Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber"

Transcrição

1 Cárie Dental Conceitos Etiologia Profa Me. Gilcele Berber

2 Perda localizada dos tecidos calcificados dos dentes, decorrentes da fermentação de carboidratos da dieta por microrganismos do biofilme

3 Princípios Gerais: Historicamente, para um microrganismo ser considerado responsável por uma dada condição, eram aplicados o postulado de Koch; Nova versão para o Biofilme: 1. Um micróbio deverá estar presente em número suficiente para iniciar a doença; 2. O micróbio deverá gerar altos níveis de anticorpos específicos; 3. O micróbio deverá produzir fatores de virulência relevantes; 4. O micróbio deverá causar doença em um modelo animal apropriado; 5. A eliminação do micróbio deverá resultar em melhoria da doença

4 Cárie Dental -Doença bacteriana; - Relacionamento estreito com biofilme; -Dependente da presença e frequência de açúcares simples na dieta; -Modificada pela presença de fluoretos e pela qualidade da composição salivar. (Hume,w.R,1997) - Doença resultante do desequilíbrio entre os processos dinâmicos de desmineralização e remineralização, com predominância do primeiro. (Thylstrup & Fejerskov,1995)

5 Cárie Dental Doença infecciosa e multifatorial; Coleção de fatores que contribuem para instalação e progressão; Interagem modificando o equilíbrio existente entre elementos do esmalte dentário e o meio ambiente bucal, modulado pela saliva. Consequências macroscópicas iniciam-se com a mancha branca não cavitada e podem terminar com a perda do elemento dentário.

6 Aspectos Etiológicos Hospedeiro Humano Agente Causal Meio Ambiente

7

8 Glicosiltransferases

9 no caries infected female caries antibiotic (penicilin) depresses flora cage contact transmission of cariogenic flora to offspring nonifected S.mutans labeled smear with cariogenic plaque or feces infected and caries noninfected and no carie infected and carie

10 PRIMEIRO SINAL CLÍNICO DA CÁRIE DENTÁRIA: MANCHA BRANCA

11

12

13 -A cavitação é o estágio final da cárie do esmalte; - Presença Estreptococos mutans em manchas brancas. -Lactobacillus -Sucessão microbiana durante a formação da cárie UFC/ml saliva

14 Perda total Perda mineral Clinicamente visível Microscópica Cavitação Ultraestrutural Tempo

15 Estudos realizados com recrutas do exército Holandês 18 a 20 anos 40% a 86% apresentam Estreptococos mutans, entre eles os livres de cárie e cárie ativos. Cárie ativos apresentavam uma associação do Estreptococos mutans com Estreptococos sobrinus. Hipotese da placa ecológica

16 Cárie de fissura - As fissuras em superfícies oclusais são os locais mais predispostos à cárie.

17 Predisposição a cárie: Xerostomia: Radiação para câncer de cabeça e pescoço; Síndrome de Sjogren (afeta as glândulas produtoras de lágrimas e saliva); Medicação

18 Transmissibilidade

19 ...E A DIETA??????

20

21 CÁRIE DE MAMADEIRA CÁRIE RAMPANTE - Amamentação noturna (carboidratos fermentadores ) associada a ausência de higiene.

22

23

24 Cárie recorrente Pode ocorrer debaixo ou ao redor de uma restauração; Pode resultar da penetração de microrganismos ao redor da margens da restauração pobremente preenchidas ou da remoção incompleta da bactérias da dentina. Tipo de restauração pode influenciar o desenvolvimento da microflora. (amálgama por cimento de ionômero de vidro).

25 Invasão bacteriana de dentina e canais radiculares A dentina pode ser invadida por: Progressão direta de uma lesão de cárie de esmalte; De cárie de superfície radicular; De uma bolsa periodontal via canais acessórios laterais; Como resultado de uma fratura ou trauma durante procedimentos operatórios; Como resultado de cárie secundária ou recorrente.

26 Especificidade bacteriana Lactobacilos Necessita sítios retentivos para iniciar a desmineralização. Proporção em superfícies intactas do esmalte é de 0,01% da microbiota cultivável. Considerado um invasor secundário.

27 Estreptococos mutans Capacidade de colonizar biofilme; Aumento do número de S. mutans no biofilme; Aumento do número de S. mutans em indivíduos com alta prevalência; Correlação entre S. mutans no biofilme e saliva e incidência de cárie; Correlação entre progressão da lesão e o número de S. mutans.

28 Abordagens para o controle das cáries dentais Selantes de fissura; Flúor; Agentes antimicrobianos; Substitutos do açúcar; Vacinação e imunização

29 Conceitos: Atividade cárie: velocidade destruição; Prevalência: número total de dentes ou superfície cariada; Incidência: aumento número de lesões; Risco: genético ou ambiental CPOD: número de dentes cariados, perdidos ou obturados.

