O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação"

Transcrição

1 I Conferência Brasileira sobre Arranjos Produtivos Locais Agosto 2004 O papel das agências de fomento científico e tecnológico na promoção de ambientes de inovação Manoel Barral Netto Diretor de Programas Temáticos e Setoriais CNPq

2 Questionamento aos Professores Cientistas J. B. de Andrade, S. Cadore, P.C. Vieira, C. Zucco e A. Pinto, Eixos Mobilizadores em Química, Química Nova, 26(3), , (2003) Quantos empregos a sua pesquisa gerou? Quanto de royalties suas patentes recebem? Quantas patentes você tem? Quantas citações você tem? Qual o FI das revistas? Quantos trabalhos você publicou este ano? Criação do CNPq e CAPES Você faz pesquisa? Você tem publicado? Você faz pesquisa básica ou aplicada? Quantos trabalhos você publicou?

3 Brasil: Pedidos de patentes depositados Fonte: Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Elaboração: Coordenação Geral de Indicadores - Ministério da Ciência e Tecnologia. (1) Parte dos pedidos depositados em 2000 ainda não foram incorporados à base de dados do INPI.

4 BLOQUEIOS NO CICLO CULTURAL PARA O CONSUMO DE CIÊNCIA PATENTES PRODUTOS ALTA TECNOLOGIA PRODUÇÃO CIENTÍFICA SISTEMA EDUCACIONAL Alimentação do Sistema Demandas do Sistema Bloqueio Acentuado Bloqueio Parcial SETOR INDUSTRIAL CIÊNCIA BÁSICA PRODUÇÃO CIENTÍFICA PATENTES CONHECIMENTO TECNOLÓGICO PATENTES PRODUÇÃO CIENTÍFICA

5 de Meis, L. et al (2003). The growing competition in Brazilian science: rites of passage, stress and burnout. BJMBR, 36:

6 DESAFIOS DO BRASIL EM C&T - Articulação do desenvolvimento de C&T com política industrial (desenvolvimento científico e tecnológico); - Ampliar a base instalada em C&T; - Promover a descentralização; - Educação para a ciência.

7 Cientistas e Engenheiros em P&D 1995 Instituição Brasil EUA Universidades Centros de Pesquisa Empresas Privadas Total (70%) (16%) 9090 (14%) (100%) (13%) (7%) (79%) (100%) Coreia do Sul (29%) (16%) (55%) (100%)

8 Inovação tecnológica Formação de recursos humanos APLICAÇÃO DO CONHECIMENTO Projetos de desenvolvimento Geração de conhecimento científico Identificação de oportunidades p/ novos produtos e empresas Transferência de tecnologia Criação de empresas (incubação etc) Desenvolvimento de protótipos Desenvolvimento Empresarial Desenvolvimento de Produto Produção e Comercialização MERCADO

9 Ambiente de Inovação Componentes Bolsas de pósgraduação Bolsas fomento tecnológico Capital e custeio Formação de recursos humanos Geração de conhecimento científico e tecnológico Projetos de desenvolvimento Identificação de oportunidades p/ novos produtos e empresas Transferência de Tecnologia Empreendedorismo Pré-incubação Criação de empresas de base tecnológica em Incubadoras Edital CNPq FVA Outubro 2003 Gestão de Incubadoras Gestão de Parques Tecnológicos

10 Arranjos Produtivos Locais APL contemplados com bolsas de fomento tecnológico (2001) Cerâmicas Floricultura Cajucultura Sucroalcooleiro Ovinocaprinocultura Castanha Café Piscicultura Fármacos Gás Natural Viticultura Vitinicultura Gás Natural Piscicultura Madeira e Móveis Fruticultura Rota Tecnológica 459 Mamão Papaya Tecnologia da Informação Madeira e Móveis Suinocultura Malacocultura Auto-peças Tecnologia da Informação Motores

11 CNPq - Bolsas de Fomento Tecnologico por programa R$ Milhões CTPETRO RHAE PCDT PTA Agronegocio Verde Amarelo Energia Protem-CC Genoma Revizee Ct-Hidro Fruticultura Softex Outros Fonte: Data Warehouse CNPq, em 17/10/2003 Milhões CNPq - Fomento Tecnológico por programa Fonte: Data Warehouse CNPq, em 28/07/2004 CT-Petro Tecn. da Informacao Verde Amarelo Rhae Energia Biodiversidade Agronegocio PCDT CT-Hidro Genoma Outros Fundos Outros

12 Milhões CNPq - Bolsas de Fomento Tecnologico por modalidade de apoio 5 0 DTI EV ITI Fonte: Data Warehouse CNPq, em 17/10/2003 Milhões CNPq - Fomento Tecnológico por modalidade de apoio Fonte: Data Warehouse CNPq, em 28/07/ Desenvolvimento Tecnologico Industrial Iniciacao Tecnologica Industrial Especialista Visitante Fixação de Recursos Humanos

