CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr."

Transcrição

1 CINESIOLOGIA Músculos vs Movimentos Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr.

2 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR TRAPÉZIO: PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE) Na Cervical: em contração unilateral realiza o movimento de flexão lateral para o seu lado e rotação da cabeça para o lado oposto. Em ação bilateral realiza os movimentos de extensão e hiperextensão; Na Cintura Escapular: elevação e rotação lateral. PORÇÃO MÉDIA (PARTE TRANSVERSA) Na Cintura Escapular: adução e estabilização. PORÇÃO INFERIOR (PARTE ASCENDENTE) Na Cintura Escapular: rotação medial e depressão. ELEVADOR DA ESCAPULA ( LEVANTADOR DA ESCAPULA ) Na Cervical: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado; em ação bilateral auxilia na extensão. Na Cintura Escapular: adução, rotação medial e elevação. ROMBÓIDES: Na Cintura Escapular: elevação, adução e rotação

3 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 2 medial. SERRÁTIL POSTERIOR SUPERIOR: Trabalha na inspiração forçada elevando (expansão) do gradil costal. SERRÁTIL POSTERIOR INFERIOR: Trabalha na expiração forçada deprimindo o gradil costal. SUBCLÁVIO: Na Costoclavicular: depressão da clavícula ou elevação da 1º costela; Na Esternocostal: estabilização. SERRÁTIL ANTERIOR: Na Cintura Escapular: abdução e rotação lateral. PEITORAL MENOR: Na Cintura Escapular: abdução, rotação medial e depressão. Na Respiração: Inspiratório quando a escapula encontrase fixa. GRANDE DORSAL ( LATÍSSIMO DO DORSO ) No Ombro: extensão e hiperextensão, adução, abdução horizontal e rotação medial.

4 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 3 Na Cintura Escapular: auxilia na depressão. Na Cintura Pélvica: em ação unilateral auxilia na elevação do seu lado. em ação bilateral faz báscula anterior. Na Coluna: em ação unilateral faz flexão lateral e rotação para o seu lado; em ação bilateral faz extensão toracolombar. Na Respiração: expiração. REDONDO MAIOR: No Ombro: extensão e hiperextensão, adução, abdução horizontal e rotação medial. REDONDO MENOR: No Ombro: extensão e hiperextensão, adução, abdução horizontal e rotação lateral e estabilização fazendo parte do manguito rotador. INFRA ESPINHAL ( INFRA ESPINAL ) No Ombro: extensão, hipertensão, rotação lateral, abdução horizontal auxiliar na adução e estabilização fazendo parte do manguito rotador. SUPRA ESPINHAL ( SUPRA ESPINAL ) No Ombro: abdução (principalmente no inicio do movimento), rotação lateral, auxilia na abdução horizontal e estabilização fazendo parte do manguito rotador.

5 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 4 SUBESCAPULAR: No Ombro: rotação medial e estabilização fazendo parte do manguito rotador. DELTÓIDE: PORÇÃO ANTERIOR ( PARTE CAVICULAR ) No Ombro: flexão, rotação medial e adução horizontal, trabalha no sinergismo da abdução; PORÇÃO MÉDIA ( PARTE ACRÔMIAL ) No Ombro: abdução; PORÇÃO POSTERIOR ( PARTE ESPINAL ) No Ombro: extensão e hipertensão, rotação lateral, abdução horizontal, sinergista da abdução; sua última porção (mais posterior) pode auxiliar na adução do ombro. PEITORAL MAIOR: PORÇÃO CLAVICULAR ( PARTE CLAVICULAR ) No Ombro: flexão, adução horizontal e rotação medial. PORÇÃO ESTERNAL ( PARTE ESTERNOCOSTAL ) No Ombro: adução, extensão, a partir da Hiperextensão faz flexão até a posição neutra CORACOBRAQUIAL:

6 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 5 No Ombro: flexão, adução, rotação medial e adução horizontal. BÍCEPS BRAQUIAL: PORÇÃO LONGA ( CABEÇA LONGA ) No Ombro: auxilia na abdução e estabilização da articulação; No Cotovelo: flexão; Na Radiulnar: supinação. PORÇÃO CURTA ( CABEÇA CURTA ) No Ombro: auxilia na flexão, adução, rotação medial e adução horizontal No Cotovelo: flexão Na Radiulnar: supinação TRÍCEPS BRAQUIAL: PORÇÃO LONGA ( CABEÇA LONGA ) No Ombro: auxilia na extensão, hipertensão, abdução horizontal, adução e estabilização. No Cotovelo: extensão PORÇÕES LATERAL E MEDIAL: No Cotovelo: Extensão. ANCÔNEO: No Cotovelo: auxilia na extensão. BRAQUIAL ANTERIOR:

7 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 6 No Cotovelo: flexão SUPINADOR: Na Radiulnar: supinação BRAQUIORRADIAL: No Cotovelo: auxilia na flexão; Na Radiulnar: quando a rádio-ulnar encontra-se em pronação auxilia na supinação; quando a rádio-ulnar encontra-se em supinação auxilia na pronação. PRONADOR REDONDO: No Cotovelo: auxilia na flexão; Na Radiulnar: pronação. PRONADOR QUADRADO: Na Radiulnar: pronação FLEXOR RADIAL DO CARPO: No Cotovelo: débil na flexão; Na Radiulnar: auxilia na pronação; No Carpo: flexão e abdução. PALMAR LONGO:

8 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 7 No Cotovelo: débil na flexão; No Carpo: flexão. FLEXOR ULNAR DO CARPO: No Cotovelo: débil na flexão; No Carpo: flexão e adução. FLEXORES SUPERFICIAIS DOS DEDOS: No Cotovelo: débil na flexão; No Carpo: flexão; Nas Metacarpofalangianas: flexão. Nas Interfalângianas : flexão da falange média sobre a proximal e da falange proximal; FLEXORES PROFUNDOS DOS DEDOS: No Carpo: flexão; Nas Metacarpofalangianas: flexão. Nas Interfalangianas: flexão da falange distal sobre a média, da falange média sobre a proximal EXTENSORES RADIAIS LONGO E CURTO DO CARPO: No Cotovelo: débil na flexão; No Carpo: extensão e abdução. EXTENSOR ULNAR DO CARPO: No Cotovelo: débil na extensão;

9 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 8 No Carpo: extensão e adução.. EXTENSORES DOS DEDOS: No Carpo: extensão; Na Metacarpofalangianas: extensão; Nas Interfalangianas: extensão. EXTENSOR DO DEDO MÍNIMO: Na Metacarpofalangianas: abdução. Nas Interfalangianas do Dedo Mínimo: extensão EXTENSOR DO INDICADOR: Na Metacarpofalangianas: adução. Nas Interfalangianas do Indicador: extensão. OPONENTE DO POLEGAR: Na Metacarpofalangiana Polegar: oponência. ADUTOR DO POLEGAR: Na Metacarpofalangiana do Polegar: adução e flexão. ABDUTOR LONGO DO POLEGAR: No Carpo: Auxiliar na flexão e abdução; Na Metacarpofalangiana do Polegar: abdução.

