Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010"

Transcrição

1 Projecto Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2009/2010

2 No segundo ano (2009/2010) de implementação do projecto Nestum Rugby nas Escolas, projecto este que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa de Rugby e a Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, através do Gabinete Coordenador do Desporto Escolar, verificamos um aumento de mais 79 escolas incritas este ano (274) em relação as 195 do ano de 2008/2009. Neste ano, o objectivo traçado de aumentar o número de escolas, foi amplamente alcançado e quase pleno na cobertura geográfica nacional, com intervenções em todos os distritos do continente e ainda o arquipelago da madeira, conforme o mapa C. 2007/ / /2010 Mapa A Mapa B Mapa C Mapa das acções Nestum totais. Mapa das acções Nestum totais Mapa das acções Nestum Totais O projecto é composto por três fases: a primeira, dedicada à formação e sensibilização de e alunos para o ensino e a prática do rugby, a segunda fase, de dinamização de um torneio inter-turmas, e uma terceira fase de convívios inter-escolas. Zona Distritos Escolas Professores Viana do Castelo 7 37 Norte (64) Centro (73) Sul (132) Braga 9 50 Vila Real 9 47 Bragança 5 21 Porto Aveiro Viseu Guarda 7 40 Coimbra Castelo branco Leiria Lisboa Santarém Portalegre 4 25 Setúbal Évora 8 45 Beja Faro 9 40 Madeira 5 27 TOTAIS Numa 1ª fase do projecto, que decorreu nos meses de Novembro a Março, foram realizadas acções de apresentação do projecto nas 274 escolas inscritas a nível nacional, com a entrega do respectivo KIT NESTUM (material para a pratica do TAG Rugby nas escolas) tendo ainda recebido formação mais de (conforme o quadro 1) Importa referir 90 das 274 Escolas inscritas esta ano já participaram no projecto no ano de 2008/2009, o que representa 30 % de fidelização das escolas ao projecto. Na segunda fase, a maioria das escolas, desenvolveu a sua actividade interna com torneios intra-turmas e interturmas de modo a seleccionar as suas equipas para participarem na terceira fase. Estiveram envolvidos nesta fase mais de alunos em actividade nas escolas. Quadro1 - Valores quantitativos das acções por Distritos 2

3 Na terceira fase foram realizados 21 torneios regionais / Inter escolas no país inteiro, durante os meses de Abril e Maio, distribuídos da seguinte forma: ZONA NORTE (ARN) - 8 torneios regionais 1. Porto - FADEUP, participação de 18 escolas envolvendo de 250 alunos e Estádio Municipal de Macedo de Cavaleiros, participação de 5 escolas envolvendo de 75 alunos e Complexo Desportivo detarouca, participação de 4 escolas envolvendo de 80 alunos e 8 4. Centro de Formação desportiva de S. João da Madeira, participação de 3 escolas envolvendo de 90 alunos e Complexo desportivo de Lousada, participação de 10 escolas envolvendo de 195 alunos e Estádio Municipal Manuela machado -Viana do Castelo, participação de 7 escolas envolvendo 140 alunos e Vila Pouca de Aguiar, participação de 7 escolas envolvendo 150 alunos e Pista de Atletismo Gémeos Castro - Guimarães, participação de 5 escolas envolvendo 130 alunos e 10. TOTAL DE PARTICIPANTES ESCOLAS, ALUNOS 1110, PROFESSORES 94. ZONA CENTRO (CRRC) - 6 torneios regionais 1. Aveiro, participação de 16 escolas envolvendo de 200 alunos e Campo de Rugby Santa Rita Lousã, participação de 4 escolas envolvendo de 140 alunos e ED D. Dinis - Leiria, participação de 8 escolas envolvendo de 90 alunos e Parque Desportivo do Fontelo - Viseu, participação de 14 escolas envolvendo de 145 alunos e ENSINGUARDA - Guarda, participação de 8 escolas envolvendo de 120 alunos e 12 TOTAL DE PARTICIPANTES ESCOLAS, ALUNOS 715, PROFESSORES 62. ZONA SUL (ARS) - 7 torneios regionais 1. Campo de Futebol do Odivelas Clube, participação de 11 escolas envolvendo de 310 alunos e Campo de Rugby das Caldas da Rainha, participação de 10 escolas envolvendo de 170 alunos e Campo de Rugby do Cascais, participação de 10 escolas envolvendo de 145 alunos e Complexo Desportivo de Rio Maior - participação de14 escolas envolvendo de 240 alunos e Parque da Paz Almada, participação de 16 escolas envolvendo de 355 alunos e Complexo de Rugby de Borba, participação de 12 escolas envolvendo de 170 alunos e Complexo de Rugby de Loulé, participação de 5 escolas envolvendo de 120 alunos e 15 TOTAL DE PARTICIPANTES ESCOLAS, ALUNOS 1510, PROFESSORES Em termos da operacionalização do projecto por zonas, podemos verificar no mapa D, que na zona Norte estiveram envolvidas 64 escolas, com a participação de 335, 5150 alunos (na actividade na escola) e nos 8 torneios regionais participaram 60 escolas, 140 equipas num total de 1110 alunos. De registar o elevado número de escolas (34) participantes do distrito do Porto. 3

