Turma de pós-graduação da Escoop realiza viagem de estudos na Alemanha

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Turma de pós-graduação da Escoop realiza viagem de estudos na Alemanha"

Transcrição

1 COOPERATIVO jornal do COOPERATIVISMO GAÚCHO - ano 41 - número Turma de pós-graduação da Escoop realiza viagem de estudos na Alemanha Página 7 Festival O Rio Grande O Cooperativismo define suas primeiras finalistas Página 5

2 Editorial Edição Outubro Esta edição do jornal O Interior Cooperativo traz, em sua capa, a viagem de estudos da turma de pós-graduação da Escoop para a Alemanha, decorrente do projeto de cooperação bilateral mantido entre o Sescoop/RS e a Confederação Alemã de (DGRV). E ainda, o destaque para a definição das seis primeiras obras finalistas do 8 Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo. A primeira etapa ocorreu no dia 17 de outubro, no município de Augusto Pestana, e reuniu um público de pessoas. Na editoria de Cooperativismo, O Interior divulga a reunião sobre o Planejamento Estratégico , que aconteceu no dia 2 de outubro, no Centro de Formação Profissional Cooperativista, com o objetivo de promover a discussão entre a diretoria e conselheiros sobre a construção do plano que apontará a visão de futuro do Sistema e os desafios estratégicos do cooperativismo, em conformidade com o modelo proposto pelo Sescoop Nacional. Na página da Escoop, O Interior Cooperativo apresenta o livro Gestão Financeira para - Enfoque contábil e gerencial, que trata de temas pertinentes à contabilidade, custos, finanças, planejamento e controladoria. E na página 11, artigo sobre A Sucessividade dos Contratos Coletivos, do assessor jurídico do Sindicato da Ocergs, Denilson Prestes. Na editoria, o jornal O Interior traz notícias sobre os diversos ramos das cooperativas gaúchas: a conquista do Prêmio Top Ser Humano da ABRH-RS pelas cooperativas Certel e Unimed Erechim, a comemoração dos 45 anos da Certaja e 43 anos da Unimed Erechim, a participação da Dália Alimentos na feira internacional Sial Paris, o Seminário Integrado de Transporte Cooperativo, promovido pela Cooperativa Central Rede Transporte e o credenciamento da Cooperativa Langiru para utilização do selo da agricultura familiar, fornecido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário. Divulga também o Prêmio Responsabilidade Social 2014, que tem as cooperativas Cotripal e Unimed Erechim como finalistas do tema norteador dessa edição Educação. A matéria traz as cooperativas participantes, que receberão certificados e medalhas, além de ressaltar a conquista do Troféu Destaque RS pelo Sicredi Alto Uruguai RS/SC. Na contracapa, o destaque é a celebração do Dia Internacional do Cooperativismo de Crédito. Boa leitura! 2 Especial Sescoop/RS disponibiliza Manual de Contabilidade para as Agropecuárias A partir do dia 20 de outubro, as cooperativas interessadas já podem acessar e fazer o download da segunda edição do Manual de Contabilidade para as Agropecuárias, produzido pelo contador e auditor, Dorly Dickel. Sobre o Manual O objetivo do Manual é estabelecer um modelo básico de contabilidade para as cooperativas agropecuárias, respeitando a legislação específica aplicável às sociedades cooperativas, observando as normas fiscais da legislação brasileira e de acordo com as Normas Internacionais de Contabilidade. Para isso, foi elaborado um Plano de Contas, com desdobramentos até o sexto grau, sendo possível o detalhamento em níveis maiores, ou ainda, a utilização de registros auxiliares analíticos para o controle detalhado do saldo das contas. A utilização do Plano de Contas proposto permitirá a padronização e a comparabilidade das informações contábeis de todas as cooperativas que o adotarem. Entretanto, para que todo este processo tenha utilidade prática, é fundamental a adoção de práticas contábeis uniformes, conforme as recomendações divulgadas neste Manual. A adoção das práticas contábeis, de acordo com este Manual, vem ao encontro dos propósitos da convergência das normas brasileiras com as normas internacionais de contabilidade que, em síntese, buscam maior transparência, confiabilidade e credibilidade nas informações, seja perante os associados, dirigentes, fornecedores, bancos, entre outros. É importante destacar que a adoção de práticas contábeis uniformes, além de permitir a comparabilidade dos números e indicadores com outras cooperativas, constitui uma base fundamental para tornar a contabilidade uma ferramenta indispensável para o processo de avaliação, monitoramento e análise gerencial, tão necessária para a tomada de decisões e correção de rumos nos negócios, tanto em relação ao desempenho operacional quanto aos indicadores sociais. A segunda edição do Manual visa também o fortalecimento do sistema cooperativo, através do uso da contabilidade como uma ferramenta de gestão, considerando a transparência como pressuposto básico de uma gestão democrática e participativa. Acesse para fazer o download da segunda edição do Manual de Contabilidade para as Agropecuárias. ERRATA Na edição de Agosto/Setembro do Jornal O Interior Cooperativo, o título da matéria da página 18 saiu errado, com de destacam ao invés de se destacam. Já o artigo da página 11, Problemática do Direito do Trabalho e suas Repercussões Jurídicas e Sociais, refere-se a um evento que ocorreu em. exp ediente O Interior é uma publicação do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo do Estado do Rio Grande do Sul SESCOOP/RS. Endereço: Rua Félix da Cunha, 12 Bairro Floresta Porto Alegre/RS CEP Fone: (51) Fax: (51) site: Produção e edição de textos e imagens: Assessoria de Imprensa Ocergs-Sescoop/RS (Luiz Roberto de Oliveira Junior, Rafaeli Drews Minuzzi e Leonardo Machado) - Assessorias de imprensa de cooperativas Fotos de capa: Luiz Junior Responsável: Rafaeli Drews Minuzzi - Reg Convênio: Sescoop/RS e Fundação de Cooperação para o Desenvolvimento Cultural Funcoop Produção Gráfica: Stampa Comunicação Corporativa Impressão: Delta Editora e Serviços Gráficos Tiragem: exemplares Distribuição gratuita

3 3 Rafaeli Minuzzi Cooperativismo Proposta foi construída pelos técnicos do Sistema com base no modelo nacional proposto pela OCB e Macroplan Sistema Ocergs-Sescoop/RS promove reunião sobre Planejamento Estratégico O Sistema Ocergs-Sescoop/RS promoveu no dia 2 de outubro, no Centro de Formação Profissional Cooperativista, a Reunião Extraordinária sobre o Planejamento Estratégico O evento teve como objetivo promover a discussão entre a diretoria e conselheiros sobre a construção do Plano que apontará a visão de futuro do Sistema e os desafios estratégicos do cooperativismo, em conformidade com o modelo proposto pelo Sescoop Nacional, entre outros elementos. A abertura oficial da reunião foi realizada pelo diretor-secretário Paulo Pires, que saudou a todos e parabenizou a iniciativa pioneira de colocar em discussão o escopo de uma proposta de planejamento, possibilitando a todos os conselheiros que sugiram mudanças e complementações aos planos do Sistema. Em seguida, o diretor técnico sindical, Irno Pretto, realizou sua saudação e também expôs sua satisfação com a iniciativa que promove uma discussão com os representantes das cooperativas gaúchas. E salientou o fato do projeto não estar fechado e sim aberto a avaliações e, principalmente, acréscimo de itens, mais do que exclusão dos mesmos. Essa iniciativa é apenas mais um motivo de orgulho do cooperativismo no Estado e no País, finalizou. Por fim, o gerente de Planejamento do Sescoop Nacional, Emanuel Malta, fez sua saudação e falou sobre sua satisfação em participar da ação realizada pelo Sistema gaúcho. Plano de Ações e Planejamentos Estratégicos são apresentados O presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, iniciou os trabalhos da reunião apresentando à diretoria e aos conselhos o histórico dos Planos de Ações e dos Planejamentos Estratégicos realizados até o momento pelo Sistema, divididos em quatro períodos. No primeiro período de Planejamento, entre 2006 e 2008, foram analisados os problemas, linhas de ação, diretrizes e ações prioritárias. No segundo, em 2009, a OCB propôs um Modelo de Planejamento Estratégico e Linhas de Ações e, o Sistema Ocergs-Sescoop/RS, com o auxílio da Faccat realizou um Planejamento levando em conta suas forças, fraquezas, ameaças e oportunidades. No terceiro período, no ano de 2010, foi criado pela primeira vez pela OCB, Sescoop Nacional e Macroplan um Planejamento Estratégico. E, posteriormente, em 2011, o Rio Grande do Sul criou seu Planejamento com objetivos, linhas de ações e projetos. Em janeiro de 2014, a Macroplan sugeriu à OCB um Planejamento Estratégico Global, que foi nacionalizado a todas as OCE's para que elas adotassem o Modelo Nacional e construíssem projetos estruturantes. Perius afirmou que essa iniciativa é um marco histórico para o Sistema devido à capacidade de acrescentar elementos que implicam na melhoria de um novo ordenamento jurídico do cooperativismo daqui para frente, planejado e estruturado, como propõem a OCB e a Macroplan. Vamos, no dia de hoje, prever formas democráticas de ampliar a discussão. Queremos construir um Planejamento do jeito que a lei nos permite, que as cooperativas querem e que possibilite o crescimento do cooperativismo gaúcho, finalizou. Sistema OCB apresenta Planejamento Estratégico Em sua explanação, Malta apresentou sistematicamente as etapas da construção do Plano Estratégico do Sistema OCB para subsidiar o desdobramento e a execução alinhada da estratégia entre as unidades do Sistema OCB. Ele apresentou as visões de futuro do cooperativismo para 2025, seus desafios estratégicos, a missão e os valores da OCB, bem como os Planos Estratégicos da OCB e Sescoop e diretrizes estratégicas da CNCOOP. Malta afirmou que fizeram parte das etapas de construção do Modelo de Planejamento a realização de entrevistas presenciais com pessoas ligadas ao cooperativismo, elaboração de uma pesquisa web (que, ao final contou com 245 participantes) para identificar tendências e incertezas do cooperativismo. Ainda foi feita a análise de documentos estratégicos, participação de colaboradores da OCB e realização de oficinas para definir os valores e missões organizacionais, objetivos estratégicos, linhas de ação, dentre outras ações. O gerente de Planejamento da OCB explicou também que os Planos Estratégicos das Unidades Nacional e Estaduais deverão estar alinhados aos Planos Institucionais (OCB e Sescoop) e que as Unidades devem aproveitar ao máximo os elementos gerados ao longo do projeto. E finalizou indicando que o processo de elaboração dos Planos das Unidades também deve incorporar um olhar regional, no caso das Unidades Estaduais. Após, houve a apresentação das oportunidades, ameaças, forças e fragilidades da Ocergs e do Sescoop/RS, realizada pelo coordenador da reunião e diretor geral da Escoop, Derli Schmidt. Por fim, o gerente de Monitoramento do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, José Máximo Daronco, apresentou aos presentes a proposta do Planejamento Estratégico do Sistema OCB/Sescoop Nacional e Inclusão dos Planos de Ações da Ocergs e do Sescoop/RS. E ainda, os Projetos Estruturadores da Ocergs e do Sescoop/RS. Após análise, discussão e sugestões propostas pelos presentes, ficou definido que cada conselheiro levaria a proposta do Plano para sua cooperativa. As propostas acrescentadas ao Plano a ser enviado para OCB foram feitas em reunião realizada no dia 14 de outubro. Reuniões em separado dos conselhos de Administração e Fiscal do Sescoop/RS, diretoria da Ocergs, Fiscal e de Ética da Ocergs e conselho Técnico Sindical, encerraram as atividades do dia, com o objetivo de indicar novas proposições.

4 4 Cooperativismo Leonardo Machado Evento contou com a presença do consultor e jurista João Muzzi Filho, que explanou sobre o Ato Cooperativo e a sua correta interpretação Sescoop/RS e Fetrabalho-RS promovem Seminário Jurídico Tributário No dia 2 de outubro, o Sescoop/RS, em parceria com a Federação das de Trabalho do Rio Grande do Sul (Fetrabalho-RS), promoveu o Seminário Jurídico Tributário, que contou com a presença de 90 pessoas. O evento teve como objetivo debater sobre o Ato Cooperativo e suas implicações tributárias, o sistema tributário nacional, tributos incidentes nas cooperativas de Trabalho e suas obrigações acessórias, e normas previdenciárias e assuntos emergentes da legislação previdenciária. Na abertura do evento, o discurso ficou por conta da presidente da Fetrabalho-RS e diretora da Ocergs, Margaret Garcia da Cunha, que falou sobre o trabalho da Federação junto às cooperativas e o Ministério do Trabalho. Na sequência foi a vez do coordenador jurídico do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Tiago Machado, que explanou sobre a estruturação da regulação do decreto da lei n 12690, que regula as cooperativas do ramo Trabalho, e sobre o seguro de acidente de trabalho previsto no artigo 7 da lei. Após, a gerente de Relações Institucionais da Organização das Brasileiras (OCB), Fabíola Nader Motta, apresentou os principais números do Sistema OCB nos 13 ramos de atividades econômicas e falou sobre a representação cooperativista deste Sistema, no âmbito político e institucional (OCB), na representação sindical (CNCOOP) e nos três eixos do Sescoop - educação cooperativista, promoção social e monitoramento. Fabíola também explanou sobre a atuação do Sistema OCB junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, para garantir marcos regulatórios favoráveis ao setor cooperativista. A OCB possui uma equipe que monitora todos os projetos de lei no Congresso Nacional. Hoje no Congresso Nacional existem mais de 550 projetos de lei que afetam o cooperativismo, afirmou, ressaltando a importância dos números e das informações de base fornecidas pelas unidades estaduais para embasar estudos de defesa do cooperativismo na Câmara e na Assembleia. Ato Cooperativo e suas implicações tributárias Na sequência do evento, o jurista e consultor João Muzzi Filho abordou o Ato Cooperativo e suas implicações tributárias. Especialista no assunto, o jurista falou da tributação incidente sobre cooperativas e cooperados, que atualmente está sendo analisada pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Segundo Muzzi, este assunto é uma questão vital para a competitividade do setor. A tributação ajustada é um anseio social e, no cooperativismo, é ainda maior, porque não se está se referindo à justiça fiscal, mas à sobrevivência fiscal. A partir do momento em que se tem uma tributação desajustada dentro de um modelo que é totalmente peculiar, já que não existe um tipo societário semelhante ao cooperativismo, corre-se um sério risco de ruída no modelo comparado a outros modelos, especialmente comerciais, enfatizou o jurista. O palestrante explicou que o Ato Cooperativo está previsto na lei geral do cooperativismo (Lei nº 5.764/71). Segundo ele, o que essa lei pretende ao conceituar o ato é, além de delimitar o mesmo, é definir com rigor onde a riqueza se fixa quando de sua prática, momento em que haverá a incidência tributária. Na verdade, o Ato Cooperativo é a alma do cooperativismo. É em essência o ato pelo qual a cooperativa faz a inclusão socioeconômica de seu cooperado em um determinado ambiente econômico, consentâneo com o objeto social da cooperativa, explicou Muzzi. Após, o advogado Élbio Senna, a contadora Liliane de Castro e o professor da Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo - Escoop, Gerônimo Grando, apresentaram o painel sobre o sistema tributário nacional e falaram sobre a incidência de tributos federais, estaduais e municipais nas cooperativas do ramo Trabalho. Além disso, os painelistas também destacaram as obrigações acessórias por parte das cooperativas. Na sequência, a advogada Doralina Matos explanou sobre normas previdenciárias e assuntos emergentes da legislação previdenciária. Estiveram presentes no Seminário presidentes de cooperativas, representantes de unidades estaduais do Sescoop, dirigentes, contadores, economistas e analistas técnicos do Sistema Ocergs-Sescoop/RS.

5 8º Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo realiza 1ª etapa 5 Festival A cidade de Augusto Pestana recebeu na noite do dia 18 de outubro, a primeira etapa do 8º Festival O Rio Grande Canta o Cooperativismo. Na ocasião, foram classificadas seis obras para serem apresentadas na etapa final. Um público estimado em pessoas prestigiou a eliminatória do Festival organizado pelo Sescoop/RS, que tem dentre seus objetivos promover os princípios e valores do cooperativismo através da música. O show de encerramento ficou por conta do grupo Os Serranos e animou o público presente. Prestigiaram a etapa o diretor-secretário do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Paulo Pires; o prefeito do município, Luís Antonio Bohrer; o presidente da Cooperativa Sicredi das Culturas, Antenor Vione; gerente do Sicredi Pestanense, Claudelino Brum; o presidente do Lions Clube, Braulo Goettems; presidente da Comunidade Santo André, Ademir Schwidercke; presidente do Sindicato Rural, Remi Beck; pastora da igreja evangélica, Sirlei Nether; representando a Cermissões Caibaté, Anderson Sá; vice-presidente da Ceriluz Ijuí, Valmir Seifert; representando a Cotrijuí, Gladis Goergen; representando a Cresol, Vanderlei Giotto; e a secretária municipal de desenvolvimento econômico e turismo, Leonair Sost, dentre outras autoridades e presidentes de cooperativas de Augusto Pestana e da região Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi Rafaeli Minuzzi MÚSICA POPULAR (ESCOLHIDA PELO PÚBLICO) SOLUÇÃO INTELIGENTE Ritmo: vanera Letra: João Antunes, Lauro Mattos e João Ribeiro Música: Mário Seffrin Intérprete: Eduardo Maycá Representando a Cooperativa: Sicredi União RS da cidade de Bossoroca O ANDANTE E SUA ESTRADA Ritmo: canção Letra: Juca Moraes Música: João Bosco Ayala Intérprete: Grupo Mas Bah Representando a Cooperativa: Sicredi Centro Leste RS da cidade de Guaíba LUMES DA COOPERAÇÃO Ritmo: canção Letra: Caine Teixeira Garcia Música: Jean Kirchoff Intérprete: Grupo Bah q tri Representando a Cooperativa: Sicredi Fronteira Sul da cidade de Bagé CANTO COOPERATIVO Ritmo: canção Letra e Música: Flaubiano Lima Intérprete: Lú Schiavo Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Rolante NOS RUMOS DA EDUCAÇÃO Ritmo: milonga Letra: Carlos Roberto Hahn Música: Volmir Coelho Intérprete: Leonardo Charrua Representando a Cooperativa: Sicredi Nordeste RS da cidade de Rolante SOBRE GIZ E QUADRO NEGRO Ritmo: canção Letra: Carlos Omar Villela Gomes Música: Piero Ereno As demais fotos do evento podem ser encontradas na página do Facebook do Sistema Ocergs-Sescoop/RS Show de encerramento ficou por conta do grupo Os Serranos

6 6 Cooperativismo Professor da Escoop lança livro sobre Gestão Financeira para O professor da Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo Escoop, José Eduardo Zdanowicz, lançou o livro Gestão Financeira para - Enfoque contábil e gerencial. O livro, que aborda temas pertinentes à contabilidade, custos, finanças, planejamento e controladoria, é recomendado para diretores, gerentes, gestores, conselheiros, auditores, contadores e demais profissionais que atuam em Contabilidade, Custos, Finanças, Governança, Orçamento e Planejamento. Caracterizado por ser didático, técnico e prático, o livro é desenvolvido de forma dinâmica, estruturado numa sequência lógica que favorece o aprendizado geral e a pesquisa específica, sendo aplicável às cooperativas de produção, consumo, crédito habitacional, eletrificação rural e demais ramos envolvidos direta ou diretamente com os assuntos tratados. Os capítulos destacam os fundamentos dos principais temas em termos econômicos, financeiros e patrimoniais; estruturas contábeis do Balanço Geral; métodos da análise gerencial; análise financeira; análise por diferença absoluta; análise econômica; índices de atividades; análise de crédito; fluxo de caixa; pontos de equilíbrio; e práticas de governança corporativa segundo o IBGC, adaptadas à cooperativa. O leitor pode ainda, exercitar a autoavaliação ao final de cada capítulo por meio de exercícios teóricos e práticos. A obra é recomendada para leitura básica para as disciplinas Gestão Financeira para Sociedades, Administração Financeira para, Contabilidade para, Governança Cooperativa, Controladoria e Orçamento para Sociedades dos cursos de Ciências Contábeis, Administração e Economia. Escoop sedia Seminário sobre Contabilidade no Setor Cooperativo A Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo Escoop sediou no dia 17 de outubro o Seminário Contabilidade no Setor Cooperativo. O evento contou com um público de cerca de 100 pessoas, entre profissionais de contabilidade, estudantes, contadores de cooperativas e empregados do Sistema Ocergs-Sescoop/RS. Na abertura do Seminário esteve presente o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius, o presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul (CRCRS), Antônio Palácios, e o gerente de Monitoramento do Sistema Ocergs-Sescoop/RS e integrante da Comissão de Estudos do Setor Cooperativista do CRCRS, José Máximo Daronco. Na pauta, o tema A Responsabilidade do Profissional Contábil e dos Gestores nas Sociedades. Perius apresentou aos participantes números que representam a expressão do cooperativismo gaúcho e abordou temas como estratégias de integração, transparência, inserção nos mercados, regulações e conformidade, como os grandes desafios das cooperativas. Já o presidente do CRCRS expôs a responsabilidade do profissional da contabilidade como fornecedor de informações indispensáveis à boa gestão e à transparência. Palácios considera que o Brasil é um País que carece de transparência em função da falta de mecanismos de controle. Sobre o Seminário O Seminário ocorreu durante todo o dia e abordou como temas principais o IFRS na Prática, a Tributação Federal e a Extinção do RTT, e teve como palestrantes e coordenadores dos painéis os contadores Aristeu Costa dos Santos, Erny Dickel, Dorly Dickel e Juliano Galvan Debiasi. Luiz Junior O presidente do CRCRS falou sobre a responsabilidade do contador como fornecedor de informações indispensáveis às boas práticas de gestão empresarial

7 Representantes do Cooperativismo Gaúcho participam do I Seminário Internacional de Direito do Trabalho 7 Sindicato Nos dias 8 e 9 de outubro, o assessor jurídico e o analista administrativo do Sindicato e Organização das do RS, Denilson Prestes e Pedro Malheiros, respectivamente, participaram em Brasília (DF) do I Seminário Internacional de Direito do Trabalho, realizado no auditório do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). O evento foi realizado em parceria com o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB), com patrocínio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop). Abertura Após a abertura do evento, os ministros Ives Gandra da Silva Martins Filho e Maurício Godinho Delgado, do Tribunal Superior do Trabalho (TST), e o professor Luiz Carlos Robortella, da Faculdade de Direito da Fundação Armando Álvares Penteado, proferiram a palestra Os Desafios do Direito e do Processo na Atualidade. O ministro Delgado apoiou o entendimento majoritário da Justiça trabalhista, conforme a Súmula 331 do TST, na linha de que a terceirização sem peias não pode ser aceita em nome do princípio da livre iniciativa; o segundo criticou esse entendimento, qualificando-o de ativismo judicial. Delgado explicou, inicialmente, o caráter de relação trilateral da terceirização, que envolve a prestadora de serviços (terceirizada), a tomadora de serviços e o trabalhador terceirizado, sendo a relação de emprego com a empresa prestadora. Esta fórmula, a seu ver, fragiliza a figura do trabalhador, já que o terceirizado não é empregado de quem toma os seus serviços. O deputado Sandro Mabel (PMDB-GO) também fez uma crítica contundente da Súmula Vinculante 331 do TST e insistiu na necessidade de ser aprovada uma lei específica sobre a terceirização. Demais painéis Outros palestrantes também marcaram presença no primeiro dia, como a ministra Maria Cristina Irigoyen Peduzzi (TST) e Adelson Silva dos Santos, do TRT da 11ª Região, que debateram a temática da Segurança jurídica no âmbito das relações trabalhistas em mesa presidida pelo professor Atalá Correia, do IDP. O evento contou ainda com a presença de diversos especialistas da área, dentre eles, vários ministros de Tribunais Superiores e discutiu temas como: Segurança jurídica no âmbito das relações trabalhistas; Terceirização de serviços; Autonomia negocial coletiva; Os impactos econômicos e sociais das decisões da Justiça do Trabalho; Recursos trabalhistas e sua racionalização; e Sistema sindical cooperativista no Brasil e no mundo. Um dos painéis abordou o cooperativismo de trabalho. A discussão sobre o assunto foi feita pelos painelistas Luiz Alberto de Vargas (Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região), Jeibson dos Santos Justiniano (Ministério Público do Trabalho da 11ª Região) e Alcian Pereira de Souza (advogado da OCB/AM). O debate foi acompanhado pessoalmente pelo presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, e as gerentes gerais Karla Oliveira (Sescoop) e Tânia Zanella (OCB). A programação possibilitou uma discussão aprofundada sobre temas como segurança jurídica no âmbito das relações trabalhistas, impactos econômicos e sociais das decisões da Justiça do Trabalho, Sistema sindical cooperativista no Brasil e no mundo, dentre outros. kasto/ Fotolia

8 8 Cooperativismo Luiz Junior Luiz Junior Luiz Junior Turma de pós-graduação da Escoop realiza viagem de estudos para a Alemanha Com o objetivo de consolidar a expertise da Escoop em cursos de extensão, graduação e pós-graduação lato sensu, na área de Gestão Estratégica de, os alunos do MBA em Gestão Estratégica do Agronegócio da Escoop realizaram um módulo internacional de estudos na Alemanha. Durante cinco dias, de 20 a 24 de outubro, os alunos realizaram atividades na Akademie Deutscher Genossenschaften (ADG) e em cooperativas e federações alemãs. A oportunidade de cursar um módulo no exterior decorre do Projeto de Cooperação mantido entre o Sescoop/RS e a Confederação Alemã de - DGRV. As aulas, na primeira etapa da viagem, aconteceram na ADG, no Castelo de Montabaur, de propriedade da DGRV, uma estrutura que compreende cinco pousadas e dois edifícios para seminários. A primeira menção do Castelo é do ano de 959 e durante muito tempo foi propriedade da arquidiocese de Trier. Na estrutura, em 2013, cerca de mil instrutores ministraram seminários, para um público total de participantes. A primeira atividade dos alunos foi a apresentação geral do sistema cooperativista na Alemanha, realizada pelo engenheiro econômico, gerente de produtos e responsável pela coordenação nacional de educação e projetos internacionais da DGRV, Stefan Daferner, que apresentou a academia e ministrou aula sobre o desenvolvimento de RH nas cooperativas de Crédito alemãs. Após, o representante da DGRV, Christoph Plessow, abordou o universo da confederação das cooperativas e entidades de auditoria do sistema de cooperativismo alemão, quando também deu as boas-vindas aos alunos do MBA, ressaltando a história e números atuais das cooperativas no país. Destacou ainda as atividades da DGRV, que são a representação de interesses das cooperativas, aos moldes da OCB no Brasil; contabilidade; assistência jurídica; assistência na área de tributação e impostos; e cooperação internacional. A ADG trabalha, em vários pontos do mundo, na assistência técnica na área financeira, na organização de programas, seminários e workshops e conferências. As cooperativas alemãs possuem 19,2 milhões de associados e 780 mil funcionários, distribuídos em cerca de cooperativas. Na sequência, até o dia 22, ainda em Montabaur, os alunos do MBA tiveram aulas com Rene Borresch, sobre Formação e Capacitação em Agropecuárias; com Arno Boerger, sobre o projeto de cooperação bilateral do Sistema Ocergs-Sescoop/RS com a DGRV e o Ministério da Agricultura da Alemanha; com Walter Zeller, sobre Gestão Estratégica e com Alois Splonskowski, que abordou a temática "Organização e Liderança". Ainda no dia 22, o grupo foi recebido em Borken, pelo diretor executivo da Raiffeisen Westmünsterland (RWM), Josef Wissing, uma cooperativa rural que recebe e comercializa cevada, trigo, milho e verduras, entre outros produtos e que possui também fábrica de rações e silos para a armazenagem de grãos, com 75 funcionários e associados. Também na sede da Cooperativa, os alunos ouviram o auditor Christian Buschfort, da Federação Regional da Renânia-Westfália (RWBG), responsável pela auditoria externa obrigatória a que todas as cooperativas alemãs são submetidas. Buschfort é responsável por um grupo de oito auditores que realizam anualmente auditorias externas em 706 cooperativas na área de atuação da Federação. Na Alemanha, a auditoria externa é obrigatória, assim como a filiação a uma federação. No dia 23, o grupo visitou a Agravis Reiffeisen, uma Sociedade Anônima de propriedade majoritária de 156 cooperativas singulares, com faturamento anual de 7,5 bilhões de euros e com capital social de 192 milhões de euros. Localizada na cidade de Münster, a empresa atua no segmento animal (cereais, rações, minerais), tecnologia, construção civil, supermercados e energia. Os alunos, divididos em dois grupos e guiados por orientadores, visitaram as instalações da Cooperativa. Após, assistiram a uma palestra do executivo da Agralis, Cristian Bimberg, que discorreu sobre a governança e os números da cooperativa. No período da tarde, a aula foi na sede da Raiffeisen Vital Saverland Hellweg Lippe, na cidade de Hamm, onde a turma visitou as instalações da Cooperativa, localizada junto a duas hidrovias. Os alunos foram recebidos pelo executivo da Cooperativa, Dirk Köckler, que discorreu sobre os negócios dos cerca de associados, todos produtores rurais e que recorrem à Cooperativa para a compra e venda de produtos e comercialização de sua produção de grãos. A Raiffeisen Vital Saverland Hellweg Lippe tem expertise na produção de rações e utiliza como matéria-prima cerca de 100 mil toneladas de farelo de soja importado da cooperativa paranaense Coamo. Köckler frisou a importância das fusões já realizadas que fortaleceram as atividades da Cooperativa ao longo de seus 125 anos. Ainda na sede da Cooperativa, o representante da DGRV, Christoph Plessow, despediu-se do grupo e destacou a importância da gestão e dos estudos realizados pelos alunos, classificando a troca de experiências como fundamental para o sucesso do empreendimento cooperativo. Plessow disse que a cooperativa tem de fomentar a atividade do associado da melhor forma, caso contrário ele irá procurar um empreendedor privado, e perderá a missão enquanto cooperativa. A coisa só está correta quando a cooperativa é superior ao melhor concorrente, finalizou. No dia 24 de outubro, já em Berlim, foi a vez do grupo conhecer a sede da DGRV, onde foram recebidos por Dirk Lehnhoff, membro do Conselho de Administração da entidade. O dirigente acentuou as atividades da Confederação, que vão desde a auditoria externa, até o relacionamento e acompanhamento da gestão e governança das cooperativas alemãs, sempre em busca de um processo de melhoria continuada das cerca de cooperativas alemãs. Lehnhoff frisou alguns números, salientando que do total de cooperativas, cerca de são de produção agrária e atuam com produtos como leite, carnes, vinhos e hortifrutigranjeiros e que os bancos cooperativos possuem aproximadamente 25% do mercado no país. Existem ainda no país supermercados com a bandeira Reiffeisen. As cooperativas têm na Alemanha

9 9 um espírito empresarial e buscam o lucro, mas também o apoio ao associado e melhoria para as suas condições de vida, ressaltou Lenhoff. Como objetivos da DGRV, o dirigente alemão frisou também a integração com o púbico jovem, a segurança alimentar, a atuação do departamento jurídico junto às esferas governamentais, para que as cooperativas tenham sempre o tratamento adequado. Por fim, completou dizendo aos alunos que a DGRV atua há mais de 30 anos em parceria com o Ministério da Agricultura da Alemanha e destacou o projeto de cooperação com o Sescoop/RS. Sempre somos muito bem recebidos em seu Estado e faço votos que nossa parceria de cooperação continue e os parabenizo por essa qualificação que estão buscando aqui em nosso país, completou. Após, o assessor da diretoria da DGRV e responsável pela prospecção de novas cooperativas e pela área de energia, Andreas Wieg, apresentou as atividades sob seu comando na Confederação. Na última atividade da turma de MBA da Escoop na Alemanha, os alunos foram recebidos na Universidade de Humboldt, em Berlim, que coordena nove institutos de ensino sobre o cooperativismo em toda a Alemanha. O professor Malte Muller coordena estudos que medem e qualificam o sucesso das cooperativas rurais em toda a Europa e apresentou estudos que comprovam a importância econômica das cooperativas nas comunidades onde atuam. A Universidade de Humboldt tem 200 anos de atividades e possui alunos e 426 professores. A Faculdade de Tecnologia do Cooperativismo - Escoop é a primeira instituição de ensino superior voltada exclusivamente ao ensino, pesquisa e extensão em Cooperativismo no País. Mantida pelo Sescoop/RS, a Escoop mantém cursos de extensão, o Curso Superior de Tecnologia em Gestão de em nível de graduação e cursos de especialização em Gestão de, em nível de pós-graduação lato sensu. Luiz Junior Tarcísio Minetto, superintendente da Fecoagro: Verificamos um sistema diferente do nosso, onde a questão cultural, de participação na vida da cooperativa, prepondera. O cooperativismo para a economia da Alemanha é muito forte. Eles trabalham muito na qualificação de recursos humanos, diferencial que para eles é importante para manter o que eles chamam de cliente, o associado. Chama atenção ainda a ampliação do número de fusões, não só por necessidade, mas por consciência natural do processo, sempre em busca da competitividade. Não tem paternalismo, tem um profissionalismo muito forte. Gilberto Piccinini, presidente da Cosuel: Nós tínhamos uma grande expectativa em relação ao modelo de cooperativismo alemão. Impressionou muito a determinação, o protagonismo do cooperativismo na vida do povo, nas experiências públicas e privadas. E isso é percebido com clareza pela sociedade alemã. Para ser um produtor na Alemanha, tem que se preparar. Para ser associado de cooperativa, tem que se preparar. E o mais importante, para ser dirigente tem que estar muito bem preparado, tem que conhecer bem o negócio cooperativo, suas estratégias de gestão. O nosso objetivo de estarmos aqui está plenamente alcançado. Agora temos que colocar em prática algumas coisas que aprendemos. Paulo Alex Falcão, vice-presidente da Sicredi Centro Leste: O grande ensinamento que levamos é o conceito de organizar e preparar as pessoas para conduzir organizações que tragam benefícios para as comunidades, sempre calcado em um bom processo de gestão. Lauro Scherer, presidente da Coomat: Uma ótima impressão. Além das experiências colhidas na Academia, esse intercâmbio com as cooperativas singulares, federações e confederações foi de suma importância. Chamou a atenção a questão da necessidade de unirmos as cooperativas, seja através de fusões ou uniões, temos que trabalhar cada vez mais em conjunto. Vimos aqui experiência exitosa deles nessa área. Temos a consciência de que isso deve ocorrer mais no Rio Grande do Sul. Hoje temos muita competição entre as cooperativas, nem sempre saudáveis. Décio Leonhardt, diretor administrativo da Cooperativa Languiru: Uma experiência muito positiva, tanto para os fins acadêmicos quanto profissionais. Conseguimos ter uma boa visão de como as cooperativas alemãs se relacionam com seus associados e entre elas próprias. O cooperativismo aqui tem muitos anos. A profissionalização das diferentes áreas das cooperativas nos deu muitas ideias. Destaco ainda o planejamento e a gestão. Gilberto Seibel, vice-presidente da Cotrisoja: Uma viagem de estudos muito interessante, onde verificamos o cooperativismo alemão de perto. Temos no Brasil cooperativas que estão evoluindo e se preparando para o futuro. Aqui na Alemanha, ressalto as auditorias externas, todas ligadas à Federação e Confederação. Outro aspecto é em relação às fusões de cooperativas, que acreditamos que seja uma tendência e isso deverá acontecer em breve no Brasil. Gisela Schaffer, Controler da Cooperativa Piá A viagem da nossa turma de MBA para Alemanha foi enriquecedora para todos, sem dúvidas. Conseguimos identificar diversos aspectos convergentes com nossas cooperativas, embora seja necessário ponderar as diferenças culturais. Percebeu-se claramente que os alemães centram seus esforços no planejamento e cumprimento de seus objetivos, no Brasil também buscamos isso, porém, o fator instabilidade muitas vezes afeta o planejamento. Cabe a nós identificar as melhorias possíveis de serem praticadas em nossas cooperativas e aplicá-las, esta é nossa responsabilidade. Elizabeth Chiminazzo Rossi, gerente de Controladoria da Cooperativa Vinícola Garibaldi Ao longo de quase dois anos estudamos o modelo das melhores práticas de gestão para as nossas cooperativas, este conhecimento agregou muito ao nosso trabalho e certamente trará bons resultados às cooperativas. Com o intuito aprimorar ainda mais o desenvolvimento e o fortalecimento das cooperativas, tivemos a oportunidade de conhecer a realidade das cooperativas alemãs, uma vez que, o sistema lá adotado tem sido referência. Chamou a atenção a obrigatoriedade das cooperativas serem auditadas, independentemente de segmento ou faturamento, e ainda que, esta é realizada pelas Federações das e não por empresas de auditoria contratadas, como é no Brasil. Cooperativismo Luiz Junior Luiz Junior Luiz Junior

10 10 Coluna Técnica A Sucessividade dos Contratos Coletivos Denilson Prestes Advogado, Assessor Jurídico do Sindicato Ocergs, Pós-Graduado em Direito Civil (UFRGS/FMP). Como contrato que é, o contrato coletivo não pode ser examinado de forma isolada, há que se abordar nesta breve síntese, a questão da sucessividade de contratos coletivos através dos seus métodos interpretativos. Registre-se, por oportuno, que no período inicial, a função da negociação coletiva foi promover a união dos trabalhadores para o seu fortalecimento nas contratações salariais com o empregador. Já no segundo período, a função da negociação coletiva foi criar normas e condições de trabalho com efeito erga omnes sobre toda a categoria, expressão de um direito coletivo corporativista no qual as categorias econômicas e profissionais ganharam dimensão maior no ordenamento jurídico. No terceiro período, a função das negociações coletivas foi estabelecer, de modo bilateral ou trilateral, regras de implementação de uma política socioeconômica de bases democráticas, com a participação das entidades de cúpula representativas dos interesses trabalhadores e empregadores, com a interveniência do Governo e, de outro lado, transformá-la em instrumento normativo comunitário e regional. Por sua vez, no período contemporâneo, sem prejuízo das funções anteriores, destinam-se, também, a coordenar interesses dos trabalhadores e dos empregadores, funcionando, quando necessário, como instrumento de administração de pessoal, empresarial ou do setor econômico-profissional. Na limpidez e visão do professor espanhol Rodriguez-Piñero, a situação geral vislumbra uma diversidade de funções do convênio coletivo como instrumento para reintroduzir flexibilidade no mercado, levando a cabo uma operação de desregulamentação controlada e condicionada, valorização da autonomia coletiva e normas mais abertas, mais dinâmicas, mais adaptáveis, tendo em conta as circunstâncias concretas da conjuntura do setor (ramos) e da empresa (em nosso caso leia-se cooperativas). Nesta perspectiva, procura-se, na ampliação relativa da esfera da autonomia coletiva, não a introdução de novas regras, mas o aperfeiçoamento das existentes. Assim, verifica-se neste contexto que o modelo tradicional de convenção coletiva está se transformando profundamente, e a contratação coletiva já não é necessariamente um instrumento para a formalização de acordos vinculantes entre as partes, deixou de ser um mecanismo unilateral de introdução de melhorias em nível coletivo para os trabalhadores, passando a ser, por conseguinte, um instrumento bilateral cujo conteúdo é também gerencial e administrativo, concessivo ou recessivo, perante um sindicalismo mais maleável e disposto a considerar as situações pelas quais uma empresa pode passar, as suas dificuldades e crises e a necessidade de ação conjunta entre as partes convenentes. Neste contexto, há que se perquirirem alguns pontos: A ampliação da negociação coletiva é um fato. Lei posterior revoga lei anterior, A regra é aplicável às convenções coletivas? Este caráter vinculativo relaciona-se com o problema da incorporação das cláusulas das convenções coletivas não renovadas antes examinadas e no qual estão os pressupostos que equacionam a segunda questão. Nesse diapasão, o princípio cronológico a fim de solucionar o problema da sucessividade de contratos coletivos, de modo que o posterior revoga o anterior, da mesma forma que o princípio é aplicado para determinar lei vigente, pode ser aplicado como regra geral. Entretanto, inobstante ao entendimento esposado anteriormente, há que se fazer algumas considerações. Cumpre aqui destacar que existem cláusulas de direitos instantâneos e outras de direito de trato sucessivo, e quanto a estas o problema surge. Exemplificando, seria problemático se diante de uma cláusula que confere aos trabalhadores adicionais por tempo (triênios, quinquênios, etc.) de serviço, que será elevado gradativamente no tempo de acordo com antiguidade, convenção posterior possa revogar a anterior. Ora, equivaleria a retirar não uma expectativa de direito, mas um direito adquirido, o que não encontra respaldo em nosso ordenamento jurídico. Desta forma, o empregado que tem rescindido o seu contrato de trabalho, deixa de receber o adicional por força da extinção do contrato, mas aquele que continua na empresa terá direito ao adicional nos termos estipulados, ainda que convenção coletiva posterior não reproduza essa vantagem, tendo em vista a natureza da cláusula assecuratória de um direito de trato sucessivo. Em síntese, o problema deve ser solucionado tendo em vista o tipo de cláusula estipulada na convenção, se de direito instantâneo ou de direito de trato sucessivo, mesmo porque nada impede que a convenção declare o direito de trato sucessivo expressamente incorporado nos contratos individuais. Wrangler/ Fotolia

11 Certaja comemora 45 anos Divulgação 11 Evento reuniu cerca de 400 pessoas na Associação dos Funcionários da Certaja. No dia 17 de outubro, a Cooperativa Regional de Energia do Taquari (Certaja) completou 45 anos de fundação. Em alusão à data, o mês de outubro foi de comemorações para a Cooperativa. No dia 18, cerca de 400 pessoas, entre funcionários e conselheiros do Grupo Certaja participaram de um evento na Associação dos Funcionários da Certaja (Acerta), onde foi apresentado um vídeo alusivo à data, com depoimentos de três associados pioneiros e apresentação da invernada certajana de uma coreografia especial para o jingle da Campanha Ser+ Certaja. O presidente do Grupo, Renato Martins, e o diretor executivo Pedro Maia, que também atua como vice -presidente da Certaja Desenvolvimento, marcaram em seus discursos o pioneirismo e a seriedade do empreendimento iniciado há quatro décadas e meia, responsável por levar energia elétrica e, consequentemente, desenvolvimento aos lugares atendidos. Obras como as subestações de 69 kw, em Taquari e Vendinha, assim como as PCHs de Morrinhos, em fase de geração de energia em teste, e Abranjo, em obras, foram mencionadas como prova do empreendedorismo e vocação da Certaja para ser parceira dos municípios, melhorando a vida de seus associados e clientes. Certel e Unimed Erechim recebem Prêmio Top Ser Humano da ABRH-RS O ramo Saúde também foi contemplado na premiação, com a Unimed Erechim. A Cooperativa recebeu o prêmio com o Projeto Mudança, criado a partir dos resultados obtidos na Pesquisa de Clima Organizacional, aplicada anualmente, bem como na análise do ambiente interno, sempre alinhado com o Planejamento Estratégico da Cooperativa. O projeto tem como foco as pessoas - colaboradores e beneficiários dos planos de saúde Unimed, através da promoção de um ambiente de trabalho saudável, participativo, colaborativo e integrador. O cooperativismo gaúcho é destaque novamente no cenário estadual. Desta vez, o mérito ficou a cargo das cooperativas Certel, de Teutônia, e Unimed Erechim. Ambas receberamno dia 1º de outubro, em cerimônia realizada no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre, o Prêmio Top Ser Humano Organizações, promovido pela seccional gaúcha da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RS). Com mais de 124 mil associados (sócios da Certel e Certel Energia), a Cooperativa do ramo Infraestrutura do Vale do Taquari, localizada no município de Teutônia, conquistou o prêmio com o case Para o esocial, assuntos burocráticos e funcionais ainda são dever do RH, mas a gestão pode ser diferente, com estratégia e criatividade. Sobre o Prêmio Top Ser Humano da ABRH-RS Em sua 22ª edição, o Prêmio Top Ser Humano da ABRH-RS reconhece as melhores práticas de gestão de pessoas no Estado. Neste ano, a cerimônia de entrega do prêmio aconteceu no Grêmio Náutico União, em Porto Alegre. Na ocasião, foi entregue também o 14 Prêmio Top Cidadania. Ao todo, a celebração agraciou 36 projetos bem-sucedidos na área e ainda concedeu o prêmio Personalidade Top Ser Humano, totalizando 37 premiações.

12 12 Ações marcam o aniversário da Unimed Erechim Foto Elsa O descerramento das placas e o desenlace da fita inaugural fizeram parte do evento oficial de inauguração No mês de outubro a cooperativa Unimed Erechim comemorou 43 anos de fundação. Para celebrar a data, foram realizadas diversas atividades. No dia 3, por exemplo, foi inaugurado o Centro de Qualidade de Vida Unimed, e no dia 4, a visita a uma sociedade beneficente e a reunião da coordenadoria da Área 3, das cooperativas pertencentes à região Norte-Noroeste do Estado. Inauguração do Centro de Qualidade de Vida No dia 3, a Unimed Erechim iniciou as atividades do Centro de Qualidade de Vida Unimed, um amplo e moderno espaço com mais de sete mil metros quadrados, que agrega diversos serviços da Cooperativa. O evento contou com a participação de autoridades, médicos cooperados, colaboradores, clientes, imprensa e convidados. O presidente da Cooperativa, Alcides Mandelli Stumpf, destacou o esforço dos ex-presidentes, dos primeiros cooperados e principalmente das gestões recentes, em que o planejamento e o consenso foram fundamentais para a realização desta edificação. Aprovamos a aquisição do terreno em Assembleia Geral Extraordinária há oito anos e a Pedra Fundamental foi lançada em cinco de outubro de 2009, iniciando a obra no ano seguinte. Esta etapa foi custeada mediante recursos próprios, a par do compromisso cumprido de não reduzirmos a remuneração do trabalho do cooperado, explicou Stumpf. O presidente ressaltou o crescimento sustentável que resultou ainda no conforto físico e melhoria do atendimento. Também discursaram o diretor administrativo, Luiz Felipe Barreneche Leães e o diretor técnico da Unimed Erechim, Élcio Marcos Zanardo. Ainda, o presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, Paulo de Argollo Mendes, o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/ RS, Vergilio Perius, o presidente da Federação das Médicas do Rio Grande do Sul, Nilson Luiz May e o prefeito de Erechim, Paulo Alfredo Polis. O descerramento das placas e o desenlace da fita inaugural deram continuidade ao evento oficial que foi encerrado com uma bênção às instalações do Bispo Diocesano de Erechim, Dom José Gislon. Após, os presentes realizaram uma visitação ao novo espaço e assistiram ao show de fogos de artifício, que encerrou as atividades. Em seguida, os convidados foram recepcionados em um jantar baile no Clube Recreativo Atlântico. Visita à sociedade beneficente No dia 4, em homenagem ao Dia do Idoso, celebrado no dia 1º de outubro, a equipe do serviço de Medicina Preventiva da Unimed Erechim realizou visita à Sociedade Beneficente Jacinto Godoy - Lar dos Velhinhos. A equipe, acompanhada pelas gerentes de Gestão, Adriana Biasi e de Relacionamento, Alessandra Sonda, foi recebida pela psicóloga Eliana Albuquerque Santin. Divulgação O encontro proporcionou momentos de alegria com muita música e descontração e teve como finalidade promover a aproximação do Centro de Qualidade de Vida Unimed com a Instituição. O morador do Lar, Jair Ampessam agradeceu a visita. Somos pessoas felizes, aqui não é um asilo e sim um lar. Obrigado pelo amor e pelo carinho de vocês e voltem sempre que quiserem. Grupo de colaboradores desenvolveu atividades adaptadas no Lar dos Velhinhos

13 7º Encontro de Mulheres da Cotrirosa é sucesso de público Divulgação Cotrirosa Divulgação Cotrirosa 13 Dirigentes da Cooperativa e prefeito municipal fizeram a abertura do evento Cerca de mil mulheres participaram da atividade que chegou a sétima edição Uma tarde de muita alegria e animação marcou a 7ª edição do Encontro das Mulheres da Cotrirosa, realizado no dia 7 de outubro, na Associação dos Funcionários da Cotrirosa (Afuco), em Santa Rosa. Na abertura das atividades, o presidente da Cotrirosa, Eduino Wilkomm, destacou a importância da Cooperativa para as famílias associadas. Desenvolvemos um trabalho com o objetivo de envolver toda a família associada nas mais diferentes atividades. Estamos realizando muitos investimentos, buscando cada vez mais melhorar a qualidade de vida das famílias associadas e fortalecer ainda mais os trabalhos e a atuação da Cotrirosa, afirmou. O prefeito de Santa Rosa, Alcides Vicini, manifestou a sua alegria em poder participar desta atividade e destacou a força das mulheres em todos os ramos da sociedade. Na sequência, o diretor da Lamaison Training, Consultoria e Desenvolvimento, de Caxias do Sul, Adroaldo Lamaison, proferiu a palestra A força da mulher agricultora a esposa, a mãe e a trabalhadora. Vamos olhar as coisas boas que temos, valorizar a vida, a família e o trabalho. Certamente você tem mais motivos para viver feliz do que triste, comentou Laimason. Cerca de mil mulheres aproveitaram a oportunidade para interagir e se divertir junto com o mascote da Cotrirosa, Super Mais, e a dupla musical Ana Paula e Anderson. A atividade também chamou atenção para o Outubro Rosa, movimento popular internacionalmente conhecido que simboliza a luta contra o câncer de mama. O grupo Mama Viva também esteve presente realizando ações de prevenção contra o câncer de mama. O Encontro teve como objetivo proporcionar às mulheres associadas da Cotrirosa um momento de descontração, entretenimento e conhecimento. Crianças do AABB Comunidade receberam festa da Coopermil As crianças integrantes do programa AABB Comunidade, do qual a Coopermil é madrinha em Santa Rosa, receberam uma festa em comemoração ao Dia da Criança. O evento aconteceu no dia 10 de outubro, na Associação dos Funcionários da Coopermil (Afumil), em Santa Rosa. Pela manhã, as crianças foram recebidas por colaboradores da Cooperativa e aproveitaram os brinquedos disponibilizados. Na sequência, participaram de uma série de atividades conduzidas pelos escoteiros do grupo Arajás, de Santa Rosa. O almoço contou com a presença do prefeito Alcides Vicini, do gerente do Banco do Brasil Antonio Frizzo Tambara, da coordenadora pedagógica do Projeto, Rosali Wagner, de representantes do Programa de Integração AABB Comunidade de Santa Rosa e da Secretaria Municipal de Educação, além do presidente da Coopermil, Joel Antônio Capeletti. O AABB Comunidade é um projeto social do Banco do Brasil e, em Santa Rosa, é realizado com a parceria da Prefeitura Municipal. Projeto social do Banco do Brasil é realizado em parceria com a Prefeitura Municipal e viabilizado pela Coopermil Divulgação Coopermil

14 14 Dia da Criança Dália reúne três mil pessoas em evento promovido pela Cosuel Michele foi homenageada com entrega de placa pelos anos dedicados ao Criança Dália Com o rosto pintado e o sorriso largo, de orelha a orelha, o trio de amigos Felippe Vitório Gobb (7), Jéssica Agostini (9) e Laís Miranda Zeni (9) aguardava na fila para brincar no pula-pula. Esse era apenas mais um dos diversos brinquedos que eles já haviam utilizado na véspera do dia deles. Na oportunidade, foram entregues kits escolares e sorteadas bicicletas, tablets e skates. O Projeto Criança Dália mantém ação para os pequenos há mais de dez anos Assim como Felippe, Jéssica e Laís, que saíram de Roca Sales para aproveitar a festa, outras centenas de crianças de municípios da região deslocaram-se ao Ginásio Municipal do Parque João Batista Marchese para participar do Dia da Criança Dália. A programação foi realizada no dia 11 de outubro, por iniciativa do Projeto Criança Dália, da Dália Alimentos. Cerca de três mil pessoas circularam pelo parque, entre crianças, pais e acompanhantes. Para os pequenos até 12 anos, 1,2 mil kits com mochila, caderno, caixa de lápis de cor e copinho personalizado e colecionável do Projeto Criança Dália foram entregues. Para manter a energia da criançada, cachorro-quente, refrigerante, pipoca e um achocolatado Choco + Latte Dália foram oferecidos. No total, foram distribuídos dois mil cachorros-quentes, 552 litros de refrigerante e 1,4 mil unidades de achocolatado. Também houve a distribuição de 500 mudas de árvores nativas em parceria com a Certel. Como de praxe, o Sicredi foi parceiro do evento através do jogo Poupedi e da entrega de brindes aos pequenos. O presidente do Conselho de Administração da Dália Alimentos, Gilberto Antônio Piccinini, e o vice Pasqual Bertoldi, também se fizeram presentes no evento e participaram da programação. Piccinini destacou a importância do evento para o público infantil e disse que a Cooperativa se preocupa com todas as faixas etárias. O Criança Dália é um projeto de magnitude, que, a cada ano, promove novas ações visando aos pequenos, que, em síntese, são o nosso futuro. Homenagem A tarde também contou com uma homenagem a Michele Scaravonatto. Por oito anos, ela foi funcionária da Carina Marques Dália Alimentos, supervisora do Setor Social e integrante ativa da comissão organizadora, na função de coordenadora do Projeto Criança Dália. Em setembro ela deixou o quadro de funcionários para assumir um novo desafio profissional e, para marcar a sua atuação na coordenação do projeto, uma placa de reconhecimento foi entregue pela nova supervisora e atual coordenadora do projeto, Tânia da Rosa. Trabalho voluntário Em torno de 130 pessoas estiveram envolvidas na organização e realização do evento. Além dos oito integrantes da comissão organizadora do Projeto Criança Dália, funcionários de diversas divisões e setores foram divididos em equipes e executaram um trabalho voluntário. Para Tânia, mais uma vez o evento Dia da Criança Dália foi baseado na união mútua de todos os funcionários da Cooperativa, que se doaram e dedicaram um dia para o projeto. Sem a participação de todos não seria possível realizar este evento que atinge diversas crianças de inúmeras cidades da região. Nosso objetivo, que era o de promover uma festa diferente, feliz e animada aos pequenos, foi alcançado. Carina Marques Evento reuniu cerca de três mil pessoas no Parque João Batista Marchese

15 15 IGL e Embrapa definem detalhes do 13º Congresso Internacional do Leite Assessoria de Imprensa IGL/Divulgação Da esquerda para a direita: Ardêmio, Marne, Paulo, Gilberto e Ernesto em reunião de trabalho na Embrapa de Juiz de Fora (MG) Nos dias 29 e 30 de julho de 2015 será realizado um evento inédito no Rio Grande do Sul. Pela primeira vez o Estado sediará o Congresso Internacional do Leite, em sua 13ª edição, na Fiergs, em Porto Alegre. Detalhes do evento promovido pelo Instituto Gaúcho do Leite (IGL) e pela Embrapa Gado de Leite Juiz de Fora foram definidos no dia 14 de outubro, em reunião realizada com dirigentes de ambas entidades, na sede da Embrapa, em Juiz de Fora, Minas Gerais. O Congresso Internacional do Leite é um evento promovido pela unidade da Embrapa Gado de Leite de Juiz de Fora (MG). Itinerante, cada edição ocorre em estados diferentes. Na decisão da Embrapa, pesou a capilaridade do instituto, através das suas 35 entidades associadas, o que facilitará o atingimento dos objetivos e a otimização da difusão do conhecimento e das tecnologias para a cadeia leiteira apresentadas em cada edição. Já pelo IGL influenciaram a aprovação unânime que houve pela Câmara Técnica, pela diretoria e pela Assembleia Geral, bem como o potente instrumento que será o Congresso na organização e no desenvolvimento da cadeia leiteira gaúcha, apoiados no Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Leite (Prodeleite) e no Fundo de Desenvolvimento da Pecuária de Leite e Carne (Fundeleite). O presidente do IGL, Gilberto Piccinini ressaltou que o convite da Embrapa e a confiança depositada no IGL deixam a diretoria do instituto empolgada e compromissada. Temos plena convicção de que será um grande congresso, tendo em vista a diversidade e o comprometimento de nossas entidades associadas. Programação A organização do evento estima a participação de 1,2 mil pessoas durante os dois dias do congresso, todas envolvidas diretamente na cadeia produtiva do leite. A programação segue os temas sugeridos durante o encontro realizado na Expointer deste ano entre a Embrapa, a Câmara Técnica e a diretoria do IGL. Paralelamente, acontecerá uma exposição de trabalhos científicos previamente selecionados, apoiando a migração de tecnologia da área da pesquisa para o dia a dia da cadeia leiteira. Estiveram presentes no encontro, representando o IGL, o presidente Gilberto Antônio Piccinini; o diretor executivo, Oreno Ardêmio Heineck; e o presidente da Associação Gaúcha de Laticinistas e Laticínios (AGL) e dirigente do IGL, Ernesto Krug. Já a Embrapa Gado de Leite Juiz de Fora (MG) esteve representada pelo chefe geral, Paulo do Carmo Martins e pelo assessor de Relações Institucionais, Marne Sidney de Paula Moreira. Cotrifred realiza atividades de conscientização no Outubro Rosa 50 mulheres foram atendidas durante a atividade Divulgação Cotrifred No dia 15 de outubro, a Cotrifred realizou, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Frederico Westphalen, um dia voltado às mulheres associadas, clientes e colaboradoras da Cooperativa. O evento contou com a presença de enfermeiras, técnicas de enfermagem e agentes de saúde do município. Durante todo o dia foram atendidas mais de 50 mulheres e realizados encaminhamentos de mamografias e exames de densitometria óssea, orientações e realização de autoexame das mamas, bem como exames preventivos de colo de útero. A atividade fez parte das ações de conscientização do Outubro Rosa.

16 16 Cooperativa Languiru credenciada a utilizar selo da agricultura familiar A Cooperativa Languiru está habilitada a utilizar o Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf) em produtos nos segmentos de laticínios, aves e suínos. A credencial é fornecida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e foi publicada no Diário Oficial da União no final do mês de agosto, tendo validade de cinco anos. O Sipaf é uma importante conquista da agricultura familiar, sinal identificador de produtos, que tem por objetivo fortalecer a identidade social da agricultura familiar junto aos consumidores, informando e divulgando sua significativa presença na produção de alimentos, bebidas e artesanato. O selo busca identificar os produtos que tenham em sua composição a participação majoritária da agricultura familiar, dando visibilidade às empresas e aos empreendimentos que promovem a inclusão econômica e social dos agricultores, gerando mais emprego e renda no campo. E nisso se enquadra a Cooperativa Languiru, reconhecida pelo seu trabalho em prol da sustentabilidade econômica, social e ambiental nas comunidades onde está inserida, destacou o delegado federal do MDA no Rio Grande do Sul, Marcos C. Regelin, em visita à direção da Languiru no dia 17 de outubro para anunciar e entregar certificado de habilitação da Cooperativa para utilização do selo. Ele esteve acompanhado da consultora da Secretaria da Agricultura Familiar e do MDA, Mônica Batista de Souza, que explicou os trâmites para que a Languiru obtivesse a permissão de uso do selo em seus produtos. É uma grande honra conhecer esta cooperativa. Acompanhando os documentos que foram enviados para esta habilitação, não tinha ideia do que a Languiru representa para seus associados, para os produtores da agricultura familiar. A utilização do selo por parte de uma cooperativa nos dá a certeza de que os agricultores não ficarão pelo caminho, considerando seu histórico de relevantes serviços prestados à sociedade, revelou Mônica. Qualidade Languiru O Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar vem reforçar o trabalho desenvolvido pela Cooperativa Languiru ao longo de 59 anos de atividades, primando por produtos de qualidade e contribuindo para a melhoria de vida e permanência das famílias no meio rural. Esta identificação soma-se a outros parâmetros e certificações, que atestam a qualidade da cadeia produtiva, desde a matéria-prima até o processo de industrialização e comercialização dos produtos Languiru. Entre esses ainda está o Selo Carbono Neutro, que reflete a preocupação ambiental da Cooperativa e leva essa reflexão aos consumidores nas embalagens dos produtos da indústria de laticínios. Este selo de identificação da agricultura familiar, além de atestar o trabalho de cunho social desenvolvido pela Languiru, permite que a Cooperativa prospecte novos mercados, apresentando-se como diferencial mercadológico nas negociações de políticas públicas, destaca o coordenador administrativo da central de vendas da Languiru, Felipe Mallmann. Presidente e vice-presidente da Languiru, Dirceu Bayer e Renato Kreimeier, respectivamente, também receberam os representantes do MDA e agradeceram pela concessão de uso do selo. Certamente esta identificação fortalece a marca Languiru e a agricultura familiar da nossa região. Isso tem um significado muito especial para a Família Languiru, o que nos motiva a dar continuidade aos projetos em andamento e planejados para os próximos anos, destacaram. Por ocasião da visita, a consultora do MDA ainda conheceu as instalações e o processo de produção na indústria de laticínios e nos frigoríficos de suínos e aves da Cooperativa Languiru. Ainda participaram da recepção aos representantes do Ministério, o diretor administrativo, Décio Leonhardt, e a auxiliar administrativa da central de vendas, Simone Haas Unnewehr. Leandro Augusto Hamester Representantes do MDA entregaram certificado de autorização de uso do selo em reunião com a direção e central de vendas da Languiru

17 17 Unimed Alto Jacuí marca presença na Exapiec 2014 A Unimed Alto Jacuí esteve presente entre os dias 9 e 12 de outubro na Exposição Agropecuária, Industrial e Comercial de Espumoso (Exapiec), que ocorre a cada dois anos. A feira mostrou mais uma vez porque é considerada uma das maiores do seu gênero na região Norte do Estado. Quem visitou o estande da Cooperativa aproveitou os benefícios da campanha de vendas Ter Unimed e também pôde aferir gratuitamente a pressão arterial com a equipe de medicina preventiva. No dia 11 de outubro, dezenas de crianças estiveram no estande para a pintura gratuita de rosto, um presente antecipado para o Dia das Crianças. Nesse mesmo dia, aconteceu a Caminhada Orientada, uma maneira da Unimed incentivar a prática regular de exercícios, um dos pilares da qualidade de vida. A feira encerrou no domingo, dia 12, com um trabalho da Unimed com a Secretaria de Saúde e o Lions Club de Espumoso, voltado à obesidade infantil. Pintura de rosto reuniu diversas crianças no estande da Cooperativa na véspera do Dia das Crianças Divulgação Cotrijal forma mais uma turma do Aprendiz Cooperativo Após um ano de integração e cooperação em sala de aula e prática em diferentes setores da Cotrijal, 27 alunos da segunda turma de 2013 concluíram o Projeto Aprendiz Cooperativo. A solenidade de entrega do certificado de conclusão aconteceu no dia 27 de setembro, no Mundo Cooperativo Gaúcho, espaço do Sistema Ocergs-Sescoop/ RS na Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. O ato foi prestigiado por professores, familiares e representantes do cooperativismo gaúcho, entre eles o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius. Em seu discurso, antes de cumprimentar os formandos, o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, reforçou a importância do Projeto e disse acreditar na nova geração de trabalhadores. "As oportunidades surgem para quem tem interesse. E vocês demonstraram isso", observou. Mânica revelou ainda que desde o início do Projeto na Cotrijal, em 2008, 308 jovens já concluíram o curso de Auxiliar Administrativo para, sendo que 95 deles foram efetivados na Cotrijal. O presidente alertou os jovens para que continuem estudando e fiquem longe das drogas. "A Cotrijal sempre foi parceira dessa iniciativa que prepara adolescentes e jovens para o mercado de trabalho e para serem felizes na vida", destacou Perius. Ele adiantou que em 2015 o Aprendiz Cooperativo deverá passar por ajustes para se adequar à realidade do adolescente e jovem do campo. Disse ainda que teria sido uma honra para ele, se tivesse tido a oportunidade de há 50 anos atrás estar sentado no lugar dos jovens, tendo à frente na mesa um grande líder como Nei César Mânica. "Trabalhar na Cotrijal é para todos, mas não é para qualquer um", ressaltou o presidente do Sindicato dos Comerciários de Carazinho, Ivomar de Andrade, fazendo uma referência ao profissionalismo da Cooperativa. Entre os formandos, o sentimento era de confiança com relação ao futuro. Na plateia, pais e professores orgulhosos. Com o diploma em mãos, a estudante da 7ª série da EMEF Amália Kerber, Viviam Yasmim Senhem dos Santos, 16 anos, acredita que com a experiência adquirida através do Aprendiz será mais fácil conseguir o primeiro emprego. A filha do agricultor Vair dos Santos, 46, atuou por seis meses no Supermercado Sede, na reposição de mercadorias. "Foi muito importante esse contato com os colaboradores da Cooperativa e clientes", reconheceu ela. A irmã Ana Júlia, 14, também sonha passar pelo Aprendiz Cooperativo. A turma que se formou tem um diferencial: dos 30 alunos, 27 concluíram o Projeto e oito deles já foram contratados na Cotrijal. Existe a possibilidade de que novos aprendizes sejam chamados. Também prestigiaram a cerimônia o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder; o gerente da unidade da Cotrijal em Não-Me-Toque, Airton Mário Görgen; o presidente da Coeducars, Ricardo Lermen; e o gerente de Promoção Social do Sistema Ocergs- Sescoop/RS, José Zigomar Vieira dos Santos. Circuito de Corrida Unimed tem 276 atletas inscritos em Cruz Alta A Unimed Planalto Central-RS promoveu no dia 27 de outubro, em Cruz Alta, na Praça do Ginásio Municipal do município, a segunda edição da prova do Circuito de Corrida Unimed, contando com a participação da comunidade local e regional, totalizando 276 atletas inscritos e 174 atletas participantes da prova. Premiação Geral Masculino André Clóvis Herther Vilmar Rosinieski Oneide Francisco Soares Martins Vanderlei Borges Eloir Kersting Malheiros Premiação Geral Masculino Categoria UNIMED Elio Bessa Furian Fabio Westphalen Furian Anção Edisson Flores Mendes Neltair Ribeiro Barbosa Premiação Geral Feminino Josiane de Fátima Anhaia Sandra Pelisson Scherer Angela Krauspenhar Dhein Elaine Dalmares Lenz Karine Keitel Brum Premiação Geral Feminino Categoria UNIMED Viviana Sperotto de Bem Janice Bucco Brum Carla Hernandez Kieling Glaucia Silveira Moreira Lucimara Somavilla Neste ano, a prova contou com a categoria cadeirante, com o intuito de incluir pessoas com necessidades especiais ao esporte. Também esteve presente no evento a Banda do Exército Brasileiro. Acesse o site abaixo e confira a classificação dos atletas:

18 18 Cotriel completa 55 anos Divulgação Atualmente, com associados e empregados, a Cotriel celebrou no dia 11 de outubro 55 anos de história. A comemoração aconteceu de 9 a 12 de outubro, durante a 23ª Exapiec, feira em que a Cooperativa está ligada, pois a primeira edição,em 1973, foi realizada na sede da Cooperativa. Presente em todas as edições realizadas até hoje, a Cotriel recepcionou os associados e clientes durante a Exposição de Espumoso. Sobre a Cotriel Iniciada em 1959, quando um grupo de produtores se reuniu para buscar soluções para a armazenagem do trigo, que despontava naquela época, a Cooperativa cresceu, passando a ter como cultura carro chefe a partir de 1964 a soja e ao longo dos anos agregando outros serviços, como venda de insumos e sementes. As décadas de 1980 e 1990 foram de evolução constante, passando a oferecer outros serviços, como Supermercados, Lojas de Ferragens, Moinho, Fábrica de Ração, Posto de Resfriamento de Leite e Frigorífico, que foram sendo ampliados juntamente com a Assistência Técnica Animal e Vegetal. Os anos 2000 foram de investimentos na ampliação da armazenagem, bem como a ampliação no quadro de sócios, com eventos como o Encontro de Jovens, de Mulheres, Seminário de Culturas de Verão e Inverno, Dias de Campo e várias iniciativas nas Unidades. Atualmente, a diretoria tem focado na ampliação da armazenagem da Cotriel, investimentos na área técnica, com serviços como agricultura de precisão, laboratório de sementes e com campanhas de troca de insumos por grãos, para que todos os sócios sejam atendidos. Seminário Integrado de Transporte Cooperativo debate sobre temas do Ramo No dia 10 de outubro, a Associação Franciscana de Ensino Senhor Bom Jesus, localizada no município de Arroio do Meio (RS), recebeu o Seminário Integrado de Transporte Cooperativo, promovido pela Cooperativa Central Rede Transporte, com o apoio do Sistema OCB e do Sescoop/RS. O cerimonial de abertura foi realizado pelo presidente da Rede Transporte, Abel Moreira Paré, que falou sobre o cenário do transporte cooperativo no Brasil, provocando o público quanto ao pensamento estratégico das cooperativas para a tomada de decisões adequadas. Na sequência, o presidente do Sistema Ocergs- Sescoop/RS, Vergilio Perius, explanou sobre os crescentes números do cooperativismo no Estado e a participação do Transporte nas políticas de Governo para o desenvolvimento da indústria, comércio e serviços, tanto internos quanto aos destinados à exportação. Após, foi a vez do presidente da Vale Log, Adelar Steffler, que enalteceu a importância da participação de todos no Seminário. Segundo o dirigente, é neste ambiente que se constroem ideias e estratégias para melhorar as condições do cenário cooperativo de transporte. As autoridades municipais, principalmente, na palavra do prefeito de Arroio do Meio, Sidnei Eckert, abordaram a relevância da busca na melhoria do transporte de cargas e passageiros e a importância da cidade estar sediando o primeiro Seminário Nacional de Transporte Integrado Cooperativo. Palestra debate sobre estratégias para tomada de decisões adequadas Após a abertura, o professor, jornalista e publicitário, José Luiz Tejon, realizou a palestra sobre Encontrar as estratégias e tomar as decisões adequadas. Tejon explanou sobre sua história de superação e destacou personalidades que se tornaram lideranças dentro do mundo corporativo. Na sequência, foi apresentada a Central Nacional de de Transporte de Cargas e Passageiros, através de seu vídeo institucional, que abordou o modelo de negócio e de governança da Central Nacional e enfatizou a importância das cooperativas aderirem à Rede. Por fim, o superintendente de Serviços de Transporte Rodoviário e Multimodal de Cargas da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Marcelo Vinaud Prado, palestrou sobre o "Plano de Recadastramento RNTC". Prado falou sobre o cenário de transporte, ressaltando as dificuldades de fiscalização da agência e as alterações no modelo adotado de regulação, principalmente quanto à resolução n 3.056/2009, que dispõe sobre o Registro Nacional de Transportadores Rodoviários de Cargas (RNTRC), e a resolução n 3.658/2011, que trata das operações de cadastro para a geração de Código Identificador da Operação de Transporte (Ciot). Estiveram presentes no evento o presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS, Vergilio Perius; presidente da Rede Transporte, Abel Moreira Paré; presidente da Vale Log, Adelar Steffler; autoridades municipais de Arroio do Meio; representantes do Conselho Consultivo do Ramo Transporte dos estados de Minas Gerais, Paraná, Mato Grosso, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Rondônia e Paraíba, além das gerências e técnicos do Sistema OCB e técnicos estaduais.

19 Cosuel participa do Salão Internacional de Alimentos na França Divulgação Cosuel 19 Pelo quinto ano a Cooperativa expõe os produtos Dália para o mercado internacional Além de ser a mais romântica, a capital da França foi entre os dias 19 e 23 de outubro, a mais próspera cidade para a exposição de alguns produtos da Cosuel, de Encantado. Neste ano, Paris sediou a 50ª edição do Salão Internacional de Alimentos (Sial), que contou com a quinta participação da Dália Alimentos. Representaram a Dália, a supervisora de Exportação, Márcia Daltoé, e a assistente de Exportação, Cyntia Cavalheiro, que, durante os cinco dias fizeram a exposição dos produtos da Cooperativa, entre eles as carnes suínas e o leite em pó, que foi levado à feira pelo primeiro ano. Foram realizadas em torno de 160 reuniões durante os cinco dias da feira e registrada a visita de representantes de empresas da Rússia, Hong Kong, China, Cingapura, Brasil, Angola, Ucrânia, Estados Unidos, Canadá, Espanha, França, Lituânia e Emirados Árabes. A supervisora frisou que uma feira desse porte também é importante para a coleta de informações e verificação das tendências de mercado. Nos últimos meses, o cenário mundial das exportações e importações de carne modificouse, principalmente pelas sanções da Rússia à Europa, aos Estados Unidos e ao Canadá. Conversando com pessoas de diferentes países e posições, como exportadores e importadores, conseguimos entender muito dos fatos que estão acontecendo no momento, bem como traçar estratégias para os próximos meses, com base nas informações obtidas durante a feira, completou Márcia. Saiba mais O Sial Paris contou com 6,3 mil empresas expositoras com mais de 400 mil produtos de 105 países, das quais, 103 eram brasileiras. Foi registrada a movimentação de 150 mil pessoas de mais de 200 países visitantes. Colaborador da Cotrisal tem monografia premiada No dia 22 de outubro, a Ulbra promoveu o VIII Prêmio Monografia do Ano, em Carazinho. O objetivo do prêmio, em sua 8ª edição, é estimular a pesquisa, desafios e perspectiva, reconhecendo trabalhos pela qualidade e aplicabilidade, premiando os 10 melhores Trabalhos de Conclusão de Curso TCC s, por curso. No curso de Sistemas de Informação, o colaborador da Cotrisal, Fabrício Ambrósio, foi um dos contemplados com a premiação pelo trabalho Aplicação de microcontroladores e sensores para monitoramento e análise de locais de espaço confinado, com orientação do professor João Cândido de Lima. Segundo Ambrósio, foi criado um protótipo que além de atender às necessidades dos produtos já existentes no mercado do agronegócio, trouxe novas tecnologias para ampliar a segurança dos colaboradores que atuam nos silos e armazéns. O protótipo consiste em uma sonda robótica. Um robô que se locomove dentro dos espaços que apresentam perigo e analisa o ambiente nos locais de espaço confinado, como em poços de elevadores de grãos, explicou o colaborador da Cotrisal. Segundo ele, o trabalho surgiu numa troca de informações com os técnicos de Segurança do Trabalho da Cooperativa. Estou muito feliz por ter sido contemplado e agradeço a todos que me apoiaram durante a faculdade, em especial minha família.

20 20 Cotripal promove Dia de Campo Culturas de Inverno 2014 Cada nova safra é um desafio, em virtude das condições climáticas e percalços das culturas. Pensando nisso, nos dias 7 e 8 de outubro, a Cotripal promoveu no Campo Experimental, em Condor, o Dia de Campo Culturas de Inverno 2014, a fim de trazer novidades para os agricultores. O evento reuniu mais de 500 pessoas, entre associados e empresas parceiras. Foram apresentadas cinco diferentes estações de pesquisas, das muitas que são realizadas no espaço. Os experimentos demonstrados foram: Diferentes cultivares, Utilização de zinco, Diferentes épocas de plantio, Manejo de pragas estudo realizado em parceria com o pesquisador Mauro Tadeu Braga da Silva, e Controle de doenças pesquisa feita com participação do professor da Universidade de Passo Fundo (UPF), Carlos Alberto Forcelini. De acordo com o engenheiro agrônomo e supervisor do Detec Cotripal, Denio Oerlecke, este ano foi diferenciado para visitar o Campo Experimental e ver o resultado do teste de novos produtos. Tivemos um inverno quente e úmido, o que favoreceu o aparecimento de doenças. Em virtude das precipitações, o plantio foi feito mais tarde, o que poderia trazer prejuízos ao produtor. Tudo que estudamos aqui, O evento busca responder às perguntas dos produtores associados, trazendo novas tecnologias para implantação nas lavouras da região o produtor sente na lavoura os resultados. Então, em anos bons e anos ruins, é importante buscar conhecimento para se profissionalizar cada vez mais como empresário do campo, explicou. O brusone, doença pouco comum no Estado, acometeu muitas lavouras da região e preocupou os agricultores. No Campo Experimental, foi possível visualizar melhor essa doença. A giberela apareceu em grandes proporções neste ano também. Os resultados obtidos após a colheita serão repassados aos produtores nos próximos meses através de reuniões técnicas e da revista Atualidades Cotripal. Divulgação Cotripal recebe certificado de Destaque Preservação Ambiental A Cotripal recebeu em outubro destaque no Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, devido a suas ações para preservação do meio ambiente e sustentabilidade. A iniciativa premia empresas que têm por princípio o comprometimento com a qualidade de vida da comunidade, garantindo um meio ambiente mais saudável e participando de forma atuante e responsável em projetos ambientais. A Cooperativa conquistou o certificado Destaque Preservação Ambiental, oferecido pelo Jornal do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, em parceria com os órgãos ambientais Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama), Ministério do Meio Ambiente e Secretarias Estaduais de Meio Ambiente, pelo trabalho realizado na área de preservação e educação ambiental, durante o ano de Isto é resultado do trabalho contínuo, em prol da melhor qualidade do meio ambiente onde a Cooperativa está inserida, explicou o gerente de Comunicação e Marketing da Cotripal, Marco André Regis. Para destacar as empresas amigas do meio ambiente, o veículo de comunicação realiza uma pesquisa em todo o Brasil. Para participar, as empresas precisam cumprir normas e leis ambientais vigentes; aplicar continuamente programas de redução de consumo de água; aplicar programas de racionalização do uso de energia em seus processos e procedimentos; e implantar e manter programa de coleta seletiva de lixo, visando à reciclagem. Critérios de avaliação do certificado - Água e efluentes: Redução no consumo, tratamento, reutilização, diversificação da fonte, além de planos de redução de consumo a médio e longo prazo; - Energia: Redução no consumo, diversificação ou substituição de fonte de energia com menor impacto e ações de redução de consumo a médio e longo prazo; - Matéria-prima e resíduo: Substituição por fontes renováveis, diminuição de impactos ambientais, redução na geração de resíduos sólidos, reciclagem e reutilização; - Emissões atmosféricas: Eliminação ou redução de poluentes, implantação de sistemas de controle de emissão e plano de redução de emissões a médio e longo prazo; - Educação ambiental: Planos de ações multiplicadores de conscientização para empresa e comunidade em geral. Ações de sustentabilidade da Cotripal - Sistema de captação de água da chuva, com reservatório de 80 litros, para utilização na lavagem de carros no Posto BR Cotripal; - Embalagens ecologicamente sustentáveis são utilizadas nos estabelecimentos comerciais, como sacolas oxibiodegradáveis e potes recicláveis; - Sistema de separação de óleos e graxas no Autocentro Goodyear e nos postos de combustíveis com destinação adequada dos resíduos; - Reflorestamento com área própria de 315 hectares plantados; - Todos os resíduos sólidos produzidos contam com uma logística de recolhimento e encaminhamento de acordo com as normas legais; - Estações de Tratamento de Efluentes (ETE s), implantadas nos estabelecimentos, a fim de devolver a água completamente tratada ao meio ambiente; - Logística de recolhimento e encaminhamento de embalagens vazias de embalagens fitossanitárias, atingindo a meta de 100% dos produtos comercializados pela Cooperativa; - Campo Experimental próprio, com investimentos em pesquisas de manejos agrícolas ecologicamente sustentáveis, com ações decisivas em práticas de Plantio Direto na Palha e Agricultura de Precisão, dentre outras.

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008

Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública. Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Desenvolvimento de Pessoas na Administração Pública Assembléia Legislativa do Estado de Säo Paulo 14 de outubro de 2008 Roteiro 1. Contexto 2. Por que é preciso desenvolvimento de capacidades no setor

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

X ENCONTRO NACIONAL: A MISSÃO DAS ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E A CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES DE ATENDIMENTO

X ENCONTRO NACIONAL: A MISSÃO DAS ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E A CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES DE ATENDIMENTO É NOTÍCIA - Nº 18 2011 EDIÇÃO ESPECIAL X ENCONTRO NACIONAL: A MISSÃO DAS ENTIDADES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E A CERTIFICAÇÃO DAS ENTIDADES DE ATENDIMENTO FEBRAEDA - CAMP SÃO BERNARDO DO CAMPO 08 DE ABRIL

Leia mais

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade

FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade FIPECAFI e CFC renovam convênio de capacitação de profissionais de Contabilidade A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) e o CFC (Conselho Federal de Contabilidade)

Leia mais

Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI

Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI O Prof. Dr. Jorge de Souza Bispo realizou palestra de abertura do MBA Gestão Tributária da FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais

Leia mais

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO

DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO DIRETRIZES APROVADAS PELA SESSÃO PLENÁRIA DO CONGRESSO Brasília, 11 de setembro de 2010 TEMA 1 DIRETRIZES E HORIZONTES DA RELAÇÃO POLÍTICA E INSTITUCIONAL DO SISTEMA COOPERATIVISTA 1.1 - FORTALECER A REPRESENTAÇÃO

Leia mais

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria

experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria experiência Uma excelente alternativa em serviços de auditoria A Íntegra é uma empresa de auditoria e consultoria, com 25 anos de experiência no mercado brasileiro. Cada serviço prestado nos diferentes

Leia mais

ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR

ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR ATIVIDADES JUNTO AO TERCEIRO SETOR cenário geral de organizacão ORÍGENS DO COOPERATIVISMO COMUNIDADE UNIMED ASSOCIAÇÃO NEGÓCIO (EMPRESA) PLANO DE SAÚDE MERCADO (COMUNIDADE) RESPONSABILIDADE SOCIAL cenário

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 RELATÓRIO DAS ATIVIDADES 2004 1. Palestras informativas O que é ser voluntário Objetivo: O voluntariado hoje, mais do que nunca, pressupõe responsabilidade e comprometimento e para que se alcancem os resultados

Leia mais

MANTENEDOR E CONTADOR

MANTENEDOR E CONTADOR MANTENEDOR E CONTADOR No ano de 2000, Darci de Paula, Contador formado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, em Ciências Contábeis e Pós graduado em MBA IFRS(Normas Internacionais de Contabilidade),

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: GARÇA SP Eixo Tecnológico: GESTÃO E NEGÓCIOS Habilitação Profissional: TÉCNICA EM NÍVEL MÉDIO

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM

União Metropolitana de Educação e Cultura. Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM União Metropolitana de Educação e Cultura Interdisciplinar I Módulo CSTs: RH, Logística e GESCOM Lauro de Freitas - BAHIA 2013 2 JUSTIFICATIVA A principal justificativa para o desenvolvimento e implementação

Leia mais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais

HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica. Apresentação de Serviços Profissionais HAFRA Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica Apresentação de Serviços Profissionais SOBRE A Hafra Assessoria Empresarial, Contábil & Jurídica tem atuação no mercado empresarial do Rio de Janeiro e

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2º semestre 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ)

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município

01. Câmara Municipal. 02. Secretaria Municipal de Governo. 03. Gabinete do Vice-Prefeito. 04. Procuradoria Geral do Município Estrutura Administrativa e Principais 01. Câmara Municipal - Lei Orgânica do Município de Teresina, de 05 de abril de 1991. - Votar o Orçamento Anual e o Plano Plurianual, bem como autorizar abertura de

Leia mais

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS

FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS FIPECAFI oferece curso elearning Tópicos de Contabilidade Internacional com foco em IFRS A FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras) abre inscrições para o curso elearning:

Leia mais

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho

Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade. Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho Fortus Consultoria Contábil Case Qualidade Gestão de Resultados Solução Independente de Setor e Tamanho A Motivação da Busca de Programas de Qualidade 34 Experiência com manuais sobre qualidade em indústria

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS GESTÃO FINANCEIRA PARA MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Thais Peixoto de Medeiros(1); Estephany Calado(2); Gisele Gregório Araújo(2); Márcio André Veras Machado (3); Francisco Roberto Guimarães Júnior(4) Centro

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal

Discurso 04/12/2003. Dr. Alfredo Setubal Discurso 04/12/2003 Dr. Alfredo Setubal Presidente do Conselho de Administração do IBRI - Instituto Brasileiro de Relações com Investidores Boa Noite! Esta cerimônia de final de ano é a minha última à

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil.

