PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS NA SAÚDE. 27 de outubro de Eliezer J. Barreiro. Professor Titular - UFRJ.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS NA SAÚDE. 27 de outubro de 2011. Eliezer J. Barreiro. Professor Titular - UFRJ. www.inct-inofar.ccs.ufrj."

Transcrição

1 A Academia e a Indústria: Projetos de cooperação e perspectivas do INCT- INOFAR PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS NA SAÚDE 27 de outubro de 2011 Eliezer J. Barreiro Professor Titular - UFRJ Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos e Medicamentos Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas Programa de Pós-Graduação em Farmacologia e Química Medicinal

2 O INCT-INOFAR Concepção, missão, gestão & team: quo-vadis; A s redes interdisciplinaridades de pesquisa; A inovação farmacêutica & criatividade; A cadeia da inovação em fármacos: visão linear e atual; Inovação radical em fármacos no INCT-INOFAR: a busca por novos protótipos de fármacos (NCE = LASSBio-596); Inovação incremental em fármacos no INCT-INOFAR: síntese total do sunitinibe e atorvastatina (novas oportunidades em fármacos genéricos); Considerações finais.

3 Acho que o caminho é estabelecer institutos de descoberta de fármacos Simon Campbell em 22/08/2011 São 122 os INCT s Edital CNPq 2008

4

5 INCT-INOFAR Governance committee Dr Simon Campbell Foreign scientific consultants

6 Os participantes INCT-INOFAR

7 What makes a successful research team? J. Whitfield, Nature 2008, 455, 720

8 A inovação tecnológica é um dos processos mais dinâmicos da atividade industrial. Este dinamismo se expressa de forma acentuada na inovação tecnológica farmacêutica que, mais do que qualquer outra, depende da efetiva interação entre Ciência & Tecnologia. O principal driving-force da indústria farmacêutica que desenvolve fármacos é a inovação farmacêutica que é uma atividade Sy-based!

9 Ciência & Criatividade o espírito dos tempos Un Columbia O ambiente propício à criatividade existe, naturalmente, na Academia, favorecendo a criação do conhecimento novo e a pesquisa científica inovadora!

10 Distribuição dos pesquisadores ativos Adaptado de C. H. Brito Cruz & C. A. Pacheco, Conhecimento & Inovação: Desafios do Brasil no Século XXI, em (2/01/2009)

11 E. J. Barreiro & C. A. M. Fraga, A Questão da inovação em fármacos no Brasil: Proposta de criação do Programa Nacional de Fármacos (PRONFAR), Quim. Nova 2005, 28 (Suplemento) S56

12 Cadeia de Inovação em F&M Visão linear

13 Cadeia de Inovação em F&M

14 Annual Activities Report Radical innovation pain, inflammation, asthma, CNS, neglected diseases, cardiovascular system, anticancer Incremental innovation the sythesis of new generic drugs new routes to old generic

15 Inovação radical Profa. Patricia M Rocco & Profa Lidia M Lima L. M. Lima et al., Bioorg. Med. Chem. Lett., 12, 1533, 3067 (2002) ; P. R. M. Rocco et al., Eur. Respir. J., 22, 20 (2003) ; L. M. Lima et al., Antii-nflammatory & Anti-allergy Agents in Medicinal Chemistry, 3, 9 (2004) ; J. V. Bevilaqua et al., Applied Biochem. Biotechnol., 121, 117 (2005); M. S. Alexandre-Moreira et al., International Immunopharmacology, 5, 485 (2005); H. S. Campos et al., Braz. J. Med. Biol. Res., 39, 283 (2006) ; L.M. Lima et al., Anti-inflammatory & Anti-alergy Agents in Medicinal Chemistry, 5, 79 (2006); G.M.C.Carvalho et al., Toxicon, 56, 604 (2010); N.V.Casquilho et al., Toxicon, 58, 195 (2011).

16 Nature Rev. Drug Discov. 2008, 7, 285

17 O Caminho das Índias dos nossos fármacos (genéricos!) Precisamos resolver, com urgência, a grave situação de dependência das importações de fármacos, invertendo o sentido do atual Caminho das Índias Biolab Sanus Farmaceutica Ltda Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda EMS - Sigma Pharma Eurofarma Laboratórios Ltda Genom Farmacêutica Ltda Laboratórios BIOSINTÉTICA Laboratório Neo Química Indústria Farmacêutica Ltda Laboratório Teuto Brasileiro LIBBS Farmacêutica Medley S/A Indústria Farmacêutica Mantecorp Zambon Laboratórios Farmacêuticos Ltda Inovação incemental

18 Sunitinibe 2006 Sutent R Sintetizado, em 1999, pela Pfizer Patente de 2001 (US) Inibidor BCR ABL Tyr-quinase Indicado para Ca-estômago/rim Nova síntese Prof. Angelo da Cunha Pinto & Dr Bárbara Vasconcellos da Silva, IQ-UFRJ, em 2011, pelo INCT-INOFAR 50 mg / 28 caps ca. R$ ,90 Vendas de tinibes no mercado norte-americano: US$ 18,5 bi (2009) Importações ca. US$ 3 milhões/ano S Aggarwal, Nature Rev Drug Discov 2010, 9, 427

19 O Os fármacos best-seller em 2010* HO F F H 1 2,0 O S O F O C 26 H 33 F 3 O 5 S Rosuvastatina (Crestor R, AZ) Etanercept (Enbrel R, biofármaco) Infliximab (Remicade R, biofármaco) Olanzapina (Zyprexa R,Ely Lilly) Adalimumab (Humira R, Abbott) 75,0 (8,7%) CH 3 HO HO fluticazona salmeterol (GSK, 2012) H 3 CO OH 9,1 Esomeprazola (AZ) Quetiapina (AZ, 2012) N N H H N S 5 C 25 H 37 NO 4 8,4 5,6-6,2 6,5 8,4 em US$ bilhões N S N N O OH * R Mullin, C&EN 2010 (06/12) O H 3 C N C 17 H 19 N 3 O 3 S O 3 OCH 3 Clopidogrel (BMS, 2011) CH 3 F 13,3 O N O OCH 3 C 16 H 16 ClNO 2 S HO Cl N H N HO C 33 H 35 FN 2 O 5 Atorvastatina (Pfizer; 06/2011) S 45,7 CO 2 H