4 Na zona Centro (conforme podemos verificar no mapa D) estiveram representadas 72 escolas, com a participação de 370 envolvendo cerca de 6200 alunos nas actividades internas na escola. Nos 6 torneios regionais realizados participaram 50 escolas, representadas por 90 equipas num total de 715 alunos. Os distritos com maior presença foram os distritos de Viseu e Coimbra com 19 e 15 escolas respectivamente. Norte Centro Na zona Sul a representação foi em maior número, (mapa D) com uma adesão de 132 escolas, envolvendo 672 que desenvolveram actividades internas no meio escolar com 8450 alunos. Nesta zona realizaram-se 7 torneios regionais onde estiveram presentes 77 escolas representadas por 180 equipas num total de 1510 alunos. De destacar os distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal com a participação de 51, 25 e 22 escolas respectivamente. Sul Mapa D Mapa quantitativo das acções por Distritos /2010 No arquipelago da madeira realizaram-se acções em 5 escolas e respectiva actividade interna, no decorrer do proximo ano será realizado um convívio regional entre as escolas participantes. Das 274 escolas inscritas ao nível nacional, podemos verificar que 188 realizaram todas as fases do projecto, o que representa mais de 65 % participação efectiva, e uma subida de 15 pontos percentuais em relação ao ano transacto. FESTA FINAL 22 Maio Complexo Desportivo da Anadia Na festa final, convívio nacional realizado em Anadia, 900 alunos (100 equipas) e 120 em representação de 75 escolas, oriundos de todo o país, de Bragança a Olhão, foi sem duvída o momento desportivo mais alto do projecto. Figura 1- Complexo Desportivo de Anadia. Convívio Nacional do Projecto Nestum Rugby nas Escolas. 4 - O envolvimento dos clubes a nível nacional nas actividades desenvolvidas ao longo do projecto, foi fundamental para o êxito do projecto, nomeadamente na zona norte, com o envolvimento dos clubes de rugby do CDUP ( Porto), de Guimarães e do Famalicão. Na zona do centro, com a participação activa do R.C da Lousã, AEES Agrária de Coimbra. E na zona sul, com a participação do R.Clube Santarém na zona da Lezíria e Médio Tejo, do Rugby do Vitória de Setúbal, da Clube de Rugby da Vila da Moita, S.L. Benfica na zona da Peninsúla de Setúbal, do R.C. do Técnico, Belas R.C, C.F. os Beleneneses na região de Lisboa e ainda do R.C de Borba, Montemor e R.C Elvas na zona do Alentejo e do RC Loulé no Algarve. 4

5 Quanto aos clubes e à sua participação no projecto, pela aposta feita e pelo trabalho desenvolvido em parceria com a FPR, são os principais parceiros no desenvolvimento e promoção da modalidade. Um projecto com esta dimensão será sempre uma fonte de recrutamento para novos praticantes numa modalidade em forte expanção. 5- Quais os benefícios do projecto Nestum Rugby nas Escolas retirados pelas escolas,, alunos e responsáveis pela sua implementação? No que concerne às escolas que se inscreveram, os promotores do projecto ofereceram a cada escola um KIT NESTUM com material necessário para a iniciação ao jogo TAG Rubgy e assim possibilitar as escolas a participar nas várias fases do projecto. Os receberam formação através de uma sessão de apresentação do projecto, entrega de documentação de apoio e formação prática para o ensino do jogo, de modo a ficarem habilitados a introduzir o TAG Rugby nas aulas de educação física, nos torneios internos e nos torneios regionais. Os alunos e alunas pela possibilidade de conhecerem e praticarem um jogo apelativo de iniciação ao Rugby sem contacto e com regras muito simples, onde os valores inerentes à modalidade estão presentes, como são, o espirito de grupo o fair play e a disciplina. Os responsáveis pela implementação do projecto, na promoção e desenvolvimento da modadildade através da variante TAG Rugby, contribuindo para aumentar o leque de matérias a leccionar por parte dos nas suas aulas de Educação Física, promovendo um enriquecimento curricular. As relações estabelecidas entre os vários responsáveis locais (EAE s) e Regionais (DRE s) e os responsáveis e colaboradores regionais do projecto, que em conjunto colaboraram de forma decisiva e competente na operacionalização do projecto. 6- Aspectos a melhorar no projecto Por parte dos responsáveis pelo projecto: - Estabelecer e fazer cumprir um planeamento mais ajustado às necessidades das escolas. 1ª fase do projecto, formação de no decorrer do 1º período; 2ª fase do projecto, actividade interna no decorrer do 2º período (até ao Carnaval); 3ª fase do projecto, realização dos torneios inter-escolas no final do 2º período e inicio do 3º. - Melhorar a qualidade do material distribuído nas escolas, nomeadamente os cintos e os tag s; - Reforçar o apoio aos Professores, através de documentação de apoio ao ensino do rugby. Por parte das Escolas : As Escolas inscritas no projecto deverão assumir um compromisso para com os promotores do projecto, no desenvolvimento das várias fases do projecto. Os responsáveis no decorrer da 1ª fase terão de garantir junto dos conselhos pedagógicos das suas escolas a participação dos alunos na fase escola com a realização de torneio interno e nos torneios inter-escolas com a presença de pelo menos duas equipas por escola. Por parte dos Clubes: Um maior envolvimento e participação dos clubes nas acções a desenvolver nas escolas, contruibuindo de forma decisiva para a divulgação, captação e enquadramento de novos atletas nos seus escalões de formação. 5