13 R$ Milhões 1,2 1 0,8 0,6 0,4 0,2 0 CNPq - Apoio à Gestão de Incubadoras e Parques Tecnologicos ARC APQ DTI ITI Modalidade Milhares Fonte: Data Warehouse CNPq, em 17/10/2003 CNPq - Programa de Apoio a Parques Tecnológicos por modalidade de apoio Fonte: Data Warehouse CNPq, em 28/07/ Auxilio Pesquisa Desenvolvimento Tecnologico Industrial Iniciacao Tecnologica Industrial

14 CNPq - Apoio à Gestão de Incubadoras e Parques Tecnológicos (por região) SU 11% CO 11% SE 39% NO 3% NE 36% Fonte: Data Warehouse CNPq, em 17/10/2003

15 Ações do CNPq em 2003 Recursos para fomento Adicional de bancada Bolsa PQ; Taxa de bancada no Doutorado; Edital Universal com ampliação dos recursos; Editais dos Fundos setoriais; Edital de Ciências Humanas; Edital de museus; Desenvolvimento Regional parceria com FAP s

16 Ações do CNPq em 2003 Bolsas Aumento do no. de bolsas: IC, PG e PQ. Novas modalidades: PIBIC junior Doutorado sanduíche nacional Doutorado Sanduíche e Pós- Doutorado empresariais

17 Ações do CNPq em 2004 Ampliação de bolsas de ME e DO (1.000 novas); Correção do valor das bolsas de ME e DO (18%); Taxa de bancada para o Pós-Doutorado; Ampliação do programa PIBIC-Jr; Edital casadinho

Profº Rodrigo Legrazie

Profº Rodrigo Legrazie Profº Rodrigo Legrazie Tecnologia Conceito: é a área que estuda, investiga as técnicas utilizadas em diversas áreas de produção Teoria geral e estudos especializados sobre procedimentos, instrumentos e

Leia mais

Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação

Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação Estratégias do CNPq para a Pesquisa e Inovação Dr. Glaucius Oliva Presidente CNPq Publicações Matrículas no Ensino Superior Docentes com Doutorado Orçamento - MCTI Orçamento - CNPq Orçamento - Capes Orçamento

Leia mais

'Ciência, Tecnologia e Inovação: Visões da Jovem Academia'

'Ciência, Tecnologia e Inovação: Visões da Jovem Academia' 'Ciência, Tecnologia e Inovação: Visões da Jovem Academia' Avaliaçã ção & Excelência Jailson B. de Andrade (UFBA) Rio de Janeiro, RJ, 14 de setembro de 2011 Ciência Religião Mundo empirico Interesse pelo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA A LEGISLAÇÃO DE PATENTES E O FUTURO DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO BRASIL MARIA APARECIDA DE SOUZA CAMPINAS, 17 DE OUTUBRO DE 2011. Agência USP de Inovação

Leia mais

Empreendedorismo de Inovação em TI: Caminhos e oportunidades. Rodrigo Franco Gonçalves

Empreendedorismo de Inovação em TI: Caminhos e oportunidades. Rodrigo Franco Gonçalves Empreendedorismo de Inovação em TI: Caminhos e oportunidades Rodrigo Franco Gonçalves Apresentação Rodrigo Franco Gonçalves Físico. Mestre e Doutor em Engenharia de Produção Professor de mestrado e doutorado

Leia mais

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE

OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE OS NÚCLEOS DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E A PÓS- GRADUAÇÃO DO NORDESTE Maria Rita de Morais Chaves Santos (UFPI) Coordenação Regional FORTEC NE Coordenação NIT UFPI REDE NIT - NE Mrita/ufpi/2008 PERFIL Maria

Leia mais

PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO. Maria Aparecida de Souza. Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo

PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO. Maria Aparecida de Souza. Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo VIII Seminário do Setor de Saúde da Britcham, tema: "Ambiente de Inovação em Saúde no Brasil PROPRIEDADE INTELECTUAL E INOVAÇÃO Maria Aparecida de Souza Agência USP de Inovação Universidade de São Paulo

Leia mais

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT

Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Ciência sem Fronteiras : O Programa Brasileiro de Mobilidade Científica no CNPq/MCT Objetivos Avanço da ciência brasileira em tecnologia, inovação e competitividade, através da expansão da mobilidade internacional:

Leia mais

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS

PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS PAINEL V : DESENVOLVIMENTO REGIONAL NA AMÉRICA LATINA ESTRUTURA PRODUTIVA E DESENVOLVIMENTO REGIONAL: EXPERIÊNCIAS LATINO-AMERICANAS Ricardo Romeiro Coordenador Geral de Arranjos Produtivos Locais Secretária

Leia mais

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA POLÍTICA DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA ESTEVÃO FREIRE estevao@eq.ufrj.br DEPARTAMENTO DE PROCESSOS ORGÂNICOS ESCOLA DE QUÍMICA - UFRJ Tópicos: Ciência, tecnologia e inovação; Transferência de tecnologia; Sistemas

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Dimensões do PBM Oportunidades Desafios Sistema de Gestão Desdobramento do Plano Brasil Maior na Política de Arranjos Produtivos