10 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 9 ABDUTOR CURTO DO POLEGAR: Na Metacarpofalangiana do Polegar: abdução e auxiliar na flexão. EXTENSOR LONGO DO POLEGAR: No Carpo: extensão e abdução. Na Metacarpofalangiana do Polegar: extensão Na Interfalangianas : extensão. EXTENSOR CURTO DO POLEGAR: No Carpo: auxiliar na abdução; Na Metacarpofalangiana Polegar: extensão e auxiliar na abdução. Na Interfalangianas : extensão. FLEXOR LONGO DO POLEGAR: No Carpo: auxilia na flexão e abdução. Na Metacarpofalangiana Polegar: flexão; Na Interfalangianas : flexão FLEXOR CURTO DO POLEGAR: Na Metacarpofalangiana Polegar: flexão e auxiliar na adução. INTERÓSSEOS DORSAIS: Nas Metacarpofalangianas: abdução. INTERÓSSEOS PALMARES:

11 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 10 Nos Metacarpofalangianas: adução. LUMBRICAIS: Nas Metacarpofalangianas: flexão; Nas Interfalangianas: extensão. OPONENTE DO DEDO MÍNIMO: Na Metacarpofalangiana Dedo Mínimo: oponência e flexão. FLEXOR CURTO DO DEDO MÍNIMO: Na Metacarpofalangiana Dedo Mínimo: flexão e auxiliar na oponência. ABDUTOR DO DEDO MÍNIMO: Na Metacarpofalangiana Dedo Mínimo: abdução e flexão. COLUNA SUBOCCIPITAIS: Reto anterior da cabeça; Reto lateral da cabeça; Reto posterior maior da cabeça; Reto posterior menor da cabeça; oblíquo superior da cabeça e oblíquo inferior da cabeça. RETO ANTERIOR DA CABEÇA:

12 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 11 Na Cabeça: em ação unilateral, faz flexão lateral da cabeça sobre o Atlas para o seu lado; em ação bilateral, faz flexão anterior da cabeça sobre o atlas. RETO LATERAL DA CABEÇA: Na Cabeça: em ação unilateral, faz flexão lateral da cabeça sobre o atlas; em ação bilateral, faz flexão anterior da cabeça sobre o atlas. RETO POSTERIOR MAIOR DA CABEÇA: Na cabeça: em ação unilateral, pode produzir pequena rotação para o seu lado; em ação bilateral,, faz a sustentação da cabeça, estabiliza a articulação atlantoccipital, faz extensão da cabeça sobre a cervical. RETO POSTERIOR MENOR DA CABEÇA: Na cabeça: em ação bilateral,, faz a sustentação da cabeça, estabiliza a articulação atlantoccipital, faz extensão da cabeça sobre a cervical. OBLÍQUO SUPERIOR DA CABEÇA Na cabeça: em ação bilateral,, faz a sustentação da cabeça, estabiliza a articulação atlantoccipital, faz extensão da cabeça sobre a cervical. OBLÍQUO INFERIOR DA CABEÇA Na cabeça: em ação unilateral, faz rotação e flexão lateral da cabeça para o seu lado; em ação bilateral, estabiliza a articulação atlantoaxial e faz extensão da cabeça sobre a cervical LONGO DO PESCOÇO: porções longitudinal, oblíqua superior e oblíqua

13 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 12 inferior Na cervical: em ação conjunta unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; em ação conjunta bilateral, faz flexão anterior e retifica a curvatura da lordose cervical. LONGO DA CABEÇA: Na cabeça: em ação unilateral, auxilia na flexão lateral para o seu lado; em ação bilateral, faz a flexão anterior. Na cervical: em ação unilateral, auxilia na flexão lateral das primeiras vértebras Cervicais para o seu lado; em ação bilateral, faz flexão anterior e retifica a curvatura da lordose cervical. ESCALENOS: anterior. médio e posterior ANTERIOR: Na cervical: em ação unilateral, faz flexão lateral para o mesmo lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral, faz flexão anterior No gradil costal: em ação bilateral elevação (inspiração) MÉDIO: Na cervical: em ação unilateral, faz flexão lateral para o mesmo lado e rotação para o lado oposto; No gradil costal: em ação bilateral elevação (inspiração) POSTERIOR: Na cabeça: em ação unilateral, faz flexão lateral

14 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 13 Obs.: As porções anterior e média quando em ação bilateral conjunta estando a cervical com a lordose preservada, fazem a extensão da cervical (acentuação da curvatura da lordose cervical / hiperlordose cervical) ESTERNOCLEIDOMASTÓIDE: Na cabeça: em ação unilateral, faz flexão lateral para o mesmo lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral, faz extensão No esterno e na clavícula:: em ação unilateral ou bilateral, faz elevação. Obs.: No caso da cabeça e cervical estarem em flexão anterior, fará a flexão anterior e não mais a extensão. INTERTRANSVERSÁRIO: Em ação unilateral, faz flexão lateral da coluna para o mesmo lado; Em ação bilateral, faz extensão da coluna. INTERESPINAIS: do lombo, do tórax e do pescoço Fazem extensão e estabilização da coluna. ESPINO-TRANSVERSAIS: esplênio da cabeça e do pescoço ESPLÊNIO DA CABEÇA: Na cabeça: em ação unilateral, faz flexão lateral e rotação para o mesmo lado; em ação bilateral, faz extensão; Na cervical: em ação unilateral, faz flexão lateral e rotação para o mesmo lado; em ação bilateral, faz extensão;

15 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 14 ESPLÊNIO DO PESCOÇO: Na cervical: em ação unilateral, faz flexão lateral e rotação para o mesmo lado; em ação bilateral, faz extensão; TRANSVERSO-ESPINAIS (MULTÍFIDOS): multífido do lombo, do tórax e do pescoço Em ação unilateral, fazem flexão lateral para o mesmo lado e rotação da coluna para o lado oposto; Em ação bilateral, fazem extensão e estabilização da coluna. SEMIESPINAL: do tórax, do pescoço, da cabeça DO TÓRAX: Na Torácica: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. DO PESCOÇO: Na Cervical: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. DA CABEÇA: Na cabeça: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. ROTADORES: do lombo, do tórax e do pescoço DO LOMBO:

16 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 15 Na Lombar: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. DO TÓRAX: Na Torácica: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. DO PESCOÇO: Na Cervical: Em ação unilateral, faz rotação lateral para o lado oposto; Em ação bilateral, faz extensão. ERETOR DA ESPINHA: Íliocostal: do lombo, ( parte lombar, parte torácica), do pescoço, longuíssimo: do tórax ( parte lombar), do pescoço, da cabeça) espinal: do tórax, do pescoço e da cabeça. ÍLIOCOSTAL DO LOMBO: parte lombar e parte torácica PARTE LOMBAR: Na Lombar: Em ação unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão e depressão do Gradil Costal. PARTE TORÁCICA: Na Torácica: Em ação unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão e depressão do Gradil Costal. ÍLIOCOSTAL DO PESCOÇO: Na Cervical: Em ação unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão e depressão do Gradil Costal. LONGUÍSSIMO: DO TÓRAX: parte lombar, DO PESCOÇO e DA CABEÇA

17 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 16 LONGUÍSSIMO DO TÓRAX: parte lombar: Na Torácica e na Lombar: Em ação unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão e depressão do c Gradil Costal. LONGUÍSSIMO DO PESCOÇO: Na Cervical: Em ação unilateral, faz flexão lateral para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão e depressão do Gradil Costal. LONGUÍSSIMO DA CABEÇA: Na Cabeça: Em ação unilateral, faz flexão lateral e rotação para o seu lado; Em ação bilateral, faz extensão. ESPINAL: do tórax, do pescoço e da cabeça. DO TÓRAX Na Torácica: Em ação bilateral faz a extensão. DO PESCOÇO Na Cervical: Em ação bilateral faz a extensão. DA CABEÇA Na Cabeça: Em ação bilateral faz a extensão. QUADRADO LOMBAR: Na Torácica e Lombar: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado; em ação bilateral extensão. Na Cintura pélvica: elevação do seu lado;

18 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 17 No Gradil Costal: depressão expiração. PSOAS MAIOR: Na lombar: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral flexão anterior e acentuação da lordose lombar. No Quadril: flexão conjugada aos movimentos de adução e rotação lateral. ILÍACO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. No Quadril: flexão. ILÍOPSOAS: Na lombar: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral flexão anterior e acentuação da lordose lombar. Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. No de quadril: flexão conjugada aos movimentos de adução e rotação lateral; RETO ABDOMINAL: No Torácica: flexão anterior e em ação das suas fibras laterais auxilia na flexão lateral para o seu lado;