6 Notas Finais: Através deste balanço, pretendemos dar a conhecer o trabalho desenvolvido pela Federação Portuguesa de Rugby em parceria com o Desporto Escolar ao nível do Projecto Nestum, Rugby nas Escolas. Projecto que esta época atingiu uma dimensão muito significativa no plano da cobertura geográfica nacional, com intervenções em todos os distritos e ainda no arquipelago da madeira. No segundo ano do protocolo de cooperação entre Direcção Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, através do Gabinete Coordenador do Desporto Escolar, e a Federação Portuguesa de Rugby, este projecto permitiu que mais de alunos (com um aumento de 30% relativamente ao ano de 2008/2009) em actividade orientada no meio escolar e ainda cerca de 4150 alunos em participação nos 21 torneios regionais e no convívio final abraçassem a modalidade nos proporcionando inúmeras alegrias através da sua participação massiva com momentos de boa qualidade técnica e demostração dos valores do rugby. De realçar o papel dos Professores de Educação Física que acreditaram no projecto, receberam formação, ensinaram o jogo, formaram equipas, organizaram torneios e participaram nos torneios interescolas demonstrando um compromisso muito forte com o Nestum Rugby nas Escolas. É neste sentido que entendemos que este projecto se assume cada vez mais como um meio fundamental no desenvolvimento da modalidade, quer ao nível da captação de crianças e jovens para os clubes, quer ao nível da promoção e divulgação do jogo. Assim, é intenção da FPR/DE e das restantes associações regionais (ARN, CRRC e ARS) e com o apoio dos clubes fazer chegar este projecto ao maior número possível de escolas e neste sentido, dar continuidade ao projecto. Contamos uma vez mais com o imprescindível apoio da Nestum e a preciosa colaboração do DE e de todos os que tornaram possivel a implementação do projecto para atingirmos um objectivo que consideramos ser um objectivo partilhado por todos. Lisboa, 13 de Julho de

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2010/2011

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2010/2011 Programa Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2010/2011 1- No terceiro ano (2010/2011) de implementação do Nestum Rugby nas Escolas, projecto este que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa de Rugby

Leia mais

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2011/2012

Programa Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2011/2012 Programa Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2011/2012 Sul Centro Norte 1- No quarto ano (2011/2012) de implementação do Nestum Rugby nas Escolas, programa que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa

Leia mais

Iniciativa Move-te, faz Acontecer

Iniciativa Move-te, faz Acontecer Iniciativa Move-te, faz Acontecer Entidades Promotoras: Associação CAIS (Projecto Futebol de Rua): Fundada em 1994, a Associação CAIS tem como Missão contribuir para o melhoramento global das condições

Leia mais

Organização Curricular em Educação Física

Organização Curricular em Educação Física Organização Curricular em Educação Física Análise dos dados relativos à Organização Curricular em Educação Física para o ano letivo 2012/2013. Estudo desenvolvido pelo Conselho Nacional de Associações

Leia mais

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00 Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015 1. Calendário Federativo Nacional Data Dia da Semana Evento Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar

Leia mais

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS Em vigor a partir de 21 de Agosto de 2015 1. PRIMEIRAS PAGAIADAS 1.1. Objetivos O quadro competitivo promovido

Leia mais

PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016

PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016 PROGRAMA TAG RUGBY NAS ESCOLAS 2015 2016 2. RUGBY NAS ESCOLAS 2.1. Objectivos Introdução do Rugby através do Tag Rugby como matéria alternativa na Educação Física (2º/3º Ciclo); Criação de núcleos de Desporto

Leia mais

O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia

O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia 2011 Ano Europeu das Atividades de Voluntariado que Promovam uma Cidadania Ativa O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia Anti - Pobreza José Machado 22 Outubro 2011 Estrutura da Comunicação Pobreza

Leia mais

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos;

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos; Entre CONTRATO Ordem dos Arquitectos, pessoa colectiva nº 500802025, com sede em Lisboa, na Travessa do Carvalho, nº 23, representada neste acto pelo Presidente do Conselho Directivo Nacional, Arquitecto

Leia mais

& '"#) $%%$$+,-&% %- $-01&$'%-)