Leia mais

RETIFICAÇÃO DE EDITAIS

RETIFICAÇÃO DE EDITAIS RETIFICAÇÃO DE EDITAIS A Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (PRPI) do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), no uso de suas atribuições, resolve RETIFICAR

Leia mais

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008

Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional. Plano de Ação 2007-2010. Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional Plano de Ação 2007-2010 Comissão de C&T&I&C&I Senado Federal 17 de abril de 2008 Política de Estado Configuração da Política Gestão Compartilhada

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL 2003 Í N D I C E Apresentação 01 Comentários Gerais sobre os Investimentos do CNPq em 2003 03 Parte

Leia mais

Metas Indicadores Ação para o Alcance das Metas Produto Esperado Fonte dos Dados

Metas Indicadores Ação para o Alcance das Metas Produto Esperado Fonte dos Dados PDI 20111 / 201 15 Pós-Graduação 1. Formar pessoas competentes e éticas, com alta qualificação científica, tecnológica e artística, comprometidas com o bem-estar social, adaptáveis às mudanças, capazes

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DIVISÃO DE PESQUISA ANEXO 1 Tabela de pontuação do Curriculum lattes (considerando avaliação de Periódicos CAPES/QUALIS - Atual Avaliação de Títulos e Produção Científica do Orientador Baseada no Currículo Lattes ( formato

Leia mais

Conforme apresentado no item Diagnóstico Institucional, a UFSM tem evoluído em praticamente todos os indicadores quantitativos de progresso (internos

Conforme apresentado no item Diagnóstico Institucional, a UFSM tem evoluído em praticamente todos os indicadores quantitativos de progresso (internos Conforme apresentado no item Diagnóstico Institucional, a UFSM tem evoluído em praticamente todos os indicadores quantitativos de progresso (internos e externos) ligados a C,T&I e a formação de RH pós-graduados.

Leia mais

Editais externos para pesquisa científica. EDITAIS CAPES 2013 atualizada em 26/09/2013. www.capes.gov.br

Editais externos para pesquisa científica. EDITAIS CAPES 2013 atualizada em 26/09/2013. www.capes.gov.br Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós graduação Diretoria de Pesquisa Editais externos para pesquisa científica EDITAIS CAPES 2013 atualizada em 26/09/2013 www.capes.gov.br Programa Capes/MTur

Leia mais

Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades

Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades Ciência sem Fronteiras: Desafios e Oportunidades Glaucius Oliva Presidente CNPq Jorge Almeida Guimãrães Presidente da CAPES Brasil em 1950 Pouquíssimos cientistas e pesquisadores Falta de ambiente de pesquisa

Leia mais

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos

Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos Formação de Recursos Humanos na área de fármacos e medicamentos A formação em Farmácia Seminário do BNDES 7 de maio de 2003 Por que RH para Fármacos e Medicamentos? Fármacos e Medicamentos como campo estratégico

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO As ações de pesquisa do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas constituem um processo educativo

Leia mais

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial

Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Impacto do Fundo Social na Ciência e Tecnologia e Política Industrial Ronaldo Mota Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Comissão Especial Pré-Sal / Fundo Social Câmara dos Deputados 6 de

Leia mais

Capacitação Técnica e Científica

Capacitação Técnica e Científica I SEMINÁRIO SOBRE O COMPLEXO INDUSTRIAL DE SAÚDE Capacitação Técnica e Científica Jailson Bittencourt de Andrade (UFBA) Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Rio de Janeiro, 05 a 07

Leia mais

Elaboração de Projetos

Elaboração de Projetos DE E DE Elaboração de Projetos PROGRAMAÇÃO DA AULA Estrutura de projetos de inovação Avaliação de projetos de inovação DE E DE Características dos Projetos de P&D DE E DE OPORTUNIDADES Parceiros Recursos

Leia mais

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP

A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA A PESQUISA E A PROPRIEDADE INTELECTUAL NA USP MARIA APARECIDA DE SOUZA LORENA, 27 DE MARÇO DE 2014. Agência USP de Inovação - Pró-Reitoria de Pesquisa.

Leia mais

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR

3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV. 0DUoR 3Uy5HLWRULDSDUD$VVXQWRVGH 3HVTXLVDH3yV*UDGXDomRGD8)3( 5HODWyULRGH$WLYLGDGHV 0DUoR $'0,1,675$d 2 Aprovação junto a CPPG da Resolução nº 01/2001 que dispõe sobre as atribuições da Comissão de Pós-Graduação

Leia mais

Agência USP de Inovação Arcabouço Legal, Marco Regulatório e Incentivos à Inovação. Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador

Agência USP de Inovação Arcabouço Legal, Marco Regulatório e Incentivos à Inovação. Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador Agência USP de Inovação Arcabouço Legal, Marco Regulatório e Incentivos à Inovação Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador Missão Promover a utilização do conhecimento científico, tecnológico

Leia mais

Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia Campus - Canoas. Prof. Mariano Nicolao mariano.nicolao@canoas.ifrs.edu.br

Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia Campus - Canoas. Prof. Mariano Nicolao mariano.nicolao@canoas.ifrs.edu.br Núcleo de Inovação e Transferência de Tecnologia Campus - Canoas Prof. Mariano Nicolao mariano.nicolao@canoas.ifrs.edu.br Núcleo de Inovação Tecnológica O que é o NITT: o Núcleo responsável por orientar,

Leia mais

Sede Sebrae Nacional

Sede Sebrae Nacional Sede Sebrae Nacional Somos o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa, uma entidade privada sem fins lucrativos, e a nossa missão é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável

Leia mais

Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Vice-Presidente da República José Alencar Gomes da Silva

Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva. Vice-Presidente da República José Alencar Gomes da Silva Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Vice-Presidente da República José Alencar Gomes da Silva Ministro da Ciência e Tecnologia Sergio Machado Rezende Presidente do CNPq Erney Plessmann Camargo

Leia mais

Diálogo com Stakeholders: Políticas e Formas de Estimular Inovações Ambientais nas Empresas

Diálogo com Stakeholders: Políticas e Formas de Estimular Inovações Ambientais nas Empresas Encontro Anual do Centro de Referência em Inovação Minas - CRI Minas/FDC Diálogo com Stakeholders: Políticas e Formas de Estimular Inovações Ambientais nas Empresas Evaldo Vilela Secretaria de Estado de

Leia mais

2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34

2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34 2 de março de 2015. Ano 4. Nº 34 Editais curto prazo NACIONAL Orgao CNPq Edital 12º Prêmio Destaque na Iniciação Científica e Tecnológica - 2014 Termino 30/3/2015 Direcionado a Premiar bolsistas de Iniciação

Leia mais

Janelas de Oportunidades Locacionais: o PAPL alagoano. Francisco Rosário FEAC/UFAL Keuller Hissa FEAC/UFAL

Janelas de Oportunidades Locacionais: o PAPL alagoano. Francisco Rosário FEAC/UFAL Keuller Hissa FEAC/UFAL Janelas de Oportunidades Locacionais: o PAPL alagoano Francisco Rosário FEAC/UFAL Keuller Hissa FEAC/UFAL Agenda 1. Por que Janelas de Oportunidades Locacionais? O contexto do debate. 2. A política de

Leia mais

Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão o Social. Institutos Federais. Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social - SECIS

Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão o Social. Institutos Federais. Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social - SECIS Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão o Social Fórum Extensão o Tecnológica dos Institutos Federais Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social - SECIS Ministério da Ciência e

Leia mais

o Fomento Público Federal

o Fomento Público Federal Seminário Biotecnologia e Inovação: Programas de Inovação e Incubadoras de Base Biotecnológicas Manaus, novembro de 2009 Algumas informações sobre o Fomento Público Federal Marcio de Miranda Santos Diretor

Leia mais

RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL

RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL RELATÓRIO DO ENCONTRO DE PESQUISADORES ENVOLVIDOS COM INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO NA UFPEL No dia 06 de fevereiro de 0, às h, reuniram-se, no Auditório do Prédio B da Epidemiologia, alguns pesquisadores

Leia mais

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI!

Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! Inovação e Competitividade! João Alberto De Negri! Secretario Executivo MCTI! 1 É preciso elevar a produtividade da economia brasileira (Fonte: BID ECLAC, Índice 1980=100) Produtividade na Ásia (média

Leia mais

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E

COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E COLABORAÇÃO ENTRE GOVERNO, UNIVERSIDADE E INDUSTRIA: POR UMA ESTRATÉGIA OUSADA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Alvaro Toubes Prata Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação MCTI Open Innovation Seminar

Leia mais

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

Ações FIRJAN de Inovação no Rio de Janeiro. Fabiano Gallindo Assesoria de Inovação Sistema FIRJAN

Ações FIRJAN de Inovação no Rio de Janeiro. Fabiano Gallindo Assesoria de Inovação Sistema FIRJAN Ações FIRJAN de Inovação no Rio de Janeiro Fabiano Gallindo Assesoria de Inovação Sistema FIRJAN Agenda A Tríplice Hélice da Inovação Assessoria às Empresas em Inovação Centros de Tecnologia do SENAI Resultados

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos

Financiadora de Estudos e Projetos Financiadora de Estudos e Projetos Cenário da Metrologia Nacional: Demandas e Oportunidades Carlos A. M. Couto Superintendente da ATED Área dos Institutos de Pesquisa Tecnológica. Rio de Janeiro, 17 de

Leia mais

Formação de RH na PG. C&T&I próximos 15 anos. Marilza V. C. Rudge. Pró-Reitora de Pós-Graduação. Conferência Nacional C&T&I - Brasília 2010 -

Formação de RH na PG. C&T&I próximos 15 anos. Marilza V. C. Rudge. Pró-Reitora de Pós-Graduação. Conferência Nacional C&T&I - Brasília 2010 - Formação de RH na PG C&T&I próximos 15 anos Marilza V. C. Rudge Pró-Reitora de Pós-Graduação Conferência Nacional C&T&I - Brasília 2010 - DIMENSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO - 2010 115 Programas 110 Mestrados 91

Leia mais

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL

SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL SERVIÇOS E MEDIDAS UTILIZADOS PELO SEBRAE PARA A PROMOÇÃO DA INOVAÇÃO E DA CRIATIVIDADE NO AMBIENTE DE MICRO E PEQUENAS EMPRESAS NO BRASIL Paulo Íris Ferreira SEMINÁRIO SOBRE PROPRIEDADE INDUSTRIAL E PEQUENAS

Leia mais

Painel B3: Transferência de Tecnologia

Painel B3: Transferência de Tecnologia Painel B3: Transferência de Tecnologia fatores de risco e de sucesso Ana Lúcia Vitale Torkomian Secretária Adjunta de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia Pró-Inova

Leia mais

- ATENÇÃO PESQUISADORES -

- ATENÇÃO PESQUISADORES - - ATENÇÃO PESQUISADORES - Informamos abaixo os últimos editais para fomento à pesquisa divulgados pela FAPESB e CNPQ, para conhecimento e possível envio de propostas de projetos: Órgão Responsável: FAPESP

Leia mais

SEMINÁRIO: Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento. MESA: Financiamento à Inovação

SEMINÁRIO: Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento. MESA: Financiamento à Inovação SEMINÁRIO: Propriedade Intelectual e Inovação: Proteção para a valorização do conhecimento MESA: Financiamento à Inovação Manaus - AM 29 de de maio de 2012 Contexto de Atuação da FAPEAM 2 Contexto de Atuação

Leia mais

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES

INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES INFORMATIVO DO PESQUISADOR BOLETIM SEMANAL INFORMATIVO PRPPG/UFPI - 10/12/2009 CAPES 1. Programa CAPES/MES-Cuba PRAZO DE INSCRIÇÃO: 30 de março de 2010 OBJETIVOS: O Programa CAPES/MES-Cuba visa apoiar

Leia mais

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES

PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã. ção o das IFES PAPG-IFES Programa de Apoio a Pós-P Graduaçã ção o das IFES (Açõ ções propostas em discussão) o) Objetivo Geral Consolidar e expandir os programas de formaçã ção o pós-graduada p de pessoas pelas Instituiçõ

Leia mais

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal

Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI. Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal Avanços Tecnológicos no mundo da Universidade apoiados pelos NIT: o caso da UFPI Prof. Dr. Sérgio Henrique B. de S. Leal São Luis, 09 de julho de 2010 INOVAÇÃO TECNOLÓGICA Processo de aprendizagem contínuo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO

APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO APRESENTAÇÃO DIRETORIA DE INOVAÇÃO. OFICINA DA INOVAÇÃO Página 1 de 18 ÍNDICE DA PROPOSTA Apresentação da Empresa... 3 Apresentação dos serviços da Oficina da Inovação... 6 Consultoria... 6 Capacitação...

Leia mais

3 de novembro de 2015. Ano 4. Nº 42. Editais curto prazo

3 de novembro de 2015. Ano 4. Nº 42. Editais curto prazo 3 de novembro de 2015. Ano 4. Nº 42 ESPIRITO SANTO Editais curto prazo Orgao FAPES Edital EDITAL FAPES nº 01/2015 COOPERAÇÃO VALE/FAPES/FAPERJ PARA Termino 30/11/2015 APOIO À PESQUISA EM LOGÍSTICA, MEIO

Leia mais

*Palestra Proferida em 03/10/2009, Joinville - ENCONAMPE,**Economista, Ms, Prof. Coord. de Projetos, Área Inovação- FAPESC

*Palestra Proferida em 03/10/2009, Joinville - ENCONAMPE,**Economista, Ms, Prof. Coord. de Projetos, Área Inovação- FAPESC POLÍTICA CATARINENSE DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO e FONTES DE RECURSOS PARA INOVAÇÃO * Jesiel de Marco Gomes** *Palestra Proferida em 03/10/2009, Joinville - ENCONAMPE,**Economista, Ms, Prof. Coord.

Leia mais

X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Redes de Propriedade Intelectual no Brasil

X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia. Redes de Propriedade Intelectual no Brasil Rede Temática de Propriedade Intelectual, Cooperação,Negociação e Comercialização de Tecnologia X Encontro de Propriedade Intelectual e Comercialização de Tecnologia Redes de Propriedade Intelectual no

Leia mais

A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA SÃO IMPORTANTES?

A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA SÃO IMPORTANTES? Captação de Recursos na Área de Ciência, Tecnologia e Inovação Prof. Jorge Mario Campagnolo Diretor Departamento de Projetos de Pesquisa Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão PROGRAMA Cenários da Ciência

Leia mais

Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação. O Sistema Estadual de CTI e as Contribuições do Estado do Acre

Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação. O Sistema Estadual de CTI e as Contribuições do Estado do Acre Conferência Regional de Ciência, Tecnologia e Inovação O Sistema Estadual de CTI e as Contribuições do Estado do Acre Belém Pará, 18 e 19 de Março de 2010 Localização Geográfica Estratégica 686.652 habitantes

