Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rede CIN CIN MS. Centro Internacional de Negócios FIEMS"

Transcrição

1 Rede CIN CIN MS Centro Internacional de Negócios FIEMS

2 O que é a REDE CIN? Coordenada pela Confederação Nacional da Indústria - CNI, e criada com o apoio da Agência Nacional de Promoção de Exportações - APEX, a Rede Brasileira dos Centros Internacionais de Negócios - Rede CIN trabalha pela internacionalização de empresas brasileiras. Está presente em 27 Estados, 305 analistas e estruturas físicas compatíveis

3 Qual é a nossa missão? Promover a internacionalização das empresas sul-matogrossenses por meio de serviços voltados para o aumento de sua competitividade

4 Realiza eventos no Brasil e no exterior, para promover o incremento de negócios através de missões empresariais, encontros de negócios e participação em feiras internacionais. Portfólio - Serviços prestados pelo CIN MS Inteligência Comercial: Disponibiliza informações estratégicas sobre os principais mercados mundiais, com estatísticas, oportunidades comerciais, prestadores de serviços e muito mais Promoção de negócios: Realiza eventos no Brasil e no exterior, para promover o incremento de negócios através de missões empresariais, encontros de negócios e participação em feiras internacionais. Competências: Serviços focados em construir as competências e conhecimentos básicos para o comércio internacional. Cooperação Internacional: Desenvolve programas para aprimorar a competência exportadora nas empresas e presta assessoria para concretização de negócios no exterior. Emissão de documentos: Serviços especializados em regras de origem, certificados de origem, de não similaridade ou comuns para garantir benefícios fiscais à mercadoria brasileira no exterior.

5 Inteligência Comercial: 1.Encontre Mercados Potenciais no Exterior 2. Analise o Mercado Alvo 3. Identifique Clientes no Exterior 4. Conheça o Intercâmbio Comercial do seu Produto no Mercado Alvo 5. Identifique Potenciais fornecedores no Exterior

6 1.Encontre Mercados Potenciais no Exterior O serviço Soluções IC - Encontre Potenciais Mercados no Exterior auxilia o demandante (empresário, indústria, sindicatos, etc.) na identificação de potenciais mercados para a internacionalização do seu produto ou setor. Este serviço contempla o estudo de desempenho econômico de mercados estrangeiros para o produto, ou setor, contemplando análise de dados macroecômicos balança comercial e fluxo de comércio. Além disso, este serviço busca análise comparativa dos mercados identificados com o país de origem, no caso o Brasil, de modo a identificar os cinco principais mercados potenciais do mundo.

7 2. Analise o Mercado Alvo O serviço Soluções IC -Analise o Mercado Alvo consiste em um estudo aprofundado de um determinado país, com dados econômicos, sociais, culturais e de comércio exterior, bem como as informações das barreiras tarifárias e não-tarifárias. Esse serviço tem como foco levantar informações relevantes para que o empresário entenda a cultura e a economia de um país de interesse. Além disso, este serviço permite uma análise comparativa entre o país-alvo definido e o país de origem, no caso o Brasil.

8 3. Identifique Clientes no Exterior O serviço Soluções IC - Identifique Clientes no Exterior contempla um estudo para identificação de potenciais clientes do produto a ser exportado, além de informações sobre aspectos gerais da cultura do país e modelos de negociação. Neste estudo são consultadas fontes de informações no país-alvo, diretórios especializados e redes de contatos para validação da lista de potenciais clientes no exterior. Por fim, o estudo busca um melhor entendimento de informações de como fazer negócios, regras de etiqueta e técnicas de abordagem para negociação.

9 4. Conheça o Intercâmbio Comercial do seu Produto no Mercado Alvo Consiste em uma avaliação da relação bilateral do Brasil com um país no exterior, a relevância da participação de um produto (Nomenclatura Comum do Mercosul - NCM) neste mercado, além de uma introdução ao estudo Soluções IC - Analise o Mercado-Alvo e Avalie a Concorrência e Competitividade no Mercado-Alvo.

10 5. Identifique Potenciais fornecedores no Exterior Fornecer pesquisa com lista de potenciais fornecedores para o produto de interesse em importação (a partir das características do produto, NCM fornecidos pelo cliente).