20 Atorvastatina 1991 Sintetizada, em 1985, por Bruce Roth Patente US Pfizer (1991): 12 etapas = 4,2% Nova síntese Prof. Luiz Carlos Dias & Dr Adriano S Vieira, IQ-UNICAMP, em 2010, pelo INCT-INOFAR: 11 etapas = 19,3% F HO N OH CH 3 CH 3 O HN CO 2 H super blockbuster drug LC Dias, A S Vieira, EJ Barreiro, Processo de obtenção de atorvastatina cálcica utilizando novos intermediários PI (protocolado no INPI, em 25/04/2011)

21 Futuros genérico$ 2012 escitalopram (Lexapro R ) US$ 2,6 bi (2012) quetiapina (Seroquel R ) US$ 3,5 bi (2012) clopidogrel (Plavix R ) US$ 4,6 bi (2012) montelucaste (Singulair R ) US$ 3,5 bi (2012) fenofibrato (Tricor R ) US$ 1,35 bi (2012) E ainda: pioglitazona (Actos R, US$ 2,8 bi); valsartana (Diovan R ), US$ 1,5 bi

22 A equipe do INCT-INOFAR Universidade Federal do Rio de Janeiro, março 2011 Primeira reunião de avaliação e acompanhamento de 2011

23 Considerações Finais For all the efforts to industrialize and automate discovery, history suggests drug discovery is art as well as science and relies heavily on the skill of experienced drug hunters... Charles H. Reynolds J&J Pharmaceutical Research and Development, Spring House, Pa em Pharma's Road Ahead, C&EN, Volume 84, Issue 25, June 19, 2006

24 The Big Pharma innovation crisis......is going up! The drug world market, in 2010 = US$ 856 bi 228* 200* * A. Mullard, 2010 FDA drug approvals, Nature Rev. Drug Discov. 2011, 10, 82. In the 10-year period between 1999 and 2008, the FDA approved 183 small-molecule drugs..., D Swinney & J Anthony, Nature Rev. Drug Discov. 2011, 10, 507. F Pammolli et al., The productivity crisis in pharmaceutical R&D, Nature Rev. Drug Discov. 2011, 10, 428.

25 J Hunter & S Stephens, Nature Rev. Drug Discov. 2010, 9, 87 M Goldman, Reflections on the Innovative Medicines Initiative, Nature Rev. Drug Discov., 10, (2011); F Pammolli et al., The productivity crisis in pharmaceutical R&D, Nature Rev. Drug Discov., 10, 428 (2011); M R Barnes et al. Lowering industry firewalls: pre-competitive informatics initiatives in drug discovery, Nature Rev. Drug Discov., 8, (2009); B Hughes, Harnessing open innovation, Nature Rev. Drug Discov., 8, (2009); B Munos, Can open-source R&D reinvigorate drug research? Nature Rev. Drug Discov. 5, (2006).

26 Nature Rev. Drug Discov. 2011, 10, 409 Os autores identificaram 78 ICT s envolvidas na descoberta de novos fármacos: câncer (86%), doenças infecciosas (71%) e CNS (45%).

27 07 October 2009 vol 1, issue 1, Novos arranjos institucionais são necessários MR Barnes et al., Lowering industry firewalls: pre-competitive informatics iniciatives in drug discovery, Nature Rev. Drug Discov. 2009, 8, 701; PG Wyatt, The emerging academic drugdiscovery sector. Future Med. Chem. 2009, 1, 1013; R Kneller, The importance of new companies for drug discovery: origins of a decade of new drugs. Nature Rev. Drug Discov. 2010, 9, 867; AJ Stevens et al., The role of public-sector research in the discovery of drugs and vaccines. N. Engl. J. Med. 2011, 364, 535.

28

Binômio doença-doente. doente

Binômio doença-doente. doente Binômio doença-doente doente zoom We live today in a world ofdrugs. Drugs for pain, drugs for disease, drugs for allergies, drugs for pleasure, and drugs for mental health. Drugs that have been rationally

Leia mais

Oportunidades & Barreiras ao Desenvolvimento de Novos Fármacos. Prof a Adelaide Antunes Novembro - 2008

Oportunidades & Barreiras ao Desenvolvimento de Novos Fármacos. Prof a Adelaide Antunes Novembro - 2008 Oportunidades & Barreiras ao Desenvolvimento de Novos Fármacos Prof a Adelaide Antunes Novembro - 2008 Oportunidades - Academia Localização dos Pesquisadores Bio-Fármacos 2 7 11 6 1 1 6 2 2 4 2 2 6 Total:

Leia mais

"A Química Medicinal e a inovação farmacêutica: INCT-INOFAR

A Química Medicinal e a inovação farmacêutica: INCT-INOFAR "A Química Medicinal e a inovação farmacêutica: INCT-INOFAR Química Medicinal: desafios e perspectivas Dr Eliezer J. Barreiro Professor Titular - UFRJ Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Fármacos

Leia mais

Ambiente pró-inovação

Ambiente pró-inovação Ambiente pró-inovação Perspectiva global Alexander Triebnigg, Presidente Novartis Brasil Novartis: uma empresa de P&D global Inglaterra Gastrointestinal Diseases Respiratory Diseases Genome & Proteome

Leia mais

XI Encontro Nacional de Professores de Química Farmacêutica

XI Encontro Nacional de Professores de Química Farmacêutica da Química A importância interdisciplinaridade da da Farmacêutica Química Farmacêutica Medicinal na interdisciplinaridade Medicinal XI Encontro acional de Professores de Química Farmacêutica Universidade

Leia mais

Como se insere a Farmacologia?

Como se insere a Farmacologia? Seminário sobre Formação de RH para CT&I: A Formação em Farmácia - Perspectivas e necessidades na área de Medicamentos Novas Drogas e Patentes Como se insere a Farmacologia? Giles Alexander Rae (UFSC)

Leia mais

UM PANORAMA DA QUÍMICA MEDICINAL BRASILEIRA: UMA VISÃO PESSOAL

UM PANORAMA DA QUÍMICA MEDICINAL BRASILEIRA: UMA VISÃO PESSOAL UM PANORAMA DA QUÍMICA MEDICINAL BRASILEIRA: UMA VISÃO PESSOAL Angelo C. Pinto Instituto de Química Universidade Federal do Rio de Janeiro www.iq.ufrj.br angelo@iq.ufrj.br COMO SURGIU A IDÉIA DO ARTIGO?

Leia mais

Brasil é reconhecido por...

Brasil é reconhecido por... Brasil é reconhecido por... Fonte: Pesquisa Industrial Anual (IBGE); Sistema Alice (MDIC); Elaboração própria Fonte: Pesquisa Industrial Anual (IBGE); Sistema Alice (MDIC); Elaboração própria Fonte: Pesquisa

Leia mais

5º WCTI - Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação, INOVAÇÃO, SAÚDE e UNIVERSIDADE 07 de novembro de 2013 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO,

5º WCTI - Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação, INOVAÇÃO, SAÚDE e UNIVERSIDADE 07 de novembro de 2013 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO, 5º WCTI - Workshop de Ciência, Tecnologia e Inovação, INOVAÇÃO, SAÚDE e UNIVERSIDADE 07 de novembro de 2013 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO DE JANEIRO, Marcio Falci Assessor da Presidencia Científica BIOLAB

Leia mais

Fontes de Informação Bibliométricas para a gestão de revistas Científicas

Fontes de Informação Bibliométricas para a gestão de revistas Científicas Fontes de Informação Bibliométricas para a gestão de revistas Científicas Jose Cláudio Santos Gerente Regional para América do Sul Jose.santos@thomsonreuters.com URL: www.thomsonreuters.com Agenda: 3.

Leia mais

Inovação em fármacos no Brasil. Alexander Triebnigg, Presidente do Conselho da Febrafarma São Paulo, 28 de maio de 2009

Inovação em fármacos no Brasil. Alexander Triebnigg, Presidente do Conselho da Febrafarma São Paulo, 28 de maio de 2009 Inovação em fármacos no Brasil Alexander Triebnigg, Presidente do Conselho da Febrafarma São Paulo, 28 de maio de 2009 Inovação é consenso no Brasil Indústria farmacêutica brasileira investe de forma crescente

Leia mais

sintéticos ticos... >> 85% do arsenal terapêutico ticos

sintéticos ticos... >> 85% do arsenal terapêutico ticos Parte 4 s fármacos: sintéticos ticos... >> 85% do arsenal terapêutico são de fármacos sintéticos ticos s top-5 fármacos no mercado mundial 1 2,0 Etanercept (biofármaco) lanzapina Infliximab (biofármaco)

Leia mais

Parte 2 I SEMANA DE INTEGRAÇÃO FARMACÊUTICA DO MÉDIO ARAGUAIA - SEMEFAR 06-08 de outubro de 2010 UFMT, Barra do Garças, MT

Parte 2 I SEMANA DE INTEGRAÇÃO FARMACÊUTICA DO MÉDIO ARAGUAIA - SEMEFAR 06-08 de outubro de 2010 UFMT, Barra do Garças, MT A Química Medicinal na descobeta de fármacos Parte 2 I SEMAA DE ITEGRAÇÃ FARMACÊUTICA D MÉDI ARAGUAIA - SEMEFAR 06-08 de outubro de 2010 UFMT, Barra do Garças, MT Eliezer J. Barreiro Professor Titular

Leia mais

Farmácias: Estratégia e Diferenciação

Farmácias: Estratégia e Diferenciação Seminário GVcev Farmácias: Estratégia e Diferenciação Evolução e Tendências do Mercado de Farmácias Paulo Paiva IMS Health do Brasil Brasil Retail Market 2 O mercado vive hoje um bom momento Evolução mercado

Leia mais

Hoje 10:00 às 11:30: Parceria entre Academia e Indústria para o Desenvolvimento de Novos Medicamentos no Brasil

Hoje 10:00 às 11:30: Parceria entre Academia e Indústria para o Desenvolvimento de Novos Medicamentos no Brasil Curso III Prof. Dr. Eduardo Pagani Médico (USP), Mestre (UNIFESP), Doutor (USP) Gerente de Pesquisa Clínica do Lab. Cristália Diretor de Educação da SOBRAFITO Hoje 10:00 às 11:30: Parceria entre Academia

Leia mais

PARCERIA COM FAPESP PARA CRIAÇÃO DO CAT-CEPID

PARCERIA COM FAPESP PARA CRIAÇÃO DO CAT-CEPID O QUE É O COINFAR? É uma ação coordenada entre as empresas Biolab Sanus, Biosintética (Aché) e União Química para investimentos em projetos tecnológicos, principalmente aqueles derivados das universidades

Leia mais

Patentes na Indústria Farmacêutica

Patentes na Indústria Farmacêutica Patentes na Indústria Farmacêutica 1. PATENTES 2. O MERCADO FARMACÊUTICO 3. COMPETIVIDADE DO SETOR 4. A IMPORTÂNCIA DAS PATENTES NO MERCADO FARMACÊUTICO PATENTES PATENTES Definiçã ção o ( LEI 9.279 DE

Leia mais

A LEGISLAÇÃO DE PATENTES E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL O Olhar sobre a legislação de Patentes São Paulo 07.11.2011 Roteiro de Questões: focos Usos e Eficácia da Legislação Patentária brasileira

Leia mais

Mantenha desligado ou sem som. Obrigado.