Leia mais

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO

MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA MACRO-METAS DO PROGRAMA LINHA DO TEMPO MACRO-OBJETIVOS DO PROGRAMA 1- FORTALECER O SETOR DE SOFTWARE E SERVIÇOS DE TI, NA CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS AVANÇADAS; 2- CRIAR EMPREGOS QUALIFICADOS NO PAÍS; 3- CRIAR E FORTALECER EMPRESAS

Leia mais

2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33. Editais curto prazo

2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33. Editais curto prazo 2 de fevereiro de 2015. Ano 4. Nº 33 NACIONAL Editais curto prazo Orgao CNPq Edital Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia Termino 23/2/2015 Direcionado a Reconhecer e premiar os melhores trabalhos de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO CNPq: RELATÓRIO DE GESTÃO INSTITUCIONAL 2004 Í N D I C E Introdução 001 Comentários Gerais sobre os Investimentos do CNPq em 2004 004-010 Parte

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

INFORMAÇÕES DO FORMULÁRIO ON-LINE

INFORMAÇÕES DO FORMULÁRIO ON-LINE Núcleo de Inovação Tecnológica REPITTec INFORMAÇÕES DO FORMULÁRIO ON-LINE Pedido Nº 5272/2005 1. INSTITUIÇÃO PROPONENTE DE VINCULO DO COORDENADOR DA PROPOSTA Instituição: UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA

Leia mais

OFICINA REGIONAL ESTADUAIS DE APOIO A ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ARTICULADOS AO GTP APL. Curitiba-PR outubro/2006

OFICINA REGIONAL ESTADUAIS DE APOIO A ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ARTICULADOS AO GTP APL. Curitiba-PR outubro/2006 OFICINA REGIONAL INSTALAÇÃO DE NÚCLEOS N ESTADUAIS DE APOIO A ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS ARTICULADOS AO GTP APL Curitiba-PR outubro/2006 Opções Estratégicas e Diretrizes para o Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

Política de financiamento. da FINEP para empresas

Política de financiamento. da FINEP para empresas Política de financiamento da FINEP para empresas SMR, 15/09/2003 FINEP Marcos históricos 1967 FINEP substitui o Fundo de Financiamento de Estudos de Projetos e Programas (José Pelúcio Ferreira) 1969 Criado

Leia mais

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3

4,5,6,7 8,9,10 11,12,13 14,15 16 17,18. Índice. Introdução 3 RELATÓRIO ANUAL Índice Introdução 3 Total de Empresas Unidades de Négócios Empresas Instaladas em Inscrição de Empresas no Processo de Seleção Planos de negócios aprovados Recursos Financeiros para Custeio

Leia mais

Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País

Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País Anexo II da RN-016/2006 - Bolsas Individuais no País 2. Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - DT 2.1. Finalidade Distinguir o pesquisador, valorizando sua produção em desenvolvimento

Leia mais

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL

COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL COORDENAÇÃO GERAL DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA E PROPRIEDADE INTELECTUAL Gestão de Projetos e as Boas Práticas: aplicadas à CIT contribuem em suas atividades e fortalecem a Política de Inovação do CEFET-MG

Leia mais

Relatório da Reunião do CA-QU Realizada no Período de 03 a 07 de novembro de 2014

Relatório da Reunião do CA-QU Realizada no Período de 03 a 07 de novembro de 2014 Relatório da Reunião do CA-QU Realizada no Período de 03 a 07 de novembro de 2014 O Comitê Assessor de Química do CNPq (CA-QU) reuniu-se de 03 a 07 de novembro de 2014 no CNPq em Brasília, para avaliar

Leia mais

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica

Núcleo de Capital Inovador. Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Núcleo de Capital Inovador Estratégia de Inovação e Difusão Tecnológica Anápolis cenário atual Segunda maior cidade do estado, com mais de 335 mil habitantes; 4,7 bilhões de reais de produto interno bruto,

Leia mais

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte foi

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte foi A Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte foi criada pela Lei Complementar Nº 257, de 14/11/2003 e tem seu funcionamento regido pelo Decreto Nº 17.456, de 19/04/2004, com recursos previstos

Leia mais

Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas à Tecnologia Ciência e Inovação.

Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas à Tecnologia Ciência e Inovação. UM PROGRAMA ESPECIAL DE MOBILIDADE INTERNACIONAL EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA e INOVAÇÃO Objetivos Treinar até 101.000 estudantes e pesquisadores brasileiros nas melhores universidades do mundo em áreas vinculadas

Leia mais

Agências de Fomento a Pesquisa no Pais. Disciplina: Metodologia do Ensino Superior em Ciências Exatas

Agências de Fomento a Pesquisa no Pais. Disciplina: Metodologia do Ensino Superior em Ciências Exatas Agências de Fomento a Pesquisa no Pais. Disciplina: Metodologia do Ensino Superior em Ciências Exatas Prof. Dr. Sergio Pilling 31/ago/2011 Agências de Fomento. As agências de fomento são instituições financeiras

Leia mais

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO PARA O. Marco Antonio Zago Presidente do CNPq. Senado Federal 2008