19 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 18 Na Cintura Pélvica: báscula posterior. No Gradil Costal: depressão - expiração TRANSVERSO DO ABDÔME: Encolhimento do abdôme auxiliando no mecanismo da báscula posterior da cintura pélvica. OBLÍQUO INTERNO: No Torácica: em ação unilateral rotação e flexão lateral para o seu lado; em ação bilateral flexão anterior do tronco. No Gradil Costal: depressão expiração. Na Cintura Pélvica: rotação para o lado oposto. OBLÍQUO EXTERNO: No Tronco: em ação unilateral rotação lateral para o lado oposto e flexão lateral para o seu lado; em ação bilateral flexão anterior. No Gradil Costal: depressão expiração. Na Cintura Pélvica: rotação para o mesmo lado. COMPLEXO INFERIOR PSOAS MAIOR:

20 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 19 Na lombar: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral flexão anterior e acentuação da lordose lombar. No Quadril: flexão conjugada aos movimentos de adução e rotação lateral. ILÍACO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. No Quadril: flexão. ILÍOPSOAS: Na lombar: em ação unilateral flexão lateral para o seu lado e rotação para o lado oposto; em ação bilateral flexão anterior e acentuação da lordose lombar. Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. No de Quadril: flexão conjugada aos movimentos de adução e rotação lateral; PECTÍNEO: No Quadril: auxiliar na flexão, adução e rotação medial; Na Cintura Pélvica: em ação bilateral auxiliar na báscula anterior; em ação unilateral auxilia na inclinação contralateral. TENSOR DO FASCIA LATA: Na Cintura Pélvica: em ação unilateral faz inclinação contralateral ( báscula lateral elevação do lado oposto ); em ação bilateral faz báscula anterior;

21 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 20 No Quadril: flexão, abdução e rotação medial; No Joelho: extensão e quando o joelho encontra-se flexionado a rotação lateral. SARTÓRIO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral faz báscula anterior; No Quadril: auxilia na flexão, rotação lateral e abdução No Joelho: auxilia na flexão e rotação medial. ADUTOR LONGO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral faz báscula anterior; No Quadril: adução e auxiliar da flexão. ADUTOR CURTO: No Quadril: adução e auxiliar na rotação medial. Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. ADUTOR MAGNO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior. No Quadril: adução, rotação medial e auxiliar da extensão com sua porção extensora (posterior). GRÁCIL: No Quadril: adução, flexão e rotação medial. No Joelho: auxiliar da flexão e da rotação medial. SEMITENDINOSO:

22 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 21 Na Cintura Pélvica: báscula posterior; No Quadril: extensão, hiperextensão e auxiliar na adução; No Joelho: flexão e rotação medial. SEMIMENBRANOSO: Na Cintura Pélvica: báscula posterior; No Quadril: extensão, hiperextensão e auxiliar na adução; No Joelho: flexão e rotação medial. BÍCEPS FEMURAL PORÇÃO LONGA: Na Cintura Pélvica: báscula posterior; No Quadril: extensão e hipertensão; No Joelho: flexão e rotação lateral do joelho. BICEPS FEMURAL PORÇÃO CURTA: No Joelho: flexão e rotação lateral. DELTÓIDE GLÚTEO: (Glúteo Máximo, Tensor da Fáscia Lata ) Na Cintura Pélvica: em ação unilateral inclinação ( báscula lateral ) contralateral; GLÚTEO MÁXIMO: Na Cintura Pélvica: Báscula posterior; No Quadril: extensão, hiperextensão e rotação lateral e auxiliar na abdução ( fibras superiores).

23 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 22 GLÚTEO MÉDIO: Na Cintura Pélvica: em ação unilateral: auxiliar na elevação contralateral em ação bilateral: fibras anteriores: auxiliam na báscula anterior; fibras posteriores: auxiliam na báscula posterior. No Quadril: abdução e rotação medial, fibras anteriores: débil na flexão; fibras posteriores: débil na extensão. GLÚTEO MÍNIMO: Na Cintura Pélvica: em ação unilateral: auxiliar da elevação da contralateral; em ação bilateral: báscula anterior. No Quadril: abdução, rotação medial e débil na flexão; PIRIFORME: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula posterior; No Quadril: abdução, rotação lateral e débil na flexão. GÊMEO SUPERIOR: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula posterior; No Quadril: Rotação lateral. OBTURATÓRIO INTERNO: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula posterior;

24 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 23 No Quadril: abdução e rotação lateral. GÊMEO INFERIOR: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral básculas posterior No Quadril: Rotação lateral. OBTURATÓRIO EXTERNO Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior; No Quadril: abdução, rotação lateral e débil na flexão. QUADRADO FEMURAL: Na Cintura Pélvica: em ação bilateral báscula anterior; No Quadril: adução e rotação lateral. POPLÍTEO: No Joelho: inicia o movimento de flexão ( desbloqueio ), quando estamos com a tíbia fixa, realiza a rotação lateral e quando o fêmur encontrase fixo a rotação medial. QUADRÍCEPS: (reto femural, vasto intermedio, vasto medial longo e oblíquo e vasto lateral longo e oblíquo) No quadril: o reto femural faz flexão; No Joelho: extensão; quando o joelho encontra-se flexionado o vasto medial auxilia na rotação medial e o vasto lateral auxilia na rotação lateral.

25 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 24 ARTICULAR DO JOELHO: No Joelho: participa do movimento de extensão, por tracionar a cápsula articular superiormente. PLANTAR: No Joelho: débil no movimento de flexão; No Tornozelo: auxiliar na flexão plantar; TRÍCEPS SURAL: No Tornozelo: flexão plantar; Na Taloscalcânear: inversão. GASTROCNÊMIO MEDIAL E LATERAL: No Joelho: auxilia na flexão; No Tornozelo: flexão plantar; Na Taloscalcânear: inversão. SÓLEO: No Tornozelo: flexão plantar; Na Taloscalcânear:: inversão. TIBIAL POSTERIOR: No Tornozelo: auxiliar na flexão plantar;

26 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 25 Na Taloscalcânear: inversão. * sustentação do arco plantar. FLEXOR LONGO DOS DEDOS: No tornozelo: auxiliar na flexão plantar ; Na Taloscalcânear: auxiliar na inversão; Nos Dedos: flexão. * sustentação do arco plantar. FLEXOR LONGO DO HÁLUX: No tornozelo: auxiliar na flexão plantar; No Hálux: flexão. Na Taloscalcânear: inversão; * sustentação do arco plantar. TIBIAL ANTERIOR: No tornozelo: dorsi flexão; Na Taloscalcânear: inversão. EXTENSOR LONGO DO HÁLUX: No Tornozelo: dorsi flexão; No Hálux: extensão; Na Taloscalcânear: auxiliar na inversão. EXTENSOR LONGO DOS DEDOS: No Tornozelo: dorsi flexão;

27 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 26 Nos Dedos: extensão; Na Taloscalcânear: auxiliar da eversão. EXTENSOR CURTO DOS DEDOS: Nos Dedos: extensão. FIBULAR LONGO: No Tornozelo: auxiliar na flexão plantar; Na Taloscalcânear: eversão. FIBULAR CURTO: No Tornozelo: auxiliar na flexão plantar; Na Taloscalcânear:: eversão. FIBULAR TERCEIRO: No Tornozelo: auxiliar da dorsi flexão; Na Taloscalcânear: eversão; FLEXOR CURTO DOS DEDOS: Nos Dedos: flexão. FLEXOR CURTO DO HÁLUX: No Hálux: flexão. ADUTOR DO HÁLUX: No Hálux: adução

28 CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 27 ABDUTOR DO HÁLUX: No Hálux: abdução e auxiliar da flexão da falange proximal sobre o metatarso. FLEXOR CURTO DO DEDO MÍNIMO: No Dedo Mínimo: flexão. ABDUTOR DO DEDO MÍNIMO: No Dedo Mínimo: abdução e auxiliar na flexão. OPONENTE DO DEDO MÍNIMO: No Dedo Mínimo: oponência. INTERÓSSEOS PLANTARES E DORSAIS: Nos Dedos: flexão da falange proximal sobre o metatarso. INTERÓSSEOS PLANTARES: Nos Dedos: adução. INTERÓSSEOS DORSAIS: Nos dedos: abdução. QUADRADO DA PLANTA: Nos Dedos: realinhamento dos tendões do flexor longo dos dedos.