11 Promoção de negócios: 1. Missão Prospectiva 2. Missão Comercial 3. Encontro de Negócios no Exterior 4. Visita Prospectiva 5. Visita Comercial 6. Encontro de Negócios no Brasil

12 1. Missão Prospectiva Missões empresariais outbound realizadas tendo em vista os interesses empresariais específicos (prospecção de oportunidades, cooperação ou busca de tecnologias). Permitem ao demandante, ao empresário, à indústria, aos representantes de sindicatos, entre outros, o conhecimento da realidade de um mercado no exterior, além da intensificação de relacionamentos com possíveis clientes, por meio da participação em eventos internacionais. Dentro desse serviço, podem ser realizadas ações de: Prospecção de mercado e clientes; Visitas técnicas; Participação em feiras internacionais; Seminários, palestras e workshops. Essas ações foram desenvolvidas de modo complementar e podem ser executadas individualmente ou de forma conjunta, buscando garantir ao demandante a efetividade de sua participação.

13 2. Missão Comercial A Missão Comercial possui foco na geração de negócios para o empresário. Nesse sentido, além de poder oferecer todos os serviços de uma Missão Prospectiva, permite ao demandante, principalmente empresário, participar de Rodada de Negócios. Os diversos tipos de ações a ser oferecidos são: Participação e organização de rodadas de Negócios; Prospecção de mercado e clientes; Visitas Técnicas; Participação em feiras internacionais; Seminários, palestras e workshops.

14 3. Encontro de Negócios no Exterior Realização de encontros qualificados entre empresas nacionais e compradores estrangeiros com objetivo de viabilizar negócios, cooperação e troca de experiências. Pode ter formato de reuniões empresariais, projetos comprador ou rodada de negócios.

15 4. Visita Prospectiva As visitas prospectivas são eventos em que a Federação de Indústrias e a Rede CIN recebem parceiros/potenciais clientes do exterior. Podem ter múltiplos objetivos, que vão variar de acordo com o perfil e interesse da delegação, contudo, não se visa à realização de negócios comerciais imediatamente. As ações elegíveis nesse serviço são: Visitas institucionais; Visitas de atração de investimento; Participação em feiras internacionais; e Seminários, palestras e workshops.

16 5. Visita Comercial As Visitas Comerciais, tem como principal objetivo a geração de negócios. Os empresários convidados devem participar, necessariamente, de uma rodada de negócios que diferenciam-se por ser realizadas dentro de uma Feira Internacional. Esse serviço pode agregar também as ações de: Visitas Institucionais; Visitas de atração de investimento; Participação em feiras internacionais; Seminários, palestras e workshops; e Participação e organização de rodadas de negócio.

17 6. Encontro de Negócios no Brasil Os Encontros de Negócios no Brasil, visam à realização de rodadas de negócios entre empresários nacionais e estrangeiros. No entanto, esse serviço não está vinculado a eventos de participação em feiras. A delegação poderá ser convidada a demais ações promovidas pelo Centro Internacional de Negócios, como: Visitas Institucionais; Visitas de atração de Investimento; Seminários Palestras e Workshops; e Participação e organização de Rodadas de Negócios.

18 Capacitação em Comércio Exterior Competências Assessoria em exportação/importação Realização de cursos de curta e longa duração com foco em geração de competência das empresas em processos, procedimentos e acesso ao comércio internacional Sensibilização em Comércio Exterior. Atendimento pontual à empresa com repasse de conteúdo técnico relevante para a empresa demandante. Pode ser realizada de maneira presencial, por telefone, por fax e por e deve observar o tempo máximo de 3 horas para atendimento da demanda (inclui pesquisas de dados, estudos ou compilação de informações relevantes) São palestras, workshops, eventos ou debates que visam sensibilizar as empresas para as oportunidades, riscos ou programas específicos voltados à internacionalização Inclui ações pontuais de divulgação de produtos e serviços dos CINs que reúnam pelo menos 10 empresas/participantes

19 Cooperação Internacional Projetos que visam o aprofundamento da cooperação e negócios entre empresas/ instituições brasileiras (notadamente o Sistema Indústria) e estrangeiras Contemplam receptivos de delegações estrangeiras (governamentais ou empresariais), receptivos de congêneres/entidades de apoio e projetos específicos para captação de recursos e/ou técnica em aspectos de interesse da Rede CIN e das respectivas entidades empresariais (Ex: Programa Al-Invest, BID/Fomin)

20 Documentos Emissão de certificados de origem Certificados de Origem preferenciais Emissão (Acordos de certificados de Comerciais) origem e não preferenciais (Acordos Comerciais) e não preferenciais Emissão de certificados (Comum) de origem preferenciais (Acordos Comerciais) e não preferenciais (Comum) Emissão de Declarações e Certificados de Livre Venda Emissão de Declarações e Certificados de Livre Venda

21 Atestado de Inexistência Assessoria em Regras de Origem Para isenção do diferencial de Alíquota - quando não há, no estado, industrialização do produto adquirido pela indústria ou produtor rural de MS. Atestado de Exclusividade Para fins de licitação - quando somente uma determinada indústria produz um determinado produto em MS; Atestado de Produção Para dispensa de garantia de ICMS na exportações - documento necessário para solicitação do Regime Especial, junto à SEFAZ/MS, emitido somente as indústrias de MS

22 Assessoria em Regras de Origem Assessoria prestada Assessoria pelo Centro prestada Internacional pelo Centro de Negócios Internacional acerca dos de Negócios acerca requisitos estabelecidos requisitos nos acordos estabelecidos comerciais, nos regras acordos para emissão comerciais, de regras para certificados de origem emissão e procedimentos de certificados normativos de origem envolvidos e procedimentos na normativos certificação, sendo estes envolvidos realizados na certificação, pessoalmente, sendo por estes realizados ou pessoalmente, telefone por ou telefone Exemplos: esclarecimentos Exemplos: sobre esclarecimentos requisitos de origem, sobre requisitos pesquisas de de origem, pesquisas preferências tarifárias, de trâmites preferências aduaneiros, tarifárias, correlação trâmites aduaneiros, de mercadorias, correlação de enquadramento de acordos mercadorias, comerciais, enquadramento etc de acordos comerciais, etc Excluem-se ainda atendimentos Excluem-se ainda exclusivamente atendimentos operacionais exclusivamente (no operacionais (no Sistema COD ou emissão Sistema manual) COD ou e de emissão preenchimento manual) e de de formulário preenchimento de formulário

23 CIN Mato Grosso do Sul Contato:

Programa de Gerenciamento nos Procedimentos de Exportação: Aborda temas sobre a estrutura do comércio exterior brasileiro e processos administra4vos na exportação. Workshop de Inteligência Compe==va: Visa

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009

Projeto de Apoio a Inserção Internacional de. São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Projeto de Apoio a Inserção Internacional de MPE s Brasileiras Calçadistas do APL de São João Batista (SC) DEZEMBRO - 2009 Identificar OBJETIVOS DA AÇÃO e solucionar gargalos na gestão das empresas, principalmente

Leia mais

Brasil IT Emerging Players

Brasil IT Emerging Players Sua empresa tem um produto competitivo e inovador na área de Tecnologia da Informação e Comunicação? Você tem interesse em expandir sua atuação no mercado externo? Está disposto a qualificar sua empresa

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal A História e o papel da Câmara A Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - Minas

Leia mais

SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT

SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT SE O OBJETIVO É A EXPORTAÇÃO, A SOLUÇÃO É O START EXPORT SUA EMPRESA ESTÁ PREPARADA PARA EXPORTAR? Já participou de feiras internacionais do setor? Você pode adequar/modificar seu produto? Seu site e catálogos

Leia mais

Fórum e Exposição Energias Renováveis e Alternativas no Cone Sul- ERACS

Fórum e Exposição Energias Renováveis e Alternativas no Cone Sul- ERACS Fórum e Exposição Energias Renováveis e Alternativas no Cone Sul- ERACS Apresentação O Fórum e Exposição Energias Renováveis e Alternativas no Cone Sul- ERACS ocorrerá nos dias 13, 14 e 15 de outubro de

Leia mais

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na

Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na Gerido pelo CIN Centro Internacional de Negócios / Sistema FIEB e Sebrae, através do acompanhamento e apoio individualizado às empresas, com foco na competitividade e acesso a mercados, através da articulação

Leia mais

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO

OBJETIVO CARACTERIZAÇÃO OBJETIVO Incrementar a economia digital do Estado de Alagoas e seus benefícios para a economia local, através de ações para qualificação, aumento de competitividade e integração das empresas e organizações

Leia mais

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação

TERMO DE ADESÃO. Para participação em Projetos de Promoção de Exportação TERMO DE ADESÃO Para participação em Projetos de Promoção de Exportação A empresa..., de CNPJ n.º..., por seu(s) representante(s) legal(is), adere ao projeto BRAZILIAN PUBLISHERS, proposto à APEX-Brasil