CIÊNCIA E TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO PARA O. Marco Antonio Zago Presidente do CNPq. Senado Federal 2008 CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA O DESENVOLVIMENTO Marco Antonio Zago Presidente do CNPq Senado Federal 2008 Valor de uma xícara de Café 5% Trabalhadores e cafeicultores Valor de uma xícara de Café 5% Trabalhadores

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA MCT/CNPq/FINEP- Ação Transversal - Apoio ao PNI - Programa Nacional de Incubadoras 07/2004

CHAMADA PÚBLICA MCT/CNPq/FINEP- Ação Transversal - Apoio ao PNI - Programa Nacional de Incubadoras 07/2004 CHAMADA PÚBLICA MCT/CNPq/FINEP- Ação Transversal - Apoio ao PNI - Programa Nacional de Incubadoras 07/2004 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS DE INCUBADORAS PARA PROMOÇÃO DAS EMPRESAS INCUBADAS 1. OBJETIVO O

Leia mais

Tema 4. Legislação educacional e gestão acadêmica para a qualidade do Ensino, Pesquisa e Extensão. Maria Zaíra Turchi

Tema 4. Legislação educacional e gestão acadêmica para a qualidade do Ensino, Pesquisa e Extensão. Maria Zaíra Turchi Tema 4 Legislação educacional e gestão acadêmica para a qualidade do Ensino, Pesquisa e Extensão Maria Zaíra Turchi Profª Drª Maria Zaíra Turchi Presidente da FAPEG A FAPEG E O FOMENTO À PESQUISA NO ESTADO

Leia mais

InformEditais. Editais curto prazo NACIONAL. Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 obs

InformEditais. Editais curto prazo NACIONAL. Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 obs 6 de julho de 2015. Ano 4. Nº 38 Editais curto prazo NACIONAL Orgao FAPESPA Edital Termino 18/8/2015 Direcionado a Link http://sigamazonia.fapespa.pa.gov.br/area_publica/index.php?edital=401&id=1 Orgao

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015.

CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015. CONSELHO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 144, DE 10 DE SETEMBRO DE 2015. Institui os Programas de Apoio ao Desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação à Pesquisa e à Formação de Recursos Humanos em Ciência

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENADORIA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENADORIA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA COORDENADORIA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA CADERNO DE INDICADORES DA COORDENADORIA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Fevereiro de 2012 2 Prof.

Leia mais

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO

CAPÍTULO II DO ESTÍMULO À CONSTRUÇÃO DE AMBIENTES ESPECIALIZADOS E COOPERATIVOS DE INOVAÇÃO LEI Nº 3095, de 17 de Novembro de 2006 DISPÕE sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo no âmbito do Estado do Amazonas, e dá outras providências O GOVERNADOR

Leia mais

SEMINÁRIO GESTÃO DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE

SEMINÁRIO GESTÃO DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE SEMINÁRIO GESTÃO DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO EM SAÚDE Marcelo Morales Diretor de Ciências Agrárias, Biológicas e da Saúde CNPq Salvador Bahia 03/09/2015 MISSÃO Fomentar a Ciência, Tecnologia e Inovação e

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISA APLICADA INFORMEDITAIS 2014 ESTÁCIO

DIRETORIA DE PESQUISA APLICADA INFORMEDITAIS 2014 ESTÁCIO DIRETORIA DE PESQUISA APLICADA INFORMEDITAIS 2014 ESTÁCIO JANEIRO 2015 Sumário Apresentação... 03 1. Janeiro/2014... 04 2. Fevereiro/2014... 11 3. Março/2014... 22 4. Abril/2014... 33 5. Maio/2014... 44

Leia mais

CARTA CONVITE MCT/FINEP/AT - PNI

CARTA CONVITE MCT/FINEP/AT - PNI CARTA CONVITE MCT/FINEP/AT - PNI - Incubadoras 12/2010 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA APOIO A INCUBADORAS COORDENADORAS E AFILIADAS NO ÂMBITO DO PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS

Leia mais

Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA. Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010

Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA. Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010 NAGI Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação Chamada Pública MCTI/FINEP - AT - PRÓ-INOVA Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação - 11/2010 Objetivo Estruturação e operação de Núcleos de Apoio à Gestão da Inovação

Leia mais

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT

Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação como Agenda Estratégica nas Políticas do MCT Inovação: motor da competitividade e do desenvolvimento sustentado O investimento bem sucedido em inovação: Aumenta produtividade e cria novos produtos:

Leia mais

I SEMANA DE ZOOTECNIA: AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E SUAS INSTITUIÇÕES

I SEMANA DE ZOOTECNIA: AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E SUAS INSTITUIÇÕES I SEMANA DE ZOOTECNIA: AS CIÊNCIAS AGRÁRIAS E SUAS INSTITUIÇÕES A COLABORAÇÃO DA FAPEPI NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DO PIAUÍ Dra. BÁRBARA OLIMPIA RAMOS DE MELO PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO

Leia mais

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial

Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Agência USP de Inovação A visão da Universidade sobre a importância da parceria com o setor empresarial Prof. Dr. Vanderlei Salvador Bagnato Coordenador Missão Promover a utilização do conhecimento científico,

Leia mais

PROCIÊNCIA 2014 Comprovação do Currículo e Aplicação de Critérios de Pontuação

PROCIÊNCIA 2014 Comprovação do Currículo e Aplicação de Critérios de Pontuação PROCIÊNCIA 2014 Comprovação do Currículo e Aplicação de Critérios de Pontuação. Considerando o expresso no art. 7 da Deliberação 25/2013, e nos itens 9.5, 9.6 e 9.7 do Edital PROCIÊNCIA/2014, o DEPESQ/SR-2

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO. Pesquisa e Pós-Graduação GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ - UESPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO - PROP PLANO DE DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO Pesquisa e Pós-Graduação A Universidade Estadual

Leia mais

Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos. Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco

Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos. Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco Desafios na Realização de Investimento de P&D e a Destinação de Recursos Chesf Companhia Hidro Elétrica do São Francisco AGENDA 1. Visão Macro do Cenário P&D Nacional 2. A formula da Inovação 3. Desafios

Leia mais

Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Coordenadora: Profa. Dra. Andrea Viviana Waichman

Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Coordenadora: Profa. Dra. Andrea Viviana Waichman Sistema de Indicadores Online de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Amazonas Coordenadora: Profa. Dra. Andrea Viviana Waichman Patrocínio: Copyright: Introdução Éumaplataformap de informações

Leia mais

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009

Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 Profª.. MSc. Silvana Pimentel de Oliveira Manaus/2009 SECT- AM: Missão e Diretrizes A SECT foi criada para formular e gerir políticas estaduais de C&T buscando articular os esforços os de fazer com que

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteira

Programa Ciência sem Fronteira Programa Ciência sem Fronteira Graduação Sanduíche Pró-reitoria de Pesquisa Coesão interna para inserção externa Bolsas no país e exterior: número de bolsas-ano concedidas pelas agências federais, 2003-2009

Leia mais

Qualificação da Engenharia brasileira no Desenvolvimento de Helicópteros - a proposta do CNTH: Centro Nacional de Tecnologias de Helicópteros

Qualificação da Engenharia brasileira no Desenvolvimento de Helicópteros - a proposta do CNTH: Centro Nacional de Tecnologias de Helicópteros Congresso SAE BRASIL 2013: Congresso e Exposição Internacionais de Tecnologia da Mobilidade SAE BRASIL, 7 a 9 de outubro, Expo Center Norte, São Paulo, SP Painel Aeroespacial. Tema-título: Soluções Inovadoras

Leia mais

Lançamento da chamada no Diário Oficial da União (DOU) 4 de agosto de 2004. Submissão das propostas (formulário eletrônico) Até 17 de setembro de 2004

Lançamento da chamada no Diário Oficial da União (DOU) 4 de agosto de 2004. Submissão das propostas (formulário eletrônico) Até 17 de setembro de 2004 MCT/CNPq Nº 021/2004 - RHAE-Inovação Programa de Recursos Humanos para Atividades Estratégicas em Apoio à Inovação Tecnológica RHAE-Inovação para a Política Industrial Tecnológica e de Comércio Exterior

Leia mais

SEMINÁRIO ANDIFES. Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI

SEMINÁRIO ANDIFES. Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI SEMINÁRIO ANDIFES Ana Gabas Assessora do Ministro Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação MCTI Brasília, 13 de março de 2012 Percentual do PIB aplicado em C,T&I Comparação Internacional Fontes: Main

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I. Ministério da Ciência e Tecnologia

PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I. Ministério da Ciência e Tecnologia PROGRAMA NACIONAL DE APOIO ÀS INCUBADORAS DE EMPRESAS E PARQUES TECNOLÓGICOS P N I 10/11/2008 Ministério da Ciência e Tecnologia Configuração da Política de Estado Gestão Compartilhada MCT/MDIC/MEC/MS/MAPA/MF/M

Leia mais

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas

Apresentação Institucional. Instrumentos de apoio. Evolução dos recursos. Apresentação de propostas FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação da Finep São Paulo, 28/04/2009 O desenvolvimento das economias modernas demonstra o papel fundamental que, nesse processo, compete

Leia mais

XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde

XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde Fomento à ciência, tecnologia e inovação na saúde e ciências biomédicas. XXVII Reunião Anual da FeSBE Raquel Coêlho Coordenação Geral do Programa de Pesquisa em Saúde Visão de Futuro do CNPq Ser uma instituição

Leia mais

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES

Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação. IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação, ação inovadora e financiamento à inovação IEL/ES junho de 2009 INOVA FINDES Inovação introdução de novidade ou aperfeiçoamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos

Leia mais

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados

Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados III Workshop das Unidades de Pesquisa do MCT e a Inovação Tecnológica Marco Legal da Inovação Aprimoramento e Resultados Campinas, São Paulo, 30 e 31 de agosto de 2010 Subsecretaria de Coordenação das

Leia mais

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF A Engenharia e o Desenvolvimento Regional A Engenharia e o Desenvolvimento Regional Resumo A importância da qualidade e diversidade na formação do corpo de engenheiros regionais e a integração da indústria

Leia mais