A ABEMD trabalha para incentivar, valorizar, desenvolver e difundir o Marketing Direto no Brasil. A ABEMD, Associação Brasileira de Marketing Direto, é uma entidade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1976 e constituída por pessoas jurídicas e físicas interessadas na aplicação de estratégias e técnicas

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAJUBÁ Av. Jerson Dias, 500 - Estiva CEP 37500-000 - Itajubá Minas Gerais Lei nº 2677 BENEDITO PEREIRA DOS SANTOS, Prefeito do Município de Itajubá, Estado de Minas Gerais, usando das atribuições que lhe são conferidas por Lei, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociedade da informação 30 h. Módulo II Teoria das organizações 30 h

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO PROGRAMA GERAL. Módulo I Sociedade da informação 30 h. Módulo II Teoria das organizações 30 h CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA ADMINISTRAÇÃO DA INFORMAÇÃO PROGRAMA GERAL Módulos Disciplinas Carga Horária Módulo I Sociedade da informação 30 h Módulo II Teoria das organizações 30 h Módulo III Redes sociais

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA

MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA INFORMATIVO DEZEMBRO DE 2013 Acesse também: www.mariana.gov.br MARIANA IMPLEMENTA LEI GERAL DA MICRO E PEQUENA EMPRESA Promover a criação de um ambiente favorável para valorizar a micro e pequena empresa,

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05

RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 RESOLUÇÃO CFC Nº 1.036/05 Aprova a NBC T 11.8 Supervisão e Controle de Qualidade. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, Considerando que as Normas

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

COOPERATIVAS DE TRABALHO

COOPERATIVAS DE TRABALHO I ENCONTRO DE COOPERATIVAS DE TRABALHO Painel: O desenvolvimento das cooperativas de trabalho e a legislação - Lições para as Américas Palestra: A experiência recente no processo de implantação da nova

Leia mais

Informativo www.unicred.com.br

Informativo www.unicred.com.br Informativo www.unicred.com.br ano 5 nº 40 2011 Editorial Unicred do Brasil Definido o tema da IX Convenção Nacional Unicred A Comissão Organizadora da Convenção Nacional Unicred, que se realizará na cidade

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais.

3.1 Planejar, organizar logística e tecnicamente das Oficinas temáticas de formação da Agentes de Prevenção e seus parceiros locais. EDITAL DO CENTRO DE PROMOÇÃO DA SAÚDE TERMO DE REFERÊNCIA Nº 10/2012 COTAÇÃO PRÉVIA DE PREÇO Nº 10/2012 TIPO: MELHOR TÉCNICA O Centro de Promoção da Saúde, entidade privada sem fins lucrativos, inscrita

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 02.12.15 EDITORIA: NOTAS DA REDAÇÃO VEÍCULO: NATAL NOTÍCIAS DATA: 02.12.15 01 Dez 2015 Presidente Marcelo Queiroz participa da 17ª Convenção do Comércio e Serviços

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO TERMO DE REFERÊNCIA Nº 05/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone:

Leia mais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais

Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais C A P E S Programa San Tiago Dantas de Apoio ao Ensino de Relações Internacionais A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) convida as instituições públicas de ensino superior

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos.

A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. Q A letra Q, símbolo do programa de qualidade no serviço público Gespública, pelo qual a Seplan é certificada, figura em todos os seus documentos. É uma alusão à essência e ao compromisso da Secretaria

Leia mais

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS MBA Contabilidade & Direito Tributário. Parceria: IPOG/Sinduscon-RS O IPOG em parceria com o CRC-RS, traz à Porto Alegre o MBA em Contabilidade & Direito Tributário, que já é sucesso, com mais de 20 turmas

Leia mais

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal

Mestrados Profissionais em Segurança Pública. Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal I- Introdução Mestrados Profissionais em Segurança Pública Documento do Workshop Mestrado Profissional em Segurança Pública e Justiça Criminal Este documento relata as apresentações, debates e conclusões

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL

A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL A IMPORTÂNCIA DA CONTABILIDADE GERENCIAL NA GESTÃO EMPRESARIAL Aldemar Dias de Almeida Filho Discente do 4º ano do Curso de Ciências Contábeis Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Élica Cristina da

Leia mais

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE LIVRE DO MEIO AMBIENTE A INSTITUIÇÃO A Universidade Livre do Meio Ambiente - Unilivre, instalada em Curitiba, Paraná, é uma organização não governamental sem fins lucrativos, recentemente

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão de Projetos Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão de Projetos tem por fornecer conhecimento teórico instrumental que

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br Apresentação preparada para: I Congresso de Captação de Recursos e Sustentabilidade. Promovido

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência

Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial. Sistema de Gestão Estratégica. Documento de Referência Ministério do Desenvolvimento Agrário Secretaria de Desenvolvimento Territorial Sistema de Gestão Estratégica Brasília - 2010 SUMÁRIO I. APRESENTAÇÃO 3 II. OBJETIVOS DO SGE 4 III. MARCO DO SGE 4 IV. ATORES

Leia mais

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L

Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Assessoria Consultoria Treinamento F I N A N C E I R A - E M P R E S A R I A L Quem somos Bem vindo à Nord. Formada por profissionais oriundos do mercado financeiro, com formações multidisciplinares e

Leia mais

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae

ASSOCIATIVISMO. Fonte: Educação Sebrae ASSOCIATIVISMO Fonte: Educação Sebrae O IMPORTANTE É COOPERAR A cooperação entre as pessoas pode gerar trabalho, dinheiro e desenvolvimento para toda uma comunidade COOPERAR OU COMPETIR? Cooperar e competir

Leia mais

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS

UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS UMA PROPOSTA INOVADORA PARA ENSINAR EMPREENDEDORISMO AOS JOVENS www.empreende.com.br emp@empreende.com.br FAZENDO ACONTECER Programa de ensino de empreendedorismo inovador em nível mundial, desenvolvido

Leia mais

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA.

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. FICHA TÉCNICA Coordenação de População e Indicadores Sociais: Bárbara Cobo Soares Gerente de Pesquisas e Estudos Federativos: Antônio

Leia mais

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf)

Carta da Indústria 2014 (PDF 389) (http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2013/06/06/481/cartadaindstria_2.pdf) www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/cni/iniciativas/eventos/enai/2013/06/1,2374/memoria-enai.html Memória Enai O Encontro Nacional da Indústria ENAI é realizado anualmente pela CNI desde

Leia mais

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL

Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Pesquisa TERCEIRIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO NO BRASIL Data da Pesquisa: Junho 2009 Realização: Pesquisa realizada através do Site www.indicadoresdemanutencao.com.br Divulgação e Colaboração: Divulgação e colaboração

Leia mais

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS

X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS X SEMINÁRIO DO FÓRUM NACIONAL DE GESTÃO DA ÉTICA NAS EMPRESAS ESTATAIS PAINEL : FERRAMENTA PARA A GESTÃO DA ÉTICA E DOS DIREITOS HUMANOS RONI ANDERSON BARBOSA INSTITUTO OBSERVATORIO SOCIAL INSTITUCIONAL

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE A FOME CONSELHO NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL RESOLUÇÃO N.º 191, DE 10 DE NOVEMBRO 2005 DOU 17/11/2005 Institui orientação para regulamentação do art. 3º

Leia mais

Brasília, 9 de maio de 2013

Brasília, 9 de maio de 2013 Brasília, 9 de maio de 2013 Discurso do Diretor de Regulação do Sistema Financeiro, Luiz Awazu Pereira da Silva, na reunião ordinária do Conselho Consultivo de Crédito da Organização das Cooperativas Brasileiras.

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Projetos DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Projetos 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que apontam a

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programa de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de Pós-MBA

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS

DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS 1 DIRETRIZES DE FUNCIONAMENTO DO MOVIMENTO NACIONAL PELA CIDADANIA E SOLIDARIEDADE/ NÓS PODEMOS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES E OBJETIVO DO MOVIMENTO 2 Artigo 1º O Movimento Nacional pela Cidadania e Solidariedade/Nós

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO PROGRAMAÇÃO DO EVENTO Dia 08/08 // 09h00 12h00 PLENÁRIA Nova economia: includente, verde e responsável Nesta plenária faremos uma ampla abordagem dos temas que serão discutidos ao longo de toda a conferência.

Leia mais

EDITAL ONU MULHERES 2011

EDITAL ONU MULHERES 2011 EDITAL ONU MULHERES 2011 O Escritório Sub-Regional da ONU Mulheres para Brasil e países do Cone Sul (Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai) convida organizações da sociedade civil a apresentarem projetos

Leia mais

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo

Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo Reunião na Federação das Unimeds do Rio apresenta ações para o ramo 27 de FEVEREIRO A Federação das Unimeds do Estado do Rio de Janeiro promoveu, em sua sede, reunião do Conselho Federativo. O presidente

Leia mais

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS

Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Relatório da assessoria de imprensa do CORECON/RS Eleição e posse dos dirigentes presidente e vice-presidente do CORECON/RS Data: 15 de janeiro Hora: 12 horas Local: Sede do Conselho Regional de Economia

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E EDUCAÇÃO SUPERIOR DO ESTADO DO CEARÁ SECITECE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE PROJETO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS

PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS A Pós-Graduação da Faculdade Maranhense São José dos Cocais, apresenta em seu aprimoramento acadêmico resultados positivos dentro do contexto social.

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Política de Sustentabilidade Sul Mineira 1 Índice Política de Sustentabilidade Unimed Sul Mineira Mas o que é Responsabilidade Social? Premissas Básicas Objetivos da Unimed Sul Mineira Para a Saúde Ambiental

Leia mais

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA

DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA DR. SIZENANDO DA SILVA CAMPOS JÚNIORJ DIRETOR PRESIDENTE DA UNIMED GOIÂNIA Lei 5764/71 de 16/12/1971 COOPERATIVA DE 3º GRAU CONFEDERAÇÃO COOPERATIVA DE 2º GRAU FEDERAÇÃO OU CENTRAL COOPERATIVA DE 1º GRAU

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014

Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Faça parte da nossa história! Plano de Patrocínio 2014 Sobre a FNQ História Criada em 1991, por um grupo de representantes dos setores público e privado, a Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) procura

Leia mais

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica

XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica XXXII Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Farmacêutica Mesa-Redonda: Responsabilidade Social Empresarial 23-24 de Novembro de 2006 Mário Páscoa (Wyeth/ Painel Febrafarma) E-mail: pascoam@hotmail.com

Leia mais

PLANO DE GESTÃO 2015-2017

PLANO DE GESTÃO 2015-2017 UNIFAL-MG FACULDADE DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS PLANO DE GESTÃO 2015-2017 Profa. Fernanda Borges de Araújo Paula Candidata a Diretora Profa. Cássia Carneiro Avelino Candidata a Vice Diretora Índice Apresentação...

Leia mais

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO

1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO 1ª ETAPA DO XIII CBC RELATÓRIO DO SEMINÁRIO ESTADUAL PREPARATÓRIO Organização Estadual: Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado de Minas Gerais - Ocemg Data de realização do seminário: 17 de

Leia mais

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012

INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 INCUBADORA TECNOLÓGICA DE SANTO ANDRÉ - INCTEC-SA CONSULTORIA EM GESTÃO FINANCEIRA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 02/2012 Contatos Luiz Augusto Gonçalves de Almeida (Coord. de Relações Institucionais) Fone: 55

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Pós-graduação, Formação Acadêmica, Certificações, Cursos,...

CURRICULUM VITAE. Pós-graduação, Formação Acadêmica, Certificações, Cursos,... Dados Pessoais CURRICULUM VITAE. Nome completo: José Admilson Fagundes de Oliveira. Data de nascimento: 10/10/1969.. Documentos: ID: 3.267.945 SSP/PE, CPF: 695.225.454-49, PIS/PASEP: 170.48177.62.2.. Domicílio:

Leia mais

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO

CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO CURSO: MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA DISCIPLINA: ÉTICA NA GESTÃO PÚBLICA PRIMEIRO MÓDULO INTRODUÇÃO OBJETIVO DO CURSO MBA EM GESTÃO PÚBLICA E AUDITORIA Oferecer condições ferramentais para o profissional

Leia mais

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras

Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras Plano de Trabalho e Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras 1. Introdução O Projeto Político-Pedagógico da Escola Legislativa de Araras foi idealizado pelo Conselho Gestor da Escola,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO Nome da disciplina Evolução do Pensamento Administrativo I Estudo da administração, suas áreas e funções, o trabalho do administrador e sua atuação;

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013

RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2013 Even e Junior Achievement de Minas Gerais UMA PARCERIA DE SUCESSO 1 SUMÁRIO Resultados Conquistados... 3 Resultados do Projeto... 4 Programa Finanças Pessoais... 5 Conceitos

Leia mais

Gerência de Comunicacão

Gerência de Comunicacão Gerência de Comunicacão Quem somos? Representação política e institucional Representação sindical Educação cooperativista, promoção social e monitoramento Gecom Marketing Publicidade e propaganda Assessoria

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE

EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE EDITAL PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS MUNICÍPIO DE CAUCAIA-CE 1. INTRODUÇÃO A ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE LUZIA LOPES GADÊLHA, por meio do Termo Convênio nº 05/2015, como parte integrante do Projeto Fortalecendo

Leia mais