Todos os mapas distorcem a realidade. (...) Todos os cartógrafos procuram retratar

Leia mais

As fórmulas para a determinação da gravidade teórica (ou normal) sobre a terra normal são do tipo

As fórmulas para a determinação da gravidade teórica (ou normal) sobre a terra normal são do tipo . A FÓRMULA INTERNACIONAL DA GRAVIDADE NORMAL As fórmulas para a determinação da gravidade teórica (ou normal) sobre a terra normal são do tipo γ = γ e β sin 2 φ + termos de ordem superior [.] Com precisão

Leia mais

PROVA COMENTADA GEOGRAFIA/ ÍRIS TIPO B

PROVA COMENTADA GEOGRAFIA/ ÍRIS TIPO B PROVA COMENTADA GEOGRAFIA/ ÍRIS TIPO B Questão 1 A partir de seus conhecimentos sobre projeções cartográficas e analisando a que foi utilizada no mapa a seguir, você pode inferir que se trata da projeção:

Leia mais

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS

CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS CARTOGRAFIA TEMÁTICA e GPS Orientação e Forma Diversidade = A visibilidade é variável Ordem = As categorias se ordenam espontaneamente Proporcionalidade = relação de proporção visual Cores convencionais

Leia mais

Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor

Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor Seminários de Ensino de Matemática - 23/03/2012 Geometria do Globo terrestre: esferas de Lénárt x esferas de isopor Primeira fotografia da Terra enviada do espaço em 26 de agosto de 1966 José Luiz Pastore

Leia mais

VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA FORTALEZA 24 a 31 DE JULHO DE 1977 O DATUM GEODÉSICO DE CHUÁ ENGENHEIRO LYSANDRO VIANA RODRIGUEZ

VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA FORTALEZA 24 a 31 DE JULHO DE 1977 O DATUM GEODÉSICO DE CHUÁ ENGENHEIRO LYSANDRO VIANA RODRIGUEZ VIII CONGRESSO BRASILEIRO DE CARTOGRAFIA FORTALEZA 24 a 31 DE JULHO DE 1977 O DATUM GEODÉSICO DE CHUÁ ENGENHEIRO LYSANDRO VIANA RODRIGUEZ O DATUM GEODÉSICO DE CHUÁ I GENERALIDADES: O ideal de unificação

Leia mais

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais.

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. Satélites naturais são: a Lua que gravita em torno da Terra. Satélites artificiais são: dispositivos,

Leia mais

Exercícios de Cartografia II

Exercícios de Cartografia II Exercícios de Cartografia II 1. (UFRN) Um estudante australiano, ao realizar pesquisas sobre o Brasil, considerou importante saber a localização exata de sua capital, a cidade de Brasília. Para isso, consultou

Leia mais

sistema de posicionamento global

sistema de posicionamento global SISTEMA GPS GPS Global Positioning System sistema de posicionamento global É um sistema de radionavegação baseado em satélites, desenvolvido e controlado pelo departamento de defesa dos Estados Unidos,

Leia mais

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano

Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano 60 Conteúdo programático por disciplina Matemática 6 o ano Caderno 1 UNIDADE 1 Significados das operações (adição e subtração) Capítulo 1 Números naturais O uso dos números naturais Seqüência dos números

Leia mais

Geóide, Elipsóide, Datum & Projeção Cartográfica. Sistemas de Coordenadas. Sistema de Coordenadas GEOGRÁFICAS (φ, λ, z)

Geóide, Elipsóide, Datum & Projeção Cartográfica. Sistemas de Coordenadas. Sistema de Coordenadas GEOGRÁFICAS (φ, λ, z) Geóide, Elipsóide, Datum & Projeção Cartográfica Dados Espaciais Geo-Referenciamento de Dados Georreferenciar um mapa significa localizar seus dados na superfície da terra. Prof. Dr. Carlos Roberto de

Leia mais

1. (Ufsm 2012) Observe as projeções cartográficas: Numere corretamente as projeções com as afirmações a seguir.