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR ELEVAÇÃO: TRAPÉZIO PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE), ELEVADOR (LEVANTADOR) DA ESCÁPULA, ROMBÓIDES. DEPRESSÃO:

Leia mais

28/03/2018 MIOLOGIA. Prof. Maurício Mandalozzo Ruppel. GENERALIDADES Propriedades. Contratilidade Elasticidade

28/03/2018 MIOLOGIA. Prof. Maurício Mandalozzo Ruppel. GENERALIDADES Propriedades. Contratilidade Elasticidade MIOLOGIA Prof. Maurício Mandalozzo Ruppel 1 GENERALIDADES Propriedades Contratilidade Elasticidade 2 1 3 4 2 5 Classificação das fibras musculares Fibras estriadas esqueléticas Fibras estriadas cardíacas

Leia mais

MÚSCULO ORIGEM INSERÇÃO INERVAÇÃO 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO ÚMERO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA

MÚSCULO ORIGEM INSERÇÃO INERVAÇÃO 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO ÚMERO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA 6MOD205 LOCOMOÇÃO E PREENSÃO MÚSCULOS DO MEMBRO SUPERIOR OMBRO MANGUITO ROTADOR 1 SUPRA-ESPINHAL FOSSA SUPRA-ESPINHAL TUBÉRCULO > DO 2 INFRA-ESPINHAL SUPERFÍCIE INFERIOR DA ESPINHA TUBÉRCULO > DO 3 SUBESCAPULAR

Leia mais

MÚSCULOS DO OMBRO. Músculos do Ombro

MÚSCULOS DO OMBRO. Músculos do Ombro MÚSCULOS DO OMBRO Músculos do Ombro Deltóide Supra-espinhal Infra-espinhal Redondo Menor Redondo Maior Subescapular DELTÓIDE Ombro Inserção Proximal: 1/3 lateral da borda anterior da clavícula, acrômio

Leia mais

Músculo Origem Inserção Inervação Ação

Músculo Origem Inserção Inervação Ação Músculos Toracoapendiculares Anteriores Músculo Origem Inserção Inervação Ação Peitoral Maior Porção clavicular: Face anterior da metade anterior da clavícula; Porção esternocostal: face anterior do esterno

Leia mais

Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades

Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades Músculos da face Não estão fixados pela parte óssea nas duas extremidades Uma fixação é no esqueleto e outra na parte mais profunda da Pele Podem movimentar a pele do couro cabeludo e da face modificando

Leia mais

CADEIAS MUSCULARES E AVALIAÇÃO POSTURAL

CADEIAS MUSCULARES E AVALIAÇÃO POSTURAL CADEIAS MUSCULARES E AVALIAÇÃO POSTURAL Françoise Mézières - supremacia do tônus muscular da cadeia posterior em função da necessidade de sustentação Herman Kabat Movimentos em espirais para levar ao completo

Leia mais

MEMBROS INFERIORES. Anatomia Humana Segmentar Profª. Kátia Nóbrega Profª. Terezinha Nóbrega

MEMBROS INFERIORES. Anatomia Humana Segmentar Profª. Kátia Nóbrega Profª. Terezinha Nóbrega MEMBROS INFERIORES Anatomia Humana Segmentar Profª. Kátia Nóbrega Profª. Terezinha Nóbrega INTRODUÇÃO A Anatomia Segmentar divide o corpo humano em diferentes segmentos para melhor analisá-los. Considerando

Leia mais

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação Psoas maior proc.

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação Psoas maior proc. MIOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MIOLOGIA DO MEMBRO INFERIOR Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em grupos principais: Iliopsoas MÚSCULOS QUE ACIONAM A COXA Psoas maior

Leia mais

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA ANATOMIA HUMANA O conhecimento da Anatomia é de fundamental importância na hora de prescrever o exercício... Ossos e músculos; Tipos de articulações;

Leia mais

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação

Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: Músculo Origem Inserção Ação MIOLOGIA DO ESQUELETO APENDICULAR MIOLOGIA DO MEMBRO SUPERIOR Podemos didaticamente dividir a musculatura dos membros superiores em doze grupos principais: MÚSCULOS QUE ACIONAM A CINTURA ESCAPULAR Trapézio

Leia mais

Músculos do membro inferior. Carlomagno Bahia

Músculos do membro inferior. Carlomagno Bahia Músculos do membro inferior Carlomagno Bahia Ossos do quadril Superficiais; Região glútea: Profundos. Músculos do membro inferior Coxa: Compartimento anterior; Compartimento medial; Compartimento posterior.

Leia mais

Músculos do Cíngulo Escapular e do Braço

Músculos do Cíngulo Escapular e do Braço UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos do Cíngulo Escapular e do Braço Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos do Tronco ao Cíngulo Escapular

Leia mais

Medicina Tradicional Chinesa

Medicina Tradicional Chinesa MEMBROS SUPERIIORES E INFERIIORES 1 IV - MEMBROS SUPERIORES E INFERII IORES 1 1 MEMBROS SUPERIORES 5 Ombro Deltóide 5 5 MANGUITO ROTADOR: 5 Músculos do Ombro - Vista Anterior 7 Músculos do Ombro - Vista

Leia mais

1 2 PSOAS O = PROCESSOS TRANSVERSOS / CORPOS E DISCOS INTERVERTEBRAIS DE TODAS AS VÉRTEBRAS LOMBARES N. FEMURAL I = TROCANTER MENOR ILIACO O = FOSSA ILIACA N. FEMURAL I = TROCANTER MENOR RETO FEMURAL O

Leia mais

Estão dispostos em 6 grupos:

Estão dispostos em 6 grupos: MÚSCULOS DO TRONCO Estão dispostos em 6 grupos: Músculos do dorso Abdome Músculos suboccipitais Pelve Tórax Períneo MÚSCULOS DO DORSO Há dois grupos principais: Músculos Extrínsecos do Dorso Superficiais

Leia mais

ANATOMIA DO MOVIMENTO HUMANO RELACIONADA AOS MOVIMENTOS DA MANIFESTAÇÃO FOLCLÓRICA QUADRILHA 1

ANATOMIA DO MOVIMENTO HUMANO RELACIONADA AOS MOVIMENTOS DA MANIFESTAÇÃO FOLCLÓRICA QUADRILHA 1 ANATOMIA DO MOVIMENTO HUMANO RELACIONADA AOS MOVIMENTOS DA MANIFESTAÇÃO FOLCLÓRICA QUADRILHA 1 MARTINS, Yasmin Guedes 1 ; SILVA, Daliny Lima da 2 ; ARANTES, Leonardo Jesus Fróes 3 ; MATA, Matheus Araújo

Leia mais

Anatomia do Membro Superior

Anatomia do Membro Superior Composição Cíngulo do Membro Superior Braço Antebraço Mão Cíngulo do Membro Superior CLAVÍCULA CULA - Extremidades: esternal e acromial - Diáfise: - 2/3 mediais convexos anteriormente - 1/3 lateral côncavo

Leia mais

Músculos do membro superior. Carlomagno Bahia

Músculos do membro superior. Carlomagno Bahia Músculos do membro superior Carlomagno Bahia Axiais: Peitoral maior; Latíssimo do dorso; Músculos que movimentam o braço Deltóide; Escapulares: Subescapular; Supra-espinhal; Infra-espinhal; Coracobraquial.