& '#) $%%$$+,-&% %- $-01&$'%-) FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE RUGBY PLANO DE ACTIVIDADES & ORÇAMENTO 2012 ANEXOS !"#!"#$$ % & ' () &* & & && &% +,) - & ). && & / & & & & 0& /) + & ( 1 &0. 0 12 / & 3 & & & & &% & &.&) + 4 $!! %& '&(% & '"#)

Leia mais

Boletim Informativo n.º 5 Maio 2009

Boletim Informativo n.º 5 Maio 2009 educação especial Instituições acreditadas como Centros de Recursos para a Inclusão (segunda lista) A Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC) divulgou no seu sítio electrónico a

Leia mais

O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA

O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA IMPRENSA ESCRITA E DIGITAL DUAS FORMAS COMPLEMENTARES DE COMUNICAR PUBLICAÇÕES ATIVAS: 2008-2012 3.169 2.940

Leia mais

A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências

A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências Relatório de 2008 Uma contribuição vital A intervenção das

Leia mais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais Maria Cristina Canavarro Teixeira Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária,

Leia mais

Percurso lógico para a criação de uma empresa:

Percurso lógico para a criação de uma empresa: Percurso lógico para a criação de uma empresa: [3] Formas jurídicas de criar um negocio: Os negócios desenvolvidos por uma pessoa poderão ter a forma jurídica de Empresário em Nome Individual, Estabelecimento

Leia mais

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Círculo eleitoral dos Açores Aliança Açores Partido Social Democrata Partido Democrático do Atlântico CDS-PP. PPD/D PDA Círculo eleitoral de Aveiro Partido Cidadania e Democracia Cristã PPV/CDC PPD/D.

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração Ficha de Caracterização de Projecto Orquestra Geração 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Orquestras Sinfónicas Juvenis - Orquestra Geração Sigla Orquestra Geração Morada Rua dos Caetanos

Leia mais

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05 Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES DE PÓS-LICENCIATURA (Mestrados e Doutoramentos) DSAS- Direcção

Leia mais

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) COMPETIÇÕES NACIONAIS TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) Modelo Competitivo -Proposta de Alteração- Elaborado por: Directores Técnicos das Associações de Basquetebol de VIANA DO CASTELO, BRAGA, PORTO,

Leia mais

Direcção Regional do Norte

Direcção Regional do Norte BRAGANÇA Direcção Regional do Norte BRAGA Lojas Institucionais IPJ Lojas Parceiras Direcção Regional do Norte BRAGA GUIMARÃES Rua de Santa Margarida, n.º 6 4710-306 Braga Tel: 253 204 250 Fx: 253 204 259

Leia mais

Direcção Regional do Norte

Direcção Regional do Norte BRAGANÇA Direcção Regional do Norte BRAGA Lojas Institucionais IPDJ Lojas Parceiras Direcção Regional do Norte BRAGA GUIMARÃES Antiga Estação de Comboios Av. D. João IV Urgeses 4810-534 Guimarães Tel.

Leia mais

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL

Campeonato Regional de Ténis 2009 Iniciados e Juvenis CLUBE DE TÉNIS DO ESTORIL 1 Introdução DOCUMENTO ORIENTADOR O Campeonato Regional de Ténis enquadra-se num conjunto de Campeonatos Regionais da responsabilidade da Direcção Regional de Educação de Lisboa e Vale do Tejo. O presente

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março As escolas superiores de enfermagem e de tecnologia da saúde são estabelecimentos de ensino politécnico dotados de personalidade jurídica e de

Leia mais

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS www.inatel.pt FUNDAÇÃO INATEL TURISMO PARA TODOS PORTUGAL 2013 Desde 267 INCLUI: TRANSPORTE TERRESTRE + 5 NOITES ALOJAMENTO, REFEIÇÕES, PASSEIOS, ANIMAÇÃO E SEGURO. Descubra o que Portugal tem de melhor

Leia mais

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia

RUGBY. para TODOS. Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social. Departamento de Desenvolvimento. Henrique Garcia RUGBY para TODOS Escolinhas de Rugby Um projecto de interacção social Departamento de Desenvolvimento Henrique Garcia 1. Introdução A Federação Portuguesa de Rugby tem como missão tornar possível que TODAS

Leia mais

Guia do Evento 6 junho 2015. Centro Desportivo Nacional - Jamor

Guia do Evento 6 junho 2015. Centro Desportivo Nacional - Jamor Guia do Evento junho 0 Centro Desportivo Nacional Jamor MAPA DE S DO JAMOR Jogos Sub Tenda de refeições Balneários Estr. Biscoiteiras Tenda de Organização Hospital de Campanha Jogos Sub MAIS DE 00 JOVENS

Leia mais

Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687

Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687 Organização Promotora: braga@nova- acropole.pt www.acropolis.org Telm.: 912637687 1 O Voluntariado é uma resposta necessária à realidade das nossas sociedades e um reconhecido veículo de desenvolvimento