1. (Ufsm 2012) Observe as projeções cartográficas: Numere corretamente as projeções com as afirmações a seguir. 1. (Ufsm 2012) Observe as projeções cartográficas: Numere corretamente as projeções com as afirmações a seguir. ( ) Na projeção cilíndrica, a representação é feita como se um cilindro envolvesse a Terra

Leia mais

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação.

a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento de translação. Questão 01) As causas responsáveis pela ocorrência das estações do ano (outono, inverno, primavera e verão) sobre a superfície terrestre são: a) a inclinação do eixo da Terra em 23º.27 e o seu movimento

Leia mais

I SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL. Conjecturas sobre a Mudança de Referenciais Geodésicos no Brasil

I SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL. Conjecturas sobre a Mudança de Referenciais Geodésicos no Brasil I SEMINÁRIO SOBRE REFERENCIAL GEOCÊNTRICO NO BRASIL 17 a 20 / Outubro / 2000 Rio de Janeiro Grupo Universidades Conjecturas sobre a Mudança de Referenciais Geodésicos no Brasil Marcelo Carvalho dos Santos

Leia mais

Microsoft Word - DTec_05_-_Escalas-exercicios_2-questoes - V. 01.doc

Microsoft Word - DTec_05_-_Escalas-exercicios_2-questoes - V. 01.doc Página 1 de 7 EXERCÍCIOS DE ESCALAS Exercícios baseados em material didático da disciplina de Cartografia ministrada pelo Prof Severino dos Santos no Curso de Georeferenciamento Aplicado à Geodésia. o

Leia mais

A Geometria no Globo Terrestre.

A Geometria no Globo Terrestre. A Geometria no Globo Terrestre. 1. Introdução. Neste trabalho pretendemos desenvolver o estudo da esfera e seus elementos explorando sua associação com o globo terrestre. O estudo da posição relativa de

Leia mais

Breve Introdução à Informação Geográfica. João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt

Breve Introdução à Informação Geográfica. João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt Breve Introdução à Informação Geográfica João Carreiras Geo-DES jmbcarreiras@iict.pt Resumo 1 Informação Geográfica 2 Características da Informação Geográfica 3 Conceito de Escala 4 Coordenadas, Projecções

Leia mais

SIMULAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE DESLOCAMENTO COM GNSS (GPS) Simulation and Determination of Displacement with GNSS (GPS)

SIMULAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE DESLOCAMENTO COM GNSS (GPS) Simulation and Determination of Displacement with GNSS (GPS) SIMULAÇÃO E DETERMINAÇÃO DE DESLOCAMENTO COM GNSS (GPS) Simulation and Determination of Displacement with GNSS (GPS) João Carlos Chaves 1 Paulo Cesar Lima Segantine 2 1 Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

17º Congresso de Iniciação Científica O CONHECIMENTO GEOMÉTRICO EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI E SUAS APLICAÇÕES NA CARTOGRAFIA MARÍTIMA

17º Congresso de Iniciação Científica O CONHECIMENTO GEOMÉTRICO EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI E SUAS APLICAÇÕES NA CARTOGRAFIA MARÍTIMA 17º Congresso de Iniciação Científica O CONHECIMENTO GEOMÉTRICO EM PORTUGAL NO SÉCULO XVI E SUAS APLICAÇÕES NA CARTOGRAFIA MARÍTIMA Autor(es) FLÁVIA DE ALMEIDA LUCATTI Orientador(es) JOANA DARC DA SILVA

Leia mais

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone

ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone ASTRONOMIA NO DIA-A-DIA Dr. André Milone Divisão de Astrofísica (DAS) Curso de Introdução à Astronomia e Astrofísica 2009 ROTEIRO GERAL Fenômenos astronômicos no dia-a-dia Movimentos da Terra heliocentrismo

Leia mais

Geografia Prof. Rose Rodrigues. Força Total módulo zero

Geografia Prof. Rose Rodrigues. Força Total módulo zero 1-(UNESP) Observe o mapa do Brasil. Geografia Prof. Rose Rodrigues Força Total módulo zero Faça o que se pede. a) Sabendo-se que o segmento AB possui 2 cm no mapa e equivale a 1112 km, qual a escala do

Leia mais

18/06/2013. Professora: Sandra Tieppo UNIOESTE Cascavel

18/06/2013. Professora: Sandra Tieppo UNIOESTE Cascavel 18/06/01 Professora: Sandra Tieppo UNIOESTE Cascavel 1 Superfícies geradas por uma geratriz (g) que passa por um ponto dado V (vértice) e percorre os pontos de uma linha dada d (diretriz), V d. Se a diretriz

Leia mais

Lista de Exercícios: Geometria Plana. Um triângulo isósceles tem base medindo 8 cm e lados iguais com medidas de 5 cm. A área deste triângulo é:

Lista de Exercícios: Geometria Plana. Um triângulo isósceles tem base medindo 8 cm e lados iguais com medidas de 5 cm. A área deste triângulo é: Lista de Exercícios: Geometria Plana Questão 1 Um triângulo isósceles tem base medindo 8 cm e lados iguais com medidas de 5 cm. A área deste triângulo é: A( ) 20 cm 2. B( ) 10 cm 2. C( ) 24 cm 2. D( )

Leia mais