Mantenha desligado ou sem som. Obrigado. Mantenha desligado ou sem som. brigado. Introdução à Química Farmacêutica & Medicinal Parte 1 Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias Bioativas http://www.farmacia.ufrj.br/lassbio Programa de

Leia mais

Eliezer J. Barreiro. Contribuição da Química Medicinal na invenção de novos fármacos no século 20

Eliezer J. Barreiro. Contribuição da Química Medicinal na invenção de novos fármacos no século 20 Desenvolvimento de fármacos: interações entre a universidade e setor produtivo (Simpósio) www.farmacia.ufrj.br/lassbio Eliezer J. Barreiro Inovação em Fármacos - Sumário: Contribuição da Química Medicinal

Leia mais

O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação

O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação I Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Agosto 2004 O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação Manoel Barral Netto Diretor de Programas

Leia mais

Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 CIÊNCIA DE EXCELÊNCIA

Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 CIÊNCIA DE EXCELÊNCIA Elegibilidade do Brasil no Horizonte 2020 Horizonte 2020 (H2020) - o Programa Europeu de apoio à Pesquisa, Innovação e Cooperação Internacional - é o maior programa de pesquisa e inovação da União Europeia

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Reunião Regional do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação FNCEE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO: EXPERIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Ciência, Tecnologia e Inovação Ciência (Conhecer) Tecnologia

Leia mais

MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO ESPECIAL ANÁLISE DOS BALANÇOS AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS

MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO ESPECIAL ANÁLISE DOS BALANÇOS AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS www.valoronline.com.br Agosto 2011 Ano 11 Número 11 R$ 20,00 VALOR ECONÔMICO AS 250 MAIORES HOLDINGS OS 100 MAIORES BANCOS edição 2011 MAIORES EMPRESAS AS CAMPEÃS DE 25 SETORES OS DESTAQUES DE CADA REGIÃO

Leia mais

Desafios para C&T&I no Brasil

Desafios para C&T&I no Brasil Desafios para C&T&I no Brasil Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP CONFAP 26 de Agosto de 2015 desafios-c+t-brasil-confap-20150825.pptx;chbritocruz 1 Desafios para a ciência e a tecnologia

Leia mais

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual

e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Estado e Indústria de classe mundial Plenária Políticas de fomento, uso do poder de compras, e encomendas: perspectivas diante do cenário econômico atual Desempenho Conjuntural da Indústria Participação

Leia mais

4. Metodologia. 4.1. Tipo de Pesquisa

4. Metodologia. 4.1. Tipo de Pesquisa 4. Metodologia 4.1. Tipo de Pesquisa Para a classificação da pesquisa, foi utilizada como base a taxonomia apresentada por Vergara (1997), que a qualifica em relação a dois aspectos: quanto aos fins e

Leia mais

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica

Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Ensaios Clínicos: A Perspectiva da Indústria Farmacêutica Plataforma Nacional de Ensaios Clínicos Lançamento Oficial Lisboa, 20 de Março 2012 Paula Martins de Jesus Grupo de Trabalho de Investigação Clínica

Leia mais

Usa o método científico de observação e experimentação para desenvolver resultados replicáveis ou sistematizar uma área de conhecimento

Usa o método científico de observação e experimentação para desenvolver resultados replicáveis ou sistematizar uma área de conhecimento CIENTISTA Usa o método científico de observação e experimentação para desenvolver resultados replicáveis ou sistematizar uma área de conhecimento Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software I INVENTOR

Leia mais

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO

MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO MACRO AMBIENTE DA INOVAÇÃO Ambiente de Inovação em Saúde EVENTO BRITCHAM LUIZ ARNALDO SZUTAN Diretor do Curso de Medicina Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo SOCIEDADES CONHECIMENTO

Leia mais

BNDES renova o Profarma e amplia apoio à biotecnologia

BNDES renova o Profarma e amplia apoio à biotecnologia ESPECIAL BNDES renova o Profarma e amplia apoio à biotecnologia Além da renovação do BNDES Profarma, com orçamento de R$ 5 bilhões, foi lançado também o Inova Saúde - Equipamentos Médicos, com orçamento

Leia mais

Pesquisa e inovação em pequenas empresas

Pesquisa e inovação em pequenas empresas Pesquisa e inovação em pequenas empresas Carlos H Brito Cruz FAPESP 28/08/2015 fapesp12-20131115.pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Unicamp: 254 start-ups, >16.000 empregos, fatur. anual R$ 2 bilhões 28/08/2015

Leia mais

Transferência de conhecimento, instituições e tradução: experiências recentes no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Inmetro

Transferência de conhecimento, instituições e tradução: experiências recentes no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Inmetro Transferência de conhecimento, instituições e tradução: experiências recentes no Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Inmetro André Tortato Rauen, Dr. Pesquisador Tecnologista Objetivo:

Leia mais

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas

Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas Apresentação da Proposta de Trabalho aos ICTs e as Empresas 29 abril 2014 Fundamentação Lei da Inovação Nº 10.973, 02 Dez 2004 Regulamentada pelo Decreto Nº 5.563, 11 Out 2005 Artigo 20, do Decreto Nº

Leia mais

AMBIENTE DE INOVAÇÃO EM SAÚDE NO BRASIL PARTE II BRITCHAM BRASIL

AMBIENTE DE INOVAÇÃO EM SAÚDE NO BRASIL PARTE II BRITCHAM BRASIL EM SAÚDE NO BRASIL PARTE II BRITCHAM BRASIL CONCEITO REGULAÇÃO Diferentes instrumentos através dos quais os Governos estabelecem demandas sobre o mercado e os cidadãos. Regulação Econômica Regulação Social

Leia mais

Ata Final. Item 0001

Ata Final. Item 0001 Ata Final Às 09:00 horas do dia 10 de janeiro de 2012, reuniu-se o Pregoeiro Oficial da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora e respectivos membros da Equipe de apoio, designados pela portaria Portaria

Leia mais

Fapesp: apoio à pesquisa para inovação tecnológica no Estado de São Paulo

Fapesp: apoio à pesquisa para inovação tecnológica no Estado de São Paulo Fapesp: apoio à pesquisa para inovação tecnológica no Estado de São Paulo Sérgio Queiroz Professor Associado DPCT/IG/Unicamp Coordenador Adjunto de Pesquisa para Inovação FAPESP Tópicos Características

Leia mais

GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro

GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro GECIV - Grupo Executivo do Complexo Industrial das Ciências da Vida Do Estado do Rio de Janeiro Augusto Raupp Subsecretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação Política para Desenvolvimento Biotecnológico

Leia mais

Apresentação Biominas. Capital Empreendedor e Oportunidades em Biotecnologia. Eduardo Emrich Soares Diretor Presidente Fundação Biominas

Apresentação Biominas. Capital Empreendedor e Oportunidades em Biotecnologia. Eduardo Emrich Soares Diretor Presidente Fundação Biominas Apresentação Biominas Capital Empreendedor e Oportunidades em Biotecnologia Eduardo Emrich Soares Diretor Presidente Fundação Biominas 1 Capital Semente 2 Estágios das Empresas + Receita com Vendas e Fluxo

Leia mais

PRINCIPAIS MERCADOS DE ESPECIALIDADES FARMACÊUTICAS(P OR PAÍS)* US$ BILHÕES

PRINCIPAIS MERCADOS DE ESPECIALIDADES FARMACÊUTICAS(P OR PAÍS)* US$ BILHÕES PRINCIPAIS MERCADOS DE ESPECIALIDADES FARMACÊUTICAS(P OR PAÍS)* US$ BILHÕES Estados Unidos 150 Japão 58 Alemanha 17 França 16 Italia 11 Reino Unido 11 Canadá 6 Espanha 6 México 5,6 Brasil 5,4 PRINCIPAIS

Leia mais

Inovação em Oncologia no Brasil. Jose Fernando Perez Diretor Presidente

Inovação em Oncologia no Brasil. Jose Fernando Perez Diretor Presidente Inovação em Oncologia no Brasil Jose Fernando Perez Diretor Presidente 1 Anticorpos Monoclonais e Peptídeos para Tratamento do Câncer Recepta Biopharma é uma empresa de biotecnologia dedicada a P&D para

Leia mais

Dr. Hilton Oliveira dos Santos Filho, PhD

Dr. Hilton Oliveira dos Santos Filho, PhD Dr. Hilton Oliveira dos Santos Filho, PhD Gestão integrada de portfólio através de estratégias inovadoras Panorama Geral Gestão de portfólio como forma de enfrentar a competitividade PI&D como instrumento

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014

RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 RESPOSTA RÁPIDA 448/2014 SOLICITANTE NÚMERO DO PROCESSO Dr. Eduardo Tavares Vianna Juiz de Direito de Coronel Fabriciano 0060337-30.2014.8.13.0194 DATA 04 de agosto de 2014 SOLICITAÇÃO Senhor (a) Diretor

Leia mais

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini

A inovação na perspectiva de uma. Thais Guaratini A inovação na perspectiva de uma microempresa de base tecnológica Thais Guaratini Micro-empresa de base tecnológica, cuja missão é o desenvolvimento de produtos inovadores e de qualidade para a indústria

Leia mais

Fundamentos de estatística aplicada à avaliação de processos farmacêuticos

Fundamentos de estatística aplicada à avaliação de processos farmacêuticos Fundamentos de estatística aplicada à avaliação de processos farmacêuticos Objetivo Apresentar, discutir e capacitar os participantes nos principais métodos estatísticos utilizados na avaliação de processos

Leia mais

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE

AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE AS TIC E A SAÚDE NO PORTUGAL DE HOJE 18 MARÇO 2015 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa PATROCINDADORES Apoio Patrocinadores Globais APDSI As TIC e a Saúde no Portugal de hoje Joaquim Cunha 18 março

Leia mais

XXII Seminário Nacional. de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas 2012-09-19. Open Innovation. André Saito. andre.saito@openinnovation.net.

XXII Seminário Nacional. de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas 2012-09-19. Open Innovation. André Saito. andre.saito@openinnovation.net. XXII Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas 2012-09-19 Open Innovation André Saito andre.saito@openinnovation.net.br O que é Inovação Aberta? Henry Chesbrough UC-Berkeley

Leia mais

IV Simpósio de Plantas Medicinais do Vale do São Francisco Petrolina-PE, 18-21 de setembro de 2013

IV Simpósio de Plantas Medicinais do Vale do São Francisco Petrolina-PE, 18-21 de setembro de 2013 1 PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA Dia 18/09 (quarta-feira) CURSOS PRÉ-SIMPÓSIO - 08:00 12:00 Curso 1: Métodos de avaliação da atividade antimicrobiana de produtos naturais. Ministrante: Prof. Dr. Mateus Matiuzzi

Leia mais

A Iniciativa de P&D da Empresa X

A Iniciativa de P&D da Empresa X Projetos 1. Eliezer Barreiro Fármacos antinflamatórios 2. Valdir Cechinel Filho Hiperplasia Benigna da Próstata- fitoterápico 3. Valdir Cechinel Filho Analgésico - fitoterápico 4. Sérgio T. Ferreira Doença

Leia mais

Jorge Ávila INPI. Mesa 2 - Open Innovation e o sistema nacional de inovação

Jorge Ávila INPI. Mesa 2 - Open Innovation e o sistema nacional de inovação 16 de junho de 2008 São Paulo/SP Jorge Ávila INPI Mesa 2 - Open Innovation e o sistema nacional de inovação Pannel 2 - Open Innovation and the Brazilian national innovation system Open Innovation Seminar

Leia mais

BIOISOSTERISMO: UMA ESTRATÉGIA DE MODIFICAÇÃO MOLECULAR PARA A OTMIZAÇÃO DE UM COMPOSTO-PROTÓTIPO PROTÓTIPO

BIOISOSTERISMO: UMA ESTRATÉGIA DE MODIFICAÇÃO MOLECULAR PARA A OTMIZAÇÃO DE UM COMPOSTO-PROTÓTIPO PROTÓTIPO UIVERSIDADE FEDERAL D RI DE JAEIR ISTITUT DE QUÍMICA DEPARTAMET DE QUÍMICA RGÂICA PÓS-GRADUAÇÃ EM QUÍMICA RGÂICA SEMIÁRI DE MESTRAD BIISSTERISM: UMA ESTRATÉGIA DE MDIFICAÇÃ MLECULAR PARA A TMIZAÇÃ DE UM

Leia mais

Insumos Farmacêuticos Ativos Registrados IN 15 /2009 e IN 03/2013

Insumos Farmacêuticos Ativos Registrados IN 15 /2009 e IN 03/2013 GERÊNCIA GERAL DE MEDICAMENTOS Coordenação de Insumos Ativos - COIFA Insumos Ativos Registrados IN 15 /2009 e IN 03/2013 Considerando a RDC n 57/2009, que dispõe sobre o de IFAs; a Instrução Normativa

Leia mais

Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA. RENAMA: missão e desafios

Rede Nacional de Métodos Alternativos RENAMA. RENAMA: missão e desafios RENAMA: missão e desafios Sumário Primeiros Passos Visão e motivação para a criação da RENAMA Estrutura Institucional Governança Iniciativa de Ensaios Interlaboratoriais Iniciativas Recentes Chamadas Públicas

Leia mais

Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia. Apresentação

Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia. Apresentação Maria da Graça Derengowski Fonseca (IE-UFRJ) Bioeconomia Apresentação A bioeconomia é uma nova área de conhecimento que investiga o impacto que a difusão dos conhecimentos proporcionados pela biologia

Leia mais

Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde. Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA

Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde. Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA Economia da Saúde: a inovação e seu impacto no Sistema de Saúde Erika Aragâo Fiocruz BA e UFBA Ciência: "Refere-se a um sistema de aquisição de conhecimento. Tradicionalmente relacionado a observação e

Leia mais

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed)

9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 9º Encontro Nacional de Inovação em Fármacos e Medicamentos (ENIFarMed) 18 de agosto de 2015 PALESTRA: Internacionalização dos laboratórios farmacêuticos nacionais: acesso a novos mercados O Projeto A

Leia mais

Formação de Recursos Humanos para a Área Farmacêutica Novas Drogas e Patentes

Formação de Recursos Humanos para a Área Farmacêutica Novas Drogas e Patentes Centro de Gestão e Estudos Estratégicos Ciência, Tecnologia e Inovação Formação de Recursos Humanos para a Área Farmacêutica Novas Drogas e Patentes 2003 Formação de Recursos Humanos para CT&I A Formação

Leia mais

Índia: Reflexões preliminares sobre a situação pos-2005

Índia: Reflexões preliminares sobre a situação pos-2005 Índia: Reflexões preliminares sobre a situação pos-2005 Seminário ano da França no Brasil O Acesso aos antiretrovirais nos Países do Sul 20 Anos apos a introdução da terapia antiretroviral Cassandra CassandraSweet

Leia mais

Programa de Química de Produtos Naturais Conceito CAPES: 5

Programa de Química de Produtos Naturais Conceito CAPES: 5 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Núcleo de Pesquisas de Produtos Naturais NPPN Centro de Ciências da Saúde Programa de Química de Produtos Naturais Conceito CAPES: 5 Alessandro B. C. Simas Coordenador

Leia mais

GESTÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE TECNOLOGIA INPI/DIRTEC/CGTEC

GESTÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE TECNOLOGIA INPI/DIRTEC/CGTEC GESTÃO E COMERCIALIZAÇÃO DE TECNOLOGIA INPI/DIRTEC/CGTEC 1 INTRODUÇÃO APRESENTAÇÃO Contexto do módulo Gestão e Comercialização de Tecnologia Serviços de apoio da DIRTEC/CGTEC Perspectivas de análise da

Leia mais

SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO

SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO SOCIEDADE, TECNOLOGIA & INOVAÇÃO CARGA: 02 H/A POR SEMANA TOTAL.: 40 H/A NO SEMESTRE Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Endereço disciplina: http://stinovacao.blogspot.com.br/ 1 TECNOLOGIA & INOVAÇÃO Aula 08...

Leia mais

AÇÕES PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NAS INSTITUIÇÕES DA REDE

AÇÕES PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NAS INSTITUIÇÕES DA REDE AÇÕES PARA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NAS INSTITUIÇÕES DA REDE Novembro, 2013 CONTEXTUALIZAÇÃO Ranking da Produção Científica e Inovação Patentes Depositadas nos EUA Fonte: Ciência, Tecnologia e Inovação no

Leia mais

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é

Sandra Maria Fevereiro Marnoto Licenciada em Gestão (1994) e Mestre em Finanças (2001) pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto e é Célio Alberto Alves Sousa Licenciado em Relações Internacionais, Ramo Ciências Económicas e Políticas, pela Universidade do Minho (1994), pós graduado em Gestão Empresarial (1998) e doutorado em Management

Leia mais

Inovação como Diferencial Competitivo no Comércio Internacional. Guilherme Marco de Lima

Inovação como Diferencial Competitivo no Comércio Internacional. Guilherme Marco de Lima Inovação como Diferencial Competitivo no Comércio Internacional Guilherme Marco de Lima Whirlpool no mundo Fundada em 1911 Receita anual + US$ 20 bi Appliances 50% maior que o maior concorrente + 73 mil

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE BRACO DO TROMBUDO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 5/2012. Página: 1/10

ESTADO DE SANTA CATARINA FUNDO MUNICIPAL DE SAUDE DE BRACO DO TROMBUDO ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº: 5/2012. Página: 1/10 Página: 1/10 1 Alestra 30 c/21 comp (2652) CX MARLUS IVAN NAGEL (6328) ACHE 0 17,3000 1 FARMACIA VALE AZUL LTDA (6014) ACHE 0 17,3400 2 2 Candicort creme (2653) CX FARMACIA VALE AZUL LTDA (6014) ACHE 0

Leia mais

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI!

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! 1 É preciso elevar a produtividade da economia brasileira (Fonte: BID ECLAC, Índice 1980=100) Produtividade na Ásia (média

Leia mais

INDÚSTRIA FARMACÊUTICA FOOD FOR THOUGHTS

INDÚSTRIA FARMACÊUTICA FOOD FOR THOUGHTS INDÚSTRIA FARMACÊUTICA FOOD FOR THOUGHTS CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE UM FÁRMACO CICLO DE DESENVOLVIMENTO DE UM FÁRMACO SISTEMA DE GERAÇÃO DE DEMANDA DE MEDICAMENTOS PROPAGANDA MÉDICO PRESCRIÇÃO DISPENSAÇÃO?

Leia mais

Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil

Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil Samuel César Jr IPEA Agosto 2010 1 Fronteira tecnológica e escassez de recursos: uma análise da nanotecnologia no Brasil

Leia mais

Estratégias de Comercialização de Ativos Intangíveis: formação de gestores. Rio de Janeiro, RJ 28 de Novembro, 2012

Estratégias de Comercialização de Ativos Intangíveis: formação de gestores. Rio de Janeiro, RJ 28 de Novembro, 2012 Estratégias de Comercialização de Ativos Intangíveis: formação de gestores Rio de Janeiro, RJ 28 de Novembro, 2012 Apresentação A OMPI O Brasil Formação de Gestores de Tecnologia e PI no Brasil parcerias

Leia mais

1 Introdução e formulação da situação-problema

1 Introdução e formulação da situação-problema 1 Introdução e formulação da situação-problema Na indústria farmacêutica, a inovação representa sua força motriz. Algumas inovações proporcionaram grande impacto nos tratamentos como a descoberta da penicilina,

Leia mais

Suprindo a Terceira Missão das Universidades

Suprindo a Terceira Missão das Universidades Suprindo a Terceira Missão das Universidades Evaldo Ferreira Vilela Abordagens Pragmáticas para Transferência e Comercialização e Comercialização de Tecnologia Novembro, 2009 Inovação depende de: 1. Mestres

Leia mais

I Jornada sobre Trabalhos Acadêmicos e Científicos. Iniciação Científica Objetivos e Oportunidades

I Jornada sobre Trabalhos Acadêmicos e Científicos. Iniciação Científica Objetivos e Oportunidades I Jornada sobre Trabalhos Acadêmicos e Científicos Iniciação Científica Objetivos e Oportunidades Luiz Antonio Pessan São Carlos - 20/04/2011 INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR - IES ENSINO PESQUISA EXTENSÃO

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

MUDANÇAS NO MERCADO BRASILEIRO PARA O TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL INTERCORRENTES DA QUEBRA DA PATENTE DO CITRATO DE SILDENAFILA (Viagra )

MUDANÇAS NO MERCADO BRASILEIRO PARA O TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL INTERCORRENTES DA QUEBRA DA PATENTE DO CITRATO DE SILDENAFILA (Viagra ) MUDANÇAS NO MERCADO BRASILEIRO PARA O TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL INTERCORRENTES DA QUEBRA DA PATENTE DO CITRATO DE SILDENAFILA (Viagra ) Luiz Marques Campelo 1, Marcelo Gurgel Carlos da Silva 1, Maria

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp

Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Inovação e Empreendedorismo A experiência da Inova Unicamp Bastiaan Philip Reydon Inova Unicamp Seminário: Pesquisa e Inovação para melhores condições de trabalho e emprego 18 de Outubro de 2012, Brasilia

Leia mais

SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS

SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS SISTEMA DE INOVAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA NO ESTADO DE MINAS GERAIS MAPEAMENTO A PARTIR DA PERSPECTIVA DAS EMPRESAS Março de 2011 Objetivo Fortalecer a trajetória do setor de biotecnologia em Minas Gerais Identificar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ECONOMIA CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA DANIELLE DE JESUS SILVA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ECONOMIA CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA DANIELLE DE JESUS SILVA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ECONOMIA CURSO DE MESTRADO EM ECONOMIA DANIELLE DE JESUS SILVA LABORATÓRIOS OFICIAIS: ESTRATÉGIAS PARA O FUNCIONAMENTO DA BAHIAFARMA SALVADOR 2012 DANIELLE DE

Leia mais

Alguns dados sobre C&T&I em São Paulo

Alguns dados sobre C&T&I em São Paulo Alguns dados sobre C&T&I em São Paulo Carlos Henrique de Brito Cruz Scientific Director FAPESP p&d-e-inovação-20140331.pptx;chbritocruz 1 São Paulo: R&D Expenditures, 2011, by source R&D expenditures total

Leia mais

A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto

A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto XVII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias Gramado, 16-18 de Setembro de 2012 A evolução dos periódicos brasileiros e o acesso aberto Lewis Joel Greene Editor, Brazilian Journal of Medical and

Leia mais

Um novo mercado de trabalho para o Farmacêutico, Pesquisa Clínica

Um novo mercado de trabalho para o Farmacêutico, Pesquisa Clínica Um novo mercado de trabalho para o Farmacêutico, Pesquisa Clínica Juan Pablo Gargiulo Gerente de Pesquisa Clínica CEPIC Centro Paulista de Investigação Clínica VII SEMANA DA FARMÁCIA Centro Universitário

Leia mais

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT

Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Inovação aberta na Engenharia de Powertrain da FIAT Saulo Soares saulo.soares@fiat.com.br Instituto Tecnológico de Aeronáutica ITA Centro de Competência em Manufatura CCM Fiat Chrysler VIII WORKSHOP DE

Leia mais

3 O mercado farmacêutico

3 O mercado farmacêutico 3 O mercado farmacêutico Este capítulo contempla os conceitos básicos do mercado farmacêutico, a estrutura da cadeia produtiva farmacêutica e o arcabouço legal e regulatório aplicado ao setor. Aborda,

Leia mais

Open Innovation Conceitos

Open Innovation Conceitos Open Innovation Conceitos Conceitos Modelo Fechado de Inovação Modelo Fechado Características Pesquisa Desenvolvimento tempo O modelo fechado de inovação foi o que prevaleceu durante quase todo o século

Leia mais

PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA

PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS LABORATÓRIO DE TECNOLOGIA DOS MEDICAMENTOS PANORAMA DA INDÚSTRIA FARMACÊUTICA Prof. Pedro Rolim PANORAMA

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Tendências de Mercado

Tendências de Mercado Tendências de Mercado CURTO E MÉDIO PRAZO Fim da crise financeira : Fim dos quantitative easing! Confiança dos Consumidores atinge máximo de 7 anos Revolução energética do gás de xisto (melhoria de competitividade)

Leia mais

Novas Drogas e Patentes

Novas Drogas e Patentes Formação de Recursos Humanos para Ciência, Tecnologia e Inovação A Formação em Farmácia - Perspectivas e necessidades da área de medicamentos Novas Drogas e Patentes O Brasil é o 10 mercado farmacêutico

Leia mais

Tecnologias para Cidades Sustentáveis

Tecnologias para Cidades Sustentáveis Programas Estruturantes Tecnologias para Cidades Sustentáveis 1. Construções Sustentáveis de Interesse Social 2. Mobilidade e Transporte Coletivo 3. Saneamento Ambiental 4. Sistemas Sustentáveis de Energia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Lei nº 11.487/2007: Problema: produção científica crescente SEM reflexo no setor produtivo e industrial Produção Científica

Leia mais

AÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA A EMANCIPAÇÃO SOCIAL DE COMUNIDADES VULNERÁVEIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (2012) 1

AÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA A EMANCIPAÇÃO SOCIAL DE COMUNIDADES VULNERÁVEIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (2012) 1 AÇÃO INTERDISCIPLINAR PARA A EMANCIPAÇÃO SOCIAL DE COMUNIDADES VULNERÁVEIS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA (2012) 1 DALCIN, Camila Biazus 2 ; GUERRA, Leonardo Rigo 3 ; VOGEL, Gustavo Micheli 4 ; BACKES, Dirce

Leia mais

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS EM BIOTECNOLOGIA J O Ã O M A S S U D F I L H O P R E S I D E N T E, S B M F C O O R D E N A D O R D O C U R S O D E M F / U N I F E S P C E O, T R I A L S C O N S U L T I N

Leia mais

Debate Ana Marisa Chudzinski-Tavassi (pesquisadora do Laboratório de Bioquímica e Biofísica do Instituto Butantan).

Debate Ana Marisa Chudzinski-Tavassi (pesquisadora do Laboratório de Bioquímica e Biofísica do Instituto Butantan). Debate Ana Marisa Chudzinski-Tavassi (pesquisadora do Laboratório de Bioquímica e Biofísica do Instituto Butantan). O prof. Camargo possui graduação em Medicina e doutorado em Farmacologia, pela Universidade

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

INOVAÇÃO E FINANCIAMENTO SUSTENTÁVEIS VISÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Ricardo Gonçalves

INOVAÇÃO E FINANCIAMENTO SUSTENTÁVEIS VISÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS. Ricardo Gonçalves INOVAÇÃO E FINANCIAMENTO SUSTENTÁVEIS VISÃO E PERSPECTIVAS FUTURAS Ricardo Gonçalves Conferência APIFARMA Financiar a Saúde Investir em Portugal 24 de Junho de 2015 1. Contexto O sector da Saúde em Portugal

Leia mais

A Open Innovation e o Projecto Open PT Estruturando a investigação positiva

A Open Innovation e o Projecto Open PT Estruturando a investigação positiva A Open Innovation e o Projecto Open PT Estruturando a investigação positiva Sessão de Continuidade - 17 de Janeiro de 2013 José Ramalho Fontes (rfontes@aese.pt) 1. As raízes da investigação positiva (positive

Leia mais

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 SECT- AM: Missão e Diretrizes A SECT foi criada para formular e gerir políticas estaduais de C&T buscando articular os esforços os de fazer com que

Leia mais

Colaboração, Inovação e Gestão do Conhecimento XXIII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica Curitiba, 21/10/2004

Colaboração, Inovação e Gestão do Conhecimento XXIII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica Curitiba, 21/10/2004 Colaboração, Inovação e Gestão do Conhecimento XXIII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica Curitiba, 21/10/2004 Dr. José Cláudio Terra Antes de qualquer coisa, é importante reconhecer que inovação

Leia mais

Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006

Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006 OECD Science, Technology and Industry: Outlook 2006 Summary in Portuguese Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006 Sumário em Português SUMÁRIO EXECUTIVO Perspectivas mais evidentes

Leia mais

COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE

COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE TERCEIRIZAÇÃO DA P&D DE MEDICAMENTOS: PANORAMA DO SETOR DE TESTES PRÉ-CLÍNICOS NO BRASIL João Paulo Pieroni Luciana Xavier de Lemos Capanema Carla Reis José Oswaldo Barros de Souza Leandro Gomes da Silva

Leia mais

MCH0574 INOVAÇÃO NOS SETORES DE ALTA INTENSIDADE TECNOLÓGIA NO BRASIL: AVALIAÇÃO A PARTIR DAS PESQUISAS IBGE PINTEC

MCH0574 INOVAÇÃO NOS SETORES DE ALTA INTENSIDADE TECNOLÓGIA NO BRASIL: AVALIAÇÃO A PARTIR DAS PESQUISAS IBGE PINTEC III Congresso Internacional de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento 20 a 22 de outubro de 2014 CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO SOCIAL MCH0574 INOVAÇÃO NOS SETORES DE ALTA INTENSIDADE TECNOLÓGIA

Leia mais