Leia mais

Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores

Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores Miologia e anatomia funcional do abdômen, quadril e membros inferiores Profª Esp.Flávia Medeiros M. Oblíquo Externo Origem: Margem inferior e face anterior da 5ª à 12ª costela Inserção: lábio externo da

Leia mais

ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES

ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES ANATOMOFISIOLOGIA I J. SILVA HENRIQUES 2 SISTEMA MUSCULAR MÚSCULOS DO MEMBRO SUPERIOR 3 MÚSCULOS MOVIMENTOS OMOPLATA 4 MÚSCULOS TRAPÉZIO MOVIMENTOS OMOPLATA 5 ELEVADOR DA OMOPLATA Origem: Apófises transversas

Leia mais

Músculos da Cabeça e Pescoço

Músculos da Cabeça e Pescoço UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos da Cabeça e Pescoço Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Cabeça e do Pescoço - Movimentam a cabeça

Leia mais

Músculos do Antebraço e Mão

Músculos do Antebraço e Mão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos do Antebraço e Mão Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Flexão do Cotovelo (3) Músculos da Extensão

Leia mais

Anatomia Palpatória. Anatomia clínica. Anatomia clínica - Objetivos. Anatomia clínica. Princípios da palpação. Princípios da palpação

Anatomia Palpatória. Anatomia clínica. Anatomia clínica - Objetivos. Anatomia clínica. Princípios da palpação. Princípios da palpação Anatomia Palpatória Especialista Ortopedia e Esportes UFMG Fisioterapeuta da SPINE FISIOTERAPIA Professor da Pos Graduação Terapia Manual PUC-MG Professor do Curso de Terapia Manual da SPINE FISIOTERAPIA

Leia mais

Músculos do Cíngulo Escapular e Braço

Músculos do Cíngulo Escapular e Braço Músculos do Cíngulo Escapular e Braço 1 Músculos do Tronco ou Crânio ao Cíngulo Escapular (8) Serrátil Anterior Trapézio Rombóides Maior e Menor Peitoral Menor Levantador da Escápula Subclávio Esternocleidomastóideo

Leia mais

Músculos do Antebraço e Mão

Músculos do Antebraço e Mão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos do Antebraço e Mão Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Flexão do Cotovelo (3) Músculos da Extensão

Leia mais

Músculos da Perna e Pé

Músculos da Perna e Pé UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos da Perna e Pé Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Dorsiflexão Flexão plantar Dorsiflexão Flexão Plantar Art.

Leia mais

ANATOMIA DO DORSO. Prof. Ms. Marcelo Lima. Site:

ANATOMIA DO DORSO. Prof. Ms. Marcelo Lima.   Site: ANATOMIA DO DORSO Prof. Ms. Marcelo Lima E-mail: profmarcelolima@yahoo.com.br Site: www.profmarcelolima.webnode.com.br Partes de uma Vértebra Vértebras Articulações Intervertebrais Entre os corpos. C.

Leia mais

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes

ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA. Professor Marcio Gomes ASPECTOS BIOMECÂNICOS APLICADOS AO TREINAMENTO DE FORÇA O homem que se esvazia do orgulho, dá espaço ao conhecimento. ANATOMIA HUMANA O conhecimento da Anatomia é de fundamental importância na hora de

Leia mais

ESPECIALIZAÇÃO EM LESÕES NO ESPORTE E PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO FÍSICO

ESPECIALIZAÇÃO EM LESÕES NO ESPORTE E PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO FÍSICO ESPECIALIZAÇÃO EM LESÕES NO ESPORTE E PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO FÍSICO Prof.Msc.Moisés Me des U i ersidade Estadual do Piauí- Teresi a. oises e des.co professor oises300@hot ail.co FACILITAÇÃO NEUROMUSCULAR

Leia mais

Apostila de Cinesiologia

Apostila de Cinesiologia 1 FACIS - Faculdade de Ciências da Saúde Fisioterapia Apostila de Cinesiologia Aula Prática Coxo Femoral Este material é fruto do trabalho iniciado na monitoria de 2009. Ainda esta em fase de construção.

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Ombro e Omoplata ANATOMIA MUSCULAR Músculos que movimentam o Ombro Anteriomente: Posteriomente: Deltóide (porção anterior) Grande Dorsal Peitoral Maior

Leia mais

Cinesiologia Aplicada. Quadril, Joelho e tornozelo

Cinesiologia Aplicada. Quadril, Joelho e tornozelo Cinesiologia Aplicada Quadril, Joelho e tornozelo Cintura Pélvica - Ossos Ossos Pélvicos: Ílio Isquio Púbis Femúr Cintura Pélvica - Movimentos Movimentos da Cintura Pélvica Rotação Pélvica posterior Retroversão

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço

CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço CINESIOLOGIA APLICADA À MUSCULAÇÃO: Músculos do Braço e Antebraço Músculos do Cotovelo Bicípite braquial Braquial Braquiorradial Tricípite braquial Ancôneo Bicípite Braquial Bicípite Braquial Origem: Cabeça

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA. Articulações do cotovelo, punho e da mão

CINESIOLOGIA APLICADA. Articulações do cotovelo, punho e da mão CINESIOLOGIA APLICADA Articulações do cotovelo, punho e da mão OSSOS - COTOVELO ÚMERO ULNA RÁDIO MOVIMENTOS ARTICULARES ARTICULAÇÃO DO COTOVELO: FLEXÃO EXTENSÃO ARTICULAÇÃO RÁDIO ULNAR: PRONAÇÃO SUPINAÇÃO

Leia mais

Músculos do Quadril e Coxa. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP

Músculos do Quadril e Coxa. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP Músculos do Quadril e Coxa Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Departamento de Anatomia, ICB, USP Movimentos da Articulação do Quadril (ou Coxa) -Flexão e Extensão -Adução e Abdução -Rotação Medial e Rotação

Leia mais

Avaliação Integrada. Prof. Silvio Pecoraro

Avaliação Integrada. Prof. Silvio Pecoraro Avaliação Integrada slpecoraro@yahoo.com.br Prof. Silvio Pecoraro Corrente cinética: sistema muscular + sistema articular + sistema neural. Anatomia Funcional Biomecânica Funcional Educação Motora Definições

Leia mais

10/17/2011. Conhecimento Técnico. Construir Argumentos

10/17/2011. Conhecimento Técnico. Construir Argumentos Conhecimento Técnico Construir Argumentos 1 Manhã (9:00 12:00) 04/10 (terça-feira) Principais 05/10 Lesões das 06/10 (quarta-feira) Modalidades Esportivas (quinta-feira) (Corrida e Futebol) Ms Andrea Bloco

Leia mais

Apostila de Cinesiologia. Cintura Escapular e Ombro

Apostila de Cinesiologia. Cintura Escapular e Ombro 1 FACIS - Faculdade de Ciências da Saúde Fisioterapia Apostila de Cinesiologia Aula Prática Cintura Escapular e Ombro Este material é fruto do trabalho iniciado na monitoria de 2009. Ainda esta em fase

Leia mais

Cinesiologia aplicada a EF e Esporte. Prof. Dr. Matheus Gomes

Cinesiologia aplicada a EF e Esporte. Prof. Dr. Matheus Gomes Cinesiologia aplicada a EF e Esporte Prof. Dr. Matheus Gomes 1 Cinesiologia PARTE I Descrição dos movimentos e ações musculares 2 Planos e Eixos Plano Frontal ou Coronal (eixo sagital ou ânteroposterior)

Leia mais

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 )

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 ) Complexo Articular do Ombro Articulação mais móvel do corpo humano, porém muito instável = estabilidade dinâmica. Posição de referência Graus de Liberdade 3 graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180