Leia mais

Projecto Nestum. stum, Rugby nas Escolas. Balanço 2007/2008

Projecto Nestum. stum, Rugby nas Escolas. Balanço 2007/2008 Projecto Nestum stum, Rugby nas Escolas Balanço 2007/2008 1 - O Projecto Nestum Rugby nas Escolas atingiu esta época os objectivos que inicialmente foram previstos: aumentar o número de acções nas escolas

Leia mais

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA no Ensino Superior CET Cursos de Especialização Tecnológica no Ensino Superior Setembro 2011 DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direcção de Serviços de Suporte à

Leia mais

A Danone Portugal S.A. agradece a todos os parceiros a sua dedicação a este projecto. desporto escolar da madeira

A Danone Portugal S.A. agradece a todos os parceiros a sua dedicação a este projecto. desporto escolar da madeira A Danone Portugal S.A. agradece a todos os parceiros a sua dedicação a este projecto. 02 desporto escolar da madeira Acredita nos teus Sonhos! As crianças exercem para a Danone um papel principal no desenvolvimento

Leia mais

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Profissional de Vila Real VILA REAL TORRE DE MONCORVO A2000 ARDAD Centro de Emprego do Baixo Ave VILA NOVA DE FAMALICÃO ACIP SANTO TIRSO Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS

Leia mais

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo

ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES. Preâmbulo ACORDO DE COOPERAÇÃO PROGRAMA DA REDE NACIONAL DE BIBLIOTECAS ESCOLARES Preâmbulo Considerando a criação e o desenvolvimento de uma Rede de Bibliotecas Escolares, assumida como política articulada entre

Leia mais

Portugal Mapas e Números

Portugal Mapas e Números Plano Anual de Atividades 2011-12 Portugal Mapas e Números Código da atividade ogf3 Destinatários Toda a comunidade educativa da ESSM Intervenientes Responsáveis Prof. Augusto Cebola e Prof. Jorge Damásio

Leia mais

«CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO. 9ª Edição 2010/11

«CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO. 9ª Edição 2010/11 «CIÊNCIA NA ESCOLA» REGULAMENTO DO PRÉMIO 9ª Edição 2010/11 REGULAMENTO PRÉMIO FUNDAÇÃO ILÍDIO PINHO "CIÊNCIA NA ESCOLA CAPÍTULO 1 Disposições gerais Artigo 1.º 1. A e o Ministério da Educação celebraram

Leia mais

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Boletim Estatístico Dezembro 2014 Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Índice 1. PROCESSOS E PEDIDOS DE INFORMAÇÃO DE SOBRE-ENDIVIDAMENTO... 3 1.1. Processos e Pedidos de Informação de Sobre-endividamento

Leia mais

Normas Orientadoras. Centros de Recursos TIC para a Educação Especial

Normas Orientadoras. Centros de Recursos TIC para a Educação Especial Normas Orientadoras Centros de Recursos TIC para a Educação Especial Julho 2007 1 Contexto Plano de Acção para a Integração das Pessoas com Deficiência ou Incapacidade A criação de uma rede nacional de

Leia mais

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS SEF - North Address Available from: CNAI do Porto Rua do Pinheiro, n.º 9 4050-484 Porto

Leia mais

Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas )

Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas ) Ideias finais (Concurso Nacional de Ideias Cidades Criativas ) O Concurso "Cidades Criativas", iniciativa dirigida a jovens alunos de Área de Projecto do 12.º ano, chegou ao fim. Durante cerca de nove

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

Direcção de Assistência Empresarial

Direcção de Assistência Empresarial Direcção de Assistência Empresarial Lisboa, 11 de Agosto de 2011 Missão das lojas da exportação Prestar apoio às empresas nas suas estratégias de exportação, facilitando e simplificando o acesso informação,

Leia mais

Plano de Formação 2009

Plano de Formação 2009 Plano de Formação 2009 Introdução: O Departamento de Formação (DF) da FPR apresenta o plano de formação para 2009. A formação de todos os agentes desportivos treinadores, dirigentes, árbitros e fisioterapeutas

Leia mais

Mais um ano Mais Recordes

Mais um ano Mais Recordes www.portugalrugbyfestival.com Mais um ano Mais Recordes 12 e 13 de Abril de 2014 Estádio Universitário de Lisboa O Rugby Youth Festival Jogos Santa Casa 2014 terminou como a edição que bateu todos os recordes,

Leia mais

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS:

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS: INTRODUÇÃO NÍVEL I O Gira-Volei é um jogo de iniciação à modalidade destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 8 e 15 anos, onde através do jogo simplificado (2x2) e utilização do passe faz

Leia mais

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO

ROJECTO PEDAGÓGICO E DE ANIMAÇÃO O Capítulo 36 da Agenda 21 decorrente da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, realizada em 1992, declara que a educação possui um papel fundamental na promoção do desenvolvimento

Leia mais

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014...