Leia mais

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO

ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO ESTRATÉGIA DE FIDELIZAÇÃO PLANEJAMENTO, SEGMENTAÇÃO E AÇÕES DE PROMOÇÃO CASO ABIHPEC EIXOS ESTRATÉGICOS DO PROJETO DE (Resultado do Workshop out 2008) Objetivos Relacionados: 11 - AUMENTAR A DECLARAÇÃO

Leia mais

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES Ser Júnior é ser gigante pela própria natureza. Brasil Júnior Mensagem do presidente Capacitar membros, promover o Movimento Empresa Júnior e causar impacto da sociedade,

Leia mais

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed)

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 18 de agosto de 2015 PALESTRA: Internacionalização dos laboratórios farmacêuticos nacionais: acesso a novos mercados O Projeto A

Leia mais

Programa de Atração de Investimentos

Programa de Atração de Investimentos 1 Programa de Atração de Investimentos Oficina de Trabalho da RENAI - Rede Nacional de Informação sobre o Investimento Brasília, 08 de Junho de. Antecedentes 2 O Governo Brasileiro quer dar prioridade

Leia mais

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina

Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas. Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina Projeto: Náutica, Portos, Infraestrutura e Logísticas Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br O Projeto Tem como principais objetivos: Atrair empresas e investimentos

Leia mais

PROJETO EXPORTAR BRASIL

PROJETO EXPORTAR BRASIL CNPJ: 10692.348/0001-40 PROJETO EXPORTAR BRASIL Apresentação da GS Educacional A GS Educacional faz parte de um grupo que trabalha há vários anos com cursos e serviços na área de comércio exterior e vem

Leia mais

I. A Rede de Câmaras Alemãs no Brasil Onde nos encontrar 3. II. Identificação de potenciais parceiros Lista de endereços 4

I. A Rede de Câmaras Alemãs no Brasil Onde nos encontrar 3. II. Identificação de potenciais parceiros Lista de endereços 4 P E M A Plataforma de Entrada no Mercado Alemão PORTIFÓLIO DE SERVIÇOS DE COMÉRCIO EXTERIOR DA CÂMARA BRASIL-ALEMANHA DE SANTA CATARINA Departamento de Projetos Internacionais www.ahkbrasil.com Indíce

Leia mais

Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil.

Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do Brasil. O QUE É O ENCOMEX Evento referência de comércio exterior no Brasil: 11 anos de eventos 131 edições realizadas 79.500 participantes Organizado pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

Leia mais

PROGRAMA STEP BY STEP

PROGRAMA STEP BY STEP PROGRAMA STEP BY STEP A Nossa Dica para um Processo de Internacionalização com Sucesso Antes de decidir exportar ou internacionalizar conheça primeiro o mercado. Todos sabemos que hoje o desígnio nacional

Leia mais

Ferramentas de Apoio às Exportações

Ferramentas de Apoio às Exportações INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Ferramentas de Apoio às Exportações Roberto Dantas Diretor do Departamento de Planejamento Apresentação 1 Estrutura da SECEX 2 Portal Brasileiro de Comércio Exterior

Leia mais

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte

Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Feira Internacional de Frutas e Derivados, Tecnologia de Processamento e Logística 08 10 de Setembro de 2009 - ( 3ª. a 5ª.) Expo Center Norte Pavilhão Amarelo São Paulo BEM VINDO A FRUIT & LOG 2009! ABRINDO

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

Comércio exterior sem fronteiras.

Comércio exterior sem fronteiras. Comércio exterior sem fronteiras. PROGRAMA BRASIL TRADE COMÉRCIO EXTERIOR SEM FRONTEIRAS O Programa Brasil Trade otimiza a exportação de produtos brasileiros a partir de uma estratégia muito simples: incentivando

Leia mais

Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP

Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP Exportação Indireta GRUPO INTERNACIONALIZAÇÃO DO SEBRAE-SP Junho/2011 1 Tipos de Exportação: Direta : A própria empresa vende diretamente ao exterior. Brasil Exterior 2 Indireta : Mercadoria é exportada

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO E COMPETITIVIDADE BELO HORIZONTE

INTERNACIONALIZAÇÃO E COMPETITIVIDADE BELO HORIZONTE INTERNACIONALIZAÇÃO E COMPETITIVIDADE BELO HORIZONTE EXPORTAR É UM MOVIMENTO NATURAL DE CRESCIMENTO EXISTEM MAIS DE 200 PAÍSES ESPERANDO PELO SEU PRODUTO A EXPORTAÇÃO ABRE UM UNIVERSO DE OPORTUNIDADES

Leia mais

Importaçãoe Exportaçãode Serviçose o SISCOSERV

Importaçãoe Exportaçãode Serviçose o SISCOSERV Importaçãoe Exportaçãode Serviçose o SISCOSERV O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

Índice. O projeto. Público-Alvo do Projeto. Critérios de Participação. Sistema de Convidados. Processo de Participação. Pedidos e Alocação

Índice. O projeto. Público-Alvo do Projeto. Critérios de Participação. Sistema de Convidados. Processo de Participação. Pedidos e Alocação Guideline Copa do Mundo da FIFA 2014 TM Índice O projeto Público-Alvo do Projeto Critérios de Participação Sistema de Convidados Processo de Participação Jogos com Hospitality Pedidos e Alocação As Responsabilidades

Leia mais

INTERNACIONALIZAR PARA A COLÔMBIA ESTUDO DE MERCADO

INTERNACIONALIZAR PARA A COLÔMBIA ESTUDO DE MERCADO INTERNACIONALIZAR PARA A COLÔMBIA ESTUDO DE MERCADO SETEMBRO 2014 2 INTERNACIONALIZAR PARA A COLÔMBIA ESTUDO DE MERCADO BRANDSTORY, LDA SETEMBRO 2014 FICHA TÉCNICA Brandstory, Unipessoal Lda Coordenadora

Leia mais

28 de setembro de 2005 Clube Concórdia Rolândia/PR

28 de setembro de 2005 Clube Concórdia Rolândia/PR Planejamento Estratégico Terra Roxa Investimentos Agência de Desenvolvimento do Norte do Paraná 28 de setembro de 2005 Clube Concórdia Rolândia/PR Participantes Nome Entidade Principal Atividade Expectativa

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing Internacional INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS - Marketing CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio FONTE: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo: 2004 2.4d_ização de

Leia mais

Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br

Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina www.brasileitalia.com.br O que é o Projeto O Projeto pretende contribuir para promover a imagem de Santa Catarina como destino de investimentos

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior.

A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. A Agência é responsável pela captação de negócios, orientação aos investidores, gestão de incentivos estaduais e apoio ao comércio exterior. Ainda articula ações específicas na estruturação de cadeia produtivas

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas

AGENDA. Impacto na Região Linhas Estratégicas AGENDA Como Surgiu Situação Atual Variáveis Importantes Governança Conquistas Impacto na Região Linhas Estratégicas Rodrigo Fernandes Coordenador Executivo da COMTEC Como Surgiu A T.I. surgiu para prover

Leia mais

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO

DESAFIO À INTERNACIONALIZAÇÃO DE EBT S PROJETO PILOTO Autores: Beatrice Maria Zanellato Fonseca Mayer Leandro Carioni Laercio Aniceto Silva Maria Angélica Jung Marques Maria Gorete T. S. Hoffmann Alexandre M. Steinbruch XX Seminário Nacional de Parques Tecnológicos

Leia mais

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador.

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador. EXPORTAÇÃO E XPORTAÇÃO Antes de fornecer o preço, é importante analisar os preços de produtos similares praticados no mercado onde está o potencial cliente, exigências técnicas, barreiras tarifárias e

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

Ministério das Relações Exteriores

Ministério das Relações Exteriores Programa de Promoção das Exportações para o Sistema das Nações Unidas PPE-ONU/MRE Ministério das Relações Exteriores Departamento de Promoção Comercial Divisão de Informação Comercial Departamento de Promoção

Leia mais

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios

BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios BOM DIA! Exportação simplificada como estratégia de expansão de negócios Correios Quem somos? Empresa de administração pública. Missão: Fornecer soluções acessíveis e confiáveis para conectar pessoas,

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

0267 - Subvenção Econômica para Promoção das Exportações PROEX (Lei nº 10.184, de 2001)

0267 - Subvenção Econômica para Promoção das Exportações PROEX (Lei nº 10.184, de 2001) Programa 2024 - Comércio Exterior Número de Ações 14 0027 - Cobertura das Garantias Prestadas pela União nas Operações de Seguro de Crédito à Exportação (Lei nº 9.818, de 1999) Esfera: 10 - Orçamento Fiscal

Leia mais

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ANEXO 1 MODELO 1 PARA SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS Este documento serve como base orientadora para a apresentação de propostas de Arranjos Produtivos Locais para enquadramento no

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08

APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA DO PEDIDO: 08 APOIO A PROJETOS ESPECÍFICOS DE INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME E GRUPOS DE PME BRASILEIRAS FIERGS REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA: ALA/BRA/2004/6189 ABDI/PAIIPME/01 REFERÊNCIA DO PEDIDO:

Leia mais

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA FIESP - DECOMTEC INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Programa de Inovação Tecnologica FIESP CIESP - SENAI Sede Fiesp 2013 Chave para a competitividade das empresas e o desenvolvimento do país Determinante para o aumento

Leia mais

Avaliação dos Resultados

Avaliação dos Resultados MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO E SERVIÇOS FÓRUM PERMANENTE DAS MICROEMPRESAS E PEQUENAS DE PEQUENO PORTE Questionário para Identificação dos Gargalos

Leia mais

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012

Ministério de Planejamento Orçamento e Gestão Secretaria de Orçamento Federal. Ações Orçamentárias Integrantes da Lei Orçamentária para 2012 Programa 2047 - Micro e Pequenas Empresas Número de Ações 10 Tipo: Operações Especiais 0473 - Honra de Aval decorrente de Garantia do Risco das Operações de Financiamento a Micro, Pequenas e Médias Empresas

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA AMBIENTE EXTERNO WORKSHOP APRESENTAÇÃO PES AMBIENTE

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA.

ORIENTAÇÕES PARA AS EMPRESAS SOBRE COMO FAZER O CADASTRO NA SUFRAMA. Compilações das Informações Maria da Conceição Mira dos Santos Outubro/2014 Página 1 CARTILHA DE ORIENTAÇÕES TÉCNICAS SOBRE O CADASTRO DA SUFRAMA. APRESENTAÇÃO Os pequenos negócios no Amapá contam com

Leia mais

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013

Atuação das Instituições GTP- APL. Sebrae. Brasília, 04 de dezembro de 2013 Atuação das Instituições GTP- APL Sebrae Brasília, 04 de dezembro de 2013 Unidade Central 27 Unidades Estaduais 613 Pontos de Atendimento 6.554 Empregados 9.864 Consultores credenciados 2.000 Parcerias

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS

INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS INTERNACIONALIZAÇÃO DE EMPRESAS APRESENTAÇÃO A YOUNIC é especializada na assessoria a empresas com vista ao crescimento e expansão dos seus negócios num panorama internacional. Com uma atuação versátil,

Leia mais

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico 3.2 Madeira e Móveis Diagnóstico Durante a década de 90, a cadeia produtiva de madeira e móveis sofreu grandes transformações em todo o mundo com conseqüentes ganhos de produtividade, a partir da introdução

Leia mais

Manual de Exportação e Formação de Preço

Manual de Exportação e Formação de Preço Manual de e Formação de Preço. Sumário FASE 1ª 1 - Planejamento de 2 - Planejamento Estratégico 3 - Canais de Distribuição FASE 2ª 4 - Procedimentos Operacionais de FASE 3ª 5 - Formação de Preço O sumário

Leia mais

Seminário A economia argentina e as perspectivas das relações com o Brasil e o Mercosul Rio de Janeiro, 22 de agosto de 2008

Seminário A economia argentina e as perspectivas das relações com o Brasil e o Mercosul Rio de Janeiro, 22 de agosto de 2008 Seminário A economia argentina e as perspectivas das relações com o Brasil e o Mercosul Rio de Janeiro, 22 de agosto de 2008 Os interesses empresariais brasileiros na América do Sul Os interesses empresariais

Leia mais

GRUPO GS EDUCACIONAL

GRUPO GS EDUCACIONAL GRUPO GS EDUCACIONAL Relação de cursos de Comércio Exterior disponíveis no nosso portal 1 Cursos à distância Cursos Completos na Área de Comércio Exterior Curso Completo de Comércio Exterior Este curso

Leia mais

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012)

Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Principais Benefícios Fiscais Relacionados à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos CIESP - Campinas Workshop - (25.10.2012) Benefícios Fiscais relacionados à Copa do Mundo no âmbito Federal RECOPA Lei nº

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

I. A Rede de Câmaras Alemãs no Brasil Onde nos encontrar 3. II. Identificação de potenciais parceiros Lista de contatos 4

I. A Rede de Câmaras Alemãs no Brasil Onde nos encontrar 3. II. Identificação de potenciais parceiros Lista de contatos 4 P E M A Plataforma de Entrada no Mercado Alemão PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA PLATAFORMA DE ENTRADA NO MERCADO ALEMÃO DA CÂMARA BRASIL-ALEMANHA DE SANTA CATARINA Departamento de Projetos Internacionais www.ahkbrasil.com

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA

Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA O papel das Micro e Pequenas Empresas no Desenvolvimento do Mercado Nacional PROF. LÍVIO GIOSA PROF. LÍVIO GIOSA Especialista em modelos de Gestão Empresarial Presidente do CENAM: Centro Nacional de Modernização

Leia mais

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013

VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Comentários de Peter Hansen sobre interação Universidade- Empresa no Brasil e Experiências Práticas. VI Reunião Técnica Internacional de FAEDPYME Nicarágua 08 a 10 de Maio de 2013 Apresentação Prof. Peter

Leia mais

órgão nacional interveniente no comércio internacional

órgão nacional interveniente no comércio internacional MDIC órgão nacional interveniente no comércio internacional CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: KEEDI, Samir. ABC DO COMÉRCIO EXTERIOR. São Paulo: Aduaneiras, 2007. www.desenvolvimento.gov.br

Leia mais

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior O governo brasileiro possui definida uma política voltada para o comércio internacional, onde defende os interesses das empresas nacionais envolvidas,

Leia mais

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado.

Este briefing contém atividades que deverão ser desenvolvidas durante o convênio supracitado. Briefing Prestação de Serviços de Comunicação e Marketing para o Instituto Nacional do Plástico Programa de Incentivo à Exportação Think Plastic Brazil Introdução Este briefing propõe e organiza as ações

Leia mais

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas

MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Página 1 de 6 MBA Gestão Estratégica de Marketing e Vendas Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados: 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011

A Mobilização Empresarial pela Inovação: 25/05/2011 A Mobilização Empresarial pela Inovação: Desafios da Inovação no Brasil Rafael Lucchesi Rafael Lucchesi 25/05/2011 CNI e vários líderes empresariais fizeram um balanço crítico da agenda empresarial em

Leia mais

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação

Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação Apostila Emissão de Notas Fiscais de Importação I- CADASTRO DO FORNECEDOR EXTERIOR I.I- Cadastro Geográfico Antes de iniciarmos o registro do Fornecedor Exterior precisamos verificar se os detalhes do

Leia mais

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação

ITEHPEC. Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação ITEHPEC Instituto de Tecnologia e Estudos de HPPC (Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos) Apresentação O ITEHPEC (Instituto de Tecnologia e Estudos em HPPC) tem como objetivo atender a demanda do setor

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE SETOR DE BRINQUEDOS 1 Setor de Brinquedos Estratégias: Ampliação de Acesso e Conquista de Mercado Objetivos: 1 - Aumentar a competitividade; 2 - consolidar o

Leia mais

WP Council 242/13 Add. 1

WP Council 242/13 Add. 1 WP Council 242/13 Add. 1 1 julho 2014 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 113. a sessão 22 26 setembro 2014 Londres, Reino Unido Atividades de rotina Programa de Atividades da Organização

Leia mais

Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros

Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros Encontro Cooperação Internacional Descentralizada do Brasil Boas Práticas de Gestão Internacional dos Governos Subnacionais Brasileiros Prefeitura de Belo Horizonte Histórico das Relações Internacionais

Leia mais

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações

Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Associad as à Objetivos Apresentar oportunidades de negócios no exterior Divulgar as empresas e seus produtos no mercado internacional Apoiar a realização das negociações Resultados concomitantes esperados

Leia mais

PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV)

PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV) PROGRAMA DE INOVAÇÃO NA CRIAÇÃO DE VALOR (ICV) Termo de Referência para contratação de Gestor de Projetos Pleno 14 de Agosto de 2015 TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE GESTOR DE PROJETOS PLENO O presente

Leia mais

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME

Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Portugal 2020 Candidaturas Incentivos à Qualificação e Internacionalização das PME Projetos Conjuntos de Internacionalização: Natureza dos beneficiários Os beneficiários são empresas PME de qualquer natureza

Leia mais

APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP. Junho/2008

APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP. Junho/2008 APL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PLANO DE DESENVOLVIMENTO PRELIMINAR - PDP Junho/2008 Foco Estratégico 1.Aumento da participação de mercado com os produtos atuais. 2.Conquista e manutenção

Leia mais

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC

Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Ata da 2ª Reunião do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC Data: 18/04/2013 Horário: 14 às 17h30 Local: Sede do Sistema FIESC Objetivo do Comitê de Petróleo e Gás do Sistema FIESC: Incrementar e Promover

Leia mais

SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR

SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR Professor: Moacir HISTÓRICO Criado no final de 1953 a Carteira de Comercio Exterior conhecida como CACEX, do Banco do Brasil, substituindo a CEXIM. Tinha competências

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

Disciplina: Comércio Internacional

Disciplina: Comércio Internacional COORDENADORIA DE TRANSPORTES Sumário 2 Disciplina: Comércio Internacional CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE COMÉRCIO INTERNACIONAL Exportação e Importação Conceitos Cambiais, Aduaneiros e Comerciais Formas de

Leia mais

ELETROELETRÔNICOS BRASIL

ELETROELETRÔNICOS BRASIL PROJETO SETORIAL ELETROELETRÔNICOS BRASIL O QUE É O PROJETO? O Projeto é uma parceria entre o SINDVEL (Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica) e

Leia mais

Experiência: Exporta Fácil, o serviço de exportação dos Correios.

Experiência: Exporta Fácil, o serviço de exportação dos Correios. Experiência: Exporta Fácil, o serviço de exportação dos Correios. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos - ECT Departamento de Operações e Negócios Internacionais Responsável: Alberto de Mello Mattos

Leia mais

DECRETO Nº 4.732, DE 10 DE JUNHO DE 2003. Dispõe sobre a Câmara de Comércio Exterior - CAMEX, do Conselho de Governo.

DECRETO Nº 4.732, DE 10 DE JUNHO DE 2003. Dispõe sobre a Câmara de Comércio Exterior - CAMEX, do Conselho de Governo. DECRETO Nº 4.732, DE 10 DE JUNHO DE 2003. Dispõe sobre a Câmara de Comércio Exterior - CAMEX, do Conselho de Governo. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias

REDEPETRO RN. Grandes Compradores, pequenos fornecedores. M.Sc. Gutemberg Dias REDEPETRO RN Grandes Compradores, pequenos fornecedores M.Sc. Gutemberg Dias MICRO, PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS NO BRASIL 5 milhões de empresas formais (99% das empresas formais) e 10 milhões de informais;

Leia mais

ICC 110-13 Rev. 1. 23 março 2015 Original: inglês. Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos. Antecedentes

ICC 110-13 Rev. 1. 23 março 2015 Original: inglês. Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos. Antecedentes ICC 110-13 Rev. 1 23 março 2015 Original: inglês P Termos de referência para Comitês e órgãos consultivos Antecedentes O presente documento contém os termos de referência atualizados para os seguintes

Leia mais

Legenda da priorização das propostas:

Legenda da priorização das propostas: Ações que já foram iniciadas, devemos MONITORAR o andamento. Articular para 2013 o inicio da execução das Propostas. Sem prazo definido. Articular o inicio a medida do possível. Legenda da priorização

Leia mais

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA

DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA DIRETRIZ NACIONAL DE EDUCAÇÃO, PROMOCÃO SOCIAL E DESENVOLVIMENTO COOPERATIVISTA Área de Atuação 1. Formação Profissional Cooperativista São ações voltadas à formação, qualificação e capacitação dos associados,

Leia mais

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde

Inovação, Regulação e Certificação. I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde Inovação, Regulação e Certificação I CIMES 1º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde São Paulo 11/04/2012 ABDI Criada pelo Governo Federal em 2004 Objetivo Objetivos Desenvolver ações

Leia mais

Programa Têxtil e Confecção

Programa Têxtil e Confecção Programa Têxtil e Confecção Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Junho/2010 Gestora: Talita Tormin Saito Assessora Técnica da Secretaria de Desenvolvimento da

Leia mais

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil

Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Rio de Janeiro: o melhor lugar para a sua empresa no Brasil Thayne Garcia, Assessora-Chefe de Comércio e Investimentos (tgarcia@casacivil.rj.gov.br) Luciana Benamor, Assessora de Comércio e Investimentos

Leia mais

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida

Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Programa de Incentivos aos Leilões de Energia e à Geração Distribuída do Governo de Pernambuco João Bosco de Almeida Secretário de Infraestrutura Energia Renovável em Pernambuco Desenvolvimento Técnico,

Leia mais

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS

PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS Programas para fortalecer a competitividade PROGRAMAS PARA FORTALECER A COMPETITIVIDADE COMPLEXO SERVIÇOS Legenda: branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais

Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Financiamentos ao Comércio Exterior e Apoio aos Negócios Internacionais Diretoria de Negócios Internacionais Setembro/2013 Banco do Brasil. Do Brasil para o mundo. Do mundo para o Brasil O Banco do Comércio

Leia mais