30 Fatores Intrínsecos da cariogenicidade a) Mecanismos de aderência à cavidade bucal; b) Capacidade de produzir ácidos (acidogenicidade); c) Capacidade de sobreviver em meio ácido (potencial acidurico), formação e utilização de polissacarídeos.

Etiologia. cárie dentária

Etiologia. cárie dentária Etiologia da cárie dentária Cárie Latim destruição, coisa podre A cárie dental é reconhecida como uma doença, resultante de uma perda mineral localizada, cuja causa são os ácidos orgânicos provenientes

Leia mais

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta

Resumo de Aula. Fatores que interferem na etiologia da cárie dental: Bactérias Adesão bacteriana Especificidade Bacteriana Dieta Estudo da Doença Cárie Dentária I Urubatan Medeiros Doutor (USP) Professor Titular do Departamento de Odontologia Preventiva e Comunitária UERJ/UFRJ Coordenador da Disciplina de Odontologia Preventiva

Leia mais

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Curso Técnico em Saúde Bucal Aula disponível: www.portaldoaluno.bdodonto.com.br Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Prof: Bruno Aleixo Venturi 1 O que é a doença cárie? 2 CÁRIE DENTAL Do#La&m# Carious

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Etiologia e epidemiologia da cárie dentária

UNA-SUS Universidade Aberta do SUS SAUDE. da FAMILIA. CASO COMPLEXO 5 Amélia. Fundamentação Teórica: Etiologia e epidemiologia da cárie dentária CASO COMPLEXO 5 Amélia : Etiologia e epidemiologia da cárie dentária Daniella Ferraz Cerqueira A cárie dentária é uma doença infecciosa que progride de forma muito lenta na maioria dos indivíduos, raramente

Leia mais

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS

CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS Prof. Dr. Cláudio Galuppo Diniz Cárie => decomposição lenta do dente resultante da perda de cristais de hidroxiapatita. Essa dissolução da matriz mineralizada reduz

Leia mais

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB

Especialização em SAÚDE DA FAMÍLIA. Caso complexo Natasha. Fundamentação teórica Odontohebiatria PROVAB Caso complexo Natasha Especialização em Fundamentação teórica PROVAB Isa Teixeira Gontijo Para compreender bem as medidas que devem ser adotadas na prevenção da doença cárie e da doença gengival, diagnosticadas

Leia mais

Viajando com o Sr. Mutans

Viajando com o Sr. Mutans Viajando com o Sr. Mutans - o jogo da cárie - Material de Apoio Autoria: Adriana de Sales C. Correa 1 TERMOS USADOS NO JOGO E CONCEITOS BÁSICOS DE ODONTOLOGIA Processo de formação da cárie Aspectos patológicos

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA:

DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA: DISCIPLINA ESTUDOS PREVENTIVOS EM CARIOLOGIA TEMA: Métodos de prevenção da cárie dentária - estratégias coletivas, no contexto da promoção da saúde bucal Profa. Dra. Eliete Rodrigues de Almeida Profa.

Leia mais

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem?

SAÚDE BUCAL. Você sabe quantos dentes de leite você tem? SAÚDE BUCAL Você sabe quantos dentes de leite você tem? Vinte e quatro dentes de leite, que a partir dos 6 até os 12 anos, caem e são substituídos por outros permanentes. Mas não é porque vão cair que

Leia mais

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA

BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA BIOESTATÍSTICA x EPIDEMIOLOGIA EPIDEMIOLOGIA Conceito: É o estudo da distribuição do estado ou eventos de saúde- doença e de seus determinantes em populações específicas, e a aplicação desse estudo para

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais.

DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais. DENTPLAQUE Uma ferramenta lúdica e eficaz na construção da autonomia do indivíduo e no controle das doenças bucais. INTRODUÇÃO A evolução do conhecimento científico trouxe uma mudança radical nos paradigmas

Leia mais

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS.

INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS. INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE FUNORTE / SOEBRAS ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL NOS TRABALHADORES DE PADARIAS E CONFEITARIAS. Manaus, 2009 ANDREY PEREIRA DE LIMA ATIVIDADE DE CÁRIE DENTAL

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 34

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 34 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 34 QUESTÃO 17 Com relação à cárie dentária, é CORRETO afirmar: a) Tudo indica que a infecção primária na criança advém da mãe (transmissão vertical), mas isso

Leia mais

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014

PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 PROCESSO SELETIVO EDITAL 23/2014 CARGO E UNIDADES: Odontólogo (Unidade Móvel) Atenção: NÃO ABRA este caderno antes do início da prova. Tempo total para resolução desta prova: 3 (três) horas. I N S T R

Leia mais

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Autores: Ana Cláudia Morandini Sanchez, CD Serviço de saúde: Unidade de Saúde da Família VILA ANA Palavras-chaves: cárie dentária,

Leia mais

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato ... vedar... obliterar... isolar do meio externo SELANTE É: Barreira Física Os selantes oclusais são reconhecidos como uma medida efetiva na PREVENÇÃO

Leia mais

AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI

AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI CURSO ASB UNIODONTO/APCD AULA 3 DENTÍSTICA RESTAURADORA MATERIAIS E TÉCNICAS PROF.ESP.RICHARD SBRAVATI TRABALHO DE CONCLUSÃO DE MÓDULO Tema: O papel da ASB nas especialidades de Prótese e Dentística. Trabalho

Leia mais

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução

ODONTOLOGIA CANINA. Introdução ODONTOLOGIA CANINA Juliana Kowalesky Médica Veterinária Mestre pela FMVZ -USP Pós graduada em Odontologia Veterinária - ANCLIVEPA SP Sócia Fundadora da Associação Brasileira de Odontologia Veterinária

Leia mais

FÁTIMA BARK BRUNERI LORAINE MERONY PINHEIRO UNIVERSIDADE POSITIVO

FÁTIMA BARK BRUNERI LORAINE MERONY PINHEIRO UNIVERSIDADE POSITIVO Preparo de uma região para cirurgia FÁTIMA BARK BRUNERI LORAINE MERONY PINHEIRO UNIVERSIDADE POSITIVO Clinica Integrada II 3º Período Diurno Professores: Carmen Lucia Mueller Storrer Eli Luis Namba Fernando

Leia mais

GUIA CURRICULAR CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL MÓDULO II. Manual do Docente

GUIA CURRICULAR CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL MÓDULO II. Manual do Docente GUIA CURRICULAR CURSO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL MÓDULO II Participando da organização do trabalho, planejamento das ações e prevenção de doenças bucais Manual do Docente Belo Horizonte, 2010 moduloii Unidade

Leia mais

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS SANTOS, Aniúsca V¹; MANGGINI, Bruna K¹; MACIESKI, Franciele¹; SOARES, Jéssica Cavalheiro 1 ; TAMANHO, Jiana¹;

Leia mais

Tratamento Restaurador Atraumático: uma revisão de literatura

Tratamento Restaurador Atraumático: uma revisão de literatura Universidade do Vale do Paraíba UNIVAP Faculdade de Ciências da Saúde Curso de Odontologia Tratamento Restaurador Atraumático: uma revisão de literatura Trabalho de Graduação apresentado à Universidade

Leia mais

O direito de não sentir medo

O direito de não sentir medo LÍNGUA PORTUGUESA O direito de não sentir medo 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 A pesquisa do Datafolha revela o que se poderia classificar como "caretice" dos jovens -- seus projetos

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

Materiais de restauração (Ionómero de vidro) VOCO Ionofil Molar. VOCO Ionofil Molar Jumbo Mix. Cimento de ionómero de vidro compactável

Materiais de restauração (Ionómero de vidro) VOCO Ionofil Molar. VOCO Ionofil Molar Jumbo Mix. Cimento de ionómero de vidro compactável VOCO Ionofil Molar VOCO Ionofil Molar Jumbo Mix Cimento de ionómero de vidro compactável Restaurações de classe I (não sujeitas a forças oclusais de estrutura dentária VOCO Ionofil Molar em cápsulas de

Leia mais

MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO

MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO MICROBIOTA OU FLORA NORMAL DO CORPO HUMANO Disciplina: Microbiia e Parasitia Patrícia de Lima Martins INTRODUÇÃO O que é Microbiota? MICROBIOTA São os microrganismos (bactérias, fungos, vírus e protozoários)

Leia mais

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo

Caso 14. 1ª Parte. Refletindo e Discutindo Caso 14 1ª Parte Gabriel, 17 anos, procurou Maria, agente comunitária de saúde, para saber onde poderia tratar de seus vários dentes com buracos porque queria servir ao Exército. Maria pergunta se esse

Leia mais

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA E AJUDE A PREVENÍ-LA Sua dieta e seus hábitos de saúde bucal podem fazer uma grande diferença A RELAÇÃO ENTRE OS DENTES, BACTÉRIAS E OS ÁCIDOS DO AÇÚCAR Esses fatores desencadeiam

Leia mais

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1.

Os dentifrícios são produtos cosméticos utilizados na limpeza da cavidade bucal. Sua composição se encontra na Figura 1. OS DENTIFRÍCIOS OS DENTIFRÍCIOS E A HIGIENE ORAL Diferentes tipos de microrganismos se desenvolvem na cavidade oral. Muitos são inofensivos, outros não. Algumas bactérias fermentam os carboidratos (predominantemente

Leia mais

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus

MISSÃO DA EMPRESA. O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus MISSÃO DA EMPRESA O nosso compromisso é atingir e superar as expectativas dos clientes, garantindo sua total satisfação, fazendo da Dental Plus Manual sinônimo do Dentista de excelência Credenciado em

Leia mais

Slide 1: 4. Como Cariologia deveria ser ensinada? 5. Dicotomia entre o ensino e pratica de Cariologia

Slide 1: 4. Como Cariologia deveria ser ensinada? 5. Dicotomia entre o ensino e pratica de Cariologia Slide 1: Boa tarde a todos Quando há 3 meses eu fui convidado para falar sobre esse tema nesse importante encontro promovido pela FDI-ABO eu refleti antes de aceitar porque embora eu me considere um Cariologista

Leia mais

AVALIAÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS COM 6 ANOS DE IDADE NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE ORAL

AVALIAÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS COM 6 ANOS DE IDADE NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE ORAL AVALIAÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS COM 6 ANOS DE IDADE NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE PROMOÇÃO DA SAÚDE ORAL Dissertação apresentada à Universidade Católica Portuguesa para obtenção do

Leia mais

ECOLOGIA MICROBIANA DA

ECOLOGIA MICROBIANA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Microbiologia ECOLOGIA MICROBIANA DA CAVIDADE BUCAL Prof. Dr. Mario Julio Avila-Campos http://www.icb.usp.br/bmm/mariojac Ecologia

Leia mais

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL

ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA PROVA OBJETIVA RECRUTAMENTO INTERNO AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL Prezado candidato(a), você recebeu o seguinte material: - um caderno de questões contendo 20 (vinte) questões

Leia mais

PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA

PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA (ISSN 1984-8153) PREVENÇÃO DA CÁRIE DE MAMADEIRA EARLY CHILDHOOD CARIES PREVENTION Ana Claudia G. Da Silva MOREIRA 1 Dianathan F. Ramos SZUMSKI 1 Eteonilia P. M. GOMES 1 Luciane SARAIVA 1 Renata Machado

Leia mais

PREVENÇÃO DA CÁRIE PRECOCE INFANTIL: Manual de orientação aos profissionais de saúde como ferramenta de ensino

PREVENÇÃO DA CÁRIE PRECOCE INFANTIL: Manual de orientação aos profissionais de saúde como ferramenta de ensino FUNDAÇÃO OSWALDO ARANHA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE VOLTA REDONDA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO MESTRADO PROFISSIONAL EM ENSINO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE E DO MEIO AMBIENTE CECÍLIA PEREIRA

Leia mais

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS

ANEXO RN 211 ROL DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS ROL DE ONTOLÓGICOS PROCEDIMENTO SUBGRUPO GRUPO CAPÍTULO AMB HCO HSO PAC D.UT ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL (COM DIRETRIZ DE AJUSTE OCLUSAL ALVEOLOPLASTIA AMPUTAÇÃO RADICULAR COM OU SEM OBTURAÇÃO RETRÓGRADA APICETOMIA

Leia mais

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?

... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental? ... que o nervo do dente é chamado Polpa e é responsável pela nutrição e sensibilidade dental?... que os alimentos duros ajudam a limpar os dentes? Eles estimulam o fluxo salivar dificultando a queda de

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

Rol Mínimo. Cobertura detalhada

Rol Mínimo. Cobertura detalhada Cirurgia Alveoloplastia Amputação radicular com obturação retrógrada Amputação radicular sem obturação retrógrada Apicetomia birradiculares com obturação retrógrada Apicetomia birradiculares sem obturação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2014 Prefeitura Municipal de Bom Despacho AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO 001/2014 Prefeitura Municipal de Bom Despacho AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL 1)Para a prevenção e o controle da cárie, é necessário atuar em um conjunto de fatores : a) Restauração, polimento, bala b) Controle do açúcar, limpeza dos dentes, uso do flúor. c) Escovação, açúcar, flúor

Leia mais

Premissa. Códigos e rios

Premissa. Códigos e rios Índices epidemiológicos em saúde bucal 3/10/2011 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Premissa A epidemiologia pode ser definida como o estudo da distribuição e dos determinantes de eventos ou estados relacionados

Leia mais

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé

Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal. Materiais Dentários. Professora: Patrícia Cé Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Materiais Professora: Patrícia Cé Introdução AULA I Vernizes Cimento de hidróxido de Cálcio Cimento de Ionômero de Vidro Cimento de

Leia mais

AÇÃO DA PRÓPOLIS DE Apis Mellifera NO CONTROLE DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA E GENGIVITE EM PACIENTES SUBMETIDOS A TRATAMENTO ORTODÔNTICO

AÇÃO DA PRÓPOLIS DE Apis Mellifera NO CONTROLE DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA E GENGIVITE EM PACIENTES SUBMETIDOS A TRATAMENTO ORTODÔNTICO FABIANO FERREIRA REGALADO AÇÃO DA PRÓPOLIS DE Apis Mellifera NO CONTROLE DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA E GENGIVITE EM PACIENTES SUBMETIDOS A TRATAMENTO ORTODÔNTICO Dissertação apresentada ao Programa de pós-graduação

Leia mais

Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas

Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas Mónica Sofia Araújo Dias Estudo dos Factores de Risco em Saúde Oral em Crianças Escolarizadas Universidade Fernando Pessoa Faculdade das Ciências da Saúde Porto 2009 Mónica Sofia Araújo Dias Estudo dos

Leia mais

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008:

Tomamos por exemplo a classificação referenciada por Kandelman et al em2008: INTRODUÇÃO: O envelhecimento humano pode ser definido como o processo de mudança progressiva da estrutura biológica, psicológica e social dos indivíduos, que se inicia antes do nascimento e se desenvolve

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ODONTOLOGIA ARIANA DOS SANTOS KERESKI PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE LESÕES CARIOSAS ASSOCIADAS AO TRATAMENTO ORTODÔNTICO Porto Alegre 2012 ARIANA DOS

Leia mais

CÁRIE DENTÁRIA. Epidemiologia e Métodos Preventivos 02/09/2009 CÁRIE DENTÁRIA EVOLUÇÃO. A cárie dentária é uma

CÁRIE DENTÁRIA. Epidemiologia e Métodos Preventivos 02/09/2009 CÁRIE DENTÁRIA EVOLUÇÃO. A cárie dentária é uma CÁRIE DENTÁRIA Epidemiologia e Métodos Preventivos CÁRIE DENTÁRIA A cárie dentária é uma doença infectocontagiosa causada por ácidos orgânicos oriundos da fermentação microbiana dos carboidratos da dieta.

Leia mais

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR.

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Grupo PET/Odontologia UFJF. Tutora: Prof.ª. Dr.ª Rosângela Almeida Ribeiro ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Aline Barcellos Ana Carla Campos Marcela Nascimento Rachel Itaborahy Introdução Brasil:

Leia mais

CARIE DE MAMADEIRA DANIELLE MARIA MISSEN DREFAHL

CARIE DE MAMADEIRA DANIELLE MARIA MISSEN DREFAHL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ESTOMATOLOGIA CARIE DE MAMADEIRA DANIELLE MARIA MISSEN DREFAHL Monografia apresentada ao Departamento de Estomatologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA JOÃO HENRIQUE MESQUITA FOSCHETTI

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA JOÃO HENRIQUE MESQUITA FOSCHETTI UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS UFMG CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA JOÃO HENRIQUE MESQUITA FOSCHETTI TRATAMENTO RESTAURADOR ATRAUMÁTICO ASSOCIADO A MEDIDAS PREVENTIVAS

Leia mais

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial

Incisão e Drenagem extra-oral de abscesso, hematoma e/ou flegmão da região buco-maxilo-facial CÓDIGO 81000049 81000057 82000468 Diagnóstico, Urgência-Emergência: Noturna, Sábado, Domingo ou Feriado (procedimento abaixo) Consulta odontológica de Urgência (Horário normal das 08:00 horas às 18:00

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE BUCAL E PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS DO MUNICÍPIO DE ARAÚJOS - MINAS GERAIS

PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE BUCAL E PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS DO MUNICÍPIO DE ARAÚJOS - MINAS GERAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA PROPOSTA DE PLANO DE AÇÃO PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE BUCAL E PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA EM CRIANÇAS DO MUNICÍPIO DE ARAÚJOS

Leia mais

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DA CÁRIE DENTAL 1 Doutorando em Dentística pela Universidade Federal de Pelotas, RS - Faculdade de Odontologia de Pelotas. 2 Doutora e Mestre em Endodontia pela Universidade Estadual

Leia mais

REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO SUMMARY

REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO SUMMARY 159 REVISÃO DE LITERATURA CÁRIE RAMPANTE, ETIOLOGIA E SOLUÇÕES DE TRATAMENTO RESUMO RUY CÉSAR CAMARGO ABDO (*) DANIELA NEGREIROS NUNES (**) VERIDIANA SALLES (***) Uma das maiores dificuldades encontradas

Leia mais

alterações ósseas induzidas por doses prolongadas de f1úor. Significa o mesmo que osteofluorose ou f1uorose esquelética.

alterações ósseas induzidas por doses prolongadas de f1úor. Significa o mesmo que osteofluorose ou f1uorose esquelética. mastigação de chicletes contendo Flúor (O,50mg/F), durante 15 minutos. Os resultados indicaram altas concentrações de flúor na saliva durante os primeiros 30 minutos, porém a manutenção destes níveis requer

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGOS DE NÍVEIS SUPERIOR, MÉDIO E TÉCNICO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO DO MUNICÍPIO DE PALMARES AVISO DE RETIFICAÇÃO DE EDITAL Nº 01 A Comissão de Concurso torna publica

Leia mais

A placa dental. 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de 10/11/2008. A placa dental como um biofilme. A placa dental como um biofilme

A placa dental. 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de 10/11/2008. A placa dental como um biofilme. A placa dental como um biofilme 1 ª Jornada Nacional para Técnicos e Auxiliares de Odontologia A placa dental como um biofilme Biofilme Comunidade microbiana relativamente indefinida associada à superfície de qualquer material duro não-descamativo

Leia mais

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9. RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Use of fluoride toothpaste by preschoolers: what pediatricians should know? ; Ana Paula Pires dos Santos pré-escolar. Resumo Resultados e conclusões:

Leia mais

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas

ODONTOLOGIA PERIODONTIA I. 5º Período / Carga Horária: 90 horas ODONTOLOGIA PERIODONTIA I 5º Período / Carga Horária: 90 horas 1. PRÉ-REQUISITO: Biossegurança e Orientação Profissional Odontológica; Diagnóstico por Imagem I; Patologia Buço Denta. 2. EMENTA: O aluno

Leia mais

Cobertura RN 338 Lei 9656/98:

Cobertura RN 338 Lei 9656/98: Cobertura RN 338 Lei 9656/98: CÓDIGO PROCEDIMENTO Flex 30% GRUPO 87000032 CONDICIONAMENTO EM ODONTOLOGIA PARA PACIENTES COM NECESSIDADES ESPECIAIS R$ 7,62 CONSULTAS 81000030 CONSULTA ODONTOLÓGICA R$ 10,58

Leia mais

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial

Planilha1. Controle de hemorragia com aplicação de agente hemostático em região buco-maxilo-facial 81000421 Radiografia periapical CIRURGIA Planilha1 DIAGNÓSTICO 81000065 Consulta odontológica inicial 81000111 Diagnóstico anatomopatológico em citologia esfoliativa na região buco-maxilo-facial 81000138

Leia mais

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL

EXAMES LABORATORIAIS DIAGNOSTICO ANATOMOPATOLOGICO EM MATERIAL DE BIOPSIA NA REGIAO BUCO-MAXILO- 81000138 FACIAL UNIODONTO PORTO ALEGRE Modalidade pré-pagamento sem coparticipação, ou seja, o contratante pagará apenas o valor da mensalidade e terá a sua disposição todos os beneficios previstos pela ANS. Atendimento

Leia mais

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral

A Importância da Saúde Bucal. na Saúde Geral PALESTRA A Importância da Saúde Bucal na Saúde Geral A saúde começa pela boca Os dentes são importantes na mastigação dos alimentos, fala, e estética, influenciando diretamente na auto-estima do indivíduo

Leia mais

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130

Controle de Hemorragia sem Aplicação de Agente Hemostático em região Buco-maxilo-facial 82000484 130 ANEXO I TABELA DE PROCEDIMENTOS ODONTOLÓGICOS AGEMED Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição julho/2014 Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS). NOMENCLATURA / PROCEDIMENTO CÓDIGO TUSS RAIO X

Leia mais

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa.

27/05/2014. Dentística I. Classe III. Classe I. Classe V. Terapêutica ou protética; Simples, composta ou complexa. Mauro A Dall Agnol UNOCHAPECÓ mauroccs@gmail.com Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Classe I Classe II Classe III Classe IV Classe V Dentística I Terapêutica ou protética; Simples, composta

Leia mais

Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC

Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC Tabela de Procedimentos Básicos UNIODONTO TABELA DE PROCEDIMENTOS COPARTICIPAÇÃO-III UNIODONTO-SC Baseado na Lei 9656 e RN 211 - Edição outubro/2011 - Terminologia Unificada da Saúde Suplementar (TUSS).

Leia mais

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES:

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES: SAÚDE BUCAL INTRODUÇÃO A evolução da Odontologia enquanto ciência da saúde é uma realidade incontestável. Dentro deste contexto de mudanças de paradigma, no qual a Promoção de Saúde toma o lugar da prática

Leia mais

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS

COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS COBERTURAS DO PLANO VIP PLUS DESCRIÇÃO DO SERVIÇO 01. DIAGNÓSTICO Exame clínico inicial Consultas com hora marcada Exame clínico final Exame admissional (exame de sanidade dentária) 02. ATENDIMENTO DE

Leia mais

COBERTURA UNIMED ODONTO

COBERTURA UNIMED ODONTO COBERTURA UNIMED ODONTO ODONTOPEDIATRIA Consulta Odontológica SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia SIM SIM SIM Condicionamento em Odontologia para pacientes com necessidades especiais SIM SIM SIM

Leia mais

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS

1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS 1ª. PARTE CONHECIMENTOS GERAIS ODONTOLOGIA 01. As substâncias antimicrobianas podem agir controlando a formação de placa dental através de algumas estratégias, exceto: a) Prevenindo ou inibindo a formação

Leia mais

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC

PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC PROTOCOLOS OPERACIONAIS DOS SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A SEREM SEGUIDOS PELOS PERITOS E PRESTADORES DE SERVIÇO DO SESI/DR/AC A) TIPOS DE SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS A.1 Consulta Inicial Entende-se como exame clínico,

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA PROGRAMA PARA A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA E DA DOENÇA PERIODONTAL Serviço de Odontologia

Leia mais

USO DO FLÚOR E CONTROLE DA CÁRIE COMO DOENÇA

USO DO FLÚOR E CONTROLE DA CÁRIE COMO DOENÇA 2 USO DO FLÚOR E CONTROLE DA CÁRIE COMO DOENÇA Jaime Aparecido Cury INTRODUÇÃO A Odontologia passou por grandes mudanças conceituais no século XX. Entre elas, uma das mais significativas em termos de saúde

Leia mais

Laura Maria Martins de Sousa. Cáries Radiculares

Laura Maria Martins de Sousa. Cáries Radiculares Laura Maria Martins de Sousa Cáries Radiculares Estudo da Prevalência e da Gravidade das Cáries Radiculares Numa População Idosa Institucionalizada do Norte de Portugal Porto 2005 N& / \,v.o Laura Maria

Leia mais

Visitando o dentista durante a gestação Problemas comuns de saúde oral durante a gestação Conselhos de saúde oral

Visitando o dentista durante a gestação Problemas comuns de saúde oral durante a gestação Conselhos de saúde oral Saúde Oral e a Gestação Visitando o dentista durante a gestação Problemas comuns de saúde oral durante a gestação Conselhos de saúde oral Como usar este guia A gestação é o momento perfeito para começar

Leia mais

Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy. Bianca Tardelli Lagreca

Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy. Bianca Tardelli Lagreca Universidade do Grande Rio Prof. José de Souza Herdy Bianca Tardelli Lagreca AVALIAÇÃO DOS FATORES DE RISCO ASSOCIADOS À DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA QUE INCIDEM SOBRE A POPULAÇÃO DE ESCOLARES EM XERÉM DUQUE

Leia mais

Leia estas instruções:

Leia estas instruções: Leia estas instruções: 1 2 3 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Este Caderno contém 35 questões de múltipla escolha,

Leia mais

HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS

HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS HIGIENE BUCAL PARA BEBÊS Deve-se pensar em higiene bucal do bebê desde o momento em que se introduz alguma coisa que não esteja esterilizada em sua boca, como por exemplo o bico do peito. A higiene, enquanto

Leia mais

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO

CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CADERNO DE PROVAS OBJETIVA E REDAÇÃO CURSO: ODONTOLOGIA LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO: 1. Esta prova contém Redação e 20(vinte) questões objetivas. Caso o caderno esteja incompleto e/ou tenha qualquer

Leia mais

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na

Código Estruturado. 79 81000138 Diagnóstico anatomopatológico em material de biópsia. 79 81000154 Diagnóstico anatomopatológico em peça cirúrgica na TUSS Odontologia Código Procedimento US Código Estruturado Especialidade US DIAGNÓSTICO DIAGNÓSTICO 01.01 CONSULTA ODONTOLÓGICA INICIAL 65 81000065 Consulta odontológica inicial 65 01.05 CONSULTA ODONTOLÓGICA

Leia mais

SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS

SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS Saúde Oral das Pessoas Idosas A saúde oral é considerada como uma parte integrante da saúde geral. As doenças da boca e dos dentes têm consequências negativas na qualidade

Leia mais

Aspectos microbiológicos, histopatológicos e clínicos da cárie radicular Microbiology, histopathology and clinical aspects of human root caries

Aspectos microbiológicos, histopatológicos e clínicos da cárie radicular Microbiology, histopathology and clinical aspects of human root caries Cap_12_4ªProva:BaseICS 05.02.10 10:34 Página 67 Rev Inst Ciênc Saúde 2009;27(1):67-72 Aspectos microbiológicos, histopatológicos e clínicos da cárie radicular Microbiology, histopathology and clinical

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXABA

PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXABA ESTADO DE PERNAMBUCO PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXABA CONCURSO PÚBLICO PROVA PARA CARGO DE: AUXILIAR DE SAÚDE BUCAL * ATENÇÃO - CONFIRA SE ESTA PROVA CORRESPONDE AO CARGO QUE VOCÊ CONCORRE * Neste Caderno

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde www.saude.gov.br/bvs

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde www.saude.gov.br/bvs MINISTÉRIO DA SAÚDE Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde www.saude.gov.br/bvs Brasília DF 2012 O Sistema Único de Saúde (SUS) possui o Programa Brasil Sorridente, criado para cuidar da saúde

Leia mais

CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR

CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR CONDIÇÃO DENTÁRIA E HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS COM IDADE ESCOLAR DENTAL CONDITION AND ORAL HYGIENE HABITS IN SCHOOL CHILDREN Juliana Sene Prado Davi Romeiro Aquino José Roberto Cortelli Sheila

Leia mais

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO

Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO SAÚDE BUCAL Dra. Rosângela Ap. de Freitas Albieri TSB: Andre Santos e Clarice R.Silva Secretaria Municipal de Saúde Centro de Especialidades Odontologicas- CEO ANATOMIA BUCAL ANATOMIA DENTAL TIPOS DE DENTES

Leia mais

TÉC. HIG. DENTAL LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I

TÉC. HIG. DENTAL LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I LÍNGUA PORTUGUESA MARQUE A ALTERNATIVA CORRETA UTILIZE O TEXTO I PARA RESPONDER ÀS QUESTÕES DE 01 A 10. Texto I O gerente de Malu Mader oferece fundos de investimentos exclusivos. Providencia análise de

Leia mais

Guia de Orientação. Primeira Infância (0 3 anos de idade)

Guia de Orientação. Primeira Infância (0 3 anos de idade) Guia de Orientação Primeira Infância (0 3 anos de idade) Os primeiros dentes do bebê começam a aparecer na boca por volta dos 6 meses de idade. Eles iniciam a sua formação no período de vida intra- uterina:

Leia mais

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DENTÍSTICA PAULO DO PRADO FUNK

UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DENTÍSTICA PAULO DO PRADO FUNK UNINGÁ UNIDADE DE ENSINO SUPERIOR INGÁ FACULDADE INGÁ CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM DENTÍSTICA PAULO DO PRADO FUNK CONDUTAS CLÍNICAS UTILIZADAS PELOS CIRURGIÕESDENTISTAS PARA O DIAGNÓSTICO DA CÁRIE DENTÁRIA

Leia mais

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS

ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS ASPECTOS MICROBIOLÓGICOS DAS INFECÇÕES ENDODÔNTICAS Prof. Dr. Cláudio Galuppo Diniz INFECÇÕES ENDODÔNTICAS A endodontia é definida como ramo da odontologia que estuda a forma, função, patofisiologia e

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola A avaliação e promoção de saúde bucal é ação essencial que integra o Componente I do Programa Saúde

Leia mais

Palavras-chave: Antibióticos, Cárie dentária, Saúde Bucal, Educação em Saúde.

Palavras-chave: Antibióticos, Cárie dentária, Saúde Bucal, Educação em Saúde. A RELAÇÃO ENTRE CÁRIE E USO DE ANTIBIÓTICOS EM BEBÊS E CRIANÇAS UMA ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL NO PET- SAÚDE ZACHIA The relationship between use of antibiotics and decay in infants and children - A multiprofessional

Leia mais

ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES ESTRATÉGIAS. Bactérias orais e carboidratos DE PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA. Selante. Esmalte.

ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES ESTRATÉGIAS. Bactérias orais e carboidratos DE PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA. Selante. Esmalte. ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPH SERIES Bactérias orais e carboidratos ESTRATÉGIAS Selante Esmalte Dentina DE PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA ILSI EUROPE CONCISE MONOGRAPHS Esse fascículo faz parte de uma série

Leia mais

Profilaxia. Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio. Bifluorid 12 em embalagens Single Dose. Indicações: Indicações:

Profilaxia. Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio. Bifluorid 12 em embalagens Single Dose. Indicações: Indicações: Bifluorid 12 Bifluorid 12 Single Dose Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio Bifluorid 12 em embalagens Single Dose Reparação de cerâmica directa Tratamento de hipersensibilidade

Leia mais

A CONSULTA INICIAL COMO BASE DA PREVENÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA

A CONSULTA INICIAL COMO BASE DA PREVENÇÃO EM ODONTOPEDIATRIA TARCISIO PINTO 4 PRO-ODONTO PREVENÇÃO PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO EM odontologia preventiva e saúde coletiva 7 4 CICLO VOLUME Estimado leitor É proibida a duplicação ou reprodução deste volume, no todo ou

Leia mais

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL

IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL IMAGENS DAS ALTERAÇÕES DA COROA DENTAL Em um dente íntegro, suas imagens são facilmente identificáveis, pois já conhecemos a escala de radiopacidade. Estudamos as imagens das estruturas anatômicas, suas

Leia mais