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... Índice 1. Processos de Sobre-endividamento 1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... 4 2. Causas de Sobre-endividamento

Leia mais

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL INQUÉRITO AO CRÉDITO Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Introdução O Inquérito ao Crédito Fevereiro 2009, realizado pela AIP-CE, teve como base uma amostra constituída

Leia mais

ARAGÃOPINTO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL VAMOS AJUDAR QUEM PRECISA!

ARAGÃOPINTO FUNDAÇÃO DE SOLIDARIEDADE SOCIAL VAMOS AJUDAR QUEM PRECISA! A ESSENCIALIDADE DE CUIDAR DAS NOSSAS CRIANÇAS INVESTIR A TEMPO PARA EVITAR... E PERSISTIRMOS NA BUSCA DE FAZER SEMPRE MELHOR PARA NÓS A PREVENÇÃO NÃO É UMA OPÇÃO... É UMA OBRIGATORIEDADE MISSÃO A Fundação

Leia mais

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa INOVAÇÃO e I&DT Lisboa Prioridades, Impactos, Próximo Quadro MIGUEL CRUZ Aumentar a capacidade competitiva no mercado internacional Reforçar as competências estratégicas Apoiar as PME no reforço das suas

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 II PLANO DE ATIVIDADES PARA 2016... 6 1. EIXO 1 PROFISSIONALIZAÇÃO DE SERVIÇOS 6 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO 2016 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 I ENQUADRAMENTO INSTITUCIONAL... 4 1. Princípios de Ação.4 2. Recursos Organizacionais.4 3. Recursos Humanos 5 4. Recursos Físicos

Leia mais

Enquadramento... 1. Objetivos... 1. Alunos... 1. Professores estagiários... 1. Recursos... 1. Humanos... 1. Temporais... 2. Espaciais...

Enquadramento... 1. Objetivos... 1. Alunos... 1. Professores estagiários... 1. Recursos... 1. Humanos... 1. Temporais... 2. Espaciais... i Índice Enquadramento... 1 Objetivos... 1 Alunos... 1 Professores estagiários... 1 Recursos... 1 Humanos... 1 Temporais... 2 Espaciais... 2 Materiais... 2 Procedimentos de planeamento e organização...

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações 0130 0130 0130 0130 0130 0130 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina Universidade dos Açores - Ponta Delgada Universidade dos Açores -

Leia mais

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Evento: Local: Data: CONFERÊNCIA REGIONAL DE LISBOA E VALE DO TEJO Centro de Formação Profissional de Santarém 10 de Março

Leia mais

AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA

AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA AGRUPAMENTO VERTICAL DE MURÇA EB 2,3/S DE MURÇA REGULAMENTO DO FUNCIONAMENTO DAS ACTIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR I. Introdução Nos termos do art.º 22º da Lei nº 30/2002, de 20 de Dezembro, alterada

Leia mais

XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007

XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007 XIV Jornadas Pedagógicas de Educação Ambiental Ambiente, Saúde e Qualidade de Vida Lisboa, 26 e 27 de Janeiro de 2007 Projecto Carta da Terra. Instrumento de Sustentabilidade. Balanço e Perspectivas Manuel

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017

PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ESCOLA SECUNDÁRIA JOSÉ AFONSO SEIXAL CÓDIGO 401481 Av. José Afonso Cavaquinhas Arrentela 2840 268 Seixal -- Tel. 212276600 Fax. 212224355 PROJETO EDUCATIVO DE ESCOLA 2014-2017 ABRIL DE 2014 Índice 1. Introdução

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Metodologia Dimensão da amostra Datas das entrevistas Margem de erro Idioma das entrevistas 1,000 Brasileiros adultos 23 Novembro

Leia mais

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA

EDP. PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA EDP PREPARAR A ECONOMIA DO CARBONO Eficiência energética em alerta vermelho EMPRESA O Grupo EDP Energias de Portugal centra as suas actividades na produção, distribuição e comercialização de energia eléctrica,

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012

PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 PROGRAMA VOCAÇÃO 2012 Preâmbulo A ocupação dos tempos livres dos jovens em tempo de aulas, através de actividades que contribuam significativamente para o enriquecimento da sua formação pessoal, funcionando

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

MAIS PRÓXIMO DA COMUNIDADE

MAIS PRÓXIMO DA COMUNIDADE MAIS PRÓXIMO DA COMUNIDADE RESPONSABILIDADE SOCIAL Com vista a promover uma cultura de responsabilidade social, o Millennium bcp tem procurado desenvolver um conjunto de acções junto dos vários grupos

Leia mais

SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO

SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO SPORT LISBOA E BENFICA PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO Basto, M. 1 ; Mata, I. 2 ; Costa, R. 3 1 ARGO Arte, Património & Cultura Rua Ernesto da Silva, 50 R/C 1495-055 Algés, Portugal geral@argo-cr.com 2 Sport

Leia mais

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ

CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ CENTRO DE FORMAÇÃO DESPORTIVA DE XADREZ Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia Gaianima, E. M., Equipamentos Municipais Departamento do Desporto Escolar Escola Profissional de Gaia Academia de Xadrez de

