Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Pé na tábua. De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional"

Transcrição

1 Shutterstock Pé na tábua De olho em empreendimentos com potencial de crescimento rápido e ideias inovadoras, aceleradoras ganham espaço no cenário nacional POR CAMILA AUGUSTO Já existem dezenas delas nos Estados Unidos, mas no Brasil estão surgindo agora: aceleradoras de empresas e programas de aceleração ganham força no país. Esses novos atores de estímulo à inovação nascem com a promessa de aproximar empreendimentos com potencial de crescimento rápido de investidores e possíveis compradores. Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Recife são algu- 66

2 mas das cidades que possuem iniciativas do gênero. O Armazém da Criatividade criado neste ano pelo parque tecnológico Porto Digital, do Recife (PE), em parceria com a Jereissati Participações e o Instituto Talento Brasil (ITB) receberá as primeiras start-ups a partir do primeiro semestre de O Porto Digital é um ambiente complexo. Já trabalhamos com a frente de formação de profissionais. Também temos duas incubadoras uma de base tecnológica e outra de Economia Criativa, além do C.E.S.A.R [Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife]. Precisávamos de um elemento que completasse isso um espaço que vai ser suprido pelo Armazém da Criatividade. Estamos sofisticando nossas estratégias de fomento ao empreendedorismo inovador, afirma o diretor-presidente do Parque, Francisco Saboya. De acordo com Saboya, o papel da aceleradora será o de fornecer aos empreendimentos um contato mais direto com o investidor, algo que as incubadoras não oferecem atualmente. Enquanto a incubadora tradicional está mais preocupada em capacitar um empreendimento em termos de gestão e qualidade técnica, disponibilizando suporte também de infraestrutura, a aceleradora trabalha com start-ups que já possuem projetos atrativos, oferecendo uma janela para o capital de risco ou para um possível comprador, explica. As empresas interessadas em fazer parte do programa terão que passar por um processo seletivo. Os projetos aprovados participarão de um ciclo de aceleração de cinco meses, que será concluído com um evento de apresentação a investidores. Os selecionados contarão, desde o início, com recursos de capital semente de até R$ 40 mil, para ajudar no início da operação do empreendimento. O financiamento será realizado pela Jereissati Participações. Incubadoras e aceleradoras possuem um objetivo em comum: ajudar empreendimentos nascentes. Apesar disso, são entidades que guardam muitas diferenças entre si e se complementam. As incubadoras geralmente estão associadas a instituições públicas e recebem recursos governamentais. Já as aceleradoras são privadas e, como forma de obter recursos, adquirem participações das empresas a serem aceleradas. Em Recife, por exemplo, apesar de o Armazém da Criatividade ter surgido como uma política pública do governo de Pernambuco, que cedeu um prédio para a aceleradora, o projeto está sendo financiado pela Jereissati Participações. Outra distinção está relacionada aos processos adotados por elas. A incubação dura em média três anos, enquanto a aceleração, em geral, dura seis meses, no máximo. Enquanto as incubadoras têm como principal proposta o valor do espaço físico, da infraestrutura e, algumas vezes, de certas consultorias, as aceleradoras oferecem principalmente know-how em gestão, acesso a mercados e relacionamento com mentores muito qualificados, geralmente Evento marcou a assinatura do convênio entre o Porto Digital e o governo do Estado de Pernambuco para a criação do Armazém da Criatividade Andreia Rego Barros 67

3 68 Fotos: Divulgação Aceleradora itinerante Startup Farm em evento em São Paulo (acima). Na edição de Belo Horizonte, Felipe Matos (à dir.), CEO da Startup Farm, e Alex Tabor, do Peixe Urbano, que apoia start-ups que se conectam ao seu negócio profissionais muito bem-sucedidos e renomados em suas áreas de atuação, explica Felipe Matos, CEO da Startup Farm, aceleradora itinerante de start-ups digitais, que oferece programas de 10 e 30 dias. A aceleradora já passou por cidades como Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Florianópolis. O público-alvo também é diferenciado. Normalmente, as incubadoras buscam apoiar pequenas empresas de acordo com alguma diretiva governamental ou regional como, por exemplo, incentivar projetos de biotecnologia devido à proximidade de algum centro de pesquisa nessa área, explica Yuri Gitahy, que fundou, em 2008, a empresa Aceleradora, uma das primeiras do país. Aceleradoras, por sua vez, são focadas em empresas que tenham o potencial para crescer muito rápido não em uma necessidade prévia. Justamente por isso, aceleradoras buscam start-ups escaláveis, e não somente uma pequena empresa promissora, destaca. Essa é uma das razões que faz com que o processo de seleção de empreendimentos para aceleração priorize aspectos diferentes. As incubadoras pedirão seu plano de negócio. Aceleradoras estudarão seu modelo de negócio. A verba pública que normalmente apoia as incubadoras pede maior formalidade e transparência na avaliação de projetos, além da necessidade de mais critérios para avaliar um plano completo. Aceleradoras apostam somente em uma boa ideia, explica Gitahy. A aceleração seria uma etapa posterior à incubação. As aceleradoras atuam normalmente em um estágio pós-incubadora. Na incubadora, os empreendedores investem no início do desenvolvimento do produto e da própria equipe, ou seja, começam a ganhar alguma velocidade. É a partir desse momento que as aceleradoras podem ajudar a aumentar essa velocidade de crescimento, principalmente na busca por validar um modelo de negócios com potencial de ter escala, afirma Rafael Duton, um dos fundadores da Digital Accelerator, com escritórios no Rio de Janeiro e em Nova York, e foco em negócios digitais. Porém, algumas incubadoras já estão se aventurando a oferecer programas de aceleração, como a Fumsoft, de Belo Horizonte (MG). Este ano, ela passou a ofertar esse novo tipo de mecanismo a empreendimentos da área de Tecnologia da Informação. A principal novidade é que as empresas deverão seguir um projeto de aceleração, terão facilidade de acesso a investidores e receberão coaching para a elaboração do pitch (termo utilizado por investidores para definir uma apresentação curta sobre a start-up).

4 As aceleradoras são instituições novas e ainda têm um longo caminho pela frente para demonstrar sua eficiência. Na opinião de Yuri Gitahy, da Aceleradora, os principais desafios enfrentados por elas são a falta de histórico de operação, a dificuldade de captar investimentos suficientes já que investidores e fundos preferem eles mesmos aplicar seu capital e a falta de liquidez das start-ups. Um dos pontos mais importantes, segundo Gitahy, é o financiamento das aceleradoras, que precisam ter capital próprio suficiente ou captar aportes de investidores para manterem suas operações. A pergunta importante é: quem manterá uma operação competitiva e trará resultados de médio e longo prazo?, avalia. Para Francisco Saboya, do Porto Digital, a base do sucesso de uma aceleradora está em dois fatores: conexão com o mundo empresarial, para a formação de uma rede de mentores, e acesso ao capital de risco. Se esses dois aspectos não são Yuri Gitahy, da Aceleradora: seleção leva em conta start-ups com boas ideias e potencial para crescimento rápido Divulgação _INCUBADORA OU ACELERADORA? Como o empreendedor pode saber se é melhor ingressar em uma incubadora ou participar de um processo de aceleração? Não existe uma resposta pronta, mas uma das palavras-chave é escalabilidade ou seja, o negócio precisa ter capacidade de crescer rápido sem ter que aumentar de maneira excessiva suas despesas e equipes, por exemplo. Se sua start-up está em busca de uma inovação radical ou de um modelo de negócios escalável e repetível, procure uma aceleradora. Se o seu modelo de negócios é baseado na economia tradicional, procure uma incubadora, orienta Yuri Gitahy, da Aceleradora. Incubadora Tempo médio de três anos, dependendo da área É baseada no modelo de consultoria Seu foco é capacitar empreendimentos em termos de gestão e qualidade técnica, além de oferecer infraestrutura Em geral tem como base recursos públicos Aceleradora Dura de um a seis meses Possui como base uma rede de mentores O objetivo é possibilitar crescimento rápido do empreendimento e aproximá-lo de investidores ou compradores São baseadas em capital privado. Adquirem participações das empresas aceleradas 69

5 _CONHEÇA ALGUMAS DAS ACELERADORAS BRASILEIRAS Belo Horizonte (MG) > Aceleradora - Foi fundada em 2008, por Yuri Gitahy, com o objetivo de apoiar start-ups com gestão e capital semente. Já apoiou mais 200 start-ups com mentoring. Rio de Janeiro (RJ) > Digital Accelerator - Combinando no seu nome os códigos de área de telefonia do Rio e de Nova York, a criada no ano passado oferece um processo de aceleração de seis meses voltado para negócios digitais. Os selecionados ganham R$ 200 mil em serviços e, em troca, a aceleradora recebe 20% do capital do empreendimento. Recife (PE) > Armazém da Criatividade - O projeto do Porto Digital e da Jereissati Participações teve sua criação anunciada neste ano. O processo de aceleração das primeiras start-ups vai começar no primeiro semestre de 2013 e terá duração de cinco meses. São Paulo (SP) > Wayra - projeto da Telefônica implantado no Brasil desde o ano passado. Seleciona 30 start-ups para aceleração de uma semana e, depois, escolhe 10 empreendimentos para se instalar por um período inicial de seis meses em um prédio chamado Academia Wayra, em São Paulo. > Tree Labs Inaugurada neste ano, realiza atualmente a aceleração de seus primeiros seis empreendimentos. O processo possui duração de quatro meses. No próximo ano, receberá duas novas turmas de empresas. Nacional > Startup Farm Essa aceleradora possui uma proposta diferente. É itinerante e realiza programas de aceleração em várias cidades do país com duração de 10 ou 30 dias. Já passou por cidades como São Paulo, Belo Horizonte e Florianópolis. contemplados, não é um processo de aceleração apropriado. Nós esperamos que a nossa parceria com a Jereissati Participações possa contribuir com a rede de mentores. Aqui no Nordeste já temos alguns fundos atuantes, além de uma empresa de participações no Porto Digital. Não é o suficiente, gostaríamos que fossem dezenas, mas já é uma quantidade relevante, afirma. Na opinião de Felipe Matos, do Startup Farm, os principais desafios são selecionar bons projetos e, principalmente, empreendedores. É preciso encontrar times que consigam absorver bem o processo de aceleração e responder aos feedbacks recebidos com velocidade e coerência. Para esse processo ser efetivo, precisam contar com excelentes mentores, conteúdo e ferramentas metodológicas. Enfrenta-se também um desafio na saída, que é conseguir vender suas participações acionárias nestas empresas, realizando o lucro sobre o investimento inicial, explica. Além disso, há os ricos inerentes aos próprios empreendimentos. É um problema que não é específico do Brasil. A mortalidade das start-ups é grande no mundo todo. Mas já está comprovado que é possível reduzir essa mortalidade através de mentoria e de fornecimento de estrutura, afirma Anthony Eigier, um dos fundadores da recém-inaugurada Tree Labs, que começou a operar neste ano em São Paulo e acelera, atualmente, seis empreendimentos. O número de aceleradoras deve aumentar no Brasil nos próximos anos. Além das já existentes, há diversos projetos semelhantes pelo país. É provável que o número aumente, principalmente por meio da expansão para outras áreas que não apenas o mercado digital. Nos Estados Unidos o modelo começou em 2005 e, atualmente, já são mais de 100 aceleradoras lá, afirma Rafael Duton, da L 70

Principais Modelos de Negócios entre Startups e Grandes Empresas

Principais Modelos de Negócios entre Startups e Grandes Empresas Conexão entre Startups e Grandes Empresas Principais Modelos de Negócios entre Startups e Grandes Empresas Setembro 2015 NOSSA FIRMA ATUAMOS EM TRÊS ÁREAS Entregamos tudo o que uma empresa precisa para

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

OS 10 PASSOS PARA CRIAR UMA EMPRESA INOVADORA DE SUCESSO

OS 10 PASSOS PARA CRIAR UMA EMPRESA INOVADORA DE SUCESSO 5º. Diálogo & Inovação Giro de Ideias em Soluções Tecnológicas 5 de Setembro de 205 OS 0 PASSOS PARA CRIAR UMA EMPRESA INOVADORA DE SUCESSO Leandro Carioni Diretor Executivo CENTRO DE EMPREENDEDORISMO

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Secretaria de Política de Informática Edital MCTI/SEPIN/Start-Up Brasil No. 01/2013 Edital de Qualificação de Instituições de Apoio ao Processo de Aceleração

Leia mais

um anjo que é Entenda como pensam esses investidores e atraia-os para sua startup especial investidores

um anjo que é Entenda como pensam esses investidores e atraia-os para sua startup especial investidores O Investidor que é um anjo Entenda como pensam esses e atraia-os para sua startup Texto Maria Beatriz Vaccari arte ivan volpe No mundo digital, há diversas formas de dar vida a uma ideia e ganhar dinheiro

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado

Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado DESAFIO Ajudar startups com boas tecnologias a chegarem ao mercado Problema: Grande número de potenciais empreendedores com boas tecnológicas, porém: Sem perfil empreendedor; Com modelagem de negócio errada;

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA

PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA 1) - APRESENTAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE EMPREENDEDORISMO DE IMPACTO EDITAL 2015 LIBRIA A Aceleradora Libria torna pública a abertura das inscrições para seleção de projetos

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012

PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012 PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO EDITAL DE SELEÇÃO - 01/2012 Seleção para o Programa de Aceleração de Startups da Incubadora da Fumsoft A FUMSOFT torna público que se encontra aberto

Leia mais

6 Conclusão do estudo e implicações empresariais

6 Conclusão do estudo e implicações empresariais 6 Conclusão do estudo e implicações empresariais Este estudo buscou entender o fenômeno da criação de aceleradoras corporativas por parte de empresas de grande porte, com base na análise dos dois casos

Leia mais

ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO. Levantamento Aceleradoras 2012-2014

ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO. Levantamento Aceleradoras 2012-2014 ABRAII ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS ACELERADORAS DE INOVAÇÃO E INVESTIMENTO Levantamento Aceleradoras 2012-2014 LEVANTAMENTO 2012 a 2014 ACELERADORAS BRASILEIRAS Apresentaremos a seguir um levantamento

Leia mais

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA?

O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O QUE SUA EMPRESA PODE FAZER PARA SER MAIS COMPETITIVA? O IEL O Instituto Euvaldo Lodi é uma entidade vinculada à CNI - Confederação Nacional da Indústria. Com 101 unidades em 26 estados e no Distrito

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

ENCONTRO DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO PROJETO DE ORGANIZAÇÃO

ENCONTRO DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO PROJETO DE ORGANIZAÇÃO ENCONTRO DE INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO PROJETO DE ORGANIZAÇÃO Tema Anual: Startups no Rio de Janeiro. Objetivos Gerais: O objetivo principal deste projeto é avaliar o conhecimento teórico adquirido durante

Leia mais

Você sabe onde quer chegar?

Você sabe onde quer chegar? Você sabe onde quer chegar? O Ibmec te ajuda a chegar lá. Gabriel Fraga, Aluno de Administração, 4º periodo, Presidente do Ibmex, Empresa Jr. Ibmec. Administração Ciências Contábeis Ciências Econômicas

Leia mais

Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica

Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica Oportunidades do Sistema de Patentes para Startups de Base Tecnológica São Paulo, agosto de 2012. 1 Temas: XXXII CONGRESSO INTERNACIONAL DA 1. As Startups de Tecnologia e a Propriedade Intelectual; 2.

Leia mais

Recursos Próprios. Amigos e Familiares

Recursos Próprios. Amigos e Familiares Recursos Próprios Chamado de booststrapping, geralmente é a primeira fonte de capital utilizada pelos empreendedores. São recursos sem custos financeiros. O empreendedor tem total autonomia na tomada de

Leia mais

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO

PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO PROGRAMA CATARINENSE DE INOVAÇÃO O Governo do Estado de Santa Catarina apresenta o Programa Catarinense de Inovação (PCI). O PCI promoverá ações que permitam ao Estado

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Secretaria de Política de Informática Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Secretaria de Política de Informática Edital MCTI/SEPIN/Start-Up Brasil No. 03/2014 Edital de Qualificação de Instituições de Apoio ao Processo de Aceleração

Leia mais

Criação e Aceleração de Startups

Criação e Aceleração de Startups Criação e Aceleração de Startups Objetivos O curso se propõe desenvolver práticas de estruturação e validação de negócios inovadores. O aluno terá a oportunidade de: Estruturar um novo negócio ou unidade

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) torna pública, através da Diretoria de Inovação e Empreendedorismo (DINE) da Pró-Reitoria para Assuntos de

Leia mais

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D

ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D ESTRATÉGIAS DO MCTI PARA INCENTIVAR A INOVAÇÃO EM TI: Startups e Centros de P&D 1. DESAFIOS de formular uma política pública 2. Programa Start-Up Brasil 3. Ação de Atração de Centros Globais de P&D JOSE

Leia mais

MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP!

MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP! MUITO PRAZER, SOU UMA STARTUP! TEXTO DE MARCELO CASAGRANDE SHUTTERSTOCK.COM 74 O crescente número desse tipo de empresa no Brasil faz com que muita gente fique na dúvida sobre as diferenças entre uma startup

Leia mais

Sumário. Você sabe o que é o Geeks On? 03. Para quem é o Geeks On? 04. O que já fizemos? 05. Alguns Palestrantes 06

Sumário. Você sabe o que é o Geeks On? 03. Para quem é o Geeks On? 04. O que já fizemos? 05. Alguns Palestrantes 06 MÍDIA KIT 2014 Sumário Você sabe o que é o Geeks On? 03 Para quem é o Geeks On? 04 O que já fizemos? 05 Alguns Palestrantes 06 Fundos de Investimento e Aceleradoras 07 Principais parceiros 08 Empresas

Leia mais

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo

Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de Viabilidade e Pesquisa de Campo Estudo de viabilidade As perguntas seguintes terão que ser respondidas durante a apresentação dos resultados do estudo de viabilidade e da pesquisa de campo FOFA.

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS

INCUBADORAS DE EMPRESAS INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAIS SEBRAE/NA APOIO ANO VALORES Edital 01/98 1999 2.922.680,00 Edital 02/99 2000 4.223.270,00 Edital 03/2001 2001 5.503.851,00 Edital 04/2002 2002 13.895.857,00 Total 26.545.658,00

Leia mais

Departamento de Ciência da Computação Instituto de Ciências Exatas

Departamento de Ciência da Computação Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Instituto de Ciências Exatas Universidade Federal de Minas Gerais Prof. Antônio Otávio Fernandes Universidade Federal de Minas Gerais FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA

APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA AULA 1 O PLANO DE NEGÓCIOS (PN) E SEUS ASPECTOS GERAIS; AULA 2- ELEMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO PN; AULA 3 ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE UM PN APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA AULA 4 PLANO

Leia mais

Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil

Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil Instituição privada dedicada a promover negócios em ciências da vida no Brasil Biominas Brasil tem 21 anos de experiência na criação e desenvolvimento de empresas de ciências da vida. A Biominas Brasil

Leia mais

3a CONFERE NCIA DO CONSO RCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAC A O E EMPREENDEDORISMO Poli ticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo Mesa 3:

3a CONFERE NCIA DO CONSO RCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAC A O E EMPREENDEDORISMO Poli ticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo Mesa 3: 3a CONFERE NCIA DO CONSO RCIO INTERNACIONAL DE ESTUDOS SOBRE INOVAC A O E EMPREENDEDORISMO Poli ticas e Recursos de Apoio ao Empreendedorismo Mesa 3: Startups:Funding and Financing /Investimento e Financiamento

Leia mais

Ancorados na cooperação

Ancorados na cooperação Shutterstock Ancorados na cooperação Micro, pequenas e médias empresas, instituições de ensino e parques tecnológicos trabalham em conjunto para gerar inovação e desenvolvimento POR LUIZA CARREIRÃO O planejamento

Leia mais

ESTUDOS SETORIAIS SOBRE BIOCIÊNCIAS

ESTUDOS SETORIAIS SOBRE BIOCIÊNCIAS ESTUDOS SETORIAIS SOBRE BIOCIÊNCIAS Desde 2001, a Biominas Brasil promove estudos setoriais em parceria com outras instituições de maneira a compreender a realidade e as aspirações do setor. 2001 Parque

Leia mais

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO CHAMADA PARA PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre,

Leia mais

unidos pelas suas ideias

unidos pelas suas ideias especial unidos pelas suas ideias Especialistas em novos empreendimentos dão dicas para fazer sua startup decolar e explicam como usar o financiamento coletivo para concretizar objetivos 52 revista W W174.especial_starturpcrowdfunding.indd

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS

Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios. RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS Startup Garagem Um programa de modelagem de negócios RAIAR e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, abril de 2015 1. Apresentação da Incubadora Raiar A e Inovação

Leia mais

Em sintonia com o movimento de incubadoras de empresas e parques tecnológicos ao redor do mundo, o Brasil também corre atrás de sua independência

Em sintonia com o movimento de incubadoras de empresas e parques tecnológicos ao redor do mundo, o Brasil também corre atrás de sua independência NÚCLEO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PUC SP PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Prof. Dr. Antonio Vico Mañas e-mail: vicereitoria@pucsp.br tel.: 36708284 Equipe PUC INOVAÇÃO Vice Reitoria 1 Em sintonia

Leia mais

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em

decisões tomadas. Euchner e Ries (2013) argumentam, entretanto, que é difícil implementar o planejamento tradicional e a previsão de resultados em 1 Introdução Não é recente a preocupação das empresas em buscar uma vantagem competitiva, de forma a gerar mais valor para os seus clientes do que os concorrentes por meio da oferta de produtos ou serviços

Leia mais

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002

Núcleo de Gestão do Porto Digital. Plano Bi-anual 2001-2002 Núcleo de Gestão do Porto Digital Plano Bi-anual 2001-2002 Identidade Missão A estruturação e gestão sustentável de um ambiente de negócios capaz de criar e consolidar empreendimentos de classe mundial

Leia mais

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL.

O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 O AUMENTO DA RENDA DA POPULAÇÃO TEM EFEITO DIRETO SOBRE O AUDIOVISUAL. A CLASSE C IDENTIFICA CINEMA, INTERNET E TV POR ASSINATURA COMO

Leia mais

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO

SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO SÍNTESE DO PLANO DE TRABALHO Titulo do Projeto: CENTRO DE INOVAÇÃO & DIFUSÃO TECNOLÓGICA Convênio: SCIT 24/2013 Processo: 413-2500/13-5 Modalidade: Edital [02/2013 ] Situação: Em consolidação APRESENTAÇÃO

Leia mais

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ

EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ EDITAL Nº 01/2009 PROJETOS EMPRESARIAIS PARA INGRESSO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ O presente edital regulamenta o processo de recrutamento, seleção e ingresso de projetos empresariais na Incubadora

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

Resumo das Discussão e das Propostas da Mesa de Inovação. Ado Jório, Edleno S. De Moura, Robert Wilson Rafael Roesler, Marcos André Gonçalves

Resumo das Discussão e das Propostas da Mesa de Inovação. Ado Jório, Edleno S. De Moura, Robert Wilson Rafael Roesler, Marcos André Gonçalves Resumo das Discussão e das Propostas da Mesa de Inovação Ado Jório, Edleno S. De Moura, Robert Wilson Rafael Roesler, Marcos André Gonçalves Ado Jório Ressaltou a cultura da inovação na UFMG e o suporte

Leia mais

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ

PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ PROGRAMA BOM NEGÓCIO PARANÁ- APOIO AO EMPREENDEDORISMO AVALIAÇÃO DO NÚCLEO MARINGÁ AREA TEMÁTICA: TRABALHO LAIS SILVA SANTOS 1 CARLOS VINICIUS RODRIGUES 2 MARCELO FARID PEREIRA 3 NEUZA CORTE DE OLIVEIRA

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO RAIAR Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS TECNOPUC Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Porto Alegre, dezembro

Leia mais

CROWDWORKING VALE DA ELETRONICA Uma iniciativa do INATEL, Telefônica e Ericsson

CROWDWORKING VALE DA ELETRONICA Uma iniciativa do INATEL, Telefônica e Ericsson CROWDWORKING VALE DA ELETRONICA Uma iniciativa do, Telefônica e Ericsson PERÍODO DE VIGÊNCIA: ABERTURA: 01/04/2016 ENCERRAMENTO: 20/05/2016 ENCERRAMENTO DO PERÍODO DE INSCRIÇÃO E ENVIO DO FORMULÁRIO NA

Leia mais

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO

PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO 1. APRESENTAÇÃO: A Universidade Salvador UNIFACS torna público o seu Programa de Empreendedorismo desenvolvido pela Incubadora de Negócios da Unifacs como um instrumento de

Leia mais

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA

BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA BNDESPAR INGRESSA NO CAPITAL SOCIAL DA RENOVA ENERGIA Por meio de um investimento estratégico de até R$314,7 milhões, a BNDESPAR ingressa no capital social da Renova Energia. Parceria de Longo Prazo A

Leia mais

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia

Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Iniciativa Nacional de Inovação em Biotecnologia Visão Atual e 2021 3º CB APL 29 de novembro de 2007. Brasília - DF 1 CONTEXTO Fórum de Competitividade de Biotecnologia: Política de Desenvolvimento da

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada

PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO. Modalidade Associada Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO Modalidade Associada Incubadora Multissetorial de Empresas de Base Tecnológica e Inovação da PUCRS RAIAR

Leia mais

K & M KNOWLEDGE & MANAGEMENT

K & M KNOWLEDGE & MANAGEMENT K & M KNOWLEDGE & MANAGEMENT Conhecimento para a ação em organizações vivas CONHECIMENTO O ativo intangível que fundamenta a realização dos seus sonhos e aspirações empresariais. NOSSO NEGÓCIO EDUCAÇÃO

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Realização. Apoio. valeitech.d4uweb.com.br

Realização. Apoio. valeitech.d4uweb.com.br Realização Apoio Vale ITech APRESENTAÇÃO O Vale Itech é uma programação de eventos desenvolvido pela D4U WEB uma empresa nascente, constituída no Condomínio Empresarial de TI CETI em Engenheiro Paulo de

Leia mais

3.2 Para os fins do presente Chamamento, serão observadas as seguintes definições:

3.2 Para os fins do presente Chamamento, serão observadas as seguintes definições: Edital para seleção de startups no 3 º Demo Day Minas 1. Objetivo 1.1 O presente chamamento público tem por objeto a seleção de até 42 (quarenta e duas) startups para participação na feira do 3º Demo Day

Leia mais

Regulamento da 2 a Edição do Programa 100 Open Startups

Regulamento da 2 a Edição do Programa 100 Open Startups Regulamento da 2 a Edição do Programa 100 Open Startups 1. SOBRE O PROGRAMA: 100 Open Startups é uma rede que conecta comunidades e competições de startups com desafios e programas de inovação aberta propostos

Leia mais

O que é a Olimpíada de Empreendedorismo Universitário?! E quem pode participar?

O que é a Olimpíada de Empreendedorismo Universitário?! E quem pode participar? O que é a Olimpíada de Empreendedorismo Universitário?! Uma competição para apoiar você, universitário, no desenvolvimento daquela sua ideia inovadora e criação de um novo negócio! Essa é a sua chance

Leia mais

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar

Padrão exclusivo para sua empresa. nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar especial gestão Padrão exclusivo para sua empresa nsanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes. A frase consagrada de Albert Einstein não poderia ser mais clara: quer

Leia mais

pay Startup www.paystartup.com

pay Startup www.paystartup.com pay Startup www.paystartup.com INTRODUÇÃO Encontrar solução para tarefas do dia -a-dia não é fácil, e encontrar um negócio de sucesso e promissor a investir se torna ainda mais difícil, seria como procurar

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A.

PLANO DE NEGÓCIOS FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A. FORMAÇÃO DA REDE DR. MARIDO NEGÓCIOS DO PEQUENO E MÉDIO PORTE, ATRAVÉS DO MODELO HOMME OFFICE, COM RETORNO PROJETADO DE 86% A.A. PLANO DE NEGÓCIOS Data: Janeiro 2.013 Dr. Marido - Operacional S U M Á R

Leia mais

Aceleração Industrial de Empresas e Educação Empreendedora: Metodologia de Trabalho Incubadora Senai Centro Internacional de Inovação

Aceleração Industrial de Empresas e Educação Empreendedora: Metodologia de Trabalho Incubadora Senai Centro Internacional de Inovação Aceleração Industrial de Empresas e Educação Empreendedora: Metodologia de Trabalho Incubadora Senai Centro Internacional de Inovação Mário Rafael Bendlin Calzavara RESUMO A Incubadora Senai Centro Internacional

Leia mais

Empreendedorismo Tecnológico. Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br

Empreendedorismo Tecnológico. Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br Empreendedorismo Tecnológico Kleber Ken Teraoka kleber@ujima.com.br 1 Startups - contexto 2 Empresa de Base Tecnológica (EBT) Produtos/Serviços de alto valor agregado Uso de tecnologia nos produtos ou

Leia mais

A pobreza é uma realidade ainda muito presente...

A pobreza é uma realidade ainda muito presente... A pobreza é uma realidade ainda muito presente... 4 bilhões de pessoas ganham $4/dia; 75% dos brasileiros dependem exclusivamente do SUS; 23% da população adulta completou ensino médio; A POBREZA AINDA

Leia mais

FUMSOFT PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO (ACELERAÇÃO DE STARTUPS)

FUMSOFT PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO (ACELERAÇÃO DE STARTUPS) FUMSOFT PROGRAMAS DE APOIO E INCENTIVO AO EMPREENDEDORISMO (ACELERAÇÃO DE STARTUPS) EDITAL 002/2013 9ª EDIÇÃO SELEÇÃO DE NOVOS PROJETOS PARA O PROGRAMA DE ACELERAÇÃO CÉLULA PUC MINAS GERIDO PELA FUMSOFT

Leia mais

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE

EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE EDITAL PROGRAMA DE EMPREENDEDORISMO JOVEM DA UFPE A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) torna pública, através da Diretoria de Inovação e Empreendedorismo (DINE) da Pró-Reitoria para Assuntos de

Leia mais

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011

Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 Regulamento do Programa RiSE/Porto Digital de Residência em Reuso de Software 2011 1. Apresentação A RiSE Reuse in Software Engineering e o Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio do CNPq

Leia mais

START-UPS DE BASE TECNOLÓGICA NA UPTEC

START-UPS DE BASE TECNOLÓGICA NA UPTEC START-UPS DE BASE TECNOLÓGICA NA UPTEC DESAFIOS E TENDÊNCIAS DAS START-UPS GRUPO 33 AFONSO MACEDO BEATRIZ GUERNER MANUEL CURRAL TIAGO SILVA TIAGO GROSSO VASCO RIBEIRO 2 CONTEÚDOS Start-Ups Conceito Incubadoras

Leia mais

Programa de Promoção da Economia Criativa Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI

Programa de Promoção da Economia Criativa Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI Programa de Promoção da Economia Criativa Cooperação Samsung, Anprotec & CCEI 14 de setembro 2015 CHAMADA NACIONAL PARA SELEÇÃO DE INCUBADORAS Resultado do acordo de cooperação firmado entre a SAMSUNG,

Leia mais

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL

DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR. Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso ESPECIAL DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR DICIONÁRIO DO EMPREENDEDOR Tenha na ponta da língua os termos que não podem faltar no vocabulário de quem almeja alcançar o sucesso 54 TEXTO MARIA BEATRIZ VACCARI ARTE IVAN VOLPE

Leia mais

EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING

EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING EDITAL 01/2016 PRIMEIRO PASSO COACHING No âmbito de suas atribuições, a Diretora da Primeiro Passo Coaching, com base no evento Conexão Primeiro Passo/ 2016, a ser realizado em 16 e 17 de abril de 2016,

Leia mais

DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014

DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014 Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 55.461, DE 29 DE AGOSTO DE 2014 Institui a Política Municipal de Estímulo à Inovação e ao Desenvolvimento de Startups na Cidade

Leia mais

Como o CERNE foi construído?

Como o CERNE foi construído? Por que CERNE? O movimento brasileiro de incubadoras vem crescendo a uma taxa expressiva nos últimos dez anos, alcançando uma média superior a 25% ao ano. Atualmente, as incubadoras brasileiras apóiam

Leia mais

FACULDADE SENAC GOIÂNIA

FACULDADE SENAC GOIÂNIA FACULDADE SENAC GOIÂNIA NORMA ISO 12.207 Curso: GTI Matéria: Auditoria e Qualidade de Software Professor: Elias Ferreira Acadêmico: Luan Bueno Almeida Goiânia, 2015 CERTIFICAÇÃO PARA O MERCADO BRASILEIRO

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20

AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 AS OPORTUNIDADES PARA AS EMPRESAS NO PORL 2014-20 Vítor Escária CIRIUS ISEG, Universidade de Lisboa e Augusto Mateus & Associados Barreiro, 30/06/2014 Tópicos Enquadramento A Estratégia de Crescimento

Leia mais

Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência

Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência Metodologia e dinâmica do workshop O fim das vendas e do marketing da insistência Como andam seus esforços em Prospecção, Follow-up e Networking? A forma como você faz hoje é a mais adequada? Será que

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 1º Workshop Platec E&P Onshore Sondeas de Perfuração Onshore Equipamentos

Leia mais

Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos

Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos Participação de pequenas empresas nos parques tecnológicos Autor: Katia Melissa Bonilla Alves 1 Co-autores: Ricardo Wargas 2 e Tomas Stroke 3 1 Mestre em Economia pela Universidade do Estado do Rio de

Leia mais

Introdução 01. José Roberto Marques

Introdução 01. José Roberto Marques Introdução 01 José Roberto Marques 9 Empreendedorismo & Coaching Pessoas Inovadoras Empreendem Tudo que você é capaz de imaginar, você pode conseguir. Walt Disney José Roberto Marques jrmcoaching 10 Instituto

Leia mais

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia

Ana Lúcia Vitale Torkomian. Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Sessão Plenária 5: Programas Nacionais de Estímulo e Apoio às Incubadoras de Empresas e Parques Tecnológicos Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério

Leia mais

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho

Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING. Certificado Europeu. Formadora: Cris Carvalho Programação Novas turmas INSTITUIÇÕES CERTIFICADORAS: PROMOVEM: CERTIFICAÇÃO INTERNACIONAL EM COACHING Certificado Europeu Formadora: Cris Carvalho Apresentação Este curso foi desenvolvido através da experiência

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Missão da FINEP inovação e a pesquisa científica e tecnológica mobilizando recursos financeiros integrando instrumentos

Missão da FINEP inovação e a pesquisa científica e tecnológica mobilizando recursos financeiros integrando instrumentos Missão da FINEP Promover e financiar a inovação e a pesquisa científica e tecnológica em empresas, universidades, institutos tecnológicos, centros de pesquisa e outras instituições públicas ou privadas,

Leia mais

CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas

CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas CRIANDO STARTUPS: Métodos, Processos, Técnicas e Ferramentas Carlo M. R. da Silva Vinicius Cardoso Garcia Silvio R. L. Meira Autores (rbr@cin.ufpe.br) PhD. Candidate Cin UFPE Cheapig/ Campus Party Recife

Leia mais

Adapte. Envolva. Capacite.

Adapte. Envolva. Capacite. Adapte. Envolva. Capacite. Ganhe produtividade em um Ambiente de trabalho digital #DigitalMeetsWork Os benefícios de um ambiente de trabalho digital têm impacto na competitividade do negócio. Empresas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 SELEÇÃO DE EMPRESA PARA MINISTRAR CURSO DE PRÉ-INCUBAÇÃO PARA PROJETOS DE BASE TECNOLÓGICA NO ÂMBITO DA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ (INCTEC-SA) TERMO DE REFERÊNCIA Nº 14A/2011 Contatos Luiz Augusto

Leia mais

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA

SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA SELEÇÃO DE EMPRESAS PARA INCUBAÇÃO NA MODALIDADE ASSOCIADA EDITAL 04/2009 IDÉIA FLUXO CONTÍNUO INCUBADORA MULTI-SETORIAL DE BASE TECNOLÓGICA E INOVAÇÃO Novembro de 2009. PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS

Leia mais

Como participar do Startup Brasil?

Como participar do Startup Brasil? Como participar do Startup Brasil? Introdução Foi publicado hoje o Edital para seleção de startups do Startup Brasil. As inscrições para a primeira rodada do programa começarão no dia 25 de abril e estarão

Leia mais

A Finep mais abrangente

A Finep mais abrangente _O MOVIMENTO Saiba mais sobre as novas propostas de atuação da Finep, na ENTREVISTA com Glauco Arbix entre outros objetivos, ele quer que a agência seja reconhecida como instituição financeira pelo Banco

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos

FINEP Financiadora de Estudos e Projetos FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Financiamento para Inovação em Saúde Seminário sobre o Complexo Econômico-Industrial da Saúde Política Industrial para o Complexo

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012)

CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) CHAMADA PÚBLICA PARA INCUBAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS DA ECONOMIA CRIATIVA NO PORTO DIGITAL (CP 01/2012) 1. APRESENTAÇÃO O Núcleo de Gestão do Porto Digital (NGPD), com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia

Leia mais

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais:

No Brasil, a Shell contratou a ONG Dialog para desenvolver e operar o Programa, que possui três objetivos principais: PROJETO DA SHELL BRASIL LTDA: INICIATIVA JOVEM Apresentação O IniciativaJovem é um programa de empreendedorismo que oferece suporte e estrutura para que jovens empreendedores de 18 a 30 anos desenvolvam

Leia mais

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012

EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 EDITAL DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Nº 01/2012 PROCEDIMENTOS DE RECRUTAMENTO E SELEÇÃO DE PROJETOS EMPRESARIAIS INOVADORES PARA INGRESSO E PARTICIPAÇÃO NA INCUBADORA DE EMPRESAS DE SÃO JOSÉ IESJ. A INCUBADORA

Leia mais