Leia mais

Cabeça. Ossos e Músculos 24/02/2016. Ossos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação ANATOMIA PALPATÓRIA

Cabeça. Ossos e Músculos 24/02/2016. Ossos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação. Músculos da Cabeça Palpação ANATOMIA PALPATÓRIA Ossos da Cabeça ANATOMIA PALPATÓRIA Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Douglas Lenz Cabeça MÚSCULOS DA CABEÇA Músculos da Cabeça Ossos e Músculos MÚSCULOS DA CABEÇA Músculos da Cabeça 1 ATM

Leia mais

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil),

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil), 1 1) PANTURRILHAS 1.1 GERAL De pé, tronco ereto, abdômen contraído, de frente para o espaldar, a uma distância de um passo. Pés na largura dos quadris, levar uma das pernas à frente inclinando o tronco

Leia mais

Anatomia do Membro Superior

Anatomia do Membro Superior Anatomia do Membro Superior www.imagingonline.com.br Plexo braquial Divisão (partes) Ramos supraclaviculares (ramos se originam das raízes e dos troncos do plexo braquial): N. dorsal da escápula N. torácico

Leia mais

EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO

EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO EXERCÍCIOS DE MUSCULAÇÃO BÁSICOS SUPINO RETO Peitoral maior parte esterno costal (medial) Descer a barra na direção do esterno até que toque a região peitoral. Subir a barra até a extensão dos cotovelos

Leia mais

Antebraço, Fossa Cubital e Mão

Antebraço, Fossa Cubital e Mão Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciências Básicas da Saúde Departamento de Ciências Morfológicas Curso de Fisioterapia DISCIPLINA DE ANATOMIA HUMANA Antebraço, Fossa Cubital e Mão

Leia mais

Profa. Elen H. Miyabara

Profa. Elen H. Miyabara UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia MÚSCULOS DO QUADRIL E COXA Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Movimentos da Articulação do Quadril (ou Coxa) -Flexão

Leia mais

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular OMBRO Complexo articular (20 mm, 3 art, 3 art funcionais) Articulação proximal do MS Direciona a mão Aumenta o alcance Osteologia Úmero, escápula, clavícula, esterno, costelas Úmero Cabeça Colo Tubérculo

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014 AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? A AVALIAÇÃO POSTURAL CONSISTE EM DETERMINAR E REGISTRAR SE POSSÍVEL ATRAVÉS DE FOTOS, OS DESVIOS OU ATITUDES POSTURAIS DOS INDIVÍDUOS, ONDE O MESMO É

Leia mais

Quadril. Quadril Cinesiologia. Renato Almeida

Quadril. Quadril Cinesiologia. Renato Almeida Quadril Questão de Concurso Treinando... (QUEIMADAS - PB) A capacidade do corpo de transformar movimentos angulares estereotipados das articulações em movimentos curvilineares mais eficientes das partes

Leia mais

OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO

OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO OSSOS ESCÁPULA CLAVÍCULA ÚMERO MOVIMENTOS DA ESCÁPULA PROTRAÇÃO RETRAÇÃO ELEVAÇÃO DEPRESSÃO ROTAÇÃO PARA CIMA (EXTERNA) ROTAÇÃO PARA BAIXO (INTERNA) MOVIMENTOS DOS OMBROS FLEXÃO E EXTENSÃO ADBUÇÃO E ADUÇÃO

Leia mais

ALONGAMENTOS 1. Músculos que movimentam o braço para a frente A. Tensionar B. Alongar 2. Musculatura Peitoral A. Tensionar B.

ALONGAMENTOS 1. Músculos que movimentam o braço para a frente A. Tensionar B. Alongar 2. Musculatura Peitoral A. Tensionar B. ALONGAMENTOS 1. Músculos que movimentam o braço para a frente Músculo deltóide/porção ventral/m. peitoral maior. Função: Mover o braço levantado para a frente. Cruze as mãos atrás da nuca e segure-as contra

Leia mais

Músculos da Perna e Pé. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Ferreira Departamento de Anatomia Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo

Músculos da Perna e Pé. Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Ferreira Departamento de Anatomia Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo Músculos da Perna e Pé Profa. Dra. Cecília H A Gouveia Ferreira Departamento de Anatomia Instituto de Ciências Biomédicas Universidade de São Paulo Movimentos Angulares do Tornozelo e Pé Dorsiflexão Flexão

Leia mais

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI. Sistema Muscular

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI. Sistema Muscular 1 FUNDAÇÃO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO DE BARUERI EEFMT Professora Maria Theodora Pedreira de Freitas Av. Andrômeda, 500 Alphaville Barueri SP CEP 06473-000 Disciplina: Educação Física 6ª Série Ensino Fundamental

Leia mais

Sinergias dos Membros Superiores

Sinergias dos Membros Superiores Flexão do Extensão do Deltóide; Córaco ; Bícipite ; peitoral; Deltóide; Grande dorsal; Tricipite Sinergias dos Membros Superiores Articulação escápulo-umeral Articulação do cotovelo Articulação rádio-cubital

Leia mais

MODELO ANATÓMICO ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA. Maria Alexandre Bettencourt Pires (MD; PhD) Lisboa -2015

MODELO ANATÓMICO ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA. Maria Alexandre Bettencourt Pires (MD; PhD) Lisboa -2015 MODELO ANATÓMICO ACADEMIA DAS CIÊNCIAS DE LISBOA Auzoux, Paris- 1853 José António nio Esperança a Pina (MD; PhD) Maria Alexandre Bettencourt Pires (MD; PhD) Lisboa -2015 1. ANATOMIA HUMANA DA LOCOMOÇÃO

Leia mais

CADEIAS MUSCULARES E ARTICULARES GDS. Elizabeth Alves G.Ferreira

CADEIAS MUSCULARES E ARTICULARES GDS. Elizabeth Alves G.Ferreira CADEIAS MUSCULARES E ARTICULARES GDS Elizabeth Alves G.Ferreira n Ter forma é estar vivo, n mas permanecer fixado n numa forma n é estagnar. n n Nosso destino é continuar a formar. Modelos de Saúde Cartesiano

Leia mais

Sistema Muscular. Descrição dos musculo. Corpo ou ventre porção mais larga do musculo. Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta

Sistema Muscular. Descrição dos musculo. Corpo ou ventre porção mais larga do musculo. Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta Descrição dos musculo Inserção de rigem no mais fixo dos dois ossos Corpo ou ventre porção mais larga do musculo Anatomia do musculo Inserção Terminal fixo no osso que se movimenta Descrição dos musculo

Leia mais

s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 1 O Ombro é uma articulação de bastante importância para todos nós, visto que para fazermos até as atividades mais simples, como escovar os dentes e dirigir, precisamos dele. Devido a esta característica,

Leia mais

Estudos Avançados da Ginástica Artística

Estudos Avançados da Ginástica Artística Estudos Avançados da Ginástica Artística 1 Estudos das Ações Motoras - Abertura - Fechamento - Antepulsão - Retropulsão - Repulsão 2 Análise do Movimento Ginástico - Identificação dos músculos e articulações

Leia mais

Anatomia Humana. A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor. B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório

Anatomia Humana. A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor. B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório Anatomia Humana A- Anatomia Geral e do Aparelho Locomotor B- Anatomia do Aparelho Cardiorespiratório C- Anatomia dos Sistemas Endócrino e Digestório D- Anatomia do Aparelho Genitourinário E- Anatomia do

Leia mais

Tornozelo - Pé. Tornozelo - Pé Cinesiologia. Renato Almeida

Tornozelo - Pé. Tornozelo - Pé Cinesiologia. Renato Almeida Tornozelo - Pé Questão de Concurso Treinando... (SERTANEJA - PR) Os músculos fibular longo, fibular curto e terceiro fibular realizam qual movimento? a) Flexão do joelho. b) Eversão do pé. c) Plantiflexão

Leia mais

Miologia. Mio Músculo Logia Estudo Quatrocentos músculos esqueléticos 40 50% da massa corporal.

Miologia. Mio Músculo Logia Estudo Quatrocentos músculos esqueléticos 40 50% da massa corporal. Prof. Amir Curcio Miologia Mio Músculo Logia Estudo Quatrocentos músculos esqueléticos 40 50% da massa corporal. Miologia Funções Geração de força para locomoção e respiração. Sustentação postural. Geração

Leia mais

É importante compreender a biomecânica do joelho (fêmoro tibial e patelo femoral ao prescrever exercícios para o joelho em um programa de

É importante compreender a biomecânica do joelho (fêmoro tibial e patelo femoral ao prescrever exercícios para o joelho em um programa de É importante compreender a biomecânica do joelho (fêmoro tibial e patelo femoral ao prescrever exercícios para o joelho em um programa de reabilitação, seja qual for o diagnóstico Fêmur Tíbia Fíbula Patela

Leia mais

Mecânica Articular 15/8/2011. Agradecimentos. Objetivos. Dinâmica da disciplina. Anatomia Complexo do ombro. Observação MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011

Mecânica Articular 15/8/2011. Agradecimentos. Objetivos. Dinâmica da disciplina. Anatomia Complexo do ombro. Observação MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011 Agradecimentos Mecânica Articular 1 2 - Liliam Oliveira, DSc. - Paulo Sergio Gomes, PhD. MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011 Aulas teóricas: 06/08 Membros superiores; Dinâmica da disciplina Ombro e cotovelo.

Leia mais

AVALIAÇÃO FÍSICA DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Aulas 12 e 13 AVALIAÇÃO POSTURAL. Prof.ª Ma. Ana Beatriz M. de C. Monteiro

AVALIAÇÃO FÍSICA DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Aulas 12 e 13 AVALIAÇÃO POSTURAL. Prof.ª Ma. Ana Beatriz M. de C. Monteiro AVALIAÇÃO FÍSICA DA CRIANÇA E ADOLESCENTE Aulas 12 e 13 AVALIAÇÃO POSTURAL Prof.ª Ma. Ana Beatriz M. de C. Monteiro AULAS 12 e 13 SUMÁRIO Introdução Avaliação Postural e Puberdade Metodologia Desvios posturais

Leia mais

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos

Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: Execução: Tempo: Músculos envolvidos Exercício da 1º Semana de Abril 2012 Professora: PI - Em pé, MMII unidos, joelhos semiflexionados, MMSS ao longo do tronco. Execução: Flexionar o quadril e o tronco, entrelaçar os dedos na parte posterior

Leia mais

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular

Adutores da Coxa. Provas de função muscular MMII. Adutor Longo. Adutor Curto. Graduação de força muscular Provas de função muscular MMII Graduação de força muscular Grau 0:Consiste me palpar o músculo avaliado e encontrar como resposta ausência de contração muscular. Grau 1:Ao palpar o músculo a ser avaliado

Leia mais

Dr. Ricardo Anatomia dos membros inferiores junho site recomendado para estudar anatomia KENHUB

Dr. Ricardo Anatomia dos membros inferiores junho site recomendado para estudar anatomia KENHUB WWW.cedav.com.br Dr. Ricardo Anatomia dos membros inferiores junho 2017 site recomendado para estudar anatomia KENHUB Ossos da bacia Sacro Ilíacos Crista ilíaca Espinhas ilíacas anteriores Ísquios Espinhas

Leia mais

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano

Anatomia Geral. http://d-nb.info/1058614592. 1 Filogênese e Ontogênese Humanas. 5 Músculos. 6 Vasos. 2 Visão Geral do Corpo Humano Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento 4 1.3 Gastrulação, Neurulação e Formação dos

Leia mais

Coluna Vertebral. Coluna Vertebral Cinesiologia. Renato Almeida

Coluna Vertebral. Coluna Vertebral Cinesiologia. Renato Almeida Coluna Vertebral Questão de Concurso Treinando... (EBSERH) A escoliose é uma deformidade em curva da coluna vertebral, podendo ou não ser acompanhada de rotação das vértebras, a chamada giba. Em uma escoliose

Leia mais

08/08/2016 CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA DOS SEGMENTOS ARTICULARES DO MEMBRO INFERIOR COMPONENTES DO COMPLEXO DO QUADRIL

08/08/2016 CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA DOS SEGMENTOS ARTICULARES DO MEMBRO INFERIOR COMPONENTES DO COMPLEXO DO QUADRIL CINESIOLOGIA E BIOMECÂNICA DOS SEGMENTOS ARTICULARES DO MEMBRO INFERIOR COMPONENTES DO COMPLEXO DO QUADRIL PELVE (isquio, ilio, pubis) FÊMUR 1 COMPLEXO DO QUADRIL ARTICULAÇÃO SINOVIAL, TIPO ESFERÓIDE 3

Leia mais

Sumário. Anatomia Geral

Sumário. Anatomia Geral Anatomia Geral 1 Filogênese e Ontogênese Humanas 1.1 Filogênese Humana................................. 2 1.2 Ontogênese Humana: Visão Geral, Fecundação e Estágios Iniciais do Desenvolvimento.................................

Leia mais

Componentes 08/08/2016. Úmero Rádio. Ulna

Componentes 08/08/2016. Úmero Rádio. Ulna Componentes Úmero Rádio Ulna 1. Articulação Úmero-radial e Úmero-ulnar (do cotovelo, propriamente dita) 2. Articulação Rádio-ulnar proximal 3. Articulação Rádio-ulnar distal 1 Complexo Articular do Cotovelo

Leia mais

Corpos vertebrais. Disco intervertebral

Corpos vertebrais. Disco intervertebral AULA 6 COLUNA VERTEBRAL 33 VÉRTEBRAS 7 Vértebras cervicais (C1-C7) C7) 12 vértebras torácicas (T1-T12) T12) 5 vértebras lombares (L1-L5) L5) 5 vértebras sacrais (S1-S5) S5) 4-5 vértebras coccígeas COLUNA

Leia mais

MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX. 1 Peitoral Maior. 1 Peitoral Maior. Região Ântero- Lateral

MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX MÚSCULOS DO TÓRAX. 1 Peitoral Maior. 1 Peitoral Maior. Região Ântero- Lateral Nervo Peitoral Lateral e Medial (C5 a T1) Marcelo Marques Soares Prof. Didi Rotação medial, adução, flexão e flexão horizontal do braço Região Ântero- Lateral 2 Peitoral Menor Subclávio Serrátil Anterior

Leia mais

Membro Superior. Sistema Esquelético. Cintura Escapular. Membro Superior. 1 Segmento ESCÁPULA E CLAVÍCULA 24/02/2016 CLAVÍCULA. CLAVÍCULA Articulações

Membro Superior. Sistema Esquelético. Cintura Escapular. Membro Superior. 1 Segmento ESCÁPULA E CLAVÍCULA 24/02/2016 CLAVÍCULA. CLAVÍCULA Articulações ANATOMIA PALPATÓRIA Marcelo Marques Soares Prof. Didi Jonas Wecker Douglas Lenz 1 Segmento Cintura Escapular E CLAVÍCULA Membro Superior Sistema Esquelético CLAVÍCULA Membro Superior 1 Segmento - Cintura

Leia mais

1ª CAMADA 4 MÚSCULOS ANTEBRAÇO E MÃO DIVISÃO MÚSCULOS DOS MEMBROS SUPERIORES MÚSCULOS DO ANTEBRAÇO MÚSCULOS DO ANTEBRAÇO

1ª CAMADA 4 MÚSCULOS ANTEBRAÇO E MÃO DIVISÃO MÚSCULOS DOS MEMBROS SUPERIORES MÚSCULOS DO ANTEBRAÇO MÚSCULOS DO ANTEBRAÇO MÚSCULOS DOS MEMBROS SUPERIORES Dica Do Didi 4121 Número bom ANTEBRAÇO E MÃO Marcelo Marques Soares Prof. Didi DIVISÃO MÚSCULOS DO ANTEBRAÇO - Região Anterior (8 Músculos) - - Região Posterior (8 Músculos)

Leia mais

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 AVALIAÇÃO POSTURAL ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 POSTURA CONCEITOS: Postura é uma composição de todas

Leia mais

13/05/2013. Prof.Msc.Moisés Mendes Universidade Estadual do Piauí- Teresina

13/05/2013. Prof.Msc.Moisés Mendes Universidade Estadual do Piauí- Teresina Prof.Msc.Moisés Mendes Universidade Estadual do Piauí- Teresina professormoises300@hotmail.com Extremidade distal do rádio Extremidade distal da ulna Carpo ( escafóide, semilunar, piramidal, trapézio,

Leia mais

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero

escápula e clavícula. Peitoral maior Clavícula, úmero, Adução do úmero Músculo Ligações Movimentos Esternocleidomastóideo Esterno, clavícula, Flexão, flexão lateral e rotação da processo mastóide cabeça Trapézio Osso occipital, apófises Extensão e flexão lateral da espinhosas

Leia mais

Cinesiologia. Aula 2

Cinesiologia. Aula 2 Cinesiologia Aula 2 Graus de Liberdades de Movimentos São classificados pelo número de planos nos quais se movem os segmentos ou com o número de eixos primários que possuem Um grau de liberdade (uniaxial)

Leia mais

MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior MOVIMENTOS DA CINTURA ESCAPULAR Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior O que é Cintura Escapular? Duas clavículas e duas escápulas. Trata-se de uma estrutura que sofreu adaptações à bipedia, onde as

Leia mais

Análise do movimento Parafuso

Análise do movimento Parafuso Análise do movimento Parafuso 1 Projeto de Pesquisa Trançados musculares saúde corporal e o ensino do frevo Análise do movimento Observador: Giorrdani Gorki Queiroz de Souza (Kiran) Orientação para realização

Leia mais

REVISTA PERSPECTIVA: CIÊNCIA E SAÚDE

REVISTA PERSPECTIVA: CIÊNCIA E SAÚDE REVISTA PERSPECTIVA: CIÊNCIA E SAÚDE ANO 2017 VOLUME 2 EDIÇÃO 2 ISSN: 2526-1541 Artigo de Revisão ESTUDO DE REVISÃO SOBRE A CINESIOLOGIA DOS COMPLEXOS ARTICULARES REVIEW STUDY ABOUT KINESIOLOGY OF THE

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação Esternoclavicular: Artic.

Leia mais

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica

Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício ISSN versão eletrônica ANÁLISE CINESIOLÓGICA DOS FUNDAMENTOS DO VOLEIBOL: CONTEÚDO PARA PRESCREVER O TREINO NEUROMUSCULAR - FORÇA E FLEXIBILIDADE 155 Nelson Kautzner Marques Junior 1 RESUMO O treino neuromuscular para o atleta

Leia mais

Punho - Mão. Punho - Mão Cinesiologia. Renato Almeida

Punho - Mão. Punho - Mão Cinesiologia. Renato Almeida Punho - Mão Questão de Concurso Treinando... (NOVA ESPERANÇA DO SUL - RS) São ossos carpais: a) Trapezoide, Escafoide, Capitato, Cuboide, Estiloide, Trapézio e Hamato. b) Rádio, Capitato, Trapezoide, Talo,

Leia mais

ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA

ESTUDO DO MOVIMENTO MIOLOGIA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO ANATOMIA MUSCULAR MÚSCULOS ESPINAIS GRUPO INTERNO PROFUNDO SISTEMA LONGITUDINAL INTERESPINHOSOS INTERESPINHOSOS DO PESCOÇO INTERESPINHOSOS

Leia mais

28/08/2015 CINTURA PÉLVICA E QUADRIL INTRODUÇÃO. Transmissão do peso da cabeça, tronco e MMSS para os MMII INTRODUÇÃO ÍNDICE DE ASSUNTOS

28/08/2015 CINTURA PÉLVICA E QUADRIL INTRODUÇÃO. Transmissão do peso da cabeça, tronco e MMSS para os MMII INTRODUÇÃO ÍNDICE DE ASSUNTOS ÍNDICE DE ASSUNTOS CINTURA PÉLVICA E QUADRIL PROF. DR. Wouber Hérickson de B. Vieira DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA - UFRN hericksonfisio@yahoo.com.br INTRODUÇÃO ANATOMIA FUNCIONAL Estrutura óssea Estrutura

Leia mais

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia

Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho. Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Esqueleto Apendicular e Axial, e articulação do joelho Marina Roizenblatt 75 Monitora de Anatomia Coluna Vertebral Canal Vertebral Forames intervertebrais Características de uma vértebra típica Corpo vertebral

Leia mais

Análise do movimento Caindo nas molas

Análise do movimento Caindo nas molas Análise do movimento Caindo nas molas 1 Projeto de Pesquisa Trançados musculares saúde corporal e o ensino do frevo Análise do movimento Observador: Giorrdani Gorki Queiroz de Souza (Kiran) Orientação

Leia mais

PILATES. Exercícios COM FOTOS. passo a passo. Por Vinicius G. Machado

PILATES. Exercícios COM FOTOS. passo a passo. Por Vinicius G. Machado PILATES nastep CHAIR Por Vinicius G. Machado Exercícios COM FOTOS passo a passo quem somos? A VOLL PILATES atua em todas as áreas de capacitação em Pilates, da formação básica inicial à workshops avançados,

Leia mais

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA I

UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA I UNIC - UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - 1 - FACULDADE DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS MORFOFUNCIONAIS APLICADAS A MEDICINA VETERINÁRIA I Roteiro de aula prática de Anatomia Veterinária Profa.Juliana

Leia mais

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR

OSSOS DO MEMBRO INFERIOR OSSOS DO MEMBRO INFERIOR ARTICULAÇÕES DO MEMBRO INFERIOR Articulação SacroiIíaca: Ligamento sacrotuberal Lig. sacroespinal Lig. Sacroilíacos post. e ant. Lig. Sacroilíacos interósseos Articulação

Leia mais

Cinesiologia e Biomecânica

Cinesiologia e Biomecânica Cinesiologia e Biomecânica Autoria: João Paulo Manfré dos Santos Tema 05 Cinesiologia e Biomecânica dos Membros Superiores Tema 05 Cinesiologia e Biomecânica dos Membros Superiores Autoria: João Paulo

Leia mais

ANATÔMIA RADIOLÓGICA SECCIONAL DO ESQUELETO APENDICULAR

ANATÔMIA RADIOLÓGICA SECCIONAL DO ESQUELETO APENDICULAR Disciplina: Anatomia e Fisiologia ANATÔMIA RADIOLÓGICA SECCIONAL DO ESQUELETO APENDICULAR Rafael Carvalho Silva Ombro Visão Coronal (anterior/posterior) Módulo I Trapézio Clavícula Ligamento coracoacromial

Leia mais

Biomecânica e Cinesiologia do Ombro

Biomecânica e Cinesiologia do Ombro Biomecânica e Cinesiologia do Ombro Ombro articulação mais móvel do corpo. Mas também a mais instável. Composta por 4 ossos, 20 músculos e 5 articulações. Ossos: úmero, escápula, clavícula e costela. Articulações

Leia mais

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz

ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO. Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ROTEIRO DE ESTUDOS SISTEMA ÓSSEO Prof a. Ana Carolina Athayde R. Braz ESQUELETO AXIAL 1) CABEÇA: a) Identificar e localizar os ossos da cabeça: - Crânio (8): Ossos pares ou bilaterais: Parietais e Temporais

Leia mais