Leia mais

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 LINHA DE CRÉDITO PARA ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR COM GARANTIA MÚTUA ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 Comissão de Acompanhamento 29 de Maio de 2008 Introdução, e principais conclusões Este documento

Leia mais

HÁ 7 ANOS A ACREDITAR EM MOÇAMBIQUE

HÁ 7 ANOS A ACREDITAR EM MOÇAMBIQUE HÁ 7 ANOS A ACREDITAR EM MOÇAMBIQUE Relatório de Apresentação 2012 Um projecto: O PUMAP é um programa de voluntariado constituído por estudantes de várias universidades de Lisboa, realizando-se através

Leia mais

COIMBRA LANÇAMENTO DA LINHA AZUL COM TRÊS MINI AUTOCARROS ELÉCTRICOS GULLIVER 8 de Setembro de 2003

COIMBRA LANÇAMENTO DA LINHA AZUL COM TRÊS MINI AUTOCARROS ELÉCTRICOS GULLIVER 8 de Setembro de 2003 COIMBRA LANÇAMENTO DA LINHA AZUL COM TRÊS MINI AUTOCARROS ELÉCTRICOS GULLIVER 8 de Setembro de 2003 MINI-AUTOCARROS ELÉCTRICOS EM FROTAS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO O GULLIVER PROGRAMA DE DEMONSTRAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DO CÁVADO E DO AVE ESCOLA SUPERIOR DE GESTÃO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2009 PROJECTO EM SIMULAÇÃO EMPRESARIAL Índice Introdução 1 Recursos Humanos afectos ao PSE... 3 1.1 Caracterização...

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações Congénere 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Leia mais

Projecto Nacional Educação para o Empreendedorismo

Projecto Nacional Educação para o Empreendedorismo Projecto Nacional Educação para o Empreendedorismo Instrumento de avaliação A. Projecto da escola A.1. Apresentação do Projecto da escola Caros colegas da Comissão, No âmbito do processo de monitorização,

Leia mais

Oficinas EcoSol Promoção da Economia Solidária

Oficinas EcoSol Promoção da Economia Solidária Entidade Promotora Entidade Financiadora Oficinas EcoSol Promoção da Economia Solidária RELATÓRIO DE ACTIVIDADE Oficinas descentralizadas Vila Verde * Covilhã * Constância * Castro Verde Outubro 2011 Carlos

Leia mais

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas

IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas IV Seminário Plataformas Logísticas Ibéricas Preparar a Retoma, Repensar a Logística 10 de Novembro NOVOHOTEL SETUBAL Comunicação: Factores de Atractividade da oferta logística do Alentejo Orador: Dr.

Leia mais

Normas para as Matrículas das Crianças da Educação Pré-escolar e dos Alunos dos Ensinos Básico e Secundário

Normas para as Matrículas das Crianças da Educação Pré-escolar e dos Alunos dos Ensinos Básico e Secundário Índice Legislação Geral 1 Legislação Acção Social e Seguro Escolar 2 Alargamento da Rede de Edcação pré-escolar 2 Educação Especial 3 Inclusão e Sucesso Educativo 4 Notícias 5 Encerramento do Ano Lectivo

Leia mais

Índice. Homologação das classificações 2015/2016 Aprovado em reunião de Direcção em

Índice. Homologação das classificações 2015/2016 Aprovado em reunião de Direcção em Homologação das Classificações 2015/2016 Índice 1. Tabela classificativa do campeonato nacional da divisão de honra...3 2. Tabela classificativa do campeonato nacional da I divisão...4 3. Tabela classificativa

Leia mais

Relatório Anual de Atividades

Relatório Anual de Atividades Direção de Serviços de Recrutamento e Assuntos do Serviço Militar DIVISÃO DE ASSUNTOS DA PROFISSIONALIZAÇÃO DO SERVIÇO MILITAR Centro de Informação e Orientação para a Formação e o Emprego Relatório Anual

Leia mais

Empresas que se mexem, são empresas que crescem!

Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Empresas que se mexem, são empresas que crescem! Apresentação do Projecto/ Abertura de inscrições Introdução A Adere-Minho - Associação para o Desenvolvimento Regional do Minho, entidade de natureza associativa

Leia mais

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR

PROJETO DO DESPORTO ESCOLAR COORDENADOR: Vanda Teixeira 1. FUNDAMENTAÇÃO/ CONTEXTUALIZAÇÃO/ JUSTIFICAÇÃO a) O Desporto Escolar constitui uma das vertentes de atuação do Ministério da Educação e Ciência com maior transversalidade

Leia mais

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O INQUÉRITO AOS DIPLOMADOS EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS 2011/2012 traçar o perfil

Leia mais

CALENDÁRIO DE EXAMES PARA OBTENÇÃO DE CARTA DE CAÇADOR PROGRAMAÇÃO PARA OS MESES DE SETEMBRO A DEZEMBRO de 2015

CALENDÁRIO DE EXAMES PARA OBTENÇÃO DE CARTA DE CAÇADOR PROGRAMAÇÃO PARA OS MESES DE SETEMBRO A DEZEMBRO de 2015 CALENDÁRIO DE EXAMES PARA OBTENÇÃO DE CARTA DE CAÇADOR PROGRAMAÇÃO PARA OS MESES DE SETEMBRO A DEZEMBRO de 2015 Notas prévias: - Esta programação pode ser sujeita a alterações, desde que não esteja em

Leia mais

Expectativas superadas no maior Festival de Rugby Juvenil de Portugal

Expectativas superadas no maior Festival de Rugby Juvenil de Portugal MEO PORTUGAL RUGBY YOUTH FESTIVAL 2013 Expectativas superadas no maior Festival de Rugby Juvenil de Portugal Sucesso entre Participantes e Espectadores 4 e 5 de Maio Estádio Universitário de Lisboa www.portugalrugbyfestival.com

Leia mais

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE

PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE PROTOCOLO ENTRE O MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E O MINISTÉRIO DA SAÚDE A promoção da educação para a saúde em meio escolar é um processo em permanente desenvolvimento para o qual concorrem os sectores da Educação

Leia mais

Workshop (Da Estrutura e Desenvolvimento)

Workshop (Da Estrutura e Desenvolvimento) NOTA PRÉVIA: Dada a diversidade e quantidade de ideias e propostas manifestadas, optou por fazer-se uma síntese dos assuntos abordados retirando os comentários e as trocas de opiniões que entretanto surgiram,

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos

Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos Plano Tecnológico da Educação Plano Tecnológico da Educação: um meio para a melhoria do desempenho escolar dos alunos 23 de Jun de 2008 O Plano Tecnológico da Educação constitui-se como um poderoso meio

Leia mais

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE ESTUDO DOS DADOS DOS FARMACÊUTICOS Consulta à base de dados da Ordem dos Farmacêuticos a 31-12-213 7 MARÇO 214 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O FARMACÊUTICOS

Leia mais

Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária?

Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária? Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária? Respondidas: Ignoradas: 0 < 10 anos 10 a 20 anos 20 a 30 anos > 30 anos Opções de resposta < 10 anos 10 a 20 anos 20 a 30 anos > 30 anos Respostas

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO

SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 07 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO DE PME) VALE INOVAÇÃO Nos termos do Regulamento do SI Qualificação

Leia mais

A rede de Euro Info Centres E I C

A rede de Euro Info Centres E I C Facilitar o acesso à União Europeia A rede de Euro Info Centres E I C Uma chave para a EUROPA A Rede de Euro Info Centres 269 Euro Info Centres 26 Membros Associados 13 Euro Info Centres de correspondência

Leia mais

Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social

Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social Dar tempo por causas: alimentar ideias Construir alternativas para a inclusão social Escola Superior Gallaecia 7 de Dezembro de 2011 Maria de Fátima Cortez Ferreira O direito à alimentação é um dos mais

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

«Concurso Jovem Agricultor Português»

«Concurso Jovem Agricultor Português» «Concurso Jovem Agricultor Português» Como já é tradição, desde há muito, que a Caixa não descura a intenção de apoiar e estimular a economia nacional, assim como outras áreas de interesse, mostrando com

Leia mais

ESTE ANO A CAMPANHA DE EMERGÊNCIA DA AMI É NACIONAL.

ESTE ANO A CAMPANHA DE EMERGÊNCIA DA AMI É NACIONAL. ESTE ANO A CAMPANHA DE EMERGÊNCIA DA AMI É NACIONAL. A pobreza em Portugal está a aumentar. Desde 2008, o número de casos de pobreza atendidos pela AMI mais que duplicou 2008 2009 2010 2011 7.000

Leia mais

Perfil das Ideias e dos Empreendedores

Perfil das Ideias e dos Empreendedores Perfil das Ideias e dos Empreendedores I - Considerações gerais A análise que se segue tem como referência um painel 115 ideias de negócio, com proposta de desenvolvimento por 214 empreendedores, candidatos

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2014

PLANO DE ACTIVIDADES 2014 PLANO DE ACTIVIDADES 2014 INTRODUÇÃO Com o presente programa pretende-se continuar com o trabalho de divulgação e promoção da modalidade, iniciado nas épocas anteriores, na cidade das Caldas da Rainha

Leia mais

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014 O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 2 A Mulher portuguesa e o Desporto 1º FÓRUM NACIONAL DE TÉNIS DE MESA 24 maio 2014 Propostas para discussão e reflexão Manuela Simões O Ténis de Mesa não é, a este

Leia mais

PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS. Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego

PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS. Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego PROJETO DE EMPREENDEDORISMO NAS ESCOLAS Comunidade Intermunicipal do Baixo Mondego outubro 2013 EDUCAÇÃO EMPREENDEDORA A necessidade A Estratégia EU2020 refere que deve ser colocada ênfase em áreas prioritárias

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais